Seguindo carreira no Linux, segredos do mercado de trabalho

Um novo episódio do DioCast está chegando com participação de profissionais de extrema experiência para compartilhar co você algumas dicas valiosas para você entrar no mercado de trabalho com um profissional de T.I. e como o conhecimento em Linux pode te ajudar a chegar aos seus objetivos.

Profissionais de TI




As pessoas que dominam a tecnologia são peças muito importantes para o desenvolvimento de qualquer empresa. Mas esse caminho, esta carreira, como qualquer outra, também tem seus detalhes minuciosos e que podem fazer a diferença entre um profissional de sucesso e alguém que não conseguiu alcançar os seus objetivos. 

Para ajudar você a se preparar melhor para o que está por vir caso você deseje trabalhar no segmento de tecnologia, especialmente servidores Linux, é que nós chamamos alguns convidados com muitos anos de experiência para que te dar algumas dicas incríveis! Fazem parte deste episódio o Gabriel da Costa, Diego Neves e Paulo Henrique Oliveira, confira:



Confira alguns links do episódio:

Diego:

Até a próxima!_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Conheça os apoiadores do Diolinux deste mês!

Mais um mês se passou e cada vez mais pessoas estão entrando para a área VIP do blog/canal Diolinux. São leitores e inscritos que colaboram de diversas formas para que o nosso trabalho continue sendo realizado e ganham recompensas em troca disso também. Saiba quem são os heróis de Novembro!

Diolinux Padrim




Para ajudar o nosso projeto a se manter e também para criar conteúdos diferenciados e dar algo em troca para as pessoas que acompanham o nosso trabalho é que existe o Padrim do Diolinux. Um projeto semelhante ao popular Patreon, porém, nacional, onde você pode colaborar para que o nosso trabalho continue com literalmente um real por mês.

Existem várias pessoas que estão colhendo os frutos da nossa parceria, atualmente o nosso hall de leitores e inscritos VIP é este aqui logo abaixo, então, muito obrigado a todos que ajudam a fazer o Diolinux acontecer!

Padrinhos de Novembro

Existem níveis diferentes do apadrinhamento, cada um com uma recompensa diferente e os padrinhos também tem total liberdade para sugerir  recompensas, ou seja, tudo é mutável. Mas uma das coisas mais legais é sem dúvidas a interação que nós podemos ter no grupo exclusivo dos padrinhos no Facebook, onde todos os que fazem parte da categoria "Padrim Plus" ou superior podem fazer parte, sugerindo pautas e conversando diretamente conosco, além disso, uma das metas que nós tínhamos já foi alcançada, isso significa que todo mês nós vamos sortear entre os padrinhos que fazem parte do nosso grupo exclusivo no Facebook um jogo para Linux, ou jogos, dependendo do valor do game que os padrinhos escolherem para ser sorteado.

Essa tabela de colaboradores fica exposta em tempo integral na página de usuários VIP do Diolinux, lá você também encontra uma entrevista que nós fizemos com os criadores do Padrim para que você entenda melhor como o sistema funciona, caso tenha alguma dúvida.

Seja Padrinho/Madrinha você também! Acesse padrim.com/Diolinux

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Conheça o "Hollywood" o comando do terminal Linux mais zoeiro da história

Você já deve ter reparado que Hollywood gosta de representar um "hack" a algum sistema ou computador com muitas imagens que parecem algo muito complexo, de preferência cheio de "letrinhas" coloridas e telas piscando. Hoje você vai aprender a criar uma coisa assim no seu terminal.

Hacker de Hollywood no Ubuntu





Nos vídeos que nós fizemos sobre a série Mr. Robot, um dos comentários mais recorrentes que tivemos foi justamente sobre a verossimilhança da série e o quanto, desta forma, ela acaba agrando os profissionais da tecnologia, porém, não podemos esperar que todos os filmes e séries tenham o mesmo compromisso, muitas vezes uma tela bem desenhada e com um visual mais descritivo pode funcionar melhor para o público.

Como zoeira pouca é bobagem e o terminal Linux só não faz pizza (ou faz?), hoje vou vai aprender a "pagar de hacker" usando um comando só.

Se você é um cara quer aprender um pouco mais sobre o terminal, de forma séria, eu recomendo ler o nosso post recente que te mostram alguns comandos do Terminal que pode ser bem úteis e uma série de outras dicas.

Hollywood

Baseado na criatividade dos hackers hollywoodianos é que foi criado um pacote chamado hollywood, ele roda vários pequenos programas no terminal de uma forma muito dinâmica e ainda toca a música do "Missão impossível" (sério!")

Para instalar no Ubuntu e derivados abra o terminal e digite:
sudo apt install hollywood
Depois de instalado basta rodar o comando "hollywood" e aproveitar o show!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sábado, 3 de dezembro de 2016

7 comandos do terminal que fazem coisas curiosas e úteis

O terminal Linux é algo com muito mais recursos do que se possa imaginar, existem várias coisas curiosas que é possível fazer através dele, desde ouvir músicas e ver vídeos até algumas coisas menos úteis, mas ainda assim divertidas.

Dicas para dominar o terminal Linux




Nós preparamos para você um curso especial de Bash para você ficar ninja no terminal, mas isso não quer dizer que todas as dicas tenham acabado, muito pelo contrário, temos aqui mais 7 dicas para você usar no seu terminal e quem sabe ter um pouco mais de produtividade com ele.

Se você quiser mais algumas dicas grátis em vídeo clique aqui e confira a jornada épica do Tiago, desenvolvedor da Canonical que nos ajudou a bolar o curso.

Vamos lá então, hora de aprender alguns comandos novos!

1 - wc (word count) 


Esse comando serve para você contar quantas palavras, caracteres e linhas existem dentro de um determinado arquivo de texto, o seu uso é muito simples. Se não passar opção nenhuma ele informa as 3 contagens, mas você pode especificar se quer somente linhas com -l, somente palavras com -w ou somente caracteres com -c. Veja alguns exemplos:
 wc /etc/hosts
wc -l /etc/hosts
wc -w /etc/hosts
wc -c /etc/hosts

2 - arecord e aplay


São comandos do pacote alsa-utils que, além de outras coisas, permitem que você grave e toque sons diretamente no terminal.

O comando "arecord -f cd" por padrão imprime no stdout* o resultado da gravação de áudio (um arquivo .wav) a partir de um microfone disponível, e isto vai sujar a tela com dados binários, por isso usamos a funcionalidade de redirecionamento* do bash para jogar o conteúdo para um arquivo. Veja que no exemplo o arquivo criado "meu_podcast" não contém a extensão .wav. Isto é proposital pois usaremos o mesmo arquivo para explicar o próximo comando. Veja o exemplo:
arecord -f cd 1> meu_podcast
E para tocar o arquivo basta utilizar o comando aplay:
aplay meu_podcast

3 - file


No linux as extensões dos arquivos são opcionais, portanto nem sempre é possível dizer qual é o tipo de arquivo só olhando o seu nome.

Para isso podemos usar o comando file (do pacote chamado file no Ubuntu), que analisa o interior do arquivo e tenta nos dizer qual tipo ele é. ex:
file meu_podcast
O resultado pode ser algo parecido com isso:

meu_podcast: RIFF (little-endian) data, WAVE audio, Microsoft PCM, 16 bit, stereo 44100 Hz

Ou outro exemplo:
file /bin/bash
Que vai trazer um resultado assim:

/bin/bash: ELF 64-bit LSB executable, x86-64, version 1 (SYSV), dynamically linked, interpreter /lib64/ld-linux-x86-64.so.2, for GNU/Linux 2.6.32, BuildID[sha1]=0428e4834e687e231fa865562d32fbb64ce45577, stripped

4 - head e tail


São comandos para respectivamente listar as primeiras e últimas linhas de um arquivo, ou do conteúdo recebido na entrada padrão (stdin*). Head vem do inglês "cabeça" e tail "cauda".

O parâmetro -n indica o número de linhas. Se o parâmetro -n não for passado, os comandos assumem que serão 10 linhas.
head -n 5 /etc/hosts
head /etc/hosts
tail -n 2 /etc/hosts
tail /etc/hosts

O seguinte comando mostra como o head e o tail podem ser usados em um exemplo mais complexo, como em uma pipeline* do bash.
ps aux | tail -n 7


5 - du


O comando "du" nos ajuda a descobrir quanto de espaço um diretório/pasta está ocupando no disco.
Mas para ele ser realmente útil é preciso de algumas opções extras.

O comando seguinte permite que o "du" crie um sumário de cada um dos diretórios na raiz do sistema. Isto claro que pode demorar um pouco, afinal ele vai percorrer todo o disco e gerar um resumo em megabytes.
sudo du -m --max-depth=1 /
Vamos supor que você descubra que o diretório /home está ocupando muito espaço, então você pode começar uma verdadeira "caça às bruxas" e procurar o diretório que está roubando seu espaço em disco:
sudo du -m --max-depth=1 /home
E assim por diante.

6 - cal


O comando "cal" nos mostra um calendário do mês atual direto no terminal:
cal
A saída vai ser algo parecido com isto:

          
             
Mas o comando cal também pode mostrar o calendário completo de um ano com o comando -y.

Mostrando o ano atual:
cal -y
Mostrando algum outro ano:
cal -y 2017
Aproveite a saída e veja em que dia da semana cai o seu aniversário no ano que vem.

7 - history


O comando history é um comando interno no bash. (builtin*). Ele serve para imprimir pra você os comandos anteriores já executados na linha de comando.

É basicamente um histórico que o Bash mantém, assim como os navegadores guardam os sites que você já visitou.
history
Se você não está familiarizado com estes termos de linha de comando (stdin, stdout, pipeline, builtin, redirecionamentos, etc) e quer aprender mais sobre terminal e sobre o interpretador Bash (que é o padrão do Linux, independente da distro), veja esta apresentação do curso dominando o terminal Linux, onde passamos mais 3 dicas sobre linha de comando que vão facilitar sua vida.


Até a próxima!




_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Lançado Linux Mint 18.1 Beta com Cinnamon

Boas notícias! Está disponível para download a versão beta do Linux Mint 18.1, a nova versão do sistema que traz várias melhorias visuais para o Cinnamon, o ambiente gráfico da distro e certamente vai agradar muitas pessoas. Este é o último pré-lançamento antes da versão 18.1 final que deve sair em alguns dias.

Linux Mint 18.1 Cinnamon Beta





A versão 18.1 representa uma pequena atualização para o Linux Mint 18 Sarah se formos comparar as mudanças, mas isso não quer dizer que não existam novidades interessantes no Linux Mint Serena, como está sendo chamada a nova versão.

Como destaque temos o novo Screen Saver que agora tem um visual mais flat e permite que você controle o som de um player tocando diretamente da tela, sem precisar desbloquear o computador.

Novo protetor de tela

Outra coisa nova são as animações nos menus que fora inspiradas no KDE Plasma e agora são mais suaves.

video


Outra novidade é o suporte para painéis verticais no Cinnamon, que apesar de ser algo simples, é uma funcionalidade que até então estava disponível.

Cinnamon com painéis verticais

O Cinnamon 3.2 vem com novas funções interessantes também, das quais eu posso destacar:

- O indicador de som agora consegue controlar vários players simultaneamente e alternar entre eles;

- O menu agora tem suporte completo para navegação por teclado e também teve melhorias de performance.

- Usuários de placas Nvidia e de Bumblebee agora pode rodar aplicações específicas com o Optirun apenas clicando com o botão direito e mandando rodar com a GPU sem precisar fazer logoff no sistema.

- O gerenciar de arquivos Nemo agora tem uma função que pode ser ativada que permite que você volte para a pasta home dando dois cliques em qualquer lugar sem nada dentro de uma pasta.

Além disso, temos vários bugs corrigidos, você pode consultar a lista completa aqui.

Quer testar o novo Linux Mint 18.1 Serena?


Se você quiser testar a nova versão, basta acessar o site oficial e escolher um mirror para download, se preferir baixar por torrent, clique aqui.

Lembrando que será possível atualizar do Linux Mint 18 para o 18.1 sem maiores problemas, se você pretende fazer isso aguarde o lançamento da versão final do 18.1 e logo essa opção aparecerá no seu gerenciador de atualizações no Mint 18. Se você optar por baixar a versão beta agora, basta ir atualizando o seu sistema e você terá a versão final quando ela for lançada.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




XFDashboard - Um menu semelhante ao Gnome Shell para o XFCE

Se você está querendo dar uma modernizada na interface XFCE do seu Xubuntu, ou qualquer outra distro que use o ambiente, o XFDashboard pode ser uma aplicação interessante para mudar a forma com que você abre as aplicações.

XFCE Dashboard Menu




O XFDashboard é um aplicativo que permite que você tenha uma menu em tela cheia semelhante a organização do Gnome Shell, mostrando os aplicativos favoritos na barra esquerda, de forma que ele podem ser arrastados para a posição desejada. Há também as áreas de trabalho do lado direito e um campo de buscas onde você pode fazer uma pesquisa por algum app que esteja instalado.

Menu XFDashboard

Você também pode navegar pelos menus e categoriais para encontrar as aplicações caso você prefira.

XFDashboard

Se você tiver mais de uma janela aberta ao abrir o XFDashboard você verá a distribuição das janelas de uma forma semelhante ao Gnome Shell.

XFDashboard para XFCE

Como instalar o XFDashboard no Xubuntu


O procedimento de instalação é simples e pode ser feito adicionando um repositório extra do Xubuntu: ppa:xubuntu-dev/extras


Depois de adicionado o PPA, basta instalar o pacote: xfdashboard

Se você preferir instalar via termina, os comandos são os seguintes:
sudo add-apt-repository ppa:xubuntu-dev/extras
sudo apt update 
sudo apt install xfdashboard 
Depois de instalado, você vai encontrar a aplicação no menu do sistema e eu tenho duas sugestões para você utilizar ele.

1 - A primeira forma é você simplesmente arrastar o XFDashboard para a barra de tarefas e clicar nele toda a vez que quiser abrir a aplicação. 

Arrastando para o menu

2 - A segunda forma, talvez a mais eficiente, é criar uma tecla de atalho para ele, assim você pode chamar o XFDashboard rapidamente.

Procure no menu pelo aplicativo de teclado, nele você vai encontrar uma aba de atalhos onde existe a opção de criar um novo atalho

Configurando tecla de atalho

Na janela que se abrir para digitar o comando do atalho digite: xfdashboard, clique em "OK" e depois você verá uma janela onde você deve pressionar a tecla de atalho que você deseja para a função:
Configuração de atalho

No meu caso eu pressionei a tecla "super", também conhecida como "tecla do Windows", assim ao pressionar ela, ela vai se abrir.

Curtiu a dica? Então compartilhe e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como o Mir pode ajudar o tornar o Ubuntu uma ótima plataforma para todas as tecnologias

Hoje um dos engenheiros da Canonical e do Mir fez um artigo no Insights da empresa sobre o novo servidor gráfico e como ele pode mudar, e para melhor, a forma com que as distros Linux se relacionam com dispositivos embarcados, quiosques, convergência e muito mais.

Mir Ubuntu





O Mir é o novo servidor gráfico da Canonical para substituir o X, porém, ele é comumente associado ao Unity 8, a nova interface que a empresa vem trabalhando para o Ubuntu, entretanto, ele não é feito para funcionar somente no sistema da Canonical, pelo contrário, com código aberto e pensado para a convergência, ele pode ser usado por qualquer distribuição que o deseje.

O Mir também pode ser utilizado em várias camadas de operação diferentes, pensado para ser utilizado como interface para dispositivos embarcados com painéis visuais e até mesmo para máquinas que serão usadas como quiosques, de fato, o Mir possui uma forma especial para trabalhar com cada uma dessas situações, o que o faz convergente, não somente entre Desktop e Mobile, mas para praticamente qualquer aparelho.

O servidor gráfico atual,  o X, vem perdurando ao longo dos anos graças a adaptações e "enxertos" para suportar as novas tecnologias, o X vem de um tempo onde os computadores eram utilizados de formas muito diferentes do que temos atualmente e é aí que o Mir, assim como o Wayland, entram.

Tanto um, quanto o outro, Mir e Wayland, ainda estão em desenvolvimento pleno e com dificuldades para utilizar drivers proprietários por enquanto, muito em parte pelas fabricantes de placas, o Mir no entanto já vem dando conta do recado nos dispositivos móveis, o que pode ser um indicativo de sucesso de implementação. Temos que aguardar a evolução de ambas as aplicações, pois é necessário compatibilizá-los para rodar aplicações que atualmente rodam sobre o X.

Fique ligado aqui no blog para saber as novidades e até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Anunciado o calendário de lançamento do Ubuntu 17.04 Zesty Zapus

O futuro lançamento do Ubuntu, a versão 17.04, só sai no próximo ano, mas seus alphas e betas já tem data marcada para chegar, confira.

Ubuntu 17.04 Zesty Zapus




Há algum tempo atrás a Canonical anunciou o Ubuntu 17.04 Zasty Zapus, a versão que deverá sair em Abril do próximo ano. Esta versão não será uma LTS, ou seja, terá apenas 9 meses de suporte e será responsável, muito provavelmente, por avançar mais alguns passos no desenvolvimento do Unity 8 e dos pacotes Snaps.

Obviamente o ciclo 17.04 não apenas trará vida ao Ubuntu 17.04 Zesty Zapus, mas também a todos os derivados oficiais no sistema, como Kubuntu, Xubuntu, Ubuntu Gnome e por aí vai.

Para os interessados em acompanhar o desenvolvimento de perto, esta são as datas dos lançamentos intermediários deste ciclo do Ubuntu:

- Alpha 1 – 29 de Dezembro (incluindo as flavours)
- Alpha 2 – 26 de Janeiro (incluindo as flavours)
- Congelamento de novos recursos - 16 de Fevereiro
- Beta 1 - 23 de Fevereiro (incluindo as flavours)
- Congelamento das interfaces - 9 de Março
- Beta Final -  23 de Março
- Congelamento do Kernel - 30 de Março
- Release Candidate – 13 de Abril
- Versão Final - 21 de Abril


Fique ligado aqui no blog, as novidades sobre o Ubuntu você sempre vai encontrar por aqui e no canal também.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 29 de novembro de 2016

AfterShot Pro é o programa de tratamento de imagens da Corel para Linux

Quem não se adaptou com o RawTherapee ou com o DarkTable para fazer tratamento de imagens, especialmente de imagens do tipo RAW, no Linux, pode optar pela solução proprietária da Corel, o AfterShot Pro 3.

Corel AfterShot Pro Linux




O Corel AfterShot Pro é uma programa para profissionais da fotografia, com ele você consegue fazer ajustes detalhados nas imagens. O programa custa aproximadamente R$ 180,00, mas possui uma versão trial, ideal para o caso de você querer testar antes de abrir a carteira. 

O programa também possui versões para Mac e Windows; para Linux temos pacotes .deb e .rpm, o que deve torná-lo acessível a maior parte das distribuições famosas.

Saiba mais sobre o Corel AfterShot Pro 3, suas características e funções, além de encontrar o link para download e compra no site oficial da aplicação.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Nvidia GTX 1060 OC Galax - Unboxing e resenha

Olá, tudo certo com você? Hoje eu quero compartilhar um pouco da minha experiência com a GTX 1060 OC da Galax, uma placa de vídeo muito bacana que eu venho utilizando na última semana, então deixa eu te contar as minhas impressões sobre ela.

Nvidia GTX 1060 Galax




Estou usando a placa há alguns dias e a diferença de potência dela para a minha antiga GTX 960 Point of View é notável, posso dizer que estou satisfeito com ela.  Mas antes de falarmos mais sobre o assunto, confira o Unboxing e as primeiras impressões:



Algumas pessoas me questionaram, e com certa razão, se pelo valor pago pela placa, algo em torno dos R$ 920,00, não seria vantagem comprar uma concorrente da AMD, pois em termos de potência o custo benefício seria melhor. Bom, eu sou obrigado a concordar,  mas sabemos que a AMD não tem ótimos drivers de vídeo para Linux e como a minha intenção é jogar com o computador, a Nvidia se mostra mais eficiente, se você gosta da AMD e usa Windows, realmente, comprar uma placa da marca pode ser uma boa opção.

Partindo do pressuposto que Nvidia é melhor (para Linux), o custo da placa está dentro do esperado e até um pouco abaixo dentre as disponíveis atualmente no mercado, acredito que eu tenha feito um bom negócio. Essa versão não é a que tem 6 GB de GRAM (tem "apenas" 3GB), mas ela é praticamente 500 reais mais barata do que ela, o que faz com que ela caia num custo benefício muito interessante para o meu caso.

Alguns games que antes eu não conseguia jogar com os gráficos máximos, agora rodam sem maiores problemas, como o Shadow of Mordor, por exemplo. 

Para quem gosta de usar Linux no computador, essa placa é certamente uma opção interessante, o investimento não é tão alto e o resultado é muito bom, você vai conseguir jogar praticamente qualquer título da atualidade em full HD com os gráficos no máximo, ou quase isso, variando é claro, com a otimização do game para a plataforma.

Minha experiência com a Pichau


A Pichau Informática é uma loja famosa na internet, mas particularmente eu nunca tinha comprado nada por lá, segui a recomendação do meu amigo Junior Freire do canal Tuxter Games e realmente não tenho do que reclamar, tudo chegou dentro do esperado, o atendimento não é instantâneo, mas isso é compreensível, por vezes esperei um ou dois dias para receber um contato, mas como eu também tenho uma loja, a DioStore, compreendo perfeitamente o quanto a fila de suporte pode ser grande.

O produto chegou em minha casa antes mesmo do site, onde podemos fazer o acompanhamento do pedido, mostrar que ele tinha sido enviado, este foi o único detalhe para não dar 5 estrelas para a minha experiência, mas também não é nada crítico na minha opinião e que pode ser ignorado sem problemas.

Espero que a minha experiência possa te ajudar de alguma forma na hora de você fazer o upgrade no seu computador, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.