Pacotes Snap do Ubuntu poderão ser utilizados em outras distros Linux - Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Pacotes Snap do Ubuntu poderão ser utilizados em outras distros Linux

Podemos estar nos aproximando de uma mudança drástica na forma com que os aplicativos são distribuídos para todas as distros Linux, aproximando-nos do que seria uma espécie de padronização através dos pacotes Snap, criados pela Canonical para o Ubuntu, mas que em breve outras distros poderão estar utilizando.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

/ por Dionatan Simioni
Podemos estar nos aproximando de uma mudança drástica na forma com que os aplicativos são distribuídos para todas as distros Linux, aproximando-nos do que seria uma espécie de padronização através dos pacotes Snap, criados pela Canonical para o Ubuntu, mas que em breve outras distros poderão estar utilizando.

Ubuntu Snap para outras distros




Os pacotes Snap estão começando a despertar o interesse de outras distribuições, mas antes de um falar sobre isso, talvez seja interessante você entender melhor como funcionam os pacotes Snap, para isso, nós temos dois vídeos inteirinhos, assim você vai compreender do que se trata.



Sobre o tamanho dos pacotes Snap


Em relação ao segundo vídeo, gostaria de fazer um acréscimo interessante. Algumas das pessoas que comentaram nele no YouTube levantaram a questão de o quão problemático para o armazenamento o Snap pode ser, visto que o tamanho dos pacotes são consideravelmente maiores, como eu mesmo questionei no vídeo. A questão ali é que na época eu não levei em consideração um fator determinante, o ambiente em que o Snap estava rodando.

No vídeo eu mostrei o incrível tamanho de uma simples calculadora (127 MB), porém, isso só ocorre dentro do ambiente do Unity 7, a mesma aplicação para o Unity 8, versão usada nos Smartphones, tem menos de 100 KB! Esta é uma informação importante e que eu acabei deixando passar, mas agora estou tentando retificar.

Outra evidência de que o tamanho exacerbado do pacote não reflete a realidade do que será no futuro, é que baseado na quantidade média de armazenamento interno que os Smartphones e Tablets possuem, algo muito aquém dos computadores, mesmo que usem SSDs, os Snaps não podem ser grandes demais ou vão acabar limitando a quantidade de aplicações que poderão ser instalada nos dispositivos, ou seja, faz muito mais sentido uma calculadora com 100 KB do que com 127 MB!

Realmente parece ser uma peculiaridade atual, quando o ambiente for mais receptivo, o tamanho dos Snaps pode diminuir de maneira geral. Espero que você tenha entendido o ponto de vista, mas se você achar interessante, posso fazer um novo vídeo para explicar melhor como deverá funcionar, explicando de outra forma essa questão dos tamanhos dos pacotes, basta deixar um comentário logo abaixo.

Snap para todos

Ubuntu Snap

Eu já expliquei nos vídeos acima como eles devem funcionar, mas se pudéssemos resumir o que seria, a definição seria o seguinte: É um formato de pacote (uma maneira de empacotar software) que permite que o desenvolvedor coloque todas as dependências que o programa precisa dentro do pacote (o Snap). Este pacote pode ser instalado através de uma Central de Aplicativos e pelo terminal (pelo menos atualmente estas são as únicas duas formas, é possível que futuramente tenhamos pacotes .snap ou algo do tipo); uma vez instalados, os pacotes Snap rodam em Sandbox, o que permite uma maior estabilidade do sistema, facilita o dowgrade, caso seja necessário, e fecha ainda mais as portas para pragas virtuais.

É um conceito muito semelhante ao Docker, que é utilizado largamente em servidores, só que para cada aplicação que você usa no seu computador.

Snap em outras distros

Mark Shuttleworth, fundador da Canonical e do Ubuntu, fez um comunicado de imprensa informando que os desenvolvedores de outras distribuições Linux entraram em contato com a Canonical no intuito de trazer os Snaps para seus sistemas. Os principais sistemas dispostos a adotar o formato, além dos derivados diretos do Ubuntu são o Arch Linux, Gentoo e Debian.

Segundo o criador do Ubuntu, tudo que as distribuições vão precisar para rodar os Snaps é ter em seu core é um programa chamado SnapD, que é o que permite que os pacotes Snap funcionem. Um fato interessante aqui é que caso Arch e Gentoo adotem os Snaps, não haverá pacotes do tipo "Firefox-Snap-Arch", "Firefox-Snap-Gentoo" e "Firefox-Snap-Ubuntu", será apenas um "Firefox-Snap" que será compatível com todos os sistemas. Outras distros que já demonstram interessante em adotar o Snap são o openSUSE, CentOS, elementary OS, Fedora e Linux Mint.

A Canonical vem conversando com a Red Hat para implementar o formato também no RHL, porém, ainda não teve uma afirmativa por parte da companhia, que ainda está estudando a possibilidade.

(Parênteses do assunto)
Isso é pra galera ver o quanto essa coisa de "minha distro é melhor que a sua" não faz o melhor sentido. Estamos todos juntos no mesmo barco amiguinhos.

Snap para Android


Até mesmo o sistema operacional da Google poderá rodar os pacotes Snap, segundo a Canonical, o Android já tem recursos suficientes para fazer isso, bastaria a implementação do SnapD para que as coisas funcionassem, isso permitiria que as pessoas instalassem aplicativos de Destkop Linux nos Smartphones e Tablets Android. A reunião de imprensa foi finalizada falando da possibilidade de usar o Snap no Ubuntu on Windows, porém, a Canonical alerta que neste caso o trabalho será maior porque será necessário traduzir algumas system calls para que tudo funcione corretamente.


Será que finalmente teremos um modelo de pacotes universal compatível com qualquer distribuição?

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo