Abril 2018 - Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Confira as novidades quentes do Linux Mint 19 "Tara"

Nenhum comentário

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Agora que o Ubuntu 18.04 LTS já foi lançado é só questão de tempo para que seus derivados mais famosos também façam seus lançamentos, como o elementary OS e o Linux Mint. Falando em "Mint", os desenvolvedores publicaram hoje uma nota com as principais novidades e implementações feitas no mês de Abril no sistema, confira:






Os desenvolvedores do Linux Mint publicaram uma nota com o progresso feito no projeto neste mesmo de Abril de 2018. Começando o artigo com um agradecimento aos patrocinadores e desenvolvedores do projeto.

Segundo a equipe do Linux Mint, muito trabalho tem sido empregado para compatibilizar os repositórios e pacotes do Debian Stretch, para o LMDE, e do Ubuntu 18.04 LTS para o Linux Mint, ainda segundo o report, tudo parece estar correndo como o esperado. Os desenvolvedores estão otimistas ao comentar que o Linux Mint 19 pode ser uma versão ainda mais estável do que a versão 18.x atual, que já é considerada por muitos, incluindo eu mesmo, como uma distro muito estável para se usar no desktop.



Existe um esforço da equipe em portar o novo tema do Mint para compatibilidade completa para HiDPI, assim como melhorias para o sistema suportar o GTK 3.22, já antigo até, mas muito estável. O tema do Mint sofrerá uma alteração, agora o tema Mint-Y, que foi desenvolvido no ciclo 18.x e estava como alternativa será o padrão.

Os desenvolvedores mencionaram que estão trabalhando em variações de cores para o novo tema do Linux Mint, assim como já existe para a versão atual, o Mint-X.

Outro ponto que está recebendo atenção é a Central de aplicativos, que recebeu uma repaginada visual recente e ainda está sofrendo melhorias.

O novo Linux Mint virá com o Cinnamon 3.8, que só não foi lançado ainda por conta de um único bug, mas que será corrigido e provavelmente lançado ainda nesta semana para todas as distros e projetos que quiserem utilizar, além do próprio Linux Mint.

Neste edição, como anunciado, não teremos mais a versão com KDE Plasma no Mint, serão apenas quatro versões ao todo: Linux Mint Cinnamon, Linux Mint MATE, Linux Mint XFCE e Linux Mint Debian Edition (LMDE) com interface Cinnamon apenas, todos possuirão versões de 32 e 64 bits, ao contrário do Ubuntu que decidiu extinguir o suporte a esta arquitetura.

Além de melhorar a documentação, as ferramentas do Mint também estão recebendo atenção, especialmente o atualizador do sistema e a tela de boas-vindas.

Os desenvolvedores ainda esclareceram algumas dúvidas em relação a base Ubuntu, comentando sobre o pacote "ubuntu-report", que serve para enviar informações de hardware e software para a Canonical, o Linux Mint deixou claro que não pretende manter essa funcionalidade em seu sistema, no entanto, a função de encryption da home, que foi algo que o Ubuntu removeu e o Mint pretende manter.

Sobre a data do lançamento, ainda não temos dias exatos, mas os desenvolvedores comentaram que o lançamento do Beta da versão 19 do Linux Mint deverá sair ainda em Maio, e duas ou três semanas após o lançamento do Beta geralmente saem as versões finais.

Nos resta aguardar.

Diga você! O que você está esperando da nova versão do Linux Mint? Está gostando da forma com que o projeto está sendo levado?

Fique ligado aqui no blog para ficar por dentro das novidades, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como adicionar o ícone da Lixeira na Ubuntu Dock do Ubuntu 18.04 LTS

Nenhum comentário
Pode me chamar de detalhista, mas eu não me agradei com o ícone da Lixeira na Área de Trabalho do Ubuntu 18.04 LTS com GNOME. A vantagem dos sistemas abertos é que nós podemos alterar as suas propriedades para que eles trabalhem exatamente como nós queremos. Hoje você vai aprender a colocar o ícone da lixeira na barra lateral do Ubuntu, assim como tínhamos no Unity.

Como adicionar a lixeira no Ubuntu Dock






Eu gosto da ideia de ter a lixeira atrelada à Dock do Ubuntu como era no Unity, é assim no macOS também e funciona muito bem. O método que eu vou te ensinar não é perfeito, mas quebra esse galho, particularmente acho melhor a lixeira ali do que na área de trabalho, e vou além, melhor sem lixeira do que tê-la assim na área de trabalho. 

Mas claro, isso é questão de gosto.

A ideia é deixar a Ubuntu Dock assim:

Ubuntu Dock com Lixeira

Como você deve ter reparado o lançador de Apps, que por padrão fica na parte inferior da barra, foi movido para cima, o ícone diferenciado dele se deve ao tema "Communitheme" instalado no GNOME Shell do Ubuntu (este que será o futuro tema oficial do sistema, inclusive). 

Não que isso seja necessário para fazer este tutorial envolvendo a lixeira, mas se você quiser mover o seu menu para a parte superior da barra, confira o artigo "7 coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 18.04 LTS" e conheça o truque por lá.

Para adicionar a lixeira na Dock nós vamos criar um ícone de atalho, assim você poderá adicioná-lo aos seus favoritos, fazendo com que a lixeira fique na Dock.

Abra o editor de textos Gedit e coloque este código:

Ubuntu Dock

O código é o seguinte:

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Name=Lixeira
Comment=Só porque eu quero mesmo!
Exec=gvfs-open trash:/// 
Icon=user-trashTerminal=falseCategories=GNOME;

Depois disso basta salvar o arquivo no seguinte diretório dentro da sua home:


.local/share/applications


Dica: Pressione Ctrl+H para exibir os arquivos ocultos na hora de salvar e salve com o nome trashcan.desktop

Depois disso, em tese, você já deve ser capaz de encontrar a lixeira no menu do GNOME, aí é só arrastar ela para a barra na posição que você quiser:

Lixeira no Ubuntu

Caso o ícone não apareça de imediato, aguarde alguns segundos até que a indexação de novos ícones aconteça. Para agilizar este processo você pode encerrar a sua sessão e logar novamente ou reiniciar o gnome-shell, pressionando Alt+F2, digitando a letra "R" e pressionando "enter", mas atenção, este recurso funciona apenas na sessão principal do Ubuntu com X.org, se você estiver usando Wayland ele não vai funcionar.

E assim você tem a sua lixeira na barra de tarefas ou dock.

Limitações


Pelo que eu vi, existe um chamado aberto no launchpad da Canonical para adicionar essa função nativamente desde o Ubuntu 17.10. Talvez no futuro tenhamos esta integração. Ao contrário da lixeira no Unity, não existe um menu de contexto para esvaziar a lixeira, você deve clicar nela e esvazia-la à partir do gerenciador de arquivos Nautilus. Você também não consegue arrastar itens da área de trabalho ou pastas para o ícone da lixeira para excluí-los.

Outra limitação é que o ícone não muda caso você esteja com a lixeira cheia ou vazia.

Como eu disse, é um recurso limitado, mas se for parar para pensar, mas ainda assim, ao menos no meu caso, valeu a pena. Para remover a lixeira a área de trabalho você pode usar o GNOME Tweaks para ocultá-la.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Como instalar a interface Unity no Ubuntu 18.04 LTS

Nenhum comentário
É engraçado o quanto a interface Unity foi criticada no passado e hoje muitas pessoas tem falado o quanto gostavam dela. Pois bem, o novo Ubuntu 18.04 LTS já chegou e com o ele o novo ambiente GNOME Shell para a distro, no entanto, ainda é possível utilizar o Unity como opção de uma forma muito simples.

Como instalar a interface Unity no novo Ubuntu 18.04 LTS






Apesar da Canonical ter abandonado o projeto Unity, o Unity 7 (que nós vamos instalar) ainda está nos repositórios da distro e receberá um pouco de atenção, correção de bugs e coisas similares (sem acréscimo de novas funcionalidades) porque o Ubuntu 16.04 LTS, que usa esta interface por padrão, tem suporte até 2021. Já o Unity 8 por outro lado agora é mantido pela comunidade UBports, que vem tentando criar a cada dia mais compatibilidade de software com diferentes modelos de Smartphone.

Se você baixou o Ubuntu 18.04 LTS com GNOME e gostaria de utilizar o Unity como interface padrão, saiba que há uma forma muito simples fazer isso, basta instalar a "sessão Unity" que a "mágica" acontece.

Para isso abra o terminal e rode o seguinte comando:
sudo apt install unity-session
Esse comando vai baixar todos os pacotes necessário para fazer a interface Unity 7 funcionar no seu Ubuntu 18.04 LTS, após isso será necessário reiniciar o computador (encerrar a sessão apenas não funcionou pra mim).

Ao voltar na inicialização, na tela de login, clique no ícone da engrenagem e selecione "Unity" como sessão desktop, ao se logar você já estará no velho e conhecido Unity. O Unity funciona apenas com o X.org, ao contrário do GNOME, que também funciona com Wayland.

Quer saber uma coisa irônica? 

Antigamente o pessoal reclamava muito do Unity ter bugs, mas hoje, junto com o XFCE talvez, esta é uma das interface mais estáveis que existem para Linux, justamente por não receber grandes incrementos de funcionalidades desde 2014 aproximadamente, com o time da Canonical apenas corrigindo bugs e otimizando a interface.

Unity no Ubuntu 18.04 LTS

Você pode até utilizar os temas para Linux no Ubuntu com Unity normalmente, veja:

Unity no Ubuntu 18.04 LTS

Ubuntu com Unity

Se você desejar voltar a utilizar versão com GNOME, basta mudar na tela de login novamente.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Como instalar Extensões do GNOME Shell no Ubuntu

Nenhum comentário

domingo, 29 de abril de 2018

Com a chegada do Ubuntu 18.04 LTS com o GNOME Shell a possibilidade de estender as funcionalidades da interface através de extensões começou a chamar a atenção das pessoas, especialmente as que estão tendo contato com o GNOME somente agora por conta do Ubuntu. Atendendo a pedidos de alguns leitores que não conseguiram instalar as extensões no novo Ubuntu, vamos aqui fazer uma apanhado de como isso funciona.

Como instalar extensões do GNOME no Ubuntu






As distros que usam GNOME como padrão, como é o caso do Ubuntu agora, já tem suporte nativo às extensões via GNOME Software. Para instalar uma extensão você pode acessar o GNOME Software, na sessão "Complementos" e clicar na aba "Extensões de Shell":

GNOME Shell Extensions no Ubuntu

Através dessa sessão (imagem acima) você poderá instalar extensões, existe também um botão "Configurações de Extensão", que permite que você ative e desative as extensões, exceto as que são nativas do Ubuntu, a Ubuntu Appindicators e a Ubuntu Dock.

Para pesquisar por uma extensão você pode usar o próprio campo de busca da GNOME Software ou até mesmo pesquisando através da Dash do GNOME Shell.

GNOME Shell Extensions no Ubuntu

Ao encontrar a extensão desejada, basta clicar em instalar e uma janela de diálogo deste tipo deve se abrir:

GNOME Shell Extensions no Ubuntu

Uma vez instalada a extensão, quando for uma extensão que permite configuração, como a Dash to Dock do exemplo, haverá a opção de configurá-la diretamente pela GNOME Software também.

GNOME Software Extensions

Gerenciado extensões através do site do GNOME


Outra forma muito comum de gerenciar extensões no GNOME Shell é através do extensions.gnome.org, o repositório online que permite que você instale, remova e configure as extensões disponíveis para o Shell, no entanto, para que o Ubuntu consiga fazer a conexão com o site e instalar as extensões à partir de lá você deve ter um pacote específico instalado, o pacote em questão é o: chrome-gnome-shell

Você pode instalar o pacote usando o comando:
sudo apt install chrome-gnome-shell
É possível instalar extensões para os navegadores também para facilitar a integração, aqui você encontra a extensão para o Firefox e aqui par ao Chrome/Chromium. Assim você pode gerenciar as extensões facilmente como no exemplo abaixo:


Com isso você já vai conseguir fazer as suas customizações no Ubuntu 18.04 LTS.


Extensões são complementos da comunidade GNOME, não são oficiais ou suportadas pelo projeto núcleo, de modo de alguma extensões podem causar instabilidade ou aumento no consumo de RAM por exemplo, fique ligado para não prejudicar a performance do seu sistema por conta de alguma extensão não plenamente compatível.


Uma dica extra que pode ser útil em caso de "dar m%rd@" com o seu GNOME Shell no Ubuntu é esta dica para você aprender a resetar as configurações para o padrão caso necessário.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


System76 lança o Pop!_OS baseado no Ubuntu 18.04 LTS

Nenhum comentário

sábado, 28 de abril de 2018

A popular empresa de Denver, Colorado nos EUA, anunciou a disponibilidade do seu sistema operacional, o Pop OS, estilizado em nome desta forma: Pop!_OS.







A System76 é conhecida por ser uma das principais empresas do mundo a oferecer hardware com Linux pré-instalado. São Desktops, Laptops e servidores com excelente acabamento e qualidade.

Por muito tempo a empresa vendeu seus computadores com o Ubuntu pré-instalado, mas depois da Canonical deixar o Unity, a empresa decidiu que não queria mais depender tão diretamente dos objetivos da Canonical, daí nasceu o projeto Pop!_OS, um sistema operacional que usa o GNOME Desktop e baseado no sistema da Canonical, porém, com várias diferenças.


Por conta do Pop!_OS usar o GNOME Shell também, assim como a nova versão do Ubuntu, o engano de que se trata do "mesmo" sistema, apenas com um tema pode ser comum. Na verdade o Pop!_OS segue a mesma linha do Linux Mint, usando o Ubuntu como o "core" do projeto e construindo soluções em cima disso.

Visualmente falando você vai encontrar um tema GTK e um tema de ícones diferente, além uma Central de Aplicativos completamente diferente da do Ubuntu (GNOME Software). O Pop!_OS utiliza a sua própria versão do AppCenter do elementary OS, uma versão rápida e versátil do software que permite instalar e remover aplicações e manusear os repositórios facilmente.

O Pop!_OS foi projetado, obviamente, pensando nos próprios computadores que a System76 vende, no entanto, existem ISOs que podem ser instaladas por qualquer pessoa disponível no site, com versões voltadas especificamente para determinados hardwares, com repositórios específicos da empresa para otimizações.

Por exemplo, existe uma ISO que já vem com os mais recentes drivers proprietários Nvidia disponíveis, tornando o sistema uma opção interessante para aqueles que querem usar Linux para jogar. Mesmo com essa opção, se você baixar a versão voltada para hardware Intel/AMD, ainda será possível instalar os drivers Nvidia de qualquer forma.

O GNOME Shell do Pop!_OS também vem com algumas modificações, como um otimizador de bateria que permite que você configure facilmente qual perfil de consumo você quer usar, como "Power Save", "Balanced" e "Performance", o que ajuda nos Laptops.


Outra modificação no GNOME Shell feita pela System76 é a opção de "modo silencioso" que você pode ativar direto do painel de notificações no centro da tela.

Outra diferença visual está no Instalador, ele foi produzido em conjunto com o pessoal do elementary OS e possui um visual renovado e completamente novo, que tente a deixar o processo de instalação extremamente simples, incluindo o recurso de cryptografia de dados ativa por padrão.


O conjunto de aplicações padrão do Pop!_OS também é ligeiramente diferente do Ubuntu, focando primariamente no ecossistema de aplicativos GNOME.


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



7 coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 18.04 LTS

Nenhum comentário
Com a chegada do GNOME Shell no Ubuntu 18.04 LTS Bionic Beaver a nossa lista de "coisas para fazer depois e instalar o Ubuntu" e deixá-lo pronto para as suas atividades mudou um pouco, as coisas mudaram - ligeiramente - de lugar e com o nosso guia você poderá desenvolver todas as suas atividades sem maiores "sustos".

Ubuntu 18.04 LTS Bionic Beaver





O lançamento do Ubuntu 18.04 LTS já está próximo (ou já chegou, dependendo de quando você está lendo esta matéria). Mas é fato que seu lançamento ocorrerá no dia 26 de Abril.

Eu já estou usando a Beta Final e deste momento até o lançamento apenas pequenas modificações e correções devem ser feitas, de modo que as ISOs das daily builds já carregam uma imagem muito próxima do que será a versão final.

Fazendo a instalação do novo Ubuntu no meu Notebook percebi que para "deixar ele pronto" para o uso, eu precisaria fazer uma série de passos um pouco diferentes do que acontecia na LTS passada. Você pode conferir aqui: "O que fazer depois de instalar o Ubuntu 16.04 LTS". E depois pode até comparar com essa edição de 2018 para ter mais clareza nas diferenças.

Eu dividi o tutorial, assim como o do Ubuntu 16.04 LTS, em 7 itens, sendo que no final você ainda vai receber algumas dicas bônus, vamos lá?

1 - Configuração inicial do Ubuntu


A nova versão do Ubuntu vai te surpreender com uma nova tela de boas-vindas com um setup inicial, onde você poderá rever algumas configurações que você  fez durante a instalação e configurar algumas outras. A primeira a ser feita é dar uma olhada nestas opções:

Ubuntu 18.04 LTS Boas vindas

Esta primeira tela te mostra as novidades que o GNOME traz para o sistema. Usuários acostumados ao Ubuntu 16.04 LTS, com a interface Unity, sentirão uma diferença considerável no Workflow, mas não se preocupe, ainda que estejam em locais diferentes, tudo o que você precisa ainda está lá. Vale a pena observar com calma os principais pontos. Seguindo para o próximo ítem...

Livepatch Ubuntu 18.04 LTS

A opção de "livepatch" será apresentada para você ainda durante a instalação, ela é um recurso avançado e opcional, mas que pode ser muito útil em alguns casos. Nós até já tínhamos falado sobre o recurso em um outro artigo aqui do blog há algum tempo, talvez seja útil dar uma lida para entender melhor.

O "livepatch" é um serviço "premium" do Ubuntu que algumas outras distros com finalidades comerciais como SUSE e Red Hat costumam oferecer. Ele permite que correções sejam aplicadas diretamente ao Kernel Linux sem a necessidade de reinicialização. Você que é um usuário doméstico do Ubuntu pode viver sem essa função tranquilamente, mas adicioná-la pode trazer algum conforto extra.

A questão é que antes do Ubuntu 18.04 LTS instalar e configurar este serviço de "livepatching" era um pouco mais trabalhoso, agora você só precisa se logar na sua conta do Ubuntu One para ativar a função, caso não tenha uma, você pode criar uma ali mesmo. 

Logando-se do Livepatch da Canonical

Como você deve ter lido aqui no blog, durante o desenvolvimento do Ubuntu 18.04 LTS os desenvolvedores decidiram coletar dados dos usuários para ajudar a melhorar o Ubuntu - saiba mais sobre isso no artigo dedicado ao recurso que fizemos - e agora na tela de boas-vindas você tem a opção de desabilitar essa opção ou mantê-la ligada ao seu gosto. Se você mudar de ideia, mais tarde você pode fazer os ajustes de privacidade na sessão "Privacidade" no painel de controle do sistema.

Ajude a melhorar o Ubuntu

Por fim, para finalizar a tela de boas-vindas, o Ubuntu te oferece alguns Apps em formato Snap para instalar explorando a central de aplicativos, você pode fazer isso agora se desejar, porém, eu vou tocar no assunto mais tarde.

Instale alguns aplicativos Snap

2 - Leia o manual do usuário do Ubuntu


Um grande preocupação nesta versão do Ubuntu com usuários vindos do Unity é o quão rápido as pessoas vão se adaptar a todas essas novidades que chegaram junto com o GNOME Shell. Repare no ícone de interrogação (ajuda) que aparece na dock, na lateral esquerda.

Como usar o GNOME Shell

Ao clicar neste ícone você acessará este manual interativo que te ajuda a entender toda a interface e os seus recursos, incluindo vídeos demonstrativos, o que é muito legal. Se você é novo no GNOME ou raramente o utilizou, esta uma coisa interessante de fazer. A interface do Ubuntu é ligeiramente diferente da exibida nas imagens e vídeos do manual, mas o conceito é exatamente o mesmo.

3 - Atualize o sistema


Apesar do sistema ter sido lançado há pouco tempo, é bem possível que existam atualizações para se fazer, então uma dica interessante é verificar através do aplicativo "Atualizador de Programas" se existe algo novo para se atualizar.

Você encontra ele no menu do Ubuntu, basta digitar algo como "atualizador"e  o ícone com as duas setas circundantes e o "A" deve aparecer, conforme a imagem abaixo.

Atualizando o Ubuntu

Se houverem atualizações, basta clicar no "Instalar", uma senha será requisitada para tal provavelmente, essa senha é a mesma que você criou para o seu usuário enquanto instalava o Ubuntu no seu computador. Aguarde a instalação finalizar, ao final, se houveram atualizações de Kernel, é interessante que você reinicie a máquina para tudo ter efeito, a menos que você tenha configurado do Livepatching no primeiro passo deste tutorial.

Atualizando o Ubuntu

4 - Complete a instalação dos pacotes de idioma


Caso você tenha feito a instalação com a internet conectada ao Ubuntu, provavelmente a instalação dos pacotes de idioma, no nosso caso o Português do Brasil, estará completa. Mas, "pelo sim e pelo não" vamos conferir, assim você terá todo o sistema na sua língua pátria.

Vá até o painel de controle, procure por "Região & Idioma" e depois clique em "Gerir idiomas instalados".


Na nova janela que se abrir o Ubuntu fará a verificação automática e se houverem pacotes de idiomas extras a serem instalados ele vai te mostrar uma caixa de diálogo com a opção de instalar. Basta clicar na opção de "instalar" e aguardar o procedimento/download terminar.

Configurando o idioma do Ubuntu

5 - Instale Codecs e Drivers


Esta é mais uma tarefa que você não necessariamente precisa fazer se você marcar as opções corretas na própria instalação do Ubuntu, mas assumindo que você tenha deixado isso passar ou tenha feito a instalação sem estar com o computador conectado à internet, existem alguns tweaks a serem feitos.

ꔷ Instalando Codecs no Ubuntu

Para os usuários mais antigos do Ubuntu vale ressaltar que o pacote ubuntu-restricted-extras continua existindo e você pode instalá-lo pelo terminal ou pelo Synaptic, no entanto, agora existe uma sessão na Central de aplicativos destinada especialmente para isso.

Abra a loja de aplicativos; você encontrará a mesma na barra lateral ou buscando no menu por "Programas", "gnome software" ou ainda "loja". Uma vez localizada e aberta clique na categoria "complementos".

Loja de Apps Ubuntu

Nesta sessão você encontrará a aba "codecs" onde você encontrará todos os codecs disponíveis para fácil instalação, fique à vontade e instale todos os que você precisar, se tiver dúvidas, instale todos, nesse caso melhor pecar pelo excesso do que pela falta.

Ubuntu Codecs

ꔷ Instalando Drivers no Ubuntu

Outra sessão interessante para quem tem processador Intel especialmente que fica nesta mesma região é a sessão de "Drivers de hardware", você pode instalá-lo também.

Drivers Ubuntu

Drivers Ubuntu

Outro local onde poderemos fazer algumas configurações de software e instalar mais alguns drivers (se necessário) é a app "Software e Atualizações", você encontra ele pela própria Central de Aplicativos, como demonstrado na imagem abaixo, assim como é possível encontrá-lo pelo menu do Ubuntu.

Software e Atualizações do Ubuntu

Este já é um velho conhecido dos usuários de Ubuntu, nele você pode fazer a mudança dos endereços dos mirrors do Ubuntu para usar o mais rápido e assim baixar os programas e atualizações com maior velocidade, o próprio utilitário possui uma ferramenta de benchmark de velocidade para te ajudar a escolher o melhor para você.

Mudando o Mirror do Ubuntu

Se tiver dúvidas, acesse este artigo aqui do blog onde nós detalhamos melhor este processo. Apesar de que isso varia de usuário para usuário, deixar o servidor principal ou o principal brasileiro sempre funcionou muito bem para mim. Caso você tenha mudado os mirrors é importante clicar em "Fechar" na aplicação para recarregar os repositórios do sistema, depois abra a aplicação novamente.

Outro recurso que você pode habilitar em "Softwares e Atualizações" é habilitar a sessão de "Parceiros da Canonical", este repositório contém alguns softwares extras que geralmente tem código fechado e seus complementos.

Parceiros da Canonical

Antigamente o Skype ficava neste repositório por exemplo, mas agora a Microsoft está distribuindo ele por Snap diretamente na loja de aplicativos das distros Linux, de modo que este repositório vai ser útil para poucas pessoas, o conteúdo dele atualmente é este:

Canonical Partners Repositories

Se você não precisa do Flash ou do Google Cloud SDK, provavelmente você não necessita deste repositório ativo, mas fica a dica de qualquer forma.

Talvez uma das sessões mais importantes no quesito drivers seja a sessão "Drivers adicionais" que você encontra aqui, desta vez, como você pode ver na imagem, eu não tenho mais nenhum extra para instalar, mas você pode encontrar aqui microcodes da Intel, da AMD e drivers Nvidia, conforme o hardware que você estiver rodando.

Drivers de vídeo Ubuntu

Se você estiver pensando em jogar no seu Ubuntu com uma placa Nvidia, pode ser interessante instalar o PPA de drivers da empresa, assim você terá acesso até mesmo aos drivers Beta da Nvida, podendo instalá-los nesta mesma sessão. 

No recente porte de "Rise of the Tomb Raider" para Linux, a Feral Interactive, empresa que portou o game, sugeriu a utilização de um driver mais recente do que o do repositório do Ubuntu para melhor desempenho, esse driver você consegue por este PPA adicional.

E onde você encontra este PPA? Ah! Que bom que perguntou, sorte sua que nós temos um guia completo para você utilizar o PPA de Gráficos no Ubuntu, o tutorial não é tão recente mas todas as propriedades estão exatamente iguais, então vale a dica. Clique aqui para aprender a instalar as versões mais recentes dos drivers Nvidia no Ubuntu 18.04 LTS.

6 - Instalando alguns aplicativos Extras (Snaps, debs e mais)


Como cada usuário tem suas as preferências e precisa de um conjunto de aplicativos diferentes para a sua utilização fica difícil recomendar alguma coisa aqui, então acho importante você explorar a Central de Software e escolher os que você quiser.

O novo Ubuntu traz um apelo forte aos pacotes Snap, se você está por fora dessa novidade e não sabe do que se trata leia este artigo para entender tudo. Pelos testes que venho fazendo, vários softwares via Snap já funcionam perfeitamente, Spotify, Skype, Simple Note, Slack, Only Office são ótimos exemplos disso. Outros, no entanto, apresentam alguns problemas, como o Telegram, que no meu computador não consegue fazer os acentos corretamente, ao contrário da versão em binário baixada diretamente do site oficial.

Fato curioso: O próprio "Live Patch" comentado no primeiro tópico deste artigo é um Snap.

Como instalar o Spotify no Ubuntu

Instalar pacotes por Snap é tão simples quanto instalar qualquer outra aplicação, basta clicar no software e na página dele haverá o botão de "instalar". Depois de instalado haverá a opção de remover também, e alguns Apps exibirão um terceiro botão com configurações de "Permissões", semelhante ao que Android faz.

Como instalar o OnlyOffice no Ubuntu via Snap

Para saber se o software é um Snap ou não basta olhar na descrição dele na loja, em "Fonte" estará "Snap Store".

Cliente Evernote para Ubuntu Tusk

ꔷ Como instalar o Google Chrome e uma dica adicional

O Google Chrome infelizmente não se encontra da Central de aplicativos, mas pode ser instalado facilmente indo até o site oficial e baixando o pacote .deb para o Debian/Ubuntu, repare que só existe versão 64 bits (na verdade isso há muito tempo já, mas vale mencionar). Pacote baixado basta dar dois cliques para que ele abra com a Central de Aplicativos.

Como instalar o Google Chrome no Ubuntu

Repare no aviso que a central de aplicativos vai te dar. O pacote do Chrome, além de instalar o navegador, também adiciona o repositório da Google no Ubuntu para que o Chrome fique sempre atualizado e você receba essas atualizações do Browser juntamente com as outras atualizações no sistema. Basta clicar em instalar, digitar a senha a aguardar a instalação, depois disso o browser estará disponível no menu do sistema.

Como instalar o Google Chrome no Ubuntu

Uma dica extra para você não ter "a sua veia de designer estourada logo pela manhã". 

Talvez isso seja corrigido, mas no momento, o tema padrão do Ubuntu fica horrendamente pequeno nos botões de controle do Chrome quando ele está maximizado, como na imagem abaixo:

Botões de controle do Chrome no Ubuntu

Isso acontece (na verdade não sei porque acontece exatamente...) porque a Google implementou a decoração nativa das distros no Chrome e alguma coisa não tá dando muito certo ali, então, ao invés do Chrome fazer este trabalho, vamos deixar o próprio Ubuntu fazer isso.

Clique com o botão direito na barra do Chrome e marque a opção "Usar barra de título e bordas do sistema", isso pode de fazer perder alguns pixels de espaço, mas é uma solução. Talvez os botões sumam se você estiver com a janela maximizada, mas é só fechar o Chrome e abrir novamente que tudo fica normal.

Botões de controle do Chrome no Ubuntu

7 - Customizações e configurações de Backup


Vamos brincar um pouco com algumas configurações e opções do sistema. No painel de controle você pode configurar quais aplicativos podem ou não te enviar notificações, clicando em um deles você pode configurar com maiores detalhes que tipo de notificações cada um pode te enviar, notificações na Área de Trabalho, notificação sonora, etc.

Configurando notificações do Ubuntu

Outro local legal de "dar uma mexida" é a sessão "Doca" (Certas coisas não precisariam traduzir, né? 'Dock' é bem melhor). Aqui você consegue configurar a barra lateral do sistema para que ela se oculte automaticamente, pode mudar o tamanho dos ícones e até mesmo a posição na tela.

Configurações Dock Ubuntu 18.04 LTS

Se você usa um Notebook, vai querer passar pelas configurações de energia e deixar ao seu gosto. Eu por exemplo não gosto muito do brilho auto-ajustável do GNOME, então deixo desligado para que eu mesmo ajuste o brilho da tela manualmente.

Configuração de Brilho

Em uma categoria um pouco mais "escondida", na sessão "Detalhes", você encontra as configurações de usuário, onde você pode atribuir uma imagem para o seu usuário, tirar uma foto sua e claro, adicionar outros usuários para o computador. Algumas das ações podem requerer acesso de administrador, então se você não estiver conseguindo alterar alguma coisa, tente clicar em "Desbloquear" na direita, digite a sua senha e tente novamente.

Configurações de usuários do Ubuntu 18.04 LTS

Outro lugar pra alterar é a sessão "Plano de fundo", onde é possível alterar o papel de parede e tela de bloqueio. Basta clicar nas imagens e selecionar uma que você goste mais, as imagens podem ser as mesmas em ambas as opções se você quiser.

Como trocar o papel de Parede no Ubuntu

Falando em Wallpaper... Eu não sei o que se passa com o time de design da Canonical nesse aspecto, eles simplesmente não conseguem ter dedo para encontrar imagens harmoniosas para o Ubuntu, se bobear o wallpaper padrão é o mais "bonito". Claro que isso é relativo a gosto, mas existem certas imagens que que agradam ao olho humano, existem tons, existem tipos de imagens, como paisagens, etc.

Sério... alguém consegue me explicar, dentre todas as opções possíveis, como alguém achou que uma imagem num azul forte deste tipo contrataria bem com o laranja da interface?

Tudo bem que é só uma imagem, mas um sistema é feito de vários detalhes, um dos mais simples é escolher bons wallpapers e detalhes em detalhes você contrói um "todo" coeso. Eu esperava mais neste segmento.

Wallpaper Horrível do Ubuntu

Felizmente você pode pegar wallpapers da internet sempre, inclusive, um site bem legal pra isso é o Wallhaven.

Wallhaven

Virando a página, uma outra coisa que você pode querer fazer é personalizar a sua Dock com os aplicativos que mais gosta, seja adicionando alguns, removendo outros, ou até mesmo desinstalando os que você não quiser mais.

Como remover Amazon no Ubuntu

Se você quiser desinstalar um aplicativo qualquer, como o da Amazon, basta clicar com o botão direito nele e clicar em "Remover dos favoritos", se quiser remover ele do sistema, clique em "Mostrar detalhes" e a Central de Programas vai se abrir e nela você poderá remover ele se quiser.

Amazon no Ubuntu

Para adicionar um aplicativo à barra lateral basta navegar pelo menu e arrastá-lo com o mouse para a barra, ou clicar com o botão direito sobre o ícone do do App desejado e clicar em "Adicionar aos Favoritos". Ele vai parar na barra automaticamente.

Adicionar aos Favoritos no GNOME

Outra coisa a se fazer é testar um dos novos aplicativos do Ubuntu, o GNOME ToDo, um aplicativo para você criar e gerenciar listas de tarefas, que inclusive é desenvolvido por um brasileiro, nós entrevistamos o Georges para falar sobre o desenvolvimento do GNOME, em um bate-papo muito legal.

GNOME Todo no Ubuntu

Você também pode configurar os seus Backups no Déjà Dup, o aplicativo de Backups incluso no Ubuntu por padrão já há alguns anos. Abra o menu e procure por "Backup".

Configuração de Backup

Uma coisas legais que você pode fazer através do aplicativo de Backup é salvar os seus dados em nuvem, selecionando ou excluindo pastas que você deseja ou não salvar. É possível salvar e restaurar backups do Google Drive e no NextCloud.

GNOME Tweak Tool - O grande Ás na manga para customizações no Ubuntu (agora com GNOME)

Você realmente pode fazer inúmeras customizações através do GNOME Tweak Tool, temos um artigo aqui no blog para você aprender o que é possível fazer nele. 

Para agora vou focar aqui em te mostrar a fazer um ajuste simples, mas que (para o meu gosto ao menos) faz diferença, que é tirar o ícone da lixeira da Área de Trabalho. Você primeiro precisa instalar o GNOME Tweaks através da loja de aplicativos.

Gnome Tweaks Ubuntu

Depois de instalado, procure por "Ajustes" no Menu, ao abrir aplicação vá até a sessão "Área de Trabalho", lá você encontrará os interruptores para exibir ou ocultar certos tipos de ícones da área de trabalho, ou até todos de forma geral, particularmente eu gosto de poder ter ícones na área de trabalho, mas não gosto da Lixeira e nem dos volumes montados aparecendo ali, então basta desligar, conforme a última imagem, as últimas duas opções da lista.

Remover lixeira da área de trabalho do Ubuntu

Dicas e configurações adicionais (Bônus) 


Existe uma série de tweaks que podem ser feitos e vão melhorar e personalizar a sua experiência com o novo Ubuntu. Por exemplo, além dos pacotes Snap, já mencionados, você deve saber (talvez) que também existem os pacotes Flatpak, o suporte a eles na GNOME Software do Ubuntu vem desativado por padrão, mas ativá-lo é extremamente simples.

Confira no vídeo abaixo:


Outra dica em relação a software é utilizar o "Ubuntu MATE Welcome", mais especificamente a sessão "Software Boutique", que te permite instalar vários Apps de fora do repositório do Ubuntu de uma forma muito simples. Você encontra ele na Central de Aplicativos do Ubuntu:

Ubuntu MATE Welcome no Ubuntu GNOME

Se você achou o "Ubuntu MATE Welcome" interessante, confira também a review do Ubuntu MATE 18.04 LTS que fizemos no canal, gastamos vários minutos para mostrar para você todos os detalhes dessa ferramenta incrível.

Software Boutique no Ubuntu

Por fim, vamos a alguns ajustes do Ubuntu que vale a pena fazer.

Umas das coisas novas que você pode fazer no Ubuntu 18.04 LTS é ativar a função de "luz noturna", ela vai corrigir a luminosidade e cor da sua tela durante o dia para que você não force demais os seus olhos enquanto trabalha no sistema, especialmente à noite.

Vá até o painel de controle, depois da aba "Dispositivos" e lá você encontrará a opção "Monitores", o mesmo local onde você configura a resolução da tela, espelhamento em caso de mais de um monitor, etc. Repare que existe uma opção chamada "Luz noturna" que está desligada, clique nela.

Configurando a luz noturna do Ubuntu

Aqui você pode deixar a configuração automática ou manual, escolhendo por quais períodos ela vai funcionar com maior intensidade. Geralmente a opção automática é satisfatória.

Configuração de luz noturna no Ubuntu

Revise também as suas configurações de privacidade para saber se tudo está do jeito que você queria, no painel de controle procure a opção "Privacidade" e configure as opções:

Configurações de privacidade no Ubuntu

A Dock do Ubuntu pode parecer limitada a primeira vista. Mas ela é baseada na famosa extensão Dash To Dock do GNOME Shell e traz consigo várias opções interessantes, mas que estão escondidas, literalmente falando!

Se você instalar o aplicativo "Dconf Editor" através da Central de Programas nós poderemos ativar algumas funcionalidade muito interessantes.

OBS: O Dconf editor é uma ferramenta para fazer configurações sensíveis no comportamento da interface do sistema, de modo que ao errar alguma configuração aqui as coisas podem ficar um pouco "bagunçadas". Nós fizemos um tutorial explicando para você como resetar este novo Ubuntu para os padrões de fábrica caso algo não dê certo. Confira aqui. Observe também que em toda as opções do Dconf ele também tem a opção de voltar as chaves aos valores padrões.

Ao abrir o "Dconf Editor" clique na lupa de pesquisa e digite: Dash-to-Dock.

Clique na opção e você entrará nas configurações exclusivas da Dock do Ubuntu. Lembre-se de aplicar as configurações a cada modificação que você fizer para que as mesmas tenham efeito clicando no botão de confirmação na parte inferior do Dconf.

Umas das opções que você pode alterar é a "show-apps-at-top", que move o lançador de aplicativos da parte de baixo da barra para cima, ficando com uma funcionalidade mais parecida com o Unity.

Configurar Dash do Dock no Ubuntu

Outra coisa interessante que você pode alterar (não sei se para melhor, mas de qualquer forma...) é a opção "unity-backlist-items", essa opção adiciona aquelas membranas nos lançadores como era no Unity, como na imagem abaixo.


Uma mudança que eu acho muito válida para questão de praticidade é ativar a opção de "minimizar ao clicar". Temos um artigo aqui do blog focado em mostrar isso para você

Essa modificação permite que ao clicar em um ícone de um aplicativo na barra de tarefas (ou Dock/Doca) que esteja maximizado, ele seja minimizado, evitando assim que você tenha que ir até o botão de minimizar na janela. 

Procure por "click-action" e em "Valor atual" você pode mudar de "previews", que é o padrão, para "minimize-or-overview", como na imagem abaixo. 

Essa opção, ao contrário da opção de só minimizar (que também existe ali) permite que você veja todas as janelas abertas em caso de você ter mais de uma instância do mesmo aplicativo.

Minimize on click

As animações do GNOME Shell são muito bonitas, mas elas criam um pequeno delay entre a ação e o resultado (pequeno mesmo), mas se você quiser reduzir isso um pouco mais para quem sabe até aumentar um pouco a sensação de fluidez da interface, é possível fazer isto através de um ajuste simples.

No Dconf Editor, dentro de Dash to Dock, procure por "animation-time", reduza os valores conforme você quiser, quanto menor o delay, mais rápida a animação.

Velocidade das nimações

Por último, mas não menos importante, uma "tapeada" no visual. 

Você deve ter ouvido falar que o pessoal da Canonical e comunidade Ubuntu estavam desenvolvendo um novo tema para o sistema, tema este acabou não vindo por padrão, mas que está disponível para o Ubuntu 18.04 LTS via Snap.

Na Central de Programas procure por "Communitheme" e instale.

Ubuntu Communitheme

Ao invés de você ter que usar o GNOME Tweaks ou qualquer coisa do tipo (apesar de você poder), este pacote cria uma sessão na tela de login do Ubuntu com o novo "Commitheme" que pode ser usado tanto com Wayland como X.org.

Toda a configuração do tema GTK, Shell e ícones será feita dessa forma, não dando nenhum trabalho extra ao usuário.

Depois de tudo instalado e configurado para o meu uso o meu Ubuntu ficou com este visual:

Ubuntu 18.04 LTS Bionic Beaver

Ubuntu 18.04 LTS Bionic Beaver

Ubuntu 18.04 LTS Bionic Beaver

Com toda essa montanha de informações você está mais do que pronto para aproveitar o seu novo Ubuntu 18.04 LTS Bionic Beaver.

Eu vou ficando por aqui, mas você pode deixar as suas opiniões nos comentários.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo