Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador fedora. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador fedora. Mostrar todas as postagens

Fedora 26 - Conheça as principais novidades da versão e veja como baixar

Nenhum comentário

domingo, 16 de julho de 2017

Os desenvolvedores do Fedora anunciaram nesta semana a disponibilidade da mais nova versão do sistema operacional que continua mantendo seu foco em Workstation e trazendo um conjunto de softwares muito atualizado, ainda que a distro não seja Rolling Release, é uma das melhores opções para quem gosta do GNOME Shell, sem dúvida, mas existem outras versões do Fedora interessantes também que você deve conhecer.

Fedora 26




O novo Fedora 26 foi lançado com atualizações de pacotes e correções de bugs, visualmente, como era de se esperar, você não deve encontrar mudanças drásticas, já que a distro não costuma personalizar muito as interfaces que a acompanham. Sim, interfaceS no plural, pois apesar do GNOME Shell ser a principal delas, o Fedora também possui diversas Spins com interfaces diferentes.

Você pode ler as notas de lançamento para conhecer todos os detalhes da versão 26 do Fedora neste endereço.

Confira também o nosso vídeo de apresentação da versão 26:



Um pouco sobre o Fedora


Red Hat Linux

O Fedora é uma distro comunitária, porém, de forma parecida com o que acontece com o openSUSE, temos uma empresa que patrocina o desenvolvimento, neste caso a poderosa Red Hat. Na verdade, o Fedora serve como um "campo de testes" para o desenvolvimento do Red Hat Enterprise Linux, uma das principais distribuições Linux do mundo corporativo.

É curioso pensar no Fedora como um derivado do Red Hat, pois atualmente é quase o caminho contrário, o Red Hat vem dos pacotes primeiramente testados no Fedora, claro, com suas devidas particularidades e exceções, mas sem dúvida é uma relação saudável.

No seu Desktop


O foco principal do Fedora nos últimos anos tem sido o chamado "Worsktation", ou seja, é voltado para desenvolvimento de todos os tipos. Isso não quer dizer que você não possa usar o sistema no Desktop, claro, mas digamos que este não seja o foco.

Por conta disso você não vai encontrar certos "facilitadores" diretamente no sistema, como gestores de drivers e coisas do tipo, mas é claro que essa não é a única forma de você instalar componentes no Fedora.

Entre as principais ferramentas com elas funcionalidade, podemos destacar 3:

- Fedy



Com estes utilitários vai ficar fácil habilitar o repositório RPMFusion, o que permite que você instale vários componentes que não são necessariamente software livre, como drivers, codecs e muitos outros programas que não estão no repositório padrão do Fedora.

Fedora 26

Não esqueça de observar a Central de Aplicativos que acompanha a distro, especialmente na versão GNOME e KDE Plasma, por elas você poderá instalar vários outros aplicativos famosos sem precisar ter noções avançadas sobre o sistema, tudo clicando e instalando.

Ao buscar por softwares na internet para o seu Fedora, observe os que estão disponíveis no formato .rpm, eles não são tecnicamente exatamente como os .debs para Ubuntu/Mint/Debian, mas funcionam de forma muito parecida, bastando instalar dando dois cliques. Esta nova versão do Fedora também inclui suporte nativo aos pacotes Flatpak e você ainda pode habilitar os Snaps.

Outro detalhe importante é que o Fedora (com GNOME pelo menos), utiliza o servidor gráfico Wayland por padrão ao invés do X.org. Isso pode, infelizmente, causar alguns problemas para placas de vídeos que necessitem de drivers proprietários e até mesmo alguns games da Steam, felizmente você pode alterar isso diretamente da tela de login.

O projeto Fedora é mais amplo do que parece


O projeto Fedora possui páginas especiais que te oferecem versões com interfaces diferentes do GNOME, como comentei no início do texto, o Fedora possui as chamadas "Spins".

O Fedora Spins mostra justamente versões do Fedora com outras interfaces por padrão, então se você gosta do KDE Plasma, do XFCE, do Cinnamon ou qualquer outro, você não vai ficar na mão. Outra página interessante é o Fedora Labs, que são ISOs diferentes do sistema destinadas a finalidades específicas, como astronomia, design e até mesmo jogos, cada uma com uma seleção de softwares específicas para cada finalidade.

Além destas versões, ainda temos o Fedora Cloud e o Fedora para arquitetura ARM, com imagens completas ou mínimas, onde você pode instalar cada pacote manualmente, assim como faz com um Debian Netinstall, por exemplo.

Baixe a versão nova ou atualize do Fedora 25


Você pode fazer a atualização de duas (na verdade três) formas. Baixando os sistema do site oficial e formatando o seu computador é uma delas, a mais simples e direta, é o mais recomendado para atualizar de uma versão para outras para evitar qualquer problema no processo. Vale a pena mencionar que você deve ter backup das suas coisas, independente do método.

Se você já tem a versão 25 do Fedora, é possível fazer o Upgrade em modo gráfico ou através de linha de comando. Utilizando a interface GNOME você pode acessar o GNOME Software e buscar por atualizações, você deverá ver uma imagem como esta abaixo, bastando confirmar a atualização:

Atualizando a versão 25 para 26 do Fedora
Imagem: Fedora Magazine

Se você usar outra interface ou preferir fazer pela linha de comando, basta rodar estes comandos de forma sequencial:

sudo dnf upgrade --refresh
sudo dnf install dnf-plugin-system-upgrade
sudo dnf system-upgrade download --releasever=26
sudo dnf system-upgrade reboot
Tome cuidado com possíveis pacotes quebrados e dependências insatisfeitas, caso o terceiro comando mostre algo neste sentido, veja o que você pode fazer para corrigir antes de continuar, ou opte pela instalação limpa.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Microsoft anuncia iTunes, Ubuntu, SUSE e Fedora para a Windows Store

Nenhum comentário

quinta-feira, 11 de maio de 2017

A Microsoft está realizando uma conferência para desenvolvedores chamada MSBuild, essa conferência tem como objetivo dar aos desenvolvedores que utilizam o Windows como plataforma um vislumbre nas novidades e ferramentas que estarão ou que já estão disponíveis no Windows.

MSBuild 2017




A Microsoft anunciou algumas coisas que chamaram muito a atenção da imprensa, uma delas é que a Apple está trazendo o iTunes para a Windows Store, algo que pareceria inimaginável até então, a Apple distribuir software fora de "seus domínios" e a outra, igualmente interessante e surpreendente, é a inclusão de mais distribuições Linux na plataforma.

Ubuntu na Windows Store

Quando a Canonical anunciou o Ubuntu on Windows, muitas pessoas falaram muito mal, na minha opinião por pura desinformação e um orgulho que não faz muito sentido, agora o SUSE Linux e o Fedora também rodarão da mesma forma que o Ubuntu no Windows, com isso os desenvolvedores tem basicamente o Shell dos principais sistemas Linux utilizados no Azure e em desenvolvimento, ou quase isso, temos o Ubuntu, que é até certo ponto equivalente ao Debian, o SUSE e o Fedora, que se assemelha ao CentOS e ao Red Hat.

Utilizar o recurso do Bash dentro do Windows já era possível há alguns meses, mas era um recurso experimental e que necessitava de certos ajustes técnicos para rodar, com a presença do Ubuntu dentro da Windows Store, a utilização fica muito mais simples, bastando instalar como qualquer outra aplicação.

Será que a galera vai fazer campanha de boicote ao SUSE e ao Fedora também como fizeram com o Ubuntu na época? Se a linha de raciocínio mercadológica evoluiu um pouco de lá pra cá, acredito que não. Do meu ponto vista, seja usando diretamente uma distro, ou ela (ou partes dela) dentro do Windows, as pessoas ainda estarão utilizando Linux e tirando do projeto o melhor que a tecnologia poderá lhes prover em situações específicas.

Quem vai achar essa novidade interessante são especialmente os desenvolvedores que usavam Linux por obrigação para trabalhar com determinadas ferramentas, ou os que nunca quiseram utilizar Linux e agora terão essa oportunidade dentro do próprio Windows.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




O que fazer depois de instalar o Fedora 25

Nenhum comentário

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

O Fedora 25 foi lançado há algumas semanas e nós temos um ótimo material para compartilhar com você que gosta desta distribuição. O Fedora é um pouco menos user friendly do que o Ubuntu e o Linux Mint, sendo que a utilização do terminal é praticamente obrigatória para fazer todos os procedimentos de pós instalação, mas isso não quer dizer que seja mais difícil e menos satisfatório, confira agora as principais dicas para você deixar o seu novo Fedora 25 "redondinho".

Fedora 25 pós instalação




O vídeo que você vai ver foi preparado pelo Renato Araujo no canal Oficina do Tux, nosso parceiro, confira agora as dicas dadas por ele:


Sintetizando os passos nos temos:

1 - Atualizar o sistema
sudo dnf update
2 - Drivers de Vídeo (Nvidia) no Fedora

3 -  Fedy

Estas são as principais ferramentas e passos para você deixar o Fedora 25 pronto para o seu uso, para baixar essa nova versão do Fedora acesse este artigo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Trillian - Um cliente de mensagens multi-protocolo para Linux, Windows e Mac

Nenhum comentário

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Mensageiros como o Pidgin, Empathy e outros já foram mais populares, hoje em dia quem faz a festa é o Franz, mas isso não quer dizer que ele seja a única opção, conheça o Trillian.

Trillian para Linux




Eu lembro de utilizar o Trillian há alguns anos no Windows, ele era uma boa aplicação, inovadora para a época, onde juntar vários chats diferentes em um único serviço era algo novo. Com o passar do tempo, o Trillian acabou ganhando concorrentes, mas isso não quer dizer que ele tenha deixado de ser uma boa alternativa.

Ele tem suporte a diversos protocolos de comunicação, como o do Facebook e do Google por exemplo:

Configurações do Trillian para Linux

A integração com Trillian com o Unity no Ubuntu é muito boa, além de mostrar a quantidade de mensagens não lidas no ícone da barra lateral, ele também se integra com a central de notificações, através do ícone de mensagens na barra superior.

Trillian Ubuntu Unity

O Trillian tem pacotes em formato .DEB compatíveis com Ubuntu, Mint, Debian e seus derivados e pacotes .RPM, com pacotes para Fedora, SUSE e derivados em versões de 32 e 64 bits, basta clicar no botão abaixo e baixar.
Uma coisa interessante que o Trillian tem, se comparado com outros mensageiros, é um protocolo próprio, então você pode se comunicar com outros usuários do Trillian através da própria rede deles.

Lista de contatos Trillian


Ele pode ser utilizado como um comunicador interno para a sua empresa ou para comunicação tradicional com suporte para envio de arquivos.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Lançado Fedora 25 com novo servidor gráfico Wayland

Nenhum comentário

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Depois de alguns pequenos atrasos no lançamento, finalmente está disponível para download gratuito a nova versão do Fedora. O Fedora 25 traz várias tecnologias interessantes nesta atualização, dentre elas o maior destaque é o servidor gráfico Wayland no lugar no X.org.

Fedora 25 Download



Com os ambientes gráficos atualizados, o Gnome que acompanha o Fedora 25 está na versão 3.22. O grande diferencial é mesmo o servidor Wayland que é colocado por padrão, porém, ao contrário do que se possa pensar, o Wayland, assim como o Mir, ainda não está plenamente compatível com drivers proprietários, o que significa que para quem quer utilizar o Fedora para games, o servidor X ainda será utilizado.

O Fedora 25 também traz uma nova ferramenta para criação de pen drives bootáveis, o Fedora Media Writer.

Fedora 25 Image Writer

A distro, além das Spins com outras interfaces gráficas e finalidades, possui algumas versões oficiais. 
A versão Workstation, destinada a programadores e a usuários médios de desktop, a versão para servidores e a versão Cloud, mas neste lançamento também temos a versão Atomic, destinada a trabalhar com Containers especialmente, está versão está ocupando o espaço da Cloud atualmente no site do Fedora.

Você pode baixar a versão que você mais gostar e que atender a sua necessidade diretamente do site oficial, basta clicar no botão abaixo:

Confira o vídeo abaixo do canal Fast OS, parceiro do Diolinux.

 
Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como usar os pacotes Snap do Ubuntu em outras distribuições Linux

Nenhum comentário

domingo, 13 de novembro de 2016

Eu vejo nos pacotes Snap do Ubuntu uma grande possibilidade para uma mudança de paradigma na forma de distribuição de software para Linux e uma das coisas importantes neste sentido é a compatibilidade com outras distros, assim como os pacotes FlatPak, veja agora como usar os Snaps em outras distros que não sejam o Ubuntu.

Ubuntu Snap em outras distros



O Snapd é o nome do utilitário que um sistema operacional precisa ter para poder utilizar os pacotes Snap, hoje ele está disponível para uma série de distribuições e futuramente estará em mais! Se bem que a lista já é grande o suficiente para abranger a maior parte dos sistemas baseados no Kernel Linux se incluirmos os derivados de cada distro, que também são compatíveis.

Veja agora como instalar o Snapd para ter acesso aos pacotes Snap em algumas distribuições Linux populares. Em todos os casos será necessário utilizar o Terminal, tudo bem? Mas fique tranquilo, independente do caso, o processo é simples, basta prestar atenção.

Pacotes Snap no Arch Linux

sudo pacman -S snapd
Depois de instalar você precisa habilitar o processo para inicialização do sistema se você quiser:
sudo systemctl enable --now snapd.socket


Pacotes Snap no Debian 


No caso do Debian só funciona atualmente no Debian Sid, a versão estável ainda não tem suporte, quem sabe na próxima versão do Debian, né? Mas se você usa o Debian Sid, basta usar este comando:
sudo apt install snapd
Caso você não tenha o sudo habilitado, rode o comando como administrador no terminal.

Pacotes Snap no Fedora

sudo dnf copr enable zyga/snapcore
sudo dnf install snapd
sudo systemctl enable --now snapd.service
 O Fedora usa o SELinux que pode causar alguns conflitos atualmente, então será preciso rodar este comando:
sudo setenforce 0
Se mesmo assim o problema persistir pode pode tentar editar o seguinte arquivo: etc/selinux/config e o configure esta linha desta forma:  SELINUX=permissive

Pacotes Snap no Gentoo


Para o Gentoo o processo é um pouco mais complicado, visite o projeto Gentoo Snappy Overlay no GitHub e siga os passos descritos por lá.

Pacotes Snap no openSUSE


Para o openSUSE o processo é simples também:
sudo zypper addrepo http://download.opensuse.org/repositories/system:/snappy/openSUSE_Leap_42.2/ snappy
sudo zypper install snapd 


Pacotes Snap no Linux Mint e outras distros derivadas do Ubuntu


Qualquer distribuição que use como base o Ubuntu 16.04 LTS ou superior já tem a possibilidade de usar os Snaps, o Snapd já está no repositório, isso vale para o Linux Mint, Xubuntu, Kubuntu, Lubuntu, Ubuntu Gnome, etc.
sudo apt install snapd
Depois de tudo instalado você vai poder usar o comando:
sudo snap install nome_do_pacote_snap  
Assim você instala qualquer pacote que esteja no repositório Stable do Ubuntu Core.

Bacana não é? Uma tecnologia facilmente acessível para todos.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Crie grupos de aplicativos customizados no Gnome com o Meow

Nenhum comentário

domingo, 6 de novembro de 2016

O Meow é um novo editor de menus disponível para distribuições Linux que usem o Gnome Shell, e cá entre nós, ele resolve um dos problemas da interface que eu sempre apontei. Uma das coisas mais interessantes do Gnome na minha opinião é a forma com que ele agrupa programas no menu, lembra muito o Android e o iOS, mas não é possível criar os seus próprios agrupamentos ou modificar os existentes, pelo menos não tão facilmente antes do Meow.

Gnome Apps Groups with Meow




Aplicativos para editar o menu do sistema existem "desde sempre", mas o Meow é novo e possui este diferencial, conseguir ajustar os agrupamentos de programas, permitindo assim, que você organize a sua coleção de aplicativos da forma que achar melhor para tornar o seu dia a dia mais produtivo.

Organize os Apps com o Meow

Através do Meow você pode facilmente criar grupos de aplicações e nomeá-las como quiser, adicionando e removendo os aplicativos que você deseja. O programa ainda conta com uma opção prática de pesquisa para que você encontre rapidamente o programa que você deseja para adicioná-lo em um grupo.

O Meow está no GitHub com instruções para instalação e pacotes para Ubuntu, Debian e Fedora, para que você possa instalar facilmente.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Rocket League no modo Online no Fedora

Nenhum comentário

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Recentemente o game Rocket League foi lançado para Linux/Steam OS, mas os jogadores que não usam derivados do Debian (como Ubuntu e SteamOS) não estavam conseguindo acessar o modo online do game, veja agora como corrigir o problema no Fedora.

Rocket League no Fedora




Os nossos amigos do canal Oficina do Tux deram um jeito nisso e mostraram como fazer o game rodar no Fedora, basicamente tudo o que você precisa fazer é rodar este comando no terminal:
sudo ln -s /etc/ssl/certs/ca-bundle.crt /etc/ssl/certs/ca-certificates.crt
Só com isso o game deverá rodar normalmente, mas para ter certeza de como fazer, confira o vídeo tutorial logo abaixo:



Bom jogo e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Intel libera ferramenta para atualização de drivers de vídeo para o Ubuntu 16.04 LTS e Fedora 24

Nenhum comentário

terça-feira, 6 de setembro de 2016

A Intel lançou o "Intel Graphics Update Tool" para o Ubuntu 16.04 LTS e o Fedora 24, isso permite que os usuários usem as versões mais recentes de drivers de vídeo da empresa com poucos cliques.

Intel Graphics Update Tool




Esta não é uma ferramenta nova, mas ela mudou de nome, antes ela se chamava "Intel Graphics Installer for Linux", mas a funcionalidade dela é a mesma. A ferramenta basicamente permite a instalação dos drivers de vídeo da Intel mais recentes no Ubuntu 16.04 LTS e no Fedora 24, sim, oficialmente a ferramenta está disponível apenas para estas distribuições em pacotes .deb e .rpm, porém, é possível também baixar os arquivos do instalador para fazer a instalação manualmente em outras distros.

Dica: No Ubuntu, é possível você manter os drivers de vídeo atualizados e otimizados também através do repositório Oibaf, eu o utilizo há vários anos e ele é muito bom também.

Download do Intel Graphics Update Tool


Para baixar é muito simples, basta acessar o site e escolher a opção que adéqua-se melhor à sua distribuição.

Intel Drivers Linux

No Ubuntu e no Fedora, instale dando dois cliques, depois você encontrará a aplicação no menu do sistema com o nome "Intel Graphics Update Tool for Linux* OS", para verificar se novos drivers podem ser instalados, basta rodar a aplicação e seguir os passos sugeridos:

Linux Driver

Faça o download do botão abaixo:

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como instalar o Google Earth no Linux

Nenhum comentário
O Google Earth é uma das ferramentas mais populares da empresa e ele também possui uma versão para Linux, com suporte oficial para o Debian, Ubuntu, Fedora e openSUSE, veja agora como fazer o download da aplicação para o seu sistema.

Google Earth Linux




Instalar o Google Earth no seu sistema não é nada complicado, aliás, realmente é muito simples, especialmente se você usa uma das distribuições suportadas oficialmente ou derivados delas. 

Caso você não conheça muito bem, o Google Earth é uma aplicação da Google que faz uma "extensão do Google Maps", que você pode acessar pelo navegador, com muito mais recursos e umamapeamento amplo de todo o planeta, com visões tridimensionais de pontos turísticos famosos e imagens de praticamente todas as principais rodovias.

Google Earth

Como instalar o Google Earth no seu Linux?


O Google Earth é distribuído em pacotes .deb e .rpm, de modo que tudo o que você precisa fazer é acessar o site oficial, selecionar a opção que você deseja, seja 32 bits, seja 64 bits, de acordo com o sistema que você utiliza e instalar.

Download Google Earth
Neste exemplo estamos usando o Ubuntu


Depois de baixar o pacote, basta dar dois cliques no arquivo e instalar com a Central de Aplicativos, se tudo correr bem, o Google Earth estará disponível no meu no seu sistema.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Tixati - Um cliente Bittorrent avançado para Linux e Windows

Nenhum comentário

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Se você está à procura de um novo cliente de bittorrent para o seu computador é bom prestar a atenção neste artigo pois vamos te mostrar um bom peculiar, o Tixati.

TixaTi - Torrent Client




Eu acabei esbarrando com ele nas minhas pesquisas na internet, então resolvi compartilhar com você o programa, afinal, não é todo dia que vemos um destes e sinceramente, até então eu nunca tinha ouvido falar do dito cujo.

A descrição do projeto diz:

Our NO Spyware, NO Adware, NO Nonsense Guarantee
Unlike many other torrent clients, we take pride in saying NO to spyware and adware. Tixati installs and uninstalls cleanly and doesn't add anything extra to your system. Our software is fully self-contained and doesn't have annoying dependencies on Java or .Net frameworks.
Em uma tradução livre seria algo como: "Sem spyware, sem adware, sem garantia.  Ao contrário de muitos outros clientes de torrent, temos orgulho em dizer NÃO ao spyware e ao adware. Tixati é instalado e desinstalado de forma limpa e não acrescenta nada de extra para o seu sistema. Nosso software é totalmente auto-suficiente e não tem dependências irritantes sobre frameworks Java ou .Net."

TixaTi

Além de todas as características tradicionais dos clientes torrent, ele ainda possui um controle bem avançado de opções para personalização da interface e controle de banda, com gráficos detalhados de seeders e peers, assim você pode escolher melhor como você deseja que o seu arquivo torrent seja trabalhado.

TaxiTi baixando Torrent do Ubuntu

Taxiti fazendo o download

Apesar do programa ter a opção de minimizar o aplicativo para tray do sistema, esta opção não funcionou corretamente no Ubuntu, mas em compensação o download foi efetivado com sucesso e com uma ótima velocidade.

Baixe o Tixati para o seu sistema


O Tixati é compatível com Windows e Linux, sendo que você encontra instaladores de 32 e 64 bits para ambos os sistemas, existem pacotes .deb e .rpm, que são compatíveis com Ubuntu, Debian, Fedora e seus derivados; existe também um pacote para instalação manual através de compilação para outras distribuições Linux. Clique no botão abaixo para acessar o site e fazer o download.

Teste o programa e nos diga o que você achou, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Yandex Browser - Instale um navegador russo no seu PC

Nenhum comentário
O Yandex Browser é o navegador do popular buscador russo Yandex, ele é o "Google" da Rússia, sendo mais utilizado do que o buscador norte-americano por lá, com cerca de 60% do Market Share. 

Veja como instalar o navegador da companhia no seu Ubuntu, Fedora, Windows ou Mac.

Yandex Browser - Navegador Russo




Digamos que o Yandex seja a versão russa do Google Chrome, até a base é a mesma, o projeto Chromium. O navegador possui um visual particular e modificado do Chromium padrão, mas mesmo assim se integra perfeitamente aos serviços da Google, tanto que ele conseguiu puxar todas as extensões, configurações, favoritos e dados da minha conta Google que estava no Google Chrome, a mudança é instantânea e rápida.

O consumo do navegador é basicamente o mesmo do Chromium, ou seja, não espere algo muito mais leve do que o que você já tem com o navegador da Google. Alguns dos diferenciais do browser, além de não ser atrelado à Google e o visual diferente, são algumas extensões que ele traz por padrão e a sua loja de aplicativos própria.

O navegador possui também o "modo turbo" que diminui o consumo de dados, segundo os desenvolvedores, ideal para utilizar com internet lenta e alguns outros complementos e recursos que podem ser obtidos no Chrome através de extensões, mas que no Yandex é nativo, como uma opção para escurecer as páginas ao reproduzir um vídeo.

Download do Yandex Browser


Instalar o Yandex Browser no seu sistema é muito simples, o navegador tem versões para Mac, Linux e Windows, sendo que para Linux é distribuída em pacotes .deb e .rpm, mas atenção, é apenas para sistemas de 64 bits. Para Windows e Mac são os instaladores tradicionais.

Existem também versões para dispositivos móveis do Yandex Browser, você as encontra também na página de download clicando no botão acima.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




DNF - Aprenda a gerenciar pacotes no Fedora facilmente

Nenhum comentário

terça-feira, 5 de julho de 2016

O gerenciador de pacotes DNF é a principal ferramenta do Fedora para instalar e remover programas, assim como é o APT no Ubuntu, vamos aprender alguns parâmetros de utilização do DNF?

Como usar o DNF no Fedora




O Fedora 24 - faça o download aqui - que saiu recentemente consolidou o gerenciador de pacotes DNF na distribuição, por ser algo relativamente novo, ele ainda pode gerar algumas dúvidas dos usuários.

O projeto DNF possui uma documentação simples de entender em seu site oficial com a lista de comandos disponíveis, mas é claro que aqui sempre temos algo a mais para mostrar, por isso, confira agora o vídeo do nosso colega Greyson, do canal Acre Linux, desmistificando e destrinchando o DNF do Fedora para você.


Quer saber mais sobre o Fedora 24? Confira a nossa review completa clicando aqui.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Conheça o Flatpak, um formato de empacotamento concorrente ao Snap

Nenhum comentário

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Estão surgindo vários projetos interessantes com o intuito de facilitar a vida de quem pretende instalar um simples pacote de software no Linux (distros em geral). Temos o Snap, desenvolvido pela Canonical para o Ubuntu e para outras distribuições, e além do AppImage, temos também o Flatpak, com uma proposta muito interessante.

FlatPak - Um concorrente ao Ubuntu Snap




O modo como os aplicativos para Linux são distribuídos está em pauta neste ano e é muito provável que os anos vindouros nos guardem algumas surpresas nestes sentido. Recentemente eu fiz um vídeo falando sobre o Ubuntu Snap e como ele poderá fazer diferença para todas as distribuições Linux que os adotarem, mas é bom que você saiba que ele não é a única solução neste sentido.

O que é o Flatpak?


O projeto Flatpak em si é antigo, anteriormente ele era conhecido como XDG-Apps, agora ele só está com um nome mais "bonitinho" e comercial. O projeto surgiu através de um dos engenheiros da Red Hat; Alexander Larsson, o criador "dessa brincadeira", almeja com o Flatpak, basicamente o mesmo que a Canonical almeja com o Snap ou seja:

- Segurança
- Estabilidade
- Portabilidade
- Praticidade

Palavras bonitas sim, mas que merecem uma explicação mais detalhada. 

O Flatpak é um modo de empacotar os softwares para Linux com todas as suas dependências inclusas, tal qual o Snap, a única diferença notável que eu percebi entre ambos, é que o Flatpak também consegue compartilhar bibliotecas existentes entre os pacotes para não duplicá-las, ao contrário do Snap, que por sua vez também tem diferenciais, como a capacidade de rodar também em dispositivos móveis e internet das coisas, isso garante que o tamanho dos pacotes Flatpak sejam consideravelmente menores.

Como funciona o Flatpak?


Se você viu o nossos vídeos sobre o Snap, vai ficar "mão com açúcar" de entender o Flatpak, simplesmente porque o conceito é o mesmo. 

Os aplicativos empacotados no formato Flatpak são "multi-distros", assim como a Canonical anunciou recentemente que o Snap também é, isso permite que o mesmo pacote de software seja instalado no Ubuntu, no Fedora, no Manjaro, em fim, qualquer distribuição, o que sem dúvidas, é muito legal!

O Flatpak também tem a capacidade de rodar as aplicações em Sandbox (tal qual o Snap), dessa forma as aplicações rodam isoladas umas das outras e fazem do sistema algo mais seguro e com uma maior facilidade em fazer downgrades, caso seja preciso, muito útil em um servidor e em desktop.

A diferença do Flatpak para o Snap neste ponto, é que o Flatpak tem a capacidade de economizar um pouco de espaço em disco, pois este empacotamento permite que bibliotecas sejam compartilhadas caso elas já existam no sistema, evitando que alguns MB a mais de espaço sejam tomados.

A equipe de desenvolvimento do Gnome por exemplo, que é muito ativa na construção do Flatpak, já disponibilizou alguns de seus softwares no formato, o LibreOffice por exemplo, também já disponibilizou imagens de seus softwares sob este novo modo de empacotamento.

Pegando o LibreOffice como exemplo, temos a versão Snap com 287 MB e a versão Flatpak com 157 MB. Podemos ver, desta forma, a diferença de tamanhos. 

Por enquanto o Flatpak pode ser rodado apenas em ambientes Gnome e KDE, o que pode limitar um pouco as coisas, entretanto isso deve mudar no futuro. O Snap precisa apenas do utilitário Snapd instalado em qualquer distro para rodar e mais alguns ajustes, o que parece ser mais simples em primeira análise.

O Flatpak também roda com maior segurança sob o servidor gráfico Wayland, apesar de rodar com o X11 também, da mesma forma que o Snap roda melhor sobre o Mir e tem compatibilidade com o X11.

E agora? Flatpak ou Snap?


Pergunta difícil, não? Mas ela tem de ser feita... e cá entre nós, do jeito que as coisas no mundo Linux são tratadas, nós não teremos um padrão tão cedo. Mir vs Wayland, Snap vs Flatpak...

Claramente o que vai fazer diferença aqui é a influência que a Canonical ou a Red Hat terão sob os desenvolvedores, é uma "briga" de gigantes e não sou eu quem vai se meter no meio disso.

Eis um fato interessante, independente de quem acabe predominando, quem tem a ganhar somos nós, usuários.

Cada um dos formatos tem suas peculiaridades, mas como projetos open source  que são, cada um pode acabar recebendo as características do outro ao longo do tempo, tornando ambos mais completos.

No momento o Snap parece ser mais portátil, por rodar não só em computadores comuns e servidores, mas em dispositivos móveis e IoT, tendo seu principal contra no tamanho dos pacotes, enquanto o Flatpak aproveita melhor o espaço em disco e possui algumas limitações quanto ao ambiente em que está rodando, vamos ficar de olho para ver qual vai evoluir melhor.

Façam suas apostas. :)

Acesse: flatpak.org
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




3 distribuições Linux para substituir o Ubuntu no computador de iniciantes

Nenhum comentário

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Ao longo do tempo o Ubuntu acabou ganhando muita relevância no mundo da tecnologia em geral, não somente no mundo Linux, isso fez com que ele fosse a primeira opção de muitas pessoas que estão iniciando neste mundo. Como era de se esperar, ele não agrada a todos e por isso hoje vamos conhecer três alternativas interessantes de distribuições que podem ser usadas por leigos sem muitos problemas no lugar no Ubuntu.

Alternativas ao Ubuntu




A maior parte das distribuições Linux são projetos extensos, muitas vezes com várias versões diferentes. O Ubuntu por exemplo possui versões com praticamente todas as interfaces populares, tem aplicação em servidores, dispositivos móveis e "internet das coisas", por conta disso, quero deixar claro que não vou sugerir as derivações oficiais do Ubuntu com outras interfaces aqui, apesar de que elas são, efetivamente, uma opção para você que não gosta do Unity.

A ideia é mostrar outras distros que tem a intenção de trabalhar com usuário "comum", da mesma forma que o Ubuntu, mas que são produzidas longe da Canonical.

Linux Mint - A opção óbvia


Linux Mint é uma boa alternativa ao Ubuntu

Muita gente vai achar que o Mint nem precisaria estar na lista, afinal a presença dele é um tanto quanto óbvia, mas é justamente por isso que ele não poderia ficar de fora.

 O Linux Mint é apenas "um pulinho" do Ubuntu, uma vez que a distribuição é baseada sempre na LTS mais recente do sistema da Canonical, o que faz com que o mesmo tenha compatibilidade do Ubuntu na maior parte das aplicações, sem deixar de criar muitas soluções próprias para configurações e customizações.
Leia também: Linux Mint 18 vem aí
Assim como o Ubuntu, o Linux Mint também tem muitas variações. O sistema possui versões com 4 interfaces gráficas diferentes (Cinnamon, MATE, KDE e XFCE) e além disso, o Mint também possui uma versão baseada no "Debian Stable", chamada "Linux Mint Debian Edition", ou simplesmente, LMDE.

Por estes motivos eu acredito que o Linux Mint não só seja uma das melhores opções para iniciantes, como uma das melhores alternativas ao Ubuntu de maneira geral para ser utilizado no seu computador pessoal.


Manjaro Linux - Facilidade fora da base Debian

Manjaro Linux

Se a sua intenção é circular fora da base .deb (ou até mesmo .rpm), certamente o Manjaro Linux é uma excelente opção. Particularmente, gosto mais da versão KDE do Manjaro, acho ela a mais bonita de todas, porém, como o Ubuntu (talvez até mais), o Manjaro Linux possui uma série de versões comunitárias e oficias com, me arrisco dizer, literalmente todas as interfaces gráficas existentes. Sendo assim uma alternativa ao Ubuntu muito interessante.

O Manjaro é baseado no popular Arch Linux, isso garante que a distro tenha algumas características interessantes, como acesso ao repositório AUR, que pra mim é um dos grandes diferenciais; no AUR você consegue encontrar praticamente todos os programas disponíveis para Linux, salvo algumas exceções.

Apesar de eu gostar da versão com KDE, a versão principal, digamos assim, do Manjaro é a versão com XFCE, a qual eu fiz uma review há algum tempo, você pode conferir o vídeo logo abaixo.


Para receber vídeos como este no seu YouTube
O Manjaro, independente da versão, também tem uma série de ferramentas que visam facilitar a vida do usuário comum, como ferramentas para instalação de drivers proprietários e até mesmo manipulação de Kernel.
Outra distro interessante com um conceito parecido ao do Manjaro e também baseada no Arch Linux é o Antergos
Há uma interface gráfica para gerenciar os programas que se assemelha ao Synaptic, ferramenta popular da base Debian, não tendo por padrão uma Central de Programas como a do Ubuntu; com um pouco de atenção e um pouco de estudo, isso não deverá ser um empecilho. Outro ponto interessante é que o Manjaro é uma distribuição Rolling Release, ou seja, você instala uma vez e simplesmente vai atualizando.
Entenda melhor o que é uma distro Rolling Release
Leia também: Como transformar o Ubuntu em "Rolling Release" 
Se interessou pelo Manjaro? Então você pode baixar, testar e depois nos contar o que achou dele.


Korora Linux - Um Fedora ainda mais fácil

 
Korara Linux alternativa ao Ubuntu

Eu estava pensando em indicar o Fedora aqui, e eu até iria fazer isso, não fosse a existência do Korora.

Não vejo muita gente falar sobre esta interessante distribuição Linux baseada no Fedora, não sei bem o motivo, afinal ela tem vários atrativos. Se você conhece bem a relação entre Ubuntu e Linux Mint, será simples explicar a proposta do Korora:

"Assim como o Fedora está para o Ubuntu, o Korora está para o Mint."

O Korora cumpre muito bem o papel de deixar o Fedora ainda mais fácil, querendo ou não, o Fedora é uma distribuição "purista" e não possui muitas ferramentas facilitadoras de configurações nativamente, como aplicações para instalar drivers de vídeo, já o Korora possui estas funcionalidades.

Assim como o Fedora, o Korora foca no ambiente Gnome, porém, da mesma forma que o Fedora que possui suas Spins com variações de interface, o Korora também disponibiliza ISOs com ambientes diferentes:

- Cinnamon
- Gnome Shell
- KDE Plasma
- XFCE
- MATE

Ainda não temos uma review em vídeo do Korora, mas em breve ele deve aparecer, por hora, para saber mais sobre o sistema e também fazer o download da distro acesse este artigo do blog Diolinux.

Por ser baseado no Fedora, uma distro muitíssimo popular e tradicional, e trazer ferramentas facilitadoras, o Korora é uma das principais opções para substituir o Ubuntu para quem quiser sair da base .deb e não quiser entrar no mundo Arch com o Manjaro Linux.

Existem outras opções?


Certamente! O que não falta são opções no mundo Linux! Então você pode ficar à vontade para dizer quais são as suas distros preferidas que podem substituir o Ubuntu em um computador de um leigo ou usuário comum.

O espaço dos comentários do blog está aberto para a sua opinião.

Até a próxima! :)
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como instalar o Spotify no Fedora

Nenhum comentário

quinta-feira, 23 de junho de 2016

O Spotify é uma das aplicações de maior sucesso nos últimos tempos e como o Fedora 24 foi lançado recentemente, você pode querer utilizá-lo, vamos aprender a instalar?

Como instalar o Spotify no Fedora



Hoje você vai aprender com o nosso amigo Greyson, do canal Acre Linux, como instalar o Spotify no Fedora num tutorial em vídeo.


_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Lançado Fedora 24, faça o download

Nenhum comentário

terça-feira, 21 de junho de 2016

Um nova versão da distribuição Linux Fedora, a versão 24, foi disponibilizada para os usuários, veja como fazer o download do sistema para o seu computador e conheça as principais novidades da versão.

Fedora 24 Download




O Fedora acabou de ganhar uma nova versão, além de ser o sistema operacional preferido do criador do Kernel Linux, Linus Torvalds, o Fedora também é onde as novas tecnologias que serão implementadas futuramente no Red Hat são primariamente testadas, além da trazer, especialmente na edição com ambiente gráfico Gnome, a experiência é muito "pura".

Leia também: 5 coisas para fazer depois de instalar o Fedora

Apesar de priorizar o ambiente Gnome, o Fedora, assim como o Ubuntu, também tem versões com os principais ambientes gráficos, as chamadas "Spins" do Fedora possuem versões com XFCE, LXDE, KDE, MATE, Cinnamon e mais algumas desenvolvidas pela comunidade. Além destas, existem "Spins" destinadas a produção específica de determinado conteúdo, como uma versão destinada aos Designers, destinada a Games, entre outros.
- Baixe as Spins do Fedora
A versão 24 do Fedora vem acompanhada do Kernel Linux 4.5.7, porém, a versão 4.6 deverá chegar muito em breve através das atualizações do sistema. O Gnome na versão 3.20 e o KDE Plasma 5.6.
O que fazer depois de instalar o Fedora (Vídeo)
Quem estiver interessado em baixar  e testar vai encontrar o Fedora 24 com versão de 32 e 64 bits, disponível também para arquitetura ARM. Os desenvolvedores informaram que os usuários de Fedora 23 poderão atualizar para o 24 sem problemas.
Quem procura informações interessantes para iniciantes sobre o Fedora pode encontrar um material muito legal no blog do meu amigo Greyson, o Acre Linux, certamente você encontrará algumas dicas para utilizar o novo Fedora.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Confira:
Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo