Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador hardware. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador hardware. Mostrar todas as postagens

Station X Spitfire disponibiliza Notebook para compra com Manjaro Linux otimizado

Nenhum comentário

terça-feira, 12 de setembro de 2017

A Station X vende há algum tempo Desktops e Notebooks com Linux pré-instalado, a lista de distribuições contempladas é grande e agora conta com mais um integrante de peso, o Manjaro Linux, mas não somente isso, a empresa planeja lançar uma versão especial e otimizada de um Notebook com a distribuição.

Manjaro Linux Notebook





Os desenvolvedores do Manjaro Linux anunciaram que uma colaboração direta com a empresa Station X tratá à vida a "Ultimate Manjaro Machine". Um Notebook com o sistema operacional embarcado e altamente otimizado para o hardware em que está rodando, incluindo otimizações no Kernel e na bateria.

A versão com Manjaro que vai acompanhar este Notebook será com XFCE como ambiente gráfico e terá toda uma customização no tema e nos wallpapers também, tudo para criar uma experiência  especial para os compradores.


As configurações de hardware projetadas para o modelo são:

- Processador: 7th Gen Intel® Core™ CPUs (i5-7200u or i7-7500u)
- Chip Gráfico: INTEL® HD GRAPHICS 610/620
- Memória: DDR4 Memory Support up to 32 GB of RAM
- Tela: Full HD IPS 1920 x 1080
- Armazenamento: SSD (até 500 GB)
- Conexão HDMI, USB 3.0, Mini Display Port
- WebCam de 1.0 Mpx
- Conexão Wireless

A Station X vende computadores com várias outras distribuições Linux também, basta escolher na hora da compra:

Distribuições Linux Station X

É ótimo ver mais uma grande distribuição ganhando um hardware próprio, aparentemente, a cada dia que passa temos mais construtores vendendo máquinas com alguma distribuição de forma otimizada.

Ainda não temos informações sobre quanto esta versão especial com Manjaro vai custar, mas o Notebook Spitfire, modelo básico, com qualquer distribuição Linux, sai por 850 Libras, o que convertendo dá mais ou menos 3,5 mil reais.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


AMD e Lenovo fecham parceria para trazer processadores AMD pro 12 e Ryzen para os ThinkPads

Nenhum comentário

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Neste semana a gigante chinesa, Lenovo, anunciou uma nova parceria com a AMD para trazer processadores da empresa para a linha ThinkPad.

AMD e Lenovo






No mercado de Notebooks e portáteis (do mesmo segmento) a Intel vem dominando nos últimos anos, assim como foi na linha High-End no desktop antes da chegada dos Ryzen, que chegaram para deixar o mercado mais competitivo.

Agora a AMD pretende recuperar o território perdido neste segmento também.


Os novos produtos da Lenovo serão voltados inicialmente para o mercado corporativo e governamental e trarão os processadores AMD PRO A12, porém, em breve eles deverão dar lugar aos processadores Ryzen também, que equiparão os modelos A275 e A475 da Lenovo.

Além dos processadores, algumas variações dos novos modelos da Lenovo deverão trazer GPUs Radeon R7, completando um hardware que seria full AMD. É interessante comentar que o A275 poderá contar com até 16 GB de RAM DDR4, e o A475 com até 32 GB.

ThinkPad


Ambos poderão ser configurados com opções de SSD de até 512 GB ou até 1 TB de HDD. O consumidor ainda poderá contar com leitor de digitais e conectividade 4G LTE. Tela sensível ao toque  é um item opcional. Os dois modelos serão equipados ainda com várias conexões físicas, incluindo USBs tipo A e uma conexão USB-C.

O A47, que terá tela de 14’’, chega ao mercado internacional no dia 15 de Setembro por US$ 849,00 ( algo R$ 2.600,00 convertendo sem impostos), e o A275 deverá chegar em Outubro por US$ 869,00 (algo como R$ 2.700,00 convertendo sem impostos). Não há informações sobre a venda deles no Brasil ainda.



A Lenovo, é claro, não deixará de vender os computadores com processadores Intel e GPU Nvidia, mas é bom ver os consumidores terão mais opções. A linha ThinkPad não é das mais baratas, mas quem sabe a iniciativa da Lenovo motive outras fabricantes a fazer o mesmo também, não é verdade?

Até a próxima!

Fonte
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Novas placas de vídeo AMD Vega tem performance surpreendente com drivers Open Source

Nenhum comentário

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Será que finalmente estamos chegando perto de um bom suporte em placas de vídeo no Linux por parte da AMD? Se depender da nova linha Vega da empresa, os usuários Linux podem deixar de se preocupar tanto com drivers.

Radeon Vega no Linux






O pessoal da Phoronix fez uma extensa review com benchmarks dos novos modelos de placas da AMD, as Radeon Vega, modelos 56 e 64. Os resultados obtidos com drivers de código aberto não foram menos do que surpreendentes!

Escolher uma placa de vídeo para jogar no Linux nos últimos anos tem sido sinônimo de ser cliente da Nvidia, como comentamos em um dos últimos Diolinux DROPS do canal:


Porém, com a evolução dos drivers e com as novas gerações de placas chegando, isso pode mudar um pouco.

Radeon Vega

Segundo a análise feita pelo site Phoronix, a linha Vega torna-se atualmente a melhor opção para usuários de Linux que não querem depender da instalação de drivers proprietários. As Radeon Vega tem um bom desempenho utilizando os drivers de código aberto contidos no próprio Kernel Linux, sendo inclusive melhores do que o AMDGPU PRO, de forma surpreendente.

Por serem placas relativamente baratas em comparação com as concorrentes da Nvidia, pelo menos fora do Brasil, elas tem um ótimo custo por frame para quem deseja utilizar drivers open source.

O desempenho é bom, mas ainda pode melhorar


Os analistas comentaram que apesar do desempenho ser considerado muito superior em relação a gerações passadas com o driver de código aberto, ainda são necessárias otimizações para esta nova arquitetura, pois mesmo que o resultado tenha sido animador, se comparado ao suporte ao Windows, elas ainda ficam um pouco atrás e também ficam um pouco atrás das concorrentes da Nvidia com driver proprietário, mesmo no Linux.

Você pode conferir todo o relatório dos gráficos de benchmarks em games com API diferentes e também com benchmarks sintéticos acessando este endereço, basta navegar pelas páginas.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ubuntu ganha compilação do Kernel para placas de vídeo AMD com driver AMDGPU DC embutido

Nenhum comentário

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Os proprietários de placas de vídeo da AMD de arquiteturas mais recentes poderão utilizar um Kernel específico com driver AMDGPU embarcado no Ubuntu ou no Linux Mint.

AMDGPU Ubuntu Kernel







Fiquei sabendo hoje de algo muito interessante através do site Phoronix, agora temos um kernel Linux para o Ubuntu com suporte para o driver AMDGPU DC pré-instalado, o pacote parece ter sido feito pelos próprios mantenedores do site.

Este driver AMDGPU DC tem suporte a várias tecnologias novas da AMD e está entrando no Kernel 4.12.x, que ainda não está no Ubuntu por padrão. O "DC display code" provê suporte para áudio HDMI/Display Port para placas modernas da empresa, assim como suporte para HDMI 2.0, suporte para a Radeon Vega, atomic mode-setting e mais algumas coisas.  Este é um pacote experimental que você pode testar por conta e risco, basta fazer o download do .deb aqui.

Se você não se sente seguro em fazer ajustes mais avançados como este, sabemos que muitos leitores do blog são iniciantes, evolvendo o Kernel do sistema, simplesmente NÃO FAÇA! Estes ajustes feitos neste pacote experimental deverão entrar no Kernel do Ubuntu no futuro naturalmente. Se você não está com pressa para usá-los, pode cruzar os braços e clicar no próximo artigo.


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Silício nos processadores? Pesquisadores conseguem criar os primeiros cristais de Grafeno perfeitos

Nenhum comentário

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Há muito tempo que se ouve falar do tal "limite do silício", limite este que impediria o crescimento vertical da capacidade computacional que temos hoje em dia, obrigando as empresas a buscar tecnologias auxiliares que ajudem na melhoria do desempenho nos processadores, melhorando-os geração após geração, como a adição de múltiplos núcleos, entre outras coisas.

Grafeno deve substituir o Silício no futuro




Dois cientistas da Coreia do Sul conseguiriam realizar uma façanha para o mundo tecnológico e científico nunca antes vista. Eles conseguiram sintetizar um cristal de grafeno perfeito (ou quase) com 50 cm te comprimento e 5 cm de largura.

Antes de você entender o que isso significa...

O que é o Grafeno e porque ele é importante para a tecnologia


Atualmente o Silício é um dos principais componentes para a fabricação de componentes eletrônicos, incluindo os processadores, que são o coração da nossa capacidade computacional, contudo, este material tem algumas limitações, sendo assim, existem várias iniciativas de encontrar algo que possa substitui-lo e o Grafeno é um dos principais candidatos.

O Silício suporta atualmente frequências que variam de 4 a 5 Ghz em condições "normais", enquanto o Grafeno consegue passar facilmente dos 500 Ghz, algo que nenhum overclock chegou perto, os recordes atuais mal conseguem chegar a 9 Ghz.

Mas além disso, o grafeno tem outras potencialidades que o fazem um ótimo candidato para substituir o silício. O grafeno é constituído basicamente de uma camada muito fina de grafite, o mesmo material que encontramos nos lápis escolares comuns, porém, o que torna ele realmente especial é a estrutura dos átomos individuais e como eles se distribuem de forma hexagonal, se uma folha de grafeno plana for enrolada, os átomos criam nanotubos de carbono. Como o grafeno é um material extremamente fino, ele permite que cargas elétricas fluam facilmente por ele, o que permite criar transistores mais eficientes.

A utilização deste material para a fabricação de processadores seria uma forma muito eficiente de aumentar a potência computacional e reduzir o tamanho, diminuindo também o consumo de energia e por consequência, aumentando a eficiência.

A realização dos sul coreanos


Placas de Grafeno

Os dois professores do Instituto de Ciências Básicas da Coreia do Sul, Feng Ding e Rodney Ruoff, juntamente com seus colegas de projeto, conseguiram criar cristais de grafeno de um tamanho nunca visto até então: Meio metro de comprimento e 5 cm de largura, estes são os maiores já criados na história, os cristais de grafeno criados antes disso não passavam de alguns milímetros. Além de grandes, eles são praticamente perfeitos, são 99,9% planos e alinhados, algo essencial para a utilização em processadores.

O método utilizado para a criação deles é relativamente "simples e artesanal", os estudiosos criaram uma placa de cobre extremamente alinhada e moldaram o grafeno sobre ela, desta forma, os átomos da substância simplesmente mantiveram o alinhamento da placa de cobre no qual estavam em cima, proporcionando este alinhamento quase perfeito.

Segundo os cientistas, o tamanho das placas de grafeno depende basicamente do tamanho do molde, não há um limite para isso, porém, não existem placas de cobre dessa forma na indústria atualmente, sendo assim, cada laboratório que for tentar criar placas de grafeno precisará "dar um jeito" para criar as suas próprias placas de cobre para usar de molde, pelo menos até que a indústria passe a produzi-las.

Para fabricar as placas foi necessário aquecer a substância a 1030 graus Celsius por cerca de 20 minutos. Uma fabricação relativamente rápida para os padrões atuais.

O que isso significa para futuro?


Uma das maiores dificuldades sempre foi criar estes cristais de grafeno de forma utilizável, agora com esta "receita", é questão de tempo até que automatizemos e otimizemos a produção deste tipo de material condutor que poderá revolucionar drasticamente a forma com que nos relacionamos com a tecnologia.

Não existem datas para um processador com grafeno entrar no mercado ainda, muito menos um prazo para nós termos um destes em nossas casas, mas tudo indica que em pelo menos uma década a computação poderá dar grandes saltos.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Intel anuncia novo Core i9 com 18 núcleos e 36 threads

Nenhum comentário

terça-feira, 30 de maio de 2017

Não totalmente de surpresa, mas ainda assim de forma surpreendente, a Intel anunciou na Computex deste ano em Taiwan a nova série de processadores da família Core i. O Core i9 deve chegar ao mercado para atender a necessidades muito específicas e claro, concorrer com a novo topo de linha da AMD.

Lançamento Core i9 Xtreme



A nova linha da Intel, batizada de Core X, vai trazer novos processadores para o mercado muito em breve, ela é composta de versões "turbinadas" do Core i5 e i7 e traz também a grande novidade, o Core i9, que segundo a Intel é o primeiro processador com 18 núcleos voltado para consumidores finais domésticos.

Pelas informações liberadas, a intenção da empresa com o novo Core i9 é atender aos consumidores gamers especialmente, especificamente os entusiastas em hardware e pessoas que querem rodar games em altíssima resolução e fazer transmissões ao vivo na internet ao mesmo tempo, como a galera que faz streaming pelo Twitch e pelo YouTube (o que me lembra que eu tenho que voltar a fazer isso no canal). Toda a linha Core X também será desbloqueada para overclock.

O novo Core i9


Os novos processadores serão feitos à partir de uma versão melhorada da arquitetura Skylake X, mas temos exceções, existem dois modelos mais simples da linha Core X que são baseados na Kabylake X, versão modificada da sétima geração da Intel, apesar da diferença, ambos são compatíveis com o mesmo chipset, o X299, que segundo a Intel, estará disponível em breve para os consumidores.

Dentre os modelos disponíveis o mais poderoso, por assim dizer, é o Core i9 Extreme Edition, o processador com 18 núcleos e 36 threads que custa cerca de 2 mil dólares, até o momento não temos a especificação do cache dele ou do clock base. Haverão também variações do Core i9 com menor quantidade de núcleos, existirão versões com 16 núcleos, 14 núcleos, 12 núcleos e 10 núcleos, custando, 1700, 1400, 1200 e 1000 dólares, respectivamente. Além destes modelos com 10 ou mais núcleos, existem outros lançamentos de Core i9 mais "modestos" que tem 8, 6 e 4 núcleos, cada um com o dobro de threads, como todos os outros. Houve também o anúncio de um novo Core i5 com 4 núcleos e quatro threads que obviamente é o CPU mais barato de todos estes anúncios, custando cerca de 240 dólares, alem de evoluções, segundo o Verge,  menos chamativas na linha i7.

Fonte e mais informações no The Verge.
____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Dell começa a vender computadores All in One de alto desempenho com Ubuntu e Red Hat EL

Nenhum comentário

segunda-feira, 1 de maio de 2017

A Dell é uma das maiores fabricantes de hardware do mundo e também uma das maiores apoiadoras do Linux quando se fala em venda para o consumidor final, entretanto, agora a empresa está apostando em um modelo All in One de alto desempenho para quem precisa de uma máquina potente para trabalhar com edição de vídeo que está sendo vendida com Windows 10, Windows 7, Ubuntu 16.04 LTS e Red Hat Enterprise Linux 7.3.

Linux Dell All in One


Não é comum ver este tipo de máquina no mercado com Linux, na verdade, nem com Windows, este tipo de segmento é muito povoado pelos Mac PRO, mas a Dell parece querer competir à altura.

O nome da "brincadeira" é Dell Precision Workstation AIO 5720, o modelo vem com uma tela 4K de 27 polegadas, o processador você pode escolher, variando de um Core i5-7500 de 3.4 Ghz e 6 MB de cache, até um Xeon E3-1200 v6 de 4.2 Ghz, o que deve atender praticamente qualquer profissional.

Dell


A seleção de memória vai de 8 GB de RAM e você pode expandir até 64 GB, o computador também vem com SSD de até 256 GB, mas você pode customizar isso também, pois há espaço para armazenamento convencional com HD, então não temos realmente um "limite" aqui, você pode colocar o que quiser.

Quando falamos de placas de vídeo, também temos opções variadas, tanto com AMD, quanto com Nvidia. Apesar de ser um All in One, o computador tem muitas portas e conexões, são 3 portas USB e uma com PowerShare, temos também uma DisplayPort 1.2 e duas Thunderbolt 3, leitor de cartão SD, conexão Ethernet, Wi-Fi e Bluetooh 4.1.

Dell

Nas opções de sistemas operacionais, como comentado, além do Windows, temos o Ubuntu, que dá um desconto de pouco mais de 100 dólares, ou a versão com Red Hat que, dependendo da versão, pode onerar o valor em pouco mais de 600 dólares.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




System76 vai lançar um Notebook com Ubuntu para concorrer com o MacBook

Nenhum comentário

segunda-feira, 27 de março de 2017

Galago PRO é o nome da máquina que a System76, uma empresa especializada na venda de hardware com Linux, normalmente Ubuntu, irá lançar no mercado, o modelo possui características que indicam que o setor de concorrência seja o mesmo do MacBook PRO.

galagoPRO System76 com Ubuntu



O computador é fino e leve, pesando cerca de 1,3 Kg, o que se equipara ao MacBook PRO de 13 polegadas, ele vem com um Core i5 ou um Core i7-7500U, com chip gráfico integrado Intel 620 com a opção de usar até 32 GB de RAM. Além disso, o computador mantém entrada para cartão SD, duas portas USB 3.0, uma porta USB Tipo-C, que não é utilizada para carregar o computador, entrada para fone de ouvido e microfone separaradas, entrada HDMI e uma mini-Display Port e tela de 13.5 polegadas HiDPI IPS em 4K.

No vídeo abaixo você pode ter uma ideia da espessura do computador.


Não consegui obter informações sobre o armazenamento dele, mas é de se suporte que tenhamos um SSD de no mínimo 120 GB. O computador começará a ser vendido em Abril pelo valor inicial de US$ 899,00.

O pessoal da System76 também informou que ao contrário do MacBook, será possível mudar as peças internas do computador e fazer upgrades sem maiores problemas.

Você pode saber mais sobre ele no site oficial.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Slimbook - Conheça o notebook oficial do projeto KDE

Nenhum comentário

quarta-feira, 22 de março de 2017

Eu estou vendo o projeto KDE se tornar a cada dia mais profissional e com uma visão mercadológica mais apurada até mesmo que o outro grande projeto do mundo do software livre, o Gnome, mais uma prova disso é que o KDE Project agora tem uma parceria com um fabricante de hardware para desenvolver e vender o Slimbook, um Notebook muito poderoso que segue uma linha de design do MacBook e carrega o KDE Neon como sistema operacional.

KDE Slimbook




Atualmente temos dois modelos do Slimbook disponíveis para compra, um com Core i5 e outro com Core i7, ambos da sexta geração de processadores da Intel.

A Slimbook é uma empresa espanhola, assim como a BQ, que lançou o Ubuntu Phone. Pois é, parece que os espanhóis gostam de incentivar o uso de software livre! 😊

Caso você esteja pensando: "Eu nunca ouvi falar de um Slimbook antes!"

Não se sinta mal, eu estou no mesmo barco, mas observando a sua construção eu achei ele muito interessante! Ele parece um MacBook Air, não tem como discutir, mas acho que isso conta como fator positivo, já que a construção da Apple é de muita qualidade, e inclusive ele parece ser um modelo de Notebook Linux no mercado com bom tempo de estrada, visto que existem várias opções no mercado que vem com Ubuntu, Fedora, openSUSE, Antergos e agora temos um com a interface KDE, com o KDE Neon.

Pesquisando na internet eu não consegui encontrar muitos vídeos sobre ele, na verdade, se você pesquisar no YouTube existem vários vídeos mais antigos sobre modelos do Slimbook, porém, a versão com o KDE Neon ainda é rara, o único vídeo que encontrei foi esse:


Vamos pros detalhes técnicos dos dois modelos disponíveis com o KDE Neon:

- Intel i5-6200U, 2.3GHz, Turbo Boost 2.8 GHz, 2 Core 4 Threads, 3M Cache.

-  Ou este processador: Intel i7-6500U, de 2,5 GHz, Turbo Boost 3.1 GHz, 2 Core 4 Threads, 4M de cache.

O restante é padronizado neste modelo:

- Intel Graphics HD 520
- 4GB, 8GB ou 16GB de RAM DDR3
- 120GB ou 250GB ou 500GB de SSD
- Tela de 13,3 "LED 1920x1080p
- Teclado de LED com back-light
- Bluetooth 4.0
-  Placa Wireless Intel Dual Band: 3160 ou 7265 N ou 7265 AC
- 2 portas USB 3.0
- Apenas porta mini HDMI
- Leitor de cartão SD
- Bateria de lítio 6800mAH
- Peso: 1,36 kg

Ah sim! Tem tem um Tux no teclado junto com o logo do Windows, pois o modelo é vendido com Windows também, caso o consumidor queira.

Slimbook Linux

Pesquisando eu acabei encontrando um repositório no Launchpad para os Slimbooks que contém pacotes especiais de drivers para otimização da bateria e para o touchpad do Notebook, aí eu pensei: "Taí um bom exemplo de como a coisa deveria ser feita!". Você não acha?

Apesar no Kernel Linux proporcionar um gerenciamento de bateria descente em todos os modelos de Notebook praticamente, há casos em que a coisa não funciona como deveria e ele parece um Dodge V12 consumindo recursos, obviamente isso se deve a falta de drivers disponibilizados pelo fabricante, aliado a otimização de software com hardware, não é por mágica que os MacBooks tem baterias tão duradouras, então quando se vê isso em modelos que vem com Linux de fábrica podemos ver o quando pensar um hardware para um software faz diferença e isso só se tornará mais recorrente se mais empresas começarem apoiar projetos como o KDE e outras distribuições.

Quem sabe um dia teremos mais computadores vindo com Linux de fábrica com distribuições diferentes do Ubuntu, que já existe em vários modelos de marcas até mais famosas que a Slimbook, como Dell e HP.

Ah sim! O preço!


Já estava esquecendo de comentar sobre este assunto tão importante, é... bom, o Slimbook não é o que eu chamaria de barato, ainda mais considerando que você vai ter que importar ele, o modelo com Core i5 sai por mais ou menos 730 Euros, o que na conversão "burra" dá hoje R$ 2.440.00 mais ou menos, isso sem os impostos, imagina uma taxação em cima dele de 100%, que beleza, né? Bom, a versão com i7 custa um pouco mais, cerca de 850 Euros, o que dá uns R$ 2.850,00 mais ou menos, obviamente sem impostos, só na conversão direta.

Você pode saber mais e fazer pré-compra dele aqui no site oficial.

O que você achou do projeto?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Onde comprar computadores com o Ubuntu pré-instalado no Brasil?

Nenhum comentário

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Olá pessoal, eu sei que muitas pessoas adorariam comprar computadores que já viessem com Linux de fábrica, porém, a variedade de dispositivos não é tão grande assim infelizmente, tirando os computadores da Dell, a maior parte das opções não é vendida no Brasil, estamos aqui para te ajudar nesta situação.

Notebooks com Ubuntu pré-instalado no Brasil




Neste mês a loja do blog, a DioStore, iniciou uma nova fase em sua vida. Agora além de atender aos consumidores com canecas, camisetas, mouse pads e outros produtos relacionados ao conteúdo Geek e Linux, a loja passou a vender hardware também.

A ideia por trás disso é tornar o mundo Linux mais acessível para as pessoas, fazendo com o sistema já venha instalado de fábrica e com garantia.

Como funciona?


Se você acessar essa página, vai poder consultar os modelos disponíveis. Nós firmamos uma parceria com a empresa Nano Informática, que trabalha conosco como fornecedora dos projetos e como empresa de suporte em caso de necessidade de garantia (1 ano), onde os donos são meus amigos pessoais.

Nano Soluções em informática


Os modelos vem originalmente com Windows 10 em sua maioria, mas nós faremos toda uma instalação OEM para garantir o melhor funcionamento, inclusive substituindo componentes, caso seja necessário, como placas de rede Wi-Fi para garantir que o Ubuntu funcione corretamente, além disso, ele virá completamente atualizados e com os principais programas e codecs já instalados, tendo o usuário apenas o trabalho ligar e utilizar.

Depois de passar pelas nossas mãos ele vai se tornar um "Ubuntubook".

Existem modelos bem diferentes, desde versões de entrada, até máquinas mais potentes para quem deseja trabalhar de uma forma mais intensiva com as máquinas.

Hardware compatível com Linux

Hardware compatível com Linux


Além dos Notebooks, nós temos também vários componentes de hardware com a garantia de compatibilidade com Linux, são placas de vídeo, SSDs, HDs, memórias, mouses e teclados, headsets, entre muitos outros. Passe na loja para conferir, eles estão na sessão de Hardware.

Por que estamos fazendo isso?


Depois de quase seis anos de blog, quase o mesmo tempo usando Linux diretamente e fazendo parte da mídia de tecnologia brasileira, eu entendi que o que ainda leva as pessoas para longe de Linux é ter que instalá-lo por conta própria, sendo que o outro fator importante é o Marketing, que no Brasil é praticamente ausente. 

Como eu cansei de esperar para ver isso acontecer, procurei parcerias com empresas e fabricantes para poder oferecer uma máquina boa e que venha com uma distribuição Linux consagrada também, e não o Mandriva 2010 (com todo o respeito à história da distro), mas que hoje em dia é completamente defasado e ainda se vê no mercado brasileiro.

Conto com a sua ajuda para divulgar esta nova fase do projeto, quem sabe assim nós consigamos atingir mais pessoas e mais pessoas possam navegar na internet com mais segurança e com aplicativos originais, numa máquina realmente boa.

Apesar de ainda não termos colocado a opção no site, nós aceitamos encomendas de computadores personalizados, desktops,  para pequenas e médias empresas ou para usuários domésticos, incluindo computadores gamers com Linux, mas assim que este novo segmento estiver pronto, eu aviso vocês.

Ahh! Estava quase esquecendo, todos os componentes de hardware tem frete grátis e serão enviados, em sua maioria, por transportadoras, para evitar os incidentes que acontecem com o Correio.

Se você quiser fazer um pedido personalizado, basta entrar em contato pelo e-mail da loja. 

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Lemur é o novo Notebook com Ubuntu com processador Kaby Lake

Nenhum comentário

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

O site de Insights do Ubuntu anunciou um novo Notebook ideal para viagens com processador Kaby Lake produzido pela System76.

Lemur Ubuntu



A System76 é uma das empresas que mais investem no Ubuntu para desktops e isso vem acontecendo há mais de 10 anos. O notebook Lemur vem com a 7ª geração de processadores da Intel Kaby Lake, com 32 GB de memória DDR4, USB-C, com o chip gráfico mais recente da Intel.

O Notebook pesa cerca de 1,6 Kg, que não chega a ser leve, perto de alguns grandes concorrentes do mercado, mas a configuração parruda compensa, fazendo com que ele seja bom o suficiente para você levar ele por aí, para as suas reuniões e viagens. Ele custa apenas 699 dólares na loja da System76.

O computador vem com o Ubuntu 16.04 LTS e você também pode customizar o hardware que você deseja, confira todas as informações sobre o computador aqui.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Conheça o computador de 20 Dólares que roda o Ubuntu

Nenhum comentário

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

É incrível como o mercado de pequenos computadores vem avançando, quem diria que teríamos um computador por apenas 20 dólares de uma forma tão acessível?

Orange Pi com Ubuntu




O Orange Pi é uma linha de computadores de baixo custo, que apesar do nome "Pi", não tem relação direta com o popular Raspberry Pi. A utilização principal de um aparelho como este é para pequenos projetos eletrônicos e Internet das Coisas, mas dado o hardware, é possível utilizá-lo para tarefas básicas como editar documentos e navegar na internet.

Orange Pi


A versão de US$ 20,00 possui a seguinte configuração de hardware:

- Allwinner H5 quad core Cortex A53 processor
- Mali-450MP4 GPU
- 1GB DDR3 RAM
- 2x USB 2.0 slots
- 1x USB OTG port
- Micro SD card slot (up to 64GB)
- HDMI out
- 3.5mm audio in/out jack
- Built-in microphone
- Gigabit Ethernet
- 40-pin Raspberry Pi compatible header
- IR receiver
- Power button
- Power and status LEDs

Como você deve ter reparado, ele não tem Wifi ou Bluetooth, mas você pode adicionar dispositivos para essas funcionalidades à partir das portas USBs, ou ligar um HUB nelas para isso, afinal, o preço compensa. O sistema operacional principal é o Ubuntu com LXDE, ou seja, o Lubuntu, você pode comprar um exemplar por esse valor no Ali Express.

Para saber mais sobre o Orange Pi e em todas as variações consulte o site oficial.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Positivo lança computador com Linux

Nenhum comentário

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

A fabricante brasileira de hardware, Positivo, lançou um novo Notebook que traz como opção os sistemas operacionais Windows e Linux, trata-se da linha Stilo.

Positivo com Linux




A Positivo está apostando em Linux também numa nova linha de Notebooks chamada Stilo. Temos dois modelos, um com o mesmo nome, Stilo, e outro chamado de Stilo One, ambos hardware de entrara de baixo custo, com o segundo um pouco mais potente.

Você pode ler mais sobre o modelo no site da empresa

O Positivo Stilo XC3650 vem com processador Intel Celeron Dual-Core, tela de 14 polegadas, Windows 10 ou Linux (aparentemente é o falecido Mandriva), 4GB de memória, 500 GB de armazenamento e duas portas USB 3.0, sendo uma USB Energy, que permite carregar um dispositivo extra mesmo com o notebook desligado. 

O Stilo One XC5631 conta com processador Intel Pentium Braswell, Quad-Core, 32GB de memória flash integrada, tela de 14 polegadas, Wi-Fi, Bluetooth, USB e HDMI e armazenamento em nuvem de  1TB no OneDrive da Microsoft.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Lenovo bloqueia a instalação de Linux em alguns modelos de Notebook

Nenhum comentário

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Uma parte da internet foi tomada por comentários e relatos de que a Lenovo estaria impedindo deliberadamente que os usuários modificassem o sistema operacional de Notebooks da empresa, saiba mais:

Lenovo bloqueia Linux






Algumas reclamações quanto a Lenovo impedir a formatação de alguns de seus notebooks apareceram no Reddit fazendo que a empresa fosse à público para explicar a situação. Em meio a algumas desculpas "esfarrapadas", a Lenovo afirma que o motivo do bloqueio seria um contrato com a Microsoft, contrato esse que fazia com que as pessoas compradoras de determinada linha de Notebooks, no caso a linha "Signature Edition", não pudessem utilizar outro sistema operacional no computador, que não seja o Windows 10.

Segundo um usuário do Reddit, o Notebook Yoga 900 da Lenovo que ele possui, não permite uma pequena modificação na BIOS que permitiria a formatação. Para mim não ficou claro se a decisão afeta somente os usuários Linux ou se outras versões no Windows também não podem ser instaladas, pela descrição do problema, isso deve acontecer também com pessoas que prefiram utilizar o Windows 7 e 8 também.

O mais estranho foram os relatos que começaram a aparecer na internet à cerca do assunto, pessoas dizendo que "os fóruns da empresa estava lotados de pedidos de suporte" como este e que a empresa simplesmente apagava os tópicos como se nada tivesse acontecido. Não sei se isso é ou não verdade, mas que é estranho, sem dúvidas.

A Lenovo teria afirmado que o problema estaria nos drivers do Kernel Linux que ainda não tinham sido atualizados para reconhecer o RAD0 que o Notebook Yoga 900 tinha, isso é curioso pois até onde eu saiba, quem libera drivers é própria fabricante, ou seja, a Lenovo, se eles realmente estivessem dispostos a ajudar, a cavalaria já teria sido chamada.

Segundo o usuário que levantou toda a questão no Reddit, ainda que efetivamente não existissem drivers para isso, uma pequena mudança de opção da BIOS permitiria que o RAID fosse desfeito e que o computador fosse utilizado de outras formas, mas essa opção está, segundo ele, deliberadamente bloqueada.

O que você acha do caso?


_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Linus revela seu laptop de programação favorito

Nenhum comentário

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

2016 Dell XPS 13
O novo laptop favorito de Linus é o Dell XPS 13 Developer Edition.
Ontem, o redator Steven Nichols do site  ZDNet publicou o artigo em que menciona que entrevistou desenvolvedores do kernel linux perguntando-lhes quais os seus melhores laptops. Steven menciona que o vencedor foi o 2016 Dell XPS 13 Developer Edition, e Linus Torvalds concorda.

Por ser pequeno e leve, Linus diz que costuma carregar seu laptop por poder acabar realizando conferências. Linus ainda diz que o critério principal do seu laptop não é uso diário, mas mais a praticidade de transporte.

Linus não descreve os recursos do seu XPS 13, mas esse laptop vem com um processador Intel Core i7-6560U Skylake de 2.2GHz da 6ª Geração  16GBs de RAM DDR3 com 500 GBs de SSD, bateria de 4 celulas que pode durar 12 horas e Linus não se importa com telas touch screen.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Conheça Ember, a impressora 3D com hardware e software aberto da Autodesk

Nenhum comentário

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Juntamente com a Internet das Coisas, outra grande tendência tecnológica dos últimos tempos são as impressoras 3D. A Autodesk é uma empresa renomada que criou uma solução muito interessante  para atender a este público apostando fortemente no Open Source, uma impressora 3D com hardware e software aberto chamada Ember.

Ember 3D Printer




O que torna o projeto da Autodesk tão interessante, além da estrutura da própria impressora, é o fato de seu hardware e software ser aberto, ou seja, as pessoas interessadas em construir a sua própria Ember poderão fazê-lo, basta ter os recursos necessários para isso.

Qualquer um pode ter acesso ao seu projetoo que inclui o desenho mecânico, código fonte do seu firmware, diagramas do seu circuito eletrônico formula da sua resina de impressão. A Autodesk nem sequer vende o projeto pronto, apesar de permitir todo este estudo, assim, existem empresas que começaram a vender a Ember pronta, como a Rio Grande.

É possível conseguir um nível de detalhamento muito interessante com a Ember, veja abaixo um vídeo acelerado do processo de impressão:


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Polychromatic - Como instalar drivers Razer no Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Você tem um teclado ou mouse Razer e gostaria de utilizá-lo no Linux? Pode ficar feliz, existe uma grande chance de você conseguir fazer todas as configurações importantes do seu "Keyboard" Razer com o Polychromatic, uma App que instala os drivers necessários para usar os periféricos da marca, teclados e mouses, no Linux, veja como funciona.

Razer Linux Drivers




A Razer é uma marca muito conhecida dos gamers, existem vários periféricos produzidos pela empresa que além de bonitos e de boa qualidade, tem uma série de recursos extras, configurações de macro e retroiluminação que dão um charme especial, caso da linha Razer Chroma, por exemplo.

O problema de usar periféricos da Razer no Linux é que a empresa não costuma produzir drivers para outras plataformas, apenas para Windows, mas isso não quer dizer que você não pode usar os seus amados periféricos no pinguim.

Polychromatic - Drivers Razer para Linux


Drivers Razer para Linux

O software em questão, além de dar suporte a uma série de produtos Razer tem as seguintes característica:

- Criação de perfis de configuração para games ou aplicações específicas
- Alternar entre configurações de Macros
- Modo Gaming
- Controle da iluminção, incluindoa mudança das cores
- Applet indicador para mudar perfis de utilização facilmente

Os periféricos compatíveis são os seguintes:

- BlackWidow Chroma
- BlackWidow Chroma Tournament Edition
- BlackWidow Ultimate 2012
- BlackWidow Ultimate 2013
- BlackWidow Classic
- BlackWidow Tournament Edition
- BlackWidow Firefly

E alguns periféricos são suportados parcialmente, com algumas funções limitadas:

- BlackWidow Ultimate 2016
- Razer Abyssus

O Polychromatic está disponível para Ubuntu, Debian, Arch, openSUSE e Fedora, você pode encontrar as instruções para instalar em cada uma das distribuições na página do projeto.

Se você usa o Ubuntu pode instalar dando dois cliques no pacote .deb que você pode baixar no botão abaixo, depois de instalado, basta procurar por "Polychromatic" no menu do sistema, existem pacotes apenas para sistemas de 64 bits.

Clique para baixar o Polychromatic em .deb

Quem prefere fazer as coisas pelo terminal pode fazer utilizando este PPA:
sudo add-apt-repository ppa:lah7/polychromatic
sudo apt update && sudo apt install polychromatic

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Endless OS - Uma distribuição Linux voltada para educação e inclusão digital

Nenhum comentário

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

O Endless OS é uma distribuição Linux que está chamando muito a atenção ao redor do mundo por conta da sua proposta educacional e de inclusão digital, ele possui uma interface personalizada baseada no Gnome Shell e uma série de aplicações, agregado ao visual moderno, que a diferenciam de outras do gênero.

Endless OS e Endless Mini




A principal iniciativa da Endless Computers é com o sistema operacional Endless OS, porém, ela não limita-se a apenas ele. Existem outros produtos que compõe o perfil da empresa, como o Endless Mini, um pequeno computador que vem com o Endless OS e é vendido no Brasil, nós tivemos a oportunidade de testar um deles, confira abaixo o unboxing:

Veja também: Asus começa a vender computadores com Endless OS


Depois do unboxing, eu tenho certeza que você gostaria de ver o Endless Mini e o Endless OS em funcionamento, então antes de eu falar um pouco mais sobre o assunto e contar para você as minhas impressões do Endless OS, confira o demonstrativo de funcionamento com muitos detalhes sobre o sistema operacional e o Endless Mini também:



Gostou do conteúdo em vídeo? Então se inscreva no nossa canal, todos os dias tem vídeo novo:


O Endless OS


Endless OS

O Endless OS é uma mistura de conceitos. Juntando as interfaces dos desktops modernos com o conceito dos Smartphones, ele traz uma experiência ao que você teria ao utilizar um Tablet com Android ou iOS, é claro, com suas devidas restrições; com um pouco de paciência você acaba se localizando. Para pessoas que nunca mexeram em um computado eu diria que a  interface é autoexplicativa, o que é ótimo, dado o seu propósito.

Olhando com o foco no setor educacional, a qual ele se destina, certamente ele é um dos melhores sistemas operacionais para a finalidade atualmente, isso se não for o melhor, de fato. O conjunto de aplicações, o conteúdo escolar, aplicações específicas e organização de todos os itens na tela fazem com que ele seja ideal para trabalhos de inclusão digital.

Em relação ao sistema, o seu maior contra na minha opinião ainda é o "peso" da interface, sobretudo para os computadores das escolas brasileiras. 

Recentemente eu falei sobre "programas pesados", explicando como este conceito pode ser muito relativo e por isso eu posso dizer que o Endless OS é pesado para muitos computadores em escolas e é pesado até mesmo para o Endless Mini, o seu hardware próprio.

Esse "peso" acontece por conta da interface Gnome. O Gnome Shell é muito bonito e o trabalho que a equipe do Endless fez com ele, dando esta cara única para a interface, é digno de aplausos sem dúvidas, porém, o Gnome costuma pesar um pouco em computadores que não possuem uma aceleração gráfica razoavelmente potente, obviamente este não é caso de todas as escolas brasileiras, mas certamente é a realidade de muitas.

Um pouco restrito


O Endless OS não é o sistema ideal, ao menos por enquanto, para um computador convencional de um usuário "mediano", a instalação de programas  de fontes externas nele é bloqueada, de modo que se você quiser algo que esteja fora do repositório interno do Endless OS será um pouco complicado de instalar. Uma das coisas que eu relatei ao suporte inclusive, é que eu desejava instalar o Google Chrome no Endless Mini para poder assistir a Netflix, bom, isso não foi possível.

Se você é desenvolvedor e quer saber todos os projetos de código aberto utilizados pela Endless Computers para a criação do Endless OS e seus recursos vale a pena consultar a página específica no site da empresa. Neste mesma página você encontra o GitHub da empresa.

Outra crítica que eu faço é quanto ao modo de distribuição do sistema que não é feito em forma de iso. Ele possui um instalador automático para o Windows que cria um pen drive bootável, enquanto que se você usa Linux ou Mac é necessário baixar imagens compactadas, isso dificulta a utilização em máquinas virtuais por exemplo, que é onde muitas pessoas gostariam de testar antes de colocar o sistema em uma máquina em definitivo.

Para conseguir virtualizar o Endless OS você vai precisar converter um arquivo img em vdi, para que ele seja compatível com o VirtualBox, nós ensinamos você a fazer isso aqui.

Apesar de tudo o que foi dito, eu admito que essa restrição deixa o sistema mais seguro e pouco modificável, o que é ideal para centros de ensino onde a mão de obra nem sempre é especializada, a conexão com internet é ruim e não há quem faça manutenção constante nos computadores. Essas restrições, querendo ou não, acabam deixando o sistema íntegro por mais tempo.

Se eu pudesse dar uma dica para o pessoal da Endless, eu permitiria que o Endless OS pudesse ser utilizado como Desktop convencional, criando a possibilidade e maleabilidade que os usuários de computador, sobretudo os de Linux, gostam de usufruir, isto certamente atrairia mais público para empresa, para o sistema e consequentemente despertaria o interesse de órgãos e instituições de ter a "versão educacional" do Endless em seus computadores.

Pelo que pudemos ver, eles realmente sabem como ajudar e e criar uma experiência única no Endless OS como ele atualmente, imagino como seria uma versão destinada para o usuário final genérico, e não somente ao educacional.


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Confira:
Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo