Home » debian

Lançado o novo Debian 9 "Stretch" - Confira as novidades e faça o Download

Uma das principais e mais importantes distribuições Linux, o Debian, acaba de ganhar uma nova versão. Depois de um bom tempo de espera, finalmente temos o Debian 9 disponível para download em sua versão estável. Saiba mais:

Debian Stretch 9 - Download




Os desenvolvedores do Debian anunciaram a nova versão do "Sistema Universal", como é chamado, a versão 9 de codinome "Stretch", o polvo de Toy Story, é lançada depois de 26 meses de desenvolvimento e terá suporte a atualizações de segurança pelos próximos 5 anos.

O Debian 9 Stretch é, como os desenvolvedores informaram, uma homenagem ao criador original do projeto, Ian Murdock, que infelizmente faleceu no final de 2015.

Novidades no novo Debian


É difícil relembrar de Ian neste lançamento, foi uma grande perda para a comunidade Linux, não somente a do Debian, mas como imagino que ele gostaria que acontecesse, vamos falar de coisas boas e das novidades do "Stretch".


No novo Debian temos o MariaDB 10.1 como padrão em substituição dos pacotes do MySQL 5.5 ou 5.6 que acontecerá automaticamente na atualização.

Pacotes Debian


O Firefox e o Thunderbird também retornam ao Debian com seus nomes corretos, anteriormente, por mais de 10 anos, por conta de licenças, o Debian incluía os softwares reempacotados com outros nomes, Iceweasel e Icedove, agora temos o Firefox na versão ESR.

Graças ao projeto Reproducible Builds, mais de 90% dos pacotes fonte incluídos no Debian 9 construirão pacotes binários idênticos bit-a-bit. Essa é uma funcionalidade de verificação importante que protege os usuários contra tentativas maliciosas de adulterar compiladores e redes de construção. Versões futuras do Debian incluirão ferramentas e metadados para que usuários finais possam validar a procedência de pacotes dentro do repositório.

Outra coisa interessante no quesito segurança é que o X.org não exige mais privilégio de root para executar, contornando um problema em potencial, além de outras modificações que garantem a segurança do sistema.

O suporte para UEFI também foi melhorado na nova versão. Ele havia sido introduzido ainda na versão Wheezy, mas vem recebendo melhorias a cada versão, fazendo com que o Debian tenha suporte para instalação em firmware UEFI de 32 bits com um Kernel de 64 bits, as novas ISOs já incluem o suporte a inicialização EUFI também.

Vários pacotes foram atualizados, temos o Kernel Linux na versão 4.9 e o Plasma 5 em sua versão LTS, para quem gosta do KDE (como eu). Segue uma lista com alguns dos principais pacotes e suas versões no Debian:
- Apache 2.4.25
- Asterisk 13.14.1
- Chromium 59.0.3071.86
- Firefox 45.9 (no pacote firefox-esr)
- GIMP 2.8.18
- GNOME 3.22
- Coleção de Compiladores GNU 6.3
- GnuPG 2.1
- Golang 1.7
- LibreOffice 5.2
- MariaDB 10.1
- MATE 1.16
- OpenJDK 8
- Perl 5.24
- PHP 7.0
- PostgreSQL 9.6
- Python 2.7.13 e 3.5.3
- Ruby 2.3
- Samba 4.5
- Thunderbird 45.8
- Tomcat 8.5
- Xen Hypervisor
- Xfce 4.12

Além destes, mais de 51.000 outros pacotes de software prontos para uso, construídos a partir de pouco mais de 25.000 pacotes fonte.

Com essa ampla seleção de pacotes e seu tradicional amplo suporte de arquiteturas, o Debian mais uma vez se mantém fiel ao seu objetivo de ser o sistema operacional universal. Ele é apropriado para muitos casos diferentes de uso: de sistemas desktop a netbooks; de servidores de desenvolvimento a sistemas de cluster; e para servidores de bancos de dados, web ou armazenamento. Ao mesmo tempo, esforços adicionais para garantia de qualidade, como instalação automática e testes de atualização para todos os pacotes do repositório do Debian asseguram que a Stretch satisfaz as altas expectativas que os usuários têm de uma versão estável do Debian.

Saiba mais nas notas de lançamento da distribuição.

Eu testei aqui a versão com Plasma 5.8 LTS e está realmente muito bom e fluído, para as pessoas que tem um hardware mais rebuscado e precisam de drivers proprietários, recomendo baixar a ISO Non-Free do Debian, quem quiser baixar a versão tradicional, pode fazer isso diretamente do site oficial.

Se tiver dúvidas sobre como baixar o Debian, confira o nosso vídeo tutorial, se tiver dificuldades para instalar, nós também temos um vídeo para te ajudar a instalar o sistema universal no seu computador.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




domingo, 18 de junho de 2017

Como criar um Shell Script simples para automatizar a instalação de programas no Linux

Uma das coisas mais legais do Bash é o poder de automatizar tarefas, até mesmo na própria linha de comando. Hoje você vai aprender a criar um simples Shell Script para instalar um programa.

Shell Script




Para você entender o conceito, vamos dar um exemplo com um programa popular e simples, o GIMP. O GIMP é um manipulador de imagens que está no repositório de todas as distros Linux praticamente, como exemplo nos comandos vamos usar o gerenciador de pacotes "apt", comum no Debian, Ubuntu, Linux Mint e derivados, apesar disso, entendendo o conceito, você pode aplicar em qualquer distro, basta entender o gerenciador de pacotes dela e os comandos que ele aceita.

Claro, o GIMP pode ser instalado por centrais de apps sem comandos, pode ser também instalado com um simples # apt install gimp mas a intenção é te mostrar como você pode estruturar um script para automatizar a instalação de qualquer programa ou de vários ao mesmo tempo.

Vamos imaginar que você queria instalar o gimp a partir do terminal.

Muito provavelmente os passos que você dará serão:

1) Atualizar os repositórios
$ sudo apt-get update
2) Instalar possíveis atualizações do sistema:
$ sudo apt-get dist-upgrade -y
3) Efetivamente instalar o pacote.
$ sudo apt-get install gimp

O processo manual da instalação de um programa pode levar algum tempo, pois você deverá esperar que o primeiro comando termine sua execução para digitar o próximo.

Nem sempre atualizar repositórios é rápido e portanto é o seu tempo que está sendo gasto esperando algo que poderia facilmente ser automatizado.

O primeiro nível de automatização que poderíamos fazer aqui é criar uma fila de comandos (chamadas de listas) que serão executados pelo Bash em sequência.

Para isso basta separar os comandos com um ponto e vírgula:
sudo apt-get update ; sudo apt-get dist-upgrade -y ; sudo apt-get install gimp -y
Apesar de já automatizar um pouco o processo, não há praticamente nenhuma lógica envolvida.

Você muito provavelmente não deseja executar um "dist-upgrade" se o "update" falhar antes por qualquer motivo. Certo?

Aqui chegamos no nosso segundo nível de automatização. Em vez de usar o ponto e vírgula, podemos separar os comandos com "&&", e desta forma o Bash somente executará o comando seguinte se o anterior finalizar a execução com sucesso.
sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade -y && sudo apt-get install gimp -y
Agora já melhoramos bastante o processo, porém no caso de algum dos comandos retornar falha, esta fila de comandos simplesmente para de ser executada sem qualquer tipo de aviso mais elaborado para o usuário.

É possível em linha de comando adicionar mais lógica para continuar aperfeiçoando este nosso procedimento, porém este é aquele momento em que talvez seja mais proveitoso se criar um script de verdade e deixar o processo legível, em vez de simplesmente criar uma "tripa" de comandos que depois poderá dificultar a sua vida na hora de encontrar e consertar qualquer erro.

Para este nosso exemplo, usaremos o próprio "if" do Bash (que é uma estrutura de condicional explicada brevemente neste vídeo aqui)

Basta criar um arquivo de texto que você pode 'chamar do que quiser .sh", tipo "batatinha_quando_nasce.sh" e inserir os dados que vamos te mostrar. Tá bom, talvez seja melhor criar um arquivo chamado instala-pacote.sh o seguinte conteúdo:

#!/bin/bash

echo Atualizando repositórios..
if ! apt-get update
then
    echo "Não foi possível atualizar os repositórios. Verifique seu arquivo /etc/apt/sources.list"
    exit 1
fi
echo "Atualização feita com sucesso"

echo "Atualizando pacotes já instalados"
if ! apt-get dist-upgrade -y
then
    echo "Não foi possível atualizar pacotes."
    exit 1
fi
echo "Atualização de pacotes feita com sucesso"

# note que $1 aqui será substituído pelo Bash pelo primeiro argumento passado em linha de comando
if ! apt-get install $1
then
    echo "Não foi possível instalar o pacote $1"
    exit 1
fi
echo "Instalação finalizada"

Veja que utilizamos o operador "!" após o "if" para inverter o resultado do comando seguinte, portanto o conteúdo das condicionais (código que está entre o "then" e o "fi") somente será executado caso os comandos falhem na execução. Também utilizamos o comando "exit 1" para pedir ao Bash que interrompa a execução do script em caso de falha.

Para executar o script basta rodar a seguinte linha:

sudo bash instala-pacote.sh gimp

Desta forma podemos utilizar o mesmo script para qualquer pacote, e o "sudo" só precisa ser invocado uma vez. Basta passar o nome do pacote desejado em linha de comando e ver o Bash fazer o resto sozinho.

É possível melhorar e incrementar o script de diversas maneiras. Podemos imprimir mensagens com cores, suprimir a saída em tela do comando apt-get para facilitar a leitura, dentre outras coisas.

Basta ter criatividade e dominar a linguagem do shell script para poder automatizar praticamente o que você quiser.


Outra coisa que você pode fazer é incluir dentro do Shell Script os comandos para a instalação do pacote em específico, assim você pode rodar apenas o Shell Script e ele se encarrega de fazer a instalação para você.

Você pode por exemplo criar um script de pós formatação para o seu sistema, acrescentando repositórios, pacotes e programas que você normalmente usa, incluindo as opções para fazer a atualização do sistema e apenas rodar um Shell Script depois de instalar a sua distro e ir tomar café enquanto seu sistema é montando automaticamente. É mais do que bacana!

Nós lançamos nesta semana o nosso curso avançado de Shell Script, onde você vai aprender coisas como esta deste post e muitas outras para automatizar a sua vida de usuário Linux, as matrículas estão abertas até Quinta-feira, dia 15 de Junho e tem promoção especial para quem comprar hoje até a meia-noite. Corre lá pra conferir antes que fechem as matrículas.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 13 de junho de 2017

Debian 8.8 está disponível, faça o download!

Uma nova atualização da série 8 do Debian está disponível para download. O Debian "Jessie" recebeu uma atualização que garante maior estabilidade e segurança ao "sistema universal", como é conhecido.





Os desenvolvedores do Debian anunciaram a disponibilidade da mais recente versão do sistema operacional, de codinome "Jessie", a Cowgirl de Toy Story, o Debian chega na versão 8.8 em sua série estável.

Segundo as informações, esta atualização adiciona principalmente correções para problemas de segurança à versão estável, junto com alguns ajustes para problemas sérios. Os avisos de segurança já foram publicados separadamente e são referenciados quando disponíveis através da sessão de bugfix, veja mais abaixo.

Quem utiliza a versão 8.7 do Debian não precisa baixar uma nova ISO, basta atualizar o sistema e você terá todos os pacotes mais recentes do Debian Stable e consequentemente, estará na versão 8.8. 

Quem mantém CDs, DVDs ou ISOs da série 8 do Debian anteriores à 8.8, não necessariamente precisa baixar novas ISOs também, basta instalar normalmente e atualizar o sistema.

Para ver o relatório completo de bugs corrigidos pelo Debian nesta nova versão, clique aqui. Quem quiser baixar as novas imagens do sistema já atualizadas para fazer a instalação também poderá fazer, basta acessar a página de downloads do Debian e escolher a sua imagem de preferência.

Se tiver dificuldades em "se achar" no site do Debian, confira este vídeo (um dos mais antigos do canal) onde eu expliquei como você pode fazer para baixar o "sistema universal".

Até a próxima! 
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 8 de maio de 2017

Corrigindo a aparência do LibreOffice no Deepin

Eu estou usando o Deepin com uma certa regularidade nos últimos dias, o sistema vem com o WPS Office por padrão, o que é ótimo, mas o WPS tem uma falha, ele não consegue abrir arquivos em formatos livres como o LibreOffice faz, além disso, eu gosto de trabalhar com o LibreOffice para algumas coisas, por isso eu acabei instalando ele no sistema.

Aparência do LibreOffice no Deepin




Instalar o LibreOffice no Deepin não é um problema, você encontra ele facilmente na central de aplicativos da distro, porém, aparência fica parecendo o Windows 98, nada legal para que se importa com design. Isso acontece por conta de um pacote que a central de apps do Deepin não instala junto com o pacote do LibreOffice. Então basta instalarmos este pacote de aparências para evitar que os programas fiquem assim:

LibreOffice Writer no Deepin

LibreOffice Calc no Deepin

LibreOffice Impress no Deepin

Os pacotes responsáveis pela aparência são dois, o libreoffice-style-breeze, que te traz os ícones Breeze, como no Ubuntu.

Você pode instalar via Synaptic facilmente (Você também encontra o Synaptic na Central de Apps), ou usar o comando:
sudo apt install libreoffice-style-breeze
Synaptic Theme LibreOffice

 O outro pacote é o que vai mudar a aparência das "texturas" em si, o que na verdade é o tema GTK do LibreOffice, você pode instalar o pacote libreoffice-dde para isso, ou até mesmo o libreoffice-gtk.

LibreOffice GTK Theme

Você também pode instalar os pacotes através do Synaptic, ou usar os comandos:
sudo apt install libreoffice-dde
Ao abrir o LibreOffice novamente você verá a diferença logo de cara:

LibreOffice Deepin

Caso você queira, para mudar os ícones do LibreOffice basta ir até o menu Ferramentas>>Opções>>Exibir e mudar os ícones para o Breeze.

Agora vai ficar mais confortável de você utilizar a suíte Office, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 28 de março de 2017

Stacer - Software para otimização do sistema recebe atualização que adiciona novos recursos

Lembro que quando eu falei pela primeira vez sobre o Stacer aqui no blog ele fez muito sucesso, as pessoas realmente gostaram da aparência e da funcionalidade dele e por acima de tudo, ele fazer o que promete. O programa recebeu alguns upgrades que implementaram novas funções.

Stacer - Otimizador do sistema para Ubuntu, Debian e Mint




A nova versão do Stacer agora está mais estável e adicionou um novo monitor do sistema que você pode usar para acompanhar o consumo de recursos do seu computador.

Stacer Monitor

Os recursos de limpeza de pacotes em cache e arquivos desnecessários foi aprimorado e agora consegue limpar a lixeira do sistema também. O novo Stacer é compatível com Ubuntu, Mint, Debian e seus derivados.

Para baixar, basta clicar aqui, na página você encontra versões de 32 e 64 bits empacotados no formato .deb, ou seja, basta baixar e dar dois cliques pra instalar.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Debian 9 poderá ter atualizações automáticas

Em busca de tornar o Debian mais automatizado, os desenvolvedores da distro estão pensando em fazer com que o Debian 9, Stretch, atualize-se sozinho.

Debian 9 poderá ter atualizações automáticas




O Debian é referência em estabilidade para um sistema operacional, sobretudo a sua versão Stable, que faz jus ao nome. Muito disso deve-se à rigidez com que o Debian empacota seus programas e como eles são mantidos. Na conferência Sprint Debian Cloud, de Seattle, está sendo debatido se a nova versão do Debian, ou pelo menos a versão Cloud, teria atualizações automáticas ou não.

Atualmente o Debian deixa na mão do usuário a atualização, ou seja, se você quer que o seu sistema atualize, você vai lá e faz com que isso aconteça, mas o que está sendo debatido é se isso deve continuar desta forma e em qual versão isso deve ser aplicado ou não.

Você pode saber mais lendo a lista de e-mail do Debian e ver alguns pontos que foram comentados. 

Na minha opinião isso deve caber ao usuário definir, ou seja, deve vir como atualização manual, com a possibilidade de ser atualizado automaticamente, caso o usuário deseje. Talvez um meio termo seria fazer com que o Debian notifique o usuário quando existem atualizações disponíveis.

Qual a sua opinião?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Trillian - Um cliente de mensagens multi-protocolo para Linux, Windows e Mac

Mensageiros como o Pidgin, Empathy e outros já foram mais populares, hoje em dia quem faz a festa é o Franz, mas isso não quer dizer que ele seja a única opção, conheça o Trillian.

Trillian para Linux




Eu lembro de utilizar o Trillian há alguns anos no Windows, ele era uma boa aplicação, inovadora para a época, onde juntar vários chats diferentes em um único serviço era algo novo. Com o passar do tempo, o Trillian acabou ganhando concorrentes, mas isso não quer dizer que ele tenha deixado de ser uma boa alternativa.

Ele tem suporte a diversos protocolos de comunicação, como o do Facebook e do Google por exemplo:

Configurações do Trillian para Linux

A integração com Trillian com o Unity no Ubuntu é muito boa, além de mostrar a quantidade de mensagens não lidas no ícone da barra lateral, ele também se integra com a central de notificações, através do ícone de mensagens na barra superior.

Trillian Ubuntu Unity

O Trillian tem pacotes em formato .DEB compatíveis com Ubuntu, Mint, Debian e seus derivados e pacotes .RPM, com pacotes para Fedora, SUSE e derivados em versões de 32 e 64 bits, basta clicar no botão abaixo e baixar.
Uma coisa interessante que o Trillian tem, se comparado com outros mensageiros, é um protocolo próprio, então você pode se comunicar com outros usuários do Trillian através da própria rede deles.

Lista de contatos Trillian


Ele pode ser utilizado como um comunicador interno para a sua empresa ou para comunicação tradicional com suporte para envio de arquivos.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como ativar o repositório backports no Debian

Os usuários do Debian Stable que precisam de alguns pacotes mais recentes podem resolver o problema simplesmente utilizando o repositório Backports da distro, isso permite que pacotes mais recentes e não tão testados sejam instalados, veja como fazer.

Como ativar o Debian Backports






O repositório Backports do Debian contém pacotes recompilados do Debian Testing normalmente e são considerados instáveis para os padrões do Debian, alguns pacotes inclusive vem até da versão unstable do Debian, mas em menor quantidade. Esse repositório existe para dar acesso a pacotes mais recentes para os usuários do Debian que necessitam e não querem ter um sistema completamente instável.


Como fazer?


Vamos precisar adicionar o repositório a sources.list do seu Debian, para isso, abra o terminal  e digite o seguinte:
sudo su
Caso você use o Gnome, pode usar o Gedit, ou puder o editor de texto para uma opção que você goste mais:
gedit /etc/apt/sources.list
Adicione ao final do arquivo a seguinte linha:

deb http://ftp.debian.org/debian jessie-backports main
Caso você use outra versão do Debian, mude o codinome da linha, depois de adicionar a linha ao arquivo basta salvar, agora temos que atualizar a lista de repositórios:
apt-get update 
E agora você já pode instalar pacotes à partir do repositório usando o seguinte modelo de comando:
apt-get -t jessie-backports install nome_do_pacote
Se quiser desabilitar o repositório, basta editar novamente o sources.list e comentar a linha ou remover, atualizar novamente a lista do repositório e é isso aí.

Agradecimentos especiais ao canal Livre Labs pelo vídeo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Quebrando mitos do Linux: Debian "velho", Buguntu e Gentoo para servidores

O mundo Linux é cercando de opiniões e rumores, alguns se aproximam mais da verdade do que outros, hoje vamos falar sobre alguns em específico: o Debian ser antiquado e pouco atualizado, o Ubuntu ser bugado e o Gentoo ser inadequado para servidores. Quem vai colocar os "pingos nos is" hoje é o nosso redator ,Gabriel, também autor do canal Toca do Tux.

Mitos do Linux




Existem muitos mitos no mundo Linux, alguns eu mesmo já comentei, tanto em vídeo no canal Diolinux, quanto aqui no blog, como o "Linux não pega vírus", aquele sobre a desfragmentação de disco no Linux e um outro sobre o compartilhamento de bibliotecas do Linux em relação ao Windows e hoje vamos falar sobre outros assuntos igualmente polêmicos e comumente distorcidos, confira:


Canal Toca do Tux
Espero pelo próximo capítulo de "Mitos do Linux", até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Como usar os pacotes Snap do Ubuntu em outras distribuições Linux

Eu vejo nos pacotes Snap do Ubuntu uma grande possibilidade para uma mudança de paradigma na forma de distribuição de software para Linux e uma das coisas importantes neste sentido é a compatibilidade com outras distros, assim como os pacotes FlatPak, veja agora como usar os Snaps em outras distros que não sejam o Ubuntu.

Ubuntu Snap em outras distros



O Snapd é o nome do utilitário que um sistema operacional precisa ter para poder utilizar os pacotes Snap, hoje ele está disponível para uma série de distribuições e futuramente estará em mais! Se bem que a lista já é grande o suficiente para abranger a maior parte dos sistemas baseados no Kernel Linux se incluirmos os derivados de cada distro, que também são compatíveis.

Veja agora como instalar o Snapd para ter acesso aos pacotes Snap em algumas distribuições Linux populares. Em todos os casos será necessário utilizar o Terminal, tudo bem? Mas fique tranquilo, independente do caso, o processo é simples, basta prestar atenção.

Pacotes Snap no Arch Linux

sudo pacman -S snapd
Depois de instalar você precisa habilitar o processo para inicialização do sistema se você quiser:
sudo systemctl enable --now snapd.socket


Pacotes Snap no Debian 


No caso do Debian só funciona atualmente no Debian Sid, a versão estável ainda não tem suporte, quem sabe na próxima versão do Debian, né? Mas se você usa o Debian Sid, basta usar este comando:
sudo apt install snapd
Caso você não tenha o sudo habilitado, rode o comando como administrador no terminal.

Pacotes Snap no Fedora

sudo dnf copr enable zyga/snapcore
sudo dnf install snapd
sudo systemctl enable --now snapd.service
 O Fedora usa o SELinux que pode causar alguns conflitos atualmente, então será preciso rodar este comando:
sudo setenforce 0
Se mesmo assim o problema persistir pode pode tentar editar o seguinte arquivo: etc/selinux/config e o configure esta linha desta forma:  SELINUX=permissive

Pacotes Snap no Gentoo


Para o Gentoo o processo é um pouco mais complicado, visite o projeto Gentoo Snappy Overlay no GitHub e siga os passos descritos por lá.

Pacotes Snap no openSUSE


Para o openSUSE o processo é simples também:
sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/system:/snappy/openSUSE_Leap_42.2/ snappy
sudo zypper install snapd 


Pacotes Snap no Linux Mint e outras distros derivadas do Ubuntu


Qualquer distribuição que use como base o Ubuntu 16.04 LTS ou superior já tem a possibilidade de usar os Snaps, o Snapd já está no repositório, isso vale para o Linux Mint, Xubuntu, Kubuntu, Lubuntu, Ubuntu Gnome, etc.
sudo apt install snapd
Depois de tudo instalado você vai poder usar o comando:
sudo snap install nome_do_pacote_snap  
Assim você instala qualquer pacote que esteja no repositório Stable do Ubuntu Core.

Bacana não é? Uma tecnologia facilmente acessível para todos.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




domingo, 13 de novembro de 2016

Crie grupos de aplicativos customizados no Gnome com o Meow

O Meow é um novo editor de menus disponível para distribuições Linux que usem o Gnome Shell, e cá entre nós, ele resolve um dos problemas da interface que eu sempre apontei. Uma das coisas mais interessantes do Gnome na minha opinião é a forma com que ele agrupa programas no menu, lembra muito o Android e o iOS, mas não é possível criar os seus próprios agrupamentos ou modificar os existentes, pelo menos não tão facilmente antes do Meow.

Gnome Apps Groups with Meow




Aplicativos para editar o menu do sistema existem "desde sempre", mas o Meow é novo e possui este diferencial, conseguir ajustar os agrupamentos de programas, permitindo assim, que você organize a sua coleção de aplicativos da forma que achar melhor para tornar o seu dia a dia mais produtivo.

Organize os Apps com o Meow

Através do Meow você pode facilmente criar grupos de aplicações e nomeá-las como quiser, adicionando e removendo os aplicativos que você deseja. O programa ainda conta com uma opção prática de pesquisa para que você encontre rapidamente o programa que você deseja para adicioná-lo em um grupo.

O Meow está no GitHub com instruções para instalação e pacotes para Ubuntu, Debian e Fedora, para que você possa instalar facilmente.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




domingo, 6 de novembro de 2016

Como instalar o Debian sem complicação

O Debian é uma das principais distribuições Linux e um dos maiores projetos colaborativos do mundo, utilizado por centenas de empresas e instituições renomadas como a NASA e hoje você vai aprender a instalar o Debian num tutorial passo a passo e sem complicação.

Como instalar o Debian passo a passo





O Debian é um projeto que funciona com vários projetos de Kernel diferentes, hoje vamos aprender a instalar o que podemos chamar de "versão principal" e que usa o popular Kernel Linux. 

Se você tem dúvidas sobre como baixar o Debian para o seu computador, eu vou recomendar um dos vídeos mais antigos do canal Diolinux, a qualidade visual e de apresentação não é tão significativa, entretanto o conteúdo ainda é bem válido e vai tirar as suas principais dúvidas.
- Site do Debian para você fazer o download


Agora que você já tem a ISO do seu Debian vamos para a instalação vamos começar os procedimentos para instalar a distro. A instalação do Debian é simples, mas antes de entrarmos no passo a passo é necessário que você grave a ISO que você baixou em um CD/DVD ou crie um pen drive bootável, caso você tenha dúvidas sobre como criar um pen driver bootável confira o nosso guia.

Agora que está tudo pronto, vamos para o passo a passo da instalação.



No vídeo eu comentei vários conteúdos relacionados que podem te ajudar a entender melhor todas as opções e aprofundar os seus conhecimentos:

Como instalar o Ubuntu: https://goo.gl/y767jI

32 ou 64 bits? Qual utilizar?: https://goo.gl/WN73Lz

Aprenda a usar o Synaptic: https://goo.gl/LAjbdo

PPA para Debian (Gambiarra): https://goo.gl/zD7TKA

Instale o Ubuntu Minimal:https://goo.gl/4JpfB1

Agora você já pode utilizar o seu Debian com plenitude! Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Wire - Uma aplicativo de chat para Linux com chamadas de vídeo e criptografia ponta-a-ponta

Quem busca mesclar as funcionalidades do Telegram e do Skype em uma só aplicação pode gostar de conhecer o Wire, ele é um aplicativo de chat com versão para todos os sistemas operacionais, tanto móveis, quanto para desktop e ainda possui uma versão Web, possuindo várias características interessantes, saiba mais:

WireApp Linux




O Wire é um aplicativo de comunicação muito interessante, ainda que não seja tão popular quanto os concorrentes. Alguns dos desenvolvedores dele são responsáveis pela funcionamento do áudio das primeiras versões do Skype, ele possui foco em privacidade e tem vários recursos que você vai achar interessante.

Recursos


Ele tem vários, mas podemos comentar aqui alguns dos mais interessantes:

- Criptografia ponta-a-ponta;
- Código aberto (Github);
- Chamadas de Voz e Vídeo;
- Chamadas em grupo (até 10 pessoas);
- Mensagens em áudio e vídeo com filtros de áudio para modificar a voz;
- Suporte para GIFs e desenhos sobre as imagens;
- Compartilhamento de arquivos via Google Drive, Dropbox e outros;
- Reprodução de arquivos e músicas do YouTube, Spotify, Vimeo SoundCloud sem a necessidade de sair do App.
- Visualização de links dos sites com miniaturas quanto disponível.

Wire Linux

Como você pode ver, ele tem vários recursos interessantes, pode ser uma boa solução para você que está em busca de alternativas, você pode baixar ele para o seu Smartphone ou Tablet e também para o seu computador incluindo Linux, Mac e Windows no botão abaixo.
Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Spotify Web Player App para Linux

Existem várias formas para você curtir as músicas do Spotify, nós já mostramos várias, inclusive o método oficial, é claro. Mas existe algumas alternativas que são tão simples e práticas quanto. Conheça agora o Spotify Web Player App.

Spotify Web Player App Linux




Recentemente eu publiquei um artigo sobre o SpotiWeb, que tem uma proposta muito parecida com o Spotify Web Player App, porém, este que eu vou mostrar hoje tem uma integração melhor com o sistema, pois além das notificações no desktop ele permite o controle do player e das músicas através do menu de som do sistema.

Spotify Web Player App

O que este App faz basicamente é "encasular" o player Web do Spotify e integrá-lo ao sistema, é muito interessante e útil também.

Você pode encontrar os pacotes .deb para 32 e 64 bits no botão abaixo, aproveite:
Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Como instalar o Discord para Linux na versão Canary

O Discord é um novo programa para comunicação por voz com baixa latência que caiu nas graças de vários gamers por sua interface bonita e organizada, especialmente se comparado ao popular Team Speak.

Discord App para Linux




Se você acessar o site oficial do Discord vai ver que é possível utilizar ele até mesmo através de um navegador, porém, existem também aplicativos que você pode baixar para acessar eles rapidamente no desktop, entretanto, o App para Linux ainda não está disponível, apesar de "prometido" com uma singela mensagem de "Em breve".


Enquanto ele não chega, você pode usar as versões beta, que já funcionam muito bem por sinal, pelo menos nos testes que eu fiz.

Você encontra uma pacote .deb e também o código para compilar no botão abaixo, em distros compatíveis com o formato, como Debian, Ubuntu e Mint, basta dar dois cliques no pacote e instalar normalmente.
A aplicação tem uma boa integração com o ambiente gráfico do sistema, tendo indicadores que facilitam o manuseio mesmo quando ele está fechado, vale a pena conferir e ajudar a reportar os bugs para que ele fique estável o mais rápido possível.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 27 de setembro de 2016

Debian é utilizado em terminais da Caixa Econômica Federal

No novo episódio do #EuViLinux vamos mostrar para você mais um lugar curioso onde o Linux é utilizado. Desta vez a estrela é o Debian, uma das distribuições Linux mais estáveis do mundo e que é utilizada nos terminais da Caixa.

Caixa usa Linux



Como eu havia comentado no meu vídeo sobre a necessidade de utilização de softwares abertos na administração pública o exemplo da Caixa foi citado, tanto para o bem, quanto para o mal. Agora vemos um exemplo de como o Linux é empregado nos terminais do banco.
Dica: Veja todos os capítulos da série #EuViLinux
Recebi as imagens que você vai ver através do nosso leitor Rapha Bessoni, que nos mandou a seguinte mensagem:
Fala Dio!
Acho que vai achar legal , estava numa  agencia da caixa avia  acabado a luz e quando voltou, todos terminais ( caixa  eletrônicos ) estavam usando DEBIAN  ai tirei essa fotos, só duas pois a mulher da caixa veio "xingando",  "não pode fazer isso não!!!"  kkkkk
As fotos são as seguintes:
Terminais da caixa com Debian

Terminais da caixa com Debian

Aparentemente o Debian está usando ainda Gnome 2 como interface gráfica, bacana né? Mais um lugar onde as pessoas usam Linux no dia a dia e provavelmente nem sabem.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 13 de setembro de 2016

Como instalar o Google Earth no Linux

O Google Earth é uma das ferramentas mais populares da empresa e ele também possui uma versão para Linux, com suporte oficial para o Debian, Ubuntu, Fedora e openSUSE, veja agora como fazer o download da aplicação para o seu sistema.

Google Earth Linux




Instalar o Google Earth no seu sistema não é nada complicado, aliás, realmente é muito simples, especialmente se você usa uma das distribuições suportadas oficialmente ou derivados delas. 

Caso você não conheça muito bem, o Google Earth é uma aplicação da Google que faz uma "extensão do Google Maps", que você pode acessar pelo navegador, com muito mais recursos e umamapeamento amplo de todo o planeta, com visões tridimensionais de pontos turísticos famosos e imagens de praticamente todas as principais rodovias.

Google Earth

Como instalar o Google Earth no seu Linux?


O Google Earth é distribuído em pacotes .deb e .rpm, de modo que tudo o que você precisa fazer é acessar o site oficial, selecionar a opção que você deseja, seja 32 bits, seja 64 bits, de acordo com o sistema que você utiliza e instalar.

Download Google Earth
Neste exemplo estamos usando o Ubuntu


Depois de baixar o pacote, basta dar dois cliques no arquivo e instalar com a Central de Aplicativos, se tudo correr bem, o Google Earth estará disponível no meu no seu sistema.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 6 de setembro de 2016

Tixati - Um cliente Bittorrent avançado para Linux e Windows

Se você está à procura de um novo cliente de bittorrent para o seu computador é bom prestar a atenção neste artigo pois vamos te mostrar um bom peculiar, o Tixati.

TixaTi - Torrent Client




Eu acabei esbarrando com ele nas minhas pesquisas na internet, então resolvi compartilhar com você o programa, afinal, não é todo dia que vemos um destes e sinceramente, até então eu nunca tinha ouvido falar do dito cujo.

A descrição do projeto diz:

Our NO Spyware, NO Adware, NO Nonsense Guarantee
Unlike many other torrent clients, we take pride in saying NO to spyware and adware. Tixati installs and uninstalls cleanly and doesn't add anything extra to your system. Our software is fully self-contained and doesn't have annoying dependencies on Java or .Net frameworks.
Em uma tradução livre seria algo como: "Sem spyware, sem adware, sem garantia.  Ao contrário de muitos outros clientes de torrent, temos orgulho em dizer NÃO ao spyware e ao adware. Tixati é instalado e desinstalado de forma limpa e não acrescenta nada de extra para o seu sistema. Nosso software é totalmente auto-suficiente e não tem dependências irritantes sobre frameworks Java ou .Net."

TixaTi

Além de todas as características tradicionais dos clientes torrent, ele ainda possui um controle bem avançado de opções para personalização da interface e controle de banda, com gráficos detalhados de seeders e peers, assim você pode escolher melhor como você deseja que o seu arquivo torrent seja trabalhado.

TaxiTi baixando Torrent do Ubuntu

Taxiti fazendo o download

Apesar do programa ter a opção de minimizar o aplicativo para tray do sistema, esta opção não funcionou corretamente no Ubuntu, mas em compensação o download foi efetivado com sucesso e com uma ótima velocidade.

Baixe o Tixati para o seu sistema


O Tixati é compatível com Windows e Linux, sendo que você encontra instaladores de 32 e 64 bits para ambos os sistemas, existem pacotes .deb e .rpm, que são compatíveis com Ubuntu, Debian, Fedora e seus derivados; existe também um pacote para instalação manual através de compilação para outras distribuições Linux. Clique no botão abaixo para acessar o site e fazer o download.

Teste o programa e nos diga o que você achou, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 1 de setembro de 2016