Migrando para o Linux - Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Migrando para o Linux

Hoje vamos mais uma vez abrir espaço para a manifestação da opinião de um de nossos leitores fiéis, o Yure Felipeto, ele recentemente nos mandou uma matéria que gerou um grande debate chamada "A polêmica dos Refisefuqui", no texto de hoje ele vai abordar alguns aspectos relacionados a migração para o Linux segundo a sua própria experiência. Este tipo de artigo não reflete necessariamente a opinião do blog Diolinux sobre o assunto, é um espaço que nós abrimos para que os leitores possam participar, se você tiver um texto interessante também mande pra gente através da área do leitor. Confira o texto do Yure logo abaixo:

quarta-feira, 16 de março de 2016

/ por Dionatan Simioni
Hoje vamos mais uma vez abrir espaço para a manifestação da opinião de um de nossos leitores fiéis, o Yure Felipeto, ele recentemente nos mandou uma matéria que gerou um grande debate chamada "A polêmica dos Refisefuqui", no texto de hoje ele vai abordar alguns aspectos relacionados a migração para o Linux segundo a sua própria experiência.

Este tipo de artigo não reflete necessariamente a opinião do blog Diolinux sobre o assunto, é um espaço que nós abrimos para que os leitores possam participar, se você tiver um texto interessante também mande pra gente através da área do leitor. Confira o texto do Yure logo abaixo:

Linux





"A migração de um sistema operacional para outro não é simples. Você terá de mudar toda a sua forma de usar o PC e habituar-se com um universo totalmente novo. Reaprender tudo de novo. Neste artigo falarei sobre a migração do SO da Microsoft, o Windows, para uma distribuição GNU/Linux e darei algumas dicas de como entrar com tudo no universo Linux.

Não seja radical ao extremo.

Uma dica simples mas eficaz. Não caia de cabeça no desconhecido, pois isso pode te frustrar e ficar com mais receio e medo da mudança. A mudança deve ser gradual e isso facilitará muito a você ir se habituando ao novo sistema. O Linux tem bastante coisa parecida com o Windows, só que tudo apresentado de uma nova maneira. 

A maneira mais legal de mudar é o Dual-boot, que é instalar a distribuição ao lado do Windows. Comece lendo tutoriais de como realizar as suas tarefas cotidianas no Linux e se precisar use o Windows. Mas como? Quando você usa a opção de dualboot, ao ligar o PC será perguntado qual sistema você quer usar e então basta selecionar.

Escolha a distro ideal para você.

Leia bastante sobre as várias distribuições e escola uma que seja a melhor para você. Uma distro que lhe chame atenção fará que você goste cada vez mais dela e aprenda mais e mais. Uma dica é ver reviews sobre a distribuição e ver seus pontos fortes e fracos. 

Distros que eu recomendo para quem que começar no mundo do pinguim: Linux Mint, Ubuntu, Kubuntu, Deepin e Elementary OS. O Linux Mint é a mais completa pois necessita de poucos ajustes para ter todos os recursos e todos os programas básicos vem por padrão. O Ubuntu e Kubuntu necessitam de mais ajustes, mas nada muito difícil. Já Elementary e Deepin são bem fáceis de usar, mas não vem 100% prontas e mais ajustes precisam ser feitos. Eu recomendo essas distros pelo seu foco, que é o usuário doméstico.

Não viva de idealismo.

Manter o Windows ou Mac no PC não é o fim do mundo. Não fique atrelado a idealismos e preconceitos de alguns usuários. O Windows para muitas tarefas é mais produtivo que o Linux, como por exemplo os jogos. Eu mantenho até hoje o Windows 7 ao lado do Ubuntu, porque ainda não tive uma bom desempenho do Linux nos jogos. 

Muitos usuários mais experientes têm preconceito com os novatos e com o Windows. Eles estão errados em acharem que usando Linux são superiores e por isso eu digo: Você pode ser o “mestre jedi” das galaxias com Windows e um perfeito “zé ninguém” usando Linux. Um sistema não define nível a uma pessoa, então não caia em conversa fiada. 

Wine não é milagreiro! 

O Wine pode te ajudar, e muito, com programas de Windows no sistemas Linux mas, com certeza, ele não faz milagres. Não fique tentando transformar o Linux em um Windows instalando todos os seus programas favoritos do Windows. Você deve buscar substitutos aos programas. No Linux se tem vários programas capazes de substituir programas do Windows como, por exemplo, GIMP para substituir o Photoshop; O LibreOffice para Substituir o Microsoft Office e assim por diante.

Espero que essas dicas tenham facilitado um pouco a sua migração e o seu uso do novo sistema operacional. Siga em frente com a mudança e BEM-VINDO AO GNU/LINUX!"

Nota do blog


Agradecemos ao Yure pela sua contribuição, agora você pode contar pra gente que outras dicas você poderia dar para alguém que deseja migrar para o Linux, você concorda com as dicas do Yure? Participe!

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo