Julho 2015 - Diolinux - Open Source, Ubuntu, Android e tecnologia

Responsive Ad Slot

Como instalar o novo Java no Ubuntu e manter ele sempre atualizado

Nenhum comentário

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Usuários do PPA do WebUpd8 para o Java devem ter percebido que por algum motivo obscuro ele não recebeu o último update feito pela Oracle, veja como contornar este problema e manter o Java do seu Ubuntu na última versão.

Atualizando o Java no Ubuntu

Atualizando o Java no Ubuntu


Nestas últimas semanas recebemos muitas mensagens de pessoas informando que estavam tendo problemas para acessar suas contas bancárias por conta da falta de atualização do Java através do PPA do WebUpd8, muito popular nos últimos anos.


Havia tanta confiança neste repositório que até em seus documentos oficiais o Ubuntu indicava ele como uma solução prática para o problema, porém, o mesmo não recebeu mais atualizações, estacionou na versão 8 update 45, sendo que a Oracle liberou a versão 8 update 51, apesar da diferença entre as versões serem poucas, o Java é normalmente utilizado em transações bancárias então todo o cuidado é sempre bem-vindo.

Repositório BluIce


Para contornar o problema, pesquisamos bastante uma solução e encontramos o pessoal do Portal BluIce, uma empresa de software brasileira e através deles conseguimos uma solução para o problema, segundo eles, o repositório será mantido atualizado e nele sim temos o Java com o seu último update.

Vamos instalar?


O primeiro passo é remover a versão antiga do Java do seu computador juntamente com o PPA do WebUpd8 para que não haja conflitos.

Então vamos lá, abra o seu terminal e cole os seguintes comandos:
sudo apt-get install ppa-purge -y
sudo ppa-purge ppa:webupd8team/java


sudo apt-get remove oracle-java8-installer
sudo apt-get autoremove
sudo apt-get autoclean
Certo, acredito que assim não tenha restado nenhum vestígio da versão desatualizada do Java 8 no seu sistema, um ponto que vale a pena comentar é que caso você tenha o Java 7 instalado, versão ainda mais antiga, será necessário removê-lo como no terceiro passo (logo acima) substituindo o "8" do comando pelo "7", é interessante também remover o openJDK caso você o tenha também, mas isso você pode fazer pela Central de Programas.

Agora vamos instalar o Java da BluIce.

O primeiro passo é adicionar o repositórios deles e isso é bem simples, baixe este pacote .deb e instale no seu sistema dando dois cliques. Veja mais informações aqui caso necessário.

Instalando pacote deb

Você provavelmente verá essa tela ao tentar instalar, você pode simplesmente clicar em "Ignorar e instalar", essa mensagem normalmente ocorre com pacotes que não vem do repositório do Ubuntu ou do Launchpad.

Atualizando o reposistório


Uma vez instalado é necessário atualizar o seu repositório, procure no menu do sistema pelo aplicativo "atualizador de programas" e clique nele, deixe ele verificar se há algo novo e quando ele terminar você pode fecha-lo.

Agora, no terminal rode o seguinte comando:
sudo apt-get install java8-update
Se você precisa da versão 7 do Java rode:
sudo apt-get install java7-update 
Aguarde a instalação e ao final se quiser verificar se o Java está corretamente instalado rode o comando:
java -version 
A resposta será semelhante a esta.

Java atualizado

Mantendo este pacote no sistema fora receberá as atualizações sempre que elas forem disponibilizadas, caso você queira remover o Java do pessoal do BluIce rode:

sudo apt-get remove java8-update
ou
sudo apt-get remove java7-update 
E se quiser ir ainda mais longe e remover o repositório deles abra a Central de Programas do Ubuntu, clique no menu editar>>canais de software e na segunda aba procure pelo repositório deles, como mostra a imagem abaixo, e clique em remover, atualize os sistema através do aplicativo "Atualizador de Programas" e pronto.

Repositórios do Ubuntu


Verificando o funcionamento do Java no seu Browser


Vale lembrar que o Java só funciona nativamente pelo Firefox, uma vez que a Google desabilitou o plugin no Chrome e por consequência projetos que são semelhantes como o Chromium e o Opera foram na onda também.

Uma maneira de você testar se o Java está funcionando corretamente no seu Firefox é abrir este link usando o navegador.

Clique em "Verificar versão do Java" e aguarde a análise.

Verificando o Java

Se tudo estiver funcionando corretamente você deverá ver algo semelhante a essa imagem abaixo.

Verificando o Java

Concluíndo


Fica o nosso agradecimento ao pessoal do Portal BluIce por proporcionar uma maneira simples de manter o Java atualizado, apesar do tutorial ser extenso a dificuldade dele é mínima.

Agora você deve conseguir  acessar a sua conta no Banco tranquilamente. Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Linux é o sistema operacional mais utilizado em C e C++

Nenhum comentário

quarta-feira, 29 de julho de 2015

A JetBains publicou recentemente um infográfico em que seus pesquisadores mostram o uso e avanço do CLion (CMake, GCC e GDB). Assim podemos ver a aceitação pelo mercado e os interessados em qual linguagem de programação querem seguir carreira, podem ter uma ótima noção a respeito. Nele podemos ver as 10 linguagens mais utilizadas no mundo, em que países C++ é mais aceita, quais os campos mais atuados, linguagens utilizadas com C++, versões de C++, quais sistemas mais a utilizam (e Linux está no topo beirando os 50%), compiladores mais populares (e clang ganhando notoriedade), sistemas de build mais populares e muito mais.Confiram o infográfico abaixo:
Linux é mais utilizado em C e C++

Fonte
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como instalar "The Sims 4" no Linux

Nenhum comentário
Hoje você verá como instalar um dos games mais populares da atualizado no seu sistema, vamos aprender a rodar The Sims 4 no Linux.

The Sims 4

Rodando o The Sims 4 pelo PlayOnLinux


The Sims é um título muito popular entre os gamers e temos certeza que muitos usuários Linux gostariam de jogar a última versão do jogo em seus sistemas. Infelizmente o game não possui versão nativa para o Linux mas isso não quer dizer que não seja possível jogar ele, certo?

O nosso amigo e parceiro Tuxter Games elaborou um tutorial muito legal explicando como instalar o game usando o PlayOnLinux, confira:


No vídeo, a ferramenta usado foi o PlayOnLinux, se você tem dúvidas sobre a utilização da ferramenta consulte o nosso vídeo manual sobre ele neste link.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




A história por trás do nome Linux

Nenhum comentário

terça-feira, 28 de julho de 2015

Conheça os fatos e curiosidades existem a respeito do nome Linux.

A história por trás do nome Linux

Muito há o que se falar sobre o nome Linux. Como lhe foi dado nome, o proprietário da palavra Linux e a questão de chamá-lo de GNU/Linux ou simplesmente Linux. A questão é que esses assuntos vão longe.
Existe até mesmo a questão de como se pronunciar o nome Linus e Linux. Linus mesmo explica melhor logo a seguir:



O nome Linux, por mais estranho que pareça, não foi dado pelo pai da criança (é, já que Linus considera Linux um filho), o nome na verdade foi dado por Ari Lemke que era professor na universidade junto a Linus.
Todas essa informações podem ser verificadas no vídeo "Linux (Dando nome a criança)":


Há uma longo debate que gera polêmica quando a chamá-lo Linux ou GNU/Linux mencionado também no vídeo. Respeitando a opinião de todos,coloco aqui algo a pensar; o Android é um tipico exemplo em que não mencionamos o nome Linux, chamando-o de Android/Linux e muitos que o utilizam nem mesmo sabem que é Linux (sim, gostem ou não, o Android é um sistema operacional sobre o kernel Linux. Enfatizo isso pois já vi grupos defendendo que o Android não é Linux). Com isso vem outros que só recebem nome próprio como o MeeGO, ChromeOS, FirefoxOS, Cyanogenmod, Replicant, além de distribuidões como CentOS e SteamOS e não leva o nome Linux explicitamente (e não deixam de ser Linux por essa rasão). Portando, Linux ou GNU/Linux, usemos e usufruamos de Linux e de tudo o que ele tem a oferecer.
____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Lenovo começa a vender computadores com Ubuntu

Nenhum comentário
O Ubuntu está chegando a cada dia mais no mercado popular, agora é a Lenovo, a maior vendedora de computadores do mundo que coloca o sistema da Canonical em seus aparelhos.

ThinkPad Lenovo Ubuntu

Novo Thinkpad L450 da Lenovo carrega o Ubuntu


O modelo em questão será vendido por enquanto apenas na índia, um mercado emergente de tecnologia, mas há a expectativa de que a pareceria da Canonical com a Lenovo leve o Ubuntu para outros mercados.

Leia também:
Canonical fecha parceria com HP para vender Notebooks com Ubuntu
Leia também:
Dell  começa a vender super Notebooks com Ubuntu
Confira agora o hardware utilizado no Notebook da Lenovo com Ubuntu:

- Tela de 14"
- Intel Core i3 ou i5
- 4 GB de RAM
- HD 500 GB

Me pergunto quando estas maravilhas chegarão ao mercado consumidor brasileiro... na Índia o computador será vendido por ate 2.100 reais, convertendo a moeda.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Android tem problema de segurança que pode afetar quase 1 bilhão de usuários

Nenhum comentário

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Hoje foi revelado um falha de segurança que pode ser explorada por um simples mensagem de texto do tipo MMS, entenda melhor o problema.

Android Phones

Falha de segurança deixa usuários expostos


Segundo estimativas, cerca de 950 milhões de dispositivos Android possuem (por enquanto) esta falha que pode permitir a um hacker o controle praticamente total do seu celular, incluindo câmera e arquivos.
Há pouco tempo tivemos uma falha parecido no iOS
Para que a falha possa ser explorada existem algumas condições específicas, a falha consiste em aproveitar o mecanismo de download automático de conteúdo que o aplicativo Hangouts utiliza quando recebe mensagens de texto. 

Dessa forma, a única maneira de um hacker explorar a falha seria enviando para o seu Smartphone um malware através de MMS e também é necessário que você use o app do Hangout para administrar as suas mensagens de texto. Só isso já é o suficiente e é justamente isso que deixa o problema mais grave.

Problema de segurança no Android
Exemplo da falha


Uma vez enviado o malware você como usuário do hangouts não precisa fazer absolutamente nada, como o app baixa o conteúdo do MMS diretamente o malware só de ser enviado já será baixado para o seu aparelho e uma vez na sua memória interna já possibilitará o ataque hacker, permitindo acesso aos seus dados, microfone câmera!

Quem usa app padrão de SMS do Android e não usa o Hangouts pode ficar menos preocupado, isso porque neste caso para o que o Malware infecte o seu Android seria necessário que você abrisse a mensagem e baixasse o conteúdo para o Smartphone, ou seja, um procedimento normal de quando você recebe uma mensagem.

O mais preocupante é que não  é necessário que o usuário execute coisa alguma, basta o conteúdo ser baixado para o Smartphone.

Dica de segurança


Este é um problema para ficar de olho sem dúvidas, o melhor é desativar o download automático de mensagens caso você use o Hangouts, mas independente disso, procure não abrir MMS de pessoas desconhecidas, só isso já ajuda bastante caso você use o app convencional de SMS.

A falha foi reportada ainda em Abril por um usuário, o mesmo teria enviado a correção para a Google que teria aceitado as sugestões, porém, a atualização de aparelhos Android é lenta por conta das múltiplas versões do sistema que existem e das muitas fabricantes, portanto, olho aberto!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Fiber: Conheça o novo navegador web para o KDE

Nenhum comentário
Um novo browser em QT desenvolvido especialmente para a interface KDE está começando a dar as caras da internet, o nome dele é Fiber e está sendo desenvolvido por Ken Vermette.

Fiber Web Browser KDE

Conheça o novo browser, Fiber


Um novo navegador deve dar as caras em breve, a proposta é criar novas experiências de usabilidade quanto a interface do navegador, no entanto o seu desenvolvimento deverá focar especialmente no desempenho a princípio, deixando a modelagem da interface em segundo plano por hora.

A interface com o usuário é escrita em QML e Qt5 mas poderá mudar para HTML5 no futuro. A ideia é também dar um suporte amplo para extensões próprias, onde cada item do browser poderia ser modificado e alterado de acordo com as extensões, assim o usuário poderia criar uma interface e uma maneira de interagir com o software de um jeito único.

O código fonte do navegador ainda não está público, mas deverá ser no futuro, se você se interessou pelo projeto acompanhe o desenvolvimento do mesmo através do blog de Ken Vermette clicando neste link.

Apesar de já termos várias opções de navegadores para Linux este possui o conceito interessante de você mesmo montar o layout dele, o Firefox já tem um pouco disso mas o Fiber promete ir um pouco além.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




HORNET, a nova rede no estilo Tor super rápida

Nenhum comentário

sábado, 25 de julho de 2015

 Com o crescimento do uso da Deep Web (que utilizado dados encriptados), a velocidade de navegação vem se tornando bem lenta. Surge então uma nova rede Tor. Acompanhem aqui no Diolinux.


HORNET, a nova rede no estilo Tor super rápida.


Existe uma fonte muito grande sobre o Tor aqui no Diolinux, desde instalação à utilição como também sobre a Deep Web.  Caso ainda não sabe do que se trata, confira os links a seguir:

Devido ao uso massivo do Tor (The Onion Router: O Roteador Cebola) para acessar a Deep Web, a internet vem se tornando cada vez mais lenta. O Tor hoje possui mais de dois milhões de usuários que o utilizam, reduzindo assim o desempenho da internet. Não é o fato da Deep Web que a torna lenta, e sim o fato de que o Tor criptografa os dados dos usuários que navegam através dele. Consequentemente, a navegação já se torna mais lenta (que já utilizou o Tor sabe disso); agora, imagina isso em massa.

Daí surgem cinco pesquisadores (Chen Chen da Carnegie Mellon University, David Barrera, Enrico Asoni, Adrian Perrig do Institudo Federal de Tecnologia de Zurich, e George Danezis da Universidaty College de Londres) que desenvolveram uma nova rede anonima no estilo Tor chamada HORNET (High-Speed Onion Routing at Network Layer: Roteador Cebola de Alta Velocidade na Camada de Rede).

HORNET é mais resistente a ataques e entrega os node speeds mais rápido. A equipe de pesquisadores escreve que “diferente de outras implementações de roteadores cebola, roteadores HORNET não mantem estado por fluxo (per-flow state) ou desempenha operações computacionais custosas para dados de forwarding, permitindo que o sistema escale enquanto novos clientes são adicionados.”

A arquitetura tanto do Tor quanto do HORNET é basicamente a mesma (roteador cebola), porém para alcançar tal velocidade acima do Tor, HORNET não criptografa os dados com frequência; ao invés disso, ele criptografa somente as coisas pessoais. O HORNET cria um conjunto de chaves criptografadas contendo as informações de rota (status de conexão) no seu sistema. Desta forma os nodes não precisam construir as informações todas vez.

Vale a pena mencionar que o HORNET ainda não foi testado em larga escala, somente pelos cinso pesquisadores. Então, revisão precisam ser feitas para que haja adoção.

A documentação dos pesquisadores podem ser conferidas logo abaixo:

___________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Conheça o incrível openSUSE, uma das melhores distros Linux do mundo

Nenhum comentário

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Existem muitas distros Linux no mundo, tantas que é difícil até de estimar, dentre todas as elas é difícil muitas vezes conseguir uma posição de destaque, é preciso ter uma característica que o diferencie do restante, é isso que o openSUSE tem, vamos conhecer essa interessante distro Linux melhor?

openSUSE  Review

Analisamos todos os detalhes do openSUSE


Antes de você ver o nosso verdadeiro documentário sobre o openSUSE, eu gostaria de dizer algumas palavras sobre o projeto. 

O openSUSE me despertou muito interesse, vocês, queridos leitores, pediram por muito tempo uma análise do sistema e eu não poderia deixar por menos, este foi um dos vídeos mais trabalhosos que já foram feitos no canal, logo abaixo você pode ver o projeto de edição feito todo usando o Kdenlive.

Edição de vídeo com Kdelive

Entre instalação do sistema, testes, roteiro, gravação, edição, renderização e upload, foram pelo menos 20 horas de trabalho deste que vos fala, mas ao final tivemos um bom resultado.

Renderização do vídeo

Este da imagem acima é o projeto de renderização deste vídeo que demorou quase 9 horas para ser concluído.

Agora vamos ao vídeo, aproveite!



Descrição do vídeo


A oportunidade perfeita para você conhecer mais a distribuição Linux openSUSE.
Download openSUSE: https://www.opensuse.org/pt-br/
Vídeo sobre a história do SuSE: https://goo.gl/66uunt
Vídeo sobre o SUSE Studio: https://goo.gl/yCY3C
Patreon do Diolinux: https://goo.gl/q9aBbd
Acesse a nossa loja: http://www.diostore.com.br
Anuncie no Diolinux: http://goo.gl/BWsafD
Acesse o site: http://www.diolinux.com.br
Facebook: http://www.facebook.com/blogdiolinux
Twitter: http://www.twitter.com/blogdiolinux
Google Plus: https://plus.google.com/+DiolinuxBr/
Android App: http://goo.gl/DTVt7I
Assine o nosso Feed:http://goo.gl/w6418F
Diolinux na Google Play Banca: http://goo.gl/qCJQqr

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Ubuntu 14.10 tem suporte encerrado, hora de atualizar!

Nenhum comentário
A versão lançada em Outubro do ano passado encerrou seu suporte ontem, isso significa que o ideal é que você atualize o sistema para ficar com o sistema em dia e evitar problemas com segurança.

Ubuntu Utopic Unicorn

Fim da vida da versão 14.10 do Ubuntu


Acredito que poucas pessoas ainda estejam usando essa versão do sistema mas é sempre bom alertar. No dia 23 de Julho de 2015 a versão 14.10, lançada em Outubro de 2014, teve o seu suporte a atualizações oficiais encerrado, versões intermediárias do Ubuntu tem um ciclo de vida de apenas 8 meses.

O que fazer?


Existe algumas opções caso você use a versão 14.10 então vamos apresentar aqui quais são elas, assim você poderá escolher qual você acha melhor.

Até o momento o Ubuntu lança novas versões de 6 em 6 meses, porém, com a proposta de rolling release isso pode mudar, saiba mais aqui.

Atualizar para o Ubuntu 15.04

Uma das opções é você atualizar para a mais recente versão, o Ubuntu 15.04 foi lançado em Abril e está perfeitamente funcional, tenho usado ele no meu computador para jogos, porém cabe alertar que esta versão também é uma versão intermediária, ela terá seu suporte encerrado provavelmente lá por Fevereiro de 2016.

Em Outubro de 2015 será lançada a nova versão intermediária do Ubuntu (15.10) que terá suporte até julho do próximo ano, e em Abril de 2016 teremos a nova LTS.

Para atualizar para o Ubuntu 15.04 você pode baixar a nova ISO e formatar o computador ou pode fazer a atualização direto pelo sistema mesmo seguindo este tutorial.

Falando em LTS...

Outra opção que você tem é fazer o downgrade para a versão 14.04 LTS, esta tem suporte até o ano de 2019, esta é a versão que eu venho utilizando no meu Notebook, inclusive estou usando ela agora para redigir este texto.

O Ubuntu 14.04 LTS é uma versão muito estável do sistema, porém, ele não costuma trazer os softwares em suas últimas versões, não chegam a ser tão desatualizados quanto os do Debian Stable mas realmente não são as últimas como no 15.04, entretanto, caso seja necessário você pode adicionar PPAs para deixar os sistema de acordo com o seu gosto.

Se você optar pela LTS infelizmente não haverá outra maneira se não formatar o seu computador.

Old Releases

Eis uma coisa que poucos conhecem, você pode usar versões "vencidas" do Ubuntu desde que migre o link dos repositórios para o Old Releases, dessa forma você ainda poderá instalar programas no sistema mesmo depois do suporte à ele acabar, mas fique atento, atualizações de programas e de segurança não ocorrerão, saiba mais aqui.

Recomendação da Canonical

O site Help Ubuntu, mantido pela Canonical, informou que a recomendação é atualizar para a versão mais recente do sistema, as informações podem ser vistas neste endereço, assim como as dicas para fazer a atualização.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Linux com tema Windows é utilizado em escolas no Rio Grande do Sul

Nenhum comentário
Numa tentativa de facilitar a assimilação dos usuários, o governo do estado do Rio Grande do Sul substituiu em alguns laboratórios o Linux Educacional por uma versão customizada do Xubuntu.

Computador com Linux nas Escolas

Computadores com Linux nas Escolas


Quando a solução é viável não há motivo para não usar Linux, especialmente em setores públicos, como escolas, prefeituras, etc. Além de poderem realizar o mesmo trabalho que sistemas proprietários, trazerem uma maior segurança ainda há uma grande economia de dinheiro, do nosso dinheiro.

Quem acompanha o blog e o canal sabe que eu, Dionatan, não curto muito o Linux Educacional, acho ele mal produzido, lento, bugado e visualmente desagradável, do meu ponto de vista ele mais atrapalha a adoção do Linux do que ajuda, uma vez que muitos jovens tem seu primeiro contato com o Linux através dele.

Para entender melhor essa história dos computadores disfarçados de Windows confira o vídeo:


Tenho um complemento bacana para fazer à matéria, em nosso no Facebook um dos leitores do blog e frequentadores do grupo em questão elucidou melhor a questão do uso dos computadores com um sistema desta forma.

Prezado Dionatan
As imagens que você apresentou são de uma customização do Xubuntu 14.04 realizada pelo Núcleo de Tecnologia Educação (NTE) de Santa Maria. Essa customização foi confeccionada à partir das constatações de que muitos professores têm dificuldade e resistência em lidar com o sistema Linux (principalmente por que as máquinas tinham o Linux Educacional). A grande maioria dos professores, que utilizam a tecnologia, são familiarizados com o sistema Windows, os quais utilizam esse sistema para planejamento das atividades didáticas (em casa), tornando-se o Linux um sistema novo, desconhecido e utilizado somente na escola.
Visando soluções para a utilização do Linux, bem como a utilização de software livre na escola, entendemos que para haver uma aprendizagem significativa e consequentemente uma mudança de postura (utilização de softwares livre em vez de proprietário no ambiente escolar) temos que levar em conta o que os professores já sabem ou o que já utilizam, pois sem levar em conta o que sabem (conhecimentos prévios), o novo conhecimento torna-se muito distante, dificultoso e aversivo. Por experiência, percebe-se que de nada adianta colocar Linux nos computadores se os professores não conseguem operar ou têm aversão ao mesmo. Dessa forma, os computadores (com Linux) estão fadados a ficarem sem uso e empoeirados na escola.
Essa customização foi confeccionada para rodar nos MOBO 5900 da Positivo (Intel Atom N2600, 1,6 GHz, 2GB RAM). Depois de customizado o Xubuntu, foi gerada uma imagem (ISO) através do Systemback para distribuição da mesma. Através dessa imagem, cada NTE ou escola, pode acrescentar softwares e recursos educativos (conforme proposta pedagógica) e gerar uma nova imagem ou até mesmo uma Live USB e distribuir para as escolas de sua região, podendo ser instalado sem dificuldade em qualquer computador.
Por fim, o intuito principal não é transformar o Linux em um Windows e sim, introduzir os professores no mundo do software livre.
Como falei no vídeo, os computadores que eu vi são de fato muito bons, com um hardware descente para dizer o mínimo, então essa customização usando o XFCE como interface gráfico ficou com um desempenho estupendo, não obstante, existe o outro lado da moeda, computadores com um hardware ínfimo, como estes comentados pelo Philip, a pessoa que esclareceu os pormenores do projeto no texto acima, no qual esse sistema também deve rodar com um mínimo de velocidade.

Computadores com Linux nas Escolas do RS


Algumas pessoas criticaram o fato de ocorrer essa mudança visual, por mais que no final do texto tenha sido informado que o objetivo "não é transformar o Linux em um Windows" foi exatamente isso que foi feito. Uma aproximação visual. E quer saber?  Eu achei foi ÓTIMO!

Parabéns os desenvolvedores e parabéns ao estado que se dispôs em realmente pensar em quem vai usar o sistema, parabéns pela preocupação da real inclusão digital.

Computadores com Linux nas Escolas do RS


A maior parte das pessoas usa Linux todo o dia sem saber, direta ou indiretamente, este é mais um caso, porém, ainda resta um alerta que eu gostaria de fazer.

Do meu ponto de vista, quem desenvolveu o sistema pensando em aproveitar o conhecimento prévio está absolutamente correto, porém, é mais do que é óbvio que torna-se necessária uma capacitação dos profissionais que vão atender os alunos com aquele material, o visual ajuda mas não é tudo e isso é um ponto falho, o interessante seria dar um treinamento, de uma semana que fosse, para os professores das escolas para que os mesmos possam manipular essa tecnologia com maior eficiência.

Por várias vezes eu auxiliei os professores da escola em que eu capturei as imagens da matéria em tarefas relativamente simples no Libre Office, ou mesmo no GIMP, mostrando como instalar programas, etc. Investir no chamado capital humano, isso ainda falta um pouco.

Qual a sua opinião sobre o assunto? Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como instalar o World of Warcraft (WoW) no Ubuntu e outras distros Linux

Nenhum comentário

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Aprenda a instalar um dos games mais jogados no mundo no seu Ubuntu e jogo sem sair do Linux.

World of Warcraft no Ubuntu Linux

Aprenda a jogar o World of Warcraft no Linux


WoW é um dos games mais jogados do mundo mas ele só possui versões para Windows nativamente, porém, isso não chega a ser um grande problema, o canal Linux Facilitado produziu dois vídeos mostrando como instalar o game no Ubuntu e depois mostrando um breve gameplay, confira:



E aí, satisfeito? Bora jogar WoW no Linux?

Se você tiver alguma dúvida sobre a utilização do Wine e do PlayOnLinux confira este artigo clicando aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Ubuntu trabalha na compatibilidade com o Vulkan para concorrer com o DirectX 12

Nenhum comentário
Canonical começa a trabalhar a nova API para incorporar ao servidor gráfico no Ubuntu em busca de compatibilizar o sistema com o concorrente do DirectX 12.

Mir Ubuntu

Mir está sendo compatibilizado com o Vulkan


Boas notícias para quem gosta de jogar no Ubuntu, a Canonical iniciou os trabalhos para compatibilizar o servidor gráfico Mir com o Vulkan, a nova API gráfica que substituirá futuramente o OpenGL.
Saiba mais sobre o desenvolvimento do Vulkan, clique aqui.
Segundo a instituição Khronos, que mantém o desenvolvimento unificado do Vulkan, a Canonical além de adaptar a nova API para o Mir a participação da Canonical ajudará no porte do Vulkan para o Wayland também indiretamente.


Leia também:

As Steam Machines vem aí em Outubro, porém, até o momento não temos datas sobre o lançamento do Vulkan, sinceramente, espero que ele chegue logo, e você?

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




GIMPshop - A alternativa perfeita ao Adobe Photoshop

Nenhum comentário

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Conheça a nossa modificação do GIMP para deixar ele com a aparência próxima ao do Photoshop e com muitos recursos adicionados e veja também como instalar.

GIMPshop Diolinux

Conheça o GIMPshop do Diolinux


Hoje vamos lhe apresentar um projeto muito legal chamado de GIMPshop, ele é de nossa autoria e visa facilitar a vida de quem quer migrar do Photoshop para o GIMP assim como turbinar a sua experiência com o editor de imagens livre.

GIMPshop Diolinux

Os diferenciais do nosso GIMPshop


Os principais diferencias da nossa customização do GIMP são os temas escuros, ideal para quem passa várias horas por dia editando imagens (como eu), novo tema de ícones semelhante aos do Adobe Photoshop, mas pequenos para otimizar o espaço e monocromático por questão de design.

Na imagem acima você também vê o exemplo de alguns pincéis (Brushes) novos para o GIMP, são quase duzentos pincéis novos para você usar no editor.

Além disso a modificação implementa quase 4500 fontes novas que você pode usar no GIMPshop e também em outros programas que você queira.

Outra coisa que foi modificada é a posição das ferramentas e das teclas de atalho, tudo para deixar o mais parecido possível com com o Photoshop, evitando problemas na migração.

Download do GIMPshop do Diolinux e instalação


Até o momento o mod foi apenas testado no Ubuntu 14.04 LTS e no Ubuntu 15.04 funcionando perfeitamente, então caso você teste em outro sistema pode ser interessante você deixar aí nos comentários se funcionou ou não, em tese não deve haver problemas.

O Pack também é compatível com o GIMP 2.8 e esta foi a única versão que foi testado pelo Diolinux.

Para usar o mod é necessário ter o GIMP instalado no seu computador, no caso do Ubuntu basta procurá-lo na Central de Programas.

Download


Vamos lhe dar duas opções de Download:



Se você deseja baixar apenas as fontes consulte este endereço.

A instalação é simples, basta extrair o conteúdo do arquivo compactado para a sua home, como o exemplo no vídeo:


Obs: Com todos os recursos adicionados é normal o programa ficar mais pesado e demorar um pouco mais para abrir.

É isso aí pessoal, espero que seja útil, aproveitem!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




50 milhões são economizados no Banco do Brasil por conta do Software Livre

Nenhum comentário
Software Livre pode ser sinônimo de muitas coisas, tecnologia, comunidade, estudo, acessibilidade, confiabilidade, hackers que não tomam banho, entre outras coisas, mas certamente uma de suas boas características está a economia proporcionada, o Banco do Brasil sabe muito bem disso!

Banco do Brasil usa GNU/Linux

Banco do Brasil adota o Software Livre e economiza milhões


É sempre bom mostrar cases de sucesso quando se fala em software livre, na última edição do FISL ficamos sabendo desta mudança importante que aconteceu no Banco do Brasil e que é um verdadeiro exemplo para incentivar mais pessoas a fazer o mesmo em suas empresas e instituições.

Segundo as informações passadas no evento a migração para o Software Livre foi feita com muita calma e paciência e já dura mais de dez anos, desta forma foi muitíssimo tranquila, pelos informações passadas o processo começou ainda no início dos anos 2000 começando com servidores de Proxy baseados em Linux.

“Começamos de maneira tímida para vencer a desconfiança com a tecnologia que estava sendo apresentada. Tínhamos convicção da importância em utilizar software livre e iniciamos a mudança de cultura. O Banco do Brasil é o maior case de transformação. Hoje, temos números relevantes desta mudança”, explica Sena.
A instituição financeira conta com 130 mil estações BROffice.org,110 mil estações GNU/Linux, 44 mil terminais de autoatendimento com GNU/Linux, 7200 servidores com GNU/Linux. “Trabalhamos com Mainframe, arquitetura x86, spark. Dentro dele, tem participações Zlinux e o nosso sistema operacional majoritariamente é Suse. Temos Firefox em mais de 100 mil terminais, sendo um browser estável. Sem falar na infinidade de scripts para passar a camada do servidor para estação. Há processamento distribuído (HTML5, javascript, entre outros)”, conta Dini Agostinho, um dos membros do painel do Banco do Brasil do FISL.

Outros números expressivos da atuação do software livre no Banco do Brasil foram apresentados como o aumento de 2000% de documentos padrão ODF, mais de 80 mil documentos escritos de forma colaborativa, 300 tipos de softwares livre em uso e 15 prêmios de TI em software livre.

Banco do Brasil e o Software Livre


Uma das coisas que eu sempre comentei sobre a essa questão de migração para soluções abertas é que ela não pode ser feita de maneira muito drástica pois isso acaba frustrando os utilizadores, ela deve ser feita de forma gradual, migrando os formatos dos documentos,  a maneira de trabalhar. 

Um projeto do tamanho da estrutura do Banco do Brasil que tem mais de 200 anos de existência e é a maior instituição financeira da América Latina levou vários anos para uma adaptação plena, se você tem uma empresa de pequeno porte, tenho certeza que em 2 ou 3 anos tudo estará nos conformes.

Ainda da FISL o painel sobre o Banco do Brasil comentou que neste meio tempo o banco economizou mais de 50 milhões de reais e licenças proprietárias.

E aí, será que valeu a pena? Temos certeza que sim.

Até a próxima!


_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Nova versão do GCC tem 81 bugs corrigidos

Nenhum comentário

terça-feira, 21 de julho de 2015

O GCC, a coleção de compiladores do GNU está com um novo lançamento. Confiram aqui no Diolinux quais as suas novidades.

Lançado GCC 5.2

 O GCC é famoso por ser utilizado para compilar o Linux, e desde então sua popularidade vem aumentando. O GCC possui suporte as linguagens C, C++, Objective-C, Fortran, Java, Ada, e Go. Está disponível para as arquiteturas X86 (32 e 64 bits), ARM, IA32, MIPS e dentra uma pilha de outras.

Aqui no Diolinux já foi mencionado sobre o GCC no artigo "Os 18 melhores programas para você programar do Linux".

Noticia boa para quem ama programação e especificamente a coleção de compiladores do GNU, no dia 16 de Julho foi lançada a versão 5.2 do GCC, e traz consigo várias correções de bugs (81 no total) além de uma lista imensa de novos recursos. O GCC 5.2 é na verdade um bug-fix do GCC 5 que contem reparos importantes concernente a versão 5.1.


Dentre os novos recursos, podemos citar o suporte a novas linguagens como OpenMP 4.0, melhoramento no suporte a sistemas embarcados, melhoramento nos recursos do compilador C, suporte aos sistemas DragonflyBSD e FreeBSD para processadores ARM. Atualizações para bibliotecas padrões também ocorreram nessa nova versão e o uso do libgccjit que possui o recurso de construir o GCC como biblioteca compartilhada em dispositivos embarcados (embora esse recurso ainda está sendo mantido como experimental).

A lista completa sobre o que há de novo no GCC pode ser conferida no link abaixo. Também está disponível o link para o mirror do projeto GNU no link abaixo:
Link para download: https://gcc.gnu.org/mirrors.html
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Divulgue o seu canal no YouTube gratuitamente no Diolinux

Nenhum comentário

segunda-feira, 20 de julho de 2015

A equipe do Diolinux vai dar uma oportunidade muito bacana para quem está pensando em iniciar um canal no YouTube para falar sobre Linux ou que já tem um canal que envolve o sistema de alguma forma, vamos ajudar você a ser conhecido pelo público, e o que é melhor... GRATUITAMENTE!

Maratona de divulgação de canais

Vamos ajudar você à divulgar o seu canal


Se tem uma coisa que eu preso são parcerias, desta vez estamos querendo ajudar deliberadamente a você criador de conteúdo no YouTube e que usa Linux e tecnologias abertas para a produção do conteúdo de alguma forma, seja em qual setor você use.

Se você usa alguma distro Linux, algum editor de imagens livre como o GIMP ou usa algum editor de vídeo que roda no Linux também, em fim, se você usa Linux em algum momento da produção dos seus vídeos essa maratona é para você!

Divulgação


A ideia é mostrar para as pessoas o seu canal em um vídeo especial no canal do Diolinux juntamente com outras pessoas que se cadastrem para isso, a possibilidade de cadastro ficará aberta durante cerca de uma semana para que posteriormente um vídeo com os canais cadastrados seja postado.

Obs: É necessário estar logado com a sua conta Google para poder preencher o formulário, caso você não consiga visualizá-lo entre neste endereço e logue-se com a sua conta.

Vamos fazer o Linux acontecer no cenário de tecnologia brasileiro!


Aguardamos a sua participação, outra coisa importante é compartilhar para chegar até pessoas que você sabe que elaboram um bom trabalho no YouTube e que envolvem o Linux no projeto em algum nível.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Conheça o novo Design de ícones do Ubuntu

Nenhum comentário
O Ubuntu pode receber um novo conjunto de ícones monocromáticos para os seus próprios lançamentos, confira como eles estão ficando.

Ubuntu new monochromatic icons

O Design dos ícones do Ubuntu está prestes à receber uma atualização?


A página de design da Canonical apresentou recentemente as imagens conceituais de novos ícones que deverão ser utilizados em versões futuras do Ubuntu no Desktop e em sua versão para Smartphones também.

Confira o novo design:

Novos ícones do Ubuntu

Novos ícones do Ubuntu

Novos ícones do Ubuntu

Novos ícones do Ubuntu

Novos ícones do Ubuntu

Novos ícones do Ubuntu

Novos ícones do Ubuntu

Novos ícones do Ubuntu

Estes ícones obviamente não são os ícones das pastas, que acredito que também mereçam uma repaginada, mas já um começo, estes são ícones utilizados na lateral do gerenciador de arquivos e também na área de aplicativos e indicadores.

Os ícones foram apenas mostrados, não há por enquanto qualquer anúncio ou previsão de quando eles serão  implementados, fique ligado aqui no Diolinux que nós lhe avisaremos quando houver alguma novidade.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como configurar um SSD no Ubuntu? Simples, liga e usa.

Nenhum comentário
Os dispositivos de armazenamento sólido, os SSDs, são o sonho de consumo de muitas pessoas, eles ainda são um pouco caros mas seus valores tendem a cair com o passar do tempo, eles são capazes de fornecer um excelente desempenho para o seu computador e muita gente pode se perguntar, é preciso configurar alguma coisa para usar ele no Ubuntu?

SSDs no Ubuntu

Dicas para usar um SSD no Ubuntu


Objeto de desejo de muitos, os SSDs são às alternativas aos populares HDs mecânicos, populares nos computadores da população. As pessoas gostam da ideia de ter um SSD no computador especialmente por conta da velocidade de transferência de dados do equipamento, isso torna o uso do computador muito mais ágil do que com um hard disk convencional.

O Ubuntu e o TRIM


O TRIM é um recurso que muitas pessoas que usam Linux preocupam-se em ativar para melhorar a vida do SSD, ele é um comando que permite que o sistema operacional informe ao SSD que os blocos de dados outrora ocupados, estão agora livres para serem reutilizados com novos dados. TRIM é escrito assim, em maiúsculas, mas não é um acrônimo. É apenas um comando.

Para os preocupados, segundo o Ask Ubuntu, à partir da versão 14.04.2, a LTS atual, e superiores o TRIM já vem habilitado por padrão, ou seja, é ligar e usar. Se você usa outra distribuição Linux é interessante verificar na documentação do sistema qual a configuração do sistema à este respeito. Para versões mais antigas do Ubuntu, no caso a outra LTS, 12.04 é necessário ativá-lo, mas acredito que poucos usuários domésticos o usem hoje em dia.

Dicas para quem quer usar um SSD no Ubuntu (ou outras distros)


Apesar de ser basicamente "ligar e usar", ainda podem restar algumas dúvidas para a utilização de um SSD no Linux, pois na hora de instalar um sistema Linux nós temos muitas opções de sistemas de arquivos, partições para criar, configuração de SWAP, etc. Com tudo isso algumas dúvidas podem surgir, então aqui vão algumas sugestões.

Sobre os sistemas de arquivos, basicamente qualquer um dos principais usados nas distros Linux atualmente funcionam corretamente com os SSDs, então você pode escolher de acordo com o seu gosto entre: Btrfs, Ext4, XFS ou JFS.

Existem também sistemas de arquivos especiais que foram desenvolvidos e otimizados para os SSDs, como por exemplo o F2FS, desenvolvido pela Samsung, ele é open source.

tools F2FS


SWAP - A ideia não é explicar sobre a partição de SWAP aqui, se você não conhece muito bem a função dela ou para que ela serve pode ser interessante você ler este artigo aqui, no que tange o seu uso em um SSD não é realmente a melhor opção colocá-la no SSD, uma vez que ela é uma partição que sofre de uma escrita constante.

Apesar dos SSDs terem uma vida útil menor que a de um HD convencional pode acreditar que eles vão durar o suficiente para você mudar de computador "umas 10 vezes", à menos que aconteça, alguns modelos da Kingston (os quais eu consultei) suportaria a escrita de 40 GB diários por mais de 100 anos, ou seja, você estará bem servido.

Desta forma colocar a SWAP no SSD não é o ideal, mas pode ser feito, se você não quiser usar a SWAP ali é interessante colocar uma área de troca da memória (caso você tenha de sobra) com o zRAM, você pode saber mais disso por aqui.

Particionamento - Uma das grandes vantagens de poder usar um SSD no Linux em comparação com o Windows é a possibilidade da separação das partições de maneira minuciosa.

Se você tem um HD e pretende usar um SSD em conjunto pode ser uma boa ideia particionar o sistema da seguinte forma:

/ no SSD (partição raiz no SSD)
/home no HD (partição do usuário no HD)

Neste modelo você não irá aproveitar a velocidade total do SSD mas além de aumentar a vída útil do dispositivo você ainda não precisará de um SSD muito grande, acredito que com 40 GB na raiz você poderá instalar tudo e mais um pouco, ou seja, com um SSD de 40 GB no Linux utilizando o /home num HD em separado você pode dar um upgrade no desempenho do computador sem gasta tanto, uma vez que você não precisa comprar um SSD com muitos Gigas.

Espero que você tenha esclarecido algumas dúvidas, até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo