Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador Anatel. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Anatel. Mostrar todas as postagens

Operadoras poderão deixar de usar postes para o cabeamento de internet e telefone

Nenhum comentário

sexta-feira, 24 de maio de 2019

A Telcomp, Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas, estima mudanças na construção na infraestrutura das redes do nosso país. Isso graças a entrada da nova operação do SNOA, Sistema Nacional de Ofertas no Atacado, com previsão de início ainda este mês.

rede-elétrica-internet-telecomunicação-tubos-poste

Através de tubulações, que eram utilizados em infraestruturas de redes antigas, o sistema da Anatel tende a ser alimentado gradualmente por novas redes em grandes cidades. Atualmente os cabos e fios estão mais compactos e resistentes, ao contrário dos cabos antigos. Essas tubulações foram praticamente subutilizadas no passado, por depender de uma infraestrutura economicamente não replicável e na época a tecnologia era de custo mais elevado. Pois os cabos eram maiores e mais pesados, dificultando todo o processo.

Na atual infra existem desavenças com as provedoras de internet e as donas dos postes, ocasionando assim em confrontos pelo espaço utilizado. Já com a utilização dos dutos, abre-se várias possibilidades para o descongestionamento da rede e assim criar uma distinção entre elas (elétrica e a de comunicação). Acarretando em maior segurança, podendo desmotivar eventuais atos de vandalismos e furtos de cobre ou fibra óptica, por dificultar o acesso a pessoas não autorizadas.

rede-elétrica-internet-telecomunicação-tubos-poste-poluição-visual-fios

O sistema de dutos oferece preços atrativos ao mercado, com aluguéis e preços limites entre R$120 e R$750 o quilômetro. Cabe agora a mobilização das empresas interessadas, tornando mais agradável e menos poluído o visual das grandes cidades brasileiras. 

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Anatel analisa possibilidade de limite em franquias de Internet novamente

Nenhum comentário

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

No primeiro semestre de 2016 os internautas se revoltaram com a possibilidade de uma internet com limite de acesso. Tal prática é comum em conexões móveis (3G/4G) aqui no Brasil, e empresas gostariam que a regra fosse válida para internet banda larga.

limite-internet-banda-larga-fixa

O limite de franquia é algo comum em outros países, mas olhando para o Brasil, vemos que a realidade é bem diferente. Com infraestrutura moderna e preços atrativos, países que possuem o limite no tráfego de dados na banda larga, contam com preços acessíveis, maior velocidade de download e upload e várias opções de provedoras de internet. 

Um assunto delicado


A Claro Brasil solicitou à Anatel, órgão responsável por regulamentar os assuntos referentes às telecomunicações do país, que reavaliasse a possibilidade de limite em franquias de internet fixa

O grupo responsável pela Claro Brasil, NET e Embratel, alega que tal medida seria necessária para evitar os os altos custos financeiros. A infraestrutura, segundo eles, está sobrecarregada, e para melhor prestação de serviços aos clientes a medida seria necessária.

Um dos maiores problemas das limitações impostas pelo governo em relação a concorrência, em um mercado mais livre, uma empresa incapaz de atender o público perde clientes, vai a falência, mas num modelo cartelizado assim, é mais fácil mudar as regras do jogo para não ser preciso gastar em infraestrutura e continuar lucrando (muito) mesmo sem oferecer um serviço melhor.

anatel-limite-internet

"Com tais mudanças na regulamentação, a comercialização da banda larga fixa permitiria que empresas atuassem com maior liberdade, fomentando a concorrência e melhora dos serviços”, alega a Claro Brasil.

Em 2016 a Anatel prometeu analisar o assunto até o final do ano de 2019 e emitir o parecer se as regras seriam adaptadas ou não.

E você o que acha deste assunto? A possibilidade de franquias na internet fixa, seria um meio para modernizar a infraestrutura das provedoras de banda larga no Brasil? Ou acredita que a situação pioraria para o lado do consumidor, sem investimento na internet brasileira?

Deixe nos comentários seu ponto de vista, mas seja educado. Por ser um assunto delicado, visões totalmente opostas podem aparecer e aprender com a opinião e argumentos diferentes é um ótimo exercício mental.

Te espero no próximo post aqui no blog Diolinux, até lá compartilhe as postagens, SISTEMATICAMENTE!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Governo pede para que Anatel lute a favor dos usuários de internet

Nenhum comentário

quinta-feira, 14 de abril de 2016

O o ministro das Comunicações, André Figueiredo, enviou uma nota para a Anatel para que agência lute pelos direitos dos consumidores nesta nova medida de implementação de franquia nos planos de internet.

Anatel




As pessoas estão de olho em todas as notícias relacionada a limitação da internet no Brasil, nós mesmo já abordamos o assunto e divulgamos campanhas de abaixo-assinado para que as pessoas pudessem manifestar a sua insatisfação com o caso.

André Figueiredo, afirma que “existe uma previsão regimental da possibilidade de limitar essa franquia, mas contratos não podem ter uma alteração unilateral”. 

Apesar dessa nota, não podemos ficar tão otimistas assim, esse posicionamento do ministro não faz tanta diferença  pra gente, o pedido apenas pede que a Anatel fiscalize as operadoras para que elas respeitem os contratos já em vigor. Não houve nenhum tipo de indicação que a medida de limitação deveria ser combatida.

Aparentemente a TIM não está planejando, ao menos por enquanto, adotar o sistema de franquias e também a COPEL do Paraná e outras empresas menores. Vamos aguardar o próximo capítulo dessa novela.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Suposto App da Anatel é usado para Golpe, cuidado.

Nenhum comentário

quarta-feira, 22 de agosto de 2012


 Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou nesta terça-feira (21) que mensagens falsas usando o nome do órgão estão circulando na internet. De acordo com a Anatel, o golpe se aproveita da implementação do nono dígito nos telefones celulares com DDD 11 para  tentar roubar dados de usuários. 
Anatel
O e-mail falso leva o logotipo da Agência e das quatro maiores operadoras de celular do país (TIM, Vivo, Oi e Claro). A mensagem fala sobre a disponibilização de um suposto aplicativo oficial que adiciona automaticamente o dígito nove à frente dos números de telefone que estão na lista de contatos do usuário. A mensagem do e-mail é a seguinte:

“Caro Consumidor.
A Anatel (Agência nacional de telecomunicações) informa a disponibilidade para download do aplicativo para atualizar a sua lista de contatos que tiveram adicionados +1 dígito, veja abaixo as operadoras que estão disponíveis.
Para atualizar a sua agenda de contatos do seu celular basta baixar o aplicativo e efetuar o cadastro no seu computador.”
O maior risco do e-mail está no anexo com o suposto aplicativo. De acordo com a Anatel, o arquivo em anexo não deve ser baixado em hipótese alguma. Ele pode causar danos ao computador e ser usado para roubo de informações confidenciais (como senhas de e-mail e contas de internet banking).

O que fazer ao receber um e-mail que diz ser da Anatel

A Agência Nacional de Telecomunicações afirma que não envia e-mails não solicitados ao usuário. Sendo assim, todas as mensagens enviadas em nome da Anatel devem ser apagadas imediatamente da caixa de mensagens.


Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...


Como vai ser o 4G no Brasil

Um comentário

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

A quarta geração da telefonia móvel 4G vai começar a operar no próximo ano, mas os preparativos já começaram. A internet móvel mais rápida vai exigir, pelo menos, o dobro do número de antenas utilizadas hoje pela tecnologia 3G. Será preciso modernizar 60% das linhas de transmissão do país, uma vez que o 3G pode usar o cabo da 2G, mas o 4G não, pois demanda mais capacidade. Ou seja, o investimento das teles será alto.

Para se ter ideia, no leilão dos primeiros lotes das faixas de frequência que vão suportar a nova tecnologia, os quatro principais lotes totalizaram R$ 2,56 bilhões com Claro, Oi, TIM e Vivo apresentando os melhores lances para operar na frequência. Os lotes foram vendidos de acordo com as propostas financeiras de cada uma das operadoras participantes. E venceu quem ofereceu o menor preço para o usuário final.

No total, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações, foram arrecadados R$ 2,9 bilhões, o que vai garantir investimentos de R$ 3 bilhões por ano em redes, ao longo dos 30 anos de contrato – valor bastante próximo dos fundos de telecom que, de janeiro a abril deste ano, já somaram R$ 3,7 bilhões e não estão sendo usados para os fins para os quais foram criados, segundo Carlos Duprat, diretor da SindiTelebrasil – Associação Brasileira de Telecomunicações.

O problema com esta arrecadação é que, devido ao alto investimento feito pelas operadoras, o consumidor final deve receber um preço elevado para ter uma conexão 4G. De acordo com estimativas do SindiTelebrasil, será, no mínimo, o dobro do valor cobrado pelo 3G atualmente. Sendo assim, se o governo mantiver sua rotina de não investir integralmente o dinheiro arrecadado na infraestrutura de telecom, os consumidores não receberão qualidade em troca. 

Por outro lado, se as operadoras continuarem a repassar seus gastos para as contas de celular, o valor do 4G pode ser bem alto para os usuários finais. Segundo o presidente da Anatel, João Rezende, o faturamento das operadoras cresceu 237% nos últimos 10 anos no Brasil, mas os investimentos em infraestrutura subiram apenas 67% desse crescimento. 

Compartilhamento de infraestrutura

Para o 4G, o governo previa uso conjunto de bases, torres e antenas pelas operadoras, mas os investimentos para implantar a internet móvel de quarta geração devem começar sem o compartilhamento de infraestrutura. Em entrevista para a Agência Estado, Francisco Valim, presidente da Oi, afirmou que as companhias estão longe de um entendimento. Com isso, os investimentos se tornam ainda maiores e, consequentemente, o custo do 4G será ainda maior. Principalmente porque, pelas regras do leilão, as empresas que venceram a licitação das faixas deverão cumprir uma série de exigências.



operadoras


Até abril de 2013, por exemplo, elas precisam ter conexões 4G nas cidades-sede dos jogos da Copa das Confederações: Fortaleza, Recife, Salvador, Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Já as sedes e sub-sedes da Copa do Mundo – São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Manaus, Cuiabá, Natal – deverão ter a internet mais rápida até o fim de 2014. A Anatel ainda determina que todos os municípios com mais de 100 mil habitantes deverão ter sinal de 4G até 31 de dezembro de 2016.

Outras metas também deverão ser cumpridas, como o uso de equipamentos fabricados no Brasil. As empresas que venceram a licitação das faixas destinadas à telefonia 4G deverão usar pelo menos 60% dos equipamentos fabricados no país em suas redes entre 2012 e 2014. Nos dois anos seguintes, o percentual dos investimentos em aquisição de bens e produtos com tecnologia nacional passa para 65% e, entre 2017 e 2022, para 70%.

Quer opinar? Diga abaixo o que acha que vai acontecer com os R$ 3 bilhões arrecadados? E aproveite para comentar sobre o não-compartilhamento de infraestrutura entre as operadoras.


Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo