Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador analise-de-games. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador analise-de-games. Mostrar todas as postagens

Jogando no Linux - Alone in The Dark 5: Near Death Investigation - Análise do game e da Saga

Nenhum comentário

sábado, 22 de junho de 2013

Um novo começo com um Enredo sensacional

Vamos tratar de muitos bons games aqui no Diolinux, games novos que são possíveis de jogar no Linux, via WINE, Emulador ou nativamente.



Recentemente fizemos o "Jogando no Linux - Need For Speed: The Run" e agora é a vez de um game importantíssimo para a história dos Video Games, Alone in The Dark.

Antes de começar...

Nessa nova série que estamos criando, este é o segundo post, falaremos de toda a saga para que você possa compreender toda a história, neste caso estamos emulando o game através do Dolphin.

A versão do game é para Nintendo Wii e roda perfeitamente com até mais de 50 FPS.
Estes posts são um pouco mais grandes que o normal e demoram muito para ser feitos, são muitos dias de pesquisa e jogatina para tentar mostrar todos os prós e contras do game, então se concentra aí na leitura e podemos começar, ah sim! Mais uma coisa, compartilhe o artigo na sua redes sociais e deixe o comentário falando sobre o que você está achando do blog e dessa nova série. Vamos começar!

Alone in The Dark, o pai dos games de Survival Horror

Se hoje em dia Resident Evil e Silent Hill são são referências do setor eles tem muito a agradecer à Alone in The Dark.
O primeiro Alone in The Dark foi lançado em 1992 pela INFOGRAMES e foi o pioneiro do gênero Survival Horror, que foi ampliadamente explorado em games que vieram depois como Silent Hill e o todo poderoso Revident Evil, a primeira versão foi lançada para DOS e Mac OS, um ano depois foi lançada uma versão para o Console 3DO que foi o primeiro videogame a usar arquitetura 32 bits, mais tarde em 1995 foi lançada uma versão para Master System.

Capa de Alone in The Dark 1
Capa de Alone in The Dark lançado para DOS e Mac
Encontrar coisas sobre o game é um pouco complicado, justamente pela data dele, mas como internet é uma coisa "maravilhinda" encontrei algumas curiosidades sobre ele, além de ser o pioneiro no gênero, Alone in The Dark ainda foi o primeiro game a usar polígonos para representar os personagens, logo no início do que se poderia chamar de "Era 3D", outro recurso que foi empregado pela primeira vez foi de renderizar imagens para ser usados como plano de fundo, coisa que muitos games depois fizeram, se você ainda tem dúvidas que Alone In The Dark é pioneiro, vou mostrar 3 pequenos gameplays que são provar isso.

Alone in The Dark lançado em 1992




Repare no estilo de movimentação, e nos sons ao fundo, mesmo os modelos de cutcenes foram "copiados" para games posteriores, dúvida, veja um pequeno gameplay de Resident Evil que foi lançado em 1998:



Obviamente um game de qualidade superior, até por "culpa" o PSOne que já usava CD para guardar informações, mesmo assim o modo de movimentação é muito semelhante a Alone in The Dark e a trilha sonora faz toda a diferença. Hoje em dia podemos dizer que Alone in The Dark possuía gráficos para lá de simples, mas para época era tipo: "Noooosssa!"

Sequências e História

O Game de 1992 fez tanto sucesso que não poderia deixar te ter sequências, já em 1993 foi lançada a segunda versão do game que possui gráficos iguais ao primeiro mas contava com uma nova história, o personagem,  Edward Carnby, é o mesmo do primeiro game, mas dessa vez o clima de mistério que envolvia totalmente o primeiro game foi deixado um pouco de lado e substituído por um pouco mais de ação, mais armas foram acrescentadas, o posicionamento das câmeras ainda era o mesmo e a jogabilidade também, alguns fãs acharam este game inferior ao primeiro justamente por abandonar um pouco toda aquela questão de tensão que envolvia o primeiro título.

Capa de Alone in The Dark 3


Um ano depois, em 1994, foi lançado Alone in The Dark 3, fechando a trilogia, usando mais uma vez o motor gráfico dos primeiros games, lançado para alguns console e para o Windows 95, ele procurou voltar às raízes e trazer um pouco mais de suspense e puzzles e menos ação.
Em todo esse meio tempo foram lançados alguns versões' intermediarias" para alguns consoles como o Sega Saturn, mas como eles  não fazem parte da dorsal da saga não vou sitá-los aqui.

História do Game

Deixei para comentar a história do game só agora, porque a história se assemelha em todos os títulos, genericamente, você é um detetive paranormal e investiga esses casos, o que sempre foi marcante do game era ele usar lugares comuns das pessoas, alguns trechos da história se passam em sótãos, lugares escuros, meno do que você não pode ver, esse tipo de coisa sempre foi explorado pelo game.

Alone in The Dark 3


Os primeiros games se passavam em 1920, você sempre estava na pele do detetive paranormal Edward Carnby, no primeiro game você foi contratatdo por um antiquário para investigar um piano no sótão da mansão Louisiana Derceto, que foi abandonada desde que seu proprietário Jeremy Hartwood cometeu suicídio. Em 1925 (Alone in the Dark 2 ) você está em um caso envolvendo o sequestro de Grace Saunders após os procedimentos de investigação de seu falecido parceiro Ted Stryker, com todas as pistas que levam a uma velha mansão chamada "Hell's Kitchen" e a um gasgster que a habitou, por isso a inclusão de tantas armas, nesse game elas seriam muito utilizadas para enfrentar uma máfia. Em 1926 (Alone in the Dark 3) Carnby foi chamado para investigar o desaparecimento de uma equipe de filmagem em uma cidade fantasma conhecida pelo nome de Slaughter Gulch' localizada no deserto de Mojave, na Califórnia. 

Depois de três lançamentos anuais Alone In the Dark passou alguns anos sem lançar nada, alguns até davam a franquia como morta, ainda mais com substitutos à altura, como os já citados, Silent Hill e Resident Evil ( ambos ainda serão tema dessa nossa série ).

O Remake oficial

Como você deve ter percebido a história é dinâmica mas tem muitas lacunas, por isso, em 2001 foi lançado Alone in The Dark: The New Nightmare, usando o personagem tradicional Edward Carnby mas transportando ele nos anos 20 para 2001, a grande diferença é que o game tinha com objetivo explicar um pouco mais toda a história do protagonista, apensar de ter distorcido um pouco a questão do tempo, agora Edward tinha uma história.

Alone in The Dark 4: The New Nighmare - Capa


Segundo a história, Edward pertence a uma linhagem de Caçadores de Sombra que nasceram no dia 29 de fevereiro de cada 40 anos e que ele teria sido criado com crianças órfãs no Orfanato de São Jorge.O nome foi retratado como uma forma literal "anglicanizada" de "El Guerra Qarn'bi", que significava "aquele que luta contra o mal encarnado e caça fora das sombras", exagero né?. Segundo essa lenda, o original Edward Carnby nasceu em 1888 e saiu do registro depois de participar de vários assuntos estranhos de 1920 a 1939. O Edward Carnby que desempenhou o papel principal em Alone in the Dark: The New Nightmare é um personagem diferente e mais jovem, que nasceu em 1968, o que fez muitos não gostarem do game, pois eles tentaram explicar a trama confundindo e adaptando, não ficou tão bom quanto poderia.

 Alone in The Dark 5: Near Death Investigation





Alone in The Dark 5 no Linux


 Alone in the Dark 5 (lançado em 2008) reinterpretou, mais uma vez o enredo da série. Ele segue o padrão da trilogia original, e ignora os eventos de Alone in the Dark: The New Nightmare. 
Dá pra perceber isso pelo fato do game acontecer em 2008, ou seja, tecnologias e cenários atuais são usados, este é o game que vamos ensinar você a jogar no Linux.

Alone in The Dark 5 no Linux

A história mais uma vez foi recontata para tentar alinhar toda a saga, a mesma tentativa havia sido feita no game anterior, mas como foi dito, ela mais complicou do que explicou.

Alone in The Dark 5 no Linux

O enredo de Alone in The Dark 5 conta que Edward Carnby foi possuído no final de 1920, e está agora com mais de 100 anos, embora ele mantenha a aparência jovem. Isto significa que no jogo Edward Carnby é o mesmo que o da trilogia original, apesar  de não ter nenhuma semelhança com o mesmo, também pudera, desde a primeira versão se vão 16 anos. 
O game de 2008 não faz referência à linhagem de Carnby com os Caçadores de Sombra de Alone in the Dark: The New Nightmare, 

 Enredo de Near Death Investigation

Você acorda em um edifício, e é levado até o terraço do prédio para uma possível execução, mas antes de acabarem com você uma força invisível mata o seu executor e lhe dá a oportunidade de fugir, o ponto chato é que você tem que ficar piscando para a sua visão não embaçar enquanto busca por uma maneira de sair do prédio que se tornou um verdadeiro caos.

Alone in The Dark 5 no Linux

Carnby, carregava uma pedra, uma espécie de talismã, que ele mantia seguro à muito tempo, essa pedra teria sido roubada por uma das pessoas presentes no prédio e isso teria desencadeado todo tumulto, em meio ao prédio em chamas você encontra duas pessoas que o ajudarão a progredir no game, quando finalmente você consegue sair se dá conta que o mundo já não estava mais o mesmo e o mesmo caos que estava acontecendo no prédio está acontecendo na cidade também.
Nesse ponto se encaixam uma das mais famosas frases ditas no primeiro game quando eles passam pelo Central Park

Alone in The Dark 5 no Linux

"Disseram que o Central Park é um lugar bom para as pessoas... eles mentiram!" 
A tal pedra era na verdade uma prisão, isso um personagem explica durante o game portanto não é um espoiler tão grande assim =P, mas uma prisão para que, ou para quem ?
Segundo a lenda, Crowley ( Aleister? ) , que no game é outra pessoa, mas tem referência clara a uns dos ícones do ocultismo da era moderna, teria soltado Lúcifer, que ficava preso dentro nessa pedra depois que ele caiu do céu, a por interpretação minha, essa pedra era o Inferno, depois que ela foi aberta o inferno passou a ser a terra.
E adivinha, sua missão é parar isso! =D

Jogabilidade

Alone in The Dark 5 mudou um pouco a maneira de jogar, lembrando um pouco o Resident Evil 4 em alguns trechos ( que irônico ), mesmo assim em algumas cenas você joga no mesmo estilo dos primeiros games em terceira pessoa com a câmera posicionada em algum ponto fixo e movida para outro ângulo conforme você for caminhando.

Alone in The Dark 5 no Linux

É possível usar objetos, como Canos e Extintores como armas brancas, o fogo é muito bem representado e interativo, você pode colocar fogo das coisas, como pode apagar, se você segurar um pedaço de madeira sobre uma chama você terá uma mini tocha, pelo menos até ela começar a queimar os seus dedos e por aí vai.
Esta edição do game vendeu pouco mais 1 milhão e meio de cópias, e tirando toda a nostalgia da primeira trilogia este com toda a certeza é o melhor game da franquia, especialmente pela história mais elaborada.

Filmes

Dois filmes baseados na saga foram lançados, um em 2005, chamado Alone In The Dark: O despertar do Mal, que tentou retratar ao que me parece o nosso Edward Carnby como ele era no game de 2001, o filme foi apresentado como de terror, inclusive se você a uma locadora de filmes vai encontrá-lo nessa sessão, mas ele está muito mais pra um híbrido com mais ação do que terror, eu assisti ele para fazer este artigo, inclusive vi o 2 também, logo mais eu comento, e achei ele uma perfeita porcaria, me fez achar até o game ruim por alguns momentos, ele foi feito em 2005 e tem efeitos gráficos muito piores que Matrix de 1999. Não vale a pena você pagar para ver ele, mas fã é fã não é verdade?
Veja o Trailer:


Em 2008 foi lançado Alone in The Dark 2: O retorno do Mal, puta nome criativo né?
Mas ao contrário do primeiro esse eu gostei um pouco mais, ainda continua fraco para ser um filme de terror mas pelo menos esse é "mais bem filmado", o primeiro filme tem toda a cara de "extras dos filmes do Jack Chan" com movimentos e golpes lentos, parece ser baseado no game de 2008 também, tentando explicar um pouco mais da história de Carnby que ficou meio obscura no primeiro filme.
A única coisa que eu jamais entendi é que nos dois filmes quando algum personagem usa uma arma e dá  um tiro, as balas parecem sair mais lentamente a ponto de você poder ver elas passando no ar, acho que dá até pra calcular a distância que sai uma da outra se prestar atenção. =P

Veja o trailer do segundo filme:



Jogando Alone in The Dark: The Death Investigation no Linux 

É possível jogar este título no Linux com uma jogabilidade perfeita através de sua versão para Nintendo Wii usando o Emulador Dolphin que foi citado no início do post.
A jogabilidade é fluída, e como de costume não vamos deixar aqui qualquer link de download pois o game é pago, mas emular games não é pirataria, então deixamos a seu encargo como você vai conseguir a ROM para jogar, lembrando que a única maneira de um ROM ser legal é você possuir a versão original e usar a ROM como backup, para se ter uma ideia e deixar o artigo ainda mais completo, o tio Dionatan aqui foi pesquisar o preços dos games em alguns sites internet à fora e você encontra ele por até R$57,00, um preço relativamente baixo para os padrões brasileiro.
E se vale a pena jogar? Vale sim, com toda a certeza!

Até a próxima e deixem sugestões para futuras postagens para a série "Jogando no Linux - Análise e Sagas"


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Jogando no Linux - Need For Speed: The Run - Análise

Um comentário

quarta-feira, 19 de junho de 2013

O último game da franquia NFS

Need For Speed: The Run Review


Olá leitores este é o post inaugural, não de uma série, pois a série de Games para Linux continua firma e forte, mas de um modelo de artigo digamos assim, estamos testando muitos títulos de peso no Linux, através do Dolphin e outros Emuladores e vamos postar aqui os que funcionarem melhor.


Os próximos artigos sobre games do gênero não terão essa introdução explicativa, isso é só para você saber que vamos abordar especialmente games de Nintendo Wii e Gamecube por possuir o melhor emulador do mundo livre, algumas vezes podem surgir games para plataformas Windows e Play Station, mas serão mais raros e claro teremos muitos mais games Nativos do Linux, basta você seguir a série.

Como disponibilizar ROMs pode ser considerado por muitos um ato ilícito nós iremos dos deter a fazer uma review mais completa do game, analisando mais detalhadamente a história e as curiosidades do jogo, deixando quando possível um link para a comprar do game, deixando a seu encargo a maneira com que você vai adquirir a ROM.

Como resumo fica de que você não está pirateando um jogo que você possui a cópia original e usa a ROM como BKP.


Need For Speed: The Run

O Need For Speed: The Run ou simplesmente NFS: The Run é o 18º lançamento da franquia Need For Speed, produzida pela EA, o título procura trazer de volta as corridas clandestinas que tanto fizeram sucesso em Need For Speed Underground.
Na época o Need Undergroud pegou uma carona imensa com o sucesso dos filmes da série Velozes e Furiosos, onde era possível tunar os carros e as corridas era feita de forma ilegal.



Mas quem está esperando um game parecido com o NFS Underground com toda a certeza se decepcionará pois a única coisa que remete um ao outro é justamente o fato das corridas serem ilegais e mais nada!
Em The Run para Wii você está na pele de Matt, na versão para Xbox, PS3 e Windows o personagem chama-se Jack, por que? Não encontrei nenhuma explicação, mas o enredo é o mesmo.
Matt acorda dentro de seu carro que está submergindo em um lago, para escapar ele quebra o vidro do carro e ao sair do lado se encontra com uma ruiva.

NFS The Run History
A história é contata nesse formato HQ


Neste instante começam a aparecer algumas lacunas que o game deixa, e eu vou tentar ser o mais explicativo possível para não dar nenhum spoiler, não se explica o porque do nosso protagonista  estar em seu carro no fundo de um lago e nem porque esta moça ruiva o estava esperando.
Matt mal sai do lago e depois de conversar um pouco com a moça ruiva pede sobre a grande corrida ( The Run ) que conta com 150 pilotos e vai de San Francisco até Nova York e dá milhões de doláres como prêmio, a moça oferece o carro dela para que os dois juntos participem da corrida, o carro é uma Lotus amarela e é com ela que você começa o game.

Corra a mesma corrida sempre

Este é um ponto que pode agradar a alguns e desagradar a outros, nem tudo são flores, no modo de jogo carreira você vai passando por episódios, são 26 no total, cada um deles possui uma missão específica, porém todos fazem parte da mesma corrida.
Uma das grandes inovações deste título foi usar a ambientação verdadeira das cidades por onde eles passam, em versões antigas do Need quando as corridas eram realizadas em mapas abertos as cidades normalmente eram fictícias, baseadas obviamente em uma existente, mas em Need The Run, cidades como Las Vegas, San Francisco e mais algumas são retratadas com boa fidelidade da maneira que são na vida real, essa foi uma grande sacada.

Need For Speed The Run


O game possui gráficos muito bonitos, melhor ainda se você emulá-los pelo Dolphin que consegue reproduzir games de Nintendo Wii em Full HD, coisa que nem o próprio console consegue, a jogabilidade é muito simples mas possui uma diferenciação por carro, alguns são mais fáceis de pilotar e outros tem uma direção mais dura, obrigado você a reduzir a velocidade para fazer uma curva mais fechada.
A grande corrida começa na Ponte Golden Gate e termina no Empire State, dois pontos turísticos famosíssimos dos EUA.

Adversários

Como toda corrida ilegal, seu maior obstáculo será a polícia que fara de tudo para inutilizar o seu carro, ela terá carros tão potentes quanto o seu e ainda usará caminhões para trancar a estrada, normalmente nessas ocasiões é possível encontrar uma rampa para saltar por cima e assim conseguir continuar correndo, os seus adversários na corrida também tentarão destruir o seu carro a qualquer custo, afinal quem não quer uns milhões a mais na conta não é?

Carros

São mais de trinta modelos de carros que você conseguirá ir liberando conforme for avançando no game, os carros que participam da corrida tem ótima aparência e gráfico detalhado, o que peca um pouco são os carros civis, ou seja, aqueles coadjuvantes que estão pelas estradas e não estão competindo, eles são um pouco apagados e sem muitas cores.

História Linear

Depois de títulos como Undergroud, Undercover, Carbon, onde era possível ao jogador explorar a cidade ficar tão preso ao roteiro não é uma coisa tão legal assim, esse pode até ser considerado um ponto negativo de The Run, a história é muito linear, não existe ações disponíveis ao jogador ultrapassar as dificuldades por caminhos paralelos ou mesmo uma bifurcação na história, esse "problema" é compensado por muita ação e sensação de velocidade.

Need For Speed The Run

Opinião sobre o NFS: The Run

Sou suspeito para falar porque acompanho a série desde Need 2, 3, HightStakes, e gostei muito deste game, claro, poderia ser melhor em alguns aspectos mas se for colocar na balança ele ainda é ótimo e vale a pena jogar, se você for um fã então. está recomendadíssimo.
Obviamente ele é um game pago e a sua ROM está em muitos sites por aí a fora, simplesmente não colocaremos a ROM para download para fazer jús ao Tuxedo que vestimos ( ou não ), pesquisei um pouco os preços em algumas lojas e existe uma variação em grande de preços, a mais barata que encontrei custa R$ 69,00 para Nintendo Wii e para emular no Dolphin com a vantagem de conseguir rodá-lo em Full HD.

Screenshots do Need The Run sendo jogado pelo Dolphin no Ubuntu

Need For Speed:The Run no Linux

Need For Speed:The Run no Linux

Need For Speed:The Run no Linux


Até a próxima dica, fui-me!

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo