Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador canonical. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador canonical. Mostrar todas as postagens

Veja o novo codinome do Ubuntu 19.10 e de todas as versões já lançadas

Nenhum comentário

quarta-feira, 8 de maio de 2019

O Ubuntu 19.04 foi lançado há pouquíssimo tempo, e a Canonical já está em pleno vapor com o desenvolvimento da próxima versão de seu sistema. E há uma curiosidade nos lançamentos do Ubuntu, seus codinomes peculiares, então saiba qual o nome da próxima versão da distro mais famosa do mundo Linux. (Não me crucifiquem, acessem essa matéria e entenderão a afirmativa).


O Ubuntu tem como costume utilizar uma combinação de nomes para os codinomes de suas versões. Essa "brincadeira" é uma "marca registrada do Ubuntu", sendo utilizado pela distribuição desde seu primeiro lançamento em Outubro de 2004.

Como "via de regra" o nome é composto de um adjetivo mais um animal que seguem o alfabeto e ambas possuem as mesmas iniciais, e são combinações um tanto que inusitadas. Veja loga abaixo todos os codinomes do Ubuntu (até o momento).


Versão Codinome Data de lançamento
Ubuntu 4.10 Warty Warthog 20 de outubro de 2004
Ubuntu 5.04 Hoary Hedgehog 8 de abril de 2005
Ubuntu 5.10 Breezy Badger 13 de outubro de 2005
Ubuntu 6.06 LTS Dapper Drake 1 de junho de 2006
Ubuntu 6.10 Edgy Eft 26 de outubro de 2006
Ubuntu 7.04 Feisty Fawn 19 de abril de 2007
Ubuntu 7.10 Gutsy Gibbon 18 de outubro de 2007
Ubuntu 8.04 LTS Hardy Heron 24 de abril de 2008
Ubuntu 8.10 Intrepid Ibex 30 de outubro de 2008
Ubuntu 9.04 Jaunty Jackalope 23 de abril de 2009
Ubuntu 9.10 Karmic Koala 29 de outubro de 2009
Ubuntu 10.04 LTS Lucid Lynx 29 de abril de 2010
Ubuntu 10.10 Maverick Meerkate 10 de outubro de 2010
Ubuntu 11.04 Natty Narwhal 28 de abril de 2011
Ubuntu 11.10 Oneiric Ocelot 13 de outubro de 2011
Ubuntu 12.04 LTS Precise Pangolin 26 de abril de 2012
Ubuntu 12.10 Quantal Quetzal 18 de outubro de 2012
Ubuntu 13.04 Raring Ringtail 25 de abril de 2013
Ubuntu 13.10 Saucy Salamander 17 de outubro de 2013
Ubuntu 14.04 LTS Trusty Tahr 17 de abril de 2014
Ubuntu 14.10 Utopic Unicorn 23 de outubro de 2014
Ubuntu 15.04 Vivid Vervet 23 de abril de 2015
Ubuntu 15.10 Wily Werewolf 22 de outubro de 2015
Ubuntu 16.04 LTS Xenial Xerus 21 de abril de 2016
Ubuntu 16.10 Yakkety Yak 13 de outubro de 2016
Ubuntu 17.04 Zesty Zapus 13 de abril de 2017
Ubuntu 17.10 Artful Aardvark 19 de outubro de 2017
Ubuntu 18.04 LTS Bionic Beaver 26 de abril de 2018
Ubuntu 18.10 Cosmic Cuttlefish 18 de outubro de 2018
Ubuntu 19.04 Disco Dingo 18 de abril de 2019
Ubuntu 19.10 Eoan Ermine ?? de Outubro de 2019
Ubuntu 20.04 LTS ??? ?? de Abril de 2020

Como noticiado aqui no blog Diolinux, através das daily builds do Ubuntu 19.10, ficamos sabendo a primeira parte do codinome do sistema, sendo o adjetivo “Eoan”. O nome me chamou a atenção, tendo segundo o dicionário Collins um significado como: “de, ou relativo a, o amanhecer”. Em outros dicionários o adjetivo é relacionado a “do leste”, e ao escrever o post sobre o desenvolvimento inicial do Ubuntu 19.10, logo me veio à mente a segunda parte do nome (que julgava ser um forte candidato), “Eagle”. A lógica era simples: “relativo a o amanhecer, do leste”, pensei no Sol e sua relação com o leste e o lado do nascente e poente do Sol. O “amanhecer” também remetia a nossa grande estrela amarela que fortalece os kryptonianos (essa fica para os geeks 😁😁😁). Logo o animal com a inicial “E” e que majestosamente se aproxima do Sol, era a águia. Veja a capa que fiz com essa ideia na cachola.



Eu não poderia estar mais equivocado (erroooooou), o novo codinome do Ubuntu 19.04 é “Eoan Ermine”. Parece que a imponente águia não foi a resposta correta. O animal Ermine, é um tipo de doninha de rabo curto, também conhecida como “Arminho”, mas que tem como nome científico Mustela erminea L., 1758. O animal é característico das florestas temperadas, árticas e sub-árticas da Europa, Ásia e América do Norte.


O Arminho é comumente usado em outros países para descrever uma pessoa com casaco ou pele muito branca, pois as espécies de localidades que atingem baixas temperaturas possuem um pelo branco como a neve. Outra curiosidade é que o pelo do Arminho é usado para revestir as vestes de importantes figuras que se sentam na Câmara de Lordes britânicos.

O que podemos esperar do Ubuntu 19.10?


Sem sombra de dúvidas essa versão é muito importante para a próxima versão “Stable” do sistema, afinal ela antecede o Ubuntu 20.04 LTS. O Ubuntu 19.10 é “a última” chance de algum recurso novo entrar no 20.04, que é focado em estabilidade, sendo o 19.10 a porta de entrada para novidades e experimentações.

No momento já sabemos que o Ubuntu 19.10 contará com o Gnome 3.34, uma tela inicial de boas-vindas renovada, suporte à instalação do ZFS etc.

Está ansioso para o lançamento do Ubuntu 19.10? Que tal continuar esse assunto lá em nosso fórum Diolinux Plus? Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ubuntu 14.04 LTS chega ao "fim da vida"

Nenhum comentário

segunda-feira, 29 de abril de 2019

Como noticiamos no ano passado, a Canonical, empresa que mantém o Ubuntu, estava planejando o “fim da vida” do Ubuntu 14.04 LTS para a grande maioria dos seus clientes e que pretendia oferecer um serviço EMS (Extended Security Maintenance) para quem precisasse usar tal versão do Ubuntu quando o mesmo perdesse o seu suporte tradicional, isso acontecerá em 30 de Abril de 2019.

 Ubuntu 14.04 LTS chega ao "fim da vida"






Como falamos naquele artigo, a Canonical já estava informando os usuários desta versão do Ubuntu que o suporte iria se encerrar em Abril de 2019, orientando aos utilizadores que fizessem o upgrade para a versão 16.04 LTS do Ubuntu, para que eles pudessem ter mais tempo de suporte, ou mesmo para a versão 18.04 LTS.

Vamos lembrar que o Ubuntu 14.04 LTS foi lançado em 17 de Abril de 2014 e contou com 5 anos de suporte.

No comunicado feito no oficial blog, a empresa comenta o seguinte:

“A disponibilidade do ESM para o Ubuntu 14.04 significa que o fim da vida do Ubuntu 14.04 LTS Trusty Tahr em Abril de 2019 não deve impactar negativamente os esforços de segurança e conformidade de uma organização. A Canonical coloca a segurança no coração do Ubuntu, em nossas práticas, processos, conformidade e na arquitetura de nossos produtos.”

A Canonical também colocou um link de contato para que essas empresas e organizações que precisam adquirir maior tempo de suporte, possam facilmente se comunicar e fazer a solicitação.. Para maiores informações clique aqui.

Espero você no próximo post, forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Microsoft comemora “dia do Pinguim” com Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 26 de abril de 2019

Aos longínquos anos 90 e começo dos anos 2000, a Microsoft via o Open Source e o Linux como inimigos a serem “abatidos e eliminados”, de fato, em certa época Steve Ballmer, então CEO, chegou a falar que o Linux era um “câncer” para a MS. Anos depois a empresa mudou bastante neste sentido, especialmente à partir de 2016.


 Microsoft comemora “dia do Pinguim” com Linux





Feito esse parênteses, hoje a Microsoft é mais próxima ao Open Source e do Linux, tanto que tem o Azure, o WSL e alguns apps portados para a plataforma, como o Skype e o Visual Studio Code. E quem sabe o navegador Edge e talvez o Microsoft Office 365, falaremos mais adiante.

Em referência ao #WorldPenguinDay (ao bicho mesmo), a conta de oficial da Microsoft que “cuida” da divulgação Open Source da empresa, fez um Tweet aproveitando a a oportunidade e “chamando” a comunidade a compartilhar quais projetos Open Source as pessoas mais gostavam:



Vários projetos foram mencionados, como o GNOME, KDE, Manjaro, Ubuntu, Pop!_OS, entre outros, como você pode ver na tread do Tweet acima.

Mas um comentário me chamou a atenção e a resposta a ele. O usuário Raywon Teja Kari, perguntou quando veríamos um porte do Microsoft Office 365 para Linux. E a conta da Microsoft respondeu, informando que ele deveria entrar no UserVoice do Office 365 e votar para isso, mais ou menos como aconteceu no caso da Adobe.



Se você quiser votar e ajudar a trazer o Microsoft Office 365 para o Linux, basta acessar aqui.

Um “ponto negativo”, pelo menos para mim, foi a ausência de empresas grandes do setor, como Canonical, IBM/Red Hat e a Suse (até o fechamento desta edição, elas não interagiram com o tweet, somente foram mencionadas)

Mas, tirando isso, acho muito importante essa guinada da Microsoft nesses últimos anos em apoiar o Linux e o OpenSource, isso mostra que o mesmo pode ser mais um aliado do que “um câncer a ser combatido”.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso fórum, aproveite e conte pra gente qual o seu projeto Open Source favorito e viva o pinguim!

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ubuntu 19.10 disponível para download, em fase inicial

Nenhum comentário

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Lançado há pouquíssimo tempo, acesse nossa cobertura sobre o Ubuntu 19.04, o Ubuntu parece estar atraindo novamente olhares para as mudanças que vem promovendo. O tão aguardado Ubuntu 20.04 LTS se aproxima, entretanto versões intermediárias devem ser lançadas, o 19.04 que está aí esbanjando mudanças, eis que os olhares começam a vislumbrar o Ubuntu 19.10.

ubuntu19.10-eoan-daily-build

As “Daily Builds” do Ubuntu 19.10 já estão disponíveis para testes, claro que por se tratar de versões diárias, eventuais bugs são esperados. 

Neste estágio inicial o Ubuntu 19.10 não terá mudanças aparentes, comparado ao seu antecessor 19.04, no entanto ao decorrer dos meses essa disparidade pode se tornar facilmente visível.

Ubuntu 19.10 em desenvolvimento inicial


Sem uma data confirmada para seu lançamento, se o mesmo seguir a lógica dos demais uma versão beta deve ser lançada em meados de Outubro, o Ubuntu 19.10 ao menos tem um codinome definido. Sabemos que a próxima letra será a “E”, após o “D” da versão Ubuntu 19.04 (Disco Dingo).

Em primeiro momento o Ubuntu 19.10 está sendo baseado em sua recém versão lançada, acompanhando o Kernel 5.0 e o Gnome-Shell 3.32, mas sabe-se que a versão 19.10 será lançada com o Gnome-Shell 3.34.

Por ser a última versão, antes da 20.04 LTS, o Ubuntu 19.10 é aguardado com anseio por usuários do sistema.

Download do Ubuntu 19.10


Esteja ciente que esta versão é uma compilação diária em desenvolvimento inicial. Caso deseje efetuar o download do Ubuntu 19.10, instale o mesmo em uma máquina virtual ou algum computador de testes. Nunca faça isso em ambiente de produção. Dada às ressalvas, fique a vontade para baixar e testar o Ubuntu 19.10.

 Download Daily Build Ubuntu 19.10

E você, ansioso pelo Ubuntu 19.10? Até o momento a única parte de seu codinome que sabemos é o adjetivo “Eoan”, o nome do animal ainda é um mistério.

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus, e fique por dentro das novidades e discussões sobre o tema.

Até o próximo post, te espero aqui, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


19 coisas para fazer depois de instalar o Ubuntu 19.04 Disco Dingo

Nenhum comentário

quinta-feira, 18 de abril de 2019

O Ubuntu 19.04 “acabou de sair do forno” e muitas novidades acompanham essa novíssima versão, caso ainda não tenha visto, acesse nosso post detalhado sobre as novidades do Ubuntu 19.04. Acesse essa outra postagem sobre os “sabores do Ubuntu”, nesta versão 19.04 (Aguarde um “cadiquin” que já já lançamos o post 😁😁😁).

canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

O Ubuntu 19.04 é uma versão muito aguardada pela comunidade, mesmo não sendo uma LTS (Versão de longo suporte) e possuindo apenas 9 meses de “vida”, recomendo muito seu teste, seja para ver como as coisas estão ficando até a próxima LTS, Ubuntu 20.04, ou para uso pessoal.

E como proceder com o pós-instalação? Pois bem, esse é o lugar ideal para lhe orientar com todo passo-a-passo.

Atualizando do Ubuntu 18.10 sem reinstalar o sistema por uma iso


Caso esteja utilizando o Ubuntu 18.10, atualizar dele para o 19.04 é uma tarefa simples. Porém antes de tudo, efetue o backup de seus dados, afinal “o seguro morreu de velho” (😁😂😅).

Para efetuar o upgrade do 18.10, basta abrir o programa “Software e Atualizações” e executar uma verificação por atualização, a ferramenta irá informar que existe uma nova versão do Ubuntu para download.

Outra forma é via terminal, com o comando:

sudo do-release-upgrade -c

Aguarde todo o procedimento até a nova versão.

Pós-instalação Ubuntu 19.04


Se você acabou de instalar o Ubuntu 19.04, os passos a seguir podem ser efetuados, para melhor experiência de uso e comodidade.

1 - Configuração inicial do Ubuntu


Ao iniciar o sistema pela primeira vez, uma tela de “Bem-vindo ao Ubuntu” aparecerá, nela você poderá fazer algumas configurações iniciais como:

Conectar suas contas on-line, Google, Microsoft etc.

contas-online-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Criar ou logar em sua conta Ubuntu, para utilização de serviços como a possibilidade de comentar na loja do Ubuntu e utilizar o “livepatch”, (entretanto o mesmo parece não estar disponível na versão 19.04), caso não saiba o que é livepatch, temos uma postagem bem detalhada sobre esse poderoso recurso.

conta-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Você também poderá ajudar a melhorar o Ubuntu, permitindo que alguns dados sejam coletados. Fizemos um artigo dedicado a este recurso, explicando quais os tipos de dados serão coletados. No entanto, a opção pode ser desabilitada a qualquer momento, basta acessar o painel de controle do sistema, ir na sessão “Privacidade” e efetuar a alteração.

coleta-dados-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

A opção de manter ou não os “Serviços de localização” será apresentada. Com a opção habilitada, aplicativos poderão fazer uso de sua localização geográfica, uma identificação é mostrada quando o recurso está em uso. Algumas aplicações como o Gnome Maps fazem uso deste serviço. Assim como o envio de dados para coleta, na sessão “Privacidade” do painel de controle, este recurso pode ser ativado ou desativado.

serviço-localização-privacidade-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Para finalizar a tela de “Bem-vindo”, o Ubuntu oferece alguns apps em Snap para instalação. Mais adiante tocamos no assunto Snap.

apps-snap-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

2 - Atualize o sistema


Mesmo que tenha instalado o sistema logo após seu lançamento, é interessante verificar se existem novas atualizações disponíveis.

Para isso no menu do Ubuntu pesquise por “Atualizador”, é um ícone com um “A” e duas setas circulantes. Se houverem atualizações, basta clicar em “Instalar agora”, confirmar sua senha e aguardar o procedimento.

atualizar-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Após o término da atualização, o sistema irá lhe sugerir para reiniciar o sistema e caso durante a atualização um kernel novo tenha sido atualizado, recomendo que reinicie de imediato.

reboot-update-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

3 - Complete a instalação dos pacotes do sistema


Se você instalou o Ubuntu conectado a internet, provavelmente a instalação dos pacotes de idioma do sistema estará completa. Todavia não custa averiguar e caso tenha instalado sem acesso a internet, também deverá proceder da mesma maneira.

Vá até o painel de controle, localize a sessão “Região & idioma” e clique em “Gerir Idiomas Instalados”.

idiomas-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

O Ubuntu verificará se todos os pacotes referentes ao seu idioma estão instalados, e caso não esteja, ele lhe informará. Basta clicar em “instalar”, confirmar sua senha e aguardar a conclusão do procedimento.

idioma-pt-brasil-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

4 - Instale Codecs multimídia


Nas últimas versões, uma nova categoria passou a fazer parte da Gnome Software (loja do Ubuntu), possibilitando a instalação de Codecs sem a necessidade de outro programa ou terminal. Mesmo existindo o pacote “ubuntu-restricted-extras”, na qual diversos codecs são adicionados ao instalá-los via terminal ou Synaptic (que falaremos logo a frente), a loja do Ubuntu possibilita a instalação de Codecs nativamente.

Com a loja aberta, clique na categoria “Complementos”, e na aba “codecs”, existirão diversas opções. Fica ao seu critério instalá-los, conforme a necessidade, na dúvida é melhor ter vários do que faltar… (😋😋😋).

codec-multimidia-loja-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

5 - Instale ferramentas para o gerenciamento de pacotes


Embora a loja do Ubuntu esteja repleta de aplicações, existe um “leve incômodo”, a sua incapacidade de encontrar alguns pacotes sem ícones, por exemplo aplicações para o terminal e pacotes complementares. Então programas como o Synaptic, entram em cena, sendo uma ótima escolha para lidar com pacotes (caso não queira utilizar o terminal).

Não sabe utilizar o Synaptic? Veja o guia em vídeo que preparamos para você.

No menu do Ubuntu pesquise por “Software Ubuntu”, ou até mesmo “Loja”, o programa tem um ícone de uma sacola laranja (bem sugestivo).

Na loja, pesquise por “Synaptic” (no ícone de lupa na barra superior). Será o primeiro programa, efetue sua instalação.

gerenciar-pacotes-synaptic-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Como mencionado anteriormente, o Synaptic poder ser muito útil no gerenciamento de pacotes. Por exemplo, ao invés de instalar os Codecs “um a um” via Software Ubuntu, você pode pesquisar no Synaptic por “ubuntu-restricted-extras”, e Instalar os principais codecs de uma só vez.

codecs-ubuntu-restricted-extras-synaptic-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

OBS.: Outra opção para instalar pacotes DEB, a própria loja do Ubuntu executa essa função, são: o “Instalador de pacotes GDebi” e o “Deepin Package Manager”, você pode instalar algumas dessas alternativas, apenas pesquisando na loja. 

6 - Instale o OpenJDK para aplicações Java


Caso faça uso de algum aplicativo em Java, será necessário instalar o OpenJDK para seu funcionamento no Ubuntu.

Abra o Synaptic, e pesquise por “default-jdk”, a versão padrão do Ubuntu 19.04 é o OpenJDK 11, porém você pode instalar outras versões como o 12 e 13… Se assim desejar pesquise por “openjdk-12-jdk” (substitua o 12 pela versão desejada).

Marque para instalação e instale o pacote.

java-openjdk-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

7 - Instalando Drivers Intel


Caso possua um processador Intel, você poderá Instalar seu driver de forma simples. Abra a loja, vá até a categoria “Complementos” e na aba “Drivers de hardware”, selecione a opção “Beignet” e instale o driver.

driver-intel-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema


driver-intel-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema


8 - Instale o Mesa Driver mais atual para Intel e AMD


O Mesa Driver é uma implementação do OpenGL que atua entre o driver de vídeo e o hardware, e suas versões mais atuais trazem uma sobrevida nos jogos, ainda mais quando falamos de Vulkan, DXVK, Proton etc.

Então não confunda, o Mesa Driver não é um driver de vídeo, e quem quer uma performance a mais em games, tem “quase como obrigação” mantê-lo em suas versões mais atuais no sistema (vamos ser “modestos” e instalar a versão estável. (😏)

OBS.: No presente momento (18/04/2019) a versão do Mesa no Ubuntu 19.04, está na 19.0.2, enquanto a do PPA do Padoka, está na 19.0.1. Esse procedimento pode ser feito no futuro, quando a versão do Padoka for atualizada.

Para isso vamos adicionar o PPA do Padoka, e sempre quando houver Atualizações, o Ubuntu sempre estará com as últimas versões estáveis no sistema.

Pesquise no menu do Ubuntu por “Programas e atualizações”, Vá na segunda aba “Outros programas” e clique no botão, logo abaixo, “adicionar

E adicione o seguinte conteúdo na caixa de texto de nome “Linha do APT”:

ppa:paulo-miguel-dias/pkppa

ppa-interface-grafica-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Clique no botão “Adicionar Fonte”, digite sua senha, após adicionado, clique no botão “Fechar”. Uma janela aparecerá, indicando que a “informação sobre os aplicativos estão desatualizados”, clique em “Recarregar” e espere todo o processo.

ppa-mesa-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Caso prefira via terminal, adicione o PPA:


sudo add-apt-repository ppa:paulo-miguel-dias/pkppa

Depois atualize o sistema:

sudo apt update && sudo apt dist-upgrade

E pronto! O Mesa Driver está atualizado!

9 - Instale o Driver estável NVidia mais recente 


Para instalar a última versão estável do driver NVidia, preparamos uma postagem bem detalhada e completa, com todo passo-a-passo, seja ele via interface gráfica ou via terminal. Acesse o link do post completo.

10 - Escolhendo o melhor mirror e habilitando os parceiros da Canonical


No menu do Ubuntu pesquise por “Programas e atualizações”, ao abrir o programa você notará que ele é composto por diversas abas.

Na aba “Aplicativos Ubuntu” clique em “Baixar de: Outro…”, uma janela aparecerá. O Ubuntu possui essa ferramenta que escolhe o melhor mirror, servidor para os downloads do sistema. Isso torna as atualizações e instalações de apps dos repositórios oficiais, bem mais rápidos conforme a sua região.

Clique em “Selecionar Melhor Servidor”, aguarde o teste, escolha o que melhor clicando em “Escolher Servidor”.

servidor-mirror-update-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

É importante clicar em “Fechar” e caso o sistema solicitar para “Recarregar” proceda desta maneira.

Na segunda aba do programa, existe a opção de habilitar “Parceiros da Canonical”, este repositório é composto de alguns softwares proprietários e seus extras.

Marque a opção “Parceiros da Canonical”, e logo após clique em “Fechar”. Caso o programa solicite para recarregar as informações dos repositórios, assim o faça.

parceiros-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

11 - Configurando o Flatpak


Por padrão o Ubuntu não vem com o Flatpak habilitado, muito menos o repositório Flathub adicionado, como no Linux Mint, porém o procedimento é muito simples.

Veja como proceder e comece a instalar aplicativos neste formato.

A loja do Ubuntu se integra com os Flatpaks, assim você pode instalá-los via interface gráfica, o vídeo abaixo demonstra todo processo.


12 - Instale aplicações em Snap


A Canonical, empresa responsável pelo Ubuntu, cada vez mais encabeça o formato Snap, e existem diversas aplicações neste formato que é interessante experimentar.

Por exemplo utilizo bastante o Discord e Spotify em Snap, para instalar o Spotify e ouvir suas músicas, pesquise pela aplicação na loja e efetue normalmente a instalação.

spotify-snap-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

13 - Baixe o Google Chrome em DEB


A Google disponibiliza uma versão nativa de seu navegador para Linux. Então efetue o download diretamente do site oficial do Google Chrome. Baixe a versão em DEB.

google-chrome-deb-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Ao finalizar o download, vá aonde o arquivo foi salvo, clique com o botão direito do mouse e escolha a opção “Abrir com Instalação de programa”. (Como anteriormente citado, você pode utilizar uma alternativa como o GDebi ou Deepin Package)

deb-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

A loja do Ubuntu abrirá, instale normalmente a aplicação.

chrome-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

14 - Configurando as opções de Backup


Por se tratar de uma versão sem foco em plena estabilidade, como um LTS, é esperado eventuais bugs, e como é melhor precaver do que remediar (😄😁😎) um gerenciador de backup é bem vindo. E é aí que entra o Déjà Dup. Basta pesquisar por “Backup” no menu do sistema, e utilizar o software, seu uso é bem intuitivo.

backup-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

15 - Customizações nativas do sistema


Por padrão o Ubuntu traz em sua interface gráfica, o Gnome-Shell, algumas opções, “não chega a ser nenhum KDE Plasma da vida”, mas dá para fazer algumas customizações.

Abra o aplicativo “Configurações” é nele que vamos adaptar algumas opções do Ubuntu a nossa necessidade. Ele conta com uma interface simplista e amigável, com um painel na esquerda com diversas categorias.

Apenas irei demonstrar algumas opções, caso contrário esse post teria um tamanho gigantesco (😵😵😵).

Em “Plano de fundo”, você poderá escolher a imagem para wallpaper e tela de bloqueio.

imagens-wallpaper-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Em “Doca”, existem algumas configurações na dock do Ubuntu, podendo alterar o tamanho dos ícones, posição e até mesmo ocultar automaticamente a dock, conforme uma janela sobrepõe ela.

dock-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Em “Aplicativos” você pode customizar quais apps terão notificações no sistema, e dependendo do software (como exemplo selecionei o reprodutor de músicas), escolher os tipos de arquivos que ele manipula (Ou executa) por padrão. Isso permite um controle maior sobre os formatos e seus programas padrões 

aplicativos-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Uma coisa que não gosto, é quando a tela do PC apaga sozinha, sei que no caso de notebooks pode economizar bateria, no entanto sempre desativo essa função. Para tal basta acessar a categoria “Energia” e configurar segundo sua vontade.

tela--canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Para não forçar seus olhos, na categoria “Dispositivos” e depois “Monitores”, você pode ativar o modo Luz Noturno, que ajusta os tons do monitor conforme o tempo.

modo-noturno-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

16 - Customizações via Gnome Tweaks


No tópico acima, mostrei algumas das configurações oferecidas nativamente pelo Ubuntu, mas existe uma ferramenta indispensável para quem utiliza Ubuntu ou qualquer outro sistema com a interface Gnome Shell, seu nome é Gnome Tweaks, e para instalá-lo basta pesquisar na loja pelo seu nome ou “Ajustes do Gnome”, uma ferramenta que deveria vir nativamente.

Com ela você poderá habilitar e desabilitar animações do sistema, configurar extensões, temas e ícones e muito mais … Por exemplo o tema dark do Ubuntu acompanha o sistema, porém por não ter uma opção nativa para troca de temas, apenas utilizando essa ferramenta o usuário comum poderá habilitar essa opção.

gnome-ajustes-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

17 - Adição de extensões ao Gnome-Shell


Se existe algo que pode tornar mais prático a utilização do Gnome Shell, são suas extensões. Todavia cuidado é preciso, pois tais modificações podem acarretar em algum erro na interface. Por exemplo a última versão da extensão do CPU-Freq está dando erro no Ubuntu 18.04, então todo cuidado é pouco, e backup também… 

Para efetuar o backup de suas extensões, vá até “home/.local/share/gnome-shell/” e salve a pasta “extensions”, assim poderá voltar para versões anteriores, caso alguma extensão bug com alguma atualização.

Você poderá Instalar as extensões tanto pelo site Gnome Extensions como pela loja do Ubuntu. Basta acessar a categoria “Complementos” e ir até a aba “Extensões de Shell”. Logo de cara o Ubuntu informa que a utilização de extensões é por conta e risco do usuário. 

extensoes-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Algumas que posso recomendar são:

Hide Top Bar” para economizar espaço em tela, “Gsconnect” caso utilize o app do KdeConnect, não sendo necessário a instalação do programa no Ubuntu e “User themes” para tornar possível a aplicação de temas de terceiros no Ubuntu via Gnome Tweaks.

18 - Customizando a dock do Ubuntu


A dock do Ubuntu “de fábrica” é bastante limitada, no entanto por ser baseada na famosa extensão Dash To Dock, ela esconde funcionalidades que podemos “desvendar com a ajuda de um programa”.

Então precisamos instalar esse app via loja do Ubuntu, abra ela, e pesquise por “Dconf Editor”, e instale normalmente.

editor-dconf-dock-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Tenha muito cuidado com o Dconf, ele é uma aplicação que pode fazer mudanças sensíveis no sistema, e qualquer erro pode ocasionar em uma “bagunça na interface”.

Ao abrir o Dconf, clique na lupa e pesquise por “Dash-to-Dock”, então selecione a opção.

A dock do Ubuntu tem diversas funcionalidades escondidas, porém irei citar apenas duas, que julgo ser as mais úteis.

Uma opção que sempre utilizo é a de minimizar a aplicação, ao clicar em seu ícone na dock, por default o Ubuntu não vem com essa opção.

Procure por “click-action”, desmarque a chave seletora “Usar valor padrão”, em “Valor personalizado” mude para “minimize-or-overview”. Não se esqueça de clicar em “Aplicar”, caso contrário, nada ocorrerá.

minimizar-click-dock-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Volte clicando na barra superior em “dash-to-dock”.

A segunda opção é para quem curte o menu na parte superior da dock. Procure por “show-apps-at-top” e mude a chave seletora.

Uma mensagem pedindo para “Recarregar” aparecerá, clique no botão “recarregar”, e assim a mudança estará concluída.

menu-superior-dock-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

19 - Visualize informações de seus arquivos no Nautilus


O gerenciador de arquivos do Ubuntu, o Nautilus, é uma ótima aplicação. No entanto um recurso simples, ver informações detalhadas nos arquivos de áudio, vídeo e imagens, não estão presentes. Para contornar isso, iremos adicionar um plugin no Nautilus, que nos possibilitará ver tais informações.

Procure pelo Synaptic no menu do Ubuntu, e ao executar a aplicação, pesquise por “gnome-sushi”, marque e instale o complemento.

nautilus-plugin-sushi-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Logo após, iremos reiniciar a interface do Ubuntu. Pressione simultaneamente as teclas, “Alt” + ”F2”, uma pequena caixa de diálogo aparecerá, digite a letra “r” e pressione “ENTER”. Aguarde o Gnome-Shell reiniciar.

Para ver as informações em seus arquivos de áudio, imagem e vídeo, pressione o botão direito do mouse, vá até “propriedades” e na última aba, depois de “Abrir com” aparecerão os detalhes, conforme o tipo de arquivo.

info-nautilus-plugin-gnomesushi-sushi-canonical-lançamento-linux-ubuntu-disco-dingo-1904-19-04-gnome-shell-yaru-tema

Gostou das dicas de pós-instalação? Tentei ser o mais abrangente possível, mas seria impossível criar um pós-instalação para todo tipo de usuário. Digamos que este foi uma base.

E aí, vamos aos testes com o Ubuntu 19.04? Acesse nosso fórum Diolinux Plus e deixe sua experiência com essa versão do Ubuntu.

Até o próximo post, te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Microsoft lança de forma oficial o Snap do Visual Studio Code

Nenhum comentário

terça-feira, 9 de abril de 2019

Mais um programa da Microsoft chegou de forma oficial para Linux, através do empacotamento via Snap. No dia 4 de Abril de 2019,  Microsoft e Canonical juntaram esforços para trazer o snap do VS Code oficialmente para o mundo Linux.

 Microsoft lança de forma oficial o Snap do Visual Studio Code






Você deve está se perguntando, “Ué, mas já não existia o programa via Snap lá na lojinha de aplicativos?”. Então “pequeno gafanhoto”, sim… já existia um pacote snap do VS Code, mas ele era mantido de forma independente por um dev da comunidade, mas infelizmente ele não tinha os updates e melhorias vindas oficialmente da Microsoft. Agora não haverá mais esse “perrengue”. 😁



A novidade ganhou destaque no Twitter oficial do aplicativo (e tweet fixo), com o anúncio do novo formato, como você pode ver no print abaixo.

Agora o formato via snap se junta com os outros formatos oficiais que distribuem o VS Code, que são o .deb; .rpm e .tar.gz (tanto 32, quanto 64 bits). O formato via snap só tem versão de 64 bits. Para baixar nos outros formatos, basta acessar este link e procurar pela empacotamento suportado pela sua distro.

Se você preferir instalar via Snap, primeiro vai precisar ter o snap habilitado na sua distro se já não estiver. Se precisar, temos estes dois tutoriais de como fazer isso.

Feita esta preparação do sistema, vamos instalar o snap do VS Code. O procedimento é bem simples e sem complicações.

Se você estiver no Ubuntu, pode instalar diretamente da Loja de Aplicativos, basta procurar por  visual studio code ou vs code e fazer o procedimento de instalação.

Se você não estiver, basta abrir o terminal e digitar ou colar o seguinte comando e esperar o procedimento de instalação terminar:

sudo snap install code --classic

Feito isto, basta procurar por Visual Studio Code no “Menu” da sua distro e começar a usar o programa.
Conte aí nos comentários se você já usa o VS Code e se gostou da novidade ou se esta é a primeira vez usando o editor da Microsoft.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso  fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


O que Will Cooke, da Canonical, tem a nos dizer sobre o futuro do Ubuntu Desktop

Nenhum comentário

quarta-feira, 27 de março de 2019

O Ubuntu é uma das distribuições Linux mais importantes que existem, seu nome, sua fama, e sua facilidade de uso, ao longo dos anos, acabou gerando no projeto um local extremamente amigável para que novos usuários de Linux dessem seus primeiros passos. Me arrisco a dizer que, não fosse o Ubuntu, o Diolinux não existiria, entretanto, o sistema passou por várias mudanças ao longo do tempo,  especialmente nos últimos 2 anos, tivemos uma drástica mudança, não só em sua interface, mas também no foco do projeto Ubuntu e da própria Canonical. Nesta entrevista exclusiva para o blog Diolinux, Will Cooke, diretor de engenharia do Ubuntu Desktop, nos conta os planos da empresa para o futuro da distribuição.

Entrevista Com Will Cooke, Canonical






Antes de mais nada, gostaria de agracer à nossa comunidade no Diolinux Plus, a maior parte das perguntas surgiram de ideias de publicações no tópico que criamos por lá, então, muito obrigado! Agradecemos também pelo tempo e boa vontade do Mr. Will Cooke, que estava engajado no ciclo de lançamento do Ubuntu 19.04, Disco Dingo no momento da entrevista, mas que ainda assim foi paciente e gentil ao nos atender.

Algumas perguntas foram difíceis de fazer, mas provavelmente ainda mais difíceis de responder, vamos lá?

Quem é Will Cooke?


Will nos conta que é Diretor de Engenharia do time do Ubuntu Desktop na Canonical. O time de Desktop é responsável por tudo o que vemos na nossa tela, segundo ele, isso vai desde o Shell em si, até as aplicações que rodam no sistema, incluindo alguns serviços chave, como o PulseAudio, BlueZ e o Network Manager. Essencialmente, tudo o que há de diferente entre a versão de servidores do Ubuntu e a versão de Desktop é de responsabilidade do time dele.

Diolinux: Grande parte das dúvidas que colhemos é sobre o Ubuntu Desktop e a sua relação com o ecossistema GNOME. Claramente, vocês não concordam com a forma tradicional (ou original) do workflow do GNOME padrão (Vanilla), dessa forma, vemos algumas extensões e funcionalidades que são adicionadas pela Canonical ao Ubuntu para que ele funcione mais ou menos como os tempos antigos do Unity. 

Gostaríamos de saber se, no futuro, podemos esperar uma espécie de "Ubuntu Shell", assim como fazem outras distros, como o Zorin OS e o Endless OS, para criar uma experiência única e integrada ao Ubuntu, desde que o ambiente de desktop GNOME acabou adicionando várias funções interessantes, mas também acabou removendo grandes recursos, como os menus globais, o HUD, uma dock mais inteligente e uma otimização no aproveitamento do espaço de trabalho.

Por exemplo: https://goo.gl/FDRsUp

Will Cooke: Nós não temos nenhum plano de criar um fork do GNOME Shell. Quando anunciamos que estaríamos voltando o nosso desktop para o GNOME, perguntamos para a comunidade quais os recursos do Unity que as pessoas mais gostariam que fossem mantidos.

Através dos resultados, nos ficou muito claro que as pessoas usando o Ubuntu em um desktop gostavam do jeito que as coisas funcionavam e tinham uma forte preferência em marter as coisas funcionando o mais próximo possível com o que era no Unity. Isso quer dizer a presença de coisas como o lançador de apps, top icons, a forma com que o alt+tab funciona, etc.

Nós usamos o modelo de design padrão do GNOME, mas onde podemos ver uma forma diferente de fazer algo, nosso time de design cria sugestões. Nós trabalhamos juntos para tentar alcançar um concenso. Em algumas ocasiões nós não concordamos, e nesses casos, estamos livres para criar patches e mudar os comportamentos no Ubuntu. Nossa meta é fazer o GNOME tão bom quanto ele puder ser, ser parceiros ao invés de consumidores. Trabalhando juntos estamos construindo um produto melhor para todos.

Se os membros da comunidade tiverem ideias sobre como o GNOME pode ser melhorado, eu sugiro se engajar com o projeto GNOME. Compartilhe suas ideias, mostre o seu ponto de vista e qualquer pesquisa e/ou relato que você tenha feito para apoiar tal ponto, ajude os outros a entender o que você pensa que deveria ser alterado através de mockups e desenhos. Você encontrará uma comunidade GNOME que é muito aberta a discutir ideias. Se você é um progrador, você também pode criar você mesmo os patches e enviar, mas não deixe de se envolver com o projeto.

D: Outra questão relacionada ao tópico "GNOME" é: Por que a Canonical não escolheu usar a versão padrão do GNOME para o Desktop?

W.: Como eu descrevi na pergunta anterior, nós ouvimos a nossa comunidade e vimos quais recursos as pessoas queriam no desktop. Isso significava que não poderiamos entregar uma versão padrão do GNOME. Entretanto, todos os recursos que disponibilizamos por padrão no Ubuntu Desktop são feitos através de "session Overrides". Isso significa que nós não estamos criando patches para o GNOME para implementar tais recursos, dessa forma é fácil voltar ao padrão GNOME "Vanilla" se alguém desejar.

D: Há algum tempo nós ouvimos falar que a Canonical tinha planos de alterar a GNOME Software (Ubuntu Software) um pouco, com a intenção de tornar ela mais interessante para a descoberta de novos aplicativos. Podemos realmente esperar isso em um futuro próximo?

W: Sim! Nós estivemos trabalhando em ideias para prover mais informações do que "apenas quais apps estão disponíveis" ou "o que você já tem instalado". Ainda estamos refinando isso, esperamos poder trabalhar mais nisso no ciclo do Ubuntu 19.10, dessa forma ele estará pronto para o Ubuntu 20.04 LTS.

D: No Ciclo do Ubuntu Cosmic (18.10), nós podemos ver que houve uma grande melhoria no design do Ubuntu em comparação com as versões anteriores, o que é ótimo, porém, algumas partes do sistema que não repousam sobre a "GNOME Stack" são antigas e precisam de uma renovação visual, como o caso do aplicativo "Software and Updates". Faz um bom tempo desde que o Ubuntu lançou alguma ferramenta para facilitar a vida dos usuários no Desktop, podemos esperar algo novo nessa área?

W: Nós frequentemente revemos o que há de melhor no mundo open source para tomar a decisão do que incluir no Ubuntu. Nós temos a intenção de reanalizar alguns aplicativos antigos que estão no sistema desde os dias do Unity 7 ou até mesmo antes.

Você pode esperar para ver algumas mundanças exatamente no aplicativo "Software and Updates". Nós queremos deixar tudo ajustado para melhorar a integração com o GNOME Desktop Enviroment, então, por exemplo, algumas das configurações que atualmente estão em "Software and Updates" devem migrar para o GNOME Control Center. Estaremos trabalhando nisso para lançar com o Ubuntu 20.04 LTS.

D: Sobre a usabilidade do Ubuntu: Nós sabemos que o GNOME Desktop é personalizável (com um monte de extensões), mas nós, usuários do Ubuntu através de décadas, esperamos mais, e até mesmo o GNOME é ótimo, mas sentimos que, em comparação, o Unity tinha um modo de trabalhar mais eficiente que a versão atual do Shell entregue pelo Ubuntu. Se observamos, atualmente outras grandes distros como Deepin, Linux Mint, Manjaro, elementary OS e muitas outras, estas começaram a incluir ferramentas para funções interessantes, como manuseio de versões do Kernel, uma forma mais rica de gerenciar atualizações (o Ubuntu atualmente tem duas formas de gerir atualizações graficamente, via Ubuntu Software e pelo App "Software Updater", e o primeiro não funciona adequadamente), nós podemos esperar melhorias nessas funcionalidades no futuro?

W: Nós temos planos de trabalhar para trazer mais dos recursos da interface do Unity para o GNOME Shell nas próximas releases. Recentemente estivemos trabalhando da melhora geral da performance do GNOME e em fazer melhorias para monitores High DPI, com uma escala fracionada. Nós também gostariamos de trabalhar em algumas coisas, como melhorar o suporte para multi-monitor, notificações, e os recursos da Dock, a possibilidade de mudar de dispositivos de som diretamente pelo painel, etc.

Não estamos tentando recriar o Unity no GNOME Shell, mas existem alguns aspectos que achamos que podem ser melhorados e estaremos fazendo isso e enviando código para o GNOME sempre que possível. Falaremos sobre o Ubuntu 19.10 em um post no blog do Ubuntu em breve, e acho que será interessante para todos, estamos fazendo melhorias incrementais, fazendo as coisas serem mais rápidas, mais estáveis e mais fáceis de usar.

D: Sobre os Snaps: Eles são uma grande solução, eu realmente adoro a praticidade que eles oferecem. Recentemente eu estive trabalhando em um servidor Nextcloud usando Snap e ele realmente "funciona como mágica", mas nós temos algumas dúvidas sobre o ecossistema Snap. 

A performance dos Snaps (especialmente em HDD) deixa um pouco a desejar, mesmo que tenhamos tido recentemente melhorias nesses sentido. Melhorias de performance estão nos planos para a evolução dos Snaps, ou você acredita que eles atingiram uma performance adequada na sua opinião?

W: Nós andamos fazendo uma profunda análise e resolvendo alguns bugs complexos nos últimos meses. Por exemplo, na primeira vez que alguns dos Snaps era iniciados, era necessário reconstruir o cache das fontes do aplicativo, o que poderia levar alguns segundos. Esse problema foi ajustado e os nossos testes mostram que isso resolveu a maior parte dos problemas na inicialização dos Apps.

Há sempre melhorias que podem ser feitas e o nosso time de controle de qualidade criou uma ferramenta de teste automático que nos permite testar cada Snap cada vez que houver uma mudança (como uma atualizalização) e verificar se a velocidade da inicialização e a aparência visual está adequada, então podemos fazer regreções facilmente em caso de necessidade.

Eu estou confiante de que a maior parte dos usuários não verá nenhuma demora significativa em relação aos Snaps conforme nós formos continuamente melhorando as coisas. Damos um imenso valor a feedback técnico dos usuários e análise do seus  leitores que puderem nos ajudar com isso. Pessoas interesadas podem conferir os detalhes no fórum do Snapcraft, nós adoraríamos conversar com vocês.

D: Desde que os Snaps foram criados para serem um formato de distribuição de software que reduziria a fragmentação e os problemas na própria distribuição de software para o "mundo Linux", por que vocês não se juntaram com o pessoal do Flatpak? O que o Snap pode oferecer para vocês que o Flatpak não consegue?

W: Flatpak e Snap tem diferentes objetivos. Snaps podem almejar desktops, servidores, IoT e o Terminal, enquanto que Flatpak é todo sobre a questão de desktop apps.

Snaps oferecem um bom número de recursos únicos como:

- Fácil descoberta: Nós apresentamos novas aplicações no GNOME Software a cada duas semanas, isto dá a chance dos usuários de encontrarem novos Apps que de outra forma eles não seriam encontrados. Essa é uma grande forma dos desenvolvedores deixarem os usuários saberem da existência de seus aplicativos.

- Instalações paralelas: Você pode instalar duas versões do mesmo Snap. O que é ideal para testes sem perder a produtividade.

- Múltiplos canais: Canais nos Snaps podem ser pensados como "níveis de risco" para o usuário. O canal "Stable" tem baixo risco, onde softwares de alta qualidade são distribuídos para uso majoritário. Do lado completamente oposto temos o canal "Edge", onde as versões mais recentes de um software podem ser distribuídas, e entre esses dois extremos, temos os canais "Candidate" e "Beta". Os usuários podem alterar entre esses canais e "níveis de risco" de uma forma muito fácil e, por exemplo, testar alguma funcionalidade nova que ainda não esteja na versão estável. Caso algo não funcione, com um clique você pode voltar ao normal.

- Snapcraft.io oferece um serviço grátis de construção de software para múltiplas arquiteturas. Apenas link o seu projeto do GitHub e tenha builds automatizadas.

- Os autores dos Snaps podem fazer "roll back" de seus aplicativos para versões anteriores com um clique de um botão. Caso você encontre um bug no seu último lançamento, você pode voltar para a versão anterior e todos os usuários serão atualizados automaticamente para a versão que está funcionando do aplicativo. Além disso, os desenvolvedores ou "Snap Authors", como chamamos, podem ter acesso a métricas de utilização, sobre as instalações ativas, não somente o número de downloads.

- Desenvolvedores verificados: O time do Snapcraft trabalhada com os desenvolvedores dos softwares para garantir que os pacotes lá distribuídos possam ser de absoluta confiança. Por exemplo, nós oferecemos um selo de "Verified Developer", que é um "certinho verde" ao lado da aplicação na loja do Ubuntu, o que legitima aquele Snap como a versão oficial e confiável do desenvolvedor ou companhia.

D: Com os Snaps, poderemos ver o Ubuntu se tornando Rolling Release no futuro?

W: Essa é uma questão muito interessante! Nós haviamos pensando sobre o assunto e sentimos que isso seria melhor servido em outras distros. Nós queremos que o nosso time de QA possa definir um grupo de pacotes juntos e ter certeza de que tudo está funcionando corretamente, da melhor forma possível, e colocar tudo isso junto em um lançamento que as pessoas possam fazer o download e usar por um longo tempo.

Tentar criar um controle de qualidade estrito em uma Rolling Release é como tentar contruir uma casa em areia movediça, com tudo se movendo independentemente, é muito difícil testar tudo de ponta a ponta. Nós procuramos fazer uma distro que não se quebre sozinha e não achamos que isso possa ser feito com uma Rolling Release. 

Nós sabemos que, à partir das métricas de instalação, a maioria dos usuários do Ubuntu prefere a versão LTS do que a intermediária. Issos nos diz que a maior parte das pessoas realmente quer um ambiente de desktop que possam usar todos os dias sem riscos de falhas. Os Snaps dão aos usuários a possibilidade de ter o melhor dos dois mundos. 

Uma fundação sólida com aplicativos novos no topo. 

Através do recursos de "canais", como eu tinha comentado anteriormente, as pessoas podem ir de uma versão do  software para outra e voltar novamente conforme quiserem. Se você tem um Snap em particular e você quer a versão mais recente dele, você pode obter pela versão Beta ou Edge, alterando os canais, deixando o sistema e o núcleo de suas aplicações no canal estável. Nós temos um grande número de apps GNOME que automaticamente são publicados no canal "Edge" a cada commit upstream, você não pode estar mais atualizado do que com eles! 

D: Atualmente nós temos alguns Snaps instalados por padrão no Ubuntu, como o "GNOME System Monitor". Poderemos ver no futuro um aumento de aplicações Snap no Ubuntu padrão?

W: Snaps resolvem reais problems para nós. Por exemplo, pegue o Firefox: Nós precisamos contruir e testar uma versão nova do Firefox  a cada atualização que ele recebe em todas as releases ativas do Ubuntu, assim como as que estão em desenvolvimento. Nesse exato momento, isso significa cinco versões; 14.04 LTS, 16.04 LTS, 18.04 LTS, 18.10 E 19.04, todas rodando versões consideravelmente diferentes de bibliotecas, ferramentas, binários, etc. Se nós fossemos distribuir uma versão atualizada do Firefox apenas via Snap, nós poderíamos construí-lo sobre base Snap Core 16, em breve na Core 18, e ter certeza de que ela rodaria em todas as versões do Ubuntu tão bem quanto em qualquer outro sistema que rode Snap. Essa é uma forma muito mais eficiente de de distribuir aplicações. 

Então nós temos algumas ótimas razões para distribuir mais aplicações Snap por padrão. Estamos trabalhando com este objetivo, então sim, eventualmente distribuiremos mais aplicações como Snap, entretanto, o APT não vai embora. Cada lançamento do Ubuntu ainda é contruído sobre os pacotes .deb, todo o "maquinário" e processos são ainda baseados em .deb e nós não esperamos mudar isso por um longo tempo.

D: Uma grande e recorrente questão na nossa comunidade Linux é sobre Marketing. Nós temos uma sensação sobre o Ubuntu, a sensação de que mesmo ele sendo uma das versões mais populares de sistemas Linux, o mesmo poderia ser ainda mais popular. 

Por que não vemos muito trabalho de marketing sendo feito sobre o Ubuntu para Desktop, focando em games por exemplo? A Valve mostrou o Ubuntu como o sistema preferido da empresa para jogos na página de download do Steam por anos (não mais) e nós nunca vimos a Canonical falar sobre o "Ubuntu para Gamers", e hoje, nós temos um monte de outros títulos rodando no Linux (e o número só aumenta...) com grande parte das pessoas usando Ubuntu ou alguma derivado dele para jogar.

Qual a sua posição sobre isso?

W: Muitos dos nossos usuários são técnicos, então nós geralmente fazemos mais posts técnicos em nosso blog sobre como e porque nós estamos fazendo as coisas, e temos "White Papers" sobre problemas técnicos também. Também fazemos marketing com nossos parceiros OEM para PCs e Laptops. 

Esta é a oportunidade para a comunidade se envolver e  fazer a real diferença. Nós vemos grandes comunidades como a do Diolinux ajudando uns aos outros, advocando para o software livre, espalhando e deixando as pessoas cientes do Ubuntu, Linux e do Open Source. Eu acho que esta é melhor forma de atingir potenciais novos usários.

D: Recentemente nós entrevistamos um dos líderes da Nvidia aqui no Brasil e perguntamos para ele sobre a questão dos Laptops com placas de vídeo híbridas, Intel+Nvidia. Ele nos informou que a implementação dos gráficos permutáveis é feita pelos próprios fabricantes e que, segundo ele, atualmente a Microsoft implementou tal funcionalidade para que os computadores tivessem um comportamento adequado com o Windows. 

Minha questão para você é: A Canonical tem a intenção de melhorar o suporte em drivers para laptops com placas de vídeo híbridas? (Ao menos de forma similar ao que faz a System76 com o Pop!_OS?)

W: Sim, queremos melhorar isso. As soluções existentes são no mínimo "não polidas", mas temos alguns bugs na parte de display para corrigir antes, o que significa que "correções brutas e não polidas" são a única opção neste momento.

Estamos trabalhando para ajustar estes problemas, de forma que os usuários possam trocar entre as placas gráficas sem precisar encerrar a sessão ou fazer o reboot.

D: Recentemente o Ubuntu Budgie 19.04 (Daily Build) chegou com uma solução para uma importante parte da experiência em um desktop, o desktop em si. 

As versões novas do GNOME não oferecem a possibilidade de uma área de trabalho ativa através do Nautilus, por conta disso vemos o Ubuntu 19.04 (Daily Build) com uma extensão (Desktop Icons) para contornar a situação. Apesar de ajudar a contornar o problema, podemos concordar que esta é uma solução muito pobre em relação ao que o Ubuntu já ofereceu no passado. 

A flavor Budgie do Ubuntu (19.04) adicionou o Nemo como gerenciador de arquivos padrão e como gestor de desktop e funciona maravilhosamente. 

Vocês considerariam algo assim para a versão principal do Ubuntu também?

W: Eu acho que é ótimo que exista uma diversa gama de desktop enviroments disponíveis, todos tentando atender melhor uma diferente base de usuários. O Ubuntu sempre deu as boas-vindas para desenvolvedores da comunidade que querem melhorar o sistema e construir algo sobre ele e para os usuários que querem uma experiência diferente do padrão em seus computadores.

É fácil de instalar isso no Ubuntu, e a maior parte das flavors oferece uma imagem live para que possam ser testadas antes de serem instaladas nos computadores.

Quando selecionamos qual desktop será o padrão do Ubuntu, nós olhamos para uma ampla game de critérios, incluindo, mas não se limitando, a quão grande é a comunidade de desenvolvedores do mesmo, o quão rápido são os times de desenvolvimento e as suas respostas para problemas de segurança e o quão grande é a sua comunidade de usuários, por quanto tempo as comunidades existem, se são maduras e auto sustentáveis, qual é o método de desenvolvimento, o quão rápido novas tecnologias são incorporadas ao código base e o quão familiar é o nosso time de desktop com esse código.

Também precisamos estar cientes do tamanho da nossa base de usuários. Nós somos de longe a mais popular distro Linux de Desktop e temos com isso a imensa responsabilidade de sermos cuidadosos e considerar cada decisão que é feita. Ter entendimento de que isso impacta a vida de milhões de pessoas que usam o Ubuntu é essencial.

Toda essa lista de coisas combina com o GNOME e ele é a escolha certa para o Ubuntu agora.

D: Recentemente nos entrevistamos Jason Evangelho, da Forbes, ele comentou que falou com vocês há algum tempo sobre uma nova e mais fácil forma de instalar as versões mais recentes dos drivers de vídeo no Ubuntu. Existe efetivamente alguma implementação disso sendo feita?

W:  Nós estamos trabalhando ativamente nisso. Instalando drivers DKMS num ambiente de Secure Boot é interessante e desafiador. Os drivers precisam ser assinados com a mesma chave do Kernel, mas essas chaves são efêmeras e não estão disponíveis para assinaturas quando a ISO é produzida. Estamos fazendo progressos.

D: A primeira impressão é muito importante, todos nós sabemos disso, então, por que não usar alguma tela de boas-vindas mais completa, como a do Ubuntu Budgie, Ubuntu MATE, Deepin ou Linux Mint, para fazer a introdução do novo usuário ao Ubuntu?

W: Francamente, eu acho que o YouTube é uma plataforma muito melhor para aprender como usar um desktop em particular do que uma tela de boas-vindas. Dito isso, estamos trabalhando para mover a nossa tela de boas-vindas para algo mais próximo do "GNOME Initial Setup", então temos algumas novas opções e aparências que deverão aparecer nos próximos lançamentos.

Nossa meta, é claro, é fazer com que tudo seja intuitivo e fácil de usar, o que significa que essas instruções são necessárias de fato.

D: Você está feliz com o Ubuntu Desktop atualmente?

W: O Ubuntu continua a me surpreender. Nós vimos ele sendo usado em mais e mais lugadores, de robôs em fazendas, até em Switches no coração de Data Centers gigantes, até os servidores rodando nesses Data Centers, provendo serviços para Internet das Coisas em dispositivos nas  casas das pessoas, todos rodando Ubuntu. Eu especialmente adoro quando vemos o "Ubuntu in Wild" em Séries de TV!

A versão 19.04 está tomando forma para ser um grande lançamento. Nós fizemos melhorias de performance, que creio que as pessoas notarão logo de cara ao instalar o Disco Dingo, ele tem um visual incrível e uma grande gama de aplicações de alta qualidade disponíveis por padrão, melhores do que nunca. 

Como você mencionou anteriormente, mais games estão rodando no Ubuntu agora e graças ao trabalhado feito pela Valve, com o as tecnologias envolvendo o Proton e o DXVK se tornando mais maduras, isso significa que uma nova gama de usuários está chegando ao Linux porque eles podem fazer simplesmente tudo o que querem no sistema.

É um ótimo momento para ser um usuário de Linux e estou muito orgulhoso da posição do Ubuntu no mercado, visto que o sistema continua evoluindo como plataforma e nós ainda temos uma grande experiência de usuário para tudo o que for feito. As pessoas continuando amando usar o Ubuntu para conseguir fazer e produzir coisas incríveis.

Muito obrigado.

Concluindo


Agracemos novamente ao Will Cooke pelo seu tempo e paciência para responder as nossas variadas questões. Agora chegou a hora de você participar, o que você achou da entrevista? Quais os pontos que mais te chamaram a atenção?

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo