Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador Ubuntu 20.04. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Ubuntu 20.04. Mostrar todas as postagens

Novo tema para o Ubuntu 20.04 está em desenvolvimento

Nenhum comentário

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Desde que mudou do Unity para o GNOME, a equipe do Ubuntu vem aprimorando o tema do sistema para ficar o mais harmonioso possível. Isso vem acontecendo desde o Ubuntu 18.10 com o tema Yaru, antes chamado de Ubuntu Community Theme.

Novo tema para o Ubuntu 20.04 está em desenvolvimento






O anúncio dos novos ares para o Yaru veio através de um post no blog oficial do Ubuntu, onde o líder do projeto Martin Wimpress comentou como é importante ter uma identidade visual para sistema. Ele comentou que a equipe do Yaru se reuniu em Londres, com o pessoal de design da Canonical e do Ubuntu Desktop para traçar o como seria essa nova identidade visual do sistema.



Também foi comentado que o Yaru está disponível para os usuários do Fedora e Arch. O Pop!_OS também foi citado, em que o seu tema foi baseado no Yaru. Outro ponto interessante mencionado por Wimpress, foi que eles receberam pedidos para “portarem” o Yaru para as outras flavours do Ubuntu, como também para o Linux Mint e Manjaro.

Um detalhe bastante interessante apresentado por ele, é que os botões de seleção, opção (check-boxes) e os switches (similar a um botão de ligar/desligar), vão deixar de serem na cor verde e ir para uma tonalidade de roxo (berinjela), como você pode ver na imagem abaixo.




Ele também tocou no assunto de que muitos colaboradores para o GNOME/GTK não utilizam o Ubuntu como base. Isso foi “percebido” na  GUADEC e na Linux Application Summit, em que os colaboradores desejam que os seus apps funcionem corretamente para os usuários Ubuntu, sem ter a necessidade de fazer dual boot ou “subir” uma VM para isso. Com esse feedback, para facilitar a integração, vai ser disponibilizado em flatpak um complemento do tema Yaru já presentes nos arquivos do Fedora e no AUR do Arch Linux. Para minimizar mais ainda alguma inconsistência em relação ao tema Yaru, ele foi alinhado ao upstream do Adwaita (tema base) no ano de 2019. Sendo introduzida as ações no GitHub, o Yaru vai receber automaticamente as novidades, correções e afins do Adwaita, reduzindo assim o tempo entre “sair” em um projeto e ser “habilitado” no outro.

Agora uma novidade que virá com o tema Yaru, é a variação em relação ao shell do sistema, como a barra superior, balões de notificações e afins. Vão ser 3 opções, uma Light (totalmente clara), uma Standard (barra dark mas o interior da janela branca) e uma totalmente Dark. Os desenvolvedores estão investigando como fazer essa troca sem precisar do logoff.


Por final, eles estão “experimentando” ícones alternativos para se adequarem aos temas light e dark que virão.




Para ver o post completo, você pode acessá-lo aqui.

Muito legal ver que o pessoal do Ubuntu Desktop está preocupado em dar novamente uma identidade visual ao sistema operacional, coisa que ficou marcante nos anos 2010 /2012 quando o Unity era a cara do Ubuntu, querendo resgatar agora e parece que estão conseguindo.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum. Espero você até a próxima, um forte abraço.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Novidades no GNOME Shell 3.35.3 incluem suporte ao Offloading da NVIDIA

Nenhum comentário
A próxima versão do GNOME Shell, a 3.35.3, como dizem por aí “está prometendo”, especialmente para quem está utilizando notebooks híbridos (Intel + NVIDIA), terá uma função facilitadora.

 Novidades no GNOME Shell 3.35.3 incluem suporte ao Offloading da NVIDIA





Essa versão do GNOME Shell pode ser uma das últimas antes da versão 3.36 que está prevista para o começo de fevereiro de 2020. Uma das novidades vindas nesta versão, é a tão aguardada funcionalidade para quem tem notebooks híbridos, em que você pode escolher qual programa usar a GPU dedicada. No caso do Gnome, seria através “de um simples click” do botão direito e mandar o programa abrir com a GPU. Até então, essa funcionalidade estava disponível para o driver open source, o nouveau, mas que agora vai conseguir trabalhar com o driver proprietário da NVIDIA.

Outro que recebeu correções, foi o Mutter, que na versão 3.35.3 recebeu uma correção na gravação de tela nas saídas HiDPI.

Outras melhorias e correções foram: 

● A funcionalidade “ver código-fonte” dentro do navegador Epiphany agora usa o highlight.js ;
● Epiphany agora tem suporte em mostrar PDFs usando a biblioteca PDF.js ;

● O GNOME Boxes introduziu um novo assistente para máquina virtual e um gerenciador de downloads.

● O Contas Online do GNOME tirou o suporte ao serviço Pocket.

Para ver todas as melhorias e modificações, você pode conferir aqui.

Muito provavelmente teremos essa versão do GNOME Shell já no Ubuntu 20.04 LTS, que será lançado em meados de abril. Isso já é muito bom, pois os donos de notebooks híbridos (estou incluso 😅) poderão testar como o sistema irá se comportar com as implementações da NVIDIA, que também poderá vir neste Ubuntu, o Xorg 1.20.6 ou o 1.20.7 que também contém as implementações. Nas outras, como Fedora, Manjaro, openSUSE e afins, já devem ter recebidos a versão do GNOME Shell.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum. Espero você até a próxima, um forte abraço.




Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

GNOME 3.36 vai trazer melhoras na trocas de GPUs em notebooks híbridos

Nenhum comentário

sábado, 14 de dezembro de 2019

2019 foi realmente um ano bem positivo para os usuários de notebooks híbridos, equipamentos esses que possuem duas placas de vídeo, uma do processador (iGPU) geralmente sendo da Intel e uma dedicada (dGPU) que em sua maioria é da NVIDIA.

GNOME 3.36 vai trazer melhoras na trocas de GPUs em notebooks híbridos






Primeiro começou com a notícia de que o Ubuntu 19.04 lhe daria a possibilidade de instalar o driver da NVIDIA já na formatação, baixando o driver e instalando ele. Depois veio que o Ubuntu 19.10 viria com o driver já incluso na ISO, assim facilitando a instalação offline. Por último, foi o Ubuntu 18.04.3 LTS incluindo os drivers também.

Depois, vimos a NVIDIA disponibilizar uma gama muito grande da sua documentação e assim facilitando a vida dos desenvolvedores do driver open source Nouveau. A matéria completa sobre esse marco, você pode conferir aqui.

Logo em seguida os desenvolvedores da NVIDIA trabalharam em cima do PRIME, tecnologia essa que permite o usuário usar a dGPU NVIDIA somente em alguns casos, como nos jogos, programas de renderização, no OBS Studio e por aí vai. Também fizemos uma cobertura “chuchu beleza” e você pode conferir através deste link.

Há 5 dias, segunda-feira dia 9 de dezembro de 2019, a NVIDIA lançou em seu site, que na GPU Technology Conference 2020 ela vai participar de uma palestra sobre “Open Source, Linux Kernel, and NVIDIA”, apresentada pelo principal engenheiro de software da NVIDIA, John Hubbard. A matéria completa você pode conferir aqui.

Agora, nos 40 minutos do 2º Tempo, mais uma ótima notícia vem para os usuários de notebooks híbridos, e vem do pessoal do Gnome. O desenvolvedor Bastien Nocera fez um post em seu blog, sobre as melhorias e novidades que virão no Gnome 3.36 e no Linux Fedora, para quem precisa fazer o “switching” (troca) entre as GPUs. 

Ele comenta que a possibilidade de clicar com o botão direito em cima de algum programa e mandar rodar com a dGPU já existia mas não funcionava com o driver proprietário da NVIDIA. Isso está prestes a mudar. Segundo Bastien, a solução que existia e feita por ele, tinha muitos erros no código de detecção, o switcheroo-control.




Segundo ele, o erro se dava porque para fazer essa troca, era necessário usar o vga_switcheroo no kernel, e o driver da NVIDIA não tinha. Além disso, o Gnome Shell esperava o conjunto do Mesa OpenGL, aí não conseguia dar certo.

Mas agora ele atualizou o código e vai ser possível usar a dGPU com os drivers proprietários da NVIDIA com todas as variáveis necessárias para que se possa abrir o app com a GPU dedicada.

Para o pessoal do KDE, ele recomenda que usem a API D-Bus para fazer a implementação. O post você pode conferir aqui.

Isso me deixa extremamente animado para o ano de 2020, pois pelos indícios que estamos acompanhando, será um ano muito bom para o pessoal das híbridas (eu estou incluso nisso 😁✌) em que finalmente poderemos sair do calvário 😁😂, e também será interessante para quem quiser jogar, porque além dos drivers, o Ubuntu e mais algumas distros vão começar a entregar o gamemode da Feral Interactive já embutido, vide o caso do ZorinOS 15.1. Isso é muito animador. 

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum. Espero você até a próxima, um forte abraço.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Canonical lança pesquisa para saber o que você quer ver no Ubuntu 20.04 LTS

Nenhum comentário

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Estamos há 4 meses do lançamento da próxima LTS do Ubuntu, e muita expectativa é criada em torno dessa versão, pois pelo “andar da carruagem”, vem para ser um grande marco nessa distro Linux.


Canonical lança pesquisa para saber o que você quer ver no Ubuntu 20.04 LTS





Em um anúncio feito no blog oficial do Ubuntu, o gerente de produtos para robótica Rhys Davies, fez um post pedindo o feedback da comunidade do Ubuntu, para saber o que eles podem melhorar, incluir, o que você pensa do sistema, as suas frustrações e também o que faria você a usar o Ubuntu caso não use. Em um trecho do anúncio, uma frase me chamou a atenção, que foi:

“Durante todo o processo de desenvolvimento, as nossas equipes estão presentes nos mais variados fóruns e tópicos, ouvindo seus comentários para ajudar a informar nossa tomada de decisão. Nossos próprios engenheiros são incrivelmente apaixonados pelo Linux e pela comunidade Ubuntu em geral, e nosso processo de tomada de decisão sempre gira em torno desse fato.”

Outra parte foi:

“Antes do nosso último lançamento da LTS, enviamos uma “call to action” para os desenvolvedores, para que nos dissessem como podemos melhorar o Ubuntu. Hoje, gostaríamos de pedir à nossa comunidade mais ampla comentários semelhantes. Com nosso próximo lançamento no horizonte, ainda há tempo para influenciar a imagem final e o futuro roadmap do Ubuntu.”

Isso, para mim, mostra uma mudança de postura da Canonical em relação a qual público ela quer atingir, pois durante a gestão do Will Cooke, me dava a impressão de que o Ubuntu só estava se “focando” para o público dev e sysadmins, e que o usuário doméstico estava meio “de escanteio”. Mas parece que na gestão do Martin Wimpress isso tende a ser diferente, assim eu espero.

Se você quiser contribuir com a pesquisa, pode acessá-la através deste link.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum. Espero você até a próxima, um forte abraço.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Veja algumas das novidades que podem chegar ao Ubuntu 20.04

Nenhum comentário

domingo, 8 de dezembro de 2019

Cerca de 2 meses atrás, em outubro deste ano (2019), foi anunciado a data, o codinome e alguns detalhes do Ubuntu 20.04 LTS Focal Fossa, que você pode conferir a nossa cobertura neste post.

Veja algumas das novidades que podem chegar ao Ubuntu 20.04





Desde o anúncio, ficamos especulando o que poderia vir nessa nova versão LTS do Ubuntu e o que poderíamos esperar dela. Bom, se formos nos basear no Trello do projeto, podemos esperar muitas novidades vindo por aí.

Algumas coisas são bem interessantes, e se vierem mesmo, vai ser um salto gigantesco em relação ao suporte em vários aspectos. Alguns pontos que podemos destacar são:

● Contínua melhora da performance do Gnome Shell, em relação aos stutterings e perdas de frames;

● Inclusão do GameMode da Feral Interactive junto na ISO do Ubuntu, possibilitando assim otimizações do sistema para jogos;

● Melhorar o driver para impressão digital (fingerprint), esse a pedido de uma empresa OEM que não foi divulgada;

● Reativar o suporte ao NVENC no Ubuntu dentro do binário do FFmpeg, que estava desativado desde a versão 18.10 por causa de compatibilidades de licenças. O NVENC é essencial para quem tem GPUs da NVIDIA.

● A versão nova do Plymouth tem um novo binário incluso do  plymouth-theme-spinner, habilitando assim a possibilidade de usar o logo na hora do boot, como outras distros já fazem, como por exemplo o Fedora;

● Continuação do trabalho no suporte do ZFS/Zsys no sistema.

Para conferir todas as opções que podem vir ou estão no roadmap, você pode conferir no Trello deles.

Creio que se todas essas novidades vierem para a versão 20.04 do Ubuntu, realmente será uma das melhoras já feita. Pois vai dar um enfoque a mais em quem precisa de processamento gráfico, principalmente para quem usa NVIDIA, além de incluir o gamemode da Feral. Outro ponto importante, especialmente para o pessoal das híbridas (Intel+NVIDIA), o Ubuntu 20.04 LTS muito provavelmente virá com o Xorg 1.20.6, que conta com as modificações feitas pela NVIDIA para que as GPUs híbridas funcionem de forma satisfatória no Linux.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum. Espero você até a próxima, um forte abraço.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Daily Builds do Ubuntu 20.04 estão disponíveis para downloads de testes

Nenhum comentário

terça-feira, 19 de novembro de 2019

Como noticiamos há um mês, o Ubuntu 20.04 LTS começaria a ter as primeiras compilações do sistema liberadas já neste ano (2019), para o pessoal ir testando e dando o feedback para a Canonical.

Daily Builds do Ubuntu 20.04 estão disponíveis para downloads de testes





A partir de hoje (dia 19), as imagens ISO do novo Ubuntu, serão “fabricadas” todos os dias até o dia do lançamento da versão stable (estável) do sistema. O lançamento está previsto para abril de 2020, como informado no Release Schedule.


Como o nome já diz, são Dailys Builds, então essas ISOs não devem ser usadas como o seu sistema operacional padrão, pois o mesmo não está estável suficiente para isso, o que pode conter bugs, pacotes quebrados, usabilidade “quebrada” e recursos adicionados e removidos em um curto prazo de tempo, entre outros contratempos.

Na imagem acima, podemos ver que a versão 20.04 do Ubuntu ainda está no “começo”, pois o papel de parede ainda é do Ubuntu 19.10.


Para baixar a Daily Build do Ubuntu 20.04, basta acessar este link e efetuar o Download.

Vale lembrar, que para testar esse Ubuntu, é recomendado o teste em uma máquina para esse fim ou em uma Máquina Virtual (VM), para não correr riscos de “paralisar” o seu trabalho.

Agora nós conte aí nos comentários, o que você espera dessa versão do Ubuntu e se você irá testá-la.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum. Espero você até a próxima, um forte abraço.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Melhorias no ZFS estão a caminho para o Ubuntu 20.04 LTS

Nenhum comentário

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Há uns 4 meses, a Canonical anunciou que estaria começando a testar a tecnologia de sistema de arquivos ZFS.


 Melhorias no ZFS estão a caminho para o Ubuntu 20.04 LTS




Em agosto deste ano (2019), a Canonical falou que começaria os testes do ZFS, de forma experimental no Ubuntu 19.10, para que os usuários do sistema operacional pudessem testá-lo, assim podendo dar o feedback de como o sistema de arquivos estaria se comportando no Ubuntu.


Atualmente, no Ubuntu 19.10, na hora da instalação você pode escolher se quer ou não utilizar o ZFS. Porém, instalar o sistema nesse modo resulta na utilização total do HD, não podendo ser utilizado com outros formatos, como o EXT4 e nem em dual boot. Espera-se que no 20.04 LTS, possa ter essa possibilidade.

Também é esperado no ciclo de trabalho do Ubuntu 20.04 LTS, a implementação completa do ZFS, bem como a possibilidade de se utilizar o LVM junto. Outra coisa que está sendo trabalhada, é o Zsys cards, que vai possibilitar a utilização de uma partição EFI (ESP), com redimensionamento dinâmico do /boot, correções de integração do GRUB, desmontar/desligar de forma apropriada, entre outros items. Para mais detalhes, você pode consultar o README do Zsys cards.

Com a implementação completa do ZFS, a partir do Ubuntu 20.04 Focal Fossa poderemos ter, por exemplo, pontos de restauração mais ágeis e de fácil manuseio. 

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum. Espero você até a próxima, um forte abraço.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

GNOME 3.36 “Gresik” entra em fase de desenvolvimento

Nenhum comentário

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

O GNOME 3.34 veio com muitas melhorias de desempenho, e quanto ao GNOME 3.36, o que podemos esperar para próximo lançamento?

gnome-apps-shell-linux-distro-fedora-ubuntu-arch-performance-novidade-desktop

Durante muito tempo o GNOME vem passando por uma situação nada agradável, entregar um ambiente gráfico que não performa satisfatoriamente na maioria dos hardwares. Não é incomum, pessoas afirmarem coisas relacionadas ao GNOME Shell, e muitas exageradas, contudo nos últimos lançamentos houve uma melhora considerável. A versão 3.28 é notavelmente inferior à 3.32, com a atual 3.34 não é diferente. Após um trabalho e esforço empenhado em solucionar leeks de memórias, bugs com as animações do shell, performance e gerenciamento do sistema o ambiente gráfico entregue pela GNOME Foundation vem se aperfeiçoando. Não apenas os desenvolvedores do GNOME merecem ser parabenizados pelas mudanças, a Canonical também empregou bastante tempo com tais implementações e correções de desempenho.

Podemos notar justamente essa evolução no Ubuntu 19.10, que conta com a versão 3.34 do shell e ganha de lavada do Ubuntu 18.04, quando o assunto é performance do GNOME Shell. 


O GNOME 3.36 será o próximo grande lançamento do ecossistema GNOME, ele substituirá a atual versão 3.34 e é esperado que o Ubuntu 20.04 LTS venha com ele embarcado. O codinome já foi revelado e remete a cidade sede da conferência GNOME Asia Summit 2019. Apelidado de “Gresik”, cidade localizada na Indonésia, seu ciclo de desenvolvimento passou por um atraso, sendo anunciado apenas semana passada. Isso, devido a atrasos com algumas instabilidades em sua versão intermediária GNOME 3.35.1, que já está disponível para downloads por entusiastas deste ambiente desktop. O GNOME 3.35.2 tem lançamento programado para 23 de novembro e o 3.35.3 para o início de janeiro.

Em um de nossos Diolinux Friday Show, Georges Stavracas desenvolvedor do GNOME, informou que novidades grandiosas estão a caminho do GNOME 3.36, entretanto ainda não estava autorizado a nos informar. Considerando o cronograma dos desenvolvedores da Canonical em relação ao GNOME no Ubuntu 20.04 e 20.10, podemos ter um vislumbre. Live essa que discutimos sobre a reivindicação de possível quebra de patentes em um dos softwares do GNOME.

Daniel Van Vugt, descreveu no blog do Ubuntu diversos planos para os próximos lançamentos do sistema, e focou exclusivamente no GNOME. Ele demonstrou humildemente os erros e acertos no desenvolvimento do shell, e enfatizou as metas futuras. Inclusive, é planejado ao Ubuntu 20.04 LTS ter alto desempenho com o GNOME em máquinas relativamente modernas, e em sua próxima versão, 20.10, o objetivo serão as máquinas mais antigas. No entanto, não entenda máquina antiga como algo defasado. Estamos falando de computadores da atualidade, não pense que o GNOME será performático comparado ao LXQT/XFCE em um hardware limitado com um processador muito antigo e pouquíssima RAM. Perceba que para os padrões atuais, uma máquina com 4GB de RAM, processador quad-core (podendo ser dois núcleos físicos e dois lógicos) são considerados computadores fracos. 

Recomendo a leitura do vasto e detalhado material disponibilizado no blog do Ubuntu, assim você poderá ter um aspecto geral do GNOME em suas últimas versões não tão lapidadas e o futuro que o aguarda.

O lançamento do GNOME 3.36 está previsto para o dia 11 de março de 2020.

Já testou alguma distro com o GNOME 3.34? A melhoria na performance foi perceptível aqui até via Virtual Box. Fiquei surpreso com o Fedora 31 e Ubuntu 19.10.

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus e não perca nenhuma novidade.

Até o próximo post, te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

Fonte: Softpedia, Ubuntu.


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ubuntu 20.04 LTS ja tem um codinome e data de lançamento.

Nenhum comentário

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Com o lançamento do Ubuntu 19.10 Eon Ermine previsto para esta quinta-feira (17), a equipe da Canonical já começa a trabalhar na próxima versão LTS do sistema.

Ubuntu 20.04 LTS ja tem um codinome e data de lançamento.





O Ubuntu 20.04 LTS será o 32º lançamento do sistema operacional feito pela Canonical, que começou lá no longínquo ano de 2004, com o lançamento do Ubuntu 4.10 Warty Warthog.

O novo codinome que batizará a versão 20.04 LTS, será o Focal Fossa. Isso mesmo meus amigos, esse será o codinome usado. Mas aí você deve estar se perguntando, “O que seria uma Fossa 🤔?”.

Fossa é um mamífero que habita a ilha de Madagascar, lembrando (bem de longe 😅)  um gato, ele também é carnívoro. O “gatinho” é o da foto abaixo.



Agora, porque escolheram esse nome, só perguntando mesmo para o pessoal do marketing 😅😅.

Já a data de lançamento, conforme o Release Schedule da Canonical, está prevista para o dia 23 de abril de 2020. Sendo que um “Beta Freeze” está prevista para uma segunda-feira, dia 2 de abril (ufa depois do dia da Mentira 😅😅).

Podemos esperar nessa nova LTS do Ubuntu, as versões 3.36 do GNOME, o Kernel 5.5, Mesa driver 20.0, o Xorg atualizado (e quem sabe com as melhorias para os notebooks híbridos), os drivers mais recentes da NVIDIA e o ZFS para o sistema de arquivos (especificamente por default, na raiz do sistema).

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo