Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador mir. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador mir. Mostrar todas as postagens

Como será o futuro do Ubuntu SEM o Unity?

Nenhum comentário

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Pois é pessoal, essa foi sem sombra de dúvidas as notícias mais "bombástica", por assim dizer, do ano no mundo Linux. Nós falamos e noticiamos o fim do Unity 8 e do Ubuntu Phone nesta semana e muitas pessoas se interessaram pelo assunto, foram mais de 60 mil acessos apenas neste artigo, mas algo que eu percebi na maior parte dos comentários foi uma dualidade entre pessoas que já não gostavam muito do Unity e/ou preferiam o Gnome e pessoas que gostavam do Unity e ficaram chateadas com a notícia.

O futuro do Ubuntu sem o Unity




Eu vou tentar brincar de "olho de Tandera" com você e te dar a "visão além do alcance", pois o fim do Unity (ou quase) pode mudar os rumos do Ubuntu como conhecemos, então, eu quero falar sobre as possíveis consequências desta decisão.



Uma grande surpresa!


Apesar dos mais pessimistas acharem que o Ubuntu Phone nunca teve realmente chance, para mim, a "causa mortis" do projeto foi ver o que a Samsung fez com o novo Galaxy S8 (não que tenha sido isso mesmo, mas o conceito que o envolve), além da necessidade de focar onde dá lucro. Sei que nem todos se encaixam aqui, mas se você já tentou empreender algum negócio sabe que esse tipo decisão difícil é sumariamente fundamental.

Convergência do Galaxy S8
Samsung Galaxy S8 no modo "convergente"

A Samsung trouxe para o Android a dita "interface convergente", uma marca forte, com Android, o sistema operacional mais utilizado do mundo, trouxe para o mercado exatamente o conceito que o Ubuntu Phone estava brigando para trazer, claro, com algumas diferenças, pois o Ubuntu com Unity 8 tinha a intenção de rodar aplicativos convencionais de Desktop nos Smartphones também, mas quando se olha em sentido prático, realmente o Android sai na frente, não há nem sequer competição.

Ainda assim, o anúncio de Mark Shuttleworth, criador da Canonical, pegou todos de surpresa, até então não havia sequer um indício de que o projeto fosse efetivamente acabar, ao menos, não de forma tão drástica.

Particularmente, como eu já tinha falado neste vídeo, a versão 18.04 LTS, que deve ser lançada daqui a um ano aproximadamente, faria o sucesso ou o fracasso do Ubuntu e do Unity 8, parece que Mark resolveu não apostar.

Desde que foi anunciado, o Unity 8 chamou a nossa atenção, o conceito de convergência, a nova aparência, novas funcionalidades, tudo isso despertou um interesse extremo no sistema.

Com o tempo e promessas adiadas, depois de pouco mais de 3 anos de espera, tivemos os primeiros aparelhos com Ubuntu, mas a versão destkop nunca ficou realmente pronta. Ao mesmo tempo que ansiedade pela nova interface aumentava no Desktop e os esforços eram concentrados nela, o Unity 7, versão utilizada no Destkop até então, acabou deixando de receber grandes upgrades como o Ubuntu teve outrora, deixou de incrementar funcionalidades, algo que é quase fatal para um sistema que busca mais e mais usuários, especialmente domésticos.

Paradoxalmente, o Ubuntu neste meio tempo ganhou mais popularidade do que nunca, tornou-se a distro Linux mais utilizada do mundo depois do Android, virou sinônimo de Linux na internet  e para a indústria, abarcou cerca de 40 milhões de usuários ao redor do mundo apenas na versão Desktop, ainda assim, as versões para servidor, cloud e IoT do Ubuntu fizeram ainda mais sucesso, Dustin Kirkland, gerente de produto da Canonical, chegou a afirmar que juntando todas as plataformas em que o Ubuntu estava presente, mas de 1 bilhão de pessoas eram usuários do sistema, de forma direta ou indireta e o Unity era facilmente reconhecido em fotos mundo à fora.

Realmente, fomos pegos de surpresa.

O Unity realmente acabou?


Neste momento eu gostaria de me atentar para um detalhe que pode ser divisivo e acabar com o Ubuntu da forma que o conhecemos, a distro simples e para usuários comuns no Desktop, então você precisa prestar atenção.

Tirando a Canonical, as outras duas principais empresas que mantém distros Linux de forma direta são a SUSE e a Red Hat, e o que ambas tem em comum? O foco empresarial em servidores e suporte. E o que mais elas tem em comum? Não tem um foco no usuário doméstico. Sacou?

Mark comentou em seu anúncio que o Ubuntu 18.04 LTS voltaria a usar Gnome e que o Unity 8 e o Ubuntu para Smartphones, assim como a convergência e o servidor gráfico Mir, tinham acabado, ainda que ele continuasse acreditando que esse é o futuro, a Canonical provavelmente não estaria nele. Aqui é que entram os detalhes das lacunas deixadas por ele.

Voltar a "usar o Gnome" não significa que o Ubuntu 18.04 LTS vá usar o Gnome Shell necessariamente, tecnicamente isso são coisas diferentes, ou ainda, não quer dizer que o Ubuntu vá ter o mesmo Gnome que o Fedora tem, por exemplo.  

Seria possível a Canonical criar uma interface em cima do Gnome Shell que tenha a mesma funcionalidade do Unity? Até porque ele disse que o Unity 8 tinha acabado, mas não falou nada sobre o 7 ou o que iria acontecer com ele.

Ontem eu estava brincando com o Ubuntu Gnome 17.04 Beta, que ainda receberá um vídeo para o canal, e com algumas extensões e temas eu fiz um "Unity" do Gnome, a usabilidade fica bem parecida até, dá uma olhada na aparência:

Ubuntu 18.04 Fake com GUnity?
Ubuntu 18.04 Fake com GUnity?

Não estou dizendo que é isso que vai acontecer, mas seria coerente pensar desta forma para não impactar os usuários de Unity demais e manter a usabilidade do sistema.

Por outro lado, se a Canonical estiver se tornando uma nova Red Hat ou SUSE eu tenho más notícias pros usuários comuns, me incluindo aqui.

Isso significaria que o Ubuntu para Desktops receberia um Gnome Shell "puro", assim como é o Ubuntu Gnome hoje em dia, e a preocupação com os usuários de Desktop diminuiria, de certa forma, desperdiçando o bom nome no mercado consumidor comum que o Ubuntu tem atualmente, coisa que até agora nenhuma outra distro conseguiu.

O Ubuntu para Desktop será o mesmo Ubuntu para Desktop que nós conhecemos? Ou será algo mais parecido com o Fedora que é um "campo de testes" comunitário do Red Hat Enterprise Linux?

Isso realmente só o tempo nos dirá, confesso que torço para que seja a primeira opção, caso contrário, não vejo mais motivos para usar o Ubuntu como sistema de Desktop indicando-o para qualquer tipo de usuário. Ele vai continuar sendo simples, fácil e tudo mais, como é agora, mas ferramentas facilitadoras e a preocupação com a experiência do usuário de Desktop mais básico não seriam mais preocupação, fazendo do Linux Mint, elementary OS, Deepin e do Manjaro (dependendo da evolução) opções mais interessantes para "arrastadores de mouse".

O que sobrará depois do Unity?


Existem muitas coisas importantes que irão se acabar com o final do Unity, isto é, do Unity 7 especialmente. Podemos lamentar pelo Unity 8, Mir e pelos Ubuntu Phones, mas ainda assim é algo que nós nunca realmente tivemos, então a sensação de perda é muito menor, não se pode dizer o mesmo da versão 7.

Como tanto o Unity 7, como o Unity 8, são projetos abertos, não seria de desacreditar uma continuação por uma comunidade interessada, como aparentemente já está acontecendo com o Unity 8, mas sinceramente, certos recursos do Unity 7 não estão presentes em nenhuma outra distro de forma nativa atualmente.

O HUD por exemplo, a ferramenta que permite que você pesquise dentro dos menus das aplicações apenas pressionando a tecla "Alt" é algo que eu não vi em nenhum lugar, o aproveitamento de espaço que o Unity tem é incomparável, afinal, não é somente "esconder as barras" e pronto, com o Unity além de ter todo o campo de visão você ainda tem todas as ferramentas do sistema a sua disposição, as barras das janelas que se integram com a barra superior e os menus globais são coisas muito boas também. Concentrar as ações no lado esquerdo da tela faz com que você precise mexer menos o mouse também.

Tirando isso, que são recursos que podem se implementados em outras interfaces, talvez no próprio Ubuntu mesmo com Gnome, o que se perde mesmo caso do Unity 7 e seu conceito de usabilidade e aparência deixem de existir completamente, é a grande marca que ele criou.

Veja bem, a maior parte das distros utiliza um ambiente gráfico que outras distros também utilizam, o Gnome do Fedora não é muito diferente do Ubuntu Gnome, do Gnome do SUSE ou do Manjaro, visualmente falando, e isso vale para qualquer outra interface, mas o Unity, além de ter um visual peculiar, remetia diretamente ao Ubuntu, do mesmo jeito que quando você vê uma barra em cima com uma dock embaixo você lembra do Mac, ou um painel inferior com um "menu iniciar" você lembra do Windows (ou do KDE), quando você via um sistema com barra na esquerda você associava ao Ubuntu, abandonar isso é ruim pra marca, ruim pro marketing, ruim pro Ubuntu. 

Para você ter uma ideia, tem gente que acha que qualquer Gnome é o Kali Linux, isso é um problema de falta de identidade mercadológica que fará muita falta pra qualquer sistema que queira atingir o usuário comum... a menos que essa não seja mais a intenção.

O meu receio e o meu anseio


Independente do que aconteça, o meu respeito pelo Ubuntu e pela Canonical continuam. Graças a eles (e talvez ao Google) é que eu posso trabalhar com tudo o que trabalho hoje em dia, eu tenho uma relação enorme de gratidão com o Ubuntu pelo que o Diolinux se tornou, foi falando do Ubuntu que as coisas começaram a acontecer na minha vida, foi quase uma retro-alimentação.

Meu receio é que com o abandono deste projeto (Unity) o Ubuntu deixe de receber incrementos de ferramentas para facilitar a vida do usuário comum. Antigamente, quando a Canonical lançou uma Central de Aplicativos no Ubuntu isso foi revolucionário, quando adicionaram uma opção para instalar drivers facilmente, isso foi igualmente revolucionário, criar o HUD e novas formas de interação foram diferenciais, mas nos últimos anos, desde 2014 aproximadamente, isso deixou de acontecer (muito em parte pelos esforços da equipe de engenheiros sobre o Unity 8), será que isso voltará a acontecer?

Meu anseio é para que sim! Além de torcer para que o sistema volte a ser revolucionário como sempre foi no Desktop, é bom ver que algumas coisas tomaram definição. Com o Mir fora da jogada finalmente o Wayland tem apoio de todas as distros mais famosas e quem sabe ele se desenvolva mais rápido, será mais fácil até mesmo para as empresas que desenvolvem drivers, além disso, os Snaps vieram pra ficar, de todos os projetos que iniciaram por conta da convergência, este foi o que deu mais certo.

Os pacotes Snaps são uma forma simples de distribuir softwares para Linux (isso mesmo, qualquer distro) e podem permitir que mais desenvolvedores tenham interesse em liberar programas para o sistema graças a existência deste padrão. Sei que existe o formato FlatPak também, mas particularmente acho que os Snaps, além de um nome melhor (marketing é tudo), possuem maior facilidade de operação e manuseio, além de já possuir um grande repositório se comparado com a iniciativa concorrente.

O fim do Unity pode significar um recomeço ainda mais forte para o Ubuntu nos Desktops ou a sua despedida de vez, deixando o trono para outras distros derivadas provavelmente.

Vale lembrar que o Unity 7 permanecerá ativo com o Ubuntu 16.04 LTS até 2021 pelo menos, que é quando o seu suporte deve terminar, então, caso você queira continuar usando a interface, você ainda tem bastante tempo desde que mantenha esta versão do sistema sempre atualizada.

Eu continuarei a usar o Ubuntu, talvez com menos intensidade no futuro dependendo do que aconteça, mas o Ubuntu sempre será a distro que consegue sacudir o mundo Linux e o Mark Shuttleworth sempre será o cara que não tem medo de sonhar, tentar, arriscar, errar, voltar atrás e fazer tudo de novo. Talvez falte um pouco dessa gana na gente mesmo, não é?

É como se diz, se você nunca falhou em nada, talvez nunca tenha tentado fazer algo realmente grandioso.

O que você acha de tudo isso? Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Adeus Unity! Canonical abandonará interface e Ubuntu voltará à interface Gnome!

Nenhum comentário

quarta-feira, 5 de abril de 2017

O fim de uma era se encerra meus amigos! Pelas palavras do próprio Mark Shuttleworth, criador do Ubuntu e da Canonical, "é hora de crescer e olhar para o futuro" e aparentemente, o futuro é sem o Unity, tanto o 7, quanto 8. A próxima LTS do Ubuntu que sairá em 2018 já trará a nova "velha" interface no sistema, o Gnome Shell.

Ubuntu 18.04 LTS virá com Gnome




Espera! Espera! Primeiro coloca tocar essa música e depois continua lendo!


O chefão da Canonical, Mark Shuttleworth, publicou no site de Insights do Ubuntu uma notícia que abalou o mundo open source, o fim do Unity, o fim do Mir e o fim do Ubuntu para Smartphones!

Exatamente! Depois de praticamente 7 anos de desenvolvimento, a interface Unity que causou tanta controvérsia está deixando o Ubuntu. A mudança é mais radical e corajosa do que se possa pensar.

Mark informa em seu texto que o Ubuntu é líder em servidores, internet das coisas e é o sinônimo de Linux para o mercado consumidor final, disse que ainda acredita que a convergência seja realmente o futuro, mas que neste campo provavelmente a Canonical não estará atuando. Existiriam vários fatores de mercado que dificultariam essa investida e dinheiro gasto em desenvolvimento que não tratá retorno tão cedo não parece ser uma boa ideia.

Mark Shuttleworth

É preciso muita coragem para parar todos os projetos, respirar e dizer: Vamos deixar quase uma década de trabalho para trás e focar nos resultados. Recentemente eu diz um vídeo comentando os pontos que eu acredito serem os principais responsáveis pela popularidade do Linux (ou a falta dela) no mercado, no vídeo eu comentei que acreditava que a Canonical iria "tomar um rumo" em breve, caso o Unity 8, Ubuntu Phone, etc dessem certo no mercado mobile seria A VITÓRIA, ou simplesmente abandonando o barco e focando onde dá mais lucro, servidores e internet das coisas, resumidamente, assim como Red Hat e SUSE fazem hoje em dia, o que aumenta o meu receio sobre como será o Ubuntu para desktops daqui pra frente. Bom, o "titio" Mark resolveu parar tudo antes que muito dinheiro fosse gasto em algo que levaria anos para ser funcional e perderia completamente o timing do mercado.

E o "Dionatan Diná" estava certo, só não pensei que teríamos a confirmação tão cedo.

Junto com o abandono do projeto Unity, vão embora também o projeto do Ubuntu para dispositivos móveis, o que remove um setor inteiro da empresa praticamente, assim como o servido gráfico Mir, Mark comenta que a próxima LTS do Ubuntu, o Ubuntu 18.04 que sairá em Abril do próximo ano já conterá a interface Gnome Shell como padrão, voltando às raízes.

Coisas que não ficam claras


O motivo da Canonical se voltar para o mercado que lhe dá mais lucro não chega a ser segredo, é um tanto quanto óbvio que essa seria uma manobra esperada de qualquer empresa que preze pelo seu patrimônio, contudo, será que estaremos vendo o Ubuntu para Desktops morrer?

Mark diz que não: O Ubuntu Desktop é parte importante do projeto, entretanto, colocar o Gnome de volta como interface padrão também trará uma menor carga para o desenvolvimento da interface, uma vez que ela é comunitária, deixando a Canonical focar mais onde lhe interessa, a questão para mim é, será que ainda teremos investimentos nesta área por parte da empresa? 

Quando digo "investimentos", quero dizer recursos facilitadores de configuração que tornaram o Ubuntu mais fácil de ser utilizado, ou ele simplesmente "seguirá o fluxo" ficando mais parecido com o projeto Fedora em relação ao Red Hat?

O que acontecerá com o projeto Ubuntu Gnome? Com essa decisão, o projeto parece perder a sua utilidade e membros da equipe poderão integrar a nova equipe de desenvolvedores do Ubuntu Desktop?

O que podemos tirar de bom disso tudo?


Eu sou um otimista, ainda que o Unity tenha sido a minha interface preferida durantes os últimos anos, a volta do Gnome como interface padrão pode resolver alguns "problemas", como por exemplo: Agora todos sabem que o novo servidores gráfico será o Wayland e ponto final, Mir está fora da jogada e os esforços podem ser concentrados em um padrão novamente, o que eu acho ótimo, no entanto so Snaps do Ubuntu continuam e eles me parecem mais funcionais e fáceis de serem manuseados que os pacotes FlatPak do projeto Gnome, poderíamos padronizar aqui novamente, fica mais fácil para todos, certo?

Então, sai Unity, sai Mir, fica Snap, até porque o empacotamento é ótimo para internet das coisas e servidores.

Outro aspecto positivo é que a Canonical voltará a apoiar ativamente um Desktop Enviroment comunitário, fazendo com que ele se desenvolva mais rápido, pelo menos, assim esperamos.

Ubuntu Gnome 17.04


Eu cheguei a testar o beta do Ubuntu Gnome 17.04, inclusive, teremos vídeo em breve no canal sobre os betas, e de certa forma, ali temos um vislumbre do futuro agora mesmo! Gostei do que ví, eu cheguei a ser um usuário ativo do Gnome logo que o Gnome 3 foi lançado até a versão 3.4, depois mudei para o Unity e não saí mais, então me adaptar a interface de volta não seria um grande problema, acredito, entretanto, outras distros como o Linux Mint e o Deepin talvez tomem o posto do Ubuntu de vez como distribuições para "Desktop Medium User", visto a gama de trabalho embarcado nelas para torná-las extremamente amigáveis para o usuário final, só o tempo dirá.

O que você achou das mudanças?

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Nvidia vai dar suporte para Vulkan no Mir e Wayland?

Nenhum comentário

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Um post no fórum de desenvolvedores da Nvidia deixou uma dúvida no ar, a empresa estaria pensando em dar suporte para os novos servidores gráficos do Linux?

Nvidia will support Wayland and Mir




Um usuário comentou no fórum da Nvidia que não estava conseguindo usar o Vulkan em sua Titan X enquanto utilizava uma distro Linux que não utilizava o X.org. Até aí tudo bem, o que chamou a atenção foi a resposta dada por um dos membros da Nvidia, dizendo que a próxima versão do Driver vai trazer suporte para o Vulkan em distros que não usam o X como servidor gráfico.

Não ficou claro exatamente se o suporte para o Wayland ou para Mir virá junto, mas tudo indica que estamos começando a dar os primeiros passos neste sentido. Atualmente, tanto um, quanto o outro, só funciona com drivers de código aberto. Vamos ficar de olho no próximo lançamento da Nvidia, pois os novos servidores gráficos, juntamente com a API Vulkan para os games no Linux pode ser um fator decisivo.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como o Mir pode ajudar o tornar o Ubuntu uma ótima plataforma para todas as tecnologias

Nenhum comentário

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Hoje um dos engenheiros da Canonical e do Mir fez um artigo no Insights da empresa sobre o novo servidor gráfico e como ele pode mudar, e para melhor, a forma com que as distros Linux se relacionam com dispositivos embarcados, quiosques, convergência e muito mais.

Mir Ubuntu





O Mir é o novo servidor gráfico da Canonical para substituir o X, porém, ele é comumente associado ao Unity 8, a nova interface que a empresa vem trabalhando para o Ubuntu, entretanto, ele não é feito para funcionar somente no sistema da Canonical, pelo contrário, com código aberto e pensado para a convergência, ele pode ser usado por qualquer distribuição que o deseje.

O Mir também pode ser utilizado em várias camadas de operação diferentes, pensado para ser utilizado como interface para dispositivos embarcados com painéis visuais e até mesmo para máquinas que serão usadas como quiosques, de fato, o Mir possui uma forma especial para trabalhar com cada uma dessas situações, o que o faz convergente, não somente entre Desktop e Mobile, mas para praticamente qualquer aparelho.

O servidor gráfico atual,  o X, vem perdurando ao longo dos anos graças a adaptações e "enxertos" para suportar as novas tecnologias, o X vem de um tempo onde os computadores eram utilizados de formas muito diferentes do que temos atualmente e é aí que o Mir, assim como o Wayland, entram.

Tanto um, quanto o outro, Mir e Wayland, ainda estão em desenvolvimento pleno e com dificuldades para utilizar drivers proprietários por enquanto, muito em parte pelas fabricantes de placas, o Mir no entanto já vem dando conta do recado nos dispositivos móveis, o que pode ser um indicativo de sucesso de implementação. Temos que aguardar a evolução de ambas as aplicações, pois é necessário compatibilizá-los para rodar aplicações que atualmente rodam sobre o X.

Fique ligado aqui no blog para saber as novidades e até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Ubuntu 16.10 Yakkety Yak virá com o esperado Unity 8 como interface opcional

Nenhum comentário

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Parece que finalmente as pessoas terão acesso ao Unity 8 do Ubuntu de uma forma simples para testar, tudo isso graças ao Ubuntu 16.10 que trará uma sessão opcional para quem quiser acompanhar o desenvolvimento.

Unity 8 no Ubuntu 16.10




O Ubuntu 16.10 Yakkety Yak recebeu um beta recentemente que trouxe para o público a possibilidade de fazer os primeiros testes no novo ciclo de lançamentos.
Leia aqui: Baixe os betas do Ubuntu 16.10
A Canonical anunciou que o esperado Unity 8 chegará como uma interface opcional para o Ubuntu 16.10 que sai ainda neste mês. O Unity 7 ainda será o padrão, mas agora será possível que as pessoas ao menos testem o novo Unity, reportem bugs e deem sugestões para melhorias, visto que até então apenas os usuários do Ubuntu Phone e Tablet tinham acesso pleno à versão.
Veja também: Unity 8 e Ubuntu convergente - Demonstrativo em português
Para usar o Unity 8 basta mudar a sessão, como na imagem acima, na tela de login, de forma prática e fácil.

O Unity 8 ainda está longe de ser completamente utilizável em desktops, o Mir, servidor gráfico ainda não é plenamente compatível com drivers proprietários e ainda não é possível virtualizá-lo no VirtualBox, o que faz com que para testá-lo plenamente você precise instalar o sistema no seu computador.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Mark Shuttleworth diz: "Ubuntu não terá Backdoors"

Nenhum comentário

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Faz poucos dias que o Ubuntu 16.04 LTS saiu e tem muita gente já esperando o 16.10, versão que sai apenas em Outubro e que deve trazer uma série de novidades para o sistema. O fundador da Canonical comentou sobre a segurança no futuro do Ubuntu e também sobre o servidor gráfico Mir.

Mark Shuttleworth fala sobe o Mir e criptografia




Mark Shuttleworth, criador do Ubuntu e da Canonical, deu uma entrevista ao site eWeek onde comentou sobre as novidades que deverão chegar juntamente com o Ubuntu 16.10, a versão de Outubro deste ano, e também sobre o futuro da plataforma em si. Nós já sabemos que o Ubuntu 16.10 Yakkety Yak não irá trazer o Unity 8 como a interface padrão, e também não será o Mir o servidor gráfico padrão, ainda que ambos estejam disponíveis diretamente da tela de login.

Mark disse que não pode afirmar com exatidão quanto o Mir será colocado como o servidor gráfico principal do Ubuntu, mas comentou sobre isso usando uma frase que parece fazer muito sentido: "O Mir será o padrão quando o usuário não notar que ele está lá".

Isso quer dizer que o Mir será padrão quando ele funcionar tão bem ou melhor que o X, servidor gráfico atual, onde o usuário simplesmente não vai precisar configurar nada ou fazer ajustes para usá-lo, algo que ainda está acontecendo hoje em dia. O grande diferencial do Mir é que ele é híbrido, o mesmo software pode ser usado dentro de Smartphones, Tablets, computadores, TVs e onde mais for necessário uma tela com interface para o Ubuntu, uma vez que o Unity 8 é convergente, é responsivo, essa é uma dupla que se complementa.

Outro ponto interessante comentado na entrevista é que Shuttleworth afirma que o Ubuntu tem trabalhado fortemente para melhorar a criptografia do sistema: "A ideia por trás da criptografia não é esconder o que fazemos e sim, poder escolher o que compartilhamos".

Ele afirmou que o Ubuntu nunca terá nenhum Backdoor no sistema, especialmente  com chegada dos pacotes Snap, que em conjunto com o servidor gráfico Mir tornam as aplicações mais seguras.

Aparentemente ele não está com pressa de terminar o projeto Mir/Unity8, ele está mais preocupado com funcionalidade e eficácia, que é algo que todos esperamos, a maior questão ainda é, será que o que o fundador da Canonical falou será seguido à risca nos próximos anos?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Ubuntu 16.10 não trará Unity 8 como interface gráfica padrão do sistema

Nenhum comentário

terça-feira, 3 de maio de 2016

O Ubuntu 16.10 Yakkety Yak que é esperando por muitos por conta da nova interface gráfica Unity 8 não trará a mesma como padrão, porém, o Unity 8 estará presente para quem quiser e desejar utilizar de uma maneira muito simples.

Ubuntu 16.10 Yakkety Yak



Os desenvolvedores do Ubuntu revelaram que o super aguardado Unity 8 não será a interface padrão para o Ubuntu 16.10. Will Cooke, desenvolvedor do Ubuntu, comentou que o padrão do sistema será a versão 7 do Unity com as correções e melhorias esperadas.

O Unity 7 é uma interface considerada muito estável hoje em dia e continuará como a primeira opção no próximo lançamento, entretanto, o Unity 8, assim como o Mir, estarão disponíveis através de um simples botão na tela de login, então quem desejar usar a interface gráfica nova poderá fazê-lo sem problemas.

O Unity 8 não será a interface padrão por necessitar de um maior polimento para ser o padrão de Desktop do sistema, segundo o que os desenvolvedores afirmaram, entretanto, o ciclo de lançamento  do 16.10 será focado em trabalhar a nova interface para o Desktop, as prioridades no momento são:

- Portar o Ubuntu UI Toolkit de QML para C ++
- Polir a experiências de desktop convergente no Unity 8
- Suporte do Mir para o Vulkan
- Integrar os pacotes Snap no Ubuntu Software
- Trazer o suporte para o menu global para aplicações X rodando dentro do Unity 8

Apesar de não ser algo que decepcione tanto, afinal, você poderá usar o Unity 8 no Ubuntu 16.10 facilmente, isso demonstra que talvez o novo Unity não esteja em perfeitas condições para o seu uso, mesmo lá em Outubro, daqui a quase 6 meses. O que por um lado é bom, pois os desenvolvedores se preocupam e não decepcionar os usuários quando a interface for a padrão mesmo, e por outro é ruim, pois ainda vamos ter que esperar mais um pouco para ver o Unity 8 como única interface e padrão do Ubuntu, madura o suficiente para ser o nosso ambiente de trabalho.

O que você pensa sobre o assunto?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Tudo o que você precisa saber sobre Unity 8

Nenhum comentário

sábado, 28 de novembro de 2015

O Unity 8 desperta muito interesse entre os usuários, vamos tentar esclarecer as principais dúvidas que você possa ter sobre a futura interface do Ubuntu.

Unity 8

O que sabemos sobre o Unity 8?


Acho que a dúvida mais óbvia da maioria é: O Unity 8 vai ser parecido com o Ubuntu Phone? Essa pergunta existe por conta da confusão que a convergência gera. A convergência do Unity 8 se dará principalmente a nível de código, o visual do sistema deverá (e tem de ser) diferente do visual dos celulares.

Desta forma, apesar de ser visualmente semelhante com o Smartphone, a Canonical sabe que o usuários precisam de um experiência diferente no Desktop, o Unity será o mesmo a nível de código, mas não será o mesmo (visualmente falando) no desktop, isso é a convergência.

Outra coisa que deixa as pessoas com dúvidas sobre a nova versão da interface gráfica do Ubuntu é o fato do desenvolvimento ser lento; lento a ponto de parecer que ele está sendo deixado de lado sempre que alguma outra coisa surge, mas a verdade é que tirando os desenvolvedores que mexem com o código, os usuários "comuns" não conseguem ver mudanças significativas na interface do sistema, isso acontece porque o novo Unity ainda está passando pela fase de convergência completa para o Desktop, só depois disso é que a interface será efetivamente mexida.

O criador do Ubuntu, Mark Shuttleworth, queria o Unity 8 já no Ubuntu 14.04, algo que não foi possível e que provavelmente não será também na nova LTS que sai em Abril, o Ubuntu 16.04 Xenial Xerus, desta forma, o lançamento deve acontecer efetivamente somente em Outubro de 2016 com o Ubuntu 16.10.

Pacotes Snappy


Este é outro ponto bastante comentado e que gera muitas dúvidas, o Snappy pode ser muitas coisas, isso depende do seu ponto de vista sobre ele. Para os desenvolvedores é chance de tentar algo novo, de conseguir gerir e gerar aplicações de uma maneira facilitada, tanto para computadores como para "coisas", como geladeiras, drones, etc. Para o Ubuntu é a chance de ter um sistema tão estável quanto qualquer LTS só que muito mais atualizado, e finalmente para o usuários, é a chance de não precisar lidar mais com dependências de pacote.

Mir


O Unity 8 só funciona com o Mir, ele está amarrado a este servidor gráfico, uma vez que o X.org não tem a mesma capacidade de convergência e o Wayland seguiu outra linha de desenvolvimento, de modo que qualquer distro que queira usar o Unity 8, que não seja o Ubuntu, vai ter que importar o Mir também, o que não parece ser um grande problema. Atualmente o Unity 8 com o Mir só funcionam em hardwares Intel, mas Nvidia e AMD já declararam o suporte para o sistema, entretanto, os drivers ainda não estão prontos.

Extras


Existem algumas matérias que separamos com conteúdo extra para você ficar ainda mais por dentro do que vem com aí com o Unity 8:








Com isso você já deve ter uma boa base para saber o que esperar no novo Unity, sempre que surgirem novidades sobre ele você vai receber as informações aqui no Diolinux, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Nexus 7 com Ubuntu em modo Desktop (Unity Next + Mir)

Nenhum comentário

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Mais uma demonstração da Canonical da convergência que está por vir para deixar os usuários do Ubuntu com ainda mais água na boca esperando para poder usar a nova interface, confira a demonstração.

Ubuntu Convergence: Tablet in Desktop Mode


Você poderá transformar seu tablet em um computador com o novo Unity


Criar aplicações híbridas que funcionem tão bem no computador quanto no mobile é um desafio e tanto, talvez o maior desafio que a Canonical tenha se proposto a fazer, aos poucos algumas imagens e vídeo estão sendo exibidas para dar uma noção do estágio de desenvolvimento que o novo Unity está, aparentemente o foco primordial, antes mesmo de design, ou aplicações, é fazer a convergência funcionar adequadamente.

Recentemente você viu aqui no blog uma demonstração do Ubuntu Touch (Smartphone) rodando no modo Desktop, apesar da tela pequena se comparada a um computador tradicional, pudemos ver que ele se comporta de uma maneira surpreendente com um teclado plugado a ele, hoje vamos ver algo um pouco mais além. Com um tablet Nexus 7 com o novo Unity rodando juntamente ao Mir o teste foi feito ligando o dispositivo a uma tela de computador comum através de um cabo HDMI sendo operado através de um Mouse sem fio, confira:


É possível notar pelo vídeo alguns bugs pontuais, como delay de renderização quando uma janela é redimensionada e também uma pequena demora ao abrir os aplicativos... muito bem, aí você lembra que o pessoal está usando um tablet com várias janelas abertas simultaneamente... bom, acho que é tolerável, pelo menos até certo ponto.

O que você achou da demonstração?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Canonical mostra a convergência entre aplicativos X.org no Mir no Unity Next

Nenhum comentário

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Uma das maiores preocupações da empresa ao fazer a nova versão do Ubuntu rodar sob um servidor gráfico novo é compatibilizar as aplicações que atualmente rodam no X.org, o servidor gráfico atual, para quem ninguém fique sem seu programa favorito ao rodar o no Unity no sistema, confira uma demonstração de como está ficando o trabalho.

Unity Next + Mir rodando apps que usam o X.org

Unity Next tomando forma


Diferente do Xorg e até mesmo em certos pontos do Wayland, o Mir, servidor gráfico que a Canonical vem desenvolvendo para o novo Unity, tem como objetivo ser maleável (no sentido literal) e "reversível", pois as aplicações que rodam no seu computador poderão rodar também no seu Smartphone uma vez que o sistema será o mesmo para ambos.

Leia também: Entenda o que o Mir do Ubuntu

O desafio é grande, tornar todas as aplicações escaláveis para telas de tamanhos diferentes não é definitivamente algo simples mas finalmente temos algumas amostras do que será feito, muitos bugs ainda acontecem como você verá no vídeo mas é algo normal para este estágio de desenvolvimento.


Querendo ou não o Mir ainda gera desconfiança, assim como o novo Unity, todos estão esperando para poder usar ambos e ver na prática se serão realmente tão bons como prometem, é um risco assumido pela Canonical, gerar muita expectativa e acabar decepcionando deve ser uma coisa levada muito a sério.


Vamos observar até que ponto o Mir poderá ser útil para o desempenho do computador, como será a sua compatibilidade com placas de vídeo e coisas do tipo.

Ainda não há uma data de lançamento, mas algo me diz que não veremos essa interface como padrão do Ubuntu até o final do próxima ano.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Ubuntu trabalha na compatibilidade com o Vulkan para concorrer com o DirectX 12

Nenhum comentário

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Canonical começa a trabalhar a nova API para incorporar ao servidor gráfico no Ubuntu em busca de compatibilizar o sistema com o concorrente do DirectX 12.

Mir Ubuntu

Mir está sendo compatibilizado com o Vulkan


Boas notícias para quem gosta de jogar no Ubuntu, a Canonical iniciou os trabalhos para compatibilizar o servidor gráfico Mir com o Vulkan, a nova API gráfica que substituirá futuramente o OpenGL.
Saiba mais sobre o desenvolvimento do Vulkan, clique aqui.
Segundo a instituição Khronos, que mantém o desenvolvimento unificado do Vulkan, a Canonical além de adaptar a nova API para o Mir a participação da Canonical ajudará no porte do Vulkan para o Wayland também indiretamente.


Leia também:

As Steam Machines vem aí em Outubro, porém, até o momento não temos datas sobre o lançamento do Vulkan, sinceramente, espero que ele chegue logo, e você?

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Teste o Unity 8 e o Mir numa sessão a parte no Ubuntu 14.04 LTS

Um comentário

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Vamos dar uma olhada no Mir e no Unity 8?

O Unity 8 é a próxima geração do ambiente gráfico do Ubuntu, ele deverá chegar nas próximas versões do sistema, a versão 14.04 que será lançada em poucos dias mas ainda não trará a nova interface.



O Unity Next, como é chamada a futura versão da Interface gráfica é a mesma que será usada em Smartphones e Tablets com o Ubuntu Touch, como o Meizu.

Até então era complicado testar e instalar o Unity 8 e o Mir no sistema pois isso poderia acabar danificando o mesmo, mas agora existe ( no Ubuntu 14.04 LTS ) uma opção muito interessante que permite criar uma sessão Unity8+Mir no sistema, funciona como quando você instala outra interface gráfica, basta mudar na tela de login.

Instalando o novo Unity no Ubuntu

Para instalar abra o seu terminal e cole os seguinte comando:
sudo apt-get install unity8-desktop-session-mir
Após a instalação encerre a sessão e na tela de login selecione o Unity 8, veja um vídeo demonstrativo.



É sabido que esta versão do Unity ainda está em desenvolvimento mas particularmente não gostei muito do que vi, entretanto você pode ter uma visão diferente, teste e nos diga o que você achou.


Para remover o Unity 8 eu tive um certo trabalho, é preferível usar o synaptic para isso marcando para desinstalar todos os pacotes que contenham o nome Unity8 e Mir.

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Mir será padrão do Ubuntu apenas na versão 16.04, diz Mark Shuttleworth

Nenhum comentário

segunda-feira, 17 de março de 2014

Servidor gráfico do Ubuntu deverá demorar ainda um bom tempo para ser default da distribuição

Mais uma vez o especulado servidor gráfico da Canonical, o Mir, teve a sua estréia como servidor gráfico padrão adiada.

mir-ubuntu

O Mir gerou muitas críticas para a Canonical e colocou muitas pessoas da comunidade contra os ideias de desenvolvimento do Ubuntu, mas mais uma vez a Canonical mostra uma face de maturidade ao entregar o Mir somente quando ele estiver complemente pronto e com bom suporte.

No último Ubuntu Developer Summit, Mark Shuttleworth anunciou que o mais provável é que o Mir só seja padrão do Ubuntu na versão 16.04 que sairá somente em 2016.

Segundo Mark, a ideia é que nestes próximos 12 meses haja um grande avanço no desenvolvimento do Mir para que nos próximos meses que virão haverá uma grande triagem para otimização do desempenho e o foco no suporte a drivers proprietários da Nvidia e da ATI, mesmo assim, quem quiser testar o Mir no Ubuntu poderá fazer isso instalando ele pela Central de Programas.

Particularmente acho certa a iniciativa da Canonical de não colocar o Mir no Ubuntu às pressas no sistema, colocar ele lá somente quando ele for em prol do usuário é uma decisão mais acertada.


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Ubuntu 14.10 virá com o Mir e o Unity 8

Nenhum comentário

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Segundo desenvolvedor novidades internas virão no Ubuntu 14.10

Segundo o desenvolvedor Oliver Ries, o servidor gráfico Mir e o Unity Next, também chamado de Unity 8, deverão vir por padrão no Ubuntu 14.10 que ainda não recebeu nome.

Ubuntu 14.10

Essas modificações deveriam ter sido lançadas com o Ubuntu 14.04 LTS, mas justamente por ser uma LTS o pessoal da Canonical preferiu não fazer muitas modificações no sistema em prol da estabilidade, mesmo assim se você espera mudanças no 14.04 que sairá em abril do próximo ano fique sabendo que haverão modificações visuais mais sutis mas que prometem dar um "novo ar" à distro pois essa semana a Canonical apresentou novos Concept Arts dos ícones do desktop para deixar ele mais parecido com o Ubuntu Touch, os ícones são de autoria do mesmo desenvolvedor dos populares ícones Faenza.

Tudo indica que o Mir poderá mesmo sair nessa versão afinal, de hoje até a sugerida data de lançamento da versão 14.10 temos quase um ano de desenvolvimento, tempo suficiente, acredito, para os desenvolvedores do Ubuntu estabilizarem e lapidarem o servidor gráfico, e não sendo uma versão LTS é "permitido" esse tipo de teste.

Compartilhe para mostrar aos seus amigos



Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Ubuntu 14.04 LTS não virá mais com o Mir

Nenhum comentário

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Servidor gráfico Mir não será mais o padrão no Ubuntu 14.04 LTS

O Ubuntu 14.04 LTS, que recebeu o nome de Trusty Tahr, não será mais lançado com o servidor gráfico Mir como fora imaginado no lançamento do Ubuntu 13.10.

A notícia vem através da Phoronix que comenta no Ubuntu Developer Summit Virtual dessa semana, Jono Bacon haveria comentado que a próxima versão do Ubuntu virá sem o Mir, o motivo? Estabilidade.

Ubuntu 14.04 LTS virá sem o Mir


É melhor manter o X que foi muito bem até agora em uma versão de longo tempo de suporte, trocar o servidor gráfico pode acarretar alguns problemas em uma versão que promete ser o melhor Ubuntu já lançado.

Uma decisão coerente e tranquilha acredito, é o melhor para os usuários e dará menos trabalho à Canonical, muitos levantaram a hipótese da mesma estar considerando o fato de abandonar o projeto do Mir mas acredito que isso não ocorra visto que ele se mostra uma boa opção para dispositivos móveis, além do mais não lançar na próxima versão dará pelo menos mais 6 meses de desenvolvimento para que o Mir seja lançado em uma versão com suporte menor e consideradas "de teste".

Esse tipo de atitude me agrada pois indica que o Mir só será o padrão quando realmente for um substituto digno ao X.
Para ver o calendário de lançamentos do Ubuntu 14.04 LTS Trusty Tahr clique aqui.

O que você pensa a respeito?

Compartilhe para mostrar aos seus amigos



Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Lançado o Ubuntu 13.10 Saucy Salamander - Novidades e Download

Nenhum comentário

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Canonical lança a nova versão do Ubuntu, baixe agora!

Depois de tradicionais 6 árduos meses de desenvolvimento a Canonical disponibiliza para download o Ubuntu 13.10, com o code-nome de Saucy Salamander, a nova versão não traz mudanças radicais como era de se esperar.

Ubuntu-1310-download



Smart Scopes vem por padrão no novo Ubuntu


Internamente falando, agora a versão do Unity é a 7.1.2 que é mais veloz que a sua predecessora e tem muitos bugs corrigidos, a Central de programas dessa versão também recebeu um upgrade e agora permite instalar pacotes .deb que contenham todas as dependências necessárias em si de maneira totalmente offline.

O LightDM, gestor de login, foi atualizado para a versão 1.7.4, a nova versão garante supoter ao Mir.

Outra modificação é a possibilidade de se logar no Ubuntu One diretamente na instalação do sistema, isso já deixa o seu Ubuntu One Client já devidamente configurado com os seus dados, essa conta também é usada para instalar programas pagos, usar o Ubuntu Music Store e ativar os App recomendados da Central de Programas do Ubuntu, essa unificação já havia sido prometida à algum tempo e agora é realidade, todos os serviços em uma única conta como faz o Google.

Alternador - Ubuntu 13.10 Saucy Salamander


Outro ponto importante é que essa versão não traz o polêmico Mir/Xmir , depois de muita discussão e testes a Canonical resolveu que ainda não era hora de colocar ele como padrão da distro, de modo que ela vem com o tradicional servidor X, porém, para os interessados será possível instalar o Mir direto da Central de Programas.

A pouco tempo fizemos um vídeo do Beta do Ubuntu, as coisas não mudaram muito de lá pra cá, visualmente pelo menos, então este vídeo deve tirar algumas de suas dúvidas:





Download do Ubuntu 13.10 Saucy Salamander Final

Depois de saber tudo o que vem de novo na nova versão do Ubuntu é hora de baixar e testar e ver como a coisa funciona com os seus próprios olhos certo? Para baixar o Ubuntu basta você escolher uma das opções abaixo:


              32 bits Torrent                                                              64 bits Torrent

Caso você já tenha instalado o Ubuntu 13.04 e quer apenas fazer o upgrade veja aqui como fazer este procedimento.

É isso aí pessoal, o que vocês esperam dessa nova versão do Ubuntu?


Compartilhe para mostrar aos seus amigos



Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Confira:
Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo