Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador appimage. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador appimage. Mostrar todas as postagens

AppImage, Flatpak ou Snap?

Nenhum comentário

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Qual das 3 novas alternativas de empacotamento de software no Linux é a melhor? Quem já utilizou Linux há alguns anos não reconheceria as distribuições em seu estado atual. A evolução foi intensa e numa velocidade assombrosa, nisso novos formatos de empacotamento apareceram no cenário, são eles: AppImage, Flatpak e Snap.

Não sabe o que é um AppImage, Flatpak ou Snap? Aqui no blog temos diversos artigos, explicando sobre essas novas tecnologias e ensinando como utilizá-las em sua distro Linux.

vencedor-appimage-flatpak-snap-pacote-linux

Se existe algo em que um novo usuário de Linux, quem sabe um antigo que não acompanhou esses anos, vai se deparar, é com as facilidades de se obter programas e instala-los no sistema.

Para especificamente usuários Ubuntu, os PPAs, que antes eram indispensáveis na maioria dos casos, atualmente tornaram-se dispensáveis (em muitos casos). Isso graças a novas formas de distribuição de softwares na plataforma do pinguim.

A dúvida que paira no ar: Qual o melhor entre os 3? Isso é uma questão delicada. Mas traçando um perfil, pode ficar mais fácil qual alternativa indicar, tendo em vista o usuário em questão.

appimage-linux-pacote

AppImage - Vantagens


Se você já utilizou algum software portable no Windows, sabe o quão prático pode ser uma aplicação portátil, sem a necessidade de baixar complementos ou instalar em seu sistema, muitas vezes executando-os direto do seu pendrive. Pois bem, resumidamente essas são algumas vantagens do AppImage.

Outra facilidade é no pós-install, não necessitando o download da aplicação, isso é uma “mão na roda” para quem tem Internet ruim.

AppImage - Contras


Alguns contras são: Não ter downloads automáticos da aplicação, e nem sempre uma maior integração ao sistema, seu tamanho normalmente será maior que um “.DEB/.RPM”.

AppImage - Para quem é:


É uma ótima opção para utilizar softwares, que nem sempre você queira atualizar por algum motivo. No meu caso, uso o Kdenlive neste formato, pois tenho maior controle sobre sua versão, posso testar outras sem impactar meu sistema operacional, além de poder editar algum vídeo caso esteja numa máquina sem acesso a Internet que não tenha o Kdenlive.

flatpak-pacote-linux

Flatpak - Vantagens


Se você quer utilizar os softwares nas versões atuais sem adicionar um repositório instável ao seu sistema, o Flatpak é perfeito nestes casos. 

Com um número relativamente grande de aplicações, o Flatpak tem se tornado o queridinho de projetos Open Source, a comunidade parece estar cada dia abraçando este formato. Por exemplo o Emulador de Nintendo 3DS, Citra. Recentemente adotou o Flatpak como formato de distribuição oficial para o Linux.

Algumas vantagens dos Flatpak são: diversas aplicações neste formato, segurança ao utilizar um app novo, mesmo instável não afetará seu sistema. Não terá problemas com erros de dependências. Melhor integração com o sistema, seja na utilização ou visual. Inclusive é possível instalar diversos temas ao seu sistema em Flatpak.

Flatpak - Contras


Para obter as vantagens de um sistema livre de instabilidades, ou erros de dependências, o Flatpak teve que adotar uma estratégia. Utilizar RUNTIMES, onde as dependências dos softwares são embutidas. Isso evita que cada programa acompanhe bibliotecas junto a eles, como no caso dos AppImage. O “calcanhar de Aquiles” do Flatpak, com o tempo você acaba tendo muitas Runtimes no sistema, pois nem todo app utiliza a mesma, isso depende de sua versão, ou quem e como foi desenvolvido.

Então se você tem uma Internet lenta, ou espaço em disco escasso. Talvez os Flatpaks não sejam a melhor escolha.

Flatpak - Para quem é:


Se você não gosta de ir no site das aplicações procurando por atualizações, quer utilizar aplicativos em versões mais recentes, não ter problemas com dependências quebrando seu sistema, uma integração visual e na utilização do sistema.

Tem espaço suficiente para instalar as aplicações, e uma Internet razoável para efetuar a instalação dos apps. O Flatpak é uma ótima opção.

snap-pacote-linux

Snap - Vantagens


O Snap possui muitas características dos Flatpak, como o fato de ser SANDBOX, e as aplicações não interferirem no seu sistema operativo. Acompanhando todas as vantagens, de poder utilizar o app sem o medo de danificar o sistema, por conta de alguma dependência. E as aplicações em regra não precisarem de bibliotecas adicionais.

Um ponto a se observar, é que o Snap utiliza uma outra forma para suprir as dependências dos programas. Cada aplicação vem com bibliotecas embutidas, e as mais comuns estão no CORE, algo que funciona parecido com as RUNTIMES do Flatpak. Com um diferencial, esse Core será para todas as aplicações.

Snap - Desvantagens


O Snap parece ter uma boa integração com o tema oficial do Ubuntu, já nas diversas distribuições Linux, ele poderá ficar com uma cara de Windows 95. Se você é perfeccionista, isso pode lhe irritar um pouco (risos).

A sua forma de sanar dependências dos programas, pode ser em alguns casos uma vantagem sobre os Flatpaks, e em outras não. Isso dependerá da quantidade, e versão das aplicações que serão utilizadas.

Outra coisa é o arranque inicial das aplicações em Snap, não parecem ser tão ágeis como as demais alternativas, ao menos na versão atual, a Canonical vem trabalhando nessas melhorias e a versão mais recente do snapd, o daemon responsável por lançar os softwares em Snap, está conseguindo lançar as aplicações com maior velocidade e menor tempo de resposta.

Snap - Para quem é:


Se você é perfeccionista, e não suporta a possibilidade de algumas aplicações, com um visual de “Windows 95”. Ou uma Internet ruim, não tem paciência para downloads maiores (isso vale para os Flatpaks também). O Snap não é para você.

Então qual é o melhor?


A real é que não existe o melhor ou pior, cada caso tem um formato, que supre um tipo de demanda, e dependendo do usuário, as 3 formas serão utilizadas. Este é meu caso, utilizo várias aplicações em Flatpak, outras em AppImage e algumas em Snap. Confesso que o arranque um pouco demorado e o visual do Snap, não me deixam utilizar mais aplicações como gostaria.

Mas isso é questão de tempo, pois essas tecnologias estão evoluindo cada vez mais, e daqui algum tempo, essas desvantagens que listei, possam nem existir.

Alguns boatos rondam as comunidades, um deles é que formatos como Flatpak e Snap, são ruins pois quem tem o armazenamento limitado, como um SSD de 120GB, não poderão utilizá-los.

Pois bem, isso é um mito. Por mais que os Flatpaks e Snaps, demandem uma quantia superior a outros pacotes como DEB/RPM, a sua utilização é viável no hardware atual.

Se seu HD tem espaço para o Windows e suas aplicações, não terá dificuldades com os Flatpaks e Snaps...

E aí, qual dos 3 você mais utiliza? Conte-nos nos comentários, o que lhe impede de usar um ou outro, e quais melhorias gostaria de ver nestes novos formatos.

Até a próxima, nos vemos SISTEMATICAMENTE, em outro post.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


AppImageHub, a loja dos AppImage

Nenhum comentário

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Flatpak e Snap possuem sites com aspectos de loja, agora o Appimage entra na onda com o AppImageHub.

appimage-app-appimagehub-loja-linux-baixar

Não sabe o que é um AppImage? Aprenda tudo sobre ele, acesse a matéria e comece a usufruir de programas neste formato.

O ano de 2018 foi repleto de novidades para as novas formas de distribuir softwares no Linux. Tivemos implementações no Flatpak, um novo visual ao Flathub, melhorias no Snap e muito mais. Em meio a tantas notícias sobre tais formatos, o AppImage acabou ficando na sombra, e aparentava estar esquecido por alguns usuários.

Eis que em 2019, o antigo site de downloads da maioria dos AppImage, é substituído pelo novíssimo AppImageHub, não apenas uma central de software. Novas funções, classificação dos Apps em categorias e claramente um polimento visual.

site-appimagehub-download-appimage

Melhorias implementadas com o usuário em mente


Além do novo visual, o AppImageHub traz funcionalidades interessantes como: Acesso ao site oficial da aplicação, Bugtracker (para relatar erros no software), FAQ da aplicação, na qual dúvidas frequentes podem ser solucionadas e link para contribuição ao projeto, por meio de apoio financeiro.

appimagehub-appimage-download

Nem todos softwares possuem essas funções disponíveis. Parece que é algo referente à quem os distribui, se tais possibilidades existem, são linkadas na página do App no AppImageHub.

appimagehub-appimage-synfig-studio


Selecionando a categoria desejada, são demonstradas imagens ilustrativas, breve resumo e quando disponível, as opções descritas acima. Funcionalidades básicas como: Download do software, quem o distribui, e o site/Github, também estão presentes.

Mini passo a passo, e opções que muitos desconhecem


Informações de como usar um AppImage, atualizá-los sem necessidade de ir em sua página, integração ao sistema, torná-lo SANDBOX como um Flatpak ou Snap, estão acessíveis no site, como também um agradecimento aos desenvolvedores que possibilitam a distribuição de suas aplicações no formato AppImage.

Testando algumas sugestões do AppImageHub


Novidades são sempre bem-vindas, mas é notório que algumas sugestões da equipe do AppImage não dependem deles, mas de quem distribui os softwares no formato. Efetuei o procedimento para atualizar os AppImages por meio da ferramenta AppImageUpdate, em 3 aplicações diferentes, o Synfig Studio, Gimp e Kdenlive, mas sem sucesso.


appimage-updater-atualizar-appimage

A necessidade de download manual a cada versão pode ser, para muitos, uma desvantagem. Se depender da equipe do AppImage, que já demonstra uma iniciativa, esse problema num futuro não existirá.

Acesse o site AppImageHub e confira as novidades, esse tipo de aplicação é bem prática, quando menos esperar, estará utilizando varios AppImages.

Usa aplicações em AppImage? Conte-nos e comente sobre quais apps gostaria de usar neste formato e quais funcionalidades deseja aos AppImages e AppImageHub para versões futuras.

Até mais, nos vemos no próximo post, SISTEMATICAMENTE!

____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Nova versão do OpenShot está disponível para download

Nenhum comentário

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Foi liberado para download a nova versão do editor de vĩdeo OpenShot, chegando na versão 2.4.2 e trazendo correções de bugs, melhorias no programa e 7 novos efeitos para se aplicar nos vídeos.

Nova versão do OpenShot está disponível para download






 O OpenShot é conhecido por ser um editor de vídeo bem simples de se manusear e para fazer edições básicas em vídeos podendo exportá-los para os formatos mais conhecidos do mercado, além de usar a biblioteca FFmpeg que lhe traz uma versatilidade muito boa. Ele também é multiplataforma, possuindo versões para Linux, macOS e Windows.

As novidades começam por duas funcionalidades adicionadas pela equipe:

⏺  Mixagem automática de áudio - Esse recurso fará o ajuste automático do volume do áudio. O recurso é desativado por padrão, mas você poderá ativar ele na seção " propriedade do clipe" e assim ajustando a seu gosto.

⏺  Rotação automática - Esse recurso será bem útil para quem filma, por exemplo, com o celular na vertical e assim que você adicionar o vídeo no OpenShot, ele automaticamente vai corrigir a posição dele. Isso também vale para fotos.

Outra novidade muito legal é a possibilidade de se utilizar codecs "experimentais" pelo FFmpeg e LibAV, além do codec padrão para áudio ser o AAC, o que torna a criação de vídeo mais compatível entre sistemas operacionais diferente.

Agora falando dos novos efeitos, são 7 e podem ser combinados entre si, são:

Bars -  Criação de efeito de caixa de texto cinematográfico ou limite de um vídeo vertical;

⏺  Colours Shift -  Quando aplicado, faz uma mudança no estilo anaglyph nas cores RGBA;

Crop - Aprimoramento em um trecho específico no vídeo;

Hue - Ajusta a Matriz de um vídeo ou imagem;

PIxelate - Permite "pixelar" um vídeo inteiro ou parte dele (também vale para imagens);

Shift - Cria um bloco de movimento à partir de uma imagem ou vídeo;

Wave - Aplica o efeito de distorção por ondulação nas imagens.

Cada efeito foi criado do zero para o OpenShot 2.4.2 e todos são totalmente "keyframable" e podem ser combinados entre si.

No blog do projeto eles listam as outras melhorias, que são muitas, acessando este link. Aqui listamos as mais importantes.

 Se você estiver utilizando o Ubuntu 18.04 LTS ou Linux Mint 19 é que fazer o upgrade ou instalar, temos duas possibilidades. Uma via PPA com a utilização do terminal e a outra baixando o AppImage, vamos mostrar as duas:

Para instalar via terminal, você vai precisar digitar os seguintes comandos:

sudo add-apt-repository ppa:openshot.developers/ppa -y

sudo apt update

sudo apt install openshot-qt -y 

Ou se preferir, baixe o AppImage no site oficial do OpenShot através dese link
, para executar a aplicação basta dar dois cliques, observe que também é necessário marcar a opção de "execução" nas propriedades do arquivo.

Diga nos comentários o que você achou das mudanças do OpenShot, aguardo você até uma próxima oportunidade, forte abraço.
  ____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conheça o novo ONLYOFFICE para Linux

Nenhum comentário

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Quem gosta do ONLYOFFICE pode comemorar, a suíte acaba de receber uma nova versão com melhorias em vários detalhes, confira:

Conheça o novo ONLYOFFICE







Uma barra de ferramentas com abas, que era anteriormente disponível apenas em editores online, apareceu na versão 5.1 dos editores para desktop, dando um visual mais agradável.

A aplicação, que permite trabalhar com documentos de texto, planilhas e apresentações, adquiriu uma nova interface com abas. Agora as ferramentas são agrupadas em abas temáticas para uma navegação mais intuitiva.

ONLYOFFICE apresentações


Além disso, novas funções foram adicionadas. O processador de texto agora tem painel de navegação para o Índice (a função que está disponível na aba "Links"), e exportação para RTF. Todas as ferramentas para colaboração, incluindo revisão e comentários, foram movidas para a aba separada "Colaboração".

Entre as inovações no editor de planilhas temos 11 novas fórmulas e capacidades avançadas para formatar células, no editor de apresentações - a função "Colar especial" e "Comentários" não só para slides individuais, mas também para toda a apresentação, está presente.

ONLYOFFICE Editor de Planilhas

A aplicação é disponível para Windows, Mac OS e Linux, e também pode ser instalada via Snap. A versão portátil pode ser executada via AppImage.

Para baixar a nova versão basta acessar o site.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como ter aplicativos portáteis através do Orbital Apps

Nenhum comentário

terça-feira, 15 de maio de 2018

Sempre que estamos longe dos nossos desktops e notebooks e não temos um acesso a internet muito boa para baixar os nossos programas acabamos recorremos a Apps "portáteis", nesse artigo vamos mostrar mais uma alternativa para isso.

Como ter aplicativos portáteis através do ORB






Procurando uma alternativa em executar os programas mais básicos sem precisar a instalação dos mesmos? No mundo Linux eu achei duas boas alternativas: o Appimage e o ORB, este último menos conhecido e é o que vamos abordar nesta matéria.


O Appimage vem ganhando popularidade nos últimos tempos por ter alguns programas famosos em seu formato, como Audacity, Inkscape e Kdenlive por exemplo, mas procurando nas "águas vastas" da internet, achei um site chamado OrbitalApps que tem a "filosofia" parecida com o Appimage, porém, com algumas peculiaridades.


● Rodar out-of-the-box;

● Não precisar de nenhum "runtime" para instalação;

● Não precisar de permissões especiais e nem precisar habilitar o root no app;

Clickable  que seria clicar e rodar o programa, sem precisar de mais permissões.

No site deles tem explicando melhor como funciona, você pode acessar aqui e aqui.

A instalação do Launcher ORB, esse que facilita o manuseio dos programas empacotados no formato .orb ajuda um bocado, então o primeiro passo é instalá-lo:


Primeiro vamos baixar o Launcher, que você acessa aqui, ele vai estar no formato .iso.

Depois que o arquivo estiver baixado, você vai clicar com o botão direito em cima do arquivo e depois clicar em "Abrir com", e depois abrir com o "Gerenciador de Montagem de Disco".

Feito isso, vai aparecer uma janela dizendo que o "orb" contem um software que se inicia de forma automática e se você gostaria de executar ele. Click em "Run" ou "Executar".

Depois disso é só por a sua senha do sistema e esperar a instalação finalizar e está feito.


Como ter aplicativos portáteis através do ORB


E para acessar os apps portados para o formato .orb, você pode acessar aqui e baixar os que você quiser.

Diga para nós quais programas você gostaria de ver portado para esse novo formato. =)

Até a próxima, grande abraço!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Lançada nova versão do editor de vídeos OpenShot

Nenhum comentário

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Quem busca um editor de vídeos compacto e poderoso ao mesmo tempo, com interface intuitiva e multiplataforma, vai encontrar no OpenShot a opção perfeita. Ele é indicado para trabalhos domésticos e não tão profissionais, ainda que tenha diversas funções interessantes para quem produz trabalhos mais complexos, como integração com o Blender e Inkscape.

OpenShot 2.1




A equipe de desenvolvimento do OpenShot liberou uma nova atualização para o editor de vídeos. A versão 2.1 do OpenShot traz atualizações que corrigem bugs da versão passada e incluem o suporte para criar animações em 2D, o que pode ser muito interessante para a criação de vinhetas e outros componentes de vídeo, como "lower thirds" e outras coisas do tipo.


Aqui podemos ver um exemplo de animação feita com o OpenShot:


Para além disso, como você pôde ver no primeiro vídeo, alguns outros detalhes facilitam o worflow da edição, como chaves e interruptores deslizáveis na sessão de propriedades do arquivo, o ajuste da organização do programa entre o modo avançado e um mais simples que contenta todos o tipos de usuário também é interessante, apesar de não ser uma novidade.

Configurações de vistas do OpenShot

Download da versão mais recente do OpenShot


O OpenShot 2.1 é distribuído de duas formas, através de um PPA para o Ubuntu 14.04 LTS e superiores, e através do AppImage, que é um formato que roda em qualquer distribuição Linux. 

Para instalar via PPA no Ubuntu 14.04 ou superior basta usar estes comandos abaixo:


sudo add-apt-repository ppa:openshot.developers/ppa
sudo apt-get update
sudo apt-get install openshot-qt
Se você preferir baixar no modo AppImage, basta clicar no botão abaixo e fazer o download.

Particularmente, eu testei a versão em AppImage, e tudo funciona muito bem, mas aqui vai uma dica, o tema normalmente fica "errado", utilizando o tema que você usa no próprio sistema, para deixar a interface escura, você precisa ir até as configurações do OpenShot e mudar o tema dele manualmente.

Aproveite o programa!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo