Home » intel

Clear Linux da Intel agora integra o Microsoft Azure também

Mais uma distribuição Linux entra para o hall de opções que a Microsoft oferece no Azure Marketplace, trata-se do Clear Linux, da Intel.

Clear Linux no Azure




A Microsoft anunciou que mais uma distribuição Linux está disponível para os clientes da empresa no Azure, trata-se do Clear Linux, uma distribuição não tão conhecida pelo público, pertencendo a Intel.

O Clear Linux é utilizado normalmente para Enterprise, por conta disso é que talvez ele não apareça tanto na mídia comum, nós falamos recentemente sobre ele numa tentativa da Intel de melhorar os drivers de vídeo do Linux para a Steam.

Existem 3 formas diferentes de disponibilidade do Clear Linux no Azure:

– No formato Docker;

– Uma máquina virtual que pode ser usada como ponto de partida para quem quer explorar e criar um sistema com pacotes de sua escolha;

– Uma imagem voltada para machine learning com ferramentas com código aberto comumente usadas neste campo.

Para acessar a página do Marketplace do Azure onde você encontra o Clear Linux, basta clicar aqui.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Intel usa o seu Clear Linux para melhorar o desempenho de seus chips para jogos da Steam

Para aqueles que planejam desenvolver jogos para Linux utilizando hardware Intel HD graphics, poderá em breve ter uma nova escolha para distribuição orientada a desempenho (e poe desempenho nisso), o Clear Linux, um projeto do centro tecnologia Open Source da Intel.

Linux Clear Intel

Os desenvolvedores do Clear Linux estão atualmente trabalhando para trazer suporte para Steam no sistema, algo que requer adaptação, pois é o Clear Linux é completamente focado em 64 bits e a Steam ainda depende de alguns pacotes de 32. Mesmo assim, o desenvolvedor da Intel, Arjan van de Ven, compartilhou uma foto no Twitter mostrando Steam já rodando, ao menos de forma básica no Clear Linux.

Clear Linux

Vai ser muito interessante observar como a Steam se comporta no Clear Linux uma vez que tudo estiver funcionando corretamente. O Clear Linux já vem com a ultima versão do Mesa stack, incluindo os drivers Vulkan. O que torna o Steam no Clear Linux particularmente interessante é o foco ativo da distribuição no desempenho a partir as otimizações no tempo de compilação, multi versões em funções diferentes, a distro embarca vários patches out-of-tree em nome do desempenho, e outros performance tuning pelo centro de tecnologia Open Source da Intel.

Enquanto o Clear Linux está mais focado em desempenho de workstations/servidores/data-centers, ele tem se mostrado poderoso também para entregar desempenho gráfico com os chips da Intel.

Esse trabalho da Intel deverá criar um reflexo claro na potência dos drivers para Linux de modo geral e para os gamers que tem hardware HD Graphics e usam Linux para jogar. Vamos aguardar as novidades.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Qualcomm cria processador de 48 núcleos e 10 nanômetros para concorrer com Intel

O mercado de processadores de alta performance para servidores acabou de ganhar uma nova opção e a Intel acabou de ganhar um concorrente também, trata-se da processador  ARMv8 da Qualcomm.

Qualcomm cria processador de 48 núcleos




A Qualcomm já tem seu "lugar ao sol" nos dispositivos móveis, sendo uma das principais fabricantes de processadores ARM do mundo, mas apesar de ter conquistado este mercado, a empresa atua em segmentos diferentes e um destes é o ramo de servidores de alta performance.

O anúncio do novo processador mostrou uma combinação muito poderosa, até 48 núcleos ARMv8 e apenas 10 nanômetros, a ideia da empresa é concorrer com os  processadores Xeon da Intel, que são muito populares atualmente.

A litografia extremamente baixa chama a atenção pois parece ser algo que a Intel está tendo dificuldade de implementar em seus chips, além disso, o novo processador da Qualcomm também usa a tecnologia FinFET, que permite encaixar os transistores de uma forma diferente e mais eficiente, é a mesma tecnologia que a Nvidia usa em sua nova geração Pascal. O resultado disso é um processador energeticamente eficiente, o que é um fator muito interessante para se considerar na implementação e manutenção de um Data Center.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Intel libera ferramenta para atualização de drivers de vídeo para o Ubuntu 16.04 LTS e Fedora 24

A Intel lançou o "Intel Graphics Update Tool" para o Ubuntu 16.04 LTS e o Fedora 24, isso permite que os usuários usem as versões mais recentes de drivers de vídeo da empresa com poucos cliques.

Intel Graphics Update Tool




Esta não é uma ferramenta nova, mas ela mudou de nome, antes ela se chamava "Intel Graphics Installer for Linux", mas a funcionalidade dela é a mesma. A ferramenta basicamente permite a instalação dos drivers de vídeo da Intel mais recentes no Ubuntu 16.04 LTS e no Fedora 24, sim, oficialmente a ferramenta está disponível apenas para estas distribuições em pacotes .deb e .rpm, porém, é possível também baixar os arquivos do instalador para fazer a instalação manualmente em outras distros.

Dica: No Ubuntu, é possível você manter os drivers de vídeo atualizados e otimizados também através do repositório Oibaf, eu o utilizo há vários anos e ele é muito bom também.

Download do Intel Graphics Update Tool


Para baixar é muito simples, basta acessar o site e escolher a opção que adéqua-se melhor à sua distribuição.

Intel Drivers Linux

No Ubuntu e no Fedora, instale dando dois cliques, depois você encontrará a aplicação no menu do sistema com o nome "Intel Graphics Update Tool for Linux* OS", para verificar se novos drivers podem ser instalados, basta rodar a aplicação e seguir os passos sugeridos:

Linux Driver

Faça o download do botão abaixo:

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 6 de setembro de 2016

Drivers Oibaf para melhorar o desempenho em jogos no Ubuntu

Quem usa Linux com placas gráficas Intel, e especialmente AMD, depende muito dos drivers de código aberto para o bom funcionamento do sistema, porém, os drivers que as distribuições normalmente trazem não são os mais otimizados e recentes, tudo isso pode ser corrigido no Ubuntu e em seus derivados com os drivers Oibaf, sem a necessidade de mudança de Kernel.







Este PPA Oibaf traz drivers otimizados para Intel, AMD e Nvidia, com otimizações de OpenGL e outras configurações para tentar tirar o máximo proveito da sua placa gráfica.

Como não tenho nenhuma placa AMD, não pude fazer testes nelas, instalei no meu Notebook com Ubuntu e placa Intel HD Graphics 3000 e tive um bom desempenho com jogos na Steam, para placas Nvidia, ainda é melhor utilizar o driver fornecido por este outro repositório, o PPA Graphics Nvidia do Ubuntu.

Apesar de não possuir hardware AMD, eu pude testar no Notebook da minha namorada, este sim com uma placa da AMD simples e o resultado foi satisfatório. O notebook dela é um pouco fraco, então, juntando estes drivers com a dica de deixar o Unity que ela tanto gosta no modo de Low GFX, o desempenho do notebook melhorou consideravelmente.

Baseado nos testes que eu fiz, acredito que vale apena usar este repositório caso você tenha placas Intel e AMD e use drivers open source, os mesmos que vem com o Kernel Linux do Ubuntu ou algum derivado, apenas se você usa o computador para jogar ou usar algum software que exija um maior desempenho em 3D, caso contrário, você pode usar o próprio driver do Kernel sem problemas.

Testando

Como testar não custa nada, se você quiser fazer a experimentação abra o terminal e cole os seguintes comandos:
sudo apt-add-repository ppa:oibaf/graphics-drivers
sudo apt-get update
sudo apt-get dist-upgrade
Depois disso reinicie o seu sistema e faça os seus testes, caso algo não funcione de acordo, desinstale usando os comandos:
sudo apt-get install ppa-purge
sudo ppa-purge ppa:oibaf/graphics-drivers
Depois de testar volte aqui e comente o que aconteceu, assim vamos poder ajudar mais pessoas, até a próxima!


sábado, 30 de julho de 2016

Digital Storm coloca uma GTX 1080 dentro de um PC All in One

Poder de fogo em processamento gráfico e sem um gabinete tradicional. Computadores All in One são conhecidos pela potência mediada normalmente, mas principalmente por ocuparem pouco espaço, afinal, todo o hardware que é alocado dentro de um gabinete convencional é embutido através/junto do monitor. Mas algumas empresas exageram.

Digital Storm GTX 1080






É um projeto ousado e interessante. A GTX 1080 é a melhor single core da atualidade e as empresas já estão usando a imaginação para adapta-la em cases diferentes. A fabricante de computadores, Digital Storm criou um modelo de "tudo em um" com a GPU acoplada no sistema.

Não é comum colocar componentes de algo desempenho e que normalmente precisam de um bom sistema de refrigeração em computadores All In One, algo que normalmente este tipo de máquina não possui, justamente pela estrutura.

All in One com GTX 1080


A linha "Aura" é a que carrega o modelo mais poderoso que custa 3 mil Dólares e conta com um monitor curvo de 34 polegadas, processador Intel Core i7 6700K, GTX 1080 na versão Founders Edition, 16 GB de RAM DDR4 e um SSD 850 EVO da Samsung com 500 GB, um HD de 1 TB e resfriamento líquido, para garantir que o negócio não pegue fogo! :P


Quem quiser poderá deixar o computador ainda mais completo (e caro) adicionando mais memória RAM, colocar um leitor de CD/DVD/Blu-Ray e uma versão com o i7 configurado para overclock em 4.4 Ghz, fazendo assim com que o preço vá para 4 mil Dólares.

E aí, você usaria um destes? O que você acha de computadores All in One?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 2 de junho de 2016

Unigine Heaven/Valley - Plataforma de Benchmark gráfico para Linux, Windows e Mac

Estou pretendendo fazer alguns vídeos no futuro do canal do Diolinux envolvendo benchmarks entre sistemas operacionais, então, nada melhor do que encontrar uma plataforma de benchmark fixa para fazer uma análise, para isto é que a Unigine Heaven sai servir, sendo compatível com Linux, Windows e Mac.

Benchmark Linux Unigine Heaven




A Unigine Heaven tem uma versão paga também, porém, a versão free "já dá pro gasto", como se diz.

O programa serve para você fazer testes de stress no seu hardware gráfico, tanto usando DirectX, quanto OpenGL, como a ferramenta tem versões para Linux, Windows e Mac, é possível comparar os 3 sistemas, pelo menos sob a API open source.

Existem várias opções para você customizar o teste, com processamento de tesselação e filtros Anti-Aliasing para que você possa ver até onde a sua placa vai. A Unigine Heaven é compatível com Nvidia, AMD e Intel e pede para você dê preferencia por usar drivers proprietários no Linux para ter uma melhor experiência.

Download e utilização


Para baixar, basta acessar essa página, existe também a versão Unigine Valley, que basicamente muda o tipo do cenário utilizado nos Benchmarks, você testar com as duas se quiser. O arquivo tem pouco mais de 270 MB de tamanho para ser baixado.

O arquivo baixado tem a extensão .run, em tese você pode executá-lo dando dois cliques, caso isso não seja possível, verifique se nas propriedades do arquivo o mesmo está marcado para ser executado como um programa.

Unigine Heaven Ubuntu


Dando dois cliques nele e rodando-o, uma pasta com o nome do software será criada na pasta em que você está, se você salvou o arquivo na Área de Trabalho por exemplo, uma pasta será criada ali, dentro desta pasta você vai encontrar os arquivos para executar a Unigine Heaven (ou Valley), basta dar dois cliques no arquivo "heaven" se você estiver usando a Unigine Heaven, ou no arquivo "valley", se você estiver utilizando a Unigine Valley.

Agora é partir para os testes! :)
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 30 de maio de 2016

Skull Canyon é o novo NUC da Intel voltado para games com a potência do XBox One e do PS4

A Intel lançou essa semana mais um daqueles "aparelhinhos" que vai fazer você contar as moedas para comprar. O Skull Canyon é mais um modelo da linha NUC, que são modelos compactos e potentes. 

Intel Skull Canyon


Pequenino e poderoso, segundo a Intel, este NUC tem a mesma potência que os principais consoles da atualidade, além de ter um visual super atraente.

O NUC Skull Canyon conta com o chip gráfico Iris PRO 580, processador Core i7 6770HQ que possui quatro núcleos de  até 3.5 GHz, dois slots DDR4 2133 MHz que permitem até 32 GB de RAM, suporte interno para SSD, consumo de energia por volta dos 45 W apenas, uma porta Thunderbolt 3.0, seis portas USB 3.0, uma entrada DisplayPort 1.2, um conexão HDMI 2.0 e leitor de cartões de memória, além de Wi-Fi, Bluetooth 4.2. O computador tem compatibilidade com a resolução 4K.

Intel Skull Canyon


Outro detalhe interessante é o XConnect, um recurso da AMD que permite ligar uma placa de vídeo externa no aparelho. O Intel NUC Skull Canyon encontra-se atualmente em pré-venda nos EUA pelo preço de 650 dólares aproximadamente, sendo que quem comprar agora receberá o produto provavelmente no próximo mês, não existem ainda informações sobre a disponibilidade do aparelho para o mercado brasileiro.

Parece que computadores compactos e potentes são uma tendência atualmente, veja as Steam Machines da Valve por exemplo, claroq ue o Skull Canyon não é tão potente quanto a mais simples Steam Machine, porém, ele tem muitas possibilidades e pode ser uma opção perfeita para quem precisa de uma certa potência para trabalhar em um escritório onde não se tem tanto espaço.

O que você achou do novo NUC da Intel?

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 6 de abril de 2016

Como resolver o problema de Tearing em placas Intel no Linux

Tearing é algo que dá nos nervos de qualquer um que o enfrente, se você não está entendendo muito bem do que se trata, "tearing" é a expressão que usamos para designar aquele efeito horrível de "tela cortando", isso acontece muito em filmes em tela cheia, games e eventualmente até no uso corriqueiro do sistema, abrindo pastas ou algo do tipo.

Intel video Tearing no Linux




É um problema chato para dizer o mínimo e a solução felizmente é muito simples, esta é uma daquelas dicas que envolvem o terminal mas que fazer pelo modo gráfico seria muito mais complicado, quer ver?

Para solucionar o problema de Tearing, independe ta distro Linux (pelo menos até o momento em que escrevo este post) basta abrir um terminal qualquer e copiar e colar este comando abaixo:

sudo apt-get install mesa-utils -y && sudo mkdir /etc/X11/xorg.conf.d/ && echo -e 'Section "Device"\n Identifier "Intel Graphics"\n Driver "Intel"\n Option "AccelMethod" "sna"\n Option "TearFree" "true"\nEndSection' | sudo tee /etc/X11/xorg.conf.d/20-intel.conf

Basicamente o que ele faz é instalar o Mesa Utils, um utilitário para configurações do Mesa, e criar um arquivo dentro da pasta X11 chamado "xorg.conf.d" e adicionar informações nele com o parâmetro especial "TearFree" que fará com que o Tearing pare de acontecer.

Dicas adicionais:



Com sorte você nunca passou por este problema, mas se passou, eis aqui a nossa dica para corrigir. Gostaria de fazer um agradecimento especial pela colaboração do nosso leitor e amigo José Rafael, que ajudou a encontrar a solução e a testar a mesma em distros diferentes.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Intel anuncia seu plano de suporte para o Vulkan

O anúncio do lançamento do Vulkan está simplesmente movimentado vários desenvolvedores de todos os lados, desta vez foi a poderosa Intel que divulgou o seu plano de suporte para a nova API gráfica.

Intel divulga seu plano de suporte para o Vulkan

Há algum tempo atrás a Intel já havia feito uma demonstração do Vulkan comparando-o ao OpenGL, ambas as APIs gráficas tem código aberto, porém o Vulkan é o resultado do esforço de várias empresas do ramo da tecnologia para criar algo realmente potente e multiplataforma. Saiba mais sobre o Vulkan aqui.

Leia também: Street Fighter V para Linux será adiado e provavelmente suportará o Vulkan em seu lançamento

Na demonstração da Intel  o Vulkan conseguiu dobrar o desempenho de um chip HD Graphics em relação ao OpenGL, uma marca realmente impressionante!

Leia também: Criador da Valve lança nota sobre Vulkan e fala sobre concorrência com Windows

As informações são de que o Vulkan já estará disponível na próxima versão do driver da empresa para Linux, e os mais apressados poderão baixar o código fonte do Git e compilar em seus próprios sistemas para tentar mensurar ganhos e reportar bugs.

Leia também: Emuladores de PSP e de consoles antigos irão suportar o Vulkan

Segundo as informações, o novo driver da Intel para Ubuntu, Fedora e Red Hat já conterá suporte para o Vulkan, as demais distros que usarem os mesmos do Mesa destas três tirarão proveito também.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Ubuntu Core é disponibilizado para os NUCs da Intel

A Canonical anunciou uma nova parceria com a Intel para trazer o Ubuntu Core para os NUCs da famosa empresa de processadores, mas o que isso significa?

Ubuntu Core agora roda nos NUCs da Intel

Um NUC é um computador compacto da Intel que possui configurações de hardware diferentes, alguns muito potentes, outros mais modestos, mas acima de tudo eles parecem ser opções ideais para se trabalhar com IoT (Internet of Things) o que faz a parceria com o Ubuntu algo excelente. A Canonical é uma das líderes deste mercado e o Ubuntu Core é a versão do sistema feita para trabalhar com este tipo de equipamento.

Se você ficou interessado em utilizar o Ubuntu Core em um NUC você pode encontrar mais informações sobre a aplicação dele nesta página.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Processadores Skylake da Intel tem bug que causa travamento

A nova geração dos processadores Intel está sofrendo com um bug no mínimo chato quando são forçados a trabalhar com cálculos muito grandes, ocasionando o travamento do CPU e por consequência, do computador como um todo.

Processadores Skylake com Bug

O site alemão Hardwareluxx foi o primeiro a reportar o problema, ele foi detectado ao utilizar o programa Prime95, muito comum em utilização pelas pessoas que querem testar os processadores, pessoas que fazem overclock e demais entusiastas de hardware.
Leia também: Vale a pena fazer Overclock?
O software Prime95 faz com que o processador execute transformações de Fourier para multiplicar números muito grandes, o que causa grande carga no CPU, e com este bug, fazendo o processador travar. O problema foi identificado no hardware e ocorre em qualquer sistema operacional, pessoas que utilizem a linha Skylake em supercomputadores ou em máquinas que executem cálculos pesados podem ter problemas.

Por conta da natureza do problema é improvável que um usuário domésticos enfrentem o bug, mas isso serve de alerta para lembrar que até mesmo algumas das empresas mais tradicionais eventualmente falham e esta não seria a primeira vez da Intel, felizmente o bug não deve afetar tantas pessoas.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Como instalar o Intel Linux Graphics Installer no Linux Mint 17.3

O Intel Linux Graphics Installer é uma ferramenta desenvolvida pela Intel para facilitar a instalação de seus drivers mais recentes no Ubuntu e no Fedora, sendo que outras distribuições ficam sem esta ferramenta de maneira oficial. Hoje vamos te ensinar a instalar a ferramenta no seu Linux Mint 17.3.

Como instalar os drivers Intel no Linux Mint

O truque para instalar o Intel Linux Graphics Installer é enganar o programa fazendo-o pensar que ele está rodando no Ubuntu. Para isso vamos modificar o arquivo lsb-release  que é o arquivo que informa ao instalar as características do sistema em que ele está rodando.

São passo simples mas será mais fácil se fizermos pelo terminal do seu Linux Mint, você acha ele no menu do sistema, então abra o terminal e cole os seguintes comandos.
sudo gedit /etc/lsb-release
Dentro do arquivo que abrir deixa as configurações exatamente com estas informações:

DISTRIB_ID=Ubuntu
DISTRIB_RELEASE=15.10
DISTRIB_CODENAME=wily
DISTRIB_DESCRIPTION="Ubuntu Wily Werewolf"

Salve o documento e agora vamos para os próximos passos, ainda no terminal:
sudo apt-get install libtxc-dxtn-s2tc0:i386
echo "deb https://download.01.org/gfx/ubuntu/15.10/main wily main #Intel Graphics drivers" | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/intellinuxgraphics.list
wget --no-check-certificate https://download.01.org/gfx/RPM-GPG-KEY-ilg -O - | sudo apt-key add -
wget --no-check-certificate https://download.01.org/gfx/RPM-GPG-KEY-ilg-2 -O - | sudo apt-key add -
sudo apt-get update
sudo apt-get upgrade
sudo apt-get install intel-linux-graphics-installer
sudo intel-linux-graphics-installer
Pronto! Agora você já tem o seu software instalado sem problemas.  vamos voltar as configurações do seu lsb-release ao normal do Linux Mint:
sudo gedit /etc/lsb-release
Dentro do arquivo que se abrir configure para ficar esta forma:

DISTRIB_ID=LinuxMint
DISTRIB_RELEASE=17.3
DISTRIB_CODENAME=rosa
DISTRIB_DESCRIPTION="Linux Mint 17.3 Rosa"

É isso aí, esta dica foi enviada pelo nosso leitor e amigo Carlos Santos de Portugal, autor do canal CySpot no YouTube.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Conheça o computador do tamanho de um pen drive da Intel que roda o Ubuntu

A Intel tem um novo produto para o mercado, o chamado "Intel Computer Stick" é um computador do tamanho de um pen drive (um pouco maior talvez) que tem muitas funcionalidades interessantes e que consegue rodar o Windows 10 e o Ubuntu 14.04 LTS.

Ubuntu - Intel Computer Stick

Intel Computer Stick com Ubuntu e Windows


O novo Intel Computer Stick está disponível para o mercado de varejo de todo o mundo com o Ubuntu 14.04 LTS pré-instalado. O valor estimado do produto está em 110 dólares.

Intel Computer Stick

O Intel Computer Stick permite um novo padrão computacional para algo deste tamanho, ao ligar o aparelho em qualquer televisão ou monitor via HDMI e conectá-lo à internet via Wi-Fi, teclado e mouse, você terá um perfeito computador para o seu trabalho, e até para rodar alguns games, especialmente via Streaming, como é o caso da Steam.

O novo computador da Intel que carrega o Ubuntu 14.04 LTS é pequeno os suficiente para caber na palma da sua mão, literalmente, mas mesmo pequeno ele é poderoso, ele carrega um processador Atom Quad-Core da Intel, combinado com um sistema operacional Linux de 64 bits, ele se mostra uma excelente opção para trabalhos mais simples.

Ele tem um slot para cartão SD, permitindo uma armazenamento adicional aos 32 Gigas de armazenamento interno. O dispositivo também tem uma trava de segurança para garantir que ele não seja roubado, ou que pelo menos seja mais difícil fazer isso.

Janel Silber, CEO da Canonical comentou sobre ele dizendo que "os consumidor estão procurando uma experiência pessoal mais flexível, funcional e de baixo custo, além de ter alternativas em sistemas operacionais. É muito bom ver o Ubuntu como primeira distro Linux a fazer parte da nova família de hardware da Intel, estamos trabalhando junto com a Intel para trazer ainda mais dispositivos com Ubuntu de fábrica, teremos novidades em breve."

O Ubuntu  parece ser, mais uma vez, a maneira mais fácil de fazer com que o Linux chega às casas das pessoas, além é claro, do Android. Pelo que pesquisei, aqui no Brasil você encontra aparelhos semelhante a estes na casa dos R$ 800,00.

E você, gostaria de ter um Intel Computer Stick com Ubuntu ou Windows?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sábado, 5 de dezembro de 2015

Intel aposta no Linux como plataforma para missões críticas

O site "Diálogo TI" da Intel elaborou uma matéria falando das potencialidades dos processadores Intel Xeon com o Linux como sistema operacional missões críticas que anteriormente eram feitos usando o sistema Unix.

Plataforma computacional Intel

"Vendendo o peixe com o pinguim"


A Intel comenta que até pouco tempo os processadores da empresa eram utilizados em projetos que não envolviam risco, como servidores de DNS, DHCP, mas quando era necessário um conjunto de hardware e software para missões críticas, onde o negócio dependia do funcionamento do servidor, normalmente era usado o conjunto UNIX/RISC.

Segunda empresa, graças ao Linux, juntamente com a tecnologia envolvida no processador Intel Xeon, foi possível criar uma alternativa viável e mais barata ao conjunto UNIX/RISC.
A consequência dos avanços tecnológicos no desenvolvimento da arquitetura de processadores Intel® para servidores e plataformas baseadas em Linux/Intel®, atualmente representa uma alternativa viável para executar cargas de trabalho de missão crítica. As melhorias no desempenho, escalabilidade e disponibilidade fornecem as condições necessárias para que empresas de qualquer tamanho executem seus processos de negócio com custos de operação mais convenientes.
No artigo da Intel é descrito como deve ser feita a migração ou adaptação de um conjunto UNIX/RISC para um LINUX/INTEL.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Lançado Kernel Linux 4.3 com 7 novidades importantes

A cada lançamento, mais melhorias e adição de novos recursos. Nesse lançamento, as melhorias ocorrem fortemente nos drivers de vídeo open source e no desempenho do SMP.


Lançado kernel 4.3


O kernel Linux 4.3 foi lançado em sua versão estável no dia 01/11/2015. Nesse lançamento, o kernel Linux 4.3 trás suporte ao Intel Skylake, retrabalharam no suporte aos drivers de vídeo open source da NVIDIA, e muitas outras mudanças no código, totalizando 20.6 milhões de linhas de código.

Basicamente, as melhorias neste lançamento, foram:

- O Intel Skylake (nona geração) é habilitado por padrão. 

- Suporte inicial a drivers de vídeo open source AMD R9 Fury "Fiji" (apesar que esse suporte inicial não possui gerenciamento de energia / reclock. Então o desempenho ainda é bastante baixo, como já abordamos sobre o assunto no artigo em que colocam os drivers open source a prova.) É necessário estar com o Mesa 11.0+ para uso dos gráficos acelerados AMDGPU. 

- Um grande retrabalho no driver DRM Nouveau para suporte a placas de vídeo da Nvidia. Algumas melhorias feitas também para Reclock, seleção de GPU e dentre outras alterações (apesar de não aparentar nenhuma melhoria em desempenho). 

- Suporte a OpenGL 3.3 no VMware. 

- O suporte ao sistema de arquivos EXT3 foi removido desde que o suporte ao EXT3 pode ser tratado pelo EXT4. 

- Correções no XFS, EXT4, F2FS e melhorias no Btrfs RAID 5/6. 

- Correções no TRIM e outras melhorias menores.

Linus afirma em seu e-mail que já está aberta a temporada de desenvolvimento do kernel 4.4. É esperado para o kernel 4.4 melhorias na parte AMDGPU, ter aceleração 3D no VirGL para o QEMU guest VM, melhorias no Reclocking Nouveau para os GPUs da Nvidia, suporte ao Snapdragon 820 e dentre outras melhorias e adições de recursos.

Para baixar a nova versão do kernel, clique no link abaixo:

 link para o kernel 4.3

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Intel desenvolve software gráfico de alto desempenho para Linux

E Linux cada vez mais vem ganhando espaço nos desktops. A Intel está tornando seu trabalho open-source ao desenvolver um software de alto desempenho para gráficos que originalmente foi desenvolvido para visualizações cientificas. Acompanhem aqui no Diolinux.

Intel desenvolve software de alto desempenho para Linux

Intel desenvolve software de alto desempenho para Linux

A Intel está planejando integrar este novo projeto OpenSWR ao Mesa para empregá-lo nos Linux em ambientes desktop como um software de rasterização mais rápido do que está atualmente disponível (LLVMpipe).

O OpenSWR deveria ser ideal para casos onde não há um GPU discreto disponível ou os drivers falham ao funcionar. Esse software de rasterização implementa o OpenGL 3.2 aos CPUs da Intel/AMD tendo suporte ao AVX(2) (Sandy Bridge / Bulldozer and newer) enquanto que o 29~51x estiver sendo mais rápido que o LLVMpipe e o código estiver licenciado sob a MIT. O código, entes de ser integrado ao Mesa, está sendo fornecido no GitHub.

Fonte
____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


terça-feira, 20 de outubro de 2015

Intel Graphics Installer chega ao Ubuntu 15.04 e ao Fedora 22

Instalador de Drivers da Intel agora suporta a versão mais recente do Ubuntu e a última versão estável do Fedora, confira.

Drivers Intel para Ubuntu e Fedora

Instalador de Drivers da Intel para Ubuntu e Fedora


Os drivers da Intel para Linux são de código aberto e o próprio Kernel das distribuições costuma trazê-lo, porém, não na última versão de desenvolvimento normalmente, especialmente porque antes de mais nada as distros prezam pela estabilidade do sistema, um driver muito recente pode aumentar o desempenho da máquina como pode fazê-la travar.

O Intel Graphics Installer permite que você instale a última versão destes drivers do Ubuntu e no Fedora oficialmente, existe também o código fonte disponível na página de download da Intel.

A versão lançada recentemente da suporte de 32 e 64 bits para o Ubuntu 15.04 e para o Fedora 22 com pacotes .deb e .rpm para as respectivas distribuições, depois de baixar o pacote você deve instalar dando dois cliques, posteriormente a aplicação estará disponível no menu do sistema.


Mantendo os drivers atualizados


Eu acho uma piada de mau gosto a Intel dar suporte para o Ubuntu 15.04 e o Fedora 22 somente agora, ainda por cima removendo o suporte para o 14.04, afinal de contas no próximo mês já sai o Ubuntu 15.10 e não muito distante sai o Fedora 23, ambas sem suporte do instalador.

Uma forma de contornar o problema no Ubuntu é você utilizar o repositório de Drivers Oibaf, eles são drivers nas últimas versões, todos open source para Intel, AMD e Nvidia, podem ser uteis para quem tem placas um pouco mais antigas da AMD e para quem tem hardware Intel, caso você tenha Nvidia use os drivers da própria e você possivelmente terá mais desempenho.

Para saber mais sobre os drivers Oibaf clique aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Vulkan consegue dobrar o desempenho do OpenGL numa Intel HD Graphics

As primeiras demonstrações do poder da nova API Gráfica Vulkan já apareceram e são realmente impressionantes quando comparadas à versão atual do OpenGL, confira:

Vulkan API

Intel faz demonstração da nova API Vulkan na SIGGRAPH 2015


A cada aparição do Vulkan a API chama a atenção e causa surpresa, na SIGGRAPH deste ano a Intel fez uma demonstração exibindo o desempenho da nova API em comparação com o OpenGL, utilizado até então.

Como destaque na apresentação está que o Vulkan consegue distribuir melhor a carga entre os núcleos do processador, enquanto que na demonstração o OpenGL causava um "full load" no primeiro núcleo, quando há a mudança para o Vulkan é perceptível a diferença.

Muito mais FPS


Essa parece ser realmente um boa novidade para as pessoas que tem computador com chips gráficos integrados da Intel, a simples mudança de API na demonstração praticamente dobrou a quantidade de FPS na tela, algo realmente estupendo!

Para entender melhor veja o vídeo de demonstração abaixo:


Eu estou muito ansioso pelo lançamento do Vulkan para o público, porém, como podemos ver ao final do vídeo ainda não existe uma data de lançamento e ele nem sequer está aberto ao público "comum" ainda.

Enquanto o Vulkan não sai você pode interessar-se em ler estes artigos sobre o mesmo assunto:





Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 1 de setembro de 2015

Sofware que permite Stephen Hawking falar tem código aberto

A Intel, a empresa que desenvolveu o Software que permite que Stephen Hawking comunique-se, liberou o código fonte do programa para todos, confira os detalhes.

Stephein Hawking ACAT

ACAT está disponível para o público


Eu sou um grande admirador do professor Hawking e sempre admirei a grande sede de conhecimento e vontade de viver dele, por conta da ELA, esclerose lateral amiotrófica, a mesma pela qual Mark Zuckerberg fez a campanha do balde de gelo, comum na internet há um tempo atrás, a doença também conhecida por "doença do neurônio motor", afetou Hawking ainda na juventude fazendo que ele tenha perdido a capacidade de movimentar-se quase que completamente.

Para permitir que Hawking se comunicasse com as pessoas a Intel desenvolveu um programa que interpretava os sinais musculares da maçã do rosto de Stephen e convertesse estes sinais em palavras que seriam expressadas através de um sintetizador de voz.

A Intel espera que o ACAT, que atualmente roda apenas no Windows 7 e versões superior, possa ser melhorado pelos desenvolvedores, a Intel publicou o código no GitHub, clique aqui para ver.

A esperança é que um programa como este possa ajudar milhares de pessoas que tem algum tipo de dificuldade para comunicação, com o código aberto a adaptação dele para necessidades diferentes será mais muito mais simples e ágil.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 26 de agosto de 2015