Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador Gnome-shell. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Gnome-shell. Mostrar todas as postagens

Lançamento do GTK 4 está se aproximando cada vez mais!

Nenhum comentário

sábado, 11 de maio de 2019

Você já pode ter se deparado com termos como Qt, GTK e se for novato no Linux pode estar "boiando" com essas nomenclaturas. Calma que tudo isso é mais simples do que o imaginado.

gtk+-gtk4-gtk3.96-gnome-interface-vullkan-opengl-linux-DE

Qt e GTK + são kits de ferramentas para criar interfaces gráficas. Falando especificamente do GTK+, ele é o núcleo da plataforma de desenvolvimento do GNOME, mas não limitado a ele apenas. Por exemplo aplicações para outras interfaces como: Cinnamon, XFCE, Deepin Desktop (DDE), KDE etc; Podem ser criadas em GTK+, e indo além, o GTK pode ser usado em outros sistemas operacionais como BSD, Windows e macOS.

O tão aguardado GTK 4


Como a tecnologia tende a evoluir, não seria diferente com o GTK, e desde seu lançamento em 1998 o toolkit do GNOME vem recebendo melhorias e novas implementações. Atualmente em sua versão 3.24 o GTK está prestes a receber uma reformulação com o tão aguardado GTK 4. Novos recursos e refatorações em seu código estão previstas. Isso significa uma nova forma de compor as aplicações desenvolvidas com essa framework.

A demora do GTK 4 é justificável se levarmos em consideração a proposta do mesmo, que visa ser uma API estável e que não obrigue os desenvolvedores a refazer partes dos códigos de suas aplicações há cada atualização, num período curto de 6 meses, que basicamente é o que pode ocorrer com o atual GTK 3. 

Mudanças do GTK 3 para o GTK 4


Além de abandonar alguns widgets e adicionar novos ao GTK 4, a nova versão tem várias propostas como: adição do suporte ao Vulkan e ao OpenGL para melhorar a velocidade de suas aplicações, visto que a GPU "irá desenhar" os elementos visuais na tela. Código mais limpo, refatoração de códigos antigos, desenvolvimento com o Wayland em mente, mas sem perder suporte ao X11.

gtk+-gtk4-gtk3.96-gnome-interface-vullkan-opengl-linux-DE-efeitos-blur

Sabemos que o GTK 4 incluirá o suporte ao tão amado ou odiado "Blur", a possibilidade de animações 3D e efeitos gráficos etc.

A espera pode estar chegando ao fim


Os planos dos desenvolvedores GNOME é oferecer uma API segura e estável, que não precise de mudanças de bases a curto e médio prazo, dando maior conforto a quem desenvolve aplicações em GTK, afinal mesmo com atualizações do toolkit, os developers não precisarão readaptar suas aplicações.

No momento os desenvolvedores podem testar o GTK 4 junto ao GTK 3.96, "a versão na qual será transformado em GTK 4".

Caso queira ver todas as informações técnicas sobre o GTK 3.96 e GTK 4, acesse o anúncio oficial do blog do GTK e veja a fundo suas novidades.

Será que em 2019 iremos ver o lançamento da versão estável do GTK 4? Com tantas notícias "bombásticas" saindo no mundo Linux, já não duvido de mais nada (😊😊😊).

E você ansioso pelas novidades do GTK 4? Continue esse bate-papo lá em nosso fórum Diolinux Plus.

Te espero até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ubuntu 19.10 disponível para download, em fase inicial

Nenhum comentário

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Lançado há pouquíssimo tempo, acesse nossa cobertura sobre o Ubuntu 19.04, o Ubuntu parece estar atraindo novamente olhares para as mudanças que vem promovendo. O tão aguardado Ubuntu 20.04 LTS se aproxima, entretanto versões intermediárias devem ser lançadas, o 19.04 que está aí esbanjando mudanças, eis que os olhares começam a vislumbrar o Ubuntu 19.10.

ubuntu19.10-eoan-daily-build

As “Daily Builds” do Ubuntu 19.10 já estão disponíveis para testes, claro que por se tratar de versões diárias, eventuais bugs são esperados. 

Neste estágio inicial o Ubuntu 19.10 não terá mudanças aparentes, comparado ao seu antecessor 19.04, no entanto ao decorrer dos meses essa disparidade pode se tornar facilmente visível.

Ubuntu 19.10 em desenvolvimento inicial


Sem uma data confirmada para seu lançamento, se o mesmo seguir a lógica dos demais uma versão beta deve ser lançada em meados de Outubro, o Ubuntu 19.10 ao menos tem um codinome definido. Sabemos que a próxima letra será a “E”, após o “D” da versão Ubuntu 19.04 (Disco Dingo).

Em primeiro momento o Ubuntu 19.10 está sendo baseado em sua recém versão lançada, acompanhando o Kernel 5.0 e o Gnome-Shell 3.32, mas sabe-se que a versão 19.10 será lançada com o Gnome-Shell 3.34.

Por ser a última versão, antes da 20.04 LTS, o Ubuntu 19.10 é aguardado com anseio por usuários do sistema.

Download do Ubuntu 19.10


Esteja ciente que esta versão é uma compilação diária em desenvolvimento inicial. Caso deseje efetuar o download do Ubuntu 19.10, instale o mesmo em uma máquina virtual ou algum computador de testes. Nunca faça isso em ambiente de produção. Dada às ressalvas, fique a vontade para baixar e testar o Ubuntu 19.10.

 Download Daily Build Ubuntu 19.10

E você, ansioso pelo Ubuntu 19.10? Até o momento a única parte de seu codinome que sabemos é o adjetivo “Eoan”, o nome do animal ainda é um mistério.

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e fique por dentro das novidades e discussões sobre o tema.

Até o próximo post, te espero aqui, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


GNOME 3.32 é lançado com codinome “Taipei” e conta com novidades, confira

Nenhum comentário

quinta-feira, 14 de março de 2019

Ontem finalmente foi lançado oficialmente o GNOME Shell 3.32, chegando depois de 2 meses da versão 3.31.4, essa última sendo considerada uma “prévia” do que viria neste novo update.

 GNOME 3.32 é lançado com codinome “Taipei” e conta com novidades, confira






Como de costume, cada lançamento do GNOME Shell, é sempre cercado de expectativas da comunidade, em volta das novidades em que o pessoal do desenvolvimento vai trazer para o projeto GNOME.

Podemos começar a mencionar que a primeira novidade em relação a essa nova versão, é o nome que lhe foi dado. O nome escolhido foi Taipei, em homenagem ao pessoal da Equipe do Gnome da Ásia. Como o evento anual do GNOME foi em Taipei, Taiwan, eles fizeram essa singela homenagem ao pessoal de lá. Muito legal isso. 😃

Uma parte bem criticada por uma grande maioria que usa o GNOME “puro” (Vanilla), é que o seu visual não teve uma “modernização”, tanto nas paletas de cores quanto nos ícones. Mas isso vai mudar nesta versão 3.32. Agora o GNOME usará uma paleta de cores na interface do usuário tornando tudo mais singelo e harmonioso e os ícones de aplicativos foram redesenhados do zero.

Outra funcionalidade que foi remanejada, é o menu dos aplicativos. Antes ficava na parte superior da Interface e agora vai ficar dentro da própria janela do aplicativo.

Mais uma novidade, é que agora a Extensão Desktop Icons vai vir habilitada por padrão, assim contornando um “problema” que vinha desde o lançamento do GNOME 3, onde os ícones na Área de Trabalho não vinham mais habilitados.

Agora duas novidades que achei muito interessante e legal que foram implementadas. A primeira tem relação as permissões que os programas vão ter para acessar determinados recursos. Com essa nova funcionalidade, vai ser possível conceder ou não permissão aos apps, e estendendo aos flatpaks instalados.



A outra novidade que destaco é referente a loja de aplicativos, a GNOME Software, que melhorou o manuseio das fontes disponíveis para os programas, sendo via Flatpak ou via repositório. No caso dos Flatpaks agora vão ser listadas as permissões necessárias, que aquele app vai precisar, isso na própria página dele na GNOME Software. Além disso foi implementada uma nova biblioteca que faz a análise do XML, assim tornando a Loja mais rápida para carregar os dados do AppStream.


E também teve as famosas melhorias, correções e otimizações do código do GNOME Shell, fazendo com que ele tenha uma performance superior em relação a versão 3.28.
Para ver as outras novidades, você pode conferir o post do pessoal do GNOME.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ubuntu 18.04.2 LTS está no meio de nós, baixe agora mesmo!!!

Nenhum comentário

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

A primeira atualização grande no Ubuntu 18.04 LTS, veio em 26 de Julho  do ano passado (2018), trazendo correções de bugs, melhorias, novidades e aperfeiçoamentos na interface do sistema. Como noticiamos semana passada, a segunda grande atualização chegaria no dia 14 de Fevereiro. Confira.








Essa atualização trouxe algumas mudanças no sistema, e as principais foram:
● Nautilus 3.26.4
● GNOME Shell 3.28.3
● Kernel Linux 4.18.0-15

Podemos ver que algumas mudanças que achamos que iriam vir, realmente vieram, como uma versão nova do Kernel e uma versão atualizada do GNOME, não sendo a 3.30 como esperávamos, mas nada que updates futuros não façam isso.

Outras melhorias foram:

● Correções dos erros de instalação;
● Correções de bugs;
● Correções referentes ao Desktop, como Xorg, GNOME, Nautilus e etc;
● Melhorias de suporte do Kernel a Hardwares mais recentes;
● Fim do suporte a arquitetura de 32 bits.

Se você quiser ver todas as melhorias implementadas no Ubuntu 18.04.2 LTS, você pode acessar esse link e conferir.

Baixar a ISO do novo Ubuntu, basta clicar na imagem abaixo


Espero você no próximo post, forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Veja como instalar o tema Plata, baseado no último lançamento do Material Design

Nenhum comentário

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Se você gosta de modificar a sua distro Linux e deixar ela com a sua cara, o sistema operacional do pinguim mais simpático da internet deixa você fazer isso. =)


 Veja como instalar o tema Plata, baseado no último lançamento do Material Design






Tem vários temas, ícones e interfaces gráficas para você escolher e assim escolher a opção que mais lhe agrada.

O novo tema para GTK chega para ser mais uma opção para você escolher, e ter opção sempre é bom não é? O nome do tema é Plata, desenvolvido pelo usuário  tista500 que você pode conferir no GitLab.O tema se baseia na última versão do Material Design e tem 3 variações, regular (mixed), Lumiere (Light) e a Noir (dark).

Instalação


Para utilizar o tema você vai precisar ter o GTK+ 3.20.x, 3.22.x, 3.24x e o GTK+2 instalados na sua distro. Ele tem também suporte aos seguintes desktops environments (DE):  Gnome Shell (e Flashback), Cinnamon, XFCE, MATE, LXDE, e Budgie Desktop. As DEs que ainda não tem suporte são o Patheon (elementary OS), Unity 7 e o Gnome Shell customizado pela Canonical, mas você pode usar por sua conta, ele provavelmente funcionará com alguns detalhes quebrados talvez..

Algumas imagens do tema Plata.





Você tem a opção de compilar o tema e ajustar mais ainda a sua maneira, podendo acessar o GitLab do projeto aqui.

Para instalar o tema, precisamos adicionar o PPA do projeto, vamos utilizar o terminal para colocar 3 comandinhos bem simples. Se você preferir adicionar o PPA de forma gráfica, sem usar o terminal, confira esse artigo do blog.

Primeiro vamos abrir o terminal, podendo ser aberto através da combinação de teclas Ctrl+Alt+T ou procurando por “terminal” no menu da sua distro.

Depois vamos pôr este comando. Você pode simplesmente copiar e colar:

sudo add-apt-repository ppa:tista/plata-theme -y && sudo apt update && sudo apt install plata-theme -y

Feito isso é só esperar a instalação acabar e depois ir na ferramenta de customização da sua distro e mudar o tema.

Ter opções de temas nunca é demais né ? rs.

Espero você até uma próxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ubuntu 18.10 vai ser lançado com versão antiga do Nautilus

Nenhum comentário

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Quando a versão final do Ubuntu 18.04 LTS foi anunciada no começo desse ano (26/04), ele veio trazendo algumas novidades na nova versão do Gnome (3.28), que foi o não suporte a inclusão de ícones na área de trabalho e uma nova versão do gerenciador de arquivos Nautilus (v3.28).

Ubuntu 18.10 vai ser lançado com versão antiga do Nautilus






Isso gerou algumas reclamações na comunidade Linux e assim “forçando”  a Canonical a lançar o novo Ubuntu 18.04 LTS com a versão do Nautilus ainda na ”versão antiga”, a 3.26 que ainda tem suporte nativo a criação de ícones na área de trabalho. 


Parece que a história vai se repetir novamente com a versão 18.10 do Ubuntu.

Os devs querem lançar com a nova versão do Ubuntu, as também versões novas do Gnome e do Nautilus, que seriam respectivamente 3.30 e 3.28 e que não iam oferecer suporte nativo para a criação de ícones na Área de Trabalho.

Mas o pessoal achou melhor “não mexer no time que está ganhando”, estão preferindo manter a versão 3.26 do Nautilus junto com o Gnome 3.30.

Sabendo que os ícones na área de trabalho são “populares”, o dev Carlos Soriano da Red Hat está trabalhando em uma extensão do GNOME SHELL para quando acontecer a mudança de fato, os usuários possam habilitar novamente essa opção do ícones. Por hora o projeto está em Beta. 

Os devs do Ubuntu estão observando que essa extensão que habilita os ícones na área de trabalho está bem completa e “redondinha”, mas que ainda não está pronta para adoção no sistema. Ainda preferem manter como está, com a versão 3.26 do Nautilus.

Houve recentemente o anúncio da versão 3.30 do GNOME, que deverá sair em Setembro., essa versão traria também a nova versão do Nautilus (3.30), comentamos mais neste artigo.

Muito provavelmente será possível instalar a nova versão do Nautilus (3.30) no Ubuntu 18.10 como um aplicativo Flatpak através do repositório GNOME e assim podendo ter as duas versões no sistema, de forma a poder experimentar as novidades do gerenciador de arquivos novo do Gnome. 

Lembrando que o Nautilus Flatpak pode não ter uma integração “perfeita” ao desktop do Ubuntu.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


O que são GUI e DE? Quais suas diferenças?

Nenhum comentário

terça-feira, 17 de julho de 2018

Uma das dúvidas e confusões de quem está iniciando no mundo Linux: Qual a diferença entre Interface Gráfica e desktop environment? Se você usa Linux há muito tempo e possui essa dúvida, não se sinta mal, o importante é que vamos conferir essa diferença agora mesmo!



A interface gráfica ou GUI (graphical user interface) em um sistema operacional, é uma aplicação, uma das partes do sistema operacional, já o DE (desktop environment), é algo mais abrangente que engloba por exemplo, até mesmo a própria interface gráfica. O desktop environment é composto de várias aplicações e não somente da interface. A interface é uma das aplicações que acompanham o desktop environment e a interface gráfica é basicamente o que você vê na tela do seu sistema operacional.

Podemos usar como exemplo o projeto KDE, que é responsável por gerenciar várias aplicações diferentes, desde aplicações como calculadora, calendário, o nosso querido Kdenlive, utilizado para editar os vídeos do canal e é claro a interface gráfica KDE Plasma, ou somente "Plasma", como os próprios desenvolvedores do KDE convencionaram chamar. Sendo assim, o desktop environment KDE é composto do Plasma juntamente com outras ferramentas desenvolvidas pelo projeto KDE. 

Apesar de usarmos o KDE como exemplo, o mesmo vale para, virtualmente, qualquer outro projeto. Além disso, você pode utilizar uma interface gráfica, mas com aplicações de projetos diferentes. Uma prova disso, é utilizar uma distro como o Linux Mint, com a interface Cinnamon, mas com aplicações GNOME, como o Monitor do Sistema, ou seja, você usa parte de um desktop enviroment em uma distro cujo ambiente gráfico corresponde a outro diferente.

Nesse vídeo no canal, discutimos com vários exemplos a diferença entre interface gráfica e desktop environment no Linux e vale muito a pena conferir.


Espero que este post e vídeo tenham lhe ajudado :)

Até mais!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


GNOME está removendo a função de abrir aplicativos dando dois cliques no Nautilus

Nenhum comentário

quinta-feira, 17 de maio de 2018

O GNOME vem removendo vários funcionalidades do chamado "Desktop tradicional" nos últimos tempos. Além da área de trabalho em si, agora o gestor de arquivos Nautilus não poderá mais manusear aplicativos, permitindo que ele sejam abertos pelos usuários dando dois cliques com o mouse.

Nautilus GNOME






A mudança deverá ser incorporada nas próximas versão do GNOME Desktop onde o Nautilus não será mais capaz de abrir arquivos binários de software e scripts à partir do gestor de arquivos.

Essa medida afeta, por exemplo:

- Arquivos .bin;
- Arquivos .run;
- AppImages;
- Atalhos de programas;
- Shell Scripts, entre outros.

A ideia por trás do projeto consiste em tentar aumentar a segurança dos usuários que não poderão rodar aplicativos de fora da loja de uma forma tão simples. Ainda será possível rodar qualquer aplicativo binário (como os AppImages) através do terminal por exemplo, ou utilizando outro gestor de arquivo.

O que você acha dessa medida?

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como usar o GNOME Shell Vanilla no Ubuntu 18.04 LTS

Nenhum comentário

terça-feira, 1 de maio de 2018

O GNOME Shell do Ubuntu 18.04 LTS funciona de forma diferente do GNOME "puro", por assim dizer. O que fez muitas pessoas que gostavam de usar o Ubuntu GNOME, versão que foi descontinuada, torcessem um pouco o nariz para as modificações da Canonical. Mas para você que não gosta do visual e funcionalidade padrão do GNOME no Ubuntu, este tutorial vai ensinar você a instalar uma sessão com o GNOME Vanilla para a sua utilização.

Ubuntu GNOME Vanilla 18.04 LTS






Ao habilitar a sessão padrão do GNOME Shell no Ubuntu 18.04 LTS você deixará de lado o tema padrão do Ubuntu (Ambiance, Radiance, Ubuntu mono Dark e Ubuntu mono Light), deixará de lado também a extensão Ubuntu Dock e a Ubuntu Appindicators, a Área de trabalho também deixará de ser ativa por padrão e outra coisa que você perceberá é que o GNOME padrão possui apenas o botão de "Fechar" nas janelas.

Para habilitar a sessão GNOME Vanilla no Ubuntu você deve rodar este comando no terminal:
sudo apt install gnome-session
Ao fazer a instalação você deve reiniciar o computador (encerrar a sessão não funcionou para mim), ao voltar da reinicialização, na tela de login clique no ícone da engrenagem e selecione a opção GNOME (que vai rodar com Wayland) ou "GNOME on Xorg", conforme você desejar, depois basta digitar a sua senha e se logar no sistema. 

GNOME Shell Vanilla no Ubuntu 18.04 LTS


Caso você tenha algum problema com o tema de ícones Adwaita do GNOME pode ser que tenha um pacote esteja faltando, neste caso:
 sudo apt install adwaita-icon-theme-full
Caso você queira voltar ao Ubuntu "normal" basta voltar até a tela de login e selecionar "Ubuntu" novamente.

Se você quiser ir um pouco além de simplesmente mudar a sessão e instalar mais pacotes de software padrão do GNOME, este comando vai instalar o GNOME Maps, Gnome Metereologia, Polari, GNOME Documents, Gnome Fotos e o Gnome Música:


sudo apt install gnome-maps gnome-weather polari gnome-documents gnome-photos gnome-music
Aproveite a nova experiência!

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como instalar Extensões do GNOME Shell no Ubuntu

Nenhum comentário

domingo, 29 de abril de 2018

Com a chegada do Ubuntu 18.04 LTS com o GNOME Shell a possibilidade de estender as funcionalidades da interface através de extensões começou a chamar a atenção das pessoas, especialmente as que estão tendo contato com o GNOME somente agora por conta do Ubuntu. Atendendo a pedidos de alguns leitores que não conseguiram instalar as extensões no novo Ubuntu, vamos aqui fazer uma apanhado de como isso funciona.

Como instalar extensões do GNOME no Ubuntu






As distros que usam GNOME como padrão, como é o caso do Ubuntu agora, já tem suporte nativo às extensões via GNOME Software. Para instalar uma extensão você pode acessar o GNOME Software, na sessão "Complementos" e clicar na aba "Extensões de Shell":

GNOME Shell Extensions no Ubuntu

Através dessa sessão (imagem acima) você poderá instalar extensões, existe também um botão "Configurações de Extensão", que permite que você ative e desative as extensões, exceto as que são nativas do Ubuntu, a Ubuntu Appindicators e a Ubuntu Dock.

Para pesquisar por uma extensão você pode usar o próprio campo de busca da GNOME Software ou até mesmo pesquisando através da Dash do GNOME Shell.

GNOME Shell Extensions no Ubuntu

Ao encontrar a extensão desejada, basta clicar em instalar e uma janela de diálogo deste tipo deve se abrir:

GNOME Shell Extensions no Ubuntu

Uma vez instalada a extensão, quando for uma extensão que permite configuração, como a Dash to Dock do exemplo, haverá a opção de configurá-la diretamente pela GNOME Software também.

GNOME Software Extensions

Gerenciado extensões através do site do GNOME


Outra forma muito comum de gerenciar extensões no GNOME Shell é através do extensions.gnome.org, o repositório online que permite que você instale, remova e configure as extensões disponíveis para o Shell, no entanto, para que o Ubuntu consiga fazer a conexão com o site e instalar as extensões à partir de lá você deve ter um pacote específico instalado, o pacote em questão é o: chrome-gnome-shell

Você pode instalar o pacote usando o comando:
sudo apt install chrome-gnome-shell
É possível instalar extensões para os navegadores também para facilitar a integração, aqui você encontra a extensão para o Firefox e aqui par ao Chrome/Chromium. Assim você pode gerenciar as extensões facilmente como no exemplo abaixo:


Com isso você já vai conseguir fazer as suas customizações no Ubuntu 18.04 LTS.


Extensões são complementos da comunidade GNOME, não são oficiais ou suportadas pelo projeto núcleo, de modo de alguma extensões podem causar instabilidade ou aumento no consumo de RAM por exemplo, fique ligado para não prejudicar a performance do seu sistema por conta de alguma extensão não plenamente compatível.


Uma dica extra que pode ser útil em caso de "dar m%rd@" com o seu GNOME Shell no Ubuntu é esta dica para você aprender a resetar as configurações para o padrão caso necessário.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


GNOME 3.28 melhorará a sua performance com a ajuda da Canonical

Nenhum comentário

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Desde que a Canonical anunciou o abandono do Unity em prol do GNOME Shell como interface principal do Ubuntu que muito vem se especulando em como a empresa ajudará a comunidade. Lembramos que quando a decisão foi tomada, a GNOME Foundation deu uma calorosa "boas vindas" à empresa de Mark Shuttleworth. 

Ubuntu ajudará a melhorar o GNOME 3.28







O  lançamento da nova LTS do Ubuntu estará disponível em breve para o público e alguns detalhes no entorno do GNOME ainda precisam ser ajustados, para tornar esta versão de longo suporte mais estável e polida.

Daniel van Vugt, um dos desenvolvedores da Canonical, anunciou uma serie de bug fixes que deverão ser incorporados ao GNOME 3.28 (a versão que virá com o Ubuntu 18.04 LTS), incluindo a correção para o problema de leak de RAM, que relatamos aqui no blog há algumas semanas e outras melhorias que deverão impactar positivamente a performance do GNOME Shell.

Uma das melhorias esperadas será no compositor de janelas Mutter, a nova versão será mais eficiente ao exibir as animações, transições e efeitos do sistema.

Alguns usuários do Arch Linux já fizeram alguns testes e a diferença é notável:


As otimizações também devem impactar na forma com que o GNOME Shell trata o caching de GPU, deixando o processador com menos carga também, o que gera o resultado de maior eficiência do ambiente gráfico no hardware.

As correções feitas pela Canonical devem ser adicionadas ao GNOME Vanilla, o que vai ajudar outras distros que trabalham com o Shell automaticamente.

Vamos aguardar as novidades para vermos  se as implementações realmente farão uma boa diferença no Ubuntu e nos demais sistemas que usam o GNOME Shell como interface.

Tudo indica que o novo Ubuntu será lançado no dia 26, então não vamos precisar esperar muito! :)

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Lançado Beta 2 do Ubuntu 18.04 (Bionic Beaver), baixe agora!

Nenhum comentário

sexta-feira, 6 de abril de 2018

No dia de hoje (06/04) a Canonical lançou de forma oficial, a versão final do seu segundo Beta do novo Ubuntu 18.04 LTS que vinha ao longo dos últimos meses tendo um polimento em sua interface (o GNOME Shell) e a correção de bugs reportados pelos usuários, também foi liberado esse segundo Beta para os flavours (sabores) do Ubuntu, como KDE, MATE, XFCE, etc.

Lançado Beta 2 do Ubuntu 18.04 (Bionic Beaver)  já pode ser baixado






Na sétima versão LTS do sistema operacional da Canonical, temos algumas novidades com o Gnome 3.28, a última versão do gerenciador de arquivos Nautilus e a instalação "Minimal". Não faz muito tempo em que a equipe da Canonical colocou o novo Ubuntu em fase de "congelamento".

Outras Novidades vindas com o novo Ubuntu


Abaixo vamos listar algumas das principais novidades que virão na nova versão do Ubuntu:

Kernel Linux 4.15 com patches de correção aos problemas de segurança Meltdown e Spectre;

● Xorg como servidor gráfico como padrão;

● Instalação "Minimal";

● Suporte nativo aos emojis coloridos

● Inclusão de atualização de aplicativos populares, como a nova versão do LibreOffice 6;

●  GDM como gerenciador da tela de login do sistema;

●  Facilidade em alternar nas categorias dos aplicativos Snaps no Ubuntu Software;

● GNOME 3.28;

●  Utilitarios do Sistema Operacional, como por exemplo a Calculadora e o Monitor de Sistema, virão no formato Snap.

Dos outros "Flavours" do Ubuntu, os únicos que liberaram junto com a Canonical essa nova versão, foram o pessoal do Ubuntu Bundgie, Ubuntu MATE e o Xubuntu.

A versão final do Ubuntu 18.04 LTS (Bionic Beaver) será lançada no dia 26 de abril de 2018. Para baixar o Beta 2 basta clicar neste link.

E você o que espera da nova versão do Ubuntu? Conte-nos aí nos comentários. =)

 Até uma próxima e um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Confirmado: GNOME Shell realmente sofre "Leaks de RAM'

Nenhum comentário

sábado, 24 de março de 2018

Um dos ambientes gráficos mais populares do mundo Linux tem um problema sério e que afeta todas as distribuições Linux que o utilizam. Felizmente este problema não afeta a segurança do sistemas, mas pode se tornar muito inconveniente, especialmente em computadores com menos memória RAM disponível.

Problemas de memória RAM





Com o "abraço" do Ubuntu ao GNOME novamente, muito mais olhos passaram a observar o projeto que já contava com o apoio de praticamente todas as principais distros. Quando eu fiz um vídeo sobre o consumo de RAM no GNOME eu estava pensando que era um caso exclusivo do Ubuntu, mas aparentemente eu estava enganado.



O problema na verdade afeta o GNOME em si e está sendo reportado por diversas pessoas ao redor do mundo provindas de comunidades de distros Linux diferentes.

O problema


Um "leak de RAM", ou "vazamento de memória", no sentido de que está sendo relatado como bug no GNOME acontece quando um processo em execução começa a consumir agressivamente memória RAM de forma arbitrária e sem necessidade.

No caso do GNOME o problema é com o GNOME Shell em específico, ou seja, a interface. Nos experimentos realizados o simples fato de ficar abrindo e fechando janelas no Shell ou mudando a forma de visão de "desktop" para "overview" acaba elevando pouco a pouco o consumo de RAM de forma indefinida.

Um usuário de Fedora fez a demonstração para que possamos entender melhor. Observe no vídeo o consumo no "Monitor do Sistema".


Claro, o nosso amigo do vídeo acima está mostrando a versão 3.26 do GNOME Shell em execução, sendo que a versão mais recente (e que virá com o Ubuntu 18.04 LTS) é a versão 3.28. A má notícia é que o problema ainda não foi corrigido e o sistema virá com esse "bug de fábrica" muito provavelmente.

A gambiarra


Bom, visto que o problema ainda não tem solução e foi confirmado pelo nosso amigo Georges Neto, desenvolvedor da Endless e do GNOME que já nos concedeu uma entrevista inclusive, a única solução temporária é fazer um "reset" da interface para que a memória seja liberada de forma manual.

Para isso basta recarregar a interface, pressione "Alt+F2" e na janela que se abrir digite a letra "r", após isso pressionar "enter", isso deverá fazer com que o Shell se reinicie limpando a memória.

Obviamente o problema deverá ser corrigido com o tempo, o caso é que o pessoal do GNOME ainda não conseguiu identificar qual é o problema que está causando esse "leak", então pode demorar um pouco.

Conte pra gente, você está sofrendo com este tipo de problema?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Lançado GNOME 3.28 com vários polimentos visuais

Nenhum comentário

quinta-feira, 15 de março de 2018

Finalmente a versão 3.28 do GNOME foi disponibilizada ao público. Tivemos várias melhorias e polimentos visuais nesta versão, assim como a adição de alguns softwares ao ecossistema GNOME.

GNOME 3.28 novidades






Depois de praticamente 6 meses de desenvolvimento e muito trabalho, a comunidade GNOME anunciou a versão 3.28 cheia de melhorias e alguns novos recursos.

Com o codinome "Chongqing", nome provindo da "GNOME.Asia summit", que foi feita na China no último Outubro, o novo GNOME deverá chegar às distros mais populares nos próximos dias e provavelmente será a versão que acompanhará a nova versão LTS do Ubuntu que sai em meados de Abril.

Uma das novidades mais interessante está no virtualizador GNOME Boxes, que agora é capaz de fazer o download de sistemas operacionais pelo próprio aplicativo, facilitando o trabalho de quem quer testar outras distros.

Confira o vídeo do projeto GNOME mostrando as principais novidades:


Outros destaques incluem melhorias no aplicativo de Calendário e de Contatos. Outro coisa interessante no Nautilus é que agora é possível marcar pastas e arquivos com uma "estrela', permitindo um fácil acesso através da lateral do gestor de arquivos. Como se fosse "favoritar" os seus arquivos.

Houveram melhorias também no suporte para conexões Thunderbold 3 e Bluetooth. Houve um polimento das fontes da interface para que melhorar na leitura, assim como uma melhoria no suporte para o teclado virtual em telas sensíveis ao toque.

Você pode conferir todas as pequenas mudanças nas notas de lançamento do GNOME 3.28. Dentre os pontos controversos que esta versão traz, temos a extinção da Área de Trabalho ativa, como comentando neste outro artigo.

Um novo software que também merece destaque e é estreante na família GNOME é o "Usage", que nós mostramos para você aqui. Ele é um novo software para visualizar o consumo de hardware do sistema.

O que você achou dessa nova versão? Já está utilizando?

Comente logo abaixo. :)

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Desligue os efeitos do GNOME Shell para deixar o ambiente mais leve

Nenhum comentário

quarta-feira, 14 de março de 2018

Infelizmente não podemos dizer que o GNOME Shell seja uma interface "leve". As distros que o utilizam como ambiente gráfico costumam consumir uma certa quantia de memória RAM, mas principalmente, o ambiente gráfico exige aceleração gráfica, o que pode torná-lo pesado para computadores menos potentes. Veja agora como você pode desligar os efeitos da interface para deixá-la mais leve.

Desabilitar os efeitos no GNOME Shell






Eu sei que "leve" e "pesado" são conceitos debatíveis, por isso eu fiz um vídeo para explicar para você "o que é um programa pesado", confira:



Dito isso, essa dica serve para qualquer distribuição Linux que use o GNOME Shell como interface, neste exemplo vou utilizar o Ubuntu 18.04 LTS. A mudança comentada neste artigo afetará simplesmente o consumo do seu chip gráfico, não afetando o consumo de RAM.

Instale o GNOME Tweak Tool


O primeiro passo para desligar os efeitos da interface é instalar a ferramenta de configuração GNOME Tweak Tool, ou simplesmente "Ajustes", como ficou na tradução para o Português. Você encontra essa ferramenta na loja de aplicativos (GNOME Software), se precisar de mais instruções veja este outro artigo do blog onde nós mostramos como instalar a ferramenta.

Removendo os efeitos


O GNOME Shell sem os efeitos fica bem "seco", por assim dizer, mas acho que é essa a ideia mesmo, não? Para remover os efeitos, abra o GNOME Tweak Tool e na sessão "Aparência" simplesmente deslize o interruptor para desligar os efeitos da interface, a mudança é instantânea:

Configuração de efeitos no GNOME Shell
Mova o interruptor de "Animações" para a esquerda.

Ao fazer um essa mudança em um computador com 4 GB de RAM e uma Intel HD Graphics a usabilidade do computador melhorou consideravelmente, vale a pena fazer o teste.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


GNOME Tweak Tool (GNOME Tweaks) no Ubuntu - Principais opções de configuração

Nenhum comentário

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

O ambiente GNOME é um dos mais completos e populares do mundo Open Source, sendo parte de muitas das principais distribuições Linux, como Red Hat, Fedora, Debian e mais recentemente, o Ubuntu. Com um ecossistema tão completo e complexo, é interessante ter uma ferramenta que permita que você faça ajustes no sistema para mudar o seu comportamento de forma simples; pois bem, a ferramenta ideal para isso é o GNOME Tweaks.

GNOME Tweak Tool - GNOME Tweaks Ubuntu






O GNOME Tweak Tool, também referenciado nos repositórios como Gnome Tweaks ("Ajustes" em português) é a ferramenta mais completa para configurar e ajustar o ambiente GNOME Shell.

Opções e configurações no GNOME Tweak Tool


Com o GNOME Tweak Tool você pode configurar o tema do ambiente gráfico, e por consequência da distro em si. Você pode alterar as configurações do Desktop, como ícones presentes ou não, manusear extensões do Shell, configurar fontes, atalhos do teclado, gerenciamento de energia, aplicações que iniciam com o sistema, formatos de data e hora, ícones da janelas, animações e até as múltiplas áreas de trabalho virtuais.

Como instalar o GNOME Tweak Tool no Ubuntu


O GNOME Tweak Tool está disponível na GNOME Software, a central de programas do Ubuntu (e de todas as distros que usam GNOME Shell como interface praticamente), então, é muito fácil instalar a ferramenta, basta pesquisar por ela na loja e instalar:

GNOME Tweak Tool

Essa dica vale para qualquer distro que possua a GNOME Software, não somente o Ubuntu.

Instalação do GNOME Tweak Tool via Terminal no Ubuntu


Obviamente você pode instalar o GNOME Tweak Tool no Ubuntu através do terminal, basta digitar (ou copiar e colar) o seguinte comando:
sudo apt install gnome-tweak-tool
ou você pode digitar:
sudo apt install gnome-tweaks
GNOME Tweak Tool no Ubuntu

Aguarde a instalação e após a conclusão você deverá encontrar a ferramenta no menu do sistema. Se você usa o sistema em Português do Brasil, basta digitar "Ajustes".

Principais recursos da ferramenta


Definindo de forma simples, o GNOME Tweaks (ou GNOME Tweak Tool) é uma ferramenta de ajustes, então você vai encontrar primariamente opções que podem modificar o visual ou a forma com que você interage com o sistema.

GNOME Tweak Tool - Temas (Themes)

Uma das principais utilidades e mais populares entre os usuários do GNOME Tweaks é a ferramenta de manipulação de temas, tanto que ela é a primeira aba da aplicação:

GNOME Tweaks Themes

Nesta opção você consegue alterar o tema GTK, o tema do cursor do mouse, o tema de ícones e até o tema do Shell em si, no entanto, para mudar o tema do GNOME Shell você precisa (geralmente) instalar uma extensão para poder carregar temas à partir do diretório do usuário.

Obs: Algumas distros já incluem esta extensão (chamada de "user themes") ativada por padrão.

Outra opção interessante que existe aqui é o botão de liga/desliga das Animações do sistema, desabilitar essa opção pode otimizar o desempenho da interface em máquinas com menor desempenho.

GNOME Tweak Tool - Extensões

Outra opção muito útil e interessante do GNOME Tweaks é a sessão de extensões. As extensões, assim como o nome sugere, estendem as funcionalidades do GNOME Shell, muitas vezes deixando ele mais utilizável e prático, dependendo das suas necessidades.

Neste vídeo, eu mostrei quais são as minhas extensões para o GNOME Shell favoritas, confira:



As extensões são conseguidas através do site extensions.gnome.org geralmente, mas você também as encontra na própria GNOME Software. Eu até já fiz uma lista com as minhas 7 extensões para o GNOME Shell favoritas.

Explore as funcionalidades do GNOME Tweaks


Existem muitíssimas funcionalidades que você pode alterar pelo GNOME Tweak Tool, então experimente, mexa, configure e altere até deixar o sistema do jeito que você preferir, se você "zoar a história toda", há uma forma relativamente simples de resetar o GNOME do seu Ubuntu para os padrões de fábrica e desfazer todas as alterações, eu já escrevi um tutorial para te ensinar a fazer isso, clique aqui para conferir.

Se você é um usuário de GNOME, o Tweak Tool é certamente um parceiro e tanto para o seu dia a dia, especialmente se você gosta de customizar o sistema com alguns dos temas que nós mostramos aqui, sejam temas GTK ou temas de ícones, e é claro, as extensões.

Se este artigo foi útil para você, nos "pague" compartilhando o conteúdo para os seus amigos. :)

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo