Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador Noticia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Noticia. Mostrar todas as postagens

SUSE fecha parceria com Lenovo

Nenhum comentário

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

A Lenovo, multinacional chinesa de tecnologia, alterou seus ambientes SAP que funcionavam com sistema UNIX e passou a adotar a tecnologia da SUSE, empresa pioneira em soluções enterprise open source.

SUSE fecha parceria com Lenovo





Esta alteração rendeu à companhia a redução de custos globais e dos workloads em 50%, diminuição de meses de trabalho por ano, com a melhoria da performance utilizando SUSE Linux Enterprise server 4 SAP Applications, único Linux otimizado para ambientes SAP, além do aumento do suporte global através da utilização de uma plataforma empresarial purpose-built.

Além da adoção bem-sucedida do SUSE for SAP pela Lenovo, as companhias mantêm uma aliança muito forte para ofertas em conjunto, parceria que vem crescendo em ritmo acelerado. Os negócios realizados por SUSE e Lenovo cresceram 25% no primeiro trimestre de 2017 em relação ao ano passado. Ao investir nas ofertas em conjunto com a SUSE, a Lenovo agregou mais valor às suas soluções para ambientes de missão crítica de seus clientes, por exemplo com o SUSE Enterprise Storage (Software-defined Storage), SUSE High Availability (Alta disponibilidade) e SUSE Live Patching (Correção para o Kernel Linux sem reboot), pois no mundo dos negócios nenhuma empresa quer pagar pelo tempo em que seus sistemas ficam inativos ou tenha perda de dados.

“Acreditamos que essa parceria trará muitos benefícios, pois o futuro das empresas certamente passará por uma adoção maior das inovações em infraestrutura de TI baseadas em ambientes SAP e, é neste cenário que pretendemos solidificar a nossa parceria com a Lenovo”, afirma Sergio Toshio, VP e General Manager da SUSE na América Latina.

A partir dessa parceria a Lenovo pretende tornar-se um parceiro ainda mais confiável para os seus clientes em Datacenter e conta com a SUSE em um papel importante e estratégico para a melhoria com soluções inovadoras, neste momento de transformação digital.

Marco Giordano, lider de Serviços da Lenovo Global no Brasil está confiante nos resultados dessa união: “Essa parceria propicia uma excelente alternativa para nossos clientes para superar seus  desafios de transformação digital. Servidores e Serviços Lenovo combinados com com as soluções de infraestrutura Open Source da SUSE, oferecem soluções confiáveis, de alto desempenho e interoperabilidade para a ambientes enterprise”.

Keep going SUSE! :)

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Lançado Ubuntu 17.10 Artful Aardvark, faça o download agora!

Nenhum comentário
A versão mais "diferente" do Ubuntu nos últimos anos acabou de sair. Depois de aproximadamente 6 meses de desenvolvimento, o Ubuntu 17.10 Artful Aarvark está disponível para download gratuito, confira as novidades:

Ubuntu 17.10 Download





Essa certamente é uma edição marcante do Ubuntu, assim como foi a 11.04 (uma das primeiras que usei), que trouxe o ambiente Unity pela primeira vez para o sistema, a versão 17.10 marca a volta do ambiente GNOME para o Ubuntu.

Se você acompanha o canal e o blog com frequência deve ter visto que cobrimos as principais novidades da versão, se você não viu e vai baixar o sistema pela primeira vez depois de usar por dois anos o Ubuntu 16.04 LTS, amigo...  (ou amiga), você terá uma grande "surpresa"!


A nova aparência


O GNOME Shell é o mesmo que você encontra em outras distros, como Fedora, Manjaro, Debian, etc., no entanto ele tem um visual um pouco diferente por conta da temática e de algumas extensões.

Ubuntu 17.10

Não entenda mal, continua sendo o GNOME Shell, mas ele tem um "feel" de Unity ainda. Isso deve acontecido devido a pesquisas que a Canonical fez com os usuários para que os mesmos se manifestassem quanto a extensões para o GNOME Shell e características que gostariam de ver no novo Ubuntu.

O resultado disso foi um GNOME Shell que tem uma barra translúcida na esquerda da tela (que pode ser mudada para baixo ou para a direita), que lembra um pouco a aparência do Unity, mas com o lançador na parte inferior, ao invés de em cima, como era na antiga interface padrão. Falando ainda desta barra, ela contém contadores e barras de progresso sob os ícones que indicam que alguma tarefa está em andamento, como uma atualização, um download ou uma movimentação de arquivos.

Na parte superior do painel nós temos um adaptação para que sejam exibidos os indicadores na barra superior, o GNOME Shell por padrão os mostrava no canto esquerdo inferior (lugar estranho!), fazendo com a experiência de uso seja, novamente, mais semelhante ao que tínhamos com o Unity.


Os temas "Ambiance" e "Radiance" foram adaptados para o GNOME Shell (que agora está na versão mais recente atualmente, a 3.26). Entretanto, apesar de ter "ficado com cara de Ubuntu", eu percebi que estes temas não possuem aquela variação escura que o tema Adawaita, padrão do GNOME, possui, o que impede que determinadas aplicações mudem o seu visual. Fora isso, bem, a crítica de muitos anos, o tema precisa ser atualizado. Quer um exemplo que nem precisa de tanto esforço para compreenção?

-  Este é o Ubuntu 17.10 original com o tema GTK "Ambiance" e ícones "Ubuntu Mono Dark".


-  Este é o Ubuntu 17.10 com o tema GTK alternativo de cores mais claras, "Radiance" e ícones "Ubuntu Mono Light".


E que tal se fosse assim?

Tema Ubuntu

Eu sei, bem melhor, né? Este é o tema "United Darker" em conjunto com o tema de ícones "Diolinux Paper Orange", que eu modifiquei à partir do tema Paper. Aliás, se você adicionar a extensão ao GNOME Shell que permite que você carregue temas para o Shell do seu diretório pessoal e colocar o United nele também, ele fica bem parecido com o visual do Unity 8 para tablets, se liga só:

Ubuntu 17.10 tema United

Confira no vídeo mais detalhes sobre o tema do Ubuntu, incluindo a tela de Login:



Mas agora chega de falar dos temas, o Ubuntu 17.10 traz muitas coisas novas também no sistema operacional em si.

Um novo GNOME, com novos recursos


Agora que o Ubuntu voltou a usar um GNOME "mais puro", se comparado ao Unity, os desenvolvedores do Ubuntu GNOME e os da Canonical se juntaram ao time de desenvolvimento do próprio GNOME, criando uma comunidade maior, de modo que os benefícios, modificações e novidades que o projeto GNOME Shell introduzir no GNOME padrão, o que podemos chamar de "GNOME Vanilla", em tese, o Ubuntu deve aproveitar também (assim como todas as distros). 

Antigamente os patches que eram aplicados nos softwares GNOME que rodam no Unity inviabilizavam o sistema de ter as últimas versões desses aplicativos, com um desktop "full GNOME", esse problema não existe mais e o Ubuntu deve se manter sempre atualizado em relação a isso. Uma das novidades que chegaram no GNOME 3.26 (que acompanha a distro) é o novo painel de configurações, confira:


Esse novo visual dividiu opiniões, mas no fim das contas, até o novo KDE Plasma 5.11 aderiu a ele, então... paciência.

Tivemos novas implementações da GNOME Software, ou simplesmente "Programas", como é traduzido em português do Brasil, ou ainda, loja de aplicativos, como todo mundo chama. Nela você encontra os pacotes Snap, que crescem em variedade e qualidade a cada mês, para poder instalar à um clique de distância (literalmente) e que agora não exigem mais login na Snap Store. Ativar suporte aos pacotes FlatkPak é igualmente simples, basta ativar um plugin na própria GNOME Software.

- Saiba mais sobre os Snaps e como eles podem mudar a vida de todas as distros.

- Talvez você se interesse também em ler sobre os pacotes flatpak.

Dentro da GNOME Software eu gostaria de chamar a atenção para uma categoria específica que já existe há algum tempo, mas raramente vejo alguém comentado, a sessão "complementos".

Ubuntu Gnome Software 17.10

Clicando nessa opção você tem uma série de coisas interessantes:

1 - Um local para instalar codecs de áudio e vídeo de forma simples, basta clicar neles e clicar no botão "instalar".


2 - Um gerenciador de drivers (Yeah baby!) que, by the way, me mostrou um driver Intel que eu poderia instalar no meu Ultrabook que nunca tinha mostrado antes. Bacana.


Aqui vale observar também que apesar de ser possível instalar drivers por aqui (aparentemente), o aplicativo tradicional do Ubuntu de gerenciamento de drivers, repositórios, e PPAs em modo gráfico continua no sistema, basta procurar no Dash por "Programas e atualizações", ou clicar em "Programas" na barra superior quando a central de aplicativos estiver aberta e ir para a mesma opção.

3 - Temos também um local para você configurar as extensões do GNOME sem precisar o GNOME Tweak Tool. Esse modo te dá muito menos opções de configurações, então caso você queira "fazer um estrago", é melhor utilizar o GNOME Tweak Tool ainda.

Desta três extensões abaixo, as primeiras duas são nativas do Ubuntu e criam o comportamento da Dock que originalmente fica do lado esquerdo e os ícones indicadores que eu comentei mais acima no artigo.


4 - Você também pode gerenciar fontes por aqui, instalar algumas, remover outras. É um recurso bacana, sem dúvida. Ainda não muito completo, mas é um começo.


Vale mencionar que o aplicativo "fontes" continua vindo com o sistema, então você pode instalar fontes que você baixar da internet por ele como sempre fez.

Aplicativo de fontes do Ubuntu

5 - Temos também uma forma simples de instalar novos métodos de entrada de teclado. Algo que raramente mechemos no dia a dia, pois o sistema tente a ajustar estas funções na própria instalação, mas, aqui está caso você queira brincar com isso.


Debaixo do capô


Depois disso, podemos descer mais ao nível "molecular da coisa". O novo Ubuntu vem com Kernel Linux 4.13.x, Mesa 17.2.x, driver Nvidia 384.x (com outros para placas diferentes, como o 375), Snapd 2.28.x, AMDGPU 1.4 (que acompanha o X.org), driver Intel 1.8.3.x para placas HD Graphics e versão 2:2.99.x para chips mais antigos.

Apesar do driver Nvidia ser relativamente novo, eu utilizo e recomendo o PPA de drivers Nvidia para quem quiser ter sempre acesso a última versão assim que ela for lançada e até mesmo a drivers beta para fazer testes. Minha GTX 1060 agradece.

Outra coisa importante para você saber é que essa versão do Ubuntu já não terá mais suporte para arquiteturas de processadores de 32 bits, ou seja, se você pretende usar o Ubuntu em processadores antigos, o Ubuntu 16.04 LTS continua sendo a sua opção até 2021. No entanto, alguns flavors oficiais do Ubuntu ainda continuarão lançando ISOs de 32 bits, como o Lubuntu, Xubuntu, Kubuntu, Ubuntu MATE e Ubuntu Budgie, o Ubuntu Server já é só 64 bits, mas possui também suporte para arquiteturas ARM64 e PPC64el. 

Esse tipo de mudança é natural, conforme o tempo passa até mesmo os computadores "antigos" serão 64 bits, contudo, algumas distribuições que tem foco em rodar em computadores "realmente antigos" deverão manter o suporte, o Lubuntu, entre outras, é uma forte candidato a isso, e nós sabemos o quão milagroso o Lubuntu pode ser.

Outro demonstrativo legal pra você ver é este da utilização em telas touch screen. Isso mostra o quanto o Kernel do Ubuntu (e o GNOME Shell) estão consideravelmente bem em suportar hardware que não foi especificamente desenvolvido para eles:


Por último, mas não menos importante, agora nós temos o servidor gráfico Wayland no lugar do X.org como padrão, exatamente, como padrão! Mas não se incomode, como mostrei nos vídeos anteriores, você pode facilmente mudar de um para o outro diretamente na tela de login do Ubuntu através de um ícone de engrenagem. 

E por que você mudaria?

 Bom, a verdade é que o Wayland ainda não é maduro o suficiente para lidar com algumas aplicações, que podem simplesmente não abrir, mas acima de tudo, se você precisa de drivers proprietários, como os da Nvidia, há uma grande chance do Wayland não funcionar ainda, pra isso o bom e velho X.org está lá. Aliás, se você instalar um destes drivers o próprio Ubuntu vai remover a sessão Wayland da tela de login para evitar que você tenha problemas.

Outra pergunta inevitável é: Se o Wayland ainda não está plenamente funcional, por que colocar ele na distro? Ainda mais como padrão!

Eu te explico: O Ubuntu 17.10 faz parte do que a gente pode chamar de versões transicionais entre as versões de longo suporte, também conhecidas pelo termo de LTS (Long Term Support), essas versões intermediárias tem suporte reduzido (8 meses) se comparado com as LTS (que tem 5 fucking anos!), nestas versões são normalmente testadas novas tecnologias que podem (ou não) ser implementadas nas futuras LTS.

A próxima LTS do Ubuntu sai em Abril de 2018, o Ubuntu 18.04 LTS ainda não tem um nome, mas ele será a primeira LTS que virá com GNOME Shell e como as mudanças foram muito drásticas, é melhor testar muito. Se  você quer uma LTS mais sólida, ajude a testar o Ubuntu 17.10 e reporte bugs. Pode ser que essa fase intensiva de testes onde muitas pessoas vão tentar utilizar o Wayland ajude ele a evoluir mais rápido, o que é bom para todas as distros, não somente o Ubuntu.

E o Unity?


Ele foi deixado parcialmente de lado. O Unity funciona de uma forma diferente do GNOME Shell, usa outro compositor de janelas, o Compiz, e depende de uma série de ajustes (que não serão feitos provavelmente) para adaptar a interface ao novo GTK do GNOME que a versão padrão agora usa. Isso permite que quem quiser possa instalar o Unity através do repositório, mas também indica que experiência não vai ser tão polida.

Não vejo muito interesse em torno disso, mas daqui a pouco pode ser que exista uma versão "Remix" do Ubuntu com Unity, assim como temos com outras interfaces, como o XFCE, KDE Plasma, etc.

Será que seria o nascimento do "UUbuntu" (bizarro)? :D Provavelmente se tiver vai ser Ubuntu Unity, ou Ubuntu Unity Remix.

Apesar dos pesares, a árvore do projeto Unity tem dois galhos. Um se refere ao Unity 7 que utiliza o Compiz, o outro é o Unity 8, feito pensado na convergência entre dispositivos e praticamente escrito todo com Qt, ao invés de GTK, esse ganhou um apoio mais forte da comunidade por ser utilizável em Smartphones e segue através de um fork/continuação chamado Yunit, então se você tem interesse do Unity 8, fique ligado neste projeto.

Download


Agora que você já sabe tudo que é preciso saber sobre essa nova versão, é hora de baixar o novo Ubuntu 17.10 Artful Aarvark. O download do sistema está disponível apenas para máquinas de 64 bits em download direto ou torrent com todas as novidades comentadas. Aproveite:

Baixe também (32 e 64 bits, download direto e torrent):

- Ubuntu Server 17.10
- ISOs com código fonte do Ubuntu

Mais downloads aqui (incluindo torrent).

Agora é a sua vez de participar!

Se não for pedir muito, compartilhe este artigo (que deu uma trabalheira para produzir) com os seus amigos e interessados, teste o novo Ubuntu e nos diga o que achou nos comentários abaixo.

Quais as características que você mais gostou? Quais você não curtiu? Participe!

Até a próxima e bons downloads.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



SoftMaker Office 2018 chega para Linux com interface "Ribbon"

Nenhum comentário
Para as pessoas que gostam da interface Ribbon do Microsoft Office, porém, gostariam de utilizar um suíte no Linux, uma das principais alternativas atualmente é o WPS Office, além é claro, do modo "Ribbon" do próprio LibreOffice, contudo, isso pode ainda não ser o suficiente para você, por isso é hora de ver uma prévia do novo SoftMaker Office 2018.

Softmaker Office 2018 Ribbon






Não é a primeira que falamos sobre o SoftMaker Office aqui no blog, ele já havia sido mencionado como alternativa em outra oportunidade, no entanto, o seu apelo visual era relativamente baixo.

Hoje os desenvolvedores da suíte entraram em contato com o blog para nos informar do lançamento da nova versão, também nos deram uma chave do beta fechado para que a gente pudesse dar esta prévia para vocês, então, fica aqui o nosso muito obrigado pela oportunidade.

Pelo que eles nos informaram, as duas grandes novidades da versão são essa interface "Ribbon" e a compatibilidade ampliada para arquivos do Microsoft Office, eu até fiz alguns testes com planilhas com Macros e não tive maiores problemas, mas pode ter sido sorte ou algo do tipo, então eu incentivo que vocês testem, assim que o programa estiver disponível, para que possamos ter uma noção melhor e depois postem o feedback de vocês nos comentários deste artigo.

O Softmaker Office


Esta suíte possui, assim como o WPS Office, apenas 3 softwares, o TextMaker, equivalente ao Microsoft Word, LibreOffice Writer, etc.

Softmaker Office TextMaker 2018

A aplicação de planilhas é chamada de PlanMaker, e seria o equivalente ao Microsoft Excel e ao LibreOffice Calc:

PlanMaker Sofmaker Office

A aplicação de apresentações chama-se "Presentations", e é a alternativa ao Microsoft PowerPoint e ao LibreOffice Presentation:

Softmaker Office Presentations


Ao abrir qualquer um dos programas pela primeira vez também é possível escolher o esquema de cores desejado:

Configurações de temas do Softmaker Office 2018 Ribbon

A versão 2018 ainda não está disponível para download do público, mas ela deve estar em breve, enquanto isso você pode testar a versão 2016 e saber mais informações no site oficial.

É interessante saber que em breve teremos mais uma alternativa interessante disponível. Fique ligado aqui para acompanhar novidades.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Prepare-se para a certificação Linux por apenas R$ 49!

Nenhum comentário

quarta-feira, 18 de outubro de 2017


Profissionais de TI em todo o mundo já sabem que experiência e conhecimento são imbatíveis no setor de tecnologia. Mas como se destacar em uma área que hoje emprega mais de 1 milhão de pessoas no Brasil? A resposta está nas certificações de TI, que são selos internacionais que comprovam a habilidade do profissional em diversas áreas do conhecimento. Estas certificações geralmente aumentam (e muito) o salário e geram muitas oportunidades. E para a alegria dos fãs do Linux, o curso online preparatório de algumas das certificações mais requisitadas do mercado está com mais de 80% de desconto!

Certificação Linux Curso Udemy






Seu próximo passo Profissional


As certificações LPIC-1 (Linux Administrator) e CompTIA LInux+ são muito valorizadas e reconhecidas internacionalmente por credenciar o profissional como um Administrador de Sistemas Linux. São duas provas distintas mas o conteúdo é o mesmo e curso online da Udemy já é uma referência por ter preparado mais de 3 mil profissionais a conseguir este importante destaque no currículo. 

O acesso ao conteúdo é vitalício e não há mensalidade. Todo o curso é apresentado em tópicos demonstrados de maneira prática. Você verá a utilização e os retornos de cada comando diretamente aplicados em uma máquina Linux e poderá reproduzir e testar em sua própria máquina de estudos. E mesmo que seu computador não tenha o Linux, será mostrado o passo a passo para criar uma máquina virtual do sistema que pode rodar do Windows ou Mac. 

Udemy: A referência em cursos online


Esqueça as mensalidades. Com a Udemy, você paga apenas uma vez no boleto ou cartão e pode acessar o curso (e todas as atualizações) para sempre. E o melhor é que você pode fazer os cursos no seu próprio ritmo, do dispositivo que quiser e até mesmo offline. Pode ter certeza, os melhores cursos online estão na Udemy. Já são mais de 18 milhões de alunos em todo o mundo.

Aproveite a promoção (os cupons são limitados). De R$ 295 por apenas R$ 49!

*Este artigo foi um apoio de Udemy, clique aqui e conheça.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conheça o Emmi Linux, uma nova distribuição Linux brasileira

Nenhum comentário

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

É muito interessante ver o os brasileiros buscando desenvolver projetos relacionados a software livre, recentemente eu anunciei aqui a volta do Big Linux, que volta a fazer parte do "time" de distros nacionais. Além dele, temos o Metamorphose Linux, o DuZeru e o GoboLinux, que já são mais conhecidos, porém, recentemente um novo projeto começou a chamar a nossa atenção. Conheça hoje o projeto Emmi Linux.






O Emmi Linux é uma distribuição baseada no Debian que possui o ambiente gráfico XFCE com várias modificações temáticas e muitos softwares adicionais, vários deles desenvolvidos pela equipe Emmi. Atualmente ele é distribuído gratuitamente de duas formas, ainda que seja possível comprar o CD/DVD de instalação também, uma das versões é a chamada versão mínima, nela você terá somente o básico do sistema com a interface juntamente com o repositório do Debian e do Emmi Linux também. A versão completa é destinada para usuários comuns e vem recheada de softwares úteis para o dia a dia dos usuários, não fazendo distinção entre softwares proprietários e livres.

Os dos softwares interessantes é o Fish Shell que acompanha a distro, segundo os desenvolvedores, este seria uma forma mais interativa e simples para leigos utilizarem o terminal.

A versão atual é a 2.2 de codinome "Sid", fazendo referência à Sidney Weber, e está disponível apenas em ISOs de pouco mais de 2 GB de tamanho para processadores de 64 bits.

Existem vários projetos sendo desenvolvidos para o Emmi Linux, através do site oficial você pode acompanhar o desenvolvimento da distro, recentemente foram publicados novas informações sobre recursos que virão na versão 2.3, que ainda não tem data de lançamento, como novos controladores de áudio e um novo Menu para o XFCE.

Emmi Linux
Preview do novo Menu do Emmi Linux

Este é mais um projeto nacional para ficarmos de olho e acompanharmos a evolução, seria ótimo ver um sistema brasileiro despontando para o mundo, quem sabe não é o Emmi?


Você encontra mais referências sobre a distro aqui:

- Twitter 
- Youtube 

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


A volta do Big Linux: Distro brasileira agora conta a interface do Deepin

Nenhum comentário

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Fico feliz em ver projetos queridos pelas pessoas voltando a ativa, ainda que, como no caso do Big Linux, eles tenham se remodelado de uma forma drástica, agradando a muitos e desagradando a outros tantos. Vamos falar sobre a volta do Big Linux para o mercado.

Big Linux 2017





O anúncio da volta do Big Linux, cheio de bom humor, surgiu nesta página pertencente ao domínio principal do sistema, nesta mesma página você pode fazer o download do novo Big, como é chamado pelos usuários. O último lançamento da distribuição Linux brasileira foi em 2012, onde ainda utilizava o KDE Plasma como desktop principal.

O principal desenvolvedor do projeto, Bruno Gonçalvez (A.K.A. Big Bruno) explicou detalhadamente os motivos do afastamento anterior do projeto, os motivos para a volta e a nova proposta com a nova base e as novas interfaces (sim, no plural), através de um post no fórum oficial da distribuição.

Você pode conferir o nosso vídeo mostrando a prévia da versão 7.10 RC do Big Linux logo abaixo; agora ele conta com o Deepin Desktop Enviroment e com o Cinnamon Desktop na mesma ISO:



Foi notável a quantidade de pessoas que sentiam falta do Big Linux e se manifestaram de forma positiva na internet quanto a volta da distro. Claro que este é só o primeiro lançamento, então podemos esperar melhorias no futuro da distro, que agora é baseada no Deepin Linux, que por sua vez baseia-se no Debian. Na verdade, o novo Big Linux Trioxin está apenas em sua versão RC (Release Candidate), o que significa que ainda faltam alguns ajustes até o lançamento final ainda não previsto.

Para conhecer as novidades, diferenciais, um pouco da história e da perspectiva passada e futura da distro eu recomendo que você leia o post do Bruno, apenas para reforçar.

O que você achou da volta do Big Linux?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


O blog não morreu! (Nota de NÃO falecimento)

Nenhum comentário

sábado, 7 de outubro de 2017

E aí pessoal, tudo certo?  Fazia um bom tempo que eu não publicava aqui, mas especificamente 10 dias, o que é algo absolutamente incomum e que, sinceramente, não me recordo de ter acontecido em cerca de 6 anos de blog Diolinux, mas aqui vai uma chuva de boas notícias para você e um belo motivo para este hiato.

O blog nao acabou






Sem muita enrolação, o blog está parado por que eu estou extremamente atarefado. Pois é, eu tenho uma montanha de novidades, tutoriais e artigos para publicar aqui no blog, mas acabei me dedicando nos últimos dias a uma produção massiva e incessante de vídeos para o canal, se você acompanha o canal Diolinux com frequência, deve ter visto este vídeo:


Outubro está sendo louco mesmo. Nos últimos 7 dias eu gravei e editei cerca de 16 vídeos, a maioria ainda não foi para o canal e ainda tenho mais uns 10 pelo menos por fazer. Tudo isso está acontecendo devido a vários eventos para os quais o nosso projeto foi convidado. 

Fico muito feliz em fazer parte de todo esse movimento, mas caramba! É mais cansativo do que eu imaginei...

Recentemente estivemos em SP no fórum da Red Hat, onde entrevistamos vários líderes da empresa, incluindo o presidente, o Gabriel foi lá para o evento fazer a cobertura em nome do Diolinux enquanto eu participei de dois eventos Tchelinux, nas cidades de Bento Gonçalves e Erechim, no RS. Teremos vídeos em breve sobre todos eles, assim que eu conseguir editá-los.

Além disso, a correria se deve ao fato de que eu estarei viajando à partir da metade deste mês, indo participar da Campus Party de Pato Branco e logo em seguida da Latinoware, onde ministrarei a minha palestra "Dossiê dioLinux", em Novembro estarei na universidade Ulbra, em Carazinho, no RS, para fazer a mesma apresentação. Por conta da viagem eu vou ter que adiantar um pouco mais de uma dezena de vídeos para manter o canal na ativa.

Pretendo gravar coisas bacanas em todos os eventos que eu for, entrevistas, takes, coisas novas e muita informação, então até mesmo quem não puder comparecer nas ocasiões vai sentir como se estivesse lá, pelo menos, um pouco. :)

Como a viagem é à trabalho, eu espero poder trabalhar no blog nestes dias onde não precisarei editar os vídeos para o canal, dividindo meu tempo com a cobertura dos eventos, então aos poucos as postagens diárias aqui devem voltar também.

Instagram.com/dionatan_simioni


Um dos lugares que eu acabei ficando mais ativo nos últimos dias é o Instagram, você pode me seguir lá, sempre tem fotos e vídeos dos bastidores e das coisas que nós estamos aprontando para vocês, incluindo os spoilers dos futuros vídeos do canal, assim ficamos mais próximos e você sempre vai saber o que está acontecendo. :)

Bom, vou me despedindo aqui e vou voltar para a edição de vídeo, grande abraço e até breve!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Microsoft e Canonical criam Kernel Linux customizado para o Azure

Nenhum comentário

terça-feira, 26 de setembro de 2017

As imagens do Ubuntu que rodam dentro do Microsoft Azure agora poderão rodar um Kernel especial projetado por desenvolvedores de ambas as companhias para obter recursos especiais de otimização.

Ubuntu no Microsoft Azure





O Kernel Linux personalizado é plenamente compatível com o Ubuntu 16.04 LTS, que é a versão mais utilizada dentro do Azure atualmente. O novo Kernel receberá o mesmo nível de atenção da equipe da Canonical quanto a manutenção e suporte, porém, ainda não está compatível com o "Canonical Livepatch Service".

Este Kernel especial tem a capacidade de oferecer um desempenho otimizado no Azure A8, A9, série H e NC24r, com suporte total para o "Accelerated Networking" da Microsoft, o que garante uma maior velocidade na rede por conta do acesso direto aos dispositivos PCI. O Kernel do Ubuntu para o Azure também é mais enxuto, com 18% menos de tamanho e ainda assim mantendo um suporte excelente para Hyper-V.

Este será o Kernel padrão de toda as instalações do Ubuntu no Azure de agora em diante, entretanto, ainda será possível usar o Kernel padrão, caso o usuário deseje.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Sobre o caso da Universidade leiloada por conta de dívida com a Microsoft

Nenhum comentário

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Recentemente tivemos um caso de pirataria no Brasil que chamou a atenção, uma universidade do Rio de Janeiro teve de ser leiloada para pagar uma dívida de pirataria do Windows à Microsoft.

Universidade leiloada






A Universidade Cândido Mendes teve de ser leiloada por conta da pirataria do sistema operacional da Microsoft praticado na instituição. O processo arrastava-se desde os anos 2000. O prédio – localizado em Ipanema, Zona Sul da cidade do Rio – foi oferecido pela própria Universidade como garantia de pagamento da dívida de R$ 42 milhões com a Microsoft, que processou a instituição há 17 anos pelo uso de cópias pirata do Windows. Porém, após inúmeros acordos, um valor de R$ 4,3 milhões relativo a honorários de advogados ainda ficou em aberto

Confira abaixo o vídeo sobre a minha opinião em relação ao caso, considera este um aviso também para os empreendedores, talvez seja hora de planejar as empresas levando em consideração também a infraestrutura de software e não apenas de hardware.


Conto com você para levar essa informação para outras pessoas que podem estar criando problemas futuros por conta de situações parecidas.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conheça a nova "Central de Aplicativos" do Manjaro Linux/Antergos/Arch

Nenhum comentário

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Recentemente o gerenciador de pacotes do Arch e seus derivados, PAMAC, recebeu um pequena, porém importante, atualização e acrescentou um visual mais intuitivo e fácil de se utilizar.

Manjaro Linux novo PAMAC





A nova mudança vai tornar o Manjaro, Antergos (e relacionados) muito mais simples para usuários domésticos, com simples botões para instalar e remover os programas, sem necessidade alguma da utilização do terminal. Nós produzimos um vídeo para mostrar te como funciona o novo PAMAC, confira:



O que você achou da atualização?
Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Lançada nova versão do Vivaldi Browser, confira a novidades

Nenhum comentário
O excelente navegador de internet Vivaldi recebeu uma atualização interessante que trouxe uma série de novidades, especialmente para PRO users!

Vivaldi Browser





A versão 1.12 do Vivaldi está disponível para download, com ela os desenvolvedores lançaram uma série de novas funcionalidades, dentre elas:

- Funções avançadas para detalhamento de imagens

-  Gerenciador de downloads aprimorado

- Controle de saturação para páginas

Confira o vídeo demonstrativo:


Você pode baixar o novo Vivaldi através do site oficial, se você já estiver com ele instalado, ele deverá se atualizar sozinho juntamente com o restante do sistema.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Estarei no Tchelinux de Bento Gonçalves!

Nenhum comentário

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Neste final de semana eu estarei participando de um evento muito bacana na cidade de Bento Golçalves no Rio Grande do Sul, o Tchelinux.

TcheLinux de Bento RS






Para você que nunca ouviu falar, aqui segue um resumo do que é o "Tchê Linux":

A paixão pelo Software Livre assim como o desejo de compartilhar conhecimentos fez com que um grupo de usuários se reunisse e trabalhasse junto na organização de eventos para a divulgação de ferramentas e da filosofia Open Source em instituições educacionais do Rio Grande do Sul. Aproveitando a ideia de voluntariado, o grupo decidiu que os eventos seriam sempre gratuitos, porém os participantes são encorajados a doar 2Kg de alimentos não-perecíveis, que são doados a instituições de caridade da cidade onde ocorre o evento.

Desde Outubro de 2006 o Tchelinux realizou mais de 75 eventos em 20 cidades com o auxílio de centenas de voluntários, que ajudaram na organização e apresentaram mais de 1100 palestras, que foram assistidas por mais de 9000 pessoas que doaram mais de 15 toneladas de alimentos, distribuídas para 33 instituições de caridade.

O Tchelinux 2017 Bento Gonçalves acontece no dia 23 de Setembro a partir das 8:30 da manhã na UCS em Bento. O evento é gratuito e as inscrições para as 150 vagas disponíveis estão abertas em bento.tchelinux.org

Eu estarei no evento neste ano para apresentar a minha palestra "Dossiê dioLinux", onde vou apresentar os resultados que obtivemos baseados em uma pesquisa pelo gosto dos usuários Linux por interfaces, distribuições e outras coisas mais. A ideia, além de matar a curiosidade, é mostrar quais são as preferências dos consumidores, um conhecimento ideal para empreendedores. Mas claro, eu não estarei sozinho, serei um mero participante em um grande quantidade de talentos que vão apresentar assuntos diversos, você encontra a grade de palestras aqui.

Se você estiver na região, passe por lá para conferir!

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Novo pack de Wallpapers do Ubuntu 17.10 é liberado e agora "acertaram" no design

Nenhum comentário

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Eu sei que existem pessoas que não dão a mínima para estes detalhes, afinal, basta trocar o papel de parede que vem por padrão se não gostar, certo? Certo. Entretanto, eu acredito que o "diabo está no detalhes" e um simples wallpaper bem feito ajuda a compor a identidade visual do sistema, vide as "sierras" no macOS, ou a "Window" cheia de luz no Windows 10.

Wallpaper Ubuntu 17.10






Nos últimos anos tivemos uma "enxurrada de falta de criatividade com padronização", na maior parte das vezes tivemos figuras geométrica que lembravam origamis, com aquele tradicional degradê de cores. Querendo ou não, a cor acabou criando uma identidade visual, assim quando você via um computador por aí com um papel de parede daquela forma você sabia que era o Ubuntu rodando ali, eu digo e repito, identidade visual é importante, ajuda no marketing.

O problema é que ao mesmo tempo que essa identidade foi construída, a falta de mudanças, tanto no Unity, quanto no design do sistema, com ícones e tema GTK, quanto nos próprios papéis de parede acabaram deixando o design do Ubuntu um tanto quanto "chato", criando um verdadeiro ecossistema de temas de todos os tipos para personalizar a distro.

O novo Wallpaper


O novo Wallpaper do Ubuntu



O novo design mescla algumas características das versões (bem) antigas do Ubuntu e mantém um pouco do design atual, dando um toque de rejuvenescimento também, explico:

1 - Você pode ver que existe uma silhueta no wallpaper, ela representa o "Artful Aardvark", o mascote da nova versão do Ubuntu (17.10). Antigamente os wallpapers do Ubuntu vinham também com algo semelhante.

2 - O design com as linhas marcando o wallpaper continua, mantendo o que já havia sendo feito nas últimas versões.

3 - A suavidade no degrade de uma cor para outra, assim como o tom com cores intermediárias, tem o apelo visual dos atuais designs de interface, que tendem a usar cores mais suaves.

Se eu fosse do time do marketing da Canonical explicaria assim: O novo Ubuntu volta às raízes com o GNOME (1), mas continua sendo o mesmo Ubuntu confiável que você já estava acostumado a utilizar (2), só que mais moderno e condizente com os padrões atuais(3).

Ótima explicação, não? É uma pena que os ícones continuem a mesma coisa antiga "de sempre", talvez esse seja um outro setor a ser alterado para a próxima LTS.

Junto com a atualização que trouxe este novo wallpaper padrão, outros mais vieram, não sei se provindos do GNOME mesmo ou se por curadoria própria, mas é fato que desta vez (ao contrário dos últimos 5 anos), temos wallpapers bonitos, pelo menos dentro do meu gosto pessoal:

Novos Wallpapers do Ubuntu

Novos Wallpapers do Ubuntu

Novos Wallpapers do Ubuntu

Essas são as minhas considerações à respeito do assunto, sei que quem não é muito ligado em design e não curte tanto esta área não se importa tanto com esses detalhes, mas particularmente eu acho importante.


Agora, é só eu ou o "Arful Aardvark" parece uma menina super poderosa? 😂
Você pode baixar o novo Wallpaper do Ubuntu aqui.

Deixe a sua opinião logo abaixo e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Confira:
Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo