Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Canonical releva: Ubuntu 18.04 LTS agora terá suporte de 10 anos!

Nenhum comentário
Em comentários proferidos no mais recente OpenStack Summit, Mark Shuttleworth, fundador e CEO da Canonical, empresa que desenvolve o Ubuntu, anunciou uma extensão magnífica no suporte do Ubuntu 18.04 LTS.

Ubuntu LTS com 10 anos de suporte






Em um keynote no OpenStack Summit, acontecendo em Berlin, Alemanha, o fundador da Canonical, Mark Shuttleworth, anunciou que o Ubuntu 18.04 LTS, lançado em Abril de 2018, que originalmente tinha 5 anos de suporte a atualizações de segurança e manutenção, agora passará para 10 anos, dobrando o período de tempo que as empresas e desenvolvedores poderão utilizar o mesmo sistema em seus produtos e empreendimentos.

"Eu estou feliz em anunciar que o Ubuntu 18.04 será suportado por 10 anos", comenta Shuttleworth. "Em parte porque existem 'horizontes' de longos períodos onde certos tipos de indústrias, como as financeiras e de telecomunicações, assim como as indústrias de IoT (Internet das Coisas), desenvolvem serviços e produtos que são mantidos por pelo menos uma década", complementa. Essa nova condição faz com que o Ubuntu seja uma opção interessante para estes mercados também.

Em declarações no mesmo keynote, o CEO da Canonical comenta que a empresa aprendeu ao trabalhar com o mercado que tempo de suporte importa muito e pode ser um grande diferencial. Recentemente, Mark Shuttleworth havia declarado que a venda da Red Hat para IBM poderia beneficiar a Canonical e, aparentemente, essa é uma das primeiras medidas a serem tomadas pela empresa britânica para se tornar mais competitiva no segmento.

No evento Mark complementou as duas declarações sobre a venda da Red Hat, dizendo que a aquisição da empresa por outra gigante não é necessariamente uma surpresa, dizendo saber que a Red Hat realmente vendia e valia muito dinheiro, apenas não imaginava que alguma companhia acordaria em pagar 34 bilhões de dólares por ela, o que é um valor pegou todos de surpresa, não só Shuttleworth, sem dúvidas.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Samsung escolhe Ubuntu como distro Linux para o seu novo produto

Nenhum comentário
Recentemente a Samsung demonstrou o DeX, um produto que deve ser utilizado em conjunto com os Smartphones topo de linha da empresa para entregar uma experiência desktop híbrida para os consumidores, até certo ponto, de forma semelhante ao que a própria Canonical pretendia fazer com o Ubuntu Phone.

Samsung DeX






A "Samsung Developer Conference" que aconteceu em San Francisco (EUA) costuma  trazer novidades sobre as mais recentes tecnologias desenvolvidas pela empresa para serem adicionadas ao portfólio de produtos. No evento a Samsung mostrou a evolução do projeto "Linux on DeX", por sua vez, o DeX é um produto que permite usar um Smartphone atrelado a uma espécie de "dock", mudando a usabilidade para algo mais semelhante a um Desktop tradicional, podendo ser conectado mouse e teclado, dando maior versabilidade para o aparelho.

A ideia por trás do conceito é rodar as aplicações disponibilizadas pela Samsung em uma tela maior, como uma televisão ou monitor, com enfoque em produtividade, podendo também ser usado para entretenimento para assistir filmes, jogar alguns games ou simplesmente navegar na internet em uma tela maior.

A atualização para o DeX traz suporte para distros Linux mais robustas e adequadas para o desktop  ao ambiente da Samsung. A distro escolhida pela empresa Sul Coreana foi o Ubuntu, segundo o blog da Canonical, o Ubuntu foi escolhido por ser uma distro popular entre os desenvolvedores e escolha de muitas empresas ao redor do mundo para seus projetos, incluindo a própria Samsung.


A ideia é simples de entender e o vídeo acima ilustra muito bem. Enquanto o Smartphone estiver desplugado do DeX, você tem um Smartphone normal, como qualquer outro Galaxy da Samsung, plugando ele no equipamento, atrelado a um mouse e teclado, automaticamente você tem um sistema operacional de desktop, simples assim.

Apesar da Samsung possuir uma versão de sistema e interface para o DeX, existem ainda várias limitações, especialmente para atender ao público de desenvolvedores, que é o nicho que empresa parece estar focando nesse momento inicial, por isso a possibilidade de rodar uma distro Linux mais tradicional que o Android se torna interessante.

A Canonical está trabalhando com a Samsung para oferecer uma versão modificada do Ubuntu 16.04 LTS e oferecer uma melhor experiência para os desenvolvedores.

Atualmente o DeX está liberado somente para Beta Testers e desenvolvedores, porém, você pode entrar para essa lista clicando aqui, entretanto, mais do que estar na lista, você precisa de um Galaxy Note 9 ou um Galaxy Tab S4 rodando Android Oreo ou superior.

Você pode ler o anúncio da Samsung de forma completa aqui.

Semelhanças e diferenças com o Ubuntu Phone


Muitas pessoas comentaram que o que a Samsung está fazendo agora é realizar o sonho que Canonical tinha com o Ubuntu Phone e o Unity 8. Na verdade o projeto tem semelhanças e diferenças, eles seguem por dois caminhos diferentes para oferecer produtos semelhantes.


A diferença maior entre os projetos está na forma com que a Samsung está tentando atingir essa condição híbrida de Smartphone e Desktop em relação ao que a Canonical planejava.

A Canonical estava desenvolvendo uma interface única que se adaptava em relação ao dispositivo em que estava rodando, de certa forma, parecido com o modo desktop e modo Tablet do Windows 10, de modo que quando você conectasse o seu Smartphone a um cabo HDMI, por exemplo, a tela do Smartphone se transformasse em um touchpad e você poderia operar o equipamento em um layout diferente, com um visual que seria, dependendo do tamanho da tela conectada, igual ao Unity 8 que seria usado no desktop.

Como sabemos, o plano não vingou, ainda que o projeto do Ubuntu Touch ainda permaneça de forma mais modesta nas mãos da comunidade, entretanto, agora a Canonical pode ajudar a trazer esse conceito com a ajuda da Samsung.

A empresa dona da marca "Galaxy" levou esse conceito de outra forma, acreditando que seria mais viável e eficaz "embutir" dois sistemas em um só, um que funciona no Smartphone tradicional e outro que entra em ação quando conectado ao DeX, porém, permitindo o acesso ao armazenamento normal do aparelho, além de alguns aplicativos específicos que são capazes de rodar em ambos os ambientes.

A grande diferença de um possível sucesso desse projeto é que a Samsung já é uma das maiores fabricantes de Smartphones do mundo e possui uma cartela gigantesca de clientes, coisa que a Canonical não tinha, além disso, a empresa parece não estar com muita pressa de lançar um produto como o DeX, que ainda está claramente inacabado, mantendo ainda essas novidades no canal Beta de seus produtos.

Certamente poderemos aguardar novidades no futuro. Convergência de dados, como faz a Apple em seus produtos ou convergência de produtos, e por consequência de dados também, como está fazendo a Samsung? Quem será que emplacará o novo modelo? Façam suas apostas.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Veja como instalar o Draftsight, o AutoCad para Linux

Nenhum comentário
Muitos que estão migrando para o mundo Linux, chegam procurando alternativas que possam substituir as ferramentas que utilizavam no Windows ou no macOS. Como por exemplo do Photoshop, CorelDraw, Adobe Premiere e o AutoCad, e é para esse último que vamos dar uma especial atenção hoje e mostrar uma alternativa altamente recomendada.


Veja como instalar o Draftsight, o AutoCad para Linux





Quem desenvolve o Draftsight é a 3DS, mesma empresa que desenvolve o Solidworks e o 3D Studio Max. A empresa está no mercado há 37 anos, então não é “qualquer uma Dora Aventureira” no setor.

O DraftSight não é um software open source, mas possui uma versão Free (Windows, macOS e Linux) e uma Premium (Windows) que tem dois métodos, uma via por assinatura de 12 meses e outra sem assinatura em que você compra ele uma única vez e recebe updates nos primeiros 12 meses após a compra.

Se você optar pela assinatura, a anuidade sai por R$606,70 e com updates durante o período que a assinatura estiver em vigência. Já se você optar pela compra uma única vez, que sai por R$1.217,49 e se precisar de mais tempo de suporte, você pode comprar pacotes adicionais de manutenção anual que saem em media por US$99,00. Como você pode ver, muito mais barato do que o software da AutoDesk (Custo médio de R$5 mil).


Algumas empresas que utilizam as soluções da 3DS são: a EMBRAER, Exxon Mobil, Eaton e a Kärcher, entre outras empresas.

A versão Free do Draftsight você pode utilizar nas três plataformas, no Windows nas versões 64 e 32 bits, macOS no formato dmg e para Linux nos formatos .deb e .rpm esses tendo somente versões para 64 bits.

O canal parceiro do blog, o Maquete Eletrônica, fez um vídeo de como instalar e mostrando como dar os primeiros passos no aplicativo. Confira o vídeo abaixo.

           

Para baixar o Draftsight basta acessar o link diretamente do site deles.

Interessante ter softwares feito por empresas profissionais e com bagagem de mercado oferecendo soluções free e para Linux com uma qualidade muito boa e que possam ler os formatos DWG da AutoDesk que são predominantes no mercado.

Agora nós diga nos comentários se você usa ou está procurando uma alternativa extremamente viável para o seu dia a dia.

Espero você até uma próxima e um grande abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conheça o Cartão SD Netac P500 Classe 10 de 64GB com 75% de desconto

Nenhum comentário
Os nossos parceiros da loja TOMTOP também estão entrando no clima da Black Friday e possuem vários descontos. Eles sabem que nós trabalhamos muito com vídeo e sabem o quanto é importante ter um bom cartão de memória, com boa velocidade, para fazer a captura dos vídeos e por isso nos apresentaram o Netac P500.

Cartão de memória para filmagem com desconto






Quem busca gravar vídeos com uma qualidade relativamente alta, deve considerar para seu Setup um bom cartão de memória, que tenha uma taxa de gravação especialmente, assim você poderá fazer belos vídeos em alta qualidade.

Esse modelo da Netac atinge até 80MB/s, ideal para full HD e fotos com alta resolução e claro, ele pode ser útil para você usar no seu Smartphone também, especialmente se você gosta de colocar jogos no cartão.

Cupom de desconto

Para comprar o cartão com desconto e saber mais, basta clicar neste link, e ainda tem um bônus extra graças aos nossos patrocinadores, use o cupom BRAZILONLYNETAC para comprar o cartão por um valor ainda melhor, levando um cartão de 64GB classe 10 por menos de 40 reais. O pagamento pode ser feito por boleto, cartão e Paypal.

Fique ligado para participar da nossa live especial de Black Friday, onde vamos procurar juntos pelos melhores descontos, boas compras e até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como instalar o MetaTrader no Linux

Nenhum comentário
O MetaTrader é um dos softwares mais populares no mercado de análise financeira, especulação e trading em bolsas de valores. Hoje você vai aprender a instalar ele na sua distro Linux.

MetaTrader Instalar Linux






Ao longo do tempo nós recebemos vários pedidos para ensinar a instalar o MetaTrader no Linux, recebemos um novo recentemente, que foi o que nos motivou a resolver este problema de uma vez. O próprio site do MetaTrader aponta o suporte para Linux, porém, ele é feito através do Wine. Isso não é necessariamente um problema, porém, o tutorial contido no site do MetaTrader é suscetível a problemas de atualização do Wine, por usar apenas o Wine instalado diretamente no sistema.

A solução para isso é usar o PlayOnLinux, ele vai fazer com que você mantenha o seu software estável.

Existe um vídeo no canal que te ensina usar todos os recursos do PlayOnLinux, apesar de ser um vídeo antigo, ele ainda é válido e será útil para você.

Como fazer a instalação do MetaTrader no Linux


O MetaTrader tem duas versões, a 4 e a 5, neste tutorial vamos usar a 5, mas você pode aplicar o mesmo método para a outra versão também.

1 - O primeiro passo é baixar o MetaTrader, faça o download e salve em alguma pasta de sua preferência, vamos puder usar ele mais tarde.

2 - Instale o PlayOnLinux, você o encontra na loja de aplicativos do seu sistema:

PlayOnLinux

3 - Abra o PlayOnLinux, vá na opção de instalar e procure por "MetaTrader", você encontrará as duas opções, instale qualquer uma das duas. Provavelmente você terá um erro nesse processo, mas esse passo é importante para criar o prefixo do Wine onde o nosso MetaTrader vai rodar. Se ao final da instalação der erro, não se preocupe, é isso mesmo. Se não der, bom... você acabou de instalar o MetaTrader...

Seguindo...

Instalando o MetaTrader no Linux

4 - Depois do processo anterior, vamos gerenciar as versões do Wine e instalar a versão de 32 bits mais recente que você encontra (no momento deste artigo é a 3.20). Para isso clique no menu Ferramentas>>Gerenciar versões do Wine.

Configurando Wine MetaTrader

5 - O próximo passo é usar a versão do Wine que você baixou no prefixo do MetaTrader. Clique no botão "Configurar", selecione o prefixo desejado na esquerda e clique na aba "Geral", mude a versão do Wine para a mais recente que você encontrar, depois vá até a aba "Wine" e clique em "Configurar o Wine", na janela que se abrir, mude a versão do Windows para "Windows 10". Confirme as modificações.

Configuração do Wine

6 -  Clique na aba "Diversos" e vá na opção "Rodar um arquivo .exe em um driver virtual", na janela que se abrir, selecione o arquivo .exe do MetaTrader que você baixou no primeiro passo do tutorial. O instalar deve se abrir e agora você pode instalar o software normalmente, como faria no Windows.

MetaTrader no Linux

7 - Depois disso, para facilitar o seu acesso, você pode criar alguns atalhos para o programa.  Na aba "Geral' você encontrará a opção "Faça um novo atalho a partir deste drive virtual", selecione as aplicações das quais você deseja criar atalhos.

Criando atalhos

Se tudo deu certo, você poderá usar o MetaTrader normalmente.

MetaTrader no Linux

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Curso EXTREMAMENTE AVANÇADO de Shell Script!

Nenhum comentário
Agora que você já perdeu o medo do terminal Linux chegou a hora de dar um passo a mais e usar todo o potencial que ele te oferece como uma ferramenta para controle, automação e até diversão, por que não?

Cursos avançado de Shell Script







O meu amigo Marcos, do canal Terminal Root, vem desenvolvendo há muito tempo um material extenso e completo sobre o uso de aplicações em modo texto, terminal e shell script e hoje eu tenho o prazer de anunciar a disponibilidade deste material!

O que você vai aprender se fizer o curso?


Absolutamente tudo sobre manuais, processos, animações em ASCII e Unicode. Vai aprender inúmeros comandos de manipulação de dados do Terminfo e Termcap. Também vai descobrir todo raciocínio e lógica utilizada para criação de games, utilizando a raíz da criação. 

Aprenderá a criar um instalador pra o Arch Linux, bem como manipulação de Sistema de Arquivos via linha de comando. Entre diversos outros tópicos para criar programas profissionais e com recursos UX e UI deixando-os mais intuitivos.

No vídeo à seguir o Marcos te mostra a aplicação prática do Script de instalação do Arch.



São 22 vídeos, mais de 2GB de conteúdo que você pode baixar e guardar com você para sempre, 18 apostilas em PDF, 18 Scripts didáticos e ainda vários arquivos, imagens e outros, tudo isso para te ajudar a estudar e virar um ninja especialista no terminal.

Quanto custa?


O curso possui o valor de investimento de R$ 174,90, porém, um requisito importantíssimo é já ter conhecimento básico ao menos em Shell Script, para que assim você possa desenvolver as habilidades propostas no curso de forma mais rápida.

Caso você não satisfaça esse pré-requisito, o Marcos também preparou alguns cursos que vão te dar toda a base necessária para ir para o curso extremamente avançado.

1 - Curso do Iniciante ao Avançado de Shell Script - Onde você aprenderá o essencial, além de manipular banco de dados e usar Shell Script para Web.

Valor: R$ 39,90.
Mais detalhes em: terminalroot.com.br/bash

2 - Curso do Editor Vim - Você aprenderá a customizar o Vim, podendo por exemplo mapear qualquer tecla para responder como deseja.

Valor: R$ 29,90
Mais detalhes em: terminalroot.com.br/vim

3 - Curso Extremamente Avançado em Shell Script Bash - Para criação de animações, instaladores de distros, games e muito mais, como já comentado neste artigo:

Valor: R$ 174,90
Mais informações em: terminalroot.com.br/shell

PORÉM, como aqui não brinca quando o assunto é promoção, agora, em uma parceria entre o Diolinux e o Terminal Root, você pode levar todos os 3 cursos por apenas R$ 179,90!

Um bônus: Além destes cursos mencionados, você também receberá o curso de SED - Editor de fluxo completo.

Como você pode comprar?


Na verdade, de forma muito simples. Todo o material dos cursos será enviado para você por e-mail, então basta fazer a compra através do PagSeguro: https://pag.ae/bkBDp7l

Depois disso é só aguardar o recebimento do material, se tiver alguma dúvida, entre em contato diretamente com o Marcos em terminalroot.com.br.

Fique ligado no blog e o no canal Diolinux, pois provavelmente sortearemos alguns cursos completos para nossos leitores e inscritos em breve!

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Microsoft anuncia novos recursos para o WSL e seu “Linux Pago”

Nenhum comentário
Na segunda-feira (5), a Microsoft anunciou em seu blog oficial (o MSDN) que traria grandes novidades no update 18277 para o Windows 10, como a correções de bugs, melhorias na interface, implementações com a Cortana junto com a Amazon entre outras. Você pode conferir mais detalhes neste link.


 Microsoft anuncia novos recursos para o WSL e seu “Linux Pago”






Mas o que chamou mais atenção foram as novidades e recursos adicionados pela Microsoft em relação ao Linux, até mesmo uma versão paga dele chamada de WLinux. Mas calma, vamos explicar.

Novidades


As novidades começam pelas distribuições que estão disponíveis na Microsoft Store, que agora contam com o Ubuntu 18.04 LTS, OpenSuse 15 e o SLES 15, além do Wlinux.

Agora o Ubuntu 18.04 em WSL (Windows Subsystem for Linux ou Subsistema Windows para Linux) rodará em um dispositivo ARM para aprendizado ou simplesmente para o uso, assim “capturando” a versão ARM do aplicativo. Essa função é ativada se você baixar o Ubuntu pela loja da Microsoft.

O Bloco de Notas (Notepad) agora vai ter suporte para “final de linha” (Line Endings) do Linux e assim não mais tendo problemas em abrir arquivos vindos do sistema do Pinguim. Exemplo: Abrir um arquivo .sh e não perder a formatação. Para saber mais acesse o link.

Outra novidade é que agora você vai poder abrir um Linux Shell diretamente pelo Explorer do Windows, apenas pressionando  Shift+Botão Direito do Mouse em cima do arquivo que você precisar.



Mais uma novidade é que agora você pode instalar as distros no Window 10 via linha comando com o WSL ativado. Para saber como ativar ele a Microsoft recomenda ver o manual.

Depois de ter feito isso você precisa habilitar o WSL usando os seguintes comandos. No Exemplo foi usado o Ubuntu 18.04.

Invoke-WebRequest -Uri https://aka.ms/wsl-ubuntu-1804 -OutFile ~/Ubuntu.appx -UseBasicParsing

Add-Appx-Package -Path ~/Ubuntu.appx

Aí para instalar o Ubuntu 18.04, usa os seguintes comandos:

RefreshEnv

Ubuntu1804 install --root

Ubuntu1804 run apt update

Ubuntu1804 run apt upgrade -y

Fizemos um vídeo falando sobre o WSL lá no canal, você pode conferir o vídeo logo abaixo.

       

Agora você vai poder usar os comandos Copiar e Colar nos terminais Linux/WSL, basta habilitar essa opção. Para mais detalhes acesse aqui.




E o Linux pago da Microsoft, o WLinux???!!


Bom, segundo o post no blog oficial da Microsoft, o WLinux vai ser a primeira “distribuição” para WSL, com implementações feitas especificamente para serem usadas no WSL, como por exemplo toolchains para desenvolvedores e implementações sem suporte ainda, como o systemd. O WLinux é baseado no Debian, mas diferente do Debian que conhecemos. Esse Debian da Microsoft “transformado” em WLinux é mais voltado para quem é desenvolvedor ou entusiasta, visto que ele é todo construído para ser usado via terminal. Como podemos ver em algumas capturas de telas abaixo. Sendo assim, ele é mais uma das distros disponíveis para o WSL, como as outras que foram comentadas.








O WLinux vai ser comercializado por R$75 em média, mas está em promoção até o dia 13/11/2018 por R$18,95. Você pode acessar a loja da Microsoft para comprar ele.

Você pode acessar o projeto do WLinux e ver quais ferramentas estão sendo utilizadas, através do Github deles.

Muita gente confunde software livre com software grátis, mas a verdade é que uma coisa não tem nada a ver com a outra e se qualquer distro quisesse cobrar por seus serviços, isso seria perfeitamente legal e bem visto, o próprio Stallman fala sobre isso em seus discursos.

A grande questão é: O que de especial esse sistema novo da Microsoft traz para que justifique a sua compra? Tem algo que ele faz que não é possível de fazer com outras distros ou de outra forma? São objeções que o marketing da Microsoft precisará trabalhar, sem dúvida, se quiser vender o produto. Pode ser também que colocar um valor assim seja um teste para ver o quanto as pessoas estão dispostas a pagar por produtos do tipo, nunca se sabe.

Bom, é isso sobre a tão “polêmica” distro Linux paga da Microsoft,  só trazendo compatibilidades entre o Windows e as distros Linux, além dela trazer uma modificação do Debian com as suas implementações para funcionarem com as suas ferramentas e afins.

Isso tudo no final, quem ganha é o Linux, que em um futuro bem próximo pode “respingar” nas distros fora da Microsoft Store.

Se você quiser ver o post original do anúncio, pode acessar o blog. E se quiser ver as notas de lançamento pode acessar ela aqui.

Agora nós conte aí nos comentários o que você acha dessa investida da Microsoft em compatibilizar o Linux dentro do Windows.

Até uma próxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo