Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador Nautilus. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Nautilus. Mostrar todas as postagens

Como instalar o Nemo no lugar do Nautilus no Ubuntu?

Nenhum comentário

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

O Nemo é o gestor de arquivos do ambiente gráfico Cinnamon, mas ele pode ser utilizado em outros ambientes também com alguns poucos ajustes. Hoje você irá aprender a substituir o Nautilus pelo Nemo no Ubuntu (GNOME).

Nemo no lugar no Nautilus







Apesar do Nautilus ser um excelente gestor de arquivos, o Nemo pode ser uma boa alternativa para quem quer um gestor de arquivos com mais opções de configuração e suporte para a área de trabalho.

Como instalar o Nemo no Ubuntu?


O Nemo está no repositório oficial do Ubuntu, basta procurar na loja de aplicativos e fazer a instalação normalmente, se preferir fazer pelo terminal, rode o comando:
sudo apt install nemo

Como tornar o Nemo o gestor de arquivos padrão do GNOME? 


Depois de instalado, você já vai poder usar o Nemo, basta buscá-lo no menu de aplicativos, porém, como ele não é gestor de arquivos padrão, ao inserir um pen drive, abrir uma pasta, ou qualquer coisa do tipo, não será ele a aplicação utilizada.

Para tornar o Nemo o gestor de arquivos padrão do Ubuntu no lugar do Nautilus basta rodar este comando no terminal:
xdg-mime default nemo.desktop inode/directory application/x-gnome-saved-search

Quer usar o Nemo para gerir o seu desktop? 


O Nautilus não é nada bom para gerir ícones na área de trabalho e por isso muita gente deixou de utilizar o recurso, ao menos de forma mais intensa, entretanto, se você gosta de criar atalhos e gerir ícones na área de trabalho, o Nemo será uma das melhores opções.

Em versões mais recentes do GNOME, o Desktop já não é ativo por padrão, ainda assim, vamos garantir que ele esteja desativado. Basta rodar o seguinte comando no terminal:
gsettings set org.gnome.desktop.background show-desktop-icons false
O próximo passo é rodar o processo "nemo-desktop", para isso, pressione "Alt+F2" e digite:
nemo-desktop 

Como fazer o Nemo gerir o seu desktop na inicialização do sistema? 


Rodar o "nemo-desktop" faz com que o desktop fique ativo somente na sua sessão atual, para que o Nemo gerencie o seu Desktop sempre, você precisa adicionar esse processo à inicialização do sistema. Para isso, abra o menu do Ubuntu e pesquise por "Aplicativos de inicialização" e adicione o Nemo, conforme a imagem abaixo:

Como ativar o suporte ao Nemo no Desktop GNOME

Com isso você terá o Nemo como gestor de arquivos padrão no seu Ubuntu.

💡 Dica: Apesar de você não estar mais usando o Nautilus, evite remover a aplicação do sistema, ela geralmente está atrelada a diversos outros componentes do desktop GNOME e isso poderia lhe causar problemas.

Como desfazer as modificações?


Não gostou das modificações ou enjoou do Nemo? Então vamos deixar tudo de volta ao "normal", padrão do Ubuntu.

O primeiro passo é voltar o Nautilus como gestor padrão através deste comando:
xdg-mime default nautilus.desktop inode/directory application/x-gnome-saved-search
Depois disso, coloque o Nautilus novamente em condição para gerir a sua Área de Trabalho:
gsettings set org.gnome.desktop.background show-desktop-icons true
Por último, você pode remover o Nemo:
sudo apt remove nemo 
É possível remover a aplicação pela loja de aplicativos também, e só para deixar as coisas em ordem, vá até o "Aplicativos de inicialização" e remova a entrada que você tinha adicionado para o Nemo. 

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Canonical libera a versão final do Ubuntu 18.10 (Cosmic Cuttlefish)

Nenhum comentário
Foi lançado nesta Quinta-feira (18), a versão final do Ubuntu 18.10 depois de longos 6 meses em desenvolvimento pela Canonical e assim sendo liberado o download para todos. O anúncio foi feito no blog oficial da Canonical.

Canonical libera a versão final do Ubuntu 18.10 (Cosmic Cuttlefish)






Como mencionamos em outros artigos aqui do blog, o novo Ubuntu viria com várias novidades e melhorias em relação ao Ubuntu 18.04 LTS.

Essa nova versão também está disponível na versão para servidores, Ubuntu Server 18.10 e que também trouxe algumas atualizações e melhorias de alguns programas e ferramentas.

Vale lembrar que essa versão do Ubuntu só terá suporte por 9 meses, acabando em Julho de 2019.

As principais novidades no Ubuntu 18.10 são:






- Driver NVIDIA mais recente da geração 390.XX

- Mesa Driver com a versão mais recente da geração 18.X.X

- Correção do problema do Leak de memória com o Gnome.

Além dessas novidades, manteve algumas coisas do Ubuntu 18.04 que comentamos nesse artigo.

As outras melhorias e upgrades de programas implementados nessa versão foram:

● OpenSSL 1.1.1 (biblioteca de comunicação segura que utiliza o protocolo TLS);

● Kernel 4.18 incluindo suporte para às GPUs  AMD Radeon RX Vega M, suporte completo ao Raspberry Pi 3B e 3B+, Qualcomm Snapdragon 845, muitos melhoramentos para às saídas USB 3.2 e Type-C, Intel Cannonlake graphics.

● Atualizações das ferramentas glibc 2.28, OpenJDK 11, boost 1.67, rustc 1.28, and updated GCC 8.2, python 3.6.7 as default, python 3.7.1 as supported, ruby 2.5.1, php 7.2.10, perl 5.26.2, golang 1.10.4.

Para a versão de Desktop tivemos algumas novidades, como o suporte do VeraCypt no Gnome Discos, melhorias no shell para melhorar o cache da memória RAM das GPUs e assim aumentar os FPS, bibliotecas para leitores digitais agora como principais.

Já na versão Server houve o upgrade de programas importantes, como o qemu para a versão 2.12, libvirt para a versão 4.6, Open vSwitch para a versão 2.10, cloud-init versão 18.4 e o curtin para a versão 18.1.59.

Também foram atualizados o Firefox que agora vai com a versão 63, o LibreOffice está indo com a versão 6.1.2 entre outros aplicativos.

Para conferir a nota completa, acesse a Wiki do Ubuntu.

Flavours também foram lançadas

As flavours (ou sabores) do Ubuntu, também receberam a versão 18.10 e somente o Lubuntu e o Xubuntu mantiveram versões para 32 bits, ao que tudo indica, pela primeira vez.

Para baixar as imagens ISOs das flavours, basta clicar nos respectivos nomes.

Para baixar o Ubuntu 18.10 basta acessar o site oficial dele. E se você quiser saber o que achamos dele, basta ver a nossa review abaixo, ficou bem bacana.

       

Nos testes que eu fiz (Ricardo) em um notebook antigo da Lenovo com um Core i5-3230M (2,60 GHz; 3 MB Cache) de terceira geração, com Intel Graphics HD 3000 e 12GB de memória RAM (DDR3 1600Mhz e não tão novas assim rs) o novo Ubuntu se saiu muito bem e não apresentou travamentos e nem nada do tipo. E detalhe, esse notebook tem tela sensível ao toque e o Ubuntu se comporta muito bem obrigado. Me surpreendeu essa nova versão do Ubuntu.

Agora nós diga aí nos comentários se você já está usando o novo Ubuntu e o que está achando dele.

Espero você até uma próxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ubuntu 18.10 vai ser lançado com versão antiga do Nautilus

Nenhum comentário

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Quando a versão final do Ubuntu 18.04 LTS foi anunciada no começo desse ano (26/04), ele veio trazendo algumas novidades na nova versão do Gnome (3.28), que foi o não suporte a inclusão de ícones na área de trabalho e uma nova versão do gerenciador de arquivos Nautilus (v3.28).

Ubuntu 18.10 vai ser lançado com versão antiga do Nautilus






Isso gerou algumas reclamações na comunidade Linux e assim “forçando”  a Canonical a lançar o novo Ubuntu 18.04 LTS com a versão do Nautilus ainda na ”versão antiga”, a 3.26 que ainda tem suporte nativo a criação de ícones na área de trabalho. 


Parece que a história vai se repetir novamente com a versão 18.10 do Ubuntu.

Os devs querem lançar com a nova versão do Ubuntu, as também versões novas do Gnome e do Nautilus, que seriam respectivamente 3.30 e 3.28 e que não iam oferecer suporte nativo para a criação de ícones na Área de Trabalho.

Mas o pessoal achou melhor “não mexer no time que está ganhando”, estão preferindo manter a versão 3.26 do Nautilus junto com o Gnome 3.30.

Sabendo que os ícones na área de trabalho são “populares”, o dev Carlos Soriano da Red Hat está trabalhando em uma extensão do GNOME SHELL para quando acontecer a mudança de fato, os usuários possam habilitar novamente essa opção do ícones. Por hora o projeto está em Beta. 

Os devs do Ubuntu estão observando que essa extensão que habilita os ícones na área de trabalho está bem completa e “redondinha”, mas que ainda não está pronta para adoção no sistema. Ainda preferem manter como está, com a versão 3.26 do Nautilus.

Houve recentemente o anúncio da versão 3.30 do GNOME, que deverá sair em Setembro., essa versão traria também a nova versão do Nautilus (3.30), comentamos mais neste artigo.

Muito provavelmente será possível instalar a nova versão do Nautilus (3.30) no Ubuntu 18.10 como um aplicativo Flatpak através do repositório GNOME e assim podendo ter as duas versões no sistema, de forma a poder experimentar as novidades do gerenciador de arquivos novo do Gnome. 

Lembrando que o Nautilus Flatpak pode não ter uma integração “perfeita” ao desktop do Ubuntu.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


GNOME está removendo a função de abrir aplicativos dando dois cliques no Nautilus

Nenhum comentário

quinta-feira, 17 de maio de 2018

O GNOME vem removendo vários funcionalidades do chamado "Desktop tradicional" nos últimos tempos. Além da área de trabalho em si, agora o gestor de arquivos Nautilus não poderá mais manusear aplicativos, permitindo que ele sejam abertos pelos usuários dando dois cliques com o mouse.

Nautilus GNOME






A mudança deverá ser incorporada nas próximas versão do GNOME Desktop onde o Nautilus não será mais capaz de abrir arquivos binários de software e scripts à partir do gestor de arquivos.

Essa medida afeta, por exemplo:

- Arquivos .bin;
- Arquivos .run;
- AppImages;
- Atalhos de programas;
- Shell Scripts, entre outros.

A ideia por trás do projeto consiste em tentar aumentar a segurança dos usuários que não poderão rodar aplicativos de fora da loja de uma forma tão simples. Ainda será possível rodar qualquer aplicativo binário (como os AppImages) através do terminal por exemplo, ou utilizando outro gestor de arquivo.

O que você acha dessa medida?

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como adicionar o ícone da Lixeira na Ubuntu Dock do Ubuntu 18.04 LTS

Nenhum comentário

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Pode me chamar de detalhista, mas eu não me agradei com o ícone da Lixeira na Área de Trabalho do Ubuntu 18.04 LTS com GNOME. A vantagem dos sistemas abertos é que nós podemos alterar as suas propriedades para que eles trabalhem exatamente como nós queremos. Hoje você vai aprender a colocar o ícone da lixeira na barra lateral do Ubuntu, assim como tínhamos no Unity.

Como adicionar a lixeira no Ubuntu Dock






Eu gosto da ideia de ter a lixeira atrelada à Dock do Ubuntu como era no Unity, é assim no macOS também e funciona muito bem. O método que eu vou te ensinar não é perfeito, mas quebra esse galho, particularmente acho melhor a lixeira ali do que na área de trabalho, e vou além, melhor sem lixeira do que tê-la assim na área de trabalho. 

Mas claro, isso é questão de gosto.

A ideia é deixar a Ubuntu Dock assim:

Ubuntu Dock com Lixeira

Como você deve ter reparado o lançador de Apps, que por padrão fica na parte inferior da barra, foi movido para cima, o ícone diferenciado dele se deve ao tema "Communitheme" instalado no GNOME Shell do Ubuntu (este que será o futuro tema oficial do sistema, inclusive). 

Não que isso seja necessário para fazer este tutorial envolvendo a lixeira, mas se você quiser mover o seu menu para a parte superior da barra, confira o artigo "7 coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 18.04 LTS" e conheça o truque por lá.

Para adicionar a lixeira na Dock nós vamos criar um ícone de atalho, assim você poderá adicioná-lo aos seus favoritos, fazendo com que a lixeira fique na Dock.

Abra o editor de textos Gedit e coloque este código:

Ubuntu Dock

O código é o seguinte:

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Name=Lixeira
Comment=Só porque eu quero mesmo!
Exec=gvfs-open trash:/// 
Icon=user-trashTerminal=falseCategories=GNOME;

Depois disso basta salvar o arquivo no seguinte diretório dentro da sua home:


.local/share/applications


Dica: Pressione Ctrl+H para exibir os arquivos ocultos na hora de salvar e salve com o nome trashcan.desktop

Depois disso, em tese, você já deve ser capaz de encontrar a lixeira no menu do GNOME, aí é só arrastar ela para a barra na posição que você quiser:

Lixeira no Ubuntu

Caso o ícone não apareça de imediato, aguarde alguns segundos até que a indexação de novos ícones aconteça. Para agilizar este processo você pode encerrar a sua sessão e logar novamente ou reiniciar o gnome-shell, pressionando Alt+F2, digitando a letra "R" e pressionando "enter", mas atenção, este recurso funciona apenas na sessão principal do Ubuntu com X.org, se você estiver usando Wayland ele não vai funcionar.

E assim você tem a sua lixeira na barra de tarefas ou dock.

Limitações


Pelo que eu vi, existe um chamado aberto no launchpad da Canonical para adicionar essa função nativamente desde o Ubuntu 17.10. Talvez no futuro tenhamos esta integração. Ao contrário da lixeira no Unity, não existe um menu de contexto para esvaziar a lixeira, você deve clicar nela e esvazia-la à partir do gerenciador de arquivos Nautilus. Você também não consegue arrastar itens da área de trabalho ou pastas para o ícone da lixeira para excluí-los.

Outra limitação é que o ícone não muda caso você esteja com a lixeira cheia ou vazia.

Como eu disse, é um recurso limitado, mas se for parar para pensar, mas ainda assim, ao menos no meu caso, valeu a pena. Para remover a lixeira a área de trabalho você pode usar o GNOME Tweaks para ocultá-la.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Ubuntu 18.04 LTS recebe melhorias visuais de última hora!

Nenhum comentário

sábado, 24 de março de 2018

Depois do Ubuntu 18.04 LTS ter entrado em fase de congelamento, onde geralmente não são incluídos novos recursos ou modificações na interface, deixando os desenvolvedores trabalharem na correção de eventuais bugs, teoricamente não teríamos mais adições ao sistema, mas curiosamente tivemos hoje um implemento visual muito interessante na atualização da Daily Build de, confira:

Novidades do Ubuntu 18.04 LTS






Hoje quando atualizei a minha imagem Beta do Ubuntu 18.04 LTS tive uma grata surpresa. O gerenciador de arquivos Nautilus recebeu um visual novo e mais atrativo, mesmo dentro do tema antigo.

O tema novo do Ubuntu criado pela comunidade, chamado de "Communitheme" não será o padrão da nova LTS por ainda conter bugs que os desenvolvedores não querem trazer para uma versão tão importante e de longo tempo de suporte, talvez por isso, a decisão de alterar um pouco o tradicional tema "Ambiance" do Ubuntu tenha sido tomada, assim temos, pelo menos um pouco, de rejuvenescimento visual.
Nautilus no novo tema
Por conta da decisão da equipe do GNOME de remover o suporte para a área de trabalho no GNOME 3.28, a Canonical decidiu levar para o Ubuntu 18.04 LTS o Nautilus 3.26, para assim manter a sua funcionalidade de gerir arquivos no Desktop.

Desta forma, o que você vê na imagem acima ainda é o mesmo Nautilus da review da versão Beta que nós fizemos, mas com um visual novo e na minha opinião, muito mais interessante do que a versão anterior do Ubuntu.


Acho que ficou bem melhor, não? Mas estas não foram as únicas novidades na atualização, tivemos também a chegada do Wallpaper oficial da versão final do Ubuntu 18.04 LTS Bionic Beaver e finalmente (aleluia inclusive! 😁) tivemos um visual que difere daquele "conceito origami" dos últimos anos.
Novo wallpaper do Ubuntu
O próprio wallpaper pode ser considerado mais uma "volta às raízes" do Ubuntu, que agora, além de trazer o GNOME de volta, também faz essa referência através do Wallpaper.

Se você não estiver entendendo, me refiro ao fato de que antigamente os papéis de parede do Ubuntu tinham sempre um desenho/design que representava o mascote da versão, essa prática tinha sido deixada de lado com a chegada da interface Unity curiosamente.

Ubuntu Wallpapers

Existe uma variação do Wallpaper com as cores do Ubuntu em cinza (mais clara) disponível para utilização também.

Snaps! Snaps! Snaps!


Outra coisa interessante é que ao acessarmos a Central de Aplicativos do sistema veremos uma quantidade imensa de novos aplicativos empacotados em Snap e que estão disponíveis para o Ubuntu (e qualquer outra distro, graças ao formato), sejam eles de código fechado ou aberto.

Parece que a cada dia mais desenvolvedores tem adotado o formato.

Ubuntu Snaps

Essas foram nas novidades dessa atualização, confira o vídeo de review logo acima para saber mais sobre as novidades e continue acompanhando o blog para não perder nada do lançamento do Ubuntu 18.04 LTS.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ubuntu 18.04 LTS vai manter a Área de Trabalho ativa!

Nenhum comentário

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

No dia 6 de Janeiro nós noticiamos aqui no blog sobre a decisão do projeto GNOME em extinguir a pasta de Área de Trabalho com o lançamento do GNOME 3.28, por consequência, os ícones no Desktop deixarão de existir, sem a possibilidade de ativar essa função nativamente. 

Como o Ubuntu agora usa GNOME Shell, teoricamente isso seria passado para a próxima LTS da Canonical, que deverá ser lançada com essa versão do ambiente, mas aparentemente a decisão não agradou a todos e isso será diferente no novo Ubuntu que deve sair em Abril.

Desktop Ubuntu






Com essa mudança proposta pelos desenvolvedores GNOME muitas "caretas" surgiram entre os usuários que gostam de uma Área de Trabalho ativa, ou que acham que isso deveria ser opcional pelo menos, incluindo o pessoal da Canonical, que desenvolve o Ubuntu.

O desenvolvedor do Ubuntu, Didier Roche, comentou sobre o assunto informando as opções disponíveis. Basicamente são duas, enviar o Ubuntu 18.04 LTS com o Nautilis 3.28, sem suporte para o Desktop, ou procurar uma alternativa para manter os ícones.

Conversando com os outros devs e pegando o feedback da comunidade (e observando o histórico do Ubuntu 16.04 LTS, que é a versão de longo suporte atual),  a conclusão que foi chegada é que a presença dos ícones é importante, a mudança dos usuários do 16.04, com Unity, para o 18.04 com GNOME Shell já é grande o suficiente e quebrar mais uma característica inerente ao Desktop tradicional do Ubuntu não seria benefício.

Dito isso, quais são as opções? Bom, são basicamente três:

1 - Usar o Nautilus 3.26 (versão do 17.10 atual) que tem suporte ao Desktop;

2 - Usar o Nautilus 3.28 mas também incluir o Nemo (gestor do Cinnamon, Linux Mint, etc) com o único objetivo de desenhar os ícones na Área de Trabalho;

3 - Usar uma extensão para o GNOME Shell que faça essa função de tornar o Desktop utilizável novamente, o que seria algo parecido com a solução que é possível no elementary OS.

Dentre essas opções a que exigiria menos "gambiarra" é a primeira e ela que será adotada pelo time de desenvolvimento do Ubuntu, ou seja, o Ubuntu 18.04 LTS usará GNOME 3.28 em todas as aplicações, menos no Nautilus, que se manterá na versão 3.26, mantendo assim a Área de Trabalho ativa.

Entrando em contradição?


Não que eu discorde da inclusão de uma Área de Trabalho ativa, não. Mas que eu lembre, quando a mudança para o GNOME Shell foi feita, uma das justificativas era "não precisar adaptar demais" os pacotes da interface em si, lembram?

Tudo bem, é só o Nautilus (por enquanto pelo menos), mas isso vai um pouco contra a ideia original, fazendo aquela mesclagem de versões dos aplicativos, que era justamente o que estava querendo ser evitado.

Talvez seja um "mal" necessário, afinal, é compreensível a preocupação com as pessoas que vem do Ubuntu 16.04 LTS, no entanto, eu não posso deixar de me perguntar: E depois?

Tudo bem, a versão que sai em Abril é uma nova LTS, isso significa que ela terá 5 anos de suporte a atualizações e eles vão poder manter as suas características para os consumidores por um bom tempo. Ainda assim é bom lembrar que, se as coisas manterem-se como tradicionalmente são, em Outubro teremos o Ubuntu 18.10, que por sua vez incluirá novamente o que há de mais recente na tecnologia GNOME, logo, ou teremos mais cedo ou mais tarde um abandono da Área de Trabalho, ou teremos um fork do Nautilus 3.26 que possa manter a área de Trabalho ou ainda a adição de uma extensão que faça esse tipo de trabalho.

Francamente, nenhuma das opções me parece super interessante. Devido a postura atual da empresa por trás do Ubuntu, criar um Fork parece estar fora de cogitação neste momento e mais uma vez iria contra a ideia inicial da migração para o ambiente GNOME. Apesar de que, se a preocupação fosse realmente o usuário de Desktop, isso seria algo a ser considerado.

Talvez no futuro tenhamos uma extensão que traga este recurso, quem sabe?

O que você acha da medida da Canonical e o que você acha do GNOME sem o Desktop? Deixe a sua opinião nos comentários, até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Nautilus 3.22 chegará com novos recursos para o gerenciador de arquivos

Nenhum comentário

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

O futuro lançamento do Nautilus 3.22 trará algumas novidades interessantes para os usuários do Gnome e outras distribuições que utilizem o gerenciador de arquivos. As principais novidades estão ligadas a possibilidade de renomear arquivos em massa nativamente e criar pacotes compactados em formatos diferenciados.

Nautilus 3.22




Carlos Soriano, desenvolvedor do Gnome, comentou em seu blog sobre algumas das novidades previstas. São duas principais:

1 - Renomeação de arquivos em massa nativamente


Existem alguns programas para esta funcionalidade atualmente, mas eles não são uma função nativa do próprio Nautilus,  os usuários poderão esperar isso da versão 3.22.

Renomear arquivos em em massa

Esta é inclusive uma função que existe há muito tempo em outros gerenciadores de arquivos para Linux, como o Thunar do XFCE.

2 - Compressão de arquivos


Certamente você nunca precisou instalar um programa para compactar um arquivo em formato ZIP, por exemplo, mas isso acontece porque o "File Roller", o programa responsável por gerenciar este tipo de arquivo em ambientes Gnome, costuma acompanhar as distribuições, não porque esta é uma funciona nativa do Nautilus, pelo menos até o momento, agora ela será.

Compressão nativa no Nautilus

Estas são as duas que me chamaram a atenção, abaixo você consegue ver uma imagem de como é mostrada a barra de progresso de compressão.

Modo de compressão do Nautilus

Eu gostaria de destacar um outro item que eu achei interessante, o novo Nautilus também terá apresentação de opções para manipulação de pastas e arquivos que normalmente apareceriam somente em menus de contexto, e vez disso uma barra aparece na parte inferior chamada de "Action bar" ou em simplesmente "barra de ações" em Português, veja:

Barra de ações no Nautilus

Parece que depois de simplificar muito as suas funções, o Nautilus começou a ganhar novas features novamente, não é?

O que você achou das novidades? Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Gnome Sushi: Preview de arquivos no Nautilus do Ubuntu

Nenhum comentário

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Descubra agora uma maneira extremamente prática para pré-visualizar arquivos de todos os tipos sem precisar abrir nenhum programa diretamente através do Nautilus.

Gnome-Sushi no Ubuntu

Pré-visualizações de arquivos no Nautilus


Essa é uma funcionalidade realmente interessante, se por um lado andaram "capando" as funcionalidades dos Nautilus nos últimos anos, por outro eu ainda o considero o gerenciador de arquivos mais prático do mundo Linux, muito em parte por conta de suas extensões.

Uma delas é o Gnome Sushi, um plugin que permite que você pré-visualize qualquer arquivo sem precisar abrir ele realmente com um programa, seja arquivo de áudio, vídeo, pdf, arquivos de texto entre outros, todos eles podem ser pré-visualizados através do Sushi.

O Gnome Sushi está na Central de Programas do Ubuntu


E por isso mesmo é muito simples instalá-lo, basta você abrir a Central de Programas e pesquisar por "gnome-sushi", ou clicar no botão abaixo:

Clique para instalar o Gnome Sushi

Depois disso, encerre a sessão ou reinicie o computador para que o programa entre em funcionamento, à partir de então sempre que quiser pré-visualizar um arquivo clique nele e aperte a tecla ESPAÇO para ver o arquivo.

É bom lembrar que o Gnome-Sushi está presente na maioria dos sistemas Linux em seus repositórios oficiais mas ele só funciona no Nautilus de modo que instalar no Linux Mint (Nemo) ou Elementary OS (Pantheon Files) não deve surtir efeito.

Você verá que isso se torna muito prático e você não vai mais querer o seu computador sem ele, até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Nautilus travando ao mover grandes quantidades de dados

Nenhum comentário

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Como contornar o problema de travamento do Nautilus ao copiar/mover arquivos


Tenho percebido este problema em distros diferentes mas que usam por base o ambiente Gnome, como o Fedora e o Ubuntu, me parece ser um problema com o Nautilus (e com meu HD) visto que em outros ambientes gráficos isso não acontece.

Nautilus travando o sistema ao copiar arquivos

Percebi este problema ao tentar copiar e colar (mover) arquivos maiores do que 10 GB, aparentemente com arquivos menores o problema não ocorre, e por vezes o Nautilus fica lento chegando a travar o sistema por completo, isso não acontece sempre mas quando acontece é chato pra caramba!!!

Independente de quem ou o que seja o culpado pelo problema descobri uma maneira simples de contornar, usar o Thunar, gerenciador de arquivos do XFCE, para fazer transferências de grandes quantidades de dados assim o sistema não trava.

Para instalar o Thunar no Ubuntu você pode usar a Central de Programas e pesquisar pela palavra "Thunar", ou use o comando:

sudo apt-get install thunar
Ou no Fedora:
sudo yum install thunar
Então abra o Thunar pela menu do seu sistema e use ele quando precisar fazer um transferência de arquivos com muitos Gigas, tenho certeza que evitará travamentos.

Thunar File Manager

É isso aí galera, até a próxima dica!

Nautilus PDF Tools

Nenhum comentário

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Instalar este utilitário para manusear PDFs no Ubuntu

Hoje temos uma dica muito bacana para quem costuma trabalhar com arquivos em PDF, é uma pequena extensão chamada Nautilus PDF Tools que permitirá que você manipule esses arquivos de uma maneira muito prática através no menu de contexto do Nautilus, que é o gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu.

PDF Tools para Nautilus

Para instalar no Ubuntu abra o terminal e cole os seguintes comandos:
sudo add-apt-repository ppa:atareao/nautilus-extensions 
sudo apt-get update 
sudo apt-get install nautilus-pdftools
Até a próxima!
Compartilhe para mostrar aos seus amigos



Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Substituindo o Nautilus pelo Nemo no Ubuntu

Nenhum comentário

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Veja como trocar o gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu

Muitas pessoas não gostaram muito das últimas versões do Nautilus e por isso resolveram instalar alternativas como o Nemo, gerenciador padrão do Linux Mint, o problema é que mesmo instalando o Nemo o Nautilus ainda continua a gerenciar a área de trabalho e discos removíveis, assim como outras coisas, mas hoje vamos te ensinar a colocar o Nemo no lugar dele.

Nemo como gerenciador padrão Ubuntu


Para usar um no lugar do outro vamos nos utilizar de um pequeno truque de nomes que funciona muito bem. Abra o terminal e cole os comandos:

sudo mv /usr/bin/nautilus /usr/bin/nautilus.bak && sudo ln -s /usr/bin/nemo /usr/bin/nautilus
Basicamente é isso, agora é só reiniciar o computador e veja a diferença!

Nemo e Cinnamon estão fazendo tanto sucesso que agora estão na Central de Programas do Ubuntu.

Até a próxima dica!


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como adicionar a opção "Abrir num terminal" no menu de contexto do Nautilus

Nenhum comentário

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Um dica para melhorar a sua produtividade no Nautilus

Olá pessoal uma nova dica para melhorar a produtividade no seu dia-a-dia utilizando o Nautilus, padrão do Ubuntu e de outras distros que usam o ambiente Gnome.

Nautilus

Para habilitar essa função basta você instalar um "plugin" do Nautilus que está nos próprios repositórios do Ubuntu, abra o seu terminal e cole o comando abaixo:
sudo apt-get install nautilus-open-terminal -y
E depois
nautilus -q 
Pronto, agora abra uma pasta e faça o testo, você poderá abrir qualquer diretório pelo terminal estando dentro da pasta, legal né?
Até a próxima!


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Nemo e Cinnamon agora fazem parte do Repositório Oficial do Ubuntu 13.04 e 13.10

Nenhum comentário

terça-feira, 2 de julho de 2013

Agora você pode instalar o Nemo e o Cinnamon no Ubuntu pela Central de Programas

O Linux Mint é uma distros Linux mais usadas e elogiadas no mundo Linux por procurar sempre facilitar a vida dos usuários, com o tempo,  junto com toda essa filosofia vieram muitas aplicações, dentre elas o Cinnamon e o Nemo, ambiente gráfico e gerenciador de arquivos respectivamente.

Nemo na Central de Programas no Ubuntu

Depois da última atualização do Ubuntu ambos estão disponíveis no repositório oficial e acessíveis via Central de Programas.

Nemo no Ubuntu

Porém, apesar de agora estar disponível no repositório, a versão do Cinnamon não é a mais atual sendo necessária ainda a utilização do PPA tradicional para instalar as últimas novidades.

Para instalar no seu Ubuntu 13.04 faça:
sudo apt-get update
sudo apt-get upgrade
sudo apt-get install cinnamon
sudo apt-get install nemo

O Nemo é considerado por muito melhor do que o Nautilus, se você também pensa assim e quer aprender como substituir o Nautilus no Ubuntu clique aqui e veja o artigo que preparamos para você sobre isso.

Até a próxima!

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Instale o novo gerenciador de arquivos Athena no Ubuntu ou no Linux Mint

Nenhum comentário

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Substitua o Nautilus ou o Nemo na sua Distro

Gosto não se discute, mas quando há congruência no descontentamento é porque a "coisa" não agradou mesmo, este é o caso do novo Nautilus. Graças a tal passaram a existir forks como o Nemo.
Hoje vamos lhe mostrar mais uma opção de gerenciador de arquivos para o Ubuntu e o Linux Mint.

gerenciador de arquivos Athena


Conheça o Athena

O Athena é também um fork do contestado Nautilus e é usado por padrão na distro Solus OS, essa distro tem por prática trazer um ambiente desktop simples e fork do Gnome 2.
Felizmente aos interessados o Athena está disponível via PPA para ambas as distros, Linux Mint e Ubuntu.

Instalação

Abra o terminal ( Ctrl+T) e cole as seguintes linhas de comando:

sudo add-apt-repository ppa:yunnxx/gnome3
sudo apt-get update
sudo apt-get install athena
Como sugestão, gostaria de deixar o tutorial de instalação do Nemo, padrão do Mint, que para mim é um gerenciador de arquivos melhor e mais bem acabado.
Gostaria de esclarecer também que não testei o Athena no meu Ubuntu, mas tive boas referências de quem o fez, inclusive claro, todo o pessoal que o usa o SolusOS, caso você resolva testar, volte aqui e nos conte a sua impressão sobre o programa.

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 


Como instalar e habilitar o Nemo como gerenciador de arquivos principal no Ubuntu

Um comentário

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Substitua o Nautilus pelo Nemo no Ubuntu

Muita gente não gostou da extrema simplicidade do novo Nautilus e optou por não usar a última versão ou procurar ambientes alternativos como o Nemo, desenvolvido pela equipe do Linux Mint.

Este artigo foi enviado por um leitor e vai te ensinar como definir o Nemo como gerenciador padrão de arquivos no Ubuntu.

"Utilizando o Ubuntu 12.10 que vem com o gerenciador de pastas Nautilus 3.4 por padrão, resolvi instalar a versão 3.6 seguindo a dica do blog Diolinux de "Como instalar o Nautilus 3.6 no Ubuntu 12.10" e fiquei meio decepcionado com o resultado, achei ele muito minimalista. Eu, particularmente prefiro muitas alternativas ao invés de poucas.
Após isso, resolvi fazer o downgrade para a versão 3.4 do Nautilus, mas percebi que o processo ocasionaria muitas perdas de dependências ou problemas com o SO.
Resolvi então seguir outra dica do blog "Como instalar o Nemo no Ubuntu" com uma única modificação que foi a opção de utilizar a versão estável do Nemo através do ppa:gwendal-lebihan-dev/cinnamon-stable e gostei bastante da gama de opções que o Nemo traz.

Instalação executada com sucesso, tive que resolver outro problema que ainda não estava de acordo com o que eu pretendia, pois apesar de ter instalado o Nemo, o Nautilus continuava lá como gerenciador padrão de pastas (inode/directory) ao montar/acessar meu HD externo e outro HD interno que utilizo para armazenar meus dados com segurança.
Após exaustivas pesquisas, encontrei a solução:
Para alterar o gerenciador padrão de acesso a pastas (inode/directory) no Ubuntu 12.10 Quantal-Quetzal, vamos editar como root dois arquivos de configuração:

1º ajuste:


Recomendo antes de mais nada criar um backup do arquivo que vamos modificar:

  • sudo cp /usr/share/applications/nautilus.desktop /usr/share/applications/nautilus.desktop.backup

Agora sim, vamos editar o arquivo nautilus.desktop:

  • sudo gedit /usr/share/applications/nautilus.desktop
Procurar por: Exec=nautilus %U
Substituir por: Exec=nemo %U (aqui poderia ser outro gerenciador como p.ex.: thunar, dolphin, etc.)

Nautilus-gedit


2º ajuste:


Criar um backup do arquivo que vamos modificar:

  • sudo cp /usr/share/applications/nautilus-folder-handler.desktop /usr/share/applications/nautilus-folder-handler.desktop.backup


  • sudo gedit /usr/share/applications/nautilus-folder-handler.desktop
Procurar por: Exec=nautilus %U
Substituir por: Exec=nemo %U

Arquivo modificado


Pronto!
Agora, basta verificar que ao montar um dispositivo ou mesmo ao acessar as pastas de arquivos através do lançador "Arquivos" do Unity, o Nemo será aberto com todas as pastas, arquivos e opções que nos possibilita.

Obviamente essa é uma solução paliativa e pode ser que haja outras maneiras mais adequadas de alterar o gerenciador padrão de pastas e arquivos no Ubuntu. Por isso, deixamos por sua conta e risco fazer o teste e verificar se tudo continuará funcionando de acordo com o que se espera de um excelente sistema operacional como é o caso do Ubuntu.

Caso haja algum problema após editar os arquivos, podemos retornar os arquivos de backup, sobrescrevendo os arquivos em que fizemos os ajustes."

Este artigo excelente artigo foi enviado pelo nosso leitor: Edson Luís Isele - Técnico em Informática Redes Sociais: Facebook - LinkedIn.

Sabia que você pode fazer como o Edson e enviar seus artigos para o blog Diolinux?
Não perca tempo, se você tem um material de qualidade e quer ver seu artigo publicado para milhares de pessoas entre em contato conosco através desta página e nos envie o seu material.

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo