Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador XFCE. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador XFCE. Mostrar todas as postagens

Conheça as novidades do recém lançado Manjaro Linux 18

Nenhum comentário

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Os desenvolvedores do Manjaro anunciaram o lançamento de uma nova versão do sistema. Apesar de ser Rolling Release, de tempos em tempos os desenvolvedores atualizam a ISO do sistema para compilações específicas, convergindo pacotes que estavam em linhas instáveis de desenvolvimento anteriormente para a versão estável do Manjaro e acrescentando novidades.


Manjaro Linux Illyria






Existem várias novidades interessantes neste lançamento do Manjaro, entretanto, para aqueles que usam a distro regularmente, essa nova atualização parecerá mais uma lapidação do que algo "super novo", porém, se fazia um certo tempo que você não testava o Manjaro, saiba que esta versão está ainda mais completa e fácil de utilizar.

Confira o vídeo abaixo que fizemos para mostrar para você os principais destaques da nova versão do Manjaro em uma de duas versões principais, com a interface XFCE:


Vamos aos destaques da versão 18 do Manjaro, que recebeu o codinome "Illyria". No título eu usei a palavra "recém", mas na verdade, ainda que sejam poucos dias, o Manjaro 18 foi lançado no dia 28 de Outubro, então, estamos um pouco atrasados! Mas ao invés de lamentar, deixe-me mostrar o que novo Manjaro pode lhe oferecer. 😊

Manjaro 18 Illyria


Atualmente, somente as versões principais do Manjaro, com XFCE, KDE Plasma e GNOME Shell estão disponíveis, as versões comunitárias ainda deverão ser lançadas nos próximos dias. Você pode fazer o download da versão 18 do Manjaro através do site oficial

Se você já está usando o Manjaro, basta manter o seu sistema atualizado, o próprio gerenciador de pacotes deverá te orientar para a atualização, porém, você pode fazer a atualização via terminal com o seguinte comando:
sudo pacman -Syyu
Claro, é sempre bom fazer um backup antes de qualquer procedimento como este, just in case.

Manjaro XFCE


Finalmente o XFCE recebeu uma atualização! Não é a toa que o XFCE é uma das mais leves e debugadas interfaces do mundo Linux, há muito tempo ele não recebia grandes upgrades e, para falar a verdade, ele realmente não recebeu nada de exuberante, como era de se esperar, mas temos uma nova versão! XFCE 4.13. Você pode ver um relatório bem completo de todas as novidades do XFCE na página de desenvolvimento do Xubuntu, os mesmos benefícios são esperados no Manjaro.

Nesta nova versão do sistema, os desenvolvedores do Manjaro tentaram melhorar a experiência de uso no desktop, trazendo um novo tema e um novo recurso do "Manjaro Hello", a tela de boas-vindas, onde é possível selecionar, instalar e remover aplicativos populares do sistema.

* Até mesmo aquele detalhe no design dos ícones no menu, que eu havia mencionado no vídeo acima, foi corrigido. Boa Manjaro!

Manjaro Linux 18
Manjaro 18 XFCE usando o tema Adapta-Maia e rodando Kernel 4.19

Um novo recurso interessante provindo do XFCE é o chamado "Display Profiles", ele permite que sejam criados perfis de configuração de monitores, o que torna a vida de quem trabalha com multimonitores eventualmente mais prática. 


Manjaro KDE


Enquanto a versão XFCE continua sólida como uma rocha e com poucas novidades, considerando o KDE, este sim é um mar de novidades a cada lançamento. O Manjaro KDE continua a oferecer uma das melhores experiências com o Plasma nas distros Linux atualmente.
Manjaro KDE Pĺasma


Temos a versão 5.14 do Plasma chegando ao Manjaro e os KDE-Apps na versão 18.08, não existe nada especificamente criado pelo Manjaro para o Plasma, além de suas aplicações tradicionais que são usadas em todas as versões principais, como o supracitado "Manjaro Hello", "MHWD" para configuração de drivers, o aplicativo responsável pela configuração do idioma e por gerenciar as versões do Kernel, etc. Todas fazendo parte do excelente "Manjaro Settings Manager".
No Manjaro KDE, a "Manjaro Hello" não mostra a opção de gerenciar aplicativos, como mostra na versão XFCE e GNOME. As configurações do "Manjaro Settings Manager" são integradas ao painel de controle do KDE e temos uma opção avançada para configurar o SystemD.

SystemD KDE Pĺasma Manjaro

Manjaro GNOME


O Manjaro GNOME é a versão mais  recente a fazer parte da família de versões oficiais do Manjaro, mas não por isso ele é menos importante. O GNOME chega na versão 3.30 para o novo Manjaro, o que traz várias melhorias para o GNOME Shell e aplicações GNOME em si.

GNOME Shell Manjaro


O GNOME do Manjaro é altamente modificado, muito mais do que o do Ubuntu até, com uma série de extensões instaladas adicionadas por padrão e outro "punhado" instaladas, apenas esperando pela sua ativação. Inclusive, existe uma opção no sistema que permite reverter todas as modificações no GNOME implementadas pelo time do Manjaro para que você possa usar a versão "Vanilla" do ambiente, semelhante ao que você encontraria no Fedora.

A versão GNOME do Manjaro também vem com o tema "Adapta-Maia" por padrão, dando um visual mais moderno, com inspiração no Material Design, para a distro. Em termos de consumo de RAM, a versão do GNOME do Manjaro ainda continua um pouco acima do que as demais versões, menos otimizado que o Ubuntu 18.10 neste sentido, mas melhor que o 18.04.

O Kernel do Manjaro e mais novidades


O kernel 4.19 LTS é agora usado como padrão, ainda que você possa instalar outras versões facilmente através do gerenciador de Kernel. 

Temos também um novo Pamac (padrão das versões XFCE e GNOME) capaz de editar os PKGBuild, tornando-se um "ajudante" mais completo para o usuário que deseja trabalhar com o AUR. Todos os arquivos usados em um compilação serão armazenados no diretório "/var/tempo/pamac-build-user", onde "user" é o seu nome de usuário.

Outra novidade legal com o Pamac é que agora ele possui novos comandos que podem ser usados via linha de comando, funcionando de uma forma mais inteligível, como o apt, dnf, zypper, yum, etc. Com comandos simples como:

sudo pamac update, sudo pamac install pacote, sudo pamac remove pacote,sudo pamac upgrade e outros, consulte o manual da ferramenta.

O instalador padrão do Manjaro, o Calamares, agora usado pelo Lubuntu 18.10 também, foi atualizado e recebeu correções de bugs menores. 

Se você gosta de jogar, boas novas também! O Manjaro 18 inclui suporte para a geração mais recente de drivers Nvidia, 410.x e Mesa Driver 18.3, facilmente instaláveis através do gestor de drivers do sistema.

O que mais virá?


O Manjaro me parece no início de um projeto de "comercialização" da distro, fazendo parcerias para lançar a distro com Laptops de fábricas e coisas do tipo, como já acontece com alguns modelos. 

Pisar no terreno onde a resposta do consumidor se dá em compra de um produto é um pouco diferente do que simplesmente "agradar a sua própria comunidade" e isso tem levado ares mais profissionais ao projeto, ao que me parece.

O Manjaro sempre foi uma distro "dirigida pela comunidade", ou como se usa na expressão em inglês, "a community-run distro", porém, o mercado, ainda que muito dele nesse caso seja a própria comunidade Manjaro, exige certos padrões, certos cuidados. Reflexo disso é a melhoria feita nos temas do sistema, lapidando a usabilidade, criando novos recursos que facilitem a vida dos usuários e coisas do tipo.

Ainda assim, existe ainda um grande caminho a ser trilhado, potencial e competência nós sabemos que os profissionais do Manjaro tem, quem sabe o que eles vão fazer no futuro?

O que eu vou escrever agora pode parecer um "sacrilégio" para muitos e pode ir contra ou a favor do que os desenvolvedores do Manjaro desejam, sinceramente eu não sei o posicionamento deles quanto a isso. Mas tomando o pressuposto de recursos são finitos, tanto humanos, quanto tecnológicos, e mesmo tempo; para o Manjaro ficar ainda melhor seria interessante eles terem apenas uma única versão oficial e transformar o restante em versões da comunidade. Focando assim recursos de desenvolvimento em uma distro apenas. Menos é mais geralmente, e o Manjaro é um exemplo de distro com versões com "todas" as interfaces, o que não é necessariamente bom (e nem ruim).

Curiosamente não foi o que eles fizeram ao agrupar a versão GNOME recentemente para o "set" de versões oficiais, o que vai totalmente ao oposto do que eu disse, mas o Manjaro tem, na minha modesta opinião, junto com o KDE Neon, um dos KDE Plasma mais interessantes, atrelado ao AUR e as ferramentas que o Manjaro dispõem, seria um caminho interessante para se seguir, focando a energias em melhorar uma única versão, em um único ambiente.

Fico me perguntando o que aconteceria com a distro, mercadologicamente falando, caso isso acontecesse...

Ainda assim, mesmo com três versões oficiais distintas, e várias edições comunitárias, o Manjaro continua "arrasando corações" por aí. 


O que você acha?

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


O novíssimo Linux Mint 19 Beta está disponível, confira as novidades!

Nenhum comentário

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Depois de um longo tempo de espera, finalmente temos acesso a mais recente versão do Linux Mint, ainda que seja apenas um Beta. A versão de codinome "Tara" e de numeração 19 está apta para ser baixada e testada por todos os usuários nas edições Cinnamon, MATE e XFCE.

Linux Mint 19 Download






Os desenvolvedores anunciaram o lançamento da versão Beta do Linux Mint 19 baseada no Ubuntu 18.04 LTS. Esta versão que vem com várias novidades e melhorias, atualização dos pacotes e no ambiente gráfico, além de trazer alguns recursos interessantes e inéditos no Mint.

Linux Mint 19 Cinnamon
Linux Mint 19 "Tara" com interface Cinnamon

Os desenvolvedores alertam que o "report" de bugs é muito bem-vindo nesta fase do desenvolvimento, a versão final e estável deverá ser liberada somente no final deste mês, por isso, ao testar o Mint 19 Beta, esteja ciente de que alguns bugs podem acontecer e alguns detalhes podem ser alterados ao longo das semanas.

Usuários do Linux Mint 18.3 também poderão atualizar para a versão 19, mas somente depois que a versão final for lançada, juntamente com ela serão disponibilizadas instruções sobre o processo de atualização.

Novidades no Linux Mint 19


Linux Mint 19 tela de boas-vindas

Na nova versão do Mint, os desenvolvedores acrescentaram uma nova "tela de boas-vindas', muito mais simplista em design, o que me agrada, a mesma contém todas as informações necessárias para usar o sistema, incluindo as novidades da versão. Em suma, explorando essa aplicação você consegue descobrir tudo o que há de novo no Linux Mint 19.

Claro que podemos descontar algumas coisas.

- Snapshots através do TimeShift agora possuem integração com o gerenciador de atualizações do sistema, funcionando de uma forma semelhante ao "Time Machine" do macOS, com backups incrementais;

Configuração do TimeShift Linux Mint


- A sessão "Primeiros passos" da nova tela de boas-vindas instrui os usuários nas configurações e opções básicas para deixar o sistema funcional para as necessidades de cada um.

Configurações iniciais do Linux Mint

- A busca por aplicativos na "Mint Install", ou "loja de aplicativos", está mais rápida e ela também recebeu melhores acabamentos visuais, mantendo a integração com o FlatHub por padrão, para a instalação de pacotes FlatPak.

Loja de aplicativos Linux Mint

Juntamente com estas mudanças, tivemos uma atualização completa do Cinnamon, ambiente gráfico principal da distro, para uma nova versão que por si só já traz muitas novidades. Temos um artigo aqui no blog para falar apenas das mudanças no Cinnamon, confira aqui.

Como você deve ter percebido, o visual padrão da Distro mudou um pouco, o tema Mint-Y, que foi o tema alternativo da série 18.x, baseado no popular tema Arc, agora acabou dando as caras como tema principal do sistema, tanto no GTK (3.22), quanto no tema de ícones, no entanto, ele não está exatamente igual a versão que tínhamos no Mint 18.3, possuindo agora um acabamento mais simplista e melhorado, especialmente no gestor de arquivos Nemo.

Novo tema do Linux Mint

O tema do Shell do Cinnamon permanece o Mint-X por enquanto, provavelmente ele deverá ser alterado para o Mint-Y também até o final da fase Beta.

Outras melhorias


De forma geral, outras coisas que eu pude perceber usando a versão Beta do Linux Mint 19 é que agora é possível também definir o padrão do volume do sistema para acima de 100%, a interface possui animações mais fluídas de forma geral, o que também dá um toque especial; e o Nemo consegue fazer pesquisar de forma mais ágil.

Temos a inclusão de novos softwares também, agora o calendário do GNOME faz parte do Linux Mint, o que permite que, através das Contas Online no painel de controle, nós possamos sincronizar o Google Calendar nele de forma simples, assim como acontece no próprio GNOME do Ubuntu, por exemplo.

Pastas podem ter cores diferentes agora

Temos um Cinnamon que agora abre pastas e programas mais rápido também, graças a rescrita de código que foi feita, temos também novos ícones alternativos com cores variadas para o tema Mint-Y já mencionado. Talvez sejam incluídos ao longo do Beta as variações de cores para o tema GTK também, que ainda não estão presentes.

O pacote mint-meta-codecs agora inclui também as fontes da Microsoft (Arial, Times New Roman, etc) juntamente com os codecs de áudio e vídeo para que tudo seja simples de instalar, na verdade, caso você não marque a opção de instalar estes complementos durante a instalação do próprio sistema, haverá no menu multimídia do Mint um atalho para instalar estes complementos, assim como na loja de aplicativos.

Com novos papéis de parede para a coleção (muito belos inclusive) e com a lapidação do sistema de forma geral, atualizações de softwares como Firefox e LibreOffice, além do conjunto X-Apps do próprio Linux Mint, esta nova versão tem tudo para ser extremamente estável e funcional.

Papéis de parede Linux Mint

O Linux Mint 19 é uma versão LTS, assim como o Ubuntu 18.04 LTS na qual é baseado, tendo suporte contínuo de atualizações de segurança até 2023, no entanto, em 2020, quando a nova LTS do Ubuntu sair, os desenvolvedores começarão a trabalhar na nova base do sistema, assim como o ocorreu agora na mudança da base 16.04 LTS para a 18.04 LTS, produzindo o que provavelmente será o "Linux Mint 20"

O Linux Mint 19 utiliza o Kernel Linux 4.15.x no momento, mas deverá receber upgrades no futuro conforme os lançamentos forem ocorrendo, assim como será possível também manusear versões do Kernel através do gestor de atualizações. Isso acontecerá de forma semelhante ao que mostramos neste vídeo recente do canal:


Outro ponto que vale mencionar, e que costuma ser recorrente nas atualizações de praticamente todas as distros atuais, é o melhor suporte para monitores HiDPI.

E as outras versões?


Podemos dizer que existem versões secundárias do Linux Mint, as versões MATE e XFCE, sendo que a versão XFCE está mais pra terciária até do que para secundária. Mesmo assim, todas as versões receberam seus Betas de forma simultânea.

Linux Mint 19 MATE
Em linhas gerais, as características de todas as versões do Mint são homogêneas, as diferenças realmente residem nas diferentes interfaces.

A versão com MATE vem com a versão 1.20 do Desktop Enviroment e o principal destaque (fora os já mencionados na versão com Cinnamon) é realmente o suporte a detecção automática de tela de alta definição, ajustando a interface automaticamente. Sendo ainda uma opção leve para computadores de menor potência gráfica, assim como a versão com XFCE.

O MATE também é a "interface de backup" do Cinnamon no Linux Mint, caso o Cinnamon por algum motivo trave no Linux Mint e fique impossibilitado de carregar, automaticamente o Mint exibirá a interface MATE para que o usuário consiga utilizar o computador normalmente.

XFCE Linux Mint 19
Quanto a versão com XFCE, realmente não existe mais nada a ser acrescentado, é apenas uma atualização de base contendo todas as novidades já comentadas para a versão Cinnamon e MATE, inclusive a versão do XFCE (4.12) é a mesma que já era usada no Mint 18.3 com XFCE.

Para mais informações sobre o XFCE na base 18.04 do Ubuntu, confira este vídeo:


Para tirar uma dúvida comum entre as pessoas: Se eu baixar este Beta e ir atualizando, precisarei baixar novamente a versão final quando ela for lançada e formatar o computador novamente?

Resposta: Não, basta ir atualizando e você terá a versão final do sistema quando ela for lançada através das próprias atualizações do sistema.

Onde você pode baixar as imagens do Beta do Linux Mint 19?


Você pode efetuar o download das ISOs diretamente do site oficial do Linux Mint através do download direto de vários mirrors ao redor do mundo e também por torrent:


Em breve teremos a review completa da nova versão do Linux Mint em nosso canal!

Até a uma próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Desenvolvedores do Linux Mint falam sobre o futuro lançamento da versão 19

Nenhum comentário

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Em uma pequena nota no dia de hoje postada no blog do Mint, os desenvolvedores anunciaram as suas intenções com a versão 19 do sistema e estimaram a data de lançamento, confira:

Linux Mint 19





Todas as 3 versões do Linux Mint 19 (Cinnamon, MATE e XFCE) estão em fase de teste de qualidade, o que significa que os desenvolvedores estão ativamente "caçando" e corrigindo bugs no sistema antes da versão Beta/RC. 

Segundo as informações, existem alguns bugs pontuais que eles querem corrigir antes de passar da fase de Q.A. (o controle de qualidade anteriormente mencionado), isso deve acontecer ainda amanhã.

Segunda-feira, dia 4, provavelmente nos teremos o lançamento da versão Beta do Mint 19, porém, desta vez o ciclo "Beta" irá se estender um pouco mais do que o tradicional, sendo então a versão final do sistema liberada nos últimos dias de Junho.


Muito código do Mint foi portado para Python 3, o GKSU foi removido e substituído pelo PKEXEC e na versão com MATE agora temos suporte nativo e automático para telas HiDPI.

Falando ainda sobre aparência, os desenvolvedores informam que o novo Mint usará o GTK 3.22, dando uma visual um pouco mais polido ao sistema. O tema atual, Mint-X, não será mais utilizado, em seu lugar estará o tema Mint-Y, que já era alternativa há algum tempo e teremos também um novo conjunto de ícones.

Particularmente espero uma melhoria neste sentido (ícones), pois apesar dos ícones Mint-Y serem (discutivelmente) bonitos, eles tem um grande problema comercial: Não respeitam as identidades visuais dos aplicativos de terceiros, o que pra mim é essencial, até para que novos usuários facilmente possam se localizar no sistema.

Temas Mint -Y
Para exemplificar, estes cima são os ícones atuais de Google Chrome, Spotify, Kdenlive e Firefox no tema Mint-Y, como você pode ver, eles são consideravelmente diferentes dos originais, criados pelas marcas destes aplicativos, especialmente os dois últimos.

Eu não sei se a mudança será realmente neste sentido, mas seria uma boa coisa, caso viesse. Não há porque customizar este ícones desta forma, basta deixar os do próprio desenvolvedor, talvez até reduzisse o trabalho, mas, que sabe, né?

Fique ligado aqui no blog para conferir as novidades e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conheça o Linux Mint com interface XFCE

Nenhum comentário

segunda-feira, 15 de maio de 2017

O Linux Mint possui quatro versões com interfaces diferentes oficialmente suportadas, hoje você vai conhecer um pouco melhor a versão com interface XFCE, uma versão leve, que assim como a versão MATE do Mint, pode ser utilizada em computadores com recursos mais limitados.

Linux Mint XFCE




O Linux Mint XFCE possui um conceito visual, e até mesmo de desktop no que tange as aplicações disponíveis pré-instaladas, que rementem às outras versões do Linux Mint, como as principais, com Cinnamon e MATE.



Para os interessados em testar esta versão específica do Mint, basta acessar o site oficial e selecionar a opção com a interface XFCE. Baixe o sistema preferencialmente por torrent.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




XFDashboard - Um menu semelhante ao Gnome Shell para o XFCE

Nenhum comentário

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Se você está querendo dar uma modernizada na interface XFCE do seu Xubuntu, ou qualquer outra distro que use o ambiente, o XFDashboard pode ser uma aplicação interessante para mudar a forma com que você abre as aplicações.

XFCE Dashboard Menu




O XFDashboard é um aplicativo que permite que você tenha uma menu em tela cheia semelhante a organização do Gnome Shell, mostrando os aplicativos favoritos na barra esquerda, de forma que ele podem ser arrastados para a posição desejada. Há também as áreas de trabalho do lado direito e um campo de buscas onde você pode fazer uma pesquisa por algum app que esteja instalado.

Menu XFDashboard

Você também pode navegar pelos menus e categoriais para encontrar as aplicações caso você prefira.

XFDashboard

Se você tiver mais de uma janela aberta ao abrir o XFDashboard você verá a distribuição das janelas de uma forma semelhante ao Gnome Shell.

XFDashboard para XFCE

Como instalar o XFDashboard no Xubuntu


O procedimento de instalação é simples e pode ser feito adicionando um repositório extra do Xubuntu: ppa:xubuntu-dev/extras


Depois de adicionado o PPA, basta instalar o pacote: xfdashboard

Se você preferir instalar via termina, os comandos são os seguintes:
sudo add-apt-repository ppa:xubuntu-dev/extras
sudo apt update 
sudo apt install xfdashboard 
Depois de instalado, você vai encontrar a aplicação no menu do sistema e eu tenho duas sugestões para você utilizar ele.

1 - A primeira forma é você simplesmente arrastar o XFDashboard para a barra de tarefas e clicar nele toda a vez que quiser abrir a aplicação. 

Arrastando para o menu

2 - A segunda forma, talvez a mais eficiente, é criar uma tecla de atalho para ele, assim você pode chamar o XFDashboard rapidamente.

Procure no menu pelo aplicativo de teclado, nele você vai encontrar uma aba de atalhos onde existe a opção de criar um novo atalho

Configurando tecla de atalho

Na janela que se abrir para digitar o comando do atalho digite: xfdashboard, clique em "OK" e depois você verá uma janela onde você deve pressionar a tecla de atalho que você deseja para a função:
Configuração de atalho

No meu caso eu pressionei a tecla "super", também conhecida como "tecla do Windows", assim ao pressionar ela, ela vai se abrir.

Curtiu a dica? Então compartilhe e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Linux Mint 18 XFCE está disponível para download

Nenhum comentário

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

A equipe de desenvolvimento do Linux Mint publicou a ISO da versão 18 do sistema com XFCE, a versão com esta interface demorou um pouco mais para sair, sendo que a versão 18 com os dois ambientes principais, Cinnamon e MATE, já havia sido anunciada no final de Junho.

Linux Mint 18 XFCE




Apesar do anúncio ainda não ter sido feito oficialmente, pelo menos na data deste post, e no site do Linux Mint ainda constarem apenas as versões Beta do Linux Mint 18 XFCE, os servidores da distribuição já possuem as ISOs finais deste sabor, o que permite que você já baixe a mais recente versão para a sua utilização.

As novidades para esta versão não são muitas, de fato, as grandes mudanças são as mesmas que afetam as variações principais do Linux Mint, como versões do Kernel, temas, e até mesmo os XApps, como você pode ver aqui.

O Linux Mint 18 XFCE, assim como as outras edições do Linux Mint, exceto o Linux Mint Debian Edition (LMDE), é baseado no Ubuntu 16.04 LTS Xenial Xerus da Canonical, o que garante a ele um suporte de atualizações por 5 anos também. Atualmente só é possível baixar as ISOs via FTP, assim que a página oficial disponibilizar os links para download, com torrents e tudo mais, nós vamos atualizar este post, mas por hora:

Linux Mint 18 Xfce (32 bits)

A versão com KDE do Linux Mint deverá demorar um pouco mais para sair, mas fique ligado aqui no blog, assim que ele sair você ficará sabendo.

Até a próxima!_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Linux Mint 17.3 KDE e XFCE foram lançados

Nenhum comentário

domingo, 10 de janeiro de 2016

Para os que estavam esperando pelas versões mais recentes do Linux Mint com os ambientes gráficos XFCE e KDE a sua espera acaba hoje.

Linux Mint 17.3 KDE e XFCE

Estão agora disponíveis as duas últimas interfaces suportadas oficialmente pelo Linux Mint, KDE e XFCE chegaram finalmente à versão 17.3. Como o Linux Mint se baseia no Ubuntu 14.04, estas versões também tem suporte estendido até 2019, por conta da base em uma LTS o KDE continuado na versão com esta interface ainda não é a versão 5, mas sim a 4.14, que apesar de visualmente menos elegante que a atual versão do KDE é super estável.

Para a versão com XFCE temos o ambiente na versão 4.12, ambos os sistemas tem o Kernel 3.19, você pode baixar o sistema a partir do site oficial e também ver as notas de lançamento clicando no botão logo abaixo.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Testamos o Xubuntu Core, a versão ainda mais enxuta do Ubuntu com XFCE

Nenhum comentário

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

O Xubuntu Core é na verdade uma meta-pacote do Xubuntu, a versão do Ubuntu que vem com o ambiente gráfico XFCE, apesar de poder ser baixado em formato ISO ele pode ser simplesmente instalado no Ubuntu convencional a partir da versão 15.04, confira a nossa review sobre ele.

Xubuntu Core

O Xubuntu ainda mais enxuto


É uma variação interessante do Xubuntu, consigo imaginar algumas funcionalidades para esta versão específica, mas vamos deixar você com a análise, assim você conhece e tira as suas dúvidas.


Descrição do vídeo

Poucas aplicações, um sistema básico, este é o Xubuntu Core, uma versão simplificada do Xubuntu tradicional apenas com a base do XFCE Desktop.

Xubuntu Core para games: http://goo.gl/XsHhhZ

Faça o download: http://goo.gl/ujHcgR

Acesse a nossa loja: http://www.diostore.com.br

Conheça o nosso Patreon; https://www.patreon.com/Diolinux

Anuncie no Diolinux: http://goo.gl/BWsafD

- Acesse o site: http://www.diolinux.com.br
- Android App: http://goo.gl/DTVt7I
- Assine o nosso Feed:http://goo.gl/w6418F
- Diolinux na Google Play Banca: http://goo.gl/qCJQqr

Contato:blogdiolinux@gmail.com
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Linux Mint 17.3 MATE e XFCE permitirão o uso de 6 compositores de janela diferentes

Nenhum comentário

terça-feira, 15 de setembro de 2015

A equipe de desenvolvimento do Linux Mint está cheia de notícias interessantes hoje, desta vez vamos falar sobre as versões do Mint que são recomendadas normalmente para computadores mais modestos ou simplesmente para quem prefere interfaces mais simplistas.

Linux Mint 17.3 terá vários compositores de janelas nas edições MATE e XFCE

Linux Mint 17.3 terá vários compositores de janelas nas edições MATE e XFCE


Hoje tivemos o anúncio oficial do nome da mais nova versão do Linux Mint que deverá sair somente em Dezembro - clique aqui para ler sobre o assunto - e agora pela parte da tarde o líder do projeto, Clement Lefebvre, comunicou algo muito interessante sobre as versões MATE e XFCE do Linux Mint.

A novidade, como podemos ver na imagem acima, é que os sistema poderão usar vários compositores de janelas diferentes, algo que é bem incomum nas distribuições, o mais interessante é que a troca poderá ser feita "on the fly", ou seja, sem precisar encerrar a sessão ou reiniciar o computador, desta forma você poderá escolher qual o compositor de janelas deseja usar para cada situação.

Um Gerenciador de Janelas, ou compositor de janelas, é um software que controla o posicionamento e aparência de janelas dentro de um sistema de janelas em uma GUI (abreviação de interface gráfica em inglês), são os compositores que permitem efeitos nas janelas, sombreamento, etc, são eles uma parte muito importante do que se apresenta ao seus olhos quando você usa o computador.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Como instalar o XFCE 4.12 no Ubuntu 14.04 LTS e no 14.10

Nenhum comentário

domingo, 8 de março de 2015

Veja como instalar a versão mais recente do XFCE no seu Ubuntu 14.04 LTS, 14.10 ou algum derivado direto, como o próprio Xubuntu.

XFCE 4.12
Imagem: WebUp8

Veja como instalar a mais recente versão do XFCE no seu Ubuntu


Com o passar do tempo as interfaces gráficas estão a cada dia mais se preocupando com o seu design e procurando trazer uma aparência cada vez mais agradável e com o XFCE não está sendo diferente, a nova versão traz um polimento visual considerável além de trazer uma ambiente que é plenamente customizável.

XFCE 4.12


Esta versão do XFCE deve vir juntamente com o Xubuntu 15.04 que deve sair em Abril deste ano, dentre as principais mudanças podemos destacar a nova tela de arranjo de desktops para quando você conectar um monitor secundário, novas telas de diálogo do Thunar (gerenciador de arquivos), agora também é possível configurar wallpapers diferentes para áreas de trabalho e monitores diferentes, houve também uma melhoria visual na aparência da função "Alt+Tab" para navegar por entre as janelas abertas.

O novo XFCE agora também suporte o uso de um compositor de janelas como o Compiz e o Mutter, permitindo que hajam novos efeitos no desktop como o hotcorner do Gnnome, isso certamente é bem visto por que usa o XFCE mesmo em máquina potente, podendo assim deixar ele mais enfeitado do que nunca, para quem usa máquinas comuns com hardware mais fraco e optou pelo XFCE justamente pela sua leveza cabe alertar que essa função do compositor de janelas que deixa o ambiente mais pesado não é o padrão, logo isso não deve afetar o seu uso.


Instalação do XFCE 4.12 no Ubuntu 14.04 LTS e no Ubuntu 14.10


Para instalar o novo XFCE no seu Ubuntu vamos usar um PPA, porém há um pequeno bug que acontece na atualização fácil de ser corrigido, as aplicações em QT não recebem o novo tema GTK e ficam com o visual "meio bugado" então para corrigir isso instale o qt4-config:

sudo apt-get install qt4-qtconfig

Agora procure pelo programa no menu, vá até a aba aparência, e configure o estilo da interface para "GTK+", então selecione o menu arquivo(file) e salve. 

Agora podemo instalar o XFCE sem problemas, copie todo o conteúdo abaixo e cole em um terminal, pressione a tecla "enter", digite a sua senha e pressione "enter" novamente, aguarde a instalação e reinicie o sistema.

sudo add-apt-repository ppa:xubuntu-dev/xfce-4.12 -y && sudo apt-get update && sudo apt-get dist-upgrade -y

Caso você não tenha curtido muito o novo XFCE ou ele tenha apresentando alguns problemas para você é possível removê-lo utilizando estes comandos:

sudo apt-get install ppa-purge
sudo ppa-purge ppa:xubuntu-dev/xfce-4.12
Até a próxima!

Fonte
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Xfdashboard: O menu do Gnome Shell no Xubuntu

Nenhum comentário

segunda-feira, 2 de março de 2015

Quer colocar uma menu estiloso no seu Xubuntu e deixar ele com uma funcionalidade parecida com a que o pessoal do Gnome colocou na sua interface? Então confira o nosso tutorial:

XFdashboard no Xubuntu
Imagem: WebUp8

Adicionando um novo menu ao Xubuntu


Algumas pessoas com quem eu já tive oportunidade de conversar sobre o assunto sabem o quanto eu detesto menus sem o campo de busca, acho isso extremamente improdutivo, por isso não consigo gostar tanto do XFCE sem o Whisker Menu.

Apesar de simples o Whisker Menu é bem funcional, entretanto, se você gosta da organização que o Gnome oferece vai adorar saber que existe uma alternativa interessante ao Whisker, chamada Xfdashboard.

Dashboard no XFCE
Imagem: WebUp8
O Xfdashboard traz até você uma experiência semelhante ao Gnome Shell, com um menu com campo de busca que toda toda a tela e com a possibilidade de manusear as áreas de trabalho do lado direito.


Instalação no  Xubuntu


A instalação é feita através de um PPA dos desenvolvedores do Xubuntu, abra um terminal e copie todo o conteúdo abaixo, depois cole ele no terminal, pressione a tecla "enter" e digite a sua senha, pressione "enter" novamente e aguarde a instalação.

sudo add-apt-repository ppa:xubuntu-dev/extras -y && sudo apt-get update && sudo apt-get install xfdashboard -y
Ele vai estar disponível o menu dos sistema, basta você criar uma atalho arrastando o programa para a barra, se quiser você pode excluir os outros menus.

Fonte.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Debian voltará ao Gnome como desktop padrão

Nenhum comentário

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Não muito tempo depois de definir o XFCE como desktop padrão do Debian a distribuição voltará as raízes e passará a utilizar o Gnome mais uma vez.

Gnome volta a ser o desktop do Debian
Imagem: thrivenotes

Debian volta ao Gnome por conta do Systemd




A não muito tempo atrás anunciávamos aqui no blog a mudança de ambiente desktop padrão do Debian para o XFCE mas como havia sido noticiado no artigo em questão a mudança parecia não ser definitiva e ainda seria reconsiderada antes do congelamento da nova versão que deve acontecer no final deste ano.

Aparentemente o fator decisivo para a volta ao Gnome foi o sistema de inicialização Systemd que segundo Joey Hess, o mesmo que havia comunicado a mudança para o XFCE, tem melhor compatibilidade e integração com o Gnome, seguido de perto pelo MATE.


Segundo a declaração de Hess os outros ambientes ainda precisam receber vários ajustes para chegar no mesmo nível de compatibilidade que o Gnome tem com o Systemd, outro motivo que foi levado em consideração foi que os usuários de Debian que usam o XFCE são um pequeno número, assim como os usuários do MATE que ainda tem "o agravante" de ser um ambiente relativamente novo, coisa que aparentemente o Debian não curte muito, a preferencial do pessoal por lá são ambientes que possuem vários "anos nas costas" de trabalho e correção de bugs.

Um dos motivos do Debian ter abandonado temporariamente o Gnome seria o tamanho da ISO de instalação, mas aparentemente este problema (não tão grande) foi ignorado em prol de outros benefícios.

E você que usa Debian, qual a sua opinião?

Baixe o Linux Mint 16 KDE e XFCE RC

Nenhum comentário

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Dois novos "sabores" do Linux Mint estão quase prontos

A equipe de desenvolvedores do Linux Mint liberou para download duas versão da sua distro Linux com os ambientes desktop KDE e XFCE.

Linux Mint logo


As primeiras versões lançadas pelos desenvolvedores do Linux Mint foram as versões com Cinnamon e com MATE, você pode baixar elas através da página oficial.

Atualmente as versões com KDE e XFCE estão em desenvolvimento e as suas versões RC, ou seja, Release Candidate, uma versão de pré-lançamento, normalmente destas versões para a versão final pouquíssimas coisas mudam, normalmente apenas alguns programas são atualizados, de modo que se você baixar essa versão e ir atualizando em pouco tempo você terá a versão final.

Downloads

Linux Mint 16 Petra XFCE RC 

Essa versão do Linux Mint vem com o XFCE 4.10 e com o Whisker Menu 1.2, além de claro, os tradicionais ArtWorks do Mint que são padronizados independentemente do seu ambiente gráfico, assim como as aplicações, Software Manager, Gestor de Drivers, Gestor de login etc.


Linux Mint 16 Petra KDE RC

Já no Linux Mint 16 a principal novidade é o KDE 4.11 e os tradicionais ajustes que acorrem de versão em versão, essencialmente ele não traz nenhuma novidade do Linux Mint 15 a não ser a atualização dos softwares.

Linux Mint 16 - KDE - Download

Particularmente eu ainda não testei nenhuma das duas, baixe e deixe a sua opinião aqui, aproveita para comentar qual você acha que é a melhor versão do Linux Mint.

Até a próxima!

Compartilhe para mostrar aos seus amigos



Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Qual é o melhor substituto para o Windows XP?

Nenhum comentário

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Máquinas antigas vão ficar órfãs de sistemas operacionais?

A Microsoft vem falando um tempinho já que vai aposentar o Windows mais bem sucedido de todos os tempos, o Windows XP ainda está em muitos lares e principalmente empresas, porém, em abril do ano que vem o XP encerra o seu suporte de vez ( Pelo menos é o que dizem). 

Windows XP logo


A Microsoft alertou hoje também às pessoas do perigo de continuar usando o Windows XP, por conta da falta de atualizações de segurança o computador poderia se tornar um receptáculo de vírus, recomendando que os usuários migrassem, claro, para versões mais recentes do Windows, como o Seven ou o 8.1.

Atualizar é a única solução?

Claro que atualizar o hardwares da máquinas não iria fazer mal algum, o problema é o investimento, comprar hardwares novos, comprar novas licenças do Windows pode gerar muito custo mesmo! 
Nesse âmbito é uma boa oportunidade para as distros Linux reviverem esse PC mais antigo trazendo-lhes mais versatilidade e segurança.

Podemos levar em consideração que investir no treinamento de funcionários para usar um novo sistema é mais barato do que investir em comprar tudo novo.


Vamos usar Linux então mas o Ubuntu não!

Distribuições como o Ubuntu que usa o Unity e outras distros que usam o Gnome Shell, Cinnamon e KDE querendo ou não são mais recomendadas para  computadores mais recentes, com pelo menos 2 GB de memória e a clientela que o XP atende são computadores com CPUs de baixa capacidade e pouca memória, 1GB às vezes menos.

Felizmente no Linux podemos instalar qualquer interface gráfica que queiramos, porém algumas simplesmente são inconvenientes para o uso comum, o que nos traz especificamente a duas interfaces que são semelhantes ao velho XP e tem bom desempenho em hardware antigo, LXDE e XFCE, considero o Razor-QT um pouco imaturo ainda.

Porém, dentre ambas, LXDE e XFCE a que tem o desktop mais completo ainda é o XFCE, agora vamos fazer algumas "contas", ambiente leve e completo=XFCE, agora precisamos de fácil acesso a programas e suporte ( pelo menos da comunidade )= Ubuntu, ou seja XFCE+Ubuntu=Xubuntu.

Seria então o Xubuntu a melhor escolha?

Quase mas não, o Xubuntu é muito bom mas tem um pequeno detalhe, o Menu e a Interface, usuários do Windows XP estão acostumados a navegar por menus para encontrar aplicativos, mas a verdade é que isso cansa e a maioria acaba colocando todos em atalhos na barra de tarefas ou na área de trabalho mesmo, por padrão o menu do Xubuntu também tem este estilo de navegação por categorias mas a situação pode ser melhorada com o Whisker Menu, que é um menu mais inteligente que proporciona uma experiência semelhante ao menu iniciar do Windows 7.

Xubuntu com Whisker Menu


Mesmo assim a organização do XFCE lembra mais a do Mac OS do que a do Windows, claro, nada que um pouco de personalização não dê jeito mas e que tal o Linux Mint XFCE?

Linux Mint 15 com XFCE

O Linux Mint XFCE já vem com o Whisker Menu por padrão além de vir já pronto para o uso com todos os codecs e sistema personalizado que lembro o visual "Windows de ser", portanto a melhor opção para você colocar aquele PC antigo para trabalhar com bom requinte visual e bons recursos.

O que você acha? Qual o melhor sistema para substituir o Windows XP?

Leia também: Por que você ainda usa o Windows XP?

Compartilhe para mostrar aos seus amigos



Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo