Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador Tutorial de Remasterização do Ubuntu. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Tutorial de Remasterização do Ubuntu. Mostrar todas as postagens

PinguyBuilder - A nova alternativa ao Remastersys

Nenhum comentário

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Você estava com saudade do Remastersys? De fazer os seus backups e remasterizações? Parece que o pessoal do Pinguy OS também estava e eles deram um jeito nisso com o PinguyBuilder.

PinguyBuilder

PinguyBuilder - Customize a sua própria versão do Ubuntu


Para as pessoas que gostam de fazer remasterizações do Ubuntu, eis aqui uma ferramenta interessante. Quer saber de outro fato interessante? Há quanto tempo você é leitor do blog Diolinux? Será que já fazem mais de dois anos? Estou perguntando porque em 2013 eu fiz um tutorial, aliás, foi série de tutoriais (13 no total) ensinando você a remasterizar um sistema usando o Remastersys, mas como sabemos ele foi descontinuado (ou continuado a trancos e barrancos por terceiros), porém agora temos o PinguyBuilder e todo o meu tutorial voltou a ser útil! 

Leia também: Como criar uma distro baseada no openSUSE

O que é o PinguyBuilder?


Basicamente ele é um fork do Remastersys, ou uma cópia se você preferir, a principal diferença é que  ele foi compatibilizado com as versões mais recentes do Ubuntu. O programa é uma ferramenta muito interessante que permite que você gere uma ISO completa do sistema instalado, preservando as suas configurações e programas, desta forma, você pode tanto criar um backup de todo o seu sistema como criar uma remasterização dele para distribuir para as pessoas.
Recomendada a leitura: 13 artigos para ensinar você a criar a sua própria remasterização do Ubuntu
O PinguyBuilder tem este nome peculiar por conta da distribuição que deu o nome a ele, parece que o pessoal do Pinguy OS precisava do programa para continuar fazendo a distro e então eles mantiveram o projeto do Remastersys vivo.

Para fazer o download do pacote .deb do PinguyBuilder basta acessar este link.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 13/Final: Gerando a ISO do seu sistema

Nenhum comentário

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Finalmente a criação do seu live CD

Olá pessoal, depois de 12 longos artigos nesta série finalmente chegamos a parte final onde você vai gerar a sua ISO e distribuir aos seus amigos.

Como dissemos no início de tudo isso, o base do sistema é o Ubuntu 12.04 LTS e à princípio o programa usado seria o remastersys, porém tivemos alguns problemas com ele e seu desenvolvimento estagnou, apesar disso, o programa continua disponível, porém ao que parece não tem mais suporte, então quando você baixar os pacotes faça um favor para si mesmo e guarde os mesmos para usar no futuro, só por garantia; ainda é possível usar o remastersys em todas as versões mais recentes do Ubuntu usando o repositório.

Diolinux OS

Vamos gerar a nossa ISO

Acredito que você tenha acompanhado esta série e tenha feito todos os procedimentos que lhe passamos até chegar aqui, logo, é muito simples gerar a ISO da maneira que você quiser, basicamente basta escolher a opção "Dist" dentro do Remastersys, mas se você está achando essa informação vaga talvez seja de seu interesse ler novamente o capítulo 2 onde explicamos passo-a-passo todas as características e funcionalidades do Remastersys.

A parte do Remastersys já havia sido explicada em detalhes como você pôde conferir no artigo do link acima, sendo que então o real motivo é lhes apresentar uma boa alternativa que encontrei para o Remastersys, na verdade tenho duas novidades, uma é o Systemback, outra é o Remaster, que é um fork do Remastersys.

Systemback

Técnicamente o Systemback é um software de backup, um dos melhores, sua interface não é a mais bela do mercado mas ele é o que tem mais recursos e por isso eu costumo usá-lo em meus computadores, o caso é que um dos recursos do Systemback nos permite criar uma ISO Live do sistema atualmente instalado.

Primeiramente instale o Systemback no sistema que você deseja gerar a ISO.

Depois de instalado você verá a imagem abaixo, ou algo semelhante.


A tela acima é a tela inicial do Systemback e nela existe uma opção chamada "Criar sistema Live" e é está opção que você deve selecionar.

Uma vez que você clique nesta opção a tela abaixo vai abrir-se.


E aqui você precisa entender algumas coisas:

1 - É onde o sistema live será gerado, você pode alterar a configuração se quiser mas recomendo gerar neste diretório mesmo de forma que ele os dados dos usuários do computador não seja misturados.

2- É onde você define o nome do LiveCD/DVD, se você deixar no "autor" o próprio Systemback tratará de dar um nome para ele, no nosso caso colocamos o nome da distro ou remasterização que estamos fazendo, por exemplo "Diolinux OS"

3- Essa opção permite que o usuário use os dados e configurações do seu usuário e os leve para a ISO, isso pode ser feito desde que você queira criar um sistema para uso próprio e que não vá distribuir à ninguém, afinal você não quer o seus dados nas mãos de estranhos não é? E outro cuidado que deve ser tomando é, se você tem muitos arquivos dentro da sua home pode não compensar fazer um backup desta forma pois a ISO ficará muito grande, com muitos Gigas, caso você queira criar uma distro Linux para distribuir para as pessoas NÃO marque essa opção e veja como fazer com que as suas configurações de temas e ícones sejam mantidas no artigo anterior a este.

4- Este campo serve apenas para você visualizar os dados existentes do diretório de backup.

5- Para criar o seu sistema propriamente dito basta clicar no botão "Create New" e aguardar porque demora um bocado, especialmente se você tiver muitos dados para ser passados para a sua distro, pelo que percebi o processo é mais demorado do que quando feito pelo Remastersys mas mesmo assim fica bem bacana.

6- Quando você gera o seu liveCD, no passo anterior, você não gerar uma ISO diretamente e sim os arquivos que a compõem, para que você tenha uma ISO e possa gravar ela em um CD ou DVD você pode selecionar os arquivos no campo 4 e clicar então em "Convert to ISO", aguarde a conversão e você terá o seu LiveCD/DVD dentro do diretório em questão.

Uma dica extra para o Systemback é a tela de Splash que é atribuída por padrão pelo programa.


Caso você não altera essa imagem ela aparece na tela de seleção do Grub na sua distro, você deve alterar por uma outra com as mesmas dimensões e mesmo nome antes de criar a distro nos passos acima.
Ela se encontra no diretório:
/usr/share/systemback/
A imagem e chama "splash.png" e você deve substituir ela por outra com o mesmo nome e de dimensões 640x480.

Um terceira opção não testada

Bom pessoal, com este artigo estamos finalizando uma longa série de tutoriais, em breve farei um artigo unindo todas as partes mas você pode ver todas elas por esta tag.
Uma última dica que eu dou é usar o fork do Remastersys chamado Remaster e produzido por um brasileiro, eu ainda não tive a oportunidade de testar o programa mas ouvi bons relatos de alguns usuários, eu já sabia dele faz alguns meses mas ainda não tive tempo de fazer uma análise mais à fundo, por isso não vou fazer nenhuma análise ou explicação sobre ele, pelas imagens que vi o funcionamento deve ser semelhante ao "Remastersys Oficial".


Até a próxima, um grande abraço e qualquer dúvida use a sessão de comentários ou as redes sociais abaixo para entrar em contato, pretendemos transformar todo este material em um livro com informações e dicas extras, se você tem interesse neste assunto aguarde mais um pouco, logo teremos um material de qualidade disponível para a compra.

Acreditamos que todas as informações necessárias para você criar a sua própria distro está disponível por toda esta série, bom proveito! =)

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 12: Limpando o Lixo e preparando o sistema para gerar a ISO

10 comentários

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Ajustes finais na sua distro

Olá pessoal este acredito que seja o penúltimo tutorial antes de criarmos a nossa ISO com a distro Linux que estamos personalizando a certo tempo já.
Hoje vamos lhe dar algumas dicas valiosas para a geração da ISO.

Limpando pacotes desnecessários

Limpando pacotes inúteis

Quando modificamos o sistema, instalamos e desinstalamos programas o resíduo de bibliotecas e pacotes pode se manter no sistema, mesmo que indevidamente. Por exemplo, quando você instala alguns pacotes via APT o cache dos pacotes fica no sistema para um possível reinstalação, até que você os remova. 

O Problema, se você não remover estes pacotes eles serão gravados na criação da ISO aumentando drasticamente o tamanho da ISO, em alguns casos pode ser muito mais do que 100 MB. Então para remover os pacotes antes de criar a ISO use estes comandos:
sudo apt-get autoclean
sudo apt-get autoremove
Estes dois comandos realizarão a limpeza, mas você pode usar um App como Bleachbit para fazer uma limpeza mais profunda.

Para remover bibliotecas obsoletas use o DebOrphan.

Dica para manter as modificações visuais que você fizer como padrão na sua ISO

Este é um detalhe importante pois ele vai tornar a sua distro única, caso contrário você apenas vai criar um Ubuntu cheio de pacotes pré-instalados e sem uma identidade visual única.
Para manter as configurações que você fizer você na sua distro como, tema, ícones, posicionamento de programas na Dash ou no menu, em fim, todas as configurações você deve mover os arquivos de configuração presentes dentro da sua pasta home para um diretório especial chamado SKEL.

Para isso faça o seguinte, abra o terminal e cole o seguinte comando:
gksu nautilus
O Nautilus vai se abrir, navegue até a sua pasta de usuário e exiba os arquivos ocultos, copie todo o conteúdo para a pasta /ETC/SKEL
E pronto! Desta forma as suas personalizações ficarão salvas.

No próximo capítulo abordaremos a criação da ISO, até a próxima!

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 11: Gerenciadores de Programas

2 comentários

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Qual "Central de Programas" devo usar?

Olá pessoal, retomando a nossa série que vai te ensinar a criar uma distro baseada no Ubuntu, estamos quase chegando no final e vamos efetuar os últimos ajustes agora.

Central de Programas do Ubuntu


A Central de Programas do Ubuntu hoje é referência e um exemplo a ser seguido de praticidade para instalar programas no Linux, tanto que depois de Ubuntu usar este recurso muitas outras distros passaram a usar os seus respectivos centros de softwares, mas é melhor mesmo usar o Central do Ubuntu?

Qual Central de Programas escolher?

Na prática, em qualquer distro baseada no Ubuntu e que utilize os seus repositórios é possível instalar o Ubuntu Software Center através do comando:
sudo apt-get install software-center
Muon Software Center


Mas se você usa distribuições baseadas do KDE, seguindo nossos exemplos leia-se Kubuntu, a Central de programas pode não ser a melhor a opção, apesar de ser uma excelente alternativa.
Se você usar o Ubuntu recomendamos usar a boa e velha Central de Programas que vem juntamente com a distribuição, opcionalmente você pode instalar a Central de Programas do Linux Deepin, que também é uma excelente opção, fizemos isso no Diolinux OS 2 LTS e se você quiser aprender a instalar na sua "custom distro" você pode fazer isso por aqui.

Deepin Software Center


Se você usa o KDE é recomendado usar o Muon Software Center que apesar de não ser muito "bonito" é muito leve e funcional além de ter uma integração já com o Kubuntu.

Use o Synaptic

O Synaptic é uma das melhores invenções já feitas em ambientes Linux, sendo que as "Centrais de Programas" que apareceram depois dele são praticamente um interface "mais bonitinha" para o mesmo.

Perto da Central de Programas o Synaptic pode ser considerado "difícil" e uma ferramenta um pouco avançada para iniciantes, tanto que ele foi removido do Ubuntu, à alguns anos atrás ele vinha como parte da distro, mas nada impede que você use ele como ferramenta principal para instalar pacotes removendo outro centro de software ou você pode usá-lo como ferramenta auxiliar para os usuários que querem ver o nome de cada pacote que estão instalado na distribuição se sentirem satisfeitos, a escolha de um ou outro depende de você e qual o "ar" que você quer dar à sua distribuição, se ela será algo "mais simples" ou "mais hardcore".

Synaptic no Ubuntu


Nada impede que você use os dois, eu mesmo adoro a praticidade da Central de Programas mas em alguns casos prefiro fazer as coisas pelo Synaptic.
Para instalar o Synaptic no Ubuntu ou derivado, use o comando abaixo:
sudo apt-get install synaptic

Uma distro mais simplista sem gerenciador gráfico

Cada um com as suas ideias e quem sabe possa não querer usar um gerenciador gráfico e instalar e gerenciar pacotes apenas usando o APT - Veja aqui uma coletânia de dicas sobre o Apt-get -  para isso você precisa remover a Central de Programas do Ubuntu:
sudo apt-get remove software-center
Porém atenção nessa parte, e vejam a ironia, eu recomendo usar o Synaptic que desinstalar a Central de Programas do Ubuntu para você saber quais pacotes são afetados, normalmente tudo corre bem mas se por um acaso ela pedir para remover mais pacotes dos que os que devem ser removidos tome cuidado no que você vai desinstalar, pois isso pode prejudicar o sistema, especialmente se o pacote Ubuntu-desktop estiver relacionado, se estiver NÃO CONTINUE!

Depois de desinstalada a Central de Programas você pode remover o Synaptic também e ficar sem nenhum gerenciador, no terminal:
sudo apt-get remove synaptic
Pronto! Agora sempre que você quiser instalar algo terá de recorrer ao terminal.


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 10: Gerenciadores de Login

Nenhum comentário

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Mais um passo para você ter a sua própria Distro customizada

Olá pessoal, dando continuidade a nossa série, hoje vamos tratar uma parte muito importante para o sistema, os gerenciadores de login.
Os gerenciadores de login são softwares que gerenciam o inicio de sessão do nosso sistema, "trocando em míudos", é onde você escolhe o usuário e digita a senha para logar no sistema, logo depois dele ser iniciado. 
Eu particularmente não altero muito essas configurações, mas você pode querer alterar, e mais, poder querer mudar o seu gerenciador de login, e isso no Linux é perfeitamente possível.

Ubuntu logo


Vamos conhecer as opções

Como este tutorial se destina a pessoas com conhecimentos mais avançados não foi me deter muito explicando alguns detalhes que eu considero óbvios, como onde digitar comandos e coisas do tipo.
Dentre as opções de gerenciamento de Login para o Ubuntu, que é a distro que escolhemos para fazer este tutorial à 9 artigos atrás estão.

LightDM

Que é o próprio Gestor de Login do Ubuntu, portanto você não precisa instalá-lo, para alter as configurações do LightDM você deve mexer nos arquivos que estão dentro da pasta /etc/lightdm, nesta pasta você encontrará os arquivos de configuração e neles você poderá por exemplo habilitar ou não habilitar determinados usuários, mas se você pretende alterar a aparência do LightDM a pasta que você procura é a /usr/share/unity-greeter, nela você encontrará as imagens do LightDM e você poderá substituir as mesmas por outras de mesmo tamanho, a dica é manter o mesmo nome do arquivo original, modificando apenas a imagem para que não haja conflitos.

GDM

Este é o gereciador de Login do Gnome, e ele foi muito utilizado pelo Ubuntu até a versão 11.04 se não me falha a memória, ele é um gestor mais simples e mais leve e pode ser instalado usando este comando:
sudo apt-get install gdm
Durante a instalação será aberto um terminal interativo onde você deve escolher qual gestor de Login você deseja usar como padrão, escolha o GDM e pronto, agora você tem outro gestor de login, essa dica vale para os próximos gestores que formos utilizar, é bom atentar também para o fato do GDM, assim como os outros gestores que iremos mostrar baixarem mais pacotes que são suas dependências.

KDM 

Este é o gestor de Login do KDE, para instalar use:

sudo apt-get install kdm

Assim como o GDM ele irá baixar outros pacotes para suprir as suas dependências e este eu não recomendo você usar na sua distro, a menos que você esteja usando o Kubuntu como base, a vantagem de se usar o KDM é a fácil personalização que pode ser feita usando temas que o próprio sistema dispõe para a instalação.

MDM

O MDM é o gestor de login do Linux Mint e na sua última versão está muito bonito e personalizável através de temas, como ele é feito usando HTML5 ele proporciona inúmeras opções de animações e temas, mais informações sobre como instalar e como aplicar os temas aqui.

Se você quiser ler os outros artigos que complementam e explicam melhor como criar uma distro Linux acompanhe a nossa série por aqui.


Até a próxima!
Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 9: Editando Menus

Nenhum comentário

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Mais um passo para criar a sua distro

Olá pessoal, depois de um pausa maior do que deveria ser, a nossa série de tutoriais de remasterização está de volta, e para refrescar a memória dos que já esqueceram tudo o que foi postado vale lembrar que este já é o nono artigo, portanto, você tem muita leitura pra fazer antes de continuar.
Para quem está chegando agora cabe dizer que esta série está sendo feita a pedido dos leitores e usuários do Diolinux e do Diolinux OS, respectivamente, depois que começamos a fazer essas Remasters do Ubuntu muitos mandaram e-mails pedindo tutoriais para que pudessem criar as suas próprias customs, e como nós gostamos de aguçar a criatividade da galera estamos desenvolvendo esta que você está lendo e o tema de hoje é: Menus.

Ubuntu-logo-novo


Por que modificar um Menu?

Modificar um Menu os menus da distro pode torná-la mais fácil de usar, mas certamente o principal motivo é a personalização visual, mudar determinados ícones ou adicionar determinados atalhos, excluir outros, etc.
Para modificar os Menus do Ubuntu recomendamos dois programas, ambos com boas qualidades, dê uma olhada em ambos e escolha o seu preferido:
Eles podem ser úteis em situações específicas, com por exemplo, você aplica um dos muitos temas que temos aqui mas não gosta do ícone de um programa específico, com estes editores você pode modificar o ícone do software.

Como conselho, para organizar melhor os ícones alternativos, crie uma pasta oculta dentro do diretorio home como uma pasta oculta.

Para ocultar uma pasta no Linux basta adicionar um . ( ponto ) antes do nome da pasta: .exemplo
Procure imagens preferencialmente em PNG com o fundo transparente, se você for bom de design gráfico pode usar o GIMP para fazer os seus próprios ícones, temos duas dicas para dar um upgrade no seu GIMP.


Editor de Menus Ezame

Independente de qual dos programas você escolher a maneira de operá-los é semelhantes, depois de instalados você pode abrir ambos pela Dash.
Para editar algum Menu basta clicar sobre ela no lado esquerdo, do lado direito aparecerão as possibilidades, como mudar o seu Nome, ocultar ou mostrar e muitas outras, isso vale para os programas nos menus também.

Até a próxima e logo logo tem mais!


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como instalar o SystemBack no Ubuntu - Faça Backups ou crie livecds facilmente

Nenhum comentário

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Um programa muito bom para fazer Backup e muito mais


SystemBack é uma aplicação de Backup semelhante ao Deja-up que é padrão do Ubuntu, mas quando digo semelhança é referente a funcionalidade, que é fazer Backups, mas o Systemback tem muito mais recursos que a ferramenta default do Ubuntu.

Systemback Ubuntu

O Systemback se mostra uma das melhores ferramentas para este nicho de backups, por ser fácil de usar e cheio de recursos.
Com ele você pode copiar o seu sistema completamente, incluindo os seus arquivos de usuário ( ou não ) e depois restaurar, criar pontos de restauração para voltar o sistema a um data anterior semelhante ao que acontece com a restauração do sistema do Windows.
Pode até criar uma ISO inicializável, muito útil com o projeto do Remastersys estacionado para criar a sua própria distro Linux.



O PPA abaixo serve para instalar o Systemback em qualquer versão do Ubuntu - Saiba mais sobre PPA.
Abra o seu terminal e cole os seguintes comandos abaixo:

sudo apt-add-repository ppa:nemh/systemback
sudo apt-get update
sudo apt-get install systemback
Até a próxima pessoal!

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 8: Configurando um novo tema Plymouth

Nenhum comentário

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Deixando a tela de inicialização à seu gosto

Olá pessoal, estamos retomando a nossa série que vai te ensinar a customizar e fazer a sua própria versão do Ubuntu, este já é o oitavo capítulo e vai tratar das customizações do Plymouth, é recomendado que você leia antes os capítulos anteriores.


  1. Introdução
  2. Baixando o Ubuntu e instalando o Remastersys
  3. Configurações e Opções do Remastersys
  4. Primeiros Ajustes, Definindo e Planejando
  5. Dicas de configuração e Ambiente de Trabalho
  6. Programas para fazer Tweaks
  7. Adicionando novos Wallpapers

O Plymouth é aquela famosa dela de inicialização do Ubuntu e de outras distros, se você não sabe do que eu estou falando confira a imagem abaixo:

Ubuntu-Plymouth

Esta é uma das partes que mais caracteriza a distribuição e por isso é importante, hoje vou mostrar da maneira mais fácil possível como você pode instalar novos temas e modificar o Plymouth.

A maneira mais fácil de instalar um novo tema Plymouth é instalar pelo Synaptic:

sudo apt-get install synaptic
E procure por Plymouth Themes:

Instalação de Plymouth Themes no Ubuntu

Instale o que você preferir, também é possível encontrar internet afora outros temas, dê preferência por temas que venham empacotados em arquivos .deb.

Depois de instalado rode o comando:

sudo update-alternatives --config default.plymouth
E escolha através do número o tema que você deseja:


Os arquivos do Plymouth fica dentro da pasta /lib/plymouth/ portanto se você quiser fazer alguma edição como trocar a imagem de plano de fundo ou ícone de exibição pode ser feita apenas substituindo os arquivos originais por outros modificados mais com o mesmo nome dos arquivos originais.
E finalmente para confirmar todas as modificações rode o seguinte comando:



sudo update-initramfs -u
É mesmo muito simples, até mais!

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 7: Adicionando novos Wallpapers ao Ubuntu

Nenhum comentário

terça-feira, 4 de junho de 2013

Coloque os seus próprios Wallpapers na sua Distro

Olá leitor! No artigo anterior eu havia prometido que o próximo seria sobre Wallpapers, portando cá estou eu para falar disso.
Uma parte importante da customização com toda a certeza são os wallpapers, por mais simples que possa parecer este Tweak ele é importante para deixar a sua Remaster com uma cara um pouco diferente.

default-location-wallpapers-ubuntu

Como adicionar Wallpapers personalizados no Ubuntu

Os papeis de parede do Ubuntu ficam localizados no seguinte diretório:

/usr/share/backgrounds
Então para adicionar mais wallpapers ao Ubuntu basta movermos os arquivos de imagens para esta pasta, porém, temos duas situação a se considerar:

1- Você quer apenas adicionar mais alguns wallpapers

2- Você quer substituir os Wallpapers pelos seus próprios

Se o seu caso for o primeiro é muito simples e não vai te dar muito trabalho, tenha em mente todas as imagens que você deseja adicionar aos Wallpapers do Ubuntu, de preferência coloque-as todas em uma pasta de fácil acesso e então abra o Nautilus como Root:

gksu nautilus
Digite a sua senha de Root e agora navegue até onde você salvou as imagens que farão parte da sua coleção de Wallpapers, recorte os arquivos ou copie e cole dentro do diretório de backgrounds do seu Ubuntu ( /usr/share/backgrounds ) e pronto! Seus novos Wallpapers estarão disponíveis no seletor de plano de fundo.
Já se a sua ideia de customização for o segundo caso, você terá um pouco mais de trabalho, e existem duas opções:

A Mais Fácil

Você irá levar as imagens que você deseja que sejam os novos Wallpapers da sua distro até a pasta citada no parágrafo anterior e irá substituir os nomes dos mesmos pelo nome das imagens originais, exemplo:
Um dos Wallpapers Padrões do Ubuntu chama-se "Ubuntu.png" e o seu Wallpaper personalizado chama-se "Wallpaper.png" você simplesmente vai modificar o nome do Ultimo para "Ubuntu.png", porém antes você deve alterar o nome do arquivo original para que não haja conflito de nomes, depois da modificação você pode simplesmente apagar o arquivo original e no seletor de planos de fundo a sua imagem renomeada vai aparecer no lugar na original, faça isso com todos os wallpapers que desejar substituir.

A Mais difícil mas mais profissional

Você deve ter percebido que é necessário trocar apenas o nome de associação da Imagem para que o procedimento funcione, porém para alterar a Imagem e colocar um nome próprio será preciso editar um arquivo XML dentro do diretório /usr/share/gnome-background-properties o nome do arquivo vai variar de acordo com a versão do Ubuntu que você estiver utilizando. O restante do procedimento é igual ao item acima.
Um outro detalhe importante são as transições automáticas de Wallpapers que o Ubuntu tem, dentro da do diretório /usr/share/backgrounds existe ainda uma pasta chamada Contest dentro dela você encontra um outro arquivo XML responsável pelas transições você vai precisar alterar os nomes dos wallpapers nesse arquivo também para os nomes que você colocou nas imagens, caso contrário você verá alguns "quadrados pretos" no seletor de wallpapers, quando clicar em plano de fundo na área de trabalho.

Basicamente é isso pessoal, com essas modificações você poderá modificar os wallpapers padrões do Ubuntu, lembrando que nos arquivos XML supracitados você deve apenas mudar o nome do arquivo e a sua localização, com um pouco de paciência você entenderá que o mecanismo é relativamente simples.

Dicas para Wallpapers de Qualidade

Você não deve usar qualquer imagem como Wallpaper, obviamente além da imagem ser "bonita" ela deve ter uma boa resolução, de preferência acima de 1600X1200 assim você abrangerá praticamente todo o tipo de monitor e terá um desktop mais bonito.
Aqui no Diolinux todo o mês nós lançamos um pack contendo wallpapers com algum tema, normalmente sugerido pelos leitores, confira algumas imagens clicando aqui.

É isso pessoal, até a próxima onde falaremos dos temas Plymouth.

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 6: Programas para fazer Tweaks

Nenhum comentário

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Algumas dicas que vão te ajudar a fazer pequenos ajustes

Olá pessoal, dando sequência a nossa série de tutoriais de "Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu" chegamos a uma parte muito interessante e sem dúvidas, importante.
Se você perdeu os capítulos anteriores clique aqui para lê-los e depois volte aqui.

Ubuntu Tweak

Aplicações para facilitar a sua vida

Existem algumas aplicações para facilitar os ajustes que você quer fazer, especialmente no Unity, são elas:

Ubuntu Tweak Tool

Unity Tweak

Gnome Tweak Tool ( para Gnome Shell)

Cinnamon e KDE tem ferramentas próprias de profunda customização.

Com o Ubuntu Tweak, principal ferramenta de customização você vai poder fazer ajustes do desktop a seu gosto, limpeza de arquivos inúteis e muito mais outras coisas
Com o Ubuntu Tweak ainda é possível instalar aplicações como o Opera e o Skype pelo repositório.
Em fim, são muitas as possibilidades, vale a instalação e o uso, considero esta uma ferramenta indispensável para todo Tweaker.

Este artigo vai ficando por aqui, no próxima abordaremos a troca de wallpapers padrão do sistema, os últimos artigos serão um pouco menores mas serão direto ao ponto em sua maioria, fique de olho no blog, logo postaremos o próximo capítulo, até mais.


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 5: Dicas de configuração de ambiente de trabalho

Um comentário

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Deixando o Ubuntu do jeito que você quiser

Olá leitor, estamos retomando a série que vai te ajudar a criar uma distro baseada do seu sistema operacional favorito, o Ubuntu. Se você perdeu os outros capítulos da série você pode acessas os mesmo aqui: Parte 1, Parte 2, Parte 3 e Parte 4.

Ubuntu


No artigo de hoje vamos abordar alguns aspectos de personalização do Ubuntu, como temas. ícones e instalação de diversos ambientes gráficos.

O problema da descontinuação do Remastersys 


Como deve ser sabido dos leitores que frequentam o blog com frequência, o desenvolvedor do Remastersys pretende descontinuar o Software, por alguns motivos não especificados, o Remastersys é a base dos nossos tutoriais e a sua inexistência implica na finalização deste conteúdo, porém encontrei uma alternativa viável, não tão completa quanto o Remastersys, falarei mais sobre isso no final desta série.

Continuando... vamos ajustar o Unity!

O Unity é a interface gráfica que acompanha o Ubuntu desde a sua versão 11.04 e ela vem sendo melhorada, polida e lapidada versão após versão, hoje o Unity é o meu ambiente de trabalho favorito tanto que ele se manteve como padrão da nossa remasterização, o Diolinux OS.

Unity Ubuntu logo

Você é livre

Seria muito complica detalhar todas as possíveis configurações do Ubuntu com a interface Unity, para fazer isso seria necessário muito ( realmente muito ) mais do que os artigos que estamos escrevendo, por isso personalizações mais simples vamos deixar a cargo da sua imaginação, afinal o sistema vai ter a sua cara não é verdade?
O que vamos fazer e trazer algumas dicas de personalizações específicas:

Um Tweak bacana para o Unity é o de mudar o logo do Ubuntu na Dash no Unity, para fazer isso dê uma olhada neste tutorial. 
Obs: Para essa modificação é necessário atentar para o número da versão do Unity que está no comando do artigo. Para saber qual a versão do seu Unity, utilize o comando:
unity --version

Temas e ícones 

Existe uma variedade imensa de temas e ícones para o Ubuntu, nas últimas versões a única coisa que você tem que realmente atentar é usar temas GTK3 que são as bibliotecas mais recentes do Gnome, presentes no Ubuntu desde a versão 11.10.

Sugestões de temas e ícones:

Como gosto não se discute, vamos lhe dar duas listas enormes de postagens com diferentes temas de ícones, escolha os que mais lhe agradarem, se você é conservador pode muito bem deixar os ícones padrões do Ubuntu.



Para temas de GTK, que é parte que vai dar nova vida para o seu Ubuntu, ou deixar ele feio pra caramba nós também temos uma enorme seleção para que você possa decidir qual instalar.


E se eu não quiser usar o Unity?

Ótimo, uma das vantagens de se usar Linux é poder trocar a interface gráfica do sistema, podermos usar o Gnome, Cinnamon, KDE e outros, porém vou abordar apenas estes ambientes anteriormente citados pelo simples motivos de ser os que eu conheço melhor.

Gnome no lugar no Unity

Gnome Shell logo


Se você quiser usar o Gnome no lugar do Unity existem duas opções, ou você instalar o Gnome Shell no Ubuntu ou você baixa o Ubuntu Gnome Remix. Se você quiser usar o Ubuntu com Unity e depois instalar o Gnome você pode seguir este tutorial para instalar o Gnome completo e depois este tutorial para remover o Unity sem quebrar o seu sistema.

Personalizando o Gnome Shell

Os temas para Gnome são diferentes do temas para o Unity, alguns temas são genéricos, mas a maioria tem as suas especificações, aqui temos 15 temas diferentes para você deixar o Gnome com o seu gosto e com uma aparência totalmente diferente.

Outra coisa que faz muito diferença são as extensões para o Gnome Shell, como elas você vai conseguir alterar o comportamento do ambiente de trabalho, confira algumas sugestões aqui.

Cinnamon no lugar do Unity

O Cinnamon é um ambiente gráfico que vem crescendo muito, se tornando a cada versão mais maduro e mais estável, o ambiente gráfico foi criado pela equipe do Linux Mint, liderada por Clement Lefevbre e tem como objetivo trazer até você, usuário, um desktop tradicionalista e ao mesmo tempo cheio de novidades e possibilidades de personalização.

Cinnamon no Ubuntu



O Cinnamon tem uma coisa muito bacana, chamada Cinnamon Spices, que para quem gosta de personalizar o sistema é um prato cheio, acesse o site de Spices Cinnamon.
Nós ainda temos algumas dicas para você personalizar o Cinnamon com Applets e Temas.

Uma outra opção para você usar o Ubuntu com Cinnamon é baixar o Ubuntu Cinnamon Remix.
Opcionalmente você pode também remover o Unity.

KDE no lugar do Unity

Se por outro lado você prefere usar o KDE no Ubuntu, aconselho instalar o Kubuntu diretamente, porém é possível instalar o KDE no Ubuntu também.

KDE 4


O KDE é um dos ambientes mais personalizáveis por natureza, existe uma infinidade de temas disponíveis para instalação diretamente pelos menus de configuração do KDE.
Como dicas adicionais, podemos citar uma coleção de painéis para o KDE e mais uma dica para otimização e desempenho.

E vamos encerrando este capítulo, até a próxima onde abordaremos outras configurações.

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 4: Primeiros ajustes, definindo e planejando

Nenhum comentário

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Para que você quer uma remaster?


Primeiramente você precisa fazer um planejamento do que pretendo fazer, pode-se fazer um roteiro do que a sua distro precisa ser, para isso é interessante responder a algumas perguntas:

- Minha distro usará qual ambiente gráfico?
- Ela terá ferramentas para Desenvoledores?
- Ela será voltada para usuários Iniciantes?
- Quais serãos os programas que ela vai trazer?
- Baseado na primeira resposta, qual será a aparência da mesma?
 E por último, mas não menos importante:
- Já existe alguma distro que traz os mesmos programas?

A resposta desta última pode definir se você deve realmente fazer isso ou não. Minha intenção não é te desencorajar, muito pelo contrário, é te conscientizar de que é inútil fazer algo que já exista, porém, se a sua ideia de fazer uma remasterização não seja a de criar uma "distro" e sim aprender, criar algo para si próprio esse tipo de coisa é muito válida..
Por exemplo, não precisamos criar uma distro baseada no Ubuntu colocando simplesmente o ambiente KDE, pois isso torna-se inútil, afinal o Kubuntu está aí para isso, se você pretende fazer algo assim, baixe diretamente o Kubuntu para ser a base da sua remaster, ele estará mais lapidado.

Qual ambiente gráfico escolher?

gnome-or-kde


Ambiente gráfico, assim como distro, é como roupa, cada um vai escolher a que se sentir melhor, a que melhor se adaptar, não posso dizer qual ambiente você deve escolher, por isso vamos trabalhar em nossos tutoriais os 4 ambientes gráficos que tenho mais experiência, Gnome Shell, Cinnamon, Unity e KDE.
Vocês verão que alguns dos Tweaks feitos são os mesmos, independentemente do ambiente que se escolha, mesmo assim vamos ter algumas sessões específicas para cada ambiente, como mudar os temas, instalar ícones, etc.

Primeiros ajustes e instalações


Como eu havia falado no primeiro post, vamos usar o Ubuntu 12.04 LTS para fazer a nossa rematerização, esta versão do Ubuntu vem com o Unity como interface gráfica, e por isso ele será o primeiro ambiente a ser trabalhado em nossos artigos.
Se por acaso, você deseja usar um ambiente gráfico diferente do Unity, recomendo instalá-lo antes de fazer as demais mudanças, assim você poderá ir adaptando-se com as mudanças que forem ocorrendo.
O próximo artigo, já tratará especificamente do Unity, porém algumas modificações podem ser feitas independente do ambiente, são elas:

baby-linguagem


Instalação do pacote de idiomas em PTBR:

Instale usando o comando:

sudo apt-get install gnome-pt-base

Este comando pode ser substituido pelo acesso ao "suporte a idiomas" no menu de configuração, por lá você pode baixar a linguagem que vem entender, se você não quer que os pacotes de idioma português brasil já esteja instalado você pode pular esta etapa. 
Para quem deseja usar o KDE, recomendo a instalação do pacote acima, pois mesmo sendo um pacote Gnome ele servirá para traduzir aplicativos como o GIMP e a própria Central e Programas do Ubuntu nesse ambiente, mesmo que você não use estes programas é recomendável instalar, pois quem for usar a sua remaster pode querer usar, assim ele já estará prontinho não é verdade?

Instalação de outros pacotes

Apt-get-a-life


Nessa fase você deve instalar todos os programas que você vai usar na sua remaster, você pode usar a Central de Programas ou o terminal, independentemente, o comando:

sudo apt-get install nome_do_pacote

Instala qualquer programa no sistema, Instale tudo o que você achar que deve instalar, aplicativos, Kernel etc.
Uma observação sobre o Kernel é que pelo menos até onde testei, o Kernel 3.8.X ainda não tem suporte do Remasterys, testei somente até o Kernel 3.5 Quantal LTS, e até aí tudo bem.

Importante fazer depois de instalar os pacotes anteriores


Quando instalamos programas no Ubuntu, ou derivados, os resíduos dos programas podem ficar no sistema e se você fizer isso pacotes desncessessários vão ser incluídos na sua ISO, 300 MB de arquivos inúteis muitas vezes, para reduzir/eliminar esses pacotes você usar o Ubuntu Tweak ou o BleachBit para limpar os arquivos, e pode limpar o cache pelo terminal:

sudo apt-get autoremove

sudo apt-get autoclean

Obs: Durante todo o processo tome cuidado para não deixar arquivos "soltos" pelo sistema, como uma imagem de print que você fez, histórico no navegador, entre outros; falarei disso quando estivermos finalizando esta série; outra dica importante é que mesmo você instalando o idioma PT-BR não desinstale o Inglês pois muitos aplicativos ainda não possuem tradução para o nosso idioma, se você desinstalar o Inglês eles podem ficar numa linguagem "muito pior", árabe por exemplo e você não vai entender absolutamente nada. #FicaAdica

Vamos encerrando o nosso tutorial por aqui, fique ligado, na próxima postagem falaremos nas modificações no Unity.

Até a próxima!


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo