Home » Ubuntu

Novo repositório PPA para drivers open source atualizados para o Ubuntu

Há algumas semanas atrás a Feral Interactive, a principal empresa que tem portados games para Linux nos últimos anos, pediu para que fosse disponibilizado para o Ubuntu o suporte para as versões mais recentes dos drivers de código aberto MESA de forma oficial pela Canonical. Até o momento não existe nada oficial, mas existem duas alternativas comunitárias.

Mesa drivers atualizados




Os drivers MESA costumam acompanhar o Kernel Linux, eles são os drivers de código aberto que acompanham as distros, e existem várias formas de você manter eles atualizados no seu sistema, o maneira mais comum é atualizando o Kernel Linux, você pode fazer isso manualmente ou usando um utilitário para facilitar as coisas, outra forma é instalar o repositório Oibaf e agora você pode usar um novo PPA também.

Isso vale para todos os que usam drivers de código aberto, seja Intel, AMD ou Nvidia, o PPA ainda é novo e experimental, então tenha em mente que se algo não funcionar você poderá ter alguns problemas no sistema até remover. Por este motivo, vamos ensinar apenas a fazer a instalação usando o terminal, isso afasta algumas pessoas mais leigas que se fizerem o procedimento e enfrentarem prolemas vão ter mais dificuldade:
sudo apt install ppa-purge 
sudo add-apt-repository ppa:paulo-miguel-dias/pkppa
sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade
Depois de instalado, reinicie o sistema para começar a usar a nova versão do MESA, caso algo dê errado utilize o ppa-purge para remover:
sudo ppa-purge ppa:paulo-miguel-dias/pkppa
Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

elementary Script - Deixe o elementary OS pronto para o uso com poucos cliques

O elementary OS é a escolha de muitos leitores aqui do blog como sistema operacional para ser utilizado no dia a dia, mas convenhamos, se o elementary OS tem um "defeito", este "defeito" é necessitar de adição de muitos e muitos programas na pós instalação, mas graças a este script, o seu trabalho será reduzido, e muito!

elementary OS pos install script




O elementary OS 0.4 Loki é uma distro que agrada a muitos, porém, como comentamos na review logo após o lançamento, um dos grandes problemas é a falta de pacotes nativos, isso faz com que mesmo um usuário muito básico de computador precise instalar várias aplicações para deixar o sistema completamente funcional.



O elementary Script é, como o nome sugere, um Script que permite uma instalação prática e fácil de todos os programas principais necessários para deixar o elementary OS mais completo. São funções que vão desde instalar o elementary Tweaks, até habilitar o uso de PPAs, que neste versão veio desabilitado por padrão, passando por instalação de codecs e aplicativos conhecidos.

Para usar o elementary Scrpt, você vai precisar abrir o terminal do sistema e colar os seguintes comandos:
sudo apt install git 
git clone https://github.com/btd1337/elementary-script 
cd elementary-script 
./elementary-script.sh
Rodando o último comando a interface do elementary Script vai se abrir, basta você marcar nele tudo o que você desejar instalar:

elementary Script

Depois de marcar as aplicações e recursos que você deseja ativar, basta clicar no botão "OK" e o processo será automático.

Para excluir o script basta apagar o arquivo dentro da sua home. Este script, apesar de ter sido pensado para o elementary OS, também pode ser utilizado em outros derivados do Ubuntu.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Conheça o "Hollywood" o comando do terminal Linux mais zoeiro da história

Você já deve ter reparado que Hollywood gosta de representar um "hack" a algum sistema ou computador com muitas imagens que parecem algo muito complexo, de preferência cheio de "letrinhas" coloridas e telas piscando. Hoje você vai aprender a criar uma coisa assim no seu terminal.

Hacker de Hollywood no Ubuntu





Nos vídeos que nós fizemos sobre a série Mr. Robot, um dos comentários mais recorrentes que tivemos foi justamente sobre a verossimilhança da série e o quanto, desta forma, ela acaba agrando os profissionais da tecnologia, porém, não podemos esperar que todos os filmes e séries tenham o mesmo compromisso, muitas vezes uma tela bem desenhada e com um visual mais descritivo pode funcionar melhor para o público.

Como zoeira pouca é bobagem e o terminal Linux só não faz pizza (ou faz?), hoje vou vai aprender a "pagar de hacker" usando um comando só.

Se você é um cara quer aprender um pouco mais sobre o terminal, de forma séria, eu recomendo ler o nosso post recente que te mostram alguns comandos do Terminal que pode ser bem úteis e uma série de outras dicas.

Hollywood

Baseado na criatividade dos hackers hollywoodianos é que foi criado um pacote chamado hollywood, ele roda vários pequenos programas no terminal de uma forma muito dinâmica e ainda toca a música do "Missão impossível" (sério!")

Para instalar no Ubuntu e derivados abra o terminal e digite:
sudo apt install hollywood
Depois de instalado basta rodar o comando "hollywood" e aproveitar o show!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sábado, 3 de dezembro de 2016

Como o Mir pode ajudar o tornar o Ubuntu uma ótima plataforma para todas as tecnologias

Hoje um dos engenheiros da Canonical e do Mir fez um artigo no Insights da empresa sobre o novo servidor gráfico e como ele pode mudar, e para melhor, a forma com que as distros Linux se relacionam com dispositivos embarcados, quiosques, convergência e muito mais.

Mir Ubuntu





O Mir é o novo servidor gráfico da Canonical para substituir o X, porém, ele é comumente associado ao Unity 8, a nova interface que a empresa vem trabalhando para o Ubuntu, entretanto, ele não é feito para funcionar somente no sistema da Canonical, pelo contrário, com código aberto e pensado para a convergência, ele pode ser usado por qualquer distribuição que o deseje.

O Mir também pode ser utilizado em várias camadas de operação diferentes, pensado para ser utilizado como interface para dispositivos embarcados com painéis visuais e até mesmo para máquinas que serão usadas como quiosques, de fato, o Mir possui uma forma especial para trabalhar com cada uma dessas situações, o que o faz convergente, não somente entre Desktop e Mobile, mas para praticamente qualquer aparelho.

O servidor gráfico atual,  o X, vem perdurando ao longo dos anos graças a adaptações e "enxertos" para suportar as novas tecnologias, o X vem de um tempo onde os computadores eram utilizados de formas muito diferentes do que temos atualmente e é aí que o Mir, assim como o Wayland, entram.

Tanto um, quanto o outro, Mir e Wayland, ainda estão em desenvolvimento pleno e com dificuldades para utilizar drivers proprietários por enquanto, muito em parte pelas fabricantes de placas, o Mir no entanto já vem dando conta do recado nos dispositivos móveis, o que pode ser um indicativo de sucesso de implementação. Temos que aguardar a evolução de ambas as aplicações, pois é necessário compatibilizá-los para rodar aplicações que atualmente rodam sobre o X.

Fique ligado aqui no blog para saber as novidades e até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Anunciado o calendário de lançamento do Ubuntu 17.04 Zesty Zapus

O futuro lançamento do Ubuntu, a versão 17.04, só sai no próximo ano, mas seus alphas e betas já tem data marcada para chegar, confira.

Ubuntu 17.04 Zesty Zapus




Há algum tempo atrás a Canonical anunciou o Ubuntu 17.04 Zasty Zapus, a versão que deverá sair em Abril do próximo ano. Esta versão não será uma LTS, ou seja, terá apenas 9 meses de suporte e será responsável, muito provavelmente, por avançar mais alguns passos no desenvolvimento do Unity 8 e dos pacotes Snaps.

Obviamente o ciclo 17.04 não apenas trará vida ao Ubuntu 17.04 Zesty Zapus, mas também a todos os derivados oficiais no sistema, como Kubuntu, Xubuntu, Ubuntu Gnome e por aí vai.

Para os interessados em acompanhar o desenvolvimento de perto, esta são as datas dos lançamentos intermediários deste ciclo do Ubuntu:

- Alpha 1 – 29 de Dezembro (incluindo as flavours)
- Alpha 2 – 26 de Janeiro (incluindo as flavours)
- Congelamento de novos recursos - 16 de Fevereiro
- Beta 1 - 23 de Fevereiro (incluindo as flavours)
- Congelamento das interfaces - 9 de Março
- Beta Final -  23 de Março
- Congelamento do Kernel - 30 de Março
- Release Candidate – 13 de Abril
- Versão Final - 21 de Abril


Fique ligado aqui no blog, as novidades sobre o Ubuntu você sempre vai encontrar por aqui e no canal também.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 29 de novembro de 2016

Etcher - Crie pen drives bootáveis de qualquer sistema facilmente

Se você está procurando o programa multi plataforma para criar cartões SD e Pen Drives bootáveis a sua procura acaba agora! Conheça o Etcher!

Pen Drive Bootável




O Etcher é uma ferramenta muito prática para mandar qualquer sistema operacional para um dispositivo de armazenamento móvel, como um Pen Drive ou um cartão SD. Ele possui versão para Linux, Mac e Windows e a versão para Linux é especial, pois ela usa o sistema AppImage, o que elimina qualquer necessidade de instalação, basta baixar e dar dois cliques. O Etcher também tem seu código aberto e disponível para consulta no GitHub.
Depois de baixar o arquivo, basta extrair da pasta e dar dois cliques, assim vai se abrir uma janela pedindo se você quer rodar a aplicação e instalar ela no computador, ou simplesmente utilizá-la direto sem instalação, você pode marcar a opção que desejar.

Etcher no Ubuntu
Depois disso a aplicação vai se abrir e então o processo é muito simples, basta selecionar a ISO que você deseja na primeira opção, selecionar o destino da ISO na segunda e mandar fazer a gravação na terceira.

Etcher Linux Pen Drive Bootable

Espero que a aplicação possa ser tão útil para você, quanto foi para mim, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 22 de novembro de 2016

Como instalar o Microsoft SQL Server no Ubuntu

A Microsoft liberou os primeiros previews do SQL Server para Linux e você que gostaria de trabalhar com a ferramenta ou fazer alguns testes já pode fazer no Ubuntu e no Red Hat EL com suporte oficial, confira.

Microsoft SQL Server para Linux




O produto da Microsoft será disponibilizado para clientes do Azure, mas também está disponível para o público que desejar testar e utilizar, no tutorial de hoje você vai aprender a instalar o Microsoft SQL Server no Ubuntu 16.04 LTS.

Para fazer isso, abra o terminal do seu sistema, ou caso você esteja rodando o Ubuntu Server, basta rodar os comandos:
curl https://packages.microsoft.com/keys/microsoft.asc | sudo apt-key add - 
curl https://packages.microsoft.com/config/ubuntu/16.04/mssql-server.list | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/mssql-server.list
sudo apt-get update
sudo apt-get install -y mssql-server
Isso vai instalar o SQL Server no sistema, agora vai ser necessário rodar o script de configuração:
sudo /opt/mssql/bin/sqlservr-setup
Depois que a configuração estiver pronta, verifique se o serviço está rodando com o comando:
    systemctl status mssql-server
Se tudo estiver funcionando você já tem o seu SQL Server funcionando, para instalar algumas ferramentas nele consulte o manual oficial da Microsoft.

Caso você queira ver a documentação para o Red Hat clique aqui para conferir, se você usa outra distribuição, ou mesmo o Ubuntu ou Red Hat, você pode optar também por rodar a aplicação via Docker.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como mapear uma unidade de rede no Ubuntu

Existe uma forma simples de você salvar as unidades de rede que você acessar no Ubuntu para que você possa acessar posteriormente de forma fácil, assim como você faz no Windows.

Como mapear unidades de rede no Ubuntu



Se você trabalha e alguma empresa onde é necessário acessar vários arquivos em rede de forma constante, ficar acessando o servidor através do gerenciador de arquivos e digitando o IP pode ser algo improdutivo, não somente na empresa, mas até mesmo em casa, caso exista uma situação deste tipo.

Como mapear uma unidade de rede para acessar rapidamente no Ubuntu?


Abra o gerenciador de arquivos e clique em conectar ao servidor:

Nautilus Conectar a um servidor

Digite o endereço de IP do servidor que você quer acessar:

Conecte ao servidor

Dica: Para acessar um compartilhamento, mesmo em rede Windows no Ubuntu, digite "smb://" seguido do IP.

Se você não souber o IP do computador que você que acessar, use a opção "Rede" para navegar pela rede disponível e encontrar o servidor que você deseja.

Navegar em rede

Depois de acessar o servidor que você deseja normalmente, basta você adicionar um marcador com ele, assim você vai conseguir acessar facilmente. Existem duas formas de fazer isso:

1 - Clique com o botão direito sobre a conexão que apareceu do lado esquerdo do gerenciador de arquivos e clique em "adicionar marcador."

Mapeando unidade de rede

2 - A outra forma é usar o menu "Marcadores" e "Marcar este local", assim a unidade de rede fica sempre salva e pronta para ser acessada do lado esquerdo do seu gerenciador de arquivos:

Unidade de rede mapeada Ubuntu

Mapeando Unidade de Rede


Assim fica muto fácil de você acessar as unidades de rede dois, bacana, não é? Praticamente qualquer interface gráfica do Linux tem essa capacidade, basta seguir a mesma lógica.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 18 de novembro de 2016

ONLYOFFICE é um novo pacote Office para Linux, Windows e Mac

Quem não conseguiu se adaptar ao LibreOffice e ainda está à procura de uma suíte Office que seja compatível com formatos abertos e ao proprietário poderá encontrar no Only Office uma opção interessante para o Desktop Linux, Windows e Mac.

Only Office




Hoje o pessoal do Only Office entrou em contato com a gente para falar um pouco sobre as novidades. Na verdade o produto já tinha sido liberado há alguns dias, porém, ele recebeu algumas atualizações e correções e agora está pronto para o usuário final.

Only Office Ubuntu

O ONLYOFFICE liberou o código-fonte dos editores de documentos para desktop - ONLYOFFICE Desktop Editors - sob a licença AGPL v.3. De agora em diante os editores são completamente livres para uso doméstico e comercial. 
O ONLYOFFICE Desktop Editors é um pacote de escritório que permite aos usuários criar, visualizar e editar documentos, tabelas e apresentações sem estar conectado à Internet. Todas os formatos populares são suportados: DOC, DOCX, ODT, RTF, TXT, PDF, HTML, EPUB, XPS, DjVu, XLS, XLSX, ODS, CSV, PPT, PPTX, ODP. Ele é composto por 3 aplicações distintas para a criação de tabelas, documentos e apresentações, assim como o WPS Office.

Em comparação com as populares suítes de escritório de código aberto como OpenOffice e LibreOffice, o ONLYOFFICE oferece maior compatibilidade com os formatos de Microsoft Office, porque ele usa o formato OOXML (docx, xlsx, pptx) como um base. Isso ficou mais evidente num pequeno teste que eu fiz com uma planilha que foi gerada no Excel com algumas formatações:

Only Office

Only Office

Como você pode ver, no ONLYOFFICE o arquivo não perdeu a sua formatação de cores, coisa que aconteceu no LibreOffice. Para vias de comparação eu abri o mesmo arquivo no WPS Office e o resultado foi o seguinte:

WPS Office

Nele o resultado também foi melhor que o LibreOffice e praticamente a mesma coisa que o ONLYOFFICE, entretanto, fazendo uma breve comparação, o WPS tem tradução para Português mas não trabalha com formatos abertos, já o ONLY trabalha também com formatos abertos, porém, é apenas em Inglês.
Voltando ao ONLYOFFICE, o modo online está disponível também, você pode conectar o aplicativo ao seu ONLYOFFICE na nuvem ou a um servidor local (há versão server gratuita e aberta - Community Edition), este modo online permite usar todas as funções de colaboração e recursos de bate-papo da suíte, o que pode ser muito interessante para quem quer implementar em uma empresa.

As funcionalidades dos editores podem ser estendidas através de plugins. Você pode fazer uso do ONLYOFFICE e das extensões prontas (modelos, OCR, tradutores, Youtube, etc.) ou criar seu próprio plugin com funções de que precisa nos editores. Leia a documentação da API para saber mais sobre os plugins. 

Plugins prontos podem ser encontrados no repositório de GitHub .

A versão atual está disponível para a maioria das distribuições Linux (sistemas 64 bits): você pode baixar pacotes DEB ou RPM. Windows (sistemas 32 bits e 64 bits) e MacOS são suportados também.


Se você ainda está procurando uma suíte office para trabalhar vale a pena dar uma chance para o ONLYOFFICE.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.





quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Quebrando mitos do Linux: Debian "velho", Buguntu e Gentoo para servidores

O mundo Linux é cercando de opiniões e rumores, alguns se aproximam mais da verdade do que outros, hoje vamos falar sobre alguns em específico: o Debian ser antiquado e pouco atualizado, o Ubuntu ser bugado e o Gentoo ser inadequado para servidores. Quem vai colocar os "pingos nos is" hoje é o nosso redator ,Gabriel, também autor do canal Toca do Tux.

Mitos do Linux




Existem muitos mitos no mundo Linux, alguns eu mesmo já comentei, tanto em vídeo no canal Diolinux, quanto aqui no blog, como o "Linux não pega vírus", aquele sobre a desfragmentação de disco no Linux e um outro sobre o compartilhamento de bibliotecas do Linux em relação ao Windows e hoje vamos falar sobre outros assuntos igualmente polêmicos e comumente distorcidos, confira:


Canal Toca do Tux
Espero pelo próximo capítulo de "Mitos do Linux", até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Adapta - Instale um tema GTK Material Design no Ubuntu

Você gosta do Material Design implementado pela Google no Android e gostaria de deixar o seu desktop com uma aparência semelhante? Conheça o tema Adapta.




O Adapta é um tema que procura (com o perdão do trocadilho) adaptar o Material Design, desenvolvido originalmente pela Google, para o desktop Linux.

Ele é compatível com vários ambientes gráficos diferentes com suas respectivas versões GTK.

- GNOME-Shell >= 3.22.0 (ou 3.20.1 ou 3.18.3) 
- GNOME-Flashback >= 3.22.0 (ou 3.20.1 ou 3.18.2) 
- Budgie-Desktop >= 10.2.7 
- Cinnamon >= 3.2.0 (ou 3.0.1 ou 2.8.6) 
- Unity7 >= 7.4.0 
- XFce4 >= 4.12.2 
- Mate >= 1.14.0 (Gtk+ 3.2x apenas)
- LXDE >= 0.99.1 (Gtk+ 2.x apenas)

Para instalar no Ubuntu você deve utilizar o seguinte PPA: ppa:tista/adapta


Quem preferir instalar usando o terminal pode fazer assim: 
sudo add-apt-repository ppa:tista/adapta -y
sudo apt-get update
sudo apt install adapta-gtk-theme -y
Se quiser, você pode instalar também um conjunto de papeis de parede específico do tema com o comando:
sudo apt install adapta-backgrounds -y
Depois do tema instalado você pode usar uma ferramenta como o Unity Tweak ou o Ubuntu Tweak para fazer os ajustes e ativar o tema. Vale lembrar que o Adapta não é um tema de ícones, ele é um tema GTK, então pode ser interessante você instalar algum tema de ícones que tenha o mesmo conceito de Material Design para que tudo fique combinando, minha sugestão é o Paper Icon Theme.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como usar os pacotes Snap do Ubuntu em outras distribuições Linux

Eu vejo nos pacotes Snap do Ubuntu uma grande possibilidade para uma mudança de paradigma na forma de distribuição de software para Linux e uma das coisas importantes neste sentido é a compatibilidade com outras distros, assim como os pacotes FlatPak, veja agora como usar os Snaps em outras distros que não sejam o Ubuntu.

Ubuntu Snap em outras distros



O Snapd é o nome do utilitário que um sistema operacional precisa ter para poder utilizar os pacotes Snap, hoje ele está disponível para uma série de distribuições e futuramente estará em mais! Se bem que a lista já é grande o suficiente para abranger a maior parte dos sistemas baseados no Kernel Linux se incluirmos os derivados de cada distro, que também são compatíveis.

Veja agora como instalar o Snapd para ter acesso aos pacotes Snap em algumas distribuições Linux populares. Em todos os casos será necessário utilizar o Terminal, tudo bem? Mas fique tranquilo, independente do caso, o processo é simples, basta prestar atenção.

Pacotes Snap no Arch Linux

sudo pacman -S snapd
Depois de instalar você precisa habilitar o processo para inicialização do sistema se você quiser:
sudo systemctl enable --now snapd.socket


Pacotes Snap no Debian 


No caso do Debian só funciona atualmente no Debian Sid, a versão estável ainda não tem suporte, quem sabe na próxima versão do Debian, né? Mas se você usa o Debian Sid, basta usar este comando:
sudo apt install snapd
Caso você não tenha o sudo habilitado, rode o comando como administrador no terminal.

Pacotes Snap no Fedora

sudo dnf copr enable zyga/snapcore
sudo dnf install snapd
sudo systemctl enable --now snapd.service
 O Fedora usa o SELinux que pode causar alguns conflitos atualmente, então será preciso rodar este comando:
sudo setenforce 0
Se mesmo assim o problema persistir pode pode tentar editar o seguinte arquivo: etc/selinux/config e o configure esta linha desta forma:  SELINUX=permissive

Pacotes Snap no Gentoo


Para o Gentoo o processo é um pouco mais complicado, visite o projeto Gentoo Snappy Overlay no GitHub e siga os passos descritos por lá.

Pacotes Snap no openSUSE


Para o openSUSE o processo é simples também:
sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/system:/snappy/openSUSE_Leap_42.2/ snappy
sudo zypper install snapd 


Pacotes Snap no Linux Mint e outras distros derivadas do Ubuntu


Qualquer distribuição que use como base o Ubuntu 16.04 LTS ou superior já tem a possibilidade de usar os Snaps, o Snapd já está no repositório, isso vale para o Linux Mint, Xubuntu, Kubuntu, Lubuntu, Ubuntu Gnome, etc.
sudo apt install snapd
Depois de tudo instalado você vai poder usar o comando:
sudo snap install nome_do_pacote_snap  
Assim você instala qualquer pacote que esteja no repositório Stable do Ubuntu Core.

Bacana não é? Uma tecnologia facilmente acessível para todos.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




domingo, 13 de novembro de 2016

Open DVD Producer - Crie DVDs facilmente no Ubuntu, Windows e Mac

Quem está procurando um programa para autoração de DVDs que seja multi plataforma vai encontrar no Open DVD Producer uma das melhores alternativas, conheça um pouco mais dele:

Open DVD Producer




O Open DVD Producer funciona de uma forma muitos simples, ele permite que você crie um DVD com menus e capítulos à partir de arquivos de vídeo que você tenha no seu computador. Ele também permite que você crie botões e que faça todo este processo sem precisar de um encoder externo, pois ele já possui um próprio.

Open DVD Producer


Como baixar o Open DVD Producer? Simples, basta ir até o site e escolher a sua plataforma, para Linux somente o Ubuntu é oficialmente suportado, a aplicação é distribuída em formato .deb, o que pode fazê-la funciona em outras distros derivadas da distro, o código fonte também é distribuído para o caso de você querer dar uma olhada ou compilar por você mesmo.

Open DVD Producer Download


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Como instalar a versão atualizada no Ubuntu no Tweak no Ubuntu 16.04 ou superior

A maior parte dos usuários do Ubuntu já ouviu falar do Ubuntu Tweak, um utilitário de sistema muito interessante que permite fazer vários ajustes e configurações avançadas para personalizar o ambiente gráfico e o comportamento do Ubuntu visando deixar ele do jeito que você quiser.

Ubuntu Tweak



O projeto Ubuntu Tweak é muito interessante mas o seu principal desenvolvedor deixou claro que não teria mais condições de mantê-lo no primeiro semestre deste ano, deste modo, o aplicativo que tem seu código fonte disponível no GitHub não recebe uma atualização desde Maio.

Apesar disso, ele ainda é uma boa ferramenta para fazer ajustes no Ubuntu, especialmente para quem quer algo com funções administrativas mais avançadas do que o Unity Tweak Tool.

Apesar de estar parado e aguardando colaboradores, o projeto ainda funciona no Ubuntu 16.04 e 16.10 através de pacotes .deb, uma vez que o repositório PPA deixou de ser abastecido, a versão mais recente da ferramenta é a 0.8.5.




Ambos os pacotes você instala dando dois cliques de forma muito simples e prática, depois de instalado basta procurar pela aplicação no menu do sistema.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Lançada nova versão do Simple Screen Recorder para Linux

Um dos melhores programas para gravar o desktop Linux ganhou uma nova atualização depois de praticamente um ano sem receber upgrades, a versão atual trouxe compatibilidade para a mais recente versão do FFMPEG e corrigiu pequenos bugs.

Simple Screen Recorder Ubuntu




O Linux tem hoje ótimas alternativas para fazer captura de tela de uma forma simples e fácil. O Simple Screen Recorder, junto com o Open Broadcaster Studio, formam a minha dupla preferida para este trabalho.

Apesar do nome "Simple" no título da aplicação, ele é uma ferramenta bem completa e com diversas opções de configuração. Com ele você consegue gravar regiões específicas da tela, janelas exclusivamente ou a tela toda, além disso, é possível também configurar diversas saídas de áudio e formatos de exportação. O Simple Screen Recorder tem o chamado "enconde on the fly", isso significa que no momento que você parar a gravação, o arquivo estará pronto para a utilização, não sendo necessário esperar o arquivo ser gerado.

Outro recurso interessante do SSR é o seu indicador que fica perto do relógio no Ubuntu, assim você consegue controlar a sua gravação diretamente dali sem precisar ficar abrindo o programa completamente.

Como instalar no seu Ubuntu ou distribuição derivada? "Simple!" Basta adicionar o repositório oficial: ppa:maarten-baert/simplescreenrecorder


Para quem prefere utilizar o terminal, basta copiar e colar estes dois comandos:
sudo add-apt-repository ppa:maarten-baert/simplescreenrecorder
sudo apt update && sudo apt install simplescreenrecorder -y
Caso você tenha um sistema de 64 bits e queira gravar aplicações OpenGL de 32 bits instale também este pacote:
sudo apt install simplescreenrecorder-lib:i386
Depois de instalar a aplicação, ela estará disponível no menu do seu sistema para que você possa começar a gravar os seus vídeos e quem sabe até fazer alguns tutoriais ou gameplays para o seu canal no YouTube, assim como a gente faz no canal Diolinux.

Para outras distribuições verifique o site oficial.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Conheça o computador de 20 Dólares que roda o Ubuntu

É incrível como o mercado de pequenos computadores vem avançando, quem diria que teríamos um computador por apenas 20 dólares de uma forma tão acessível?

Orange Pi com Ubuntu




O Orange Pi é uma linha de computadores de baixo custo, que apesar do nome "Pi", não tem relação direta com o popular Raspberry Pi. A utilização principal de um aparelho como este é para pequenos projetos eletrônicos e Internet das Coisas, mas dado o hardware, é possível utilizá-lo para tarefas básicas como editar documentos e navegar na internet.

Orange Pi


A versão de US$ 20,00 possui a seguinte configuração de hardware:

- Allwinner H5 quad core Cortex A53 processor
- Mali-450MP4 GPU
- 1GB DDR3 RAM
- 2x USB 2.0 slots
- 1x USB OTG port
- Micro SD card slot (up to 64GB)
- HDMI out
- 3.5mm audio in/out jack
- Built-in microphone
- Gigabit Ethernet
- 40-pin Raspberry Pi compatible header
- IR receiver
- Power button
- Power and status LEDs

Como você deve ter reparado, ele não tem Wifi ou Bluetooth, mas você pode adicionar dispositivos para essas funcionalidades à partir das portas USBs, ou ligar um HUB nelas para isso, afinal, o preço compensa. O sistema operacional principal é o Ubuntu com LXDE, ou seja, o Lubuntu, você pode comprar um exemplar por esse valor no Ali Express.

Para saber mais sobre o Orange Pi e em todas as variações consulte o site oficial.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como resolver o problema do Google Chrome "piscando" no Ubuntu, Windows e Mac

Alguns leitores relataram que estão tendo problemas gráficos ao utilizar o Google Chrome, pois em alguns momentos o navegador "pisca" de forma incessante, agora você vai aprender a resolver este problema.

Google Chrome Blinking



Eu não sei exatamente qual o motivo deste problema, mas dada a solução, eu suponho que seja algum problema com o driver de vídeo. De qualquer forma, eu acabei encontrando uma solução relativamente fácil e objetiva, pelo que observei este problema tem acontecido com alguns usuários de Mac também e até mesmo de Windows em alguns casos, acredito que a solução seja a mesma para todos os sistemas, incluindo o Linux, por consequência o Ubuntu.

Para evitar o problema te tela piscando no Chrome faça o seguinte:

1 - Vá até as configurações do navegador acessando via URL chrome://settings/ ou através dos menus do browser.

2 - Vá até a opção de configurações avançadas.

Configurações avançadas do Chrome

3 - Na sessão "sistema" DESATIVE a opção "Usar aceleração de hardware quando disponível".

Configurações de Hardware

Depois disso apenas reinicie o navegador e você verá que os problemas de tela "piscando" terão desaparecido.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Ubuntu é utilizado em loja e terminal rodoviário na Bahia #EuViLinux

Um dos objetivos da nossa série de artigos #EuViLinux aqui do blog é mostrar o quanto os sistemas operacionais baseados no Kernel são utilizados nos mais diferentes lugares e o quanto esta tecnologia está ao nosso redor e muitas vezes nós não percebemos, a contribuição de hoje veio da Bahia.

EuViLinux na Bahia



As  imagens de hoje foram enviadas pelo nosso leitor Rustem Ferreira com a seguinte mensagem:

"Meu irmão viu no Shopping da Bahia, em Salvador BA, na loja da Riachuelo, o sistema operacional Ubuntu, o mesmo sistema operacional pode ser encontrado no terminal rodoviário de Salvador, porém não tenho a foto, mas posso garantir. Ele tinha me mandado esta fotos porque ficou espantado, mas tranquilizei ele informando que na rodoviária ele também iria encontrar.

Outra situação que pude observar durante o período de eleições e que todas as urnas usam Linux, reparei quando os técnicos estavam fazendo uma manutenção durante a reportagem do noticiário do BA TV na época."

Ubuntu é utilizado na Bahia

Ubuntu é utilizado na Bahia

Quero agradecer ao nosso leitor que nos enviou as imagens e incentivar você que está lendo a nos mandar também, já temos várias armazenadas para continuar esta série, mas nunca é demais, continue participando e compartilhando para mostrar  o quanto o Linux está presente no nosso dia a dia.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Ubuntu acaba de receber mais uma versão oficial

A mais popular distribuição Linux nos desktops acaba de receber o apoio de mais um projeto e vai entregar mais um "sabor" para o público. Trata-se do Budgie Remix que agora passará a ser uma versão oficial, tornando-se o Ubuntu Budgie.

Ubuntu Budgie




Quem gosta do projeto Solus e do Budgie Desktop e não quer deixar as bases sólidas do Ubuntu com seu imenso repositório e suporte, agora poderá desfrutar de uma versão oficial do sistema da Canonical com a interface baseada nos moldes do Gnome.

O Ubuntu Budgie Remix já existia como uma iniciativa comunitária, mas Mark Shuttleworth mostrou interesse em tornar a distro em uma derivação oficial do Ubuntu há alguns meses atrás, observando o bom trabalho que foi feito pelos desenvolvedores com a versão 16.04 LTS, onde ainda era apenas uma versão comunitária, a Canonical foi convencida de que se trata de um projeto sério e que pode agregar valor para a comunidade de usuários do Ubuntu.

Segundo o anúncio oficial feito pela equipe do Budgie Remix, que agora passará a se chamar Ubuntu Budgie, além de utilizar o nome da família Ubuntu legalmente, a distribuição também poderá usar os servidores da Canonical para hospedar as ISOs, ter acesso a ferramentas para desenvolvedores do Launchpad, fórums oficiais, entre outras coisas que vão trazer ainda mais confiabilidade para o projeto. Além disso, os desenvolvedores do Ubuntu Budgie estão em contato direto com os desenvolvedores do Solus, que é a distro que deu vida ao Budgie Desktop, para que qualquer melhoria feita por eles possa ser passada para o Solus e vice e versa.

A primeira versão sob o novo nome oficial de Ubuntu Budgie será lançada em Abril do ano que vem juntamente com o Ubuntu 17.04.

Você pode baixar as versões ainda não oficiais, 16.04 e 16.10 no site do Budgie Remix.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Editor de vídeo Kdenlive agora é distribuído no formato Snap para o Ubuntu

O editor de vídeos Kdenlive ganhou um novo formato teste de empacotamento, trata-se do formato Snap implementado pelo Ubuntu recentemente que permitirá levar todos os recursos que o editor possui para qualquer interface gráfica sem depender de bibliotecas extras do KDE instaladas previamente.

Kdenlive Snap Package



Os desenvolvedores do Kdenlive anunciaram um novo formato em que o programa será distribuído e se você usa o Ubuntu 16.04 ou superior você já pode testar sem maiores problemas. Um dos principais desenvolvedores do editor, Jean-Baptiste Mardelle, pediu para que as pessoas interessadas testassem o pacote dessem um feedback para melhorá-lo ao longo do tempo.

Leia também: Entenda o Ubuntu Snap


O pacote Snap contém tudo que há de mais novo no projeto Kdenlive, MLT, Frei0r, vid.stab e OpenCV, para instalar você deve rodar este comando:
sudo snap install --edge --force-dangerous --devmode kdenlive-devel
O pacote tem pouco mais de 200 megas caso você não tenha o Snap Ubuntu Core já instalado, depois que o download for concluído você conseguirá abrir o Kdenlive Snap pelo terminal também usando o seguinte comando:
kdenlive-devel 
Este é um dos exemplos interessantes para comentários à respeito do Snap, com ele, não precisamos de repositórios extras para ter um programa em sua versão mais recente, tudo isso sem afetar a base do sistema que garante a estabilidade em uma distribuição LTS como o Ubuntu 16.04.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 8 de novembro de 2016