Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador benchmark. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador benchmark. Mostrar todas as postagens

Mais desempenho com GPUs AMD antigas com o ACO

Nenhum comentário

sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

O compilador de shaders ACO (Amd Compiler) que foi desenvolvido pela Valve, tendo como objetivo melhorar o desempenho de jogos no Linux em chips gráficos AMD, recentemente foi compatibilizado com GPUs mais antigas, da microarquitetura GCN 1.0, e de imediato demonstra uma melhora de cerca de 9% no desempenho em jogos.

mais-desempenho-com-gpus-amd-mais-antigas-com-o-aco

Este artigo é totalmente focado no compilador de shaders ACO, e para obter um entendimento completo do conteúdo a seguir é extremamente necessário que você já saiba do que se trata. Caso você ainda não tenha ouvido falar sobre o assunto, fortemente recomendo que leia o artigo que fizemos explicando como surgiu e quais benefícios o ACO pode trazer aos usuários “comuns”.

Conforme já falamos aqui no blog, o ACO tem surtido excelentes resultados quando o assunto é jogos no Linux, porém, até alguns dias atrás o mesmo não possuía boa compatibilidade com os hardwares mais antigos, da microarquitetura GCN 1.0 (famílias Oland, Cape Verde, Pitcairn e Tahiti).

Todavia, nos últimos dias os desenvolvedores do Mesa Driver incluíram no software novas linhas de código que devem fazer com que GPUs mais antigas, como alguns modelos das séries HD7000, R5, R7 e R9 passem a ter uma compatibilidade muito mais aprimorada com o ACO.

Conforme podemos observar a seguir em alguns testes realizados pelo Phoronix, nos jogos Rise of the Tomb Raider e Shadow of the Tomb Raider, apenas por passar a utilizar o ACO foi notada uma melhora de cerca de 9% na taxa de quadros. 

Os testes mostrados nos gráficos abaixo foram realizados em uma Radeon HD 7950, utilizando o benchmark próprio do Rise of the Tomb Raider, com os gráficos no “high” e resolução em 1080p.




A seguir você confere uma repetição dos testes acima, porém agora com a qualidade gráfica no “lowest” (mais baixo).




Agora vamos aos testes realizados com o benchmark próprio do Shadow of the Tomb Raider, também com a Radeon HD 7950, em 1080p, primeiro com gráficos no “high” e em seguida no “lowest”.



As novas implementações do ACO estão presentes no Mesa Driver 20.0 (versão em desenvolvimento/instável), que pode ser utilizada no Fedora, Mint, Ubuntu e derivados seguindo as instruções neste artigo.

Lembrando que para poder utilizar o ACO em GPUs AMD mais antigas, das microarquiteturas GCN 1.0 e 2.0, é necessário que o driver AMDGPU esteja ativado. Caso você não saiba qual driver está em uso, ou como ativar o “correto”, já temos artigos prontos para solucionar o seu problema. 😄

No último Diolinux Friday Show que fizemos (o qual você pode conferir abaixo na íntegra), uma das minhas “previsões” para 2020 foi justamente darmos um grande passo no desempenho de jogos no Linux através do ACO. É claro que é muito cedo para termos quaisquer certezas, mas se continuar nesse ritmo, poderei me juntar ao Ricardo (CanalOCaraDoTI) no time dos “Gurus do Open Source”. 😀


Agora chegou a sua vez de opinar, e quem sabe até fazer as suas “previsões” para o futuro do ACO e dos jogos no Linux. Não passe despercebido, expresse a sua opinião nos comentários abaixo! 😁

Você gosta de Linux e tecnologia? Tem alguma dúvida ou problema que não consegue resolver? Venha fazer parte da nossa comunidade no fórum Diolinux Plus!

Isso é tudo pessoal! 😉


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Shadow of the Tomb Raider: Linux vs Windows

Nenhum comentário

sábado, 21 de dezembro de 2019

Um dos fatores mais determinantes quando uma pessoa está escolhendo um sistema operacional, é o seu desempenho em jogos. Tendo isso em mente, decidimos comparar o desempenho de um Triplo A recente, o Shadow of the Tomb Raider, entre o Windows e uma distribuição Linux.


Como diz aquele velho ditado: "Old habits die hard". É difícil perdermos velhos hábitos e matarmos velhos mitos, que há muito tempo já não são mais uma realidade. Infelizmente a crença de que sistemas Linux são difíceis, só para "hackers", e não rodam jogos ainda são uma verdade na cabeça de muitas pessoas, especialmente daquelas que não estão familiarizadas com a realidade atual dos sistemas Linux.

Combater esse tipo de desinformação é uma das "teclas" nas quais mais batemos aqui no Diolinux. Inclusive, essa foi uma das principais razões para termos criado o nosso canal na Twitch há cerca de um ano atrás, e desde então mostramos diariamente como é perfeitamente possível utilizar um sistema Linux para jogos hoje em dia, e em uma grande parte dos casos é algo extremamente fácil de ser feito. 

Antes de continuarmos, é importante deixar claro que toda vez que você ler o termo "o Linux" nesse artigo, estarei me referindo às distribuições Linux para desktop de modo geral.

O jogo que vamos testar hoje relata o terceiro capítulo da história da Lara Croft, foi lançado em setembro de 2018, e teve a sua versão para Linux lançada em outubro deste ano (2019). Quando se trata de tecnologia, é como se o tempo passasse mais rápido, mas mesmo tendo passado cerca de um ano desde o lançamento de Shadow of the Tomb Raider, o mesmo ainda é um jogo atual, com gráficos excelentes, e jogado por muitas pessoas, o que fez dele a escolha perfeita para este comparativo.

O Benchmark


É sabido que gravar a tela sem uma placa de captura causa um efeito negativo no desempenho dos jogos, o que acabaria prejudicando os nossos testes. Por esse motivo, apresentarei os resultados através de texto e prints dos resultados do benchmark.

No lado do Linux temos o KDE Neon na versão 5.17.4, utilizando o driver AMDGPU presente no Kernel Linux 5.0 e o Mesa Driver 20.0 (Padoka PPA). A API gráfica utilizada é o Vulkan. No lado do Windows 10 Home temos a versão 1909 com o driver Radeon Software Adrenaline 2020 edition 19.1, a API gráfica utilizada é o DirectX 12.

O hardware utilizado é um Ryzen 5 2600 3.8Ghz, 2x8 GB DDR4 2666Mhz e uma Radeon RX580 8GB. O jogo foi testado em 1080p, no preset alto e com o VSync desligado.

Nas imagens abaixo você confere os resultados do benchmark próprio do Shadow of the Tomb Raider, bem como as configurações gráficas, e sistema operacional no qual os testes foram realizados.

Vamos aos resultados no Windows 10.




Na versão Windows o benchmark resultou em uma média de 70 FPS, com mínima de 56 e 11039 quadros gerados. Nos testes em gameplay, durante os primeiros dez minutos de jogo (sem contar cutscenes), o jogo apresentou uma média de 70 FPS, com oscilações entre 63 e 88 FPS.

Agora vamos aos resultados dos testes no Linux.




Na versão Linux o benchmark resultou em uma média de 50 FPS, com mínima de 41 e 8027 quadros gerados. Nos testes em gameplay, durante os primeiros dez minutos de jogo (sem contar cutscenes), o jogo apresentou uma média de 50 FPS, com oscilações entre 45 e 65 FPS. Na versão Linux com o vsync desligado ocorreu bastante stuttering, o que não aconteceu na versão Windows.

Sobre os resultados


Ao comparar o desempenho do jogo em ambos os sistemas percebemos uma diferença de cerca de 20 FPS, o que no meu caso acabou não sendo um grande problema, já que mesmo no Linux o jogo continua perfeitamente jogável. Na verdade, só consigo perceber a diferença nos FPS se o contador estiver ligado. Além de que eu poderia diminuir um pouco os gráficos, melhorando a taxa de quadros, e a “perda de qualidade” seria praticamente imperceptível aos olhos.

Felizmente não costumo jogar com contadores de FPS ligados, os utilizo apenas para testes, então a minha experiência de jogo com o Shadow of the Tomb Raider no Linux nunca foi comprometida, uma vez que meus olhos não percebem nenhuma lentidão enquanto estou jogando.

Todavia, 20 FPS ainda é uma diferença realmente grande. No meu caso, com a média caindo de 70 para 50, essa diferença acabou não sendo muito perceptível. Mas imagine uma pessoa com um hardware mais simples, que consegue rodar o jogo há uma média de 40~50 FPS no Windows. Seguindo o resultados deste teste, a média que essa pessoa atingiria no Linux seria de 20~30 FPS. Ou seja, o jogo passaria de jogável para praticamente não jogável. Apesar de serem os mesmos 20 frames de diferença, ao descermos um pouco os números a diferença na experiência de jogo passa a ser extremamente maior.

É importante deixar claro que as diferenças de desempenho dos jogos entre o Linux e o Windows podem variar de acordo com cada jogo, e até com o hardware utilizado. Neste caso, o Shadow of the Tomb Raider teve um desempenho bastante inferior no sistema do Pinguim, mas em outros casos o desempenho pode ser exatamente o mesmo, ou até superior no Linux. É uma questão de saber como os jogos que você gosta rodam na sua máquina, só assim você poderá saber se no seu caso passar a usar apenas Linux é ou não uma boa ideia.

A seguir você confere um benchmark em vídeo, feito pelo Renato do blog e canal FastOS.


Conclusão


Obs.: Para fins de esclarecimento, o trecho a seguir é baseado na minha opinião, e não representa o posicionamento do projeto Diolinux e de seus outros membros sobre o assunto.

No final das contas, podemos dizer que o Linux é uma plataforma para jogos tão boa quanto o Windows?

Bem, em geral, definitivamente não!

Para mim fica bem claro que se tratando de jogos o Windows ainda está bem a frente de qualquer distribuição Linux. Todavia, isso não significa que o Windows necessariamente será uma melhor opção para todos. Ao escolher entre dois ou mais sistemas operacionais devemos analisar tudo o que tais sistemas tem a oferecer, e o quão bem cada um atende as nossas necessidades em todos os aspectos, não apenas em jogos.

Hoje em dia um número muito grande de jogos, incluindo muitos Triplo A e games extremamente populares rodam no Linux com um desempenho muito próximo, igual, e em alguns casos até superior ao Windows. E podem ser instalados sem qualquer tipo de gambiarra, através de procedimentos iguais ou muito semelhantes à instalação dos mesmos no Windows. Portanto se os jogos que você joga fazem parte dessa enorme lista dos que funcionam, então para você o Linux será uma plataforma para jogos tão boa quanto o Windows. Por outro lado, se os jogos que você gosta não rodam ou não possuem um desempenho satisfatório no Linux, a melhor opção no quesito jogos continua sendo o Windows.

Dito isso, afirmar que em geral o Linux não serve para jogos, possui poucos títulos, e só tem jogos desconhecidos é uma completa desinformação! Assim como o Windows ser um sistema que atende um maior número de usuários de uma forma mais completa no quesito jogos, no presente momento ainda é um fato!

A sua vez!


Agora chegou a hora de você dar a sua opinião sobre o assunto! 😁 Qual é a sua experiência com jogos no Linux? E mais importante, essa experiência é de quanto tempo atrás? Se tratando de jogos, a plataforma está evoluindo de maneira bastante rápida, e é bem possível que um jogo que não funcionava há um mês atrás seja completamente funcional hoje em dia. Então relate nos comentários abaixo as suas experiências positivas e negativas com jogos no Linux, e dê a sua opinião de forma educada e sempre respeitando as opiniões contrárias.

Vamos colaborar para que juntos possamos tornar o Linux cada vez melhor. 😀

Você gosta de Linux e tecnologia? Tem alguma dúvida ou problema que não consegue resolver? Venha fazer parte da nossa comunidade no Diolinux Plus

Isso é tudo pessoal! 😉


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Testes de desempenho: Quem se saiu melhor, Ubuntu ou Linux Mint?

Nenhum comentário

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Para compararmos mais uma vez os dois sistemas Linux mais populares entre os jogadores na Steam e saber se existe alguma diferença de desempenho entre eles, nós fizemos mais um teste de Benchmark envolvendo Ubuntu e Linux Mint utilizando o Benchmark fixo do game "Middle-Earth Shadow of Mordor", em sua versão para Linux, confira os testes e o resultado.

Shadow of Mordor






Este é o segundo teste que nós fizemos nesta mesma bancada, o primeiro, com o game Dirt Showdown, pode ser visto neste post aqui. O hardware utilizado foi o mesmo do teste anterior com o Ubuntu 16.04 LTS e com o Linux Mint 18 com os sistemas atualizados e drivers Nvidia nas últimas versões disponíveis para a placa no momento do vídeo, 367.35.

- Core i5 Sandy Bridge 2400 3,10 Ghz
- ASUS P8H61-M LX3 R2.0
- GTX 750 Point of View
- 3 HDs de 7200 RPM
- Fonte EVGA 600
- 1X8 GB Kingston 1333 Mhz RAM

O game utilizado no Benchmark comparativo foi "Middle-Earth: Shadow of Mordor", disponível na Steam para Linux. Testamos ele em 3 presets diferentes, gráficos ultra baixos, medianos e ultra altos em ambos os sistemas, confira o vídeo:


Inscreva-se no canal para não perder os próximos testes

Benchmarks Ubuntu e Linux Mint

Qual distribuição Linux você gosta de utilizar para jogar?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Ubuntu vs Linux Mint, qual o melhor para jogos?

Nenhum comentário

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

O Ubuntu e o Linux Mint são as distribuições preferidas dos Linux Gamers da Steam segundo a Valve, além disso, são também dois dos sistemas baseados em Linux mais populares entre os usuários Desktop, mas será que um leva vantagem sobre o outro na hora de rodar os seus games favoritos? Vamos nos aprofundar no assunto.

Ubuntu vs Linux Mint testes de benchmark




Qual o melhor? Eis a questão! Gostos à parte, Ubuntu e Mint são muito parecidos em seu funcionamento, também pudera, o Linux Mint é baseada no Ubuntu e compartilha com o mesmo diversas características. Tirando a questão de gosto, levando para o lado técnico de extração de desempenho da máquina, será que algum se sobressai ao outro?

É claro que nós também ficamos curiosos com esta pergunta e para sanar as nossas dúvidas, vamos elaborar uma série de Benchmarks para sabermos quem é o mais eficiente, para começar vamos testar os dois sistemas game Dirt Showdown em seu Benchmark Fixo e Presets gráficos diferentes e fazer uma comparação. Confira o vídeo na íntegra:


Temos vídeos todos os dias, assine para não perder nada! :)

Não tire conclusões precipitadas


Apesar de podermos ter uma ideia do desempenho das distribuições, é bom salientar que este teste, apesar de refletir a realidade, precisa ser aprofundado, pois os games podem responder de maneira diferente às distribuições, por isso vamos fazer mais testes em breve com outros títulos para termos uma maior segurança para afirmar qualquer coisa.

Para ver os próximos testes basta acompanhar o nosso canal, o botão de se inscrever está aí em cima, basta clicar e você terá acesso ao nosso canal com centenas de vídeos sobre Linux e outros assuntos interessantes.

Deixe a sua opinião e sugestão para os próximos Benchmarks nos comentários logo abaixo e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Windows 10 vs Ubuntu 16.04 LTS com GTX 1070 e GTX 1080 - Benchmarks

Nenhum comentário

segunda-feira, 20 de junho de 2016

É sempre bom comparar os desempenho entre Windows e Linux, neste caso o Ubuntu, para termos uma noção da diferença entre as plataformas e acompanharmos a evolução do Linux como uma opção para os gamers. Hoje vamos analisar mais um teste feito pela Phoronix envolvendo a plataforma da Microsoft e a da Canonical com os novos topos de linha da Nvidia.





Como já foi dito, para os testes foram utilizados o Ubuntu 16.04 LTS e o Windows 10, ambos de 64 bits, juntamente com os drivers Nvidia mais recentes para cada uma das placas, GTX 1070 e  GTX 1080. O restante da configuração de hardware pode ser visto logo abaixo.

Configuração de Hardware Ubuntu vs Windows

Vamos aos testes!


Os testes envolveram 4 games ao todo, Metro: Last Light Redux, Tomb Raider 2013, F1 2015 e Dota 2 e produziram resultados interessantes.

Ubuntu vs Windows Benchmark

No gráfico acima nós podemos ver um comparativo entre os sistemas e placas, podemos ver que em geral o Ubuntu se saiu melhor no game "Metro: Last Light Redux", com uma considerável diferença de praticamente 30 FPS a mais do que o Windows, porém, parece que este jogo é um caso especial, em outros comparativos o Ubuntu não se saiu tão bem, ainda que a taxa de FPS seja boa o suficiente para jogar qualquer game por jogadores menos exigentes.


No próximo teste, assim como anterior, foi usada a resolução 4k, só que desta vez com o game Tomb Raider com o preset de qualidade do jogo no "Low", podemos observar que a disparidade, ainda que em ambos os casos os games fiquem acima de 100 FPS, é grande e favorável ao Windows 10.

Tomb Raider Linux vs Windows

No mesmo game, porém com o preset gráfico setado para "Ultra", o desempenho continua favorável para o Windows, com uma diferença, curiosamente menor do que se fosse no "Low", entretanto, algo que vale ressaltar aqui é que no Windows em ambas as placas os frames ficaram acima de 60 FPS, o que é algo que podemos considerar fluído, já que a maior parte dos monitores das pessoas tem 60 Hz, no Linux (Ubuntu) o desempenho ficou abaixo disso, em um padrão que podemos dizer que não é o ideal, mas é jogável. Ponto para o Windows.

Tomb Raider Linux vs Windows

No game "F1 2015" o resultado foi parecido:


Com a resolução um pouco mais baixa, a diferença do recém lançado para Linux "F1 2015" também foi favorável ao Windows com as novas placas da Nvidia, ficando muito acima em desempenho do que no Linux. Ainda que no Linux tenhamos mais uma vez um desempenho bom o suficiente para ter uma boa experiência com o game, no Windows a diferença varia entre 40 à 50 FPS praticamente.

Dota 2 com OpenGL e Vulkan


Dota 2 é um caso à parte aqui, todos os games anteriores foram testados usando DirectX e OpenGL, agora, temos um DX vs OpenGL e um comparativo usando o Vulkan como API gráfica em ambas as plataformas.

OpenGL Dota 2 Linux vs Windows

Vulkan Dota 2 Linux vs Windows

Aqui temos um fato curioso, na primeira imagem acima você vê os benchmarks envolvendo o OpenGL e o DirectX, na segunda (esta logo acima) você vê os testes utilizando a API gráfica Vullkan.

O que me chamou a atenção é que nestas condições o Vulkan se mostrou menos eficaz no Linux do que no Windows, ficando abaixo até mesmo dos testes com OpenGL, o que é um tanto quanto desanimador, entretanto, o que eu acredito que possa ter acontecido são duas coisas:

1-  A implementação do Vulkan ainda é um beta no Dota 2 (apesar de funcionar muito bem no Windows) o que nos leva ao segundo fator...

2- Os drivers para Linux das GTX 10xx da Nvidia saíram há pouco tempo, enquanto os do Windows já foram lançados no DayOne das placas e tiveram um tempo para serem aprimorados, o que pode explicar essa diferença nos testes em geral, mas que estranhamente se inverte no "Metro: Last Light Redux".

É bom podermos ver estas comparações para acompanharmos o nível de evolução do Linux como alternativa de plataforma para jogos, podemos ver que todos os games são jogáveis com boa qualidade no Linux, apenas o Tomb Raider não ficou acima dos 60 FPS com estas duas placas no preset "Ultra". Isso permite que as pessoas que apenas se importam com o fato do game estar acima de 60 FPS possam jogar tranquilamente estes títulos no sistema, economizando os quase R$ 800,00 que se pagaria em uma licença do Windows.

Vamos acompanhar de perto essa evolução com toda a certeza! Fique ligado aqui no blog e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Windows 10 vs Ubuntu 16.04 LTS: OpenGL vs Vulkan em testes de Benchmark com placas AMD

Nenhum comentário

segunda-feira, 13 de junho de 2016

É sempre bom termos uma noção da evolução dos sistemas e de como eles se comportam em circunstância 

Ubuntu vs Windows




A Phoronix realizou mais um de seus testes e nos mostrou a diferença de desempenho entre Ubuntu e Windows. A ideia era testar o desempenho gráfico com placas Nvidia e AMD, tanto rodando no sistema da Microsoft, quanto no da Canonical, comparando o desempenho utilizando as APIs gráficas da atualidade.

O hardware utilizado foi: Um processador Intel Xeon E3-1280 v5 Skylake, placa mãe MSI C236A Workstation, 16GB de memória RAM DDR4-2133MHz e um SSD Samsung 850 de 120GB. 

Dentre as placas de vídeo temos R9 285, R9 290 e R9 Fury. No Windows foi utilizado o Radeon Software Crimson Edition 16.4.1 e no Ubuntu foi utilizado o AMD GPU-PRO com suporte Vulkan,ambos os sistemas de 64 bits.

Foi testado no Windows com DirectX e Vulkan e o Ubuntu com OpenGL e Vulkan. O game utilizado foi o "The Talos Principle", um dos poucos multiplataforma com suporte ao Vulkan, usando uma resolução de 3840x2160.

Windows 10 vs Ubuntu 16.04

Windows 10 vs Ubuntu 16.04

Como podemos observar, a diferença de Windows e Ubuntu quando o Vulkan é utilizado é muito pequena, provavelmente a diferença se deve à otimização dos drivers da AMD, quando se fala em DirectX vs OpenGL, neste caso, a diferença é muito maior.

Esse tipo de teste nos mostra o quanto o Vulkan pode equilibrar as coisas no mercado de games; interessante, não? O que você achou?

Mais informações: Phoronix
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Unigine Heaven/Valley - Plataforma de Benchmark gráfico para Linux, Windows e Mac

Nenhum comentário

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Estou pretendendo fazer alguns vídeos no futuro do canal do Diolinux envolvendo benchmarks entre sistemas operacionais, então, nada melhor do que encontrar uma plataforma de benchmark fixa para fazer uma análise, para isto é que a Unigine Heaven sai servir, sendo compatível com Linux, Windows e Mac.

Benchmark Linux Unigine Heaven




A Unigine Heaven tem uma versão paga também, porém, a versão free "já dá pro gasto", como se diz.

O programa serve para você fazer testes de stress no seu hardware gráfico, tanto usando DirectX, quanto OpenGL, como a ferramenta tem versões para Linux, Windows e Mac, é possível comparar os 3 sistemas, pelo menos sob a API open source.

Existem várias opções para você customizar o teste, com processamento de tesselação e filtros Anti-Aliasing para que você possa ver até onde a sua placa vai. A Unigine Heaven é compatível com Nvidia, AMD e Intel e pede para você dê preferencia por usar drivers proprietários no Linux para ter uma melhor experiência.

Download e utilização


Para baixar, basta acessar essa página, existe também a versão Unigine Valley, que basicamente muda o tipo do cenário utilizado nos Benchmarks, você testar com as duas se quiser. O arquivo tem pouco mais de 270 MB de tamanho para ser baixado.

O arquivo baixado tem a extensão .run, em tese você pode executá-lo dando dois cliques, caso isso não seja possível, verifique se nas propriedades do arquivo o mesmo está marcado para ser executado como um programa.

Unigine Heaven Ubuntu


Dando dois cliques nele e rodando-o, uma pasta com o nome do software será criada na pasta em que você está, se você salvou o arquivo na Área de Trabalho por exemplo, uma pasta será criada ali, dentro desta pasta você vai encontrar os arquivos para executar a Unigine Heaven (ou Valley), basta dar dois cliques no arquivo "heaven" se você estiver usando a Unigine Heaven, ou no arquivo "valley", se você estiver utilizando a Unigine Valley.

Agora é partir para os testes! :)
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Lançado Tomb Raider para Linux - Confira alguns Benchmarks

Nenhum comentário

quinta-feira, 28 de abril de 2016

O primeiro game da franquia Tomb Raider foi lançado para Linux/SteamOS, vamos dar uma olhada nesta nova opção de jogatina para os usuários de Linux e conversar sobre o desempenho do jogo.

Tomb Raider Linux




Ontem foi anunciado o porte do game Tomb Raider (2013) para Linux, este é mais um título que vem para "engordar" a biblioteca de games disponíveis para a plataforma, não se trata de uma lançamento, mas é bom poder jogar mais este game no Linux também.

Eu tenho ele desde seu lançamento praticamente e o joguei através do Wine no Linux mesmo, mas agora com uma versão nativa as coisas são ainda melhores, inclusive o desempenho. Tomb Raider é um game relativamente pesado e possui alguns efeitos que fazem muita diferença pelo que pude perceber.

Eu fiz alguns benchmarks com o game usando o seguinte hardware/software:

- Ubuntu 16.04 LTS
- Unity 7.4
- Kernel 4.4
- Driver Nvidia 364.19

- i5 3330
- 2X4GB Hyper-X Fury 1600 Mhz
- GTX 960 Point of View
- SSD 120GB+2,5TB HD 7200 RPM (/HOME)

No primeiro teste eu rodei o benchmark em full HD com todas as configurações no Ultra, absolutamente tudo no máximo possível:

Benchmark Tomb Raider Linux

Sem fazer captura de tela para o YouTube é possível jogar no máximo sem maiores problemas, especialmente se você não se importa em rodar o jogo à 30 FPS, porém, existe um efeito que faz um peso tremendo no game que é a opção de "dar vida" ao cabelo da Lara Croft, este efeito faz com que cada fio de cabelo da personagem seja independente um do outro e o efeito é magnífico, sério, o cabelo dela parece mais de verdade do que o meu! :D

Comentei deste efeito porque realizando o mesmo benchmark acima com tudo no Ultra (Ultimate), porém, desta vez desligando esse efeito no cabelo da Lara (só este efeito, o restante tudo no máximo), o resultado foi este abaixo:

Tomb Raider Linux

Apenas desligando o efeito o game já roda à 60 FPS com uma maior tranquilidade, mesmo que o restante das configurações estejam todas no máximo possível.

Só por questão de curiosidade, eu resolvi colocar o game em modo janela e baixar a resolução para 1440x900, um pouco acima do HD (720p), que para quem tem computadores mais modestos é uma opção a se considerar e até mesmo para quem quer fazer gameplays do jogo, já que, como eu sempre digo, gravar a tela baixa muito a taxa de quadros.


No benchmark acima você vê o game no ultimate, com o efeito de cabelo da Lara ativado, porém, com a resolução inferior e tivemos aproximadamente um ganho de 15 frames se comparado com com o modo FullHD.

Você pode comprar o game na Steam, neste momento por um valor razoável:



Bom proveito e bom jogo! Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Windows 10 vs Ubuntu 16.04 - Benchmarks OpenGL com placa Nvidia

Nenhum comentário

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Mais um teste de benchmark feito pelo pessoal da Phoronix envolvendo Windows 10 e Ubuntu 16.04 LTS. A ideia deste teste é comparar o desempenho dos dois sistema com diversas placas de vídeo e utilizando a API multiplataforma OpenGL.





Os testes foram feitos utilizando o Phoronix Test Suite e o teste foi feito comparando os sistemas usando o OpenGL, por ser multiplataforma e leva o recém lançado Ubuntu 16.04 LTS para um test drive.

Benchmarks entre placas de vídeo

Podemos observar no gráfico acima que na resolução 1920x1080 o Ubuntu teve um desempenho melhor no game OpenArena.

Os testes seguiram-se com o Ubuntu perdendo em alguns casos muito pontuais, você pode ver todos os comparativos entre ambos os sistema e saber mais detalhes diretamente no site da Phoronix.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Testes mostram um ótimo desempenho do "Ubuntu on Windows"

Nenhum comentário

quarta-feira, 13 de abril de 2016

A "novidade Linux" dentro do Windows 10 já chamou a atenção dos interessados em medir o desempenho da aplicação, afinal, de nada adianta ter a ferramenta se ela não se comportar bem, não é verdade? Vamos falar sobre os benchmarks do "Ubuntu on Windows".

Ubuntu on Windows




O pessoal da Phoronix fez alguns benchmarks para averiguar a potência do "Ubuntu on Windows" e mostrar o quanto ele poderia ser eficiente ou não e os resultado surpreenderam muito, e positivamente.


Resumo dos testes


Você pode ver todos os testes com os gráficos no link no final deste artigo, vamos abordar aqui de maneira geral o que pudemos observar nos benchmarks.


Basicamente foram comparados em teste o Windows 10 com o Bash, uma o Ubuntu 14.04 LTS, o Ubuntu 16.04 Beta e o ClearOS da Intel (uma distro Linux da empresa), apesar de ainda existirem bugs no Bash para Windows, como algumas funções que simplesmente não funcionaram corretamente, como o Aprígio Simões mostrou neste vídeo, depois de um pouco de trabalho, como o pessoal da Phoronix informou, tudo foi configurado corretamente. 

O hardware utilizado nos testes foi o seguinte:

- Intel Xeon E3-1280 v5 Skylake (base 3.7GHz, 4.0GHz turbo)
- 16GB de RAM
- 120GB Samsung 850 EVO SSD, 
- Radeon R9 290 (mesmo que não tenham sido feitos testes gráficos)
- placa-mãe MSI C236A Workstation

De maneira geral o Windows 10 se saiu bem, ganhando em alguns comparativos e perdendo em outros, só "perdendo de lavada", se é que se pode dizer assim, quando se travavam de destes que de alguma forma envolviam o sistema de arquivos, tirando isso o resultado foi satisfatório, o que mostra que o porte foi feito com sucesso, mas também mostra que o projeto ainda tem que evoluir para ter um desempenho melhor.


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




AMD vs Nvidia - Comparativo de desempenho no Linux

Nenhum comentário

quinta-feira, 24 de março de 2016

Com a chegada da API Vulkan e do desenvolvimento de novos drivers de vídeo é normal as pessoas se perguntarem qual a melhor opção para se jogar no Linux. Temos aqui um comparativo de desempenho usando OpenGL e Vulkan em uma série placas diferentes em um teste feito pelo pessoal da Phoronix, vamos analisar os números.

AMD vs Nvidia  - Linux Benchmarks




Nós que acompanhamos o cenário de games no Linux temos um conceito formado por experiência e diversos testes  que nos dizem que a AMD ainda "não chegou lá" quando se fala em desempenho no Linux, mas será que a diferença é tão grande assim em favor da Nvidia? É isso que vamos ver, pois o "fator Vulkan" veio para fazer diferença.

Nvidia vs AMD
Imagem: Phoronix

Recentemente, tanto AMD, quanto Nvidia lançaram drivers para Linux com suporte para o Vulkan, o benchmarks foi realizado com a última versão beta do AMDGPU e com o Nvidia 364.12 no Ubuntu 16.04 LTS (que ainda não saiu) comparando o OpenGL com o Vulkan.

O hardware utilizado foi:

- Xeon E3-1280 v5 Skylake 3.7GHz
- Placa-mãe MSI C236A Workstation
- 16GB de DDR4-2133 EUDIMM
- 120GB Samsung SSD 850

As placas de vídeo utilizadas podemos ver através dos gráficos:

Vulkan e OpenGL - AMD vs Nvidia

No gráfico acima nós vemos um comparativo entre as placas usando OpenGL (azul) e Vulkan (Vermelho), podemos ver  como o Vulkan traz mais FPS para as placas.

Abaixo vemos uma "corrida" entre as placas usando OpenGL, em alguns resultados podemos ver retornos positivos por parte da AMD, mas mesmo assim ainda é necessário um maior trabalho por parte da empresa.

Nvidia vs AMD

Nvidia vs AMD

Nvidia vs AMD

O que você achou? Podemos ver uma evolução interessante já não é? O meu conselho para quem deseja montar um PC para jogar  no Linux é ainda aposta em hardware Nvidia, pois ele parece, em linhas gerais, ter um melhor suporte.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Ubuntu 14.04 com driver proprietário da AMD vs Ubuntu 16.04 com driver open source

Nenhum comentário

quinta-feira, 17 de março de 2016

Os benchmarks entre as duas versões são importantes para ilustrar o quanto os usuários de placas AMD podem ser afetados com a notícia do não suporte por parte da empresa da nova versão do servidor X que deve acompanhar as distribuições Linux à partir de Abril. Por conta deste empasse a Canonical, empresa por trás do Ubuntu, anunciou que apenas drivers de código aberto farão parte dos recursos do sistema, pelo menos em primeira instância, e isso deverá afetar as demais distribuições também, pelo menos as que usarem a mesma versão do X.

fglrx vs amdgpu




Para quem não entendeu as siglas, o fglrx é o driver proprietário da AMD para Linux até então, porém a empresa decidiu investir do desenvolvimento do driver open source, o AMDGPU, com a ajuda da comunidade Linux e das empresas que trabalham com o sistema, ele é um driver que vem diretamente com o Kernel Linux e em tese você não precisa instalá-lo, ao fazer a instalação do sistema a própria distribuição vai detectar a placa de vídeo que você está usando e vai ativar o driver correto.

O problema para os usuários da AMD, como eu comentei no vídeo abaixo, é que o AMDGPU tente a entregar menos desempenho que o driver proprietário, pelo menos por enquanto, a esperança é que ele melhore ao longo do tempo, para agravar a situação, quem quiser usar o driver proprietário no Ubuntu 16.04 LTS não poderá por conta da compatibilização que não foi feita por parte da AMD.




Para termos uma noção do quanto essa mudança afetará que tem hardware AMD e prefere usar Linux para jogar o pessoal da Phoronix fez um Benchmark comparando os dois drivers em ambos os sistemas, vamos analisar os gráficos.

Os testes foram realizados com as seguintes placas:

  • R9 270X
  • R9 285
  • R9 290
  • R7 370
  • R9 Fury

O Hardware utilizando em conjunto com estas placas no testes foi:

- Processador Intel Xeon E3-1280 v5 @ 4.00GHz (8 Núcleos)
- Placa-mãe MSI C236A WORKSTATION (MS-7998) v1.0
- Memória RAM 16GB (modelo não especificado)
- SSD 120GB Samsung 850

Benchmarks entre AMDGPU e driver proprietário

Benchmarks entre AMDGPU e driver proprietário

Benchmarks entre AMDGPU e driver proprietário

Benchmarks entre AMDGPU e driver proprietário

Estes foram os testes principais, com os os games mais populares, porém existem mais com resultados semelhantes que você pode conferir no site da Phoronix.

Podemos observar que em alguns casos o AMDGPU apresentou desempenho melhor do que o driver proprietário, como no Bioshock Infinite, podemos observar um ganho também em relação ao driver open source anterior existente no Ubuntu 14.04 LTS, mas mesmo assim, na maioria dos testes o drive proprietário ainda oferece um melhor desempenho.

Agora temos que esperar para ver como será o desenvolvimento do AMDGPU e torcer que com a integração dele com o Vulkan as coisas melhores.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo