Home » programa

Softwares científicos e sites de estatísticas para conhecer e utilizar no Linux

Assim como outros sistemas operacionais, no Linux é possível utilizar vários softwares para te ajudar no trabalho. No ramo científico e das exatas, muitos desenvolvidos para Windows também são disponibilizados para os usuários do Linux. Além desses softwares, neste post apresentaremos alguns sites que poderão ser úteis para profissionais de diferentes áreas.

Softwares Científicos para Linux




A Ciência possui várias áreas diferentes e é certamente complicado abordar todas em um artigo, mas vou pegar algumas áreas de comum interesse das pessoas e dar alguns exemplos.

Astronomia 



Para quem gosta de se aventurar conhecendo a infinidade do espaço ou trabalha diretamente com astronomia, o software Stellarium é muito recomendado. Ele funciona como um planetário de código aberto, e tem como objetivo deixar o usuário por dentro de muitos aspectos do universo. Um dos recursos é a possibilidade de ver o céu em 3D e também pode ser utilizado em projetores nos planetários.

O download é grátis, e pode ser feito através do próprio site do Stellarium. Além disso, também tem uma versão estável para o Ubuntu via PPA. Outro software disponível nesse ramo é o Celestia. O que diferencia esse software dos demais é o fato de você poder explorar o universo de forma livre, viajando através dos planetas e conhecendo estrelas no meio do caminho. Através do próprio teclado, é possível entrar na imensidão e passar várias horas conhecendo a galáxia.

Química 

Química Linux


No ramo da educação, o Gromacs aparece com evidência. Criado numa universidade em Gronigen, na Holanda, é um software de bioquímica que permite o usuário simular ácidos nucleicos, proteínas e lipídios. Mais um para bioquímica é o Emboss — acrônimo inglês "European Molecular Biology Open Software Suite'. De código aberto, ele tem funções variadas para o usuário lidar com dados no que remete aos aspectos químicos. Apesar da interface do site do software ser bem antiquada, em inglês, nele é possível tirar todas as dúvidas sobre como usar.

Economia, estatística e eletrônica

Estatística e eletrônica Linux


Aos economistas e estatísticos, são vários softwares que se destacam e são muito úteis para os profissionais de lidam diariamente com números. Entre os principais, estão Ngspice, Geda, Electric, Kicad, Oregano e R.

Entre os softwares citados acima, vale a pena chamar atenção para o Electric. Ele é muito utilizado na criação do design de componentes eletrônicos, pois é uma ferramenta de desenho livre que dá a opção do usuário montar diagramas, layouts e muito mais.

Matemática

Matemática no Linux


No âmbito matemático, as opções são grandes. O FreeMat, K3DSurf, Octave e Scilab aparecem entre as principais. Um dos mais complexos é o Scilab, que possibilita o matemático fazer aplicações científicas bem profundas, muito usado em engenharia.

Já o Octave tem muitas ferramentas para resolver problemas comuns de álgebra linear numérica. Com apenas 15 MB de tamanho, o software, desenvolvido por John W. Eaton e outros especialistas no setor, também é mais um livre para download. Esses softwares citados acima, de diversos ramos (astronomia, bioquímica, economia, estatística e matemática) são apenas alguns entre um vasto grupo de opções que o usuário de distribuições Linux pode encontrar para tarefas complexas. Entre os muitos outros disponíveis, no site Linux Links é possível ver mais de 40 — alguns que já citamos aqui — em também áreas distintas das exatas.

Para trabalhos menos complexos mas igualmente útil, especialmente escolas, não podemos esquecer do LibreOffice Math.

Sites úteis e curiosos

Sites úteis


São vários, com línguas e ramos distintos. Ethnologue, por exemplo, é um que se destaca. Para os curiosos para saber os idiomas existentes na Terra, nele é possível pesquisar quais idiomas e dialetos são falados em cada país. No Brasil, consta nesse site que são mais de 200 catalogados, provavelmente muito mais do que você pensava, não?

No âmbito dos esportes, se você gosta de poker, por exemplo, então precisa conhecer a calculadora personalizada que atua nesse esporte e que pode ser muito vantajosa para quem pratica. Já o CiteSeerX é importante para aqueles que produzem artigos científicos. Ele tem um grande acerto de vários assuntos constados em livros e publicações de especialistas, e também serve como referencial para escrita comum ou leitura cotidiana.

O próprio Google Books pode ser uma boa para referências e pesquisas e é um pouco mais conhecido. Obviamente existem muitas outras opções e softwares e sites interessantes para quem gosta de dados, então engradeça o artigo e coloque nos comentários os que você conhece e não foram comentados aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 26 de junho de 2017

Recheado de recursos, novo Opera pode ser o seu novo navegador!

Eu tenho uma fidelidade incrível ao Google Chrome como navegador principal há vários anos, mas nunca deixei de utilizar outras opções, como o igualmente ótimo Mozilla Firefox, para fazer algumas atividades específicas. Recentemente tivemos o lançamento de uma nova versão do Opera e eu realmente gostei do que vi.

Opera browser




O Opera recebeu uma grande reformulação nas últimas versões e ele agora está mais completo e interessante, parece ser um browser voltado para quem fica navegando o tempo todo.

Opera Linux

Uma das coisas mais interessantes que eu encontrei nele foi a "barra social" do lado esquerdo, que tem diversas utilidades, entre elas o acesso rápido ao Messenger do Facebook e ao WhatsApp. Clicando com o botão direito na barra você também consegue adicionar outros atalhos, inclusive para o Telegram. 

Isso já é muito legal, mas não para por aí não! Se você for como eu e gosta de ouvir vídeos no YouTube (isso mesmo, ouvir) enquanto navega na internet ou faz outra atividade, bom, que tal um vídeo flutuando por cima do conteúdo?

Player YouTube Opera
Que tal ler os artigos do blog Diolinux e curtir um Arctic Monkeys ao mesmo tempo? Demais, não é? :D

E olha só, você não precisa estar com o navegador em primeiro plano pro recurso funcionar, ele fica flutuando na sua área de trabalho também. 


Para ativar a função no YouTube, Dailymotion e bom... francamente não achei algum player que não funcionasse, basta acessar o conteúdo, como no YouTube, e clicar um pequeno botãozinho verde que aparece no topo do player e boom! Player flutuante. Se você fechar a pequena janela o vídeo continua sendo reproduzido na aba normalmente, não há qualquer interrupção.

Outra coisa bem legal para quem usa Notebook, Ultrabook ou qualquer coisa do tipo, é o recurso para poupar bateria que reduz a atividade do navegador e não carrega determinados recursos dos sites para poupar a carga da bateria do seu computador.

Modo economia do Opera

Outro recurso ótimo é a presença de uma VPN nativa do navegador com diferentes localizações para o usuário escolher. O serviço de VPN te mostra inclusive a quantidade de dados trafegados por ela.

VPN no Opera

Basta ativar a função de VPN nas configurações e você consegue conectar-se a uma através da barra de endereços do próprio navegador.

A interface é customizável, ele suporta vários temas e tem um loja de extensões também que não me parece tão rica quanto a do Chrome, mas que tem muita coisa bacana, então vale a pena observar quais são os complementos que você precisa.

Loja de extensões do Opera

Como contra, ao menos no Linux, a Netflix não funciona no Opera nativamente, pelo que pesquisei nos fóruns, as versões futuras pretendem melhorar isso, então se você usa o serviço é melhor manter ao menos um outro browser instalado, como o Chrome ou o Firefox.

Você pode baixar o novo Opera e fazer um test drive diretamente do site oficial do navegador, apesar de não utilizá-lo como padrão ainda, estou gostando muito da experiência.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 25 de maio de 2017

Gnome Pie - Porque tortas não mentem

Achou o título curioso? Pois é! Este é o lema do Gnome Pie, uma aplicação que pode agilizar muito a sua vida e te deixar feliz, igualzinho um pedaço de bolo.

Gnome Pie



O Gnome Pie é uma aplicação do tipo "lançador" que você pode usar no seu Desktop Linux. Ele tem um formato circular e cada aplicação é como se fosse "um pedaço da torta ou do bolo". Confira o vídeo à seguir para entender melhor o funcionamento:


O software é muito versátil, você pode utilizá-lo à partir de teclas de atalho de qualquer janela do seu sistema operacional, a qualquer momento. Você pode configurar qual é a combinação de teclas que vai abrir o Gnome Pie.

As funções do Gnome Pie vão desde abrir rapidamente os programas que você selecionar a executar ações e até mesmo comandos que você pode selecionar. Tudo isso pode ser configurado nas opções do programa, essas configurações você pode acessar através de um ícone indicador que fica perto da área de notificações da sua interface.

Confira alguns exemplos de configurações e recursos:



Instalação do Gnome Pie


Se você gostou do que viu e gostaria de utilizar a aplicação na sua distribuição, consulte a página oficial do projeto, nela os desenvolvedores dão as dicas de como utilizar e instalar o Gnome Pie em diferentes sistemas.

Se você curte este tipo de utilitário, acho que você vai gostar também de conhecer o Synapse e o Cerebro, são duas ótimas ferramentas também, com uma proposta um pouco diferentes.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Gravit Designer - Uma nova ferramenta para trabalhar com gráficos vetoriais gratuitamente

Está procurando uma ferramenta alternativa ao Adobe Illustrator, Corel Draw e Inkscape? Então o Gravit Designer pode ser a sua melhor opção gratuita.

Gravit Designer




O Gravit Designer é uma aplicação muito versátil e intuitiva para criar imagens vetoriais e até pequenas montagens que não envolvam manipulação de imagens muito densa. Ele é completamente grátis e está disponível para Windows, macOS e Linux (através de AppImage), além de uma versão Web que roda através do Google Chrome, isso o faz compatível também com o ChromeOS.

Gravit Designer

Na verdade, não é a primeira vez que o Gravit aparece aqui no blog, nós temos um post sobre ele que data de Novembro de 2014. De lá para cá o software recebeu vários upgrades, tanto nos aspecto visual, quanto no ferramental disponível.

Gravit Designer

Sem muita prática já da pra dar uma brincada por conta da organização da interface, não há nada escondido nos menus, tudo está disposto em frente aos seus olhos. Na verdade, existem algumas opções nos menus, mas nada de muito complexo e que não possa ser acessado pela própria interface. O único empecilho é para quem não gosta de usar ferramentas que não tenham tradução para o português.

Aplicar sombrar, criar formas, instalar novas fontes; tudo isso é muito simples. O Gravit tem suporte para camadas também e alguns efeitos prontos. O programa pode ser interessante para quem precisar criar imagens para o Facebook, sites e até mesmo para quem faz design para Web ou ícones para Apps Mobile.

Gravit Designer Presets

Existem alguns presets que você pode usar ao criar um arquivo novo com tamanhos e resoluções prontas; falando nisso, o Gravit utiliza o formato aberto SVG para salvar os seus arquivos, assim como o Inkscape, isso garante que qualquer programa com suporte ao formato padrão aberto de gráficos vetoriais possa trabalhar com o material que você produzir no Gravit. Além do SVG, você poderá exportar os seus trabalhos em PDF, PNG e JPG o que facilita muito as coisas, o Gravit Designer também possui um formato próprio para salvar os arquivos caso você deseje utilizar.

Se você está pensando que vai complicado se adaptar a um novo programa, aqui vai mais uma dica.

Eu sei muito bem o quanto adaptação a uma nova ferramenta ou plataforma pode ser algo complicado, algo que pode te ajudar com o Gravit é o canal no YouTube da ferramenta que te ensina a utilizar os principais recursos do software.

Se quiser fazer um teste e ver até onde o Gravit pode ser útil para você, basta acessar o site e fazer o download, ou acessar a versão Web dele.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Headset App - Um player de música que usa o YouTube como fonte

Se você está procurando uma aplicação para ouvir músicas pelo YouTube sem precisar utilizar um navegador, o Headset App pode ser uma ótima opção. A aplicação pode ser uma alternativa para você que não pretende pagar a versão premium do Spotify, claro, com menor qualidade sonora.

HeadSet App Music Player for YouTube




O Headset App é um programa que permite que você pesquise e ouça músicas de todos os tipos no seu computador, como fonte, ele utiliza o YouTube para te fornecer acesso ao conteúdo. O mais interessante, é que os desenvolvedores criaram um modelo de execução de músicas que faz com que não seja ilegal o consumo do conteúdo do YouTube desta forma.

Head Set App

Ao abrir o player pela primeira vez, você verá estas duas janelas, inclusive, as duas deverão permanecer abertas (o programa impede você de fechar uma delas), com a explicação de que o YouTube não permite a reprodução de áudio e vídeo separados, isso significa que os vídeos com as músicas ficarão reproduzindo nesta pequena janela (à direita). O programa também informa que serão utilizados vídeos com menor qualidade para poupar banda, mas que a qualidade sonora continuará sendo boa.

Head Set Player
Mensagem que o Headset informa sobre a forma de distribuição de conteúdo

Depois de você aceitar os termos de licença do Google e do YouTube que o programa te informa, você poderá ouvir as músicas. O player em si é muito simples de entender e tem funções básicas que qualquer player que se preze tem.

HeadSet Player

Você pode pesquisar por músicas, álbuns, playlists e o player ainda te oferece uma opção de "Rádio" para navegar por estilos. Fazendo login no player você pode organizar coleções e dar "likes" em faixas para ter fácil acesso a elas, como no Spotify.

Baixe o Headset para o seu computador


O Headset App está disponível para Linux (em pacote .deb e em código fonte), para Windows e macOS também. Basta acessar a página no GitHub do programa e fazer o download.
O programa tem apenas versões de 64 bits, então fique ligado neste detalhe.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 23 de maio de 2017

4k Slideshow Maker - Faça uma apresentação com fotografias facilmente

Eu sou fã de ferramentas que automatizem a nossa vida e certamente as ferramentas do pessoal da 4K são ótimos exemplos disso. Hoje você vai conhecer o 4K Slideshow Maker.

4k Slideshow Maker




O 4K Slideshow Maker é um programa gratuito que você pode utilizar para criar apresentações de imagens com músicas que estejam no seu computador, ou até mesmo, importar fotos da sua conta no Instagram, o que torna a aplicação ainda mais versátil.

Apesar de muito bacana, o projeto tem algumas limitações também, por exemplo, ele não suporta imagens no formato png, o que pode limitar um pouco as possibilidades, mas ainda assim é interessante. O ideal para a criação da apresentação é que sejam utilizadas imagens em jpg.

Depois de adicionar as suas músicas e fotos, você pode ver um preview de como a apresentação vai ficar, se gostar do resultado, você pode criar o Slideshow clicando no botão "Make Slideshow". Nas preferências do programa você também pode escolher o formato do vídeo e a duração entre as transições de uma foto e outra, além de poder escolher também a qualidade do resultado final.

4K Video downloader

O 4K Slideshow Maker está disponível para Linux, Windows e macOS através de seu site oficial, no caso do Linux, temos um pacote .deb que facilita a instalação em distribuições baseadas em Debian e Ubuntu, como o Linux Mint, Deepin e elementary OS.
Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 22 de maio de 2017

Cerebro - Uma alternativa Open Source ao Spotlight do macOS

Sabe aquelas aplicações que podem facilitar a sua vida e melhorar a sua produtividade? Pois é, o Cerebro é exatamente isso, mas não este que está na sua cabeça! 😁 Estamos falando no aplicativo de código aberto que permite que você consiga encontrar o que procura em poucos segundos.

Cerebro Open Source




A ferramenta não chega a ser uma extrema novidade no mundo Linux, o próprio KRunner do KDE Plasma segue um conceito parecido, sendo tão poderoso quanto, ou talvez até mais, existe também o Synapse, com uma função semelhante, mas seja pelo design, seja por ser multiplataforma ( O Cerebro funciona no Linux, no Windows e no macOS), sejam pelos seus plugins, esta é certamente uma aplicação para se conhecer.

Cerebro Linux

Com o Cerebro, você consegue fazer pesquisas no Google, fazer traduções rápidas através do Google Translate, fazer pesquisa nos aplicativos instalados no seu computador, fazer pesquisas por funções e configurações do sistema, entre outros.

Cerebro Settings

Se você abrir ele (a tecla de atalho padrão é CTRL+BARRA DE ESPAÇO) e procurar por "Cerebro Settings", existem algumas opções que você pode definir, inclusive definir o seu país de origem, para ter resultados específicos, definir outra tecla de talho de sua preferência ou até mesmo mudar o tema. Existem outras funções disponíveis para ele via plugins também.

Você pode fazer o download para Linux, Windows e macOS diretamente pelo site do desenvolvedor, nele você também encontra o link par ao GitHub, para caso você queira ver o código da aplicação.

Para Linux existem versões em .deb e AppImage, veja aqui, todas as versões são compatíveis apenas com sistemas de 64 bits.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 2 de maio de 2017

PhotoGIMP 2017.1 está disponível para download!

O blog Diolinux orgulhosamente apresenta a versão 2017.1 do projeto PhotoGIMP, o projeto que procura aproximar usuários do Adobe Photoshop ao GIMP, facilitando a transição entre as duas ferramentas.

PhotoGIMP 2017.1 Diolinux




A migração entre softwares é sempre trabalhosa, especialmente quando este programa é um dos pilares do seu trabalho, como é o caso de muitos profissionais com o Adobe Photoshop.

Eu admito que há casos em que o Photoshop será insubstituível para o usuário, mas francamente, isso depende mais do usuário do que do programa e de seus recursos, visto que existem vários profissionais que trabalham somente com o GIMP há muitos anos, você pode escolher as suas desculpas, mas em "90% dos casos" o motivo está simplesmente no dito workflow e na produtividade.

O costume com atalhos, aparência e localização das ferramentas são fatores eventualmente decisivos para quem não quer usar o GIMP.

O PhotoGIMP é um projeto criado especialmente para quem gostaria de utilizar a ferramenta mas é especialmente acostumado com o Adobe Photoshop, ou pessoas que precisam ou querem transitar entre ambos, sem precisar decorar teclas de atalho muito diferentes entre os dois softwares.

PhotoGIMP 2017.1


O PhotoGIMP não é um novo programa, nem sequer é um "concorrente" do GIMP, muito menos do Photoshop, ele é puramente "o GIMP", mas usando toda a liberdade que o software livre nos proporciona, ele foi modificado intencionalmente para ter um workflow mais parecido com o Photoshop, muitas coisas contidas na versão do ano passado se mantiveram, mas o projeto foi ajustado e simplificado.

PhotoGIMP 2017
PhotoGIMP no Linux Mint Cinnamon

No PhotoGIMP 2017.1 você encontra um novo tema GTK que é capaz de ignorar os outros temas, então, independente de qual tema você use, ao ativar o tema do PhotoGIMP ele se manterá o mesmo, isso garante a compatibilidade perfeita com outras distribuições que não sejam o Ubuntu com o tema Ambiance, como acontecia na versão passada. Esta versão do PhotoGIMP é compatível com todas as distros, independente da interface.

Usuários de Linux Mint comentaram que a versão passada simplesmente não se encaixava no tema do sistema e acabava ficando... bom... muito tosco, para dizer o mínimo, acredito que isso tenha se resolvido, como mostra a imagem acima.

PhotoGIMP 2017.1
PhotoGIMP no Windows 10

A versão para Windows também foi atualizada juntamente e agora suporta o mesmo tema, permitindo exatamente a mesma aparência no Linux e no Windows, o que facilita a migração entre plataformas também. Na verdade, agora não existe mais um PhotoGIMP para Linux e outro para Windows, como era antes, é apenas um que funciona nos dois, ou seja, o projeto foi simplificado.

Os ícones das ferramentas estão maiores também, os principais atalhos do Photoshop fazem parte do PhotoGIMP, assim você não precisa decorar tudo de novo, o tema escurecido garante que você não canse os olhos editando imagens o dia todo e a organização espacial das ferramentas também vai te ajudar a encontrar o que você quiser com maior facilidade. Por exemplo, ferramentas comuns organizadas na barra de ferramentas da esquerda como no Photoshop, camadas na direita em baixo, etc.

PhotoGIMP no Deepin 15.4
O projeto também conta com uma série de brushes novos pré-instalados, ideal para quem gosta de fazer desenho digital também.

Outra correção que foi feita é relacionada a adaptação do tema à resoluções diferentes. Este bug acabava fazendo com que o botão de maximizar "sumisse" do GIMP, agora ele deverá funcionar perfeitamente, independente do tamanho da sua tela e da resolução.


Créditos


Para construir o patch PhotoGIMP nós unimos vários projetos abertos em torno do GIMP condensando em um "produto" final, por isso temos que dar créditos a quem realmente merece, que são os desenvolvedores do GIMP (gimp.org), aos desenvolvedores do tema, este tema (ainda que tenha sido modificado por mim), partiu do tema que será liberado com a futura versão do GIMP (O PhotoGIMP é feito em cima do GIMP 2.8.x), agradecimentos também aos desenvolvedores dos brushes. E por último, mas não menos importante, agradeço a todos que me ajudaram testar a nova versão, especial o Ricardo Venturini Bugim que me ajudou a testar várias etapas do projeto passo a passo.

Como instalar o PhotoGIMP no seu sistema


Vamos aos preparativos: Como eu tinha comentado anteriormente, o PhotoGIMP é um patch, logo, ele necessita do GIMP original instalado previamente, por isso instale no seu sistema da maneira que preferir.

Windows: Faça o download do .exe à partir do site e instale normalmente usando o utilitário de instalação, basicamente você pode avançar nele, não há nenhuma propaganda ou "recurso" extra que será instalado indevidamente.

Linux: Dependendo da distribuição haverão formas diferentes de fazer a instalação, porém, o GIMP está nomeadamente no repositório de todas, basta procurar o pacote "gimp" sem aspas no seu gerenciador de softwares ou central de aplicativos.

GIMP na Central de Apps no Linux Mint


Quem prefere fazer pelo terminal pode usar estes comandos:

Ubuntu/Mint/Debian/Deepin/elementaryOS e derivados:
sudo apt install gimp
Fedora e derivados:
sudo dnf install gimp
Arch/Manjaro/Antergos e derivados:
sudo pacman -S gimp
openSUSE e derivados:
sudo zypper install gimp

Uma vez que o GIMP esteja instalado, agora você só precisa baixar o patch e extrair ele para o local indicado. Os arquivos são os mesmos, tanto para Linux, quanto para Windows.


Com o Patch baixado, você verá que tem "em mãos" um arquivo .zip, dentro dele existem instruções para instalação semelhante ao que você encontra aqui em um arquivo de texto, você pode consultar ele.

O que você deve fazer é substituir a pasta de configurações do GIMP pelo nosso patch PhotoGIMP, no Linux e no Windows ela fica dentro da sua pasta de usuários comuns.

Instalação PhotoGIMP no Linux (distros em geral)


Extraia a pasta .gimp-2.8 contida dentro do arquivo ZIP para a pasta do seu usuário, ela deverá manter o ponto antes do nome para ficar oculta. (atenção para o ponto!)

Exemplo de local para extrair:

/home/diolinux(nome do usuário)/EXTRAIA AQUI!

Instalação do PhotoGIMP no Windows 7/8/10


Para o Windows o processo é semelhante ao do Linux, basta extrair a pasta .gimp-2.8 contida dentro do arquivo ZIP para a pasta do seu usuário que fica dentro do disco C.

Por exemplo

C:\Usuários\Diolinux(nome do usuário)\EXTRAIA AQUI!

Depois de extrair, basta abrir o GIMP normalmente.

Caso a modificação não apareça logo de cara, ou ao menos o tema, com o GIMP aberto, verifique se o tema está selecionado e habilitado.

Vá no menu editar>>preferências>>tema e na lista de temas disponíveis procure pelo "PhotoGIMPDiolinux", selecione e clique no botão "OK" e a mudança deverá ser instantânea.

PhotoGIMP Diolinux

Aproveite o PhotoGIMP e divirta-se! Lembre, este projeto não tem qualquer custo, é disponibilizado para você completamente grátis, então compartilhe a matéria como pagamento, indique para amigos que poderão se interessar! :)

Caso você encontre problemas ou tenha sugestões para edições futuras, por favor deixe nos comentários ou nos envie um e-mail contando as suas ideias, quem sabe elas ajudam a forma uma versão futura do projeto.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 26 de abril de 2017

Como criar e embutir legendas em vídeos usando Linux

Você gostaria de legendar algum vídeo e além de gerar o arquivo da legenda, também gostaria de embutir o arquivo no vídeo final? Então confiras as nossas dicas para você conseguir fazer isso utilizando Linux.

Como criar legendas para vídeos no Linux




Recentemente eu recebi este pedido nos comentários de um dos vídeos no canal, a dúvida consistia em quais ferramentas que poderiam ser utilizadas para criar legendas para vídeos e também como embutir as legendas, depois de finalizadas, em um arquivo final.

Eu tenho certeza que existem muitas outras ferramentas além das que eu vou sugerir aqui, então se você conhece alguma bacana e que não faz parte da minha lista de indicações, fique à vontade para adicionar os nomes através dos comentários do blog.

Programar para redigir legendas no Linux


Primeiro, vamos falar sobre os programas que você pode usar para criar as legendas, neste caso eu tenho 3 sugestões.

1 - Gnome Subtitles

Gnome Subtiles

Todos os editores de legendas que eu pude testar são semelhantes, tanto em aparência, quanto em recursos, então o melhor a se fazer é testar e ver qual você gosta mais.

Este programa está repositório de praticamente todas as distribuições Linux e você encontra mais informações sobre ele, incluindo links para download para todas as distros no seu site oficial.

2  - Gaupol

Gaupol Legendas no Linux

Outra alternativa interessante é um software chamado Gaupol, ele é bem parecido com o Gnome Subtitles, apesar de eu ter achado um pouco mais confuso a adição das legendas, com alguns minutos você se acostuma e depois o trabalho que se segue é quase que automático.

O Gaupol também é encontrado nas centrais de aplicativos e repositórios da maioria das distribuições Linux, mas ao contrário da opção anterior, este programa também tem versão para Windows, então se você gostaria de fazer este trabalho através do sistema da Microsoft, também será possível. Consulte o site oficial para downloads e mais informações.

3 - Aegisub

Aegisub legendas no Linux

A interface é simples também, mas o Aegisub coloca várias coisas interessantes diretamente na frente, como a opções de formatação do texto da legenda, com cores, tamanhos e tipo de fonte bem  à mostra. Se comparado com os outros dois, a sua interface não parece tão simples, mas não se assuste por isso.

O Aegisub também está disponível nos repositórias oficiais da maioria das distribuições Linux, entretanto, caso você use Windows ou macOS, há versões para eles também, basta acessar o site para ter mais informações.

Bônus: Kdenlive

Editando legendas no Kdenlive

Claro, poderia ser qualquer outro editor de vídeo. Diferente dos demais, o Kdenlive não é feito exatamente para legendar, apesar de ser possível. Se a sua intenção é legendar um episódio de uma série, anime ou filme, ou mesmo uma palestra, enfim, vídeos mais longos, certamente o Kdenlive, ou qualquer outro editor não será a opção mais produtiva, porém, para legendar pequenos trechos ele pode ser muito eficaz, especialmente porque você pode renderizar o vídeo com a legenda diretamente dele.

Avidemux - Embutindo legendas em vídeos


Normalmente depois da trabalheira de legendar um vídeo extenso, salvamos o arquivo em formato comum de players de vídeo, comumente .srt, mas podem existir outros também. 

Você, obviamente, pode reproduzir o vídeo em um player e carregar a legenda como um arquivo sem maiores problemas, mas se a sua intenção é disponibilizar o vídeo já com a legenda, por qualquer motivo que seja, você terá de inserir ela no vídeo e renderizá-la junto.

Para fazer isso, o melhor programa que eu conheço é o Avidemux, isso não significa que ele é efetivamente o melhor para fazer o trabalho, é o melhor que EU conheço, mas ele faz muito bem seu trabalho. Se você conhecer outro bacana, fique à vontade para comentar.

Avidemux legendas

O Avidemux é também um editor de vídeos simples, mas tem a função de carregar legendas, o que permite que a gente consiga juntar o texto que produzimos antes no formato .srt com o vídeo em questão.

Provavelmente você vai achar o Avidemux na Central de Programas da sua distribuição, ou no repositório em si, sendo qual seja a sua ferramenta para instalar pacotes, contudo, neste caso eu recomento utilizar a versão disponibilizada no site através do formato AppImage, ele já vem com alguns codecs e possivelmente é uma versão mais atualizada que a do seu repositório.
Leia também: Como usar Apps no formato AppImage
Com o Avidemux aberto, você primeiro deve abrir o vídeo no qual a legenda deverá ser embutida. É importante que seja o mesmo vídeo que você usou como base na hora de criar as legendas com o Gaupol, Gnome Subtitles, Aegisub ou qualquer outro, pois assim os tempos estarão corretos e você não terá tanto trabalho para sincronizar as coisas.

Avidemux - Adicinando legendas

Para abrir o vídeo, basta ir no menu "File>>Open" e escolher o arquivo do vídeo, simples. Você também pode clicar na pastinha logo abaixo de "File".

Para adicionar o seu arquivo de legenda salvo antes, quando você o criou com um dos programas, clique no menu "Video>>Filters", a janela da imagem acima vai se abrir, selecione a opção "Subtitles" no painel da esquerda, no painel central haverá apenas uma opção, dê dois cliques nela e selecione através do gerenciador de arquivos o seu arquivo de legenda .srt (ou outro), se a importação e conversão deu certo, você verá o arquivo no painel da direita.

Só isso! Agora é só exportar o vídeo, vá até o menu "File>>Save", escolha o nome do arquivo final e a pasta de destino, também é possível mudar o formato e usar diversos encoders diferentes.

Agora você já tem o seu vídeo com legenda e tudo mais. 😀

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 18 de abril de 2017

Procurando uma alternativa mais simples para o Photoshop e o GIMP? Conheça o Pixeluvo!

Como eu sempre procuro resolver os problemas dos leitores, ao menos na medida do possível, hoje eu vou apresentar para vocês um editor de imagens que pode ser exatamente o que você estava procurando para realizar os seus trabalhos.

Pixeluvo editor de imagens




Há algum tempo atrás no nosso grupo no Facebook, alguns leitores estavam debatendo sobre a procura por um software que fosse capaz de realizar edições de imagens com um certo nível de complexidade (não tão alto), porém que foi mais simples de utilizar que o GIMP e o Photoshop que tem vários recursos que muitas vezes acabam tornando o uso mais complexo.

Pesquisando por alguma solução que se encaixasse com com este tipo de usuário que prefere não utilizar o GIMP, ainda que ele seja grátis, e também não vê sentido e comprar ou assinar o Photoshop, é que eu acabei encontra o Pixeluvo, comprei uma cópia para mim, sim ele é pago, mas tem um valor relativamente acessível, se compararmos com o produto da Adobe.

Fiz um vídeo bacana para você entender como ele funciona e conhecer as principais ferramentas.



Como você viu no vídeo, eu entrei em contato com os desenvolvedores do Pixeluvo e consegui 5 chaves de ativação para sortear para vocês, para participar do sorteio basta enviar um Tweet pra gente dizendo porque você merece receber a key com a #pixeluvo.

Como essa galera que já está participando:

Pixeluvo Diolinux Twitter

Os vencedores da promoção serão anunciados no canal do Diolinux no Domingo que vem, dia 26 de Março de 2017, então fica ligado! Na Segunda-feira eu faço um post aqui no blog também comentando os vencedores.

Se você quiser comprar o Pixeluvo por sua conta, você pode fazer acessando o site oficial ou através da Steam.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 20 de março de 2017

R-Linux - Ferramenta para recuperação de dados apagados no Linux

Hoje vou mostrar para você uma excelente ferramenta para quem precisa recuperar informações de um HD formatado com o sistema de arquivos Ext2, Ext3 ou Ext4. Conheça o R-Linux!

Recuperando dados no Linux




Quem já teve problema de perda de dados sabe o tamanho da dor de cabeça que isso pode gerar, existem várias boas ferramentas para Windows neste quesito, uma que eu gosto muito por exemplo é o Recuva, mas e para Linux? Como podemos recuperar arquivos em sistemas de arquivos Ext?

Vou te contar uma historinha sobre perda de dados, se você quiser ir direto para o tutorial, seja feliz! É só pular algumas linhas para baixo, vou deixar bem claro onde ele começa! 😉

Nos remotos tempos de 2009 eu trabalhava em uma empresa de tecnologia que era "bem multiuso", sério! Era uma escola de informática, provedor de internet, agência de desenvolvimento de sites, empresa de hospedagem e manutenção de computadores, era muito coisa! Eu trabalhava em todos os setores, em alguns mais, em outros menos.

Certa vez chegou um computador de um cliente com Windows 7 para a nossa "técnica", que não era tão técnica assim. O cliente simplesmente trouxe o computador e nos disse para formatar e instalar o Windows 7 novamente, perguntamos a ele se ele tinha arquivos para salvar, prontamente ele disse que não tinha nenhum arquivo que ele lembrasse ser necessário salvar.

Ótimo, serviço feito, no outro dia ele veio até a empresa buscar a sua máquina, fez o pagamento, levou para a sua casa. No mesmo dia ele apareceu novamente dizendo algo como (vai lá, leia esta parte com intonação):

"- Cadê as fotos do casamento da minha filha?

- Que fotos? [(seu animal!) essa parte foi só em pensamento 😆]

- As fotos! As fotos do casamento da minha filha! Não estão mais no computador!

- Mas o senhor nos disse claramente que NÃO PRECISAVA salvar nenhum arquivo...

- Mas tu tá loko! (sente o gaúches) Só tinha as fotos aqui! E agora!?"

Bom, mesmo que a gente tenha feito a ordem de serviço e ele tendo assinado dizendo que não precisava salvar nada, ele queria as fotos de volta. Como cliente tem sempre razão, lá fomos nós em busca de uma forma de recuperar os dados "do senhor que não sabe o que quer". Sorte dele que eu não tinha a visão de calor do Superman, porque alguém iria derreter na minha frente.

Bom, passamos o resto do dia passando diversos programas para tentar recuperar as fotos, segundo ele, eram cerca de 700 imagens, conseguimos recuperar pouco mais da metade e quando ele finalmente chegou para pegar o computador novamente, o cidadão ainda teve a capacidade de nos dar uma "ótima" notícia:

" - Minha filha tinha as fotos guardadas em um DVD, ela vai me mandar de novo quando vier lá em casa no final de semana, nem precisa mais recuperar nada!"

"Só espero que ele chute a quina da cama do dia seguinte! Só isso!" Pensei eu.

Claro, tem muitos erros e enganos no meio do caminho, a gente deveria ter especificado mais a situação, talvez ele nem soubesse o que a palavra "arquivos" significa, mas em fim, ficou a lição, além de procurarmos especificar sempre o que precisa ou não ser salvo, passamos a fazer backup das coisas independente do que o cliente diga, só apagando os dados depois de ter absoluta certeza de que nada foi perdido.

Programas de recuperar arquivos podem salvar vidas, e dependendo do caso, até tirar algumas também! 😈

Agora começa o tutorial sobre o R-Linux


O R-Linux é um programa muito interessante que eu conhece que permite que você recupere dados de partições Linux formatadas com ExtX, tanto de SSDs, quanto de Discos tradicionais.

R-Linux

Você pode baixar o R-Linux à partir do site oficial, lá você encontra o R-Studio, igualmente compatível com Linux, porém pago, e que tem suporte também para trabalhar com partições NTFS também, você pode testar uma Demo dele antes de comprar. Ambos também estão disponíveis para Windows e Mac, para Linux temos versões de 32 e 64 bits nos formatos .deb e .rpm.


Ao abrir o programa, selecione o disco ou partição que você deseja recuperar dados:

Informações do disco

Depois de selecionado o disco, clica no botão "Scan" que fica na parte superior do programa e veja as informações do disco do lado direito.

Recuperando arquivos

Para recuperar arquivos, você pode clicar com o botão direito sobre a partição/disco que você deseja recuperar e ir na opção "Open Drive Files" onde você chegará a um gerenciador de arquivos:

Recuperando dados

O programa vai escanear o seu disco mostrando os diretórios do lado esquerdo e os arquivos dentro dos diretórios do lado direito, para recuperar um arquivo basta clica com o botão direito sobre o arquivo desejado e clicar em "Recover...", depois disso basta selecionar a pasta de saída para onde você deseja recuperar o seu arquivo. Você também pode recuperar mais um arquivo ao mesmo tempo.

Outra forma que você pode usar para recuperar arquivos é selecionar a "Recover All Files", como está indicado na imagem acima desta última. Desta forma você não vai procurar arquivos específicos e sim recuperar todos os arquivos possíveis, neste caso é bom ter um bom espaço de armazenamento para colocar os arquivos recuperados, observe sempre o tamanho do disco ou partição que você vai recuperar.

Outro recurso do R-Linux que vale a pena comentar é o que de criar imagens de disco:

Criar imagens de disco

Ainda que não seja a função que você vai utilizar mais no R-Linux, essa função permite que você crie uma imagem completa do seu disco rígido, o "problema" é que o formato da imagem de dados que ele cria é compatível somente com ele mesmo, ou seja, você vai precisar do R-Linux para abri-la novamente.

Programas de recuperação de dados são o tipo de software que nós torcemos para que você nunca precise utilizar, mas caso necessite, aqui temos uma boa alternativa.

Outro programa que você pode utilizar, ainda que seja apenas em linha de comando, é o ExtUndelete.

Uma dica importante em caso de perda de dados é você evitar utilizar o sistema operacional o máximo possível, remova do disco do computador e tenta recuperar os dados através de outra máquina, quanto menos atividade no seu disco ou partição alvo da recuperação, melhor. Isso pode evitar que os dados sejam parcialmente ou totalmente sobrescritos e minimiza os problemas.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 28 de fevereiro de 2017