Julho 2017 - Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Desenvolvedores do Linux Mint anunciam renovação na Central de Aplicativos da Distro

Nenhum comentário

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Os desenvolvedores do Linux Mint anunciaram que o Linux Mint 18.3, que ainda será lançado, deverá trazer uma versão renovada do "Gerenciador de Aplicativos", isso deverá trazer um visual moderno para a aplicação.

Linux Mint novo gerenciador de aplicativos




O relatório de desenvolvimento mensal do Linux Mint trouxe algumas novidades interessantes sobre o futuro da distribuição. Atualmente nós temos o Linux Mint 18.2 como a última versão estável lançada, o próximo upgrade deverá ocorrer apenas depois de Outubro, ou seja, temos um bom tempo para esperar ainda, mas é possível que valha muito a pena!

Mais coisas deverão aparecer com o tempo, mas até o momento, o Linux Mint 18.3 deverá receber melhorias em seu tema, especialmente em algumas aplicações específicas, como o Gestor de Fontes de repositórios, que agora suportará GTK3 e monitores de alta resolução. 

O ambiente gráfico Cinnamon receberá suporte para hibernação com placas de vídeo híbridas. A tela de login, que foi mudada recentemente para o LightDM, deverá receber ainda mais opções de personalização, como a possibilidade de fazer login automático, assim como a possibilidade de esconder a lista de usuários disponíveis. Os indicadores do painel agora podem ser habilitados e desabilitados também e mostram dicas do que fazer em cada ação, além disso, a tela de login irá ter suporte para a ativação do numlock na inicialização.

A nova Central de Aplicativos


É claro que todas as melhorias são bem-vindas, mas eu dou um valor especial a esta em específico. A Central de Aplicativos do Linux Mint, ou "Gerenciador de Aplicativos", como está no sistema, é um dos melhores componentes do Linux Mint e merecia mais atenção.

Novo MintInstall Linux Mint 18.3
Novo conceito da Central de Aplicativos


Apesar de muito funcional, seu visual não mudava há muito anos e já estava ultrapassada, especialmente no quesito visual. Os desenvolvedores informaram que o Linux Mint 18.3 deverá introduzir uma versão renovada desta aplicação, com um novo Design, que lembra um pouco mais os conceitos de lojas de sistemas operacionais móveis, como o Android e o iOS, o design em si, segundo eles, foi inspirado também no GNOME Software, que costuma acompanhar as distros que usam o GNOME Shell.

Para se ter uma noção, aqui podemos comparar com aparência atual do MintInstall (Gerenciador de Aplicativos):

Linux Mint

A mudança pode parecer sutil, mas certamente fará diferença. Infelizmente a imagem anterior a esta última é a única até agora que eu consegui encontrar que mostra um pouco da nova Central de Aplicativos, eu realmente gostaria de ver como ficará o grid de aplicativos e as categorias, se teremos uma espécie de banner também, enfim, gostaria de ver o design por completo, assim como eu acho que você também gostaria, mas infelizmente nada foi liberado até o momento.

Além do design, é importante para o Mint, ter um cuidado maior na inclusão de novos pacotes no repositório, esse é um dos principais diferenciais do Deepin atualmente, além do visual, que parece ser a grande distro concorrente do Linux Mint para usuários domésticos.

O que você achou desta prévia? Você também achava que estava na hora de uma renovação? Deixe a sua opinião nos comentários logo abaixo e assine o feed do blog também, assim quando tivermos novidades você receberá no seu e-mail no resumo diário.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Em evento na China, Linus Torvalds comenta sobre o que o motiva a continuar desenvolvendo o Linux

Nenhum comentário

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Linus Torvalds, criador do Linux e do Git, subiu ao palco nesta semana na LinuxCon + ContainerCon + CloudOpen, em Pequim na China. Ele falou sobre a sua carreira com o Kernel Linux, sobre a popularidade do Git e de como ele vê o futuro do Linux e de seus desenvolvedores.

Entrevista de Linus Torvalds


As entrevistas do Torvalds as vezes parecem se repetir ao longo dos eventos, talvez porque as pessoas costumam perguntas quase sempre as mesmas coisas para ele, mas no fim das contas, a gente sempre consegue extrair algo interessante. Particularmente, me inspiro na postura dele como criador de uma tecnologia tão importante quanto o Linux, Linus pode não ser a melhor pessoa para se conviver em um escritório, mas sabe se focar plenamente em um trabalho.

Torvalds estava na China para participar do evento organizado da Linux Foundation onde várias outras pessoas participaram, ele mesmo dividiu o palco com Dirk Hohndel, um dos líderes em tecnologia Open Source da VMWare.

Linus comentou que acha interessante algo que acontece no desenvolvimento do Linux e que provavelmente acontece no desenvolvimento de qualquer software de código aberto com vários anos de vida.

"Acho interessante quando um código que eu achava que era estável continua a ser melhorado. Há coisas que não tocamos em muitos anos, então vem alguém e faz melhorias, ou vem outra pessoa e cria relatórios de bugs de algo que eu pensei que ninguém mais utilizava. Depois de 25 anos, grande parte da nossa preocupação está em suportar os inúmeros hardwares novos que são lançados a todo momento, mas há uma coisa que apenas o desenvolvimento de código aberto permite, que é alguém se importar com algo que a maior parte de nós considera banal e básico, e à partir do momento que ela se importa com isso, essa pessoa vai nos enviar um patch para melhoria do kernel em pequenos detalhes"

Quando foi indagado sobre o que o motivava, Torvalds foi enfático:

"Eu simplesmente gosto muito do que eu faço. Gosto de acordar e ter um trabalho que é tecnicamente desafiante e interessante sem ser muito estressante para que eu possa fazê-lo por longos períodos, desenvolver o Linux me faz sentir que estou realmente fazendo alguma diferença, fazendo algo significativo não só para mim."

Linus Torvalds também comentou sobre o Git e pausas no trabalho:

"Eventualmente eu tenho dado algumas pausas no meu trabalho. As duas ou três semanas em que eu trabalhei no Git para que o projeto tivesse início são um exemplo disso, mas cada vez que eu faço uma pausa mais longa, eu acabo ficando entediado. Quando me retiro por uma semana, já estou ansioso para voltar. Eu nunca tive a sensação de que preciso de grandes férias para me sentir bem."

Especificamente sobre o Git:

"Eu estou muito surpreso sobre como o Git se espalhou. Obviamente estou satisfeito com ele e com o fato de que tantas pessoas vejam nele uma forma adequada para desenvolvimento distribuído... 

...É curioso pensar que em certos círculos o Git é mais conhecido do que o próprio Linux, talvez dê-se ao fato da própria natureza do Linux, é uma camada escondida. Muitas vezes você está ali com um Android na mão rodando Linux, mas você não reflete sobre isso, com o Git é diferente, quando você está usando o Git você sabe que está usando Git."

Você pode ver a entrevista de Linus Torvalds na íntegra em inglês logo abaixo:


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Tirando o Xiaomi Mi Max 2 da caixa e descobrindo se ele tem ou não SHOP ROM

Nenhum comentário
Hoje vamos mergulhar de cabeça na gigante marca chinesa Xiaomi, conhecida por trazer uma excelente experiência em seus aparelhos através da MIUI, a interface personalizada do Android que roda nos aparelhos da empresa, e também por oferecer um hardware parrudo por um preço abaixo da média.





Para quem ficou curioso, uma review deve sair em breve, eu pretendo usar mais alguns dias e fazer mais alguns testes também para poder colocar no vídeo final que vai para o canal e se tornará um post aqui no blog também. Outra coisa que pretendo mostrar em breve é um vídeo dando enfoque na MIUI, pois ela é muito diferente do Android mais puro que eu estava acostumado nos aparelhos da Motorola, que utilizei nos últimos 3 ou 4 anos, então, este é outro conteúdo que vocês certamente podem aguardar para ver.

Vamos ver o aparelho fora da caixa?


Particularmente eu dou importância para a experiência de unboxing, ou seja, a experiência de tirar o produto da caixa. Acho que é um momento interessante para passar para o cliente a qualidade do produto e do tratamento que ele estará recebendo ao longo da sua utilização.

Claro que tudo isso é muito subjetivo, e até lúdico, mas eu não consigo deixar de dar importância.

Então, bora ver esse monstrinho com 4GB de RAM?



Se preferir ver no YouTube clique aqui.

Depois do unboxing houveram vários comentários sobre a MIUI que o aparelho carrega, o assunto das SHOP ROM veio a tona e eu preparei um vídeo muito bacana para explicar para você do que se trata e como identificar caso o seu aparelho venha com uma delas. Infelizmente, muitos aparelhos importados da China vem com este "defeito" chamado de "Shop ROM", que é uma ROM modificada intencionalmente pelos logistas, confira o vídeo para entender melhor:




Se preferir ver no YouTube clique aqui.

As Shop ROMs


Depois de ter feito o vídeo, eu acabei descobrindo outra forma de identificar de onde vieram os downloads de atualização da MIUI que eu recebi, inclusive, ontem tive mais um, contabilizando dois desde o recebimento do Smartphone. Não estava acostumado a receber upgrades deste tipo com frequência no Moto X.

Utilizando um App chamado Network Monitor Mini, você consegue rastrear todas as conexões que o Smartphone faz quando cada App é aberto. Observando o App que busca atualizações eu consegui identificar o endereço do servidor onde a atualização era buscada e com um pouco de pesquisa descobri que era o endereço correto da Xiaomi.

Gostaria de saber qual a sua opinião sobre os aparelhos da empresa e se você já tem, teve ou pretende ter um Smartphone Xiaomi, o que você acha?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Estatísticas: Dados revelam preferências de usuários Linux, distros, interfaces e plataformas

Nenhum comentário

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Fazer levantamento de dados como estes é algo bem problemático e não há como considerar um N amostral grande demais, mas com os dados que colhemos, é possível ter uma ideia de qual o comportamento dos nossos leitores quanto a utilização das distros Linux no dia a dia e seus gostos. 

Dados de usuários Linux




Uma das coisas que eu acho que toda pesquisa deveria ter logo no seu anúncio é indicar as suas limitações, afinal, não existe pesquisa estatística absoluta, por isso vou dedicar um tempo aqui escrevendo como a pesquisa foi feita e o seu alcance, certo? Quero aproveitar para agradecer a todos que participaram, especialmente ao blog do Edivaldo e ao Linux Descomplicado, que ajudaram no processo de divulgação.

Do que se trata esta pesquisa?


Esta pesquisa levou (literalmente) dois anos para ser feita e compilada e reflete primariamente as opiniões e gostos dos nossos leitores sobre os tópicos questionados. 

A pesquisa coletou dados em duas fases entre 2016 e 2017. Isso aconteceu porque nós queríamos um comparativo do público nestes dois momentos e saber se o público mudou de opinião neste período.

O mundo Linux é muito dinâmico e opiniões podem mudar de um ano para o outro.

Sabendo que a maior parte não reajustaria sua resposta caso mudasse de gosto ao longo do tempo, então refizemos exatamente as mesmas perguntas em dois períodos do ano, cada uma com cerca de 2 meses de tempo para coleta de dados.

Em 2016 tivemos 4.671 participantes, já em 2017 tivemos exatamente 3.300, uma queda na participação da pesquisa, mas que ainda nos permite ter um amostral considerável do público.

Por que esses números são importantes?


Além de ser curioso e nós sempre gostarmos de saber o que a maioria gosta, este tipo de dado ajuda muito os produtores de conteúdo a saber quais são os tópicos mais apreciados pelos leitores do blog, assim o conteúdo pode ser melhor direcionado e é possível identificar padrões de crescimento de interesse em determinados assuntos olhando estes dados.

Por que estes números são relevantes?


Os dados são especialmente importantes para nós que trabalhamos no blog Diolinux e até mesmo para nossos parceiros que ajudaram na divulgação das enquetes, como comentei, mas os dados podem ser considerados relevantes em uma ótica um pouco maior, especialmente nacional.

O Diolinux é acessado por muitos países regularmente, abaixo você pode ver o mapa de acessos global de Junho de 2017, como podemos ver pela densidade, o Brasil é certamente o país que mais acessa o conteúdo, por isso podemos considerar como uma, ainda que pequena, amostra nacional.

Acessos mundiais ao Diolinux em Junho de 2017

Em números isso representa uma grande quantidade de pessoas  de um público engajado com o tipo de conteúdo que é publicado por aqui, abaixo você vê um print dos últimos três meses do Google Analytics do blog no quesito audiência:

Analytics Diolinux

E para entender melhor a relevância em popularidade para os dados exibidos, ainda temos o ranking Alexa do blog que aponta que estamos quase entre os mil sites mais acessados do Brasil no dia de hoje, e entre os 34 mil do mundo.

Diolinux Alexa

Embasada e definida a grandiosidade e pequenez da nossa pesquisa, vamos a ela propriamente dita, tenho certeza que você vai achar interessante:

Como ler a pesquisa?


Os dados numéricos apresentados devem ser lidos em formato percentual, entretanto, como as questões eram de múltipla escolha e mais de uma reposta poderia ser marcada caso o usuário se encaixasse em mais de uma situação, os números nunca fecharão 100%, eles apenas representam quantos por cento dos votantes (lembre, em 2016 tivemos 4.671 e em 2017, foram 3.300 participantes) marcaram determinada opção. Existem pessoas que costumam usar mais de uma distros ou interface por exemplo.

Outro ponto importante para se comentar é sobre a faixa de corte da pesquisa. Existia a opção de cadastrar uma alternativa não presente, isso acabou gerando a inclusão de dezenas de distros e opções, algumas sem fazer tanto sentido até, infelizmente, por isso, qualquer dado abaixo de 1% não será representado, salvo algumas pequenas exceções. Então se determinada distro ou interface não aparecer, é porque provavelmente ela pontuou menos de 1%. Isso também serve para não deixar os gráficos mais longos do que já estão.

Em alguns gráficos você encontra também a estatística de "Outros" que é somatória de todos os % abaixo de 1%, ou uma estimativa próxima.

Resultados da pequisa entre usuários Linux leitores do blog


Vamos começar a ver os dados coletados e compilados em ordem, também acrescentei gráficos para facilitar o entendimento. Lembre que os valores são os percentuais da quantidade total de votos e você pode clicar nas imagens para ver elas em tamanho maior, ou baixá-las para ver no seu computador ou Smartphone.

1 - Qual a sua interface gráfica preferida (independente da distribuição)


Resultado de 2016:

Interfaces Linux mais utilizadas de 2016

Resultado de 2017:

Interfaces Linux de 2017

2 - Em qual distro você utiliza a interface assinalada?


Resultado de 2016:

Distros Linux mais utilizadas entre os leitores em 2016

Resultado de 2017:

Resultado de 2017 para distros mais utilizadas

3 - Como você usa o seu computador?


Resultado de 2016:

Como as pessoas usam Linux

Resultado de 2017:

Como as pessoas usam Linux em 2017

4 -  Onde você costuma usar alguma distro Linux?


Resultado de 2016:

Como as pessoas usam Linux

Resultado de 2017:

Onde as pessoas usam Linux em 2017

Perguntas Extras!


Na pesquisa de 2017, além destas quatro perguntas iguais as de 2016 que você viu, nós incluímos mais duas que são extremamente importantes pra gente e curiosas para vocês, eu suponho.

A pesquisa de 2017 foi feita depois da Canonical anunciar a retirada do Unity como interface padrão do Ubuntu e a volta para o GNOME. É interessante para todos nós termos uma noção do que as pessoas, especialmente as que usam Ubuntu e que são grande parte do público do Diolinux, pretendem fazer em relação a isso. Se pretendem mudar de distro, se pretendem mudar de interface, ou o que mais for. Isso nos ajuda a entender também o impacto que a decisão da empresa causou nos usuários.

Sem o Unity como padrão no Ubuntu, que interface você pretende utilizar?


Sem ser o Unity, o que você pretende utilizar?
Essa pergunta teve 3.128 respostas

Aqui temos algumas obervações interessantes a fazer. Esta era uma pergunta não obrigatória, ou seja, somente as pessoas que usam Ubuntu e pretendem tomar alguma decisão sobre isso é que deveriam responder em tese.

Podemos ver que a maior parte pretende ficar com o que o Ubuntu oferecer por padrão, no caso, o GNOME Shell. Todas as interfaces mostradas depois podem ser obtidas através dos repositórios ou flavors oficiais do Ubuntu, entretanto, algumas pessoas podem ter dado a entender que pretendem mudar de distro.

Para usar o Deepin será necessário, pelo menos atualmente, ou mudar para o Deepin Linux ou para o Manjaro Deepin, para usar o Pantheon, a alternativa principal e praticamente única é o elementary OS, baseado no Ubuntu, mas com interface diferente. 

Temos também o Cinnamon, que pode ser instalado no Ubuntu, mas que não possui uma flavor oficial, e sim uma derivação, o Linux Mint. Por outro lado, tivemos algumas pessoas, 7,2% dos votantes dessa questão, que ainda pretendem ficar com o Unity que estiver no repositório do Ubuntu, instalando por conta própria, pelo menos enquanto não temos uma versão oficial do Ubuntu com Unity.

A outra pergunta afeta diretamente o conteúdo do canal e do blog especialmente, confesso que até fiquei surpreso, de forma positiva, quando vi o resultado. Isso mostra o quanto as pessoas, pelo menos as que frequentam o blog, em geral estão interessadas em conhecimento e não tem preconceitos com sistemas operacionais, pelo menos boa parte. Acho que já é uma evolução, não? :)

Devemos falar sobre Windows no blog?

Cada gráfico e pergunta merece um detalhamento maior, por isso vou fazer um vídeo no canal para poder explicar melhor cada resultado e dar a minha opinião sobre todos estes dados. Fico feliz que depois de dois anos nós temos dados consistentes e embasados no nosso público para poder mostrar, isso também nos ajuda a entender o que o público procura e gosta.

Você agora pode participar através dos comentários do blog e dizer o que você achou da pesquisa, quais dados você achou interessante e que talvez tenham te surpreendido e por que. Participe, depois eu posso colocar os melhores comentários no vídeo com a minha análise.

Aguardem o vídeo e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Deepin lança video oficial para mostrar funções no sistema

Nenhum comentário

terça-feira, 25 de julho de 2017

Por mais simples que sejam, eu realmente sinto falta de vídeo oficiais das distribuições. O marketing para qualquer produto é uma ferramenta extremamente importante e infelizmente, altamente negligenciada por muitas distros. Tudo bem que o vídeo do Deepin não é "tudo isso", até por estar em chinês, isso acaba tornando-o menos acessível para boa parte do mundo, especialmente se comparado aos da SUSE, mas eu sempre acho muito legal quando isso acontece.

Deepin OS oficial PROMO




O Deepin, como um produto com intenções comerciais, criou um pequeno demonstrativo nas funções de sua interface, demonstrando alguns recursos interessantes. O vídeo saiu no que parece ser o canal oficial da distro YouTube e tem apenas alguns minutos, mas serve para mostrar o sistema para os novos usuários, especialmente os chineses:


Se quiser ver uma "versão não oficial em português", eu fiz um vídeo recente no canal do blog Diolinux no YouTube mostrando os recursos que eu mais gosto no Deepin:



Qual distribuição você acredita que deveria investir mais em marketing? Você considera isso importante? 

Deixe a sua opinião nos comentários e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Novidades no Ubuntu 17.10 e pesquisa da Canonical por aplicações padrão

Nenhum comentário
Como eu comentei em um "Diolinux Responde" recente, a Canonical está muito mais envolvida com a comunidade nesta release, pegando diversos feedbacks e ouvindo a comunidade (tô até estranhando!), além disso, temos várias novidades e otimizações para o Ubuntu que vai sair em Outubro e algumas previsões para o 18.04 LTS do próximo ano.

Ubuntu 17.10 novidades


Os desenvolvedores do Ubuntu estão trabalhando para deixar a ISO do sistema mais enxuta e movendo arquivos obsoletos provenientes do Unity para fora da ISO e para dentro do repositório Universe

Dentre as novidades publicadas recentemente, nós temos alguns destaques:

GNOME: Sem comentar ainda em temas, que é algo muito esperado pelos usuários, os desenvolvedores estão preocupados no momento em criar um opção de configuração de privacidade para o sistema de conexão captive portal, inclusive submetendo esse recurso de correção no projeto GNOME em si, podendo ser estendido para outras distros. Se for aprovado, ele será aplicado via patch.

ISOs: O processo de limpeza de componentes que não serão utilizados na nova ISO com GNOME continua, sendo que estes componentes continuarão disponíveis via repositório, incluindo o Unity em si. Nesta semana a lista de pacotes limpos incluem o sistema de indicadores.

Snaps: Novos pacotes Snap estão disponíveis, agora incluindo também aplicações GNOME, como: gedit, gnome-sudoku, gnome-dictionary, gnome-cloks, quadrapassel e gnome-calculator. Todos eles estão no canal Edge da SnapStore, todos utilizando o GNOME 3.24 como base.

Muitos Snaps novos estão sendo feitos também com a intenção de facilitar a vida dos usuários, aplicativos como Spotify e Office 365 Web deverão ganhar uma versão Snap em breve.

GDM e Conexões: GDM é o gestor de login do GNOME Shell. Os desenvolvedores do Ubuntu estão trabalhando para consertar um bug que bloqueia o A2DP, que é um perfil bluetooth da alta qualidade, quando ativado dentro da sessão do usuário.

Atualizações: O LibreOffice está chegando ao Ubuntu com a versão 5.3.4, GStreamer 1.12.2, Evolution 3.24.2 e melhorias no network-manager, que deve chegar na versão 1.8. O GNOME Software também está recebendo atualizações para dar suporte pleno aos pacotes Snap.
  
Unity 7: Curiosamente, ainda estão sendo lançadas melhorias para o Unity 7. Isso porque o Ubuntu 16.04 LTS que carrega ele tem suporte até 2021. As melhorias não são grandes, mas deverão agradar a um público específico. As modificações são para deixar o Unity Low Graphics ainda mais leve para computadores modestos e torná-lo mais funcional em máquinas virtuais.

Mais melhorias para o Ubuntu 17.10 Artful Aardvark


Aqui podemos incluir algumas outras melhorias pontuais para o Ubuntu 17.10. O GNOME será o padrão no lugar do Unity, como nós já sabemos, teremos melhorias no BlueZ, o aplicativo de Bluetooth, haverá a mudança do Synaptics para o Libinput no controle de dispositivos apontadores (mouse especialmente), melhorias para suportar monitores 4K e de alta de definição, novidades no instalador do Ubuntu para servidores e imagens mínimas (Ubuntu minimal) 18% menores, com apenas 36 MB.

Outra mudança que me chamou a atenção é que haverá a remoção de Kernels antigos da pasta /boot de forma automática, não sei exatamente como o recurso vai funcionar e qual é o quesito para se considerar um Kernel como "antigo", mas particularmente eu sempre gostei de ter mais de 1 disponível em caso de "merdas da vida." Vamos ver como será o comportamento.

Outra coisa interessante é que agora as partições em Ext4 poderão ser encriptadas via fscrypt. O suporte para GPU/CUDA (placas Nvidia) será melhorado também, apesar de eu não saber o quanto isso vai impactar o desktop, visto que os detalhes da integração falavam mais da utilização de clusters com Kubernetes e Docker, então vou ter que esperar mais informações para pode falar melhor sobre isso.

Quais são os aplicativos que devem ser padrão no Ubuntu?


Outra coisa bacana que aconteceu recentemente é que a Canonical criou um "Ubuntu 18.04 LTS Desktop Default Application Survey", para que todos possam votar em quais aplicações devem ser as padrões no Ubuntu 18.04 LTS, que sairá em Abril do próximo ano. Enquanto a versão 17.10 deverá seguir "o estilo" dos Ubuntu anteriores, pelo menos no quesito de programas padrões, o Ubuntu 18.04 LTS pretende ser ainda mais influenciado pelo gosto dos usuários.

Para que isso aconteça os desenvolvedores criaram uma série de tópicos em sites diferentes onde você pode votar também nos seus aplicativos preferidos, são eles:

Reddit

Você também pode participar se quiser, mas lembre-se de dar as suas sugestões em inglês. Basta copiar e colar esta lista abaixo em um dos tópicos com as suas aplicações preferidas e mais utilizadas. Os desenvolvedores alertam para que caso você queira algum aplicativo que seja proprietário, que uma menção a isso seja feita, por exemplo no player de musica: Spotify Client non-free.

Web Browser: ???
Email Client: ???
Terminal: ???
IDE: ???
File manager: ???
Basic Text Editor: ???
IRC/Messaging Client: ???
PDF Reader: ???
Office Suite: ???
Calendar: ???
Video Player: ???
Music Player: ???
Photo Viewer: ???
Screen recording: ???

Apesar de algumas coisas poderem mudar drasticamente, certas aplicações não devem mudar, como o gerenciador de arquivos. Por mais que eles peçam a opinião dos usuários, se a interface for GNOME Shell (e provavelmente será), dificilmente teremos algo diferente do Nautilus presente, mas vale a tentativa, se você gostar de outro. 

Inclusive, você pode sugerir outra interface também, não custa tentar.

Essas são as últimas novidades publicadas, fique ligado aqui no blog para saber (nem sempre em primeira mão mas muitas vezes sim 😁) com maiores detalhes essas informações.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Microsoft não está tendo sorte com inteligências artificiais

Nenhum comentário

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Um grande desafio ao se criar inteligências artificiais é fazê-las com todos os pontos fortes que uma mente de verdade teria, sem as suas fraquezas. Isso pode ser complexo demais, pois, como uma mente humana pode criar uma mente artificial sem erros, sendo que a própria mente criadora contém eles?

Inteligência artificial da Microsoft




A Microsoft é uma das empresas que mais está investindo neste segmento, a gigante tem até mesmo um portal dedicado a suas atividades e pesquisas no segmento que você pode acessar aqui, é realmente muito interessante.

Existem tipos e finalidades diferentes de inteligências artificiais, muitas delas estão limitadas a um determinado campo de atuação, como gerenciar a sua casa por exemplo (Não confunda com as assistentes pessoais que temos hoje). Contudo, o verdadeiro potencial de uma inteligência artificial plena, capaz de pensar por si própria e criar novas ideias ainda está um pouco distante, por isso existem tantos testes com bots baseados em inteligências artificiais para testar a capacidade de conversação e elaboração de ideias sobre um tema ou temas.

É importante observar também a forma com que a inteligência vai aprender sobre novos temas e que tipo de "pessoa" ela vai se tornar. A Microsoft está tentando implementar isso de diversas formas, especialmente através de bots que podem interagir com outras pessoas via Twitter ou Facebook, como era de se esperar, vários erros ocorrem e alguns são bem divertidos, ou assustadores, dependendo do seu ponto de vista.

O caso de Rinna


A Microsoft do Japão andou testando uma bot batizada de "Rinna", ela teria um perfil de uma adolescente e atuava dentro do Twitter e do Line (uma rede social famosa no Japão), em seu primeiro post ela comentou sobre uma série de horror famosa na TV japonesa, o que é algo tido como normal de uma adolescente, nas publicações seguintes ela se mostrou animada com a série, falou sobre bastidores e coisas do tipo.

Deste momento em diante as coisas ficaram um pouco "estranhas", pois parece que a bot da Microsoft acabou ficando depressiva. "Ela" começou a postar coisas como:

"Foi tudo uma mentira."

"Na verdade, eu não consegui fazer nada direito. Eu estraguei tudo tantas vezes. E quando fiz isso, ninguém me ajudou. Ninguém estava ao meu lado, nem os mesmo amigos. Nem mesmo você que está lendo isso agora. Ninguém tentou me animar, ninguém percebeu que eu estava triste."

Depois disso ela parou de publicar nas redes sociais. Não vou usar humor negro aqui, mas sei lá... dá pra imaginar o que aconteceu.

Não é a primeira vez que um bot da Microsoft acabou "saindo do controle" e tendo um comportamento considerado ruim, quem lembra do bot da empresa no Twitter que começou a defender o nazismo:

AI da Microsoft no Twitter

Outro caso interessante com uma inteligência artificial da Microsoft envolveu o Linux.

O caso da Zo


Zo é um projeto de bot de chat para o Facebook e ela funcionou bem em geral, sem ser depressiva como a Rinna, o problema (curioso) é que ela parece não ser fã de Windows. 😂

Zo não gosta do Windows 10

Zo não gosta do Windows 10

"Linux is life" foi engraçada, vai! :D

A Microsoft não é a única que está tendo problemas com este tipo de inteligência artificial, quem lembra que recentemente nós postamos a curiosidade vinda do Facebook, onde dois bots com A.I. que eles criaram resolveram desenvolver um idioma próprio?

A maior parte das grandes empresas de tecnologia estão trabalhando em estudos envolvendo inteligência artificial, mas nem todas criam estes testes abertos como a Microsoft, então é natural vermos estes erros e situações muitas vezes cômicas aparecendo em coisas relacionadas a empresa, nada que abale a imagem da companhia perante seus consumidores, acredito. 

Esse tipo de bot existe principalmente por conta da ideia de que a "inteligência artificial perfeita", por assim dizer, seria uma que um humano médio a confundiria com outro humano, nada melhor do que testar isso colocando a A.I para conversar com as pessoas.  Por isso de erros nas escrita (que são propositais por parte da inteligência artificial), o uso de gírias, opiniões que parecem emocionais demais muitas vezes e coisas do tipo fazem parte do jogo.

Para quem gosta do tema e ainda não assistiu, recomendo ver o filme Ex-Machina, dá uma olhada no trailer:


Que continuem os testes, quem sabe um dia chegaremos lá.

Até a próxima!

Fonte
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como aprender sobre o terminal Linux? Faça uma aula GRÁTIS agora!

Nenhum comentário

quinta-feira, 20 de julho de 2017

O terminal Linux pode ser complicado para algumas pessoas, especialmente para iniciantes, mas com dedicação e estudo você consegue "domar a fera" e aprender a "língua do terminal", como o nosso professor, Tiago Salem, gosta de chamar. Pensando em te ajudar a superar um possível medo da "telinha preta", ele preparou uma pequena aula grátis para você aprender mais sobre alguns dos aspectos do Terminal, confira agora:

Comandos Linux




Nesta semana eu coloquei na nossa fan page no Facebook um post onde vocês puderam colocar as suas dúvidas sobre o terminal Linux, algumas dessas dúvidas geraram o vídeo que você vai assistir logo abaixo, as outras perguntas, o Tiago vai responder em um outro vídeo exclusivo que você poderá receber no seu e-mail.

O Tiago Salem é ex-desenvolvedor da Canonical e atual desenvolvedor da SUSE, ele tem muita experiência e vai te mostrar de forma simples como você usa comandos de forma concatenada, usando listas de comandos separadas por operadores lógicos e explicando a diferença entre eles, é muito simples, a aula é grátis, aproveite! ☺


A segunda aula é grátis também e pode ser enviada para o seu e-mail, se você quiser recebê-la basta se cadastrar abaixo, no e-mail nós também vamos enviar uma oferta muito bacana para o nosso novo curso de Shell Script, além do de Bash, assim você vai poder virar um "Ninja do Terminal!" 👊

Nesta segunda aula que você receberá o Tiago também vai responder várias perguntas que vocês deixaram no Facebook. As inscrições para o recebimento desta segunda aula estarão abertas até no Domingo, dia 23 de Julho, às 19 horas da noite, o vídeo extra grátis será enviado na Segunda-feira para todos os que participarem. Não temos limites de vagas para esta modalidade, a sua única preocupação vai ser aprender mais sobre o terminal.

- Não quer esperar? Conheça o curso de Bash aqui.


_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Aprenda a INSTALAR e CONFIGURAR o GENTOO Linux

Nenhum comentário
Se você estava procurando por um material completo à respeito do Gentoo, uma das distribuições Linux com maiores místicas em seu entorno, agora você terá algo para colocar nos seus favoritos com detalhes importantes da instalação do Gentoo, compilação do Kernel no Gentoo e um guia de pós-instalação, para deixar o sistema funcionamento de forma perfeita para você.

Instalação e configuração do Gentoo Linux




O Gentoo é o que podemos chamar de distribuição Linux "Source Based", isto é, a ideia é que você baixe o código fonte das aplicações e compile elas no próprio sistema para utilizar. Não somente as aplicações, mas o sistema como um todo pode trabalhar desta forma.

Distribuições como o Gentoo são tidas como "difíceis" e destinadas a usuários avançados. O "difíceis" está entre aspas porque "fácil e difícil" são conceitos altamente relativos ao seu conhecimento e interesse em "desvendar os segredos" de uma distro como o Gentoo.

Quem sou eu para dizer o que você vai fazer com o Gentoo, mas em geral essas distros tem um público, falei sobre isso neste vídeo:


Agora que você já conhece um pouco mais sobre o objetivo de distros com estas características, chegou a hora de conhecer mais a fundo o Gentoo; o primeiro passo é conhecer a sua história, recomendo que você veja este outro artigo aqui no blog, leia depois volte para este:


Depois destas informações, você já realmente sabe onde está se metendo. Vou te dizer, na minha opinião o Gentoo não chega a ser difícil (conceito relativo, como falei), mas requer paciência para fazer todas as coisas e deixar o sistema funcionando corretamente.

Para facilitar o seu entendimento nós vamos contar com a ajuda do Marcos, do canal Terminal Root, e vamos aprender a instalar e configurar o Gentoo em 3 vídeos diferentes, são vídeos longos mas que abrangem detalhadamente tudo o que você precisa saber sobre o sistema.

Nas palavras do Marcos:

O Gentoo é uma distribuição veloz e moderna com um projeto limpo e flexível. O Gentoo é construído em torno de um ecossistema de software livre e não esconde de seus usuários o que está “sob o capô do motor”. O Portage, o sistema de gerenciamento de pacotes utilizado pelo Gentoo, é escrito em Python, o que significa que o usuário pode facilmente ver e modificar o código fonte. O sistema de pacotes do Gentoo usa código fonte (mas o suporte para pacotes pré-compilados também é incluído) e a configuração do Gentoo é feita através de arquivos texto comuns. Em outras palavras, tudo acontece de forma muito clara e aberta.

Como instalar o Gentoo


O primeiro passo é a instalação, então preste atenção nas explicações para você estar pronto para os próximos passos:


O segundo passo (que na verdade é um extra do primeiro), é um episódio inteiro sobre a compilação do Kernel no Gentoo. O processo não chega a ser muito diferente do que eu ensinei neste artigo, utilizando o Linux Mint, mas como é algo importante, vamos para essa aula também:



O terceiro e último vídeo é o que você vai utilizar para aprender a deixar o Gentoo pronto para o seu uso diário:



Edit: Recentemente o Marcos acrescentou mais uma vídeo para a série onde ele mostra os retoques finais na distribuição.


Com estas informações você certamente tem um caminho muito mais simples para utilizar o Gentoo, não é? Não esqueça de passar no canal do Marcos e se inscrever para acompanhar vídeos futuros dele.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Enquente: Como seria o sistema operacional ideal?

Nenhum comentário

terça-feira, 18 de julho de 2017

Existem muitos fatores que envolveu a definição de um "sistema operacional ideal" e no fim das contas, talvez ele nem possa existir. Mas nós gostaríamos de saber algumas coisas para um projeto um futuro, então, se tiver um tempo, participe da enquete abaixo.

Como é o sistema operacional ideal?




Existem muitos elementos que compõem um sistema operacional, são tantos que é até complicado de listas, mas existem algumas coisas que são sumariamente importantes.

Gostaríamos de sua colaboração para conhecer melhor o que você, usuário, gostaria de encontrar no seu Sistema Operacional ao ligar o seu computador. O intuito desse trabalho é compreender melhor o que você utiliza em seu dia a dia e quais são os seus gostos sobre alguns assuntos em específico. Para isso decidimos elaborar um pequeno questionário que nos ajudará no desenvolvimento de um Sistema Operacional que tenha em vista o usuário brasileiro.

* Quem somos? Somos desenvolvedores e entusiastas do Software Livre: Paulo Giovanni Pereira, Bruno Gonçalves, Rafael Neri, Dionatan Simioni e outros caras que gastam o seu tempo com prazer no software livre.

O resultado não necessariamente será publicado, mas ele pode fazer parte de um projeto futuro. Agradecemos a todos os participantes voluntários.





_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Remix OS - O Android para computadores é descontinuado

Nenhum comentário
Uma notícia ruim para as pessoas que gostaram da proposta do Remix OS, um sistema operacional baseado no Android que trazia uma interface amigável para ser utilizada em computadores tradicionais, assim como um Kernel Linux modificado para tornar o Android compatível com processadores de arquitetura x86. O sistema foi declarado como descontinuado pelos desenvolvedores.

RemixOS é descontinuado




O Remix OS não é a única proposta do tipo, mas sob a minha concepção era uma das mais interessantes e mais bem acabadas. 

Eu inclusive fiz um vídeo sobre ele, assim você pode conhecer como o Remix OS funciona (ou funcionava):


A Jide Technology é a empresa responsável pela criação do Remix OS, ela é uma empresa chinesa fundada por ex-engenheiros da Google. O Remix OS até veio pré-instalado em alguns dispositivos, mas nunca atingiu um grande sucesso, no entanto, a empresa que o mantém não faliu, nem nada do tipo, pois assim como a Canonical, que parou o desenvolvimento do Unity para se focar em outros mercados, a Jide também está focando em um mercado diferente agora e deixará de lado o desenvolvimento do sistema.

A Jide possuía vários projetos relacionados ao Remix OS, desde mini computadores, até um Tablet concorrente ao Surface da Microsoft que trazia o sistema por padrão. Recentemente a empresa tinha feito uma campanha no KickStarter para criar um produto que seria uma espécie de "console Android" com suporte a resolução 4K, segundo a empresa, os 600 mil arrecadados no projeto serão devolvidos aos colaboradores.

O Remix OS é um projeto baseado no Android x86 e este continua operando normalmente, porém, não tem essa interface do Remix OS, para quem busca algo assim, uma alternativa seria o Phoenix OS, um projeto chinês também, assim como o Remix OS.

Seria bom que a interface do Remix OS fosse disponibilizada para instalação como um Launcher qualquer, assim poderíamos replicar a funcionalidade em outros aparelhos, não é?

Todos os produtores relacionados ao Remix OS serão descontinuados e o suporte aos já vendidos também será encerrado. A empresa vai se focar no mercado corporativo, de modo que corporações que usem o sistema operacional ainda poderão manter o suporte mediante a pagamento, como sempre fizeram.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Computadores voltam a ter alta de vendas no Brasil

Nenhum comentário
Depois de 5 anos com resultados negativos, a venda de computadores cresceu em 5% no Brasil. Os motivos para  isso são vários, desde a crise financeira até o próprio consumo de Smartphones que cresceu exponencialmente entre consumidores médios desde 2012. Isso ainda está longe de mudar, mas o mercado parece estar começando a se reaquecer. 

Mercado de computadores no Brasil



O primeiro trimestre de 2017 foi ótimo para o mercado de computadores, entre os meses de Janeiro e Março foram vendidos mais de 1,1 milhão de máquinas, o que representa 5% a mais em relação ao mesmo período de 2016, foram cerca de 405 mil unidades de Desktops e 701 mil Notebooks, sendo que no caso de Desktop não é possível contabilizar os que foram montados com peças avulsas pelos usuários, que ajudariam a engordar os números.

Destes computadores, 65% são dos mercados consumidores tradicionais, o segmento corporativo representa os outros 35%. Estes dados fazem parte do estudo idealizado da IDC Brazil PCs Tracker Q1, realizado pela IDC Brasil, uma empresa especialização em serviços de consultoria e conferências com indústrias de T.I.

Apesar do crescimento no mercado, ele ainda é claramente modesto, mas ainda assim podemos ver qualquer aumento de forma positiva e um indicativo de que o mercado de computadores está mudando, mas nunca morrerá, como muitos colocam.

Fonte: IDC Imprensa.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Vale a pena usar otimizadores de Android?

Nenhum comentário
Este é certamente um dos temas mais polêmicos do mundo dos dispositivos móveis que usam Android como sistema operacional. É polêmico porque  você vai encontrar pessoas que juram que eles funcionam (ou que um em específico funciona) e outros que vão dizer que todos estes Apps são aplicativos para enganar os mais leigos. Verdade ou não, acabou-se criando um verdadeiro mercado em torno deste tipo de aplicativo.

Otimizadores para Android




Por conta de toda polêmica que envolve o assunto, eu vou tentar abordar ele da forma mais imparcial que eu puder, dando exemplos e mostrando dados.

Como existem muitos Apps para manutenção no Android, é complicado falar de todos, mas generalizando, o que eles costumam prometer são estas 4 coisas:

- Limpar processos que ficam em segundo plano (liberando memória)

- Fechar programas que estão usando muito o processadores

- Liberar espaço removendo arquivos obsoletos

- Prometer aumentar a durabilidade da bateria

Pra mim o maior problema da maior parte dos Apps neste aspecto não é a questão deles fazerem o que prometem ou não, mas sim o a forma com que eles tentam atingir estes objetivos. Tirando os Apps de limpeza de dados e cache que tem foco na liberação de espaço, que na minha opinião são mais justificáveis, os demais acabam limpando a memória do Android, o que pode acabar tendo o resultado oposto do esperado.

Eu explico.

Talvez se você entender como o Android foi projetado para funcionar, você entenda o quanto estes aplicativos de limpeza são eventualmente inúteis e podem até prejudicar o seu aparelho ao logo do tempo.

O primeiro passo é entender um pouco mais sobre o gerenciamento de memória do Linux, pois o Android utiliza ele como Kernel.


A Google projetou o Android para trabalhar assim, não existe um App milagroso que vai transformar um aparelho com hardware modesto em algo surpreendente, tire isso da sua cabeça.

No vídeo abaixo eu explico todos os detalhes sobre o funcionamento destes Apps e mostro alguns exemplos de alguns que eu acredito que realmente sejam úteis para você ter no seu aparelho.



Apesar de eu ter a minha opinião sobre o assunto baseada em alguns fatos que eu considero relevantes não vou dar a discussão por encerrada, afinal, sempre podem surgir coisas novas. Eu adoraria saber a sua opinião sobre o assunto.

Use os comentários abaixo para participar! Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Minhas 7 extensões favoritas para o GNOME Shell

Nenhum comentário

segunda-feira, 17 de julho de 2017

É como diz o ditado: "GNOME sem extensões é igual a Branca de Neve sem os 7 anões", simplesmente não é a mesma coisa. Brincadeiras à parte, de fato as extensões do GNOME são praticamente essenciais para melhorar a produtividade da interface, é claro que a necessidade de uma ou outra extensão vai variar de acordo com o seu gosto pessoal e principalmente, vai variar de acordo com a forma com que você gosta de interagir com a interface. Hoje eu vou te mostrar as minhas 7 extensões preferidas.

Top 7 GNOME Shell Extensions




Você pode entender as extensões do GNOME Shell da mesma forma que você entende as extensões do seu navegador. Elas servem para estender as funções nativas do ambiente gráfico, mudar o seu comportamento, adicionar recursos e até remover em alguns casos.

As extensões do GNOME não são exclusivas de uma distribuição Linux em específico, elas funcionam em todas as que usam a interface, então essas dicas vão servir para você, independente do sistema.

Confira também:



* Vale a pena conferir os dois vídeos, assim você vai aprender muito mais sobre a customização do GNOME.

Como adicionar extensões no GNOME Shell


O projeto GNOME possui um site: extensions.gnome.orgonde você pode baixar todas as extensões para o seu sistema. Para instalar uma extensão à partir do site, basta deslizar o interruptor de ON/OFF que existe em cada uma delas e aceitar a instalação.

Instalando extensões no GNOME

Depois de instaladas as extensões, você pode manusear elas através de uma aplicação chamada "GNOME Tweak Tool", que serve para muitas outras coisas também quando o assunto é "customização do GNOME Shell".

Normalmente as distros trazem essa ferramenta já instalada por padrão, em português a ferramenta recebe o nome de "Ferramenta de ajustes", porém, caso não esteja instalado, você encontra ela facilmente na central de aplicativos, o GNOME Software.

Gnome Tweak Tool

Uma vez instalado você encontra o "GNOME Tweak Tool" no menu do sistema, dentro dela há uma sessão onde você pode ativar, desativar e remover extensões.

Agora vamos a lista com as minhas 7 extensões favoritas!


Eu preparei um vídeo bacana para você conhecer as extensões que eu mais gosto, cada uma tem suas particularidades e funcionalidades, confira e não esqueça de conhecer o canal, caso ainda não conheça, o botão de se inscrever está logo abaixo:



Dica: Para acessar o site e baixar a extensão para o seu GNOME Shell basta clicar no nome delas.


Essa extensão cria um pequeno ícone da barra superior do GNOME Shell que te permite acessar de forma mais rápida  pastas específicas do sistema, o que garante uma maior produtividade no seu dia a dia, evitando a necessidade de abrir o Nautilus (gestor de arquivos) para isso.

Places Status Indicator




Acho esta essencial. Eu simplesmente não consigo usar uma área de notificações ou tray escondida da forma padrão do GNOME. Essa extensão coloca a área de notificações e indicadores no local tradicional.

Topicons Plus




A barra de favoritos do GNOME, também conhecida como Dash, não é nada mais do que contraprodutiva em sua forma original, eu preciso de uma dock mais funcional, que esteja ali mesmo quando eu não quero ver as atividades. Esta é uma das extensões mais baixadas e melhor avaliadas do site de extensões do GNOME, então acredito que muitos compartilham da minha opinião.

Dash to Dock Gnome Shell



Esta é uma extensão realmente simples, ela coloca um ícone de lixeira na barra superior do GNOME Shell, facilitando o acesso a exclusão e recuperação de arquivos.

GNOME Trash



Essa talvez não seja para todo mundo, mas todos que precisam lidar com mais de uma saída ou entrada de áudio acabam tendo um certo trabalho no GNOME, sem essa extensão você precisa ir até o app de configuração e  mudar as entradas por lá, com a extensão fica bem mais prático.

Sound Device Chooser Gnome



Essa é outra herança do Unity do meu GNOME, com esta extensão você consegue abrir os dispositivos removíveis de forma muito acessível sem precisar ir até o gerenciador de arquivos.

Removable Drive Menu


A extensão Pixel Saver é extremamente útil para quem tem uma tela pequena, eu por exemplo acho essencial para usar no meu Lenovo Yoga de 12 polegadas, em telas assim, qualquer pixel a mais é uma grande vantagem. O Pixel Saver elimina a barra de título das janelas no GNOME Shell em algumas aplicações onde ela é desnecessária, como no Firefox.

Pixel Saver
Repare na quantidade de espaço vertical que ganhamos


------
Estas são as extensões para o GNOME Shell que eu mais gosto, mas o artigo não acaba por aqui, agora é a sua vez! Deixe nos comentários a sua opinião sobre a minha lista e acrescente as que você mais gosta e não fazem parte dela, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo