Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador artful. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador artful. Mostrar todas as postagens

Canonical lança o Ubuntu 17.10.1

Nenhum comentário

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Esta é uma das raras vezes que a Canonical lança uma atualização na numeração do Ubuntu em versões intermediárias as LTS. Para evitar problemas com os Notebooks da Lenovo, como mencionamos neste artigo, agora existe o Ubuntu 17.10.1.

Ubuntu 17.10.1 é lançado






Por conta do problema com as BIOS dos Notebooks Lenovo (principalmente), a Canonical acabou tirando do ar o link para download do Ubuntu 17.10 Artful Aardvark. Agora que o problema foi corrigido, ele voltou sob uma nova numeração, 17.10.1.

O problema parecia estar relacionado ao "Intel Serial Peripheral Interface (SPI)"; - pois é, muitos problemas relacionadas a Intel neste início de ano - que foi completamente ajustado, evitando o problema de BIOS corrompidas. No entanto, a correção lançada pela Canonical para Meltdown e Spectre não está incluída na ISO, sendo assim, você ainda terá atualizações a fazer assim que instalar o Ubuntu 17.10.1.

Existem novas imagens para o Ubuntu 17.10.1 para Desktop, Servidores e certamente você encontrará novas ISOs para os derivados do Ubuntu que se baseiam nesta versão, clique aqui para baixar as novas imagens.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Lançado Ubuntu 17.10 Artful Aardvark, faça o download agora!

Nenhum comentário

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

A versão mais "diferente" do Ubuntu nos últimos anos acabou de sair. Depois de aproximadamente 6 meses de desenvolvimento, o Ubuntu 17.10 Artful Aarvark está disponível para download gratuito, confira as novidades:

Ubuntu 17.10 Download





Essa certamente é uma edição marcante do Ubuntu, assim como foi a 11.04 (uma das primeiras que usei), que trouxe o ambiente Unity pela primeira vez para o sistema, a versão 17.10 marca a volta do ambiente GNOME para o Ubuntu.

Se você acompanha o canal e o blog com frequência deve ter visto que cobrimos as principais novidades da versão, se você não viu e vai baixar o sistema pela primeira vez depois de usar por dois anos o Ubuntu 16.04 LTS, amigo...  (ou amiga), você terá uma grande "surpresa"!


A nova aparência


O GNOME Shell é o mesmo que você encontra em outras distros, como Fedora, Manjaro, Debian, etc., no entanto ele tem um visual um pouco diferente por conta da temática e de algumas extensões.

Ubuntu 17.10

Não entenda mal, continua sendo o GNOME Shell, mas ele tem um "feel" de Unity ainda. Isso deve acontecido devido a pesquisas que a Canonical fez com os usuários para que os mesmos se manifestassem quanto a extensões para o GNOME Shell e características que gostariam de ver no novo Ubuntu.

O resultado disso foi um GNOME Shell que tem uma barra translúcida na esquerda da tela (que pode ser mudada para baixo ou para a direita), que lembra um pouco a aparência do Unity, mas com o lançador na parte inferior, ao invés de em cima, como era na antiga interface padrão. Falando ainda desta barra, ela contém contadores e barras de progresso sob os ícones que indicam que alguma tarefa está em andamento, como uma atualização, um download ou uma movimentação de arquivos.

Na parte superior do painel nós temos um adaptação para que sejam exibidos os indicadores na barra superior, o GNOME Shell por padrão os mostrava no canto esquerdo inferior (lugar estranho!), fazendo com a experiência de uso seja, novamente, mais semelhante ao que tínhamos com o Unity.


Os temas "Ambiance" e "Radiance" foram adaptados para o GNOME Shell (que agora está na versão mais recente atualmente, a 3.26). Entretanto, apesar de ter "ficado com cara de Ubuntu", eu percebi que estes temas não possuem aquela variação escura que o tema Adawaita, padrão do GNOME, possui, o que impede que determinadas aplicações mudem o seu visual. Fora isso, bem, a crítica de muitos anos, o tema precisa ser atualizado. Quer um exemplo que nem precisa de tanto esforço para compreenção?

-  Este é o Ubuntu 17.10 original com o tema GTK "Ambiance" e ícones "Ubuntu Mono Dark".


-  Este é o Ubuntu 17.10 com o tema GTK alternativo de cores mais claras, "Radiance" e ícones "Ubuntu Mono Light".


E que tal se fosse assim?

Tema Ubuntu

Eu sei, bem melhor, né? Este é o tema "United Darker" em conjunto com o tema de ícones "Diolinux Paper Orange", que eu modifiquei à partir do tema Paper. Aliás, se você adicionar a extensão ao GNOME Shell que permite que você carregue temas para o Shell do seu diretório pessoal e colocar o United nele também, ele fica bem parecido com o visual do Unity 8 para tablets, se liga só:

Ubuntu 17.10 tema United

Confira no vídeo mais detalhes sobre o tema do Ubuntu, incluindo a tela de Login:



Mas agora chega de falar dos temas, o Ubuntu 17.10 traz muitas coisas novas também no sistema operacional em si.

Um novo GNOME, com novos recursos


Agora que o Ubuntu voltou a usar um GNOME "mais puro", se comparado ao Unity, os desenvolvedores do Ubuntu GNOME e os da Canonical se juntaram ao time de desenvolvimento do próprio GNOME, criando uma comunidade maior, de modo que os benefícios, modificações e novidades que o projeto GNOME Shell introduzir no GNOME padrão, o que podemos chamar de "GNOME Vanilla", em tese, o Ubuntu deve aproveitar também (assim como todas as distros). 

Antigamente os patches que eram aplicados nos softwares GNOME que rodam no Unity inviabilizavam o sistema de ter as últimas versões desses aplicativos, com um desktop "full GNOME", esse problema não existe mais e o Ubuntu deve se manter sempre atualizado em relação a isso. Uma das novidades que chegaram no GNOME 3.26 (que acompanha a distro) é o novo painel de configurações, confira:


Esse novo visual dividiu opiniões, mas no fim das contas, até o novo KDE Plasma 5.11 aderiu a ele, então... paciência.

Tivemos novas implementações da GNOME Software, ou simplesmente "Programas", como é traduzido em português do Brasil, ou ainda, loja de aplicativos, como todo mundo chama. Nela você encontra os pacotes Snap, que crescem em variedade e qualidade a cada mês, para poder instalar à um clique de distância (literalmente) e que agora não exigem mais login na Snap Store. Ativar suporte aos pacotes FlatkPak é igualmente simples, basta ativar um plugin na própria GNOME Software.

- Saiba mais sobre os Snaps e como eles podem mudar a vida de todas as distros.

- Talvez você se interesse também em ler sobre os pacotes flatpak.

Dentro da GNOME Software eu gostaria de chamar a atenção para uma categoria específica que já existe há algum tempo, mas raramente vejo alguém comentado, a sessão "complementos".

Ubuntu Gnome Software 17.10

Clicando nessa opção você tem uma série de coisas interessantes:

1 - Um local para instalar codecs de áudio e vídeo de forma simples, basta clicar neles e clicar no botão "instalar".


2 - Um gerenciador de drivers (Yeah baby!) que, by the way, me mostrou um driver Intel que eu poderia instalar no meu Ultrabook que nunca tinha mostrado antes. Bacana.


Aqui vale observar também que apesar de ser possível instalar drivers por aqui (aparentemente), o aplicativo tradicional do Ubuntu de gerenciamento de drivers, repositórios, e PPAs em modo gráfico continua no sistema, basta procurar no Dash por "Programas e atualizações", ou clicar em "Programas" na barra superior quando a central de aplicativos estiver aberta e ir para a mesma opção.

3 - Temos também um local para você configurar as extensões do GNOME sem precisar o GNOME Tweak Tool. Esse modo te dá muito menos opções de configurações, então caso você queira "fazer um estrago", é melhor utilizar o GNOME Tweak Tool ainda.

Desta três extensões abaixo, as primeiras duas são nativas do Ubuntu e criam o comportamento da Dock que originalmente fica do lado esquerdo e os ícones indicadores que eu comentei mais acima no artigo.


4 - Você também pode gerenciar fontes por aqui, instalar algumas, remover outras. É um recurso bacana, sem dúvida. Ainda não muito completo, mas é um começo.


Vale mencionar que o aplicativo "fontes" continua vindo com o sistema, então você pode instalar fontes que você baixar da internet por ele como sempre fez.

Aplicativo de fontes do Ubuntu

5 - Temos também uma forma simples de instalar novos métodos de entrada de teclado. Algo que raramente mechemos no dia a dia, pois o sistema tente a ajustar estas funções na própria instalação, mas, aqui está caso você queira brincar com isso.


Debaixo do capô


Depois disso, podemos descer mais ao nível "molecular da coisa". O novo Ubuntu vem com Kernel Linux 4.13.x, Mesa 17.2.x, driver Nvidia 384.x (com outros para placas diferentes, como o 375), Snapd 2.28.x, AMDGPU 1.4 (que acompanha o X.org), driver Intel 1.8.3.x para placas HD Graphics e versão 2:2.99.x para chips mais antigos.

Apesar do driver Nvidia ser relativamente novo, eu utilizo e recomendo o PPA de drivers Nvidia para quem quiser ter sempre acesso a última versão assim que ela for lançada e até mesmo a drivers beta para fazer testes. Minha GTX 1060 agradece.

Outra coisa importante para você saber é que essa versão do Ubuntu já não terá mais suporte para arquiteturas de processadores de 32 bits, ou seja, se você pretende usar o Ubuntu em processadores antigos, o Ubuntu 16.04 LTS continua sendo a sua opção até 2021. No entanto, alguns flavors oficiais do Ubuntu ainda continuarão lançando ISOs de 32 bits, como o Lubuntu, Xubuntu, Kubuntu, Ubuntu MATE e Ubuntu Budgie, o Ubuntu Server já é só 64 bits, mas possui também suporte para arquiteturas ARM64 e PPC64el. 

Esse tipo de mudança é natural, conforme o tempo passa até mesmo os computadores "antigos" serão 64 bits, contudo, algumas distribuições que tem foco em rodar em computadores "realmente antigos" deverão manter o suporte, o Lubuntu, entre outras, é uma forte candidato a isso, e nós sabemos o quão milagroso o Lubuntu pode ser.

Outro demonstrativo legal pra você ver é este da utilização em telas touch screen. Isso mostra o quanto o Kernel do Ubuntu (e o GNOME Shell) estão consideravelmente bem em suportar hardware que não foi especificamente desenvolvido para eles:


Por último, mas não menos importante, agora nós temos o servidor gráfico Wayland no lugar do X.org como padrão, exatamente, como padrão! Mas não se incomode, como mostrei nos vídeos anteriores, você pode facilmente mudar de um para o outro diretamente na tela de login do Ubuntu através de um ícone de engrenagem. 

E por que você mudaria?

 Bom, a verdade é que o Wayland ainda não é maduro o suficiente para lidar com algumas aplicações, que podem simplesmente não abrir, mas acima de tudo, se você precisa de drivers proprietários, como os da Nvidia, há uma grande chance do Wayland não funcionar ainda, pra isso o bom e velho X.org está lá. Aliás, se você instalar um destes drivers o próprio Ubuntu vai remover a sessão Wayland da tela de login para evitar que você tenha problemas.

Outra pergunta inevitável é: Se o Wayland ainda não está plenamente funcional, por que colocar ele na distro? Ainda mais como padrão!

Eu te explico: O Ubuntu 17.10 faz parte do que a gente pode chamar de versões transicionais entre as versões de longo suporte, também conhecidas pelo termo de LTS (Long Term Support), essas versões intermediárias tem suporte reduzido (8 meses) se comparado com as LTS (que tem 5 fucking anos!), nestas versões são normalmente testadas novas tecnologias que podem (ou não) ser implementadas nas futuras LTS.

A próxima LTS do Ubuntu sai em Abril de 2018, o Ubuntu 18.04 LTS ainda não tem um nome, mas ele será a primeira LTS que virá com GNOME Shell e como as mudanças foram muito drásticas, é melhor testar muito. Se  você quer uma LTS mais sólida, ajude a testar o Ubuntu 17.10 e reporte bugs. Pode ser que essa fase intensiva de testes onde muitas pessoas vão tentar utilizar o Wayland ajude ele a evoluir mais rápido, o que é bom para todas as distros, não somente o Ubuntu.

E o Unity?


Ele foi deixado parcialmente de lado. O Unity funciona de uma forma diferente do GNOME Shell, usa outro compositor de janelas, o Compiz, e depende de uma série de ajustes (que não serão feitos provavelmente) para adaptar a interface ao novo GTK do GNOME que a versão padrão agora usa. Isso permite que quem quiser possa instalar o Unity através do repositório, mas também indica que experiência não vai ser tão polida.

Não vejo muito interesse em torno disso, mas daqui a pouco pode ser que exista uma versão "Remix" do Ubuntu com Unity, assim como temos com outras interfaces, como o XFCE, KDE Plasma, etc.

Será que seria o nascimento do "UUbuntu" (bizarro)? :D Provavelmente se tiver vai ser Ubuntu Unity, ou Ubuntu Unity Remix.

Apesar dos pesares, a árvore do projeto Unity tem dois galhos. Um se refere ao Unity 7 que utiliza o Compiz, o outro é o Unity 8, feito pensado na convergência entre dispositivos e praticamente escrito todo com Qt, ao invés de GTK, esse ganhou um apoio mais forte da comunidade por ser utilizável em Smartphones e segue através de um fork/continuação chamado Yunit, então se você tem interesse do Unity 8, fique ligado neste projeto.

Download


Agora que você já sabe tudo que é preciso saber sobre essa nova versão, é hora de baixar o novo Ubuntu 17.10 Artful Aarvark. O download do sistema está disponível apenas para máquinas de 64 bits em download direto ou torrent com todas as novidades comentadas. Aproveite:

Baixe também (32 e 64 bits, download direto e torrent):

- Ubuntu Server 17.10
- ISOs com código fonte do Ubuntu

Mais downloads aqui (incluindo torrent).

Agora é a sua vez de participar!

Se não for pedir muito, compartilhe este artigo (que deu uma trabalheira para produzir) com os seus amigos e interessados, teste o novo Ubuntu e nos diga o que achou nos comentários abaixo.

Quais as características que você mais gostou? Quais você não curtiu? Participe!

Até a próxima e bons downloads.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Novo pack de Wallpapers do Ubuntu 17.10 é liberado e agora "acertaram" no design

Nenhum comentário

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Eu sei que existem pessoas que não dão a mínima para estes detalhes, afinal, basta trocar o papel de parede que vem por padrão se não gostar, certo? Certo. Entretanto, eu acredito que o "diabo está no detalhes" e um simples wallpaper bem feito ajuda a compor a identidade visual do sistema, vide as "sierras" no macOS, ou a "Window" cheia de luz no Windows 10.

Wallpaper Ubuntu 17.10






Nos últimos anos tivemos uma "enxurrada de falta de criatividade com padronização", na maior parte das vezes tivemos figuras geométrica que lembravam origamis, com aquele tradicional degradê de cores. Querendo ou não, a cor acabou criando uma identidade visual, assim quando você via um computador por aí com um papel de parede daquela forma você sabia que era o Ubuntu rodando ali, eu digo e repito, identidade visual é importante, ajuda no marketing.

O problema é que ao mesmo tempo que essa identidade foi construída, a falta de mudanças, tanto no Unity, quanto no design do sistema, com ícones e tema GTK, quanto nos próprios papéis de parede acabaram deixando o design do Ubuntu um tanto quanto "chato", criando um verdadeiro ecossistema de temas de todos os tipos para personalizar a distro.

O novo Wallpaper


O novo Wallpaper do Ubuntu



O novo design mescla algumas características das versões (bem) antigas do Ubuntu e mantém um pouco do design atual, dando um toque de rejuvenescimento também, explico:

1 - Você pode ver que existe uma silhueta no wallpaper, ela representa o "Artful Aardvark", o mascote da nova versão do Ubuntu (17.10). Antigamente os wallpapers do Ubuntu vinham também com algo semelhante.

2 - O design com as linhas marcando o wallpaper continua, mantendo o que já havia sendo feito nas últimas versões.

3 - A suavidade no degrade de uma cor para outra, assim como o tom com cores intermediárias, tem o apelo visual dos atuais designs de interface, que tendem a usar cores mais suaves.

Se eu fosse do time do marketing da Canonical explicaria assim: O novo Ubuntu volta às raízes com o GNOME (1), mas continua sendo o mesmo Ubuntu confiável que você já estava acostumado a utilizar (2), só que mais moderno e condizente com os padrões atuais(3).

Ótima explicação, não? É uma pena que os ícones continuem a mesma coisa antiga "de sempre", talvez esse seja um outro setor a ser alterado para a próxima LTS.

Junto com a atualização que trouxe este novo wallpaper padrão, outros mais vieram, não sei se provindos do GNOME mesmo ou se por curadoria própria, mas é fato que desta vez (ao contrário dos últimos 5 anos), temos wallpapers bonitos, pelo menos dentro do meu gosto pessoal:

Novos Wallpapers do Ubuntu

Novos Wallpapers do Ubuntu

Novos Wallpapers do Ubuntu

Essas são as minhas considerações à respeito do assunto, sei que quem não é muito ligado em design e não curte tanto esta área não se importa tanto com esses detalhes, mas particularmente eu acho importante.


Agora, é só eu ou o "Arful Aardvark" parece uma menina super poderosa? 😂
Você pode baixar o novo Wallpaper do Ubuntu aqui.

Deixe a sua opinião logo abaixo e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Canonical libera novo tema para GNOME Shell no Ubuntu 17.10 Artful Aardvark

Nenhum comentário

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Finalmente o tema do Ubuntu 17.10 com GNOME foi liberado, este que era algo que muito usuários estavam esperando ansiosamente. No fim das contas, temos um tema coeso, porém, nada inovador que vai manter a aparência semelhante ao que o Unity trazia e que paradoxalmente é bom e ruim ao mesmo tempo.

Novo tema do Ubuntu






Já era esperada uma adaptação do tema tradicional, Ambiance, o mesmo que era utilizado no Ubuntu com Unity, então a mudança é mudança é relativamente simples, mas deixa o Ubuntu "com cara de Ubuntu", o que combinado com a barra lateral ainda traz - pelo menos um pouco - do look&feel que que marcou a aparência da distro nos últimos anos.

Novo Layout do Ubuntu

Tema GTK do Ubuntu

Notificações do sistema

Quem está utilizando o Ubuntu 17.10 Beta pode simplesmente atualizar o sistema para que o novo tema seja instalado, temos um novo tema para o GDM também, o gestor de login, dando a ele as mesmas cores do restante do sistema.

O que você achou do novo visual?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Canonical organizará evento para comunidade ajudar na finalização do ambiente Desktop do Ubuntu 17.10

Nenhum comentário

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Em todos estes anos em que eu utilizo o Ubuntu, não me lembro de ter visto algo parecido. A Canonical está literalmente chamando a comunidade do Ubuntu para dentro da empresa e... ainda oferecendo pizzas e bebidas. 🍕🍕🍕

Ubuntu Desktop 17.10






Os desenvolvedores da Canonical estão se envolvendo muito mais com a comunidade de usuários para este lançamento de Outubro. O Ubuntu 17.10, Arful Aardvark, que agora contará com o GNOME Shell como interface gráfica padrão, ainda precisa receber vários ajustes e como quanto mais pessoas estiverem observando a distro, mais provável que os eventuais problemas sejam detectados e corrigidos, os desenvolvedores estão chamando os usuários interessados para um evento que acontecerá na sede da empresa, em Londres.

O acontecimento está sendo chamado de "Desktop Fit & Finish Sprint" e acontecerá por volta dos dias 24 e 25 de Agosto, sendo aberto para todos que desejarem participar, no entanto, os desenvolvedores pedem que as pessoas que se candidatarem a participar tenham um certo conhecimento avançado, especialmente em CSS e GTK, pois esses dias serão destinados a ajustar a experiência desktop no novo Ubuntu.

Não existem vagas ilimitadas, por isso, as pessoas interessadas precisam inscrever-se para isso. Visto que existe todo um esquema de organização e segurança a ser estruturado para o evento.

Dentre as coisas que devem ser finalizadas nestes dias estão tema GTK do Ubuntu, o tema do GDM e a correção de bugs gráficos que apareçam, além de otimizações para velocidade. Mesmo que você não participe, este evento nos dá uma ideia de que em breve teremos coisas novas para testar no Ubuntu.

Até a próxima!

____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Canonical confirma: Ubuntu 17.10 virá COM Wayland como servidor gráfico padrão

Nenhum comentário

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Por um momento eu pensei estar lendo o anúncio errado... pois há 20 dias atrás, mais ou menos, os desenvolvedores publicaram um artigo dizendo que estavam em dúvida sobre isso porque o Wayland não estava "funcional o suficiente" ainda, dizendo que iriam optar por deixá-lo como uma sessão alternativa que o usuário pudesse escolher testar no Ubuntu. Bom, eles mudaram de ideia.

Ubuntu 17.10 Wayland




Os desenvolvedores do Ubuntu anunciaram a decisão final sobre o Wayland fazer parte ou não do Ubuntu 17.10 como padrão. E o que foi decidido é que sim, o Wayland será o padrão e o X será a sessão alternativa.

O motivo da mudança


O objetivo da Canonical é usar o Wayland na futura LTS de 2018, as versões LTS do Ubuntu são largamento utilizadas pelos clientes da empresa, além é claro, dos usuários comuns, e isso significa que por ser esta uma versão de longo prazo de suporte, ela deve estar o mais debugada possível.

Por conta disso, os desenvolvedores surpreenderam o público dizendo que vão utilizar o Wayland como padrão justamente para ter um maior feedback para o Ubuntu 18.04 LTS.

Deixa eu ver se entendi...

Certo, deixa eu ver se entendi...

As versões intermediárias do Ubuntu nunca foram sinônimo de estabilidade, afinal, são as ISOs onde a Canonical costuma testar as novas tecnologias que vão vir nas LTS do sistema, então é natural esperar este tipo de medida, onde "coisas experimentais aparecem", porém, o Wayland é algo que as pessoas sabem que ainda não está plenamente funcional, ele não se dá bem com placas Nvidia e vários programas apresentam problemas ao serem executados junto a ele.

A medida, de fato, é interessante para colher dados para a versão LTS, e entender onde o Wayland ainda não funciona direito, fazendo com que o desenvolvimento e evolução dele também seja mais rápido, o que é uma coisa boa.

Podemos chamar o Ubuntu 17.10 de (quase que literalmente) uma versão "beta" do 18.04 que sai em Abril do próximo ano. Bugs acontecem em todos os sistemas, isso nós sabemos, mas essa é a primeira vez que eu vejo o que seria uma "release final" do Ubuntu ser lançada "bugada" de propósito para os desenvolvedores medirem o tamanho no problema.

É engraçado, mas faz sentido. É claro que quem tiver placas Nvidia ou enfrentar problemas com o Wayland poderá mudar para o tradicional (senhor idoso) X.org diretamente da tela de login, fazendo do sistema algo mais estável em alguns aspectos.

Teremos muitas novidades na versão de Outubro do Ubuntu e será uma versão para testadores, claramente. Ao menos, com todas as mudanças que ocorreram neste ano, os desenvolvedores estão preocupados em fazer uma LTS mais aprimorada. Pessoas que dependem do sistema para trabalho e precisam de algo funcional, estável e testado, devem manter-se no Ubuntu 16.04 LTS.

Apesar de controverso, não há como negar que é uma forma eficiente de conseguir novos testadores, só fico preocupado com os usuários que vão testar o Ubuntu pela primeira vez e vão encontrar um sistema com vários problemas a serem corrigidos. A primeira impressão é a que fica, como dizem.

Ainda não formei por completo a minha opinião sobre o assunto, mas eu gostaria de ouvir a sua, então por favor comente o que você acha da decisão através da sessão de comentários logo mais abaixo.

Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Novidades no Ubuntu 17.10 e pesquisa da Canonical por aplicações padrão

Nenhum comentário

terça-feira, 25 de julho de 2017

Como eu comentei em um "Diolinux Responde" recente, a Canonical está muito mais envolvida com a comunidade nesta release, pegando diversos feedbacks e ouvindo a comunidade (tô até estranhando!), além disso, temos várias novidades e otimizações para o Ubuntu que vai sair em Outubro e algumas previsões para o 18.04 LTS do próximo ano.

Ubuntu 17.10 novidades


Os desenvolvedores do Ubuntu estão trabalhando para deixar a ISO do sistema mais enxuta e movendo arquivos obsoletos provenientes do Unity para fora da ISO e para dentro do repositório Universe

Dentre as novidades publicadas recentemente, nós temos alguns destaques:

GNOME: Sem comentar ainda em temas, que é algo muito esperado pelos usuários, os desenvolvedores estão preocupados no momento em criar um opção de configuração de privacidade para o sistema de conexão captive portal, inclusive submetendo esse recurso de correção no projeto GNOME em si, podendo ser estendido para outras distros. Se for aprovado, ele será aplicado via patch.

ISOs: O processo de limpeza de componentes que não serão utilizados na nova ISO com GNOME continua, sendo que estes componentes continuarão disponíveis via repositório, incluindo o Unity em si. Nesta semana a lista de pacotes limpos incluem o sistema de indicadores.

Snaps: Novos pacotes Snap estão disponíveis, agora incluindo também aplicações GNOME, como: gedit, gnome-sudoku, gnome-dictionary, gnome-cloks, quadrapassel e gnome-calculator. Todos eles estão no canal Edge da SnapStore, todos utilizando o GNOME 3.24 como base.

Muitos Snaps novos estão sendo feitos também com a intenção de facilitar a vida dos usuários, aplicativos como Spotify e Office 365 Web deverão ganhar uma versão Snap em breve.

GDM e Conexões: GDM é o gestor de login do GNOME Shell. Os desenvolvedores do Ubuntu estão trabalhando para consertar um bug que bloqueia o A2DP, que é um perfil bluetooth da alta qualidade, quando ativado dentro da sessão do usuário.

Atualizações: O LibreOffice está chegando ao Ubuntu com a versão 5.3.4, GStreamer 1.12.2, Evolution 3.24.2 e melhorias no network-manager, que deve chegar na versão 1.8. O GNOME Software também está recebendo atualizações para dar suporte pleno aos pacotes Snap.
  
Unity 7: Curiosamente, ainda estão sendo lançadas melhorias para o Unity 7. Isso porque o Ubuntu 16.04 LTS que carrega ele tem suporte até 2021. As melhorias não são grandes, mas deverão agradar a um público específico. As modificações são para deixar o Unity Low Graphics ainda mais leve para computadores modestos e torná-lo mais funcional em máquinas virtuais.

Mais melhorias para o Ubuntu 17.10 Artful Aardvark


Aqui podemos incluir algumas outras melhorias pontuais para o Ubuntu 17.10. O GNOME será o padrão no lugar do Unity, como nós já sabemos, teremos melhorias no BlueZ, o aplicativo de Bluetooth, haverá a mudança do Synaptics para o Libinput no controle de dispositivos apontadores (mouse especialmente), melhorias para suportar monitores 4K e de alta de definição, novidades no instalador do Ubuntu para servidores e imagens mínimas (Ubuntu minimal) 18% menores, com apenas 36 MB.

Outra mudança que me chamou a atenção é que haverá a remoção de Kernels antigos da pasta /boot de forma automática, não sei exatamente como o recurso vai funcionar e qual é o quesito para se considerar um Kernel como "antigo", mas particularmente eu sempre gostei de ter mais de 1 disponível em caso de "merdas da vida." Vamos ver como será o comportamento.

Outra coisa interessante é que agora as partições em Ext4 poderão ser encriptadas via fscrypt. O suporte para GPU/CUDA (placas Nvidia) será melhorado também, apesar de eu não saber o quanto isso vai impactar o desktop, visto que os detalhes da integração falavam mais da utilização de clusters com Kubernetes e Docker, então vou ter que esperar mais informações para pode falar melhor sobre isso.

Quais são os aplicativos que devem ser padrão no Ubuntu?


Outra coisa bacana que aconteceu recentemente é que a Canonical criou um "Ubuntu 18.04 LTS Desktop Default Application Survey", para que todos possam votar em quais aplicações devem ser as padrões no Ubuntu 18.04 LTS, que sairá em Abril do próximo ano. Enquanto a versão 17.10 deverá seguir "o estilo" dos Ubuntu anteriores, pelo menos no quesito de programas padrões, o Ubuntu 18.04 LTS pretende ser ainda mais influenciado pelo gosto dos usuários.

Para que isso aconteça os desenvolvedores criaram uma série de tópicos em sites diferentes onde você pode votar também nos seus aplicativos preferidos, são eles:

Reddit

Você também pode participar se quiser, mas lembre-se de dar as suas sugestões em inglês. Basta copiar e colar esta lista abaixo em um dos tópicos com as suas aplicações preferidas e mais utilizadas. Os desenvolvedores alertam para que caso você queira algum aplicativo que seja proprietário, que uma menção a isso seja feita, por exemplo no player de musica: Spotify Client non-free.

Web Browser: ???
Email Client: ???
Terminal: ???
IDE: ???
File manager: ???
Basic Text Editor: ???
IRC/Messaging Client: ???
PDF Reader: ???
Office Suite: ???
Calendar: ???
Video Player: ???
Music Player: ???
Photo Viewer: ???
Screen recording: ???

Apesar de algumas coisas poderem mudar drasticamente, certas aplicações não devem mudar, como o gerenciador de arquivos. Por mais que eles peçam a opinião dos usuários, se a interface for GNOME Shell (e provavelmente será), dificilmente teremos algo diferente do Nautilus presente, mas vale a tentativa, se você gostar de outro. 

Inclusive, você pode sugerir outra interface também, não custa tentar.

Essas são as últimas novidades publicadas, fique ligado aqui no blog para saber (nem sempre em primeira mão mas muitas vezes sim 😁) com maiores detalhes essas informações.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Desenvolvedores do Ubuntu estão em dúvida sobre o Wayland

Nenhum comentário

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Até pouco tempo os desenvolvedores do Ubuntu estavam dando a entender que o Wayland seria o servidor gráfico padrão da distro, que agora carregará o GNOME Shell como interface padrão, da mesma forma que o Fedora, mas agora eles não estão mais tão seguros disso.

Wayland no Ubuntu




A pretensão inicial era trazer o Wayland como padrão já no Ubuntu 17.10 que sai em Outubro deste ano, esta seria a única forma de poder ir trabalhando em cima dele para poder colocá-lo no lugar no X na próxima LTS de 2018, o Ubuntu 18.04.

É possível que o Ubuntu 17.10 ainda venha com o Wayland como uma sessão alternativa que poderá ser escolhida na tela de login, entretanto, o padrão deverá ser mesmo o tradicional X.org.

Os desenvolvedores Will Cooke e Didier Roche comentaram sobre o caso, dizendo que acreditam que de fato o Wayland ainda não está pronto e que eles não poderiam simplesmente colocar a tecnologia como padrão e "cruzar os braços". O Ubuntu tem uma margem de usuários que varia de 25 a 40 milhões de pessoas somente no Desktop, o que traz uma preocupação extra, sem sombra de dúvidas. São muitas pessoas para deixar na mão e isso certamente tem um peso na escolha.

O Wayland ainda não funciona plenamente em todas as placas de vídeo, especialmente as que precisam de drivers proprietários e ainda pode gerar problemas para o Ubiquity (que é o instalador do sistema) e o Apport, o aplicativo para reportar erros.

Pensando na estabilidade do Ubuntu 18.04 LTS do ano que vem a utilização do X.org me parece mais do que óbvia, mas ao mesmo tempo é bom as pessoas irem testando o Wayland para que ele fique maduro com maior velocidade.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Imagem diária do Ubuntu 17.10 já pode ser baixada com GNOME como interface padrão

Nenhum comentário

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Como a versão do Ubuntu que sai em Abril de 2018 é uma LTS (Long Term Support) a Canonical decidiu fazer os primeiros testes com a nova (velha) interface do Ubuntu, o GNOME Shell, já no Ubuntu 17.10 que sai agora em Outubro próximo, os interessados em saber como o sistema está evoluindo já podem baixar as compilações diárias com a interface por padrão, a ideia, é claro, é poder fazer os testes necessários e estabilizar as coisas para o lançamento do ano que vem.

Ubuntu 17.10 GNOME




O Ubuntu 17.10 Artful Aardvark ainda está um pouco distante de seu lançamento final, que será apenas em Outubro, mas tradicionalmente a equipe de desenvolvimento do Ubuntu cria compilações diárias do processo de desenvolvimento do sistema, permitindo que os interessados possam acompanhar o desenvolvimento e a inclusão das novidades.

Bom, eu sou um destes enxeridos que fica baixando as daily builds e acompanhando tudo o que acontece nessas etapas e posso dizer que já temos uma boas novas, por assim dizer. Desde o anúncio da adoção do GNOME pelo Ubuntu novamente eu tenho ficado curioso para saber como a Canonical vai tratar a interface, eles chegaram a fazer um concurso de extensões e configurações para que os usuários pudessem dizer o que eles gostariam de ver no sistema e aos poucos as implementações estão sendo feitas.

Até ontem o Unity ainda era o padrão nas isos do 17.10, mas depois da última atualização o Unity deu lugar a interface que veio para ficar à partir de agora, o GNOME. Diretamente na tela de login nós já podemos ver o "pézinho do GNOME" que nos da a entender que temos a nova interface disponível. Falando em tela de login, o LightDM continua, ao menos por enquanto, e sinceramente eu espero que ele permaneça, acho ele muito mais belo do que o GDM, que apesar da minha pequena crítica, também é bonito.

Gnome Ubuntu

Como você pode ver, outra novidade é que agora temos uma sessão Wayland no Ubuntu, o que só nos lembra que realmente o Mir ficou para trás definitivamente nos desktops, o padrão é ainda a utilização do X.org, mas aos poucos a migração deve ir acontecendo, não somente no Ubuntu, mas em todas as distribuições praticamente.

Ubuntu 17.10 GNOME

Na interface podemos ver que os temas Ambiance e Radiance foram adaptados para o GTK mais recente, aliás, a versão do GNOME utilizada nesta compilação do Ubuntu é a 3.24 no momento, o tema de ícones é o mesmo de sempre, os ícones de controle da janela foram movidos para a esquerda com a presença dos tradicionais 3 botões, ao contrário do GNOME Padrão que tem apenas o botão de fechar na direita das janelas, os aplicativos que acompanham a distro continuam os mesmos do Ubuntu tradicional, mas reparei que agora não existe mais o "Atualizador de programas", o que indica que essa função agora será desempenhada pelo GNOME Software Center, ou como a galera costuma chamar, a Central de Aplicativos.

O tema do GNOME Shell no entanto não foi alterado, continua o tradicional com detalhes em azul, o que não combinada em nada com o tema alaranjado do Ubuntu, de fato, mas isso deverá ser alterado em breve também. Não somente no tema em si, mas no desenho da interface existem alguns bugs para serem corrigidos, como a própria barra da Central de Aplicativos.

Novo tema do Ubuntu

O Kernel utilizado no momento é o 4.11, mas ele deverá ir acompanhando os lançamentos até a época de freezing que acontece um pouco antes do lançamento da versão final em Outubro.

Gnome no Ubuntu 17.10

O aplicativo da Amazon continua no sistema, porém, ao contrário do que muita gente espalhou por aí, ele tem um comportamento complemente diferente do que tínhamos no Unity. No Unity além do App da Amazon que levava diretamente para o site através do navegador do Unity 8 do Ubuntu no formato de um WebApp e que fazia com que as pesquisas do Dash trouxessem resultados dentro da loja da Amazon também, no GNOME o aplicativo serve apenas para abrir o Firefox no site da empresa, ou seja, é apenas um atalho, nada demais, funcionando mais como um "sistema de afiliados" para que caso alguém compre algum produto na Amazon pelo atalho do Ubuntu algum dinheiro seja revertido para a distro, acredito eu.

Amazon no Ubuntu

Para os paranoicos de plantão, é possível remover a aplicação através da própria Central de Aplicativos, ele ocupa apenas 44 kB de tamanho no sistema e tem código aberto.

Fique ligado aqui no blog para acompanhar as novidades, em breve teremos vídeos no canal sobre essa nova versão do Ubuntu.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Primeiras daily builds do Ubuntu 17.10 já estão disponíveis para download

Nenhum comentário

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Seguindo a tradição, logo depois de um lançamento como o do recente Ubuntu 17.04 Zesty Zapus, que finalizou o alfabeto, temos as primeiras construções diárias da próxima versão, o Ubuntu 17,10 que sairá em Outubro.

Ubuntu 17.10 Artful Aardvark


O Ubuntu 17.10 de codinome "Artful Aardvark" (isso mesmo, voltou no início do alfabeto), já está recebendo as suas primeiras construções diárias, chamadas em inglês de ""daily builds", assim como seus repositórios já foram abertos para o recebimento dos softwares deste ciclo.

Esta versão está muito longe de estar pronta para a utilização do usuário comum, como comentei, ele será lançado somente em Outubro e não é recomendado para pessoas que não tenham a intenção a ajudar a desenvolver o sistema.

As primeiras ISOs estão disponíveis aqui.

O que podemos esperar do Ubuntu 17.10?


A disponibilidade das primeiras ISOs do ciclo 17.10 é um gancho perfeito para falar sobre as coisas que deverão chegar com esta nova versão.

Como você bem deve saber, a Canonical resolveu descontinuar o Unity como interface padrão do Ubuntu, além disso, outros projetos acabaram ficando de lado, pessoas foram demitidas da empresa e setores reformulados.
O local onde essas mudanças serão mais sentidas é justamente o Desktop, que para mim é a parte mais sensível do projeto, não financeiramente falando, mas no aspecto de relação com o usuário final de computador.

Na versão 17.10 nós teremos o Gnome Shell como interface e o Wayland como servidor gráfico, abraçando a maior parte das soluções colocadas pelo projeto Gnome. 

Até o momento, pelas informações que se tem, nós teremos um Gnome puro no Ubuntu 17.10, o que do ponto de vista do usuário final não seria a melhor escolha, pois o Gnome necessita de uma série de complementos para conseguir ter os mesmos recursos que o Unity anteriormente tinha.

Falando em Unity, ele ainda estará nos repositórios caso alguém deseje instalar. Até o momento, não sei de nenhuma comunidade que queira continuar desenvolvendo funções para ele, ou desenvolvendo ele em si, entretanto ele estará disponível. Apesar desta informação deixar os fãs do Unity menos preocupados, é bom alertar que ele não será tão "bem integrado" ao Gnome como antes, a Canonical costumava aplicar vários patches e modificações para fazer com que os Apps do Gnome funcionassem de forma integrada ao Unity, como o Nautilus por exemplo, algo que deixará de acontecer, então os aplicativos poderão ficar "estranhos" no Unity do 17.10, para quem for utilizar.

É provável que o Ubuntu 17.10 chegue com o Gnome 3.26, mas ainda não foi confirmado, outra coisa que ainda não foi definida é se o Ubuntu passaria a utilizar o GDM ou continuaria utilizando o LightDM como gestor de login, particularmente acho o LightDM mais belo, porém, com essa ideia de "all GNOME" de Mark Shuttleworth, não me admiraria se o GDM fosse o padrão também.

O calendário de lançamentos para o Ubuntu 17.10 Artful Aardvark é o seguinte: 

- 29 de Junho - Alpha 1
- 27 Julho - Alpha 2
- 31 Agosto - Beta 1
- 28 de Setembro - Beta final
- 19 de Outubro - Versão final

O que você espera do Ubuntu 17.10? Pretende utilizar? Sei que é muito cedo para qualquer comentário mais técnico, mas será um lançamento importante, pois é onde teremos uma prévia da próxima LTS que sai em Abril de 2018.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo