Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador Yaru. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Yaru. Mostrar todas as postagens

Habilite o modo dark do Yaru no Ubuntu - aplicações e GNOME shell

Nenhum comentário

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Veja como habilitar o modo dark do tema do Ubuntu, Yaru, tanto nos programas quanto no GNOME Shell (englobando seus menus, painéis e afins).

tema-dark-modo-escuro-noite-apps-shell-theme-ubuntu-gnome-yaru

O Ubuntu 19.10 Eoan Ermine veio cheio de novidades e melhorias, comparado aos seus antecessores. Fizemos uma cobertura em torno deste novo lançamento do sistema. Aliás, confira logo abaixo a nossa review detalhando cada aspecto desta nova fase do sistema da Canonical.


Após verem o vídeo, alguns podem se questionar se vale ou não deixar o Ubuntu 18.04 LTS e migrar para nova versão. Criamos um artigo sobre este tema e recomendo a leitura, para efetuar o download do Ubuntu 19.10, acesse esta outra postagem. Não se preocupe quanto ao pós-instalação do sistema, ou até mesmo a atualização do Ubuntu 19.04 para o 19.10, você pode seguir nossa matéria e saber o que fazer depois de instalar o sistema.

Requisitos 


Antes de demonstrar os passos necessários para compor as mudanças, alguns requisitos são necessários. Obviamente que o primeiro deles é estar utilizando o Ubuntu 19.10 com o GNOME 3.34. A Canonical modificou seu tema, logo após a versão 19.04 do Ubuntu para harmonizar ainda mais com o tema padrão do GNOME, além de evitar eventuais problemas em aplicações e bugs relacionados a temas. Neste período até foi cogitado a possibilidade de entregar o Ubuntu com uma variação “clara/branca” do Yaru. Em seguida desistiram da ideia e mantiveram o mais próximo do visual da versão 19.04 de seu sistema. Contudo, algumas modificações ainda permaneceram, e elementos do shell foram entregues com essa premissa de ser algo mais branco (eis o motivo da criação desta matéria). No entanto, o que muitos não sabem é que existe sim a variante dark do Yaru, não apenas para os apps, e o GNOME Shell também pode ficar com um visual mais sombrio e noturno. Essa modificação não chegou à tempo do lançamento do Ubuntu 19.10, mas é bem provável que na próxima LTS a mesma esteja disponível.

tema-dark-modo-escuro-noite-apps-shell-theme-ubuntu-gnome-yaru

Sabemos que por padrão o GNOME não contém formas para trocar os temas de suas aplicações e shell, sendo assim passos extras são requisitados. Mais saiba que o uso de extensões no GNOME é por sua conta e risco, nunca tive problemas com as mencionadas neste artigo, porém fica o aviso.

Se você não sabe como adicionar extensões ao GNOME Shell, aprenda seguindo esse link, também recomendo a instalação da ferramenta GNOME Tweaks ou “Ajustes”. Ela será a forma em que selecionaremos o Yaru-Dark. Segue artigo de como instalar a aplicação.

Ok! Você já sabe como instalar temas no GNOME, já tem o GNOME Tweaks no sistema, o próximo passo é adicionar a extensão “User Themes” para podermos trocar o shell padrão pela variante dark. Existem várias formas de se obter este resultado, como bem viu no artigo que demonstra a instalação de temas no GNOME, fique a vontade e escolha o seu favorito. Pode tanto pesquisar diretamente na GNOME Software (Software Ubuntu, a loja) ou pelo site GNOME Extensions.

Instalando o tema Yaru-Dark para aplicativos e shell


Mencionei anteriormente que o tema Yaru escuro para o shell não foi entregue a tempo do lançamento do Ubuntu 19.10, pois bem! Vamos utilizar a última versão disponibilizada em seu repositório no Github.

Vamos enfim instalar o tema, porém recomendo abrir o GNOME Tweaks (Ajustes) e trocar o tema do shell e das aplicações por outro qualquer que não seja da família Yaru. Na seção “Aparência”, mude as opções “Aplicativos” e “Shell” por outro que não seja Yaru ou equivalentes.

tema-dark-modo-escuro-noite-apps-shell-theme-ubuntu-gnome-yaru-tweak-ajustes

Antes de todo passo a passo, certifique-se que na pasta “.themes” em sua “home” não contenha o tema Yaru. Claro, se essa pasta existir, na realidade esse passo é uma precaução (provavelmente não existirá, se acabou de efetuar uma instalação limpa). Com o gerenciador de arquivos do Ubuntu aberto, Nautilus, ao utilizar a combinação de teclas “Ctrl+H”, pastas e arquivos ocultos tornam-se visíveis ou retornam ao seu estado anterior. 

tema-dark-modo-escuro-noite-apps-shell-theme-ubuntu-gnome-yaru-tweak-ajustes

Caso nunca tenha “clonado” um repositório do Github, ou compilado algum programa utilizando ele, algumas libs serão obrigatórias. Mas podemos instalar tudo em apenas um comando:

sudo apt install git meson sassc libglib2.0-dev libxml2-utils

O segundo passo é clonar o repositório do tema Yaru, sendo mais simples e direto, isso nada mais é que efetuar o download do mesmo. Tenha ciência do repositório que está localizado ao abrir o terminal, por padrão é sua pasta pessoal (home). Abra o terminal pressionando a combinação de teclas “Ctrl+Alt+T” ou execute pressionando sobre seu ícone. Então, digite o comando e espere pacientemente até o fim do processo.

git clone https://github.com/ubuntu/yaru

Entre na pasta do Yaru, via terminal mesmo, conforme o exemplo abaixo:

cd yaru

Vamos construir o tema Yaru, se percebeu, dentro do repositório que acabamos de clonar para nosso computador, existem diversos arquivos.

meson build

O processo pode levar algum tempinho, aguarde pacientemente e depois entre na pasta que foi criada.

cd build

Agora iremos instalar o tema ao nosso sistema, entretanto, ele não será aplicado. Este passo será realizado através da ferramenta Ajustes (GNOME Tweaks).

sudo ninja install
Reinicie o computador ou saia da sessão atual, assim o tema será visível no sistema. Abra novamente o GNOME Tweaks, se já estava aberto feche-o, e procure na seção “Aparência” o Yaru-dark, nas opções “Aplicativos” e “Shell” escolha o Yaru-dark. Obviamente que, se preferir, apenas o shell pode ser o alvo do “modo dark”. Pessoalmente utilizo todo o sistema com esta modificação.

tema-dark-modo-escuro-noite-apps-shell-theme-ubuntu-gnome-yaru-tweak-ajustes

O resultado é bem agradável aos meus olhos, utilizar uma variante escura é quase que um requisito para meu cotidiano em frente ao PC.

tema-dark-modo-escuro-noite-apps-shell-theme-ubuntu-gnome-yaru-tweak-ajustes

No final do procedimento o repositório clonado também pode ser removido sem problema algum, nada disso impactará no tema, pois já está nos devidos diretórios do sistema.

sudo rm -r ~/.themes/yaru

Se por algum motivo não curtiu e queira remover o tema instalado via repositório do Github, basta excluir as pastas do Yaru no caminho “/usr/share/themes”, e reinstalar o tema Yaru padrão que acompanha a versão 19.10.

Para remover, utilize o comando:

sudo rm -r /usr/share/themes/{Yaru,Yaru-dark,Yaru-light}

A reinstalação do tema, para deixar o tema default, proceda assim:

sudo apt install --reinstall yaru-theme-gnome-shell yaru-theme-gtk

Lembrando que antes de remover o tema, você deve trocá-lo por outro lá no GNOME Tweaks. Tentar apagá-lo enquanto ainda em uso poderá resultar em bugs.

O Ubuntu 19.10 veio com muitas coisas boas, entretanto, não ter uma opção semelhante ao Pop_OS! 19.10 para trocar entre diferentes variações de seu tema é uma característica que faz muita falta. Essa crítica também se aplica ao projeto GNOME, pois ambos possuem temas escuros, mas para acessá-los apenas através de softwares de terceiros. Que ao menos na próxima LTS do Ubuntu o tema escuro seja adicionado, e quem sabe a opção de trocar facilmente entre as variações do Yaru (tanto para apps, quanto para o shell). 

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus e não perca nenhuma novidade.

Até o próximo post, te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

Fonte: Ubuntu.


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ainda vale a pena usar o Ubuntu 18.04 LTS?

Nenhum comentário

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

A Canonical acaba de lançar a última versão não LTS até, seu próximo sistema de longo suporte, o Ubuntu 20.04 LTS. Aliás, já cobrimos o lançamento do Ubuntu 19.10. Mas, a pergunta que não quer calar: ainda vale a pena utilizar o Ubuntu 18.04?

ubuntu-canonical-linux-distro-open-source-livre-software-lts

O Ubuntu 20.04 LTS é aguardado com muito apreço pelos usuários, tendo em vista todas as otimizações e novidades de sua recém lançada versão 19.10 (momento curiosidade: você sabia que o codinome do Ubuntu 20.04 já foi revelado? Saiba mais em nossa matéria). Contudo, o Ubuntu 18.04 é um sistema com um longo período de atualizações. Sabemos que conforme o tempo passa, as versões LTS vão ficando mais maduras e lapidadas. 

Antes de nos aprofundarmos um pouco mais, voltemos alguns anos. Com o fim do Unity 7 (de ser empregado como interface padrão), a Canonical resolveu adotar o GNOME Shell. Uma escolha sensata e já aguardada, não é segredo para ninguém que a empresa utilizava a DE em versões passadas do Ubuntu, e continuou a adotar aplicações do ecossistema GNOME (mesmo após desenvolverem o Unity 7).

Veja logo abaixo um comparativo entre GNOME-Shell e Unity 7:


Chegamos a 2018, após algumas versões do Ubuntu com o GNOME-Shell por padrão, em que a empresa constrói sua LTS. Nessa época já se discutia sobre uma repaginada visual do sistema, entretanto seu novo tema Yaru não foi considerado maduro o suficiente e deixou de ser adotado. Ok! O visual não foi tão lapidado, mas até que fizeram uns ajustes rápidos no tema. Todavia, a interface parecia estar pesada demais, e com sérios problemas de vazamento de memória.


A versão do GNOME no Ubuntu com o tempo recebeu correções de bugs, mas por conta de ser uma LTS ficou estagnada. O GNOME está longe de ser esse monstro pintado por alguns, porém são notórias as melhorias em suas últimas releases.

Vale apena ou não usar o bendito Ubuntu 18.04 LTS?


Estou com o Ubuntu 18.04 LTS instalado em minha máquina, e trabalhando com ele desde seu lançamento (mais ou menos uma semana depois, para ser sincero 😁️😁️😁️). Faço todas as minhas tarefas com ele, trabalho, edito, jogo, estudo e muito mais.

Para ser honesto com vocês, o sistema tem atendido minhas expectativas e não perco tempo resolvendo problemas. Simplesmente faço minhas tarefas do cotidiano, mas já estou me planejando a migrar para às novas versões. Mas o porquê dessa minha decisão?

O Ubuntu 18.04, por ser um sistema focado em estabilidade, entrega uma enorme gama de aplicativos e é compatível com uma maioria esmagadora de apps de terceiros (a exemplo o Insync). Mas peca em entregar uma versão relativamente antiga do GNOME-Shell e um visual antiquado. Não digo que o GNOME esteja inutilizável, como alguns querem pintar. Afinal, estou com ele neste exato momento em meu computador principal. Fiz até testes para desmistificar falácias sobre a interface, demonstrando na prática e não apenas ficando no campo das idéias. 


Não obstante, querer comparar o GNOME 3.28 com o 3.34 é como “por um gavião para competir em voo com uma águia”. A diferença é mais que notória.

Por na balança os seus objetivos, é o segredo, para chegar a conclusão se ele vale ou não manter o Ubuntu 18.04 em seu computador.

Ele está funcionando bem em seu hardware? 

Se não existir aparente motivo para uma troca, melhor deixar como está. A não ser que goste de desbravar e conhecer os novos detalhes. Atualmente o Ubuntu 18.04 encontra-se em minha máquina principal e também de meu irmão caçula. Sendo que ele é mais hard core quando o assunto é jogatina, não tem um dia que ele não esteja jogando. Seja na Steam, via Proton, algum emulador, Wine, etc. O Ubuntu 18.04 está atendendo muito bem ao seu uso diário. Obviamente que algumas customizações são necessárias, pois como mencionado, o visual é bem antiquado. Uma extensão que não conseguimos ficar sem é o “Unite”. Você pode saber mais acessando nossa postagem, se quer economizar espaço em tela ela é perfeita. Caso não saiba instalar extensões no GNOME Shell, recomendo outro post.

A nova versão atende todos os requisitos de seus softwares?

Mudar para outro sistema não é assim tão “vamo que vamo”. Mesmo sendo o Ubuntu, uma versão difere bastante de outra. Com isso, alguns softwares poderão não estrar compatíveis em um primeiro momento, por conta das libs diferentes e coisas do tipo. É comum os PPA’s levarem algum tempinho até serem plenamente compatíveis. A maioria das empresas empacota seus softwares pensando nas versões LTS, entretanto graças aos novos formatos de empacotamento esse encalço pode ser contornado em muitos casos.

Tendo ciência que versões não LTS duram apenas 9 meses, vale mesmo a pena formatar, ou atualizar para a próxima versão?

Essa sempre acaba sendo uma dúvida dos iniciantes, inclusive pessoas acabam confundindo o Ubuntu 19.04 com uma LTS. Por conta de sua numeração terminar com “04”.

Você pode entender todo esse processo de desenvolvimento e releases, com um vídeo bem didático e de fácil compreensão.


Dependo de suas respostas, vale a pena testar algo novo. 

Já para os outros sabores do Ubuntu, não vejo uma mudança significativa para justificar sair da base 18.04 LTS. Não sei quanto a você, mas sempre indico as LTS. Mas sempre tem uma exceção, não é mesmo? Eis que o Ubuntu 18.04 é uma delas.

Não me entenda mal, o sistema está longe de ser ruim. No entanto, em minha concepção, essa foi a pior LTS do Ubuntu. E não culpo a Canonical, a transição nunca é um momento agradável e com grandes frutos imediatos. O resultado demora um pouco, e pelo andar da carruagem podemos dizer que o Ubuntu está rendendo bons frutos com seus recentes lançamentos.

Resumindo


O 18.04 ainda vale a pena, mas caso queira experimentar e se beneficiar das melhorias do GNOME (e também está disposto a não ter a comodidade de uma LTS), recomendo o teste de uma nova versão. Digo “teste”, pois seria imprudência afirmar a mudança sem ao menos tirar suas próprias conclusões.

Usuários de flavours, como o Kubuntu, por exemplo, não vejo vantagens em sair do 18.04. Se deseja um KDE Plasma mais recente, usar o KDE Neon seria uma decisão mais sensata.

Uma mudança de LTS para não LTS, em minha perspectiva, só se torna interessante para usuários da versão principal com GNOME. Obviamente, que você é livre para usar a que bem entender. Longe de mim, cercear a sua liberdade de escolha.

Veja se os PPA's que utiliza são suportados, se as libs das aplicações que usa são atendidas, assim migrar pode ser uma boa pedida. Se for mais precavido, tenha em mente que em “time que tá ganhando, não se mexe”. Não desinstale seu sistema que funciona ao seu agrado, só por “moda”.

No fim, quem usa o sistema é você, e quem julga se vale ou não também é você. Estou pensando seriamente em migrar, só esperando um pouquinho mais e avaliando a situação. Confesso que estou inclinado em mudar de versão nessa minha máquina de trabalho, tudo isso devido aos testes que venho fazendo de sistemas, como o Fedora, Ubuntu 19.04 e Ubuntu 19.10. Volto a mencionar, o sistema tem me atendido e não passo por dificuldades ou me estresso com ele. Já customizei de modo a se encaixar perfeitamente em meu fluxo de trabalho e usabilidade. Uma possível mudança é motivada por experimentar as novidades e sentir um gostinho do Ubuntu 20.04 em meu dia-a-dia.

Você utiliza o Ubuntu 18.04 LTS e pretende migrar para os últimos lançamentos?

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, que vou fuçar mais numas distros Linûx, SISTEMATICAMENTE! 😎


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Novo tema claro do Ubuntu não será mais o padrão na versão 19.10

Nenhum comentário

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

Há alguns dias postamos aqui no blog um artigo sobre o novo tema claro do Ubuntu. No artigo, relatamos os planos dos desenvolvedores de trazer o novo tema como padrão no Ubuntu 19.10. Planos esses que, por dificuldades técnicas, acabaram de mudar.

novo-tema-claro-ubuntu-nao-sera-padrao-na-versao-19.10

A criação da nova variação clara do tema Yaru veio um tanto quanto tardia no desenvolvimento do Ubuntu 19.10. Apesar de que, aos olhos mais leigos, parece uma mudança simples de ser feita. Alterar a cor das “headerbars” de cinza para branco exige muito mais trabalho do que parece.

O tema do sistema tem que ser capaz de se integrar de forma, no mínimo coerente, com milhares de aplicações diferentes, das quais apenas uma pequena parte segue os padrões de design do GNOME. É realmente bastante fácil, “somente” alterar a cor de cinza para branco, qualquer usuário com conhecimentos mínimos pode alterar a cor através dos arquivos do tema. O difícil e muito trabalhoso, é fazer com que essa nova cor, designs, efeitos de botões e menus, se adaptem perfeitamente ao maior número possível de aplicações e todo o sistema. Dito isso, fica clara a razão pela qual os planos de trazer o novo tema como padrão na próxima versão não deram certo.

Já está definido que o tema que virá por padrão na versão 19.10 será uma versão atualizada e levemente modificada do Yaru Ambience, que é o tema padrão do Ubuntu desde a versão 18.10.

Mas se você é uma das muitas pessoas que estavam animadas com a chegada do novo tema, não desanime! A nova versão clara do tema Yaru ainda estará disponível no Ubuntu 19.10. Apenas, não como padrão. Com o auxílio do GNOME Tweaks (Ajustes) será possível alternar entre as variações do Yaru: ambience, dark, e a nova versão light. O objetivo continua o mesmo, tornar o tema “light” padrão. Porém, apenas no Ubuntu 20.04.

Na minha opinião, a mudança de planos de quando o “Yaru light” se tornar o tema padrão é completamente aceitável. É preferível prorrogar o prazo e lançar um software melhor acabado, do que cumprir o primeiro prazo estipulado e entregar um produto cheio de erros, e não completamente funcional.

Você estava ansioso com a chegada no “Yaru light” como tema padrão? O quê você pensa sobre a recente mudança nos planos? Conte-nos nos comentários.

Você gosta de Linux e tecnologia? Tem alguma dúvida ou problema que não consegue resolver? Venha fazer parte da nossa comunidade no Diolinux Plus

Por hoje é tudo pessoal! 😉

____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ubuntu 19.10 ganhará nova versão do tema 'Yaru'

Nenhum comentário

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Por muitos anos o Ubuntu utilizou por padrão um tema chamado ‘Ambiance’. Originado na versão 10.10, o tema perdurou até a versão 18.04. É claro que com o passar dos anos o tema passou por várias atualizações e alterações, mas nenhuma que tenha alterado de forma significativa o aspecto visual do sistema.

ubuntu-nova-versão-tema-yaru

Aos olhos de muitos, utilizar o mesmo tema por quase oito anos tornou o visual da distro datado e antiquado, o quê, principalmente nos últimos anos do ‘Ambiance’ como padrão, gerou muita reclamação da comunidade. No entanto, mesmo com anos e anos de reclamações e pedidos da comunidade por um novo tema, a Canonical insistia em manter o “bom e velho” ‘Ambiance’, aparentemente sem se importar muito com os pedidos dos usuários.

A partir da versão 17.10 a Canonical abandona o Unity e volta a utilizar o GNOME Shell como interface padrão do Ubuntu. Todos imaginaram que com uma mudança desse nível, um novo tema finalmente chegaria. "Só que não…" Apenas após cerca de um ano, na versão 18.10 é que o Ubuntu lança o tão esperado novo tema. Estamos falando do ‘Yaru’.

tema-ambiance-ubuntu
Tema 'Ambiance' no Ubuntu 10.10.
tema-ambiance-ubuntu
Tema 'Ambiance' no Ubuntu 17.04.
tema-yaru-ubuntu
Tema 'Yaru' no Ubuntu 19.04.
Mesmo após tanta demora e expectativa, ao contrário do Chinese Democracy, o ‘Yaru’ não decepcionou. Em um trabalho conjunto com a comunidade, a Canonical conseguiu criar um tema moderno, que agradou à maioria, e que não fez com que a identidade visual do sistema se perdesse.

A versão padrão do ‘Yaru’ possui fundo branco com ‘headerbars’ em tons de cinza, como nada agrada a todos, com o tempo começaram a surgir reclamações e sugestões de alterações em certos aspectos do tema. Para a surpresa de muitos, contrariando o seu histórico, a Canonical está ouvindo a comunidade em relação a isso. E após o pedido de usuários em um ‘bug report’, a próxima versão do Ubuntu, a 19.10, virá com uma nova versão padrão do tema ‘Yaru’.

nova-variação-tema-yaru-lançada-ubuntu
Nova variação do tema 'Yaru' a ser lançada no Ubuntu 19.10.
O problema relatado no ‘bug report’ trata-se de um bug que dificulta a visualização dos botões de ação nas ‘headerbars’ escuras. Vários usuários estavam reclamando da falta de contraste entre a ‘headerbar’ e os botões de ação.

O ‘Yaru’, na verdade, é uma versão modificada do tema ‘Adwaita’ do projeto GNOME, e essa modificação fará com que este fique mais parecido com o tema padrão do GNOME Shell. A modificação consiste em inverter a cor das ‘headerbars’, tornando-as brancas. O quê, em geral, deve 
solucionar este bug e melhorar a usabilidade do sistema.

novo-tema-yaru-white-branco-claro-ubuntu
Tema 'Yaru' atual vs. nova versão.
A princípio, na versão 19.10 do Ubuntu, estarão disponíveis apenas a nova versão do tema ‘Yaru’, com as 'headerbars' brancas, e o ‘Yaru Dark’, com toda a interface escura em tons de cinza. Todavia, a ideia é que na versão 20.04 a variação atual com apenas as ‘headerbars’ escuras volte e seja mais uma opção disponível. Em paralelo com a nova variação branca e o ‘Yaru Dark’.

O ‘Yaru Dark’ também sofrerá algumas modificações nessa nova versão do Ubuntu. Nada comparado as alterações na versão clara, mas mesmo assim obtendo uma melhora significativa, aumentando a coerência visual com alterações nos tons de cinza dos 'backgrounds', e de alguns botões.

tema-yaru-dark-ubuntu
Como é o tema 'Yaru Dark' no Ubuntu 19.04.
tema-yaru-dark-ubuntu
Como será o tema 'Yaru Dark' no Ubuntu 19.10.
O quê você achou do novo visual dos temas ‘Yaru’ e 'Yaru Dark'? Você acha que tornar as ‘headerbars’ brancas realmente irá melhorar a visualização dos botões de ação? A mudança irá melhorar o aspecto visual do tema? Comente e diga-nos o quê você pensa. :)

Você gosta de Linux e tecnologia? Tem alguma dúvida ou problema que não consegue resolver? Venha fazer parte da nossa comunidade no Diolinux Plus!

Por hoje é tudo pessoal! :)

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Atualização no tema Yaru do Ubuntu 19.10 recebe elogios do time do GNOME

Nenhum comentário

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Constante lapidação é um modus operandi muito interessante de seguir no mundo de desenvolvimento de software. A Canonical anunciou mudanças que devem chegar ao novo tema do Ubuntu, o Yaru, que recebeu elogios até mesmo da comunidade GNOME pela postura de desenvolvimento.

Yaru theme Ubuntu 19.10






O tema Yaru foi responsável pela modernizada no visual do Ubuntu que tivemos com a versão 19.04, ele é realmente muito belo e amigável aos olhos, algo que o Ubuntu precisava muito, depois de anos usando o Ambiance sem maiores modificações.

O trabalho com o Yaru, no entanto, não está completamente finalizado, e imagens vazadas onde alguns novos detalhes podem ser percebidos:

Tema Yaru novo

Como podemos ver, o novo Yaru parece respeitar mais o tema padrão do GNOME, o Adwaita, desde o formato dos switches na interface, até mesmo espaçamento e posicionamento dos elementos.

Em 25 de Maio deste ano, alguns desenvolvedores GNOME comentaram, de forma aberta, que gostariam que as distros parassem de estilizar os seus aplicativos por contra própria, apontando vários problemas e bugs que só aconteciam nos softwares por conta dessas modificações, onde as distros que criavam o problema, não arcavam com a solução dele, ao mesmo tempo que não tentavam criar uma temificação que ajudasse a não quebrar os aplicativos, mesmo sem perder a identidade visual que se propõem a carregar.

É sabido que isso acontecia, muitas vezes, sem que as distros tivessem consciência do problema. Ao modifcar as fontes, o espaçamento, o posicionamento e o CSS do temas GTK para dar "a cara" que gostariam, as distros acabavam criando alguns aplicativos bugados, com ícones sem contraste, ou simplesmente visuais quebrados, quando os reports de bugs eram feitos por conta desses problemas, eles iam diretamente para o desenvolvedor original do App, que nada tinha a ver com a modificação que causou o mesmo.

Ainda que o tema Yaru não fosse um grande problema neste sentido, há sempre coisas que podem melhorar em relação ao que você pode fazer de forma colaborativa, e mais uma vez a Canonical acatou o feedback da comunidade em relação a isso, dessa vez a comunidade de desenvolvedores GNOME, e está trabalhando nesse polimento do Yaru para que não existam estes conflitos.

O perfil do GNOME Twitter parabenizou o Ubuntu pela atitude:

GNOME cumprimenta Ubuntu

Em uma tradução livre:

"Nós apreciamentos o tempo dedicado pelo Ubuntu para nos ajudar a evitar a fragmentação de temas, permacendo próximo das escolhas de design dos designers do GNOME e de seus desenvolvedores. Isso é realmente uma decisão 'de classe' de um grande grupo de pessoas. Estamos entusiasmados para ver o produto final".

No fórum do Ubuntu podemos ver mais alguns screenshots do projeto, que tem o objetivo de ser lançado com o Ubuntu 19.10, caso haja tempo suficiente para fazer a adição. Apesar de parecer simples, o visual do sistema é algo muito importante e quando feito de forma profissional, requer vários testes para ver se ele não quebra o visual das aplicações pré-instaladas e, no mínimo, as mais comuns utilizadas pelas pessoas.

Outra característica que está sendo considerada é adicionar, nas configurações do sistema, uma opção para ativar o tema dark sem a necessidade de instalar o GNOME Tweaks, o que não muda muito as coisas na prática, mas é um toque legal, que o Pop!_OS por exemplo, possui.

O que você achou do novo visual? Compartilhe suas ideias no nosso fórum.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ícones Yaru do Ubuntu podem receber um "leve redesign"

Nenhum comentário

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Parece que o Ubuntu ainda está revendo seu design atual, com um pack de ícones “controverso”, que tenta propor um design novo, porém ao mesmo tempo sem descaracterizar os ícones de terceiros, o tema de ícones Yaru vem “lutando” entre manter os ícones num estilo meio quadrado/arredondado e usar os ícones oficiais de apps de terceiros.

redesign-novos-icones-yaru-ubuntu-suru

Recentemente a equipe de designers da Canonical estava desenvolvendo uma solução para tal paradigma, até noticiamos sobre a mesma, num post bem interessante, entretanto ao que parece, a investida de criar um script que automatiza a padronização dos ícones de terceiros sem agredir sua identidade visual, talvez não seja a melhor solução.

É notório o desagrado de alguns usuários sobre esse novo rumo e design dos ícones Yaru, um ícone mais quadrado mantendo todos apps num padrão visual, é condizente com as aplicações nativas ao sistema, o “desfalque” começa quando instalamos vários softwares de terceiros, descaracterizando uma harmonia visual com ícones quadrados e alguns fora do padrão. Se por um lado mudar os ícones dos softwares como Firefox, Spotify, Skype, Discord etc; Pode matar a identidade visual proposta por seu fabricante, manter todos os ícones do sistema num padrão e outros sem, parece algo contraditório, e a equipe do Yaru vem tendo grandes dificuldades com o desfecho desta questão.

Ícones Yaru junto a softwares de terceiros (Atual)


icones-yaru-ubuntu-suru-atual

E qual a solução, afinal? Não existe algo finalizado. Os designers, ao que tudo indica, estão começando a desistir desta ideia de “ícones quadrados”, e começaram a experimentar outras formas de desenhos, misturando objetos quadrados, retangulares e circulares no mesmo tema. Um fork do Yaru foi criado, e testes estão sendo feitos, com tais experimentações de formatos diversificados, contudo, sem perder a premissa de identidade visual e consistência dos ícones originais de aplicações de terceiros.

Ícones Yaru junto a softwares de terceiros (Em testes)


icones-yaru-ubuntu-suru-teste

Ainda em fase de testes


Por ser algo relativamente novo, os ícones obviamente não estão todos prontos, e nem a ideia foi tomada como decisão final, a discussão ainda continua: Qual a melhor decisão a ser tomada? Ao que parece, “pelo andar da carruagem”, este será o caminho tomado pela equipe do Yaru.

Se você é um apressadinho (ou curioso 😂😂😂), e gostaria testar os ícones com esse novo redesign, basta instalar via snap, ou substituir, caso tenha ele instalado.

Instalando os ícones, caso não tenha a versão estável

snap install communitheme --channel=edge/yaru-pr1209

Substituindo os ícones pelo “redesign”

snap refresh communitheme --channel=edge/yaru-pr1209

Voltando para versão estável

snap refresh communitheme --stable

Para remover basta substituir o parâmetro “install/refresh” pôr “remove”.

Torne como padrão o tema de ícones Yaru através da aplicação “gnome-tweak-tool”, você pode instalá-lo via terminal com o seguinte comando:

sudo apt install gnome-tweak-tool

Ou via interface gráfica, para isso abra a loja e pesquise por “ajustes do GNOME” e instale o app.

gnome-ajustes-ubuntu-temas-icones-loja

Execute o mesmo pesquisando no menu do Ubuntu por “ajustes do GNOME”, abra o programa e na aba “Aparência”, selecione na opção’ Ícones” o tema Yaru, que estará com o nome “Communitheme”.

gnome-ajustes-ubuntu-temas-icones-configurando

Conforme os designers forem atualizando o pack de ícones, você também receberá as modificações normalmente por atualizações do sistema.

E você, curtiu esse “redesign” no tema de ícones Yaru? Particularmente uso uma customização que fiz mesclando o Suru + Yaru, e agora com essa nova opção, estou pensando em dar um upgrade e substituir os ícones que não achei legal. 

Deixe nos comentários o que achou deste caminho traçado pela equipe de arte do Ubuntu, ou se prefere os ícones padrões do Gnome etc.

Até o próximo post, te aguardo aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Novos ícones do Ubuntu, conheça a atualização do tema da distro

Nenhum comentário

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Com o lançamento do Ubuntu 18.10 Cosmic Cuttlefish, a Canonical trouxe melhorias no design, algo que os usuários de Ubuntu vinham pedindo há alguns anos. Foi entregue nesta versão o tema feito pela comunidade do Ubuntu, o Yaru, tema das aplicações, shell e ícones.

atualizacao-icones-yaru-ubuntu

O pack de ícones Yaru, é uma fork do famoso tema de ícones Suru, do design Sam Hewitt, responsável por outros ícones consagrados na comunidade, como: Paper, Moka, Faba, Solus. E até contribuições em outros ícones de projetos, o Adwaita do Gnome e os ícones do ElementaryOS.

Ícones Suru


icones-suru-theme

A comunidade Ubuntu então decidiu basear seu tema de ícones no Suru, dando vida ao Yaru, mas com uma decisão acertada, em meu ponto de vista, de não alterar ícones de terceiros, descaracterizando-os. Um problema que vejo o tema Mint-y cometer.

Novos usuários poderiam ficar confusos ao não identificar os ícones de aplicações como, Firefox, GIMP, etc. Mas eis que outro problema pode afetar o Yaru. A inconsistência no design.

Tema Yaru (perceba que aplicações de terceiros destoam, da temática dos ícones)


icones-yaru-terceiros

Contornando a situação


Amenizando essa incoerência, que os ícones de terceiros podem ocasionar ao visual do Yaru, a equipe de desenvolvimento do tema elaborou uma saída muito interessante. Um script que adiciona um fundo de mosaico, estilo ao do Suru, nos ícones de terceiro do Yaru.

icones-yary-surufy

Essa estratégia visa manter o design original das aplicações, sem sacrificar a proposta do tema. O script denominado “Surufy”, tem o objetivo de no ato da instalação, identificar a aplicação, se a mesma existe no set de ícones Yaru. E se não, adicionar esse mosaico.

O script também será capaz de identificar as cores preeminentes no ícone e usá-las como base, para seu fundo colorido. De certa forma, parecido com a proposta que o Unity 8 tinha.

Tudo ainda está em fase de desenvolvimento e testes, ao contrário que alguns sites anunciaram essa funcionalidade não virá na próxima versão do Ubuntu 19.04, como explica o desenvolvedor Carlo Lobrano, da equipe de design do Yaru.

Testes iniciais do script Surufy


Tratando-se de algo relativamente novo, os desenvolvedores vem amadurecendo a ideia, e implementando as funcionalidades desejadas no script. 

Antes só se conseguia adicionar o mosaico de fundo nas imagens, com um fundo translúcido, conforme a imagem à seguir:

surufy-script-desenvolvimento

Depois conseguiram adicionar uma cor sólida, na qual o script coletava a cor predominante do ícone e adicionava ao fundo.

surufy-yaru-icones-mosaico-fundo-colorido

Muito trabalho a ser feito


Mesmo sendo muito criativa, a solução ainda está em estágio inicial, e alguns empecilhos rodeiam a equipe de desenvolvimento. 

A implementação deverá ser feita em diversas maneiras de instalação, visto que usuários podem adicionar apps de diferentes formas: via Apt, Flatpak, Snap. Sobre AppImage nada foi dito, mas creio que também seja englobado por tal solução no futuro. Como podem observar na imagem acima, em algumas aplicações o script tem dificuldade em adicionar o fundo.

Essas mudanças dificilmente darão as caras no Ubuntu 19.04, mas é curioso ver que depois de tantos anos, enfim o Ubuntu vem ganhando um refinamento visual, com pessoas que entendem de design.

Curtiu a solução da equipe do Yaru? Gostaria de vê-lo na próxima LTS? Diga nos comentários sua opinião.

Nos vemos no próximo post, e como de costume, compartilhe o conteúdo do blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Canonical libera a versão final do Ubuntu 18.10 (Cosmic Cuttlefish)

Nenhum comentário

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Foi lançado nesta Quinta-feira (18), a versão final do Ubuntu 18.10 depois de longos 6 meses em desenvolvimento pela Canonical e assim sendo liberado o download para todos. O anúncio foi feito no blog oficial da Canonical.

Canonical libera a versão final do Ubuntu 18.10 (Cosmic Cuttlefish)






Como mencionamos em outros artigos aqui do blog, o novo Ubuntu viria com várias novidades e melhorias em relação ao Ubuntu 18.04 LTS.

Essa nova versão também está disponível na versão para servidores, Ubuntu Server 18.10 e que também trouxe algumas atualizações e melhorias de alguns programas e ferramentas.

Vale lembrar que essa versão do Ubuntu só terá suporte por 9 meses, acabando em Julho de 2019.

As principais novidades no Ubuntu 18.10 são:






- Driver NVIDIA mais recente da geração 390.XX

- Mesa Driver com a versão mais recente da geração 18.X.X

- Correção do problema do Leak de memória com o Gnome.

Além dessas novidades, manteve algumas coisas do Ubuntu 18.04 que comentamos nesse artigo.

As outras melhorias e upgrades de programas implementados nessa versão foram:

● OpenSSL 1.1.1 (biblioteca de comunicação segura que utiliza o protocolo TLS);

● Kernel 4.18 incluindo suporte para às GPUs  AMD Radeon RX Vega M, suporte completo ao Raspberry Pi 3B e 3B+, Qualcomm Snapdragon 845, muitos melhoramentos para às saídas USB 3.2 e Type-C, Intel Cannonlake graphics.

● Atualizações das ferramentas glibc 2.28, OpenJDK 11, boost 1.67, rustc 1.28, and updated GCC 8.2, python 3.6.7 as default, python 3.7.1 as supported, ruby 2.5.1, php 7.2.10, perl 5.26.2, golang 1.10.4.

Para a versão de Desktop tivemos algumas novidades, como o suporte do VeraCypt no Gnome Discos, melhorias no shell para melhorar o cache da memória RAM das GPUs e assim aumentar os FPS, bibliotecas para leitores digitais agora como principais.

Já na versão Server houve o upgrade de programas importantes, como o qemu para a versão 2.12, libvirt para a versão 4.6, Open vSwitch para a versão 2.10, cloud-init versão 18.4 e o curtin para a versão 18.1.59.

Também foram atualizados o Firefox que agora vai com a versão 63, o LibreOffice está indo com a versão 6.1.2 entre outros aplicativos.

Para conferir a nota completa, acesse a Wiki do Ubuntu.

Flavours também foram lançadas

As flavours (ou sabores) do Ubuntu, também receberam a versão 18.10 e somente o Lubuntu e o Xubuntu mantiveram versões para 32 bits, ao que tudo indica, pela primeira vez.

Para baixar as imagens ISOs das flavours, basta clicar nos respectivos nomes.

Para baixar o Ubuntu 18.10 basta acessar o site oficial dele. E se você quiser saber o que achamos dele, basta ver a nossa review abaixo, ficou bem bacana.

       

Nos testes que eu fiz (Ricardo) em um notebook antigo da Lenovo com um Core i5-3230M (2,60 GHz; 3 MB Cache) de terceira geração, com Intel Graphics HD 3000 e 12GB de memória RAM (DDR3 1600Mhz e não tão novas assim rs) o novo Ubuntu se saiu muito bem e não apresentou travamentos e nem nada do tipo. E detalhe, esse notebook tem tela sensível ao toque e o Ubuntu se comporta muito bem obrigado. Me surpreendeu essa nova versão do Ubuntu.

Agora nós diga aí nos comentários se você já está usando o novo Ubuntu e o que está achando dele.

Espero você até uma próxima e um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo