Vale a pena usar o Linux Deepin?

Veja agora uma análise detalhada sobre esta distribuição Linux chinesa que chamou tanto a atenção das pessoas, especialmente por conta de sua interface gráfica.

Linux Deepin 2014 Review

Review do Linux Deepin 2014


Uma distribuição muito bonita e com ótimos detalhes de acabamento, numa mistura de Mac OSX, Windows 8 e Gnome é que o Linux Deepin, made in china, se apresenta aos usuários de computador.

Pontos Fortes (síntese)


O Deepin conseguiu construir um ambiente amigável para a maioria dos usuários, especialmente os novatos, o sistema tem um certa intuitividade e suas peculiaridades, possui vários programas de desenvolvimento próprio, incluindo a interface chamada de DDE (Deepin Desktop Enviroment), traz uma seleção de softwares completa e inteligente capaz de satisfazer as necessidades básicas de qualquer um que sente em frente ao computador.

Por ser baseado no Ubuntu 14.04 LTS o Deepin se torna compatível com todos os softwares disponíveis para Ubuntu, assim como os repositórios PPA.


Pontos Fracos (síntese)


Apesar de muito intuitivo na maioria das vezes, os ícones de desenho próprio carregam a "marca chinesa" de padrão de aparência, eles são muito coloridos e desenhados, alguns me lembram animes inclusive, isso pode ser visto como um ponto fraco ou forte dependendo do seu gosto e ponto de vista, mas para o mercado internacional não é algo comercial, mas em fim...

Fora isso tive alguns problemas de congelamento de interface no meu Notebook após algumas atualizações, por momentos o barra inferior sumiu, basicamente estes foram os pontos fracos.


Confira a análise detalhada em vídeo


Como "palavras são apenas palavras" nada melhor do que conferir a análise de maneira mais detalhada em vídeo, o vídeo abaixo foi produzido pelo Diolinux e está postado no nosso canal, caso ainda não conheça convido-o a conhecer, sem mais:



Download do Linux Deepin 2014


O Linux Deepin é uma distribuição que evoluiu muito durante estes últimos anos e hoje tem um ambiente próprio é muito bem trabalhado e como a maioria dos sistemas Linux ele esta disponível para download gratuitamente através de sua página oficial.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.
terça-feira, 21 de outubro de 2014

Anunciado nome do Ubuntu 15.04

O Ubuntu 14.10 nem saiu ainda e já temos a informação do novo nome do Ubuntu para o ano que vem, a versão que sairá em Abril deverá se chamar Vivid Vervet.

Ubuntu 15.04 Vivid Vervet

Vivid Vervet: Um "macaquinho" é o novo mascote do Ubuntu


Mark Shuttleworth anunciou em seu blog o novo codinome para o Ubuntu 15.04 que sairá em Abril do ano que vem, o anúncio do nome foi mais um motivo apenas para ele escrever algo em seu blog porque hoje é o aniversário de 10 anos do Ubuntu.

Vervet Monkey - Ubuntu
Foto: Wikipédia - 




Não temos nenhuma grande novidade para esta versão do Ubuntu mas de qualquer forma, todo lançamento, toda a versão gera uma expectativa nos usuários, afinal, nem a versão 14.10 saiu ainda, com poucas novidades ela decepcionou algumas pessoas, você pode conferir o review do Ubuntu 14.10 no canal do Diolinux.


Fique sempre ligado aqui, sempre que houver novidades você ficará sabendo!

__________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.
segunda-feira, 20 de outubro de 2014

10 anos de Ubuntu, conheça algumas curiosidades do sistema

Hoje o sistema operacional baseado em Linux mais utilizado em desktops faz aniversário, 10 anos de existência de Ubuntu, venha conosco para acompanhar a homenagem que fizemos para o sistema e conhecer algumas peculiaridades que talvez você não saiba.

Ubuntu completa 10 anos

Há dez anos nascia o Ubuntu Linux


Originalmente sendo apenas uma pequena variação do GNU/Linux Debian, há 10 anos nascia o Ubuntu, a primeira versão ao contrário do que se possa imaginar não foi o "Ubuntu 1" e sim o "Ubuntu 4.10" com o codinome de "The Warty Warthog" (O Porco-africano Verruguento), lançada exatamente no dia 20 de Outubro de 2004.

O Ubuntu é o sistema operacional que eu escolhi utilizar, e venho usando ele a mais ou menos uns 3 anos e nada mais justo do que prestar uma singela homenagem, então, escolhi fazer isso trazendo para os leitores do blog algumas curiosidades sobre o sistema que talvez você não saiba.

Curiosidades sobre o Ubuntu e a Canonical


Pesquisei muito internet à fora e juntei alguns informações com as que eu já sabia e elaborei alguns tópicos que vão mostrar para você o quanto o Ubuntu (apesar de ser um projeto relativamente novo) já é muito importante para o mundo da tecnologia.

 - Mark Shuttleworth foi o segundo turista espacial do mundo


O criador da Canonical (empresa que desenvolve o Ubuntu) foi o segundo ser humano a ir para o espaço como turista, passando apenas 10 dias no espaço, entre viagem e estadia na Estação Espacial Internacional, esta pequena viajem custou a "bagatela" de 20 milhões de dólares.

Mark Shuttleworth na estação espacial internacional
Foto: China Daily

- Nomes de animais nos codinomes das versões do Ubuntu


Toda versão nova do Ubuntu recebe um nome de código, ou um "apelido", como queiram, fato é que todos eles seguem a seguinte fórmula, "adjetivo+nome" seguindo a ordem alfabética, normalmente o adjetivo é algo "meio estranho", assim temos desde o início:

  • - Ubuntu 4.10: The Warty Warthog (O Porco-africano Verruguento).
  • - Ubuntu 5.04: The Hoary Hedghog (O Ouriço Grisalho).
  • - Ubuntu 5.10: The Breezy Badger (O Texugo Fresco).
  • - Ubuntu 6.06 LTS: The Dapper Drake (O Pato Doméstico Estiloso).
  • - Ubuntu 6.10: The Edgy Eft (A Salamandra Hi-Tec).
  • - Ubuntu 7.04: The Feisty Fawn (O Jovem Bravo Cervo).
  • - Ubuntu 7.10: The Gutsy Gibbon (O Macaquinho Corajoso).
  • - Ubuntu 8.04 LTS: The Hardy Heron (A Garça Durona).
  • - Ubuntu 8.10: The Intrepid Ibex (O Bode Intrépido).
  • - Ubuntu 9.04: The Jaunty Jackalope (O Coelho Elegante).
  • - Ubuntu 9.10: The Karmic Koala (O Koala Kármico).
  • - Ubuntu 10.04 LTS: The Lucid Lynx (O Lince Lúcido).
  • - Ubuntu 10.10: The Maverick Meerkat (O Suricato Vagabundo).
  • - Ubuntu 11.04: The Natty Narwhal (O Naval Inteligente,Fashion).
  • - Ubuntu 11.10: The Oneiric Ocelot (A Jaguatirica Onírica).
  • - Ubuntu 12.04 LTS: The Precise Pangolin (O Pangolim Preciso).
  • - Ubuntu 12.10: The Quantal Quetzal (O Quetzal Quântico).
  • - Ubuntu 13.04: The Raring Ringtail (O Bassarisco Ávido). 
  • - Ubuntu 13.10: The Saucy Salamander (A Salamandra Atrevida).
  • - Ubuntu 14.04 LTS: The Trusty Tahr (A Cabra Selvagem Fiel).
  • - Ubuntu 14.10: The Utopic Unicorn (O Unicórnio Utópico)

- Ubuntu Font Family

O Ubuntu tem uma fonte própria que é livre pra uso e ela é a 8ª fonte mais utilizada na internet.

Ubuntu Font Family

- Muitas derivações 


Dos 20 primeiros sistemas classificados no ranking da DistroWatch 8 são relacionados ao Ubuntu de alguma forma, atualmente temos algumas derivações muito famosas do sistema da Canonical.

Variações do Ubuntu

Além do Ubuntu tradicional que vem com o ambiente gráfico Unity, temos as seguintes derivações de maior destaque:

- Xubuntu (Ubuntu com interface XFCE)
- Lubuntu (Ubuntu com interface LXDE)
- Kubuntu (Ubuntu com interface KDE)
- Linux Mint (Derivação não oficial com ambiente Cinnamon)
- Ubuntu Studio (Ubuntu voltado ao público que produz conteúdo multimídia com ambiente XFCE)
- Ubuntu Gnome (Ubuntu com interface Gnome Shell)
- Ubuntu Mate (Ubuntu com interface MATE)
- Elementary OS (Ubuntu com interface Pantheon)

Você consegue ver toda a árvore de derivações no Ubuntu neste link.

- O significado da palavra "Ubuntu"


Ubuntu, segundo o site da Canonical, "é uma palavra antiga do dialeto africano zulu" que significa "Eu sou o que sou porque nós somos", inclusive, no recente falecimento do ícone Nelson Mandela tivemos a palavra Ubuntu (lê-se "Ubúntu") mais exposta do que nunca.


Vídeo: Canal Ubuntu Dicas

- Rover Curiosity que está explorando a superfície de Marte é controlado pelo Ubuntu


Se tem uma coisa que gosto tanto quanto Linux essa coisa é a Astronomia, e olha só que surpresa interessante, não bastasse o Debian (papai do Ubuntu) ser usado nos computador da ISS, o Ubuntu, seu filho querido, é usado para controlar um dos "Rovers" que exploram a superfície marciana em busca de vida e informações sobre o nosso vizinho.

Ubuntu usado para controlar Rover em Marte
Foto: NASA

Ubuntu usado para controlar Rover em Marte
Foto: NASA

- Mais sobre o "tio Mark"


Nascido na Africa do Sul, ele sempre se interessou por tecnologia e acabou atravessando o oceano para poder estudar em universidades mais conceituadas, fundou uma empresa chamada Thawte, que trabalhava com segurança na internet, criptografia, etc, essa empresa foi vendida para a VeriSign por 575 milhões de dólares no câmbio atual, 20 dos quais ele usou para ir ao espaço como falamos antes, voltando à Terra ele fundou a Canonical com sede no Reino Unido.



Mark Shuttleworth tem 40 anos e, diz quem o conhece, é um homem de personalidade forte, com uma capacidade de trabalho inesgotável e uma história de vida marcada pelo desafio de lutar por objetivos que outros consideravam impossíveis. Aos 22 anos, ainda estudante de Economia na Universidade da Cidade do Cabo, mas já um maníaco da informática e dos computadores, tentou a sorte no emergente negócio da internet. Montou uma empresa na garagem da casa dos pais, na ponta sul do continente africano - aparentemente o lugar mais improvável para se ter êxito num setor então confinado a Silicon Valley, na Califórnia. E investiu toda a energia num nicho de mercado, inexplorado: a segurança do comércio eletrónico, os certificados de identidade e a assinatura digital.

Em 1999, apenas quatro anos depois, provou que a aposta fora vencida: vendeu a Thawte, a sua empresa (e as suas patentes), ao gigante VeriSign (de Silicon Valley, claro...) e passou a ser considerado, oficialmente, milionário. Contas feitas, após distribuir 150 mil euros de prémio por cada um dos seus 50 funcionários, Mark Shuttleworth passou a deter uma fortuna pessoal superior a 500 milhões de euros. Em dinheiro vivo, resistente aos humores bolsistas.

Com esse dinheiro, aquele a quem chegaram a chamar o "Bill Gates sul-africano" fundou uma empresa de investimento, HBD, vocacionada para a inovação e as start-ups tecnológicas. Depois, criou uma fundação, com o seu nome, destinada a promover a educação, o acesso às tecnologias de informação e o financiamento de projetos de transformação social. E finalmente, lançou-se, com espírito militante e quase guerreiro, no desenvolvimento de um sistema operativo, o Ubuntu, que pretende ser um concorrente direto do Windows, da Microsoft, e do iOS, da Apple (mais um objetivo aparentemente impossível...), mas com uma particularidade relevante: é software livre e grátis ("É preciso mudar o mundo e todas as pessoas têm de ter acesso à tecnologia para o mudar", acredita). Atualmente, o Ubuntu já é usado por mais de 20 milhões de pessoas, quase todas programadoras e gestoras de data centers. Mas esse número pode crescer rapidamente, ainda este ano, quando forem postos à venda os primeiros tablets e smartphones equipados com o sistema.

Uma pequena parte da fortuna de Shuttleworth foi, no entanto, gasta para satisfazer um capricho pessoal, à medida de um fanático admirador da série Star Wars (Guerra das Estrelas). Mark pegou em 20 milhões de euros (vendo bem, não é extravagância alguma: é-se tão rico com 500 milhões como com 480 milhões...) e "comprou" um lugar na nave Soyuz TM-34 que, em 2002 - tinha ele 29 anos - o levou para fora da atmosfera terrestre e a passar nove dias a bordo da Estação Espacial Internacional, onde, a seu pedido, e após quase um ano de treino na Cidade das Estrelas russa, desenvolveu atividades científicas, como os outros astronautas, relacionadas com o vírus HIV e o genoma humano. Foi a emoção dessa experiência como segundo turista espacial da história - e o primeiro "afronauta", como lhe chamou, numa emocionada chamada telefónica para o espaço, o seu amigo Nelson Mandela - que acabou por lhe dar uma nova razão para a vida... e mais outro objetivo aparentemente impossível.
"No espaço, ele tomou verdadeira consciência de como a Terra é pequena e frágil. Viu o impacto da intervenção humana no planeta, com uma dimensão que não pensava ser possível. A partir desse momento, sentiu que tinha de agir, demonstrar que se pode criar riqueza sem destruir a natureza", explica Nuno Rodrigues, 36 anos, o jurista de formação que Mark Shuttherworld escolheu para dirigir a HBD-STP, o grupo empresarial a quem confiou a tarefa de concretizar essa sua visão.

Fragmento retirado do texto "Salvar o Paraíso... e mudar o mundo"
Leia o conteúdo completo aqui.

Obrigado


Só tenho a agradecer ao Ubuntu e Canonical, alguns podem dizer que eu sou espécie de "fanboy" do Ubuntu, por sempre falar sobre tanto aqui no blog quanto no Canal, mas a verdade é que se cheguei onde cheguei hoje foi porque estava utilizando o Ubuntu como sistema operacional, não tenho a menor dúvida disso, eu poderia ter chegado até aqui usando outro sistema? Poderia... mas acabou sendo o Ubuntu o sistema que me acompanhou nestes últimos anos, foi com ele que passei a usar Linux e por conta dele que conheci pessoas que hoje são grandes amigos e amigas.

Muito obrigado Ubuntu e que venham outros 10 anos e ainda mais!

________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Como instalar o LXQt no Ubuntu e Lubuntu

Uma nova interface gráfica está disponível para as pessoas que tem computadores mais modestos, este é o LXQT, a junção do RazorQt com o LXDE, conheça um pouco mais desta interface e aprenda a instalar no seu sistema.

LXQt agora chega ao Lubuntu Daily
Imagem: Reprodução

LXQt, um ambiente leve e funcional para Linux


Esta é a esperada junção de dois projetos muito bons com um mesmo ideal, o RazorQt e o LXDE, ambos são ambientes minimalistas destinados a computadores com hardware mais modesto e como parece que "tudo" está caminhando para o QT temos mais uma interface com base nestas bibliotecas.

O novo ambiente já está disponível para quem desejar testar, é mais indicado instalar ele no Lubuntu pois aparentemente os ambientes são mais convergentes de alguma forma, não é necessário baixar tantos arquivos, entretanto, é possível instalar no Ubuntu convencional também.

Mudança de interface gráfica apesar de ser algo fácil de fazer é uma tarefa avançada então se você não se sentir preparado(a) para ter que arrumar o seu sistema caso dê treta alguma problema, não o faça.

Instalando o LXQT no (L)Ubuntu 14.10 e 14.04


Abra o terminal e cole os seguintes comandos:

sudo add-apt-repository ppa:lubuntu-dev/lubuntu-daily 
sudo apt-get update 
sudo apt-get upgrade 
sudo apt-get install lxqt-metapackage lxqt-session lxsession

Depois de instalado vá até a tela de login do sistema e mude a sessão para LXQt, agora você pode aproveitar a interface, caso algo dê errado ou mesmo você não goste para desinstalar o ambiente logue novamente na antiga interface e dê os seguintes comandos:

sudo apt-get remove lxqt-metapackage lxqt-session lxsession
sudo apt-get autoremove
Se você deseja instalar o LXQt em outra distribuição que não seja baseada no Ubuntu verifique os links na página no projeto, este ambiente gráfico deverá vir como padrão em futuras versões do Lubuntu, atualmente ele está na versão 0.8 e tem compatibilidade completa com o QT5, o mesmo utilizado para fazer o KDE 5.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.
sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Como instalar o Tor Browser 4 no Ubuntu

Veja como instalar a nova versão do Tor Browser no Ubuntu e navegue sem se preocupar com a sua identidade, confira a matéria.

Como instalar o Tor Browser 4 no Ubuntu

Versão 4 do Tor Browser chega com novidades


Esta é a primeira versão da série 4 do Tor Browser, o navegador utilizado para acessar a DeepWeb, dentre as maiores diferenças da versão anterior (3.6) está a base utilizada, que desta vez é o navegador Firefox na versão 31, outra coisa que podemos destacar é que ele traz o SSLv3 desativado por padrão.


Como instalar o Tor Browser 4 no Ubuntu, 14.10, 14.04, 12.04 e derivados


Para instalar o Tor 4 podemos utilizar dois recursos diferentes, a instalação via pacote .deb, você pode baixar ele aqui, ou a minha preferida, utilizar um PPA.

Para isso abra o terminal e cole os seguintes comandos:

sudo add-apt-repository -y ppa:webupd8team/tor-browser 
sudo apt-get update 
sudo apt-get install tor-browser
Depois de instalado basta abrir o aplicativo pelo menu pesquisando pela palavra "tor", "use com parcimônia."

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Pixlr Touch Up, uma ótima alternativa ao PhotoScape

Quer colocar alguns efeitos, filtros e correções nas suas fotografias com um programa extremamente leve e fácil de utilizar? Então confira o nossa matéria sobre o Pixrl Touch Up.

Pixrl Touch Up


Edite imagens facilmente com poucos cliques com o Pixlr Touch Up


Editar imagens deixou de ser uma coisa exclusiva de profissionais a muito tempo, e programas como o PhotoScape que ensinamos a você a instalar no Ubuntu recentemente, são responsáveis pela quebra deste paradigma.

Para usuários que querem um programa com mais recursos o GIMP é sem dúvida a melhor opção, mas e se você quiser apenas colocar alguns filtros como os que existem no aplicativo do Instagram ou do popular App "Retrica"?

Conheça o Pixlr Touch Up


Pixlr Touch Up - Função cortar imagem
Imagem: Chrome Web Store


O Pixlr Touch Up é uma aplicação desenvolvida para os Chromebooks, mas que roda em qualquer Google Chrome, pela Autodesk, a mesma empresa que desenvolve o popular AutoCad.

Com ele é muito simples de editar as suas imagens para deixá-las com uma aparência melhor, tudo o que você precisa é ter o Google Chrome instalado no seu sistema e adicionar este aplicativo.

Adicione o Pixrl Touch Up ao seu Chrome

Como diferencial do App podemos apontar o fato dele funcionar independente de conexão com a internet, ao contrário da maioria dos Apps da Chrome Web Store, ele também pode importar e salvar arquivos diretamente do seu Google Drive e possui diversas ferramentas fáceis para cortar uma imagem, mudar o seu ângulo, escrever sobre ela e fazer colagens.
Experimente e depois diga-nos o que você achou do Pixrl Touch Up.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

DraftSight 2015 para Linux foi lançado

Procurando uma alternativa grátis ao AutoCad da AutoDesk para Linux? Bom, a sua jornada acaba agora com o DriftSight.

DraftSight 2015 pra Linux

Uma das melhores ferramentas para trabalhar com Cad no Linux


Infelizmente o Linux ainda sobre pela falta de determinados programas para setores específicos, apesar de as vezes eu me perguntar se realmente o que falta é vontade das pessoas de se adaptarem a um ambiente novo, e um deles é o AutoCad, referencia no setor de engenharia civil principalmente.

A 3DS, mesma empresa que produz o Solidworks e o 3D Studio Max, anunciou o lançamento da versão 2015 do DraftSight para Linux o software que concorre no mercado com o AutoCad, apesar de ser gratuito ele possui uma versão premium com recursos adicionais e não é um software livre também.

O sofware está disponível para Ubuntu, Fedora e distro derivadas e pode ser baixado nesta página.

Se você está com a intenção de trabalhar com Cad no Linux talvez seja interessante você ler o nosso artigo falando sobre as boas opções de softwares para essa finalidade.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.
quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Unity 8 chegará apenas com o Ubuntu 16.04 LTS

Próxima versão do ambiente Unity do Ubuntu só aparecerá como padrão no sistema no lançamento da próxima LTS, confira as novidades.

Unity 8 chegará ao Ubuntu 16.06

Unity 8 com Mir deverá chegar apenas em 2016 como padrão do Ubuntu


Se você é uma das pessoas que está esperando ansiosamente para ver o novo Unity em ação vai ter que se acalmar e esperar um pouco mais, segundo informações divulgadas por Michael Hall, desenvolvedor da Canonical, o Unity Next (ou Unity 8) somente chegará como "Default" na versão 16.04 do Ubuntu que chegará somente em Abril de 2016.

Na verdade o Unity 8 com o Mir já está disponível em uma ISO alternativa do Ubuntu 14.10 e será uma alternativa em todas as versões até a próxima LTS onde possivelmente será incorporado como desktop padrão.

Teremos todas as versões do Ubuntu a partir do 14.10 até o 15.10 servindo como Betas para o Unity 8 e o Mir (Unity 7 continuará como padrão até lá), sendo que o 15.10, nas palavras de Michael, talvez venha com o Unity Next como desktop padrão para ser colocado por definitivo na próxima versão.

Com isso a Canonical conseguirá finalmente atingir o seu objetivo de ter uma sistema operacional convergente, ou seja, o mesmo sistema (interface e código) será utilizado tanto em Smartphones e Tablets como em PCs.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Vamos falar de Software Livre? - DioCast #11 está no ar!

Está no ar mais um episódio do nosso Podcast sobre Linux e Tecnologia com a presença de uma convidado muito especial.

DioCast #11

Neste episódio tivemos uma aula de software livre


Com as participações de Dionatan Simioni, Gabriel da Costa e do nosso convidado especial Paulo Kretcheu, criador do site Kretcheu Video Blog realizamos mais um episódio do nosso já popular DioCast.

Neste episódio respondemos várias perguntas e falamos sobre a cena de software livre no Brasil, as perguntas enviadas pelos leitores/ouvintes e respondidas por nós no DioCast #11 foram:




Ouça o PodCast


Para ouvir o podcast você pode clicar no "Play" no Player na lateral do site ou pode ouvir e seguir o podcast diretamente no nosso perfil do GrooveShark, opcionalmente você pode ouvir o Podcast através do player logo abaixo:



Gostaria de agradecer pela contribuição do nosso novo parceiro e amigo Paulo Kretcheu e convidar a todos os interessados a conhecer o excelente trabalho que ele realiza através de seu site e também do seu canal no YouTube.

- Site: kretcheu.com.br
- Canal: Paulo Kretcheu

Valeu pessoal, aproveitem e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.
terça-feira, 14 de outubro de 2014

Como instalar o editor de imagens PhotoScape no Ubuntu

O PhotoScape é um editor de imagens extremamente simples, eficaz e popular disponível para Windows, ele possui diversos usuários pelo mundo todo e tem um público específico, que são as pessoas que querem fazer um tratamento de imagem semi-profissional sem mexer em programas mais avançados como o Adobe Photoshop ou GIMP, hoje vamos aprender a instá-lo no Linux.

photoscape-rodando-no-linux

Veja como instalar o popular editor de imagens PhotoScape no Linux


No Linux temos ótimas opções quando se fala em edição de imagem, não tem como falar disso sem tocar no nome do excelente GIMP, mas cá entre nós, eu reconheço o valor de um editor como o PhotoScape, ele é ideal para pessoas com nenhuma experiência em edição de imagem, com ele você consegue aplicar alguns filtros e fazer pequenos ajustes para deixar as suas fotos com uma aparência mais bacana.

O lado bom é que ele é grátis, o ruim é que ele só tem versão para Windows, entretanto, o software funciona extremamente bem através do Play On Linux, um utilitário para o Wine (Programa para rodar aplicativos de Windows no Linux), então para dar-lhe mais uma opção e mostrar a maleabilidade do Linux mais uma vez é que preparamos um tutorial para que você possa instalar o PhotoScape em qualquer distro Linux.

Como instalar o PhotoScape no Linux


Primeiramente vamos precisar instalar o Play On Linux, este programa está presente nos repositórios da maioria das distribuições, no caso do Ubuntu (que é o sistema que vou utilizar neste tutorial) podemos instalá-lo através da Central de Programas com poucos cliques.

Clique para instalar o Play On Linux no Ubuntu
O próximo passo será baixar o PhotoScape, baixe diretamente do site para evitar que sejam oferecidos programas de terceiros (vide Baidu e adjacentes), para fazer o download clique aqui.

Agora abra o Play On Linux pelo menu do seu sistema:

1 - Clique em "Instalar" e na parte inferior clique em "Instalar um programa não listado"

PhotoScape no Linux

2 - Na tela seguinte, clique em "Avançar"

PhotoScape no Linux

3 - Na próxima etapa seleciona a opção "Instalar um programa em uma unidade virtual nova" e posteriormente clique em "Avançar"

PhotoScape no Linux

4 - Na etapa seguinte você pode dar o nome que quiser a instalação, por questão de organização eu sempre coloco o nome do programa que estou instalando então minha sugestão é colocar "photoscape", feito isso clique em "Avançar" novamente.

PhotoScape no Linux

5 - Na próxima tela não é necessário configurar nada apenas clique em "Avançar" mais uma vez.

PhotoScape no Linux

6 - Na próxima tela selecione a instalação de 32 bits e clique uma vez mais em "Avançar"

PhotoScape no Linux

7 - Aguarde enquanto o Wine é configurado

PhotoScape no Linux

8 - Clique no botão "Navegar" e selecione o instalador do PhotoScape, depois disso clique em "Avançar".

PhotoScape no Linux

9 - Nesta etapa o instalador do PhotoScape vai se abrir e você deve proceder a instalação exatamente como faria no Windows, dando Next e selecionando as opções que você considera convenientes.

PhotoScape no Linux

10 - Assim que a instalação for concluída o Play On Linux irá sugerir que você crie atalhos para o aplicativo na área de trabalho e no próprio Play On Linux, você pode escolher as opções que desejar.

PhotoScape no Linux

E aí está o aplicativo rodando com todas as suas ferramentas no Ubuntu 14.04 LTS.

PhotoScape no Linux

A partir de agora sempre que você quiser usar o PhotoScape basta abrir o Play On Linux, selecionar o aplicativo e clicar em "Play" ou "Executar".

Caso você tenha alguma dúvida preparamos um vídeo explicando todos os detalhes de uso do PlayOnLinux, clique aqui para acessar o vídeo em nosso canal.

Pelos testes que realizei, apesar da aparência "Windows XP" o software funciona perfeitamente, todos os efeitos e ajustes rápidos que são suas melhores características estão todos funcionando sem apresentar bugs.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.
segunda-feira, 13 de outubro de 2014