Responsive Ad Slot

Como instalar o Gnome 3 no Ubuntu 11.10

Nenhum comentário

segunda-feira, 31 de outubro de 2011


Muitos preferem usar o Gnome 3.2 no Ubuntu por não gostar do Unity. Existem 4 métodos para instalar o mesmo no Ubuntu 11.10 Oneiric Ocelot com os repositórios inclusos.

Método 1:
Abra o terminal e digite o comando abaixo:

  1. sudo apt-get install gnome-shell
Se não der certo, tente o método 2.
Método 2: 
Ainda no terminal:

  1. sudo apt-get install synaptic
  2. sudo synaptic
No campo de Busca procure por “gnome-shell” e instale-o.
Se não der certo ainda…
Método 3:
No terminal…:

  1. sudo add-apt-repository ppa:ricotz/testing
  2. sudo apt-get update
  3. sudo apt-get install gnome-shell
Depois da instalação, você precisa re-logar no sistema escolhendo a opçãoGNOME no ícone de engrenagem ao lado do campo de senha.
Método 4: Bom, chega de tanta linha de texto, a verdade é que se você entrar na nova central de Softwares do Ubuntu e procurar por Gnome-shell e instalar este pacote o no ambiente gráfico estará instalado.

Reinicie a sessão e na engrenagem troque para GNOME.
Divirta-se!

Como criar um atalho na área de trabalho do Ubuntu 11.10

2 comentários
Antes este recurso se encontrava por fácil acesso no menu de contexto, agora na nova versão ficou mais complicado, mas ainda é possivel:

Como mudar a exibição dos icones no nautilus do Ubuntu 11.10

3 comentários

sábado, 29 de outubro de 2011



Entre as várias modificações implantadas na nova versão do Ubuntu 11.10 Oneiric Ocelot está a nova disposição do tão querido Nautilus o gerenciador de arquivos que é padrão do Ubuntu historicamente.
Bom o problema dessa versão é que não possui um botão na entrada de contexto na barra de menus para modificar a disposição dos icones, para deixa-los na ordem "icones, lista, compacta" que existia nas versões anteriores do nautilus.
Hora de adaptarmo-nos aos novos tempos da tecnologia, eu mesmo estou usando o Ubuntu com Gnome 3 =) e estou gostando muito do que estou vendo.
Voltando ao tema do post, existe uma maneira muito prática de se alternar a visualização dos arquivos no nautilus, basta pressionar as  teclas de atalho:

ctrl+1   crtl+2  ctrl+3  


e alterne a visualização tranquilamente.

Ate a próxima dica.

E se os personagens de jogos envelhecessem

Um comentário

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Você já parou para pensar quanto tempo passou desde que o Super Mario entrou em cena pela primeira vez? Foi em 1981, 30 anos atrás. E se pararmos para pensar que ele já devia ter uns 40 anos quando apareceu no game do Donkey Kong, podemos somar 30 com 40 e temos 70. Pois é, Super Mario já deve ter mais de 70 anos. Com certeza não está pulando com tanta praticidade.

E o Sonic? Será que ele já não está um pouco mais velho? Link, o herói de Zelda? E Kratos, o Deus da Guerra? A verdade é que todos envelhecem e os heróis dos video games não poderiam ficar livres disso. O Tecmundo imaginou como seria essa história e agora traz tudo para vocês.
Além do texto, preparamos também ilustrações incríveis especialmente para o artigo. Temos certeza de que você irá se impressionar com o resultado. Afinal de contas, quem é que poderia imaginar que até mesmo os maiores heróis do mundo envelheceriam?

Nhô Mario Mario

Depois de muitos anos pulando e dando socos em tijolos, a carreira do Mario Mario (irmão de Luigi Mario) entrou pelo cano. Por não usar calçados com o devido sistema de amortecimento, o herói da Nintendo acabou sofrendo muito com problemas no joelho e não consegue mais andar sem o auxílio de uma bengala.

Atualmente, ele só consegue andar normalmente quando toma seus polivitamínicos de estrela e cogumelo. Mas se você acha que ele está deprimido em sua velhice, está muito enganado. Mario está sempre tranquilo, sorrindo em sua cadeira de balanço na varanda de casa. Depois que a paz foi instaurada no reino, ele não precisou mais se preocupar com a violência.
Para não ficar muito entediado, Mario comprou um sítio para cuidar junto com sua esposa, a princesa Peach. Lá ele cultiva flores de fogo e também cria diversos tipos de animais, que foram domesticados com trabalho duro. Famílias inteiras de Goombas, Koopas Troopas e Blarggs são criadas e vendidas para proteção de residências e castelos.
Às vezes (muito raramente), o vilão Bowser resolve ir à casa do Super Mario para tentar sequestrar a princesa. Mas como ele também não está mais no auge de sua forma física, agora as lutas entre eles se resumem a partidas de damas e dominó.


Seu Kratos

O Deus da Guerra também se aposentou. Depois de anos lutando contra deuses, titãs e enviados do Olimpo, Kratos finalmente conseguiu armazenar riquezas suficientes para uma velhice confortável e segura. É lógico que ele não é o velhinho mais simpático de seu bairro, mas já faz quase três meses que ele não deixa nenhum vizinho chato pendurado pelo pescoço.

Muitas crianças moram perto dele e o medo delas ao derrubar bolas ou pipas no quintal de Seu Kratos é enorme. Isso sem falar no número de lendas que foram espalhadas pela região do “Vale dos Cachorros Mitológicos Adestrados”. Se você puder ir para lá um dia, vai se surpreender com as histórias.
  • “O Seu Kratos tem um cachorro de três cabeças no quintal!”
  • “Uma vez, um bandido tentou entrar na casa dele. O sujeito está até hoje preso numa masmorra que o Seu Kratos montou no porão!”
  • “Seu Kratos não possui um queixo embaixo do cavanhaque, apenas uma terceira Blade of Chaos.”
  • “Uma vez o povo de Atlântida ofendeu Seu Kratos.”
  • “Seu Kratos perdeu todos os amigos de infância quando, brincando de “estátua”, petrificou todos eles com Meduza’s Gaze e os destruiu com quadrado, quadrado, triângulo.”
Essas são algumas das frases que as pessoas que moram perto de Kratos vivem dizendo. Ninguém sabe se todas elas são verdades, mas com certeza eles devem ter seus motivos para dizer isso. Como já dissemos, o grego não deve ser o tipo de pessoa que costuma ser muito simpática.
Mas isso tem uma explicação muito simples. Quem é que seria bonzinho se tivesse passado a vida correndo atrás de monstros mitológicos, deuses querendo sua morte (e algumas vezes conseguindo) e longas jornadas por reinos distantes?


Vô Sonic

“Ele é veloz! Sonic ouriço! Já foi! Já passou por nós! Sonic ouriço! Sonic é o raio azul”. Quem assistia ao desenho animado do porco-espinho azul, nas manhãs de sábado, deve se lembrar da música de abertura. Mas infelizmente o tempo passou tão rápido quanto o herói da SEGA, fazendo a música perder um pouco do sentido.
Depois de muitos anos correndo por Green Hill, Sonic acabou perdendo as articulações dos joelhos e passou por várias cirurgias nos meniscos. Atualmente, ele só consegue andar com a ajuda de um andador, mas, fora isso, sua saúde está perfeita. Como sempre praticou muitos exercícios físicos, os pulmões dele são melhores do que os de muitos jovens.

Sonic está morando junto com seu companheiro de aventuras, Tails. Os dois passam suas tardes assistindo a documentários sobre corridas e, para garantir um dinheiro extra, fazem presença VIP em eventos. Robotnik cansou de querer transformar todas as criaturas em robôs e, depois de um longo tratamento psiquiátrico, agora participa de grupos ambientalistas.
Como o porco-espinho é muito simpático, cada vez que ele sai de casa, perde pelo menos duas horas distribuindo autógrafos e tirando fotografias com seus fãs. Todos o chamam de “Vovô Sonic” e é muito comum encontrá-lo contando piadas na praça da cidade. Quando o chamam de “Raio Azul”, Sonic logo retruca: “Mas só se for uma faísca, meu jovem!”. E cai na gargalhada.


Tio Link

Salvar o mundo de Hyrule, proteger a princesa Zelda e guardar a Triforce são tarefas de Link Junior. Isso mesmo, é o filho do Link que cuida de toda a proteção do mundo, desde que o herói da série de jogos eletrônicos entrou com o pedido de aposentadoria no IHPS (Instituto Hyluriano de Previdência Social).

Atualmente, Link só levanta espadas para brincar com seus sobrinhos no Nintendo Wii, pois ele mesmo diz que as guerras só o levariam para a morte. Isso porque seus reflexos já não são os mesmos e a força de outrora já não existe com tamanho vigor. Mas se você quer ver Link irritado, é muito fácil. Basta chamá-lo de elfo ou duende.
Tio Link, como é conhecido no vilarejo em que está morando, gosta muito de contar as histórias de suas aventuras. Logicamente ele costuma aumentar um pouco os fatos, mas quem é que não faria isso? Ele conta para todo mundo que uma cicatriz gigantesca que está em sua perna foi resultado de uma luta contra um gigante. Mas todos sabem que a verdade é que ele foi atacado por galinhas (temos a prova, cenas fortes no vídeo postado abaixo).
Mas tudo isso nós relevamos. É inegável que o Tio Link tenha sido um dos maiores heróis do mundo e isso dá crédito para ele dizer o que quiser. E, convenhamos, não é nada difícil ouvir as histórias que ele conta sobre como salvava a princesa Zelda o tempo inteiro quando era jovem.


fONTE

Como desligar o computador no Gnome 3?

4 comentários
Pois é, esta é mais uma daquelas dúvidas bobas que perseguem alguns usuários quando começam a usar nova tecnologia.
Se você está aqui é porque tá triste 
ou nervoso
 com o fato do Gnome 3por padrão oferecer apenas uma opção para Suspender e não paraDesligar, mas como tudo no Linux, sempre há um jeitinho. Experimente apertar a tecla ALT e bingo, Suspender se transforma em Desligar.
Na figura abaixo podemos ver o resultado do antes e depois do ALT:



Desligar no Gnome 3

Como tocar todos os formatos de mídia no Ubuntu e derivados

Nenhum comentário

sexta-feira, 21 de outubro de 2011


Comece instalando a Public Key, digitando no terminal (Copie e cole exatamente como esta):

Código: wget -q http://packages.medibuntu.org/medibuntu-key.gpg -O- | sudo apt-key add -
Adicione o repositório: deb http://packages.medibuntu.org/ hardy free non-free
Ou se você já esta familiarizado com o Ubuntu, abra com o terminal: sudo gedit /etc/apt/sources.list
E digite no final do arquivo:
## Medibuntu – Ubuntu 8.04 “hardy heron”
## Please report any bug on https://bugs.launchpad.net/medibuntu/
deb http://packages.medibuntu.org/ hardy free non-free
# deb-src http://packages.medibuntu.org/ hardy free non-free
De um sudo apt-get update, para pegar a lista de pacotes dos 4 novos repositórios habilitados(Medibuntu,universe, restricted & Multiverse) e pronto.
Vamos lá:
Abra o terminal e digite:
sudo aptitude install -y ubuntu-restricted-extras lame lame-extras mp3gain soundconverter sox faad faac aac flac gstreamer0.10-ffmpeg gstreamer0.10-gl gstreamer0.10-pitfdll gstreamer0.10-plugins-bad gstreamer0.10-plugins-bad-multiverse gstreamer0.10-sdl gstreamer0.10-plugins-ugly gstreamer0.10-plugins-ugly-multiverse libxine-main1 libxine-extracodecs cpdvd regionset x264 gqmpeg mp3gain mjpegtools libdvdread3 mpeg2dec vorbis-tools id3v2 mpg321 mpg123 libflac++6 ffmpeg cdda2wav toolame libmp4v2-0 libmad0 libjpeg-progs libmpcdec3 libquicktime1toolame ffmpeg2theora libmpeg2-4 uudeview libmpeg3-1 mpeg3-utils mpegdemux liba52-0.7.4-dev a52dec



Com isso, já poderá escutar música e mais:
lame & lame-extras – É um pacote que serve para transformar arquivos de áudio em arquivos mp3
Mp3gain & soundconverter – analisa e ajusta arquivos mp3
Sox – utilitário para converter vários arquivos diferentes de som
Aac – formato do iPod
Flac – codec de compressão sem perda

Para ver vídeos:

Mplayer e VLC (para ver arquivos de filmes e series com legendas) digite no terminal:
sudo aptitude install vlc mplayer mplayer-fonts mplayer-skins mplayer-skin-blue mozilla-mplayer

Para assistir DVDs e rodar arquivos AVI e outros do Windows:

sudo apt-get install w32codecs libdvdcss2

Arquivos em Flash (no Firefox e no PC, caso você salve arquivos flv do Youtube e outros).

Terminal: sudo apt-get install flashplugin-nonfree

Adobe Acrobat Reader, Google Earth, Skype:

sudo aptitude install acroread acroread-plugins mozilla-acroread acroread-escript googleearth skype

Java (Para ver paginas de bancos, programas em java como o Limewire):

sudo apt-get -y install sun-java6-bin sun-java6-fonts sun-java6-jre sun-java6-plugin

Real Player (Arquivos rmvb)

Vamos instalar o Real Player 10 para Linux baixado do site da Real Player: http://www.real.com/linux/
Você vai baixar o arquivo RealPlayer10GOLD.bin. Em seguida, pelo terminal, vá até a pasta que você baixou o arquivo e realize os seguintes comandos:
Torne o arquivo executável:
chmod +x RealPlayer10GOLD.bin
Para instalar o Real Player:
sudo ./RealPlayer10GOLD.bin
Quando lhe pedir um local para instalar o Real Player inserir (se ele já não mostrar esse diretório):
/usr/bin/RealPlayer
Quando lhe pedirem para configurar um system-wide symbolic links, responda “y”. Depois disso aceite o prefixo para ligações simbólicas (Pressione “ENTER”).

Converter Vídeos

Caso voce queira converter vídeos no Ubuntu, os melhores programas sao: winFF e converIT
Busque no Google e instale no seu Ubuntu. Sem erros.

Escolha do backend que será usado ao tocar formatos multimídia via browser (Firefox):

Primeiro remova o backend que você está usando, por padrão, fica o do totem, mas como não sei qual você estará usando, desinstale todos (não estraga seu Ubuntu, relaxe).
sudo apt-get -y remove totem-mozilla mozilla-mplayer xine-plugin gxineplugin mozilla-plugin-vlc
Após isso, instalo uma das opções :
Totem (padrão, falha muitas vezes, globo.com nem pensar) :
sudo apt-get -y install totem-mozilla
MPlayer (meu preferido, toca audio/video sob streamming como o globo.com) :
sudo apt-get -y install mozilla-mplayer
Xine : sudo apt-get -y install xine-plugin gxineplugin
VLC : sudo apt-get -y install mozilla-plugin-vlc
Alerta: Não tente instalar todos acima, pois não funcionará.

Programa semelhante ao Daemon Tools para Linux

Nenhum comentário

quarta-feira, 19 de outubro de 2011


Esta dica é legal para quem gosta de emular imagens .ISO; para windows existe uma ferramenta muito popular chamada "DAEMON TOOLS" que cria uma unidade virtual de disco no seu computador de maneira que ele interprete a unidade como um novo disco com os dados carregados direto da imagem.

Mas e para Linux?

Bom para Linux também existe um software que tem o mesmo principio do Daemon Tools do Window$.
Totalmente grátis e ideal para ambiente GNOME.

Chama-se    'Gmount-iso', procure por ele na central de programas do Ubuntu caso o use.
Se preferir o programa pode ser baixado por aqui --> Gmount-ISO

Thumb Gmount-ISO 99902

É isso ai galera, até a próxima.

Linux Mint 12 e suas versões Gnome

Nenhum comentário

terça-feira, 18 de outubro de 2011


Clement Lefebvre, fundador e desenvolvedor líder do Linux Mint, anunciou que começou a trabalhar no seu novo projeto, Linux Mint 12, que vai usar duas versões do Gnome, o Gnome 3 e 2.
A nova edição será inicialmente desenvolvida junto com o Gnome 2.32. Os desenvolvedores decidiram ficar com o 2.32 porque acreditam que não aconteceram mudanças radicais no Gnome 3. Em um post no blog do Linux Mint, Lefebvre disse que também será usada a versão 3.2 porque ela é mais madura do que as versões anteriores ao Gnome 3.
A equipe de desenvolvimento viu um potencial no Gnome 3, por isso vão usá-lo para implementar algo que pode parecer e se comportar melhor do que qualquer outra coisa baseada no Gnome 2. No entanto, ainda não existe previsão de quando será o primeiro lançamento de um Mint com Gnome 2 ou 3 : "É claro que estamos começando do zero e este processo pode levar algum tempo", disse Lefebvre.
A equipe do Linux Mint também está trabalhando com o projeto MATE, desenvolvendo um fork do Gnome 2 para dar aos usuários uma opção de alternar entre as duas versões do Gnome no mesmo sistema. Porém, essa opção provavelmente só ficará disponível quando o Linux Mint 12 for lançado.
O Linux Mint pretende ser uma distribuição mais amigável do Linux, o objetivo é fornecer uma experiência mais completa ao usuário, incluindo suporte à reprodução de DVD, Java, plug-ins e diversos codecs.

Pinguy OS, um MAC TUX

Nenhum comentário

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Se alguém ainda achava Linux complicado, depois de conhecer essa distro vai mudar de ideia certamente;
Pinguy OS, é uma distribuição baseada no tão aclamado Ubuntu. porém semelhante ao Mac OS, e diferentemente do Ubuntu, já vem com todos os programas instalados.
Codecs de vídeo e audio, VIrtual Box, Wine, Efeitos na área de trabalhos e plugins no navegador, são alguns exemplos de programas que já vem inclusos nesta distribuição.

Quem achava que Linux era um bicho de sete cabeças começa a mudar a opinião ao começar a usar o Ubuntu. Se você ainda acha que o Ubuntu, a distribuição de Linux mais popular do mundo, ainda é complicado, precisa conhecer o Pinguy OS. Os desenvolvedores dessa distro afirmam que ela é indicada para pessoas que nunca usaram o sistema anteriormente, mas quere algo livre e prático

Assumidamente, o Pinguy OS é uma “cópia” do Ubuntu, algo bastante comum no mundo dos softwares livres. Programas e sistemas se inspiram mutuamente, muitas vezes copiando funções de modo a aperfeiçoar não somente os sistemas, mas também a ideologia que está por trás desse tipo de aplicação.
O ponto de partida do Pinguy OS é a simplificação. Sendo assim, os desenvolvedores pesquisaram e encontraram os aplicativos mais simples de serem usados para constarem como padrão do sistema, ou seja, aqueles que já vêm instalados. São opções práticas para realizar tarefas diárias para todos os usuários.
Assim, ferramentas como o Shotwell para extrair imagens da câmera e enviá-las para o PC ou para o Facebook, bem como o gtkpod, um substituto para o iTunes para você carregar seu iPod de músicas, são presenças de destaque na distro. O gravador de discos Brasero, outra solução simples para Linux, também está presente no Pinguy OS.
Nativamente, o Ubuntu não traz muitas soluções para aprimoramento visual e essa ausência é preenchida no Pinguy OS.  Aplicativos como CoverGloobus, Gloobus Preview, GNOME Do e Docky são alguns dos que dão as caras nesta distribuição, conferindo a ela funções bastante aprimoradas para navegação e modificações visuais.


O tema padrão é o Elementary, um dos mais belos e clássicos do Ubuntu. O Nautilus, gerenciador de arquivos do sistema, foi substituído pelo Elementary-Nautilus, que além de bonito, está equipado com uma série de plugins para que você encontre música e arte diretamente da web.

100% pronto para uso

O Pinguy OS já vem pronto para uso, com uma série de pacotes extras já instalados para que você instale o sistema e já saia usando. Arquivos extras para a execução de áudio e vídeo, acesso à conteúdo em Java e Flash na web, além de ferramentas aprimoradas para conexões sem fio e visualização de vídeos em flash no modo tela cheia também figuram como destaques dessa distro.

Link para Download do Sistema aqui



A origem do nome Fedora

Nenhum comentário

quarta-feira, 12 de outubro de 2011


A criação do Projeto Fedora Core trouxe consigo muitas polêmicas para a comunidade LinuxBrasileira. Uma delas foi sem dúvida a escolha do nome do sucessor do Red Hat (Chapéu Vermelho). 


Fedora é um nome rapidamente associado á palavra da língua Portuguesa "fedor", porém a sua origem é bem distinta. Fedora nada mais é do que um clássico modelo de chapéu surgido no início da década 20. O fedora tradicional tem um lenghtwise vincado, coroa comprimida padrão e um brim um tanto curvado. O brim tem uma variedade nos tamanhos que podem ser agarrados acima ou para baixo. Há geralmente uma faixa de, aproximadamente, duas polegadas que circulam a coroa. Sobre o tempo, o fedora transformou-se em um termo popular para uma família de chapéus em muitas cores, brim largos e alturas da coroa. O Fedora foi o favorito de muitos políticos e presidentes. Muitos filmes de Hollywood utilizaram do glamour e carisma deste clássico chapéu. Após esta pequena análise, observamos que não há uma grande diferença na simbologia das marcas RedHat e Fedora, tendo em vista que o chapeuzinho vermelho que inspira tanto amor e ódio é um Clássico Fedora. Aproveito a oportunidade para convidar aqueles que ainda não conhecem esta distribuição, que leiam a respeito dela e se possível que a utilizem, assim irão perceber, como eu percebi, que o Fedora já superou em muito o seu antecessor e que tem um belo caminho pela frente. 



E se o Linux fosse o sistema mais usado no mundo?

3 comentários
Esta é uma história fictícia, mas que serve para ilustrar algumas coisas que as vezes nos passam despercebidas.


Você é um fã de carteirinha do Windows? Não pode ver qualquer piada sobre o sistema da Microsoft que já começa a ter uma crise de nervos? Bom… Se a resposta for afirmativa, lhe convido a ver algum outro post aqui do blog :D
O texto a seguir relata a experiência de um usuário Linux ao usar pela primeira vez o Windows. Na história, completamente fictícia, o Linux é o sistema que possui 99% de uso no mercado, o que é o total oposto do que acontece hoje, onde o Linux detém aproximadamente cerca de 5%.
O que torna interessante a leitura é o fato do personagem comparar os recursos do Linux com os do Windows… Mas deixando o blá blá blá de lado:
E se o sistema operacional mais usado fosse o Linux…


Eu até compreendo o indivíduo que declarou ter problemas em passar do Windows para o Linux. Senti o mesmo ao experimentar o Windows. Decidi experimenta-lo, pois alguns amigos que o usam a toda hora me dizerem que era um sistema ótimo.
Fui até ao site da Microsoft para baixa-lo, mas não estava disponível. Fiquei frustrado porque não consegui descobrir como se baixava o mesmo. Por fim tive que perguntar a um amigo e ele me disse que tinha de ir na loja e comprar. Entrei no meu carro, dirigi até à Staples e pedi a um dos vendedores uma cópia do Windows. Ele perguntou-me qual, eu disse-lhe: "Quero a mais completa, por favor" e ele respondeu: "São 599 R$, por favor…". Soltei um palavrão e voltei para casa de mãos abanando.
Um dos meus amigos me deu uma cópia do Windows XP e me avisou para não dizer a ninguém. Achei estranho, porque faço sempre cópias do Linux para qualquer pessoa que me peça e digo sempre para passar essa cópia a qualquer outra pessoa que esteja interessada, uma vez que já precisem dela. De qualquer forma coloquei o CD no leitor e esperei que iniciasse o sistema do "Live CD". Não funcionou. A única coisa que fazia era perguntar-me se o queria instalar. Telefonei para um dos meus amigos, para saber se estava a fazer alguma asneira, mas ele disse-me: "O XP não roda o sistema diretamente do CD".
Decidi, então, instala-lo. Segui as instruções que apareciam na tela mas comecei a ficar nervoso porque não perguntou nada sobre os outros sistemas operacionais. Quando instalei o Linux, ele reconheceu que tinha outros sistemas operacionais na máquina e perguntou-me se queria criar uma nova partição e instalar o Linux lá. Voltei a ligar para o meu amigo e ele disse-me que o Windows elimina qualquer outro sistema operacional que encontra na hora da instalação.
Fiz uma cópia de segurança das minhas coisas e joguei-me de cabeça na instalação. A instalação foi bastante simples, tirando a parte em que tive que escrever umas letras e um código. Tive de ligar outra vez para o meu amigo, mas ele ficou chateado e veio escrever ele próprio o código. Voltou a dizer-me para não dizer nada a ninguém (!!!). Depois de reiniciar o computador, dei corrida de olhos pelo sistema.
Fiquei chocado quando me deixou mudar as configurações do sistema sem pedir o acesso de root. O meu amigo começou a ficar um bocado irritado quando liguei outra vez para ele, mas acabou por aparecer em minha casa. Disse-me que o acesso de root era dado logo na inicialização. Tratei logo de fazer outra conta de usuário normal e passei a usa-la.
Comecei a ficar confuso quando tentei fazer mudanças e o sistema, ao invés de pedir acesso de root, disse-me que tinha que fechar a sessão de utilizador normal e abrir uma sessão como administrador. Comecei, então, a perceber porque é que tantas pessoas entram sempre como root e tive um arrepio na espinha.
Bom, mas já era hora de trabalhar. Fui ao menu "Iniciar -> Programas", para abrir uma planilha que eu precisava terminar, mas não consegui encontrar a aplicação de planilhas. O meu amigo disse-me que o Windows não trazia nenhuma aplicação dessas e que eu teria que baixar da Internet.
"Oh…", pensei, "uma distribuição básica". Fui ao "Adicionar/Remover Programas" do painel de controle (tal como no Linux), mas não havia lá programas para adicionar. Apenas deixava remover os programas. Não consegui encontrar o botão para adicionar aplicações. O meu amigo disse-me que eu tinha que procurar as aplicações por minha conta. Depois de muita pesquisa no Google, lá encontrei, baixei e instalei o BrOffice.
Para dizer a verdade, diverti-me à brava com o Windows. Não entendi muito da terminologia… Porque é que há um drive A, depois um C… Onde é que está o drive B? Achei a distribuição demasiado básica, não inclui nenhuma aplicação que seja verdadeiramente de produtividade e torna-se muito confuso procura-la. O meu amigo disse-me que eu precisava de software anti-vírus e anti-spyware, mas o Windows não vinha com nada disso.
Achei-o difícil, confuso e demasiado trabalhoso para mim. Pode ser bom para uma pessoa que seja do tipo técnico, como o meu amigo, mas eu fico-me pelo Linux, obrigado.


Kernel Linux 3.0, o que mudou afinal?

Um comentário

Quais foram as mudanças mais radicais  no Kernel 3?

Além de um novo esquema de numeração de versão, o Linux 3.0 também tem vários recursos novos: Btrfs esfregando dados e desfragmentação automática, XEN suporte Dom0, ICMP_ECHO sem privilégios, wake on WLAN, Berkeley Packet Filter JIT filtragem, um sistema memcached-like para o cache da página , um sendmmsg () syscall que os lotes sendmsg () chama e setns (), uma syscall que permite melhor manuseio de sistemas de virtualização de luz, como contêineres. Suporte a hardware novo foi adicionado: por exemplo, Microsoft Kinect, AMD Llano Fusão APUs, Intel iwlwifi 105 e 135, Intel C600 Serial-Attached SCSI controlador, Ralink RT5370 USB, vários dispositivos Realtek RTL81xx ou o Apple da webcam iSight. Muitos outros motoristas e pequenas melhorias foram adicionadas.Características proeminentesBtrfs: desfragmentação automática, esfregando, melhorias de desempenhosendmmsg (): lotes de sendmsg () chamaXEN suporte dom0CleanCacheBerkeley Packet Filtro just-in-time de filtragemWake on suporte WLANSem privilégios mensagens ICMP_ECHOsetns () syscall: melhor tratamento de namespaceAlarme-timersMudanças motorista e uma arquitetura específicaVFSProcesso schedulerGerenciamento de memóriaNetworkingSistemas de arquivosCryptoVirtualizaçãoSegurançaRastreamento / profilingVárias mudanças fundamentais
1. Características proeminentes1.1. Btrfs: desfragmentação automática, esfregando, melhorias de desempenhoDesfragmentação automática
COW (copy-on-write) filesystems têm muitas vantagens, mas também têm algumas desvantagens, por exemplo fragmentação. Btrfs expõe os dados em seqüência quando os arquivos são gravados no disco pela primeira vez, mas um projeto COW implica que qualquer alteração posterior ao processo não deve ser escrito em cima dos dados antigos, mas ser colocado em um bloco livre, que irá causar fragmentação (bases de dados RPM são um caso comum deste problema). Adicionalmente, ele sofre os problemas de fragmentação comum a todos os sistemas de arquivos.
Btrfs já oferece alternativas para combater esse problema: Primeiro, ele suporta a desfragmentação online usando o comando "btrfs desfragmentar sistema de arquivos". Segundo, ele tem uma opção de montagem,-o nodatacow, que desativa COW para dados. Agora btrfs acrescenta uma terceira opção, o-o autodefrag opção de montagem. Este mecanismo aleatório detecta pequenas escreve em arquivos e filas-los para um processo de desfragmentação automática, de modo que o sistema de arquivos irá desfragmentar em si, enquanto ele é usado. Não é adequado para cargas de trabalho de virtualização ou banco de dados grande ainda, mas funciona bem para arquivos menores, como rpm, ou bancos de dados SQLite bdb. Código: (commit)
Esfrega
"Scrubbing" é o processo de verificação da integridade dos dados no sistema de arquivos. Esta implementação inicial de esfregar irá verificar as checksums de todos as extensões no sistema de arquivos. Se ocorrer um erro (checksum ou erro de IO), uma boa cópia é procurado. Se for encontrada, a cópia ruim vai ser reescrita. Código: (commit 1, 2)
Outras melhorias
-File speedup criação / exclusão: O desempenho da criação de arquivos e exclusão no btrfs era muito pobre. A razão é que para cada criação ou exclusão, btrfs deve fazer um monte de b + inserções da árvore, como item de inode, item nome do diretório, o índice nome do diretório e assim por diante.Agora btrfs pode fazer algumas inserções + b atrasada árvore ou supressões, que permite a lote essas modificações. Microbenchmarks de criação do arquivo ter sido acelerar by ~ 15% de eliminação, e arquivo de ~ 20%. Código: (commit)
-Não lave itens csum de dados do arquivo inalterado: acelera fsync. A carga de trabalho sysbench fazendo "gravação aleatória + fsync" passou de 112,75 solicitações / s para 1.216 pedidos / sec. Código: (commit)
-Quasi-round-robin para alocação de espaço em configurações multidispositivo: o alocador pedaço atualmente sempre aloca espaço nos dispositivos na mesma ordem. Isto leva a uma distribuição muito desigual, especialmente com RAID1 ou RAID10 e um número ímpar de dispositivos.Agora Btrfs sempre classifica os dispositivos antes de alocar e aloca as listras nos dispositivos com mais espaço disponível. Código: (commit)
1.2. sendmmsg (): lotes de sendmsg () chamaRecvmsg () e sendmsg () são os syscalls usado para receber / enviar dados para a rede. Em 2.6.33, o Linux adicionou recvmmsg (), uma syscall que permite receber em uma chamada de dados único que precisaria recvmsg múltiplas () chama, melhorando a throughput e latência para um número de cenários. Agora, uma sendmmsg equivalente () syscall foi adicionado. A microbenchmark viu uma melhoria de 20% na taxa de transferência em UDP enviar e 30% no socket raw enviar
Código: (commit)
1.3. XEN suporte dom0Finalmente, o Linux tem suporte Xen dom0
1.4. CleanCacheRecomenda LWN artigo: CleanCache e Frontswap
CleanCache é um recurso opcional que pode, potencialmente, aumenta o desempenho do cache de página. Poderia ser descrito como um sistema memcached-like, mas para páginas de memória cache. Oferece armazenamento de memória não directamente acessíveis ou endereçável pelo kernel, e ele não garante que os dados não vão desaparecer. Ele pode ser usado por software de virtualização para melhorar a manipulação de memória para os clientes, mas também pode ser útil para implementar coisas como um cache comprimido.
Código: (commit), (commit)
1.5. Berkeley Packet Filtro just-in-time de filtragemRecomenda artigo LWN: A JIT para filtros de pacotes
O Packet Berkeley Filtro capacidades de filtragem, usado por ferramentas como libpcap / tcpdump, normalmente são tratados por um intérprete. Esta versão adiciona um JIT simples que gera código nativo quando o filtro é carregado na memória (algo já feito por outros sistemas operacionais, como FreeBSD). Administrador precisa habilitar este recurso escrita "1" para / proc / sys / net / core / bpf_jit_enable
Código: (commit)
1.6. Wake on suporte WLANWake on Wireless é uma funcionalidade para permitir que o sistema entrar em um estado de baixa energia (por exemplo, ACPI S3 suspender), enquanto o NIC wireless permanece ativo e faz coisas diferentes para o hospedeiro, por exemplo, ficar conectado a um AP ou à procura de redes. A pilha de 802,11 adicionou suporte para ele.
Código: (commit 1, 2)
1.7. Sem privilégios mensagens ICMP_ECHORecomenda LWN artigo: sockets ICMP
Este lançamento torna possível enviar mensagens ICMP_ECHO (ping) e receber as mensagens correspondentes ICMP_ECHOREPLY sem nenhum privilégio especial, semelhante ao que é implementado no Mac OS X. Em outras palavras, o patch faz com que seja possível implementar setuid-less e CAP_NET_RAW- menos / bin / ping. Inicialmente, esta funcionalidade foi escrito para Linux 2.4.32, mas infelizmente nunca foi tornada pública. A nova funcionalidade é desabilitada por padrão, e é habilitado na inicialização pelo suporte a distribuições Linux, opcionalmente, com restrição a um grupo ou um intervalo de grupo.
Código: (commit)
1.8. setns () syscall: melhor tratamento de namespaceRecomenda artigo LWN: descritores de arquivos Namespace
Linux suporta namespaces diferente para muitos dos seus recursos de trata, por exemplo, mostram formas leves de virtualização tais como recipientes ou systemd-nspaw aos processos virtualizados um PID virtuais diferente do PID real. A mesma coisa pode ser feita com a estrutura de diretórios do sistema de arquivos, recursos de rede, IPC, etc A única maneira de definir configurações diferentes namespace estava usando bandeiras diferentes no clone () syscall, mas que o sistema não fazer coisas como permitir a um processos de acesso ao namespace outro processo ". O setns () syscall resolve esse problema-
Código: (commit 1, 2, 3, 4, 5, 6)
1.9. Alarme-timersRecomenda artigo LWN: Waking sistemas de suspensão
Alarme de temporizadores são um temporizador estilo híbrido, semelhante ao de alta resolução timers, mas quando o sistema for suspenso, o dispositivo RTC é definido ao fogo e ativar o sistema mais rápido para quando o alarme do temporizador expirar. O conceito de Alarme-timers foi inspirado pelo motorista Alarme Android, e uma interface para userland usa o relógio e interface POSIX timers, usando dois novos clockids: CLOCK_REALTIME_ALARM e CLOCK_BOOTTIME_ALARM.
Código: (commit 1, 2)
2. Mudanças motorista e uma arquitetura específicaTudo que o motorista e uma arquitetura específica mudanças podem ser encontrados na página Linux_3.0_DriverArch
3. VFSCache queda de segurança xattr verificar a escrever: benchmarking na btrfs mostrou que um gargalo grande escala em grandes sistemas de btrfs é atualmente a pesquisa xattr a cada gravação, o que provoca uma caminhada árvore adicionais, acertando alguns bloqueios por arquivo do sistema e escalabilidade muito ruim. Este é também um problema em ext4, onde ela atinge o bloqueio mbcache global. Cache esta verificação resolve o problema (commit)
4. Processo schedulerAumentar a resolução SCHED_LOAD_SCALE: Com esta resolução extra, o programador pode lidar com hiearchies cgroup mais profundo e fazer uma melhor distribuição ações e balanceamento de carga em sistemas maiores (especialmente para grupos de tarefas de baixo peso) (commit), (commit)
Mova o segundo semestre de ttwu () para o CPU remoto: evita ter que tomar rq-> lock e fazer o enqueue tarefa remotamente, poupando muito em transferências cacheline. A referência semáforo vai de 647.278 queimaduras trabalhador por segundo para 816.715 (commit)
Dica de amigos próximos sobre o sono e antecipar caminho: um marco do pior caso que consiste em dois processos do cliente tbench com 2 threads cada um rodando em uma única CPU passou de 105,84 MB / s para 112,42 MB / seg (commit)
5. Gerenciamento de memóriaFaça mmu_gather preempemtible (commit)
Lote activate_page () chama para reduzir zona de> contenção lru_lock (commit)
tmpfs: implementar o suporte xattr genérico (commit)
Memória cgroup controlador:
Adicionar memory.numastat API para as estatísticas NUMA (commit)
Adicionar a contagem pagefault em memcg stats (commit)
Recuperar a memória de nós em round-robin ordem (commit)
Remova o parâmetro de kernel obsoleto noswapaccount (commit)
6. NetworkingPermitir configurar a rede pelo namespace fd (commit)
Sem fio
Adicionar a capacidade para fazer propaganda de combinações possíveis de interface (commit)
Adicionar suporte para verificações agendadas (commit)
Adicionar o sinalizador de autenticação userspace a malha de configuração (commit)
Nova notificação para descobrir candidatos pares de malha. (Commit)
Permitir ethtool para definir interface em modo de loopback. (Commit)
Não permitir o cache-cópia de usuário em transmitir (commit)
ipset: SCTP, suporte UDPLite adicionado (commit)
sctp: implementar SCTP_GET_ASSOC_ID_LIST tomada de opção (confirmação), implementar evento de notificação SCTP_SENDER_DRY_EVENT (commit)
bridge: permitir a criação de dispositivos de ponte com netlink (commit), permitem criar / excluir entradas fdb via netlink (commit)
batman-adv: apoio de multi vlan para a ponte de detecção de loop (commit)
pkt_sched: QFQ - quick justo fila scheduler (commit)
RDMA: Adicionar netlink infra-estrutura que permite o registo de clientes RDMA (commit)
7. Sistemas de arquivosCAMADA DE BLOCO
Enviar descartar bio em lotes em blkdev_issue_discard () - faz descarte de dados mais rápida (commit)
EXT4
Enable "furos" funcionalidade (recomendado LWN artigo) (commit), (commit)
Adicionar suporte para múltiplos mount proteção (commit)
CIFS
Adicionar suporte para a montagem de compartilhamentos DFS Windows 2008 (commit)
Converter cifs_writepages usar async escreve (commit), (commit)
Adicionar opção de montagem rwpidforward que permite que um modo quando CIFS frente pid de um processo que abriu um arquivo para qualquer operação de leitura e escrita (commit)
OCFS2
SSD apoio corte (commit), (commit)
Suporte para extensões em movimento (commit), (commit)
NILFS2
Implementar redimensionar ioctl (commit)
XFS
Adicionar suporte descartar online (commit)
8. CryptoCAAM - Adicionar suporte para o SEC4/CAAM Freescale (commit)
cadeado - Adicionar SHA-1/256 módulo para VIA Nano (commit)
s390: adicionar suporte a hardware do sistema z de modo CTR (commit), adicione Sistema de suporte de hardware para z ghâsh (commit), adicionar suporte a hardware do sistema z de modo XTS (commit)
s5p-sss - S5PV210 adicionar suporte avançado motor de criptografia (commit)
9. VirtualizaçãoModo de usuário Linux: apoio earlyprintk add (commit), adicione ucast de transporte Ethernet (commit)
xen: apoio blkback add (commit)
10. SegurançaPermitir a aplicação de limites capacidade de ajudantes usermode (commit)
SELinux
adicionar / sys / fs / selinux ponto de montagem para colocar selinuxfs (commit)
Fazer cache do SELinux VFS RCU anda seguro (melhora o desempenho VFS) (commit)
11. Rastreamento / profilingperf stat: Add-d-d e-d-d-d opções para mostrar os eventos mais CPU (commit), (commit)
perf stat: Adicionar opção --sync/-S (commit)
12. Várias mudanças fundamentaisrcu: prioridade para impulsionar TREE_PREEMPT_RCU (commit)
ulimit: ulimit raise padrão rígido sobre o número de arquivos para 4096 (commit)
cgroups
remover o subsistema cgroup Namespace. Foi substituído por «clone_children" um sinalizador de compatibilidade, onde um cgroup recém-criado irá copiar os valores cgroup pai. O userspace tem que criar manualmente um cgroup e adicionar uma tarefa para o arquivo 'tarefas' (commit)
Faça arquivo 'procs "gravável (commit)
kbuild: implementar vários níveis de W = (commit)
PM / Hibernate: Adicionar botão sysfs para controlar o tamanho da memória para os motoristas (commit)
posix-timers: RCU conversão (commit)
coredump: adicionar suporte para exe_file em nome de núcleo (commit)


Confira:
Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo