Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador SUSE Linux Enterprise. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador SUSE Linux Enterprise. Mostrar todas as postagens

Nova solução da SUSE para o SUSE OpenStack Cloud

Nenhum comentário

sexta-feira, 11 de outubro de 2019

À medida que a SUSE embarca no próximo estágio de crescimento e evolução como a maior empresa independente de open source do mundo, a empresa expande seus negócios para atender as necessidades atuais e futuras dos clientes Enterprise, à medida que eles se movem para universos de aplicações e processos de DevOps híbridos e multidinâmicos. A SUSE está idealmente posicionada para executar essa estratégia e ajudar seus clientes a adotar todo o espectro de ambientes de computação.

Nova solução da SUSE para o SUSE OpenStack Cloud






A SUSE está se concentrando e aumentando seus investimentos estratégicos no mercado de entrega de aplicações e nas oportunidades existentes, a fim de se alinhar às tendências tecnológicas do setor e, ainda mais importante, às necessidades dos clientes. Esse foco inclui as ofertas atuais de entrega de aplicações, como o SUSE Cloud Application Platform e o SUSE CaaS Platform. São soluções já reconhecidas pelo mercado.

Para maximizar essas oportunidades, a SUSE revisou cuidadosamente seus negócios e decidiu interromper a produção de novas versões do SUSE OpenStack Cloud, descontinuando as vendas desta solução. A pioneira em software open source está trabalhando com todos os seus clientes e parceiros, com o objetivo de apoiá-los durante o período restante da subscrição e na transição para soluções alternativas.

A descontinuação com o SUSE OpenStack Cloud permite que a empresa alinhe seus recursos de acordo com as demandas atuais dos clientes e as oportunidades de mercado. Esse foco adicional impulsiona a SUSE ainda mais como uma empresa open source independente com o olhar voltado para o futuro, com objetivos de crescimento e inovação.

Além do aumento do foco e do investimento estratégico na entrega de aplicações, a SUSE manterá e aumentará seu compromisso de oferecer o melhor Linux corporativo do setor, juntamente com o melhor armazenamento definido por software (SDS) do mercado, com base no projeto open source Ceph. Com todas as ofertas de produtos, a empresa segue trabalhando constantemente para fornecer tecnologia e serviços inovadores que melhor atendam às necessidades de nossos clientes e parceiros.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


OpenSUSE Leap 15.1 lançado com novidades

Nenhum comentário

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Com diversas melhorias no YaST, em seu instalador, com o kernel atualizado, suporte para GPUs AMD Vega a versão Leap 15.1 do openSUSE é lançado. Tendo como base o SUSE Linux Enterprise 15 SP1 (Service Pack 1).

opensuse-lep-15.1-kde-suse-linux

A nova versão do openSUSE Leap traz muitas novidades, mas sem perder o seu foco em maturidade e estabilidade do sistema. Bebendo da fonte do SUSE Linux Enterprise 15 SP1, o novo Leap 15.1 se vale desta máxima de consistência. Afinal, clientes empresariais não podem se dar ao luxo de utilizarem um sistema com pacotes instáveis, imaturos e não testados o suficientemente.

Novidades no openSUSE Leap 15.1


Graças ao kernel Linux 4.19 houveram melhorias significativas ao conjunto gráfico em GPUs AMD Vega. Outro aspecto interessante é a implementação de suporte a virtualização de sistemas e de nuvem. A partir desta versão o Network Manager será padrão não apenas nos notebooks mas também nos desktops. O Wicked, sistema avançado de configurações de redes do openSUSE, continuará e contará com as versões populares de drivers de chipset wi-fi mais modernos. O YaST foi renovado para tirar proveito dos variados recursos oferecidos pelo systemd.

opensuse-lep-15.1-kde-suse-linux

Falando sobre seu utilitário de instalação e configuração, houve mudanças significativas:

  • Melhor gerenciamento de serviços;
  • Firewalld com possibilidade de gestão por modo texto;
  • Firewalld com implementações avançadas do AutoYaST;
  • Melhor controle sobre fórmulas Salt;
  • Gestão de chaves SSH pelo usuário;
  • Particionador aprimorado;
  • Interface do usuário com total suporte a resoluções altas em 4k (HiDPI);
  • E muito mais...

Tempo de suporte do openSUSE Leap 15


“Continuidade e estabilidade são o que estamos oferecendo aos usuários com o Leap 15.1”, diz Haris Sehic, um dos membros da comunidade openSUSE. Sem dúvidas isso é o esperado pelos utilizadores da distro. Lembrando que o openSUSE Leap 15 foi lançado em 25 de Maio de 2018. A série 15 deve receber atualizações de segurança e software num período total de 36 meses, findando seu suporte em Maio de 2021.

Para conferir a nova versão do openSUSE efetue o download em seu site oficial. Já se pretende ver minuciosamente todos os detalhes de seu lançamento, acesse o comunicado oficial do mesmo.

Aproveitando que você vai baixar a nova versão, que tal aprender como instalar e configurar o openSUSE?


Usa openSUSE? Continue esse assunto em nosso fórum Diolinux Plus?

Tenho um carinho especial por essa distro, por justamente ter utilizado e feito inúmeras customizações no openSUSE (quem utilizava o SUSE Studio sabe a nostalgia ✌✌✌).

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


SUSE colabora com Intel e SAP para acelerar a transformação de TI com memória persistente no Data Center

Nenhum comentário

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

A SUSE anunciou hoje o suporte para a memória persistente Intel OptaneTM DC com SAP HANA. Executados no SUSE Linux Enterprise Server (SLES) for SAP Applications, os usuários do SAP HANA podem agora tirar proveito da memória persistente de alta capacidade Intel Optane DC no data center.

 SUSE colabora com Intel e SAP para acelerar a transformação de TI com memória persistente no Data Center





Os usuários podem otimizar seus workloads, movimentando e mantendo altas quantidades de dados mais próximas do processador e minimizando a maior latência de buscar dados do armazenamento do sistema durante a manutenção. O suporte para a memória persistente Intel Optane DC, atualmente disponível em versão beta de vários provedores de serviços na nuvem e fornecedores de hardware, é outra forma pela qual a SUSE auxilia clientes a transformar suas infraestruturas de TI para reduzir custos, oferecer melhor desempenho e competir com mais eficiência.

“A tecnologia de memória persistente irá desencadear novas aplicações para acesso e armazenamento de dados”, diz Thomas Di Giacomo, Chief Technology Officer (CTO) da SUSE. “Ao oferecer uma solução totalmente suportada com base na memória persistente Intel Optane DC, as empresas podem aproveitar melhor o desempenho do SAP HANA. A SUSE continua firmando parcerias com empresas como SAP e Intel para atender clientes em todo o mundo que buscam impulsionar o crescimento, transformando sua infraestrutura de TI. São suas necessidades que orientam a direção de nossa inovação”.

“A memória persistente Intel Optane DC representa uma nova classe de memória e tecnologia de armazenamento, projetada especificamente para aplicação no data center. Essa nova classe permite soluções de banco de dados com memória de baixo custo e alta capacidade; garante maior tempo de atividade do sistema e recuperação mais rápida após os ciclos de energia; e oferece aplicativos de escala em nuvem com desempenho mais alto”, relata Alper Ilkbahar, vice-presidente e gerente geral do Grupo de Soluções de Memória Não Volátil e Armazenamento da Intel.

“Ao trabalhar em conjunto com a SUSE e a SAP para levar essa tecnologia transformadora aos nossos clientes, podemos ajudá-los a aproveitar toda uma nova geração de aplicativos e serviços que podem fornecer recursos revolucionários para a era centrada em dados ou ‘data-centric’”, complementa Ilkbahar.

“A capacidade de fornecer memória persistente para o SAP HANA é um marco significativo em nosso relacionamento contínuo com a SUSE e a Intel. O SAP Digital Core baseia-se no conceito de simplificar a infraestrutura para aumentar a produtividade e obter insights em tempo real”, afirma Martin Heisig, Head da Rede de Inovações Tecnológicas SAP HANA.
O SAP HANA oferece às empresas de todos os tamanhos uma solução de banco de dados de alto desempenho para suas aplicações SAP. Os clientes que utilizam o SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications e executam workloads do SAP HANA na memória persistente Intel Optane DC podem esperar por economias de custo de infraestrutura juntamente com uma redução na sobrecarga de gerenciamento. Como os workloads do SAP HANA são executados em Linux, o sistema operacional SUSE Linux Enterprise é atualmente a única solução que oferece suporte para a memória persistente SAP HANA e Intel Optane DC.

O suporte para a memória persistente Intel Optane DC com workloads SAP HANA em execução no SUSE Linux Enterprise Server for SAP Applications está incluído no SUSE Linux Enterprise 12 Service Pack 4, disponível agora em todo o mundo. Para mais informações sobre o SUSE Linux Enterprise, acesse https://www.suse.com/pt-br/products/server/

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Top 5 - Distros Linux para usar em servidores

Nenhum comentário

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

A tecnologia Open Source é extremamente versátil, mas sem dúvida, um local onde ela se destaca é na infraestrutura de serviços e da própria internet. O Linux é muito popular neste segmento e por isso hoje você vai conhecer cinco distribuições Linux  que você provavelmente vai esbarrar ao trabalhar com servidores.

Linux para Servidores





É importante conhecer as distribuições Linux mais famosas neste segmento para poder ser preparar melhor para o mercado de trabalho, caso você deseje trabalhar com servidores Linux, claro, ou simplesmente para saber dar algumas indicações em caso de necessidade.

O termo "servidor" é, por si só, muito vago. O ponto importante é atividade que "o dito cujo" irá realizar, em outras palavras, "o que ele irá servir". 

Certamente existem distribuições construídas para atender determinadas demandas que são excelentes, como RockStor, Open Media Vault, Zentyal, etc. Na verdade, qualquer distribuição Linux com foco em servidores pode ser aplicada para cada uma das atividades que existe uma solução desenvolvida especificamente, basta aprender a configurá-la e colocar o serviço para funcionar.

Na lista de hoje entrarão distribuições Linux que podem ser usadas para propósitos genéricos e são reconhecidas no mercado como excelentes opções.

- Debian


O Debian é uma das principais distribuições Linux do mundo, utilizada por grandes projetos de missão crítica, como os sistemas que controlam a estação espacial internacional. Naturalmente todas as distribuições focados em servidores são estáveis, mas este é um assunto que o Debian leva muito a sério, a ponto de você relacionar as duas palavras facilmente. Precisa de um servidor estável? O Debian é uma ótima opção!


O "filho do Debian" também tem lugar garantido neste segmento. O sistema é também um dos mais populares no mundo dos servidores, utilizado em vários sistemas onde intermitência é importante, como laboratórios de meteorologia. Por ser muito popular nos desktops também, é certamente um local com muita documentação e tutoriais, assim como o Debian, para se começar a planejar o seu servidor.


Mudando para "o lado RPM da força", começamos com o Red Hat EL, mantido por uma da maiores empresas do mundo nos segmento de infraestrutura de T.I utilizando tecnologias Open Source. O Red Hat é tão confiável e estável que é utilizado para controlar os submarinos do exército dos EUA, mas claro, sua aplicabilidade não se resume aí.


Curiosamente, a popularidade do RHEL faz com que o CentOS seja tão famoso quanto. O CentOS é conhecido como " a versão grátis do Red Hat" e é usado largamente por serviços de Hospedagem, como os nossos amigos da HostGator, que atuam em vários locais ao redor do mundo.

Pela grande documentação presente para o Red Hat Enterprise Linux ser correspondente ao CentOS, ele também costuma ser a escolha para infraestrutura de diversas empresas de tamanhos diferenciados.


A SUSE é uma das empresas pioneiras no uso do Linux e de software Open Source para infraestrutura. Atualmente a empresa atravessa uma nova e interessante fase, com maior orçamento e independência e é extremamente popular, especialmente na Europa. O Yast (Yet Another Setup Tool) talvez seja a "feature killer" do SUSE para o mercado.

Repare uma coisa...


Repare que eu não coloquei números na minha lista, especialmente porque eu não acredito que exista uma ordem de "melhor para pior" ou vice e versa, estas são, sem dúvidas, as mais famosas distros do mercado, entretanto, elas não são as únicas, outras que poderiam entrar facilmente numa lista como esta são o Oracle Linux, da Oracle e o ClearOS, da Intel, entre outras, mas de toda forma, a lista precisava ter um fim.

As informações aqui contidas podem te ajudar a dar uma direção para os seus estudos e testes de sistemas operacionais, seja para se preparar para o mercado de trabalho, seja para uma certificação. Apesar disso, nada impede que você tenha um favorito, qual a versão do Linux que você mais gosta de usar em servidores?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



SUSE e Microsoft colaboram para o primeiro Kernel Linux Enterprise otimizado para o Azure

Nenhum comentário

sábado, 15 de setembro de 2018

A SUSE, anunciou nesta quarta-feira (12) a disponibilidade do primeiro kernel Linux enterprise, desenvolvido sob medida para o Microsoft Azure. As instâncias on-demand do SUSE Linux Enterprise Server (SLES) 15 agora são executadas em um kernel personalizado para cargas de trabalho no Microsoft Azure, proporcionando desempenho aprimorado e inicialização mais rápida, além de redução no espaço ocupado na memória.


 SUSE e Microsoft colaboram para o primeiro Kernel Linux Enterprise otimizado para o Azure






O kernel otimizado para o Azure permite acesso mais rápido aos novos e futuros recursos
do Azure, que foram ajustados para os clientes serem mais ágeis. Com objetivo de gerenciar
complexidade, reduzir custos e fornecer serviços essenciais aos negócios que potencializam
a transformação digital dos clientes, a SUSE está trabalhando com a Microsoft e outros
parceiros.


"A colaboração da SUSE com a Microsoft se baseia em atender às necessidades em
constante evolução dos clientes, permitindo inovações e minimizando a interrupção de seus negócios", afirma Gerald Pfeifer, vice-presidente de Produtos e Programas de Tecnologia da SUSE. Os usuários da nuvem pública otimizada do SLES para Azure são um resultado direto da abordagem 'open' do open source da SUSE, que busca resolver os desafios reais do cliente".

Os clientes podem esperar que o SUSE Linux Enterprise Server 15 tenha benefícios de desempenho mensuráveis, incluindo uma rede com um rendimento potencialmente 25% mais rápida e uma redução de 23% na latência média. Por padrão, as instâncias do SLES 15 no Azure serão executadas nesse kernel personalizado, embora os clientes tenham a flexibilidade de alternar facilmente para o kernel padrão usando o gerenciador de pacotes Zypper.

Além do núcleo otimizado, os clientes que utilizam o SLES no Azure se beneficiam de várias ferramentas e recursos para implantação nativas da nuvem, que fazem parte do SUSE Public Cloud Module, como a capacidade de gerenciar recursos do Azure por meio de prompt de comando do Linux.

O SUSE Linux Enterprise Server com o núcleo ajustado do Microsoft Azure já se encontra disponível no Azure Marketplace, com preços e suporte padrão. Para obter mais informações sobre o Azure e a SUSE, visite: www.suse.com/microsoft.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


SUSE lança novas ferramentas para o seu sistema Enterprise

Nenhum comentário

quinta-feira, 5 de julho de 2018

A SUSE, empresa por trás do SUSE Enterprise Linux (SLES) e a principal empresa no desenvolvimento do openSUSE Linux, lançou na última Quinta-feira (28/06) versões novas das suas ferramentas administrativas e do seu sistema operacional voltado para o meio corporativo.


SUSE lança novas ferramentas para o seu sistema Enterprise





O primeiro a ser apresentado foi o SUSE Linux Enterprise 15, que foi mostrado como um sistema operacional modular, onde foi pensado para tornar o TI da empresa mais simples e "multitarefas" (multimodal) que visa tornar a infraestrutura tradicional de TI mais eficiente e ter uma plataforma para desenvolvedores (Dev's) mais atraente, com isso a empresa que optar em usar o SUSE Linux Enterprise 15 (SLES) terá facilidades em implantar seus projetos, além de poder fazer as transições de cargas de trabalho crítico facilmente, sendo nuvens públicas ou privadas.

O SLES usa a arquitetura Modular+, que torna o sistema operacional apto para inovações do mercado e ao mesmo tempo sendo mais eficiente para a modalidade em ambientes de TI multimodalidades.

 Já a ferramenta apresentada com a sua mais nova versão, é a SUSE Manager, que tem o foco em redução de custos para se gerenciar o inventario de TI de uma empresa, como gerenciar os vários sistemas Linux em diferentes tipos de arquitetura de hardware, IoT, conteiners e plataformas de nuvem (cloud).


Com o SUSE Manager, a empresa consegue automatizar todo o ciclo logístico da área de TI, como aplicação de patches de correções, configuração de servidores Linux, assim tornando as implantações neles mais rápidas, consistentes e otimizadas, assim reduzindo os custos operacionais. Além de ter o monitoramento, rastreamento, auditorias e geração de relatórios dos sistemas, VM's e containers do seu parque de TI.

Por último foi apresentado uma versão do SUSE Linux Enterprise para alta disponibilidade, chamado de SUSE Linux Enterprise HPC 15 (High Performance Computing) que pretende suprir o mercado crescente nesse ramo, onde as empresas precisam de computação paralela flexível para escalabilidade para trabalhos de alto desempenho e análises de dados, como Inteligencia Artificial e Machine Learning (aprendizado de máquina, tradução livre), assim tendo uma fácil adoção no parque de TI da empresa.

Thomas Di Giacomo, CTO da SUSE, fez a seguinte declaração:

"À medida que organizações em todo o mundo transformam seus sistemas corporativos para adotar tecnologias modernas e ágeis, múltiplas infraestruturas para diferentes caragas de trabalho e aplicativos são necessárias. Isso geralmente significa integrar plataformas baseadas na nuvem em sistemas corporativos, mesclando desenvolvimento em container com desenvolvimento tradicional ou combinando aplicativos com microsserviços. Para unir a infraestrutura tradicional à definida por software, a SUSE criou um sistema operacional multimodal, o SUSE Linux Enterprise 15."

Espero que tenha gostado, aguardo você até uma próxima oportunidade, forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo