Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador interface. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador interface. Mostrar todas as postagens

Conheça o UbuntuQt (Ubuntu+LXQt)

Nenhum comentário

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

O Ubuntu, além de ter várias opções de interface oficiais, possui também projetos que são derivados e criados pelas pessoas que estão exercendo a sua liberdade com o software livre, criando soluções próprias, por isso, alguns projetos de testes interessantes acabam surgindo, hoje você conhecerá o projeto UbuntuQt.

UbuntuQt




Recentemente eu publiquei no canal do Diolinux no YouTube um vídeo mostrando o Lubuntu com a interface LXQt, o que deve ser a próxima interface oficial do sistema. Alguns usuários que gostam do LXQt e do Ubuntu mas acham que ele precisa de um "trato" extra, criaram um projeto não oficial chamado UbuntuQt, que é o Ubuntu com esta interface gráfica e com temas e aplicações customizados para melhorar o design do sistema.

UbuntuQt

O projeto visa oferecer agora o ambiente LXQt para os usuários do Ubuntu, visto que o Lubuntu ainda está testando a interface, a ISO possui apenas versão de 64 bits e quem precisar de suporte para o sistema pode acessar esta página.

Se você achou a ideia interessante e gostaria de baixar, testar ou se envolver com o projeto, os links para download direto e torrent estão disponíveis aqui, juntamente com informações extras.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




KDE Plasma está adicionando integração ao Google Drive

Nenhum comentário

quarta-feira, 17 de maio de 2017

Assim como o GNOME Shell, na verdade de forma muito parecida, o projeto KDE está adicionando ao Plasma a integração com o Google Drive para que os usuários possam acessar os seus arquivos na nuvem do Google diretamente do gerenciador de arquivos Dolphin.

Google Drive KDE Plasma




O recurso estava em desenvolvimento há algum tempo e agora está praticamente pronto para ser integrado por padrão ao KDE Plasma, contudo, os desenvolvedores comentaram que ainda faltam alguns testes para liberar a aplicação como algo estável.

Kio gDrive

A ideia é que os usuários possam utilizar o sistema de integração de contas online do KDE Plasma para fazer login e acessar as suas contas no serviço da Google, o Google Drive será integrado ao Dolphin e, além de permitir a integração e sincronização com o serviço, isso também permitirá que o sistema de notificações da interface trabalhe de forma ativa, criando uma maior sensação de integração, dispensando a necessidade de usar um cliente dedicado como o Insync para a maior parte dos usuários.

As pessoas que utilizam o KDE Neon na versão de desenvolvimento deverão receber em breve a integração, os usuários de outras distros deverão esperar um pouco mais pela atualização e integração, no entanto, quem estiver com pressa para testar a novidade poderá fazê-lo manualmente.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




4 perguntas para sabermos quais as suas preferências sobre Linux em 2017

Nenhum comentário

sábado, 13 de maio de 2017

Vamos fazer mais um levantamento interessante para podermos comparar com um que fizemos no ano passado. Na ocasião tivemos cerca de 4.500 respostas, então, esperamos algo parecido para termos uma comparação mais justa.

Como você usa Linux?




A ideia deste tipo de pesquisa é entender melhor como o nosso público utiliza o computador, entender suas preferências de interface gráfica e distribuição especialmente, assim o conteúdo pode se moldar melhor as preferências dos leitores e leitoras do blog. Claro, depois que tivermos colhido participações o suficiente, vamos fazer um vídeo no canal Diolinux para fazer a comparação e mostrar os resultados.

São apenas 4 perguntas:

OBS: Dado o fluxo de respostas, acrescentei mais duas perguntas que serão pertinentes, espero que não se importe.

OBSn²: Recentemente tivemos mais de 5 mil respostas, mas provavelmente a nossa pesquisa acabou caindo em uma comunidade específica ou um grupo de trolls e acabou destoando da realidade, por isso temos a versão 2.0 aí em baixo que ficou mais rígida, agora é necessário fazer login para responder e apenas um voto é permitido, infelizmente vou ter que coletar os e-mails, assim posso saber quem votou no que.

Lembrando que a pesquisa é para ser feita somente por fãs do canal e do blog e pessoas que acessam regularmente o canal e o blog. O foco continuará sendo Linux, Ubuntu, Android e tecnologia, só queremos entender as possibilidades.



Obrigado pela participação e até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Os 7 ambientes gráficos mais populares do mundo Linux

Nenhum comentário

sábado, 24 de setembro de 2016

Uma das coisas que diferenciam muito o Linux de outros sistemas é a possibilidade de usar várias interfaces diferentes nas várias diferentes distribuições que existem, vamos conhecer agora as 7 mais populares para você saiba quais são as principais opções.

7 Desktop Enviroments para Linux






Eu elaborei uma lista aqui para mostrar o ambientes gráficos que eu acredito que sejam os principais, é bom lembrar que eles não estão em uma ordem de popularidade ou mesmo ordenados de "melhor para pior" e vice-e-versa, simplesmente estou listando-os, tudo bem? O julgamento de qual é o melhor para você cabe somente a você mesmo.

Desktop Enviroment e Interface Gráfica


Apesar de serem semelhantes, "Desktop Enviroment" e "Interface Gráfica" não são exatamente a mesma coisa. Desktop Enviroment engloba muito mais do que somente a interface, mas todos os programas que compõem os sistema operacional. Podem eventualmente ocorrer junções entre interfaces diferentes e Desktop Enviroments, um sistema que use uma interface gráfica "X" e use aplicações que fazem parte de outro DE.

Vamos começar?

1 - Gnome


Gnome Shell

O Gnome é um dos Desktop Enviroments mais populares de todos os tempos, não se restringindo somente à interface, mas a várias aplicações que compõem toda ela, como o gerenciador de arquivos Nautilus, que é um dos grandes destaques.

2 - KDE


KDE Plasma

O KDE também é um projeto grande como o Gnome, a interface gráfica do projeto, o Plasma, é utilizado por milhares de pessoas ao redor do mundo. Além disso, o projeto KDE tem uma série de programas variados para diversas funções. O Dolphin é o gerenciador de arquivos.

3 - Cinnamon Desktop


Cinnamon Desktop

Ao contrário dos dois primeiros, o Cinnamon é um projeto mais recente. Criado como um fork do Gnome, o Cinnamon hoje conta com uma série de aplicações próprias, porém, ainda não possui tantos programas quanto o projeto Gnome. O gerenciador de arquivos é o Nemo, um fork do Nautilus.

4 - MATE Desktop


MATE Desktop

Assim como o Cinnamon começou como um fork do Gnome 3, o MATE começou como um fork do Gnome 2, mantendo vivo o gosto de usar este desktop tradicional amado por muitas pessoas, mas claro que ele não ficou parado no tempo, muitas melhorias e otimizações foram colocadas no MATE, assim podemos dizer que o MATE continuou de onde o Gnome 2 parou. O gestor de arquivos do MATE Desktop é o Caja.

5 - XFCE


XFCE Desktop

Amado pelos usuários que gostam de simplicidade misturada com leveza e um desktop muito personalizável, o XFCE seguiu seu próprio caminho ao longo dos anos criando a sua própria identidade. O visual padrão do XFCE traz uma barra na parte superior e um menu com campo de busca atualmente, porém, pesquisando entre as distribuições você vai encontrar várias customizações diferentes a ponto do XFCE ficar muito diferente do que ele é originalmente. Seu gerenciador de arquivos padrão é o Thunar, mas além dele existem uma série de aplicações do projeto que ajudam a compor todo o DE.

6 - Pantheon


Pantheon Desktop


O Pantheon Desktop é originário do projeto elementary OS, uma distribuição que sempre focou no design e na elegância. O Patheon ainda não é um projeto amplo, porém, possui várias aplicações de desenvolvimento próprio, além da interface em si, o Pantheon Shell, o gerenciador de arquivos do sistema, o Pantheon Files, entre outros.

7 - Deepin Desktop Enviroment


Deepin Desktop

De origem chinesa, o Deepin Desktop Enviroment passou por muitas transformações ao longo dos anos. Ele também começou como uma modificação do Gnome, porém, hoje já possui aplicações próprias para praticamente todas as funcionalidades, até pouco tempo atrás o Deepin Linux utiliza ainda o Nautilus como gerenciador de arquivos, mas até ele na última versão lançada no Deepin Linux, deu espaço para um novo gerenciador de arquivos chamado "Deepin File Manager" com funções similares.

E o Unity?


O Unity, ambiente padrão do Ubuntu, requer uma explicação diferenciada. Ele possui duas versões, o Unity 7, utilizado atualmente nos desktops, e o Unity 8, utilizado atualmente em Smartphones e Tablets, e se tudo der certo, futuramente no Desktops também.

Ubuntu Unity Desktop


O Unity 7, não é exatamente um Desktop Enviroment, isso porque ele é uma mescla de elementos que funcionam muito bem juntos. Com um "core", digamos assim, de aplicações ligeiramente modificadas do projeto Gnome, e algumas aplicações próprias, como o Unity Control Center, fork do Gnome Controle Center, a interface em si, é um plugin do popular gestor de janelas Compiz. O Unity 8 é algo muito mais parecido com um Desktop Enviroment tradicional de Linux, com interface e aplicações auxiliares totalmente desenvolvidas para o sistema. Digamos então que o Unity seja um "número 8" na nossa lista, mesmo que com um asterisco.

Além dessa lista de 7 e uma menção, cabe ressaltar que ainda existem mais opções, realmente o Linux tem muitas alternativas e você certamente vai encontrar um conjunto de desktop e interface que vai te agradar entre as centenas de distribuições.

Se você quiser adicionar outras interfaces que você goste, mais minimalistas ou qualquer outro tipo de Desktop Enviroment, fique à vontade, os comentários estão aí pra você compartilhar o seu conhecimento.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




MooseX: Um mockup sensacional de uma nova interface gráfica para o Linux

Nenhum comentário

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Gostamos muito de dar espaço para os artistas, especialmente quando eles abordam o Linux de alguma forma, então hoje você vai conhecer um "mockup" feito por um brasileiro com o nome "Walaff jhonatha Wall", confira:

MooseX OS

MooseX OS - Uma nova interface para o Linux


"Mockups", para quem não sabe, são desenhos conceituais, normalmente de softwares, mas podem ser de qualquer coisa, que pretendem esboçar uma ideia que pode ou não tornar-se uma realidade no futuro.

Este é o caso do MooseX, é um projeto que está apenas no papel por enquanto e promete uma nova interface gráfica para o Linux, o ideia é que caso o projeto emplaque, o mesmo se torne uma realidade acessível para as distribuições, sendo o "MooseX OS" o sistema operacional padrão da interface.

Confira algumas das belas imagens:

Moose X

Moose X

Moose X

Moose X

Moose X

Você pode ver mais algumas imagens e também apoiar o projeto neste endereço.

O que você achou do design conceitual?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Qual a diferença entre uma distribuição Linux e outra?

Nenhum comentário

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Quando se está escolhendo uma distribuição Linux para usar sempre surge aquela dúvida de qual seria a melhor opção, qual diferença entre eles? O que faz uma distribuição ser adequada para o "meu" uso? Vamos tentar responder a sua pergunta.

Qual a diferença entre as distros Linux

O que diferencia uma distribuição Linux de outra?


Vamos responder uma dúvida antiga e até muito pertinente, afinal, neste mar de distribuições Linux, qual a diferença entre uma e outra?

Primeiramente confira o vídeo abaixo para entender os "basics" do "negócio" e depois continuamos:


Agora vamos detalhar melhor, fizemos este fluxograma para explicar melhor para você:

Fluxograma de um sistema Linux básico


Muita gente por aí não sabe o que é exatamente uma distribuição Linux e acaba afirmando que "tal" sistema não é efetivamente uma distribuição por derivar diretamente de outra, isso será assunto ainda para um vídeo futuro no canal do Diolinux, porém, para fins de esclarecimento nesta questão de hoje: Uma distribuição Linux é um sistema operacional que usa como base do sistema o Kernel Linux.

Para fins de entendimento, podemos dividir um sistema de maneira simples em 3 partes (como você pode ver na imagem acima), são elas:

- Kernel (base do sistema, este é o Linux);

- Interface gráfica/Interface de texto(é o que você vê na tela, é a maneira com que o usuário vai interagir com a máquina);

- Programas ( que é parte mais importante para qualquer pessoa, são os softwares que você usa para fazer o que você quiser, como navegar na internet por exemplo).

A junção destas 3 partes (que tecnicamente poderiam ser divididas em muitas mais) são o que chamamos de "sistema operacional", sendo quem um sistema sem qualquer uma destas partes é tudo, menos "operacional".

O que diferencia uma distribuição da outra?


Foi pra responder a esta pergunta que você vei aqui, não foi? Pois bem, a explicação prévia era necessária pois cada um destes elementos em uma distribuição Linux é independente e pode ser modificado de versão para versão, de sistema para sistema.

O Kernel


Kernel


O Kernel é a parte mais básica do sistema operacional, se ele funcionar bem você nem vai lembrar que ele existe, é o Kernel que contém os drivers dos dispositivos (placas, periféricos, etc) que você vai usar no seu computador.

O Kernel Linux está em constante desenvolvimento e existem versões novas sendo lançadas de tempos em tempos, o que nos leva a primeira coisa que pode variar de distribuição para distribuição.

- Versão: Cada distribuição Linux escolhe com qual versão do Kernel o sistema vai trabalhar, pelo menos inicialmente, o Kernel pode ser atualizado com o tempo ou manter-se em versões LTS (versões que tem muito tempo de suporte) para fins de estabilidade. Em tese um Kernel mais novo traz mais vantagens, como melhor suporte a hardwares atuais (últimos lançamentos) e normalmente uma melhora de desempenho para o sistema, porém, versões recentes demais pode gerar problemas por não ter havido tempo o suficiente para debugar o Kernel que o sistema está usando.

- Tipo: Existem algumas variações de Kernel Linux que são usadas em algumas situações, normalmente a versão que é embarcada em todas as distros é a versão "Generic" que é destinada a rodar em qualquer computador da melhor forma possível, porém, existem outras, como as versões que buscam ter uma baixa latência, como já explicamos em um outro vídeo do canal do Diolinux, apesar de serem poucas as distros que variam o Kernel desta forma, esta é outra característica que pode variar de distro para distro. Um exemplo de distribuição Linux quem vem com o Kernel de baixa latência é o Ubuntu Studio.

- Patches: Um "patch" pode ser encarado como um programa para corrigir/modificar e/ou implementar novas funcionalidades em outro programa. A maior parte das distribuições possui um Kernel diferente do Kernel Linux "original" disponibilizado no kernel.org.

O Kernel Linux puro é chamado normalmente de "Vanilla", enquanto que as versões que acompanham as distros eventualmente recebem outro nome, pelo menos internamente, como o Kernel do Ubuntu por exemplo, que é chamado de "Kernel Ubuntu".

Então este é um outro fator que pode variar de distribuição para distribuição, os patches podem trazer um melhor reconhecimento de hardware, drivers adicionais, correções de bugs e otimizações para o sistema em questão.

Interface Gráfica


Interface Gráfica Linux


A interface gráfica no Linux é tida como uma parte em separado do sistema, algo "deslocável" e "modificável", muito diferente do que vemos no Windows e no Mac OSX, onde a interface e o sistema não são plenamente distinguíveis e alteráveis.

Assim como o Kernel, a interface gráfica também pode variar de uma distribuição Linux para outra, existem realmente muitas opções prontas para atender os gostos variados de todas as pessoas. Alguns exemplos de nomes de interfaces gráficas você pode ver no fluxograma que mostramos no início do artigo.

Apesar das distribuições usarem interfaces gráficas diferentes, muitas delas usam a mesma interface; por exemplo, você pode testar o KDE no Fedora e o KDE no Ubuntu (Kubuntu) e irá ter uma experiência de uso muito semelhante, algumas distribuições mudam alguns detalhes do sistema para lhe dar personalidade, como ícones e eventualmente cores, mas à grosso modo, a maneira de trabalhar com o sistema é a mesma. Isso vale para as outras interfaces também.

Então a interface gráfica pode mudar de sistema para sistema.

Gnome e KDE


Dentro do tópico de interfaces eu preciso abrir este espaço para falar especificamente de Gnome e KDE, ambos são projetos muito mais abrangentes do que "apenas" uma interface gráfica, Gnome e KDE são verdadeiros ecossistemas.

Se formos mais detalhistas, a interface gráfica do projeto Gnome é o "Gnome Shell" e a interface gráfica do projeto KDE é o "KDE Plasma", mas além do visual e da maneira com que você vai interagir com o sistema, Gnome e KDE também possuem em seus projetos uma gama muito ampla de aplicações que são integradas com a própria interface, que variam de players de música até aplicações para gerenciar o sistema.

O Gnome usa bibliotecas GTK para compor as suas aplicações (o que reflete no visual delas) e o KDE usa a biblioteca QT para a mesma finalidade, o que também implica no comportamento das aplicações.

Distribuições que usam uma destas interfaces costumam também trazer uma certa gama de programas que faz parte do ecossistema de cada um. Outras interfaces também possuem seus próprios programas em ecossistemas, como O XFCE e o LXDE, que apesar de menos abrangentes que Gnome e KDE são bastante relevantes.

Programas e Apps


Programas Linux


Depois de Steve Jobs, "tudo são Apps", mas de qualquer forma, esta é outra parte do sistema que pode ser diferente de distribuição para distribuição.

Cada sistema tem um certo pacote padrão de aplicações que acompanham o sistema, ou seja, que estão presentes logo depois de você instalar o sistema operacional no computador. Alguns programas muito populares estão em todas elas praticamente, como o navegador Firefox e a suíte aberta LibreOffice, entretanto, outros programas são "exclusivos" de cada sistema.

O Ubuntu tem a sua Central de Programas, o openSUSE tem o Yast, o Mageia tem o MCC, o Linux Mint tem sua ferramenta de PPAs, o Manjaro tem seu gestor de Kernel... estes são alguns exemplos.

Algumas distribuições possuem muitos programas próprios, muitas distribuições derivadas de outras acabam levando características destas distros junto consigo, como o por exemplo elementary OS que deriva do Ubuntu e traz consigo a Central de Programas da distro em que se baseia.

Alguns sistemas como o Linux Mint, apesar de derivarem do Ubuntu possuem ferramentas diferentes para as mesmas funções, por exemplo, ao contrário da Central de Programas (Ubuntu), o Linux Mint tem o "Mint Install", um software equivalente, porém, com um visual completamente diferente.

Os programas que vem por padrão em cada sistema, juntamente com os programas desenvolvidos pela própria distribuição, são coisas que diferem uma distribuição de outra.

O processo de instalar programas

Este também é um diferencial entre o sistemas, as distribuições (quando não são derivadas umas das outras), possuem maneiras diferentes de você instalar programas novos, seja o programa via interface gráfica, como as "Centrais de aplicativos" e "Synaptics e Pacmans da vida" (Debian/Ubuntu/Mint e Arch/Manjaro/Antergos), ou através de modo texto, APT e Zypper (Debian/Ubuntu e openSUSE).

Desenvolvimento


Para finalizar vamos falar do desenvolvimento, você pode voltar no fluxograma e dar mais uma olhada. Todos os itens lá expostos são modificáveis, são eles basicamente que mudam de distribuição para distribuição, mas outra coisa que muda de um sistema para o outro é a manutenção do mesmo.

As distribuições Linux em grande parte são mantidas por comunidades de usuários interessados em tê-las funcionando, muitas delas recebem doações periódicas dos usuários e até mesmo de algumas empresas que tem interesse no funcionamento da distribuições (caso do Debian), por outro lado, existem algumas distribuições que são mantidas, se não totalmente, quase totalmente por empresas individuais com alguns "pitacos" da comunidade de usuários (caso do Ubuntu).

São estes os elementos que mudam de uma distribuição Linux para outra


Acho que agora ficou mais claro para você o que pode ser observado de uma distribuição para outra, talvez até você esteja em pânico sem saber para onde olhar (é uma possibilidade), mas nós temos uma métrica para te ajudar a decidir qual o melhor sistema para você, quem sabe você não  tenha tantos problemas assim.

E estas são as fatores básicos que diferenciam uma distribuição Linux de outra.

Até a próxima e não esqueça de compartilhar a informação, assim você espalha mais conhecimento pela internet! :)
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como instalar o Cinnamon no Ubuntu

Nenhum comentário

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Hoje você vai aprender a instalar este ambiente gráfico sensacional no Ubuntu para poder desfrutar dele sem precisar instalar o Linux Mint.

Cinnamon 2.4 no Ubuntu
Imagem: WebUpd8

Instalando o Cinnamon 2.4 no Ubuntu 14.04


Recentemente estive testando o ambiente gráfico do Linux Mint, o Cinnamon, para Games, e percebi uma leve melhoria em FPS no Counter Strike Global Offensive, talvez pelo compositor de janelas, fora isso ele é uma ambiente muito agradável em linhas gerais.

Instalação do Cinnamon


Abra o seu terminal e cole os seguintes comandos:

sudo add-apt-repository ppa:tsvetko.tsvetkov/cinnamon 
sudo apt-get update 
sudo apt-get install cinnamon
Instale também os temas do Linux Mint no Cinnamon:

sudo apt-get install mint-themes
Então é só você fazer logoff e na tela de login escolher a interface, caso algo dê errado ou você não curta muito o ambiente é só usar estes comandos abaixo para remover:

sudo apt-get purge cinnamon* nemo-* cjs muffin* python-nemo 
sudo rm /etc/apt/sources.list.d/tsvetko_tsvetkov-cinnamon*.list 
sudo apt-get update

Até a próxima!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Como instalar o LXQt no Ubuntu e Lubuntu

Nenhum comentário

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Uma nova interface gráfica está disponível para as pessoas que tem computadores mais modestos, este é o LXQT, a junção do RazorQt com o LXDE, conheça um pouco mais desta interface e aprenda a instalar no seu sistema.

LXQt agora chega ao Lubuntu Daily
Imagem: Reprodução

LXQt, um ambiente leve e funcional para Linux


Esta é a esperada junção de dois projetos muito bons com um mesmo ideal, o RazorQt e o LXDE, ambos são ambientes minimalistas destinados a computadores com hardware mais modesto e como parece que "tudo" está caminhando para o QT temos mais uma interface com base nestas bibliotecas.

O novo ambiente já está disponível para quem desejar testar, é mais indicado instalar ele no Lubuntu pois aparentemente os ambientes são mais convergentes de alguma forma, não é necessário baixar tantos arquivos, entretanto, é possível instalar no Ubuntu convencional também.

Mudança de interface gráfica apesar de ser algo fácil de fazer é uma tarefa avançada então se você não se sentir preparado(a) para ter que arrumar o seu sistema caso dê treta alguma problema, não o faça.

Instalando o LXQT no (L)Ubuntu 14.10 e 14.04


Abra o terminal e cole os seguintes comandos:

sudo add-apt-repository ppa:lubuntu-dev/lubuntu-daily 
sudo apt-get update 
sudo apt-get upgrade 
sudo apt-get install lxqt-metapackage lxqt-session lxsession

Depois de instalado vá até a tela de login do sistema e mude a sessão para LXQt, agora você pode aproveitar a interface, caso algo dê errado ou mesmo você não goste para desinstalar o ambiente logue novamente na antiga interface e dê os seguintes comandos:

sudo apt-get remove lxqt-metapackage lxqt-session lxsession
sudo apt-get autoremove
Se você deseja instalar o LXQt em outra distribuição que não seja baseada no Ubuntu verifique os links na página no projeto, este ambiente gráfico deverá vir como padrão em futuras versões do Lubuntu, atualmente ele está na versão 0.8 e tem compatibilidade completa com o QT5, o mesmo utilizado para fazer o KDE 5.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

LXQT - Nova Interface gráfica disponível para Lubuntu e derivados

2 comentários

quinta-feira, 8 de maio de 2014

A junção do QT com o ambiente LXDE


Agora os usuários de Linux tem mais uma opção de interface gráfica, especialmente os que possuem máquinas com poucos recursos.


O projeto é uma espécie de junção entre o RazorQT e o LXDE, agora nós temos um sistema com mais possibilidades e mais leve.

O projeto LXQT não é algo realmente novo, ele vinha sendo discutido a um certo tempo, o primeiro registro que temos dele aqui no blog data de Julho de 2013, mas só agora, quase um ano depois, que não é lá muito tempo para um projeto de ambiente gráfico, temos a oportunidade de testá-lo em uma distro de verdade.

Este ambiente deve equipar o Lubuntu futuramente e por isso podemos instalá-lo no mesmo usando repositórios instáveis, isso serve também para o Ubuntu mas é bom recomendar que muitos pacotes contidos dentro destes repositórios ainda estão em teste e isso pode dar uma zuera desgraçada problemas.

Para testar, abra o seu terminal amigo e cole os seguintes comandos:

sudo add-apt-repository ppa:lubuntu-dev/lubuntu-daily
sudo add-apt-repository ppa:gilir/q-project
sudo apt-get update
sudo apt-get install lxqt-metapackage

Para mais informações e artigos sobre como instalar em outras distros você encontra na página oficial do LXQT. 

Até a próxima!

Interface Australis finalmente chega ao Firefox

Nenhum comentário

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Depois de muito tempo navegador ganha uma interface remodelada e mais moderna

A interface Australis do Firefox é quase como o Chinese Democracy do Guns 'n Roses, parecia um mito que jamais aconteceria, mas ao contrário do álbum cagado do Guns a interface Australis parece ser algo muito bom!


A atualização deverá vir automaticamente nos repositórios das distribuições Linux, o meu Ubuntu 14.04 LTS recebeu a atualização ontem à noite então resolvi fazer um pequeno vídeo para descobrirmos juntos as novidades da nova versão do navegador, confira:




Mais informações e download para todos os sistemas operacionais você encontra no site da Mozilla.

Até a próxima, compartilhe! =)

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Use a interface Metro do Windows no Google Chrome/Chromium

2 comentários

sábado, 17 de agosto de 2013

Quase as mesmas funcionalidades do Windows Metro para gerenciar os seus webapps

Você gosta do estilo "Metro" do Windows 8? Que tal usar o padrão organizacional dos "Tiles" no seu Google Chrome.

Interface Metro no Google Chrome

A interface é realmente idêntica ao Windows 8 até mesmo mesmo os Tiles animados, possibilidade de configuração de data e hora, configurando tudo certinho virá um sistema operacional completo.
É uma boa dica caso você deseje criar uma sessão Chrome OS no seu Desktop como ensinamos neste artigo.

Boas opções

A Extensão para o Google Chrome possui muitas funções interessantes e praticamente as mesmas funcionalidades da interface no Windows.



É possível configurar "os quadradinhos" aumentando o tamanho, excluindo e até mesmo modificando o seu ícone e também é possível mudar as cores da seleção.


É possível também criar novos "Tiles" e restaurar o padrão, é possível modificar o nome de usuário que aparece no canto superior direito, atribuir um nick name e mudar a foto.


E claro, também é possível reorganizar o os "Tiles" da maneira que você desejar.

Para instalar no seu Google Chrome clique aqui, faça o teste e nos diga o que achou, fica até melhor que o Windows mesmo, fala a verdade!

Até uma próxima!

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Instalando o DDE no Ubuntu - O ambiente gráfico do Linux Deepin

3 comentários

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Cansado dos ambientes tradicionais, que tal radicalizar um pouco!

Ambientes gráficos para Linux é o que não falta, no caso do Ubuntu a maioria está no repositório, até mesmo o Cinnamon agora pode ser instalado diretamente pela Central de Programas sem precisar adicionar nenhum PPA.

Linux Deepin


Mas se mesmo assim os ambientes gráficos disponíveis não te agradam hoje vamos mostrar mais uma opção para você, o DDE ( Deepin Desktop Enviroment ).

Linux Deepin

O Linux Deepin é uma distro Chinesa baseada no Ubuntu com um desktop e aplicações desenvolvidas pelo próprio projeto com foco no usuário normal do computador, a última versão do Deepin combina elementos do Windows 8, Mac OS e do próprio Gnome e Unity para tentar tornar a experiência desktop a melhor possível, muito se elogia também a Central de Programas que a distro carrega, alguns apontam a assim chamada, Deepin Software Center, como a melhor Central de Programas dos sistemas Linux. Você pode ver como instalar ela neste e link ( se você usa o Ubuntu 13.04 instalando usando o PPA que vamos mostrar daqui a pouco)  e você consegue mais informações inclusive os links para download da distro por aqui.

Deepin Desktop


Como instalar o ambiente gráfico do Linux Deepin no Ubuntu

Mãos a obra, o processo de instalação não é muito difícil mas requer atenção, então vamos lá, abra o terminal e cole os seguintes comandos:
sudo gedit /etc/apt/sources.list
No final do arquivo que se abrir cole as duas linhas logo abaixo:
deb http://packages.linuxdeepin.com/deepin raring main non-free universe
deb-src http://packages.linuxdeepin.com/deepin raring main non-free universe
Agora vamos importar a chaves do repositório:
wget http://packages.linuxdeepin.com/deepin/project/deepin-keyring.gpg
gpg --import deepin-keyring.gpg
sudo gpg --export --armor 209088E7 | sudo apt-key add -
sudo apt-get update
E agora finalmente instale o ambiente gráfico:
sudo apt-get install dde-meta-core
A partir de então a instalação do Ambiente gráfico se dará, você irá baixar por volta de 440 MB de dados para instalar esse ambiente. Depois que terminar basta fazer logoff e na tela de login selecionar a opção "Deepin".

Interface do Linux Deepin no Ubuntu


Com o mesmo repositório você será capaz de instalar outros softwares da distro:
Para instalar uma Central de Configurações do Ambiente DDE ( recomendado )
sudo apt-get install python-deepin-gsettings 
Para instalar o Player de música desenvolvido pela equipe do Deepin Linux ( Opcional ) 
sudo apt-get install deepin-music-player 
Para instalar a nova Central de Programas do sistema ( Opcional )
sudo apt-get install deepin-software-center
A interface é feito com base no Gnome Shell, mas em muito pouco lembra ele, acho até que ficou mais bonita. Vale também lembrar da vantagem de instalar o ambiente gráfico sobre o Ubuntu, dessa forma você pode ter o sistema em qualquer idioma (português inclusive ), baixando a distro Deepin você terá ela apenas em inglês ou chinês, as únicas aplicações que devem continuar em inglês mesmo que instaladas no Ubuntu são as que provem do repositório do Deepin.

É isso aí pessoal, bom divertimento!

 Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

KDE 4.10.1 lançado corrigindo mais de 100 bugs | Tutorial de instalação

2 comentários

terça-feira, 5 de março de 2013

Nova versão do KDE liberada!

Os desenvolvedores do KDE que anunciaram no mês passado o lançamento da versão 4.10 de um dos ambientes gráficos mais bonitos e funcionais da informática, hoje lançam um pack com a correção de mais 100 bugs relatados pelos usuários.

KDE 4.10.1


Para deixar o seu KDE mais estável você pode instalar a nova versão, para isso vamos adicionar um PPA - se você não sabe o que é um PPA e nem como usar, leia este artigo antes e depois volte aqui - abra o seu terminal e mãos à obra:

sudo add-apt-repository ppa:kubuntu-ppa/backports 
sudo apt-get update 
sudo apt-get upgrade
Caso você já tenha este PPA adicionado anteriormente, você não precisa repetir, as atualizações devem chegar em breve, basta dar um update e depois um upgrade. Caso você queira voltar a versão anterior do KDE, use os comandos abaixo:

sudo apt-get install ppa-purge 
sudo ppa-purge ppa:kubuntu-ppa/backports

Até a próxima!

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Junior Formagini 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

YouTube pode começar a cobrar para você assistir vídeos

Nenhum comentário

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Google está desenvolvendo um novo método de trabalho

O YouTube um dos sites mais famosos do Google está pensando em aumentar as suas faturas cobrando para o usuário assistir determinados vídeos.
YouTube, estaria analisando a possibilidade de permitir que criadores de vídeos cobrem os espectadores para acessar o conteúdo, segundo fontes familiarizadas com as negociações. A decisão deve ser anunciada ainda este ano.

youtube-money

Deixa eu ver se eu entendi....

Agora eu vou ter que pagar para ver vídeos na internet?

Não!

A resposta é negativa, é bom analisar a notícia com calma, as informações foram tiradas da revista Época e é bom explicar, algo que nem eles souberam direito fazer, pesquisando um pouco mais por aí da pra entender a proposta clara do Google com este tipo de projeto.
Você não vai precisar pagar para ver vídeo, não bastassem já os comerciais que existem antes de cada vídeo ( se quiser aprender a burlar os comercias e demais propagandas online clique aqui ) e as vezes até no meio deles.
A ideia é competir com serviços de TV Streaming como o Netflix, fazer com que emissoras de televisão como a Globo façam upload de capítulos das novelas, por exemplo, e cobrem para o usuários poder ver, seria algo parecido com o Pay per View online.

Particularmente, acho isso mais interessante para empresas que para os usuários, seria interessante poder assistir séries como o The Walking Dead em uma boa qualidade, acredito que o problema aqui no Brasil seria o preço, enquanto provavelmente lá fora iria ser cobrado uma taxa de 2 dólares ( pura suposição) , aqui iriam ser uns 12 reais por episódio.

E você leitor o que pensa a respeito do YouTube cobrar pelos vídeos?


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 


Os melhores applets para Cinnamon

Nenhum comentário

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Linux Mint 14 lançado cheio de novidades, mas ainda podemos incrementá-lo ainda mais

Usando alguns applets, para quem não sabe applets são mini aplicativos, lançadores, atalhos que melhoram a produtividade no desktop no Linux Mint e de qualquer outra distro que use o Cinnamon.

Gerenciando os Applets no Cinnamon


Clique no ícone de configurações do painel e depois em Applets

A janela abaixo vai aparecer


Brilho

Nossa primeira sugestão de Applet é o controlador de brilho, ele já vem instalado por padrão no Linux Mint bastando você procurá-lo pelo menu e acidionar.






Indicador de Caps/Num Lock

Esta é em especial para notebooks que não tem indicadores de LED para as teclas Lock, é um dos mais úteis de todos. Pode ser útil também caso você não queira ter que ficar olhando par ao teclado para verificar se alguma está ativada.


Este Applet não está disponível nativamente mais vocÊ pode instalá-lo usando os seguintes comandos:

  • wget http://goo.gl/44rlN -O Caps-Num-Lock.zip
  • unzip -q Caps-Num-Lock.zip -d ~/.local/share/cinnamon/applets
E então use a janela de gerenciamento de Applets para habilitá-lo.

Botão de desligar

Este Applet permite que possamos desligar, reiniciar, encerrar a sessão, suspender etc...


Este útil Applet também não está disponível nativamente e você deve instalá-lo usando estes comandos

  • wget http://goo.gl/9m3Yd -O Shutdown.zip
  • unzip -q Shutdown.zip -d ~/.local/share/cinnamon/applets

Captura de tela

Uma maneira muito prática de se tirar screenshots do desktop e com alguns recursos muito legais,  como poder selecionar uma determinada área para a captura, não pode falar num desktop de quem gosta de mostrar a aparência do seu desktop e para quem faz tutoriais.


Instale usando estes comandos:

  • wget http://goo.gl/zA5zx -O Screenshot.zip
  • unzip -q Screenshot.zip -d ~/.local/share/cinnamon/applets
Lançador do Virtual Box

Se você costuma virtualizar sistemas com o Virtual Box, este Applet vai tornar as coisas mais rápidas



Para instalar use os comandos abaixo:

  • wget http://goo.gl/b3xZB -O Virtualbox-Launcher.zip
  • unzip -q Virtualbox-Launcher.zip
  • mv cinna*vbox*/vboxla* ~/.local/share/cinnamon/applets

Indicador de TouchPad

Para quem usa Net/Notbook este Applet permite que você habilite/desabilite o touchpad.




Para instalar use os comandos:

  • wget http://goo.gl/R7BqP -O Touchpad-Indicator.zip
  • unzip -q Touchpad-Indicator.zip -d ~/.local/share/cinnamon/applets
Botão de reiniciar o Cinnamon

Para fazer uma alteração de tema completa ou alguma modificação na interface é necessário reiniciar o Cinnamon, este Applet vai facilitar a sua vida


Para instalar usaremos os seguinte comandos:

  • wget http://goo.gl/L5vGj -O Restart-Cinnamon.zip
  • unzip -q Restart-Cinnamon.zip -d ~/.local/share/cinnamon/applets

Notificação de e-mail do Gmail

Este Applet te notifica de novas mensagens no seu e-mail na conta Google

Para instalar este Applet no Linux Mint use os comandos:
  • wget http://goo.gl/skW6E -O Gmail-Notifier.zip
  • unzip -q Gmail-Notifier.zip -d ~/.local/share/cinnamon/applets
Depois de instalar você precisará editar um arquivo de texto colocando o seu e-mail e a senha, use o comando:
  • gedit ~/.local/share/cinnamon/applets/gmailnotifier@denisigo/settings.js

Monitor de Rede

Este Applet mostra o trafego de rede no seu Linux Mint



Para instalar usaremos os seguintes comandos:
  • sudo apt-get install vnstat vnstati 
  • wget http://goo.gl/T16P7 -O Network-Usage-Monitor.zip
  • unzip -q Network-Usage-Monitor.zip -d ~/.local/share/cinnamon/applets
Lembrando que em todos os passos, depois da instalação você deve adicionar os Applets como descrito logo no começo deste artigo, através do Menu configurações  ou Settings e na opção Applets.

A propósito, estes Applets funcionam no Linux Mint 13 LTS também.

Até a próxima galera.

Fonte


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 


Confira:
Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo