Home » video

KDE Neon - Vale a pena?

Se você gosta do KDE, do Ubuntu e de sistemas minimalistas, o KDE Neon é uma pedida! Hoje você vai conhecer um pouco mais a distribuição oficial do projeto KDE.

KDE Plasma Neon




Acho interessante falar sobre o Neon, ele é uma iniciativa do KDE para demonstrar a tecnologia produzida pela comunidade, usando como base sempre uma LTS do Ubuntu, o KDE Neon foge um pouco a regra das LTS, que normalmente são mais conservadoras, ainda que seja baseada em um LTS do Ubuntu, atualmente na 16.04, o projeto sempre traz o que há de mais recente no Plasma e nas aplicações KDE.

Confira a nossa review do KDE Neon.



Uma coisa que eu acho importante que você entenda, é que o apesar de existir uma versão destinada a usuário domésticos, o foco principal do Neon é demonstrar tecnologia, isso acarreta algumas coisas no sistema.

Por conta da ideia por trás do Neon, o sistema é incrivelmente enxuto em aplicações, trazendo somente coisas que são apoiadas pelo projeto KDE, logo, até o momento, ele abre não de algumas comodidades, como gestores de drivers e repositórios, por elas não fazerem parte do projeto KDE.

Recursos do tipo só vão fazer parte do sistema quando o próprio projeto KDE fornecer uma ferramenta do tipo, assim como a preocupação com as estabilidade não é tão grande quanto a preocupação com trazer o que há de mais recente no Plasmas e suas aplicações, no entanto, apesar desta premissa, o Neon se mostrou razoavelmente estável para usuários comuns.

Quem não espera nada além de um sistema para ouvir músicas, ver vídeos e acessar a internet conseguirá usar o Neon sem conhecimento técnico, quem quer extrair um pouco mais dele vai ter que ir para  a linha de comando para algumas coisas, mas no geral ele é uma boa opção que vale a sua atenção e o seu teste.

Para baixar o sistema para testar, acesse o site oficial.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 15 de março de 2017

Criando comandos personalizados do Terminal (Bash) do Linux

O Bash possui um recurso muito interessante que permite que você crie "atalhos" para comandos mais complexos. O recurso recebe o nome de "alias", ou "apelido/pseudônimo" do Inglês, isso permite que você agilize muitas tarefas do seu dia a dia.

Como criar Aliases no Terminal Linux


Entenda o recursos como uma forma de você abreviar comandos mais complexos, por exemplo, para atualizar o seu Ubuntu você poderia usar o seguinte comando:
sudo apt update && sudo apt dist-upgrade
Não seria bacana se ao invés de você digitar tudo isso você simplesmente digitasse:
atualizar
E o resultado fosse exatamente o mesmo do comando anterior? Então, é exatamente isso que o "alias" nas configurações do Bash permite que você faça.

Para entender melhor, confira o vídeo dos nossos parceiros do Oficina do Tux:


O funcionamento é simples, você basicamente precisa editar o arquivo .bashrc dentro da sua home para poder criar esses "atalhos", você pode usar o Gedit ou qualquer outro editor de textos para isso.

Vamos fazer um exemplo.

Abra o .bashrc:
gedit ~/.bashrc
Role a página até encontra uma sessão de "aliases" para fins de organização, assim você criar quantos quiser e deixá-los todos juntos:

Alias Terminal Ubuntu

A métrica de funcionamento é simples:

alias atualizar='sudo apt update && sudo apt dist-upgrade'

A frase sempre deverá começar com a palavra "alias", como indicado, a próxima palavra deverá ser o "alias" que você quer usar, ou seja, o comando que vai ser utilizado no lugar no comando maior, indicado no exemplo em vermelho, logo após teremos um sinal de igual, abrindo aspas simples e como destacado em azul, você deve inserir o comando que será executado quando o "alias" que você definiu for digitado no terminal Bash, lembre de fechar as aspas simples ao final e salvar o arquivo para que o Bash possa interpretá-lo.

Você pode criar quantos quiser, para a finalidade que quiser, tudo isso vai deixar o seu terminal muito intuitivo.

Veja também: Quer dominar o Bash? Conheça o nosso curso de Terminal

Para reverter o processo basta você apagar as linhas que você adicionou ou comentá-las usando "#" no início da frase, sem as aspas.

Outra forma de resetar as configurações é apagar o arquivo .bashrc dentro da sua home, assim que você abrir o terminal novamente, ou encerrar a sessão, logar-se e abrir o terminal novamente ele será recriado.

Esse procedimento afeta somente o seu usuário, caso você queria que essas mudanças no Bash funcionem para qualquer usuário do seu computador, ao invés de editar o arquivo dentro da home você deverá editar o arquivo bash.bashrc dentro de /etc.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sexta-feira, 10 de março de 2017

Comparando recursos de editores de vídeo disponível para Linux com os que não estão

Recentemente o canal Diolinux fez uma participação muito bacana no canal Brainstorm Tutoriais no YouTube, a ideia era explicar como o Linux pode ser uma alternativa muito interessante para produtores de conteúdo audiovisual, hoje os nossos parceiros do Oficina do Tux postaram um vídeo comparando os editores mais populares, confira.

Comparando editores de vídeo




O vídeo do oficina mostra através de uma tabela um comparativos de recursos disponíveis em cada um dos editores, nem todos eles são grátis, nem todos rodam no Linux, mas dá para você ter uma ideia, pelo menos em análise prévia de alguns dos principais efeitos e recursos, se o editor que você almeja é o ideal para você. 


Vale comentar uma vez mais o fator preço, ainda que determinados softwares possam conter mais recursos, como o Lightworks em relação ao Kdenlive, ou ao Premiere, cabe a você que vai editar identificar que você realmente necessita daquele recurso e se o diferencial que o programa pago em questão tem, rodando no Linux ou não, vale o investimento que você terá que fazer para poder utilizá-lo.



A planilha ainda não está completa e algumas coisas ainda necessitam de testes, assim que houverem atualizações sobre o conteúdo dela você ficará sabendo por aqui e pelo canal Oficina do Tu

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 9 de março de 2017

Black Magic lança Editor de vídeo DaVinci Resolve para Linux, veja como instalar no Ubuntu

Não entenda mal, o DaVinci Resolve, um corretor de cores e editor de vídeos extremamente poderoso e utilizado em diversas produções de Hollywood, já existia para Linux em sua versão completa e paga, o DaVinci Resolve Studio, porém, a versão grátis para usuários domésticos e estudantes só existia para Windows e Mac, pelo menos até hoje, quando a versão para Linux também foi disponibilizada.

DaVinci Resolve para Linux - Ubuntu




A BlackMagic lançou hoje o DaVinci Resolve em sua versão comum e Studio para Linux, a compatibilidade oficial é com o Red Hat 6.8 ou com o CentOS 7.2, praticamente sistemas "clones", é possível que funcione no Fedora também sem maiores problemas, porém, não foi testado. A Black Magic informou que a compatibilidade com o Debian e seus derivados ainda é experimental.

O motivo de dar suporte oficial, ao menos inicialmente, para estes dois sistemas em especial não foi deixado claro, mas eu suponho que os principais clientes da empresa que usam Linux em suas estações de edição utilizem o Red Hat e eventualmente o CentOS, por este ter um valor mais acessível, logo o suporte foi para atender esta demanda inicial que já existia, inclusive, eles comentaram que resolveram liberar a versão para Linux devido a imensa gama de pedidos de seus clientes, o que demonstra o interesse das produções profissionais na plataforma.


Para fazer download do DaVinci Resolve para a sua distro, mesmo que não seja uma derivado do Red Hat, basta ir no site oficial e clicar no botão de download, a versão atual do programa é a 12.5. O arquivo é o mesmo para todas as distros.

No site será necessário fazer um cadastro para poder fazer o download, este por sua vez será um arquivo .zip, que eu recomendo que você extraia para a sua pasta Home, para facilitar na hora da instalação.

Antes de falarmos na instalação, vale ressaltar que o ideal para você usar o DaVinci é possuir placas Nvidia, por conta dos CUDA Cores e bom hardware complementar, como 16 GB de RAM e um processador com 8 ou mais núcleos. Sim, um hardware parrudo, não vou nem falar dos requisitos descritos no manual do DaVinci para não te desanimar, pois lá eles nem falam sobre computadores, e sim estações de trabalho te perguntando quantos "Xeon" a sua placa mãe suporta... então dá pra você ter uma ideia, entretanto, o DaVinci Resolve também roda em computadores mais modestos, obviamente respeitando as suas configurações, contudo, acredito que ele não vá rodar muito bem em computadores com 4 GB de RAM, Core i3 e equivalentes ou inferiores.

Como instalar o DaVinci Resolve no Ubuntu e derivados


Como o blog tem foco principal no Ubuntu e seus derivados, como o Linux Mint, obviamente não vamos deixar vocês na mão para instalar o DaVinci no seu computador. Como o suporte oficial é para a família Red Hat, existem algumas pequenas diferenças que vão impedir a instalação do DaVinci no Ubuntu, no Linux Mint da forma convencional. São problemas de configuração de diretórios mesmo, nada de mais, mas que causarão um erro na instalação caso você simplesmente rode o instalador.

Vamos do passo a passo para ficar fácil, OK? Vamos usar vários comandos no terminal, pois precisaremos criar links simbólicos e instalar algumas dependências, não se assuste, copie e cole no seu terminal cada um dos passos, dando "enter" após cada um e digitando a sua senha quando for necessário, vamos lá?

0 - Abra o Terminal, você encontra ele no menu do seu sistema.

1 - Assumindo que você colocou o arquivo extraído dentro da sua home, vamos garantir que você esteja dentro dela no terminal.
cd /home/$USER/
2 - Criando o primeiro link simbólico para libs de 64 bits:
 sudo ln -s /usr/lib /usr/lib64
3 - Algumas dependências 
sudo apt install libgstreamer-plugins-base0.10-0 liblog4cxx-dev beignet ocl-icd-opencl-dev libssl1.0.0 libssl-dev
4 - Vamos criar mais alguns links, rode um comando após o outro;
cd /lib/x86_64-linux-gnu
sudo ln -s libssl.so.1.0.0 libssl.so.10
sudo ln -s libcrypto.so.1.0.0 libcrypto.so.10
OBS: Na instalação do programa em si, observe o versionamento do DaVinci Resolve que você baixou, no tutorial vou usar a versão atual (destacada em vermelho), caso você esteja vendo este tutorial em um momento onde houve uma atualização e o nome do arquivo é diferente, por favor modifique o nome para que tudo funcione corretamente, observe que você deverá fazer o mesmo em todo momento onde o nome do programa com a sua versão for colocada de acordo com o nome do arquivo que você baixou, à partir de agora em todos os momentos onde uma alteração pontual poderá ser necessária eu vou destacá-la em vermelho.

5 - Vamos mudar as propriedades de execução do arquivo:
cd /home/$USER/

chmod +x DaVinci_Resolve_12.5.5_Linux.sh
6 - Agora vem a instalação em si:
sudo ./DaVinci_Resolve_12.5.5_Linux.sh

DaVinci Resolve Ubuntu

Aguarde o processo de descompressão do arquivo para que a instalação comece.

7 - Assim que o processo no terminal acabar, o DaVinci Resolve deverá estar instalado no seu Ubuntu ou derivado, para rodar o programa e fazer ele abrir para que você possa fazer as suas primeiras configurações e edições rode o seguinte comando:
/opt/resolve/bin/resolve
Uma dica legal para facilitar a abertura do programa para que você não precise digitar o comando toda a vez que quiser abri-lo é, quando abrir ele uma vez pelo terminal, clique com o botão direito nele na barra do Unity e fixe ele ali, assim quando quiser abrir novamente, basta clicar no ícone:

DaVinci Resolve Unity

Dicas adicionais


Ao iniciar o programa, haverá um "tour" explicando as funções e te dando opções para configurações. 

Eu recomendo você mudar a pasta de exportação de projetos para outra à sua escolha, como a pasta "Vídeos" ou qualquer outra que fique dentro da sua Home, pois o padrão do programa é uma pasta do sistema que fica dentro do "/" onde somente como Root você conseguirá operar, o que não é tão prático.

DaVinci Resolve Ubuntu

Outra dica bacana, especialmente para você que é um editor mais experimente em outras ferramentas, é a opção que o DaVinci te dá para usar atalhos de outros editores famosos ou o seu próprio conjunto de atalhos, como dentre as opções disponíveis o que eu tenho maior familiaridade é o Adobe Premiere, selecionei ele para ser a referência nas teclas de atalho, assim qualquer migração já fica mais fácil.


Depois disso você pode criar um projeto para começar a trabalhar:

DaVinci Resolve Ubuntu

E o seu programa já estará rodando no seu Ubuntu ou Linux Mint.

DaVinci Resolve Ubuntu

Como a versão para Linux ainda é novidade é bem possível que existam bugs que devem ser corrigido ao longo do tempo com atualizações, mas é ótimo saber que temos uma ferramenta deste nível par ao desktop Linux.

Outra coisa que deve melhorar no futuro é o processo de instalação, que ainda é muito mais complicado do que poderia ser, formas de fazer com que funcione de forma mais prática não faltam, quem sabe um Snap ou FlatPak, não é? No Red Hat e seus derivados, como o Fedora, o processo de instalação é o mesmo, com a diferença de que os links simbólicos não precisarão ser criados provavelmente.

Aproveite!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 7 de março de 2017

Como criar uma unidade de disco criptografada no seu computador com o VeraCrypt

O VeraCrypt é um programa muito interessante para quem procura uma forma simples para criptografar os seus dados, sejam localmente no seu computador, ou até mesmo Pen drives e discos externos.

VeraCrypt




Ideal para armazenar arquivos confidenciais, como senhas, documentos e projetos sigilosos, o VeraCrypt está disponível gratuitamente para Windows, macOS e Linux.

Você encontra mais informações sobre o VeraCrypt no site oficial da aplicação. No site você também pode fazer o download da aplicação.

Instalando no Ubuntu e derivados de forma simples


Quem usa o Ubuntu, pode usar o Software Boutique para instalar O VeraCrypt com facilidade, ele adiciona automaticamente o repositório ao sistema e mantém o seu programa sempre atualizado.

Agora veja como ele funciona e um demonstrativo da instalação:



Agora você pode manter os seus arquivos seguros com uma ferramenta muito prática.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 6 de março de 2017

Conheça o Ubuntu Pack, um Ubuntu pronto para o uso!

Há uns 3 anos atrás eu lancei aqui no blog o chamado "Diolinux OS", uma customização do Ubuntu com vários programas pré-instalados, até mesmo codecs e drivers. Com o tempo o projeto que me tomava muito tempo acabou sendo abandonado, ainda que por basear-se na LTS de 2014 do Ubuntu, ainda tenha suporte até 2019.

Ubuntu Pack




O caso é que como o "Diolinux OS" acabou ficando para trás, muitos leitores me perguntaram se eu conhecia algum outro sistema com características simulares, e é aí que o Ubuntu Pack entra. 

Quem prefere criar a sua própria solução, ou o seu próprio "Ubuntu Pack" também pode fazer sem maiores problemas, basta usar uma ferramenta como o Systemback, que nós já ensinamos a usar.

O Ubuntu Pack é um projeto Ucraniano de uma empresa parceira da Canonical, modificado para atender as necessidades dos consumidores de lá, o que não quer dizer que o produto final não possa se encaixar nas suas necessidades, confira o nosso vídeo mostrando o sistema para você:



Existem versões do Ubuntu Pack para finalidades diferentes e com interfaces diferentes, incluindo a versão gamer e a educacional, que me chamou bastante atenção, visto que isto é uma carência para muitas escolas. Baixe o Ubuntu Pack aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Microsoft informa usuários que Windows 7 não é mais seguro

Sempre que uma notícia sobre segurança na tecnologia sai, ainda mais quando o cerne é a falta dela, as pessoas costumam se preocupar, algumas menos informadas até começam a conspirar e literalmente, entrar em pânico. Quando isso acontece com um dos sistemas operacionais que tem uma das maiores fatias de mercado desktop, certamente você deve prestar atenção, ainda que você não o utilize.

Run to The Hills Windows




A Microsoft publicou em seu blog oficial em alemão a recomendação incisiva de migração para o Windows 10, sobretudo para quem tem Windows 7, informando que, apesar do suporte do sistema estender-se até 2020, a arquitetura de segurança para qual ele foi projetada já é obsoleta, sendo que a solução é migrar para o novo Windows, "obviamente".

A notícia deixou muitas pessoas preocupadas, então eu fiz um vídeo para esclarecer melhor a situação e também mostrar as opções que você, que não deseja migrar para o Windows 10, tem.

Confira:



A urgência para a migração para o Windows 10 está muito mais na ânsia da Microsoft de querer uma maior base instalada em sua nova versão do Windows do que o fato do Windows 7 ser menos seguro, até porque, como consumidor, se o suporte será até 2020, ele deverá ser o mais seguro possível e receber atenção da empresa até lá, pelo menos é o que você deve cobrar, caso seja usuário.

Como comentei no vídeo, uma das piores coisas que pode acontecer com uma empresa, é ela ficar presa a uma tecnologia defasada. Tendo isso em mente, comece a procurar soluções que sejam multiplataforma preferencialmente, se possível de código aberto para facilitar a adaptação, caso seja preciso e por que não, se você não curtiu o Windows 10, comece a testar distribuições Linux, no vídeo eu deixei algumas sugestões de distros que podem atender as necessidades da maior parte das empresas.

Fique tranquilo, você ainda tem alguns anos para decidir, mas é bom ir testando as possibilidades e pensando no futuro.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

O que fazer depois de instalar o Fedora 25

O Fedora 25 foi lançado há algumas semanas e nós temos um ótimo material para compartilhar com você que gosta desta distribuição. O Fedora é um pouco menos user friendly do que o Ubuntu e o Linux Mint, sendo que a utilização do terminal é praticamente obrigatória para fazer todos os procedimentos de pós instalação, mas isso não quer dizer que seja mais difícil e menos satisfatório, confira agora as principais dicas para você deixar o seu novo Fedora 25 "redondinho".

Fedora 25 pós instalação




O vídeo que você vai ver foi preparado pelo Renato Araujo no canal Oficina do Tux, nosso parceiro, confira agora as dicas dadas por ele:


Sintetizando os passos nos temos:

1 - Atualizar o sistema
sudo dnf update
2 - Drivers de Vídeo (Nvidia) no Fedora

3 -  Fedy

Estas são as principais ferramentas e passos para você deixar o Fedora 25 pronto para o seu uso, para baixar essa nova versão do Fedora acesse este artigo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Fusion - Um compositor de vídeo profissional para Linux

Quem está procurando um alternativa para o Adobe After Effects no Linux acaba de ganhar uma nova opção, além do todo poderoso Nuke, e do open source Natron, além do popular Blender, temos também é o Fusion da Black Magic.

Fusion - Linux Video Composite



O Fusion é uma das ferramentas mais populares em Hollywood, ele ajudou a fazer diversas obras, filmes e séries que tem renome em vários aspectos, incluindo obviamente, efeitos especiais, que é onde o programa se destaca. 

O Fusion possui uma versão grátis para Linux, Windows e Mac e uma versão paga que traz mais funções também. Acho interessante comentar alguns dos filmes e séries em que o Fusion foi utilizado, assim você pode ter uma ideia da qualidade dele, então segue uma pequena listinha: 

- 2012 (filme)
- 300
- Avatar
- Captain America: The Winter Soldier
- Fantastic Four: Rise of the Silver Surfer
- Game of Thrones
- Ghost Rider
- Gravity (filme)
- Hancock (filme)
- Happy Feet
- Harry Potter and the Goblet of Fire
- Harry Potter and the Order of the Phoenix
- Hellboy 2
- Independence Day (1996)
- Iron Man (2008)
- Journey to the Center of the Earth
- King Kong (2005)
- Lost
- Mr. & Mrs. Smith
- Noah (2014)
- Pirates of the Caribbean: Dead Man's Chest
- Prince of Persia: The Sands of Time (filme)
- Prometheus (2012 filme)
- Resident Evil: Apocalypse
- Saw 3D
- Spider-Man 3
- Superman Returns
- Terminator Salvation
- The Chronicles of Narnia: The Voyage of the Dawn Treader
- The Day After Tomorrow
- The Matrix Reloaded
- The Matrix Revolutions
- The Social Network
- Thor (filme)
- Titanic (1997)

Estes são alguns, entre muitos outros, que fazem parte do grandioso Hall de projetos onde o Fusion teve participação, o programa tem mais de 20 anos de existência e de mercado e é uma plataforma profissional consolidada no ramo de efeitos especiais. A maior parte dos filmes não é finalizada com apenas um programa, então é bom deixar claro que sumariamente, os filmes não usaram "apenas" o Fusion, mas, ele também.

Black Magic Fusion


Download e instalação


Como eu comentei, o Fusion tem uma versão grátis e uma paga, nós vamos aprender a instalar a versão grátis, se você precisar da versão paga o valor da licença é de 995 dólares. Vamos para a instalação?

1 - Acesse o site da Black Magic. Clique no botão de download.

2 - Escolha a plataforma.

Black Magic Fusion

3 - Informe os seus dados para poder fazer o download.

Black Magic Fusion

Depois de completar os dados, clique do botão "Register & Download"

4 - Você vai baixar um arquivo compactado, basta extrair e dentro dele você vai encontrar um arquivo .run, basta dar dois cliques nele e o processo de instalação vai começar com um instalador no estilo Next>>Next>>Finish.

Black Magic Fusion

Black Magic Fusion

Black Magic Fusion

Black Magic Fusion

Black Magic Fusion

Black Magic Fusion

Depois de concluir o processo de instalação, você vai encontrar o programa no menu do seu computador, assim como um atalho para desinstalar o programa também.

Agora é só fazer as suas criações cinematográficas, ganhar muito dinheiro e vir aqui dizer "obrigado" pela gente ter te mostrado esse programa fantástico! 😀😁

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Loja Steam não abre no Wine, veja como corrigir o problema

Existem várias formas de você jogar no Linux, mas certamente a Steam é a mais popular. O cliente para Linux nativo já funciona muito bem, mas pode haver alguns games que você queira jogar que não estejam disponíveis na plataforma, para isso você instala o Steam de Windows pelo Wine e se diverte.

Wine Steam Store




Muitas games podem ser rodados através do Wine e da Steam Windows, eu já mostrei como instalar ela no Linux neste tutorial:


Normalmente, simplesmente instalar a Steam assim é o suficiente para jogar vários títulos, porém, alguns leitores relataram que ao instalar a Steam Windows pelo Wine a loja de games, a Steam Store, simplesmente não funciona, ela fica carregando infinitamente e não mostra nada.

Agora você verá como corrigir este problema com ajuda do Junior Freire e dos nossos parceiros do Oficina do Tux:


Pronto, agora você pode instalar os jogos de Windows no Linux pela Steam sem problemas, inclusive comprar novos títulos.

O tutorial consiste basicamente em adicionar o parâmetro:
-no-cef-sandbox
A inicialização do seu prefixo do Wine no PlayOnLinux, se tiver dúvida, reveja o vídeo acima, mas acredito que você não terá mais problemas.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Sombras realistas no GIMP

As sombras são uma parte fundamental de qualquer desenho artístico ou montagem, elas são capazes de dar vida, noção de espaço e um senso de realidade fora do comum quando aplicadas corretamente.

Hoje você vai aprender a trabalhar um pouco com sombras no editor de imagens GIMP.

GIMP - Trabalhando com sombras




Quem vai te ensinar um pouco sobre sombras em montagens com o GIMP é nosso amigo e parceiro Thiago Abreu, do canal Thiago Abreu Design
Leia também: 17 dicas para você turbinar o GIMP
Confira o vídeo completo:


Gostou da vídeo aula? Então compartilhe para espalhar o conhecimento para mais e mais pessoas! Não se esqueça de passar no canal do Thiago também e conhecer mais do trabalho dele.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Vai viajar nas férias? Confira uma ótima opção para monitorar a sua casa

Se você pretende se ausentar de casa no final de ano, nas férias ou em outro momento, por qualquer motivo que seja, pode ser interessante, para a sua segurança, da sua família e dos seus bens, colocar uma câmera que te ajude a vigiar a casa à distância e que também permite fazer capturas com detecção de movimento.

Proteja a sua casa




Minha intenção com este artigo é despertar o seu senso de vigilância para proteger as coisas que você batalhou tanto para conseguir. Colocar uma câmera é só uma das formas de você aumentar a sua segurança, mas uma delas, ou um conjunto, certamente são um ponto importante na hora de deixar o seu amado lar mais seguro.

Para o vídeo de hoje eu recebi uma câmera do pessoal da BlitzWolf, que patrocina o blog, ela tem diversas funções interessantes, tenho certeza que você vai gostar, confira:



Se você quiser dar uma olhada melhor nesta câmera, basta clicar aqui. Vale lembrar que esta é apenas uma sugestão, você pode pesquisar e encontrar uma câmera que se adeque melhor a sua necessidade ou a sua preferencia por modelo e marca. Se com o vídeo eu consegui fazer você pensar melhor sobre a sua segurança, acho que o objetivo foi atingido!

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Testamos a interface "Ribbon" do LibreOffice, veja como ficou

Recentemente o projeto LibreOffice notificou uma modificação do projeto que permite que os aplicativos da suíte office livre tenham um visual semelhante ao que a Microsoft usa no Office, o recurso que lembra o padrão "Ribbon" chama-se "Notebookbar", confira:





Tivemos muitos comentários positivos no post sobre a novidade no LibreOffice, realmente, parece que esta era uma das coisas que os usuários mais aguardavam, uma renovação visual. Algumas pessoas ficaram preocupadas com a mudança, simplesmente pelo fato de terem se acostumado com a interface tradicional, mas para os mais preocupados, já vou adiantando que não há motivos para preocupação. A interface tradicional ainda será a padrão, ao menos nos próximos lançamentos, a Notebookbar, será a alternativa.



O que você achou da nova interface do LibreOffice?

Se você quiser ajudar o projeto do LibreOffice, neste mês, comprando produtos com o logo da suíte na nossa loja, um percentual da sua contra será revertido em doações para o LibreOffice.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Como instalar o Arch Linux com Home separada e Kernel LTS (Vídeo)

O Arch Linux é uma distro muito popular do mundo do pinguim, mas o que afasta muitos usuários dele é justamente a sua instalação, que requer um pouco mais de conhecimento técnico e utilização do terminal, desta forma, não sendo intuitiva para novos usuários.

Arch Linux Instalação




Para facilitar a vida de quem quer experimentar o Arch Linux, mas está tendo dificuldade em fazer a instalação, aqui vai a dica do nosso parceiro, Juliano Ramos, em tutorial em vídeo passo a passo.

No tutorial você vai aprender a instalar o Arch com a partição home separada e com o Kernel LTS.


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Conheça o Linux Mint Serena na edição MATE

Uma nova versão do Linux Mint deverá ser liberada nos próximos dias para todos os flavors da distro. Isso significa que algumas novidades devem surgir na versão Cinnamon, MATE, XFCE e KDE. Hoje vamos falar um pouco mais sobre a versão MATE.

Linux Mint 18.1 Serena MATE




Pelo que eu posso perceber, o Linux Mint vem trabalhando arduamente para deixar as interfaces MATE e Cinnamon, as duas principais do projeto, "operacionalmente semelhantes", se é que pode dizer. Isso significa que o design de ambas respeita um certo padrão de comportamento, fazendo com que quem use a versão MATE, possa passar para a Cinnamon sem problemas e vice e versa.

No momento em que eu testei, o Mint 18.1 ainda estava em Beta, teoricamente isso deveria significar que o sistema tem ainda bugs a serem corrigidos, entretanto, não foi o que eu pude perceber. O Mint MATE 18.1 codinome "Serena" se mostrou bem estável e coeso, também pudera, ainda que o MATE Desktop Enviroment esteja atualizado, ele não mudou tanto assim da versão passada para esta; mesmo assim existem várias coisas interessantes que você pode querer saber.

Para darmos uma olhada no que há de novo no Linux Mint 18.1 MATE eu preparei o seguinte vídeo que foi publicado no nosso canal, confira:



Veja também: Review do Linux Mint 18 MATE e compare com as novidades do 18.1

Quer baixar este Beta do Mint? Clique aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Qual o desempenho de um SSD no Ubuntu? SWAP no SSD?

Os SSDs chegaram para substituir os tradicionais discos rígidos em nossos computadores, apesar de serem ainda um pouco mais caros do que os HDs, eles podem dar uma nova vida para o seu computador. Para mostrar o comportamento de um componente destes no Ubuntu eu fiz um vídeo para demonstrar o funcionamento dele no meu Notebook pessoal, confira:

SSD Vale a pena?




Vou aproveitar esta publicação para responder algumas perguntas que foram frequentes no vídeo sobre o SSD, mas para contextualizar, melhor você assistir o vídeo antes:



Algumas das principais dúvidas sobre o uso do SSD residiram sobre o uso ou não da memória SWAP nele, algo que gera alguns debates, mas eu vou explicar a solução que eu encontrei para isso.

Os SSDs possuem um limite de transferência de dados em sua vida útil, isso varia de marca para marca e modelo para modelo, mas podemos assumir que um SSD simples dura muito mais do que o tempo que você vai manter o seu computador. No meu caso, um SSD da Kingston de 240 GB, caso eu transferisse por ele cerca de 40 GB todos os dias, ele duraria algo muito próximo dos 10 anos, o que nem de perto eu faço e você provavelmente também não. 

O ideal não é realmente você utilizar a SWAP em um SSD, afinal, ela costuma estar em constante atividade, mas mesmo que estivesse funcionando, dificilmente o valor que ela emprega iria afetar de forma muito significativa a vida útil de um SSD, no entanto, você mesmo assim pode não querer  desperdiçar um bit se quer, neste caso você, ao menos no Linux, pode utilizar a solução que eu utilizei.

Ao invés de utilizar a memória SWAP em disco de forma tradicional, eu utilizo o ZRAM, que joga a área de troca para um bloco comprimido na memória RAM, isso faz com que o SSD não seja afetado e ainda assim eu tenha uma SWAP funcional e até mais rápida, porém ela fica alojada na memória e não no disco ou SSD.

E você, já tem SSD? Pretende comprar? Se já tem, conseguiria viver sem?

Deixe o seu comentário logo abaixo e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




sábado, 10 de dezembro de 2016

Como ativar o repositório backports no Debian

Os usuários do Debian Stable que precisam de alguns pacotes mais recentes podem resolver o problema simplesmente utilizando o repositório Backports da distro, isso permite que pacotes mais recentes e não tão testados sejam instalados, veja como fazer.

Como ativar o Debian Backports






O repositório Backports do Debian contém pacotes recompilados do Debian Testing normalmente e são considerados instáveis para os padrões do Debian, alguns pacotes inclusive vem até da versão unstable do Debian, mas em menor quantidade. Esse repositório existe para dar acesso a pacotes mais recentes para os usuários do Debian que necessitam e não querem ter um sistema completamente instável.


Como fazer?


Vamos precisar adicionar o repositório a sources.list do seu Debian, para isso, abra o terminal  e digite o seguinte:
sudo su
Caso você use o Gnome, pode usar o Gedit, ou puder o editor de texto para uma opção que você goste mais:
gedit /etc/apt/sources.list
Adicione ao final do arquivo a seguinte linha:

deb http://ftp.debian.org/debian jessie-backports main
Caso você use outra versão do Debian, mude o codinome da linha, depois de adicionar a linha ao arquivo basta salvar, agora temos que atualizar a lista de repositórios:
apt-get update 
E agora você já pode instalar pacotes à partir do repositório usando o seguinte modelo de comando:
apt-get -t jessie-backports install nome_do_pacote
Se quiser desabilitar o repositório, basta editar novamente o sources.list e comentar a linha ou remover, atualizar novamente a lista do repositório e é isso aí.

Agradecimentos especiais ao canal Livre Labs pelo vídeo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Veja o nosso papo com o pessoal do projeto DuZeru GNU/Linux

O DuZeru é uma distribuição Linux brasileira que vem se desenvolvendo em criando uma boa estrutura, porém, como todo projeto, ele ainda pode evoluir mais. Para que isso aconteça mais rápido o seu apoio é importante, seja dando sugestões, seja contribuindo financeiramente ou reportando problemas.

DuZeru GNU/Linux




Apesar de eu não ser um usuário ativo do DuZeru no meu dia a dia, esta é uma distro que eu tenho um certo apreço, até por conhecer as pessoas que estão por trás deles, conhecer suas intenções e ter acompanhado o esforço que todos fazem para trazer paras as pessoas um sistema que atenda as intenções nacionais, inclusive uma versão educacional.

Observando que os desenvolvedores do DuZeru costumam ser muito abertos a sugestões do público e também fazem reuniões pontuais para definir e debater as futuras modificações da distro, eu resolvi entrar em contato com o Cláudio, o fundador do projeto e principal desenvolvedor, para dar algumas sugestões baseado em tudo que já vivi, experimente e observei como produtor de conteúdo para o mundo Linux, especialmente para o público mais leigo, que é o foco aqui do blog e também do canal.

A minha intenção inicial era apenas passar algumas sugestões, mas o Cláudio achou interessante fazer um hangout, para que desta forma vocês pudessem também ficar à par da situação e ajudar a discutir as minhas ideias, então confira a minha reunião com o líder do projeto DuZeru GNU/Linux:


Além das sugestões para a interface e operabilidade do DuZeru, um dos pontos importantes e ainda sem um solução clara, é o fator de autossustentabilidade do projeto do DuZeru. Se você tem ideias de como trabalhar o projeto para que ele consiga gerar uma sustentabilidade para si mesmo, se você quiser e tiver condições, considere fazer uma doação para eles, o dinheiro será utilizado para manter o repositório da distro no ar, o seu site, entre outras coisas.


Outra forma de colaborar com o projeto é comprar produtos do DuZeru na nossa loja, a DioStore, nós nos comprometes em doar um percentual das vendas para o projeto para ajudá-lo a se manter.

Quer saber mais sobre o DuZeru?


Eu já comentei sobre o DuZeru algumas vezes aqui no blog, inclusive tem um vídeo muito legal mostrando as novidades da versão mais recente até o momento:


Se você se interessou pelo sistema, vale a pena conferir e apoiar, quem sabe em breve teremos um sistema operacional brasileiro capaz de atender a demanda nacional.

Site: duzeru.org

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Nvidia GTX 1060 OC Galax - Unboxing e resenha

Olá, tudo certo com você? Hoje eu quero compartilhar um pouco da minha experiência com a GTX 1060 OC da Galax, uma placa de vídeo muito bacana que eu venho utilizando na última semana, então deixa eu te contar as minhas impressões sobre ela.

Nvidia GTX 1060 Galax




Estou usando a placa há alguns dias e a diferença de potência dela para a minha antiga GTX 960 Point of View é notável, posso dizer que estou satisfeito com ela.  Mas antes de falarmos mais sobre o assunto, confira o Unboxing e as primeiras impressões:



Algumas pessoas me questionaram, e com certa razão, se pelo valor pago pela placa, algo em torno dos R$ 920,00, não seria vantagem comprar uma concorrente da AMD, pois em termos de potência o custo benefício seria melhor. Bom, eu sou obrigado a concordar,  mas sabemos que a AMD não tem ótimos drivers de vídeo para Linux e como a minha intenção é jogar com o computador, a Nvidia se mostra mais eficiente, se você gosta da AMD e usa Windows, realmente, comprar uma placa da marca pode ser uma boa opção.

Partindo do pressuposto que Nvidia é melhor (para Linux), o custo da placa está dentro do esperado e até um pouco abaixo dentre as disponíveis atualmente no mercado, acredito que eu tenha feito um bom negócio. Essa versão não é a que tem 6 GB de GRAM (tem "apenas" 3GB), mas ela é praticamente 500 reais mais barata do que ela, o que faz com que ela caia num custo benefício muito interessante para o meu caso.

Alguns games que antes eu não conseguia jogar com os gráficos máximos, agora rodam sem maiores problemas, como o Shadow of Mordor, por exemplo. 

Para quem gosta de usar Linux no computador, essa placa é certamente uma opção interessante, o investimento não é tão alto e o resultado é muito bom, você vai conseguir jogar praticamente qualquer título da atualidade em full HD com os gráficos no máximo, ou quase isso, variando é claro, com a otimização do game para a plataforma.

Minha experiência com a Pichau


A Pichau Informática é uma loja famosa na internet, mas particularmente eu nunca tinha comprado nada por lá, segui a recomendação do meu amigo Junior Freire do canal Tuxter Games e realmente não tenho do que reclamar, tudo chegou dentro do esperado, o atendimento não é instantâneo, mas isso é compreensível, por vezes esperei um ou dois dias para receber um contato, mas como eu também tenho uma loja, a DioStore, compreendo perfeitamente o quanto a fila de suporte pode ser grande.

O produto chegou em minha casa antes mesmo do site, onde podemos fazer o acompanhamento do pedido, mostrar que ele tinha sido enviado, este foi o único detalhe para não dar 5 estrelas para a minha experiência, mas também não é nada crítico na minha opinião e que pode ser ignorado sem problemas.

Espero que a minha experiência possa te ajudar de alguma forma na hora de você fazer o upgrade no seu computador, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




quinta-feira, 24 de novembro de 2016