Home » snappy

Canonical cria integração dos pacotes Snap com o GitHub para facilitar a inclusão de softwares na SnapStore

Acho que o tempo em que distribuir softwares para Linux ser considerado algo mercadologicamente complicado por conta da variação entre as distribuições está deixando de existir, tudo isso graças a iniciativas como o Snap, Flatpak e AppImage.

Snapcraft Ubuntu




A Canonical liberou hoje uma nova ferramenta para facilitar a vida dos desenvolvedores na distribuição de softwares para Linux através dos pacotes Snap.

A novidade pode ser acessada através do site build.snapcraft.io e permite algo muito interessante, na verdade, acabei lembrando da nova AppCenter do elementary, até certo ponto a proposta é parecida. A semelhança se deve ao fato de ser possível fazer uma "ligação direta" com o repositório do desenvolvedor do GitHub.

Sabe aqueles momentos em que uma imagem explica melhor do que qualquer palavra, bom, segue o fluxograma do "treco":

Fluxograma de publicações Snap
Basicamente funciona assim: O desenvolvedor conecta a sua conta no GitHub com o Snapcraft e automaticamente o Snapcraft converte o código testado e enviado para o canal master do GitHub para um pacote Snap do software, ainda automaticamente o seu pacote vai para a SnapStore para poder ser instalado via Snap em qualquer distribuição Linux, sendo que o único trabalho após fazer o software em si, seria escolher para qual canal de atualização Snap o novo pacote será colocado, versão Beta, Candidato a lançamento ou versão estável.

Isso se repete automaticamente cada vez que o desenvolvedor lançar uma nova versão, a atualização chegará também aos usuários, caso algum erro aconteça, o desenvolvedor poderá voltar a versão anterior facilmente e consequentemente os usuários terão o downgrade no sistema operacional, mantendo a software utilizável.

Entenda melhor a ferramenta e começa a construir softwares em Snap através das instruções da Canonical.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 1 de junho de 2017

Conheça o capacete industrial de realidade aumentada que roda Ubuntu

Quando dizem que Linux roda até em "batata", literalmente, a galera não está de brincadeira, o Kernel tem a habilidade de poder se adaptar a diferentes tecnologias, e hoje você vai conhecer um capacete de realidade mista que roda o Ubuntu.

Ubuntu Helmet




Uma empresa chamada DAQRI mostrou na  Mobile World Congress de 2017 uma novo capacete de realidade aumentada que roda o Ubuntu com aplicativos Snap.  A ideia da empresa é que o capacete seja utilizado em zonas industriais para facilitar a visualização de informações disponíveis através de IoT.

Imagem térmica do capacete com Ubuntu

A ideia do capacete não é nada parecida com a realidade virtual utilizada nos vídeos games, vai ser algo mais parecido com o filme "Minority Report", mas não tão interativo. Na imagem acima você pode ter uma ideia da visão térmica que o capacete proporciona, indicando a temperatura das tubulações.

O capacete é alimentado pela sexta geração de processadores Intel Core m7, uma câmera de grande ângulo com o seu próprio processador dedicado para aplicações de realidade aumentada.

Saiba mais sobre o produto aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 3 de março de 2017

Ubuntu Snap Manual - Trabalhando com pacotes Snap de forma simples

Os pacotes Snap do Ubuntu estão evoluindo a passos largos e várias aplicações famosas como Krita, LibreOffice, Telegram, Kdenlive e muitos outros já estão disponibilizando versões de seus programas no formato, mas mais do que isso, os Snaps trazem compatibilidade de pacotes entre todas as distros Linux. Aprenda agora como utilizá-los.

Como usar os pacotes Snap




Desde o seu lançamento, os pacotes Snap mudaram um pouco a forma com que manuseamos eles, por exemplo, o comando snap find, que muita gente utilizava, hoje tem funções um pouco diferentes e eu vou colocar aqui para você um verdadeiro manual do Snap, assim você poderá utilizá-lo plenamente.


Os pacotes Snap podem ser utilizados em qualquer distribuição e muitas delas já possuem uma forma fácil de ativar o suporte para eles (vide o link acima), se você ainda não sabe muito bem como os Snaps funcionam, recomendo ler este artigo e este outro, onde comparamos o Snap com o Flatpak para que você possa entender melhor.

Vamos aprender a usar o Snap no Ubuntu e em outras distros


Os comados descritos aqui servem para qualquer distribuição que tenha suporte para o Snap, esta é uma das vantagens deste novo gerenciamento de pacotes, ele acaba com o problema de que "cada distro é diferente", deixando-as assim de certa forma, padronizadas neste aspecto, o que para mim é algo positivo. Um ponto que foi criticado, e com razão, nas primeiras versões, eram os imensos tamanhos dos pacotes, o que parece estar sendo corrigindo, usando bibliotecas padrões compartilhadas, importando de certa forma, a função que o Flatpak também tem.

Principais comandos Snap


Antes de entrarmos em detalhes sobre como você usa o Snap para instalar e remover programas, vamos dar aqui algumas dicas para quem pretende desenvolver os pacotes Snaps e coloca-los na "loja". O repositório de Snaps da Canonical funciona como o Docker Hub por exemplo, onde você encontra de tudo um pouco. Se você for desenvolvedor, é importante ter uma conta no Ubuntu One para poder subir os Snaps para o repositório oficial, caso contrário você terá que distribuí-lo "por fora", da mesma forma que alguns desenvolvedores preferem disponibilizar atualmente um .deb ao invés de criar um PPA.



Para fazer login com a sua conta Ubuntu One na loja Snap pelo terminal para poder manusear o seu repositório use o comando:
snap login meu@email.com 
Para sair:
snap logout meu@email.com 

Como encontrar, baixar e instalar Snaps

Você pode instalar pacotes Snaps sem estar logado sem maiores problemas, como eu sugeri, o login é mais voltado para desenvolvedores. Então aqui você encontrará os comandos básicos para testes do Snap.

O primeiro deles é o find.
snap find nome_do_snap
sudo snap find

Aqui é que temos a primeira variação, antigamente você poderia digitar apenas snap find para listar todos os Snaps disponíveis, mas hoje em dia você precisa colocar uma palavra chave também, isso provavelmente se deve ao fato de que a quantidade de Snaps cresceu incrivelmente, a lista seria muito grande.

Ao usar:
snap find hello
Você receberá uma lista de pacotes Snap que estão no repositório (veja a imagem acima) que contém em alguma parte da descrição do pacote a palavra chave que você pesquisou. Observe as colunas, temos o nome do pacote, seguido pela versão, depois temos o nick name do desenvolvedor, depois notas, e depois o sumário, que normalmente descreve a função do pacote. 

O pacote hello utilizado no exemplo tem exatamente essa função, servir de exemplo para testes, então vamos dizer que você queira instalar o pacote, o comando seria:
snap install hello
Repare que não precisamos usar o sudo para instalar, o que garante que não precisamos utilizar o root para instalar programas, isso torna o sistema mais seguro, afinal, nada terá acesso ao super usuário, nem que seja por um instante, a menos que você permita.

snap install hello

O pacote estará instalado.

Como rodar os pacotes Snap


Para rodar um pacote Snap basta digitar o nome do pacote no terminal, no nosso exemplo, basta digitar hello.
hello
Hello Snap

Como remover os pacotes Snap


Se instalar é fácil, remover também. Seguindo o mesmo conceito dos pacotes deb, para remover um Snap basta usar o comando:
snap remove nome_do_snap
No nosso exemplo:
snap remove hello

Ubuntu Snap Remove

Como atualizar um pacote Snap

Atualizar um Snap é também muito simples:
snap refresh nome_do_snap
No nosso exemplo:
snap refresh hello 
Aqui também existem algumas variações que permitem que você tenha um melhor controle sobre o seu pacote Snap, permitindo que você use uma versão Beta ou em desenvolvimento, caso seja o seu desejo, usando estes parâmetros:
snap refresh nome_do_snap --beta
ou
snap refresh nome_do_snap --beta --devmode
No nosso exemplo:
snap refresh hello --beta
ou
snap refresh hello --beta --devmode

Vale a pena comentar que o parâmetro "devmode" remove as restrições de acesso do Snap, dando a ele acesso completo ao sistema, então use com cuidado.

 Como listar os seus Snaps instalados


Outro comando simples, o list serve para você ver informações sobre os Snaps instalados:
snap list
snap list

Gerenciado os Snaps "Like a PRO" com o uappexplorer-cli


Para quem não sabe, o uAppExplorer é um site que permite instalar aplicativos no Ubuntu Touch da mesma forma que você instala Apps no Android através do site da Play Store. Lá você encontra Snaps e Scopes, Web Apps e outros aplicativos. Nem todos os Apps são compatíveis com a versão desktop, mas os Snaps podem ser instalados. Essa loja não é oficial, mas até mesmo a Canonical a trata com muita consideração, o interessante é que essa "lojinha" também possui uma versão em modo texto que te ajuda a ter mais informações sobre os Snaps e facilita o seu trabalho de listá-los.

Depois que o comando find deixou de listar todos os Snaps, o trabalho de explorar os pacotes ficou mais complicado, mas somente se você não utilizar o uAppExplorer.

O primeiro passo para usar a loja no terminal é instalar:
snap install uappexplorer-cli
Agora você pode usar o uappexplorer-cli para buscar e pesquisar os pacotes Snap dentro do repositório.

Se você apenas digitar:
uappexplorer-cli
O terminal vai te mostrar a primeira página de pacotes da loja uAppExplorer. 

Snap uAppExplorer

Como você pode observar, temos algumas colunas. As principais são a primeira, que informa o nome do pacote Snap que você deve utilizar para instalar usando o comando snap install, a segunda coluna descreve o pacote e a terceira coluna é muito importante, repare que temos tipos diferentes, Apps, Web App, Snap e Scope (que não aparece na imagem acima), os que você pode instalar via Snap são, obviamente, somente os distribuídos em formato Snap, então fique atento a este detalhe.

Na imagem acima você está vendo parte da primeira página de pacotes Snap, no momento deste post existem 114 páginas de pacotes para o Ubuntu Touch com algumas dezenas de Snaps prontinhos para você instalar, então para navegar pelas páginas você pode usar o parâmetro.
uappexplorer-cli -p [numero da página]
Por exemplo:
uappexplorer-cli -p 2
Para ir para a página 2, mude o número de acordo com o número da página que você deseja visualizar.

Você também pode usar o uAppExplorer para pesquisar por algum termo:
uappexplorer-cli -s nome_do_snap
Por exemplo:
uappexplorer-cli -s inkscape
Pesquisando Snap

 Como você pode ver, a pesquisa nos trouxe um resultado do tipo "Snap", segundo a coluna "Type", com o nome do pacote "inkscape", ou seja, para instalar a última versão do Inkscape no Ubuntu ou qualquer outra distro via Snap, basta rodar:
snap install inkscape
Para saber mais opções, tanto do comando Snap, quanto da uAppExplorer-cli rode os comandos:
snap -h
uappexplorer-cli -h


Habilitando e desabilitando Snaps no sistema


Existem vários servidores completos disponibilizados via Snap, e pode ser útil você habilitar e desabilitar os serviços. O procedimento funciona para qualquer Snap, mas pode ser especialmente útil nestes serviços. Para habilitar e desabilitar um pacote Snap no sistema, sem removê-lo:
snap enable nome_do_snap
snap disable nome_do_snap

Outras funções do Snap 


Existem outras funções interessantes que o Snap possui. Os desenvolvedores que quiserem vender programas em formato Snap também poderão fazer. Apesar de eu ainda não ter encontrado Apps pagos, teoricamente você poderia comprá-los com o comando:
snap buy nome_do_snap
Para tal, é necessário estar logado com a sua conta Ubuntu One.

Outro parâmetro bacana é o revert:
snap revert nome_do_snap
Este comando faz com que o pacote Snap que você especificar seja revertido para a versão anterior a ultima atualização, esta é outra grande vantagem do Snap, a opção de Rollback sem precisar modificar o sistema em si, vai ser muito útil quando versões do Kernel e versões de drivers forem disponibilizadas desta forma.

Como comentei anteriormente, você pode usar o comando:
snap -h
Para ver todos os parâmetros do Snap, porém, você pode querer saber mais detalhes sobre o que cada parâmetro faz, basta escolher um e colocar o -h também ao final da linha, por exemplo, para saber mais detalhes sobre o comando revert que eu comentei antes:
snap revert -h
Snap revert

Como você pode ver, o terminal vai te mostrar um resumo da função do comando, juntamente com a forma com que ele deve ser utilizado.

Usando pacotes Snap sem o terminal 


Bom, até agora eu apenas mostrei o gerenciamento de pacotes Snap através do terminal, mas para alegria geral da nação, o Ubuntu Software (Gnome Software) tem suporte para instalação de Snaps, faça o teste, abra a central e digite Snap:

Ubuntu Snap

Serão listados os pacotes Snap disponíveis.

Você pode pesquisar também pelo nome do programa. No exemplo abaixo eu procuro pelo editor de imagens vetoriais, Inkscape, como você pode ver, a central de programas me mostra duas versões, uma que eu instalei através do próprio repositório tradicional e a outra é do formato Snap.

Inkscape Snap

Neste caso a versão de cima é a Snap, para ter certeza de qual é a versão Snap e qual não é, clique no aplicativo e na descrição do mesmo observe a fonte do App:

Inkscape Snap

Se a fonte for algo relacionado ao Ubuntu Snappy, ou Snap, significa que é este tipo de pacote.

Instalar e remover pacotes Snap pela Central de Programas funciona da mesma forma que qualquer outro aplicativo, um clique para instalar, um outro clique para remover. Programas que possuem modo gráfico instalados via Snap pode ser rodados tanto pelo terminal, quanto pela própria interface gráfica, basta procurar o aplicativo no menu dos sistema.

Inkscape

No menu aparecem os dois aplicativos inclusive, a versão instalada através do repositório tradicional em pacotes .deb e a outra, instalada via Snap. Isso só acontece se você tiver instalado as duas versões obviamente.

A grande diferença de instalar e remover Snaps pelo Software Center, é que diferente de um programa "padrão", disponibilizado tradicionalmente via .deb (no caso do Ubuntu) é que não é necessário digitar a sua senha para instalar a aplicação, ou mesmo, removê-la.

Esse mecanismo faz com que o processo de instalação de Apps seja igual ao do Android, no Unity 8 os Snaps também poderão solicitar permissões de acesso a características específicas do computador, como acesso a câmera, ou áudio, etc.

Acho que com isso você já poderá utilizar os pacotes Snap sem problemas, independente da distro. 

Eles são uma grande revolução na forma com que os softwares para Linux são distribuídos, de modo que um desenvolvedor poderá criar um único pacote de software (em snap) que será compatível com todas as distros.

Se novidades vierem, nós lhe informaremos, fique ligado do blog.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Criador do Ubuntu diz que o sistema soluciona o problema de segurança na Internet das Coisas

A Internet das Coisas ou IoT (em inglês) ainda não é uma completa realidade mas é um futuro muito palpável e o Ubuntu é um dos principais sistemas nesta nova onda, entretanto, existem algumas preocupações relacionadas a estas novas tecnologias, especialmente sobre a segurança e atualizações de software dessas plataformas.

Mark Shuttleworth fala sobre IoT



Mark Shuttleworth comentou na última OSCON sobre o papel do Ubuntu na tecnologia de "internet das coisas", alegando que com os pacotes Snap solucionam um dos maiores problemas de utilizar microssistemas em nossas casas para automatizar tarefas "banais" como abrir as cortinas, ligar as luzes, entre outras coisas.
- Saiba mais sobre os pacotes Snap
Diferente da "primeira grande onda" de tecnologia doméstica com os desktops da Apple e os primeiros computadores com Windows, a onda da "internet das coisas" não vem com sistemas proprietários ou que exijam que você pague uma quantia algo para tê-lo e o Ubuntu é um ponto chave de toda esta questão, Mark enfatizou que o modelo Snap é o ideal para este tipo de trabalho que permite atualizações práticas sem comprometer o sistema e possibilidade de reversão simples também em caso de problemas, mas mais do que isso, ele não alegou que o Snap seja necessariamente a melhor opção, mas que o futuro deve seguir nestes moldes.
Leia também: FlatPak e Snap
O Ubuntu Snappy é a versão do sistema da Canonical destinada ao IoT e ele tem sido muito bem aceito como o Ubuntu em servidores, segundo Shuttleworth cerca de 70% do Amazon Web Services, 80% dos sistemas Linux no Azure, 70% das imagens Docker e 65% de sistema OpenStack rodando o Ubuntu atualmente, o que segundo ele, demonstra o quão confiável o sistema é. 

Se formos segmentar, o Ubuntu é a distro mais preparada para internet das coisas atualmente, isso,  mas eu espero que outras também comecem a correr por este caminho, afinal, onde temos competição, temos evolução.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Conheça o Flatpak, um formato de empacotamento concorrente ao Snap

Estão surgindo vários projetos interessantes com o intuito de facilitar a vida de quem pretende instalar um simples pacote de software no Linux (distros em geral). Temos o Snap, desenvolvido pela Canonical para o Ubuntu e para outras distribuições, e além do AppImage, temos também o Flatpak, com uma proposta muito interessante.

FlatPak - Um concorrente ao Ubuntu Snap




O modo como os aplicativos para Linux são distribuídos está em pauta neste ano e é muito provável que os anos vindouros nos guardem algumas surpresas nestes sentido. Recentemente eu fiz um vídeo falando sobre o Ubuntu Snap e como ele poderá fazer diferença para todas as distribuições Linux que os adotarem, mas é bom que você saiba que ele não é a única solução neste sentido.

O que é o Flatpak?


O projeto Flatpak em si é antigo, anteriormente ele era conhecido como XDG-Apps, agora ele só está com um nome mais "bonitinho" e comercial. O projeto surgiu através de um dos engenheiros da Red Hat; Alexander Larsson, o criador "dessa brincadeira", almeja com o Flatpak, basicamente o mesmo que a Canonical almeja com o Snap ou seja:

- Segurança
- Estabilidade
- Portabilidade
- Praticidade

Palavras bonitas sim, mas que merecem uma explicação mais detalhada. 

O Flatpak é um modo de empacotar os softwares para Linux com todas as suas dependências inclusas, tal qual o Snap, a única diferença notável que eu percebi entre ambos, é que o Flatpak também consegue compartilhar bibliotecas existentes entre os pacotes para não duplicá-las, ao contrário do Snap, que por sua vez também tem diferenciais, como a capacidade de rodar também em dispositivos móveis e internet das coisas, isso garante que o tamanho dos pacotes Flatpak sejam consideravelmente menores.

Como funciona o Flatpak?


Se você viu o nossos vídeos sobre o Snap, vai ficar "mão com açúcar" de entender o Flatpak, simplesmente porque o conceito é o mesmo. 

Os aplicativos empacotados no formato Flatpak são "multi-distros", assim como a Canonical anunciou recentemente que o Snap também é, isso permite que o mesmo pacote de software seja instalado no Ubuntu, no Fedora, no Manjaro, em fim, qualquer distribuição, o que sem dúvidas, é muito legal!

O Flatpak também tem a capacidade de rodar as aplicações em Sandbox (tal qual o Snap), dessa forma as aplicações rodam isoladas umas das outras e fazem do sistema algo mais seguro e com uma maior facilidade em fazer downgrades, caso seja preciso, muito útil em um servidor e em desktop.

A diferença do Flatpak para o Snap neste ponto, é que o Flatpak tem a capacidade de economizar um pouco de espaço em disco, pois este empacotamento permite que bibliotecas sejam compartilhadas caso elas já existam no sistema, evitando que alguns MB a mais de espaço sejam tomados.

A equipe de desenvolvimento do Gnome por exemplo, que é muito ativa na construção do Flatpak, já disponibilizou alguns de seus softwares no formato, o LibreOffice por exemplo, também já disponibilizou imagens de seus softwares sob este novo modo de empacotamento.

Pegando o LibreOffice como exemplo, temos a versão Snap com 287 MB e a versão Flatpak com 157 MB. Podemos ver, desta forma, a diferença de tamanhos. 

Por enquanto o Flatpak pode ser rodado apenas em ambientes Gnome e KDE, o que pode limitar um pouco as coisas, entretanto isso deve mudar no futuro. O Snap precisa apenas do utilitário Snapd instalado em qualquer distro para rodar e mais alguns ajustes, o que parece ser mais simples em primeira análise.

O Flatpak também roda com maior segurança sob o servidor gráfico Wayland, apesar de rodar com o X11 também, da mesma forma que o Snap roda melhor sobre o Mir e tem compatibilidade com o X11.

E agora? Flatpak ou Snap?


Pergunta difícil, não? Mas ela tem de ser feita... e cá entre nós, do jeito que as coisas no mundo Linux são tratadas, nós não teremos um padrão tão cedo. Mir vs Wayland, Snap vs Flatpak...

Claramente o que vai fazer diferença aqui é a influência que a Canonical ou a Red Hat terão sob os desenvolvedores, é uma "briga" de gigantes e não sou eu quem vai se meter no meio disso.

Eis um fato interessante, independente de quem acabe predominando, quem tem a ganhar somos nós, usuários.

Cada um dos formatos tem suas peculiaridades, mas como projetos open source  que são, cada um pode acabar recebendo as características do outro ao longo do tempo, tornando ambos mais completos.

No momento o Snap parece ser mais portátil, por rodar não só em computadores comuns e servidores, mas em dispositivos móveis e IoT, tendo seu principal contra no tamanho dos pacotes, enquanto o Flatpak aproveita melhor o espaço em disco e possui algumas limitações quanto ao ambiente em que está rodando, vamos ficar de olho para ver qual vai evoluir melhor.

Façam suas apostas. :)

Acesse: flatpak.org
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 30 de junho de 2016

Pacotes Snap do Ubuntu poderão ser utilizados em outras distros Linux

Podemos estar nos aproximando de uma mudança drástica na forma com que os aplicativos são distribuídos para todas as distros Linux, aproximando-nos do que seria uma espécie de padronização através dos pacotes Snap, criados pela Canonical para o Ubuntu, mas que em breve outras distros poderão estar utilizando.

Ubuntu Snap para outras distros




Os pacotes Snap estão começando a despertar o interesse de outras distribuições, mas antes de um falar sobre isso, talvez seja interessante você entender melhor como funcionam os pacotes Snap, para isso, nós temos dois vídeos inteirinhos, assim você vai compreender do que se trata.



Sobre o tamanho dos pacotes Snap


Em relação ao segundo vídeo, gostaria de fazer um acréscimo interessante. Algumas das pessoas que comentaram nele no YouTube levantaram a questão de o quão problemático para o armazenamento o Snap pode ser, visto que o tamanho dos pacotes são consideravelmente maiores, como eu mesmo questionei no vídeo. A questão ali é que na época eu não levei em consideração um fator determinante, o ambiente em que o Snap estava rodando.

No vídeo eu mostrei o incrível tamanho de uma simples calculadora (127 MB), porém, isso só ocorre dentro do ambiente do Unity 7, a mesma aplicação para o Unity 8, versão usada nos Smartphones, tem menos de 100 KB! Esta é uma informação importante e que eu acabei deixando passar, mas agora estou tentando retificar.

Outra evidência de que o tamanho exacerbado do pacote não reflete a realidade do que será no futuro, é que baseado na quantidade média de armazenamento interno que os Smartphones e Tablets possuem, algo muito aquém dos computadores, mesmo que usem SSDs, os Snaps não podem ser grandes demais ou vão acabar limitando a quantidade de aplicações que poderão ser instalada nos dispositivos, ou seja, faz muito mais sentido uma calculadora com 100 KB do que com 127 MB!

Realmente parece ser uma peculiaridade atual, quando o ambiente for mais receptivo, o tamanho dos Snaps pode diminuir de maneira geral. Espero que você tenha entendido o ponto de vista, mas se você achar interessante, posso fazer um novo vídeo para explicar melhor como deverá funcionar, explicando de outra forma essa questão dos tamanhos dos pacotes, basta deixar um comentário logo abaixo.

Snap para todos

Ubuntu Snap

Eu já expliquei nos vídeos acima como eles devem funcionar, mas se pudéssemos resumir o que seria, a definição seria o seguinte: É um formato de pacote (uma maneira de empacotar software) que permite que o desenvolvedor coloque todas as dependências que o programa precisa dentro do pacote (o Snap). Este pacote pode ser instalado através de uma Central de Aplicativos e pelo terminal (pelo menos atualmente estas são as únicas duas formas, é possível que futuramente tenhamos pacotes .snap ou algo do tipo); uma vez instalados, os pacotes Snap rodam em Sandbox, o que permite uma maior estabilidade do sistema, facilita o dowgrade, caso seja necessário, e fecha ainda mais as portas para pragas virtuais.

É um conceito muito semelhante ao Docker, que é utilizado largamente em servidores, só que para cada aplicação que você usa no seu computador.

Snap em outras distros

Mark Shuttleworth, fundador da Canonical e do Ubuntu, fez um comunicado de imprensa informando que os desenvolvedores de outras distribuições Linux entraram em contato com a Canonical no intuito de trazer os Snaps para seus sistemas. Os principais sistemas dispostos a adotar o formato, além dos derivados diretos do Ubuntu são o Arch Linux, Gentoo e Debian.

Segundo o criador do Ubuntu, tudo que as distribuições vão precisar para rodar os Snaps é ter em seu core é um programa chamado SnapD, que é o que permite que os pacotes Snap funcionem. Um fato interessante aqui é que caso Arch e Gentoo adotem os Snaps, não haverá pacotes do tipo "Firefox-Snap-Arch", "Firefox-Snap-Gentoo" e "Firefox-Snap-Ubuntu", será apenas um "Firefox-Snap" que será compatível com todos os sistemas. Outras distros que já demonstram interessante em adotar o Snap são o openSUSE, CentOS, elementary OS, Fedora e Linux Mint.

A Canonical vem conversando com a Red Hat para implementar o formato também no RHL, porém, ainda não teve uma afirmativa por parte da companhia, que ainda está estudando a possibilidade.

(Parênteses do assunto)
Isso é pra galera ver o quanto essa coisa de "minha distro é melhor que a sua" não faz o melhor sentido. Estamos todos juntos no mesmo barco amiguinhos.

Snap para Android


Até mesmo o sistema operacional da Google poderá rodar os pacotes Snap, segundo a Canonical, o Android já tem recursos suficientes para fazer isso, bastaria a implementação do SnapD para que as coisas funcionassem, isso permitiria que as pessoas instalassem aplicativos de Destkop Linux nos Smartphones e Tablets Android. A reunião de imprensa foi finalizada falando da possibilidade de usar o Snap no Ubuntu on Windows, porém, a Canonical alerta que neste caso o trabalho será maior porque será necessário traduzir algumas system calls para que tudo funcione corretamente.


Será que finalmente teremos um modelo de pacotes universal compatível com qualquer distribuição?

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 15 de junho de 2016

Telegram está disponível no formato Snap para o Ubuntu

Uma aplicação famosa acaba de desembarcar no Ubuntu 16.04 LTS no novo formato de pacotes Snap, trata-se do Telegram em sua versão para o Ubuntu Phone/Tablet, veja como instalar.

Snap Telegram Ubuntu



Aos poucos mais aplicações no formato Snap vão sendo lançadas, agora você pode usar o Telegram através deste formato por exemplo, ajudar a testar a sua estabilidade e funcionamento. Se você não sabe muito bem como funcionam os pacotes Snap confira o vídeo logo abaixo:


Receba vídeos como este.
Para instalar é muito simples. Antes de mais nada tenha certeza de que o seu sistema está atualizado através do "Atualizador de programas", o pacote do Telegram será encontrado através da Ubuntu Software.

Ubuntu Snap Telegram

Quem preferir fazer a instalação pelo terminal pode usar o seguinte comando:
sudo snap install telegram-sergiusens
Depois da instalação o Telegram aparecerá no seu menu, o software tem apenas 23 MB de tamanho para download.

Telegram Ubuntu Snap

Percebi que ao contrário do cliente oficial que nós ensinamos você a instalar há alguns dias, o cliente Snap ainda não tem um integração perfeita  com o Unity 7, algo esperado, visto que ele foi feito para se integrar com o Unity 8, mas sem dúvida, vale o teste, nem que seja para você conhecer como funciona.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




domingo, 15 de maio de 2016

Mozilla será uma das primeiras a lançar pacotes Snap do Firefox para o Ubuntu

Os pacotes Snap estão aos poucos sendo inseridos no ecossistema do Ubuntu, eles, se adotados pela maioria dos desenvolvedores, serão um divisor de águas na forma com que instalamos programas no Linux, os problemas de dependências estarão extintos e a Mozilla parece ser a primeira empresa popular a querer apoiar esta ideia.

Firefox Snap para Ubuntu



A Canonical recentemente renovou a sua parceria com a Mozilla para que o Firefox seja o navegador padrão do Ubuntu para os próximos lançamentos, como parte desta parceria a Mozilla está empenhada em distribuir o Firefox no novo padrão Snap.

O usuário final dificilmente perceberá a diferença entre um formado e outro, porém, tecnicamente o pacote vai funcionar de uma forma diferente. Em breve eu farei um vídeo para explicar como os "Snaps" funcionam, mas por hora, para você entender, basicamente eles funcionam em Sandbox, cada aplicação rodando isolada da outra.
O lançamento do Firefox empacotado no formado Snap deverá acontecer até o final deste ano. 
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 6 de maio de 2016

Ubuntu 16.04 LTS vai suportar os novos pacotes Snappy, veja o que muda no sistema

Uma boa nova esta para chegar no futuro lançamento da Canonical, o Ubuntu 16.04 LTS Xenial Xerus, que sairá muito provavelmente no próximo dia 21 de Abril. Os pacotes Snappy já não são desconhecidos do público, porém, o usuário final ainda não teve oportunidade de ver na práticas os benefícios que eles podem trazer, pelo menos até agora.

Ubuntu Snappy




A Canonical anunciou que o Ubuntu 16.04 LTS Xenial Xerus, o futuro lançamento do sistema, será compatível também com os pacotes Snappy, eles poderão ser instalados lado a lado com os pacotes .deb que são provenientes do Debian e acompanham a distribuição desde o início de sua existência.
Leia também: A revolução do Ubuntu Snappy
Para os usuários finais existirão duas consequências imediatas, os desenvolvedores poderão dar acesso a softwares mais recentes sem se preocupar com dependências, então mesmo que você use uma versão LTS será possível ter a última versão de qualquer software, como KDE, Gnome, etc, sem precisar se preocupar com dependências, que é o que atualmente implica e não podermos ter as últimas versões de tudo em uma LTS que busca ser também muito estável, aliado a isso temos o fator segurança, pacotes Snappy são mais seguros e em caso de eventuais falhas eles são mais facilmente reversíveis. 
Leia também: Conheça o Snapcraft, a ferramenta da Canonical para os desenvolvedores criarem pacotes Snappy
Esta tecnologia já é utilizada nos Smartphones e Tablets com Ubuntu e também no Ubuntu Snappy Core que normalmente é utilizado na "Internet das Coisas", como a ideia da Canonical é ter um sistema convergente, não somente a interface mas todo o sistema em si, é natural que os pacotes que são originalmente dos dispositivos móveis possam ser instalados no computador, ainda que sejam no Unity 7 que é o ambiente gráfico que o Ubuntu 16.04 LTS vai carregar e não o Unity 8.

Outro ponto que vale destacar é que a Canonical garantiu compatibilidade com os pacotes .deb atuais, os desenvolvedores poderão continuar empacotando desta forma, foi salientado que a empresa tem uma ótima relação com a comunidade Debian e que se o projeto decidir poderá adotar o modelo Snappy também.

Fonte
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 14 de abril de 2016

Snapcraft - Conheça a ferramenta da Canonical para construir pacotes Snappy

Uma das grandes mudanças esperadas para o futuro do Ubuntu são os pacotes Snappy que deverão ser utilizados por padrão no lugar dos .deb que são utilizados atualmente; para ajudar os desenvolvedores a construir estes pacotes a empresa lançou uma ferramenta chada Snapcraft.

Snapcraft Ubuntu






O Snapcraft é uma ferramenta feita para os desenvolvedores e usuários poderem criar e gerenciar pacotes Snappy para o Ubuntu Core, ele já vem pré-instalado com o Ubuntu 16.04 LTS que vai sair no final do próximo mês.
Veja as novidades do Ubuntu 16.04 LTS
Para ver exemplos de como utilizar o Snapcraft instale-os através do comando:
sudo apt install snapcraft-examples

Entenda melhor como o Snappy vai mudar o funcionamento do Ubuntu no futuro:



Saiba mais sobre o Snapcraft no site oficial.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 25 de março de 2016

Conheça o robô movido à Ubuntu Snappy que joga futebol #MWC16

Uma das coisas que mais estão chamando a atenção na MWC 2016 onde a Canonical mostrou o seu novo Ubuntu Phone e também o Ubuntu Tablet (que se transforma em desktop) é uma "criatura" que também usa o Ubuntu como sistema operacional.

Ubuntu Core Robot




O Mobile World Congress 2016 de Barcelona está trazendo muitas tecnologias novas para o mercado, uma das coisas que mais estão chamando a atenção é este robozinho que consegue jogar futebol, veja o vídeo.


Estamos acostumados a pensar no Ubuntu em desktops e servidores e aos poucos vamos nos acostumando com a ideia dos Smartphones e Tablets mas existe uma área onde o Ubuntu não fica tão à mostra que a distribuição Linux está liderando em relação às concorrentes, trata-se do setor de IoT (Internet of Things). O sistema da Canonical está sendo utilizado para dar vida a vários projetos diferentes e um deles é este "singelo" robô.

Um desenvolvedor do Ubuntu explicou mais ou menos como ele funciona. Basicamente ele tem o Ubuntu Core como sistema base e alguns aplicativos instalados via Snappy que permitem que ele movimente-se e detecte-se a bola vermelha. Ele é capaz de levantar-se sozinho caso ele caia, como você pode ver no vídeo.

Você pode encontrar mais informações sobre o Robotis OP2 no site oficial dele.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Nova Câmera 3D roda Ubuntu e Android

A Persee está vendendo a primeira câmera/computador tridimensional do mundo, este mercado ainda não está desenvolvido mas apresenta melhoras e aceleração rápida.

Câmera 3D

O sistema de câmeras inteligente da Parsee tem sua própria inteligência e seu sistema operacional pode operar tanto com Android como Ubuntu, o que permite que os programadores possam desenvolver suas próprias aplicações de uma forma bastante simples, ainda mais com a loja de Apps do Ubuntu Core.

A câmera tem um processador Cortex A17 de quatro núcleos de 1.8 GHz, GPU Mali T7 e 2 GB de RAM, o aparelho tem suporte para Linux, Mac OSX e Windows, além do Android, e trabalha com um programa desenvolvido especialmente para ela, a resolução é em HD e seu campo de profunidade conta com a resolução 640x480.

Câmeras deste tipo podem ser usadas em vários segmentos, ela tem a habilidade de rastrear e identificar precisamente objetos e pessoas, uma aplicação clara para o mercado de segurança, além de identificar melhor a profundidade de um cenário e objetos nele ela pode ser usada para reconhecimento facial.

Outra aplicação possível é usá-la para fazer impressões em 3D, trabalhos em robótica e outros projetos interativos, semelhante a tecnologia Holo Lens apresentada pela Microsoft. O pacote mais barato desta câmera custa cerca de R$ 700,00.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 24 de novembro de 2015

MagicStick - O mais poderoso computador em forma de pen drive que roda Ubuntu, Windows e Android

Tecnologia é sempre assim, "aumenta em potência, diminui em tamanho", e parece que o MagicStick está levando esta levando este lema muito a serio. O pequeno computador será disponibilizado para o público com Ubuntu Core e Windows.

MagicStick Ubuntu e Windows

Portátil e poderoso!


O MagickStick é um computador portátil que ganhou bastante destaque no IndiGoGo, ele usa processador Intel e pretende ser o tão potente quanto um computador deste porte pode ser, confira o vídeo demonstrativo.


O vídeo acima foi produzido para a campanha de crowfounding e mostra o Windows sendo usado sumariamente, entretanto, os pedidos foram tantos que as os desenvolvedores colocaram o Ubuntu como sistema operacional opcional para os interessados.

MagicStick

Mas ao contrário do que se possa pensar, o Ubuntu incorporado como opção do MagicStick não será o "padrão" com a interface Unity que todos conhecemos e sim o Ubuntu Core, a versão do sistema para "a internet das coisas", onde o Ubuntu poderá se tornar aplicações com finalidades muito diferentes, desde um browser, até um sistema automático de inteligência para controlar a sua casa.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Ubuntu 16.04 LTS vai dar suporte a drivers de vídeo AMD, Nvidia e Intel no formato Snappy

O empacotamento Snappy começa a dar bons passos para ser adotado no futuro, o fundador da Canonical, Mark Shuttleworth, afirmou que no Ubuntu 16.04 LTS Snappy, os drivers de vídeo proprietários serão compatíveis através deste empacotamento.

Snappy Ubuntu 16.04 LTS

Uma ótima notícias para todos os que gostam do Ubuntu e já utilizam o Ubuntu Snappy em dispositivos embarcados, ou que querem ficar por dentro das novidades do sistema. 

O Snappy é um grande diferencial do sistema que vem sendo empregado nas versões do Ubuntu utilizada na "Internet das Coisas", nós já explicamos como funciona o Snappy e como ele será útil para a versão desktop do Ubuntu, porém, não haviam grandes notícias relacionando o Snappy com o seu PC.

Um dos "problemas" que um sistema operacional tem de enfrentar ao ir para o mercado é o suporte as placas gráficas das marcas populares, Intel, Nvidia e AMD. Até o momento o Snappy Ubuntu Core não tinha perspectiva de suporta para essas tecnologias, sendo rodado exclusivamente em sistemas embarcados, o passo a diante virá no Ubuntu 16.04 LTS, Xenial Xerus.

Shuttleworth informou em uma lista de discussão do Ubuntu que a próxima LTS tratá suporte para os drivers binários de Nvidia, AMD e Intel através do empacotamento Snappy.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Michael Vogt anuncia nono lançamento do Snappy Ubuntu Core 15.04

O Snappy é algo que já vem sendo anunciado e trabalhado há algum tempo pela Canonical. Algo que promete melhorias para o sistema. Acompanhe aqui no Diolinux, a notícia sobre o assunto.


Michael Vogt anuncia nono lançamento do Snappy Ubuntu Core 15.04


Ontem, Michael Vogt anunciou a nona imagem do sistema operacional Snappy Ubuntu Core 15.04. Michael postou a seguinte mensagem para o seu anuncio:
Olá mundo snappy,
Estamos felizes em anunciar um novo lançamento estável do Snappy Ubuntu Core stable release (imagem número 9 na versão estável 15.04).
De acordo com o anuncio feito por Michael Vogt, esse novo lançamento traz suporte para módulos carregáveis via ubuntu-core-config tool, suporte básico a Store Channels, bem como melhorias em testes e correções de bugs.

A nova atualização é baseada no Ubuntu 15.04 (Vivid Vervet) e está disponível para download para amd64+generic e armhf+bbb.

O Snappy Ubuntu Core é uma edição especial do sistema operacional Ubuntu Core que utiliza os pacotes Snappy ao invés dos tradicionais padrões baseados no Debian. É um sistema fortemente focado em sistemas embarcados e dispositivos para IoT e que permite atualizações tradicionais com funcionalidade rollback, bem como segurança extra.

Quer saber mais sobre o Snappy? Assista então ao vídeo no Diolinux:

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 27 de outubro de 2015

Erle-Spider: Ubuntu será usado para controlar um drone na forma de aranha

Um novo projeto de financiamento coletivo despontou no IndieGOGO e tem uma ideia no mínimo curiosa, vem dar uma olhada...

Erle-Spider com Ubuntu

Spiderbuntu?


O Ubuntu Snappy acaba de ganhar mais um desafio, fazer com que uma aranha robótica funcione perfeitamente. 

A empresa Erle-Robotics, popular por suas criações lançou recentemente um drone (comum, desses que voam sabe?) com o Ubuntu - conheça o Erle-Copter aqui - mas parece que a nova empreitada "ganhou pernas", literalmente.

Erle-Spider

Confira o vídeo demonstrativo:


E para que serve?


Pois é, isso eu não sei, me diga você! Aparentemente nem os desenvolvedores tem uma ideia clara do que a Erle-Spider é capaz de fazer, uma vez que ela vem com o Ubuntu Snappy e sua central de aplicações você pode programar ela para fazer qualquer coisa.

Erle-Spider


Bombeiros poderiam usar ela para acessar locais difíceis por exemplo, afim de salvar as vítimas de algum acidade. Criatividade é algo essencial nestas horas.

Como comentei no início, o projeto está em uma campanha de financiamento coletivo para tirar o projeto do papel, no atual momento 39% do valor foi atingido e ainda restam pouco mais de 20 dias para o final da campanha. Se você quiser conhecer ou ajudar clique aqui.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 2 de outubro de 2015