Home » Ubuntu

Shotwell Photo Manager muda de desenvolvedor e recebe nova atualização

O Shotwell Photo Manager é uma aplicação Gnome que acompanha o Ubuntu há algum tempo, ele também era o aplicativo de visualização de imagens padrão do elementary OS, anteriormente desenvolvido pela empresa Yorba e que agora ele está sob nova direção.

Shotwell




A empresa Yorba deixou de operar e os aplicativos que eles mantiveram durantes os últimos anos tiveram um hiato em seu desenvolvimento, porém, como tudo no mundo open source que desperta o interesse dos desenvolvedores, os projetos da Yorba não morreram.
Leia também: Como usar o Shotwell para criar um Slide de wallpapers na sua área de trabalho

O primeiro a voltar foi o gerenciador de e-mails Geary e agora temos a volta do Shotwell. O novo desenvolvedor do Shotwell é Jens Georg, ele tem um novo repositório PPA para o Shotwell, você pode instalar no seu Ubuntu ou qualquer outra distribuição derivada usando o seguinte repositório: ppa:yg-jensge/shotwell



Quem preferir fazer a instalação por terminal pode usar o seguinte comando:

sudo add-apt-repository ppa:yg-jensge/shotwell -y && sudo apt update && sudo apt install shotwell -y
Confira aqui todas as mudanças feitas na nova versão.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 26 de maio de 2016

Manipule o Kernel Linux de maneira gráfica com o DuZeru Kernel Install

Hoje você vai conhecer uma ferramenta muito legal para manipular versões do Kernel Linux de uma maneira simples com uma aplicação gráfica. O DuZeru Kernel Install é proveniente do projeto brasileiro DuZeru e é compatível com o Debian, Ubuntu, Linux Mint e seus derivados, confira:

Kernel Upgrade




Um dos recursos interessantes da nova versão da distribuição Linux brasileira DuZeru 2.2 é uma ferramenta para manipulação do Kernel Linux de maneira simples. Essa ferramenta agora poderá ser utiliza poder outros usuários que usem um sistema de base Debian, isso inclui além do próprio DuZeru e do Debian, o Ubuntu, o Linux Mint, o elementary OS e tantos outros que usam a mesma base.

Como baixar o DuZeru Kernel Install?


DuZeru Kernel

Os pacotes .deb estão disponíveis para download no site oficial do DuZeru na sessão de aplicações personalizadas, assim como seus códigos fontes.

Com esta aplicação você consegue instalar e remover versões do Kernel, incluindo as versões de baixa latência.

Segundo os desenvolvedores do DuZeru, o "DuZeru Kernel" funciona da seguinte forma:

"As principais linguagens usadas são: python, HTML, CSS, ShellScrip a interface que você vê é do HTML e CSS mas o que faz abrir numa janela de programa e não em um navegador é o python. 

Quando executamos o comando duzeru-kernel ele chama o python que chama o HTML aí os dois ficam interligados.

Quando clicamos no botão para instalar um Kernel (dentro do HTML) este botão tem uma função de chamar um código no python que chama um ShellScript. O ShellScript faz o serviço automaticamente de baixar o kernel, descompactar, instalar e reiniciar o sistema.

Já em outro botão  por exemplo de informação (no HTML), ele tem uma função que vai no arquivo python e o comando no python chama uma URL.

Resumo, criação de novos botões e personalizar a interface ficam dentro do arquivo HTML: usr/share/duzerukernel/index.html

Para linkar os comandos dos botões (do arquivo em HTML) para um ShellScript ou URL para um navegador fica em: /bin/duzeru-kernel"

O funcionamento é demonstrado neste vídeo: 


Eu testei ele no Ubuntu e funciona perfeitamente, porém, cabe observar que o instalador de Kernel ainda não está no mesmo ritmo do desenvolvimento do Kernel Linux, normalmente o instalador está trazendo uma versão anterior a mais recente.

Existem outras formas de fazer uma instalação automática do Kernel confira:



Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 23 de maio de 2016

Tema Mac OS X para Ubuntu 16.04 LTS

Vamos deixar o seu Ubuntu com a cara do Mac OS X El Capitan?  O tema do Mac é muito popular, existem muitos usuários que gostam de utilizá-lo, vamos aprender a instalar na versão mais recente do Ubuntu?

Ubuntu 16.04 LTS Tema Mac OS X El Capitan




Eu não costumo usar temas que mudem tão drasticamente o visual do sistema, ultimamente tenho ficado com o tema Numix, apenas no GTK, os ícones continuam os mesmo (antigos) que são padrão do sistema. Admito, em termos de design o Mac OS X é de encher os olhos, especialmente para quem nunca o utilizou ou utilizou um tema dele, mas assim como tudo, até mesmo o tema do Mac pode te cansar, mas até lá, que tal dar uma modificada no visual do seu Ubuntu para ter uma experiência visual mais parecida com o El Capitan?

Ubuntu com tema Mac OS X

Ubuntu com tema Mac OS X

Ubuntu com tema Mac OS X


Do que vamos precisar?


Essa é fácil, vamos precisar o Unity Tweak Tool e... bom, acho que é só ele mesmo, o resto podemos fazer facilmente sem mais programas. Para instalar o Unity Tweak Tool no seu Ubuntu consulte este artigo, ou simplesmente procure pela ferramenta na Central de Programas.

Ah!!! Precisamos mover a barra do Unity para baixo também! A Dock do Mac normalmente fica na parte inferior, então dê uma olhadinha aqui para aprender a fazer isso, ou, se você preferir, você também pode simplesmente ocultar a barra do Unity e usar outra dock no lugar, como a Plank, a mesma do elementary OS.

Os temas e os ícones


No fim das contas são os temas e ícones que vão dar a cara de Mac para o sistema e temos que agradecer aos nossos amigos do NoobsLab pelos pacotes, vamos agora instalar eles no seu computador.

Antes de mais nada adicione o seguinte repositório PPA: ppa:noobslab/macbuntu

- Para aprender a instalar um PPA SEM usar comandos clique aqui.

Vamos fazer o procedimento pelo terminal por ser mais rápido:
sudo add-apt-repository ppa:noobslab/macbuntu -y && sudo apt-get update
Com este comando abaixo você instala o tema de ícones:
sudo apt-get install macbuntu-os-icons-lts-v7
E com este comando você instala o tema GTK:
sudo apt-get install macbuntu-os-ithemes-lts-v7
Depois disso você já terá o seu tema instalado, bastando agora configurá-los através do Unity Tweak Tool. Na sessão de "Temas" selecione em "ícones" o tema "Macbuntu-os" (existe uma outra opção também, você pode escolher a que achar melhor).


E na sessão "Tema" selecione "Os x el capitan", você verá a mudança nos temas das janelas instantaneamente, porém, para que todos os ícones fiquem com o padrão do novo tema poderá ser necessário encerrar a sua sessão e logar-se novamente.


Quando você ativa estes temas, automaticamente você ativa o tema Mac para os cursores também, então se você quiser removê-lo basta rodar o seguinte comando:
cd /usr/share/icons/mac-cursors && sudo ./uninstall-mac-cursors.sh
Caso você não queira mais usar este tema, basta ir até o Unity Tweak Tool e mudar para o que você quiser, para remover os temas use os comandos:
sudo apt-get remove macbuntu-os-icons-lts-v7 macbuntu-os-ithemes-lts-v7 -y
sudo add-apt-repository -r ppa:noobslab/macbuntu
Você pode encontrar mais informações e mais opções de personalização no site NoobsLab

Até a próxima!




_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Conheça a distribuição Linux do criador do Kernel, Linus Torvalds

É sempre curioso saber as preferências de grandes figuras do mundo da tecnologia e com Linus Torvalds, criador do Kernel Linux, não seria diferente, qual será a distro preferida dele?

A Distro Linux de Linux Torvalds




O site FossBytes divulgou uma matéria interessante comentando alguns discursos do criador do Kernel Linux. Sem fazer muito segredo, Linus já comentou várias vezes que a sua distribuição Linux favorita é o Fedora, sendo que a interface gráfica preferida é o Gnome.

Linus diz não ter tido boas experiências com o Debian no passado e que acha ele "difícil demais para instalar as coisas". diz também que tentou diversas vezes e ainda tenta usar o Ubuntu mas acaba voltando para o Fedora. Linus teria comentado que acha que o Ubuntu conseguiu "fazer o Debian usável" por qualquer mortal, mas que ele era tão automático que muitas vezes o trabalho dele, desenvolver o Kernel, se tornava "menos direto", de fato, o Fedora tem se focado em workstation nos últimos anos e isso parece ter agradado a Linus. 

Torvalds também disse que hoje em dia o Debian está muito mais fácil do que no passado e que o Ubuntu se tornou uma alternativa interessante para concorrer com o Windows e Mac nos Desktops de usuários comuns, mas que mesmo assim, ele ainda prefere o Fedora.

Na minha opinião, Linus Torvalds sofre daquele mal que todos sofremos quando acostumamos com algum sistema ou software, o costume. Não é que não reconheçamos qualidade sem sistemas alheios, mas depois de tantos anos usando o mesmo de maneira satisfatória ficamos "meio assim" de trocar.

Quer conhecer um pouco mais sobre o sistema operacional favorito do criador do Kernel Linux? Então confira o novo vídeo:



_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como fazer vídeo chamadas pelo Skype Web no Linux

Fazer chamadas de vídeo ou áudio pelo Skype Web através do Linux ainda não é possível nativamente, existem apenas plugins para Windows e para Mac, porém, hoje vamos te ensinar um "hackzinho" para usar este recurso sem precisar instalar o plugin, tudo o que você vai precisa é do Firefox.

Skype Web chamadas de vídeo no Linux


Quanto mais o tempo passa mais eu me convenço de que poderia viver praticamente só com WebApps. Hoje em dia praticamente toda a minha produtividade é baseada neles. Aí, por querer fazer uma experiência, nesta semana deixei o aplicativo do Skype Desktop de lado para testar um WebApp através do Google, a interface é muito mais bonita do que a versão para Linux, como você pode ver aqui, além disso tudo funciona bem, tem notificações na Área de trabalho e tudo, porém, a função de chamadas não funciona nativamente e nem sequer possui um plugin para Linux para que eu possa habilitá-la.

Para contornar o problema das chamadas, que nem é um recurso que eu uso tanto mas é bom ter a disposição afinal os clientes utilizam, eu pesquisei um pouco pela internet. Descobri que o novo browser da Microsoft, o Edge, possui integração nativa com o Web Skype e por ele o recurso de chamadas funciona nativamente sem a necessidade de plugins, tentei pesquisar para saber o que o browser tinha de diferente em relação aos demais do mercado para entender o que fazia o Skype Web funcionar e não encontrei nada profundo, aliás, é algo tão estúpido... o site apenas verifica o nome do browser para liberar o acesso sem o plugin... no melhor estilo:

"- Qual seu nome?
 - Edge.
 - Blz, então pode acessar."

Desta forma nós só precisamos mudar o User-Agent do navegador e BING! Ops, BINGO!!! :D

Essa técnica vai funcionar em qualquer sistema operacional, por consequência no Linux também.

Depois que eu descobri isso comecei a procurar complementos que permitissem mudar o Usar-Agent do Chrome para o Microsoft Edge, encontrei apenas um com este recurso, porém, o mesmo não se mostrou eficaz, por conta disso parti para o Firefox e nele sim encontrei um plugin capaz de fazer a "mágica".

Quer ver como funciona?


1 - Abra o seu Firefox e através dele acesse este endereço (clique aqui). Instale o complemento disponível nesta página.

2 - Depois de instalar o complemento você verá que um novo ícone aparece no seu Firefox, clique nele e mude através do seletor o User-Agent do navegador para "Windows/Edge".


3 - Agora acesse o site web.skype.com e logue-se com a sua conta.

4 - Uma vez dentro do site você verá que os ícones de chamadas de vídeo e ligações já aparecem como opções, o Firefox vai te perguntar sobre a integração com microfones e notificações na Área de trabalho para melhorar a sua experiência, basta confirmar.


Skype Web com vídeo chamadas no Linux


E é isso! Eu ainda prefiro usar o WebApp pelo Chrome, mas de qualquer forma, se for preciso fazer uma chamada através do navegador eu já sei como posso fazer sem precisar sair do Linux, e claro, agora você também sabe! :)

Obviamente o Skype não é a única forma de fazer chamadas, existem várias, mas como eu disse antes, ele é um programa que muitas empresas costumam utilizar, então, quem paga as contas é que define o meio muitas vezes.

Agora é a sua vez, se você gostou da dica, compartilha para mostrar  a mais pessoas, pode ser que alguém esteja com esta dificuldade e assim você vai poder ajudar.

Até a próxima! 
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 19 de maio de 2016

GLXOSD - Informações de hardware na tela do seu Linux

FPS, temperaturas, estatísticas de uso, benchmarks e muito mais! Tudo em uma só ferramenta. O GLXOSD é a ferramenta ideal para exibir as informações do seu hardware enquanto você joga no Linux, vamos conhecer a aplicação?

GLXOSD no Ubuntu




Eu já havia falado dele há algum tempo atrás, você pode ver o post aqui, e na ocasião eu tinha comparado ele com o FRAPS, por conta dos recursos que ele apresentava, mas ele evoluiu e agora ele me lembra mais o MSI Afterburner, sem as funções de Overclock, claro.

Como eu estive testando ele ontem, tem alguns "pulos do gato" que eu quero compartilhar com vocês, no mais, você encontra a documentação dele no site oficial, onde você pode pesquisar e tirar a suas dúvidas.

Como instalar?


Como este é um programa técnico, não vou me deter a mostrar como fazer a instalação das coisas via interface gráfica, como é tradicional em outros tutoriais, porém, se você mesmo assim desejar usar a interface para instalar pacotes e coisas do tipo, recomendo que você leia este artigo e este também.

Para instalar em qualquer versão recente do Ubuntu basta usar um PPA, fique atento para versões de 32 e 64 bits e se você possuir ou não drivers Nvidia proprietários.  Basta copiar o comando adequado para o seu sistema e colar no terminal, pressionar "enter", digite a sua senha e aguarde a instalação.

Ubuntu de 32 bits
sudo apt-add-repository ppa:nickguletskii200/glxosd -y && sudo apt-get update && sudo apt-get install glxosd glxosd-libs-i386 -y
Ubuntu de 64 bits 
sudo apt-add-repository ppa:nickguletskii200/glxosd -y && sudo apt-get update && sudo apt-get install glxosd glxosd-libs-amd64 glxosd-libs-i386:i386 -y
Se você usa drivers proprietários da Nvidia é recomendado instalar desta forma abaixo, sem estes pacotes adicionais alguns games não funcionaram corretamente para mim, especialmente os da Steam.

sudo apt-add-repository -y ppa:nickguletskii200/glxosd && sudo apt-get update && sudo apt-get install -y glxosd glxosd-libs-libsensors-support-amd64 glxosd-libs-libsensors-support-i386 glxosd-libs-nvidia-support-amd64 glxosd-libs-nvidia-support-i386
Se você deseja instalar no Debian ou no SteamOS consulte o manual oficial, você encontra o o código fonte do GLXOSD para compilar para o seu sistema aqui

Como usar?

Depois de instalado o procedimento é simples, em tese basta rodar o comando:
glxosd nome_do_programa
Uma boa forma de testar se ele está rodando adequadamente é usar o terminal e rodar o GLXGEARS, digite no terminal:
glxosd glxgears 
Se o GLXGEARS não estiver presente você pode instalá-lo através do pacote Mesa-Utils:
sudo apt-get install mesa-utils 
Para usar na Steam o procedimento é um pouco diferente, você precisa mudar os padrões inicialização do game e adicionar o seguinte comando:
glxosd --steam %command% 
Com este comando você poderá ver o painel da Steam dentro dos games normalmente pressionando "Shift+TAB", se você tem a integração do Steam Overlay desligada pode remover o parâmetro:
glxosd %command% 
Você pode ver exemplos destas configurações na página oficial também, lá eles colocam alguns prints. Você pode ver um vídeo que eu fiz usando a ferramenta logo abaixo: 


Fazendo Benchmarks


O GLXOSD tem um recurso muito legal que é um sistema de benchmark. Existem duas teclas de atalho padrão no software, "Shift+F10" ativa e desativa o GLXOSD e "Shift+F9" faz benchmarks.

Para começar um benchmak você deve pressionar a tecla de atalho "Shift+F9" e rodar o game normalmente, jogar por alguns minutos ou algo assim, e para encerrar pressione novamente as mesmas teclas de atalho.

Para analisar o seu benchmark é necessário que você faça upload do arquivo gerado que fica dentro da sua pasta /tmp (acesse pelo seu gerenciador de arquivos) para esta página do site oficial do programa, lá você terá seus gráficos de desempenho sob várias nuances. No vídeo acima eu não mostrei esta parte, pois na época eu ainda não sabia como funcionava, provavelmente farei um novo vídeo sobre a ferramenta no futuro.

Para finalizar, ainda existe uma série de configurações que podem ser feitas em relação ao GLXOSD, como a mudança de fonte, tamanho das mesmas e cores, saiba mais sobre isso aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 17 de maio de 2016

Como definir os programas padrões para abrir um determinado arquivo no Ubuntu

Como associar arquivos e determinadas extensões a um programa específico no Ubuntu? Bom, isso é muito mais simples do que você pode imaginar e existem duas formas principais de fazer isso, vamos aprender?

Definindo aplicativos padrão no Ubuntu




Hoje me dei conta de que tenho muito mais contato com documentos do Microsoft Office do que em formato aberto na empresa, então para fins de praticidade, era melhor eu mudar o programa padrão para abertura de documentos. Eu uso o LibreOffice sempre que possível, mas de fato, tenho usado muito mais o WPS Office ultimamente, justamente pela sua excelente compatibilidade com documentos do Word, Excel e PowerPoint.

Então resolvi mudar de uma vez a associação dos documentos para abrir diretamente com o WPS dando dois cliques, até então eu sempre clicava com o botão direito do mouse, ia em "Abrir com" e selecionava a aplicação, quando eu mudei a associação e comecei a trabalhar, "me deu um estalo" e me dei conta de que nunca mostrei como fazer isso aqui no blog, e bom, eis o motivo do post.

Como mudar a associação de arquivos e programas no Ubuntu?


O Ubuntu tem uma opção nativa para configurar os tipos de arquivos principais, músicas, imagens, navegador, etc, para acessar essas configurações, abra o menu do sistema e procure por "Detalhes", dentro desta aplicação há uma sessão específica para você configurar os aplicativos padrão para uma série de tipos diferentes de arquivos.

Aplicativos padrão no Ubuntu

Como você pode ver, estas opções acima não permitem que você configure tipos alguns tipos diferentes de arquivos, como os documentos por exemplo, que era o que eu queria mudar, mas isso também é muito simples de fazer, você pode fazer isso uma vez com o tipo de arquivo que você quiser atribuir a algum programa e isso valerá para todos os demais que tiverem a mesma extensão.

Vamos usar o exemplo de uma planilha xlsx que normalmente abre com o LibreOffice, clique com o botão direito sobre o arquivo, vá até "Propriedades" e na aba "Abrir com" selecione o programa que você deseja que seja responsável por abrir o arquivo e na parte inferior clique em "Definir como padrão".

Programas padrão do Ubuntu

É só isso, simples assim, você pode fazer isso com qualquer arquivo que você desejar.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Cliente de E-mail para Linux Geary recebe atualização, veja como instalar no Ubuntu

O Geary é um gerenciador de e-mail muito bonito, é uma alternativa ao Thunderbird para quem precisa de algo mais simples, porém ele havia sido "aposentado" em Fevereiro, tanto que o pessoal do elementary OS que usava ele como padrão começou a desenvolver o seu próprio. Agora ele está de volta e você pode voltar a utilizá-lo.

Geary Mail Ubuntu 16.04 LTS Xenial Xerus


Desde que exista alguém interessado e continuar com o projeto, software de código aberto dificilmente morre e é justamente este o caso do Geary. A empresa que o mantinha decidiu abandonar o projeto e um novo desenvolvedor tomou o seu lugar, agora é possível instalá-lo novamente com algumas melhorias no seu Ubuntu ou derivado, para outras distribuições consulte os repositórios da mesma.

Você encontra o novo perfil do Geary no Launchpad aqui.

Como instalar o Geary Mail no Ubuntu 16.04 LTS Xenial?


É muito simples, você só precisa adicionar este repositório: ppa:geary-team/releases

Para fazer isso, abra o menu do Ubuntu, digite "Programas e atualizações" e na aba "Outros Programas" adicione o repositório.

Adicionando PPA Geary Mail

Depois disso, ao clicar em "Fechar" será pedido para recarregar a lista de softwares, caso não aconteça, use o programa "Atualizador de Programas" que você encontra no menu para isso.

Agora você conseguirá instalar a aplicação através da Ubuntu Software, basta clicar no botão abaixo:

Para quem preferir fazer a instalação pelo terminal...


Obviamente também é possível fazer a instalação via terminal, basta usar os seguintes comandos:
sudo add-apt-repository ppa:geary-team/releases -y 
sudo apt-get update && sudo apt-get install geary
Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 16 de maio de 2016

Epoptes - Um programa para gerenciar laboratórios de informática com Linux

Muitas pessoas me perguntam se eu conheço um bom programa para fazer a gerência de laboratórios de informática, algo muito útil, especialmente em escolas. Bom, como nunca foi uma realidade minha esta necessidade, eu fiquei devendo uma solução por muito tempo, porém, recentemente eu tive contato com uma solução interessante chamada Epoptes.

Gerenciamento de sala de aula com Epoptes



O Epoptes é um software muito útil para o gerenciamento de laboratórios de informática, com ele você poderá monitorar os alunos, enviar mensagens para os alunos, executar comandos em massa para todos os terminais, bloquear telas, bloquear sons, ligar computadores pela rede, fazer apresentação de Slides e auxiliar os alunos via assistência remota.

Epoptes

Existem dois tipos de Epoptes, a versão servidor e a versão cliente. A versão servidor normalmente é instalada no computador do professor e a versão cliente é  instalada nos computadores dos alunos.

Você encontra o Epoptes na Central de Programas do Ubuntu para instalar facilmente.

Epoptes na Central de Programas do Ubuntu

Instalando e configurando pelo terminal

É possível também fazer o procedimento pelo terminal:
sudo apt install epoptes
E para instalar apenas o cliente:
sudo apt install epoptes-client

Configuração 

No servidor, depois de instalar o Epoptes, rode o seguinte comando para adicionar o usuário do professor:
sudo adduser usuário epoptes
Onde usuário é o nome do usuário que você deseja colocar e você pode e deve alterar livremente.

Nas máquinas clientes você deve editar um arquivo de configuração para indicar o IP do servidor:
sudo gedit /etc/default/epoptes-client
Neste exemplo foi usado o editor de texto Gedit, mas você pode usar qualquer um de sua preferência.

Descomente a linha “#SERVER= ” removendo o # da frente do nome "SERVER" e adicione o IP da máquina servidor depois do sinal de igual, salve o arquivo e reinicie o computador. 

Provavelmente na próxima inicialização os clientes já aparecerão no Epoptes do computador do professor.

Mais informações e documentação à respeito do Epoptes você encontra no site oficial.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Telegram está disponível no formato Snap para o Ubuntu

Uma aplicação famosa acaba de desembarcar no Ubuntu 16.04 LTS no novo formato de pacotes Snap, trata-se do Telegram em sua versão para o Ubuntu Phone/Tablet, veja como instalar.

Snap Telegram Ubuntu



Aos poucos mais aplicações no formato Snap vão sendo lançadas, agora você pode usar o Telegram através deste formato por exemplo, ajudar a testar a sua estabilidade e funcionamento. Se você não sabe muito bem como funcionam os pacotes Snap confira o vídeo logo abaixo:


Receba vídeos como este.
Para instalar é muito simples. Antes de mais nada tenha certeza de que o seu sistema está atualizado através do "Atualizador de programas", o pacote do Telegram será encontrado através da Ubuntu Software.

Ubuntu Snap Telegram

Quem preferir fazer a instalação pelo terminal pode usar o seguinte comando:
sudo snap install telegram-sergiusens
Depois da instalação o Telegram aparecerá no seu menu, o software tem apenas 23 MB de tamanho para download.

Telegram Ubuntu Snap

Percebi que ao contrário do cliente oficial que nós ensinamos você a instalar há alguns dias, o cliente Snap ainda não tem um integração perfeita  com o Unity 7, algo esperado, visto que ele foi feito para se integrar com o Unity 8, mas sem dúvida, vale o teste, nem que seja para você conhecer como funciona.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




domingo, 15 de maio de 2016

Vulnerabilidades corrigidas no Kernel, atualize o seu Ubuntu

A Canonical liberou uma atualização de Kernel para o Ubuntu 12.04 LTS, versão lançada em 2012 com suporte até 2017, assim como para o Ubuntu 14.04 LTS, lançado em 2014 e com suporte até 2019 e para o Ubuntu 15.10, com suporte até o meio deste ano, veja como atualizar e manter-se seguro.

Atualização do Ubuntu



Como toda boa distribuição Linux mantida por uma empresa ou comunidade engajada, o Ubuntu tem manutenção de suas versões por um longo período de tempo e os desenvolvedores estão sempre atentos para melhorias no projeto. Foi o que aconteceu no dia 9 de Maio, a Canonical liberou atualizações para duas das LTS ainda em ação e para uma versão intermediária que terá seu suporte encerrado no meio deste ano.

São correções de vulnerabilidade a nível de Kernel, por isso é importante que você mantenha o sistema atualizado, o Kernel é um dos pontos cruciais para segurança de um sistema, para saber mais sobre as vulnerabilidades em cada uma das versões atualizadas consulte os seguintes links:


A Canonical recomenda que você atualize o seu sistema através dos comandos:
sudo apt-get update
sudo apt-get dist-upgrade
As atualizações também podem ser obtidas através do aplicativo "Atualizador de Programas" que se encontra no menu do sistema.

Para continuar sempre protegido, mantenha o seu sistema sempre atualizado.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 11 de maio de 2016

NeteXt'73 - Uma ferramenta avançada para configurar o Ubuntu

Quem busca uma ferramenta gráfica para configuração avançada do Ubuntu pode encontrar no NeteXt'73 uma boa opção para isso. Com recursos como manipulação de Kernel, Drivers de vídeo e updates de firmware, a aplicação se mostra uma alternativa interessante para usuários avançados.

NeteXt'73



O NeteXt'73 é um software de origem polonesa que permite que você faça uma série de ajustes no seu Ubuntu, acima você pode ver todas as ferramentas disponíveis nele e algumas são realmente interessantes e úteis.

Todo o projeto do NeteXt'73 está disponível no Launchpad e ele possui uma série de pacotes dentro de seu próprio repositório, alguns otimizados para um determinado modelo de processador por exemplo, o que garante a otimização.

Apesar de ser um software gráfico, ou seja, não são necessários comandos para usá-lo, podemos dizer que ele é um software avançado, pois através dele você consegue mexer com partes sensíveis do sistema, como o Kernel, drivers, repositórios e outras coisas mais.  O software não tem tradução para o Português, além do Inglês, o único idioma disponível é o Polonês.

Como instalar no seu sistema?


1 - Adicione o seguinte repositório ao seu Ubuntu: ppa:netext/netext73

Caso você não saiba como adicionar um repositório PPA do seu Ubuntu consulte este manual:


2 - Atualize o sistema através do "Atualizador de Programas".

3 - Instale a aplicação clicando no botão abaixo.


Quem prefere fazer pelo terminal, o processo de instalação é o seguinte:
sudo add-apt-repository ppa:netext/netext73 -y && sudo apt-get update && sudo apt-get install netext73 -y

Depois do programa instalado você pode encontrar o mesmo no menu do seu Ubuntu.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 10 de maio de 2016

Mozilla será uma das primeiras a lançar pacotes Snap do Firefox para o Ubuntu

Os pacotes Snap estão aos poucos sendo inseridos no ecossistema do Ubuntu, eles, se adotados pela maioria dos desenvolvedores, serão um divisor de águas na forma com que instalamos programas no Linux, os problemas de dependências estarão extintos e a Mozilla parece ser a primeira empresa popular a querer apoiar esta ideia.

Firefox Snap para Ubuntu



A Canonical recentemente renovou a sua parceria com a Mozilla para que o Firefox seja o navegador padrão do Ubuntu para os próximos lançamentos, como parte desta parceria a Mozilla está empenhada em distribuir o Firefox no novo padrão Snap.

O usuário final dificilmente perceberá a diferença entre um formado e outro, porém, tecnicamente o pacote vai funcionar de uma forma diferente. Em breve eu farei um vídeo para explicar como os "Snaps" funcionam, mas por hora, para você entender, basicamente eles funcionam em Sandbox, cada aplicação rodando isolada da outra.
O lançamento do Firefox empacotado no formado Snap deverá acontecer até o final deste ano. 
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 6 de maio de 2016

Veja o Music App do Unity 8 em ação de maneira convergente

O Music App é um dos programas do Unity 8 que eu mais gostei, especialmente pela aparência, agora você pode conferir uma amostra de como ele funciona em telas de diferentes tamanhos.

Music App



É a mesma aplicação rodando em tamanhos diferentes e moldando a sua interface para a resolução em que foi destinada. A aplicação também é exatamente a mesma que roda em Tablets e Smartphones, confira:


Saiba que é possível instalar algumas das aplicações do Unity 8 n Ubuntu 16.04 com Unity 7, saiba mais neste artigo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Canonical corrige o bug de instalação de pacotes .deb na Ubuntu Software do Ubutnu 16.04 LTS

Finalmente o probleminha irritante de instalação de pacotes .deb no Ubuntu 16.04 LTS foi corrigido e agora é possível instalar pacotes de terceiros dando dois cliques novamente, como em todas as versões passadas, sem maiores problemas.

Ubuntu Software com problema dos Debs corrigido




Essa foi o bug mais chato que eu já tive com o Ubuntu deste sempre, mas neste caso, não fui só eu, aparentemente todas as pessoas tiverem o mesmo problema, não que ele não pudesse ser contornado, como nós mostramos neste post, mas é muito melhor se a função nativa funcionar corretamente.

A atualização vem através de uma atualização simples do sistema, então procure o aplicativo "Atualizador de programas" no menu do sistema, ou se preferir, use o terminal:
sudo apt update
sudo apt dist-upgrade
Com isso a instalação de pacotes .deb volta a funcionar normalmente.

Instalação de pacotes .deb

Instalação de pacotes .deb

Instalação de pacotes .deb

Bacana né, um problema a menos, uma solução a mais. Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 5 de maio de 2016

Mark Shuttleworth diz: "Ubuntu não terá Backdoors"

Faz poucos dias que o Ubuntu 16.04 LTS saiu e tem muita gente já esperando o 16.10, versão que sai apenas em Outubro e que deve trazer uma série de novidades para o sistema. O fundador da Canonical comentou sobre a segurança no futuro do Ubuntu e também sobre o servidor gráfico Mir.

Mark Shuttleworth fala sobe o Mir e criptografia




Mark Shuttleworth, criador do Ubuntu e da Canonical, deu uma entrevista ao site eWeek onde comentou sobre as novidades que deverão chegar juntamente com o Ubuntu 16.10, a versão de Outubro deste ano, e também sobre o futuro da plataforma em si. Nós já sabemos que o Ubuntu 16.10 Yakkety Yak não irá trazer o Unity 8 como a interface padrão, e também não será o Mir o servidor gráfico padrão, ainda que ambos estejam disponíveis diretamente da tela de login.

Mark disse que não pode afirmar com exatidão quanto o Mir será colocado como o servidor gráfico principal do Ubuntu, mas comentou sobre isso usando uma frase que parece fazer muito sentido: "O Mir será o padrão quando o usuário não notar que ele está lá".

Isso quer dizer que o Mir será padrão quando ele funcionar tão bem ou melhor que o X, servidor gráfico atual, onde o usuário simplesmente não vai precisar configurar nada ou fazer ajustes para usá-lo, algo que ainda está acontecendo hoje em dia. O grande diferencial do Mir é que ele é híbrido, o mesmo software pode ser usado dentro de Smartphones, Tablets, computadores, TVs e onde mais for necessário uma tela com interface para o Ubuntu, uma vez que o Unity 8 é convergente, é responsivo, essa é uma dupla que se complementa.

Outro ponto interessante comentado na entrevista é que Shuttleworth afirma que o Ubuntu tem trabalhado fortemente para melhorar a criptografia do sistema: "A ideia por trás da criptografia não é esconder o que fazemos e sim, poder escolher o que compartilhamos".

Ele afirmou que o Ubuntu nunca terá nenhum Backdoor no sistema, especialmente  com chegada dos pacotes Snap, que em conjunto com o servidor gráfico Mir tornam as aplicações mais seguras.

Aparentemente ele não está com pressa de terminar o projeto Mir/Unity8, ele está mais preocupado com funcionalidade e eficácia, que é algo que todos esperamos, a maior questão ainda é, será que o que o fundador da Canonical falou será seguido à risca nos próximos anos?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 4 de maio de 2016

Ubuntu Tweak será descontinuado

Uma notícia ruim para quem gosta do popular software de personalização do Ubuntu, o Ubuntu Tweak. O desenvolvedor da aplicação anunciou que não pretende dar continuidade ao projeto.

Ubuntu Tweak



O desenvolvedor da aplicação, Tualatrix Chou, anunciou que não pretende mais dar continuidade para o projeto Ubuntu Tweak. Ele tinha parado há alguns anos atrás também, mas como a comunidade Ubuntu pediu muito para que ele continuasse ele manteve o projeto ativo até agora.

Por conta de falta de tempo e também de interesse por parte do desenvolvedor o projeto está parando, o site oficial já está fora do ar e possivelmente os repositórios também estarão em breve. De fato, o Ubuntu não recebia uma grande atualização desde o Ubuntu 11.10, lá de 2011, os ajustes feitos apenas efetivavam a compatibilidade com as versões mais novas.

Felizmente não dependemos do Ubuntu Tweak, ainda que ele seja excelente, para configurar a aparência e comportamento do sistema, para isso temos o Unity Tweak Tool ou até mesmo o Unsettings, mas o Ubuntu Tweak ainda tinha algumas características que estes não tem, como por exemplo a ferramenta para fazer limpeza no sistema. Neste caso você pode usar uma outra ferramenta chamada Bleachbit.

Como o código do Ubuntu Tweak é aberto e está disponível no GitHub, pode ser que alguém interessado continue a desenvolvê-lo, o que seria algo muito bom, mas por hora o anúncio oficial é: O Ubuntu Tweak acabou.

E aí, o que você achou da notícia? Vai sentir falta do Ubuntu Tweak?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Unsettings -Um ótima opção para configurar o Ubuntu ao seu gosto

Hoje vamos mostrar para você uma boa opção para configurar o seu Ubuntu com Unity. Existem várias ferramentas para configurar o sistema, sendo que o Unity Tweak Tool é a mais popular, e tínhamos também o Ubuntu Tweak, que agora será descontinuado, por isso, vamos conhecer o Unsettings.

Unsettings - Ferramenta para configurar o Ubuntu




A ferramenta é muito simples, leve e possui diversas opções para configurar o menu do Ubuntu, temas, comportamento das janelas, efeitos, privacidade, indicadores e muitas outras coisas, tudo detalhadamente, depois de fazer os ajustes basta clicar em "Aplicar as configurações" e a "mágica" está feita.

Instalar o Unsettings do Ubuntu é muito simples, basta instalar um simples pacote .deb dando dois cliques, você pode baixá-lo clicando no botão abaixo:
O Ubuntu 16.04 LTS está com um problema na Central de Programas nova que impede a instalação de pacotes .deb, porém, isso pode ser contornado facilmente com esta nossa dica, basta clicar e aproveitar.

Se você preferir, é possível fazer a instalação via terminal também:
sudo apt-add-repository ppa:diesch/testing -y
sudo apt update
sudo apt install unsettings -y
Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Nova versão do leitor de PDF Evince tem função de destacar texto

O Evince 3.18, que vem junto com o Ubuntu 16.04 LTS, traz consigo uma nova função "escondida" que me estava passando despercebida. Graças ao nosso leitor Eronides Junior, que me avisou sobre a funcionalidade, eu agora posso compartilhar com vocês a novidade.

Leitor de PDF do Ubuntu com função destaca texto




O Evince é o leitor de documentos (PDFs) padrão do Ubuntu e de boa parte de seus derivados, assim como distribuições que usam o Gnome como ambiente gráfico ou base. O que dizer dele? Ele é simples e funcional, sempre foi. Muitas vezes simples até demais.

Existem muitos leitores de PDF para Linux, o Okular do KDE por exemplo já tinha essa função há muito tempo, o Foxit Reader para Linux também, mas não deixa de ser uma funcionalidade interessante.

Para usar o recurso, abra o seu documento e clique no ícone do que parece ser uma "agendinha" ou algo do tipo, talvez um bloco de notas? (é, acho que faz mais sentido).


Clicando no ícone em questão, vão se abrir mais algumas opções logo abaixo, sendo que a da direita é a função de usar o destaca texto.

Evince com destaca texto

Depois de clicar no local indicado o seu cursor será capaz de destacar o trecho de texto que você desejar, dando dois cliques sobre a área selecionada é possível também adicionar comentários em uma nota.

Evince com a função de destacar texto

Bem legal essa função, agora nativa, não é? Quando você fechar o documento o programa vai pedir se você quer salvar as edições que fez no próprio documento ou se você quer criar uma cópia dele com as suas anotações para não "danificar" o original.

Compartilhe a dica, tenho certeza que vai ser útil pra muita gente. Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.