Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador app. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador app. Mostrar todas as postagens

Mozilla Thunderbird na loja do Windows 10 [Update!]

Nenhum comentário

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Mesmo com um cliente de email pré-instalado no Windows 10, diversos usuários preferem alternativas. Com um visual atraente e utilização simplificada, o app de email do Windows 10 atende a muitas pessoas. Porém, ainda lhe faltam alguns recursos mais avançados. Nessas horas opções como, Outlook, Mailspring e o próprio Mozilla Thunderbird desempenham um ótimo papel.

mozilla-thunderbird-windows-s-10-store-loja-ms-microsoft-ports

A cada dia os sistemas operativos estão mais práticos oferecendo lojas para instalação de seus apps. No macOS, Linux e Windows são assim. Entretanto, mesmo a Microsoft sendo uma gigante e seu sistema operacional um campẽao entre os desktops, sua loja carece de apps. Isso obriga o usuário do sistema sair internet afora em busca de aplicativos, ou manter em algum pendrive seus programas. Confesso que acho interessante a Windows Store, mas por não conter a maioria dos softwares que meus clientes usam, acabo nem utilizando a loja da MS (uma pena).

O Mozilla Thunderbird é um exemplo, na real “era”. Pois, agora o cliente de email da Mozilla encontra-se na loja do Windows 10. Isso possibilita usuários do modo “Windows 10 S” utilizarem o cliente “do passarinho azul”. Por ter uma política de segurança diferenciada de sua versão comum, o Windows 10 é impossibilitado de instalar programas de outras fontes que não sejam a sua loja. Além de dar mais uma alternativa aos usuários do Windows 10 S, o Thunderbird na loja traz maior conforto aos utilizadores da plataforma.

Versão “não oficial”


Vale destacar que a versão contida na Windows Store não é disponibilizada diretamente pela Mozilla pelo contrário, um grupo denominado Store Ports fez todo o processo. Mesmo não sendo uma versão adicionada na loja por sua própria desenvolvedora o grupo disponibiliza todo o código do Thunderbird, adicionado na loja, em seu Github. O software tem seu instalador convertido para adequar-se às diretrizes da Microsoft, passando por verificações de autenticidade, segurança e qualidade. Todo esse processo é garantido pela licença da empresa, MPL (Mozilla Public License) 1.1, caso queira testar essa versão contida na loja, acesse o link ou procure na loja do Windows (não preciso dizer que a versão é para Windows, né? 😂😂😂). [O Thunderbird foi retirado da loja da Microsoft. Se o mesmo retornará, não sabemos]. Então, baixe diretamente do site da Mozilla.

mozilla-thunderbird-windows-s-10-store-loja-ms-microsoft-portsmozilla-thunderbird-windows-s-10-store-loja-ms-microsoft-ports-cliente-email

É interessante ver essas iniciativas, lembrei do Flathub quando me deparei com a notícia. Agora cabe saber se o desenvolvedor irá manter a versão da loja da MS atualizada, e em quanto tempo esses updates ocorrerão, em comparativo a versão distribuída oficialmente. [Como informado logo acima, a versão "não oficial" foi retirada da loja. Não sabemos se momentaneamente ou permanentemente].

Você utiliza a loja do Windows para efetuar a instalação de seus softwares? Que tal participar de nosso fórum Diolinux Plus, ao contrário do que muitos pensam, o fórum é sobre tecnologia em geral. Não importa se você usa macOS, Android, Windows, BSD ou o que for. Venha fortalecer a comunidade e usufruir de ambos os mundos.

Até o próximo post, sejam complacentes com a opinião alheia. Não se esqueçam de compartilhar o blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Distros Linux de 32 bits dão adeus ao novo LibreOffice

Nenhum comentário
Famoso entre os usuários de Linux, uma ótima alternativa ao Microsoft Office, a suíte LibreOffice é sucesso e vem por padrão na maioria das distribuições. Uma próxima versão está por vir, o LibreOffice 6.3, porém, nem todos os usuários poderão usufruir dos últimos lançamentos.

libreoffice-linux-processador-32bits-64bits-the-documentpfoudation-tdf-ms-microsoft-office-word-powerpoit-excel

A versão 6.3 ainda está em fase beta, entretanto, diversas melhorias estão entre os planos da The Document Foundation. Melhorias adicionais de desempenho, em recursos e ferramentas são esperadas na próxima versão. Além de melhorar a compatibilidade com outros formatos office. É notório que conforme o tempo passe, mais softwares e sistemas começam a abandonar arquiteturas antigas como a dos processadores de 32 bits. A mudança da TDF não é arbitrária, muito menos uma surpresa. Afinal, nas notas do lançamento da versão 6.2 do software, a possibilidade foi cogitada.

“As versões binárias do Linux x86 (32 bits) serão descontinuadas. Não haverá versões do Linux x86 produzidas pela TDF após o 6.2. Isso não significa que a compatibilidade com o Linux x86 será removida”.

libreoffice-linux-processador-32bits-64bits-the-documentpfoudation-tdf-ms-microsoft-office-word-powerpoit-excel

Aos poucos o 32 bits está finalmente deixando de ser suportado!


Não é nenhuma surpresa que vários softwares estão começando a abandonar a arquitetura de 32 bits (x86-32). A versão principal do Ubuntu já não conta com a versão de 32 bits, o Google Chrome perdeu o suporte em 2016 e recentemente o Xubuntu também entrou na lista. Devido a suas limitações o seu sucessor começou a se popularizar no mercado, e dificilmente caso tenha adquirido um computador a partir de 2010, seu processador é 32 bits. Infelizmente ao possuir um hardware datado, a solução é óbvia. Faça um upgrade, ou será obrigado a utilizar versões antigas do LibreOffice.

A suíte de documentos mais famosa do mundo Linux está em beta, caso seja curioso (e saiba o que está fazendo), você poderá baixar a versão 6.3 neste link.

Utiliza algum computador com um processador 32 bits? Até pouco tempo tinha um, bem velhinho (😁😁😁). Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, compartilhe e indique o blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google e o seu possível Android Q convergente

Nenhum comentário

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Um sistema convergente é o sonho de muitos amantes da tecnologia. Que tal utilizar uma aplicação em seu smartphone e ao chegar em casa prosseguir com a mesma tarefa em uma tela maior, no modo desktop. Esse é o desejo de muitos usuários, e a Google não quer ficar de fora dessa.

appss-aplicativos-convergentes-android-modo-desktop-samsung-dex-canonical-ubuntu-phone-pureos-purism-linux-

A Canonical, empresa responsável pelo Ubuntu, tentou pôr em prática essa proposta com seu Ubuntu Phone. Infelizmente não foi bem sucedida. A Purism está trabalhando em um smartphone com essa proposta, utilizando aplicações desktops que se moldam ao mobile etc. A gigante coreana Samsung, desenvolveu o Dex, com seus aparelhos Samsung da linha Galaxy mais premium, vem possibilitando o funcionamento do Ubuntu nesses aparelhos com o Linux on Dex, até mesmo sua versão do Android.

Agora a Google também embarca nos aplicativos convergentes. Durante a Google I/O 2019, sua conferência para desenvolvedores, a empresa demonstrou a evolução de suas API's e incentivou os desenvolvedores a compatibilizar seus apps com o escalonamento de tela, com a adição de um modo desktop. A Google não entrou em detalhes se o Android Q teria um modo desktop, uma dock semelhante aos Samsungs para "morphar" em um funcionamento desktop, mas foi enfática na compatibilização e criação de apps com função desktop.

Possibilidades e mais possibilidades…


Esse incentivo da Google, em meu ponto de vista, pode estar atrelado à 3 coisas. Primeiro, um planejamento que de fato o Android Q possuirá um modo desktop. Segundo, ela pode estar visando a integração de apps Android no Chrome OS, afinal mesmo com aplicações Android funcionando normalmente em seus Chromebooks, eles são pensados para o mobile. E terceiro alguma parceria com uma empresa, estilo Samsung, que possui o Dex.

appss-aplicativos-convergentes-android-modo-desktop-samsung-dex-canonical-ubuntu-phone-pureos-purism-linux-chromeos

Das três possibilidades que imaginei, creio que as duas primeiras são as mais plausíveis, claro que nada impede um combo de ambas, inclusive um pezinho da Samsung (😁😁😁).

E você, acha que em breve teremos um modo desktop no Android? Uma coisa é certa, a Google não está enfatizando a compatibilidade com um "modo desktop" a toa, tem "caroço nesse angu".

Continue esse assunto em nosso fórum Diolinux Plus, até o próximo post.

Te aguardo aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google Duo recebe função chamadas em grupo

Nenhum comentário

quarta-feira, 15 de maio de 2019

A Google domina diversos setores da tecnologia e sem sombra de dúvidas quando se pensa em buscas ou smartphones, lá existe "um pezinho da Google, para não falar o seu domínio nesses mercados (😕😕😕).

google-duo-android-app-aplicativo-web-chamadas-video-audio-grupo-webcam-comunicação

O Duo é o aplicativo de chamadas em áudio e vídeo da Google. Conhecido por ser muito econômico e eficiente, mesmo com internet de baixa conexão, 3G, o aplicativo da gigante das buscas manteve-se no mercado, ao contrário da sua "resposta ao WhatsApp" o Google Allo.

Substituto do Hangouts?


Antes da última atualização, o Google Duo só efetuava chamadas em particular, entretanto após o update uma funcionalidade que lembra o Hangouts foi adicionado.

google-duo-android-app-aplicativo-web-chamadas-video-audio-grupo-webcam-comunicação

Com a nova versão é possível criar grupos com seus contatos, e efetuar uma chamada com várias pessoas, semelhante ao Hangouts. No entanto a funcionalidade está presente apenas na versão mobile do app e em alguns países, o Brasil está entre eles, então pode comemorar (😊😊😊).

google-duo-android-app-aplicativo-web-chamadas-video-audio-grupo-webcam-comunicação

Sua versão web ainda não foi contemplada com o recurso, mas creio que seja questão de tempo. Como nem todos os países receberam esta novidade, talvez a opção só venha ao aplicativo web quando estiver liberado para todos os países.

Ao menos no momento, não creio que o Duo substitua o Hangouts, porém olhando a longo prazo me parece sensato essa substituição.

Baixe o app diretamente da Google Play para Android, App Store para iOS ou use a versão web.

E você, utiliza o Google Duo? Até hoje ele não me deixou na mão, e foi o que melhor funcionou com meu "belíssimo pacote de dados 2g/3g".

Que tal acessar nosso fórum Diolinux Plus e continuar esse bate-papo sobre apps Android?

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Linux App Store, encontre AppImages, Snaps e Flatpaks num só lugar!

Nenhum comentário

sexta-feira, 3 de maio de 2019

AppImage, Snap ou Flatpak? Eis uma dúvida de muitos usuários Linux, sejam novatos ou não. E caso queira saber um pouco mais sobre cada um e suas diferenças, temos um artigo super especial comparando os 3 formatos. No entanto caso já tenha “passado dessa fase”, e já utiliza aplicativos nesses formatos, o post é especialmente para você.

linux-app-store-flatpak-appimage-snap-deb-rpm-loja-programas-aplicativo-ubuntu-deepin-fedora-manjaro-mint

Em meu cotidiano faço uso de diversos softwares, sejam para produção do meu canal OSistemático ou até mesmo para escrever os artigos aqui no blog Diolinux (afinal é necessário criar as capas e tudo mais). E aplicações nos formatos AppImage, Snap e Flatpak são recorrentes em minha rotina, e creio que na de muitos usuários também. Entretanto para descobrirmos novos AppImages teremos que acessar o AppImageHub (ou site da aplicação), e pesquisar pelo mesmo. Já para encontrar os Snaps, podemos ir até a Snap Store e os Flatpaks no Flathub. Obviamente que algumas distribuições permitem adição de repositórios destes formatos em suas lojas, tornando o processo mais cômodo. Porém, e nos outros casos? E se existisse um lugar que agregasse a pesquisa dos programas em AppImage, Snap e Flatpak? Eis que lhes apresento à “Linux App Store”.

Encontre 3 formatos de pacotes em um só lugar!


A ideia é simples, aguardada por muitos, e desconhecida pela maioria. O site “linuxappstore.io” tem como proposta principal agregar e centralizar a pesquisa dos pacotes universais para Linux. Denominado de “Linux App Store”, o projeto é recente está ainda na versão 1.0.0, mas muito promissor. Software livre, o código da Linux App Store, está disponível no Github e é desenvolvido sobre as tecnologias JavaScript, Python e C#. 

linux-app-store-flatpak-appimage-snap-deb-rpm-loja-programas-aplicativo-ubuntu-deepin-fedora-manjaro-mint

“Mal conheço, mas já considero pacas!”


Além de agregar os 3 formatos universais, em um futuro próximo, possivelmente a intenção é oferecer pacotes RPM e DEB, no entanto esse não é o foco principal do projeto. Sua construção é pautada em tecnologias web, para melhor integração indiferente da interface gráfica ou sistema e tem como pretensão centralizar as pesquisas e instalações dos formatos AppImage, Snap e Flatpak. Atuando de forma intermediária ao acesso de tais pacotes, em uma única interface.

linux-app-store-flatpak-appimage-snap-deb-rpm-loja-programas-aplicativo-ubuntu-deepin-fedora-manjaro-mint

No momento a Linux App Store, não traz recursos essenciais como categorias e modos de filtragem mais elaborados. Todavia já foram reportadas em seu Github, o desejo por essas funções. Sejamos pacientes, com o tempo novas características serão incorporadas ao projeto tornando-o mais eficiente.

Outro aspecto da Linux App Store, é fazer uso de outros sites (AppImageHub, Flatpak e SnapCraft), mesmo que seja possível pesquisar pelos 3 formatos ao mesmo tempo, filtrar escolhendo um ou outro, ainda ao selecionar o programa você será redirecionado ao site referente ao tipo de pacote, algo que não chega a incomodar, entretanto poderia ser feito na própria loja.

Tenha em mente que o projeto não é algo oficial e relacionado aos pacotes, AppImage, Flatpak e Snap, sendo algo comunitário e sem o suporte dos encabeçadores destes formatos.

Se gosta de estar por dentro sobre AppImage, Snap e Flatpak, recomendo o grupo “Flatpak, Snap e AppImage” no Telegram, ele tem como foco esse tipo de assunto. Estou sempre por lá também. 

E você gostou da Linux App Store? Eu curti bastante, e estava contando as horas até alguém por essa ideia em prática.

Continue em nosso fórum Diolinux Plus esse assunto. Até o próximo post, te espero, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Raven Reader, um leitor de feed RSS

Nenhum comentário

sexta-feira, 22 de março de 2019

Com nossa rotina acelerada, é comum não termos tempo de conferir site a site atrás de informações, afinal essa busca demandaria algumas horas, e tempo é dinheiro (como alguns dizem 🕙💸💰).

raven-reader-leitor-feed-rss-windows-mac-linux

Para facilitar essa busca por conteúdo, existem os leitores de feed RSS, mas o que significa RSS? Essa é a sigla para “Rich Site Summary” ou “Really Simple Syndication”, ou seja, uma forma mais simples e resumida de apresentar o conteúdo de um site. O RSS é um documento feito em XML (uma linguagem de marcação), que proporciona um resumo das informações contidas numa determinada página da web. 

O Raven Reader é um leitor RSS Open Source, multiplataforma, disponível para Linux, Mac e Windows. Uma alternativa interessante e que pode facilitar sua leitura, poupando tempo ao buscar as informações por conta própria.

interface-grafica-visual-tema-raven-reader-leitor-feed-rss-windows-mac-linux

O software conta com diversas opções para visualização de seus feeds, como: disponibilidade de leitura offline, favoritar as postagens, visualização dos artigos lidos recentemente, visualização de vídeos direto do app, possibilidade de abrir no navegador, importação e exportação dos seus sites favoritos, modo dark, entre outras configurações.

Baixando e instalando o Raven Reader


Em sua versão Linux o Raven está disponível de duas formas, via Snap ou AppImage, caso não saiba o que são pacotes Snap, acesse o seguinte post, nós ensinamos como configurar em seu sistema, caso esteja no Ubuntu ele já vem habilitado por padrão. Já se preferir efetuar a instalação do AppImage, veja como executar esse tipo de app em qualquer distribuição Linux.

Raven versão Snap (Ubuntu)


Efetue a instalação do Raven Reader no Ubuntu via Snap, basta pesquisar na loja de apps por “Raven Reader” e instalá-lo.

raven-reader-leitor-feed-rss-loja-ubuntu-snap-linux

Raven versão AppImage


Para adquirir a versão em AppImage, basta acessar este link e efetuar o download. Salve em algum diretório de sua escolha e execute o programa.

Adicionando seus sites favoritos ao feed de notícia 


Adicionar feeds RRS no Raven é muito simples, clique em “+ Add”, digite ou cole a URL do site que deseja adicionar na caixa de diálogo que aparecerá.

add-feedd-sitesraven-reader-leitor-rss-windows-mac-linux

Depois basta confirmar no botão “Subscribe”.

add-feedd-sitesraven-reader-leitor-rss-windows-mac-linux

Caso opte por remover algum feed RSS, é só clicar no “x” no site que deseja excluir de seu feed, na categoria “SUBSCRIPTIONS”, situado na parte inferior esquerda do programa.

Um recurso interessante do aplicativo, é a possibilidade de ver o vídeo integrado a postagem, sem sair do app para um navegador de internet.

reprodução-video-reader-leitor-rss-windows-mac-linux

O aplicativo é bem clean, no entanto vale conferir seus recursos, como abordei anteriormente, pode ser uma ótima maneira para agilizar seu dia-a-dia e quem sabe organizar a forma que você consome conteúdo na web.

Deixe sua opinião sobre o Raven Reader em nosso fórum Diolinux Plus, até a próxima postagem, e compartilhe o blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Google lança transcrição de voz em tempo real no Android

Nenhum comentário

quarta-feira, 13 de março de 2019

Empresas de tecnologia sempre estão em constante desenvolvimento, seja em sua mentalidade ou visão perante as transformações do mercado, como o aprimoramento de seus produtos e serviços. Ao decorrer dos anos a Google veio se tornando líder em diversos segmentos, como inteligência artificial. Ela é uma poderosa aliada para tarefas de reconhecimento facial, estudos do comportamento do usuário e transcrição de voz.

transcrição-narrar-voz-ditar-gboard-android-google

Em seus últimos lançamentos o Gboard, teclado da Google para Android, vem recebendo atenção especial da empresa, com a possibilidade de uma digitação por voz de forma rápida e totalmente offline. Depois de inúmeros testes, a funcionalidade foi aprimorada graças a tecnologia de inteligência artificial, sem a necessidade de uma conexão com a internet, essa nova forma de transcrever o áudio em texto, é obtida graças a um poderoso sistema que funde diversos componentes de reconhecimento de voz, criando um único mapa neural que transforma o sinal de onda sonora em seu texto equivalente.

transcrição-narrar-voz-ditar-gboard-android-google

Essa nova maneira de transcrever a voz, é mais rápida que a forma convencional, pois não exige o acesso a internet, e tendo passos adicionais que poderiam atrasar o processo, como acesso aos servidores Google e depender da velocidade de internet do aparelho, entre outras coisas. E mesmo na hipótese de estar utilizando o Gboard em modo offline,  essa nova implementação tem uma latência e tempo de resposta menor, sendo superior à aplicação atual.

Caso esteja preocupado com o tamanho exigido para essa funcionalidade em seu aparelho, não se preocupe, se antes durante seu desenvolvimento esse espaço em disco pudesse ser requisitado em até 2GB, agora com o aprimoramento do software, apenas 85MB é reivindicado.

Aparelhos que terão tal funcionalidade


Em primeiro momento, apenas os aparelhos Pixel, Pixel 2 e Pixel 3 receberão essa novidade, os quais estiverem definidos com a linguagem “inglês americano”, caso possua algum citado na lista, basta acessar a opção: Gboard settings > Voice typing > Faster voice typing e habilitar o recurso, no entanto creio ser uma questão de tempo para que tal funcionalidade esteja disponível em outros aparelhos e idiomas, assim como a assistente de voz da Google em seu lançamento. Lembrando que você pode utilizar a transcrição de áudio offline atualmente, porém sem a precisão e os aprimoramentos contidos nessa nova implementação do Gboard. 

E você gostou da novidade? Está ansioso para testar em seu Android? Deixe nos comentários sua opinião e se utilizaria a transcrição de voz no robozinho verde?

Te espero até o próximo post no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Mailspring um cliente de e-mail bonito e moderno

Nenhum comentário

terça-feira, 12 de março de 2019

Seja para trabalhos acadêmicos, profissionais ou até mesmo uso pessoal, ter um e-mail faz parte da nossa rotina, e a cada novo serviço ou aplicação que vamos utilizar, nos é solicitado uma conta de e-mail, e organizar todas as nossas “cartas eletrônicas”, nem sempre é uma tarefa fácil.

mailspring-cliente-email-snap-deb-linux-ubuntu-windows-macos

Mailspring é um software multiplataforma “misto”, possuindo sua interface gráfica escrita em TypeScript com Electron e React, e seu mecanismo de sincronização em C++, atualmente apenas sua GUI é de código aberto, entretanto em seu Github é declarado que num futuro, seu mecanismo de sincronização também será open source, portanto trata-se de um software até o momento proprietário. 

Caso note a interface familiar, isso ocorre pois o app é um fork do Nylas N1, outro gerenciador de emails, mantido por um de seus antigos desenvolvedores, na qual garante que o Mailspring é mais rápido, consome metade da RAM e CPU, pois sua base é em C++, ao contrário do Nylas N1, que compunha de um mecanismo de sincronização em JavaScritpt, também dispõe de um compositor totalmente renovado e diversos novos recursos.

Formatos de distribuição do Mailspring


Acesse o site oficial do Mailspring e efetue o download da versão referente ao seu sistema, no caso do Linux existem 3 formatos de pacotes disponíveis, em DEB, RPM e Snap.

mailspring-cliente-email-snap-deb-linux-ubuntu-windows-macos

Para distros baseadas no Fedora e OpenSuse você pode utilizar a opção em RPM, se for Debian, Ubuntu e Linux Mint, em DEB, entretanto recomendo fortemente a opção em Snap, por possuir como diferencial o auto-update, nos outros casos você terá que baixar e instalar novamente a cada nova versão do programa.

Outro aspecto interessante é poder selecionar os canais de software do Snap, e testar a aplicação em diferentes estados de desenvolvimento, experimentando possíveis novas funcionalidades.

Caso não tenha configurado o Snap em seu sistema, veja como proceder como o seguinte post, lembrando que no Ubuntu o Snap já vem habilitado por padrão, porém no Mint não.

Instalando o Mailspring Snap via terminal


Para amantes do terminal, depois de ter configurado o Snap em sua distro, utilize o seguinte comando:

sudo snap install mailspring

Como informei anteriormente, com o Snap você pode testar as outras versões do Mailspring, basta adicionar uma das seguintes flags: “--candidate”, “--beta”, “--edge”, por exemplo suponhamos que você queira testar a versão beta do app, no entanto esteja ciente que versões em desenvolvimento podem conter bugs.

sudo snap install mailspring --beta 

Para desinstalar via terminal é muito fácil.

sudo snap install mailspring

Instalando o Mailspring Snap via loja no Ubuntu

Na loja do Ubuntu você pode encontrar o Mailspring pesquisando por seu nome e instalando facilmente com apenas uns cliques.

mailspring-cliente-email-loja-snap-deb-linux-ubuntu

Mailspring um belíssimo cliente de email


Logo após instalar o programa, você verá uma janela de login, para utilização do Mailspring é necessário cadastrar-se no serviço, mas calma que não será preciso pagar, ao menos que você queira os benefícios da conta “PRO”.

Crie sua conta normalmente, logue-se no cliente e uma janela solicitando a conexão de uma conta de email aparecerá.

mailspring-cliente-email-snap-deb-configuração-linux-ubuntu-windows-macos

Para contas do Gmail, o programa disponibiliza uma URL, para integração com os serviços do Google, siga todo o passo-a-passo proposto pelo app, caso tenha eventuais dúvidas, confira o vídeo demonstrando um pouco das funcionalidades do Mailspring e sua instalação em DEB.


É bem simples e fácil configurar o Mailspring, antigamente sua interface era toda em inglês, em seu estado atual além da interface inteiramente traduzida em nosso língua, conta com corretor ortográfico, assinaturas personalizadas de email, temas para sua GUI, modos de visualização, integração com a tray do sistema e muito mais.

interface-cliente-email-mailspring-tema

E você utiliza algum cliente email? Confesso que em tempos e tempos mudo de aplicação, alternando entre o Thunderbird, Mailspring e o “Gmail Web”, e já me aventurei com o Geary, Evolution entre outros.

Comente logo abaixo sua forma favorita de gerenciar seus emails, ou se atualmente utiliza via navegador. 

Te espero no próximo post, aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Webcamoid um app multiplataforma para a sua webcam

Nenhum comentário
A utilização de webcams tornou-se algo relativamente comum nos tempos atuais, seja acoplada em um notebook ou adquirida a parte, esse tipo de device atende diferentes públicos: usuários comuns, youtubers, conferencistas, entre outros.

Porém nem sempre os softwares oferecidos pelos fabricantes tem sua versão Linux, e alguns usuários desconhecem de soluções equivalentes ao “programa padrão da fabricante da webcam”.

software-app-webcam-webcamoid-kde-appimage-linux-mac-windows

Mesmo sendo relativamente simples configurar uma webcam no Linux, algumas features extras podem potencializar nossa experiência durante a utilização de tais equipamentos, e ajustes finos como: codec, bitrate, configurações na imagem, áudio e vídeo, são interessantes se você deseja um maior controle.

O Webcamoid é uma aplicação de código aberto escrito em C++/Qt5 multiplataforma, dotado de algumas características como: a possibilidade de gerenciar mais de uma webcam, mais de 60 filtros (efeitos nos vídeos), captura de tela, ajustes na qualidade do áudio e vídeo, assim como configurações mais avançadas de codec, bitrate, formatos de saída do vídeo etc.

software-app-webcam-webcamoid-kde-appimage-linux-mac-windows

Em sua versão Linux, além do v4l2loopback, tem incluso o suporte ao akvcam, driver de câmera virtual para Linux, na qual é o responsável por oferecer os mesmos recursos disponíveis nos drivers do Mac e Windows, possibilitando configurações persistentes, emulação dos controles da câmera (contraste, brilho, saturação, exposição, etc).

Instalando o Webcamoid


Em sua página oficial do Github, existem diversas opções do aplicativo destinado a cada sistema operacional, para o Linux recomendo a versão em AppImage, por ser mais prática e não exigir instalação.

Então efetue o download da aplicação neste formato.

 Baixar o Webcamoid

Após baixar o programa, clique com o botão direito do mouse, vá em propriedades e marque a opção “Permitir execução do arquivo como um programa”, não esqueça de verificar se a opção “Acesso”, está como “Leitura e escrita”.

software-app-webcam-webcamoid-kde-appimage-linux

Funcionalidades do Webcamoid


O app é organizado da seguinte maneira: uma espécie de dock, que faz o papel de atalhos das configurações, um painel lateral que conforme a opção exibe os dispositivos ou efeitos, e na direita um painel com ajustes destas opções.

A dock é composta de 8 atalhos, sendo o primeiro uma forma de ativar e desativar a webcam.

O segundo atalho permite escolher e configurar os dispositivos, alterando formato de vídeo, resolução, taxa de FPS, etc.

software-app-webcam-webcamoid-kde-appimage-linux-mac-windows

Também existe a possibilidade de setar a tela do seu desktop, para aplicar as demais opções de outros atalhos como efeitos, ou até mesmo efetuar uma captura de tela.

software-app-webcam-webcamoid-kde-appimage-linux-mac-windows

Sempre após mudar alguma opção e antes de gravar, seja a tela ou a webcam, clique no primeiro atalho, ele é o responsável por desligar e ligar, efetivando as modificações.

software-app-webcam-webcamoid-kde-appimage-linux-mac-windows

No terceiro atalho existem as opções de áudio, nele você pode alterar o formato, canais e muito mais.

software-app-webcam-webcamoid-kde-appimage-linux-mac-windows

O quarto atalho permite capturar uma imagem, inclusive com um contador de tempo.

software-app-webcam-webcamoid-kde-appimage-linux-mac-windows

No quinto atalho opções de codec, bitrate, formatos de áudio e vídeo, entre outros, além do botão para efetuar a gravação.

software-app-webcam-webcamoid-kde-appimage-linux-mac-windows

Em seguida na próxima opção, estão disponíveis mais de 50 efeitos com ajustes, gastei um bom tempo testando e brincando com cada filtro.

software-app-webcam-webcamoid-kde-appimage-linux-mac-windows

Em preferências configurações avançadas estarão disponíveis, dando maior liberdade para quem é mais “hardcore”.

software-app-webcam-webcamoid-kde-appimage-linux-mac-windows

Particularmente gostei muito do Webcamoid, inclusive tive algumas ideias para OSistemático após fuçar em seus vários efeitos, outra coisa que me “encantou”, foi a riqueza de ajustes, caso seja dono de uma webcam, recomendo muito esse programa.

E você, já conhecia do Webcamoid? Deixe nos comentários suas experiências com o software, e se conhece outras aplicações interessantes.

Até o próximo post, aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


5 Apps para fazer sorteios pelo Smartphone

Nenhum comentário

sexta-feira, 8 de março de 2019

Quem tem uma loja ou deseja fazer uma ação entre amigos com sorteio pela internet sabe o quanto pode ser difícil encontrar um bom site para realizar essa atividade. Instagram, Facebook e até o Telegram, que lançou novidades recentemente nas versões mobile e desktop, são utilizados como forma de se inscrever em promoções. Mas, como fazer o sorteio sem complicações? Nós selecionamos 5 aplicativos para que você possa realizar sorteios de promoções de qualquer tipo, totalmente digital e seguro, mesmo sem ter um computador por perto.

Aplicativos de Sorteio







Os aplicativos que nós separamos para vocês funcionam por meio de gerador de resultados aleatórios, muitas vezes usamos softwares do tipo para fazer os nossos sorteios do Padrim. É o mesmo tipo de tecnologia usada no bingo online no Brasil.

 Confira a seguir 5 Apps para sorteios!

Com várias opções de layout que lembram dados, roletas e outras opções, o Gerador Aleatório é um dos aplicativos mais completos do segmento. Ele gera números para criar senhas, dividir pessoas em grupos e sortear itens em um conjunto. Ele está disponível somente para Android. 

2 - Sorteio de Nomes


Tem uma lista grande de nomes e deseja selecionar um ganhador? Opte pelo Sorteio de Nomes. Também disponível para Android, esse aplicativo é ideal para quem tem uma lista de nomes ao invés de números. Você insere essa lista no sistema do aplicativo e ele sorteia para você. Bem rápido, prático e fácil de usar. 

3 - Sorteio


Agora, se o que você precisa é um sorteador de números, pode optar pelo app Sorteio. Seu funcionamento é bem simples e prático, e o design intuitivo faz com que mesmo as pessoas mais inexperientes consigam entender. O básico sorteio de número está presente, mas você também pode definir se deseja sortear números repetidos ou o intervalo que deseja considerar no seu sorteio. 

4 - Flip – Random Number Generator 


Com a mesma função de apps como o Sorteio, que citamos anteriormente, o Flip traz um plus: você pode tirar cara ou coroa! Isso ajuda em sorteios de times, por exemplo. Você também pode jogar dados e configurar quantos lados o dado deve ter. Ou seja, é útil para o sorteio e para jogar qualquer tipo de jogo. 

5 - Gerador de Números Aleatórios


Disponível para iOS, esse aplicativo dá várias opções ao usuário. Você pode sortear um número, uma equipe, listas, jogos com dados ou uma pessoa vencedora. Dá inclusive de incluir números decimais e decidir se deseja repetir números ou não, além da quantidade de números selecionados. É uma ótima opção, bastante completa. 

Aplicativos de Sorteio

Essas são apenas algumas opções que você pode escolher para fazer seus sorteios. É importante lembrar que, segundo a legislação, promoções que não são autorizadas pela Caixa são consideradas ilegais. Embora na prática exista pouca verificação, esse é um aspecto que muitas marcas esquecem na hora de fazer seus sorteios.

Já o usuário deve ficar atento aos muitos golpes que acontecem diariamente. Recentemente, criminosos utilizaram uma promoção falsa de uma famosa marca de perfumes para roubar dados de centenas de pessoas. Por isso, todo cuidado é pouco e uma boa pesquisa é fundamental antes de clicar em qualquer link promocional do WhatsApp ou outras plataformas. Se você vai participar de um sorteio, nós desejamos boa sorte! Mas, se você vai realizar um sorteio, lembre-se de baixar um dos apps recomendados para facilitar o processo.

Adicionalmente, um site que nós gostamos muito de usar e pode ser acessado do computador ou do celular é o random.org, ele possui diversas ferramentas para sorteios igualmente diversificados.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Veja as letras de suas músicas favoritas com o Musixmatch

Nenhum comentário

quarta-feira, 6 de março de 2019

Música é uma arte que requer sensibilidade sonora e muitas vezes desperta um sentimento único e que se molda conforme o ritmo, harmonia, letra e seu estado emocional, e sempre temos um estilo ou artista que afloram tais sentimentos, e que tal tirar proveito desse momento ao acompanhar as letras conforme a música é tocada? O programa de hoje proporciona tais possibilidades.

musicxmatch-letras-musicas-spotify

O Musixmatch é um dos maiores e mais populares apps Android, com ele você poderá acompanhar em tempo real seu artista interpretando alguma canção, e as letras serão visíveis nesse momento. Além de possuir uma versão mobile, o app conta com um cliente desktop.

Em sua versão mobile, o Musixmatch pode obter as letras de várias canções no Youtube, Spotify, Apple Music, SoundClound, Google Play Music, Pandora e mais.

musicxmatch-letras-musicas-spotify-google-music-apple-android

E qual a utilidade de ver letras das músicas?


Podemos aproveitar deste recurso para alguns fins como: Fazer um karaokê particular com as músicas favoritas, aprender algum idioma enquanto ouve música (sempre vejo os professores falarem que uma das melhores maneiras de praticar ou aprender outro idioma são através de filmes, seriados, livros e músicas), utilizar para aulas de canto e técnica vocal, ou simplesmente tirar uma duvida sobre um “trecho nebuloso” de alguma canção predileta (😂😂😂).

O legal desta aplicação que, ao menos no desktop que testei, não precisa ter a versão de um serviço pago para utilizá-lo em conjunto, falo especificamente do Spotify que é a plataforma de Streaming de áudio que consumo diariamente.

Instalando o Musixmatch


Como informado logo acima, o Musixmatch possui tanto versão mobile, como desktop, porém, irei focar na aplicação para PCs, se deseja instalar a versão para Android, basta acessar esse link que te levará direto à Google Play Store

Um ponto a salientar, é que sua versão desktop age em conjunto com o Spotify, então você precisa deste programa previamente instalado, e se utiliza a versão free, não tem problema algum.

Pesquise normalmente na loja do Ubuntu, Linux Mint, e instale o Spotify.

spotify-snap-flatpak-linux-mint-ubuntu

O Musixmatch é distribuído no formato Snap, sua instalação pode ser feita tanto via terminal, como na loja de aplicativos, caso esteja utilizando o Linux Mint ou derivados, você pode aprender como habilitar o Snap através deste post.

sudo snap install musixmatch

musicxmatch-letras-musicas-spotify-ubuntu-snap-loja

Para desinstalar o programa, você pode fazer da mesma maneira que instalou via interface gráfica ou com o comando:

sudo snap remove musixmatch

Configurando e utilizando o programa


Logo após instalar o Musixmatch, execute-o. Uma pequena janela abrirá, tenha em mente que o app funciona em conjunto ao Spotify, como já foi comentado, então ele deve estar funcionando e reproduzindo alguma canção.

musicxmatch-letras-musicas-spotify-janela-inicial

Antes de usarmos o programa, é necessário alguns passos, como criar uma conta no Musixmatch e logar com sua conta Spotify.

Clique na opção “Musixmatch login required”, ele abrirá uma nova janela, crie seu cadastro na plataforma.

cadastro-musicxmatch-letras-musicas

Depois conecte-se com sua conta Spotify, clicando em ”Connect to Spotify”.

login-cadastro-spotify

Após ter criado seu cadastro do Musixmatch e ter logado com sua conta Spotify, reproduza alguma música no Spotify, abra o app do Musixmatch através de seu ícone de bandeja e clique em “Show Musixmatch”.

bandeja-tray-musicxmatch-letras-musicas-spotify

E pronto! “Num passe de mágica” uma janela flutuante com a letra em tempo real será visível, caso o aplicativo não identifique ou perca seu login ao fechá-lo, efetue-o novamente, assim o app volta a sua normalidade.

musicxmatch-letras-musicas-spotify

Gostei bastante desta aplicação, sua versão desktop ainda tem menos funcionalidades que a mobile, entretanto creio que seja questão de tempo para a chegada de novos recursos.

E você, é apaixonado por música? Deixe nos comentários sua opinião, e se você assim como eu às vezes “dá uma de cantor” (😂😂😂), não perca tempo e experimente esse programa.

Te espero no próximos post, aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Dark Mode chega no Google Chrome para Android

Nenhum comentário

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Recentemente a Google disponibilizou alguns temas para seu navegador Google Chrome, a novidade foi apenas para a versão desktop, porém, rumores indicam que a “gigante de Mountain View” está trabalhando num modo noturno para o desktop, não apenas os PCs convencionais ganharão o recurso, também contemplando sua versão mobile.

dark-mode-google-chrome-android-app

O modo escuro do Google Chrome Android ainda não foi lançado, mas através da sua versão canary, podemos ter uma breve noção de como está ficando, e para conferir o resultado desta opção é bem simples.

Conferindo o modo escuro do Google Chrome Android


A última versão do browser Google Chrome Canary para Android implementou timidamente o modo escuro, porém, para ativá-lo será necessário habilitar algumas flags, por se tratar de um recurso experimental, a Google não o usa ativo por padrão, entretanto, é apenas uma questão de tempo para que o recurso amadureça e chegue à versão estável do navegador. 

Pesquise na Google Play por google chrome canary e instale o App, tenha em mente que é uma versão instável do navegador, e eventuais erros podem acontecer com o app.

dark-mode-google-chrome-android-app-canary-instalar

Após baixar e instalar o app, abra-o e na barra de buscas e digite a seguinte flag:

chrome://flags

dark-mode-google-chrome-android-app-flags

Isso possibilitará o acesso às funções “escondidas” do aplicativo, agora no campo de buscas digite:

#enable-android-web-contents-dark-mode

dark-mode-google-chrome-android-app

Clique em cima da opção, mude o sinalizador que por padrão vem como “Default”, que atualmente desativa a função, para “Enabled”, clique em “Relaunch Now” e espere o aplicativo reiniciar.
dark-mode-google-chrome-android-app

Com o modo dark ativo, as páginas mudam sua coloração de branco para preto, particularmente senti que a cor era muito forte, talvez uma tonalidade escura sem necessariamente ser o “preto massivo” fique mais atraente, todavia, perceba que é algo experimental e quando ele for implementado na versão para o usuário final a equipe de design e desenvolvimento da Google lapidará esse recurso, juntamente com seu visual.

resultado-dark-mode-google-chrome-android-app

E você o que acha de modos escuros em aplicações? Em meu cotidiano sempre utilizo essa funcionalidade.

Você gostaria de um modo dark no Chrome? Ou quem sabe outro navegador como Firefox?

Nos vemos no próximo post, aqui no blog Diolinux, te aguardo, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo