Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador Pop!_OS. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Pop!_OS. Mostrar todas as postagens

Laptops Linux com Coreboot começam a ser distribuídos pela System76

Nenhum comentário

sexta-feira, 11 de outubro de 2019

O Coreboot, anteriormente conhecido como LinuxBIOS, é um projeto que começou em meados de 1999 no Laboratório Nacional de Los Alamos, Novo México. Visando ser uma alternativa livre aos firmwares proprietários (BIOS ou UEFI) disponíveis na maioria dos computadores. Gigantes como o Google, já deram algum tipo de apoio no projeto ao longo destes anos. Curiosamente os Chromebooks também executam a firmware livre.

laptop-notebook-hardware-softwrare-firmware-bios-uefi-open-source-livre-linuxbios-coreboot-pop-os-system76

A fabricante de PCs Linux e desenvolvedora do famoso sistema operacional Pop!_OS, passa a oferecer dois modelos de laptops com o Coreboot, no lugar da BIOS/UEFI. No final deste mês a empresa começará a enviar os modelos Galago Pro e Darter Pro com seu firmware de código aberto desenvolvido com Coreboot.

Essa notícia demonstra o compromisso da empresa, em não apenas oferecer sistemas, e até mesmo hardwares abertos, mas sim todo um conjunto. Obviamente que seu hardware lançado no ano passado, um computador chamado Thelio, é “aberto até aonde atualmente é possível”. Caso queira mais informações sobre esse computador, acesse a excelente matéria do Jason Evangelho na Forbes.

laptop-notebook-hardware-softwrare-firmware-bios-uefi-open-source-livre-linuxbios-coreboot-pop-os-system76-thelio

Ok! Mas qual a diferença entre o Coreboot e um firmware proprietário?


Além de todas as vantagens que um software livre pode oferecer, o Coreboot acaba sendo mais enxuto e segundo a System76, ele é capaz de iniciar até 29% mais rápido em comparação aos firmwares proprietários. Isso tudo devido a não possuir recursos desnecessários ou que não estão em execução em segundo plano, resultando em um sistema menos vulnerável e com um processo de boot mais veloz.

“O firmware de código aberto foi a última faísca a impulsionar nossa jornada, no sentido de criar tecnologia totalmente gratuita e aberta. Como o universo, estamos sempre expandindo para um futuro de código aberto, com progresso contínuo em hardware, software e firmware, e estamos animados em ver para onde nossa jornada nos levará”, complementa o porta-voz da System76.

Algumas perguntas relacionadas ao Coreboot foram efetuadas para System76. Don Watkins, do site OpenSource.com, questionou se o Coreboot será lançado em outras máquinas da empresa, na qual obteve a seguinte resposta: “Sim. A longo prazo, a System76 estará trabalhando para tornar aberto todos os aspectos de nosso computador Open. Thelio Io, a placa controladora do Desktop Thelio , é um hardware aberto com firmware aberto. Esta é uma longa jornada, mas estamos ganhando velocidade. Faz menos de um ano que o nosso desktop Thelio de hardware aberto foi lançado e agora estamos produzindo dois laptops com o System76 Open Firmware”.

Em matéria na Forbes, Jason Evangelho, perguntou se os usuários que são donos de equipamentos da marca, poderiam instalar o Coreboot em suas máquinas, a resposta foi: “No momento, o firmware aberto estará disponível apenas nos novos Galago (galp4) e Darter Pro (darp6). A System76 está estudando a capacidade de trazer o firmware aberto para nossos modelos anteriores, mas não sabemos quando ou se isso ocorrerá. Se estiver disponível, os nossos clientes receberão uma atualização de firmware usando nosso gerenciador de firmware”.

laptop-notebook-hardware-softwrare-firmware-bios-uefi-open-source-livre-linuxbios-coreboot-pop-os-system76-darter-galago-pro

Informações sobre o Darter Pro e Galago Pro


Ambos laptops podem ser equipados com CPUs Intel de 10ª geração (especificamente os modelos i5-10210U e o i7-10510U), ambos têm telas IPS Full HD foscas e anti-reflexivas. 

O Galago Pro é o modelo mais barato, custando a partir de US$ 949,00 (em conversão direta, aproximadamente R$ 3.900,00). Com um chassi de alumínio, diversas opções de conectividade, por exemplo, HDMI, DisplayPort e uma entrada Thunderbolt. O laptop pode ser configurado com até 32 GB de RAM e até 6 TB de armazenamento.

O Darter Pro pode ser adquirido com 32 GB de RAM e até 2TB de armazenamento, além de possuir uma gestão de bateria e usabilidade em torno de 10 horas de trabalho.

laptop-notebook-hardware-softwrare-firmware-bios-uefi-open-source-livre-linuxbios-coreboot-pop-os-system76

Para mais detalhes, acesse este link

A System76 vem demonstrando extrema competência ao oferecer seus produtos com Linux, é uma pena a empresa não atuar no Brasil.

E você, gostaria de ter a possibilidade de utilizar computadores com uma firmware aberta como o Coreboot? Ou quem sabe uma adoção, pelas fabricantes do mercado.

Participe de nosso fórum Diolinux Plus. Assim você sempre fica por dentro das novidades.

Até o próximo post, sucesso a essa empreitada da System76, SISTEMATICAMENTE! 😎

Fonte: System76, Forbes.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

APT com problemas? Saiba como resolver

Nenhum comentário

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

A dica de hoje é algo bem simples, mas que pode auxiliar quem eventualmente esteja passando por essa situação. Confesso que é algo bem raro de acontecer, ao menos em meu cotidiano. Todavia, caso não esteja conseguindo atualizar seu sistema ou instalar apps, por conta do APT “travado/bloqueado”, eis a possível solução. 

apt-erro-bloqueado-instalar-update-remover-atualizar-ubuntu-deepin-linux-mint-elementary-pop

Lembrando que o APT é um conjunto de ferramentas, usadas no Debian, Ubuntu e derivados para administrar os pacotes DEB de forma rápida e prática. Se está tendo dificuldades com outro sistema, o Fedora por exemplo, não terá nenhuma relação com o APT.

Resolvendo a “mutreta” 


Existem diversas maneiras de contornar este problema, às vezes um simples reiniciar resolve. Um equívoco comum é manter outro programa que gerencia os pacotes, como o Synaptic, aberto e tentar atualizar via terminal. Certifique-se que nenhum destes apps estejam rodando, durante as mensagens de “APT travado”. No caso do Ubuntu, especificamente, pode ser comum o APT ficar nesse estado durante os momentos iniciais em que adentra no sistema, pois o gerenciador de atualização pode estar “ao fundo” procurando atualizações. Espere uns minutinhos, se o erro persistir (ou se não tem paciência 😁️😁️😁️), tente os comandos a seguir.

apt-erro-bloqueado-instalar-update-remover-atualizar-ubuntu-deepin-linux-mint-elementary-pop

Sei de diversas maneiras para contornar esse problema. No entanto, essa resolve a maioria dos casos. Não é a mais prática, mas resolve o problema. Se quiser tentar algo antes, em um único comando, tente esse:

sudo cp -v /var/lib/dpkg/status-old /var/lib/dpkg/status 

Agora se mesmo assim não conseguiu atualizar o sistema, vamos à maneira que nunca falhou comigo.

Remova os arquivos que estão bloqueando o APT, são 3 comandinhos na seguinte ordem:

sudo rm /var/lib/apt/lists/lock

sudo rm /var/cache/apt/archives/lock

sudo rm /var/lib/dpkg/lock*

Reconfigure os pacotes:

sudo dpkg --configure -a

Por fim, atualize a lista de pacote:

sudo apt update

Logo abaixo é a versão com todos os comandos em um único:

sudo rm /var/lib/apt/lists/lock && sudo rm /var/cache/apt/archives/lock && sudo rm /var/lib/dpkg/lock* && sudo dpkg --configure -a && sudo apt update

Com isso o problema possivelmente foi solucionado e você poderá instalar, remover apps e atualizar o sistema via APT normalmente.

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, compartilhe este conteúdo, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


System76 lança ferramenta para gerenciar Firmwares no Linux

Nenhum comentário

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

A System76 continua a produzir coisas interessantes para o Pop!_OS e para a comunidade Linux. A distro, que é basicamente "um Ubuntu com modificações", cada vez mais cria diferenciais para atrair as pessoas que simplesmente querem um sistema para instalar e usar.

Pop!_OS Firmwares








A System76 é uma empresa que eu admiro muito, eles são um dos poucos players do mercado de hardware a levar realmente a sério a venda de computadores com Linux pré-instalado. Dentre os que existem, eu considero os deles, os produtos mais apelativos.

Para complementar a experiência de seus clientes, há algum tempo a empresa desenvolveu seu próprio sistema operacional, o Pop!_OS, que tem essa escrita estilizada.


Para melhorar ainda mais a experiência de seus consumidores, a empresa acabou de anunciar uma nova ferramenta e fará parte do Pop!_OS, integrando-se ao próprio GNOME Control Center.

Configuração e atualização de firmwares

Ao acessar, no painel de controle, na sessão "dispositivos", agora haverá uma nova subseção, chamada de "Firmware", onde será possível atualizar os firmwares dos computadores da System76, mas também de outros dispositivos, como mouses, etc.

Atualizador de Firmware

Atualmente o gerenciamento de firmwares é feito através de servidores próprios da System76, mas a tecnologia, que atualmente tem apenas uma interface GTK, com integração com o GNOME Control Center, pode ser implementada em outras distros e até mesmo usar outra GUI, sendo que o back-end não está amarrado com as interfaces.

Você pode conferir o código fonte aqui.

Você curte o Pop!_OS, ou tem alguma dúvida sobre ele? Participe do nosso fórum.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Dash to Panel recebe update com melhorias e correções

Nenhum comentário

sexta-feira, 26 de julho de 2019

A customização no mundo Linux é uma das coisas que mais atrai a galera que prefere ter o sistema com a “sua cara”, assim dando toques que podem torná-lo único. Para quem usa o Gnome-Shell, isso não seria diferente. 


Dash to Panel recebe update com melhorias e correções







Muitos não gostam da proposta do GNOME “puro” (Vanilla) ou das distros que modificam ele, como Ubuntu, ZorinOS, Pop!_OS entre outras. Umas das extensões que é mais usada para tal modificação, é a dash to panel. Extensão essa que unifica outras duas, a GNOME Shell Dash e o GNOME Top Bar, assim entregando todos os recursos dessas extensões em uma única barra.





As melhorias apresentadas na versão 20 do dash to panel, são:

● Fornecida uma variedade de estilos para as janelas de prévisualização, como o tamanho, preenchimento, opacidade, localização de botão, visibilidade do cabeçalho e estilo da fonte;

● Possibilidade de adicionar atalhos ao menu de contexto no botão de Mostrar Aplicativos;

● O Windows Preview tem a escala e tamanha de forma dinâmica nas thumbnails em vez de ter um tamanho fixo nelas.

● Opção para ocultar as opções dos aplicativos em execução

● Melhor compatibilidade com o Gnome 3.32

Para mais detalhes, você pode consultar a release deles aqui.

Por hora, a versão 20 ainda não foi liberada no Gnome Extensions, mas quando for, e se você estiver com a extensão instalada, vai receber o aviso de update.

Mas se você quiser testar antes, basta baixar o ZIP e extrair nesse caminho:

/home/user/.local/share/gnome-shell/extensions

Onde está o user, você coloca o nome do seu usuário do sistema. Depois, para gerenciar a extensão instalada, basta utilizar o “Ajustes”, caso não o tenha instalado, basta procurar na loja (Gnome Software ou Ubuntu Software).

Se você quiser instalar a versão 19, basta acessar a page da dash to dock no Gnome Extensions, e habilitar. 

Para instalar as extensões via navegador, você vai precisar do complemento para isso, possuindo versões para o  Chrome e Firefox. Se precisar de mais formas de instalação, basta acessar esse guia deles.

Temos um tutorial bem bacana feito pelo meu amigo Henrique, do canal OSistemático, de como personalizar o dash to panel.
Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Arc Menu ganha melhorias de desempenho e novas funções

Nenhum comentário

quarta-feira, 24 de julho de 2019

Muitos que chegam no mundo Linux, em  grande parte estão utilizando alguma versão do Gnome, podendo ser a versão “Pura” (Vanilla) ou alguma modificação, como é feita pelo Pop!_OS, Ubuntu, ZorinOS e dentre outras distros. Uma das extensões usadas nessas modificações é o Arc-Menu, e na nova versão recebeu um update.

Arc Menu ganha melhorias no desempenho e novas funções





Na versão 30 do Arc-Menu, os desenvolvedores falaram que teve melhorias substanciais, como atualizações e alterações na base do código, assim melhorando a sua performance no sistema. Foi mencionado que houve uma melhora também na integração com o Gnome-Shell e o dash to panel.

Agora a pesquisa do Arc-Menu está com uma integração melhorada ao do sistema, com algumas bem interessantes, como:

- Integração com os aplicativos instalados;

- Com o gerenciador de arquivos (Files);

Teve adição do suporte para o dimensionamento em 4k, como também uma melhora no suporte para Wayland e x11.




Agora nas configurações do Arc-Menu, você pode habilitar o suporte para Dispositivos Externos e Favoritos. 



Habilitando essa opção, você terá acesso ao seu HD externo, Leitor de DVD/CD, HD secundário e aos FTP e SFTP por exemplo. Uma verdadeira mão na roda.

Como dito antes, agora tem uma melhor integração ao dash to panel, assim trazendo uma harmonização para quem usa as duas extensões juntas.


da1

Outra novidade, dentro ainda da parte de pesquisa, é a integração do Arc-Menu com as opções configuradas no sistema, que você acessa em Configurações > Pesquisa. Assim aparecendo tudo em um único lugar.


imagem


Você pode conferir todas às melhorias com mais detalhes técnicos, acessando o GitLab do projeto.

Para ter acesso às essas novas funções e melhorias, precisa ter o Gnome 3.32. Tendo isso, basta acessar a página do Arc-Menu no Gnome Extensions e habilitar ele.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Adeus 32 Bits - Canonical enterra de vez a arquitetura no Ubuntu 19.10

Nenhum comentário

quarta-feira, 19 de junho de 2019

A Canonical tomou uma decisão para a versão 19.10 do Ubuntu, esta não terá mais suporte a pacotes e para a arquitetura de 32 bits, ou x86, se preferir. A confirmação foi feita por Will Cooke no fórum do Ubuntu.

Adeus 32 Bits - Canonical enterra de vez a arquitetura no Ubuntu 19.10






Na postagem de Cooke, é mencionado que a equipe de desenvolvimento do Ubuntu já vinha discutindo há mais de um ano o abandono da arquitetura i386, pois para manter a mesma qualidade de suporte, estava tomando muito tempo e recursos dos desenvolvedores,  visto também que o Kernel Linux, toolchains e os navegadores de internet estão deixando de suportar a arquitetura i386 (x86). Além disso, as correções e recursos na área de segurança mais recentes, não estão sendo mais desenvolvidas em tempo hábil para a arquitetura de 32 bits, assim chegando apenas em alguns casos só para 64 bits. Isso também foi discutido em uma lista de emails pública do Ubuntu. De forma resumida, o esforço para manter a versão de 32 bits é tão grande quanto o de manter a versão de 64 bits dos pacotes, mas atualmente poucas pessoas realmente utilizam tais pacotes.

Também foi comentado, que o Ubuntu 18.04 LTS será o último “da sua linha” a ter suporte a arquitetura, e que já na próxima LTS (20.04), não teremos mais suporte. Se você precisar de suporte a algum componente da arquitetura i386, a Canonical recomenda você permanecer nas versões 16.04 LTS ou 18.04 LTS, dando ênfase para a migração para a última LTS mencionada. Vale mencionar que o Ubuntu 18.04 LTS tem suporte até 2023, e o seu ESM (Extended Security Maintenance) vai até 2028 (nesse último caso, é pago).

Para quem desenvolve, a recomendação da Canonical é empacotar os seus aplicativos via snap e usar o “core18” (do Ubuntu 18.04) para ter o suporte de 32 bits.

Partes Polêmicas


Sei que muitos vão perguntar sobre a Steam, WINE, flavours e distros que são derivadas do Ubuntu. Bom, vamos por partes.

Sobre as flavours, Will Cooke foi categórico, todas as flavours vão seguir o mesmo caminho da “distro mãe”, sendo assim, a partir da versão 19.10, elas vão deixar de oferecer suporte a arquitetura i386. Isso acontece porque elas são construídas a partir do mesmo repositório ou pacote de softwares, e como eles vão deixar de dar suporte, aí seguem o mesmo “caminho”. 

As distros derivadas, como Mint, Pop!_OS, Zorin e etc; seguem quase a mesma premissa das flavours, se quiserem manter o suporte para a arquitetura i386, basta ficar na base do Ubuntu 18.04 LTS, ou então, passar a manter seus próprios pacotes de 32 bits por mais algum tempo.

Sobre os jogos via Steam e o Wine, Will dedica um boa parte de sua publicação comentando:

Q. A Steam não usa bibliotecas de 32 bits? Como posso jogar meus jogos?

A própria Steam empacota um runtime contendo as bibliotecas de 32 bits necessárias para executar o cliente Steam. Além disso, cada jogo instalado via Steam pode enviar as suas bibliotecas de 32 bits de que necessitam. Estamos discutindo com a Valve sobre a melhor maneira de fornecer suporte a partir das 19.10.

Pode ser possível executar jogos de 32 bits somente dentro de um contêiner LXD executando uma versão de 32 bits do 18.04 LTS. Você pode usar “pass through” da placa gráfica para o contêiner e executar seus jogos desse ambiente de 32 bits.

P. Como posso executar aplicativos Windows de 32 bits se o WINE de 32 bits não estiver disponível no arquivo?

Tente o WINE de 64 bits primeiro. Muitas aplicações “apenas funcionam”. Se não, deve ser usado métodos similares como para jogos de 32 bits. Isso é, usar uma máquina virtual baseada em 18.04 LTS ou um contêiner LXD que tenha acesso total ao WINE multiarch de 32 bits e às bibliotecas relacionadas.

Para ler a postagem completa e inglês do Will Cooke, você pode acessar através deste link.

Esse tipo de mudança pode afetar em diferentes níveis o suporte a determinados jogos no Ubuntu, mas teremos que ver o que sairá deste acordo entre Valve e Canonical. A situação de criar um container de LXD só se torna viável se for automatizada, se depender do usuário fazer isso, é apenas uma piada de mau gosto do senhor Will Cooke.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Microsoft comemora “dia do Pinguim” com Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 26 de abril de 2019

Aos longínquos anos 90 e começo dos anos 2000, a Microsoft via o Open Source e o Linux como inimigos a serem “abatidos e eliminados”, de fato, em certa época Steve Ballmer, então CEO, chegou a falar que o Linux era um “câncer” para a MS. Anos depois a empresa mudou bastante neste sentido, especialmente à partir de 2016.


 Microsoft comemora “dia do Pinguim” com Linux





Feito esse parênteses, hoje a Microsoft é mais próxima ao Open Source e do Linux, tanto que tem o Azure, o WSL e alguns apps portados para a plataforma, como o Skype e o Visual Studio Code. E quem sabe o navegador Edge e talvez o Microsoft Office 365, falaremos mais adiante.

Em referência ao #WorldPenguinDay (ao bicho mesmo), a conta de oficial da Microsoft que “cuida” da divulgação Open Source da empresa, fez um Tweet aproveitando a a oportunidade e “chamando” a comunidade a compartilhar quais projetos Open Source as pessoas mais gostavam:



Vários projetos foram mencionados, como o GNOME, KDE, Manjaro, Ubuntu, Pop!_OS, entre outros, como você pode ver na tread do Tweet acima.

Mas um comentário me chamou a atenção e a resposta a ele. O usuário Raywon Teja Kari, perguntou quando veríamos um porte do Microsoft Office 365 para Linux. E a conta da Microsoft respondeu, informando que ele deveria entrar no UserVoice do Office 365 e votar para isso, mais ou menos como aconteceu no caso da Adobe.



Se você quiser votar e ajudar a trazer o Microsoft Office 365 para o Linux, basta acessar aqui.

Um “ponto negativo”, pelo menos para mim, foi a ausência de empresas grandes do setor, como Canonical, IBM/Red Hat e a Suse (até o fechamento desta edição, elas não interagiram com o tweet, somente foram mencionadas)

Mas, tirando isso, acho muito importante essa guinada da Microsoft nesses últimos anos em apoiar o Linux e o OpenSource, isso mostra que o mesmo pode ser mais um aliado do que “um câncer a ser combatido”.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso fórum, aproveite e conte pra gente qual o seu projeto Open Source favorito e viva o pinguim!

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Pop!_OS lança nova versão do sistema se baseando no Ubuntu 18.10 com suporte a TensorFlow da Google

Nenhum comentário

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

No último dia 19 de Outubro, o pessoal da System76 lançou uma nova versão do seu sistema, Pop!_OS ,baseando-se no novo Ubuntu 18.10,com algumas melhorias e novas ferramentas.

 Pop!_OS lança nova versão do sistema se baseando no Ubuntu 18.10 com suporte a TensorFlow da Google






O novo Pop!_OS virá com o novo kernel, novo pacote de drivers gráficos, GNOME 3.30, incluindo a esperada correção para o problema de uso excessivo de RAM, além disso, temos . Os updates de temas e ajustes visuais nos widgets do Pop!_OS.

A primeira coisa que foi melhorada foi a Pop!_Shop com dois pontos principais:

● As visualizações dos aplicativos está carregando de forma mais rápida;

● Melhorias na interface do usuário para evitar congelamentos;

Uma grande e importante novidade é a integração com o software de de inteligência artificial da Google, o TensorFlow, que você pode acessar o GitHub deles. Segundo os desenvolvedores, foi feita a manutenção do CUDA e o TensorFlow no repositório da distro, tornando muito mais simples de instalar a ferramenta através de um simples comando, a instalação que antes poderia levar, segundo eles, mais de 100 linhas de comando, agora foi reduzida a uma só:

sudo apt install tensorflow-cuda-latest
 Esse pacote faz a instalação do CUDA + cuDNN + TensorFlow no Pop!_OS, reforçando a ideia do sistema ser para “Creators, Makers, Builders’.


Um nova melhoria está na ferramenta Distinst e ao Instalador do sistema, com várias correções de  bugs e melhorias que foram aplicados a ambas. O Distinst também será dividido em várias caixas de ferramentas. Se quiser saber mais sobre a ferramenta, basta acessar o GitHub dele.

Outra melhoria anunciada pela equipe do Pop!_OS é o aperfeiçoamento do “System76 Power” com novos subcomandos e argumentos. Além de incluir um novo sinalizador o “-experimental”, fazendo com que novos recursos para o gerenciamento de energia sejam adicionados.

O System76 Power é um utilitário de linha de comando que permite que sejam ajustados manualmente configurações do uso da energia pelo computador.



Para comportar todas essas melhorias, a equipe também anuncia que agora eles vão hospedar os seus próprios repositórios, ficando mais independentes do Ubuntu e da Canonical, o processo será feito utilizando uma ferramenta própria deles e de código aberto. Os repositórios serão feitos a partir do APT e a configuração via TOML e a ferramenta também será dividida em várias caixas de ferramentas.

Atualização para a nova versão

* Lembre-se sempre de fazer backup.

Para os interessados em atualizar, a System76 anuncia que é possível fazer o upgrade do Pop!_OS 18.04 para a versão 18.10- via comandos no terminal, basta rodar cada um deles nessa ordem:
sudo apt update
sudo apt full-upgrade
sudo sed -i s/Prompt=lts/Prompt=normal/ /etc/update-manager/release-upgrades
do-release-upgrade
Para baixar o Pop!_OS para a plataforma AMD/INTEL, use esse link, se o seu equipamento tiver GPUs da NVIDIA use esse link.

Se você quiser ver como o Pop!_OS 18.04 se comporta, temos dois vídeos lá no canal mostrando ele e vamos deixar eles logo abaixo.

 Pop!_OS - Review (System76)

        

Instalando LINUX num AVELL TITANIUM B155 (Pop!_OS)

         

Pop!_OS e System76 - Diolinux Entrevista Carl Richell e Cassidy Bleade

          

Muito legal ver iniciativas como essas como o Pop!_OS que  estão “antenadas” as mudanças das principais distros “mães” e aplicando o mais breve possível nos seus projetos e não ficando para trás.

Muito legal ver que o sistema está antenado com as mudanças incluídas upstream (Ubuntu), acrescentando as correções da distro na qual se baseia, mas sem deixar de empregar a sua própria personalidade.

Agora nós diga aí nos comentários se você usa o Pop!_OS e se está gostando ou se você ainda pensa em utilizar.

Espero você até uma próxima, forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Entrevistamos o CEO da System76 e do Pop!_OS

Nenhum comentário

segunda-feira, 11 de junho de 2018

A System76 é um dos mais conhecidos fabricantes de computadores no mundo a vender computador apenas com Linux. Durante praticamente todo o passado recente, a companhia utilizou o Ubuntu como padrão de suas máquinas, mas a mudança da Canonical, com o abandono do Unity, a System76 optou por não mais depender tão diretamente do Ubuntu, dando origem a sua própria distro, o Pop!_OS.

System76 e Pop!_OS no Diolinux Entrevista






Para entendermos melhor como foi essa mudança de sistema e os motivos da empresa, assim como os diferenciais do Pop!_OS em relação ao Ubuntu. Para responder as nossas perguntas Carl Richell e Cassidy Bleade, CEO e UX Architect da System76 respectivamente, gravaram um vídeo, confira:


Confira também:

- Artigo no blog sobre o Pop!_OS: http://bit.ly/OqueEsperarDoPopOS

- Diolinux DROP do Pop!_OS: http://bit.ly/PopOSDrop

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


System76 lança o Pop!_OS baseado no Ubuntu 18.04 LTS

Nenhum comentário

sábado, 28 de abril de 2018

A popular empresa de Denver, Colorado nos EUA, anunciou a disponibilidade do seu sistema operacional, o Pop OS, estilizado em nome desta forma: Pop!_OS.







A System76 é conhecida por ser uma das principais empresas do mundo a oferecer hardware com Linux pré-instalado. São Desktops, Laptops e servidores com excelente acabamento e qualidade.

Por muito tempo a empresa vendeu seus computadores com o Ubuntu pré-instalado, mas depois da Canonical deixar o Unity, a empresa decidiu que não queria mais depender tão diretamente dos objetivos da Canonical, daí nasceu o projeto Pop!_OS, um sistema operacional que usa o GNOME Desktop e baseado no sistema da Canonical, porém, com várias diferenças.


Por conta do Pop!_OS usar o GNOME Shell também, assim como a nova versão do Ubuntu, o engano de que se trata do "mesmo" sistema, apenas com um tema pode ser comum. Na verdade o Pop!_OS segue a mesma linha do Linux Mint, usando o Ubuntu como o "core" do projeto e construindo soluções em cima disso.

Visualmente falando você vai encontrar um tema GTK e um tema de ícones diferente, além uma Central de Aplicativos completamente diferente da do Ubuntu (GNOME Software). O Pop!_OS utiliza a sua própria versão do AppCenter do elementary OS, uma versão rápida e versátil do software que permite instalar e remover aplicações e manusear os repositórios facilmente.

O Pop!_OS foi projetado, obviamente, pensando nos próprios computadores que a System76 vende, no entanto, existem ISOs que podem ser instaladas por qualquer pessoa disponível no site, com versões voltadas especificamente para determinados hardwares, com repositórios específicos da empresa para otimizações.

Por exemplo, existe uma ISO que já vem com os mais recentes drivers proprietários Nvidia disponíveis, tornando o sistema uma opção interessante para aqueles que querem usar Linux para jogar. Mesmo com essa opção, se você baixar a versão voltada para hardware Intel/AMD, ainda será possível instalar os drivers Nvidia de qualquer forma.

O GNOME Shell do Pop!_OS também vem com algumas modificações, como um otimizador de bateria que permite que você configure facilmente qual perfil de consumo você quer usar, como "Power Save", "Balanced" e "Performance", o que ajuda nos Laptops.


Outra modificação no GNOME Shell feita pela System76 é a opção de "modo silencioso" que você pode ativar direto do painel de notificações no centro da tela.

Outra diferença visual está no Instalador, ele foi produzido em conjunto com o pessoal do elementary OS e possui um visual renovado e completamente novo, que tente a deixar o processo de instalação extremamente simples, incluindo o recurso de cryptografia de dados ativa por padrão.


O conjunto de aplicações padrão do Pop!_OS também é ligeiramente diferente do Ubuntu, focando primariamente no ecossistema de aplicativos GNOME.


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



System76 explica porque está fazendo o Pop!_OS baseado no Ubuntu

Nenhum comentário

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Há algum tempo atrás eu comentei aqui no blog sobre o Pop!_OS, o sistema operacional baseado no Ubuntu customizado pela System76, um das maiores empresas de venda de hardware com Linux embarcado. No artigo em questão eu comentei sobre as minhas perspectivas à respeito do sucesso do Pop!_OS, hoje vamos falar das razões da System76 para tal.

Pop!_OS System76






Com o lançamento do Ubuntu 17.10 com GNOME e tudo mais, nós também tivemos o lançamento da primeira versão do Pop!_OS da System76, por enquanto são poucos os detalhes que diferenciam o sistema da empresa do Ubuntu da Canonical. Nominalmente podemos colocar o tema GTK e de ícones e o instalador diferenciado, construído em conjunto com a equipe do elementary OS como maiores diferenças. Falando neles, nesta semana eu li no blog do elementary que o pessoal do Pop!_OS vai utilizar a central de aplicativos no elementary OS no seu sistema no lugar da GNOME Software, onde incluirá softwares próprios e repositórios adicionais, como drivers.

Outra modificação que eu percebi é que as ISOs (apenas de 64 bits) que a System76 está liberando já vem com os melhores drivers open source Intel e AMD e ainda proprietários da Nvidia para que você simplesmente instale o sistema e saia utilizando. O que é um toque interessante, sem dúvida. O recurso ainda não funciona em Notebooks com drivers gráficos híbridos, mas em linhas gerais é um passo a menos depois de instalar o sistema.

A existência do Pop!_OS


Em um post em seu blog, a equipe da System76 explica o porque de manter o seu próprio sistema operacional. Eu achei as justificativas plausíveis. Segundo eles, a empresa trabalhava com o Ubuntu com Unity desde 2011, possuindo vários parceiros e clientes. Com a mudança de foco do Ubuntu, deixando Unity de lado e voltando a usar o GNOME, cerca de 91% dos clientes da System76 seriam afetados.

Segundo o artigo, isso os "deixou em choque", pois muita coisa iria mudar e a decisão simplesmente saiu de um dia para o outro, ou seja, a decisão de uma empresa parceira, porém alheia, acabou afetando drasticamente o trabalho da System76. Para evitar que isso aconteça, eles decidiram que era importante deter o seu próprio sistema operacional, usando a base Ubuntu que já é extremamente popular e a qual os desenvolvedores deles também estavam acostumados a trabalhar, porém, sem depender tanto do que a Canonical decidir.

Além disso, a identificação do perfil de usuário e cliente da System76 ser um pouco diferente do que a Canonical vem trabalhando agora, aparentemente ajudou ainda mais a justificar a criação de um novo sistema, que inicialmente é mais uma customização do que qualquer outra coisa, mas que deve ganhar maiores individualidades com o tempo. Vale a pena conferir o post completo aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


System76 anuncia novo instalador para Pop!_OS com ajuda de desenvolvedores do elementary OS

Nenhum comentário

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Há algum tempo atrás eu havia comentado sobre o novo sistema operacional remaster/fork do Ubuntu que a System76 estava desenvolvendo. O chamado Pop OS, estilizado como "Pop!_OS", além de um tema GTK, iria começar a criar seus diferenciais, um deles é justamente o instalador.

Pop OS Installer





Quando eu escrevi o artigo "O que podemos esperar o Pop!_OS" eu havia comentado sobre a mudança no instalador. Juntamente com a equipe do elementary OS - se não me engano um dos desenvolvedores do elementary é funcionário da System76 - um novo instalador está chegando ao sistema operacional. Talvez o próprio elementary OS possa tirar vantagem do projeto e usá-lo também, mas isso é só especulação minha, nada neste sentido foi comentado até o momento.

A System76 comentou que eles sabem o quanto "primeiras impressões são importantes", por isso o instalador precisava ser modificado. Particularmente não vejo problemas no Ubiquity do Ubuntu, sempre me pareceu simples e funcional e com um design bom o suficiente, claro que nada se comparado (em beleza) ao do Deepin, mas ainda assim, neste aspecto ainda acho que funcionalidade importa mais; se conseguir unir os dois então, perfeito!

Confira abaixo algumas telas do novo instalador produzido:

Pop OS Installer

Pop OS Installer

Pop OS Installer

Pop OS Installer

Pop OS Installer

Realmente, pelas imagens, podemos ver que o trabalho realizado almejava uma instalação simples e direto ao ponto, sem necessidade de conhecimento técnico para fazê-la, assim como a do Deepin, porém com o design do Pop Theme.

Ainda existem algumas coisas que fazem falta, mas que a System76 afirmou que serão incluídas, como uma opção avançada para ajudar o particionamento de forma mais detalhada e também a criação de dual boot de forma automática. Tudo isso fará com que o instalador se torne mais completo e, nada verdade, iguale-se aos recursos já disponíveis no instalador padrão do Ubuntu atualmente.

Ele tem código aberto e pode ser aproveitado por outras distribuições que desejarem também, basta acessar esta página no GitHub.

A primeira versão estável do Pop!_OS deverá sair juntamente com o Ubuntu 17.10, mas os próprios desenvolvedores já comentaram que o grande projeto realmente será o Ubuntu 18.04 LTS do próximo ano.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


O que podemos esperar do Pop!_OS da System76?

Nenhum comentário

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

A System76, uma grande fabricante de hardware que vende computadores com Ubuntu pré-instalado, anunciou há algum tempo atrás que estaria dando início ao seu próprio sistema operacional baseado no Ubuntu, o chamado Pop!_OS. Como até então ele parecia apenas uma simples customização de temas, eu nem sequer havia comentado sobre ele aqui no blog e nem no canal, mas aparentemente eles querem ir um pouco além, então vamos falar sobre isso.

Pop!_OS da System76




Todo projeto começa de algum lugar e para mim, o Pop!_OS (o nome é estilizado assim mesmo), nasceu apenas como um tema para o GNOME Shell em cima do Ubuntu, simples assim. Um tema muito bonito na verdade, que você pode aprender a instalar neste outro post aqui do blog. Mas até aí, muitas distros legais surgiram como apenas customizações de outras e depois seguiram seu próprio caminho e se desenvolveram, Ubuntu e Mint são bons exemplos.

A ideia inicial é criar uma experiência diferenciada para os computadores vendidos pela empresa, existem vários modelos no mercado com ótimo desempenho, incluindo computadores gamers. Como o galagoPRO, "concorrente" do MacBook.

Até aí nada demais, outra coisa que é comumente encontrado nos computadores vendidos com Linux é um repositório especial com drivers e otimizações para o hardware, que é algo que a System76 sempre fez também, porém, o sistema parece estar ganhando significância e a empresa está pensando em expandir um pouco o que seria apenas uma "espécie de remasterização" do Ubuntu para seus clientes, inclusive trabalhando com os desenvolvedores do elementary OS para criar um novo instalador para o sistema, que não vai ser exatamente igual ao Ubiquity, padrão do Ubuntu.

Customizado para os clientes e disponível para todos


Um ponto interessante é que o sistema estará disponível para qualquer um, na verdade, você pode baixá-lo agora se quiser, a ISO tem cerca de 1,6 GB de tamanho e é baseada no Ubuntu 17.04 Zesty Zapus.

Apesar de já estar utilizável, o próprio site da System76 informa que a verdadeira versão final e primeira release oficial será apenas em Outubro, juntamente com o Ubuntu 17.10. É possível que outras coisas sejam alteradas, além do tema e outros detalhes.


Fuçando um pouco no sistema eu acabei encontrando várias coisas legais. A instalação em si é praticamente a mesma do Ubuntu, com apenas uma diferença, criamos o usuário depois da instalação, na primeira inicialização, como quando você compra um computador com o sistema pré-instalado. A tela de boot (o Plymouth) também é diferente e bem bonita, como um "Pop" aparecendo do nada (fazendo "pop"?).

Confira algumas imagens da interface GNOME Shell que ele carrega:

Pop OS System76

Pop OS System76

Pop OS System76

A harmonia do tema GTK com os ícones é ótima, talvez tenhamos um dedo do pessoal do elementary neste design, não sei. Além do tema, temos vários wallpapers que combinam muito bem  com a proposta visual e que vem disponíveis por padrão.

Wallpapers System76

Os temas Pop, como são chamados, possuem variações para quem quer eles de forma mais compacta, com o "Pop Slim". Tanto o tema normal quanto este mais compacto tem o "modo Dark', assim como os temas padrões do GNOME Shell, deixando na mão do usuário escolher se quer continuar com este produzido pela companhia ou se quer usar o padrão do GNOME mesmo, o Adwaita.

PPA System76 PopOS

Além dos temas, como eu tinha comentando antes, o sistema vem com o PPA da empresa. Dentro dele encontramos pacotes básicos, o pop-desktop, gnome-control-center, plymouth, entre outros que são empacotados por eles para poder manter a aparência do sistema e funcionalidades específicas, assim fica mais fácil controlar as atualizações e modificações destes componentes.

Um destes pacotes controla as extensões, existem várias que já vem por padrão no Pop!_OS, mas somente algumas são ativadas, como você pode ver, assim, cabe a você escolher o que preferir.

Pop!_OS

Acho interessante uma outra empresa forte como a System76 oferecer um sistema assim, especialmente baseado no Ubuntu, apesar de muitos feedbacks da comunidade, o momento da Canonical é de transição e as coisas podem não ficar ao agrado de todos. Particularmente encaro projetos como este quase como as várias ROMs do Android em aparelhos de companhias diferentes, cada uma personalizando o que seria o sistema puro para tentar atender melhor o consumidor.

O Pop!_OS tem futuro?


Não sei qual o nível de ambição da System76 com o sistema, mas eles tem algo que a maior parte das distros não tem; eles já são uma empresa que vende computadores com Linux de renome (especialmente internacional, no Brasil nem todos conhecem).

Uma das grandes dificuldades das distros é fazer parcerias empresariais para enviar os sistemas de fábrica junto com as máquinas e com isso a System76 não precisa se preocupar. Pesquisando um pouco eu também encontrei um PPA de desenvolvimento onde temos drivers Nvidia otimizados e outros pacotes sensíveis a desempenho, como o mesa, não sei se eles são destinados apenas aos computadores da empresa ou se podem ser utilizados de forma genérica, mas pode ser um outro diferencial do sistema.

Mesmo sendo um PPA feito para computadores que a System76 vende, como os hardwares não são homologados como a Apple faz, é bem possível que funcione em outras máquinas também.

Potencial o sistema tem, resta saber até onde a System76 pretende ir, vamos continuar acompanhando.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo