Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador apt. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador apt. Mostrar todas as postagens

Comandos básicos para quem está chegando ao Arch Linux e Manjaro

Nenhum comentário

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Se você está chegando ao mundo Linux e está começando nele através do Arch Linux ou do Manjaro, esses comandos vão lhe ajudar e muito na sua jornada no sistema. Vamos falar do gerenciador de pacotes pacman.

Comandos básicos para quem está chegando ao Arch Linux e Manjaro






Esse artigo também serve para quem estiver vindo da base Debian/Ubuntu e está procurando os comandos equivalentes ao apt. Lembrando de sempre verificar se os comandos estão digitados da forma correta, para não haver falhas.


Vamos fazer em um “esqueminha de tabela”, onde em cima fica o(s) comando(s) base Debian/Ubuntu e em baixo fica os comandos para Arch Linux e Manjaro, fecho? Então bora lá.

Vamos começar pelo básico, que é atualizar os pacotes do sistema.

sudo apt-get update / sudo apt update              

pacman -Sy = sincroniza os repositórios.
pacman -Su = procura por atualização.
pacman -Syu = sincroniza os repositórios/procura por atualização.

Quando se precisa fazer uma atualização dos pacotes e das dependências:

sudo apt-get upgrade / sudo apt upgrade / sudo apt-get dist-upgrade / sudo apt full-upgrade

sudo pacman -Syyu = sincronização total/procura por atualização.
sudo pacman -Syy = sincroniza os repositórios do Manjaro Linux.


Quando precisamos procurar algum programa via terminal, utilizamos esses comandos:

apt-cache search nome_do_pacote  /  apt search nome_do_pacote

sudo pacman -Ss nome_do_pacote = procura por um pacote.

Feito isso, chegou a hora de instalar o(s) pacote(s), e é uma tarefa bem fácil. No Manjaro / Arch Linux tem uns “Plus”:

sudo apt-get install pacote / sudo apt-get install pacote 1 pacote 2 … / sudo apt-get install -y pacote / ainda sudo apt install pacote

sudo pacman -S nome_do_pacote = instala um pacote

sudo pacman -Sw nome_do_pacote = apenas baixa o pacote e não o instala.

Após encontrar o pacote desejado e instalado, caso queira  ver o “Sobre” ou “About” do pacote, usamos os seguintes comandos:

apt-cache show nome_do_pacote (mostrando o cache local dele) ou o apt show pacote

sudo pacman -Si nome_do_pacote = mostra informações de um pacote não instalado.

sudo pacman -Qi nome_do_pacote = mostra informações do pacote já instalado.

sudo pacman -Se nome_do_pacote = instala apenas as dependências.

Já na remoção de algum pacote, temos duas opções no Arch Linux / Manjaro, uma removendo somente o pacote ou removendo o pacote e suas dependências, os comandos são:

sudo pacman -R nome_do_pacote = remove um pacote.

sudo pacman -Rs nome_do_pacote = remove o pacote junto com as dependências não usadas por outros pacotes.

Se você precisar de mais parâmetros e ajuda, acesse diretamente no terminal, digitando pacman -h ou pacman --help ou acessando os links de ajuda da Wiki do Arch Linux, que alguns estão em inglês, mas nada que o Google Tradutor não ajude 😉, outros estão em português.

Links da Wiki do Arch Linux: Link 1 , Link 2 e Link com todos comandos detalhados.

Espero que esse guia básico tenha lhe ajudado. 😁😉

Confiram também o tutorial completo sobre Arch Linux que tem lá no canal, confiram abaixo

          

Ou se você preferir usar o pamac, mostramos ele no vídeo sobre o Manjaro

          

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


APT não será substituído pelo Snap no Ubuntu. Mas deveria?

Nenhum comentário

sábado, 23 de fevereiro de 2019

É evidente que nos últimos anos a Canonical, empresa por trás do Ubuntu, vem empregando esforços para popularidade de seu formato de pacotes, o Snap. Recentemente um usuário do Launchpad propôs uma ideia, na qual supostamente Mark Shuttleworth, criador do Ubuntu, “pareceu aprovar”.

apt-snap-ubuntu

Novos formatos de empacotamento estão ganhando mais e mais espaço no mundo Linux, a ideia de tornar o sistema à parte de suas aplicações, e assegurar atualizações de pacotes sem o risco de quebrar o sistema, tem atraído muitos usuários, além da praticidade de não se preocupar com erros de dependências.

No cenário atual 3 alternativas estão em alta, o Flatpak, Snap e AppImage, não existe uma métrica para saber qual é o formato mais adotado, ficando apenas no campo da especulação e observação, porém é notório que diversas distribuições estão trazendo o Flatpak por default, enquanto o Snap parece fazer sucesso entre empresas, a exemplo o Spotify e Microsoft. 

Snap no lugar do APT


Por ser “filho do Debian”, o Ubuntu herda diversas características do sistema na qual é baseado, e seu gestor de pacotes o APT é uma destas características. 

No Launchpad da Canonical, site utilizado para diversas rotinas do Ubuntu como: gerenciamento de pacotes, registro de bugs, traduções, times de desenvolvimento, etc; Um usuário, sugeriu que o APT poderia ser substituído pelo Snap, e observou alguns pontos interessantes.

Segundo ele, gerenciadores de pacotes como o APT, em algumas ocasiões podem ser difíceis de configurar, e nem sempre possibilitando a atualização de uma nova versão por conta do risco de pacotes quebrados, logo o Snap seria um ótimo substituto, afinal para atualizar todo um sistema para uma nova versão, bastaria um simples “sudo snap install versão-do-ubuntu”, sem riscos de quebras de pacotes. As atualizações seriam mais dinâmicas, possibilitando updates de softwares e do próprio sistema, sem a necessidade de incomodar o usuário, pois mesmo em segundo plano tais mudanças não afetariam o uso do SO.

Porém, devemos lembrar que para isso, a adoção do Snap deve ser maior, programas como o QT Creator, Google Chrome, ainda não existem neste formato, e mesmo possuindo diversos apps como o Firefox, Telegram, WPS Office entre outros, o número ainda é inferior comparado aos formatos tradicionais de distribuição de programas. 

Mudança do apt para o Snap em definitivo é Fake


Toda essa história não passa de uma fake news, isso mesmo, no mundo da tecnologia existem pessoas dispostas a disseminar falácias como verdade.

Alan Pope um dos membros da equipe da comunidade do Ubuntu veio a público através do Twitter para pronunciar-se sobre o assunto, ele explica que qualquer um pode criar uma conta no Launchpad e criar “blueprints” (que são essas sugestões), e que isso é uma parte da comunicação entre Ubuntu e sua comunidade, entretanto a equipe do Ubuntu usa essas sugestões como uma ferramenta de planejamento, apesar disso, isso não significa que o APT será substituído pelo Snap, afinal, nem toda as sugestões são acatadas.

E se isso fosse verdade?


Hipoteticamente sem o APT no Ubuntu, o sistema da Canonical poderia se tornar “um híbrido” de rolling release com o atual modelo, contudo sem exigir a formatação do sistema a cada LTS, mesmo que mantivesse essa lógica de funcionamento.

Caso essa decisão fosse precipitada, inúmeros apps poderiam estar fora dos repositórios do Ubuntu, prejudicando seus usuários, talvez Mark esteja esperando a hora certa para dar ”um passo de cada vez”. 

A tecnologia evolui, e quem não acompanha pode ficar desorientado em meio às novidades e avanços na gestão e desenvolvimento de softwares, soluções como OStree e o swupd, inegavelmente são o futuro (e por que não o presente?), do gerenciamento de atualizações. 

Tais tecnologias trazem vantagens e eliminam os riscos de erros e quebras de sistema durante as atualizações, garantindo uma infra-estrutura imutável e confiável, sistemas como Endless OS, Clear Linux e o Fedora Silverblue, valem-se de tais tecnologias e muitos profissionais atestam que assim como os contêineres, esse formato será o padrão do mercado. 

Infelizmente ou felizmente (depende do teu ponto de vista 😂😂😂) essa história não passou de uma fake news.

Em pleno 2019, as notícias falsas ou desatualizadas e tidas como atuais, estão se tornando rotina no mundo da tecnologia, a melhor coisa que você pode fazer ao se deparar com algo do gênero é: “Sair no Facebook e Twitter espalhando para geral!?”, claro que não! Simplesmente ignore e não faça marketing para tais conteúdos. Esse post foi apenas uma forma de demonstrar como tais boatos se espalham, e lhe dar um conselho para não compartilhar tais notícias. 

Não estamos livres em cair em eventuais histórias da Carochinha, todos somos fadados ao erro, então ao ver uma matéria falando asneira e espalhando fake news, a melhor coisa a se fazer é mandá-la para o limbo, não comente ou repasse, deixe que a desinformação “morra na praia”. 

E você o que acha de toda essa história de fake news no mundo Linux? Seria uma possibilidade o APT ser substituído no Ubuntu? Ou acha que foi uma “viagem na batatinha”?

Deixe nos comentários sua opinião, claro, respeitando o posicionamento alheio.

Até o próximo post, te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Qual diferença entre "apt" e "apt-get"? Saiba agora!

Nenhum comentário

quinta-feira, 30 de junho de 2016

As versões mais recentes do Ubuntu também trouxeram uma novidade que não foi notada por muitos, o comando "apt-get", comumente utilizado para manipular pacotes no sistema, foi simplificado para um simples "apt", porém, o que muitos não sabem é que eles não são exatamente iguais.

diferença entre apt e apt-get




O apt é a nossa boa e velha ferramenta para manipulação de pacotes; um dos vídeos mais vistos do canal do Diolinux é este logo abaixo, onde nós mostramos como usar as funções básicas dele para gerenciar pacotes no seu Ubuntu ou derivado:


No Ubuntu 16.04 LTS o comando "apt-get", comumente utilizado, acabou ganhando um "novo amigo", uma versão simplificada e com alguns recursos a mais, o "apt".

Funciona assim:

Diferença entre apt e apt-get

Viu como é simples? A expressão "apt" simplesmente substitui o "apt-get", e mesmo em alguns casos onde o comando não existe, o "apt" chama o "apt-get", então no caso do exemplo acima:
sudo apt-get autoclean
Se você digitar "sudo apt auto..." e pressionar tab, o comando não será encontrado, porém, se você digitar ele completamente "sudo apt autoclean", ele vai funcionar normalmente. 

Mas não foi apenas essa simplificação que ocorreu, o comando "apt" também trouxe alguns recursos interessantes que poucos sabem, as ferramentas incluem os seguintes parâmetros:

sudo apt list nomedopacote Lista os pacotes baseado no nome digitado

sudo apt search nomedopacote – Pesquisa pacotes através da sua descrição

sudo apt show nomedopacote – Mostra os detalhes do pacote

sudo apt updateAtualiza a lista de pacotes disponíveis

sudo apt install nomedopacoteInstala o pacote com o nome informado


sudo apt remove nomedopacote – Remove o pacote com o nome informado 

sudo apt upgrade – Atualiza o sistema través de instalação/atualização de pacotes

sudo apt full-upgradeAtualiza o nosso sistema através da remoção, instalação e atualização de pacotes

sudo apt edit-sources – Edita o arquivo sources.list te sugerindo opções de editores instalados

Estas são as principais funções, mas você encontrar mais detalhes consultando o manual dele através do comando: man apt

Apt - uma simplificação de ferramenta


Agora que você já sabe do "apt" não se espante se começar a ver tutoriais que o utilizem ao invés do "apt-get", eles são basicamente a mesma coisa, sendo que o "apt" consegue interpretar tudo o que seria utilizado através do "apt-get" e ainda te dá algumas possibilidades a mais.

Bom proveito. :)

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




4 recursos do Apt-get que você não conhece

Nenhum comentário

terça-feira, 12 de maio de 2015

O apt é o gerenciador de pacotes das distribuições baseadas em Debian e isso inclui o Ubuntu e seus derivados, vamos aprender umas coisas novas sobre ele?

Dicas de comandos apt

Dicas para você utilizar com o comando APT


O terminal Linux é muito versátil e o APT também é, boa parte dos usuários conhece só "feijão com arroz" do apt: apt-get install, apt-get update, apt-get upgrade, apt-get remove, etc. 

Com isso você já deve conseguir fazer o básico mas existem algumas coisas bem interessantes para você saber que podem facilitar a sua vida.

Veja também:
Vídeo de comandos no terminal no Ubuntu para iniciantes
Então veja agora 4 parâmetros do apt-get que fazem coisas muito interessantes:

1 - Fazendo apenas o download de um pacote


Download de pacotes deb


sudo apt-get install programa -d

Seguindo o mesmo padrão para instalar qualquer programa o parâmetro -d no final do comando faz com que os pacotes sejam apenas baixados e não instalados. Isso pode ser útil se você quer baixar apenas os pacotes .deb para instalar posteriormente ou em outro computador.

Os arquivos que você baixar ficarão no diretório /var/cache/apt/archives

Um exemplo:
sudo apt-get install inkscape -d
Desta forma você baixará o .deb do Inkscape para o Ubuntu mas não vai instalá-lo.

2 - Simulando uma instalação


Simulação


sudo apt-get install programa -s

O parâmetro -s ao final do comando permite que você faça uma instalação simulada, assim você pode observar tudo o que aconteceria no comando sem que ele efetivamente ocorra, é bem interessante.

3 - Instalando programa sem precisar dizer "sim"


Sim senhor!


sudo apt-get install programa -y 

Este é até interessante explicar,  usamos muito ele aqui nos tutoriais do Diolinux, o parâmetro -y no final do comando assume que a resposta para qualquer pergunta que o comando exija seja "sim".

Normalmente ao dar um comando do tipo "sudo apt-get install inkscape" (para seguir o exemplo), após pressionar a tecla "enter" e digitar a sua senha será pedido para você pressionar a tecla "s" ou "y" para prosseguir com a instalação, usando este -y no final do comando isso não será pedido.

4 - Corrigindo pacotes quebrados


Copos quebrados


sudo apt-get install -f

Diferente dos exemplos anteriores este pode ser usando exatamente assim: sudo apt-get install -f . Ele tem o objetivo de corrigir possíveis pacotes quebrados que são resultado de uma queda de energia durante uma instalação ou a instalação de um programa instável que possa ter causado problemas.


E aí, curtiu as dicas? Então compartilhe :)

Até a próxima!


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Como resolver problema de atualização no Ubuntu

Nenhum comentário

terça-feira, 12 de agosto de 2014

"Não foi possível obter trava... / Impossível criar acesso exclusivo ao diretório"


Este é um erro meio chato que pode acontecer no Ubuntu quando uma atualização é cancelada de maneira abrupta, ou quando você estava usando a Central de Programas para instalar um Software e tenta fazer uma outra instalação pelo terminal, normalmente o erro traz as seguintes mensagens:

Problemas de atualização do Ubuntu



- Não foi possível obter trava /var/lib/apt/lists/lock - open (11: Resource temporarity unavaliable)

- Impossível criar acesso exclusivo ao diretório/var/lib/apt/lists/ - open (11: Resource temporarity unavaliable)

- Não foi possível obter acesso exclusivo ao diretório de administração (/var/lib/dpkg/), outro processo está a utilizá-lo?

Esse problema é bem simples de se resolver, mas como a ideia é ensinar você o porque das coisas também, primeiramente vamos a explicação.

Por isso acontece?


Esse problema ocorre quando dois gerenciadores de pacotes, por exemplo, Central de Programas e Apt-Get pelo terminal, estão em execução e você fecha abruptamente um deles, fazendo com que o arquivo "lock" que é criado para permitir apenas a instalação de um software por vez não seja eliminado, assim quando você tentar atualizar ou instalar alguma coisa o APT (gerenciador de pacotes) acha que o Ubuntu ainda está instalando/atualizando alguma coisa.

O Ubuntu permite apenas a instalação de um software por vez, como a maioria dos sistemas, isso acontece como uma medida preventiva para não haver quebra de dependências de pacote.

Assim como o Windows usa as DLLs compartilhadas entre aplicativos o Linux também faz isso com as suas bibliotecas, só que de uma maneira muito mais aprimorada, expliquei melhor isso neste artigo, e a melhor maneira de manter o sistema sem quebras de bibliotecas é instalar um software por vez.

Resolvendo o Problema


Normalmente se você fizer logoff ( encerrar a sessão) e entrar novamente ou reiniciar o PC o problema vai-se embora, mas se você não quiser reiniciar tudo o que você precisa fazer é remover o arquivo "lock".

Removendo trava lock

sudo rm /var/lib/apt/lists/lock
E tente atualizar o sistema:

sudo apt-get update 

Caso o problema persista remova os "locks" dos outros diretórios também:

sudo rm /var/lib/dpkg/lock

E tente atualizar novamente, agora provavelmente o sistema já vai atualizar e instalar programas normalmente.

Atualização do Sistema Ubuntu

É isso aí, ajude a espalhar o conhecimento compartilhando este artigo nas suas redes sociais favoritas, você pode usar os botões abaixo para fazer isso. =)

Até a próxima!

Apt-Build: Instalar pacotes compilados para o seu processador de maneira simples no Ubuntu

Nenhum comentário

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Instale os pacotes compilados e otimizados para o seu processador

Muitos usuários passam boa parte do seu dia tentando otimizar o sistema ao máximo, se você usa o Ubuntu uma das maneira de otimizar o seu sistema é seguir as nossas dicas, outra forma de fazer isso é compilar os pacotes dos programas para o seu processador, mas isso toma tempo e conhecimento e se você não é um usuário avançado ( e não tem a obrigação de ser ) e quer tentar otimizar um pouco as coisas o apt-build foi feito para você.

Configurando o apt-build

O Apt-Build é um utilitário que possibilita a configuração dos pacotes para a arquitetura do seu processador, vamos instalar e ver como funciona.

Para instalar é muito simples, ele está nos repositórios do Ubuntu e você instala ele usando este comando:
sudo apt-get install apt-build



Para saber informações sobre o seu processador use o comando:
cat /proc/cpuinfo

Depois de instalar o programa ele irá lhe fazer alguns questionamentos na primeira tela da configuração, ele vai simplesmente perguntar onde os pacotes baixados devem ficar armazenados, você pode escolher o padrão: /var/cache/apt-build/build.

A pergunta seguinte é onde os pacotes vão ficar guardados depois que eles forem compilados. Também pode-se escolher o padrão: /var/cache/apt-build/repository.

O passo seguinte é um dos mais interessantes. Ele vai perguntar qual é o nível de otimização da compilação. Existem 3 níveis: O "Baixo", onde a compilação é rápida, porém mais genérica, quer dizer, o programa compilado tende a ficar mais lento. O "Médio" onde a compilação é mais específica, mais demorada, mas o programa instalado roda bem mais limpo e o "Forte", onde o tempo de compilação é bem maior mas o programa roda muito leve e muito rápido, esse nível é tão extremo que em alguns casos a compilação pode encontrar problemas. Eu estou usando o nível médio em meu computador.

O passo seguinte configura o apt-get para instalar os pacotes criados pelo apt-build, basta aceitar a opção padrão que é Sim e seguir para o passo seguinte. Caso você tenha alguma opçao que queira colocar no GCC, pode-se colocar nesse passo. Caso voce não tenha nada a ser acrescentado (o padrão de quase todo mundo) basta seguir em frente sem colocar nada. De ok e siga para passo seguinte onde a mesma pergunta será feita, mas dessa vez para omake. Basta seguir em frente do mesmo jeito e ir para o próximo passo.

O passo seguinte também exige muita atenção por que ele vai perguntar qual é o seu tipo de processador. É importante que essa pergunta seja muito bem respondida por que a compilação vai ser voltada para se encaixar ao processador escolhido aí. Logo, se um processador diferente do seu computador for escolhido, você poderá ter problemas no futuro ao executar os seus programas instalados.

Depois disso, seu programa estará instalado! Agora é só usar.

Usando o Apt-Build

O apt-build funciona da mesma forma que o apt-get convencional, mas antes de instalar qualquer programa atualize as listas de software:
sudo apt-build update
Agora vamos mostrar alguns exemplos de comandos que você pode utilizar:
sudo apt-build install programa
Instale um programa qualquer, basta substituir o nome "programa" no comando pelo nome do pacote.
sudo apt-build install --reinstall programa 
Reinstala um programa já instalado.
sudo apt-build upgrade
Faz upgrade de todos os pacotes instalados.
sudo apt-build world
Recompila todo o seu sistema, essa opção demora pra caramba!
sudo apt-build source programa
Baixa o código fonte e descompacta, mas não compila nem instala, útil para você desenvolvedor baixar o código fonte dos programas para estudar.
sudo apt-build remove programa
Desinstala o programa em questão.
sudo apt-build clean-build
Apaga os pacotes compilados.
sudo apt-build clean-sources
Limpa o cache de aplicativos.

Acho que com isso você conseguirá se virar bem com o Apt-Build, caso queira fazer alguma configuração no programa apt-build o seu arquivo de configuração pode ser acessado com o comando:
 sudo gedit /etc/apt/apt-build.conf
Pelos testes que fiz alguns programas não compilaram por falta de alguma dependência, basta satisfazer elas para que funcione, outros programas são compilados normalmente.


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Apt-Fast: Instale pacotes mais rapidamente no Ubuntu

Nenhum comentário

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Acelere os downloads de pacotes com o Apt-Fast

O Apt é o "mago dos pacotes" das distros baseadas no Debian, pesquisando em fóruns e em sites como este aqui na internet você provavelmente encontrara muitos tutoriais utilizando o apt-get para instalar novos programas no Ubuntu, no Debian, no Linux Mint e todos os derivados.

Apt-Fast no Ubuntu


O APT é muito inteligente e eficaz mas pode ficar um pouco lento quando o servidor de onde você está baixando as atualizações ou programas está muito sobrecarregado ou com algum problema de tráfego fazendo com que a atualização do sistema demore muito para acontecer; para melhorar um pouco essa situação é que existe o Apt-Fast.

Apt-Fast

O Apt-Fast é um utilitário do Apt que permite que você baixe os pacotes de vários servidores diferentes ( lembrando um pouco o sistema torrent ), assim se um servidor estiver lento você conseguirá baixar os pacotes de outro diminuindo consideravelmente o tempo de download; em países como o Brasil onde a internet é consideravelmente mais lenta ( e cara ) que o resto do mundo, o apt-fast se torna mais útil ainda.

Você pode instalar o Apt-Fast com os comandos abaixo:

sudo add-apt-repository ppa:apt-fast/stable 
sudo apt-get update 
sudo apt-get install apt-fast

Enquanto estiver instalado o software vai pedir para você definir de quantos servidores no máximo você quer baixar atualizações ( imagem acima ), o padrão é cinco  e eu deixei este valor mesmo, mas fique à vontade para alterar.

Open Arena sendo baixado pelo Apt-Fast

Para usar o apt-fast é muito simples e o comando é semelhante ao apt-get, por exemplo vamos instalar o jogo Open Arena:

sudo apt-fast install openarena
Resumidamente:

sudo apt-fast install nome_do_pacote
Você pode reconfigurar o Apt-Fast se quiser usando o comando:
sudo dpkg-reconfigure apt-fast
Observação: Apesar de parecer óbvio eu vou comentar, não é possível usar o apt-fast para desinstalar programas, ele é um utilitário para download e sua característica é baixar mais rapidamente pacotes e não desinstalá-los.

Até a próxima dica!


Compartilhe para mostrar aos seus amigos



Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como limitar a velocidade de download e upload do APT no Ubuntu/Mint

Nenhum comentário

quarta-feira, 10 de outubro de 2012



Aprenda a limitar a taxa de download do gerenciador de pacotes APT

Algumas vezes já me deparei com essa situação, estava atualizando algum pacote no Ubuntu, ou baixando um novo programa e não conseguia ter um carregamento satisfatório de outras páginas, como vídeos no YouTube por exemplo.
O APT é ótimo, não é esse o mérito da discussão, mas que ele é um pouco consumista no sentido de roubar banda de internet também é verdade, bom seria se pudéssemos limitar a taxa de download para que não seja usada a banda de internet toda numa atualização.
Como a pressa é sua, e no Linux tudo é passível de configuração, surge aí uma aplicação chamada Trickle.


Para instalar no Ubuntu

No terminal, faça:


sudo apt-get -y install trickle
Com o programa instalado você pode usá-lo para definir o tráfego máximo que o APT vai utilizar para baixar e atualizar os pacotes.

Exemplos:

sudo trickle -s -d 60 apt-get update
Use está sintaxe para que a taxa de download seja de 60

ou

sudo trickle -s -d 60 apt-get dist-upgrade
ou

sudo trickle -s -d 60 apt-get upgrade
Mais um exemplo

sudo trickle -s -u 45 -d 45 apt-get install pidgin
Repare no parâmetro "-u" refere-se a taxa de "upload" e "-d" a taxa de "download"

Você também pode usar o trickle com o Wget, por exemplo:

trickle -d 70 wget http://releases.ubuntu.com/12.10/ubuntu-12.10-beta2-desktop-i386.iso
Caso tenha alguma dúvida, você pode consultar o manual do software através do comando HELP

trickle --help

Fonte


Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...

              Twitter Diolinux@blogdiolinux   Facebook  blogdiolinux  Twitter Diolinux@dionatanvs   Google Plus Circule do Google +

Dicas de comandos APT

Nenhum comentário

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Adesivo Apt-get a life

Se você usa uma distro baseada em Debian ou Ubuntu com toda a certeza já se deparou com o incrível sistema de gerenciamento de pacotes chamado APT, o APT ( Advanced Packaging Tool) é responsável pelo gerenciamento de muitas distros do mundo Linux, toda vez que você instala um programa no Ubuntu ou derivado pela central de programas você está usando o APT, para as pessoas que tem pouco mais de intimidade com o terminal o termo "sudo apt-...." é corriqueiro não é verdade?
Vou trazer aqui, alguns dos principais parâmetros do APT para ser usado via terminal, são eles:


sudo apt-get update / / atualizar o banco de dados
sudo apt-get install pacote / / instalar um pacote
sudo apt-get remove pacote / / remover um pacote
sudo apt-get autoclean / / limpa o cache apt
apt-cache search nome_do_pacote / pesquisa e lista os pacotes disponíveis para instalação
sudo apt-get autoremove // limpa os pacotes desnecessários
sudo apt-get upgrade // atualiza os softwares
sudo apt-get dist-upgrade // atualiza principais componentes da distro

Se você conhece mais algum comando compartilhe conosco através dos comentários. Valeu galera!


Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo