Quais as distros Linux e os ambientes gráficos mais utilizados no Brasil?

Se tem uma tarefa que poderia receber o codinome de "missão impossível" é catalogar o Linux, mas nós vamos tentar captar uma amostra aqui no blog para conhecermos melhor o nosso público e os seus gostos também.

Pesquisa de usuários Linux do Brasil




Não é a primeira vez que a gente tenta fazer este levantamento, afinal, é sempre interessante fazer comparações para ver se as coisas mudam ao longo do tempo, mas desta vez vamos ir um pouco mais além para sabermos como o Linux é utilizado pelo nosso público.

No dia 8 de Fevereiro de 2015, eu publiquei o seguinte vídeo do canal do blog no YouTube, talvez seja interessante você dar uma olhada, ele contém o resultado na nossa pesquisa na época:



Para fins comparativos, no dia 22 de Novembro deste ano eu comecei uma nova enquete sobre o mesmo tema no nosso grupo no Facebook, ele ficou em destaque por alguns dias e tivemos pouco mais de 1000 votos em todas as categorias, temos logo abaixo o TOP 10 interfaces gráficas segundos os integrantes do nosso grupo no Facebook:

Top 10 interfaces do Linux

A proposta da enquete simplesmente pedia para que as pessoas marcassem a interface gráfica de preferência, independente da distribuição Linux que utilizasse.

Para refinar um pouco mais a nossa pesquisa e não limitar somente aos nossos leitores frequentes e integrantes que fazem parte do nosso grupo, vamos publicar a enquete aqui.

Contamos com a sua participação de duas formas. Primeiro de tudo, resposta de forma honesta as perguntas, não é necessário se identificar, e segundo, compartilhe essa enquete para outras pessoas, outros grupos, distros diferentes, fóruns que você participe, a ideia é atingir o maior número de pessoas possível, sejam elas leitoras do blog ou não.

Caso você não consiga acessar o formulário, clique aqui. Assim que tivermos um número significativo de votos, vamos fazer um vídeo falando sobre o assunto e compilando o resultado para vocês.

















_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Como ativar o repositório backports no Debian

Os usuários do Debian Stable que precisam de alguns pacotes mais recentes podem resolver o problema simplesmente utilizando o repositório Backports da distro, isso permite que pacotes mais recentes e não tão testados sejam instalados, veja como fazer.

Como ativar o Debian Backports






O repositório Backports do Debian contém pacotes recompilados do Debian Testing normalmente e são considerados instáveis para os padrões do Debian, alguns pacotes inclusive vem até da versão unstable do Debian, mas em menor quantidade. Esse repositório existe para dar acesso a pacotes mais recentes para os usuários do Debian que necessitam e não querem ter um sistema completamente instável.


Como fazer?


Vamos precisar adicionar o repositório a sources.list do seu Debian, para isso, abra o terminal  e digite o seguinte:
sudo su
Caso você use o Gnome, pode usar o Gedit, ou puder o editor de texto para uma opção que você goste mais:
gedit /etc/apt/sources.list
Adicione ao final do arquivo a seguinte linha:

deb http://ftp.debian.org/debian jessie-backports main
Caso você use outra versão do Debian, mude o codinome da linha, depois de adicionar a linha ao arquivo basta salvar, agora temos que atualizar a lista de repositórios:
apt-get update 
E agora você já pode instalar pacotes à partir do repositório usando o seguinte modelo de comando:
apt-get -t jessie-backports install nome_do_pacote
Se quiser desabilitar o repositório, basta editar novamente o sources.list e comentar a linha ou remover, atualizar novamente a lista do repositório e é isso aí.

Agradecimentos especiais ao canal Livre Labs pelo vídeo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Novo repositório PPA para drivers open source atualizados para o Ubuntu

Há algumas semanas atrás a Feral Interactive, a principal empresa que tem portados games para Linux nos últimos anos, pediu para que fosse disponibilizado para o Ubuntu o suporte para as versões mais recentes dos drivers de código aberto MESA de forma oficial pela Canonical. Até o momento não existe nada oficial, mas existem duas alternativas comunitárias.

Mesa drivers atualizados




Os drivers MESA costumam acompanhar o Kernel Linux, eles são os drivers de código aberto que acompanham as distros, e existem várias formas de você manter eles atualizados no seu sistema, o maneira mais comum é atualizando o Kernel Linux, você pode fazer isso manualmente ou usando um utilitário para facilitar as coisas, outra forma é instalar o repositório Oibaf e agora você pode usar um novo PPA também.

Isso vale para todos os que usam drivers de código aberto, seja Intel, AMD ou Nvidia, o PPA ainda é novo e experimental, então tenha em mente que se algo não funcionar você poderá ter alguns problemas no sistema até remover. Por este motivo, vamos ensinar apenas a fazer a instalação usando o terminal, isso afasta algumas pessoas mais leigas que se fizerem o procedimento e enfrentarem prolemas vão ter mais dificuldade:
sudo apt install ppa-purge 
sudo add-apt-repository ppa:paulo-miguel-dias/pkppa
sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade
Depois de instalado, reinicie o sistema para começar a usar a nova versão do MESA, caso algo dê errado utilize o ppa-purge para remover:
sudo ppa-purge ppa:paulo-miguel-dias/pkppa
Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Nvidia vai dar suporte para Vulkan no Mir e Wayland?

Um post no fórum de desenvolvedores da Nvidia deixou uma dúvida no ar, a empresa estaria pensando em dar suporte para os novos servidores gráficos do Linux?

Nvidia will support Wayland and Mir




Um usuário comentou no fórum da Nvidia que não estava conseguindo usar o Vulkan em sua Titan X enquanto utilizava uma distro Linux que não utilizava o X.org. Até aí tudo bem, o que chamou a atenção foi a resposta dada por um dos membros da Nvidia, dizendo que a próxima versão do Driver vai trazer suporte para o Vulkan em distros que não usam o X como servidor gráfico.

Não ficou claro exatamente se o suporte para o Wayland ou para Mir virá junto, mas tudo indica que estamos começando a dar os primeiros passos neste sentido. Atualmente, tanto um, quanto o outro, só funciona com drivers de código aberto. Vamos ficar de olho no próximo lançamento da Nvidia, pois os novos servidores gráficos, juntamente com a API Vulkan para os games no Linux pode ser um fator decisivo.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Qualcomm cria processador de 48 núcleos e 10 nanômetros para concorrer com Intel

O mercado de processadores de alta performance para servidores acabou de ganhar uma nova opção e a Intel acabou de ganhar um concorrente também, trata-se da processador  ARMv8 da Qualcomm.

Qualcomm cria processador de 48 núcleos




A Qualcomm já tem seu "lugar ao sol" nos dispositivos móveis, sendo uma das principais fabricantes de processadores ARM do mundo, mas apesar de ter conquistado este mercado, a empresa atua em segmentos diferentes e um destes é o ramo de servidores de alta performance.

O anúncio do novo processador mostrou uma combinação muito poderosa, até 48 núcleos ARMv8 e apenas 10 nanômetros, a ideia da empresa é concorrer com os  processadores Xeon da Intel, que são muito populares atualmente.

A litografia extremamente baixa chama a atenção pois parece ser algo que a Intel está tendo dificuldade de implementar em seus chips, além disso, o novo processador da Qualcomm também usa a tecnologia FinFET, que permite encaixar os transistores de uma forma diferente e mais eficiente, é a mesma tecnologia que a Nvidia usa em sua nova geração Pascal. O resultado disso é um processador energeticamente eficiente, o que é um fator muito interessante para se considerar na implementação e manutenção de um Data Center.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Editor de vídeo profissional Lightworks ganha nova versão para Linux e procura atrair usuários de Adobe Premiere

O Lightworks é sem dúvidas o maior editor de vídeos do mundo Linux em caráter profissional e olha que eu sou um grande admirador do Kdenlive, mas um dos problemas que toda as pessoas que editam com Vegas, Premiere ou até mesmo o Kdenlive enfrentam ao se deparar com ele é a sua interface "diferentona", pois bem, parece que isso não será mais  um grande problema.

Lightworks 14 Ubuntu


Softwares de edição de vídeo fazem parte do dia a dia para mim, eles são uma parte muito importante do conteúdo produzido pelo Diolinux, pois, obviamente é preciso editar os vídeos antes de mandá-los para vocês no nosso canal.

Eu utilizo o Kdenlive há pelo menos 2 anos e meio e sempre admirei  Lightworks, de fato, até já tive o privilégio de entrevistar um dos desenvolvedores do software, porém, mesmo gostando do programa eu sempre tive muita dificuldade de me adaptar ao modo com que se edita vídeos nele, a sua interface sempre me confundiu, para você ter uma noção da diferença da versão antiga para nova, aqui vai uma imagem do Lightworks 12:

Lightworks12

E a versão nova, além de estar mais flat, ainda está com uma organização visual que até eu consegui entender e editar os vídeos:

Novo Lightworks

Quem sentir falta do visual antigo poderá ativá-lo novamente nas configurações dos programa.

Além do visual remodelado com navegação por abas, o que eu achei uma sacada e tanto, o novo Lightworks também tem integração com o Pond5 com o Audio Network, isso permite que você compre conteúdo para utilizar nos seus vídeos, tanto áudio, quanto vídeo.

Pond 5 Lightworks

Audio Network Lightoworks

O novo Lightworks também tem suporte para exportar vídeos em 4K, porém, há uma limitação na versão grátis, que permite apenas exportar em 1080p ou 720p, mas até mesmo neste quesito existe um asterisco.

Acontece que a exportação para o Lightworks grátis só pode ser feita diretamente para o YouTube ou para o Vimeo. Existem licenças mensais e anuais e até mesmo vitalícias.

Você pode baixar a versão grátis com suporte para distribuições .deb e .rpm, com suporte oficial para Ubuntu, Mint e Fedora diretamente do site, é necessário fazer uma conta antes, essa mesma conta será utilizada  no programa depois de instalado, onde é necessário se logar para utilizar.


Observe que o Lightworks 14 ainda está em beta, mas você já pode testar, se quiser baixar a versão estável também é possível, ambos você encontra no link acima. Vale lembrar que além da versão para Linux, o programa também tem versão para Windows e macOS.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Basalt Software cria sistema baseado em Linux para concorrer com o Windows na Rússia

Que a Rússia não vai muito com a cara das grandes empresas dos EUA não é uma grande novidade, não é só no aspecto tecnológico que os países não se dão bem, existem muitos fatores políticos e até mesmo históricos no meio disso tudo, mas mesmo assim, o Windows ainda é uma plataforma muito popular "na terra da Vodka", pelo menos por enquanto.

Russia Linux




Depois no lançamento do Windows 10 as coisas esquentaram para a Microsoft na Rússia, há algum tempo atrás alguns advogados queria banir o sistema da Microsoft do país alegando espionagem.

Conforme o tempo passa, o ideal do país fica mais claro, eles não querem depender de nenhuma tecnologia norte americana, por isso eles já tem seu próprio buscador e "Google Chrome", o Yandex, estão planejando seu próprio sistema Mobile e já utilizam Linux, que é algo "sem dono", como solução interna no departamento de tecnologia do Governo.

Mas diferentes das outras tecnologias, o sistema operacional dos computadores é algo muito enraizado na forma com que as pessoas utilizam a tecnologia, só pelo fato da Microsoft dominar este mercado há décadas, isso faz com que uma grande mudança, não só do Governo ou de empresas, onde isso pode ser imposto, tanto pelos líderes do estado, quanto pelos diretores das empresas, nos lares das famílias Russas seja um pouco mais complicada.

Para tentar dar uma opção viável para o público comum (e de quebra para o corporativo e governamental), a empresa Russa Basalt Software anunciou o lançamento de seu sistema operacional baseado em Linux, não temos informações sobre o nome ou imagens dele, mas assim que houver atualizações, elas serão postadas aqui no blog.

Segundo informações,  a empresa teria gasto 1,5 milhão de dólares neste ano para o desenvolvimento da plataforma que usa o Linux como Kernel e no próximo ano mais 4 milhões serão investidos. Uma parte, cerca de 2,4 milhões, serão utilizados para dar vida a um "suporte de primeira", segundo eles, e o restante, gasto em marketing e divulgação da nova plataforma. Não temos informações sobre o valor do sistema operacional, mas tudo indica que ele será grátis.

Fique ligado por aqui, quando tivermos novidades sobre este nova Linux russa, você vai ficar sabendo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Wine vai rodar aplicações Windows no Android

O Wine é um programa que permite uma camada de compatibilidade com programas Windows para os sistemas que não são da Microsoft, como as distribuições Linux e o macOS da Apple. Apesar de ser muito popular nos desktops, agora o projeto está migrando para um dos maiores cases de sucesso do Kernel Linux, o Android.

Android receberá suporte pelo Wine




O Wine está chegando ao Android através da CodeWeavers, a empresa que desenvolve o CrossOver, um aplicativo que usa o Wine como base mas que tem licenças pagas, nós já falamos sobre ele e mostramos como ele funciona, você pode ver mais aqui

Atualmente o suporte do Wine, ou do CrossOver, para o Android é experimental e funciona apenas em dispositivos com processadores Intel, alguns Tablets e Smartphones específicos, você pode pedir acesso a versão de testes neste endereço.

Confira uma pequena demonstração:


Em breve receberemos também a versão 2.0 do Wine que deverá trazer boas novidades e quem sabe o suporte para versões mais novas do DirectX, o que via permitir a instalação de games mais recentes através do software.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




AMD está preparando um novo driver para Linux com suporte para FreeSync

Eu ainda vou comprar hardware AMD para jogar no Linux, mas até o momento o sonho ainda está um pouco distante, o suporte da Nvidia no sistema do pinguim continua sendo um pouco superior, tanto pela variedade de drivers, quanto pela eficiência, mas aos poucos a AMD começa a nos dar esperanças de um futuro melhor.

AMD Linux Driver




A AMD está trabalhando em uma nova versão de seu driver de vídeo ara Linux que vai apoiar mais placas, além de incluir novos recursos como suporte ao FreeSync.

Novo Driver de vídeo para Linux

Aparentemente os novos recursos farão apenas parte do driver proprietário, o AMDGPU PRO, enquanto que o AMDGPU, também poderá se beneficiar dele, mas não terá todos os recursos da versão PRO.

Você pode conferir o slide de apresentação da AMD aqui e você pode baixar o novo driver AMDGPU PRO diretamente no site da AMD também.

A instalação até o momento só tem suporte oficial para o Ubuntu 16.04 LTS e para o Red Hat EL, no site você encontra também os tutoriais para instalação.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




As 3 principais novidades do Android Nougat 7.1.1

A Google liberou mais atualização para o Android Nougat que incrementou algumas funções interessantes para o sistema do robozinho, confira agora os nossos 3 destaques nesta nova versão do Android.

Android Nougat




A Google sempre está fazendo implementações para a usabilidade do Android, enquanto muitos aparelhos do mercado nem sequer atualizaram para o Android 6 Marshmallow, a empresa de Montain View segue dando atualizações na versão 7.

A release atual mostrou alguns recursos interessantes, alguns deles já existentes no iPhone da Apple, mas que de qualquer forma podem ser interessantes para os usuários do Android. Vou destacar agora os 3 recursos do Android 7.1.1 que eu achei mais interessantes:

Android Nougat 7.1.1

Agora o Android tem a possibilidade de explorar nos Apps com um toque diferente. Se você tocar num App como o Google Play Music ou o Google Keep e segurar por alguns segundos, vão se abrir algumas ações rápidas que você pode fazer sem abrir o App por completo. A Apple já tinha implementado isso no iPhone com o 3D Touch, mas não deixa de ser um recurso bacana.

É claro como "clicar com o botão direito", o que pode dar alguns opções interessantes para o Android Desktop.

Outro destaque é uma pequena modificação que pode aumentar a sua produtividade no Smartphone com Android, trata-se da barra de ações rápida.

Android Nougat barra de notificações

A barra de ações rápida já existia na atualização anterior, ele permite que você veja alguns itens que mais utiliza nas configurações do Smartphone, como Wifi, GPS, 3G/4G, etc, quando você puxa a barra de notificações com um dedo uma vez para baixo. Antes cabiam 5 ícones ali, agora cabem 6, uma pequena modificação, mas que é bem-vinda. Todos os ícones que aparecem ali são personalizáveis.

O último destaque para mim é a forma com que o Android atualiza via OTA agora, agora as atualizações acontecem em segundo plano e são armazenadas em uma nova partição no seu Smartphone, te alertando para a atualização somente quando tudo estiver pronto para instalar, bastando dar um "OK" para reiniciar o celular e instalar a sua nova versão do sistema operacional.

E quando chega?


Ahh! O Android o sua fragmentação! Este é o tradicional e grande problema, fica difícil estimar qualquer data, independente da marca, a única certeza é que os Smartphones que são feitos junto a Google receberão ele antes de todos, como já é tradicional.

Os aparelhos Pixel e Nexus, 5X e 6P e o tablet Pixel C, deverão receber a atualização em breve, entretanto, as imagens para instalação estão disponíveis para quem quiser baixar e instalar por contra própria.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 7 de dezembro de 2016