Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador ambiente grafico. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ambiente grafico. Mostrar todas as postagens

KDE Plasma 5.17 lançado! Muito mais rápido e responsivo

Nenhum comentário

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

O Plasma é o ambiente desktop do projeto KDE, cheio de recursos e cada vez mais personalizável. Sua equipe de desenvolvimento sempre está implementando novas funcionalidades e otimizando a DE, e eis que sua nova versão tem data de lançamento marcada.

kde-plasma-5.17-linux-de-ambiente-interface-gráfico-qt-software-livre-open-source

Recentemente falamos sobre o desenvolvimento da versão 5.17 do Plasma, você pode acessar por este link, entretanto as novidades não acabam por aí. 

Além de recursos, como a chegada do Night Color no X11 (projetado para reduzir distúrbios causados pela exposição excessiva à telas brilhantes), redesenho de várias partes do ambiente desktop, ajustes no Discover, entre outros já apresentados na postagem no link acima. Mais correções e refinamentos foram empregados nesta nova versão.

O KDE Plasma é considerado por muitos como uma das mais rápidas DEs, disponíveis atualmente no mercado, e que sabe dosar entre utilização do hardware features. Agora o sistema passa a ser ainda mais veloz, pois a equipe converteu os scripts de inicialização do Bash para o C++, possibilitando uma execução simultânea.

A compatibilidade com o Wayland vem sendo trabalhada, aprimorando o gerenciamento de configurações de vários monitores e introduzindo o redimensionamento fracionário. Com isso as dimensões de todos os elementos em tela serão adaptados, e tendo melhor aparecia em monitores de altíssima resolução (HiDPI). 

O vídeo a seguir mostra uma breve apresentação das novas funcionalidades da versão.


O Plasma 5.17.0 foi lançado no dia 15 (terça-feira), mas já tem data prevista para os próximos lançamentos. 

• Data de lançamento: 22 de outubro — Plasma 5.17.1;
• Data de lançamento: 29 de outubro — Plasma 5.17.2;
• Data de lançamento: 12 de novembro — Plasma 5.17.3;
• Data de lançamento: 3 de dezembro — Plasma 5.17.4;
• Data de lançamento: 7 de janeiro — Plasma 5.17.5.

Lembrando que essa versão é de curto prazo, portanto apenas 5 atualizações de manutenção serão lançadas.

Para mais informações acesse a postagem do desenvolvedor do projeto KDE, Nate Graham.

Você utiliza KDE Plasma? Sem sombra de dúvidas é uma das DEs mais poderosas, seja no mundo Linux ou fora dele.

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e compartilhe nosso conteúdo, SISTEMATICAMENTE! 😎



Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


"Arrastar e Soltar" apps para pastas, pode estar chegando ao Gnome-Shell

Nenhum comentário

terça-feira, 2 de julho de 2019

O Gnome-Shell não é conhecido por embarcar incontáveis recursos em seu ambiente, essa fama fica com o Plasma do KDE, muitas vezes sua simplicidade demasiada pode não agradar todo tipo de usuário. Seu menu de aplicativos é composto por uma grade de apps, e alguns estão em pastas, porém, o usuário não tem a liberdade de criar novas pastas ou adicionar apps as existentes (ao menos não por padrão).

apps-pasta-folder-gnome-shell-extensão-linux-ubuntu

Parece bobagem dar foco a algo tão “trivial”. Afinal, são apenas pastas na grade de aplicativos. Por mais absurdo que isso pareça, o recurso é esperado há muito tempo. Será que agora vai? Aparentemente graças ao desenvolvedor brasileiro do GNOME, Georges Stavracas, o recurso “Arrastar e Soltar” de apps para pastas já existentes em outras interface, está chegando ao Gnome-Shell. Até o momento o que podemos ver no gitlab do Gnome são algumas funcionalidades planejadas, e outras “funcionando razoavelmente bem”. Veja logo abaixo uma demonstração, do canal baby WOGUE do recurso.


Arrastar e soltar apps em pastas


  • Mover aplicativos da grade para pastas (implementado);
  • Mover aplicativos de pastas para a grade de ícones (implementado);
  • Crie uma nova pasta ao passar o mouse no ícone de um aplicativo (em desenvolvimento).

Animações adicionadas


  • Escala nos ícones movidos para pastas (implementado);
  • Escala e ícone de posição ao passar o mouse (em desenvolvimento).

Infelizmente não é possível criar as pastas nativamente, apenas mover os apps. Provavelmente o recurso chegará ao Gnome-Shell 3.34 de forma oficial. 

Extensão para os “apressadinhos” (utilizo há tempos) 


O recurso ainda não chegou oficialmente ao Gnome-Shell, na real ele “até existe”, mas está bem “escondidinho” e nativamente ainda é bem complicado utilizá-lo. Como no Gnome-Shell as extensões podem “quebrar aquele galho” e caso você queira utilizar essa função, pode instalar a extensão Appfoldes management extension.

apps-pasta-folder-gnome-shell-extensão-linux-ubuntu-apppfoldes-management-extension

Com ela você poderá criar pastas, adicionar e remover aplicativos de forma bem prática (como deveria ser por padrão 😉😉😉). Não sabe como adicionar extensões ao seu Gnome-Shell? Essa postagem é perfeita para você, um ótimo passo-a-passo.

Aprendi a gostar do GNOME, mas confesso que algumas opções seriam válidas. Compreendo a filosofia de minimalismo do projeto, no entanto, algumas coisas deveriam ser reavaliadas. Felizmente o Georges Stavracas vem fazendo um ótimo trabalho dentro da comunidade, e o GNOME aparenta estar mais aberto.

Participe de nossa comunidade, e fique por dentro de todas as novidades através do fórum Diolinux Plus.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


O que é um programa "pesado"

Nenhum comentário

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Uma das perguntas mais frequentes encontradas no canal, ou até mesmo aqui no blog, é “tal interface do Linux é pesada?”. Quando perguntamos se uma interface é ou não pesada, o que devemos levar em consideração? Ou melhor, o que é um programa pesado afinal de contas?


Podemos definir um programa pesado, tanto no linux, Windows ou macOS, como um programa que usa muitos “recursos da máquina”. Basicamente podemos incluir quatro itens em nossa lista na hora de verificar se um programa é ou não pesado para nosso computador. Estes itens são: processador, memória RAM, armazenamento e GPU.

Tendo em mente que esses são os recursos que você irá avaliar, fica muito mais fácil de escolher, por exemplo, a interface adequada para a sua máquina, se o intuito é escolhê-la por ser mais “leve”. 

Também é importante lembrar que um programa pode ser considerado pesado, mas não necessariamente nesses quatro itens, pois depende do que você está avaliando no seu computador. Podemos usar como exemplo o Cinnamon, a interface mais popular do Linux Mint.

O Cinnamon, por exemplo, pode ser considerado tanto pesado, quanto leve, dependendo do que você levar em consideração na hora de avaliar. Em comparação com outras interfaces disponíveis, se formos avaliar o uso do processador, ele é um ambiente gráfico leve, se estiver falando de memória, ele é um ambiente gráfico leve, se você está falando de disco rígido de armazenamento, ele também é ambiente leve, agora, se você estiver falando de gráficos, aí você poderá considerá-lo um ambiente mais pesado. Mas então Linux Mint é um sistema leve ou pesado? Depende do que você for avaliar.

Apesar de através de comparativos entre sistemas conseguirmos dizer quais são um pouco mais pesados que outros, devemos considerar também a potência do hardware que você tem disponível no seu computador, pois isso fará grande diferença na hora de considerar um sistema “leve ou pesado”. Confira o vídeo na canal, em que discutimos em detalhes o que podemos analisar em um programa para considerá-lo “pesado”.



Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Linux e suas dificuldades para migrar!

Nenhum comentário

terça-feira, 10 de julho de 2018

A questão de migração pode ser interpretada de diversas formas, tem pessoas que migram para alguma distribuição Linux por que querem, tem pessoas que usam o Linux e nem sabem (temos o Android por exemplo), assim como existem pessoas que migram para o Linux por conta de trabalho, não necessariamente por uma escolha pessoal. Apesar de hoje em dia o Linux ser a base de diversos projetos, ainda existem muitas dificuldades encontradas pelo usuário final, que prejudicam a migração para esse universo.






Para que o usuário final possa usar tranquilamente Linux, é preciso que saiba como o sistema operacional que está utilizando funciona. Quando falamos em “como funciona”, não é necessariamente saber quais são os processos que estão por trás do sistema operacional, como o kernel controla o acesso a memória, como o sistema operacional é estruturado. O usuário precisa conseguir realizar todas as atividades que são necessárias para ele, como coisas simples do dia a dia e se sentir confortável com isso.

Se você sente a necessidade de conhecer tudo sobre o sistema, como ele realmente funciona, e todas as suas funcionalidades, ótimo! Porém, não podemos negar que muitos usuários não tem o interesse de saber como tudo funciona, desde que possa fazer suas atividades está tudo “OK”, e não há problema nisso. Eu mesma, quando iniciei nesse universo só queria saber se o resultado pretendido, que era fazer as minhas atividades sem problemas, seria satisfeito e aos poucos fui me interessando mais sobre o assunto. 

Nem todas as interfaces são intuitivas ao extremo, especialmente se a pessoa utilizou Windows por muitos anos. No canal já foi abordado algumas vezes o assunto de "a melhor distribuição para quem está começando", e apesar de existirem algumas que são facilmente recomendáveis, não há como negar que existe algo muito interessante na exploração das opções até você encontrar a que mais se adequa às suas necessidades ou ao seu perfil de usuário.



Quando comecei a usar Linux, fui apresentada ao Ubuntu com Unity e gostava muito , pois era muito prático e com um visual que me agravada, tanto que foi difícil me convencer a trocar de interface. Depois comecei a usar Linux Mint, o qual o visual não me agradou muito, mas a experiência acabou sendo tão boa que convenci meu chefe a rodar em vários computadores da empresa em que trabalho.

Nesse processo podemos dizer que algumas coisas acabam afastando os usuários ou prejudicando a sua adaptação. Uma das coisas mais difíceis da migração, na minha opinião, é saber onde as coisas estão posicionadas, como instalar as coisas, onde procurá-las e como procurá-las. Se você é criador de conteúdo, procure sempre pensar em formas de fazer tutoriais e explicar que possam ser utilizados por usuários iniciantes também, ou sinalize caso seu tutorial seja para um usuário intermediário ou avançado para que as pessoas que acessem não vejam aquilo como algo difícil, ou impossível de fazer, e usem isso como uma desculpa para parar de tentar.

Outra dificuldade encontrada são os programas utilizados, às vezes achamos que o que precisamos é exatamente “daquele” programa, mas na verdade o que precisamos é da sua funcionalidade. Levei um tempinho para me acostumar a essa ideia. Mantive dual boot por um ano simplesmente para usar o pacote Office da Microsoft, até me dar conta de que o que procurava eram simplesmente as funcionalidades que encontrava nesses programas. 

Busque as coisas não pelo nome do programa e sim pelas suas funcionalidades, como “editor de texto” ao invés de “Word” por exemplo. Isso com certeza vai de abrir um leque muito maior de oportunidades de encontrar aquilo que você procura, muitas vezes encontrando soluções até melhores do que a que você estava acostumado.

Apesar de ter citados alguns pontos relacionados ao conteúdo produzido e um pouco da minha experiência de usuária, acredito que, grande parte da desistência ocorre pela falta de interesse do usuário em esforçar-se para adquirir um novo conhecimento e optar falar que o produto “não é bom”, do que revelar que não tinha vontade de conhecer e se adaptar há algo novo no momento. Isso também já aconteceu comigo, mas acabei revendo meus conceitos. 

Veja que não há problema em você não estar interessado em aprender algo novo no momento, desde que não justifique essa falta de interesse colocando empecilhos negativos no conteúdo, e isso vale para qualquer coisa na vida que se propor a aprender em sua vida. Enfim, no vídeo abaixo você encontra a opinião do Dionatan sobre os desafios da migração e o que se pode fazer para facilitá-la.





Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conheça grandes novidades do Cinnamon 3.8

Nenhum comentário

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Os desenvolvedores do Linux Mint anunciaram a disponibilidade do Cinnamon Desktop para a comunidade. Saiba agora mais são as principais novidades.

Cinnamon Desktop 3.8






O ambiente gráfico Cinnamon na versão 3.8 fará parte do Linux Mint 19 que sairá nas próximas semanas, ele também fará parte de outras distros que decidirem usar a interface como opção.

Usuários do Linux Mint 18.3 não poderão atualizar o Cinnamon para esta versão por conta de uma mudança brusca nas bibliotecas que compõem a interface, a única forma é realmente atualizando para a versão nova do Linux Mint quando ela sair.

Dentre as novidades da nova versão do Cinnamon, temos o suporte para o GTK 3.22, o que garantirá compatibilidade com mais temas GNOME e garantirá um visual mais modernos às aplicações.

Com exceção de algumas extensões do Nemo, todos os componentes do sistema que usam Python utilizarão a versão 3. As configurações de rede foram portadas do GNOME 3.24 com bugfixes inclusos do GNOME 3.26.

As funções de suspender, hibernar e rotacionar agora funcionam também com a tela bloqueada.

Uma das coisas que pode causar um efeito negativo, visualmente falando, é que agora o Cinnamon não configura automaticamente as variáveis QT para aplicações que usem a biblioteca para construir suas interfaces. Os desenvolvedores afirmam que será trabalho das distros fazerem as aplicações em QT5 ficaram visualmente atrativas "out of the box". O que indica que o Mint deverá fazer algo do tipo por si só.

As thumbnails de arquivos no gerenciador de arquivos Nemo agora conseguem mostrar o preview de arquivos únicos de 32GB. 😮

Melhorias de desempenho


Houve  melhorias consideráveis também no desempenho do ambiente gráfico. As melhorias do compositor de janelas "Muffin" fazem com que as janelas abram e se redimensionem mais rápido e de maneira mais suave. Houve melhorias na biblioteca no Nemo (libnemo-extension) que fazem com que leitura de arquivos dentro de um diretório seja muito mais rápida, assim como a pesquisa.

As melhorias no compositor também fazem com que os softwares iniciem mais rápido depois que acorre o clique no ícone.

Outras melhorias interessantes


A pequisa no Nemo foi simplificada, e como já mencionado, ficou muito mais rápida que anteriormente.

Gerenciador de arquivos Nemo
Gerenciador de arquivos "Nemo" do Cinnamon Desktop


O sistema de notificações também foi melhorado e está mais inteligente. Agora as notificações possuem o botão de "fechar" e não ficam mais opacas ao usuário levar o mouse sobre elas. Para evitar excessos na tela, a quantidade de notificações exibidas de forma empilhada se limita a uma quantidade definível por fonte, como notificações vindas no Chrome por exemplo, notificações vindas no Skype, etc.

Nas configurações de volume agora você pode controlar até 150% do volume à partir do próprio applet no Painel, antes era possível fazer isso somente através do menu de configurações.

E estas modificações, segundo os desenvolvedores, são apenas um "overview" do trabalho que vem sendo realizado nos últimos seis meses de desenvolvimento para tornar o Cinnamon ainda mais amigável e prático para o dia a dia dos usuários.

Em breve poderemos desfrutar no ambiente no Linux Mint 19 e também em outras distros.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conheça e instale o Budgie Desktop no seu Ubuntu

Nenhum comentário

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Um novo ambiente de trabalho está chamando a atenção dos usuários de Linux nos últimos meses, trata-se do Budgie Desktop da distribuição Evolve OS, conheça mais detalhes e veja como instalar no seu Ubuntu.

Budgie Desktop no Ubuntu

Conheça o o Budgie Desktop


Não sei não mas acho que estamos vendo o nascimento de uma interface gráfica para concorrer com o Cinnamon do Linux Mint, claro que ele está muito recente ainda e tem poucas opções se compararmos com o ambiente do Mint mas algo me diz que ele está no caminho certo, não sei.

Menu Classic no Budgie Desktop

Este que você está vendo na imagem acima é a versão "Classic" do menu do Budgie, existe uma versão do menu que lembra o menu do Cinnamon, além de ser muito leve ele parecer ser muito estiloso lembrando também um pouco do menu do Chrome OS.

Menu Budgie Desktop

Como instalar o Budgie Desktop no Ubuntu


Abra o seu terminal e cole os seguintes comandos sequencialmente pressionando "Enter" após cada um deles:


sudo add-apt-repository ppa:evolve-os/ppa
sudo apt-get update
sudo apt-get install budgie-desktop

Vale lembrar que este ambiente está em pleno desenvolvimento e pode ser que ele contenha bugs que podem prejudicar o seu desempenho, ele é altamente recomendado para testes para todos os que estiverem interessados.

Para entrar no Budgie Desktop depois de instalado é só fazer logoff na sua sessão atual e na tela de login mudar o ambiente gráfico pelo botão com o logo do Ubuntu.

Mude o seu Desktop


Para remover o Budgie do seu Ubuntu volte a se logar pelo Unity e rode os seguintes comandos:



sudo apt-get install ppa-purge
sudo ppa-purge ppa:evolve-os/ppa

É isso aí pessoal, até a próxima!

Via: OMG!Ubuntu 


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Novidades do novo Cinnamon 2.4

Nenhum comentário

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

O nova versão do ambiente gráfico Cinnamon está recebendo uma nova versão com atualizações em funcionalidades e aparência, confira nesta matéria todas as novidades e veja como instalar no Ubuntu.

Cinnamon 2.4 lançado

Cinnamon 2.4 traz novos recursos aos seus usuários


Em breve será lançado o novo Linux Mint 17.1 Rebecca e com ele novo recursos chegarão ao sistema operacional, desde que a equipe de desenvolvimento do Linux Mint resolveu utilizar apenas versões LTS do Ubuntu como base algumas pessoas ficaram preocupadas quanto à quantidade de atualizações que o ambiente teria mas pelo visto a equipe do Mint focou muito em aprimorar o ambiente e o sistema, dentre as principais novidades estão:

- Ambiente de trabalho Cinnamon inicia com a animação "zoom" (como o do Gnome)
- Atalho 'Super + e' abre pasta 'Home'
- Fonte de desktop agora podem ser personalizados
- Definições de "tema e plano de fundo 'redesenhado
- Slideshow de wallpapers com indicador na barra inferior
- Revisão do código e correção de bugs

Nemo - Cinnamon 2.4
Imagem: OMG Ubuntu

O Nemo (gerenciador de arquivos) também recebem melhorias, ele recebeu um redesenho na barra de ferramentas para deixar um visual mais "clean", as principais mudanças foram:


- Extensão "nemo-emblemas 'suporta a adição de emblemas para pastas
- Efeitos de destaque em foco na Sidebar

Também está sendo discutido (ainda não foi implementado) a colocação da função de colorir as pastas com o plugin "nemo-color-folder-switcher", que causa um efeito semelhante a este plugin para o Nautilus do Ubuntu.

O novo Linux Mint 17.1 deve sair no final deste mês de Novembro, e a versão atual, a versão 17 Qiana, deverá receber essa atualização, se você estiver com muita pressa apenas habilite o repositório ROMEO nas fontes de software do sistema, esse repositório contem os pacotes instáveis do Mint.

Como instalar o Cinnamon 2.4 no Ubuntu


Apesar de eu não recomendar essa mudança por questão de estabilidade se você quiser dar uma olhada no novo Cinnamon vamos precisar adicionar o repositório instável:

sudo add-apt-repository ppa:gwendal-lebihan-dev/cinnamon-nightly
sudo apt-get update
sudo apt-get install cinnamon

Se você já usa o Cinnamon no Ubuntu apenas atualize o sistema depois de adicionar o PPA ignorando o último comando acima:

sudo apt-get dist-upgrade 

Para remover o PPA com os seus pacotes faça:

sudo apt-get install ppa-purge
sudo ppa-purge ppa:gwendal-lebihan-dev/cinnamon-nightly

É isso aí, até a próxima!

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Reviva o KDE 3 com o Trinity Desktop e o Q4OS

Nenhum comentário

terça-feira, 23 de setembro de 2014

A criação de "forks" é algo absolutamente comum no software livre, com o passar do tempo as tecnologias que compõem os sistemas vão evoluindo e mudando mas sempre há quem goste daquele visual e daquela funcionalidade mais antiga e tradicional.

Q4OS e o Trinity Desktop

Q4OS e o Trinity Desktop o fork do KDE 3


Enquanto muito estão "babando" pelo novo KDE 5 outra gama de usuários fãs dessa interface busca voltar as raízes e ter um ambiente de trabalho mais conservador e é exatamente esta a proposta do Trinity Desktop Enviroment.

Assim como o MATE produzido pela equipe do Linux Mint é um fork do Gnome 2, o Trinity Desktop é um Fork do KDE 3 e é mantido pela equipe de uma distribuição Linux chamada Q4OS, esta é uma distribuição independente que não se baseia em nenhuma outra.

Sobre o Q4OS


De longe a característica mais marcante desta distribuição é o seu ambiente Trinity Desktop, segundo o DistroWatch ele é um sistema baseado no Debian, entretanto eu não tenho certeza disso pois no site oficial temos a impressão de ser uma distro independente com alguns scripts para instalar alguns softwares famosos como o Google Chrome e o Firefox.

É um ambiguidade que ainda não encontrei a solução, se você tiver alguma informação que eu não tenho pode deixar aí nos comentários.

Confira a nossa review do ambiente gráfico no vídeo abaixo:


Como instalar o Trinity Desktop em outros sistemas


Através da documentação produzida na Wiki do Q4OS podemos instalar o Trinity Desktop em outros sistemas, incluindo o Ubuntu, entretanto a versão mais recente suportada que ainda tem suporte é o Ubuntu 12.04 LTS.

Para ver os procedimentos de instalação tanto no Ubuntu quanto em outros sistemas acesse este link.

Minha opinião


Como comentei no vídeo acima o ambiente parece ser muito interessante para computadores realmente antigos, pela sua leveza e até certo ponto, bons recursos de desktop, para mim usar atualmente em um computador de trabalho seria inviável por questões de produtividade, ele pode ser uma boa opção também para computadores com hardware modesto como Netbooks.

Via:  q4os.org

Conheça e instale o Enlightenment 19

Nenhum comentário

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Se você está procurado um ambiente gráfico cheio de personalidade e extremamente leve não deixe de dar uma oportunidade ao E19.

enlightenment 19

Ultra leve, ultra rápido e personalizável


Estava eu testando alguns ambientes gráficos alternativos para usar no meu Notebook, ambientes que fossem leves e que tivessem boas opções, lembrei do Enlightenment (demorei uns 2 minutos para escrever este nome) e fui dar uma olhada no site oficial e que esta remodelado e com uma versão mais nova, a última que tinha tido a oportunidade de utilizar tinha sido o E17 e agora ele está na versão 19.

O "Enlaitchment" (é assim que se pronuncia) é um ambiente gráfico muito leve, somente ele pode ser rodado tranquilamente com 250 MB de memória com uma boa qualidade gráfica, a princípio o seu funcionamento pode parecer estranho mas depois que você se acostumar vai achar até interessante a maneria com que ele gerencia as janelas, uma boa combinação é utilizá-lo juntamente com o Nautilus, gestor de arquivos do Gnome, assim você terá  uma área de trabalho ativa para utilizar.

Instalando o E19 no Ubuntu


Mudança de interface gráfica é algo que pode ser considerado avançado então tenha cuidado e se não se sentir seguro evite de fazer estas alterações, para instalar o E19 vamos usar um PPA, abra o seu terminal e cole os seguintes comandos:

sudo apt-add-repository ppa:niko2040/e19 
sudo apt-get update 
sudo apt-get install enlightenment terminology

Depois de instalar encerre a sessão e na tela de Login mude a interface gráfica pelo ícone de seleção, para remover o E19 faça assim:
sudo apt-get remove enlightenment terminology
sudo apt-get install ppa-purge 
sudo ppa-purge  ppa:niko2040/e19

 Um detalhe interessante é o emulador de terminal que vem com ele, o Terminology que possui muitas opções e é muito bom e personalizável, tão bom que resolvi utilizá-lo no Unity também:

Terminology no Ubuntu

Para usar apenas o Terminology no seu sistema instale desta forma:

sudo apt-add-repository ppa:niko2040/e19 
sudo apt-get update 
sudo apt-get install terminology

Até a próxima!

Lançado Cinnamon 2.2 - Confira as novidades!

Nenhum comentário

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Ambiente padrão do Linux Mint ganha uma nova versão

O Cinnamon é na minha opinião o segundo melhor ambiente de trabalho Linux que existe, ele chegou ao mundo graças a equipe de desenvolvimento do Linux Mint que criou um fork do Gnome 3 para tentar manter um padrão mais tradicional de desktop.

Cinnamon - Linux Mint

Com o passar do tempo o ambiente ganhou muitos adeptos e outras distribuições começaram a usá-lo, e hoje uma nova versão dele está disponível para os interessados, a nova versão deverá vir embarcado no novo Linux Mint baseado no Ubuntu 14.04 LTS com o nome de Qiana.

O novo Cinnamon 2.2

Cinnamon 2.2 no Linux Mint

A nova versão trouxe refinamentos visuais e suporte para telas de retina assim como o novo Ubuntu.

Dentre as mudanças dos sistema está uma melhor organização do painel de configurações do Cinnamon permitindo que os itens avançados e tidos como " de uso comum" tenham uma melhor separação.

Menu de Configurações do Cinnamon 2.2

E uma das mudanças mais positivas que encontrei foi o método de configuração de data e hora, este havia sido um item que eu havia criticado muito no vídeo análise que eu fiz sobre o Linux Mint 16, confira  o vídeo abaixo:


O novo menu de configuração de data e hora está como o da imagem abaixo, muito mais fácil de se configurar e muito mais intuitivo.

Data e hora no Linux MInt Cinnamon 2.2

A tela de bloqueio também recebeu novas opções como deixar uma mensagem personalizada para ser visualizada antes do re-login.

Configuração de tela de bloqueio do Cinnamon 2.2

Nemo

Nemo é o gerenciador de arquivos do Cinnamon, ele recebeu aprimoramentos visuais e ganhou também um novo botão para Criar pastas no painel superior ao lado dos modos de visualização.

Gerenciador de arquivos Nemo

Outras mudanças

Entre as novidades está a opção de desinstalar os programas do sistema clicando com o botão direito sobre os seus ícones no Menu.

Janelas transparentes no Cinnamon 2.2


Outra novidade está na possibilidade de tornar as janelas mais opacas apenas com uma rolagem de scroll de mouse, um recurso a meu ver mais do tipo "perfumaria" do que de uma utilidade prática.

Instalando o novo Cinnamon 2.2

O novo Cinnamon deverá vir por padrão no Linux Mint 17, e essa versão deverá sair lá por Maio, em breve essa versão deverá entrar nos repositórios da maioria das distros, no Ubuntu você tem duas opções, usando o repositório da versão estável, que ainda não tem não tem o Cinnamon 2.2 mas que deverá receber a atualização em breve ou usar o repositório Nightly onde existem versões instáveis mas que contém o Cinnamon 2.2, a escolha é sua.

Até a próxima!

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Teste o Unity 8 e o Mir numa sessão a parte no Ubuntu 14.04 LTS

Um comentário

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Vamos dar uma olhada no Mir e no Unity 8?

O Unity 8 é a próxima geração do ambiente gráfico do Ubuntu, ele deverá chegar nas próximas versões do sistema, a versão 14.04 que será lançada em poucos dias mas ainda não trará a nova interface.



O Unity Next, como é chamada a futura versão da Interface gráfica é a mesma que será usada em Smartphones e Tablets com o Ubuntu Touch, como o Meizu.

Até então era complicado testar e instalar o Unity 8 e o Mir no sistema pois isso poderia acabar danificando o mesmo, mas agora existe ( no Ubuntu 14.04 LTS ) uma opção muito interessante que permite criar uma sessão Unity8+Mir no sistema, funciona como quando você instala outra interface gráfica, basta mudar na tela de login.

Instalando o novo Unity no Ubuntu

Para instalar abra o seu terminal e cole os seguinte comando:
sudo apt-get install unity8-desktop-session-mir
Após a instalação encerre a sessão e na tela de login selecione o Unity 8, veja um vídeo demonstrativo.



É sabido que esta versão do Unity ainda está em desenvolvimento mas particularmente não gostei muito do que vi, entretanto você pode ter uma visão diferente, teste e nos diga o que você achou.


Para remover o Unity 8 eu tive um certo trabalho, é preferível usar o synaptic para isso marcando para desinstalar todos os pacotes que contenham o nome Unity8 e Mir.

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como instalar o KDE 4.11 LTS no Kubuntu e derivados

Nenhum comentário

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Instale a versão de longo suporte do KDE

A versão 4.11 do KDE receberá atualizações por mais tempo do que uma versão normal então pode ser uma boa alternativa para você usar na sua distro.

KDE 4.11 LTS


O novo Desktop Plasma foi projetado para economizar os recursos do computador e os novos plasmoids foram reescritos em QML, segundo as notas de lançamento o gerenciador de janelas Kwin também está mais leve, tudo em prol do desempenho, melhorias também podem ser vistas no gerenciador de arquivos Dolphin que agora possui uma opção de renomear arquivos em massa.

Instalação do Kubuntu e Linux Mint KDE

Abra o terminal e cole os seguintes comandos:
sudo add-apt-repository ppa:kubuntu-ppa/backports 
sudo apt-get update 
sudo apt-get upgrade
Se algo deu errado e você quiser desinstalar:
sudo apt-get install ppa-purge 
sudo ppa-purge ppa:kubuntu-ppa/backports
Até a próxima!

Fonte.

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como instalar o Cinnamon 1.9 no Linux Mint e no Ubuntu

Nenhum comentário

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Uma nova versão de  testes do Cinnamon está disponível

Desenvolvedores do Linux Mint adicionaram ao repositório Nightly do Cinnamon a versão 1.9 do ambiente gráfico, a versão é ainda de testes mas já serve para os curiosos de plantão saberem a "quantas anda" a evolução do ambiente, a versão corrige alguns bugs da versão 1.8 lançada juntamente  como Linux Mint 15 e até então não implemente nenhuma nova funcionalidade de saltar aos olhos visualmente.

Cinnamon 1.9


Porém, por "debaixo do capô" é que as mudanças começam a acontecer, pequenos detalhes sendo alterados para que o Cinnamon possa abandonar o Gnome Back-end como base na versão 2.0 como podemos ver em declaração de Clement Lefevbre.

Instalação do Cinnamon 1.9 no Linux Mint ou no Ubuntu

Abra o seu terminal e cole os seguintes comandos:
sudo add-apt-repository ppa:gwendal-lebihan-dev/cinnamon-nightly
sudo apt-get update
sudo apt-get install cinnamon
Como dissemos a versão ainda pode ser considerada um beta, mas logo deve estar estável, o Linux Mint 15 deverá receber essa atualização automaticamente com o tempo, e os "Ubuntus" que tiverem o PPA Stable do Cinnamon também, mas se você não quer esperar, este é o caminho.

É isso aí pessoal, até a próxima!


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como instalar o Jolicloud Desktop no Ubuntu

Nenhum comentário

terça-feira, 30 de julho de 2013

Instale uma nova interface gráfica baseada em núvem no Ubuntu

Você conhece o Joli OS? Ele é um sistema operacional feito sob o núcleo Linux voltado à aplicações em nuvem, existem aplicativos para o Google Chrome e o JoliDrive, que é um serviço de armazenamento online de dados semelhante ao Ubuntu One.

Mas você sabia que é possível instalar o Joli OS Desktop no Ubuntu para se ter um sistema híbrido entre nuvem e desktop convencional?

O Joli OS tem um ambiente gráfico próprio chamado de JoliCloud Desktop Enviroment, veja algumas imagens:

Joli OS Desktop

Joli OS Desktop

O Joli OS desktop é um ambiente muito leve e lotado de apps para a integração online e é muito fácil adicionar outras mais, na minha opinião ele não é o melhor indicado se você deseja que o seu computador seja uma estação de trabalho, mas se você usa o seu computador, notebook, netbook ou computador antigo como uma simples ferramenta para acessar as suas redes sociais e acessar websites ele pode ser uma boa alternativa aos ambientes tradicionais.

Joli OS

Instalação do Joli OS Desktop no Ubuntu

Instalar o Joli OS Desktop no Ubuntu é relativamente fácil, basta adicionar um PPA com os seguintes comando abaixo:
sudo add-apt-repository ppa:jolicloud-team/ppa
sudo apt-get update
sudo apt-get install jolicloud-desktop-environment

Faça logoff e na tela de login selecione o Jolicloud, é isso.

Fonte.

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

LXDE e Razor-QT serão um mesmo ambiente gráfico no futuro

Um comentário

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Um mescla de projetos entre LXDE e Razor-QT para construir um ambiente super leve

LXDE e Razor-QT são nomeadamente os dois ambientes gráficos mais leves do mundo Linux, LXDE baseado no GTK2 e o Razor-QT, como o nome sugere, em QT, porém se você acompanha o blog deve ter lido que o LXDE está desenvolvendo um projeto, por enquanto paralelo mas que deve tornar-se o padrão, chamado LXDE-QT com o intuito de migrar de bibliotecas em seu ambiente gráfico.

LXDE-QT

E os dois ambientes ao contrário de gerar competição resolveram tomar, na minha opinião, a sensata decisão de unir-se em um único projeto que se chamara ainda LXDE-QT, mas que promete avançar mais rapidamente visto a experiência que os desenvolvedores do Razor já tem.

Isso é bom para o Linux, é bom para comunidade, vejamos como será o ambiente apenas em alguns meses provavelmente, mas baseados nos seus conceitos, você usaria? Acha que foi um boa decisão, deixe seu comentário!

E se você ainda não conhece o Razor-QT dê uma olhada neste artigo, até mais!

Fonte

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

LXDE passará a ser feito em QT

Nenhum comentário

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Desenvolvedores do LXDE pretendem migrar  para bibliotecas QT

Novidades no mundo Linux, além de dizer não ao Mir da Canonical com o Lubuntu agora o foco dos desenvolvedores do ambiente gráfico com melhor desempenho do mundo Linux tendo em vista consumo de recursos e funções anunciou que está migrando suas aplicações para o QT, mesma biblioteca usada para construir o KDE a muitos anos.

LXDE feito emm QT

O projeto ainda está no Git e não está em ação em nenhuma distro, mas segundo os desenvolvedores ele deve estar disponível em breve.
Ao que parece muitas empresas descobriram no QT um ambiente de desenvolvimento rápido e eficiente, o próprio Ubuntu Touch é feito usando bibliotecas QT.
Na imagem acima podemos ver o tradicionais painéis e gerenciadores de arquivos reescritos em QT e mais à direita temos um gerenciador de imagem que vai substituir a versão atual do GpicView que acompanha o ambiente, a nova aplicação está sendo chamada de LxImage-QT.
A migração para o Qt pode causar uma ligeira elevação do uso de memória em comparação com Gtk2, mas a migração para o GTK3 também provoca um aumento de uso de recursos similar.
Como Gtk2 já está defasado, a migração Qt não é uma má ideia. 
O uso efetivo de recursos pode ser muito diferente entre as diferentes distribuições de Linux, o Lubuntu por exemplo tende a usar mais memória do que distros Linux que usem o LXDE e sejam baseadas no Archlinux .

Você acha que o LXDE deve migrar para o QT ou você preferiria que ele continuasse usando GTK?

Fonte

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Instalando o DDE no Ubuntu - O ambiente gráfico do Linux Deepin

3 comentários

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Cansado dos ambientes tradicionais, que tal radicalizar um pouco!

Ambientes gráficos para Linux é o que não falta, no caso do Ubuntu a maioria está no repositório, até mesmo o Cinnamon agora pode ser instalado diretamente pela Central de Programas sem precisar adicionar nenhum PPA.

Linux Deepin


Mas se mesmo assim os ambientes gráficos disponíveis não te agradam hoje vamos mostrar mais uma opção para você, o DDE ( Deepin Desktop Enviroment ).

Linux Deepin

O Linux Deepin é uma distro Chinesa baseada no Ubuntu com um desktop e aplicações desenvolvidas pelo próprio projeto com foco no usuário normal do computador, a última versão do Deepin combina elementos do Windows 8, Mac OS e do próprio Gnome e Unity para tentar tornar a experiência desktop a melhor possível, muito se elogia também a Central de Programas que a distro carrega, alguns apontam a assim chamada, Deepin Software Center, como a melhor Central de Programas dos sistemas Linux. Você pode ver como instalar ela neste e link ( se você usa o Ubuntu 13.04 instalando usando o PPA que vamos mostrar daqui a pouco)  e você consegue mais informações inclusive os links para download da distro por aqui.

Deepin Desktop


Como instalar o ambiente gráfico do Linux Deepin no Ubuntu

Mãos a obra, o processo de instalação não é muito difícil mas requer atenção, então vamos lá, abra o terminal e cole os seguintes comandos:
sudo gedit /etc/apt/sources.list
No final do arquivo que se abrir cole as duas linhas logo abaixo:
deb http://packages.linuxdeepin.com/deepin raring main non-free universe
deb-src http://packages.linuxdeepin.com/deepin raring main non-free universe
Agora vamos importar a chaves do repositório:
wget http://packages.linuxdeepin.com/deepin/project/deepin-keyring.gpg
gpg --import deepin-keyring.gpg
sudo gpg --export --armor 209088E7 | sudo apt-key add -
sudo apt-get update
E agora finalmente instale o ambiente gráfico:
sudo apt-get install dde-meta-core
A partir de então a instalação do Ambiente gráfico se dará, você irá baixar por volta de 440 MB de dados para instalar esse ambiente. Depois que terminar basta fazer logoff e na tela de login selecionar a opção "Deepin".

Interface do Linux Deepin no Ubuntu


Com o mesmo repositório você será capaz de instalar outros softwares da distro:
Para instalar uma Central de Configurações do Ambiente DDE ( recomendado )
sudo apt-get install python-deepin-gsettings 
Para instalar o Player de música desenvolvido pela equipe do Deepin Linux ( Opcional ) 
sudo apt-get install deepin-music-player 
Para instalar a nova Central de Programas do sistema ( Opcional )
sudo apt-get install deepin-software-center
A interface é feito com base no Gnome Shell, mas em muito pouco lembra ele, acho até que ficou mais bonita. Vale também lembrar da vantagem de instalar o ambiente gráfico sobre o Ubuntu, dessa forma você pode ter o sistema em qualquer idioma (português inclusive ), baixando a distro Deepin você terá ela apenas em inglês ou chinês, as únicas aplicações que devem continuar em inglês mesmo que instaladas no Ubuntu são as que provem do repositório do Deepin.

É isso aí pessoal, bom divertimento!

 Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo