Home » Unity

macOS Look & Feel - Menus e barras transparentes no Ubuntu

Tem uma característica visual do macOS e do Deepin que eu gosto muito, os menus tem uma certa transparência com uma opacidade mediana, o que dá um acabamento interessantíssimo. Estou utilizando o sistema assim há algumas semanas e hoje vou te ensinar a fazer o mesmo.

Área de trabalho do Ubuntu personalizada macOS





Atenção, neste post eu  NÃO vou te mostrar como instalar um tema macOS no Ubuntu, a intenção é outra, se você estiver procurando por um tema mac para o seu Ubuntu é melhor consultar este outro artigo. 

Quando me refiro ao "Look & Feel" do macOS, estou falando das transparências nos menus e nas barras, além do tema, que apesar de lembrar o sistema da Apple, mantém o jogo de cores do Ubuntu.

Depois do ajuste que nós vamos fazer, a barra superior ficará transparente...

Ubuntu barra superior transparente

... os menus de contexto...

Ubuntu menus de contexto transparente

... e os dropdow menus que aparecem nos indicadores...

Menus transparentes Ubuntu

... todos eles ficarão com um certo nível de transparência.

Para fazer este ajuste vamos precisar configurar um recurso do Compiz, o gestor de janelas do Ubuntu com Unity.

Para fazer as configurações no Compiz, precisamos instalar o aplicativo "Compiz Config Settings Manager", você encontra ele na central de aplicativos do Ubuntu.

Compiz Ubuntu

Uma vez instalado, você encontra ele pelo menu  do Unity; dentro do "Compiz Config" procure a opção "Opacidade, Brilho e Saturação", ative a opção e clique nela.

Dica: Caso a opção não apareça, instale o pacote compiz-plugins-extra
sudo apt install compiz-plugins-extra
Na tela que se abrir, nas regras para janelas, clique na opção "Novo", como é indicado na imagem abaixo:

Compiz Config

Na pequena janela que se abrir adicione a seguinte informação:
Tooltip | Menu | PopupMenu | DropdownMenu) | 
Em "Valores para a janela" coloque "90", como  é mostrado na imagem abaixo, esse valor vai de 0 à 100 e representa o nível da opacidade, você pode colocar o valor que bem entender, mas eu recomendo os 90.

Compiz Config

O resultado final será assim, você deverá perceber imediatamente os menus de contexto com uma transparência.


Esse ajuste também trás um recurso adicional para o seu Unity, você pode ajustar a opacidade das janelas ao mesmo tempo que usa o sistema, experimente abrir uma janela do Nautilus por exemplo, ou qualquer outro programa, segure a tecla "Alt" pressionada e gire o scroll do seu mouse. Você conseguirá deixar qualquer janela transparente.

Opacidade de janelas no Unity


Ajustando a opacidade do lançador do Unity e da barra superior


Para ajustar o nível de transparência das barras lateral e superior do Unity você precisa do "Unity Tweak Tool", você encontra ele na própria Central de Programas do Ubuntu também.

Dentro do Unity Tweak Tool clique em "Lançador".


Observe a imagem abaixo, basta deslizar o interruptor de nível de transparência ao seu gosto, as mudanças são instantâneas.

Nível de transparência da barra do Unity

Para ajustar a barra superior, vá para a sessão "Barra superior".


Observe que aqui também nós temos uma barra onde você pode ajustar o nível de transparência, ajuste ao seu gosto e mais uma vez, a mudança é instantânea.

Ajustando opacidade do painel

Para finalizar, caso você queria instalar o mesmo dock que estou usando nas imagens acima, o Plank, basta seguir este tutorial, para usar o mesmo tema no sistema, basta seguir este outro tutorial.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 15 de março de 2017

A evolução do Unity 8 para Desktops e onde o Ubuntu vai parar

A chegada do Ubuntu 17.04 em Abril nós teremos uma versão muito mais lapidada do Unity 8 para desktops, entretanto, o caminho ainda parece ser longo para compatibilizar, ajustar e polir tudo que é preciso.

Ubuntu Unity 8




A Canonical, quando decidiu trazer o projeto do Unity 8 à vida, assumiu um grande compromisso, uma missão consideravelmente arriscada de desenvolver uma interface convergente entre aplicativos, e dispositivos, e não só isso, ajudar a desenvolver um ecossistema de aplicações que funcionem desta forma também.

O risco de algo dar errado é grande, e sinceramente, até eu que sou um grande fã do Ubuntu receio que o passo foi um pouco maior do que a perna, com consequências desagradáveis, espero estar errado.

O projeto é sim, muito audacioso, e com toda a certeza, só erra quem tenta fazer algo diferente e revolucionário. Se tudo funcionar como o planejado, ótimo! Se não... bom, teremos uma interface não completamente adaptada de um lado e do outro lado, o Unity 7, com alguns anos de falta de inovação. Situação complicada.

Atualmente no Ubuntu as coisas são plenamente funcionais, mas para um sistema que sempre almejou usuários de qualquer nível de conhecimento, trazendo ferramentas tanto para quem é profissional da tecnologia de forma fácil, quanto ferramentas de configuração básica para quem nunca usou um computador, acabar deixando para trás algumas minuciosidades e facilidades e ser ultrapassado em ferramentas para configurações simples pelo seu primo-irmão, Linux Mint, é algo que chama a atenção.

Felizmente para a Canonical, no passado o Ubuntu havia conseguido abrir uma grande dianteira neste sentido para as outras distros, criando um nome e uma marca forte, especialmente para quem desenvolve software (você encontra citações e recomendações do Ubuntu em vários sites, como o do Google Chrome, Steam, etc), isso faz com que a distância de facilidade entre o Mint e o Ubuntu não seja tão grande assim. Reflexo da popularidade, de seus milhões de usuários... bom, e aí vem o tal do Unity 8.

Como o Unity 8 evoluiu ao longo do tempo


Na época que o Unity 8 foi anunciando para os computadores, como o Ubuntu 14.10, era muito claro o quanto aquela interface parecia "alienígena" para se usar em computadores. Hoje ela está com uma funcionalidade mais semelhante ao Unity 7 tradicional.


Esse vídeo aí de cima é de 2014, uma das primeiras versões do Unity 8 que eu pude testar, muito limitada, como você pode ver no vídeo, ela foi uma decepção tremenda para a maior parte das pessoas, incluindo a mim, mesmo que eu entenda que era só o início do projeto.

Talvez o maior problema seja a Canonical ter feito duas coisas que acabaram deixando os usuários chateados.

1 - Anunciar o Unity 8 muito antes dele estar razoavelmente pronto para o Desktop (como está agora com o Ubuntu 17.04, praticamente depois de 3 anos), gerando assim ansiedade dos usuários que em algum momento, cansaram de esperar e mudaram de interface ou de sistema, ou que ainda vão cansar.

2 - Parar de incrementar funcionalidades úteis no Unity 7, a interface remanescente que ficou segurando a bronca enquanto a maior parte dos esforços da empresa foram colocados no desenvolvimento do Unity 8.

Faltou um certo equilíbrio na minha opinião, mas pelo desta vez, o mesmo erro de 2011 não foi cometido, quando a interface Unity apareceu do nada de uma versão para a outra, ainda muito longe de estar funcional, como é atualmente.

De novo eu digo, só faz algo marcante quem se arrisca, mas ser conservador em alguns aspectos também acho que não faria mal.

Pelo lado bom, os Smartphones com Ubuntu trouxeram novas possibilidades para o universo Linux, neste aspecto a Canonical sempre foi inovadora mesmo. Hoje vemos os pacotes Snap com um ecossistema muito mais completo e com maior facilidade de utilização que o FlatPak, isso pode mudar no futuro? Certamente, é até importante que ambos os projetos cresçam, mas manipular Snaps é muito mais simples hoje em dia.


Além disso, ainda temos o Mir, o servidor gráfico, que ainda não apareceu o suficiente para eu poder dizer o que é bom e o que é ruim, assim como o Wayland. Ambos ainda não parecem se integrar tão bem quando o X para usuários em geral.

Apesar de tudo isso o Ubuntu ainda é a distro que abre o mercado para as demais, é o testa de ferro, é a distro que recebe elogios e críticas de quem é de fora (e as vezes de quem é de dentro também), fazer o que, não é? A fama cobra o seu preço. "O Ubuntu é o Neymar do mundo Linux, o Android é o Messi." O Ubuntu é a distro que as fabricantes que vendem computadores com Linux procuram para embarcar em seus dispositivos, ainda é líder em servidores open stack e abrange diversos segmentos, temos Ubuntu para todos os gostos, literalmente.


Quando falamos dos Smartphones a conversa muda um pouco. O Linux continua dominando o setor com MUITA folga com os Androids, porém, falando de Ubuntu Phone a conversa muda drasticamente.

O setor mobile parece ser muito mais complicado de entrar do que o de desktops, que a essa altura já nem importa tanto quanto já importou para muitas empresas, pois tudo se resume a uma palavra: "Apps".

É engraçado observar esse tipo de coisa acontecendo, pois até mesmo onde o dinheiro não é um grande problema, como na Microsoft, emplacar um sistema mobile que carrega o mesmo nome de peso que o sistema operacional mais utilizado do mundo em desktops não foi o suficiente e não deu lá muito certo. Motivo? Em resumo, falta de alguns Apps famosos e a falta de parcerias para distribuir os aparelhos.

Nesta hora é inevitável pensar: Se a Microsoft não conseguiu nem arranhar a Apple e a Google, a Canonical vai conseguir?

Pois é, difícil ser otimista mas para essa pergunta, o próprio Mark Shuttleworth, fundador da Canonical e do Ubuntu te uma boa resposta:

"Se você desistir de fazer algo só porque alguém foi e falhou ou porque alguém já fez melhor, você não deveria fazer mais nada."

Não posso deixar de pensar que ele está certo neste aspecto.

O grande trunfo do Unity 8 neste caso dos aplicativos é que ele poderá rodar todos os programas que já rodam no Linux para desktop, o que automaticamente já deixa ele um pouco mais confortável. Mas "poder rodar" e "rodar de uma forma produtiva e integrada" são duas coisas bem diferentes, vamos ter de aguardar pra ver.

Com a chegada do Ubuntu 16.10, eu também mostrei a evolução do Unity 8 até então, ele realmente se mostrou melhor para o uso no Desktop:


Mas mesmo com estas evoluções, o que temos aqui ainda é uma interface inadequada para produtividade com o computador tradicional.

Mais alguns passos foram dados na direção correta (ao meu ver) com o Ubuntu 17.04 que ainda nem saiu, abaixo você pode conferir um vídeo que mostra toda a evolução do Unity 8 até o seu estado mais recente, ainda pretendo trazer uma atualização sobre ele no canal em breve.


O problema de desenvolver uma interface convergente e escrita do zero praticamente, é que você vai ter que pensar em soluções para problemas que não existiam antes, pois serão particulares de uma interface que trabalha desta forma.

O Ubuntu se encontra em duas fases simultâneas, sob o meu ponto de vista:

Consolidação como distro mais popular em geral, abrangendo vários setores de mercado. Desktop, Servidores, Smartphones, Tablets, Internet das Coisas, Cloud, versões com praticamente todas as interfaces gráficas, um formato de pacotes próprio, um servidor gráfico próprio, uma interface gráfica própria também, um local para que os desenvolvedores possam hospedar e gerenciar seus programas gratuitamente (launchpad), ótima compatibilidade de hardware, marca forte no mercado e parcerias com fabricantes de hardware.

A outra fase é a da inovação/insegurança, onde sabemos o futuro ideal, mas não sabemos se isso será possível. Um grande passo em falso e um fracasso nesta área pode fazer com que a Canonical foque-se muito mais nos servidores e soluções para nuvem, fazendo com que ela se pareça muito mais com uma Red Hat do que com a própria Canonical que criou o Ubuntu.

Acho que só o Ubuntu, dentre as distros, consegue essas duas coisas ao mesmo tempo.

Claro, todo este artigo está cheio de opiniões minhas e especulações, não existem confirmações das coisas que foram ditas de forma geral e eu nem sequer sei o que se passa da cabeça do "tio Mark". 

Falo isso com um tom de preocupação de quem se importa com o Ubuntu, um sistema que mudou a minha vida completamente e que me permitiu trabalhar com o que eu trabalho hoje.

Um sistema que carrega em seu próprio nome uma mensagem que no âmbito da tecnologia pode ser traduzida como acessibilidade para tecnologia.

Ubuntu, do Bantu: "Eu sou porque nós somos".




Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Crie grupos de Apps na barra do Unity no Ubuntu com o LauncherFolders

Apesar da barra do Unity trabalhar muito bem com vários aplicativos, você pode querer agrupá-los, da mesma forma com que você faz no Android ou no iOS, veja como fazer utilizando a versátil aplicação, LauncherFolders.

Launcher Folders




Este programa é muito versátil e tem vários opções que você pode usar para criar grupos de aplicativos. Mas antes de falarmos mais dele, o primeiro passo é você instalá-lo no seu Ubuntu com Unity. Para isso, acesse o site oficial e baixe o pacote .deb de lá, instale dando dois cliques.

Leia também: Crie grupos de Apps no Gnome Shell

Depois de instalado, você vai encontrar o aplicativo "Unity Launchers Folders" na Dash do Unity, abrindo ele você terá acesso a criação e manipulação das suas "gavetas" de Apps e atalhos.

Unity Folders

Você pode clicar no botão de "mais" para criar as pastas, depois basta arrastar os ícones do menu para ela, escolhendo o nome que você bem entender. Há também a possibilidade de você criar atalhos com pastas do sistema e até mesmo links de sites do Google Chrome e do Firefox, basta arrastas os atalhos para o janela do programa.


É uma ferramenta bem eficaz, não? Faça o teste.

Até a próxima! :)
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Diolinux Paper Orange, um novo e moderno tema para o seu Ubuntu com Unity

Olá meus amigos, como estão? É com imenso prazer que venho compartilhar o resultado de um pequeno projeto de modificação de tema para o Ubuntu com Unity. O Diolinux Paper Orange vai dar uma cara mais atual para o sistema e lembrar um pouco o Unity 8 também, além de mesclar elementos do Material Design.

Diolinux Paper Orange Theme




Há algumas semanas eu estava atrás de um tema para o Ubuntu que não mexesse muito no seu jogo de cores, que é algo que eu gosto e o deixa ímpar, comparando a outros sistemas (pelo menos não lembro de nenhum outro que use laranja :P), mas não encontrei nenhum que me agradasse, que modificasse o visual e mantivesse a essência. Não bastasse isso, o tema GTK também precisava seguir o mesmo conceito.

Foi então que eu decidi misturar e modificar dois temas incrivelmente bons do mundo Linux, o popular tema Paper e o tema GTK Flatabulous. Fiz ajustes em ambos, especialmente nas cores para chegar a um resultado que me agradou, mudei alguns ícones também, como o do lançador do Unity, utilizando o mesmo que o Unity 8 utiliza, porém, tomei a liberdade de dar uma "arredondada" nos cantos.

Diolinux Theme Orange

Como o tema acabou aparecendo em alguns prints de tutoriais aqui do blog e também em alguns vídeos do canal, muita gente acabou pedindo que tema era esse e de onde eu tinha tirado, então eu resolvi compartilhar o meu projeto pessoal com vocês, espero que gostem!

Diolinux Theme Orange

Como instalar no Diolinux Orange Theme no seu Ubuntu?


Antes de você fazer  download e começar a usar os seu novo tema, eu tenho que fazer uma agradecimento aos produtores dos temas originais, nos quais eu pude fazer essa modificação, logo no início do texto eu deixei os links para ambos os projetos com tutoriais para você instalar os temas originais se você quiser.

Tenho que agradecer ao Tiago Salem, um grande amigo, que já participou algumas vezes do canal e também produziu o curso de Bash que nós temos no Diolinux EAD. Ele criou o repositório PPA para o tema, então fica aqui o meu muito obrigado a todos que ajudaram.

Se você usa o Ubuntu, você pode utilizar um simples repositório PPA para instalar o tema, se não quiser usar o terminal para fazer a instalação, confira este tutorial:
sudo add-apt-repository ppa:tiagosh/diolinux-paper-orange
sudo apt-get update
sudo apt install diolinux-paper-orange
O pacote é compatível com o Ubuntu 16.04 LTS Xenial e com o Ubuntu 16.10 Yakkety.

Outra  forma de instalar é baixando o pacote .zip, este método serve tanto para o Ubuntu, quanto para qualquer outra distro que queira utilizar o pacote de ícones ou o tema GTK.
Basta extrair as pastas .icons e .themes diretamente para a sua pasta pessoal:

Diolinux Paper Orange Theme

Independente do método que você utilizou, agora será necessário usar uma ferramenta para mudar o tema do sistema, no Ubuntu normalmente pode utilizar o Unity Tweak.

Ajuste o tema

Ajuste o tema

Ajuste o tema

Vá nas configuração de aparência e selecione "Paper orange diolinux" no Tema, nos Ícones e no Cursor, isso já deve mudar o tema completamente, mas se você achar que alguma coisas não foram ajustadas, encerre a sessão e logue-se novamente.

Por último, se quiser utilizar o mesmo papel de parede do tema:

Wallpaper Diolinux Orange


Espero que goste do novo visual do seu Ubuntu, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Como resetar a interface do Ubuntu 16.04 ou superior para o padrão

O Unity, a interface do Ubuntu é um plugin do compositor de janelas Compiz, um gerenciador muito popular no mundo Linux, que viveu o seu auge há alguns anos atrás, como eu pretendo criar um conteúdo especial relacionado a ele em breve, assim como você viu no vídeo do Linux Mint MATE, acho importante mostrar como resetar o Compiz, o Unity e os ícones do Ubuntu para o padrão, assim você pode mexer à vontade e depois voltar ao normal, caso algo não saia como o esperado.

Como resetar o Ubuntu Unity Compiz


Eu há havia feito um tutorial como este para algumas versões mais antigas do Ubuntu, 12.04 até a 13.04, então vamos fazer para versões mais recentes, eu testei e comprovei o funcionamento apenas no Ubuntu 16.04 LTS, mas como o 16.10 não se diferencia muito, o tutorial vai funcionar nele também, lembra que este "reset" funciona apenas no Unity 7.

Para resetar o Ubuntu basta copiar e colocar alguns comandos no terminal, o primeiro deles serve para resetar o Compiz:
dconf reset -f /org/compiz/
Para resetar o Unity em si:
setsid unity
Neste comando, mesmo que o terminal não encerre o processo, você pode fechá-lo, irá funcionar da mesma forma, e por último, para resetar os ícones para o padrão:
unity --reset-icons
Pronto, seu Ubuntu está com as configurações padrão da interface.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Como instalar a versão atualizada no Ubuntu no Tweak no Ubuntu 16.04 ou superior

A maior parte dos usuários do Ubuntu já ouviu falar do Ubuntu Tweak, um utilitário de sistema muito interessante que permite fazer vários ajustes e configurações avançadas para personalizar o ambiente gráfico e o comportamento do Ubuntu visando deixar ele do jeito que você quiser.

Ubuntu Tweak



O projeto Ubuntu Tweak é muito interessante mas o seu principal desenvolvedor deixou claro que não teria mais condições de mantê-lo no primeiro semestre deste ano, deste modo, o aplicativo que tem seu código fonte disponível no GitHub não recebe uma atualização desde Maio.

Apesar disso, ele ainda é uma boa ferramenta para fazer ajustes no Ubuntu, especialmente para quem quer algo com funções administrativas mais avançadas do que o Unity Tweak Tool.

Apesar de estar parado e aguardando colaboradores, o projeto ainda funciona no Ubuntu 16.04 e 16.10 através de pacotes .deb, uma vez que o repositório PPA deixou de ser abastecido, a versão mais recente da ferramenta é a 0.8.5.




Ambos os pacotes você instala dando dois cliques de forma muito simples e prática, depois de instalado basta procurar pela aplicação no menu do sistema.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 10 de novembro de 2016

8 Coisas que o Ubuntu faz e você não sabia!

A interface Unity tem muitos recursos interessantes que podem acelerar a sua produtividade, mas muitas pessoas desconhecem todo o potencial que ela tem, então eu resolvi mostrar 8 recursos que a interface do Ubuntu possui e que você provavelmente não utiliza, pelo menos por enquanto.

8 truques do Unity no Ubuntu




A interface Unity tem algumas particularidades que a tornam bem diferente de se operar em relação a outras interfaces e possui algumas funções que eu ainda não percebi em outras interfaces do Linux, certos atalhos no teclado e alguns recursos que tornam o meu dia a dia muito produtivo, vamos a minha lista de 8 recursos que poucas pessoas conhecem.

1 - Organização das janelas através do teclado numérico

Organização das janelas pelo teclado numérico

Se você pressionar as teclas de atalho "Ctrl+Alt+numero" do teclado numérico você vai conseguir organizar as janelas pela interface de acordo com a distribuição dos números, por exemplo:

- Ctrl+Alt+1 (do teclado numérico) : Alinha a janela no canto inferior esquerdo.

- Ctrl+Alt+2 (do teclado numérico) : Alinha a janela ao centro dividindo ela ao meio na parte inferior.

- Ctrl+Alt+3 (do teclado numérico) : Faz o mesmo que o 1, só que do lado direito da tela.

Acho que você conseguiu entender o conceito, usado o "6" você alinha à direita, o "4" à esquerda, usando o "5" você maximiza a janela, usando o "0" você minimiza uma janela e para voltar com algum aplicativo que está no lançador, use a tecla Super (teclado do Windows) + Tab, assim você navega pelos ícones na barra lateral. De fato, você não precisa de mouse para mexer no Unity.


É realmente bem prático e é algo que se você se acostumar a fazer, vai ser difícil ficar sem, realmente, muito útil.


2 - Use o HUD para pesquisar dentro dos menus

HUD no Ubuntu

O HUD é um dos recursos do Unity no Ubuntu mais interessantes e que eu nunca vi em nenhum outro sistema, seja Linux ou não. HUD quer dizer "Heads Up Display" e permite que você busque por opções dentro dos menus das aplicações.

No exemplo acima eu estou utilizando o GIMP que é um programa que tem muitos menus e sub-menus. Se eu quero achar a opção de "salvar", eu não preciso procurar pelos menus onde está essa opção, basta eu pressionar a tecla "Alt" do lado esquerdo do teclado e digitar "salvar" e o HUD vai me mostrar todas as opções de "salvar" que existem em todos os menus do GIMP. Basta eu clicar nela diretamente no HUD para ativar a opção.

Obviamente a opção de "salvar" fica no menu "arquivo" como qualquer outro programa, mas o HUD vai ser mesmo útil quando você sabe o que você quer encontrar, mas não faz ideia de onde fica. Por exemplo, onde fica a opção de "Desfocagem Gaussiana" do GIMP? Se o HUD não estivesse por aí, você iria ter que explorar os menus até encontra essa opção, com o HUD, você simplesmente pressionar "Alt" e digita um trecho da opção que você deseja e bingo! Lá está a ferramenta que você precisa.

HUD no GIMP

Inclusive, entre parênteses o HUD vai te mostrar em qual menu esta opção está, então da próxima vez que você quiser acessar o recurso via menu você vai poder usar essa informação, de modo que a opção está dentro do menu Filtros>>Desfocar>>Desfocagem Gaussiana.

A maior parte dos programas é compatível com o HUD, raras exceções não o suportam, o que facilita muito a vida, como no LibreOffice por exemplo, especialmente para quem está migrando de suíte office e não consegue encontrar as opções nos menus.

3 - Fechando aplicativos no carrossel do Alt+Tab


Alt+TAB Ubuntu

O recurso de Alt+Tab para alternar entre aplicativos abertos é comum de todos os sistemas e interfaces, cada um apresentando ele de formas diferentes. O Alt+Tab do Ubuntu é interessante porque ele é muito interativo, você pode selecionar as aplicações com o mouse e mexer para a direita e para a esquerda com as teclas direcionais, mas o que pouca gente sabe é que você pode fechar os programas utilizando Alt+Tab.

Para fazer isso, pressione Alt+Tab para iniciar o alternador e para fechar o programa selecionado, mantenha o dedo segurando o "Alt" e mude o dedo do Tab para a letra "Q" logo ao lado, assim você vai fechar o programa, associe a letra "Q" com a palavra "Quit" e você não vai esquecer tão cedo.

4 - Use a pré-visualização de janelas no Alt+Tab

Alt+Tab Ubuntu

Aproveitando o gancho do Alt+Tab, um dos recursos que eu gosto do Alt+Tab do Ubuntu é a pré-visualização de uma forma muito clara. É um recurso que está aí faz um bom tempo, mas as pessoas não costumam utilizar, se você usar o Alt+Tab e pressionar a tecla direcional para baixo, assim o aplicativo em que você está é exibido em tempo real, isso é especialmente útil para selecionar um aplicativo que possui mais de uma instância.

5 - Use o Ubuntu Spread para acessar as suas janelas abertas rapidamente

Ubuntu Spread

Esse é um recurso que eu uso com frequência, o "Spread" ou simplesmente "espalhar" é um recurso do Unity que permite que você veja na sua tela todas as janelas dos programas abertos de uma vez só, permitindo que você feche ou clique na janela que você desejar. É bem parecido com os espalhamento de janelas padrão do Gnome Shell. Para ativar o Ubuntu Spread e ver as janelas dessa forma você deve pressionar as teclas de atalho Super (Tecla do Windows)+W.

Um recurso adicional que o Ubuntu Spread tem é a opção de você pesquisar por uma janela que você queira.

Spread Ubuntu

Se ao pressionar o Super+W você tiver muitas janelas abertas, pode ficar complicado visualizar exatamente o que cada uma contém e/ou achar a janela que você deseja, mas para encontrar rapidamente o conteúdo que você deseja basta começar a digitar o nome da janela ou programa que você quer trabalhar. No exemplo acima ou comecei a digitar "gimp" e por isso o Unity logo me mostrou a janela do GIMP.

6 - Abra a lixeira rapidamente

Abra a lixeira no Ubuntu

Mais uma dica bacana para quem gosta de teclas de atalho é abrir a lixeira sem precisar do mouse novamente, não que abrir ela seja complicado no Unity, muito pelo contrário, a lixeira é um ícone permanente que fica no final da barra lateral da interface, porém, se você quiser abrir ainda mais rápido, apenas pressione Super+T, assim a lixeira vai se abrir.

7 - Tenha quantas áreas de trabalho virtuais você quiser


Áreas de trabalho

Por padrão, o Unity traz 4 áreas de trabalho virtuais que você pode habilitar através da sessão de comportamento no aplicativo "Aparência", para ativar o recurso você também pode utilizar a tecla de atalho Super+S. Mas se as quatro áreas de trabalho não forem o suficiente para você, você pode criar mais delas através do Unity Tweak Tool.

Dentro do Unity Tweak Tool há uma opção chamada "Configurações de área de trabalho" onde você consegue definir quantas áreas de trabalho virtuais você quer utilizar na interface, basta colocar o número e testar, a mudança é instantânea.

Unity Tweak Tool

8 - Use os "cantos quentes"


Hot Corners no Ubuntu

No mesmo Unity Tweak Tool existe a opção de configurar os "Atalhos de canto", ou como é chamado fora do Brasil, os "Hot Corners". Muitos sistemas utilizam isso de uma forma muito interessante, como o Gnome Shell, que ao você "bater" o mouse no canto superior esquerdo mostra as janelas abertas ou os aplicativos e até mesmo o Windows, que ao você clicar com o mouse no canto inferior direito exibe a área de trabalho.

Você pode configurar os cantos da tela para realizarem as funções que você quiser no Ubuntu baseados e algumas funções pré-determinadas, isso permite que você faça coisas no computador apenas com movimentos do mouse, o que é sem dúvidas, muito produtivo.


Eu utilizo o Unity há muito tempo, acho que desde 2012 como interface padrão, e eventualmente eu ainda descubro funções que eu desconhecia. Espero que você tenha aprendido sobre alguns recursos do Ubuntu que você ainda não conhecia.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 31 de outubro de 2016

9 Apps para instalar no Unity 8 no Ubuntu 16.10 Yakkety Yak

O Unity 8 chegou como uma interface para testes no Ubuntu 16.10, ainda que ele seja muito limitado, existem algumas coisas que você pode fazer para deixá-lo "mais utilizável", por assim dizer, instalando alguns aplicativos e habilitando algumas funções.

Unity 8




Eu estou experimentando o Unity 8 deste o seu lançamento e já tenho algumas impressões para compartilhar com vocês, ainda que esteja sem poder fazer um vídeo nesta semana por conta da minha viagem, como comentei neste vídeo do canal, mas mesmo assim, posso dar algumas dicas para quem quiser se aventurar em seu ambiente de testes.

Coisas que você deve saber


Sabidamente o Unity 8 para desktops ainda não está pronto, entretanto, ele já mostra a possibilidade de utilizá-lo para coisas simples do dia a dia, como navegar na internet, ver vídeos e ouvir músicas, para muito além disso as coisas ficam um pouco mais complicadas dependendo do quão exigente você for, então tenha em mente (até para evitar frustrações) que o Unity 8 ainda é um software em desenvolvimento, perfeitamente utilizável em um dispositivo sensível ao toque, mas que na versão desktop ainda possui sérias imitações.

Em que hardware estou rodando o Unity 8?


Uma das minhas dúvidas quanto ao Unity 8 era quanto a leveza, será que ele vai ser mais pesado que o Unity 7 ou mais leve? Nada melhor do que testar, não é verdade?

Acer  Unity 8

Para fazer os testes eu instalei o recém lançado Ubuntu 16.10 em um Netbook Acer que eu tenho aqui, ele é o sinônimo para computador fraco que eu tenho aqui em casa, processador de apenas um núcleo de 1,4 Ghz (Centrino) e 2GB de memória RAM DDR2. Surpreendentemente o Unity 8 funciona muito bem nele, até com uma certa fluidez, coisa o Unity 7 eventualmente engasga, apesar de rodar razoavelmente bem também.

Eu tinha a suspeita de que o Unity 8 seria leve em computadores, afinal, ele roda em Smartphones, mas este Netbook é pior do que muitos Smartphones por aí, em fim, boa surpresa.

Dicas de pós instalação para o Unity 8


Se você resolveu instalar o Ubuntu 16.10 e está procurando um tutorial de pós instalação para ele, você pode usar este que eu fiz ainda para o Ubuntu 16.04 LTS, ele funciona sem problemas. Mas agora vamos falar do Unity 8 e de como você pode fazer para aumentar as funcionalidades da interface.

Para usar o Unity 8 você precisa fazer a seleção da interface na tela de login do Ubuntu, digitar a sua senha e entrar normalmente.

Yakkety Yak Login

Como você vai perceber, o Unity 8 vem praticamente sem nenhuma aplicação, somente o aplicativo de configurações, o browser e o terminal basicamente, felizmente isso é tudo o que você precisa para começar a montar o sistema como você quiser, e aqui vão algumas dicas para você fazer isso.

1 - Ative as "Multimídia Scopes"


As Scopes foram inseridas no Ubuntu há algumas versões atrás, porém, o funcionamento delas no Unity 8 é um pouco diferente, elas são "páginas" do menu de aplicativos que são capazes de funcionar como um programa independente, de modo que você pode ouvir músicas e ver vídeos através delas sem precisar instalar programas adicionais.

Rich Scopes Ubuntu Unity 8

Para instalar, abra o terminal e cole o seguinte comando:

sudo apt install mediaplayer-app mediascanner2.0 unity-scope-mediascanner2 ubuntu-restricted-extras
Para ativar as Scopes desejadas, você pode clicar na parte inferior da tela e selecionar as que você deseja, voltando para a tela de aplicativos você poderá deslizar a página para o lado e lá estarão as Scopes adicionadas. 

Podemos instalar vários pacotes via Snap, veja aqui algumas possibilidades, use o terminal novamente:

2 - Gallery App

sudo snap install --edge --devmode gallery-app

3 - Camera App

sudo snap install --edge --devmode camera-app

4 - Address Book App

sudo snap install --edge --devmode address-book-app

5 - Calendar App

sudo snap install --edge --devmode ubuntu-calendar-app
Ubuntu Unity 8 Apps

Outros aplicativos convergentes podem ser instalados à partir de um repositório PPA especial destinado a testes dos Apps convergentes, estes você pode instalar até na versão 7 do Unity se quiser. O primeiro passo é adicionar o PPA:
sudo add-apt-repository ppa:convergent-apps/testing -y && sudo apt update
Depois disso vamos instalar mais alguns aplicativos.

6 - Music App

sudo apt install music-app

7 - Calculadora

sudo apt install ubuntu-calculator-app

8 -  Gerenciador de arquivos

sudo apt install ubuntu-filemanager-app*
E por último mas não menos importante, vamos habilitar a instalação de aplicativos que rodam sobre o X.org, como você deve saber, o Ubuntu com Unity 8 roda sobre o servidor gráfico Mir, de modo que é necessário, ao menos atualmente, usar uma aplicação chamada "Libertine" para criar um container e rodar a aplicação que você quiser dentro dele.

9 - Instale o Libertine

sudo apt install libertine libertine-scope libertine-tools
O Libertine funciona assim: Depois de instalado, abra a aplicação, e basta clicar em "criar", sem digitar senha ou nome necessariamente, após isso o programa vai baixar cerca de 500 MB para formar um container e através dele você pode instalar outros aplicativos que você instalaria normalmente no Ubuntu tradicional, basta saber o nome do pacote, por exemplo: gimp.

Libertine

Por ele você consegue instalar outros aplicativos baixados em formato .deb também, mas ele é apenas uma "gambiarrinha" no sentido mais literal possível, a versão final do Unity 8 deverá ter essa função nativamente, outra coisa que você vai perceber é que não existem os light themes, por conta disso as aplicações que rodam no XMir ficam com aquela cara nostálgica do Windows 98.

GIMP no Unity 8

Com essas dicas você já pode usar um pouco do Unity 8, lembre de reportar os bugs que encontrar se quiser ajudar o projeto a amadurecer com maior velocidade, assim que eu puder vou fazer um vídeo detalhando melhor tudo o que eu aprendi sobre a nova interface.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Ubuntu 16.10 Yakkety Yak virá com o esperado Unity 8 como interface opcional

Parece que finalmente as pessoas terão acesso ao Unity 8 do Ubuntu de uma forma simples para testar, tudo isso graças ao Ubuntu 16.10 que trará uma sessão opcional para quem quiser acompanhar o desenvolvimento.

Unity 8 no Ubuntu 16.10




O Ubuntu 16.10 Yakkety Yak recebeu um beta recentemente que trouxe para o público a possibilidade de fazer os primeiros testes no novo ciclo de lançamentos.
Leia aqui: Baixe os betas do Ubuntu 16.10
A Canonical anunciou que o esperado Unity 8 chegará como uma interface opcional para o Ubuntu 16.10 que sai ainda neste mês. O Unity 7 ainda será o padrão, mas agora será possível que as pessoas ao menos testem o novo Unity, reportem bugs e deem sugestões para melhorias, visto que até então apenas os usuários do Ubuntu Phone e Tablet tinham acesso pleno à versão.
Veja também: Unity 8 e Ubuntu convergente - Demonstrativo em português
Para usar o Unity 8 basta mudar a sessão, como na imagem acima, na tela de login, de forma prática e fácil.

O Unity 8 ainda está longe de ser completamente utilizável em desktops, o Mir, servidor gráfico ainda não é plenamente compatível com drivers proprietários e ainda não é possível virtualizá-lo no VirtualBox, o que faz com que para testá-lo plenamente você precise instalar o sistema no seu computador.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 5 de outubro de 2016

RAVEfinity - Baixe os temas Ambiente e Radiance do Ubuntu no modo Flat

Eu particularmente gosto do tema do Ubuntu, mas ele já está se tornando "clássico" pra não chamar de velho e  você pode querer uma atualização visual para deixar o seu sistema com uma cara mais moderna, é exatamente esta a proposta do temas desenvolvidos pelo RAVEfinity.

Ubuntu Ambiance and Radiance Flat





Apesar de concordar que o tema padrão é ultrapassado, eu ainda acho o jogo de cores interessante e gosto de mudar um pouco o tema do sistema mas nada que faça ele perder a identidade visual original, por isso procuro usar temas que ainda continuem com o padrão "preto/branco/laranja" ainda que existam belíssimas opções com outras tonalidades, coisa pessoal mesmo.

Um dos temas bacanas para dar uma "tunada" do tema GTK padrão do Ubuntu é este chamado "Ambiance & Radiance FLAT" desenvolvido pelo pessoal do RAVEfinity, um grupo de designers que trabalham juntos ao redor do mundo. Ele tem várias cores diferentes que fogem ao padrão de cores originais do Ubuntu, mas também possuem algumas variações que melhoram o "laranjão original", se é que você me entende. 

Sem mais delongas, vamos à instalação:

Ela pode ser feita através do repositório PPA do projeto RAVEfinity, vou deixar os comandos logo abaixo para você instalar, mas é bom salientar que caso você não goste do terminal, é possível fazer a instalação totalmente em modo gráfico, assim não tem desculpa, certo?



sudo add-apt-repository ppa:ravefinity-project/ppa 
sudo apt-get update 
sudo apt-get install ambiance-flat-colors radiance-flat-colors
Depois dos pacotes instalados basta ativar o tema desejado através do Unity Tweak Tool, bom proveito e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 16 de setembro de 2016