Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 12: Limpando o Lixo e preparando o sistema para gerar a ISO - Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo.

Responsive Ad Slot

Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 12: Limpando o Lixo e preparando o sistema para gerar a ISO

O penúltimo artigo da série que te ensina a criar a sua própria distro baseada no Ubuntu

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

/ por Dionatan Simioni

Ajustes finais na sua distro

Olá pessoal este acredito que seja o penúltimo tutorial antes de criarmos a nossa ISO com a distro Linux que estamos personalizando a certo tempo já.
Hoje vamos lhe dar algumas dicas valiosas para a geração da ISO.

Limpando pacotes desnecessários

Limpando pacotes inúteis

Quando modificamos o sistema, instalamos e desinstalamos programas o resíduo de bibliotecas e pacotes pode se manter no sistema, mesmo que indevidamente. Por exemplo, quando você instala alguns pacotes via APT o cache dos pacotes fica no sistema para um possível reinstalação, até que você os remova. 

O Problema, se você não remover estes pacotes eles serão gravados na criação da ISO aumentando drasticamente o tamanho da ISO, em alguns casos pode ser muito mais do que 100 MB. Então para remover os pacotes antes de criar a ISO use estes comandos:
sudo apt-get autoclean
sudo apt-get autoremove
Estes dois comandos realizarão a limpeza, mas você pode usar um App como Bleachbit para fazer uma limpeza mais profunda.

Para remover bibliotecas obsoletas use o DebOrphan.

Dica para manter as modificações visuais que você fizer como padrão na sua ISO

Este é um detalhe importante pois ele vai tornar a sua distro única, caso contrário você apenas vai criar um Ubuntu cheio de pacotes pré-instalados e sem uma identidade visual única.
Para manter as configurações que você fizer você na sua distro como, tema, ícones, posicionamento de programas na Dash ou no menu, em fim, todas as configurações você deve mover os arquivos de configuração presentes dentro da sua pasta home para um diretório especial chamado SKEL.

Para isso faça o seguinte, abra o terminal e cole o seguinte comando:
gksu nautilus
O Nautilus vai se abrir, navegue até a sua pasta de usuário e exiba os arquivos ocultos, copie todo o conteúdo para a pasta /ETC/SKEL
E pronto! Desta forma as suas personalizações ficarão salvas.

No próximo capítulo abordaremos a criação da ISO, até a próxima!

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo