Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador dota2. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador dota2. Mostrar todas as postagens

Novo game da Valve, Artifact é lançado oficialmente com versão para Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

A Valve é certamente uma das empresas mais queridas pelos gamers, seja por manter a plataforma Steam, um meio consideravelmente acessível de comprar jogos para computador, seja pelos seus famosos jogos, como Counter Strike, Dota 2, Half Life, entre outros. Acontece que depois de vários anos sem lançar novos títulos, a empresa finalmente lançou o seu novo game de cartas, Artifact, que claramente chega para ser um concorrente do HearthStone, um dos jogos de sucesso da Blizzard.

Game Artifact da Valve






Finalmente a versão final de Artifact chegou à Steam. O game segue a linha do clássico "card game" e teve a contribuição de um dos criadores do famoso game de cartas, Magic, Richard Garfield, com a intenção para torná-lo um pouco mais complexo, seguindo o exemplo do próprio Dota 2 em relação a outros mobas.

Artifact é feito para ser jogado online, player vs player, com batalhas através de 3 campos, chamados de "lanes", assim como em Dota 2, inclusive, essa semelhança não é à toa, o game em si é baseado no universo de Dota 2, jogo também disponível para Linux, gratuitamente, desenvolvido igualmente pela Valve.

A ideia mercadológica do jogo é que os jogadores possam comprar e vender cartas no mercado da Steam. O título foi lançado para Linux, Windows e macOS, porém, há planos para o próximo ano de chegarem versões para Android e iOS também.


Recepção e concorrência


Ainda é cedo para dizer o quão bem sucedido o game está sendo, mas dentre as recepções recentes, vemos muitos usuários se queixando, especialmente por conta do preço, ao mesmo tempo que muitos elogiam a criatividade para renovar um card game, algo que parece tão tradicional. Na Steam as avaliações são consideradas "Neutras" até o momento, coisa que geralmente acontece quando o game divide mutias opiniões.

Particularmente gosto de games de cartas, sou um fã de Yu-Gi-Oh! desde criança e já me aventurei um pouco com HearthStone, que inclusive, tem algumas mecânicas bem similares com as de Artifact, porém, minha crítica inicial se resume ao preço e a forma de comercialização do jogo.

Ao contrário de Dota 2, gratuito, que possui um grande mercado de itens colecionáveis interessantes, mas que não influenciam diretamente no gameplay, ou seja, não é um jogo "pay to win", Artifact ainda requer um pouco de "role play" para termos noção de qual caminho ele seguirá, abrindo possibilidade para um formato que me desagrada bastante, assim como muitos outros jogadores, tenho certeza.

Atualmente o jogo custa mais de R$ 70,00 no Brasil, cerca de USD 20,00 fora do país, o que é um valor consideravelmente alto para um jogo no formato, sem desmerecer card games, que como eu disse, sou muito fã. Além disso, ainda teremos o mercado de cartas, que até o momento não ficou claro para mim se permitirá comprar cartas que deem maior vantagem em relação a outros jogadores e não serão apenas "aparência". 

Se realmente isso acontecer, além de ser pago inicialmente, para se manter competitivo, você ainda terá de pagar mais...

Outros games concorrentes, como HearthStone, também possuem seus próprios mercados, mas são ao menos gratuitos para jogar, dão a chance do jogador testar e ver se realmente se interessa pelo jogo, seguindo um modelo mais tradicional. O próprio Duel Links da Konami, tem também várias formas de você gastar dinheiro em cartas e packs, mas é, ao menos, grátis para você experimentar. Assim como Gwent, da CD Project Red, game de cartas baseado no universo do game "The Witcher".

Quem sou eu para dizer o que a Valve deve fazer, mas cobrar pelo jogo, ainda mais um valor tão alto, vai fazer com que ele fique menos popular certamente, especialmente aqui no Brasil. 20 dólares é um valor tecnicamente acessível nos EUA, mas o valor do jogo precisa de um reajuste para o mercado Brasileiro, outro jogo muito famoso da Valve, CS:GO, sai por menos de R$ 30,00 atualmente, se Artifact chegar perto disso, será mais competitivo, talvez até mais justo. Pode ser que o preço baixe ao longo do tempo, mas se você quiser jogar agora, terá de pagar mais por isso.

A versão para Linux


Artifact foi lançado para Linux no "day 1", assim como as versões de Windows e macOS, para jogar o game no Linux os pré-requisitos mínimos são os seguintes:

  • Sistema operacional: Ubuntu 16.04 ou mais recente
  • Processador: Intel i5, 2.4 Ghz ou melhor
  • Memória: 4 GB de RAM
  • Placa de vídeo: GPU com suporte a Vulkan, Nvidia, AMD ou Intel
  • Rede: Conexão de internet banda larga
  • Armazenamento: 5 GB de espaço disponível
  • Placa de som: OpenAL Compatible Sound Card
Como podemos ver, tirando o requisito do Vulkan, o jogo é relativamente acessível, curiosamente, a versão de Linux tem 2GB a menos de tamanho para Download, comparado a versão de Windows, assim como a de macOS.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.



Dota 2 será o próximo game a utilizar API gráfica Vulkan

Nenhum comentário

domingo, 22 de maio de 2016

Aos poucos novos games vão se adaptando a "nova geração do OpenGL", o Vulkan, e o próximo grande título que irá utilizar o recurso é o popular Dota 2 da Valve.

Dota 2 Vulkan





Apesar do Vulkan ter dado as caras há algum tempo, é natural que, como toda nova API, ela demore um pouco para ser utilizado nos games, dentre todas as empresas que tem trabalhado com ela, acho que a Valve é uma das maiores interessadas em querer vê-lo funcionando bem, muito em parte por conta das Steam Machines que rodam Linux e terão o Vulkan como principal API no futuro.
Leia também: Saiba tudo sobre o Vulkan
Antes mesmo na Valve implementar o Vulkan em algum de seus games, nós vimos o novo Doom rodando na GTX 1080 da Nvidia usando a nova API, esse novo Doom também roda usando o OpenGL, o que mostra o potencial do open source mais uma vez, sobretudo quando o mesmo é bem explorado.

Dota 2, um título muito importante para os gamers e para a indústria de e-sports está implementando agora o Vulkan, provavelmente uma atualização na próxima semana trará o suporte para a API no game, temos que ficar de olho nas atualizações.

O Dota 2 deverá rodar com o Vulkan também no Windows.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo