Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo.

Responsive Ad Slot

Conheça os vencedores das Keys do game "Horizon Chase Turbo"

Nenhum comentário
Eu adoro vir aqui contar essas boas novas para vocês! Hoje vamos conhecer os vencedores da nossa promoção que ofertava keys Steam para o game "Horizon Chase Turbo", jogo este que é desenvolvido pelos nossos amigos brasileiros da Aquiris, aqui de Porto Alegre, no RS.

Sorteio Horizon Chase Turbo






Sem mais delongas, o sorteio foi feito através do sistema do Grem.io, são 4 chaves disponíveis e por isso quatro vencedores, que são:
  • Matheus da Silva de Lima 
  • Bruno Picoloto 
  • Diego Gutemberg Barbosa 
  • Fabricio Moreira 
Os vencedores podem ficar ligados em seus e-mails, por as keys serão enviadas para lá, depois é só ativar na Steam e baixar o jogo. O game funciona no Linux, no Windows e no macOS também, então a diversão está garantida!

Ajude-nos a impulsionar o mercado brasileiro de desenvolvimento de jogos, confira o gameplay do "Horizon Chase Turbo" no canal:


Para participar de futuras promoções e sorteios, fique ligado aqui no blog, no canal e nas nossas redes sociais. Se você usa o Telegram, existe uma forma muito simples de ficar por dentro de todas as nossas promoções, basta entrar neste canal.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conheça os vencedores do Giveaway Diolinux - BlitzWolf!

Nenhum comentário
Na semana passada nós começamos uma campanha no Diolinux para presentear 10 leitores do blog e inscritos do canal com um kit de produtos BlitzWolf, agora é hora de conhecermos os vencedores!

Vencedores da promoção




Queremos agradecer ao nosso patrocinador BlitzWolf por viabilizar os brindes que serão distribuídos entre os vencedores. O anúncio do sorteio também foi feito no canal Diolinux no YouTube conforme você pode ver logo abaixo:


O sorteio foi feito através do serviço Glem.io e os 10 vencedores são: 
  • hakoyama 
  • Mailson Maia 
  • Renato Guimarães 
  • Leandro Cordeiro 
  • Juarez Lisboa de Souza 
  • Ricardo Bernardi 
  • Edson Carlos da Rocha 
  • Davi Rodrigues Coelho 
  • Danilo Souza 
  • Paulo Vieira 
x

Aos vencedores, fiquem atentos aos seus e-mails para poderem informar o endereço de entrega ao pessoal da BlitzWolf. Nesta semana (amanhã mais precisamente) se encerra outro Giveaway do blog/canal Diolinux que vai sortear algumas keys do game "Horizon Chase Turbo" da desenvolvedora brasileira Aquiris.


Para participar deste sorteio de chaves para o game na Steam clique aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como programar em C/C++ no Ubuntu

Nenhum comentário
Olá você! Vamos continuando a nossa série de dicas de como programar utilizando Linux, especialmente o Ubuntu. Esta série está sendo coescrita com o nosso leitor Tiago Funk, que já falou sobre a criação de um ambiente básico para programar em Java e em Python.

Como programar em C++ no Ubuntu





Por mais estranho que pareça, programar nessa linguagem no Ubuntu é relativamente simples, você vai perder mais tempo escolhendo a ferramenta aonde será escrito o código do que instalando o básico para compilar o seu código fonte.
Neste artigo C e C++ serão tratados como sinônimos, ou seja, a instalação das ferramentas de um é igual ao que é necessário à outra, apenas na hora de escrever os códigos que é diferente.

Requisitos:

- Computador com Ubuntu.
- Internet para downloads.
- Paciência (para escolher a ferramenta correta para a edição do código fonte e depois para aprender a linguagem)

Entendendo o C/C++


Esta nova linguagem que você esta prestes a aprender é uma das mais utilizadas no mundo atualmente, ela esta nos sistemas operacionais, drivers, compiladores de várias linguagens, etc. Ela é de baixo nível, assim, você pode mexer em recursos avançados no sistema que o seu programa for rodar, isso que pode ser um grande problema para alguns e uma coisa muito boa para outros.

Como o Kernel Linux (o qual o Ubuntu utiliza) tem partes escritas em C/C++, ele já possui um compilador no sistema, por isso não precisamos instalar nada para rodar códigos dessa linguagem, além dela rodar em linguagem de máquina diretamente (o Java por exemplo é executado dentro de uma máquina virtual).

Escolhendo uma ferramenta de Edição de código


Aqui vamos listar algumas alternativas aonde você pode editar o seu código:

Terminal

É comum que os programadores dessa linguagem utilizarem um editor de texto qualquer para escrevê-la (gedit, vi, nano, bloco de notas, etc) e depois compilarem pelo terminal.  Vou ensinar essa alternativa, porque pode ser que um dia ela seja útil para você trabalhar.
Abra um editor de texto qualquer e digite os seguintes comandos:

#include <iostream>

using namespace std;

int main(){
cout << “Olá mundo” << endl;
return 0;
}

Depois salve como main.cpp (a extensão .cpp é muito importante)

Vai pelo terminal até a pasta que você salvou e digite para compilar:
g++ main.cpp -o meuPrograma
Para executar:
./meuPrograma
No terminal deve haver a seguinte saída:

Compilando programa em C++

Como vimos, qualquer editor de texto pode ser utilizado para a edição, mas existe alguma ferramenta que otimize o trabalho, compilando os arquivos para min? Sim.


Atom

O Atom é uma delas, um editor leve, que suporta outras linguagens também, compila e executa e ainda tem uma interface que eu achei muito bonita.

Atom no Ubuntu

Acesse: https://atom.io/ 

E baixei o pacote .deb

Vai na pasta do download pelo terminal e digíte:
sudo dpkg -i nomePacote.deb
Por enquanto, ele ainda é apenas um editor de texto simples, vamos adicionar uma extensão para executar os códigos C++. Você encontra ele no formato Snap também na própria central de aplicativos do Ubuntu.
Vá na barra superior e clique no menu em packages >> setting views >> open, na janela que se abrir, clique em install e busque por "gpp-compiler", instale essa extensão para poder compilar arquivos.

Atom editor

Digíte o seu código e aperte o F5 para compilar e executar (ele vai abrir um “Terminal” para mostrar a saída para você).

Code::Blocks

Outra alternativa é code::blocks, talvez quem programou em C/C++ no Windows conheça, bastante parecido com o Atom. Única coisa diferente é poder criar um projeto com o código, e não apenas separar em pastas.

No terminal:
sudo add-apt-repository ppa:damien-moore/codeblocks-stable
sudo apt-get update
sudo apt-get install codeblocks codeblocks-contrib
Code Blocks

 Para criar um projeto, clique no primeiro ícone à esquerda no menu (olhar imagens).

Code Blocks Ubuntu

Em categoria, selecione Console, e avance, pode deixar tudo no padrão na próxima, selecione C ou C++ depois, E coloque um nome para o seu projeto, e coloque o projeto em uma pasta. 


O programa já vai ter criado um um arquivo main.cpp para você e já pode executa-lo.

Netbeans

Minha última sugestão é o Netbeans, eu vou recomenda-la porque ela é mais completa (por exemplo, as duas anteriores não mostram erros em sintaxe, se você escreveu um comando errado, o Netbeans mostra), ela permite integrar várias linguagens em um único projeto e tenho bastante experiência com ela.
Atenção: o Netbeans é um software que consome bastante recursos do computador, por conta disso é aconselhável ter um processador da geração mais nova e ter pelo menos 4 GB de RAM, não que você não consiga utilizar o Netbeans em uma máquina que não possua este hardware, mas compromete bastante (experiência própria).
Na página você pode ver várias opções:

Download do NetBeans

Selecione a quinta opção se você for programar apenas C/C++.
Com o download finalizado, vá na pasta que foi feito o download pelo terminal e digite:
sudo sh NomedoArquivo.sh
Quando abrir a janela apenas clique “próximo”, em todas as janelas, além de aceitar o termo de utilização, pode deixar tudo no padrão.
Ah, não se assuste com a demora para a instalação. Bem comum. Além disso, não cancele a instalação, senão a instalação ficara comprometida e arrumar tudo depois vai dar muita dor de cabeça.
Para abrir o Netbeans, basta pesquisar no seu computador (Aperte a tecla do Windows) e abra-o, ele costuma demorar um pouco para abrir pela primeira vez. Clique no segundo ícone e escolha “C/C++” e “Aplicação C/C++”, depois de um nome para o projeto.


Repare que o Netbeans já criou o arquivo e muito do código para fazermos o teste. Basta deixar o código igual à imagem e clicar na flecha verde.

NetBeans Ubuntu

Finalizando

Se ficou com alguma dúvida em como instalar ou utilizar, busque tutoriais na internet, aprenda a pesquisar também, vai ser muito útil para você na sua vida de programador.

That’s all folks, por hoje seria apenas isto. Até mais.

Nota do editor: Gostaríamos de agradecer ao Tiago Funk pela colaboração com o artigo.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Kubuntu não terá versão de 32 bits à partir da versão 18.10

Nenhum comentário
Kubuntu vai aderir ao movimento que as outras distros, assim como o prório Ubuntu vem fazendo, não fornecendo mais imagens para download do sistema com compatibilidade com a arquitetura de 32 bits (i386).







A confirmação que o Kubuntu não traria mais a versão de 32 bits já a partir de Outubro (Kubuntu 18.10), veio através de uma lista de discussão do Kubuntu Developer, aonde falam que não será mais possível prosseguir com a versão i386 (32 bits) já na próxima versão do Kubuntu.

Ainda segundo a lista de e-mail, os esforços da equipe serão concentrado no desenvolvimento para a arquitetura ARM, essa que poderá ser usada em IoT, nos Raspberry Pi ou em pequenos portáteis ARMs/Netbooks.

Continuando essa lista, os esforços para manter as ISO's de 32 bits já não valiam mais a pena, pois para cada versão lançada existem ao menos 5 (cinco) versões diferentes de arquiteturas, como 32 bits (i386); 64 bits (x86_x64); ARM; ARM 64 bits; PPC (Power PC) e etc, sendo que cada vez menos downloads ocorrem em versões de 32 bits.

Além do que, cada versão precisa ser desenvolvida, verificada, construída e também passar por controle de qualidade, testes automáticos e manuais e por ai vai, ou seja, esforço, tempo e dinheiro.

Outro ponto verificado pelo desenvolvedores foi que um percentual baixo dos usuários usam a versão de 32 bits, e que "bizarramente"  a grande maioria que baixa essa versão usam em PC's/Notebooks com processadores compatíveis a arquitetura de 64 bits. Talvez por engano ou ignorância em relação ao assunto.

Os desenvolvedores tentaram acalmar os eventuais usuários que se sentirem desamparados, pois a versão atual do Kubuntu - a 18.04 LTS - vai receber atualizações normalmente.

Se em último caso você realmente precise de um sistema de 32 bits, temos várias opções como o Lubuntu, que ainda mantém o suporte.

Agora nos conte aí nos comentários, se você ainda usa arquitetura de 32 bits ou se conhece alguém que ainda use.

Um forte abraço e até a próxima. =)
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Microsoft bloqueia atualização do Windows 10 em SSDs da Intel

Nenhum comentário
Semana passada já tínhamos relatado que a Microsoft encerrou o suporte do Windows 10 para as empresas. Se liguem nessa novidade agora.

atualizacao-do-windows-10-bloqueada-parassds-da-intel







Um dos grandes problemas causados pelo fim do suporte a uma versão do Windows 10 é o fato de que quem quiser continuar recebendo atualizações terá que desembolsar uma grana; mas este não foi o único problema. Durante o processo final para a disponibilização, descobriram um bug na atualização que causava tela azul, pessoas começaram a relatar problemas obrigando a empresa a tomar uma decisão mais drástica.

Microsoft está bloqueando atualizações do Windows em SSDs da Intel


Pois é, e o motivo para isso é que SSDs Intel das família 600p e Pro 6000p acabam travando a máquina no momento da inicialização do Windows. Esse é um problema que está relacionado ao firmware e isso pode acabar acontecendo no Windows 10 com qualquer do dispositivo que possua o mesmo firmware. Tanto que nos comentários do próprio site da Microsoft mencionam o mesmo problema com o SSD OCZ Vertex 4, tendo que por fim, formatar a máquina.

O problema ainda não tem solução e por esse motivo a Microsoft bloqueou a atualização para o dispositivo (atitude até sábia). Reza o site Global Mask que o único jeito de reverter a solução é pressionando F8 durante o processo de boot e retomar a ultima configuração válida. Mas de acordo com o comentário no site da Microsoft, a solução foi formatar a máquina.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


GNOME está removendo a função de abrir aplicativos dando dois cliques no Nautilus

Nenhum comentário
O GNOME vem removendo vários funcionalidades do chamado "Desktop tradicional" nos últimos tempos. Além da área de trabalho em si, agora o gestor de arquivos Nautilus não poderá mais manusear aplicativos, permitindo que ele sejam abertos pelos usuários dando dois cliques com o mouse.

Nautilus GNOME






A mudança deverá ser incorporada nas próximas versão do GNOME Desktop onde o Nautilus não será mais capaz de abrir arquivos binários de software e scripts à partir do gestor de arquivos.

Essa medida afeta, por exemplo:

- Arquivos .bin;
- Arquivos .run;
- AppImages;
- Atalhos de programas;
- Shell Scripts, entre outros.

A ideia por trás do projeto consiste em tentar aumentar a segurança dos usuários que não poderão rodar aplicativos de fora da loja de uma forma tão simples. Ainda será possível rodar qualquer aplicativo binário (como os AppImages) através do terminal por exemplo, ou utilizando outro gestor de arquivo.

O que você acha dessa medida?

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Sobre o malware encontrado na Snap Store do Ubuntu

Nenhum comentário
Neste semana tivemos a notícia de que existia um game dentro da Snap Store da Canonical que tinha propriedades de mineração de cripto moedas. Algo que ligou os alertas da comunidade Linux, vamos discutir sobre isso.

Ubuntu Snap com malware






Como os nossos amigos do OMG!Ubuntu fizeram um belo artigo sobre o ocorrido, eu vou me reservar a debater e levantar alguns tópicos referentes ao ocorrido. 

Como um pouco de contexto é interessante para você entender o que aconteceu, o motivo do alarde é que um desenvolvedor submeteu com sucesso na Snap Store um game que tem licença MIT chamado "2048", um game muito popular inclusive, que por conta da sua licença permite a redistribuição com softwares proprietários inclusos. O problema é que este software além de rodar o game de fato, alocava recursos da máquina para minerar cripto moedas, sem que esta atividade estivesse descrita na loja.

Um problema não exatamente do Snap


Acho que o meu ponto de debate reside aqui. Uma falha como esta fez com que muitos "entendidos" por aí condenassem pacotes como Snap, Flatpak e AppImage, dizendo que eles são "um perigo" para os computadores...

Problemas de segurança são inevitáveis em qualquer plataforma, mesmo utilizando Linux é importante se preocupar com rotinas básicas de segurança online, ainda mais atualmente, onde cada vez mais as distros vem sendo utilizadas por pessoas com menor ou nenhum conhecimento técnico.

O problema que ocorreu com este Snap poderia ter ocorrido de outra forma qualquer, Flatpak, AppImage, um pacote .deb,um script, etc, ou seja, o formato em si não é culpado, como muitos apontam, mas o sistema de segurança no entorno dele, este sim que deverá ser aprimorado sempre.

Assim como no Android ou mesmo no iOS, a intenção de Google e Apple, respectivamente, é nunca ter softwares nas lojas de aplicativos que possam prejudicar os usuários, ainda assim, alguma coisa passa despercebida eventualmente.

Os sistemas de análise de segurança de aplicativos como os Snaps geralmente são automatizados, e esse processo eventualmente pode falhar, isso é natural e até esperado, ainda que seja indesejável.

Nessas horas, assim como diz o Linus Torvalds: "às vezes é mais importante a velocidade da correção do problema do que evitá-lo".

Uma vez identificado e comprovado o problema, a Canonical tirou do ar o Aplicativo que estava causando-o, ou seja, a correção foi efetiva. Assim como no Kernel Linux, quando um problema for descoberto é importante que a solução seja rápida e eficiente, uma vez que adivinhar por onde o ataque pode vir é quase que literalmente "prever o futuro", sendo assim é importante sempre reforçar as rotinas de verificação e segurança para evitar qualquer implicação ao máximo no futuro, aprendendo com as falhas.

Mesmo que problemas assim possam acontecer, os formatos Snap e Flatpak (e AppImage) acabaram fomentando um novo mercado que sempre teve dificuldade de oferecer software para distribuições Linux e acabaram viabilizando que empresas que antes não lançavam softwares para a plataforma do pinguim agora o fizessem. Não podemos esquecer que problemas de segurança no Linux sempre existiram e sempre existirão, mesmo que sejam muito menores e corrigidos (geralmente) com grande velocidade. Antes dos Snaps e Flatpaks ficarem mais populares, problemas de segurança envolvendo o Linux já existiam.

O que muda com a chegada desses formatos e que agora a cada dia mais desenvolvedores e empresas vem fazendo softwares para a plataforma e com a pluralidade vem também a possibilidade de pessoas mal intencionadas aparecerem neste meio.

A questão é que softwares proprietários não podem ter seu código verificado e por mais que sempre pensemos que o ideal é usar código aberto, boa parte do mercado detém seu maior valor no software em si e não no serviço oferecido (isso quando existe um serviço), os pacotes Snap permitiram que empresas colocassem seus softwares proprietários pela primeira vez no mundo Linux e para todas as distros ao mesmo tempo, oferecendo mais opções para as pessoas, um pequeno passo para o "lado 'Open Source' de ser", mas inegavelmente algo positivo para o mercado.

O problema do Ubuntu não exigir um login para instalar Snaps (ou outra distro qualquer) é que isso faz com que seja difícil saber quantas pessoas efetivamente baixaram esse App malicioso. Em sistemas como o Android, quando um App é considerado perigoso, a Google consegue removê-lo dos Smartphones automaticamente, ou enviar alguma mensagem ao usuário. Essa possibilidade não existe ainda nos desktops Linux, muito por conta da preocupação com privacidade.

Eu poderia dizer que uma das formas mais simples de evitar todos esses problemas é utilizar 100% de software livre com software vindo somente do repositório curado da distro, mas uma vez que o mundo não é feito de pessoas que pensam da mesma forma e sempre haverão pessoas que achem que é melhor para o negócio ou produto que desenvolvem usar licenças proprietárias (e elas tem o direito de agirem assim), as distros precisam se adaptar a esse tipo de coisa, a tecnologia é feita de uma mescla de tipos de softwares e dificilmente uma dia haverá qualquer hegemonia, de um lado ou de outro.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo