Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador curiosidades. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador curiosidades. Mostrar todas as postagens

Huawei e Deepin podem impulsionar o Linux

Nenhum comentário

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Por um breve período a Huawei foi posta em uma lista negra, e o governo Trump chegou a aconselhar que empresas americanas cortassem relações comerciais com a empresa chinesa. Google, Intel, Qualcomm, Broadcom entre outras gigantes do mundo tecnológico foram ao encontro do conselho do atual governo

huawei-ms-microsoft-windows-linux-kirinOS-Android-Deepin-mobile-desktop-laptop-notebook

Porém por decisão do Departamento de Comércio dos EUA, uma licença provisória foi concedida à empresa. Licença essa que tem validade até o dia 18 de Agosto. Não ficou claro se haverá prorrogação ou se a Huawei entrará na "lista branca". Entretanto após as declarações da Google impedindo o uso da licença do Android para a fabricante chinesa e caso no futuro a Huawei perca em definitivo esta licença, a mesma teria que bolar soluções que contornam a decisão americana. Para entender toda essa situação, fizemos uma matéria detalhando o caso.

Huawei sem Android, como seria?


A Huawei vem desenvolvendo sua própria solução móvel, chamado de HongMeng OS, não é de conhecimento geral o estado de desenvolvimento de seu sistema. Ou se o substituto do robozinho verde seria baseado no próprio Android, mas sem as tecnologias proprietárias da Google.

huawei-ms-microsoft-windows-linux-HongMeng-OS-Android-Deepin-mobile-desktop-laptop-notebook

É quase certo que a gigante da China já tinha em seus planos, possíveis situações como a atual, afinal a relação entre Estados Unidos e China nunca foram as melhores. Todavia algumas características importantes deveriam ser adotadas em seu novo sistema. Por isso creio que o mesmo seja baseada ou tenha compatibilidade total com aplicações e games do Android, claro sem a necessidade de uma Google Play Store. Essa estratégia poderia manter a empresa firme no mercado, mesmo que fora dos Estados Unidos ou países que fossem influenciados pela decisão do governo americano.

O consumidor "comum não quer saber" se o sistema é X ou Y. O que na realidade importa para as massas são os apps. E caso o HongMeng OS, sistema em desenvolvimento da Huawei, atenda esses requisitos a empresa continuará "no jogo". Caso contrário, já temos alguns exemplos como o Windows Phone e Ubuntu Phone que demonstram os possíveis destinos.

Huawei sem Windows, como seria?


Outra possibilidade é a exclusão da Huawei no hall de parceiros da Microsoft. A gigante de Redmond poderia seguir os mesmos passos da Google, e caso a licença não seja renovado após 18 de Agosto, a Huawei seria impossibilitada de embutir o Windows em seus notebooks e equipamentos (o laptop da Huawei a MS já retirou de sua store, sobre o Windows ainda continua um mistério). Obviamente que a chinesa poderia utilizar-se de outro parceiro, todavia o custo de seus equipamentos seria muito mais elevado, ocasionando consequências em sua posição no mercado. E qual outra solução? (Sei que está esperando isso, desde quando começou a ler 😁😋😇). Provavelmente o mesmo plano que a empresa planeja ao Android, uma outra alternativa (claro que a Huawei poderia embarcar seus computadores com o HongMeng OS, unificando toda plataforma, mas perceba que ficariam limitados quando o assunto é “software e games para desktop”).

Ao se falar de alternativas ao Windows, não seria cabível imaginar que a Huawei conseguiria desenvolver um sistema desktop, compatível com diversos softwares do mercado em poucos anos. Na realidade é loucura e muita ingenuidade acreditar que um sistema operacional é desenvolvido de um dia para o outro. Então, não seria de se espantar a empresa começar a investir em um sistema baseado no kernel Linux. Talvez seja até isso um dos pontapés iniciais para a popularização do Linux nos desktops. Uma realidade não tão distante e que com o marketing certo a empresa poderia contornar a situação, sem necessariamente depender do Windows. Indo além, sua autonomia poderia ser maior ao não depender de outras empresas e quem sabe desenvolver sua própria distribuição. 

Uma tarefa não tão simples e que poderia custar muito mais que pagar licenças de “redistribuidores” do Windows. No entanto existe outra maneira, uma parceria com outra empresa chinesa a Wuhan Deepin Technology.

huawei-ms-microsoft-windows-linux-kirinOS-Android-Deepin-mobile-desktop-laptop-notebook

Linux promovido através do Deepin


Aqui no Diolinux sempre "batemos na mesma tecla", falta marketing no Linux. Não falamos no aspecto de servidores e internet das coisas (IoT), e sim desktop, games e no uso do cotidiano. A Dell é uma grande empresa que oferece o Linux, através do Ubuntu como alternativa. Todavia, o seu foco continua sendo o Windows e na realidade não existe nenhuma empresa que possua um alcance mundial impulsionando massivamente o Linux nos desktops.

Talvez a Huawei poderia ser essa empresa, com seu domínio em diversas áreas e um mercado relativamente abrangente com seus notebooks, o Linux pode ser conhecido e usado por mais pessoas. Desenvolver um sistema não é algo barato e rápido, logo uma parceira chinesa poderia ser uma poderosa aliada, e a empresa por trás do Deepin pode ser a resposta. Com todo esse transtorno com o governo americano, é plausível pensar que uma das melhores escolhas seria uma empresa de seu próprio país. A Wuhan Deepin Technology, empresa responsável pela distribuição Deepin, tem alguns anos no mercado, um software atraente e funcional, podendo chamar atenção da gigante Huawei.

huawei-ms-microsoft-windows-linux-kirinOS-Android-Deepin-mobile-desktop-laptop-notebook

Com uma empresa que possua experiência no desenvolvimento de sistemas Linux, a Huawei possivelmente firmaria algum acordo e disponibilizaria o Deepin em seus equipamentos, ou quem sabe compraria a Wuhan Deepin Technology. Convenhamos que a distribuição chinesa atrai os olhos e consumidores são fisgados "pela luxúria" em primeiro momento. E quanto aos problemas existentes no Deepin? Nada que uma boa grana injetada não possa resolver (ou amenizar) e isso não é empecilho para empresa.

Será que o Deepin tornará o Linux popular nos desktops? Afinal o mercado chinês é um dos maiores e que mais cresce no mundo. Muitos esperam do Ubuntu ou ChromeOS tal façanha, talvez o “pequenino” chinês faça história, você gostando ou não. Se ele seria adotado maciçamente em outros países, aí já é outra história. Talvez ele impulsione o Linux nos desktops, retirando o preconceito da cabeça de muitos consumidores ou mostrando que existem outras alternativas. 

E você o que pensa sobre esse assunto? Que tal continuá-lo em nosso fórum Diolinux Plus, a galera por lá é bem educada. E creio que você também é (aqui nos comentários).

Até o próximo post, que o assunto hoje rendeu (😁😁😁), seja complacente com a opinião alheia e como sempre te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Vídeo conta a história do GNOME Shell (PT-BR)

Nenhum comentário

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Sabe de uma coisa? É muito bom poder chegar aqui e apresentar este tipo de material produzido por brasileiros. Vejo a comunidade Linux brasileira no YouTube em crescimento e se profissionalizando com o tempo, o que é muito bom! Hoje você vai conhecer a história de uma das mais populares interfaces gráficas do mundo da tecnologia, o GNOME Shell.

A história do GNOME Shell





Os nossos amigos do canal Oficina do Tux criaram um vídeo para explicar para você um pouco da trajetória do GNOME Shell, interface preferida de várias distribuições Linux famosas, como o Fedora e agora, o Ubuntu também.

Confira:


Eles estão realizando uma enquete também para saber qual ambiente gráfico deve ser o próximo a ter a sua história contada, então você pode deixar a sua sugestão nos comentários ou no card no vídeo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Vídeo conta como o Arch Linux foi criado

Nenhum comentário

terça-feira, 8 de agosto de 2017

O Arch é uma distribuição Linux de origem canadense e que caiu no gosto de milhares de pessoas ao redor do mundo, hoje vamos entender como foi o nascimento de um dos sistemas que mais conseguiram levar o conceito KISS (Keep It Simple, Stupid!) para o público.

Arch Linux - A história da Distro






Os nossos amigos do canal Oficina do Tux produziram um vídeo muito bacana para contar para você como foi a origem de uma das distribuições mais icônicas do mundo Linux, o Arch Linux. Recoste na cadeira e acompanhe a acensão da fera:


O Arch Linux foi desenvolvido originalmente pelo canadense Judd Vinet. Seu desenvolvimento sempre foi aplicado ao minimalismo e simplicidade de código, esperando sempre que o usuário seja a parte determinante para trazer a coesão que o mesmo espera para o sistema. Um dos grandes destaques do Arch, como é chamado, é sem dúvida o gestor de pacotes Pacman (Package Manager), que foi escrito especialmente para o sistema e é utilizado até hoje para instalar, remover, pesquisar e fazer o upgrade de pacotes do sistema, ou seja, fazer a gestão de software.

O Arch Linux utiliza o chamado modelo Rolling Release de lançamento, isso significa que não existem "versões" do Arch como temos no Ubuntu ou no Debian. O usuário instala o sistema apenas uma vez e vai apenas atualizando, ou pelo menos, esta é a premissa. 

Outro grande destaque é o repositório AUR (Arch User Repository), que como o significado da sigla indica, é o repositório da comunidade de usuários/desenvolvedores do Arch Linux, onde você encontrará pacotes para praticamente qualquer programa disponível para Linux.

Recomendamos a leitura de :




Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


"Code Together" - SUSE cria paródia do clássico dos Beatles

Nenhum comentário

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Se tem uma coisa que eu realmente gosto no SUSE é o marketing! Eles sabem fazer isso muito bem, ou pelo menos de uma forma que me agrada. Criar paródias musicais para promover o Linux e os seus serviços não é uma novidade, mas a gigante do mundo Open Source agora está parodiando clássicos da música!

Paródias da SUSE





Como eu comentei, esta não é a primeira paródia da SUSE com músicas famosas, quem lembra das paródias com as músicas "Sugar"  e "Uptown Funk", ou ainda aquela paródia mais absurda ainda do "What does the Fox say?"?


Os caras estão ficando experientes nisso hein!?

A nova paródia vai direto em um dos clássicos compostos por John Lennon e Paul McCartney, "Come Together", que você pode ouvir aqui, além da paródia da letra, a versão da SUSE ganhou um arranjo diferente, com algumas algumas guitarras mais pesadas em relação a versão dos Beatles, confira o vídeo agora, a letra está logo abaixo também:



Here come Chameleon
He see stereoscopic
He got open source code
He one holy coder
He got a tail down below his knees
Administers his systems
Man, it feels like a breeze

He got no lock-in
He got open stack cloud
He got mainframe linux
He use YaST and Kiwi
He say I know Perl, you know Ruby
One thing I can tell you is
You got to be Free
Code together, right now
We’re all free

He’s in production
He got massive up time
He use open standards
He one elite hacker
He got software defined storage
According to top, yeah,
You got so much RAM free
Code together, right now
We’re all free

He on the mainframe
He got desktop powers
He rules Top 500
He one real bad mother
He say one and one is seventeen
Got to be good looking
Cause he’s so good with C
Code together, right now
We’re all free

Code together, yeah
Code together, yeah


Ah! Essa "zueira" misturada com marketing cai como uma luva, não é, não? 😄

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




7 programas para Linux que você não encontra no Windows

Nenhum comentário

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

É comum vermos as pessoas falando que o Windows tem muitos programas que não existem em outras plataformas e isso não está incorreto de fato, mas existem também programas ótimos para Linux que não existem na plataforma da Microsoft. Encare este artigo como fator de curiosidade, a intenção não é dizer que um sistema é melhor que outro, porque isso é algo muito relativo a quem usa o computador, todos sabemos disso. Dito isso, vamos pra lista?

Apps exclusivos do Linux




Existem muitos aplicativos do mundo Linux que não possuem versões para outros sistemas operacionais, ele são muito bons e as pessoas por vezes acabam deixando de conhecê-los justamente pela sua exclusividade. Separei nesta lista 7 deles que eu considero excelentes, confira:

1 - Gnome Boxes

Gnome Boxes

O Gnome Boxes é um aplicativo para criação e gerenciamento de máquinas virtuais, especialmente fácil para usar virtualização via KVM. O que eu acho bacana nele, ainda que eu goste de usar também o VirtualBox e o VMWare, é a sua simplicidade.

Quem gosta de testar sistemas operacionais através de virtualização vai encontrar no Boxes a opção mais simples para fazer isso, poucos cliques, interface limpa e minimalista, não conhece uma outra aplicação com a mesma simplicidade no mundo Windows. Ele é grátis também, outro ponto positivo.

2 - Simple Screen Recorder


Simple Screen Recorder

Temos vários programas exclusivos para captura de tela, o Kazam por exemplo, é outra grande opção. 

Além dele, temos o OBS também, que não é exclusivo, mas está disponível para Linux da mesma forma. O SSR, ou Simple Screen Recorder, apesar do nome, é uma aplicação cheia de opções e incrivelmente útil para quem quer fazer captura de tela. Muito do canal Diolinux foi feito usando esta aplicação exclusiva para Linux, ele tem mais recursos e é muito mais leve do que o popular Fraps por exemplo, além de ser grátis.

3 - Rapid Photo Downloader



Essa é outra aplicação muito bacana, especialmente para quem trabalha com vídeos e fotos.  Assim como o nome sugere, o Rapid Photo Downloader, auxilia você a passar arquivos de um dispositivo para outro, como de um cartão de memória de câmera para um dispositivo de armazenamento. Uso  ele com frequência para passar os arquivos brutos do canal para o PC.

4 - Simple Scan (Digitalizador Simples)



Esta aplicação vem com praticamente todas as distribuições Linux e mais uma vez, seu nome não poderia ser mais descritivo. A maior parte das aplicações para trabalhar com Scanner tem um visual mais carregado e boa parte das pessoas, especialmente usuários comuns de computador, "apanham" para escanear uma simples página.

O Simple Scan tem exatamente essa função, ele basicamente tem o botão de Scan que faz o seu trabalho com primor e opções simples para cortar, ajustar e girar a imagem escaneada. Até tenho um um caso interessante para contar à respeito deste programa.

Há algum tempo atrás instalei o Ubuntu no computador de um ex-aluno meu, o Notebook que ele usava era compartilhado pela família e sua mãe, que trabalhava como caixa de um posto de combustível, usava a ferramenta de Scanner com muita frequência, fazia uso do Simple Scan para enviar copias das notas que ela gerava no dia a dia, ela mesma confirmou que achava muito mais fácil usar ele do que a alternativa que havia no próprio software da impressora para Windows.

5 - GParted


GParted

O GParted é um dos aplicativos mais poderosos quando se fala em gerenciamento de partições e discos, ele pode ser usado para tarefas banais, como formatar o seu pen drive, ou até mesmo para redimensionar, organizar e formatar discos rígidos inteiros. O GParted também possui uma versão em LiveCD, para que você possa usar no lugar de uma aplicação como o PartedMagic, mesmo que o seu computador não rode Linux, no entanto, a versão desktop somente está disponível para o "sistema do pinguim". Assim como as outras ferramentas apresentadas até agora, o GParted é completamente grátis.

6 - Shutter

Shutter

O Shutter é incomparável, é definitivamente a melhor aplicação para fazer capturas de tela que eu já conheci, ainda mais por conter um editor embutido. Lembro que em 2013 eu escrevi um artigo aqui no blog de um momento em que passei uma semana usando Windows e o Shutter foi uma das aplicações que eu mais senti falta. Todas as imagens usadas neste artigo e boa parte das imagens utilizadas nos outros artigos aqui do blog, especialmente os que envolvem tutoriais, foram feitas no Shutter.

Ele também é grátis e tem até sincronia com serviços de armazenamento de imagem em nuvem, é incrível e um dos meus programas favoritos.

7 - Geary Mail/Pantheon Mail


Geary Mail

Quem gosta de organizar seus e-mails com estilo e com um design sofisticado vai encontrar no Geary, ou em sua versão para o elementary OS, o Pantheon Mail, uma das melhores alternativas. Assim como as demais aplicações ele é de graça e muito simples de se utilizar com uma interface minimalista.

Concluindo


É engraçado pensar desta forma, mas o Linux também tem aplicações nativas que são muito boas e exclusivas, o mais engraçado é que ao contrário do que se poderia imaginar, a comunidade trabalha para desenvolver versões para os outros sistemas também, talvez se eu refazer essa lista daqui há alguns anos, ou meses, dependendo da aplicação, muitos destes já não serão mais exclusivos, essa é uma das coisas mais bacanas.

Uma amostra disso é esta outra lista com 10 programas ótimos que funcionam tanto no Linux, quanto no Windows. Dessa forma, você sempre terá grandes programas à sua disposição ,independente da plataforma que você use e normalmente sem precisar pagar por isso, vai dizer que não é bacana? 😄

Como a brincadeira aqui é listar programas exclusivos, se você conhecer mais algum bacana que não está na lista, comente logo abaixo para deixar o conteúdo mais completo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Quais as distros Linux e os ambientes gráficos mais utilizados no Brasil?

Nenhum comentário

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Se tem uma tarefa que poderia receber o codinome de "missão impossível" é catalogar o Linux, mas nós vamos tentar captar uma amostra aqui no blog para conhecermos melhor o nosso público e os seus gostos também.

Pesquisa de usuários Linux do Brasil




Não é a primeira vez que a gente tenta fazer este levantamento, afinal, é sempre interessante fazer comparações para ver se as coisas mudam ao longo do tempo, mas desta vez vamos ir um pouco mais além para sabermos como o Linux é utilizado pelo nosso público.

No dia 8 de Fevereiro de 2015, eu publiquei o seguinte vídeo do canal do blog no YouTube, talvez seja interessante você dar uma olhada, ele contém o resultado na nossa pesquisa na época:



Para fins comparativos, no dia 22 de Novembro deste ano eu comecei uma nova enquete sobre o mesmo tema no nosso grupo no Facebook, ele ficou em destaque por alguns dias e tivemos pouco mais de 1000 votos em todas as categorias, temos logo abaixo o TOP 10 interfaces gráficas segundos os integrantes do nosso grupo no Facebook:

Top 10 interfaces do Linux

A proposta da enquete simplesmente pedia para que as pessoas marcassem a interface gráfica de preferência, independente da distribuição Linux que utilizasse.

Para refinar um pouco mais a nossa pesquisa e não limitar somente aos nossos leitores frequentes e integrantes que fazem parte do nosso grupo, vamos publicar a enquete aqui.

Contamos com a sua participação de duas formas. Primeiro de tudo, resposta de forma honesta as perguntas, não é necessário se identificar, e segundo, compartilhe essa enquete para outras pessoas, outros grupos, distros diferentes, fóruns que você participe, a ideia é atingir o maior número de pessoas possível, sejam elas leitoras do blog ou não.

Caso você não consiga acessar o formulário, clique aqui. Assim que tivermos um número significativo de votos, vamos fazer um vídeo falando sobre o assunto e compilando o resultado para vocês.

















_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




O banco gaúcho Banrisul usa Linux também #EuViLinux

Nenhum comentário

sábado, 19 de novembro de 2016

Mais uma contribuição para a nossa série #EuViLinux está chegando, desta vez as imagens são de autoria do nosso leitor, Varnei Albino, ele tem uma pequena história para contar e flagrou o Linux sendo utilizado no Banco do Rio Grande do Sul, o Banrisul.

Eu Vi Linux no Banrisul




É sempre muito curioso ver os lugares mais diversos onde o Linux é utilizado, as imagens de hoje vieram acompanhadas do seguinte texto:

Olá Dionatan.

Acompanho fielmente os teus conteúdos e gostei da iniciativa de saber onde se usa Linux. Conheço o Linux desde o tempo do Kurumin e antes disso, nos anos 90, eu trabalhava no SPC de Tubarão - SC que usava Unix quando foi informatizado.

Hoje moro em Santa Maria - RS e percebo que há muitos anos o Banco do Estado do Rio Grande do Sul - Banrisul usa Linux.

Hoje fui em uma agência e pude fazer estas imagens. #EuViLinux

Grande abraço a todos os usuários Linux.

Fiquem com Deus

Varnei S. Albino

Eu Vi Linux no Banrisul

Eu Vi Linux no Banrisul

Eu Vi Linux no Banrisul

Eu Vi Linux no Banrisul

Quero agradecer a contribuição do nosso leitor e te incentivar a fazer o mesmo, se você viu Linux em algum lugar curioso, mande pra gente, assim vamos mostrar para mais e mais pessoas onde o Linux está presente. Não esqueça de compartilhar também, assim outras pessoas ficam sabendo disso.


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




A importância do Linux para Hollywood

Nenhum comentário

terça-feira, 15 de novembro de 2016

A indústria milionária do cinema em Hollywood também usa muito Linux nas produções, talvez o seu filme favorito tenha sido feito usando o sistema do Pinguim. Filmes legendários como o Titanic foram realizados por conta da maleabilidade do Linux  para se adaptar à escala necessária para realizar um projeto como este.




O nosso redator, Gabriel da Costa, legendou um vídeo muito interessante sobre o assunto que explica um pouco de como o Linux faz parte da produção dos filmes atuais, confira:



Curioso, não é?
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




O que faz um projeto Open Source ter sucesso e o que não faz?

Nenhum comentário

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

O SourceForge, um dos maiores sites de apoio a distribuição de softwares de código aberto levantou algumas questões interessantes sobre o sucesso de programas desenvolvidos desta forma. Desde sua criação, estima-se que o SourceForge hospedou mais de 300 mil projetos ao redor do mundo, o que será que eles tem a nos dizer sobre o assunto?

O segredo do sucesso do SourceForge




A reflexão é sempre válida. Por que trabalhar com software de código aberto? Por que optar por liberar o código de alguma aplicação ao invés de reter o código da aplicação? Muitas pessoas tem esta dúvida e não sabem muito bem o que faz um projeto de open source fazer sucesso ou não.

Se você precisasse dizer o que faz um projeto Open Source fazer sucesso, o que você diria? 

Segundo o SourceForge e os seus centenas de milhares de projetos hospedados, depois de anos de trabalho existem alguns fatores surpreendentes, tanto para um lado, quanto para o outro, que poder determinar o sucesso de um projeto de código aberto ou o seu fracasso.

O que faz um projeto Open Source ter sucesso?


1 - Segundo o pessoal do SourceForge o sucesso de um projeto está atrelado a uma coisa um tanto quanto óbvia, a necessidade.

Open Source Windows!


Um software aberto somente consegue obter sucesso quando ele desperta uma necessidade entre os usuários ou quando ele resolve um problema importante. Isso costuma acontecer quando não existe uma outra solução tão prática quanto. Eles observam que "sucesso" é algo relativo, um sistema ou programa pode ter alguns milhares de usuários e ainda assim não ser um "sucesso" porque não tem a propriedade de solucionar um problema que até então não tinha solução. Um exemplo disso seria distribuições Linux que tem um mesmo propósito mas que não apresentam nada de novo, a não ser uma releitura do que já existe.

Neste exemplo a distro poderia ter até alguns usuários, mas não poderia ser chamado de "sucesso" pelo simples fato de não fazer algo diferente ou "melhor".

2 - Demonstrar preocupação com o projeto também faz com que ele evolua mais rápido e faz com que mais pessoas confiem nele. Neste caso o aspecto social se mostrou um diferencial, manter contato com o público, com os usuários e com as pessoas que estão dispostas a ajudar no projeto, ouvir o que as pessoas sugerem e procurar aplicar no projeto é algo comumente visto em projetos de código aberto que deram certo.

3 - Uma visão clara de "para que serve o projeto". Ter objetivos e colocar metas pode ser algo útil para receber apoio de mais desenvolvedores e por consequência, levar o projeto para frente.

Quais os fatores que não influenciam no sucesso de um projeto?


Ao mesmo tempo que é bom mostrar fatores que influenciam no sucesso de um projeto open source, é bom falar também de coisas que não influenciam muito, ao contrário do que se possa pensar. 

Fique ligado neste itens para não se preocupar com coisas que não vão fazer tanta diferença assim.

1 - O número de desenvolvedores envolvidos não quer dizer necessariamente que a qualidade do projeto é superior ou inferior, o compromisso com ele é muito mais determinante para o sucesso do que isso.

2  - Adoção em larga escala também não é necessariamente um fator de sucesso. É verdade que uma grande quantidade de usuários pode ser um indicador de sucesso, mas isso não é necessariamente verdade, projetos com menor número de usuários mas que são extremamente importantes para o nicho que atendem também podem ser considerados bem sucedidos. 

3 - A licença usada. Existem muitas licenças de código aberto, mas apesar de muita gente levar em consideração a filosofia por traz de uma licença, como a GPL por exemplo, a licença em si não faz o programa ser bom tecnicamente, então ela não faz a menor diferença.

4 - O sistema operacional utilizado para fazer o programa ou sistema operacional para qual o programa é desenvolvido para rodar também não influencia diretamente em seu sucesso, vamos repousar novamente no item da necessidade e solução de um problema, se o programa cumpre este papel com excelência o fato dele ser desenvolvido no Linux, Mac ou Windows não faz a menor diferença.

5 - Alto financiamento do projeto ou a falta dele. Segundo uma base de pesquisas da universidade de Massachusetts, a necessidade de uma funcionalidade e de um programa de qualidade é que leva os projetos de código aberto para frente, e não o financiamento. É claro que dinheiro é necessário para desenvolver qualquer coisa, mas projetos bem sucedidos não são necessariamente os que tem mais dinheiro. 

É muito mais vantajoso investir no programa e transformá-lo em produto de qualidade, pois dessa forma ele automaticamente vai chamar a atenção de conseguir patrocinadores, não começar um projeto por falta de fundos é um erro, pois ele costuma vir depois na maioria dos casos.

O que você acha? Concorda com a análise do SourceForge?

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Chineses instalam Linux no PS4 para jogar Super Mario

Nenhum comentário

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Quando os geeks estão com tempo livre tem muita coisa curiosa que pode acontecer. Dois amigos chineses resolveram mostrar um exploit para a Sony que existe no PS4 que permitiu que eles instalassem o Linux no console e ainda jogassem um dos clássicos do vídeo game.

PS4 com Linux




Eu até me pergunto se não seria melhor utilizar o PS4 como um PS4 mesmo, mas de qualquer forma, se é possível fazer isso e alguém quer, por que não?


O projeto foi apresentado na GeekPwn, em Xangai e simplesmente mostra o quanto o Linux pode ser maleável. O PS4 recebeu recentemente uma atualização que corrigiu a falha que permitia a instalação do Linux da forma com que os jovens chineses fizeram, entretanto o PS4 PRO ainda a possui e poderá ser explorada também, claro, até que a Sony corrija também, ou até que os garotos encontrem outra forma de fazer a mesma coisa.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Ubuntu é utilizado na UFRRJ - #EuViLinux

Nenhum comentário

sábado, 29 de outubro de 2016

Eu adoro esta categoria do blog! O #EuViLinux é uma forma muito bacana de interatividade com vocês, leitores, e ainda mostra para as pessoas os mais variados locais onde o Linux se faz presente, desta vez o local é a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Ubuntu é utilizado na UFRRJ






Desta vez as imagens foram mandadas pelo nosso leitor, Rodrigo Machado, e ele nos mandou a seguinte mensagem:

Olá, me chamo Rodrigo Machado e sou estudante de Ciência da Computação na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Usei o Ubuntu por um tempo, mas algumas semanas antes do início das aulas eu instalei o Windows 10, pensando que seria necessário para a faculdade. Para minha surpresa, ao chegar lá, percebi que todos os computadores do Campus (Nova Iguaçu) utilizam o Ubuntu, no mesmo dia reinstalei o sistema no meu PC. Seguem as fotos em anexo.

Grato.

Ubuntu na UFRRJ

Ubuntu na UFRRJ

Gostaria de agradecer ao Rodrigo pelas imagens, é muito bom saber que existem universidades como esta onde o Linux é utilizado em larga escala para utilização de usuários finais.


Se você também viu Linux em algum lugar interessante e gostaria de compartilhar conosco, mande as suas imagens para o e-mail do blog, quem sabe você seja o próximo leitor a aparecer aqui.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Arquitetura ARM não é a preferida de Linus Torvalds

Nenhum comentário

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Linus Torvalds, criador do Kernel Linux, declarou em uma entrevista a sua preferência por arquitetura de processadores, apesar dos ARM serem muito populares hoje em dia graças aos dispositivos móveis, eles não são a preferência de Torvalds.

ARM e Linus Torvalds




Recentemente Linus Torvalds respondeu algumas perguntas em uma conferência da Linaro Connect, uma delas foi questionando qual era a sua arquitetura de processadores favorita, sem balbuciar ele respondeu: x86.

Após a resposta, Linus foi indagado do por quê da escolha, ainda mais por conta da popularidade atual da arquitetura ARM, utilizada em inúmeros Smartphones que rodam Android, que por sua vez rodam o Kernel Linux.

Torvalds comentou que o a longa história de vida do x86 certamente ajuda ele a ter uma posição privilegiada em seu conceito. Segundo o criador do Linux, toda essa história faz com que haja pouca fragmentação de software e hardware e "as coisas simplesmente funcionam".

Para Linus, a infraestrutura em torno do CPU importa mais do que ele mesmo:

“O que importa é toda a infraestrutura em torno do conjunto de instruções, e a x86 possui toda essa infraestrutura...em muitos níveis diferentes. Está fez um caminho que nenhuma outra arquitetura conseguiu fazer até o momento”, afirmou Torvalds.

Isso explica um pouco da fragmentação do Android, onde cada especificação é ligeiramente diferente da outra, obrigando os desenvolvedores a criarem versões do Kernel específicas para cada dispositivo, segundo Linus, a variedade e tão grande que é este pode o principal motivo de não haver uma versão do Android que rode em todos os aparelhos sem distinção.

Fonte.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Os bastidores do Endless OS - DioCast #18

Nenhum comentário

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Um novo episódio do DioCast está disponível para você acompanhar  de perto mais uma distribuição Linux importante para o cenário de software brasileiro, o Endless OS.

Endless OS




O Endless OS foi citado aqui no blog algumas vezes já, sempre dando destaque para o excelente trabalho que a empresa de mesmo nome está desenvolvendo com relação à acessibilidade e integração social das pessoas através da informática.

O Endless OS sempre chamou a atenção das pessoas pelo seu visual e comportamento único, para explicar melhor como o sistema funciona e também mostrar para você o que o futuro guarda para a distro, além das estratégias de marketing e tudo o que levou o Endless OS a ser como é hoje é que nós nos reunimos com dois dos principais desenvolvedores da empresa para tirar todas as dúvidas sobre o Endless OS. Confira:



Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Os 7 ambientes gráficos mais populares do mundo Linux

Nenhum comentário

sábado, 24 de setembro de 2016

Uma das coisas que diferenciam muito o Linux de outros sistemas é a possibilidade de usar várias interfaces diferentes nas várias diferentes distribuições que existem, vamos conhecer agora as 7 mais populares para você saiba quais são as principais opções.

7 Desktop Enviroments para Linux






Eu elaborei uma lista aqui para mostrar o ambientes gráficos que eu acredito que sejam os principais, é bom lembrar que eles não estão em uma ordem de popularidade ou mesmo ordenados de "melhor para pior" e vice-e-versa, simplesmente estou listando-os, tudo bem? O julgamento de qual é o melhor para você cabe somente a você mesmo.

Desktop Enviroment e Interface Gráfica


Apesar de serem semelhantes, "Desktop Enviroment" e "Interface Gráfica" não são exatamente a mesma coisa. Desktop Enviroment engloba muito mais do que somente a interface, mas todos os programas que compõem os sistema operacional. Podem eventualmente ocorrer junções entre interfaces diferentes e Desktop Enviroments, um sistema que use uma interface gráfica "X" e use aplicações que fazem parte de outro DE.

Vamos começar?

1 - Gnome


Gnome Shell

O Gnome é um dos Desktop Enviroments mais populares de todos os tempos, não se restringindo somente à interface, mas a várias aplicações que compõem toda ela, como o gerenciador de arquivos Nautilus, que é um dos grandes destaques.

2 - KDE


KDE Plasma

O KDE também é um projeto grande como o Gnome, a interface gráfica do projeto, o Plasma, é utilizado por milhares de pessoas ao redor do mundo. Além disso, o projeto KDE tem uma série de programas variados para diversas funções. O Dolphin é o gerenciador de arquivos.

3 - Cinnamon Desktop


Cinnamon Desktop

Ao contrário dos dois primeiros, o Cinnamon é um projeto mais recente. Criado como um fork do Gnome, o Cinnamon hoje conta com uma série de aplicações próprias, porém, ainda não possui tantos programas quanto o projeto Gnome. O gerenciador de arquivos é o Nemo, um fork do Nautilus.

4 - MATE Desktop


MATE Desktop

Assim como o Cinnamon começou como um fork do Gnome 3, o MATE começou como um fork do Gnome 2, mantendo vivo o gosto de usar este desktop tradicional amado por muitas pessoas, mas claro que ele não ficou parado no tempo, muitas melhorias e otimizações foram colocadas no MATE, assim podemos dizer que o MATE continuou de onde o Gnome 2 parou. O gestor de arquivos do MATE Desktop é o Caja.

5 - XFCE


XFCE Desktop

Amado pelos usuários que gostam de simplicidade misturada com leveza e um desktop muito personalizável, o XFCE seguiu seu próprio caminho ao longo dos anos criando a sua própria identidade. O visual padrão do XFCE traz uma barra na parte superior e um menu com campo de busca atualmente, porém, pesquisando entre as distribuições você vai encontrar várias customizações diferentes a ponto do XFCE ficar muito diferente do que ele é originalmente. Seu gerenciador de arquivos padrão é o Thunar, mas além dele existem uma série de aplicações do projeto que ajudam a compor todo o DE.

6 - Pantheon


Pantheon Desktop


O Pantheon Desktop é originário do projeto elementary OS, uma distribuição que sempre focou no design e na elegância. O Patheon ainda não é um projeto amplo, porém, possui várias aplicações de desenvolvimento próprio, além da interface em si, o Pantheon Shell, o gerenciador de arquivos do sistema, o Pantheon Files, entre outros.

7 - Deepin Desktop Enviroment


Deepin Desktop

De origem chinesa, o Deepin Desktop Enviroment passou por muitas transformações ao longo dos anos. Ele também começou como uma modificação do Gnome, porém, hoje já possui aplicações próprias para praticamente todas as funcionalidades, até pouco tempo atrás o Deepin Linux utiliza ainda o Nautilus como gerenciador de arquivos, mas até ele na última versão lançada no Deepin Linux, deu espaço para um novo gerenciador de arquivos chamado "Deepin File Manager" com funções similares.

E o Unity?


O Unity, ambiente padrão do Ubuntu, requer uma explicação diferenciada. Ele possui duas versões, o Unity 7, utilizado atualmente nos desktops, e o Unity 8, utilizado atualmente em Smartphones e Tablets, e se tudo der certo, futuramente no Desktops também.

Ubuntu Unity Desktop


O Unity 7, não é exatamente um Desktop Enviroment, isso porque ele é uma mescla de elementos que funcionam muito bem juntos. Com um "core", digamos assim, de aplicações ligeiramente modificadas do projeto Gnome, e algumas aplicações próprias, como o Unity Control Center, fork do Gnome Controle Center, a interface em si, é um plugin do popular gestor de janelas Compiz. O Unity 8 é algo muito mais parecido com um Desktop Enviroment tradicional de Linux, com interface e aplicações auxiliares totalmente desenvolvidas para o sistema. Digamos então que o Unity seja um "número 8" na nossa lista, mesmo que com um asterisco.

Além dessa lista de 7 e uma menção, cabe ressaltar que ainda existem mais opções, realmente o Linux tem muitas alternativas e você certamente vai encontrar um conjunto de desktop e interface que vai te agradar entre as centenas de distribuições.

Se você quiser adicionar outras interfaces que você goste, mais minimalistas ou qualquer outro tipo de Desktop Enviroment, fique à vontade, os comentários estão aí pra você compartilhar o seu conhecimento.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Lojas Centauro usam Linux nos caixas #EuViLinux

Nenhum comentário

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Um novo capítulo da nossa série #EuViLinux que visa mostrar as mais diferentes utilizações do Linux pelo Brasil e mundo está chegando, desta vez vamos falar das Lojas Centauro.

Lojas Centauro usam Linux



Quem entrou em contato mandando imagens da loja pra gente foi o nosso leitor Robson Cordeiro, ele nos mandou um e-mail dizendo:
Olá Dio,essa foto tirei nas Lojas Centauro, nos caixas. No local não consegui distinguir que distro é, parece um KDE antigo com um Wine mais antigo ainda.  Bem, essa  é a minha contribuição. 
Abraço!
Confira a imagem abaixo:

Linux nas Lojas Centauro

Como o nosso leitor bem observou, temos aqui um ambiente KDE 3 rodando também alguma aplicação através do Wine, o que mostra que mesmo não sendo nativo, pode ser uma alternativa interessante para a economia da empresa. O Linux está mais perto de você do que você imagina, curioso não é mesmo?

Quer ver mais episódios do #EuViLinux? Clique aqui e veja todos!

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Projeto quer usar realidade virtual para criar um jogo de YuGi-Oh com hologramas

Nenhum comentário

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Se Pokémon GO já deixou a galera com um frenesi daqueles por conta da proposta do jogo e de integrar os Pokémons com o mundo real, é melhor os fãs de YuGi-Oh prepararem os corações.

YuGi-Oh HoloLens




O Microsoft Hololens chamou muita atenção quando foi anunciado graças as propostas incríveis de experiência que ele promete, porém, não existem muitos projetos que o utilizam. Apesar disso, vendo um vídeo dele é difícil não querer interagir com este tipo de tecnologia.

Um "desenvolvedor solitário" resolveu colocar um sonho de infância de muita gente em prática, jogar YuGi-Oh com hologramas dos monstros de duelo, do mesmo jeito que acontece no Anime. Tudo bem que ele ainda não está nem perto de ter um padrão jogável, mas probabilidade de chamar a atenção da industria com isso é grande e só me faz pensar uma coisa: "Konami, faça essa budega logo!"

Existem alguns vídeos onde a tecnologia foi demonstrada em carácter experimental, confira:






Até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo