Publicidade

Home » Ubuntu

10 aplicativos open source que você pode utilizar no Windows e no Linux

Eu acho muito interessante o fato de que programas de código aberto que começaram apenas no mundo Linux ganharam versões para outras plataformas, como Windows e Mac, isso aproxima muito as coisas e faz com que as pessoas possam transitar livremente entre as plataforma, o que é algo muito positivo.

10 open source apps




Listei aqui 10 aplicativos de código aberto que eu utilizo praticamente todos os dias e que poderiam ser usados no Windows também. Acho importante ressaltar a importância disso, quando bons aplicativos existem em várias plataformas, alguém usa Windows pode passar a usar Linux sem sentir falta de muitos programas e o contrário também é verdadeiro.

Conheça agora a minha lista de 10 aplicativos de código aberto que podem ser usados em ambas as plataformas.

1 - Firefox

Firefox Linux e Windows

Um dos navegadores mais populares do mundo e utilizado por milhões de pessoas está presente em ambas as plataformas, a experiência de usar o Mozilla Firefox no Windows e no Linux é basicamente a mesma, então em uma possível migração isso não fará muita diferença. Claro que o Firefox não é o único browser multiplataforma, temos outras opções que convergem, como o Chrome, Vivaldi, Opera entre outros.

2 - GIMP

GIMP para Linux e WIndows

Eu uso o GIMP todos os dias, na verdade, todas as imagens que você está vendo neste artigo foram feitos nele. O GIMP também pode ser utilizado no Windows sem maiores problemas, inclusive, a nossa modificação, o PhotoGIMP, pode ser usado no sistema da Microsoft também. Ele é um ótimo programa para manipulação de imagens.


Inkscape para Windows e Linux

Outro programa que eu costumo usar com frequência, não tanto quanto o GIMP, mas ainda assim, com frequência, é o Inkscape. Um programa para imagens vetoriais. Você pode ver alguns trabalhos feitos com ele no próprio logo do blog e do canal, na DioStore também e em alguns outros projetos aqui do site. O Inkscape está disponível para usar no Windows também sem maiores problemas.


Kdenlive Windows e Linux

Este é um dos meus softwares favoritos de todos, recentemente o Kdenlive ganhou um porte para Windows, que na verdade ainda está em progressão, você pode ver ele rodando no Windows neste vídeo do nosso canal. Para quem não conhece, o Kdenlive é um editor de vídeos não linear que está muito próximo de ser o melhor aplicativo para edição de vídeo completamente grátis, sem versões pagas com mais recursos. Vale muito a pena conhecer.


VirtualBox para Windows e Linux

Máquinas virtuais são extremamente úteis, ao menos para mim, com elas eu consigo experienciar praticamente qualquer sistema operacional, que é algo que eu faço muito, basta olhar a playlist de reviews de sistemas operacionais que temos no canal. O VirtualBox pode ser utilizado em qualquer sistema também, sem distinção.


LibreOffice para Windows e Linux

O LibreOffice é uma ótima suíte office que deve atender a maior parte dos usuários de computador. O maior problema que usuários do Libre tem é abrir documentos do Microsoft Office sem desconfigurar o documento, isso acontece não por culpa do Libre, mas pelo próprio formato proprietário do Office que tem essa intenção mesmo, funcionar somente nele. 

Deixando isto de lado, as funções do LibreOffice atendem diversos governos ao redor do mundo e diversas empresas e é um dos softwares de código aberto que tem mais relevância do mercado. O mesmo LibreOffice que você pode usar no Linux você pode usar no Windows.


OBS Studio

Este é um programa que ficou muito popular entre os YouTubers, o OBS Studio tem versão para Linux e Windows e permite que você faça captura de tela no seu computador ou faça live streams para o YouTube, entre muitas outras funções.

Hoje ele é um programa muito importante para a produção do canal Diolinux.

8 - VLC

VLC Windows e Linux

O VLC é um dos melhores players multimídia que existem, reza a lenda que ele "toca até tampa de Danone". Isso acontece porque o VLC tem vários codecs inclusos no próprio programa, o que dispensa a instalação de pacotes adicionais para reproduzir praticamente qualquer tipo mídia.


Audacity Windows e Linux

Outro programa muito importante para quem produz conteúdo, especialmente em áudio. O Audacity é um editor de áudio grátis e aberto muito útil, especialmente para fazer redução de ruído em arquivos gravados em ambientes externos.


Thunderbird Windows e Linux

Outro programa que eu uso com frequência é o Thunderbird, um programa para fazer gerenciamento de contas de e-mail. Ele é simples e funcional, também tem versão para todas as plataformas. Já atendi algumas empresas fazendo implantação do Thunderbird no lugar no Microsoft Outlook.

Existem muitos outros


Existem outros programas que podem ser usados em ambas as plataformas, inclusive, a maioria desta lista também pode ser utilizada no macOS da Apple, não somente no Windows e no Linux. Fique à vontade para colocar nos comentários mais programas que você gosta e que possuem versões para todas as plataformas.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Timeshift - Um aplicativo para criar pontos de restauração no Ubuntu e no Linux Mint

Você já fez alguma modificação no sistema que teve dificuldade de reverter e acabou tendo que tomar uma medida mais drástica para resolver o problema, como formatar o computador? Então talvez um programa como o Timeshift te ajude.

Timeshift




O Timeshift é um programa capaz de criar "instantâneos" do sistema para que você possa reverter o estado atual para um antigo pré-definido por você, exatamente como os pontos de restauração do sistema do Windows. Existe um programa muito bom para essa funcionalidade de backup que eu gosto muito que é o Systemback.

Timeshift

Você pode agendar os Snapshots mensalmente, semanalmente, diariamente, toda hora ou a cada boot, assim você não precisa ficar abrindo o programa e salvando os instantâneos. Ainda assim, você pode você mesmo criar seus pontos manualmente, como depois de fazer a instalação do sistema, dos seus pacotes favoritos ou qualquer outra situação que você considere crítica.

Timeshift


Como instalar?


A instalação no Ubuntu ou no Linux Mint é feita através de um PPA.

PPA: ppa:noobslab/apps

Dica: Veja como instalar um PPA sem usar o terminal.

Se você preferir fazer pelo terminal:
sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps
sudo apt-get update
sudo apt install timeshift
Você encontra o programa no menu do seu sistema.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Cool Retro Term - Um terminal cheio de estilo para você usar no Ubuntu e no Linux Mint

Que tal dar uma incrementada no visual do seu terminal e ainda dar um visual retrô para ele para se sentir um "hacker das antigas"? Conheça agora o belo Cool Retro Term.

Ubuntu Cool Retro Term




O Cool Retro Term não traz para o usuário nenhuma utilidade prática diferenciada de um aplicativo de terminal, sem grande diferencial é a sua aparência mesmo e seus vários temas. Através do menu "Profiles" você poderá escolher entre 9 temas diferentes, confira:

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

As imagens não conseguem representar completamente, mas todos os temas tem animações nas suas telas e você encontra mais algumas opções de personalização nas configurações do aplicativo, como remover as bordas que lembram um televisor antigo.

Como instalar no Ubuntu e no Linux Mint


A instalação no Ubuntu ou no Linux Mint é feita através de um PPA.

PPA: ppa:noobslab/apps


Se você preferir fazer pelo terminal:
sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps 
sudo apt-get update
sudo apt install cool-retro-term
Você encontrará o aplicativo diretamente no menu do seu sistema.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Curlew e Selene - Duas ótimas alternativas ao Format Factory para Linux

Está procurando um programa para converter arquivos multimídia no Linux? Então eu tenho duas ótimas sugestões de programas para você, o Curlew e o Selene Media Encoder.

Conversores de Mídia





Estava conversando com um dos leitores do blog nesta semana e ele me pediu algumas sugestões de programas para converter mídia que tivessem uma funcionalidade semelhante ao Format Factory para Windows (o Format Factory funciona pelo Wine se você quiser), eu comentei sobre alguns e disse que iria fazer este post para mostrar os dois que eu considero melhores.

Curlew


Curlew conversor de mídia do Ubuntu

O Curlew é um aplicativo simples de conversão, ele permite que você converta áudio e vídeo em diversos formatos diferentes, são mais de 80 formatos suportados.

A instalação no Ubuntu ou no Linux Mint é feita através de um PPA, ou você pode baixar os arquivos do programa diretamente do Source Forge.

PPA: ppa:noobslab/apps


Se você preferir fazer pelo terminal:
sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps 
sudo apt-get update
sudo apt install curlew
Depois de instalado, independente do método que você tenha escolhido, você vai encontrar o ícone do programa no menu do sistema. 

Selene Media Encoder


Outra boa opção é o Selene Media Encoder, ele é tão simples de se utilizar quanto o Curlew, porém, ele tem suporte a menos formatos do que o Curlew.

Selene Media Encoder

Ao todo são 11 formatos suportados, o número pode não ser tão grande mas você encontra no Selene os principais, então ele deve servir para a maior parte das pessoas.

O processo de instalação é o mesmo do Curlew, aliás, eles estão no mesmo PPA. Então caso você não tenha instalado ele antes, adicione ele agora: ppa:noobslab/apps


Se você preferir fazer pelo terminal:
sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps 
sudo apt-get update
sudo apt install selene
E mais uma vez, independente do método que você escolher, basta pesquisar por "Selene" no menu do seu sistema para encontrar o programa.

Outra sugestões de conversores que você pode usar são:

- Handbrake

- Format Junkie 

E claro, a verdade é que quem manja consegue fazer até sem interface, só usando o terminal, mas isso fica para outro capítulo do nosso blog.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sábado, 7 de janeiro de 2017

Como instalar o tema Stupendously Hot Charmander no Ubuntu

Em 2015 nós mostramos aqui um projeto conceitual chamado "Charmander Projetc", ele era uma sugestão visual para o Ubuntu com Unity muito bonita e agradável aos olhos. O que era só um conceito começou a ser passado para a realidade e atualmente já temos um tema disponível para testes que ainda está sendo aprimorado, mas que já está muito bonito.

Stupendously-Hot-Charmander





O tema Stupendously Hot Charmander é uma tema muito belo que procurar juntar características de design flat com o material design, confira algumas imagens dele:

Stupendously-Hot-Charmander

Stupendously-Hot-Charmander

Stupendously-Hot-Charmander

Como instalar este belo tema no seu Ubuntu?


O tema está disponível no GitHub e possui um script de instalação, então vamos precisar usar o terminal para instalar o tema. Abra o terminal e cole os seguintes comandos:
sudo apt-get install git
git clone https://github.com/btd1337/Stupendously-Hot-Charmander
cd Stupendously-Hot-Charmander
./installer.sh
Ao final do processo do último comando o tema já estará instalado e configurado no seu computador. Você pode usar o Unity Tweak Tool para fazer ajustes finos no tema ou voltar ao tema original do sistema, porém, caso você queira resetar o tema do sistema, basta rodar este comando dentro da pasta do tema:
cd Stupendously-Hot-Charmander
./reset-theme.sh
Eu ainda recomendo usar o Unity Tweak Tool e ajustar os temas por lá, você encontra o programa no menu do Ubuntu, os temas padrão do Ubuntu são o "Ambiance" para o tema GTK e o "Ubuntu-mono-dark"  para os ícones.

Quer saber mais sobre o tema Stupendously Hot Charmander e acompanhar ou ajudar no desenvolvimento do mesmo? Acesse a página no GitHub do projeto.


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Escola espanhola migra de Windows para Ubuntu

Eu acho muito importante mostrar casos de sucesso para, quem sabe, desta forma inspirar que outras pessoas procurem fazer o mesmo. Reduzindo gastos, aumentando a segurança e mantendo a qualidade.

Ubuntu em escolas




Uma escola espanhola chamada "Colegio Agostiniano de León" está completando os seu processo de migração para o Ubuntu. Um dos líderes da iniciativa concedeu uma entrevista para o site Muy Linux, comentando a migração. Eu achei a entrevista muito bacana e quero destacar alguns pontos que eu considerei mais importantes.


Quem explicou como a migração foi feita foi Fernando Lanero, professor de ciências da computação, que foi um dos líderes do projeto de migração.

Ele destacou os procedimentos  graduais que foram feitos para concluir uma migração deste tipo. Segundo ele, os computadores da escola ainda rodavam Windows XP, então ao longo de três anos as mudanças foram sendo feitas diretamente no Windows, inserindo programas para os usuários que seriam utilizados futuramente, como o Firefox e o LibreOffice, até chegar o ponto de mudar de sistema operacional também. Segundo Lanero, essa iniciativa fez uma grande diferença depois da migração, pois a maior parte dos usuários já estava completamente habituada com a forma com que estes programas funcionam.

Fernando Lanero

O líder do projeto também comentou sobre as suas maiores dificuldades. Um fato interessante dentro delas é que, segundo ele, os alunos não se mostraram contra uma mudança como esta, o maior problema foram as pessoas que estavam acostumadas com o Windows, especialmente os professores, que mostravam uma certa rejeição à mudança, mesmo nunca tendo usado Linux antes. "Os alunos são como esponjas que absorvem qualquer novo conteúdo sem problemas", comentou.


As escolha deles foi o Ubuntu 14.04 LTS com o Unity para rodar em máquinas Core 2 Duo, 2 GB de RAM e placa de vídeo dedicada. Eles se mostraram completamente satisfeitos com os desempenho das máquinas, mas Lanero reiterou, "caso não tivéssemos placas de vídeo o Xubuntu seria o escolhido". Atualmente todos estão adaptados ao Unity.

Outra dificuldade apontada foi a compatibilidade com as lousas eletrônicas Hitachi que são utilizadas na escola, o problema foi contornado com uma versão especial do Kernel Linux na versão 3.14, foi necessário atualizar a base do Ubuntu 14.04 para isso, mas depois desta modificação, tudo está funcionando corretamente.

Todo este processo, deste a inserção dos programas no Windows, até a migração completa, levou cerca de 3 anos e está completada, hoje são cerca de 120 computadores com Ubuntu instalado.

Depois de 3 anos, Lanero afirma ter dados consistentes para compartilhar que mostram algumas informações importantes. Segundo ele foram cerca de 35 mil Euros economizados entre 2014 e 2016 somente em licenças Microsoft e outros programas que eram necessários anteriormente, como antivírus, outro fator que ele destaca é a diminuição grandiosa na necessidade de fazer manutenção nos computadores da escola por conta de vírus, perda de desempenho ou qualquer coisa relacionada, os dados que ele coletou apontam uma diminuição de 63% nos chamados de manutenção nos computadores dos professores e secretarias e 90% dos computadores de sala de aula, algo que alegra qualquer equipe técnica.

Que isto sirva de exemplo para as nossas escolas também, não é?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




GDiskDump - Clone discos, arquivos e partições com esta interface gráfica para o comando DD

Com a popularização do Linux é natural que usuários mais leigos utilizem o sistema e estas pessoas não costumam gostar muito de programas que são operados apenas por linhas de comando, caso do poderoso comando DD, hoje vamos conhecer uma interface para ele chamada GDiskDump.

GDiskDump Interface para comando DD Linux




Se você estava procurando uma ferramenta gráfica para fazer clonagem de partições, discos ou arquivos, ou ainda, uma interface gráfica para o comando DD, o GDiskDump é uma das melhores alternativas.

GDiskDump

O funcionamento é muito simples, basicamente você deve escolher o arquivo/partição/disco de origem e o destino, no melhor estilo Next/Next/Finish. Mas faça com cuidado, pois este tipo de clonagem apaga completamente a unidade de destino, então sempre faça backup antes para garantir que não existem problemas.

O GDiskDump está disponível em pacote .deb para você instalar facilmente no Ubuntu e derivados,  como o Linux Mint, basta fazer o download no botão abaixo:

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Controle o brilho da tela do seu Ubuntu através deste simples indicador

Eu gosto muito destes indicadores, eles podem automatizar várias tarefas no sistema e de dar acesso rápido a diversas configurações importantes e úteis. Hoje vamos falar de um que vai te ajudar a controla o brilho da tela do seu computador ou Notebook.

Brightness Indicator Ubuntu




Acredito que o seu Notebook tenha uma tecla de atalho para a função de regulagem de brilho, mas se você um desktop, ajustar isso diretamente no monitor pode ser um pouco mais trabalhoso. Mesmo em um notebook, o Brightness Indicator pode ser bastante útil.

Brightness Indicator

A quantidade de níveis de brilho pode variar de computador para computador, mas você terá uma escala de luminosidade para ajustar.

Como instalar no seu Ubuntu?


Existem duas formas tradicionais para baixar e instalar, você pode baixar o pacote .deb diretamente do Launchpad e instalar dando dois cliques. Ou usar o PPA: ppa:indicator-brightness/ppa


Se você quiser fazer a instalação por terminal, basta rodar estes comandos:
sudo add-apt-repository ppa:indicator-brightness/ppa 
sudo apt-get update
sudo apt install indicator-brightness
Você vai encontrar o aplicativo diretamente no menu do seu sistema, ele automaticamente vai criar uma entra nos aplicativos de sessão, assim toda vez que você se logar no sistema, o Brightness Indicator vai ser carregado. Se quiser alterar isso abra o menu e procure por "aplicativos de sessão" e desabilite ou remova a inicialização dele. 

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Ubuntu Snap Manual - Trabalhando com pacotes Snap de forma simples

Os pacotes Snap do Ubuntu estão evoluindo a passos largos e várias aplicações famosas como Krita, LibreOffice, Telegram, Kdenlive e muitos outros já estão disponibilizando versões de seus programas no formato, mas mais do que isso, os Snaps trazem compatibilidade de pacotes entre todas as distros Linux. Aprenda agora como utilizá-los.

Como usar os pacotes Snap




Desde o seu lançamento, os pacotes Snap mudaram um pouco a forma com que manuseamos eles, por exemplo, o comando snap find, que muita gente utilizava, hoje tem funções um pouco diferentes e eu vou colocar aqui para você um verdadeiro manual do Snap, assim você poderá utilizá-lo plenamente.


Os pacotes Snap podem ser utilizados em qualquer distribuição e muitas delas já possuem uma forma fácil de ativar o suporte para eles (vide o link acima), se você ainda não sabe muito bem como os Snaps funcionam, recomendo ler este artigo e este outro, onde comparamos o Snap com o Flatpak para que você possa entender melhor.

Vamos aprender a usar o Snap no Ubuntu e em outras distros


Os comados descritos aqui servem para qualquer distribuição que tenha suporte para o Snap, esta é uma das vantagens deste novo gerenciamento de pacotes, ele acaba com o problema de que "cada distro é diferente", deixando-as assim de certa forma, padronizadas neste aspecto, o que para mim é algo positivo. Um ponto que foi criticado, e com razão, nas primeiras versões, eram os imensos tamanhos dos pacotes, o que parece estar sendo corrigindo, usando bibliotecas padrões compartilhadas, importando de certa forma, a função que o Flatpak também tem.

Principais comandos Snap


Antes de entrarmos em detalhes sobre como você usa o Snap para instalar e remover programas, vamos dar aqui algumas dicas para quem pretende desenvolver os pacotes Snaps e coloca-los na "loja". O repositório de Snaps da Canonical funciona como o Docker Hub por exemplo, onde você encontra de tudo um pouco. Se você for desenvolvedor, é importante ter uma conta no Ubuntu One para poder subir os Snaps para o repositório oficial, caso contrário você terá que distribuí-lo "por fora", da mesma forma que alguns desenvolvedores preferem disponibilizar atualmente um .deb ao invés de criar um PPA.



Para fazer login com a sua conta Ubuntu One na loja Snap pelo terminal para poder manusear o seu repositório use o comando:
snap login meu@email.com 
Para sair:
snap logout meu@email.com 

Como encontrar, baixar e instalar Snaps

Você pode instalar pacotes Snaps sem estar logado sem maiores problemas, como eu sugeri, o login é mais voltado para desenvolvedores. Então aqui você encontrará os comandos básicos para testes do Snap.

O primeiro deles é o find.
snap find nome_do_snap
sudo snap find

Aqui é que temos a primeira variação, antigamente você poderia digitar apenas snap find para listar todos os Snaps disponíveis, mas hoje em dia você precisa colocar uma palavra chave também, isso provavelmente se deve ao fato de que a quantidade de Snaps cresceu incrivelmente, a lista seria muito grande.

Ao usar:
snap find hello
Você receberá uma lista de pacotes Snap que estão no repositório (veja a imagem acima) que contém em alguma parte da descrição do pacote a palavra chave que você pesquisou. Observe as colunas, temos o nome do pacote, seguido pela versão, depois temos o nick name do desenvolvedor, depois notas, e depois o sumário, que normalmente descreve a função do pacote. 

O pacote hello utilizado no exemplo tem exatamente essa função, servir de exemplo para testes, então vamos dizer que você queira instalar o pacote, o comando seria:
snap install hello
Repare que não precisamos usar o sudo para instalar, o que garante que não precisamos utilizar o root para instalar programas, isso torna o sistema mais seguro, afinal, nada terá acesso ao super usuário, nem que seja por um instante, a menos que você permita.

snap install hello

O pacote estará instalado.

Como rodar os pacotes Snap


Para rodar um pacote Snap basta digitar o nome do pacote no terminal, no nosso exemplo, basta digitar hello.
hello
Hello Snap

Como remover os pacotes Snap


Se instalar é fácil, remover também. Seguindo o mesmo conceito dos pacotes deb, para remover um Snap basta usar o comando:
snap remove nome_do_snap
No nosso exemplo:
snap remove hello

Ubuntu Snap Remove

Como atualizar um pacote Snap

Atualizar um Snap é também muito simples:
snap refresh nome_do_snap
No nosso exemplo:
snap refresh hello 
Aqui também existem algumas variações que permitem que você tenha um melhor controle sobre o seu pacote Snap, permitindo que você use uma versão Beta ou em desenvolvimento, caso seja o seu desejo, usando estes parâmetros:
snap refresh nome_do_snap --beta
ou
snap refresh nome_do_snap --beta --devmode
No nosso exemplo:
snap refresh hello --beta
ou
snap refresh hello --beta --devmode

Vale a pena comentar que o parâmetro "devmode" remove as restrições de acesso do Snap, dando a ele acesso completo ao sistema, então use com cuidado.

 Como listar os seus Snaps instalados


Outro comando simples, o list serve para você ver informações sobre os Snaps instalados:
snap list
snap list

Gerenciado os Snaps "Like a PRO" com o uappexplorer-cli


Para quem não sabe, o uAppExplorer é um site que permite instalar aplicativos no Ubuntu Touch da mesma forma que você instala Apps no Android através do site da Play Store. Lá você encontra Snaps e Scopes, Web Apps e outros aplicativos. Nem todos os Apps são compatíveis com a versão desktop, mas os Snaps podem ser instalados. Essa loja não é oficial, mas até mesmo a Canonical a trata com muita consideração, o interessante é que essa "lojinha" também possui uma versão em modo texto que te ajuda a ter mais informações sobre os Snaps e facilita o seu trabalho de listá-los.

Depois que o comando find deixou de listar todos os Snaps, o trabalho de explorar os pacotes ficou mais complicado, mas somente se você não utilizar o uAppExplorer.

O primeiro passo para usar a loja no terminal é instalar:
snap install uappexplorer-cli
Agora você pode usar o uappexplorer-cli para buscar e pesquisar os pacotes Snap dentro do repositório.

Se você apenas digitar:
uappexplorer-cli
O terminal vai te mostrar a primeira página de pacotes da loja uAppExplorer. 

Snap uAppExplorer

Como você pode observar, temos algumas colunas. As principais são a primeira, que informa o nome do pacote Snap que você deve utilizar para instalar usando o comando snap install, a segunda coluna descreve o pacote e a terceira coluna é muito importante, repare que temos tipos diferentes, Apps, Web App, Snap e Scope (que não aparece na imagem acima), os que você pode instalar via Snap são, obviamente, somente os distribuídos em formato Snap, então fique atento a este detalhe.

Na imagem acima você está vendo parte da primeira página de pacotes Snap, no momento deste post existem 114 páginas de pacotes para o Ubuntu Touch com algumas dezenas de Snaps prontinhos para você instalar, então para navegar pelas páginas você pode usar o parâmetro.
uappexplorer-cli -p [numero da página]
Por exemplo:
uappexplorer-cli -p 2
Para ir para a página 2, mude o número de acordo com o número da página que você deseja visualizar.

Você também pode usar o uAppExplorer para pesquisar por algum termo:
uappexplorer-cli -s nome_do_snap
Por exemplo:
uappexplorer-cli -s inkscape
Pesquisando Snap

 Como você pode ver, a pesquisa nos trouxe um resultado do tipo "Snap", segundo a coluna "Type", com o nome do pacote "inkscape", ou seja, para instalar a última versão do Inkscape no Ubuntu ou qualquer outra distro via Snap, basta rodar:
snap install inkscape
Para saber mais opções, tanto do comando Snap, quanto da uAppExplorer-cli rode os comandos:
snap -h
uappexplorer-cli -h


Habilitando e desabilitando Snaps no sistema


Existem vários servidores completos disponibilizados via Snap, e pode ser útil você habilitar e desabilitar os serviços. O procedimento funciona para qualquer Snap, mas pode ser especialmente útil nestes serviços. Para habilitar e desabilitar um pacote Snap no sistema, sem removê-lo:
snap enable nome_do_snap
snap disable nome_do_snap

Outras funções do Snap 


Existem outras funções interessantes que o Snap possui. Os desenvolvedores que quiserem vender programas em formato Snap também poderão fazer. Apesar de eu ainda não ter encontrado Apps pagos, teoricamente você poderia comprá-los com o comando:
snap buy nome_do_snap
Para tal, é necessário estar logado com a sua conta Ubuntu One.

Outro parâmetro bacana é o revert:
snap revert nome_do_snap
Este comando faz com que o pacote Snap que você especificar seja revertido para a versão anterior a ultima atualização, esta é outra grande vantagem do Snap, a opção de Rollback sem precisar modificar o sistema em si, vai ser muito útil quando versões do Kernel e versões de drivers forem disponibilizadas desta forma.

Como comentei anteriormente, você pode usar o comando:
snap -h
Para ver todos os parâmetros do Snap, porém, você pode querer saber mais detalhes sobre o que cada parâmetro faz, basta escolher um e colocar o -h também ao final da linha, por exemplo, para saber mais detalhes sobre o comando revert que eu comentei antes:
snap revert -h
Snap revert

Como você pode ver, o terminal vai te mostrar um resumo da função do comando, juntamente com a forma com que ele deve ser utilizado.

Usando pacotes Snap sem o terminal 


Bom, até agora eu apenas mostrei o gerenciamento de pacotes Snap através do terminal, mas para alegria geral da nação, o Ubuntu Software (Gnome Software) tem suporte para instalação de Snaps, faça o teste, abra a central e digite Snap:

Ubuntu Snap

Serão listados os pacotes Snap disponíveis.

Você pode pesquisar também pelo nome do programa. No exemplo abaixo eu procuro pelo editor de imagens vetoriais, Inkscape, como você pode ver, a central de programas me mostra duas versões, uma que eu instalei através do próprio repositório tradicional e a outra é do formato Snap.

Inkscape Snap

Neste caso a versão de cima é a Snap, para ter certeza de qual é a versão Snap e qual não é, clique no aplicativo e na descrição do mesmo observe a fonte do App:

Inkscape Snap

Se a fonte for algo relacionado ao Ubuntu Snappy, ou Snap, significa que é este tipo de pacote.

Instalar e remover pacotes Snap pela Central de Programas funciona da mesma forma que qualquer outro aplicativo, um clique para instalar, um outro clique para remover. Programas que possuem modo gráfico instalados via Snap pode ser rodados tanto pelo terminal, quanto pela própria interface gráfica, basta procurar o aplicativo no menu dos sistema.

Inkscape

No menu aparecem os dois aplicativos inclusive, a versão instalada através do repositório tradicional em pacotes .deb e a outra, instalada via Snap. Isso só acontece se você tiver instalado as duas versões obviamente.

A grande diferença de instalar e remover Snaps pelo Software Center, é que diferente de um programa "padrão", disponibilizado tradicionalmente via .deb (no caso do Ubuntu) é que não é necessário digitar a sua senha para instalar a aplicação, ou mesmo, removê-la.

Esse mecanismo faz com que o processo de instalação de Apps seja igual ao do Android, no Unity 8 os Snaps também poderão solicitar permissões de acesso a características específicas do computador, como acesso a câmera, ou áudio, etc.

Acho que com isso você já poderá utilizar os pacotes Snap sem problemas, independente da distro. 

Eles são uma grande revolução na forma com que os softwares para Linux são distribuídos, de modo que um desenvolvedor poderá criar um único pacote de software (em snap) que será compatível com todas as distros.

Se novidades vierem, nós lhe informaremos, fique ligado do blog.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 4 de janeiro de 2017