Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador canal-diolinux-youtube. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador canal-diolinux-youtube. Mostrar todas as postagens

Kdenlive 19.04.01 lançado com diversas correções!

Nenhum comentário

terça-feira, 14 de maio de 2019

O Kdenlive 19.04 foi lançado no dia 18 de Abril, com essa nova versão vieram muitas novidades e mudanças no programa, entretanto um bug bem chato estava atrapalhando a edição de vídeos no software. No dia 11 de Maio, uma nova versão foi lançada, corrigindo este problema.

kdenlive-19.04.01-editor-videos-linux-kde-ubuntu-gratis-gratuito-edição

Edição de vídeo no Linux é repleto de ótimas opções, temos o Davince Resolve, Ligthtworks, ShotCut, Openshot, entre outras ferramentas. Porém um dos queridinhos sempre foi o Kdenlive. Muitos canais no Youtube sobre Linux, são editados ou foram por muitos anos com essa ferramenta, que é o caso do Diolinux. Em meu canal OSistemático, venho produzindo conteúdo desde o início (2016) com essa ferramenta, e mesmo tendo pontos fortes e fracos considero um bom editor de vídeos.

Kdenlive um editor em constante amadurecimento


Durante o início do canal OSistemático, sofria bastante com a versão do Kdenlive contida nos repositórios do Deepin. E durante um bom tempo, foram meses de situações que envolviam o travamento do programa e em alguns casos até a perda do projeto. Então um belo dia resolvi experimentar a versão que é recomendada pelo projeto, o Kdenlive em AppImage, e posso lhe garantir parecia outro programa.

A versão 19.04 veio recheada de mudanças, uma timeline refatorada (feita totalmente do zero), a possibilidade de gravar o áudio diretamente do editor, adição da renderização de vídeos com fundo transparente, melhora no render (ainda não é um ShotCut ou Davince Resolve durante a renderização, mas está bem melhor que as versões antigas). São inúmeras mudanças. E como novas mudanças podem ocasionar novos bugs, assim foi.

kdenlive-19.04.01-editor-videos-linux-kde-ubuntu-gratis-gratuito-edição-timeline

Mais de 40 bugs corrigidos no Kdenlive


  • Foram várias correções, eis alguns bugs solucionados:
  • Falha ao abrir projetos antigos;
  • Erro ao desfazer efeito de ganho/gama;
  • Correção na gravação do áudio;
  • Efeito fade-out quebrado;
  • Miniaturas em alguns clips com falhas;
  • Seleção de clipe bin mais rápido;
  • Efeito de todas as guias com falhas;
  • “Agulha” da timeline se perdia;
  • Imprecisão nos atalhos de corte na timeline;
  • Correções na compilação para Windows; 
  • E muito mais correções…

Veja a lista completa de bugs corrigidos no site oficial do Kdenlive.

Durante esse tempo que editei com a versão 19.04, notei apenas 3 bugs que eram: A agulha que sempre se perdia na timeline, acarretando na imprecisão do corte utilizando atalhos. Por algum motivo o Nvenc não foi reconhecido, impossibilitando a utilização de minha placa de vídeo para render, proxys e previews. E em alguns projetos o vídeo não era exportado com o fundo transparente.

kdenlive-19.04.01-editor-videos-linux-kde-ubuntu-gratis-gratuito-edição-osistematico-canal-youtube-diolinux

Utilizei mesmo assim na produção de meus vídeos e o único bug que atrapalhava minha produtividade era “a agulha se perdendo”. Durante nenhum momento o aplicativo fechou ou algo assim.

Kdenlive 19.04.01 em AppImage e Flatpak


Caso utilize o Kdenlive para suas produções, recomendo a dar uma chance para essa nova versão, 19.04.01. Dou preferência pelos AppImages do Kdenlive, por conta de sua estabilidade e praticidade. Entretanto outra solução que venho usando e gostando bastante é o oferecido no Flathub em Flatpak. Esse formato terá a vantagem da atualização, enquanto no AppImage você deverá baixar o editor a cada update.

Para executar o Kdenlive em AppImagem é muito simples, acesse a matéria e proceda como no passo-a-passo. No caso do Kdenlive Flatpak, será necessário configurar algumas coisas, então segue o post completo

O link para download de ambas versões encontram-se no site oficial do Kdenlive, baixe e experimente.

E você edita vídeos com o Kdenlive? Já editei alguns projetos com essa nova versão 19.04.01 e estou gostando muito, migrei totalmente para ela (😁😁😁).

Que tal continuar todo esse bate-papo sobre edição de vídeo em nosso fórum Diolinux Plus?

Até o próximo post, aqui no blog Diolinux, te espero SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Meu fone de ouvido sem fio favorito está com um grande desconto! Confira!

Nenhum comentário

sábado, 24 de novembro de 2018

As pessoas sempre nos mandam e-mails pedindo conselhos para fazer as suas compras, são tantos produtos dentre os quais escolher afinal, porém, existem alguns que realmente valem "todas as estrelas" que nos damos para eles em nossas reviews. Hoje você vai poder aproveitar o Edifier W806T por um preço bem camarada.

Edifier






Antes de você dar uma olhada nos preços, confira o unboxing e nossa análise do Edifier, ele é o meu fone de ouvido preferido na atualidade, especialmente para viagem.



O fone está, segundo os nossos parceiros da TOMTOP, com 59% de desconto e com frete grátis para o Brasil, basta clicar aqui para conferir.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Você já experimentou o novo Deepin 15.8?

Nenhum comentário
O Deepin é, provavelmente, a distro Linux que mais chamou a atenção por conta do design da interface aprimorada no último ano. Enquanto essa interface foi remodelada há algumas versões, a versão recém lançada (15.8) do Deepin Desktop Enviroment, está ainda mais lapidada.

Deepin 15.8






Os desenvolvedores do Deepin anunciaram um bela atualização para a distro e para interface, melhorando recursos já existentes no ecossistema, confira no nosso vídeo todas as principais novidades:


O grande diferencial desta versão foi melhorar recursos já existente para que a usabilidade ficasse mais versátil e aprimorada, como a região dos indicadores do sistema e até mesmo o famoso painel lateral que o Deepin carrega.

Trazendo coisas reconhecidamente boas


É sempre bom considerar duas coisas ao se desenvolver uma interface, a familiaridade e a inovação. Muitas vezes ambas entram em conflito, a ânsia por inovação acaba gerando algumas ideias não tão usuais e pouco práticas, como aquele antigo sistema de notificações do GNOME na parte inferior da tela, que já foi abandonado (felizmente) há um bom tempo.

Antigo sistema de notificações do GNOME Shell
Antigo sistema de notificações do GNOME Shell

Considerando isso, uma das características do Deepin que eu mais admiro é a capacidade que os desenvolvedores tem de pegar vários conceitos presentes em diversas interfaces e sistemas (Android, GNOME, macOS, Windows, etc) que são familiares das pessoas e causam empatia e implementar no sistema, muitas vezes funcionando exatamente como funcionam em outros lugares e às vezes aplicando algumas melhorias para tornar a usabilidade consistente.

Para comentar alguns exemplos, temos agora o Dark Mode nas aplicações. Na prática, qualquer tema sempre conseguiu trazer essa feature para qualquer ambiente usado com distros Linux, entretanto, essa demanda se tornou mais latente com a implementação recente feita pela Apple e pela Microsoft, o que apesar de já existir no mundo Linux há tempos, fez com que muitos desejassem tal função de forma nativa.

Deepin Dark Mode

Apesar de podermos ajustar isso nas nossas interfaces (nós usuários Linux), não tínhamos uma implementação de modo escuro da mesma forma que o Deepin colocou, permitindo alterar o tom dos Apps de forma individual, sem afetar todo o sistema necessariamente.

Deepin Linux Mostrar Área de trabalho

Até mesmo a mudança do ícone para exibir a área de trabalho na versão novam, não é nada mais do que a implementação que o Windows tem desde... sempre, não tem nada de errado com isso, funciona muito bem, muito melhor do que ter um botão só para isso.

Mais novidades escondidas


Como comentado no vídeo, existem muitas coisas novas chegando e muitas coisas sendo constantemente melhoradas, porém, uma delas que não foi mencionada no vídeo inclusive, e que merece um comentário, é a criptografia de disco, que agora está presente diretamente na instalação. O código do Deepin está disponível no GitHub para consulta, assim você pode saber mais sobre o projeto.

A Deepin Store (loja de aplicativos) também recebeu melhorias, mas aparentemente parte delas está diretamente na infraestrutura da distro, antigamente as pessoas reclamavam muito de lentidão ao fazer download de softwares à partir dela, hoje esse problema parece ter sido muito minimizado, provavelmente graças as belas parcerias que a Wuhan Technology, empresa por trás do Deepin, vem conseguindo fazer com várias empresas e universidades ao redor do mundo.

Como você pode usar o novo Deepin 15.8?


A forma mais simples, sem dúvida, é baixando a versão mais recente do sistema diretamente do site oficial. Se o download for muito demorado pelo mirror oficial, veja que existem algumas alternativas logo abaixo do botão de download principal, com downloads providos pelo Google Drive, Mega, entre outros. Temos um vídeo para te ajudar com isso se você precisar:


Você já está usando o novo Deepin? Conte pra gente nos comentários, até a próxima! :)
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Compreendendo o Tempo de vida das versões do Ubuntu

Nenhum comentário

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

O Ubuntu é uma distro muito importante no cenário de servidores e desktops e seu tempo de suporte, além de influenciar na escolha pelo usuário de qual versão utilizar, também influencia diretamente nas distros que são flavors ou versões derivadas do sistema da Canonical. Você já deve ter se deparado com os gráficos disponibilizados no site da Canonical exemplificando o tempo de suporte de cada versão de seu sistema e agora, nós vamos dar uma olhada mais de perto nesses gráficos para que você compreenda melhor.






O gráfico abaixo (retirado do site da Canonical) basicamente está dividido em ano (na parte inferior) e ao lado você encontra as releases do Ubuntu onde encontram-se também as versões que ainda não saíram.

A parte em laranja escuro que você está vendo são atualizações de hardware e manutenção, mostrando que durante aquele período que está determinado, aquela versão do sistema pode receber versões novas do Kernel que vão sendo implementadas e correções que sejam necessárias como bugs por exemplo. Após um período de tempo depois do lançamento de cada versão LTS (long term support) a versão do sistema simplesmente vai ter atualizações de manutenção (laranja claro) para corrigir algumas coisas de segurança e bugs que aparecerem na distro, não ocorrendo mais muitas atualizações no próprio sistema, pois quando um sistema LTS entra no modo “manutenção” uma outra LTS já terá sido lançada e vários usuários já estarão migrando para esta nova versão. 

Por padrão, as versões LTS do Ubuntu também utilizaram softwares LTS, geralmente tudo o que for Long term Support (LTS), vai ser incluído nos repositórios do Ubuntu, mantendo-se na mesma versão enquanto não for lançaao uma nova versão LTS desse software.

Assim que o período de tempo de suporte passa, o sistema simplesmente “congela” e você não recebe mais atualizações, sendo que o único jeito de você continuar conseguindo consultar o repositório é adicionando o repositório old releases do Ubuntu, o qual até fizemos um post aqui no blog, apesar de ser apenas uma ajuda momentânea até você fazer a troca de versão.

Ainda sobre o gráfico mostrado acima, nele você encontra as Standard releases (em cinza), que são versões intermediárias que não são LTS. As versões LTS no Ubuntu, são lançadas a cada dois anos e entre cada versão LTS, você encontra três lançamentos Standard que são um tipo de versões "beta" para teste daquilo que virá na próxima LTS e só possuem 9 meses de suporte, por isso não são aconselháveis em projetos de longo prazo. Geralmente essas versões são lançadas em Outubro do mesmo ano de lançamento de uma LTS,  em Abril e outra em Outubro do ano seguinte e consecutivamente outra versão LTS. 

No vídeo abaixo, foram respondidas algumas dúvidas sobre as versões do Ubuntu. Nele você encontra explicações detalhadas e exemplos sobre as versões do sistema e seu tempo de suporte.



Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Um convite especial para você que gosta do Diolinux!

Nenhum comentário

terça-feira, 7 de agosto de 2018

Estou aqui para te fazer um convite muito especial! Agora o canal Diolinux está marcando presença em um novo setor também e queremos você por lá!

Twitch Diolinux






Nós estamos começando uma nova fase no "projeto Diolinux", como chamamos. As lives são uma forma muito interessante de interação com o público, de entretenimento e conhecimento, porém, o YouTube, curiosamente, não favorece muito esse tipo de formato, ao contrário da Twitch

Continuaremos fazendo as lives no YouTube também, mas elas serão versões do conteúdo padrão do canal, com a única diferença de ser ao vivo, já na Twitch, focaremos em games para Linux especialmente, é claro que podemos conversar sobre assuntos diferentes, mas estaremos rodando games quase que diariamente para você poder se divertir com a gente.

O projeto é fazer live na TwitchTV todos os dias desta semana e continuar com uma alta frequência nos dias seguintes, na medida do possível. Hoje mesmo teremos live por lá, basta você acessar o nosso canal da Twitch e acompanhar.

Vale a pena seguir o canal e talvez até baixar o App da Twitch para o seu Smartphone, assim você vai ser avisado sempre que nós entrarmos ao vivo, permitindo que você assista a live e também comente ao vivo, interagindo conosco e com as outras pessoas que estiverem assistindo.

Quanto a games, de forma geral, no YouTube vamos reservar o Sábado para postar conteúdo neste sentido, porém, não serão gameplays necessariamente, serão vídeos diferentes, vale a pena ficar de olho, os vídeos vão sair sempre às 19 horas lá, e assim, teremos 7 vídeos por semana! :D

Chegou a hora de mostrarmos que Linux pode ser usado para diversão com games também no antro de gamers da internet que é a Twitch! Entre você também para a #LinuxGamersGeneration!

Bora lá acompanhar a gente na Twitch então, temos um encontro marcado todos os dias depois das 19:30, é só ficar ligado! :)

Até logo!
____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


O que é um programa "pesado"

Nenhum comentário

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Uma das perguntas mais frequentes encontradas no canal, ou até mesmo aqui no blog, é “tal interface do Linux é pesada?”. Quando perguntamos se uma interface é ou não pesada, o que devemos levar em consideração? Ou melhor, o que é um programa pesado afinal de contas?


Podemos definir um programa pesado, tanto no linux, Windows ou macOS, como um programa que usa muitos “recursos da máquina”. Basicamente podemos incluir quatro itens em nossa lista na hora de verificar se um programa é ou não pesado para nosso computador. Estes itens são: processador, memória RAM, armazenamento e GPU.

Tendo em mente que esses são os recursos que você irá avaliar, fica muito mais fácil de escolher, por exemplo, a interface adequada para a sua máquina, se o intuito é escolhê-la por ser mais “leve”. 

Também é importante lembrar que um programa pode ser considerado pesado, mas não necessariamente nesses quatro itens, pois depende do que você está avaliando no seu computador. Podemos usar como exemplo o Cinnamon, a interface mais popular do Linux Mint.

O Cinnamon, por exemplo, pode ser considerado tanto pesado, quanto leve, dependendo do que você levar em consideração na hora de avaliar. Em comparação com outras interfaces disponíveis, se formos avaliar o uso do processador, ele é um ambiente gráfico leve, se estiver falando de memória, ele é um ambiente gráfico leve, se você está falando de disco rígido de armazenamento, ele também é ambiente leve, agora, se você estiver falando de gráficos, aí você poderá considerá-lo um ambiente mais pesado. Mas então Linux Mint é um sistema leve ou pesado? Depende do que você for avaliar.

Apesar de através de comparativos entre sistemas conseguirmos dizer quais são um pouco mais pesados que outros, devemos considerar também a potência do hardware que você tem disponível no seu computador, pois isso fará grande diferença na hora de considerar um sistema “leve ou pesado”. Confira o vídeo na canal, em que discutimos em detalhes o que podemos analisar em um programa para considerá-lo “pesado”.



Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


DRUPAL - Uma alternativa grátis ao WordPress

Nenhum comentário

segunda-feira, 2 de julho de 2018

O Linux e as tecnologias open source praticamente movem a internet, estando  praticamente na estrutura de todos os websites que vemos hoje em dia.



O Wordpress é certamente uma das opções mais conhecidas e usadas para a criação de sites e blogs, sendo utilizado em mais de 50% dos projetos envolvendo algum sistema CMS (Content Management System) na internet. Mas apesar do WordPress ser muito popular, não é a única alternativa de ferramenta CMS.

Se você está em busca de um CMS alternativo, hoje nós lhe apresentamos o Drupal, que é uma alternativa CMS parecida com o WordPress que vai lhe ajudar a fazer uma diversidade de projetos.



Baseando-se em PHP, você pode utilizar o Drupal para fazer sites, blogs, sistemas de gestão, sistemas de intranet, e-commerce e várias outras coisas. 

Assim como o WordPress, você pode aplicar templates para mudar o visual, adicionar recursos desenvolvidos pela comunidade que são bem parecidos com os plugins que você encontra no WordPress.

Apesar do Drupal ser menos popular, ele é um projeto que já dura 15 anos como uma comunidade de desenvolvedores bem ativa sempre dispostos a expandir e melhorar a capacidade do software.

Muitos sites já passaram pelo Drupal, inclusive por questões de segurança o da casa branca e da Nasa por exemplo. 

Ficou curioso para saber como o Drupal funciona? É só acessar o site do Drupal e fazer o download para começar a soltar a sua criatividade e ver o quão útil esta ferramenta.

Confira também o vídeo que fizemos no canal em parceria com a Hostgator:


Se você está em busca de hospedagem para o seu novo projeto tanto no Drupal quanto no Wordpress, confira os desconto que temos para você com o nosso parceiro Hostgator.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Conheça o AUGLAMOUR GR-1

Nenhum comentário

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Você está precisando de um amplificador portátil que seja poderoso e resistente? Então conheça o AUGLAMOUR GR-1.

Amplificador AUGLAMOUR






É difícil dizer o tipo de usuário que realmente precisa de um amplificador portátil, creio que os usuários que realmente precisam simplesmente buscam por este tipo de coisa, de modo que, se você realmente nunca pensou algo como "seria bom ter um amplificador aqui", produtos como o AUGLAMOUR GR-1 provavelmente não são para você.

Eu fiz o unboxing do produto no meu Instagram (me siga por lá se ainda não segue 👊):


Depois você pode conferir o teste que eu fiz com ele no canal Diolinux no YouTube:



De fato ele possui uma construção muito especial. A junção de design com resistência e qualidade sonora acabou me conquistando, dando uma diferença considerável da hora de ouvir as músicas, especialmente amplificando à partir do celular.

Eu adquiri ele na loja CAFAGO, uma das empresas que tem uma boa relação conosco há um bom tempo, porém, infelizmente ele não estava mais à venda (em estoque) no momento no vídeo, por isso eu pedi para que eles oferecessem alguns cupons de descontos para que vocês pudessem comprar alguns produtos equivalentes:

XU09 Hi-Fi Headphone Amplifier 
Preço: € 15.82
Cupom: L3878V
Até: 2018.6.30
https://goo.gl/iBMgDV

FX-AUDIO DAC-X6 Mini HiFi 2.0 Digital Audio Decoder
Preço: € 49.99
Cupom: L4355V
Até: 2018.6.30
https://goo.gl/NAN4S9

No entanto, sinta-se livre para pesquisar no mercado pelo AUGLAMOUR GR-1, ele é realmente muito bom e certamente você ficará satisfeito, ele custou cerca de R$ 240,00 e não foi taxado, de forma que eu recebi através do Correio em minha casa sem maiores despesas, porém, tive de esperar cerca de 60 dias.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Analisamos o fone KZ-ZSR, uma opção interessante para quem busca versatilidade

Nenhum comentário

quarta-feira, 30 de maio de 2018

O KZ-ZSR é um fone de ouvido que pode ser considerado modular, até certo ponto, pois você consegue desmontá-lo e usamos de formas diferentes dessa forma, além de possuir em sua estrutura algumas peculiaridades que você não vai encontrar em qualquer modelo por aí. Confira os detalhes:

ZSR Fone de ouvido - Review






Você pode conferir a review do aparelho em vídeo para ter mais detalhes logo abaixo no nosso canal no YouTube.


O KZ-ZSR é um fone de ouvido peculiar, essa aparência de plástico transparente acaba dando a ele uma aparência de "coisa barata e sem valor", mas não se engane, apesar do valor dele estar longe dos mais caros do segmento, ele também não está perto da classe mais baixa da categoria, entregando uma qualidade que surpreende.

KZ-ZSR Fone de ouvido
Detalhes de "Right" e "Left" com fonte estilizada dão um toque especial

O fone de ouvido é todo de plástico e aparenta ser bem resistente, com bons acabamentos, no caso desse modelo em específico temos um preto brilhante ao lado de detalhes em prata.

A embalagem do produto tem uma característica minimalista, usando somente da cor branca em toda a caixa e um desenho ilustrando o fone de ouvido em traços cinzas, assim como as informações em inglês e chinês da embalagem também na cor cinza. 

Ao abrir a embalagem nos deparamos com o fone de ouvido em uma sub embalagem preta coberto por uma proteção transparente, que por sinal é um pouco complicada de retirar. Embaixo da embalagem preta você encontra o manual de instruções completamente em inglês e dois pares de borrachinhas intra auriculares de tamanho pequeno e grande, sendo que o tamanho médio já encontra-se no próprio fone de ouvido.

ZSR Unboxing

O fio deste fone vem separado da parte intra auricular, o que pode ser bem interessante caso você estrague o fio, pode fazer somente a substituição dele, não de todo o fone, pois você pode montá-lo e desmontá-lo. 

Tanto no fio quanto na parte intra auricular você encontra os sinais de "direita" e "esquerda" para não ter dúvida na hora da montagem, no entanto, o real motivo para você poder retirar os fios é que o KZ-ZSR é um fone modular, você encontra para a compra um módulo bluetooth capaz de transformar o seu fone com fio e um sem fio.

O modulo bluetooh não é incluso neste modelo que recebemos para testes, mas pode ser comprado à parte. Convenhamos, isso poderia ter sido melhor pensado, mas felizmente, isso não faz com que a qualidade do fone se torne inferior, ele só não fica tão bom quanto poderia.

Já que estamos falando da versão com fios, vamos falar deles.

O fio aparenta ser bem resistente apesar de ser de espessura mediana, ele possui uma capa protetora emborrachada em um cinza de material transparente, que deixa aparecendo os fios internos do fone, o que acaba sendo um detalhe bem bacana. 

Quanto a plug, ele é um conector P3 com um detalhe em plástico na posição horizontal, o fio é longo, possuindo um tamanho de aproximadamente um metro e trinta, logo, é bom caso você goste de ouvir música com o celular no bolço da calça ou até com o celular na mão com o braço estendido.

 O KZ-ZSR não possui ajuste de distância entre os fones, mas ele ficam bem distantes um do outro, além disso, ele possui uma parte de plástico aramado que acaba fazendo com que você consiga ajustar o fone ao seu ouvido e que ele fique bem firme, dando a possibilidade de você poder praticar esportes também, pois por mais que ele fique preso a sua orelha ele é bem leve, e você quase não sente ele.

A qualidade do som

Uma das partes mais importantes merece uma sessão especial, vamos falar sobre a qualidade do som do dispositivo.

Como o fone se encaixa bem ao ouvido, você consegue isolar bem o ruído externo e a qualidade do som é beneficiada com isso. Não percebi qualquer distorção, podendo ouvir bem cada um dos instrumentos. 

Qualidade do som
O design interno separa a região responsável pelos graves, médios e agudos

Vale observar a construção interna do fone nos mostra uma diferença física entre a região responsável por reproduzir os graves e a região responsável pelos médios e agudos, o que é muito bom para um fone deste valor.

O fone possui somente um botão, e através dele você consegue atender e encerrar suas ligações, ter controle das funções de player de música, sem a possibilidade de aumentar e diminuir o volume, que é um recurso presente em alguns fones atualmente.

O ZSR também possui um microfone que é muito bom pra você poder fazer suas ligações, ou mandar seus áudios no WhatsApp, no entanto, não é o ideal para ser usado como microfone principal em uma gravação de vídeo, porque apesar da voz clara e concisa que ele consegue captar, ao mesmo tempo ele não é muito bom em ignorar ruídos.

Uma desvantagem encontrada em relação a conservação do produto, foi que este modelo não vem com nenhum case ou estojo e o fio acaba ficando exposto por conta disso, permitindo que aqueles nós indesejáveis aconteçam, então é bom encontrar um lugar ou uma boa forma de armanená-los para que eles durem muito tempo.

Se quiser comprar um modelo como este para você, confira os seguintes links:

- Compre o fone aqui: http://bit.ly/KZ-ZSR 
- Versão verde (ainda mais transparente): http://bit.ly/KZ-ZSR-VERDE

Até a uma próxima!
_____________________________________________________________________________

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Como configurar a sua placa de som no Linux facilmente

Nenhum comentário

terça-feira, 27 de março de 2018

Muitos usuários novos que chegam ao Linux ficam com dúvida em como configurar o som em Notebooks e Desktops, pois quando plugam algum Headset ou fones de ouvido e mesmo assim o "bendito" do som teima em sair pelas caixas de som ou qualquer outro lugar. E hoje nesse artigo vamos mostrar como configurar a sua placa de som no Linux facilmente e alguns "pulos do gato" para não passar mais apertos. Borá lá?

Como configurar placa de som no Linux






A configuração que vamos mostrar a seguir é relativamente simples e fácil de se fazer, mas muitos usuários novos no Linux ainda se confundem ou ainda não tiveram a oportunidade de explorar o sistema à fundo. 

Estamos usando o Linux Mint como base do tutorial, mas basta que vocês localizem o caminho do som na sua distro, o resto é idêntico.

Primeiramente, clicamos no "Menu", depois em "Configuração de Sistema" e por fim em "Som".



Você também podem chegar nessa tela de configuração, através do ícone de som, clicando nele e depois clicando em configurações de som.

Nessa tela, você tem duas abas importantes, a "Saída" e a "Entrada", aonde na aba "Saída" você vai ter os dispositivos como caixas de som, fones de ouvido ou qualquer outro dispositivo que lhe forneça uma saída ( 👊agora faz todo sentido, não é?), e na aba "Entrada", você vai ter todos os dispositivos que lhe vão fornecer uma entrada, como microfones.

Alguns macetes e dicas de como ver se a placa de som está configurada


Agora os "pulos do gato" que mencionamos no começo do texto.

Muitas pessoas que estão usando alguma distro Linux pela primeira vez podem estranhar que ao conectar o seu Headset ou fone de ouvido eles não recebam o som.

Isso acontece pois no Linux ele vai "soltar" o som na saída que você escolheu e não "tentar adivinhar", como acontece no Windows por exemplo.

Isso é facilmente contornável na aba "Saída", aonde você pode configurar em qual dispositivo o som deverá sair, como a saída HDMI que você liga na TV, o seu Fone de Ouvido, Headset e por ai vai.

Vídeo do canal mostrando como fazer


No nosso canal fizemos um vídeo mostrando como fazer essas configurações e mais algumas dicas que você pode conferir logo abaixo:




Com isso você não deve ter mais dificuldades na hora de configurar o seu som nas distros Linux. Ratificando, aqui fizemos o tutorial com o Linux Mint e o Ubuntu (representados no vídeo acima), no entanto, estas mesmas técnicas são válidas para outras distribuições e outras interfaces, salvo as suas pequenas diferenças.

Você pode deixar nos comentários as suas experiências com placas de som e Linux.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Cetus Play - Um dos melhores Apps para você controlar o seu Android TV Box

Nenhum comentário

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Controles remotos de Android TV Box, de forma geral, não te trazem a melhor experiência possível. É claro, existem alguns modelos que vão entregar experiências muito boas, mas os de valor mais acessível costumam ter um controle "meia boca". Para isso existe o Cetus Play, vamos conhecer ele melhor?

Cetus Play






Eu sempre converso com os leitores do blog e do canal das redes sociais e muitas vezes através do comentários surgem ótimos debates, pelo menos, sempre que possível eu dou uma passada para trocar algumas ideias com vocês.

Um dos assuntos que eu estava conversando com a galera lá do grupo do Diolinux no Facebook eram formas mais práticas para operar os TV Box.

Quando se trata de experiência e usabilidade, alguns modelos como este da Xiaomi são simplesmente "perfeitos":


No entanto, existem muitos outros que te entregam um controle genérico que nem de perto te traz essas facilidades, o que é uma pena, já que muitas vezes estes TV Boxes tem hardwares excelentes e preços baixos, especialmente nessas marcas menos populares, como este aqui:


Felizmente no mundo Android existem muitos aplicativos que podem nos ajudar a melhorar isso, até o troca do Launcher pode ser uma opção, mas pesquisando um pouco eu descobri o Cetus Play, um App que transforma o seu Smartphone em um controle remoto para o seu TV Box e é bem menos drástico do que alterar o launcher, especialmente para quem é leigo no assunto.

Entrando em contato com os Devs eu pude testar o App no modo Premium, mas no fim das contas acabei percebendo que não tem diferença alguma usar o App grátis ou o Premium. Tirando os anúncios que aparecem, a funcionalidade é exatamente a mesma.

O Cetus Play


Para você entender melhor como o App funciona eu fiz um vídeo especial, confira agora e veja só que bacana e prática a usabilidade:


Você pode baixar o App gratuitamente direto da Google Play Store, basta clicar aqui.

Para usar o Cetus Play no seu Android TV Box você precisa instalar o App tanto no seu Smartphone, quanto no TV Box, assim você terá uma melhor integração. 

Deixe ambos na mesma rede Wi-Fi para que tudo funcione corretamente e siga a instruções que eu mostrei no vídeo.

Como demonstrado no vídeo, lembre de ativar o teclado Cetus Play no seu TV Box, assim você pode usar o Smartphone para digitar e pesquisar.

Cetus Play

Dentre os vários layouts de controle disponíveis, o padrão já deve te servir sem maiores problemas, para os Apps que não são otimizados para controle, você pode usar o modo "AirMouse", que transforma o seu Smartphone em uma espécie de touchpad e exibe um cursor na tela da sua TV, assim fica fácil manipular certos Apps, como a Netflix, quando este App não for otimizado para o seu TV Box, como acontece no Mi Box, claro.

E aí, curtiu a dica? Quais os seus Apps preferidos para rodar em um Android TV Box?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Saiba mais sobre o suporte futuro da AMD no Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

AMD e Linux são duas coisas que costumavam não se dar muito bem, pelo menos não quando o assunto era "placas de vídeo", mas com o tempo, a postura da empresa mudou de forma radical, tornando-se uma empresa que suporta vários projetos de código aberto.

Linux e AMD






Com o lançamento do Kernel Linux 4.15, nós teremos a inclusão 130 mil linhas de código provindas da AMD, essas melhorias devem melhorar a compatibilidade e performance dos produtos da empresa com o sistema do pinguim.

Para você entender um pouco melhor a relação da empresa com o mundo Linux nós entrevistamos Alfredo Heiss, representante da AMD no Brasil. Na entrevista nós conversamos sobre o suporte a driver para placas de vídeo pelo Kernel e como a empresa trabalha com projetos de código aberto.



Será que finalmente teremos um suporte equivalente ao da Nvidia no Linux? 2018 está só começando e promete muito!

Deixe a sua opinião nos comentários e até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


5 recursos interessantes do Deepin Desktop Enviroment

Nenhum comentário

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Em 2017 o Deepin chamou muito a nossa atenção pelo cuidado no design de sua interface. Como tudo que é open source, ela foi adaptada para outras distribuições Linux, como o Manjaro Deepin e o brasileiro, Big Linux, ratificando o seu sucesso.

Deepin Desktop Enviroment






O Deepin Desktop Enviroment é uma interface extremamente bela e produtiva, pelo menos essa é a minha sensação ao utilizá-la, certas configurações que em outras ambientes geralmente são mais complicadas, ou requerem mais cliques para serem feitas, no DDE são realmente simples, garantindo uma  ótima e intuitiva experiência para usuários leigos.

Eu separei 5 coisas que eu acho interessantes no DDE, confira e veja se você já as conhecia:



Quais os recursos do DDE que você mais gosta? Conte pra gente nos comentários.

Gosta do Deepin? Então leia mais sobre ele aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Lançados: Linux Mint 18.3 com KDE Plasma e XFCE, faça o download!

Nenhum comentário

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Algum tempo depois do lançamento da versão final do Linux Mint 18.3 nas versões "principais", que são as Cinnamon e MATE, eis que chega para o público o Linux Mint 18.3 KDE e o Linux Mint 18.3 XFCE.

Linux Mint 18.3





Pouco menos de um mês após o lançamento das versões "principais" do Linux Mint, temos o lançamento das versões comunitárias/secundárias, que incluem as interfaces KDE Plasma e XFCE.

Linux Mint 18.3 KDE


A versão 18.3 com KDE pode ser a última versão produzida pelo time do Linux Mint com esta interface. É possível que no próxima lançamento a própria comunidade do Linux Mint tome parte desta versão do sistema, mas ainda não temos certeza.

O sistema chega com o KDE Plasma 5.8 LTS, Kernel Linux 4.10, baseado no Ubuntu 16.04.3 LTS, possuindo atualizações de segurança até 2021, então quem gosta do Mint com esta interface poderá aproveitá-lo por um bom tempo.

Para fazer o download e saber mais informações sobre essa versão, incluindo todas as novidades implementadas, confira este link.

Linux Mint 18.3 XFCE


Existem muitas novidades no Linux Mint 18.3 em si, mas em se tratando do XFCE, tivemos apenas atualizações de softwares. Para baixar essa versão do Linux Mint e saber mais sobre ele, basta acessar este link.

Esta versão do Linux Mint vem com XFCE 4.12, Kernel Linux 4.10, baseado no Ubuntu 16.04.3 LTS, assim como os demais. Esta versão recebeu aprimoramentos visuais para o tema Mint-Y.

As novidades da versão 18.3


O Linux Mint possui uma grande homogenia entre as suas versões, elas são muito parecidas e as principais novidades desenvolvidas pelo projeto geralmente vão para todas as versões do sistema.


Uma das características interessantes que o Linux Mint tem é a sua possibilidade de ser operado por usuários leigos sem a necessidade de utilizar o terminal. Para demonstrar esse funcionamento e dar algumas dicas de pós-instalação, confira este vídeo:


Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Confira a minha palestra na íntegra!

Nenhum comentário

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Em Outubro deste ano eu apresentei na Campus Party de Pato Branco-PR e na Latinoware a palestra "Dossiê dioLINUX", nela eu relevei o resultado de uma grande pesquisa feita entre usuários Linux leitores do blog nos últimos dois anos.

Dossiê dioLINUX






A ideia era mostrar alguns dados estatísticos à respeito de curiosidades e "padrões" dentro do "mundo Linux", ou pelo menos, mostrar um pouco das preferências dos nossos leitores.

Na palestra foram abordados temas como: Qual a interface gráfica mais utilizada? Qual a distribuição Linux que as pessoas mais gostam? Onde as pessoas mais usam Linux? Em casa, no trabalho? Em servidores? Dual Boot? 

Prepare as pipocas e confira, e ahh! Não esqueça de se inscrever no canal caso ainda não for inscrito, assim você pode acompanhar os próximos vídeos :)



Gostaria de agradecer aos organizadores do evento, as pessoas que participaram da palestra no dia e claro, as pessoas que participaram da pesquisa! 

Foi muito bom conhecer as pessoas que acompanham o blog e o canal pessoalmente, uma troca de experiências sem descrição, inclusive, eu até fiz um outro evento à respeito das minhas atrações favoritas na Campus Party, você pode ver clicando aqui.

Você pode deixar a sua opinião sobre a palestra e os resultados nos campos de comentários logo abaixo, até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo