Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador distribuição. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador distribuição. Mostrar todas as postagens

Enquente: Como seria o sistema operacional ideal?

Nenhum comentário

terça-feira, 18 de julho de 2017

Existem muitos fatores que envolveu a definição de um "sistema operacional ideal" e no fim das contas, talvez ele nem possa existir. Mas nós gostaríamos de saber algumas coisas para um projeto um futuro, então, se tiver um tempo, participe da enquete abaixo.

Como é o sistema operacional ideal?




Existem muitos elementos que compõem um sistema operacional, são tantos que é até complicado de listas, mas existem algumas coisas que são sumariamente importantes.

Gostaríamos de sua colaboração para conhecer melhor o que você, usuário, gostaria de encontrar no seu Sistema Operacional ao ligar o seu computador. O intuito desse trabalho é compreender melhor o que você utiliza em seu dia a dia e quais são os seus gostos sobre alguns assuntos em específico. Para isso decidimos elaborar um pequeno questionário que nos ajudará no desenvolvimento de um Sistema Operacional que tenha em vista o usuário brasileiro.

* Quem somos? Somos desenvolvedores e entusiastas do Software Livre: Paulo Giovanni Pereira, Bruno Gonçalves, Rafael Neri, Dionatan Simioni e outros caras que gastam o seu tempo com prazer no software livre.

O resultado não necessariamente será publicado, mas ele pode fazer parte de um projeto futuro. Agradecemos a todos os participantes voluntários.





_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Fedora 26 - Conheça as principais novidades da versão e veja como baixar

Nenhum comentário

domingo, 16 de julho de 2017

Os desenvolvedores do Fedora anunciaram nesta semana a disponibilidade da mais nova versão do sistema operacional que continua mantendo seu foco em Workstation e trazendo um conjunto de softwares muito atualizado, ainda que a distro não seja Rolling Release, é uma das melhores opções para quem gosta do GNOME Shell, sem dúvida, mas existem outras versões do Fedora interessantes também que você deve conhecer.

Fedora 26




O novo Fedora 26 foi lançado com atualizações de pacotes e correções de bugs, visualmente, como era de se esperar, você não deve encontrar mudanças drásticas, já que a distro não costuma personalizar muito as interfaces que a acompanham. Sim, interfaceS no plural, pois apesar do GNOME Shell ser a principal delas, o Fedora também possui diversas Spins com interfaces diferentes.

Você pode ler as notas de lançamento para conhecer todos os detalhes da versão 26 do Fedora neste endereço.

Confira também o nosso vídeo de apresentação da versão 26:



Um pouco sobre o Fedora


Red Hat Linux

O Fedora é uma distro comunitária, porém, de forma parecida com o que acontece com o openSUSE, temos uma empresa que patrocina o desenvolvimento, neste caso a poderosa Red Hat. Na verdade, o Fedora serve como um "campo de testes" para o desenvolvimento do Red Hat Enterprise Linux, uma das principais distribuições Linux do mundo corporativo.

É curioso pensar no Fedora como um derivado do Red Hat, pois atualmente é quase o caminho contrário, o Red Hat vem dos pacotes primeiramente testados no Fedora, claro, com suas devidas particularidades e exceções, mas sem dúvida é uma relação saudável.

No seu Desktop


O foco principal do Fedora nos últimos anos tem sido o chamado "Worsktation", ou seja, é voltado para desenvolvimento de todos os tipos. Isso não quer dizer que você não possa usar o sistema no Desktop, claro, mas digamos que este não seja o foco.

Por conta disso você não vai encontrar certos "facilitadores" diretamente no sistema, como gestores de drivers e coisas do tipo, mas é claro que essa não é a única forma de você instalar componentes no Fedora.

Entre as principais ferramentas com elas funcionalidade, podemos destacar 3:

- Fedy



Com estes utilitários vai ficar fácil habilitar o repositório RPMFusion, o que permite que você instale vários componentes que não são necessariamente software livre, como drivers, codecs e muitos outros programas que não estão no repositório padrão do Fedora.

Fedora 26

Não esqueça de observar a Central de Aplicativos que acompanha a distro, especialmente na versão GNOME e KDE Plasma, por elas você poderá instalar vários outros aplicativos famosos sem precisar ter noções avançadas sobre o sistema, tudo clicando e instalando.

Ao buscar por softwares na internet para o seu Fedora, observe os que estão disponíveis no formato .rpm, eles não são tecnicamente exatamente como os .debs para Ubuntu/Mint/Debian, mas funcionam de forma muito parecida, bastando instalar dando dois cliques. Esta nova versão do Fedora também inclui suporte nativo aos pacotes Flatpak e você ainda pode habilitar os Snaps.

Outro detalhe importante é que o Fedora (com GNOME pelo menos), utiliza o servidor gráfico Wayland por padrão ao invés do X.org. Isso pode, infelizmente, causar alguns problemas para placas de vídeos que necessitem de drivers proprietários e até mesmo alguns games da Steam, felizmente você pode alterar isso diretamente da tela de login.

O projeto Fedora é mais amplo do que parece


O projeto Fedora possui páginas especiais que te oferecem versões com interfaces diferentes do GNOME, como comentei no início do texto, o Fedora possui as chamadas "Spins".

O Fedora Spins mostra justamente versões do Fedora com outras interfaces por padrão, então se você gosta do KDE Plasma, do XFCE, do Cinnamon ou qualquer outro, você não vai ficar na mão. Outra página interessante é o Fedora Labs, que são ISOs diferentes do sistema destinadas a finalidades específicas, como astronomia, design e até mesmo jogos, cada uma com uma seleção de softwares específicas para cada finalidade.

Além destas versões, ainda temos o Fedora Cloud e o Fedora para arquitetura ARM, com imagens completas ou mínimas, onde você pode instalar cada pacote manualmente, assim como faz com um Debian Netinstall, por exemplo.

Baixe a versão nova ou atualize do Fedora 25


Você pode fazer a atualização de duas (na verdade três) formas. Baixando os sistema do site oficial e formatando o seu computador é uma delas, a mais simples e direta, é o mais recomendado para atualizar de uma versão para outras para evitar qualquer problema no processo. Vale a pena mencionar que você deve ter backup das suas coisas, independente do método.

Se você já tem a versão 25 do Fedora, é possível fazer o Upgrade em modo gráfico ou através de linha de comando. Utilizando a interface GNOME você pode acessar o GNOME Software e buscar por atualizações, você deverá ver uma imagem como esta abaixo, bastando confirmar a atualização:

Atualizando a versão 25 para 26 do Fedora
Imagem: Fedora Magazine

Se você usar outra interface ou preferir fazer pela linha de comando, basta rodar estes comandos de forma sequencial:

sudo dnf upgrade --refresh
sudo dnf install dnf-plugin-system-upgrade
sudo dnf system-upgrade download --releasever=26
sudo dnf system-upgrade reboot
Tome cuidado com possíveis pacotes quebrados e dependências insatisfeitas, caso o terceiro comando mostre algo neste sentido, veja o que você pode fazer para corrigir antes de continuar, ou opte pela instalação limpa.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




4 perguntas para sabermos quais as suas preferências sobre Linux em 2017

Nenhum comentário

sábado, 13 de maio de 2017

Vamos fazer mais um levantamento interessante para podermos comparar com um que fizemos no ano passado. Na ocasião tivemos cerca de 4.500 respostas, então, esperamos algo parecido para termos uma comparação mais justa.

Como você usa Linux?




A ideia deste tipo de pesquisa é entender melhor como o nosso público utiliza o computador, entender suas preferências de interface gráfica e distribuição especialmente, assim o conteúdo pode se moldar melhor as preferências dos leitores e leitoras do blog. Claro, depois que tivermos colhido participações o suficiente, vamos fazer um vídeo no canal Diolinux para fazer a comparação e mostrar os resultados.

São apenas 4 perguntas:

OBS: Dado o fluxo de respostas, acrescentei mais duas perguntas que serão pertinentes, espero que não se importe.

OBSn²: Recentemente tivemos mais de 5 mil respostas, mas provavelmente a nossa pesquisa acabou caindo em uma comunidade específica ou um grupo de trolls e acabou destoando da realidade, por isso temos a versão 2.0 aí em baixo que ficou mais rígida, agora é necessário fazer login para responder e apenas um voto é permitido, infelizmente vou ter que coletar os e-mails, assim posso saber quem votou no que.

Lembrando que a pesquisa é para ser feita somente por fãs do canal e do blog e pessoas que acessam regularmente o canal e o blog. O foco continuará sendo Linux, Ubuntu, Android e tecnologia, só queremos entender as possibilidades.



Obrigado pela participação e até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




ROSA Linux - Conheça um sistema operacional da Rússia!

Nenhum comentário

segunda-feira, 17 de abril de 2017

O ROSA Linux é uma distribuição Linux criada em território Russo, ele foi originado do antigo e descontinuado Mandriva, uma distribuição que teve uma importância muito grande para o mercado consumidor.

Rosa Linux




O mercado russo tem várias peculiaridades e busca suas próprias soluções, assim como o mercado chinês, como eu comentei neste post, que são também muito interessantes e diversas.

O mercado de tecnologia gira muito em torno das gigantes norte-americanas, mas as vezes esquecemos que em outros lugares do mundo também existem pessoas, empresas e comunidades com objetivos semelhantes e soluções igualmente interessantes, claro, sem desmerecer qualquer uma delas, não faz mal olharmos o "outro lado" de vez em quando.

Como eu gosto de testar sistemas operacionais, resolvi dar uma pesquisada sobre sistemas que são utilizados na Rússia, além do Windows que todos já conhecem. Um dos sistemas populares por lá é o ROSA Linux, do RosaLab, uma empresa que tem foco em atender empresas com soluções de código aberto.

Confira o vídeo onde eu mostrei o sistema operacional:




Como comentei no vídeo, o ROSA Linux é uma distro que nasceu de um fork do Mandriva, que por sua vez, veio da junção das antigas distribuições Mandrake e Conectiva, empresa brasileira, ou seja, existem alguns resquícios de DNA tupiniquim nela.

Se você quiser fazer o download e testar o sistema também, basta acessar este endereço.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Peppermint OS 7 - O que achei do sistema?

Nenhum comentário

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Existem distribuições Linux com as mais variadas propostas, uma delas é o Peppermint OS, uma distribuição que tem o objetivo de ser um sistema operacional leve e belo, como um intermediário entre aplicações desktop e aplicações em nuvem.

Peppermint OS 7 Review




O Peppermint OS é uma mistura de vários conceitos, temos elementos do Linux Mint, temos elementos do Ubuntu e temos coisas que são desenvolvidas pela própria equipe do Peppermint OS 7.

Peppermint OS 7 Review

O tema do desktop é predominantemente escuro, os ícones são baseados no popular Numix Circle, isso garante uma aparência elegante ao sistema, sem dúvidas, porém, eu não consigo gostar de um sistema completamente escuro assim, felizmente, existem temas disponíveis que podem ser modificados facilmente.

O conjunto de aplicações é bem simples, você vai encontrar tudo o que precisa para ter uma experiência online e multimídia boa, juntamente com a interface XFCE, faz com que o Peppermint traga um desempenho bom em máquinas mais modestas também.

Confira agora a revisão em vídeo do sistema:




Apesar de ter boas características, o Peppermint OS não é um sistema único, você consegue atingir resultados parecidos utilizando o Xubuntu, ou o Linux Mint XFCE, as suas ferramentas diferenciais também pode ser instaladas através do repositório PPA do sistema, como o  interessantíssimo ICE, que você viu no vídeo.

O Peppermint OS 7 é um sistema alternativo, cabe a você dizer se ele é ou não uma boa opção para o seu uso.

O que você achou dele?
Site do Peppermint OS
Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Lançado gNewSense Linux 4, uma distro que segue as diretrizes da FSF

Nenhum comentário

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Existe algumas distribuições Linux que tem o objetivo de utilizar somente software livre, nós vamos falamos sobre algumas delas por aqui, como por exemplo a Trisquel e a Uruk, hoje vamos falar da gNewSense.

gNewSense Linux 4 Download




O gNewSense Linux é uma distribuição baseada no Debian Stable que busca remover tudo o que for proprietário do Kernel e dos repositórios do sistema. Ele é um dos poucos sistemas reconhecidos pela Free Software Foundation (FSF) como um sistema realmente e completamente livre.

A interface gráfica é o Gnome Shell e não existem muitas implementações próprias além da modificação dos repositórios de software. A versão 4 dos sistema recebeu o nome de "Ucclia" e tem suporte para 3 arquiteturas: i386, amd64 e mipsel.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Lançado Ubuntu 16.04 Budgie Remix - Download

Nenhum comentário

terça-feira, 26 de abril de 2016

O novo "sabor" do Ubuntu com a interface Budgie Desktop está disponível para download com base na versão 16.04 LTS, confira as novidades e faça o download.

Ubuntu Budgie Desktop 16.04 Download




Essa versão do Ubuntu já foi notícia aqui no Diolinux há alguns dias atrás onde nós vimos o RC (Release Candidate) do sistema. Agora parece que ele ficou pronto e está disponível para os curiosos e para os que gostam de testar distros Linux.

Ubuntu Budgie Desktop


Basicamente a ideia é juntar o poderoso ecossistema do Ubuntu com simplicidade do Budgie Desktop proveniente do projeto Solus, pelo menos é isso que está no site. Realmente ele está muito bonito. O Ubuntu Budgie Remix é um sério candidato a se tornar uma derivação oficial do Ubuntu na versão 16.10, Mark Shuttlewoth, criador do Ubuntu, já deu seu aval.  

O Budgie Desktop parece fazer uma boa frente em termos de acabamento ao elementary OS, que é uma das referências neste segmento quando se fala em desktop Linux.

Apesar de ser baseado no Ubuntu 16.04 LTS que foi lançado a pouco tempo, o Ubuntu Budgie não é efetivamente uma LTS pois este não é um lançamento oficial da Canonical, ou seja, ele "sem querer querendo", como diria o Chaves, acaba sendo uma LTS por conta de sua base, mas os desenvolvedores não tem esse comprometimento agora. Ao menos nada foi anunciado.

De qualquer forma, parece ser uma forma interessante de usar o computador, você pode baixar o Ubuntu Budgie Remix clicando no botão abaixo, existem versões de 32 e 64 bits, ambas as ISOs tem cerca de 1GB de tamanho.

Você também pode encontrar informações no site oficial da distribuição, inclusive, se você não quer baixar uma ISO completa do Ubuntu Budgie, saiba que é possível instalar a interface no seu Ubuntu 16.04 LTS Unity (ou outra interface) utilizando este nosso tutorial.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como transformar o Ubuntu em "Rolling Release" (Devel Mode)

Nenhum comentário

terça-feira, 19 de abril de 2016

Poucas pessoas sabem desta forma de utilizar o Ubuntu e muitas pessoas gostariam de usar o Ubuntu no modo "Rolling Release", então eu vou explicar para você como funciona o modo Devel do sistema, quem sabe você possa utilizá-lo. Mas antes de fazer modificações no eu sistema leia com atenção no que isso acarretará para você e analise se vale a pena fazer essa modificação.

Devel Mode




O Ubuntu Devel é, digamos assim, um "estado" do Ubuntu. É o seu modo em constante desenvolvimento.

A ideia do Ubuntu ser Rolling Release é algo que sempre está rondando a cabeça dos usuários e também dos desenvolvedores do sistema, de fato, com a chegada do modelo Snappy para os pacotes do Ubuntu Desktop e o Ubuntu Phone, tudo indica que com o tempo o Ubuntu seja Rolling Release oficialmente.



Vendo os dois vídeos acima você poderá ter uma noção de como as coisas funcionariam. De fato, poder instalar o sistema uma vez e simplesmente ir atualizando (modelo rolling) tem suas vantagens, mas também tem suas desvantagens, um sistema em constante atualização coloca mais na mão do usuário a responsabilidade de mantê-lo estável (ou simplesmente funcional) do que sobre si mesmo.

Um exercício de imaginação


Como eu sei que a maioria dos leitores do blog são iniciantes, eu vou dar um exemplo de uma situação que pode ocorrer em uma distro Rolling Release.

Vamos imaginar um pacote qualquer, pode ser o do navegador Firefox. Vamos imaginar que no modelo Rolling Release (especialmente este Devel do Ubuntu) você está usando com toda a alegria o seu browser, então você recebe uma atualização que o deixa instável ou com problemas (pode ser problemas de desempenho, o aplicativo não abrir mais, ou qualquer outra coisa), um usuário experiente voltará para a versão antiga do browser até que uma nova atualização saia, esta nova atualização por sua vez tanto poderá corrigir o problema, quanto deixá-lo mais bugado ainda, ainda que obviamente a intenção dos desenvolvedores seja a de deixar o sistema coeso.

Ser Rolling Release normalmente significa ser bleeding edge, ou seja, ter a versão mais recente dos pacotes, independente do custo que isso traga para o usuário, usar o modo Devel do Ubuntu é equivalente a usar o Debian Sid, ou seja, a sua versão instável.

Um "probleminha" com a versão Devel do Ubuntu é que ele não é plenamente compatível com os PPAs, estes direcionam pacotes para releases especificas do sistema, como Trusty, Vivid, Xenial, etc.  e não a devel. Então, dependendo dos pacotes que você precise você terá de instalá-los manualmente por eles estarem originalmente contidos em PPAs, eventualmente necessitando compilar algum pacote ou mesmo cobrir dependências manualmente, ou seja, se torna um "Ubuntu para usuários mais avançados."

Como funcionam as atualizações do modo Devel?


O modo Devel simplesmente junta um ciclo de desenvolvimento no outro passando por momentos de "estabilidade" temporária. Por exemplo, imagine que você está utilizando o Ubuntu 15.10 no modo Devel, bastaria você ir atualizando o sistema que você chegaria aos pacotes que o Ubuntu 16.04 tem, se você continuasse atualizando você chegaria ao Ubuntu 16.10 uma hora ou outra, porém, o problema consiste nas atualizações que ficam entre um lançamento oficial do Ubuntu e a próxima. Esta "entre safra" normalmente reserva momentos onde os desenvolvedores fazem testes no sistema, testam pacotes, versões, drivers, versões do Kernel e tudo o que compõem o sistema, se você estiver usando a release devel você vai passar por todas as essas modificações que em tese seriam apenas para desenvolvedores.

As atualizações que vão para o Ubuntu em seus lançamentos convencionais são testadas e estabilizadas para que a atualização não quebre o sistema e mantenha-o funcionando sem maiores problemas, especialmente as versões LTS que são ainda mais conservadoras neste tanto. Essa não é uma preocupação na linha Devel, nesta caso o sistema simplesmente atualiza.

Para a maioria dos usuários finais as versões LTS são as mais indicadas, um exemplo dessa preocupação com coesão do sistema nós podemos observar no Nautilus no Ubuntu 16.04 LTS.

A versão atual do Gnome, que ainda é boa parte da base do Ubuntu, é a 3.20, porém, a maior parte das aplicações do Ubuntu que são provenientes do Gnome estão em versões que a equipe de desenvolvedores do Ubuntu pode verificar a estabilidade e que foram modificadas, ou aplicações que foram aplicados patches para garantir a compatibilidade e inetegração com o Unity (no caso da versão final), por conta disso algumas aplicações estão na versão 3.18, algumas na 3.19, outras na 3.20, já o Nautilus está na 3.14, por que disso? 

Porque a versão mais recente simplesmente corta funções que os desenvolvedores do Ubuntu gostariam que estivessem presentes no sistema, incluindo a aparência da aplicação, que muitas vezes ficaria bugada; quem acompanhou as versões alphas e betas do Ubuntu 16.04 LTS viu exatamente isso. 

Usando a versão Devel você terá a a versão mais recente do Gnome, não importando se isso irá ficar visualmente atrativo para o sistema, incluindo o Nautilus, como é o nosso exemplo.

Olhando desta forma, o modo Devel pode ser mais interessante para quem usa uma interface gráfica mais "pura" e que não requer ajustes, como Gnome Shell ou KDE Plasma.

Acho que agora você já tem uma ideia de como funciona, em resumo, o sistema fica, sobretudo, na sua mão, para bem ou para o mal.

Pense muito bem antes de fazer a modificação, pois você dificilmente conseguirá reverter o processo de maneira satisfatória sem formatar o computador, se você tiver curiosidade pela experiência, faça antes numa máquina virtual ou em um computador que você não depende para trabalhar.

Como mudar a sua Release do Ubuntu para modo Devel?


A mudança é simples, basta fazer uma pequena alteração no arquivo sources.list, abra o terminal e rode o comando abaixo:
sudo gedit /etc/apt/sources.list

Ubuntu 16.04 LTS

Dentro do arquivo de texto, você deve alterar todos os codinomes da sua release atual para "devel", sem aspas. No caso do exemplo acima você deveria mudar todos os "xenial" para "devel".

 Salve o arquivo e agora você vai atualizar o sistema. Depois de fazer os próximos passos não tem mais volta.
sudo apt-get update
sudo apt-get dist-upgrade
Agora vocês está no modo "Rolling Release" do Ubuntu, basta ir atualizado o sistema.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Manjaro Linux Lxqt é lançado com o tema do Windows 10

Nenhum comentário

quarta-feira, 16 de março de 2016

Uma nova variação do Manjaro Linux foi lançada nesta semana, a versão nova traz o ambiente gráfico LXQt, uma junção dos ambientes LXDE e RazorQT e trazendo uma look&feel semelhante ao Windows 10.

Manjaro Linux LXQT





Além da aparência inspirada no Windows 10, com o wallpaper padrão, ícones e temas, o Manjaro Lxqt 16.03 traz outras características interessantes. Para que está disposto a usar uma novo ambiente gráfico o Lxqt, que apesar de ser muito bem embasado ainda é bem recente, é uma boa oportunidade, além disso, esta edição do Manjaro Linux traz consigo os seguintes softwares diferenciais:


- kernel 4.4.4 LTS
- Manjaro settings manager
- sddm
- octopi
- compton
- Drivers proprietários inclusos apenas na versão de 64 bitsr
- pcmanfm-qt
- gimp
- lximage-qt
- chromium (64 bits
- firefox (32 bits)
- hexchat
- transmission-qt
- abiword
- qpdfview
- mpv
- smplayer
- gparted 
- qisousb
- lxtask
- xsensors

Para fazer o download e saber mais informações sobre esta versão do sistema consulte a página oficial.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




A polêmica dos “Refisefuqui”

Nenhum comentário

terça-feira, 8 de março de 2016

Há muito tempo se fala no universo do software livre sobre “meta-distribuições”, ou como se escreve nos fóruns um “Refisefuqui”. Esse assunto é super-polêmico e até hoje tem-se uma “guerra” internet afora. Vou expressar nesse texto a minha opinião sobre o assunto.

Remasterizações do Linux




O texto à seguir é de autoria do Yure Felipeto e não representa necessariamente a opinião do blog Diolinux sobre o assunto, este é um espaço do que nós abrimos para os leitores do blog, se você quiser mandar o seu artigo pra gente também acesse este link. Vamos ao texto:

---

Os que creem nesta teoria dizem que um “Refisefuqui” é uma “distribuição” Linux que não tem nada de novo a oferecer, e é apenas um sistema desnecessário e inútil, e que estas são um “lixo” e são um desrespeito ao software livre.

Penso que isso é um completo absurdo, pois a licença GPL diz que todo o programa pode ser usado para qualquer fim e as modificações nele feitas podem ser distribuídas. Então vê-se a clara contradição dos usuários que disseminam essa bobagem, porque qualquer um pode fazer o que desejar com o programa e distribuir.

Geralmente os usuários ditos avançados são os mais preconceituosos. A maioria o fazem por serem “fanboys” de outras distribuições como Arch Linux e Slackware. Esses “enchem a boca” dizendo “Só o Slackware é distribuição, Ubuntu é um lixo, elementary OS é um refisefuqui mal feito do Ubuntu […].”

Eu tenho estudado muito sobre Linux e GPL e nas minhas pesquisas em fóruns sempre tem um idiota e preconceituoso que acha que é o “mestre” no assunto. Alguns usuários até me insultaram me chamando indiretamente de “alienado” ou “ignorante”.

Acho que esse conceito lindo de comunidade que se fala não existe. Pelo menos até agora não vi um fórum em que os usuários realmente se importam com o projeto de Software Livre ou socialização em comunidade.

Então eu digo com sinceridade: você usuário novato não fique perdendo seu tempo em fóruns. Procure blogs e sites de confiança. E também não julgue o todo por alguns porque já me xingaram em sites porque acham que o recado é para todos. O recado deste texto é para os “Angry Users”, os que acham que são os “caras” e sabem tudo sobre Linux e são a palmatória do mundo.

Não caia nessa ideia de refisefuqui porque isso é nada mais do que um preconceito estúpido de algumas pessoas. Use a distro que quiser e seja feliz.

---

Nota do blog


Agradecemos ao nosso leitor Yure pelo material disponibilizado. Agora você pode usar os espaço de comentários abaixo para expressar a sua opinião sobre o assunto. Eu, Dionatan, ainda quero fazer um vídeo para explicar o meu ponto de vista sobre o caso no futuro, agora é a sua vez. O que você acha das remasterizações?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




5 distros Linux baseadas no Slackware que você precisa conhecer

Nenhum comentário

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

O Slackware é uma das mais antigas distribuições Linux existentes e se hoje em dia ele não faz mais o mesmo sucesso que um dia já teve entre os usuários, para muita gente ele ainda serve como uma boa base para novos projetos. Hoje você vai conhecer 5 deles.

5 distros derivadas do Slackware

1 - Zenwalk Linux

Zenwalk Linux

O Zenwalk Linux também é conhecido por MiniSlack, ele tem o objetivo de ser um sistema rápido, com foco em uso simples, para multimídia ou desktop convencional, ele procura trazer as versões mais recentes possíveis dos softwares, também pode ser convertido facilmente em um servidor  LAMP ou de arquivos. Para conhecer mais sobre ele e fazer o download acesse o site oficial.

2 - Wifislax

Wifislax

O Wifislax, diferente do Zenwalk que ainda foca um pouco mais no desktop, tem o objetivo de ser uma distro para ser utilizada primeiramente por live-CD proporcionando uma série de ferramentas para trabalhar com computação forense. Um dos grandes diferenciais do WifiSlax é que ele possui uma série de drivers que não fazem parte do Kernel Linux por padrão e muitas vezes tem até código fechado, tudo isso para dar o melhor suporte "out of the box" para a maior gama de hardware possível, especialmente placas Wi-Fi. Para saber mais e baixar o sistema acesse o site oficial.


3 - VectorLinux

VectorLinux

O VectorLinux, isso mesmo, escrevemos as duas palavras juntas, sem espaço, é mais uma distro da nossa lista baseada no Slackware. A ideia dos desenvolvedores é manter o sistema simples e compacto e deixar na mão do usuário o que o sistema pode ser e se tornar. Focado no minimalismo ele pode ser uma boa opção para quem gosta de ajustar os detalhes do sistema operacional. Se você se interessou no VectorLinux acesse o site oficial para baixar a sua cópia gratuitamente.

4 - Porteus


Porteus


O Porteus já apareceu aqui no Diolinux algumas vezes, em sua aparição mais recente nós mostramos ele como uma opção para ser utilizado em modo quiosque, entretanto, o Porteus também possui uma versão Desktop que pode ser utilizada normalmente.

A grande sacada da distribuição é que você pode customizar uma série de coisas que farão parte do sistema já no site, como por exemplo, a arquitetura, o ambiente gráfico, alguns programas que farão parte do sistema, drivers, entre outros.

Você pode baixar e construir a sua própria versão do Porteus à partir deste site.

5 - Slax

Slax Linux

Curiosamente o Slax foi uma das primeiras distros que eu testei quando estava ainda naquela fase de experimentar sistemas para ver o que eu mais gostava. Mal sabia eu que o Slax tem um propósito diferente do que eu esperava que ele tivesse, fora que ele é baseado no Slackware, algo que para um completo iniciante como eu seria logicamente complicado.

O Slax é uma distro simples do tipo Live, isso mesmo, você roda ela apenas pelo Live-CD ou através de um pen drive, não possui um instalador, é feita para ser assim mesmo. Apesar de ter várias ferramentas instaladas por padrão, incluindo a interface KDE, ele pode ser perfeitamente utilizado como uma distribuição de bolso ou uma distribuição para reparos, podendo ser utilizada para acessar arquivos em uma partição de um computador e fazer backup. Para baixar o Slax acesse o site oficial da distribuição.
---
Você conhece mais alguma distribuição interessante baseada no Slackware? Já usou alguma destas? Deixe a sua opinião e experiência nos comentários, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Lançado Metamorphose Linux 8 Panther, faça o download!

Nenhum comentário

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

A distribuição Linux brasileira Metamorphose Linux acaba de ganhar uma grande atualização que trouxe muitas novidades para o sistema e deixou-o ainda mais belo, confira.

Metamorphose Linux

O desenvolvedor do sistema, Ailton N. Mattos, anunciou o lançamento da mais recente versão do Metamorphose Linux, uma distribuição Linux brasileira baseado no Debian que procura trazer uma excelente experiência para o usuário final com a interface KDE.
Veja também: Análise do Metamorphose Linux 7
Existem várias coisas nova na versão 8 do Metamorphose, esta versão ganhou o codinome de "Panther", as principais mudanças são:

- KDE 5.3
- Kernel Linux 4.3
- Novo instalador para o sistema chamado de "Calamares"
- Melhorias na compatibilidade com o UEFI
- Aprimoramentos para a velocidade do sistema
- Nova seleção de aplicativos
- KDE Plasma 5 com modificação para melhorar a operabilidade
- Suporte para PPAs do Ubuntu
- Wine Staging

Ficou interessado em testar a nova versão do Metamorphose? Então acesse o site, que por sinal está de cara nova também, e baixe o sistema, em breve teremos uma review dele no canal do Diolinux.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Distros Linux: Conheça o Cubuntu com "C"

Nenhum comentário

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Se você é ligado no mundo Linux já deve ter ouvido falar do Kubuntu, uma distribuição Linux baseada no popular Ubuntu e que traz  consigo o ambiente KDE, juntando os dois termos você tem o Kubuntu (KDE+Ubuntu), mas e o Cubuntu? Você já ouviu falar?

Cubuntu

O Cubuntu (com "C") é uma distribuição Linux francesa que tem como objetivo trazer o Ubuntu sem o Unity e com duas interfaces, sendo que a padrão é o Cinnamon e a alternativa é o MATE. Além disso o sistema tem como objetivo ser "out of the box", ou seja, ele traz consigo vários programas e plugins para que o usuários apenas tenha o trabalho de instalar o sistema.

A lista de modificações é realmente grande e você pode vê-la no site oficial, na mesma página você encontra o link para download da distro.

Sobre a questão do nome, acredito que ele deveriam considerar a mudança para algo que soe diferente da versão já existente e reconhecida pela Canonical, o Kubuntu, afinal de contas isso pode gerar confusão entre os usuários, além de ser um nome "esquisito", pelo menos para nós que falamos português.

A dica de post sobre este sistema foi enviada pelo nosso leitor Antonio Carlos V Silva.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Conheça o Trisquel, a distribuição Linux baseada no Ubuntu que usa apenas Software Livre

Nenhum comentário

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Apesar de existirem centenas de distribuições Linux atualmente, cada uma com uma especialidade e focada em um público específico são poucos os exemplares que realmente podemos dizer que usam apenas Software Livre, hoje vamos conhecer o Trisquel, um sistema que tem a proposta de usar apenas software livre para tudo.

Trisquel GNU/Linux

O Trisquel é um sistema operacional interessante pela sua proposta, baseia-se no Ubuntu, o que por si só já faz com que ele tenha um imenso repositório, mas o principal diferencial dele é mesmo filosófico. O Trisquel GNU/Linux usa por padrão unicamente software livre, isso faz com que seu Kernel seja um pouco diferente do Ubuntu normal, vários drivers que o sistema da Canonical traz por padrão para garantir a compatibilidade com uma certa gama de hardwares e que são drivers com código proprietário não existem no Trisquel nativamente. Abaixo você vê a review do sistema feita pelo nosso parceiro Ivan Fuzzer do canal Tecnologia Aberta.


Para os interessados, é possível fazer o download do sistema à partir do site oficial da distribuição, clique no botão abaixo e você será redirecionado para ele.
Existem versões do Trisquel com Gnome e LXDE com arquitetura de 32 e 64 bits.

Conte para a gente o que você achou do sistema e se você o usuária como seu sistema padrão.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Porteus Kiosk: Uma distribuição para ser usada em modo Quiosque de 40 MB

Nenhum comentário

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

O modo quiosque pode ser bastante útil quando você quiser dar acesso a um determinado sistema via internet para os usuários interagirem, pode ser útil em votações, sistemas de segurança, entre outras funcionalidades. Hoje você vai conhecer uma distribuição Linux que tem justamente esta finalidade, o Porteus Kiosk.

Porteus Kiosk

Conheça o Porteus Kiosk


O Porteus Kiosk é exatamente o que o seu nome pode sugerir, altamente portátil, a ISO de instalação tem apenas 38 MB, e ele funciona em modo "Quiosque".
O modo "quiosque" para quem não conhece, é o modo de usar um navegador em tela cheia acessando algum sistema, tanto em intranet como em internet convencional utilizado com finalidades diferentes, nós já mostramos como fazer o Firefox e o Chrome entrarem em modo Quiosque em qualquer distribuição.

Existem ferramentas simples para configurar a internet e o domínio que o sistema vai acessar, tudo é feito de maneira gráfica e facilitada, você pode baixar a ISO do Porteus Kiosk no site oficial da distribuição.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Conheça melhor a distribuição Linux brasileira DuZeru GNU/Linux

Nenhum comentário

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Hoje você vai conhecer uma distribuição Linux brasileira que se mostra muito promissora, o DuZeru, uma distro que pretende ser a porta de entrada para o Linux para muitos usuários, conheça melhor o projeto.

DuZeru GNU/Linux

Conheça o criador do DuZeru GNU/Linux


Conversamos com os idealizadores do projeto DuZeru, um projeto de distribuição recente no âmbito nacional, com base no Debian, a distribuição pretende ser tão fácil quanto possível, sendo indicada para usuários iniciantes que querem usar um sistema que seja uma derivação mais direta do Debian e que use o ambiente gráfico XFCE.

O ambiente é completamente personalizado, mesclando características de várias interfaces gráficas diferentes. Confira a nossa entrevista agora com o Cláudio, o criador do DuZeru e tire todas as suas dúvidas, em breve também postaremos uma análise mais profunda do sistema.


Se você ficou interessado e gostaria de baixar o sistema para testar, você pode encontrá-lo na página oficial do projeto, outra forma de ajudá-los é comprando produtos na DioStore, a nossa loja, com o cupom de desconto DUZERU, além de ter 10% de desconto em qualquer produto você ainda ajuda a distribuição pois uma parte do valor da sua compra vai para o sistema. Inclusive, na DioStore você também encontra itens para compra que são exclusivos do DuZeru.

E aí, o que você achou do sistema? Já testou? Vai testar? Deixe a sua opinião nos comentários logo abaixo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Lançado openSuse 42.1 Leap combinando estabilidade e novidades na medida certa

Nenhum comentário

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

O openSUSE é um sistema que tem muito mercado na Europa, especialmente em empresas, e as mudanças que estavam previstas chegaram para deixar o sistema ainda mais confiável.

openSUSE 42.1 Leap - Download

Baixe agora mesmo a nova versão do openSUSE


Esta versão do openSUSE é especial pois é uma lançamento híbrido, como os desenvolvedores estão chamando, a versão "Leap" do sistema tenta trazer o equilíbrio perfeito entre estabilidade, vinda dos pacotes da versão LES (SUSE Linux Enterprise) usada amplamente nas empresas, com a Tumbleweed, uma versão com pacotes mais atuais.


A proposta é que se você procura estabilidade, você encontra (e muita!) e se você quiser novidades também, como será que funcionará na prática este equilíbrio? Bom, para saber isso só testando, felizmente a o openSUSE 42.1 é gratuito e pode ser baixando na página do projeto.

A versão padrão do openSUSE vem com o KDE Plasma 5.4 como padrão.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Fedora 23 é lançado com versões Workstation, Cloud e Server

Nenhum comentário
Uma nova versão da distribuição Linux Fedora foi lançada e você já pode fazer o download, agora vamos conhecer as novidades que acompanham a nova versão do sistema.

Fedora 23 Download

Faça o download do Fedora 23


Uma nova versão do Fedora está disponível, a versão 23 chega para o público mais uma vez gratuitamente desenvolvida por uma comunidade de usuários interessada em trazer o melhor sistema possível para você.

O Fedora tem 3 versões oficiais (não contando as spins) que tem públicos alvo diferentes, Workstation, Cloud e Server.

Fedora Workstation


Essa versão é a destinada para usuários que são desenvolvedores, e é a que mais se aproxima do uso doméstico em desktops e notebooks. O Fedora Workstation inclui a versão mais recente do ambiente Gnome, você pode fazer o download do Fedora Workstation na página do projeto.

Fedora Cloud


Esta versão do Fedora é destinada para quem precisa de um sistema mínimo e eficiente para trabalhar com servidores OpenStack especialmente, ele pode ser integrado com serviços como o Docker facilmente. Você pode baixar gratuitamente o Fedora Cloud para os seus servidores na página do projeto.

Fedora Server


Como o nome sugere, esta é uma versão destinada aos usuários que querem usar o Fedora como servidor, e ele vai te ajudar a manter o seu sistema estável e funcional com as últimas tecnologias relacionadas, é bom lembrar que o Fedora é de certa forma uma ambiente de experimentação para as futuras versões do Red Hat Enterprise Linux, que despensa apresentações. Você pode fazer o download da versão Server do Fedora na página do projeto dedicada a ele.

Conte pra gente o que você achou da nova versão do Fedora nos comentários, até a próxima! :)

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




PearOS voltou! Faça o download!

Nenhum comentário

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Quem ainda lembra do famigerado PearOS, uma distribuição que conquistou muitos usuários com sua aparência semelhante ao MacOSX, sabemos que a versão original foi descontinuada mas aparentemente o fãs não deixarão o sistema morrer.

PearOS 2015

PearOS está disponível para download novamente


O PearOS nunca foi a distro Linux mais usada do mundo mas como as pessoas gostam muito da pegada do MacOSX muitos usuários tinham ele como sua distro principal, um destes usuários era o português Rodrigo Marques.
Leitura recomendada: Vale a pena usar o PearOS?
Marques gostava muito do sistema e não aceitou muito bem a sua morte, desta forma ele criou um projeto inspirado nos conceitos do PearOS antigo, usou o Ubuntu 14.04 LTS como base e adicionou os temas do Mac OSX e voilà!

Além da aparência inspirada do Mac OSX, o Pear OS de Rodrigo Marques também traz alguns programas como padrão:

- Libre Office
- Chromium
- BleachBit
- Spotify
- Firefox
- Gedit
- Shotwell
- Transmission
- VLC

E várias outras aplicações padrões do Gnome. Apesar de ter o mesmo nome do seu inspirador, não se trata tecnicamente de uma continuação do mesmo sistema, nem mesmo os desenvolvedores são os mesmos, porém o nome sim. Você pode baixar o novo sistema através do SourceForge.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Solus OS receberá a sua versão definitiva com o ambiente gráfico Budgie Desktop

Nenhum comentário

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Quem gosta de experimentar novas distribuições Linux vai gostar de saber as novidades vindas dos desenvolvedores do projeto Solus OS, parece que finalmente o seu sistema sairá da versão beta.

Solus OS download

Solus OS, uma distro totalmente voltada para o Desktop


Quer algo novo? Com um ambiente gráfico feito do zero? Então o Solus OS pode ser uma boa opção para você. Este sistema operacional baseado em Linux usa o Budgie Desktop como ambiente gráfico, um ambiente que é um pouco desconhecido, pelo menos por enquanto.

Leia também: Instale o Budgie Desktop no Ubuntu 14.04 LTS

Os desenvolvedores informaram que a distro estará disponível em sua primeira versão estável no início de Outubro, correções de bugs e polimentos visuais são esperados para o lançamento.

Ficou curioso para saber como é o Budgie Desktop e para saber como é uma distro feita do zero? Então relaxa na sua cadeira, pois o canal do Diolinux produziu uma review completa do último Beta do Solus para mostrar para você, confira aí:


Acesse a página do projeto: solus-project.com

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Confira:
Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo