Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador android. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador android. Mostrar todas as postagens

Samsung escolhe Ubuntu como distro Linux para o seu novo produto

Nenhum comentário

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Recentemente a Samsung demonstrou o DeX, um produto que deve ser utilizado em conjunto com os Smartphones topo de linha da empresa para entregar uma experiência desktop híbrida para os consumidores, até certo ponto, de forma semelhante ao que a própria Canonical pretendia fazer com o Ubuntu Phone.

Samsung DeX






A "Samsung Developer Conference" que aconteceu em San Francisco (EUA) costuma  trazer novidades sobre as mais recentes tecnologias desenvolvidas pela empresa para serem adicionadas ao portfólio de produtos. No evento a Samsung mostrou a evolução do projeto "Linux on DeX", por sua vez, o DeX é um produto que permite usar um Smartphone atrelado a uma espécie de "dock", mudando a usabilidade para algo mais semelhante a um Desktop tradicional, podendo ser conectado mouse e teclado, dando maior versabilidade para o aparelho.

A ideia por trás do conceito é rodar as aplicações disponibilizadas pela Samsung em uma tela maior, como uma televisão ou monitor, com enfoque em produtividade, podendo também ser usado para entretenimento para assistir filmes, jogar alguns games ou simplesmente navegar na internet em uma tela maior.

A atualização para o DeX traz suporte para distros Linux mais robustas e adequadas para o desktop  ao ambiente da Samsung. A distro escolhida pela empresa Sul Coreana foi o Ubuntu, segundo o blog da Canonical, o Ubuntu foi escolhido por ser uma distro popular entre os desenvolvedores e escolha de muitas empresas ao redor do mundo para seus projetos, incluindo a própria Samsung.


A ideia é simples de entender e o vídeo acima ilustra muito bem. Enquanto o Smartphone estiver desplugado do DeX, você tem um Smartphone normal, como qualquer outro Galaxy da Samsung, plugando ele no equipamento, atrelado a um mouse e teclado, automaticamente você tem um sistema operacional de desktop, simples assim.

Apesar da Samsung possuir uma versão de sistema e interface para o DeX, existem ainda várias limitações, especialmente para atender ao público de desenvolvedores, que é o nicho que empresa parece estar focando nesse momento inicial, por isso a possibilidade de rodar uma distro Linux mais tradicional que o Android se torna interessante.

A Canonical está trabalhando com a Samsung para oferecer uma versão modificada do Ubuntu 16.04 LTS e oferecer uma melhor experiência para os desenvolvedores.

Atualmente o DeX está liberado somente para Beta Testers e desenvolvedores, porém, você pode entrar para essa lista clicando aqui, entretanto, mais do que estar na lista, você precisa de um Galaxy Note 9 ou um Galaxy Tab S4 rodando Android Oreo ou superior.

Você pode ler o anúncio da Samsung de forma completa aqui.

Semelhanças e diferenças com o Ubuntu Phone


Muitas pessoas comentaram que o que a Samsung está fazendo agora é realizar o sonho que Canonical tinha com o Ubuntu Phone e o Unity 8. Na verdade o projeto tem semelhanças e diferenças, eles seguem por dois caminhos diferentes para oferecer produtos semelhantes.


A diferença maior entre os projetos está na forma com que a Samsung está tentando atingir essa condição híbrida de Smartphone e Desktop em relação ao que a Canonical planejava.

A Canonical estava desenvolvendo uma interface única que se adaptava em relação ao dispositivo em que estava rodando, de certa forma, parecido com o modo desktop e modo Tablet do Windows 10, de modo que quando você conectasse o seu Smartphone a um cabo HDMI, por exemplo, a tela do Smartphone se transformasse em um touchpad e você poderia operar o equipamento em um layout diferente, com um visual que seria, dependendo do tamanho da tela conectada, igual ao Unity 8 que seria usado no desktop.

Como sabemos, o plano não vingou, ainda que o projeto do Ubuntu Touch ainda permaneça de forma mais modesta nas mãos da comunidade, entretanto, agora a Canonical pode ajudar a trazer esse conceito com a ajuda da Samsung.

A empresa dona da marca "Galaxy" levou esse conceito de outra forma, acreditando que seria mais viável e eficaz "embutir" dois sistemas em um só, um que funciona no Smartphone tradicional e outro que entra em ação quando conectado ao DeX, porém, permitindo o acesso ao armazenamento normal do aparelho, além de alguns aplicativos específicos que são capazes de rodar em ambos os ambientes.

A grande diferença de um possível sucesso desse projeto é que a Samsung já é uma das maiores fabricantes de Smartphones do mundo e possui uma cartela gigantesca de clientes, coisa que a Canonical não tinha, além disso, a empresa parece não estar com muita pressa de lançar um produto como o DeX, que ainda está claramente inacabado, mantendo ainda essas novidades no canal Beta de seus produtos.

Certamente poderemos aguardar novidades no futuro. Convergência de dados, como faz a Apple em seus produtos ou convergência de produtos, e por consequência de dados também, como está fazendo a Samsung? Quem será que emplacará o novo modelo? Façam suas apostas.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


O fone de ouvido que você vai querer levar na sua viagem! Edifier W806BT

Nenhum comentário

sábado, 29 de setembro de 2018

Quando você está em uma viagem, você definitivamente quer se preocupar somente em aproveitar a viagem, problemas técnicos como a falta de bateria no celular, são coisas que você não quer ter que se preocupar, certo? Então porque não seria o mesmo com os seus fones de ouvido?

Edifier análise do produto





Para mim um bom fone ouvido para viagem precisa atender a 3 requisitos:  

1- Ter uma boa qualidade sonora;
2 - Ser confortável;
3 -  E uma vez sendo bluetooth, ter uma boa bateria.

Uma vez estes detalhes satisfeitos, eu começo a observar o design e o material de que ele é feito, além de qualquer outro benefício adicional que ele possa me oferecer.

Quando eu fiz o Unboxing do fone, uma das coisas que mais chamaram a atenção na apresentação era a promessa da bateria dele durar 70 horas. E no fim das contas, ele realmente acabou surpreendendo!


Eu fiz o vídeo de unboxing um dia antes de sair para viajar e isso já faz quase 1 mês! Eu utilizei o fone ligado direto com BT durante no mínimo 43 horas e a bateria ainda está na metade. Então a prerrogativa é muito boa, mesmo que não durasse o dobro, eu já estou mais do que satisfeito com essa duração de bateria.

Confira o vídeo com a análise completa do Edifier W806BT:


Certamente eu estou completamente satisfeito com o produto e recomendo a todos que buscam um bom fone para levar nas suas viagens mais longas, caso você deseje comprá-lo, acesse o site da TOMTOP, que foi onde ele foi adquirido.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


9 dicas de segurança para o seu Android, segundo os especialistas da Kaspersky

Nenhum comentário

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Atualmente os sistemas para Smartphone são consideravelmente seguros, mas devemos lembrar que eles também estão nas mãos das pessoas mais leigas em termos de tecnologia, por isso, é importante se atentar a alguns detalhes para não ter problemas, confira:

Dicas de segurança para o seu Android






Não é de hoje que os usuários sabem dos inúmeros ataques que podem torná-los vítimas de cibercriminosos. Quando se trata da segurança dos nossos dispositivos conectados, é essencial protegê-los desde de coisas simples, como o seu hábito de utilização, e estar ciente dos diferentes métodos que os criminosos usam para enganar os usuários e infectar os dispositivos.

Uma das razões pelas quais os usuários do Android estão mais expostos é porque o sistema permite a instalação de aplicativos de qualquer origem de forma mais simples, não apenas da loja oficial (como no iOS). De acordo com uma investigação da Kaspersky Lab, 83% dos aplicativos do Android têm acesso aos dados confidenciais de seus proprietários, e 96% desses aplicativos podem ser iniciados sem o consentimento.

Não podemos negar que os cibercriminosos são muito criativos e, por isso, os usuários não podem facilitarem, mesmo que indiretamente, esses golpes, fornecendo mais informações do que se deve”, alerta Thiago Marques, analista de segurança da Kaspersky Lab. “Muitos não pesquisam sobre o app e, só baixam por estar em alta. É por isso que é preciso se informar mais e mais, entender o quão pesado é aquele app e se é realmente é necessário baixa-lo”, reforça.

Pensando nisso, a Kaspersky Lab separou algumas dicas para que os usuários não sejam vítimas de suas próprias atitudes e evitem ao máximo caírem em golpes:

1. Como baixar um app seguro? 

O Google possui um departamento inteiro dedicado a verificação de aplicativos que acabam na Google Play. Entretanto, o malware ainda consegue passar vez ou outra. Ainda assim, o risco de baixar um
aplicativo infectado diretamente da loja oficial é muito menor do que de qualquer outra fonte;

2. É só baixar e pronto? 

Antes de fazer o download, procure saber mais detalhes sobre a descrição do aplicativo e sobre os criadores, além de outros trabalhos que eles tenham realizado;

3. O app é nota 10. Qual o problema? 

Um aplicativo com notas altas é bom, útil e provavelmente mais seguro, mesmo assim, fique atento. Uma nota alta não é tudo e as avaliações precisam parecer consistentes, escritas por pessoas de verdades e não bots, inclusive as negativas – às vezes, os cibercriminosos usam Trojans para melhorar a avaliação de aplicativos. Além disso, olhe o número de usuários, aplicativos com milhões de downloads tem menos chances de serem malware;

4. O que o seu app precisa saber sobre você? 

A partir do sistema de permissões, o usuário consegue controlar o quanto de liberdade terá um aplicativo. Por exemplo, seu novo app precisa mesmo ter acesso à sua câmera? E ao seu microfone? Os perigos mais comuns envolvem a habilidade de aplicativos de roubar seus dados (localização, contatos, arquivos pessoais) e realizar certas operações como tirar fotos, gravar áudio, vídeos, enviar mensagens, entre outros. Segundo a Kaspersky Lab, aproximadamente 40% das pessoas na América Latina admitem que não verificam as permissões de seus aplicativos móveis pré-instalados em seus dispositivos Android e iOS, e 15% deles não verificam as permissões ao baixar ou
instalar novos aplicativos em seus dispositivos móveis;

5. Menos é mais. 

Essa frase se aplica no mundo online também, já que quanto menos aplicativos o usuário tiver no seu dispositivo, menos chances de ter
estragos;

⇝ Confira também:



6. “A última vez que atualizei...” 

Quanto mais atualizado estiver o sistema operacional e as versões dos aplicativos, menos problemas de segurança o usuário enfrentará em seu dispositivo. Por isso, as atualizações devem ser regulares. “Mais do que ter a tecnologia a seu favor, os usuários precisam estar conscientes dos perigos que estão no mundo online para evitá-las e das melhores formas para se protegerem”, afirma Marques;

7. Segurança em dose dupla. 

A autenticação de dois fatores é um recurso oferecido por vários prestadores de serviços online que acrescentam uma camada adicional de segurança para o processo de login da conta, exigindo que o usuário forneça duas formas de autenticação. A primeira forma – em geral – é a sua senha. O segundo fator pode ser qualquer coisa, dependendo do serviço. O mais comum dos casos, é um SMS ou um código que é enviado para um e-mail;

8. Minha senha é 1234. 

Não tem como os usuários garantirem segurança se não começam com uma grande proteção como uma senha forte”, reforça Marques. “Informações mais óbvias como data de nascimento, cantor favorito, entre outras que sejam fáceis de qualquer pessoa saber, não devem ser colocadas com senhas”. Por isso, para que uma senha seja segura, ela deve ser única e complexa; em particular, deve ter pelo menos 15 caracteres de comprimento e combinar letras, números e caracteres especiais – o que dificulta os cibercriminosos de adivinharem;

⇝ Confira também:


9. Opa, Wi-fi sem senha. 

Verifique se a sua conexão com a Internet é segura. Ao conectar-se a um site público utilizando uma rede Wi-Fi pública, você não possui controle direto sobre sua segurança. Portanto, você pode preferir usar uma VPN, para ao menos ter o controle de por onde seus dados estão passando, como o próprio Kaspersky Secure Connection, quando tiver dúvidas sobre a segurança da rede Wi-Fi. Esta ferramenta impede a intercepção de informações, pois criptografa todos os dados enviados e recebidos na rede. É essencial não fazer compras online ou transações bancárias enquanto estiver conectado a uma rede Wi-Fi pública. 

Fique ligado no seu comportamento como usuário, a sua segurança começa com você mesmo!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Aprenda a criar um cartão de visita Digital!

Nenhum comentário

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

A evolução da nossa comunicação é perceptível. A internet é, em grande parte, responsável por isso, mas a tecnologia, de forma geral, é que mudou drasticamente a forma com que os seres humanos gerem as suas intercomunicações. Curiosamente, mesmo que tenhamos mudado para o meio digital em diversos setores, um dos setores que é ainda responsável por pouca praticidade, desperdício de dinheiro e principalmente, desperdício de papel, e por consequência, de árvores, são os famigerados "cartões de visita". 

Cartões Digitais






Os cartões de visita são uma forma muito comum das pessoas apresentarem algumas informações pertinentes sobre si mesmas e sobre o trabalho que desenvolvem, porém, em meio a esse tipo de situação, alguns detalhes passam despercebidos.

Uma das primeiras coisas que eu fiz quando comecei a trabalhar foi criar um cartão de visitas que mostrasse todas as minhas "super habilidades", pouco tempo depois eu tinha entregue alguns, mas ainda tinha algumas centenas em casa e tinha que alterar dados neles... ou seja, a falta de planejamento atrelada a uma tecnologia praticamente imutável acabou gerando um certo desperdício, Acho que hoje, mais de uma década depois, ainda tenho alguns cartões daquela época.

Usar um cartão através  de um App em um meio digital tem alguns pontos interessantes:

- O seu cartão é dinâmico, ao contrário de um cartão físico que caso você deseje alterar alguma informação será necessário reimprimir, gerando mais custos e levando algumas árvores junto;

- O seu cartão é facilmente descartável, são pouquíssimas as pessoas que realmente mantém catálogos com cartões de visitas, ainda mais na era digital, onde tudo pode ser pesquisado. Ter um cartão digital facilita no armazenamento da informação, no compartilhamento dela e caso a pessoa não queira guardá-lo, ela simplesmente apaga um arquivo no celular, ao invés de gerar lixo.

- Você pode acabar esquecendo de ter um cartão de visita junto com você em um momento crítico, mas nunca deixará de ter um celular por perto provavelmente, o que lhe permite compartilhar o seu cartão.

- Você pode querer compartilhar um cartão com uma pessoa ou grupo de pessoas em local diferente, como uma palestra, etc.

Para te dar uma sugestão legal de como você pode criar um cartão elegante e de forma simples para o seu negócio, ou qualquer outra atividade, nós produzimos este vídeo sobre um App chamado ECOCARD, confira:


Sobre o App ECOCARD


Como você pôde conferir no vídeo acima, o App tem várias funcionalidades interessante de compartilhamento e criação de uma identidade visual. Eu entrei em contato com os desenvolvedores para falar sobre o App e parabenizar pela iniciativa, afinal, o fator ecológico, prático e econômico que algo assim oferece é realmente digno de elogios, mas aproveitei para pedir sobre novidades que devem chegar ao App no futuro.

Para você que já achou o ECOCARD interessante, saiba que em breve será possível alterar também o plano de fundo do cartão, permitindo uma customização visual ainda melhor, deixando o cartão com "a cara" da sua empresa. Outro recurso interessante é que será possível compartilhar essa base de arte para todas as pessoas que trabalham com você, assim todos os colaboradores da sua empresa poderão usar o mesmo cartão padronizado.

O ECOCARD tem versão para Android e iOS e é completamente gratuito, até mesmo sem anúncios, ele não tem fins lucrativos, pelo que os desenvolvedores comentaram, a ideia é simplesmente apoiar a ecologia, usando a tecnologia para tornar o nosso mundo um lugar melhor para se viver e, quem sabe, com um ar mais puro para se respirar.

Colocar essa ideia em prática já lhe torna um empreendedor mais responsável com o planeta e certamente, chama a atenção das pessoas.

Baixe o App e teste! Se gostar, espalhe a ideia! :)

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Fortnite: Battle Royale, chegará ao Android muito em breve

Nenhum comentário

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Ótima notícia para todos os fãs de um dos videogames mais eletrizantes da atualidade! Informações reveladas há pouco confirmam que Fortnite está chegando mais perto de ser lançado para Android ainda neste verão.

Fortnite para Android







A Epic Games, a empresa por trás do Fortnite está finalmente trabalhando em uma versão Android do game, após seu sucesso com o lançamento em dispositivos iOS. As primeiras menções da empresa para o lançamento final da versão do jogo para Android, o sistema operacional do Google baseado em Linux, afirmaram que poderia estar pronto até este verão, sem explicitamente falar sobre uma data. A grande notícia para os fanáticos do jogo, é que os mineradores de dados no Fortnite Tracker, encontraram arquivos .ini na mais nova atualização do jogo, que estão diretamente conectados a uma versão Android do Fortnite: Android_Engine, Android_Game e Android_RuntimeOptions. 

Por que o Fortnite estar disponível no Android é uma boa nova?


O que faz a grande diferença no lançamento do Fortnite para Android é que ele se transforma em um dos poucos jogos cross-platform que existem, e que usam a mesma conta de usuário, mesmos servidores, as mesmas informações e status do jogo, ao mudar de um dispositivo ou sistema operacional para outro. 

Exemplos dessas plataformas podem ser vistos com o Netflix, onde os usuários podem começar a assistir a um filme em seu tablet, e continuar vendo exatamente onde eles saíram em sua Smart TV. A Betway Casino é outro exemplo dessa abordagem, já que seus usuários podem estar jogando nos seus laptops em casa e, em seguida, usar as mesmas informações de conta para continuar jogos como Blackjack ou Roleta em seus smartphones. No contexto musical, o Spotify oferece a mesma facilidade de ouvir música em um iPhone e continuar tocando a música em outro dispositivo, como um computador Linux, quando o login no aplicativo é detectado. Ao se tornar cross-platform, o Fortnite: Battle Royale, se une a outros poucos videogames desse tipo, como o Hearthstone, da Blizzard Entertainment, o famoso Minecraft, da Mojang, e o Rocket League, da Psyonix.

Falta ainda a versão de Linux no Desktop? Falta, mas quem sabe, né? Ao menos um dos Linux vai receber o porte.

Netflix


Por que a Epic Games escolheu este verão como ideal para o lançamento?


A empresa uniu forças com o gigante chinês, Tencent, para lançar uma versão Windows do jogo para o mercado chinês, e sendo a China o país com o maior número de usuários de smartphones por uma muito grande diferença, (775 milhões, versus 386 milhões da Índia), a versão Android do Fortnite pode ser um recurso muito lucrativo para a Epic Games e a Tencent. O game para computador foi lançado na China há poucos dias, e apesar de atrair a atenção dos jogadores de PC no extremo oriente do mundo durante esta semana, a versão para o Android pode ser exatamente o que o jogo precisa para decolar na China, que é um dos maiores mercados do Android e do Linux no mundo.

Após seu lançamento, o Fortnite ainda terá que competir com o PlayerUnknown's Battlegrounds, da PUBG, que é um dos poucos jogos que já estão entre os favoritos dos jogadores chineses, e também tem a capacidade multiplataforma que permite aos seus jogadores alternar entre Android, iOS, Xbox One e Windows.

Um Beta já foi disponibilizado para alguns aparelhos da Samsung, o que significa que em breve teremos novidades.

O Google é pioneiro em ser multiplataforma


Uma das principais estratégias do Google é oferecer aos usuários a facilidade de usar a mesma conta e continuar trabalhando ou se divertir facilmente em diferentes dispositivos, com o Gmail, o Google Drive ou o próprio Google Docs, que tenta substituir ao Microsoft Office, sendo exemplos de como o Google trabalhou na integração online. O princípio por trás dessa tecnologia é atualizar constantemente as alterações do usuário ou trabalhar online para que todas essas informações estejam sempre atualizadas usando uma conexão com a Internet. O exemplo mais claro desse esforço é o lançamento do Google de seus Chromebooks e seu sistema operacional Chrome OS, feito por diferentes fabricantes de computadores com o objetivo de reduzir os custos de hardware e basear o uso dos mesmos e o espaço de armazenamento na internet.

Multiplataforma

O uso dos mesmos detalhes da conta em vários dispositivos para fazer uma transição perfeita e oferecer a mesma experiência exige esforços muito difíceis por parte dos desenvolvedores, e é uma tarefa muito agradável quando o resultado final é tão uniforme quanto nos exemplos anteriores.

E aí, vai jogar Fortnite no Android?

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


RAMpage - Falha de segurança afeta Androids de 2012 em diante

Nenhum comentário

sábado, 30 de junho de 2018

Uma nova falha de segurança foi descoberta no sistema operacional para Smartphones mais utilizado do mundo, o Android, sendo capaz de afetar praticamente todas as versões do sistema à partir de 2012.

Falha no Android







Oito acadêmicos de três universidades diferentes relataram em conjunto a descoberta de uma falha de segurança que afeta o Android e foi batizada de "RAMpage". O RAMpage quebra o isolamento fundamental entre os aplicativos instalados pelo usuário e os processos do próprio sistema operacional, lembrando um pouco as falhas que tivemos neste ano nos processadores Intel nos computadores tradicionais.

A exploração do RAMpage permite que os atacantes possam obter acesso administrativo ao sistema e por consequência, acesso aos dados armazenados no aparelho, podendo incluir senhas armazenadas nos aplicativos ou nos browsers, fotos e vídeos, e-mails, mensagens instantâneas, etc.

O RAMpage ataca o subsistema ION nos Androids, que é um driver de alocação de memória que foi lançado pela Google juntamente com o Android 4.0 Ice Cream Sandwich. O curioso é que os pesquisadores afirmam que o RAMpage é versátil e é concebível ver ataques envolvendo ele em dispositivos iOS e até mesmo desktops.

Como o RAMpage é destinado ao ION, os gadgets que usam RAM LPDDR2/3/4 são afetados. Em outras palavras, se o seu telefone Android foi lançado durante ou após 2012, ele é potencialmente vulnerável ao ataque.

A pesquisa envolvendo o RAMpage ainda é bastante nova, mas agora que um holofote está sendo colocado sobre ela, esperamos que o Google e outros OEMs façam sua parte para obter dispositivos remendados para usuários em todo o mundo. O que mais uma vez pode acabar pesando é a dita fragmentação de dispositivos, como discutimos no artigo de ontem sobre o Android GO.

Fonte
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Android GO pode salvar Smartphones mais fracos?

Nenhum comentário

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Existe um grande problema com a evolução massiva da tecnologia, os dispositivos que usamos atualmente acabam ficando desatualizados com uma frequência muito maior do que gostaríamos, fazendo com que especialmente Smartphones não tão potentes fiquem pouco utilizáveis com o passar do tempo.

Android GO






O Android GO, que o Google anunciou no início deste mês, é uma versão mais leve e compacta do sistema operacional com a intenção de atender aparelhos mais baratos e com especificações técnicas mais baixas.

Essa versão do Android é feita para rodar em aparelhos com até 1 GB de RAM, ocupando também menos espaço de armazenamento e claro, com recursos mais limitados. A ideia da empresa é que qualquer pessoa possa ter uma "experiência Google" sem precisar comprar um Smartphone mais caro para isso, ao menos é o que comenda Arpit Midha, gerente de produto da Google e do Android GO.

Para evitar confusões entre os consumidores, a Google decidiu emitir um certificado para empresas que decidirem usar o Android GO, esse certificado, para ser incluso na caixa, precisa ser conseguido através de testes que os aparelhos devem passar, incluindo testes de desempenho, além disso, praticamente todos os aplicativos recebem o sufixo "GO", como, "YouTube GO", "Gmail GO", etc.

Atualmente o Android GO é baseado no Android 8 (Oreo), mas provavelmente com a chegada do Android P teremos novidades.

O interessante é que vários aparelhos de baixo custo vendidos no Brasil podem se beneficiar dessa variação "lite" do Android, como alguns modelos da Positivo, Alcatel e Multilaser, que já anunciaram a intenção de trabalhar com esta nova variação do Android. Isso para citar alguns exemplos mais próximos, mas a Google afirma que mais de 100 fabricantes ao redor do mundo demonstraram interesse no Android GO.

Resolvendo alguns problemas


O Android GO realmente tem o potencial de amenizar alguns problemas de atualização nos aparelhos de mais idade, mas nada parece ser 100%. 
Um dos impeditivos de atualizar aparelhos antigos é justamente que versões mais recentes do Android tendem a ser um pouco mais pesadas do que versões passadas para determinados hardwares, no entanto, mesmo com o Android GO, a famigerada fragmentação ocorrerá também conforme o tempo for passando, visto que desempenho não é o único empecilho.

Você pode saber mais sobre o Android GO neste site. O interessante é que mesmo que você compre um aparelho mais parrudo, com "Android normal", se desejar, você poderá instalar vários "Apps GO" diretamente da Google Play. Mas fica a dúvida, você compraria um Smartphone com Android GO?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


5 coisas que você pode fazer ANTES de baixar um App para "otimizar" o seu Android

Nenhum comentário

segunda-feira, 28 de maio de 2018

No meio de tantos Apps que prometem melhorar o desempenho do seu Smartphone existem medidas manuais que podem "salvar o dia" sem que você precise entupir o seu Smartphone de softwares para fazer manutenção.

Confira 5 dicas que pode ser usadas em qualquer Smartphone, especialmente nos que possuem hardware mais modesto.

Como otimizar o seu Android






Antes de colocamos aqui os detalhes, vamos esclarecer a "mística" que envolve o consumo de RAM do Android, temos um vídeo especial no canal sobre o assunto, confira:


Vamos agora ao "TOP 5" coisas que você pode fazer antes de baixar um otimizador para Android. Muitos dos Apps simplesmente vão criar "atalhos" para cada uma destas funções comentadas, fique atento:

1 - MANTENHA O DISPOSITIVO ATUALIZADO


Todo mundo deve estar atualizado a todo momento, seja sobre as notícias ao redor do mundo, sobre o sportingbet código promocional, nas contas a pagar do mês, até o seu time de futebol, etc. 

Com um sistema operacional a lógica não deve ser diferente. 

É importante deixar seu Android sempre atualizado, ainda mais porque a Google renova a plataforma para competir com seus concorrentes e as fabricantes muitas vezes acabam demorando para entregar essas atualizações, é importante ficar atento.

Isso pode variar um pouco de acordo com uma eventual Custom ROM (feita por fabricantes ou pela comunidade) mas no menu de configurações do aparelho e na seção "Sobre o Dispositivo", é possível atualizar o sistema, prevenindo mais erros e deixando o aparelho ainda mais rápido.

A questão é que atualizações costumam trazer correções de bugs, além de novos recursos eventuais, estas correções podem impactar positivamente a vitalidade da bateria e o desempenho do sistema em si. O mesmo vale para os Apps que você instalar, muitas vezes um App desatualizado pode servir de catalizador para problemas, seja de segurança, seja pelo App ter algum bug que faça com que ele consuma mais recursos do aparelho do que o devido, etc.

Então, dica número UNO, mantenha tudo o mais atualizado possível.

2 - IDENTIFIQUE O PROBLEMA


Às vezes, quando um aplicativo "engasga", não é culpa do processador ou do Smartphone, como muitos leigos pensam, mas do próprio software. Por isso é necessário analisar bem e encontrar qual é o problema que está causando a queda de desempenho no Smartphone. 

Há diversos aplicativos que exibem a performance do sistema detalhadamente, em que se torna possível visualizar informações sobre tráfego das redes móveis, uso de memória RAM, entre outras funções; com isso, pode-se combater um mau desempenho "na raiz" do problema.

Eu sei que identificar o problema pode não ser um passo simples para qualquer usuário, é por isso que muita gente paga um técnico para resolver os seus problemas com a tecnologia, mas de fato, entender o que causa o problema pode ajudá-lo a resolver e se o seu Smartphone está tendo um comportamento "estranho", certamente algo está errado.

3 -  LIMPE OS CACHES DOS APPS


O cache pode servir muito bem para os aplicativos abrirem mais rápido, no entanto, caso algum erro ou problema no App acabe ficando em cache também, pode ser que por conta deste recursos, dependendo de como o App tenha sido programado, o cache que era pra ser o "mocinho da história" acabe como "o vilão".

Através do menu de "Configurações" é possível acessar os programas e limpar o cachê na seção de armazenamento do aplicativo. Isso pode fazer com que diminua a incidência de "engasgos" do Smartphone.

Em Smartphones com pouca memória de armazenamento, o cache que muitos Apps somados acabam juntando por acabar preenchendo o espaço livre, e se existe uma coisa que deixa qualquer computador (inclusive os de bolso) mais lento, é falta de espaço, logo, se você está sofrendo com engasgos por conta de falta de armazenamento, apagar alguns arquivos e o cache pode realmente contornar a situação.

4 - DESABILITE AS ANIMAÇÕES


Nas opções de "Desenvolvedor" é possível desabilitar as animações de transição do Android. Como não haverão efeitos nas transições entre aplicativos, o processo fica bem mais rápido. Apesar da falta de animações não ser agradável visualmente para todos os usuários, é uma possibilidade para evitar travamentos, além de que é possível habilitar os efeitos normalmente sempre que for desejado. 

Isso faz que o processamento gráfico do seu Smartphone seja aliviado, em aparelhos mais modestos, isso pode fazer uma grande diferença e causar uma sensação de maior fluidez e velocidade.

5 - REMOVA APLICATIVOS NÃO USADOS


Apesar de muitas vezes haver um apego por um aplicativo que não está sendo mais utilizado, removê-lo pode ser o melhor caminho para uma melhora no desempenho de seu Android. Quanto mais softwares no aparelho, mais o sistema precisará destinar seus recursos a eles. 

Muitos Apps, mesmo que você não os utilize com tanta frequência, acabam rodando em background e consumindo recursos desnecessários, uma vez que você não os utiliza.

Com a memória interna do celular cheia, o dispositivo tende a ficar mais lento. Limpar o Smartphone é como limpar um armário: apesar de difícil se livrar dos excessos, é sempre preciso desapegar.

Outra opção interessante é considerar versões mais leves dos Apps para fazer as mesmas coisas, ou mesmo acessar os serviços de outra forma. 

Em linhas gerais, a menos que você precise de algum recurso específico, acessar o Facebook través do App Facebook Lite ao invés do App tradicional pode ser mais vantajoso, ou mesmo através do próprio navegador do sistema. O mesmo pode-se dizer de quase qualquer rede social que seja possível acessar e interagir através do navegador.

Apps como o navegador Google Chrome, geralmente inclusos em todos os Androids, permitem que você crie atalhos dos sites na home do seu Android para acessá-los diretamente como se fossem aplicativos, essa pode ser uma bela saída para você em caso de precisar de mais espaço ou estar sofrendo com algum App em específico.

Com estas dicas talvez você evite de instalar ainda mais aplicativos no seu Smartphone para fazer manutenção, ainda que muitos deles possam ser úteis em algum nível, de forma geral, todas os ajustes básicos necessários e possíveis para fazer otimizações deste tipo já estão no próprio sistema.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


4 dicas antes de comprar um novo Smartphone

Nenhum comentário
Há alguns anos, talvez você lembre, ter um celular era sinônimo de luxo, artigo presente no bolso de pouquíssimas pessoas. Com o passar do tempo, a evolução tecnológica e a popularização do dispositivo, surgiram modelos com preços bem mais acessíveis e um desempenho satisfatório, muito superiores aos que antes eram tidos como os melhores do mercado de outrora. Até o termo, inclusive, foi mudando com o tempo. O celular evoluiu, ganhou novas funções, teve o desempenho otimizado, e se tornou "Smartphone".

Como escolher um bom Smartphone







Com uma alta capacidade de processamento, tarefas simultâneas e a cultura da portabilidade, os Smartphones ganharam um espaço maior de destaque na vida das pessoas, que agora utilizam o aparelho para trabalhar, ter momentos de lazer e se informar.

Comprar um dispositivo, portanto, requer cada vez mais atenção. É preciso estar atento às necessidades, potencialidades e possibilidades de um Smartphone.

DICA BÔNUS


É, aqui a dica bônus vem antes pois ela é muito importante. Acontece que nossa aposta código de bónus para prestar atenção na hora de adquirir um novo Smartphone é o processador do aparelho. Fator ignorado por muitos, ele é o "cérebro" do Smartphone, responsável por garantir o bom desempenho de todas as tarefas. Atenção com ele!

As pessoas geralmente se preocupam muito com os números da memória RAM e do armazenamento e acabam negligenciando os processadores, vale a pena gastar um pouco de tempo e pesquisar um pouco sobre as opções dentro do seu orçamento.

SISTEMA OPERACIONAL


Há dois sistemas dominantes no mercado atualmente; o iOS, da Apple, e o Android, da Google, presente nas mais diversas marcas. 

Geralmente a indicação quando se trata de sistema operacional e escolher o que lhe forneça os Apps que você necessita e mais gosta, porém, atualmente isso não chega a ser uma fator tão relevante na hora de escolher entre um iPhone e um Smartphone Android, visto que ambos possuem uma ampla compatibilidade.

Eu diria que caímos aqui em uma grande questão de gosto, um bom Smartphone Android pode ser tão eficiente quanto um iPhone e custar um bocado menos, dependendo da marca, caso dos modelos topo de linha da OnePlus por exemplo.


Se dinheiro não for problema, esse fator se torna menos relevante, mas ainda assim, no caso do iPhone, vale a pena considerar uma compra internacional, dado os valores cobrados aqui no Brasil atualmente.

Como opinião pessoal, a menos que você precise do iOS ou do iPhone por qualquer motivo importante ou goste muito (mesmo!) dele, não existem motivos para você comprar um Smartphone tão caro.

No entanto, existe um outro fator de importância pouco considerado, a atualização de software, mais especificamente, do sistema operacional em si. Neste ponto o iOS acaba sendo, em linhas gerais, mais eficiente, iPhones costumam receber atualizações por mais tempo do que aparelhos Android.

Dentro da minha experiência (podem existir outras) empresas como Xiaomi, Motorola e OnePus costumam manter os seus sistemas atualizados, muitas vezes não com a última versão da Google, mas com os últimos patches de segurança, que são o ponto mais crítico.

BATERIA


Antes de comprar um Smartphone, é necessário saber qual é a duração média da bateria para não se frustrar. É preciso também entender que quando o aparelho é muito utilizado em atividades, como execução de jogos, vídeos e acesso ao GPS, por exemplo, a carga vai embora bem mais rápido do que quando é feito um uso moderado. Uma bateria entre 2.600 mAh e 3.3200 mAh está de bom tamanho para quem não vai deixar o aparelho em funcionamento intenso na maior parte do tempo.


Para pessoas com uso mais intenso, vale a pena considerar aparelhos com maior capacidade. Eu exemplo venho utilizando há mais de um ano o Xiaomi Mi Max 2 que possui uma bateria imensa, ideal para viagens longas onde você passa o dia todo fora de casa e não quer ficar procurando tomadas e USBs para carregar o dispositivo.

CÂMERA


As câmeras dos Smartphones estão cada vez mais desenvolvidas, com capturas mais nítidas e diversos recursos digitais para tirar as fotos. Mas muita gente pensa que a qualidade de uma câmera se mede apenas pelos números de megapixels, no entanto, não é bem assim. É necessário também, no momento da compra, analisar o tamanho do sensor, a qualidade da lente e a presença de um estabilizador óptico. A qualidade da filmagem deve ser um critério na hora de optar ou não por um Smartphone.


Inclusive para muitos amantes de fotografia a compra de um iPhone acaba pensando neste quesito, não há como negar que o aparelho da Apple é capaz de tirar belas fotografias, no entanto, definitivamente ele não é a "última bolacha do pacote" neste quesito e existem outros aparelhos que focaram em melhorar consideravelmente o resultado das suas fotos, como a nova linha da Asus e o próprio OnePlus, já mencionado, que em termos de custo benefício (se falando de Brasil) acabando tendo uma certa dianteira.


MEMÓRIA 


Poucas coisas são piores em um Smartphone do que ir à loja de aplicativos para baixar jogos e, de repente, aparecer uma notificação avisando da falta de espaço na memória do aparelho. Essa memória é a interna, responsável por guardar arquivos em geral; nos celulares geralmente vem nas versões de 8GB, 16GB, 32GB, 64GB...


O outro tipo de memória é a RAM; é utilizada pelo próprio sistema para executar aplicativos e tarefas básicas do celular. Quanto maior ela for, menor a possibilidade de o aparelho ficar lento. É recomendado adquirir um dispositivo que apresente bons níveis em ambos os tipos de memória.

Se você entende um pouco de computador é fácil traçar um paralelo entre o HD (ou SSD) e a memória interna do seu Smartphone e os "pentes" de memória RAM com a RAM do seu device.

Muitas pessoas leigas neste assunto acabam cometendo gafes em suas compras por ignorar esse tipo de coisa.

BÔNUS Nº 2


Mais uma consideração para você fazer na hora de comprar o seu Smartphone. A tela.

O tamanho da tela pode fazer com que muitas pessoas cometam enganos. Existem muitas marcas que apostam em telas maiores por menores preços na tentativa de competir com aparelhos mais famosos. Observe que ter uma tela grande não necessariamente significa uma alta densidade de pixels e uma boa resolução, isso pode fazer bastante diferença na hora de assistir aos seus filmes na Netflix ou a vídeos no YouTube.

Acima de tudo, pesquise, faça uma tabela comparativa e observe o que cada marca tem a oferecer para você com cada modelo disponível que você se interessar e fazer parte do seu orçamento.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


ONLYOFFICE Documents chegando ao Android, veja como testar o Beta!

Nenhum comentário

quarta-feira, 16 de maio de 2018

O ONLYOFFICE é uma suíte office que inclui aplicativos de planilhas, edição de texto e apresentação que lembra muito o Google Docs em forma de funcionamento, mas que tem vários diferenciais interessantes conforme comentamos em vários artigos aqui do blog, sendo um deles o suporte nativo a Linux nos desktops.

OnlyOffice para Android






Os desenvolvedores nos informaram da disponibilidade da versão Beta do ONLYOFFICE Documents para Android. Para deixar o aplicativo mais estável e ainda melhor para os usuários eles precisam de testadores, e é aí que você entra!

Dentre as novidades inclusas nesta versão Beta estão a possibilidade de editar documentos, planilhas e apresentações, visto que antes era possível apenas visualizar os arquivos, e mais do que isso, além de "simplesmente" editar os documentos, agora você pode co-editar os arquivos em tempo real.

Outras novidades incluem a possibilidade de definir níveis de permissão de acesso aos documentos e conectar a vários sistemas de armazenamento em nuvem de terceiros, como o Google Drive, Dropbox, Nextcloud, OneDrive, Yandex Disk, Box, SharePoint, ownCloud e qualquer outro que utilize o protocolo WebDAV.

Para testar o aplicativo no seu Smartphone basta clicar no botão abaixo:
Bons testes, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


9base - Mais uma alternativa ao coreutils do GNU

Nenhum comentário

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Já demos uma olhada no toybox e no embutils. Desta vez vamos dar uma olhada no 9base que é mais uma alternativa ao coreutils do GNU9base surgiu como um port de vária ferramentas originadas do sistema operacional Plan 9 para Unix, baseada no plan9port.

9base-para-linux-e-freebsd






Tudo no Linux é uma questão de escolha, você escolhe o que quer utilizar. Escolhe a distribuição, o ambiente gráfico, players e navegadores (até aí tudo certo até mesmo para o Windows), ferramentas de desenvolvimento como compiladores e engines, ferramentas para a administração de sistema, ferramentas para servidores e muito mais. Tem a liberdade até mesmo de utilizar software open source ou proprietário. Isso é liberdade: O direito a escolha.

A escolha reflete melhor o conceito de liberdade do que tudo e não unicamente uma licença. Isso porque Linux é um sistema operacional bem modular e essa flexibilidade é que reflete esta beleza de termos várias alternativas para tudo o que quisermos.

Já tratei do toybox e embutils e desta vez vamos mostrar o 9base, que é mais uma alternativa ao GNU coreutils (apesar que o toybox é um terminal, mas seus comandos são agrupados internamente). 9base é um conjunto de comandos para administração de tarefas que já fazemos frequentemente no sistema operacional. Este pacote foi herdado de outro sistema operacional chamado Plan9 (já mencionei sobre o Plan9 em outro artigo e no vídeo Muito além do GNU - newlib. Por traz do seu desenvolvimento estava dentre eles, Ken Topmpson o criador do Unix). Tanto que essa não é a única opção a respeito de ferramenta do plan9 para o Linux; existe por exemplo o Glendix que é uma distribuição Linux que utiliza ferramentas do Plan9 em seu user space (vai pensando que o Android é a única distribuição sem user space que não roda ferramentas do GNU).



Não fique preso a uma única alternativa, seja livre para utilizar outras, experimenta-as, analisá-las e tirar suas próprias conclusões ainda que não sejam agradáveis (essa mesmo eu detestei); mas ao menos fazendo isso, poderá opinar sobre o assunto. Reclamamos muito do Windows ser engessado mas acabamos cometendo o mesmo erro se não nos proporcionarmos a liberdade de conhecer. Livre é você, a licença serve para garantir a sua liberdade de escolha, é por isso que elas existem ;)

Confiram também sobre o bug que encontrei no Bash mais ou menos dois anos atrás e ali ainda permanece:



_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


É o "fim da estrada" para o Desktop?

Nenhum comentário

sábado, 31 de março de 2018

Esses dias estive conversando com alguns amigos sobre o formatos Flatpak e Snap, que já foram largamente comentados aqui no blog. Debatemos como esses pacotes beneficiam o Linux no Desktop, porém, por que ainda querer o desktop se há rumores dele estar acabando? Coletei algumas informações e resolvi debater o assunto, confira:

Desktop Linux





Essa não é a primeira vez que declaram o fim do desktop. No livro A cabeça de Steve Jobs relataram  que o ano 2000 foi um ano bem difícil para o desktop com o "bum" da bolha ponto-com que fez com que as vendas dos equipamentos caíssem drasticamente deixando toda a industria preocupada. Nessa ocasião Steve Jobs fez uma apresentação que no slide continha a frase:
AMADO PC, 1976-2000, DESCANSE EM PAZ.
O que Jobs fez foi apresentar as duas primeiras eras do computador, sendo a primeira das planilhas, a segunda da internet e agora estaríamos vivendo a terceira era dos computadores, que seria um estilo de vida digital onde pessoas tinham vários tipos de dispositivos (celular, aparelho de CD/DVD, MP3  etc...) e através do computador, estes dispositivos se comunicavam (como se fosse um hub).

Bill Gates (Microsoft) e Craig Barret (Intel) também disseram coisa parecida sobre o estilo de vida digital na mesma semana (estranha coincidência...). De qualquer forma, essa atitude mostrou que a afirmação que o fim do desktop estava errada. Por fim, o desktop não morreu naquela época e até hoje permanece.

O desktop voltou a apresentar declínio de vendas nos tempos atuais, porém a mesma tática utilizada por Jobs, Gates e Craig naquela época pode de repente não funcionar hoje. De qualquer forma, apresentando outros dados, podemos observar que mais uma vez esta afirmação está errada.

Entrevistando a Endless, em Junho do ano passado, foi-nos apresentado que 5.8 bilhões de habitantes no planeta de mais de 7 bilhões não possuem acesso a computador. Então como o mercado de desktop está em declínio sendo hipoteticamente tão mal explorado?


Não somente dados da Endless Computers, mas ano passado estive em um evento da AMD (via imprensa, como Diolinux) e foi constatado que na verdade o que vem acontecendo é que:

1 - A comercialização de computadores para pessoas físicas declinou sim, mas no mercado de varejo.
2 - A comercialização de equipamento individuais de computadores (como memória, fonte e etc) aumentou. Então as pessoas estão preferindo comprar as peças individuais e montar ou mandar montar seus computadores.

3 - As pessoas passaram a investir mais em peças melhores para permanecerem mais tempo com os computadores (o que eu acho uma ideia interessante).

O que é certo é que o mercado de Smartphones vem crescendo cada vez mais e o Android e o iOS, desbancando o Windows, que reina nos Desktops.

Um dia ele vai morrer?


Pode ser que sim, o desktop venha a morrer, como pode ser que não. Não se sabe ao certo ainda; somente o futuro dirá. Mas por hora o que é certo é que este é um período que já aconteceu e foi revidado e que hoje há ainda muito mercado a ser explorado. Não somente em expansão de área geográfica, mas também em novas tendencias de mercado que podem surgir.

Enquanto existirem tarefas que são realizadas de forma mais prática e eficiente em um desktop, eles continuarão a existir, acho que é tão simples quanto isso.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Cetus Play - Um dos melhores Apps para você controlar o seu Android TV Box

Nenhum comentário

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Controles remotos de Android TV Box, de forma geral, não te trazem a melhor experiência possível. É claro, existem alguns modelos que vão entregar experiências muito boas, mas os de valor mais acessível costumam ter um controle "meia boca". Para isso existe o Cetus Play, vamos conhecer ele melhor?

Cetus Play






Eu sempre converso com os leitores do blog e do canal das redes sociais e muitas vezes através do comentários surgem ótimos debates, pelo menos, sempre que possível eu dou uma passada para trocar algumas ideias com vocês.

Um dos assuntos que eu estava conversando com a galera lá do grupo do Diolinux no Facebook eram formas mais práticas para operar os TV Box.

Quando se trata de experiência e usabilidade, alguns modelos como este da Xiaomi são simplesmente "perfeitos":


No entanto, existem muitos outros que te entregam um controle genérico que nem de perto te traz essas facilidades, o que é uma pena, já que muitas vezes estes TV Boxes tem hardwares excelentes e preços baixos, especialmente nessas marcas menos populares, como este aqui:


Felizmente no mundo Android existem muitos aplicativos que podem nos ajudar a melhorar isso, até o troca do Launcher pode ser uma opção, mas pesquisando um pouco eu descobri o Cetus Play, um App que transforma o seu Smartphone em um controle remoto para o seu TV Box e é bem menos drástico do que alterar o launcher, especialmente para quem é leigo no assunto.

Entrando em contato com os Devs eu pude testar o App no modo Premium, mas no fim das contas acabei percebendo que não tem diferença alguma usar o App grátis ou o Premium. Tirando os anúncios que aparecem, a funcionalidade é exatamente a mesma.

O Cetus Play


Para você entender melhor como o App funciona eu fiz um vídeo especial, confira agora e veja só que bacana e prática a usabilidade:


Você pode baixar o App gratuitamente direto da Google Play Store, basta clicar aqui.

Para usar o Cetus Play no seu Android TV Box você precisa instalar o App tanto no seu Smartphone, quanto no TV Box, assim você terá uma melhor integração. 

Deixe ambos na mesma rede Wi-Fi para que tudo funcione corretamente e siga a instruções que eu mostrei no vídeo.

Como demonstrado no vídeo, lembre de ativar o teclado Cetus Play no seu TV Box, assim você pode usar o Smartphone para digitar e pesquisar.

Cetus Play

Dentre os vários layouts de controle disponíveis, o padrão já deve te servir sem maiores problemas, para os Apps que não são otimizados para controle, você pode usar o modo "AirMouse", que transforma o seu Smartphone em uma espécie de touchpad e exibe um cursor na tela da sua TV, assim fica fácil manipular certos Apps, como a Netflix, quando este App não for otimizado para o seu TV Box, como acontece no Mi Box, claro.

E aí, curtiu a dica? Quais os seus Apps preferidos para rodar em um Android TV Box?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo