Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador android. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador android. Mostrar todas as postagens

Huawei continua investindo em seu sistema HongMeng OS

Nenhum comentário

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Após “climão” com o governo americano, a chinesa Huawei empenhou-se ainda mais no desenvolvimento de sua solução mobile, mesmo com a “temporária bandeira branca” a empresa segue no desenvolvimento do HongMeng OS. Noticiamos todo caso, neste post.

hongmeng-os-huawei-android-mobile-laptop-teste-smartphone

Desenvolvido “à 7 chaves”, HongMeng OS até o momento é o nome do novo sistema empresa, podendo mudar futuramente. Ele está repleto de mistérios e pouco se sabe sobre o mesmo. A Huawei vem sendo rigorosa em seus testes e recrutando diversos chineses para tal tarefa. Ao que tudo indica, mesmo utilizando o Android da Google, a empresa tem seu plano de escape. Obviamente, que a situação com o governo americano é bem delicada e incerta. Com isso a gigante da China já se prepara para o pior, uma possível ausência do robozinho verde em seus futuros smartphones. 

Um desses testadores entrou em contato com o site Huaweicentral e relatou sua experiência de uso com o sistema. Claro, que imagens e vídeos não foram mostrados, pois, a empresa é bem rigorosa e controla todo e qualquer acesso durante os testes no HongMeng OS. Todavia, podemos ter um vislumbre com as funcionalidades relatadas por este usuário.

Possíveis features do HongMeng OS


Conforme o relato do usuário que testou o sistema, algumas de suas features e características são:

  • Interface totalmente diferente da EMUI ( utilizada atualmente no Android pela Huawei), com ícones reprojetados, toques e sons diferenciados, animações e transições mais rápidas e suaves. Novo painel de notificação e uma barra de pesquisa relativamente grande;
  • Interface do usuário com ativação por telefone, novas opções de animação e personalização por padrão;
  • Suporte ao Always on Display (AOD), que é um recurso que possibilita ver informações ao bloquear e desligar a tela. Com isso o AOD do HongMeng OS não apenas traria a opção de apresentar as horas na tela, como: lembrete de mensagens, widgets e muito mais;
  • Novo modo de lembrete de mensagens;
  • App de câmera possuindo uma interface concisa e de fácil entendimento. Este lembra ao atual app da empresa (no Huawei P30), porém, com alguns controladores e aspectos adicionais.

Curiosamente alguns recursos do sistema não poderiam ser “clicáveis”, isso pode significar duas coisas. A interface ainda está em pleno desenvolvimento, que é o “mais provável”, ou a Huawei não quer “entregar de bandeja” todas as novidades de seu sistema operacional. Continuando o seu relato, o testador observou que as alterações feitas nas funcionalidades do SO, transpareciam uma sensação de novidade, com alguns pequenos detalhes que causavam este efeito. Ao ser questionado pela Huaweicentral sobre qual aparelho o teste estava sendo realizado, o usuário negou-se a dar tal informação.

hongmeng-os-huawei-android-mobile-laptop-teste-smartphone

Existem rumores que a Huawei planeja lançar seu sistema operacional com o seu carro-chefe, o Huawei Mate 30. Mas, nada confirmado pela empresa. Podemos observar que essas novidades não são pensadas para a EMUI, algo que também era especulado. Não sabemos se o HongMeng OS será unicamente focado no mobile ou se a Huawei planeja embarcar seu sistema operacional em laptops. Chegamos a especular sobre este tema nesta postagem, caso queira ver uma possibilidade, além do uso do HongMeng OS, em laptops da marca. E se fosse Linux?

Agora é esperar e ver em que toda essa história resultará, então, participe de nosso fórum Diolinux Plus e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

Fonte: Huaweicentral.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

App da Mixer para Android e iOS ganha novidades

Nenhum comentário

segunda-feira, 1 de julho de 2019

Quem é do mundo dos games, provavelmente conhece a Twitch, site onde se concentra uma boa parte dos streamers de games do mundo. Mas que ultimamente ganhou alguns concorrentes de peso, como a Mixer e o Facebook Gaming.


App da Mixer para Android e iOS ganha novidades





A Mixer, é a plataforma de streaming de jogos da Microsoft, que funciona bem parecido com a Twitch, e que vem atraindo alguns streamers insatisfeitos com o site “roxinho da força”.

Recentemente, a Microsoft lançou algumas novidades no app da Mixer, tanto para Android quanto para iOS. Além das correções de bugs e aperfeiçoamento do código, as novidades foram (segundo a descrição na página do app):


“Com o novo app Mixer, você pode fazer mais do que apenas assistir — você pode participar da ação! Escolha direta de jogos, inserção de objetos, seleção de sons e muito mais. Inscreva-se agora para experimentar o futuro do streaming interativo ao vivo de jogos como: Minecraft, a série Telltale Crowd Play (Guardians of the Galaxy, Minecraft Story Mode Season 2, Batman & The Walking Dead) Killing Floor 2, Death’s Door, Hello Neighbor e muito mais! 

· Participe de seus streamings favoritos influenciando ou mudando a ação de jogo do streamer

· Interaja e converse com menos de um segundo de latência. Essa é a tecnologia FTL (Faster Than Light, "Mais rápida do que a luz").

· Personalize seu conteúdo para que você seja encontrado mais rápido pelos Seguidores"

Para baixar o app da Mixer atualizada, basta clicar nos links para o seu sistema: Android e iOS

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Atualização do VLC corrige falha grave de segurança

Nenhum comentário

domingo, 30 de junho de 2019

O VLC Player, é uns dos mais famosos players de música e vídeo entre as plataformas. Tanto que existem versões dele para Linux, Android, macOS, iOS,  Windows e até além disso, como mostra o site oficial. Reproduzindo quase todos os formatos do mercado, só ficando de fora alguns muitos específicos.

Atualização do VLC corrige falha grave de segurança





Por ser bem popular, ele acaba recebendo ataques corriqueiramente, das mais diversas formas. Com esses ataques, foram descobertas duas vulnerabilidades no aplicativo, que poderiam dar alguma dor de cabeça aos usuários, sendo assim, a atualização é recomendada.

A primeira foi a CVE-2019-5439, que segundo o relatório do NIST ( National Institute of Standards and Technology) informa, existia uma vulnerabilidade que pode “estourar” o buffer no VLC Media Player <3.0.7, causando uma falha que pode se acarretar em uma execução remota de código.

Já a segunda, é a CVE-2019-12874, que segundo o NIST, é “Um problema que foi descoberto em zlib_decompress_extra in modules/demux/mkv/util.cpp no ​​ VLC media player 3.x até 3.0.7. O demuxer Matroska, enquanto analisa um tipo de arquivo MKV mal formado, tem um double free.

Isso rendeu um posto do Jean-Baptiste Kempf, presidente da VideoLAN, em seu blog, falando sobre essas e as outras 31 vulnerabilidades.

Então se possível, atualize o seu VLC o mais breve possível.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

YouTube Music agora possibilita o download de até 500 músicas

Nenhum comentário

sábado, 29 de junho de 2019

O YouTube Music está expandindo seus horizontes com a adição de novos recursos, por hora ainda não é a integração com a plataforma Google Play Music. Porém, é um recurso significante para a utilização de muitos usuários.

youtube-music-premium-google-play-musica-streaming-mixtap

A plataforma de streaming de músicas do Youtube vem ganhando espaço entre os “audiófilos” e um recurso interessante acaba de chegar ao serviço. Uma das funcionalidades do app, chamado de “Mixtape off-line”, passou a efetuar download de músicas de forma inteligente. Isso garante que mesmo sem conexão com a internet as músicas estejam disponíveis. Claro, que o tal recurso pode ser desabilitado e conta com uma opção manual, escolhendo “a dedo” as músicas desejáveis para uma situação “sem a web”.

O algoritmo embutido no YouTube Music, durante a noite e conectado ao wifi, identifica suas predileções musicais e baixa as músicas que você mais gosta e ouve. Tudo é configurável, mesmo no modo manual, você pode baixar até 500 músicas.

A nova possibilidade está disponível para assinantes do YouTube Music Premium, na qual temos um vídeo explicando um pouco mais sobre essa plataforma.


Caso queira experimentar, você pode avaliar gratuitamente por 1 mês e desfrutar de outras opções que no modo gratuito não estão disponíveis, como: ouvir músicas offline, com a tela do aparelho bloqueada, ausência de anúncios e muito mais. O plano mensal custa R$ 16,90 e existe um plano família ou assinatura de estudante. Para maiores detalhes acesse o link. Você também pode ouvir suas músicas via o app do YouTube Music para Android ou iOS ou acessar diretamente em seu navegador favorito.

Confira o fórum Diolinux Plus e faça parte de nossa comunidade.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

Fonte: The Verge.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Mozilla lança novo navegador para o Android

Nenhum comentário
Recentemente noticiamos sobre os novos rumos que a Mozilla vem traçando, mudando a identidade visual de suas soluções e planejando novos serviços. Agora, a investida é introduzir um novo e reformulado navegador para plataforma Android e substituir seu atual app do Firefox.

firefox-preview-android-app-aplicativo-google-play-store

Intitulado “Firefox Preview” a nova aplicação da “raposa de fogo”, voltada a navegação web no Android, está em fase de “teste piloto”. O curioso que a lista de navegadores web da Mozilla para Android, só cresce. São diversos programas: Firefox, Firefox Focus, Firefox Lite e enfim, Firefox Preview. 

Com uma interface de usuário minimalista e totalmente reformulada, o novo browser promete ser até 2 vezes mais rápido que seus antecessores e não ser tão dependente da Google. Isso porque o novo mecanismo de navegação do Preview é próprio da Mozilla, o GeckoView. Anteriormente o “motor” utilizado era o Blink, do Chromium, utilizado no Google Chrome e outros navegadores baseados nele. Outras aplicações da Mozilla já utilizavam o GeckoView, como o Firefox Reality e o Firefox Focus. Essa escolha permite a utilização de suas próprias APIs e maior controle.

“Enquanto todos os outros principais navegadores do Android hoje são baseados no Blink, portanto, refletem as decisões do Google sobre dispositivos móveis, o mecanismo GeckoView do Firefox garante a independência de nós e de nossos usuários”, afirmou a Mozilla em seu blog oficial.

Firefox Preview o futuro do Firefox no mobile


A competitividade entre Firefox e Chrome torna-se mais acirrada, possibilitando maior gama de escolha ao usuário, ao invés, de mais do mesmo. O Firefox Preview por padrão bloqueia os rastreadores. Isso possibilita uma navegação mais rápida, pois, esses anúncios segmentados não irão influenciar o tempo de carregamento das páginas. A gerente de produtos sênior do Firefox Mobile, Vesta Zare, conclui: 

“As melhorias de velocidade são impulsionadas em grande parte pela proteção abrangente de rastreamento que está ativada por padrão no Firefox Preview”.

A Mozilla pretende eliminar o antigo app do Firefox para Android, assim o Firefox Preview ocupará sua atual posição. No momento o app não conta com o idioma Português, no entanto, isso não dificultou a minha utilização, pois a interface é intuitiva.

Um pouco do Firefox Preview


Ao iniciar o navegador pela primeira vez, configurações iniciais são indicadas para serem feitas, como: conectar-se ao serviço do Firefox (permitindo acesso do histórico, favoritos, senhas entre as diversas plataformas), tema.

firefox-preview-android-app-aplicativo-google-play-store

A possibilidade de desativar o bloqueio de rastreadores, indicativo da navegação anônima e o termo de privacidade.

firefox-preview-android-app-aplicativo-google-play-store

Algo que chamou minha atenção foi a localização da barra de buscas (ou URL). A mesma fica na parte inferior do app, e navegando utilizando apenas uma mão, é muito confortável e acessível.

firefox-preview-android-app-aplicativo-google-play-store

A visualização das abas abertas e adição de novas, também é bem intuitivo.

firefox-preview-android-app-aplicativo-google-play-store


Durante a navegação não identifiquei eventuais bugs ou lentidão, entretanto, fique avisado que o app não possui todas as opções, comparado ao “seu antecessor”. Digamos, que as principais “que o povão usa”, estão todas ali. Claro, que isso num aspecto geral, evidentemente com o tempo, novos recursos vão compor o app.

firefox-preview-android-app-aplicativo-google-play-store

A Mozilla pretende eliminar o antigo app do Firefox para Android e focar no desenvolvimento e amadurecimento do Preview, caso tenha interesse em testar o navegador, acesse este link. Ele te levará diretamente à Google Play Store.

Já testou o Firefox Preview? Espero que esse não seja mais um app “Firefox’ a ser descontinuado”, afinal, quanto mais concorrência, melhor. 

Participe de nosso fórum Diolinux Plus e fique por dentro das novidades do mundo da tecnologia. 

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Prós e contras dos apps de pagamento

Nenhum comentário

quinta-feira, 20 de junho de 2019

Tornando-se cada vez mais comum entre compradores virtuais, os aplicativos para pagamentos são apresentados aos consumidores como uma opção segura ao uso dos tradicionais cartões ou boletos. Há inúmeros serviços online que aceitam pagamentos digitais como forma de pagamento, incluindo jogos e apostas, por exemplo.

Aplicativos de pagamento para Android




É realmente possível realizar um pagamento seguro com AstroPay, PicPay, Google Pay, Ame Digital e afins? Mais que isso, é possível utilizá-los no mundo offline com eficiência? Para saber um pouco mais sobre as principais vantagens e desvantagens de pagar utilizando aplicativos de pagamento, continue conosco e descubra.

Pró: Não é preciso fazer inúmeros cadastros


Uma das principais reclamações de quem faz compras online costumeiramente é a necessidade de inserir ou cadastrar os dados de seu cartão de crédito em cada loja que desejar fazer um pedido.

Além da burocracia necessária para fazer o cadastro, é preciso cuidado e atenção com o prazo de validade dos cartões, que precisam ser atualizados de tempos em tempos. Vale ainda citar que antes de fazer o cadastro de seu cartão em qualquer site, é preciso verificar os certificados de segurança para evitar possíveis fraudes.

Por isso, os aplicativos de pagamento podem ser uma excelente opção para quem realiza compras em várias lojas virtuais diferentes, afinal, todos os seus dados bancários ficam centralizados no aplicativo, evitando a necessidade de múltiplos cadastros.

Contra: Muitos estabelecimentos ainda não aceitam o pagamento por aplicativos


Se você acha que poderá utilizar seus aplicativos de pagamento em todas as suas operações financeiras e compras, está redondamente enganado.

A maioria dos estabelecimentos comerciais possui parcerias específicas e em boa parte dos casos, as lojas limitam a algumas empresas, operadoras bancárias e em alguns casos, incluem aplicativos de pagamento.

Apps Android

Existem lojas ou empresas que possuem parcerias específicas, como a Vivo, que permite que você faça recargas em telefones pré-pagos diretamente via PayPal, mas são poucas as lojas brasileiras que aceitam aplicativos de pagamento; algo ainda mais raro quando se fala de lojas físicas.

Por isso, se você pretende deixar a sua carteira de lado e realizar todas as suas operações financeiras utilizando um aplicativo, verifique quais estabelecimentos são parceiros do programa que você pretende utilizar e se possuem o dispositivo necessário para receber, como QR Code, por exemplo — e não esqueça de verificar no local se o serviço de pagamento está disponível. Assim, você se poupará de inconvenientes e dores de cabeça.

Pró: Eles funcionam como uma “carteira virtual”



A maioria dos aplicativos virtuais, além de permitir que você centralize seus pagamentos com cartão de crédito, conta com o recurso de carteira virtual. Com ele, é possível manter valores depositados — tal como em uma conta corrente — e utilizar o saldo como forma de pagamento.

Existem aplicativos que permitem, além dos depósitos e operações pessoais, o envio e recebimento de dinheiro de clientes ou amigos, utilizando seu saldo ou um cartão de crédito para realizar a operação. Desta forma, você pode, por exemplo, dividir a conta em um restaurante ou efetuar pagamento com muito mais facilidade e segurança.

Contra: Alguns aplicativos não permitem que você saque o saldo disponível


Apesar de muitos aplicativos funcionarem como carteiras digital, alguns deles não possuem parcerias com bancos brasileiros para que você possa solicitar o resgate do saldo que estiver disponível em sua conta.

Desta forma, você ficará restrito a utilizar esse valor em compras ou serviços de empresas que aceitem o aplicativo como forma de pagamento ou a enviar para terceiros, sem dispor da opção de receber o dinheiro em mãos, como faria com uma conta convencional.

Antes de criar uma conta em um aplicativo de pagamento, vale a pena verificar se ele possui parceria com o banco que você utiliza e se é possível realizar depósitos e retiradas com facilidade. Assim você não ficará restrito ao mundo virtual no momento de realizar suas operações financeiras.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

GPUs “AMD Radeon” em smartphones

Nenhum comentário

terça-feira, 4 de junho de 2019

Após ter anunciado uma parceria com a Samsung, a empresa norte-americana AMD, teve um crescimento de 7% em suas ações na bolsa de valores (Nasdaq). Então uma grande mudança de mercado poderá acontecer.

amd-samsung-qualcomm-snapdragon-nasdaq-smartphone-radeon-nvidia-nintendo-switch-microsoft-xbox

Em 2009 a AMD vendeu sua divisão Imageon, de processadores para celulares, para a Qualcomm. Agora a empresa faz uma parceria com a sul coreana Samsung, esquentando o mercado mobile e fomentando a concorrência dos processadores Samsung contra os da Qualcomm. Maiores detalhes não foram revelados, porém, sabemos que a AMD licenciará sua propriedade intelectual (IP) de processadores gráficos a Samsung. A utilização será em dispositivos móveis, sendo quaisquer tipos de gadgets inclusos nessa premissa, incluindo obviamente os smartphones da empresa.

“Esta parceria estratégica estenderá o alcance de nossos processadores gráficos Radeon de alto desempenho para o mercado de telefonia móvel, expandindo significativamente a base de usuários e o ecossistema de desenvolvimento Radeon”, afirma Lisa Su, atual presidente-executiva da AMD. 

Com isso a Samsung pagará royalties a AMD ao utilizar sua tecnologia. É interessante citar que nos consoles a AMD é “campeã”, pois, tanto a Sony quanto a Microsoft utilizam soluções gráficas da empresa. Já o Nintendo Switch possui um processador gráfico NVIDIA.

Essa notícia me alegrou bastante, fico muito empolgado com as possibilidades. Conforme uma empresa desenvolve e aperfeiçoa seus produtos, a concorrência é “obrigada” a fazer o mesmo ou ficar para trás. No final da história, somos nós consumidores que saímos beneficiados.

Curtiu a novidade? Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus e continue esse assunto.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

Fonte: Reuters.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Microsoft revela o futuro do Windows

Nenhum comentário

quarta-feira, 29 de maio de 2019

O Windows 10 é um “tabu” para diversos usuários, devido a sua atual política de atualizações com diversos erros e outros por menores. Entre alguns amigos técnicos em informática, há quem ame e quem odeie o sistema. Particularmente não estou entre os “odiadores”, entretanto como todo sistema operacional existem aspectos “que não curto”.

windows-10-futuro-microsoft-atualização-computex-2019-msix-ostree-flatpak-snap-ai

Em uma publicação no blog oficial da Microsoft, o vice presidente corporativo de vendas para consumidores e dispositivos, Nick Parker discute a visão da empresa de um sistema operacional moderno e robusto. Ao apresentar os novos PCs com Windows que compunham a Computex 2019, diversas declarações foram feitas de um sistema operacional moderno, na qual pressupunha-se que seja o futuro do Windows. Afinal, não faz sentido a empresa enaltecer recursos e características, dizendo ser um sistema moderno, se esse não é o próprio Windows (mesmo que em uma visão do futuro).

Esses novos PCs modernos e dispositivos inovadores que o ecossistema continuará a construir e levar ao mercado no futuro exigirão um sistema operacional moderno”, diz Nick Parker. Nas palavras de Parker podemos observar que o tal ”sistema moderno” ainda não existe, ou está em constante desenvolvimento. Algo que encaixa-se perfeitamente com o Windows no cenário atual e suas atualizações, desculpem as palavras, desastrosas.

Nick Parker continua, "Atualizações modernas do sistema operacional são feitas de forma invisível em segundo plano; a experiência de atualização é determinística, confiável e instantânea, sem interrupções! Um sistema operacional moderno, também é seguro por padrão, o estado é separado do sistema operacional; o cálculo é separado dos aplicativos; isso protege o usuário de ataques mal-intencionados durante todo o ciclo de vida do dispositivo“. Estaria a Microsoft planejando um Windows com abstração total de suas aplicações e o sistema? Um tipo de “sandbox” em apps Windows. Como as palavras de Parker sugerem, as aplicações serão separadas do “core” do sistema, um conceito que já conhecemos no Linux com tecnologias como o Flatpak e Snap por exemplo. Outro ponto é sobre a segurança das atualizações, e quem conhece um pouco sobre atualizações atômicas e OSTree, sabe que tais métodos asseguram a integridade do sistema. Tudo indica que o Windows no futuro utilizará métodos semelhantes. Com uma tecnologia dessa por trás, o usuário teria a total segurança de uma atualização em background, mesmo caso fosse interrompida. Por conta da forma que tais procedimentos ocorrem o sistema não seria afetado. Tudo isso me faz pensar no Endless OS e o Fedora SilverBlue, o sistema inquebrável. Recomendo que assistam o vídeo do canal Oficina do Tux e entenda um pouco sobre essa tecnologia.




Com todos os problemas que o Windows 10 vem passando com seus updates, não é de se estranhar que a Microsoft esteja pensando em uma forma de contornar tais erros e tornar seu sistema “mais moderno”. Nick Parker também sugere que por meio da nuvem e inteligências artificiais, o tal sistema moderno poderá identificar os padrões de uso do usuário e efetuar as atualizações conforme o perfil de cada um. “Essas experiências são alimentadas por AI , então um sistema operacional moderno está ciente do que um usuário está fazendo amanhã e ajudando-o a fazê-lo, e aprimorando os aplicativos tornando-os mais inteligentes”.

Um sistema operacional moderno também é multi-senso. As pessoas podem usar a caneta, a voz, o toque e até o olhar”, diz Nick Parker. Indicando que acessibilidade é um ponto importante.

Outro ponto observado é a constante interação com a internet, algo que o tão citado sistema moderno deve possuir, possibilitando que o usuário esteja sempre conectado. Um conceito que a Microsoft adotou com o Windows 10 baseado em ARM. 

Segundo Nick Parker “A Microsoft está investindo para habilitar essas modernas experiências de SO e para oferecer novas que aproveitem os avanços do silício”. Lembrando que durante todas essas palavras em nenhum momento o Windows foi citado, todavia como já mencionei, a MS não falaria de algo que não almeja-se ao seu sistema. Caso contrário, o inúmeras vezes citado “sistema moderno” não seria o Windows e particularmente não creio que a empresa esteja falando de outro SO.

Mais funcionalidades foram ditas para o futuro do Windows como:


  • Serviços de reconhecimento cognitivo (para auxílio em marcação de fotografias do telefone);
  • Projeção da tela do Android no PC;
  • Usar o mouse e teclado na interação de aplicativos Android no PC;
  • Conteúdo do telefone no PC, utilizando Wi-fi ou LTE.

Outros assuntos foram abordados na postagem no site da Microsoft, IoT, Office 365, Hardwares etc. Caso queira maiores detalhes acesse o seguinte link.

A Microsoft vem demonstrando que está pensando em um futuro sólido para sua plataforma. Primeiro anunciaram seu novo formato de empacotamento, inclusive compatível com Linux, MSIX. Depois o WLS 2, incluindo o Kernel Linux dentro do Windows. E agora especula características comuns em algumas distribuições Linux, como o Fedora SilverBlue e Endless OS. Parece que a plataforma tende a evoluir e “pegar” o que tem de melhor em outros sistemas. Quem sabe assim usuários não sofrerão com atualizações do Windows 10 que infelizmente estão sendo verdadeiras “roletas russas”.

O que você acha sobre o futuro do Windows? Concorda com o “sistema moderno” tanto dito pela Microsoft? Que tal acessar o nosso fórum Diolinux Plus e continuar esse assunto.

Até o próximo post, sejam educados e complacentes nos comentários. Compartilhe e indique o blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Wonder OS o novo hub de jogos Android e PC

Nenhum comentário

terça-feira, 28 de maio de 2019

A enigmática startup de tecnologia Wonder, vem desenvolvendo há a cerca de 2 anos um sistema focado em oferecer uma experiência de alto nível nos jogos, e isso tudo através do smartphone.

wonder-os-hub-jogos-games-android-pc-desktop-mobile-streaming-nintendo-switch-google-stadia-microsoft-xcloud

A ideia inicial da empresa era desenvolver seu próprio hardware e embarcar seu sistema operacional Wonder OS, entretanto, ao que parece a mesma mudou de posicionamento, ao menos por hora, agora o alvo é englobar smartphones de diversas fabricantes. O Wonder OS é basicamente uma “skin” do Android, porém, refinado para agregar e ter como foco os jogos. Se inicialmente os planos eram embutir o sistema em smartphones da própria Wonder, agora o mesmo será distribuído como software para os demais devices.

wonder-os-hub-jogos-games-android-pc-desktop-mobile-streaming-nintendo-switch-google-stadia-microsoft-xcloud

Indo além, não um simples launcher Android, um hub de jogos! 


A Wonder tem pensamentos ambiciosos quanto ao seu produto, propondo uma forma inusitada de experimentar os jogos no smartphone. Seu sistema Wonder OS possibilitará agregar jogos para Android e games para pc. No caso dos jogos de pc, o Wonder OS utilizará o sistema de stream de jogos, denominado WonderClound (Humm! Acho que já vi algo assim com um tal de Google Stadia 😁😁😁). Além da possibilidade dos títulos de pc e Android, haverá integração com a Twitch e serviços para streaming de suas jogatinas, toda uma comunidade, com grupos e amigos (como um “Discord + Steam”). Existirá a possibilidade de adquirir títulos diretamente do Wonder OS. Quanto aos emuladores, nada foi informado. 

wonder-os-hub-jogos-games-android-pc-desktop-mobile-streaming-nintendo-switch-google-stadia-microsoft-xcloud

“Wonder OS estilo Nintendo Switch”


Outra característica interessante do Wonder OS é a capacidade de utilizar outras telas durante a gameplay. Com um conceito semelhante ao console híbrido da Nintendo, a Wonder desenvolveu acessórios que podem agregar ao uso de seu software. Embora pareça que a Wonder no momento não esteja interessada em vender seus próprios smartphones, ela venderá hardwares que possam ser conectados a telefones com o Wonder OS instalado. Isso inclui o Wonder Dock, possibilitando o uso em telas maiores como TVs, aproximando-se a experiência de um console tradicional. Há também o Wonder Gamepad, fazendo o papel de um “pro controller”, mais uma vez tornando o uso comparado ao de um console de mesa.

wonder-os-hub-jogos-games-android-pc-desktop-mobile-streaming-nintendo-switch-google-stadia-microsoft-xcloud

Claramente podemos observar o quão ambicioso é o projeto da Wonder, sendo uma empresa principiante e relativamente pequena no mundo dos jogos, é de se temer quanto ao destino do Wonder OS. A concorrência está acirrada neste espaço, o Google e a Microsoft, por exemplo pretendem lançar seus serviços de streaming de jogos (Stadia e Xcloud, respectivamente). Existe o Nintendo Switch com uma experiência que une os 2 conceitos (portabilidade e “console de mesa”). Quem sabe na E3 2019 a empresa apresente mais informações sobre o Wonder OS, estamos na expectativa e torcendo para mais uma boa opção no mercado, afinal, quem sai ganhando somos nós consumidores.

Se interessou pelo Wonder OS? Você poderá tornar-se um beta tester gratuitamente, quer saber mais sobre, acesse o FAQ da Wonder.

E você o que achou do Wonder OS? Acesse nosso fórum Diolinux Plus e continue esse bate-papo bacana.

Te espero no próximo post do blog, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

League of Legends pode ganhar versão Linux, mas não como você imagina

Nenhum comentário

sexta-feira, 24 de maio de 2019

O “Lolzinho”, como chamam os mais íntimos, é um dos jogos mais requisitados no Linux. Entretanto a Riot Games, empresa responsável pelo game, nunca demonstrou interesse em suportar a plataforma.

legue-of-legendes-lol-game-riot-tencent-ios-android-mobile-wine-lutris-linux-snap

Como “via de regra” os usuários Linux sempre dão “aquele jeitinho” (parece até brasileiro 😁😁😁), uma das alternativas é a execução via Wine, que permeiam internet à fora. Inclusive temos um vídeo demonstrando todo o procedimento via Lutris, em nosso canal Diolinux (acesse o site do Lutris, e  veja o estado atual de execução do game no Linux).



Outra possibilidade é a instalação do jogo via Snap (estou testando a solução). Caso não saiba o que é Snap, veja o vídeo logo abaixo e fique por dentro do assunto.


Entretanto mesmo com o funcionamento do game, com performance relativamente boa diga-se de passagem, eventuais updates no jogo podem ocasionar em seu não funcionamento. Algo que pode durar dias, ou até semanas. Uma situação bem desconfortável. O curioso que seu concorrente direto, o Dota 2, possui versão nativa para Linux, e vejo a cada dia jogadores migrando de um para o outro, devido essa ausência na plataforma (Ao menos é o que observo com alguns usuários Linux, especificamente).

legue-of-legendes-lol-game-riot-tencent-ios-android-mobile-wine-lutris-linux-snap

Rumor de nova versão do LOL


A chinesa Tencent Holdings Ltd está trabalhando com a Riot Games para desenvolver o LOL para duas novas plataformas, ao menos é a informação que o site Reuters afirma ter obtido de 3 fontes confiáveis. Porém não é a tão aguardada versão para desktop Linux, e sim sua versão mobile para Android. A segunda plataforma é o iOS. Mais uma vez nós usuários de Linux teremos que esperar uma possível versão nativa para desktop (Se o Android e o iOS com bases gigantescas, a Riot demorou tantos anos, não me espanta essa demora de uma versão desktop no Linux).

“As 3 fontes confiáveis do site Reuters”, estariam próximas a criação do título. Curiosamente a Tencent propôs um port do League of Legends há alguns anos, entretanto a Riot recusou a proposta, sem a parceria a Tencent em 2015 criou o game Arena of Valor (basicamente uma cópia do LOL para smartphones 😜😜😜).

legue-of-legendes-lol-game-riot-tencent-ios-android-mobile-wine-lutris-linux-snap-arena-of-valor

O nome destas fontes envolvidas na produção do LOL versão mobile, não quiseram se identificar, alegando que por conta desse envolvimento informações não poderiam ao menos serem repassadas. Por questões contratuais as tais fontes não podem se identificar, entretanto o site Reuters garante a credibilidade.

Esse possível desenvolvimento vem ocorrendo desde 2018, mas seu lançamento não ocorrerá em 2019.

E você o que achou da notícia? Particularmente não sou bom em MOBA. Porém vejo a importância do game num cenário Linux Desktop e fico decepcionado com o posicionamento da Riot quanto ao “Linûx”

Que tal continuar esse bate-papo em nosso fórum Diolinux Plus? A galera lá também curte uma jogatina (Bora jogar Dota?).

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

Fonte: Reuters
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Redream um ótimo emulador de Dreamcast para PC e Android

Nenhum comentário

quinta-feira, 23 de maio de 2019

O Dreamcast foi lançado no Brasil em 10 de Outubro de 1999. Desenvolvido em uma parceria entre a Sega e Microsoft, o console possuía aspectos interessantíssimos como: Sua arquitetura baseada nos computadores, facilitando a vida dos desenvolvedores ao portarem games de pc ao console. Um sistema inteiramente baseado no Windows CE, que pasmem rodava semelhante a uma distro linux em “live cd”. Além de poder executar funções de computadores da época, como digitar textos, navegar na internet, ver vídeos e ouvir músicas. Pena não ter “emplacado” mundo afora, no entanto sendo extremamente popular no Japão.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

O Dreamcast teve um lugar importante em minha adolescência, onde passei bons momentos com seus vários títulos. Eis a oportunidade de desfrutar de seus games de Dreamcast, seja no Linux, Windows, macOS ou Android. 

Redream, bonito, simples e eficiente 


Quem é familiarizado no mundo da emulação talvez já tenha pensado no clássico emulador de Dreamcast, o Reicast, mas iremos falar de outra alternativa. O Redream é um emulador de Dreamcast que possui uma interface clean, organizada e bonita. Sua compatibilidade atual é de aproximadamente 80% dos títulos do console, então as chances de não executar aquele seu jogo favorito são pequenas. 

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android-compatibilidade-jogos

O emulador possui duas versões, uma “Lite” e outra “Premium”, sendo a primeira opção gratuita e a segunda custando US$5 (dólares). A única diferença de uma versão para a outra é a possibilidade de, na Premium, contar com a opção de renderização em alta definição. Algo que particularmente não me fez tanta falta, entretanto fique a vontade para adquirir a alternativa paga.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android-premium-lite

Um emulador “direto ao ponto”


O Redream é dotado de uma interface simplista e elegante, sem distrações ou configurações complexas. Dividido em 5 categorias (“abas”), sendo elas: Games, Library, Input, Video e System. O programa é de fácil compreensão.

Em “Games”, ficam todos seus jogos adicionados anteriormente na biblioteca do emulador. Um detalhe curioso, é a atenção de seus desenvolvedores pelo design da aplicação, pois ao adicionar um game na biblioteca o emulador automaticamente efetua o download de sua capa original.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

“Library” é onde você indicará o caminho de seus jogos do Dreamcast, basta clicar no botão “Add Directory” e caminhar até a localização de seus games.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

Na categoria “Input”, existirá a possibilidade de configurar 4 jogadores no emulador. Para configurar as teclas ou botões (caso possua um joystick), basta clicar na opção conforme o número do jogador, depois “Customize binds” e atribuir as teclas/botões correspondentes. Como citei anteriormente, os detalhes visuais e facilidades de uso é uma vantagem gigantesca do emulador. Um simples gesto de oferecer visualmente o modelo do joystick original do console, auxilia muito no ato da configuração. Algo que não me recordo ver em outros emuladores.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

Agora na opção “Video”, as configurações básicas podem ser realizadas, como alterar a resolução, execução em modo janela, aspecto da janela do emulador etc.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

Por último “System”, com opções de região do console, linguagem da interface do emulador e muito mais. No presente momento que escrevo este post, não existe a opção ”Português” no emulador, entretanto não será nada que dificulte sua utilização.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

Baixando a versão desktop do Redream


Efetue o download do emulador no seguinte link. Escolha entre a versão “Lite” ou “Premium”, logo após, você será encaminhado para uma nova página. Fica ao seu critério baixar a versão “Stable”, com recursos estáveis ou a versão “Developmement” que recebe novas features e é a versão “não tão estável”. Depois selecione seu sistema operacional, no meu caso irei clicar no botão com o pinguim, indicativo de Linux.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

Extraia o “arquivo tar.gz” e verifique se o executável, denominado “redream”, possui a permissão para execução. No Ubuntu basta clicar com o botão direito do mouse, ir em “Propriedades” >> aba “Permissões” e averiguar se a caixa de seleção está marcada (Permitir execução do arquivo como um programa).

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android

Execute dando 2 cliques ou clicando com o botão direito do mouse indo na opção “Executar”.

Veja logo abaixo um vídeo que fiz no OSistemático, nele demonstro o download, explicação e utilização do emulador Redream.


Versão Android do Redream


Recentemente o Redream recebeu uma versão Android, sua interface é idêntica a desktop. Assim sendo tanto no PC como no Smartphone sua utilização será semelhante (ao menos no aspecto do design do emulador). Para desfrutar dos games do Dreamcast no Android, basta possuir um smartphone com processador Snapdragon 630. Creio que a experiência será satisfatória, evidente que quanto maior a capacidade de processamento de seu gadget, melhor será a jogatina.

redream-emuldor-dreamcast-pc-desktop-mobile-linux-windows-mac-android



E você jogava muito no Dreamcast? Já gastei horas e horas jogando Marvel vs Capcom, entre outros games.

Continue esse bate-papo em nosso fórum Diolinux Plus, a galera lá também curte uma jogatina.

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Huawei e Deepin podem impulsionar o Linux

Nenhum comentário

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Por um breve período a Huawei foi posta em uma lista negra, e o governo Trump chegou a aconselhar que empresas americanas cortassem relações comerciais com a empresa chinesa. Google, Intel, Qualcomm, Broadcom entre outras gigantes do mundo tecnológico foram ao encontro do conselho do atual governo

huawei-ms-microsoft-windows-linux-kirinOS-Android-Deepin-mobile-desktop-laptop-notebook

Porém por decisão do Departamento de Comércio dos EUA, uma licença provisória foi concedida à empresa. Licença essa que tem validade até o dia 18 de Agosto. Não ficou claro se haverá prorrogação ou se a Huawei entrará na "lista branca". Entretanto após as declarações da Google impedindo o uso da licença do Android para a fabricante chinesa e caso no futuro a Huawei perca em definitivo esta licença, a mesma teria que bolar soluções que contornam a decisão americana. Para entender toda essa situação, fizemos uma matéria detalhando o caso.

Huawei sem Android, como seria?


A Huawei vem desenvolvendo sua própria solução móvel, chamado de HongMeng OS, não é de conhecimento geral o estado de desenvolvimento de seu sistema. Ou se o substituto do robozinho verde seria baseado no próprio Android, mas sem as tecnologias proprietárias da Google.

huawei-ms-microsoft-windows-linux-HongMeng-OS-Android-Deepin-mobile-desktop-laptop-notebook

É quase certo que a gigante da China já tinha em seus planos, possíveis situações como a atual, afinal a relação entre Estados Unidos e China nunca foram as melhores. Todavia algumas características importantes deveriam ser adotadas em seu novo sistema. Por isso creio que o mesmo seja baseada ou tenha compatibilidade total com aplicações e games do Android, claro sem a necessidade de uma Google Play Store. Essa estratégia poderia manter a empresa firme no mercado, mesmo que fora dos Estados Unidos ou países que fossem influenciados pela decisão do governo americano.

O consumidor "comum não quer saber" se o sistema é X ou Y. O que na realidade importa para as massas são os apps. E caso o HongMeng OS, sistema em desenvolvimento da Huawei, atenda esses requisitos a empresa continuará "no jogo". Caso contrário, já temos alguns exemplos como o Windows Phone e Ubuntu Phone que demonstram os possíveis destinos.

Huawei sem Windows, como seria?


Outra possibilidade é a exclusão da Huawei no hall de parceiros da Microsoft. A gigante de Redmond poderia seguir os mesmos passos da Google, e caso a licença não seja renovado após 18 de Agosto, a Huawei seria impossibilitada de embutir o Windows em seus notebooks e equipamentos (o laptop da Huawei a MS já retirou de sua store, sobre o Windows ainda continua um mistério). Obviamente que a chinesa poderia utilizar-se de outro parceiro, todavia o custo de seus equipamentos seria muito mais elevado, ocasionando consequências em sua posição no mercado. E qual outra solução? (Sei que está esperando isso, desde quando começou a ler 😁😋😇). Provavelmente o mesmo plano que a empresa planeja ao Android, uma outra alternativa (claro que a Huawei poderia embarcar seus computadores com o HongMeng OS, unificando toda plataforma, mas perceba que ficariam limitados quando o assunto é “software e games para desktop”).

Ao se falar de alternativas ao Windows, não seria cabível imaginar que a Huawei conseguiria desenvolver um sistema desktop, compatível com diversos softwares do mercado em poucos anos. Na realidade é loucura e muita ingenuidade acreditar que um sistema operacional é desenvolvido de um dia para o outro. Então, não seria de se espantar a empresa começar a investir em um sistema baseado no kernel Linux. Talvez seja até isso um dos pontapés iniciais para a popularização do Linux nos desktops. Uma realidade não tão distante e que com o marketing certo a empresa poderia contornar a situação, sem necessariamente depender do Windows. Indo além, sua autonomia poderia ser maior ao não depender de outras empresas e quem sabe desenvolver sua própria distribuição. 

Uma tarefa não tão simples e que poderia custar muito mais que pagar licenças de “redistribuidores” do Windows. No entanto existe outra maneira, uma parceria com outra empresa chinesa a Wuhan Deepin Technology.

huawei-ms-microsoft-windows-linux-kirinOS-Android-Deepin-mobile-desktop-laptop-notebook

Linux promovido através do Deepin


Aqui no Diolinux sempre "batemos na mesma tecla", falta marketing no Linux. Não falamos no aspecto de servidores e internet das coisas (IoT), e sim desktop, games e no uso do cotidiano. A Dell é uma grande empresa que oferece o Linux, através do Ubuntu como alternativa. Todavia, o seu foco continua sendo o Windows e na realidade não existe nenhuma empresa que possua um alcance mundial impulsionando massivamente o Linux nos desktops.

Talvez a Huawei poderia ser essa empresa, com seu domínio em diversas áreas e um mercado relativamente abrangente com seus notebooks, o Linux pode ser conhecido e usado por mais pessoas. Desenvolver um sistema não é algo barato e rápido, logo uma parceira chinesa poderia ser uma poderosa aliada, e a empresa por trás do Deepin pode ser a resposta. Com todo esse transtorno com o governo americano, é plausível pensar que uma das melhores escolhas seria uma empresa de seu próprio país. A Wuhan Deepin Technology, empresa responsável pela distribuição Deepin, tem alguns anos no mercado, um software atraente e funcional, podendo chamar atenção da gigante Huawei.

huawei-ms-microsoft-windows-linux-kirinOS-Android-Deepin-mobile-desktop-laptop-notebook

Com uma empresa que possua experiência no desenvolvimento de sistemas Linux, a Huawei possivelmente firmaria algum acordo e disponibilizaria o Deepin em seus equipamentos, ou quem sabe compraria a Wuhan Deepin Technology. Convenhamos que a distribuição chinesa atrai os olhos e consumidores são fisgados "pela luxúria" em primeiro momento. E quanto aos problemas existentes no Deepin? Nada que uma boa grana injetada não possa resolver (ou amenizar) e isso não é empecilho para empresa.

Será que o Deepin tornará o Linux popular nos desktops? Afinal o mercado chinês é um dos maiores e que mais cresce no mundo. Muitos esperam do Ubuntu ou ChromeOS tal façanha, talvez o “pequenino” chinês faça história, você gostando ou não. Se ele seria adotado maciçamente em outros países, aí já é outra história. Talvez ele impulsione o Linux nos desktops, retirando o preconceito da cabeça de muitos consumidores ou mostrando que existem outras alternativas. 

E você o que pensa sobre esse assunto? Que tal continuá-lo em nosso fórum Diolinux Plus, a galera por lá é bem educada. E creio que você também é (aqui nos comentários).

Até o próximo post, que o assunto hoje rendeu (😁😁😁), seja complacente com a opinião alheia e como sempre te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Huawei e seu relacionamento complicado com os EUA

Nenhum comentário

segunda-feira, 20 de maio de 2019


huawei-smartphone-android-google-intel-qualcomm-impedida-governo-donald-trump-estados-unidos-eua-china-importação-telefonia

Diversas empresas estrangeiras foram afetadas, gigantes como a Chinesa Huawei "ficaram impedidas" de atender o mercado americano. A decisão do atual governo dos Estados Unidos tem como uma das medidas evitar a espionagem de outros países, e todo mundo sabe que os americanos e chineses não têm uma relação tão "amorosa". O governo americano suspeitava que a Huawei era uma boa amiga da China e sedia informações de seus usuários para espionagem chinesa. Tais alegações foram negadas pela empresa. Em uma medida de última hora o Departamento de Comércio dos EUA, concede provisoriamente uma licença geral de comercialização de produtos e serviços que eventualmente a Huawei ofereça no país.  Tal "carta branca" tem validade até 19 de Agosto. 

A Huawei é a maior empresa de telecomunicações na China e uma das maiores do mundo. Seu comércio é (até o momento) forte em países como os Estados unidos, graças a ela tecnologias como o 5G estavam a pleno vapor. Agora parece que os EUA terão perdas significativas quando se trata desta tecnologia, podendo atrasar a implementação do 5G no país ou quem sabe inviabilizá-lo. Um dos objetivos da empresa era ultrapassar a atual líder de vendas de smartphones em 2020, Samsung, mas com essa nova barreira, parece que a meta não será tão simples. Pois mesmo com a nova licença provisória seu futuro em solo americano é incerto.

Nada de Intel, Qualcomm e Google?


Responsável por produzir chips para seus equipamentos, a Intel e Qualcomm aderiram a decisão do governo e cortou relações com a empresa chinesa. Entretanto a Huawei parecia estar esperando tal decisão governamental. Conhecida por armazenar estoques de chips sediados em parceiros nos EUA, a Huawei veio durante anos desenvolvendo tecnologias que não obrigasse sua total dependência da Qualcomm com seu Snapdragon e Intel, a exemplo dos seus chips criados com o HiSilicon Kirin. Não apenas a Qualcomm e Intel cortaram relações com a Huawei, a Google retirou seu direito de uso do Android e baniu a empresa da Google Play Store. Com a nova decisão e licença oferecida pelo Departamento de Comércio dos EUA, as empresas voltam seus negócios com a Huawei. A medida provisória visa não impactar a infraestrutura do país e ocasionar transtornos aos usuários. A questão que fica é se haverá prorrogação, ou se a empresa passará a ser "barrada" novamente com o término da licença.

Huawei sem Android, ao menos como era


Depois do dia 19 de Agosto a Huawei pode ficar impossibilitada de embarcar seus aparelhos com o Android "convencional”, por conta de não obter a "prorrogação" do licenciamento de comércio com os EUA, então a empresa poderia seguir dois possíveis caminhos: Utilizar a versão Open Source do Android, sem as tecnologias proprietárias da Google ou desenvolver seu próprio sistema.

Parece que a segunda opção será a adotada pela chinesa, com seu sistema em desenvolvimento HongMeng OS, parece ser questão de tempo para a empresa não necessitar do Android. Com loja de apps própria, o HongMeng OS virá embarcado em seus aparelhos. Não ficou claro se o mesmo é desenvolvido do zero, ou baseia-se no Android. Apenas posso julgar que caso o sistema não rode aplicações Android, o fracasso da empresa é eminente, temos o Windows Phone como exemplo. Se o HongMeng OS conseguir rodar games e apps Android, sua adoção por parte dos usuários pode não ser tão afetada. Lembrando que na China diversos apps e sites são bloqueados, e mesmo sem uma Google Play Store a Huawei conseguiria muito bem manter seus novos aparelhos. Afinal os usuários estão mais preocupados com os jogos e aplicativos (falo do público leigo, obviamente).

alternativa-android-huawei-HongMeng-OS

Vale ressaltar que a Huawei também comercializa notebooks e equipamentos que são embarcados com o Windows, e após a data da licença a MS poderia cortar relações com a empresa. Será que veremos notebooks da Huawei com Deepin? Logo que a distribuição também é chinesa, e possivelmente seus equipamentos não viriam mais com Windows, caso adefinitivamete a mesma fosse impedida de ter algum vínculo com os Estados Unidos

Para donos de aparelhos Huawei


A Google informou que donos de aparelhos Huawei, lançados antes do ocorrido, que acessam a Play Store, não serão impedidos de receberem atualizações de segurança ou melhoria de seus smartphones. A instalação de apps continuará sem problema algum. Os equipamentos também funcionarão normalmente nos Estados Unidos. Agora cabe saber se essa licença será provisória ou se o governo poderá "adicionar num futuro a Huawei na lista branca", só o desenrolar dessa história poderá dizer. Mas que fique claro que o intuito desta licença provisória  não é apaziguar a situação ou "aliviar para o lado da Huawei". Ao que parece, o governo americano percebeu que tal medida, ao menos no momento é incabível e os danos seriam extremos. Inclusive existiam rumores de falhas severas na infraestrutura da rede americana. 

O que você acha desta situação? Parece que estamos em uma "nova guerra fria", desta vez utilizando a tecnologia e economia como armas (nada de corrida espacial). Sobreviverá quem permanecer firme, mesmo em meio às mudanças do mercado (mudanças essas totalmente "artificiais").

Não curto esse controle, sei que pode haver espionagem, todavia parece que os EUA também não cometem esse tipo de crime (😏😏😏). É algo complicado, e que deixo essa "bucha" para vocês, então continuem esse papo em nosso fórum Diolinux Plus.

Até o próximo post, sem brigas nos comentários hein! Sejamos complacentes com a opinião alheia.

Te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo