Home » tutorial

O que fazer depois de instalar o Fedora 25

O Fedora 25 foi lançado há algumas semanas e nós temos um ótimo material para compartilhar com você que gosta desta distribuição. O Fedora é um pouco menos user friendly do que o Ubuntu e o Linux Mint, sendo que a utilização do terminal é praticamente obrigatória para fazer todos os procedimentos de pós instalação, mas isso não quer dizer que seja mais difícil e menos satisfatório, confira agora as principais dicas para você deixar o seu novo Fedora 25 "redondinho".

Fedora 25 pós instalação




O vídeo que você vai ver foi preparado pelo Renato Araujo no canal Oficina do Tux, nosso parceiro, confira agora as dicas dadas por ele:


Sintetizando os passos nos temos:

1 - Atualizar o sistema
sudo dnf update
2 - Drivers de Vídeo (Nvidia) no Fedora

3 -  Fedy

Estas são as principais ferramentas e passos para você deixar o Fedora 25 pronto para o seu uso, para baixar essa nova versão do Fedora acesse este artigo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

ttf-mscorefonts-installer erro no Ubuntu, veja como resolver.

Recentemente o pacote de instalação de fontes ttf do Ubuntu corrompeu seus links fazendo com que os usuários recebem a mensagem de erro que indica uma falha no pacote "ttf-mscorefonts-installer", ainda que as fontes em si estejam instaladas, veja agora como resolver este problema.

ttf-mscorefonts-installer erro no Ubuntu



Este é um erro relativamente simples de resolver, é provável que a Canonical conserte o problema em breve, mas se você não quiser esperar e ainda de quebra, remover essa janelinha chata do seu sistema, vamos fazer alguns procedimentos.

Basicamente, o problema é o pacote com links errados, aparentemente as fontes mudaram de endereço e o pacote ficou obsoleto, mas podemos usar um pacote deb empacotado por outra distro para contornar a situação, no caso o Debian.

Corrigindo o problema


Você pode resolver instalando este pacote .deb, recomendo remover o ttf-mscorefonts-installer atualmente instalado, mas isso não chega a ser essencial, a instalação pode demorar um pouco mais que o normal, pois é necessário instalar várias fontes e fazer o download das mesmas.

Se você preferir fazer pelo terminal, é possível também, assim você consegue acompanhar detalhadamente a evolução do processo:
sudo apt purge ttf-mscorefonts-installer
wget http://ftp.de.debian.org/debian/pool/contrib/m/msttcorefonts/ttf-mscorefonts-installer_3.6_all.deb -P ~/Downloads
sudo apt install ~/Downloads/ttf-mscorefonts-installer_3.6_all.deb
Rode um comando por vez, aguarde o término da ação e problema resolvido.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Cool Retro Term - Um terminal cheio de estilo para você usar no Ubuntu e no Linux Mint

Que tal dar uma incrementada no visual do seu terminal e ainda dar um visual retrô para ele para se sentir um "hacker das antigas"? Conheça agora o belo Cool Retro Term.

Ubuntu Cool Retro Term




O Cool Retro Term não traz para o usuário nenhuma utilidade prática diferenciada de um aplicativo de terminal, sem grande diferencial é a sua aparência mesmo e seus vários temas. Através do menu "Profiles" você poderá escolher entre 9 temas diferentes, confira:

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

Cool Retro Term

As imagens não conseguem representar completamente, mas todos os temas tem animações nas suas telas e você encontra mais algumas opções de personalização nas configurações do aplicativo, como remover as bordas que lembram um televisor antigo.

Como instalar no Ubuntu e no Linux Mint


A instalação no Ubuntu ou no Linux Mint é feita através de um PPA.

PPA: ppa:noobslab/apps


Se você preferir fazer pelo terminal:
sudo add-apt-repository ppa:noobslab/apps 
sudo apt-get update
sudo apt install cool-retro-term
Você encontrará o aplicativo diretamente no menu do seu sistema.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Como instalar o tema Stupendously Hot Charmander no Ubuntu

Em 2015 nós mostramos aqui um projeto conceitual chamado "Charmander Projetc", ele era uma sugestão visual para o Ubuntu com Unity muito bonita e agradável aos olhos. O que era só um conceito começou a ser passado para a realidade e atualmente já temos um tema disponível para testes que ainda está sendo aprimorado, mas que já está muito bonito.

Stupendously-Hot-Charmander





O tema Stupendously Hot Charmander é uma tema muito belo que procurar juntar características de design flat com o material design, confira algumas imagens dele:

Stupendously-Hot-Charmander

Stupendously-Hot-Charmander

Stupendously-Hot-Charmander

Como instalar este belo tema no seu Ubuntu?


O tema está disponível no GitHub e possui um script de instalação, então vamos precisar usar o terminal para instalar o tema. Abra o terminal e cole os seguintes comandos:
sudo apt-get install git
git clone https://github.com/btd1337/Stupendously-Hot-Charmander
cd Stupendously-Hot-Charmander
./installer.sh
Ao final do processo do último comando o tema já estará instalado e configurado no seu computador. Você pode usar o Unity Tweak Tool para fazer ajustes finos no tema ou voltar ao tema original do sistema, porém, caso você queira resetar o tema do sistema, basta rodar este comando dentro da pasta do tema:
cd Stupendously-Hot-Charmander
./reset-theme.sh
Eu ainda recomendo usar o Unity Tweak Tool e ajustar os temas por lá, você encontra o programa no menu do Ubuntu, os temas padrão do Ubuntu são o "Ambiance" para o tema GTK e o "Ubuntu-mono-dark"  para os ícones.

Quer saber mais sobre o tema Stupendously Hot Charmander e acompanhar ou ajudar no desenvolvimento do mesmo? Acesse a página no GitHub do projeto.


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Como exibir o ícone do Dropbox na barra do Cinnamon - Linux Mint

O Linux Mint com Cinnamon é uma distribuição excelente, sobretudo para quem é iniciante no Linux, mas o ambiente gráfico tem um pequeno "problema", que é não ter o suporte para alguns indicadores por padrão, isso faz com que o ícone do popular Dropbox não apareça na área de notificações, veja como contornar o problema.

Linux Mint Dropbox




Você pode instalar o Dropbox normalmente, usando o pacote .deb do site ou usando a central de programas do Linux Mint, independente do método, agora você precisa fazer um ajuste para que o ícone apareça.

Linux Mint Dropbox


Siga o seguinte caminho:
System settings >> General >> Enable support for indicators
Ou em português:
Configurações do Sistema>>Geral>>Habilitar suporte para indicatores
Encerre a sessão e logue-se novamente, o ícone deverá aparecer normalmente na área de notificação, perto do relógio.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como instalar o Dropbox no elementary OS com integração com o WingPanel

Eu estava testando a última versão do elementary OS há algumas semanas, instalado os programas que eu uso normalmente. Sendo o Dropbox um deles, eu percebi que o popular serviço de armazenamento em nuvem não tem uma boa integração com o sistema, mas isso pode ser resolvido, veja como.

elementary OS Dropbox icon




A ideia do artigo é conseguir uma integração perfeita do Dropbox com o sistema, ficando de forma natural e também bonita, semelhante a esta imagem

Dropbox elementary OS

Para fazer o ajuste você vai precisar do terminal e rodar um comando, basta copiar e colar:
git clone https://github.com/zant95/elementary-dropbox /tmp/elementary-dropbox bash /tmp/elementary-dropbox/install.sh
Encerre a sessão se logue-se novamente para garantir a modificação, caso você queira remover, apenas rode este comando:
git clone https://github.com/zant95/elementary-dropbox /tmp/elementary-dropbox bash /tmp/elementary-dropbox/uninstall.sh
Atente para o detalhe de que é necessário ter o git instalado para fazer o download, então caso ocorra algum problema, instale o git antes:
sudo apt install git 
Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Ubuntu Snap Manual - Trabalhando com pacotes Snap de forma simples

Os pacotes Snap do Ubuntu estão evoluindo a passos largos e várias aplicações famosas como Krita, LibreOffice, Telegram, Kdenlive e muitos outros já estão disponibilizando versões de seus programas no formato, mas mais do que isso, os Snaps trazem compatibilidade de pacotes entre todas as distros Linux. Aprenda agora como utilizá-los.

Como usar os pacotes Snap




Desde o seu lançamento, os pacotes Snap mudaram um pouco a forma com que manuseamos eles, por exemplo, o comando snap find, que muita gente utilizava, hoje tem funções um pouco diferentes e eu vou colocar aqui para você um verdadeiro manual do Snap, assim você poderá utilizá-lo plenamente.


Os pacotes Snap podem ser utilizados em qualquer distribuição e muitas delas já possuem uma forma fácil de ativar o suporte para eles (vide o link acima), se você ainda não sabe muito bem como os Snaps funcionam, recomendo ler este artigo e este outro, onde comparamos o Snap com o Flatpak para que você possa entender melhor.

Vamos aprender a usar o Snap no Ubuntu e em outras distros


Os comados descritos aqui servem para qualquer distribuição que tenha suporte para o Snap, esta é uma das vantagens deste novo gerenciamento de pacotes, ele acaba com o problema de que "cada distro é diferente", deixando-as assim de certa forma, padronizadas neste aspecto, o que para mim é algo positivo. Um ponto que foi criticado, e com razão, nas primeiras versões, eram os imensos tamanhos dos pacotes, o que parece estar sendo corrigindo, usando bibliotecas padrões compartilhadas, importando de certa forma, a função que o Flatpak também tem.

Principais comandos Snap


Antes de entrarmos em detalhes sobre como você usa o Snap para instalar e remover programas, vamos dar aqui algumas dicas para quem pretende desenvolver os pacotes Snaps e coloca-los na "loja". O repositório de Snaps da Canonical funciona como o Docker Hub por exemplo, onde você encontra de tudo um pouco. Se você for desenvolvedor, é importante ter uma conta no Ubuntu One para poder subir os Snaps para o repositório oficial, caso contrário você terá que distribuí-lo "por fora", da mesma forma que alguns desenvolvedores preferem disponibilizar atualmente um .deb ao invés de criar um PPA.



Para fazer login com a sua conta Ubuntu One na loja Snap pelo terminal para poder manusear o seu repositório use o comando:
snap login meu@email.com 
Para sair:
snap logout meu@email.com 

Como encontrar, baixar e instalar Snaps

Você pode instalar pacotes Snaps sem estar logado sem maiores problemas, como eu sugeri, o login é mais voltado para desenvolvedores. Então aqui você encontrará os comandos básicos para testes do Snap.

O primeiro deles é o find.
snap find nome_do_snap
sudo snap find

Aqui é que temos a primeira variação, antigamente você poderia digitar apenas snap find para listar todos os Snaps disponíveis, mas hoje em dia você precisa colocar uma palavra chave também, isso provavelmente se deve ao fato de que a quantidade de Snaps cresceu incrivelmente, a lista seria muito grande.

Ao usar:
snap find hello
Você receberá uma lista de pacotes Snap que estão no repositório (veja a imagem acima) que contém em alguma parte da descrição do pacote a palavra chave que você pesquisou. Observe as colunas, temos o nome do pacote, seguido pela versão, depois temos o nick name do desenvolvedor, depois notas, e depois o sumário, que normalmente descreve a função do pacote. 

O pacote hello utilizado no exemplo tem exatamente essa função, servir de exemplo para testes, então vamos dizer que você queira instalar o pacote, o comando seria:
snap install hello
Repare que não precisamos usar o sudo para instalar, o que garante que não precisamos utilizar o root para instalar programas, isso torna o sistema mais seguro, afinal, nada terá acesso ao super usuário, nem que seja por um instante, a menos que você permita.

snap install hello

O pacote estará instalado.

Como rodar os pacotes Snap


Para rodar um pacote Snap basta digitar o nome do pacote no terminal, no nosso exemplo, basta digitar hello.
hello
Hello Snap

Como remover os pacotes Snap


Se instalar é fácil, remover também. Seguindo o mesmo conceito dos pacotes deb, para remover um Snap basta usar o comando:
snap remove nome_do_snap
No nosso exemplo:
snap remove hello

Ubuntu Snap Remove

Como atualizar um pacote Snap

Atualizar um Snap é também muito simples:
snap refresh nome_do_snap
No nosso exemplo:
snap refresh hello 
Aqui também existem algumas variações que permitem que você tenha um melhor controle sobre o seu pacote Snap, permitindo que você use uma versão Beta ou em desenvolvimento, caso seja o seu desejo, usando estes parâmetros:
snap refresh nome_do_snap --beta
ou
snap refresh nome_do_snap --beta --devmode
No nosso exemplo:
snap refresh hello --beta
ou
snap refresh hello --beta --devmode

Vale a pena comentar que o parâmetro "devmode" remove as restrições de acesso do Snap, dando a ele acesso completo ao sistema, então use com cuidado.

 Como listar os seus Snaps instalados


Outro comando simples, o list serve para você ver informações sobre os Snaps instalados:
snap list
snap list

Gerenciado os Snaps "Like a PRO" com o uappexplorer-cli


Para quem não sabe, o uAppExplorer é um site que permite instalar aplicativos no Ubuntu Touch da mesma forma que você instala Apps no Android através do site da Play Store. Lá você encontra Snaps e Scopes, Web Apps e outros aplicativos. Nem todos os Apps são compatíveis com a versão desktop, mas os Snaps podem ser instalados. Essa loja não é oficial, mas até mesmo a Canonical a trata com muita consideração, o interessante é que essa "lojinha" também possui uma versão em modo texto que te ajuda a ter mais informações sobre os Snaps e facilita o seu trabalho de listá-los.

Depois que o comando find deixou de listar todos os Snaps, o trabalho de explorar os pacotes ficou mais complicado, mas somente se você não utilizar o uAppExplorer.

O primeiro passo para usar a loja no terminal é instalar:
snap install uappexplorer-cli
Agora você pode usar o uappexplorer-cli para buscar e pesquisar os pacotes Snap dentro do repositório.

Se você apenas digitar:
uappexplorer-cli
O terminal vai te mostrar a primeira página de pacotes da loja uAppExplorer. 

Snap uAppExplorer

Como você pode observar, temos algumas colunas. As principais são a primeira, que informa o nome do pacote Snap que você deve utilizar para instalar usando o comando snap install, a segunda coluna descreve o pacote e a terceira coluna é muito importante, repare que temos tipos diferentes, Apps, Web App, Snap e Scope (que não aparece na imagem acima), os que você pode instalar via Snap são, obviamente, somente os distribuídos em formato Snap, então fique atento a este detalhe.

Na imagem acima você está vendo parte da primeira página de pacotes Snap, no momento deste post existem 114 páginas de pacotes para o Ubuntu Touch com algumas dezenas de Snaps prontinhos para você instalar, então para navegar pelas páginas você pode usar o parâmetro.
uappexplorer-cli -p [numero da página]
Por exemplo:
uappexplorer-cli -p 2
Para ir para a página 2, mude o número de acordo com o número da página que você deseja visualizar.

Você também pode usar o uAppExplorer para pesquisar por algum termo:
uappexplorer-cli -s nome_do_snap
Por exemplo:
uappexplorer-cli -s inkscape
Pesquisando Snap

 Como você pode ver, a pesquisa nos trouxe um resultado do tipo "Snap", segundo a coluna "Type", com o nome do pacote "inkscape", ou seja, para instalar a última versão do Inkscape no Ubuntu ou qualquer outra distro via Snap, basta rodar:
snap install inkscape
Para saber mais opções, tanto do comando Snap, quanto da uAppExplorer-cli rode os comandos:
snap -h
uappexplorer-cli -h


Habilitando e desabilitando Snaps no sistema


Existem vários servidores completos disponibilizados via Snap, e pode ser útil você habilitar e desabilitar os serviços. O procedimento funciona para qualquer Snap, mas pode ser especialmente útil nestes serviços. Para habilitar e desabilitar um pacote Snap no sistema, sem removê-lo:
snap enable nome_do_snap
snap disable nome_do_snap

Outras funções do Snap 


Existem outras funções interessantes que o Snap possui. Os desenvolvedores que quiserem vender programas em formato Snap também poderão fazer. Apesar de eu ainda não ter encontrado Apps pagos, teoricamente você poderia comprá-los com o comando:
snap buy nome_do_snap
Para tal, é necessário estar logado com a sua conta Ubuntu One.

Outro parâmetro bacana é o revert:
snap revert nome_do_snap
Este comando faz com que o pacote Snap que você especificar seja revertido para a versão anterior a ultima atualização, esta é outra grande vantagem do Snap, a opção de Rollback sem precisar modificar o sistema em si, vai ser muito útil quando versões do Kernel e versões de drivers forem disponibilizadas desta forma.

Como comentei anteriormente, você pode usar o comando:
snap -h
Para ver todos os parâmetros do Snap, porém, você pode querer saber mais detalhes sobre o que cada parâmetro faz, basta escolher um e colocar o -h também ao final da linha, por exemplo, para saber mais detalhes sobre o comando revert que eu comentei antes:
snap revert -h
Snap revert

Como você pode ver, o terminal vai te mostrar um resumo da função do comando, juntamente com a forma com que ele deve ser utilizado.

Usando pacotes Snap sem o terminal 


Bom, até agora eu apenas mostrei o gerenciamento de pacotes Snap através do terminal, mas para alegria geral da nação, o Ubuntu Software (Gnome Software) tem suporte para instalação de Snaps, faça o teste, abra a central e digite Snap:

Ubuntu Snap

Serão listados os pacotes Snap disponíveis.

Você pode pesquisar também pelo nome do programa. No exemplo abaixo eu procuro pelo editor de imagens vetoriais, Inkscape, como você pode ver, a central de programas me mostra duas versões, uma que eu instalei através do próprio repositório tradicional e a outra é do formato Snap.

Inkscape Snap

Neste caso a versão de cima é a Snap, para ter certeza de qual é a versão Snap e qual não é, clique no aplicativo e na descrição do mesmo observe a fonte do App:

Inkscape Snap

Se a fonte for algo relacionado ao Ubuntu Snappy, ou Snap, significa que é este tipo de pacote.

Instalar e remover pacotes Snap pela Central de Programas funciona da mesma forma que qualquer outro aplicativo, um clique para instalar, um outro clique para remover. Programas que possuem modo gráfico instalados via Snap pode ser rodados tanto pelo terminal, quanto pela própria interface gráfica, basta procurar o aplicativo no menu dos sistema.

Inkscape

No menu aparecem os dois aplicativos inclusive, a versão instalada através do repositório tradicional em pacotes .deb e a outra, instalada via Snap. Isso só acontece se você tiver instalado as duas versões obviamente.

A grande diferença de instalar e remover Snaps pelo Software Center, é que diferente de um programa "padrão", disponibilizado tradicionalmente via .deb (no caso do Ubuntu) é que não é necessário digitar a sua senha para instalar a aplicação, ou mesmo, removê-la.

Esse mecanismo faz com que o processo de instalação de Apps seja igual ao do Android, no Unity 8 os Snaps também poderão solicitar permissões de acesso a características específicas do computador, como acesso a câmera, ou áudio, etc.

Acho que com isso você já poderá utilizar os pacotes Snap sem problemas, independente da distro. 

Eles são uma grande revolução na forma com que os softwares para Linux são distribuídos, de modo que um desenvolvedor poderá criar um único pacote de software (em snap) que será compatível com todas as distros.

Se novidades vierem, nós lhe informaremos, fique ligado do blog.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Loja Steam não abre no Wine, veja como corrigir o problema

Existem várias formas de você jogar no Linux, mas certamente a Steam é a mais popular. O cliente para Linux nativo já funciona muito bem, mas pode haver alguns games que você queira jogar que não estejam disponíveis na plataforma, para isso você instala o Steam de Windows pelo Wine e se diverte.

Wine Steam Store




Muitas games podem ser rodados através do Wine e da Steam Windows, eu já mostrei como instalar ela no Linux neste tutorial:


Normalmente, simplesmente instalar a Steam assim é o suficiente para jogar vários títulos, porém, alguns leitores relataram que ao instalar a Steam Windows pelo Wine a loja de games, a Steam Store, simplesmente não funciona, ela fica carregando infinitamente e não mostra nada.

Agora você verá como corrigir este problema com ajuda do Junior Freire e dos nossos parceiros do Oficina do Tux:


Pronto, agora você pode instalar os jogos de Windows no Linux pela Steam sem problemas, inclusive comprar novos títulos.

O tutorial consiste basicamente em adicionar o parâmetro:
-no-cef-sandbox
A inicialização do seu prefixo do Wine no PlayOnLinux, se tiver dúvida, reveja o vídeo acima, mas acredito que você não terá mais problemas.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

F.LUX - Regule o brilho e a temperatura do monitor do seu computador automaticamente

Essa é uma daquelas dicas que você vai lembrar de ter conhecido aqui caso você não conheça esse tipo de programa. Sim, "este tipo" de programa, porque há algum tempo eu falei sobre o RedShift, que tem exatamente a mesma proposta, vinha utilizando-o deste então, mas assim que mexi no f.lux, percebi a sua qualidade.

Flux no Ubuntu




O f.lux (sim, se escreve com o ponto) é um aplicativo de calibragem de temperatura de monitor automática baseada na sua localização. Se você, como eu, passa muitas horas por dia em frente ao computador, um aplicativo deste é essencial para não cansar os seus olhos, ou pelo menos, para não cansar tanto.

Como baixar o f.lux para o seu sistema


O aplicativo é multiplataforma, então você pode usar em vários sistemas diferentes, em várias distros inclusive. Como o foco do blog é o Ubuntu, Linux Mint e seus derivados, o tutorial seguirá por aí, mas você pode encontrar outros pacotes no site oficial.

Para o Ubuntu ou Mint, você pode usar este PPA: ppa:nathan-renniewaldock/flux


Quem prefere usar o terminal pode fazer assim:
sudo add-apt-repository ppa:nathan-renniewaldock/flux
sudo apt update
sudo apt install fluxgui
Os comandos acima também servem para o Linux Mint, além do Ubuntu, porém, quem preferir baixar um pacote .deb e dar dois cliques para instalar também pode fazer, basta baixar direto do Launchpad.

Como configurar o f.lux no sistema?


Essa parte é fácil, abra ele pelo menu do seu sistema, o programa vai ficar na área de notificações em formato de ícone ou indicador, clique nele e vá em "Preferences" e vamos configurá-lo.

Configurações o f.lux

Ao abrir ele você já vai perceber uma mudança na tonalidade da sua tela, isso pode ser ajustado de maneira mais fina através das opções contidas em "Nighttime color temperature", mas para deixar a coisa mais interessante, é legal você colocar as suas informações de latitude e longitude para que o programa saiba regular a tonalidade de acordo com a hora do dia.

"- Deve ser difícil fazer isso!? 
  - Nem é!"

Na mesma tela (essa aí de cima), clique no link "Find your latitude and longitude" e o seu navegador padrão vai se abrir numa página que vai te ajudar a encontrar os valores.

Configurando o FLux

Neste caso você tem duas opções, você pode permitir que o site detecte a sua localização ou você pode digitar a sua cidade, de qualquer forma, ele vai te dar um número, basta você copiar e colocar no campo de Latitude no programa, pode ser somente nele mesmo, vai funcionar tranquilo, afinal o nosso planeta gira de uma forma só! 😆

Dependendo do horário que você fizer isso, a diferença vai ser mais perceptível, especialmente se for perto da noite. Nas configurações de preferências você também pode habilitar a opção do f.lux iniciar junto com o sistema, assim você não precisa ficar abrindo ele toda vez.

Certamente, seus olhos agradecem.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Sombras realistas no GIMP

As sombras são uma parte fundamental de qualquer desenho artístico ou montagem, elas são capazes de dar vida, noção de espaço e um senso de realidade fora do comum quando aplicadas corretamente.

Hoje você vai aprender a trabalhar um pouco com sombras no editor de imagens GIMP.

GIMP - Trabalhando com sombras




Quem vai te ensinar um pouco sobre sombras em montagens com o GIMP é nosso amigo e parceiro Thiago Abreu, do canal Thiago Abreu Design
Leia também: 17 dicas para você turbinar o GIMP
Confira o vídeo completo:


Gostou da vídeo aula? Então compartilhe para espalhar o conhecimento para mais e mais pessoas! Não se esqueça de passar no canal do Thiago também e conhecer mais do trabalho dele.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Touchpad Indicator no Ubuntu - Controle o Touchpad do seu Notebook

Quem está procurando uma forma simples de fazer ajustes e configurar o touchpad do Ubuntu e acha que ir até o painel de controle todas as vezes, além de ser demorado, não tem todas as opções que você queria, vai encontrar no Touchpad Indicator um utilitário de sistema incrível.

Touchpad Indicator Ubuntu




Esses indicadores do Ubuntu são muito úteis, existem versões deles para as mais diversas funcionalidades e para quem tem Notebooks, o Touchpad Indicator pode ser muito útil.

Touchpad Indicator

Ele fica na barra superior do Unity e abre quando você clica nele para mostrar as opções, dentre as configurações que o Touchpad Indicator permite, podemos destacar:

Configuração de Touchpad Ubuntu

Configuração de toques com um ou mais dedos, dependendo do suporte que o seu Touchpad tenha, assim como configurar os movimentos de scrolling. No aba "ações", você também configurar o touchpad para ser desabilitado enquanto você digita ou não, desativar o touchpad quando você conectar o mouse, entre outras coisas.

Como instalar o Touchpad Indicator no Ubuntu


O programa está no repositório do sistema, então é só clicar no botão abaixo e instalar ele através de Central de Programas ou outro gerenciador de pacotes a sua escolha:

Se você preferir instalar usando o terminal, basta rodar estes comandos:
sudo add-apt-repository ppa:atareao/atareao
sudo apt update 
sudo apt install touchpad-indicator
Depois de instalado, você pode procurar pelo Indicador no menu do sistema, o rodá-lo através do executar:
alt+f2 e digite: touchpad-indicator
A dica adicional é você colocar ele para inicializar juntamente com o sistema, assim, toda vez que você fizer ele ele estará lá.

Vá até as preferências  do programa clicando no indicador na barra superior, e na aba de "Opções gerais" marque a opção de iniciar automaticamente.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Como instalar o OBS Studio no Ubuntu e no Linux Mint

O Open Broadcaster Studio é um dos programas mais populares do mundo quando se fala em captura de tela e streaming de vídeo para YouTube e outros serviços similares. Ele também possui versão para Linux e hoje você vai aprender a instalar no Ubuntu e no Linux Mint, duas das distros mais populares.

Como instalar o OBS Studio no Ubuntu e no Linux Mint




Estou atualizando este tutorial, pois quando o Ubuntu 16.04 LTS foi lançado eu fiz um post sobre o assunto, porém, no momento o OBS estava passando por uma reformulação para a versão nova do sistema e era necessário compilar ele. Agora está muito mais simples

O OBS tem suporte para muitas distribuições e você pode conferir a documentação completa para instalação e o código do OBS no github,

Como instalar o OBS Studio no Ubuntu e no Linux Mint


Antes de mostrar a instalação em si, é necessário fazer uma pequena distinção. O OBS Studio faz um forte uso do FFMPEG, logo você precisa tê-lo instalado. No Ubuntu 14.04 LTS e no Linux Mint 17, será necessário instalar ele antes, você pode fazer isso por PPA:

PPA: ppa:kirillshkrogalev/ffmpeg-next


Quer fazer pelo terminal? É possível também:
sudo add-apt-repository ppa:kirillshkrogalev/ffmpeg-next && sudo apt-get update && sudo apt-get install ffmpeg
Se você usa o Ubuntu 16.04 LTS, Linux Mint 18 ou superiores, o FFMPEG está no repositório dos sistemas novamente, logo, não é mais necessário utilizar o PPA anterior, ele é só para versões antigas. 

Procure nas centrais de aplicativos pelo pacote, mas se você já tem o Kdenlive instalado, por exemplo, o FFMPEG já está no seu sistema provavelmente. Nos resta agora utilizar o PPA do próprio OBS Studio:

PPA: ppa:obsproject/obs-studio


Quem quiser fazer pelo terminal pode fazer assim:
sudo add-apt-repository ppa:obsproject/obs-studio && sudo apt-get update && sudo apt-get install obs-studio
Depois da instalação você encontrará o programa no seu menu, basta abrir e começar a utilizar. Se você tem placa Nvidia e pretende gravar gameplays no Linux a utilização do Codec NVENC é recomendado, ele vai evitar que você perca muitos FPS na hora de gravar a tela.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como atualizar do Linux Mint 18 Sarah para o Linux Mint 18.1 Serena

Agora que o Linux Mint 18.1 Serena foi lançado chegou a hora de você que tem o Linux Mint 18 Sarah atualizar, veja como o processo é simples.

Linux MintUpgrade




Atualizar de uma versão para outra do Linux Mint, especialmente depois que eles decidiram se basear apenas nas versões LTS do Ubuntu, tornou-se uma tarefa trivial. O pessoal do Linux Mint recomenda fazer a atualização somente se você "tiver um motivo", no melhor estilo, se está funcionando, não mexa, mas não que a atualização de uma versão para outra cause algum problema.

Como fazer a atualização de versão do Linux Mint?

Abra o gerenciador de atualizações do Linux Mint, mande verificar por novas atualizações e atualize se houver algum pacote novo para ser instalado. Depois disso, verifique no menu "Ver" se existe a opção do upgrade.

Atualizando o Linux Mint

Um vez disponível a opção de "Atualizar para o Linux Mint 18.1 Serena", se você clicar nela, basta seguir o utilitário de atualização.

Atualização do Linux Mint

Pode ser necessário instalar um complemento para fazer a atualização chamado "mint-meta-cinnamon", basta clicar no botão indicado e fazer a atualização.

Atualização do Linux Mint

Marque a opção "Eu entendo os riscos. Eu quero atualizar para o Linux Mint 18.1 Serena".


Agora, aguarde a atualização do sistema, isso pode variar de acordo com a velocidade da sua internet.


Depois de finalizada a atuação, basta reiniciar o computador e você já estará com a nova versão do Linux Mint.


Uma das coisas que eu percebi na atualização, é que o player de músicas, o Banshee, continuou no sistema, enquanto que se você fizer uma instalação do zero, o Rhythmbox será instalado. Se você quiser fazer essa mudança, use a central de aplicativos para remover um e instalar outro.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 19 de dezembro de 2016