Home » kernel

Ubuntu 16.04.2 LTS lançado, veja como instalar as melhorias

A Canonical liberou nesta semana a nova atualização para o Ubuntu 16.04 LTS, recebendo assim a numeração de 16.04.2. Existem algumas observações para serem feitas quanto a sua atualização, especialmente quando se refere ao Kernel, saiba mais:

16.04.2 LTS





Para quem não sabe muito bem como funciona, o Ubuntu tem lançamentos semestrais, ou seja, a cada seis meses sai uma nova versão, sendo que de dois em dois anos saem as versões LTS (Long Term Support). As versões LTS podem ser consideradas as versões estáveis do sistema, enquanto as versões intermediárias são lançamentos onde, normalmente, novas tecnologias são testadas. A versão 17.04, que sai no próximo mês de Abril, é um exemplo disso, nela serão testadas algumas atualizações para o Unity 8, a nova interface gráfica do Ubuntu.

Por conta destes fatores, normalmente as versões LTS são as escolhidas pelos usuários para missões críticas, trabalho, produtividade e relacionados. São elas também que normalmente são utilizadas em servidores, tanto por quem é cliente da Canonical, quanto por quem não é.

Versões LTS recebem atualizações constantes durante um prazo de 5 anos, enquanto as versões non-LTS recebem atualizações por cerca de 8 a 9 meses; mais um motivo para que os usuários que usam o Ubuntu para trabalhar escolham as versões com suporte extenso.

Mas o que significa este suporte (LTS)?


O suporte LTS significa que os usuários receberão atualizações de segurança e de software por um período de 5 anos, entretanto, isso não significa, em termos de software, que as atualizações serão sempre para a última versão disponível e sim para uma próxima versão considerada estável. Até mesmo o Kernel normalmente vai respeitar a versão LTS, recebendo atualizações dentro de sua própria versão.

Você pode contornar isso utilizando repositórios PPA para uma determinada aplicação que você deseja que esteja em uma versão mais recente ou utilizando um pacote Snap para a mesma, existem várias formas de contornar a questão, entretanto, nem todas as aplicações ficarão defasadas com o tempo, por questão de segurança, navegador de internet e aplicações com acesso à rede normalmente estão em suas últiamas versões. Lembre-se a estabilidade vai contra a novidade, dificilmente um software mais recente vai ser tão estável quanto um mais antigo e que teve maior tempo para ser debugado, um ótimo exemplo disso é o Debian Stable.

O que há de novo na versão 16.04.2 LTS?


Conforme o tempo passa, muitas atualizações e correções são feitas. Para evitar que os usuários que baixarem o Ubuntu 16.04 LTS precisem baixar tantas atualizações, a Canonical vai lançando novas compilações da ISO com as atualizações e melhorias já incorporadas, assim nascem essas releases com um terceiro número, como 16.04.1, 16.04.2, etc. É como se fossem os Services Packs do Windows.

Essas atualizações normalmente trazem versões mais recentes de uma série de programas e eventualmente, novos recursos para o sistema em si, mas um grande diferencial é a atualização do Kernel Linux, dando assim mais suporte para novos hardwares e mais desempenho em algumas situações.

As principais novidades do Ubuntu 16.04.2 LTS são a adição do Kernel Linux 4.8.x, Mesa Driver 12, e melhorias intensas no suporte de hardware, além da possibilidade da utilização do Kernel Ubuntu HWE (Hardware Enablement) e de correções de bugs menores.

Como atualizar para o Ubuntu 16.04.2 LTS?


Se você está rodando outro sistema operacional ou outra versão do Ubuntu que não seja a LTS atual (16.04), minha recomendação é formatar e instalar ela do zero, porém, se você já é um usuário do Ubuntu 16.04 LTS, assim como eu, você só precisa atualizar o sistema normalmente e você estará nesta versão.


Use o aplicativo "Atualizador de programas" para atualizar o sistema.

Ou use o terminal:
sudo apt update && sudo apt dist-upgrade

Esse comando não vai mudar a versão do seu Kernel, o Ubuntu vai continuar utilizando o Kernel LTS, ou seja o 4.4.x, que vai receber atualizações de segurança até o fim dos 5 anos de suporte do Ubuntu.

Se você deseja utilizar um Kernel mais recente dentro da LTS, poderá utilizar o Kernel HWE, que acrescenta pacotes novos de drivers de vídeo e de suporte para novos componentes de hardware, é ideal para quem tem computadores muito novos ou equipamentos recém lançados.


Antes de atualizar o Kernel de uma versão para outra, eu recomendo remover os eventuais drivers proprietários que você tenha, especialmente os de vídeo e de wifi, assim você evita conflitos.

Para atualizar para o Ubuntu 16.04.2 LTS com o Kernel HWE você precisa rodar estes comandos:
sudo apt-get install --install-recommends xserver-xorg-hwe-16.04
sudo apt-get upgrade
O primeiro comando direcionada para uma nova versão do X que puxara por dependência o restante dos pacotes.

Este recurso não é experimental, ele vem sendo utilizando desde o Ubuntu 10.10 para trazer suporte extendido para os lançamentos do Ubuntu, fazendo com que mesmo LTS antigas, como o Ubuntu 12.04.5 LTS, que ainda está em atividade (no final dela, inclusive), possam rodar em computadores lançados "mês passado", contudo, uma mudança de Kernel é sempre algo muito sensível, então minha recomendação em linhas gerais é somente atualizar em caso de necessidade, falta de reconhecimento de hardware ou caso você seja entusiasta e principalmente, se você sabe o que está fazendo.

Kernel Update

A diferença dos pacotes de Kernel 


Como isto é algo que considero importante, acho que colocar mais algumas informações à respeito quem podem te ajudar a decidir qual caminho você quer seguir.

O Kernel padrão do Ubuntu chama-se General Availability ou simplesmente GA, os pacotes deste Kernel constumam se manter dentro dos lançamentos do LTS ao qual pertencem, no caso o 4.4, com variações seguindo o seguinte exemplo nomenclatura:
linux-image-4.4.0-21-generic (Kernel Padrão)
ou
linux-image-4.4.0-21-lowlatency (Kernel de baixa latência)
O Kernel HWE tem a seguinte nomenclatura:
linux-headers-generic-hwe-16.04 (Kernel padrão com Hardware Enablement)
ou
 linux-headers-lowlatency-hwe-16.04 (Kernel de baixa latência com Hardware Enablement)
Para mais informações sobre o HWE consulte a Wiki do Ubuntu. 


Alterantivamente, quem deseja manipular versões diferentes do Kernel Linux no Ubuntu de forma gráfica e fácil, pode usar o UKUU (Ubuntu Kernel Update Utility), assim você pode usar a versão do Kernel que bem entender.

Outras variações do Ubuntu também receberam a nova atualização, o procedimento para atualizar é o mesmo em todas e você também pode baixar as ISOs completas através dos links abaixo:

Kubuntu 16.04.2 LTS
Ubuntu GNOME 16.04.2 LTS
Ubuntu MATE 16.04.2 LTS
Xubuntu 16.04.2 LTS
Lubuntu 16.04.2 LTS


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Bug com 5 anos de existência é descoberto no Kernel Linux, atualize seu sistema!


Um novo bug no Kernel Linux foi descoberto por um pesquisador chamado Philip Pettersson, ele conseguiu criar um exploit para ganhar o acesso root no Shell do Linux explorando uma falha no código do programa.


Kernel Linux bug




Segundo as informações, este bug existe no Kernel Linux há 5 anos sem que tivesse sido explorado até então, ele afeta praticamente todas as distros Linux, incluindo Ubuntu e Red Hat.

Esta vulnerabilidade do kernel Linux ( CVE-2016-8655 ) que remonta a 2011 foi divulgada nesta semana, ela pode permitir que um usuário local não privilegiado possa acessar como root através da exploração de uma condição da implementação do af_packet no kernel do Linux.

Philip Pettersson, o pesquisador que descobriu a falha, foi capaz de criar um exploit para ter acesso root em um Ubuntu 16.04 LTS (Kernel 4.4), você pode ler o log do bug detalhadamente nesta página.

O Kernel 4.9, que foi lançado recentemente, já está saindo com este bug corrigido, para outras distros que usam versões diferentes, como o próprio Ubuntu com Kernel 4.4 LTS, vale a pena manter o sistema atualizado, pois a Canonical corrigiu o problema através de patches de segurança também.

Independente da distribuição que você use, vale a pena sempre manter o sistema atualizado, assim você evita problemas.

OBS: Curioso que sempre junto com a notícia do bug vem a notícia da correção dele, não é? 

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Conheça o Ukuu - Ubuntu Kernel Update Utility

Quem procura uma ferramenta gráfica para manipular o Kernel do Ubuntu acaba de encontrar uma ótima ferramenta, o Ukuu (Ubuntu Kernel Update Utility), assim você pode ter sempre a última versão do Kernel Linux no seu sistema sem muitos problemas.

Ubuntu Kernel Update




Existem algumas distribuições que criaram soluções próprias para isso, como o Manjaro Linux e o Linux Mint, que possuem um instalador gráfico de Kernel, para o Ubuntu, isso não era uma função tão à mão assim, apesar de também ser possível fazer essa manipulação de uma forma mais manual.


Além da opção de atualizar manualmente, há também este script que mantém o seu Kernel no Ubuntu sempre na última versão, entretanto, o script não permite uma manipulação individual de versões, coisa que o Ukuu permite, vamos conhecer melhor a aplicação.

Ukuu - Ubuntu Kernel Update Utility


Kernel Ubuntu

O Ukuu é um utilitário para o Ubuntu que permite manipular as versões do Kernel Linux que vem diretamente o repositório Mainline do Ubuntu, ou seja, ele não vem do kernel.org isso garante uma melhor compatibilidade com o sistema, já que o Kernel do Ubuntu contém drivers e otimizações feitos especialmente para a plataforma. 

Como instalar o Ukuu no Ubuntu?


O Ukuu é distribuído via repositório PPA, então você pode usar os comandos abaixo ou instalar via interface gráfica, aqui vão algumas dicas caso você não goste de usar o terminal:



Ou, se você preferir o terminal:
sudo apt-add-repository -y ppa:teejee2008/ppa 
sudo apt-get update 
sudo apt-get install ukuu
Depois da instalação você encontra o Ukuu no menu do seu sistema, vamos falar agora de como ele funciona e de algumas funções legais que ele tem também.

Ubuntu Kernel Update Utility

Ao abrir a aplicação, você verá uma série de versões diferentes do Kernel aparecendo ali para que você pode escolher, as versões também possuem um status:

Running: Significa que o Kernel está em execução.

Installed: Significa que o Kernel está instalado mas não está rodando no momento, sendo possível acessá-lo através do GRUB.

Você deve ter reparado também que existem logos do Ubuntu e do Tux antes da versão de cada Kernel, os que possuem os logos do Ubuntu são Kernels que são instalados pelas atualizações padrão do Ubuntu, os que possuem um Tux são os que são instalados através do Ukuu.

Para instalar o Kernel que você deseja, como a última versão disponível, basta clicar no Kernel que você deseja e clicar em "Install", então é só aguardar o processo.

Kernel Update

Depois de instalado, para usar o novo Kernel será necessário reiniciar o computador.

Vamos explorar um pouco mais...

Clicando em "Settings" na aplicação, nós teremos acesso a mais algumas opções que podem ser interessantes.

Configurações do Ukuu

Você pode configurar aqui as notificações de novas versões do Kernel e mais abaixo temos duas opções interessantes, esconder as versões RC (Release Candidates) do Kernel Linux do Ubuntu a opção de esconder versões do Kernel abaixo da 4.0, caso você queira utilizar estas versões, basta configurar aqui.

Bacana né, estou utilizando a aplicação e instalei o Kernel 4.7 para testar nela e está funcionando corretamente.

Use com cuidado e até uma próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Como instalar o Kernel Liquorix facilmente no Ubuntu para otimizar o sistema

Muitas pessoas buscam formas de otimizar seus sistemas para que o desempenho sempre se sobressaia, o Kernel (o núcleo) do sistema, é um dos principais fatores sob este aspecto. Hoje você vai conhecer o Liquorix, um Kernel otimizado para desktop, multimídia e games.

Liquorix Kernel




O Liquorix Kernel é compatível com qualquer distribuição Linux, ele é basicamente uma otimização do Kernel Linux através de um Patch que otimiza o desempenho da máquina, ou pelo menos tem esta proposta.

No site oficial você encontra informações sobre quais são os recursos do Kernel Liquorix e ainda um tutorial para instalação no Debian Sid, há também um link para o repositório do Arch Linux, onde também é possível instalar essa versão do Kernel. O Liquorix é feito por um dos mantenedores do Zen Kernel.
- Principais recursos do Kernel Liquorix
Como o blog tem foco no Ubuntu, vamos aprender a fazer a instalação na distribuição, provavelmente o funcionamento será o mesmo nos derivados do sistema, para outras distros consulte o site oficial.

No Ubuntu, abra o terminal e cole os seguintes comandos, um após o outro:
echo "deb http://liquorix.net/debian sid main" | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/liquorix.list
echo "deb-src http://liquorix.net/debian sid main" | sudo tee -a /etc/apt/sources.list.d/liquorix.list
sudo apt-get update
sudo apt-get install '^liquorix-([^-]+-)?keyring.?'
Depois de adicionar o repositório basta instalar o Kernel, neste caso, depende da arquitetura do seu processador:

32 bits 
sudo apt-get install linux-image-liquorix-686 linux-headers-liquorix-686
32 bits com PAE
sudo apt-get install linux-image-liquorix-686-pae linux-headers-liquorix-686-pae
64 bits
sudo apt-get install linux-image-liquorix-amd64 linux-headers-liquorix-amd64
Por garantia, atualize o GRUB:
sudo update-grub
Depois disso, reinicie o computador e você já estará utilizando o Kernel Liquorix.

Como remover o Kernel Liquorix do Ubuntu


O primeiro passo é reiniciar e entrar no sistema por outro Kernel através do menu do GRUB, se você tiver dúvidas sobre como fazer isso, confira esta vídeo aula onde nós mostramos o modo de recuperação do Ubuntu

Depois de iniciar o sistema com o Kernel antigo, é hora de remover os pacotes, você pode fazer através do terminal.

32 bits 
sudo apt-get remove linux-image-liquorix-686 linux-headers-liquorix-686
32 bits com PAE
sudo apt-get remove linux-image-liquorix-686-pae linux-headers-liquorix-686-pae
64 bits
sudo apt-get remove linux-image-liquorix-amd64 linux-headers-liquorix-amd64
O próxima passo é remover o repositório. Abra o menu do sistema e procure pelo aplicativo "Programas e atualizações" e na aba "Outros programas" remova o repositório Liquorix.

Liquorix repositório

Depois de remover, clique no botão "Fechar" e atualize a lista de repositórios e para garantir, atualize o GRUB:
sudo update-grub
Bons testes para você, se você sentir uma diferença bacana conte pra gente através dos comentários, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 14 de julho de 2016

Kernel Linux 4.6 chega com melhorias para evitar aquecimento em notebooks

Linus Torvalds liberou uma nova versão do Kernel Linux com várias melhorias interessantes, especialmente para quem tem alguns modelos específicos de notebooks, saiba maiores detalhes:

Kernel Linux 4.6



O Kernel Linux 4.6 chegou com várias modificações, segundo Linus Torvalds, este lançamento foi um dos que tiveram uma maior quantidade de contribuições e modificações. O que trouxe várias coisas interessantes para o software.

Usuários finais deverão perceber um melhor controle de temperaturas em notebooks, corrigindo um bug sério que acontecia em alguns modelos da Lenovo. Esta versão do Linux também melhora o suporte para Notebooks da Dell e inclui suporte completo para a linha gamer da Alienware.
Veja também: Alienware volta ao Brasil com computadores incrivelmente caros
O Kernel 4.6 também melhora o suporte para dispositivos embarcados e com tecnologia ARM, incluindo suporte para arquitetura de 64 bits para a mesma. 
Conheça também: O DuZeru Kernel Install
Há também suporte para a nova linha de processadores Power9, normalmente utilizado em servidores High-End.

Drivers da AMD novos também fora incluídos para melhorar o suporte para os chips gráficos e houve também uma ampliação da compatibilidade com drivers de rede.

Você pode encontrar mais informações sobre o lançamento da versão 4.6 do Kernel Linux no anúncio oficial de Linus Torvalds.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 24 de maio de 2016

AMD liberá o código da nova linha de GPUs Polaris para melhorar o driver aberto AMDGPU

A nova geração de processadores gráficos da AMD está sendo chamada de "Polaris" e em breve ela terá suporte nativo do Kernel Linux, possivelmente antes mesmo de seu lançamento algumas linhas de código já sejam inclusas no Kernel a fim de ter o suporte garantido quando o hardware for lançado.

AMD Linux




No momento alguns Patches estão disponíveis para aplicação no Kernel Linux para trazer suporte para a linha Polaris. Estas placas deverão sair mais ou menos no meio deste ano, a inclusão oficial do suporte da tecnologia Polaris no Kernel Linux deverá acrescentar cerca de 67 mil linhas de código ao núcleo.
Leia também: Comparativo de desempenho entre placas Nvidia e AMD no Linux
O suporte nativo através do Kernel e do driver open source AMDGPU deverá ser padrão no Kernel Linux 4.6 ou mais tardar, no Kernel 4.7. Apesar do suporte da AMD ainda deixar a desejar é bom saber que ele estão pensando no suporte para Linux da próxima geração um bom tempo antes dela ser lançada, isso, em tese, poderá fazer com que o desempenho nas placas AMD no Linux melhore consideravelmente, ou que pelo menos eles tenham tempo de otimizar os drivers.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 28 de março de 2016

Kernel Linux 4.5 traz melhorias para driver AMDGPU

Linus Torvalds liberou a nova versão do Kernel Linux, a versão 4.5 traz algumas novidades interessantes, especialmente para donos de placas de vídeo da AMD.

Kernel Linux 4.5 AMDGPU



A nova versão do Kernel traz uma boa notícia para os usuários da AMD, como você deve ter ficado sabendo o suporte para drivers proprietários for cortado pela empresa, obrigando os usuários que quiserem usar distribuições mais atualizadas a usar o driver open souce, o AMDGPU.
- Como instalar qualquer versão do Kernel Linux no Ubuntu
Ontem nós postamos uma matéria com os benchmarks comparando o driver proprietário com o driver open source em games e pudemos observar que em linhas gerais o AMDGPU (open source) ainda não oferece a mesma qualidade, porém, felizmente aos poucos ele vai melhorando. Com o lançamento no Kernel Linux 4.5 teremos uma melhora neste sentido.

Na versão 4.5 do Kernel foi adicionado suporte experimental para Powerplay no AMDGPU, isso deve melhorar a gestão de energia para quem usa placas AMD em Noteobooks e também melhorar um pouco o desempenho em jogos. Além da otimização do driver AMD, a nova versão do Kernel melhora o suporte de escalabilidade do sistema de arquivos Btrfs.

Saiba mais no site do Kernel.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 18 de março de 2016

As 9 principais novidades do Kernel Linux 4.4

Os drivers do Kernel Linux 4.4 irão tornar o Kernel ainda mais compatível com os dispositivos atuais, o lançamento deverá acontecer em breve, ele ainda está em fase RC no momento em que esta matéria é escrita.

G29
G29 agora roda no Linux nativamente sem necessidade de driver adicional

Nova versão do Kernel trará suporte a uma ampla gama de novos hardwares


O novo Kernel traz grandes e boas novidades especialmente se você tiver um hardware bastante recente, estas são as 9 principais modificações nesta versão do Kernel:

1 - Suporte para o novo chipset de som da Intel Lewisburg;

2 - Suporte melhorado para processadores Skylake, JoyStick G29 e teclados da Corsair Vengeance K90;

3 - Suporte para o controle remoto da Google Fiber TV;

4 - Melhora do suporte para Notebooks da Toshiba;

5 - Aprimoramentos para máquinas virtuais do tipo KVM em arquiteturas x86;

6 - Novas rotinas de atualização para o sistema de arquivos XFS;

7 - Mais de 2400 patches de correções de bugs menores a partir da versão passada;

8 - Correção de criptografia para sistemas de arquivos Ext4

9 - Melhora no suporte para RAID0 com sistema de arquivos Btrfs.

Em breve o Kernel estará disponível diretamente no site kernel.org, se você usa o Ubuntu veja aqui como instalar qualquer versão do Kernel Linux no sistema.
___________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Linus Torvalds critica trecho de código do Kernel Linux com palavrões

Esse cara me diverte, sério, além de ter criando o núcleo de sistema mais popular do mundo, ter ganho uma boa grana, ele ainda parece revisar o código do Kernel Linux antes de uma release realmente, e isso bom... isso não é bom para quem faz "merdinha".

Linus Torvalds não gosta de código arbitrário

Linus Torvalds não gosta de código arbitrário


O peso sobre os ombros da equipe do Kernel Linux é enorme, quantas empresas mundo à fora dependem da eficiência do núcleo criado por Linus Torvalds para operar diariamente? Com certeza muitas, por isso cada lançamento do Kernel Linux é algo que Linus dá uma grande importância, e ele não gosta de código ruim. Ele postou a seguinte resposta para um código que apareceu no Kernel 4.3.


Jesus Cristo, gente. Que m*rda é essa?
O conflito que eu vejo é devido a uma b*sta estúpida no novo arquivo cabeçalho gcc. Mas o que me deixa irritado é que isso tem motivos completamente ridículos.
Este é o código antigo em net/ipv6/ip6_output.c:
mtu -= hlen + sizeof(struct frag_hdr);
e este é o novo código “melhorado”, usando coisas que exigem suporte embutido e mágico no compilador, e tem funções wrapper [cujo principal propósito é chamar outra função] ridículas para quando ele não existir:
if (overflow_usub(mtu, hlen + sizeof(struct frag_hdr), &mtu) ||
mtu <= 7)
goto fail_toobig;
qualquer pessoa que achar que o código acima é (a) legível (b) eficiente (mesmo com o suporte mágico no compilador) (c) particularmente seguro é simplesmente louco e incompetente.
O código acima é uma m*rda, e gera código que é m*rda. É ruim e não tem nenhuma razão de ser.
O código poderia *facilmente* ter sido feito com apenas um condicional único e compreensível, e o compilador na verdade teria gerado código melhor, e o código ficaria melhor e mais compreensível. Por que isso não é:
if (mtu < hlen + sizeof(struct frag_hdr) + 8)
goto fail_toobig;
mtu -= hlen + sizeof(struct frag_hdr);
que tem o mesmo número de linhas, não usa funções auxiliares malucas que ninguém sabe o que fazem, e é muito mais óbvio sobre o que realmente faz? Eu garanto que a segunda versão é mais óbvia e mais fácil de ler e entender. Alguém realmente quer discordar disso?
Sério. Deem para mim *um* motivo pelo qual isso foi escrito dessa forma idiota com dois condicionais diferentes, e uma nova função fora do padrão que quer suporte especial no compilador para gerar um código pior? Uma função brilhante da qual jamais precisamos em qualquer outro lugar, e que é apenas masturbação de compilador.
E sim, você ainda poderia ter problemas de overflow com a expressão “hlen + xyz”, mas, francamente, o código “overflow_usub()” tinha isso também. Então, se você se preocupa com isso, você não fez a coisa certa para começo de conversa.
Então eu realmente não vejo nenhuma razão para este tipo de lixo completamente imbecil.
Diga-me porquê. Afinal, eu não vou autorizar este tipo de coisa completamente insana que gera conflitos no Release Candidate 7, e que parece não ter absolutamente nenhuma razão para ser uma bagunça ilegível e idiota.
O código parece *projetado* para usar esse novo “overflow_usub()”. Parece ser uma desculpa para usar essa função.
E é uma desculpa ruim para c*****o para essa lesão cerebral.
Sinto muito, mas nós não adicionamos novas interfaces idiotas como esta para código novo e idiota assim.
Sim, sim, se isso tivesse ficado dentro da camada de rede, eu nunca teria notado. Mas dado que eu *notei*, eu realmente não quero aprovar isso. Na verdade, eu quero deixar claro para *todo mundo* que um código como este é completamente inaceitável. Qualquer um que pensa que um código como este é “seguro” e “protegido” porque usa funções de detecção de overflow está tão maluco que não é nem engraçado. Tudo o que essa b*sta faz é tornar o código uma confusão ilegível, algo que nenhuma pessoa em sã consciência vai entender o que realmente faz.
Livrem-se disso. E eu *nunca* mais quero ver essa m*rda de novo.
Linus

Eis o controle de qualidade do Kernel Linux. xD

Veja também: 13  frases épicas de Linus Torvalds

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 3 de novembro de 2015

Lançado Kernel Linux 4.3 com 7 novidades importantes

A cada lançamento, mais melhorias e adição de novos recursos. Nesse lançamento, as melhorias ocorrem fortemente nos drivers de vídeo open source e no desempenho do SMP.


Lançado kernel 4.3


O kernel Linux 4.3 foi lançado em sua versão estável no dia 01/11/2015. Nesse lançamento, o kernel Linux 4.3 trás suporte ao Intel Skylake, retrabalharam no suporte aos drivers de vídeo open source da NVIDIA, e muitas outras mudanças no código, totalizando 20.6 milhões de linhas de código.

Basicamente, as melhorias neste lançamento, foram:

- O Intel Skylake (nona geração) é habilitado por padrão. 

- Suporte inicial a drivers de vídeo open source AMD R9 Fury "Fiji" (apesar que esse suporte inicial não possui gerenciamento de energia / reclock. Então o desempenho ainda é bastante baixo, como já abordamos sobre o assunto no artigo em que colocam os drivers open source a prova.) É necessário estar com o Mesa 11.0+ para uso dos gráficos acelerados AMDGPU. 

- Um grande retrabalho no driver DRM Nouveau para suporte a placas de vídeo da Nvidia. Algumas melhorias feitas também para Reclock, seleção de GPU e dentre outras alterações (apesar de não aparentar nenhuma melhoria em desempenho). 

- Suporte a OpenGL 3.3 no VMware. 

- O suporte ao sistema de arquivos EXT3 foi removido desde que o suporte ao EXT3 pode ser tratado pelo EXT4. 

- Correções no XFS, EXT4, F2FS e melhorias no Btrfs RAID 5/6. 

- Correções no TRIM e outras melhorias menores.

Linus afirma em seu e-mail que já está aberta a temporada de desenvolvimento do kernel 4.4. É esperado para o kernel 4.4 melhorias na parte AMDGPU, ter aceleração 3D no VirGL para o QEMU guest VM, melhorias no Reclocking Nouveau para os GPUs da Nvidia, suporte ao Snapdragon 820 e dentre outras melhorias e adições de recursos.

Para baixar a nova versão do kernel, clique no link abaixo:

 link para o kernel 4.3

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Como instalar qualquer versão do Kernel Linux no Ubuntu manualmente

Conheça o repositório de Kernel Linux do Ubuntu onde você poderá baixar todas as versões que você desejar.

Kernel Ubuntu Download

Como baixar outras versões do Kernel do Ubuntu


O Kernel de um sistema operacional é uma parte muito sensível do mesmo, o Kernel é, para falar de uma maneira simples, a parte responsável por fazer a comunicação entre o hardware do seu computador e os programas que você utiliza diariamente.

A Canonical, empresa por traz do Ubuntu, mantém um imenso repositório de Kerneis Linux trabalhados por eles para rodar no Ubuntu, e hoje você vai aprender a acessá-lo e baixar os que você quiser.

Antes de falarmos sobre o download das versões do Kernel é importante que você entenda quando é necessário instalar uma versão nova e os prós e contras desta atitude.

Agora que você já tem um maior conhecimento sobre a situação, a instalação de novas versões se torna algo simples.

Você pode acessar o diretórios de Kerneis do Ubuntu, deste as versões mais antigas até as mais recentes, no Kernel Ubuntu Mainline, dentro dele você irá encontrar inclusive as versões que ainda estão sendo testadas.

Kernel Ubuntu

Vamos pegar para exemplo uma versão relativamente recente do Kernel Linux, modificado pela Canonical para o Ubuntu, o "Kernel 4.2 Wily", esta é a versão que vem juntamente com o Ubuntu 15.10 Wily Werewolf, de modo que se você usa o sistema nesta versão, esta será provavelmente a versão já instalada, porém, se você usa como eu o Ubuntu 14.04 LTS a versão do Kernel padrão será a 3.19 ou 3.16.

Para você entender como baixar uma versão do Kernel e instalar no seu computador, clique na pasta com o nome de v4.2.5-wily, dentro dela iremos encontrar os arquivos necessários para instalar o Kernel na versão 4.2.4.

Kernel Ubuntu

Preste bastante atenção nesta parte, são muitos arquivos contidos na pasta.

Tudo o que temos nesta pasta são instaladores .deb, destes que podemos instalar facilmente no Ubuntu dando dois cliques, porém existem arquiteturas diferentes e tipos de Kerneis diferentes.

Os que terminam com "amd64.deb" são arquivos para instalar o Kernel de 64 bits, na imagem acima estão marcados de vermelho, você precisa de dois pacotes assim, atenção para selecionar o Kernel do tipo "generic" e não o Kernel de baixa latência (low latency), explicamos a diferença entre os dois no vídeo: "Como funciona o Kernel Low Lantecy?".

Se você deseja baixar a versão de 32 bits, observe atentamente o final "i368.deb", da mesma forma que o Kernel de 64 bits é necessário baixar dois arquivos, na imagem acima eles estão destacados em verde.

Por último, independente de qual Kernel (32 ou 64 bits) você baixe, será necessário baixar o pacote com a terminação "all.deb", na imagem acima ele está indicado com uma seta.

Resumindo...


Para Kernel de 32 bits generic: Baixe os dois arquivos que terminam com "i386" e que tem a palavra "generic" em seu nome e o pacote que termina com "all.deb"

Para Kernel de 64 bits generic: Baixe os dois arquivos que terminal com "amd64" e que tem a palavra "generic" em seu nome e também o pacote que termina com "all.deb"

Para outras versões disponíveis do Kernel segue-se a mesma linha de raciocínio.

Antes da instalação


Para evitar problemas, se você usa drivers proprietários no seu computador remova eles, vá até o gerenciador de drivers do sistema e coloque o driver nativo do Kernel, o driver do Nouveau, como mostra a imagem abaixo. Basta selecionar o driver e clicar em aplicar.

Kernel Drivers

Fazendo a instalação


Para seguir com o nosso exemplo eu vou usar o Kernel de 64 bits, desta forma, vou baixar os três arquivos correspondentes e deixá-los dentro de uma pasta.

Como instalar um novo Kernel no Ubuntu

Instale primeiramente o pacote que terminal com "all.deb", para isso basta dar dois cliques e instalar pela Central de Programas do Ubuntu.

Kernel Ubuntu

Instale todos os pacotes desta forma da esquerda para a direita, depois de instalado, para usar o novo Kernel basta reiniciar o computador. Se quiser garantir que o GRUB reconheça o novo driver rode o comando no terminal:
sudo update-grub

Como remover um Kernel instalado manualmente


Caso ocorra algum problema você pode querer não usar mais esta versão do Kernel não é verdade? Para remover o Kernel o primeiro passo é logo na inicialização do sistema. Você precisa selecionar as opções avançadas na tela do GRUB, aquela tela que aparece logo que você liga o computador, se ela não estiver aparecendo fique pressionando a tecla "Shift" enquanto o computador  inicia.

Como remover o Kernel Ubuntu

Nas opções avançadas selecione um Kernel diferente do que você instalou para iniciar o sistema, basta selecionar um numa lista e pressionar "enter".

O sistema deverá iniciar normalmente. Instale o gerenciador de pacotes "Synaptic" no seu sistema, ele é mais poderoso que a Central de Prorgramas para manipular os programas. Clique no botão abaixo para instalar.

Se você não sabe usar o Synaptic muito bem, considere ver o vídeo onde ensinamos você a mexer nele. Depois de instalar o programa, abra ele pelo menu do Ubuntu.

Com o "Synaptic" aberto, você pode filtrar os pacotes por "Origem", do lado esquerdo, logo acima encontre a sessão "Local", na lista da direita encontre os pacotes do Kernel que você instalou, como mostrado no exemplo abaixo, clique com o botão direito sobre eles e clique em remover, depois basta clicar no botão "Aplicar".

Synaptic

Com isso você vai ter removido a versão do Kernel que você instalou, para garantir que o seu GRUB reconheça essa mudança, rode o comando abaixo no terminal:
sudo update-grub
Com isso você poderá instalar a versão que você quiser do Kernel Linux no Ubuntu, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Agora é a vez do kernel 3.10.91 LTS

Depois no anuncio de ontem sobre a atualização do kernel 3.4.110, ontem a noite foi anunciado mais atualizações.
Kernel Linux 3.10.91 LTS

Agora é a vez do kernel 3.10.91 LTS

Agora foi a vez de Greg Kroah-Hartman de anunciar o lançamento do kernel 3.10.91 LTS. De acordo com o que é dito por Greg, é uma atualização bem normal que não impressiona muito.Tem um pouco de tudo, começando com algumas correções nas arquiteturas ARM, ARM64, m68k, e MIPS, mais algumas melhoras nas plataformas PowerPC (PPC) e x86, e continuando com correções no perf, mm, som, e rede (a maioria voltada ao Netfilter). Você pode encontrar o código no GitHub.

Vários drivers receberam atualizações como InfiniBand, MD, MTD, GPU (DRM), Macintosh, networking, SPI, SCSI, e USB. Várias melhorias em filesystems também ocorreram, como no Btrfs, CIFS, e UDF filesystems. Como sempre, é aconselhado a usuários de distribuições e profissionais que vendem suporte em Linux que utilizam este kernel a atualizarem-no.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sábado, 24 de outubro de 2015

Kernel Linux 3.4.110 LTS chega com muitas atualizações de drivers e melhorias no EXT4

Parece estranho que em plena época em que vivemos onde temos o kernel na sua versão 4.x e estarmos anunciando uma nova versão do 3.4. Mas acompanhem aqui no Diolinux e vejam como funciona esse processo.

Kernel-3-4-110-LTS

Kernel Linux 3.4.110 LTS chega com muitas atualizações de drivers e melhorias no EXT4


O renomado desenvolvedor do kernel, Zefan Li, anunciou ontem sobre a disponibilidade imediata do centésimo primeiro lançamento do kernel 3.4 que é mantido como LTS. Todos os usuários que utilizam essa versão do kernel devem atualizá-lo.

Muitas mudanças aconteceram; desde rede (a maioria Ethernet, Ceph, Stream Control Transmission Protocol (SCTP), Bridge e Wireless), melhoria na arquitetura (melhorias no x86, ARM e no s390), aprimoramentos no som ( wm8737, wm8903, wm8955, and wm8960 drivers), a atualizações de drivers como ACPI (Advanced Configuration and Power Interface), Bluetooth, Crypto, DMA, GPU (a maioria Radeon), InfiniBand, MMC, MTD, PCMCIA, SCSI, TTY, USB, e Watchdog. Também foram obtidas melhorias nos filesystems EXT4, JBD2, NFS e FUSE.

Foram alterados no total de 81 arquivos, 252 foram inseridos e 255 excluídos.

Essas mudanças podem ser acompanhadas na arvore GIT.

Parece um anúncio estranho aqui no Diolinux desde que hoje temos versões mais atuais de kernel. A questão é que, mesmo tendo kernel em versão mais atual (como o 4.3 que está em seu sexto candidato a lançamento), não significa que outras versões anteriores sejam obsoletas. Quem já utilizou Red Hat Enterprise Linux por exemplo, sabe que sua ultima versão (7.1) é comercializada com o kernel 3.10.0-229 enquanto que a ultima versão do RHEL 6 (6.7) utiliza o kernel 2.6.32-573.

Existe uma lista de lançamento de kernels ativos pela comunidade no próprio site kerne.org que pode ser conferido em Active Kernel Releases.

Nessa lista pode-se conferir quem é o mantenedor, quais versões são mantidas pelos mantenedores, quando essas versões chegam ao fim da vida e muito mais. Então, não fiquem somente preso ao número da versão do kernel (o kernel 4.0 já chegou ao fim da vida enquanto o 3.4 ainda é mantido ;). Espero que este artigo tenha sido uma boa forma de agregar conhecimento além de divulgar a noticia.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Matthew Garrett cria fork do kernel Linux

E mais um integrante da equipe de desenvolvimento do kernel deixa a casa. Como todos sabem, alguns desenvolvedores deixaram o desenvolvimento do kernel Linux. A ultima foi a Sarah Sharp. Agora é a vez de mais um.


Matthew Garrett cria fork do kernel Linux

Pois é, dois dias atras foi a vez de Sarah Sharp, desenvolvedora do módulo para dispositivo USB 3.0; ontem a bruxa ataca novamente. Assim como Sarah Sharp deixou o desenvolvimento do kernel Linux, que pode ser conferido no artigo postado ontem aqui no Diolinux, ontem foi a vez de Mathew Garrett.
Veja mais em: Sarah Sharp abandona o Linux por conta de piadas sexistas
Matthew cansou da cultura de desenvolvimento do Linux que considera não profissional. Só que não bastou para Matthew somente ter saído da equipe de desenvolvimento do kernel; ele ainda criou um fork do kernel Linux e adicionou patches para implementar uma interface em nível de segurança no estilo BSD.
 O link para o Linux de Mathew pode ser conferido no link abaixo:
Veja mais em: Fork do Linux por Matthew Garrett no Github
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Sarah Sharp abandona o Linux por conta de piadas sexistas

Nem só de notícias boas vive o Diolinux, uma das principais mantenedoras do Kernel Linux, Sarah Sharp, anunciou que está abandonando o desenvolvimento do Kernel por conta de "piadinhas sexistas".

Sarah Sharp sai do desenvolvimento do Kernel Linux

Sarah Sharp sai do desenvolvimento do Linux e culpa o comportamento da comunidade


Sarah Sharp foi desenvolvedora e mantenedora dos drivers de USB 3.0 no Kernel Linux e também fazia parte de ações promovidas pela "The Linux Foundation" para atrair mulheres para o projeto, com a ideia de trazer mais desenvolvedoras para o Linux.

"Isto aconteceu depois de um grande período de análise, de planejamento, eu não tomei a decisão de simplesmente me demitir de maneira leviada, me senti culpada por um longo tempo por deixar o cargo. No entanto, eu finalmente percebi que não poderia mais colaborar com uma comunidade que não estava me respeitando", diz Sarah Sharp.

Ela relata em seu blog que o motivo da saída seriam as piadas e "xingamentos sutis" de homofobia e sexismo por parte dos outros integrantes.

Ela disse que continuará trabalhando, só que desta vez para o drivers Intel Mesa para os Chromebooks da Google.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 6 de outubro de 2015

Kernel 4.3 vai melhorar suporter a Drivers Nvidia Nouveau

Proprietários de placas Nvidia terão um melhor desempenho em suas placas com o driver Open Source Nouveau com a chegado o Kernel 4.3.

Drivers Nouveau no Kernel Linux 4,3

O suporte a chips gráficos da Nvidia deve melhorar


A constância de aprimoramento é definitivamente uma das coisas mais interessantes do Linux, atualmente os drivers Nouveau dão um suporte razoável para praticamente todos os chips Nvidia, claro, você ainda não deve esperar um desempenho bom o suficiente para você usá-los para jogar, basicamente eles servem para que a sua placa funcione e assim você possa instalar os drivers adequados.

Esse quadro pretende ser drasticamente melhorado com a chegado do Kernel 4.3, porém, seu lançamento ainda está um pouco distante uma vez que a versão 4.2 ainda nem sequer saiu.
Leia também: Novidades que acompanharam o Kernel 4.2
Os desenvolvedores do driver Nouveau (como é chamado o driver de código aberto da Nvidia) comentaram que um de seus mantenedores chamado Ben Skeggs está trabalhando em algo grande para a versão 4.3 do Kernel, com mais de 100 modificações no código atual.

Algo que deve ajudar o desenvolvimento do Nouveau é o fato da Nvidia ter fornecido o GR Firmware para eles, assim placas da série 900 da atual geração de placas da Nvidia terá um suporte melhorado. 
Leia também: AMD prepara poderoso driver para Linux
Ainda há muito tempo até o lançamento do Kernel 4.3 mas devemos ficar atentos, afinal, novidades são sempre bem-vindas e você sempre encontra elas por aqui no Diolinux. :)

Até a próxima!

Fonte
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Drivers AMD são aprimorados no Kernel Linux 4.2

Uma nova release do Kernel Linux se aproxima com várias novidades mas com um destaque especial para hardware AMD.

Linux AMD

Nova release do Kernel Linux chegará com boas novidades para placas AMD


O Kernel Linux 4.2 está em sua primeira "Release Candidate" e já traz algumas novidades interessantes, especialmente para detentores de hardware AMD.

Os drivers AMD, tão precários anteriormente, estão melhorando a cada lançamento, o Kernel 4.2 que deve chegar ao final deste inverno terá um novo driver AMDGPU.

Este novo driver tem o objetivo de dar suporte as novas gerações de placas de vídeo AMD, lembrando que este é o Driver Open Source.

Drivers Intel


O novo Kernel também trará atualizações para drivers da Intel Broxton, a nova geração de chips gráficos da Intel que acompanhará os principais processadores da marca.

Drivers Nvidia


Nesta release do Kernel os drivers open source da Nvidia não sofrerão alterações, então desta vez você não deve esperar upgrades caso você seja dono de uma placa de vídeo da empresa.

Atualizando o seu Kernel no Ubuntu


Se você deseja manter o seu Kernel sempre na última versão siga este tutorial onde temos um script muito eficaz para fazer este tipo de coisa.



Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 9 de julho de 2015

Mantendo o Ubuntu sempre com a última versão do Kernel Linux

Hoje você vai aprender a instalar e manter atualizado o seu Kernel no Ubuntu sem precisar fazer muito esforço.

atualizando o kernel do Ubuntu para a última versão

Instale a última versão do Kernel Linux no Ubuntu


A Canonical é um pouco conservadora quando se fala em atualização de Kernel, por isso, ao contrário de outras distros Linux o Kernel do Ubuntu raramente está na última versão estável liberada por Linus Torvalds.

Por isso preparamos um Script todo em português que você poderá rodar toda a vez que desejar atualizar o Kernel do Ubuntu de maneira facilitada, mantendo assim sempre a última versão do Kernel no seu sistema.

Para fazer isso abra o seu terminal e cole os seguintes comandos, um após o outro.

Este comando servirá para instalar o navegador Lynx, que é um navegador em modo texto:
sudo apt-get install lynx
Agora  vamos baixar o nosso script mágico ;)
wget https://dl.dropboxusercontent.com/u/50603085/kernel-update

Agora vamos mudar as permissões do arquivo
chmod +x kernel-update 
Agora com este comando abaixo vamos rodar o script:
sudo ./kernel-update

Kernel Update Ubuntu

Se tudo funcionou corretamente você deve estar vendo uma tela como esta acima com as 3 principais opções, para atualizar o Kernel basta pressionar a tecla "a", para remover versões antigas do Kernel pressione a letra "b" e para sair do programa pressione "q".

Independente da opção que você escolher basta seguir as instruções na tela para efetuar os ajustes, os passos são poucos  e simples.

Caso você encontre algum bug ou tenha algum problema reporte ele para a gente, preferencialmente por e-mail.

Utilizei este script para instalar o Kernel que estou utilizando agora, no caso o Kernel 4.0, porém ele servirá para futuras versões também.

Se você tem dúvidas sobre se vale a pena atualizar ou não o seu Kernel confira este vídeo onde o assunto foi abordado apontando os prós e contras das atualizações.

Sempre que você quiser instalar a versão mais recente do Kernel basta rodar este script novamente.

Até a próxima!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.
quinta-feira, 16 de abril de 2015