Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador firefox. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador firefox. Mostrar todas as postagens

Resolvendo o bug dos emojis nos navegadores no Linux

Nenhum comentário

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Emojis, emoticons, carinhas… Eu sinceramente nem sei qual é o nome correto, se é que existe apenas um. Mas o fato é que eles estão por todos os lados desde que a internet é internet. Nos ajudando a expressar emoções, e de vez em quando nos fazendo dar umas boas risadas.

resolvendo-bug-dos-emojis-nos-navegadores-no-linux

Eu sou uma dessas pessoas que “volta e meia” gosta de mandar um emoji ou outro para tornar as conversas pelas redes sociais mais divertidas, informais, e de vez em quando até para sinalizar que certo comentário foi apenas uma brincadeira.

Porém, há algum tempo atrás percebi que na maioria das distros que testei utilizando algum ambiente gráfico GTK existe um bug que faz com que os emojis apareçam de uma forma completamente errada. Ao invés de aparecerem as “carinhas” amarelas, como de costume, aparecem apenas os seus contornos em linhas pretas.

antes-depois-de-resolver-o-bug-dos-emojis

Assim que percebi o problema, a primeira coisa que fiz foi testar em outros navegadores, mas o problema continuou, mesmo no Google Chrome, Chromium e Firefox. Após algum tempo pesquisando consegui encontrar uma solução bastante simples, que agora irei compartilhar com vocês.

Primeiro instale um pacote de fontes da Google. Este é o pacote de fontes que contém os emojis que o seu navegador vai utilizar. Simplesmente copie e cole o comando abaixo no seu terminal, de acordo com a sua distro:

Linux Mint, Ubuntu e derivados:

sudo apt install fonts-noto-color-emoji

Manjaro, Arch Linux e derivados:

sudo pacman -S noto-fonts-emoji

Fedora:

sudo dnf install google-noto-emoji-color-fonts

Open SUSE e derivados:

sudo zypper install noto-coloremoji-fonts

Abra a sua pasta ‘Home’. Pressione a combinação de teclas “Control + H” para exibir os arquivos ocultos. Localize uma pasta chamada ‘.config’, e dentro dela crie outra pasta chamada ‘fontconfig’.

pasta-fontconfig-dentro-da-pasta-.config

Abra o terminal, copie e cole o comando abaixo, e então pressione “Enter”.

Obs.: É um comando longo, então cuidado para não esquecer de nenhum caractere na hora de copiá-lo. :)

echo -e '<?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?>\n<!DOCTYPE fontconfig SYSTEM "fonts.dtd">\n<fontconfig>\n  <alias>\n    <family>serif</family>\n    <prefer>\n      <family>Noto Color Emoji</family>\n    </prefer>\n  </alias>\n  <alias>\n    <family>sans-serif</family>\n    <prefer>\n      <family>Noto Color Emoji</family>\n    </prefer>\n  </alias>\n  <alias>\n    <family>monospace</family>\n    <prefer>\n      <family>Noto Color Emoji</family>\n    </prefer>\n  </alias>\n</fontconfig>' > /home/"$USER"/.config/fontconfig/fonts.conf

Feito isso, falta apenas atualizar o cache das fontes com o comando abaixo:

sudo fc-cache -f

O quê fizemos até agora já é o suficiente para resolver o problema no Chromium e Google Chrome. Caso os emojis não tenham voltado ao normal no Firefox, será necessário um passo extra.

Para resolver o bug no Firefox, de acordo com a sua distro, copie e cole o seguinte comando no seu terminal:

Linux Mint, Ubuntu e derivados:

sudo rm -r /usr/share/fonts/truetype/dejavu

Manjaro, Arch Linux e derivados:

sudo rm /usr/share/fonts/TTF/Deja*.ttf

Fedora:

sudo rm -r /usr/share/fonts/dejavu

Open SUSE e derivados:

sudo rm /usr/share/fonts/truetype/Deja*.ttf

Pronto! Agora apenas reinicie o seu navegador, e aproveite para usar os seus emojis o quanto quiser!

Você gosta de Linux e tecnologia? Tem alguma dúvida ou problema que não consegue resolver? Venha fazer parte da nossa comunidade no Diolinux Plus

Por hoje é tudo pessoal! :)

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Mozilla Firefox vai mudar o ciclo de lançamento das suas versões

Nenhum comentário

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

O Mozilla Firefox é um dos navegadores mais populares do planeta e de uns tempos para cá, ele vem adotando uma série de medidas inovadoras. Agora mais uma, tempo de lançamento mais curto.

Mozilla Firefox vai mudar o  ciclo de lançamento das suas versões






Na renovação, começou com a mudança de todo design que identifica a Mozilla. Depois veio o foco em privacidade, como o Firefox Send, Firefox Monitor, Extensão “anti-Facebook” e o Firefox Private Network.

O anúncio da mudança foi feito pela Líder  do gerenciamento de versões do Firefox, Ritu Kothari (Yan Or). Ela comentou sobre uma visão geral de como o processo é hoje em dia:

“Normalmente, enviamos uma versão principal do navegador Firefox (Desktop e Android) a cada 6 ~ 8 semanas. Construir e liberar um navegador é complicado e envolve muitos players. Para otimizar o processo e torná-lo mais confiável para todos os usuários, ao longo dos anos, desenvolvemos uma estratégia de lançamento em fases que inclui canais de 'pré-lançamento': Firefox Nightly , Beta e Developer Edition . Com essa abordagem, podemos testar e estabilizar novos recursos antes de entregá-los à maioria dos usuários do Firefox por meio de uma liberação geral.”

Complementando com o anúncio da mudança:

“E hoje nós estamos animados para anunciar que estamos mudando para um ciclo de lançamento de quatro semanas! Estamos ajustando nossa cadência para aumentar nossa agilidade e oferecer novos recursos mais rapidamente. Nos últimos trimestres, recebemos muitas solicitações para levarmos recursos ao mercado mais cedo. As equipes de recursos estão trabalhando cada vez mais em sprints que se alinham melhor com os ciclos mais curtos de lançamento . Considerando esses fatores, é hora de mudarmos o ritmo de lançamento.”

Com isso, a partir do primeiro trimestre de 2020, o planejamento deles é lançar uma nova versão principal a cada 4 semanas. Já as versões ESR (Extended Support Release), o seu ritmo continua inalterável. 

Para minimizar os riscos de um ciclo “curto” e manter a qualidade, a equipe do Mozilla Firefox deve:


● Verificar se a produtividade de engenharia do Firefox não é afetada negativamente;

● A ideia é agilizar as correções via feedback dos usuários e liberar rapidamente as correções, assim como otimizar o processo de detecção e resolução de problemas;

● Ser capaz de controlar a implantação das funções, dependendo de disponibilidade da versão;

● Garantia de testes adequados dos maiores recursos que abrangem vários ciclos de liberação;

● Ter processos claros e consistentes de mitigação e decisão.


A implementação será gradual, começando com o Firefox 71, conforme a tabela abaixo:


Para conferir o post completo do anúncio, você pode clicar aqui.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Flatpak oficial do Mozilla Firefox pode chegar em breve

Nenhum comentário

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

O navegador Mozilla Firefox é o navegador padrão de quase todas as distros Linux, que já vem instalado por padrão e com repositório próprio. O que pode ocasionar um atraso na hora dos updates de uma versão para outra, mas isso pode estar com os “dias contados”.


Flatpak oficial do Mozilla Firefox pode chegar em breve





Eles podem estar contados, pois um bug que bloqueava a implementação via sandbox, estava relacionado a execução de tarefas do Mozilla Taskcluster. Você pode conferir aqui toda “thread”.

Essa descoberta só foi possível, pois um leitor do site Phoronix, comunicou eles sobre essa correção, assim abrindo caminho para a versão oficial do Mozilla Firefox em flatpak. Isso só foi possível, graças a dois engenheiros de softwares da Mozilla, Peter Moore e Mihai Tabara.

Isso vai beneficiar muitas distros que usam o Flatpak, como o Fedora e o Mint, além de muitas outras.

Atualmente, existe uma versão Flatpak “unofficial” mantida pelo pessoal do Fedora e Red Hat. Você pode ver o processo de instalação dele aqui. Se você precisar instalar o Flatpak na sua distro, basta seguir esse nosso tutorial.

Muito bom ver que uma barreira que impedia essa implementação no Mozilla Firefox, pois a forma que é distribuída hoje em dia, tem uma limitação, ou sendo pelo tempo que uma distro leva para reempacotar ele e disponibilizar nos repositórios ou no formato binário, que pode assustar muitas pessoas. Já sendo distribuído em formatos mais fáceis, como Flatpak e o Snap (versão essa já disponível e feita pelo pessoal da Canonical), ajuda e muito na hora de disseminar o navegador. 

Isso é o que eu penso, agora deixe aí nos comentários, o que você acha dessa possível vinda de uma versão oficial Flatpak.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Firefox Private Network, o proxy com criptografia da Mozilla

Nenhum comentário
Recentemente cobrimos o lançamento do Mozilla Firefox 69 e sua novidades, parece que a Mozilla não perde tempo e já está testando um novo serviço para seu navegador web. Conheça o Firefox Private Network.

mozilla-firefox-private-network-proxy-segurança-browser-navegador-wifi-publico

Ainda não é uma VPN provinda da Mozilla, em primeiro momento pensei o mesmo. No entanto, trata-se de um proxy com criptografia. Além disso, o serviço oculta seu endereço IP substituindo por outro. A criptografia do Firefox Private Network é oriunda da gigantesca CloudFlare, que também é utilizada por outros aplicativos famosos, como por exemplo, o Discord.

A solução da Mozilla é ótima para cenários em que o cuidado deve ser redobrado. Afinal, utilizar seu dispositivo em uma rede pública pode gerar transtornos e em casos mais severos afetar o “bolso” ou sua privacidade. O intuito é criar de fato uma “rede privada”, protegendo seus usuários de eventuais rastreios na web, e demais problemas ocasionados por não tomar as devidas precauções.

mozilla-firefox-private-network-proxy-segurança-browser-navegador-wifi-publico-extensão

O Firefox Private Network está em fase beta no famoso programa de testes da empresa, o Test Pilot, sendo que apenas usuários dos Estados Unidos poderão fazer uso da extensão. Sua gratuidade é temporária, sendo informado pela empresa que essa versão beta oferece gratuitamente o serviço, mas por tempo limitado.

É notório o esforço empregado pela Mozilla para se sustentar, não dependendo apenas de doações, com investimentos em soluções como, o Firefox Premium e desenvolvendo serviços que agregam e atraem mais usuários a sua plataforma (Firefox Send é um deles).

Provavelmente o Firefox Private Network será incorporado nas versões futuras do navegador Firefox e estará disponível em outros países, porém, como bem diz a empresa: “sua gratuidade é por tempo limitado”.

Para mais detalhes acesse a página do serviço de proxy da “raposa de fogo”.

Você utilizaria a rede privada da Mozilla, melhor ainda, pagaria pelo serviço?

Faça parte de nosso fórum Diolinux Plus e fique por dentro das novidades.

Até o próximo post, compartilhe nosso conteúdo, SISTEMATICAMENTE! 😎

Fonte: Mozilla.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Mozilla Firefox 69 é lançado com várias melhorias na performance

Nenhum comentário

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

O Navegador Mozilla Firefox chegou na versão 69 e conta com algumas melhorias bem interessantes acrescentadas nesta versão.

Mozilla Firefox 69 é lançado com várias melhorias na performance






Um dos mais famosos Navegadores (Browsers) da Internet, o Mozilla Firefox, vem carregando a bandeira da “preservação da sua liberdade” na internet, implementando vários mecanismos e ferramentas no seu navegador para isso. E nessa versão não seria diferente.

Podemos começar com duas implementações que foram aprimoradas desde a versão 42, que é: o Bloqueio de Reprodução de vídeo e o Rastreamento na Internet.

A primeira função, agora bloqueia a reprodução automática de qualquer vídeo, mesmo se ele não reproduzir som.

A segunda se refere sobre o rastreamento na internet. Agora a Proteção Avançada de Rastreamento [Enhanced Tracking Protection (ETP)] será ativada por Default (Padrão) para todos os usuários. Antes era somente para os usuários novos.

Segue uma lista das  demais novidades listadas no blog da Mozilla:


A Enhanced Tracking Protection (ETP) tem novas versões de proteções para privacidade mais fortes:

● A configuração default para esse recurso agora bloqueia cookies de rastreamento de terceiros e cryptominers.

● A configuração opcional “Rigoroso” bloqueia as impressoras digitais, bem como os itens bloqueados na configuração padrão.

● Adicionado o suporte para vários codecs de vídeo, facilitando assim os serviços de conferência WebRTC, podendo mesclar diferentes clientes para vídeo

● Para usuários nos EUA ou usando o navegador em en-US, está sendo exibida  uma nova experiência na página "Nova guia", sendo ofertado aos usuários desta região, o conteúdo do Pocket (serviço comprado pela Mozilla).

Para maiores detalhes desta versão, você pode acessar aqui ou aqui.

Essa versão ainda não chegou nos repositórios das distros, mas não tem problema, você pode baixa-lo aqui e executar o binário do Firefox 69, que é bem simples. Salve ele na pasta Downloads, depois extraia o arquivo TAR.BZ2 e navegue até o binário. Aí é dar permissão no arquivo e usufruir a nova versão do Firefox 😁.



Vale lembrar, que se você preferir “rodar” pelo binário, os seus favoritos, senhas e afins não serão “puxados automaticamente”, só se você utilizar a sincronização da Mozilla. A tela inicial agora está sendo assim até o momento.



[UPDATE] A nova versão já está chegando nos repositórios das distros. Então se preferir, é só dar um update e usufruir do novo Mozilla Firefox 😁.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Novo BigLinux é lançado, com base Ubuntu 19.04

Nenhum comentário

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Para quem acompanha o cenário Linux “tupiniquim”, já ouviu falar da distro BigLinux, que é muito tradicional no meio de TI e que já foi a distro de entrada de muita gente no mundo Linux.

Novo BigLinux é lançado, com base Ubuntu 19.04






Como tudo no mundo da tecnologia, temos evoluções e com o BigLinux não poderia ser diferente. Eis que em 2019, a distro volta com tudo e reformulada. A última versão tinha sido a 7.10 e lançada em 2017.  

A reformulação da distro

Primeira coisa que foi feita pelo pessoal do BigLinux, foi encontrar a base do sistema, e a escolhida foi o Ubuntu 19.04 e pretendem estabilizar no Ubuntu 20.04 LTS. Isso é muito bom, pois “vai pegar” as melhorias que vêm sendo implementadas pelo Ubuntu, como os drivers de vídeos recentes, Kernels e melhorias em geral.

Depois vem a escolha do Desktop Environment (DE), que antes eram usados o Cinnamon e a DE do Deepin. Depois de muitos testes, foi escolhido que seria melhor voltar para o KDE e implementar o LXQT.

Outras novidades apresentadas nesta versão 19.04 do BigLinux são:

● 30 webapps, entre eles Whatsapp, Telegram, Netflix, Spotify, Deezer, Prime Vídeo, Google Maps, Youtube, Twitter, Skype, Waze, TuneIn, Messenger, que ao todo não chegam perto de consumir 1 MB de armazenamento;



● Sistema de Arquivos Btrfs, que já vem configurado para criar pontos de restauração de até 7 dias (snapshots ou backups). Por padrão esse recurso funciona apenas para arquivos do sistema, não mantendo cópias dos arquivos da pasta do seu usuário, ou seja, a pasta /home, mas, se você preferir, pode alterar a opção em “Snapshots e backups”;

● Três (3) temas pré-configurados:  Arc, Adapta e Dark;



● Editor de Imagens GIMP, já com o GMIC e o PhotoGimp (criação Diolinux) instalados por padrão;



● Outra possibilidade, é poder escolher entre o Kernel “normal” (Generic, o mesmo usado pelo Ubuntu, por exemplo) ou o Kernel Xanmod, que conta com algumas melhorias.

Às versões dos principais programas são:

● Kernel Generic 5.0.0-25.26;
● Kernel Xanmod 5.2.8-8;
● KDE Frameworks 5.60.0;
● KDE Plasma 5.16.4;
● LibreOffice 6.3.0;
● GIMP 2.10.8;
● Firefox 68.0.2;
● Chromium 76
● Mesa Driver 19.0.9
● Suporte para Snap e Flatpak na loja de aplicativos.

Configuração mínima
- Processador de 64 bits Intel ou AMD, ou compatível
- 2 GB de memória RAM
- 8 GB de espaço de armazenamento

Configuração recomendada
- Processador de 64 bits Intel ou AMD, ou compatível
- 4 GB ou mais de memória RAM
- 40 GB ou mais de espaço de armazenamento

Para baixar a nova versão do BigLinux, basta acessar este link.

Muito bom ver uma distro tão querida retomando “os trabalhos” com “gás total” e trazendo um produto de qualidade, como o pessoal do BigLinux está fazendo. Espero que continue por muitos anos 😁.

Nós diga aí nos comentários, o que achou dessa versão nova do BigLinux.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Dash to Panel recebe update com melhorias e correções

Nenhum comentário

sexta-feira, 26 de julho de 2019

A customização no mundo Linux é uma das coisas que mais atrai a galera que prefere ter o sistema com a “sua cara”, assim dando toques que podem torná-lo único. Para quem usa o Gnome-Shell, isso não seria diferente. 


Dash to Panel recebe update com melhorias e correções







Muitos não gostam da proposta do GNOME “puro” (Vanilla) ou das distros que modificam ele, como Ubuntu, ZorinOS, Pop!_OS entre outras. Umas das extensões que é mais usada para tal modificação, é a dash to panel. Extensão essa que unifica outras duas, a GNOME Shell Dash e o GNOME Top Bar, assim entregando todos os recursos dessas extensões em uma única barra.





As melhorias apresentadas na versão 20 do dash to panel, são:

● Fornecida uma variedade de estilos para as janelas de prévisualização, como o tamanho, preenchimento, opacidade, localização de botão, visibilidade do cabeçalho e estilo da fonte;

● Possibilidade de adicionar atalhos ao menu de contexto no botão de Mostrar Aplicativos;

● O Windows Preview tem a escala e tamanha de forma dinâmica nas thumbnails em vez de ter um tamanho fixo nelas.

● Opção para ocultar as opções dos aplicativos em execução

● Melhor compatibilidade com o Gnome 3.32

Para mais detalhes, você pode consultar a release deles aqui.

Por hora, a versão 20 ainda não foi liberada no Gnome Extensions, mas quando for, e se você estiver com a extensão instalada, vai receber o aviso de update.

Mas se você quiser testar antes, basta baixar o ZIP e extrair nesse caminho:

/home/user/.local/share/gnome-shell/extensions

Onde está o user, você coloca o nome do seu usuário do sistema. Depois, para gerenciar a extensão instalada, basta utilizar o “Ajustes”, caso não o tenha instalado, basta procurar na loja (Gnome Software ou Ubuntu Software).

Se você quiser instalar a versão 19, basta acessar a page da dash to dock no Gnome Extensions, e habilitar. 

Para instalar as extensões via navegador, você vai precisar do complemento para isso, possuindo versões para o  Chrome e Firefox. Se precisar de mais formas de instalação, basta acessar esse guia deles.

Temos um tutorial bem bacana feito pelo meu amigo Henrique, do canal OSistemático, de como personalizar o dash to panel.
Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


O Firefox 70 pode vir com alerta nativo se sua senha for vazada

Nenhum comentário

quinta-feira, 18 de julho de 2019

A Mozilla vem trabalhando ultimamente em ferramentas para proteger a sua privacidade na internet, ou através do Firefox ou com ferramentas para isso, como o Lockwise, Monitor, extensão “anti-facebook”, Send entre outras ferramentas.

O Firefox 70 pode vir com alerta nativo se sua senha for vazada






Segundo apuração dos sites Bleepingcomputer e Techdows, um report no bugzilla do Mozilla Firefox, mostrou que o recurso está em desenvolvimento e pode chegar no Firefox 70. 

O recurso funcionará com logins salvos no navegador, usando o Monitor como base e assim avisando quando algum login for alvo de vazamento, com um aviso no serviço que isso aconteceu, como mostra na imagem de testes da Mozilla.



Vale mencionar que a Mozilla aos poucos, vai introduzindo o seu novo gerenciador de senhas, o Lockwise, que está disponível para o Firefox como complemento ou como app para iOS e Android.


Está no planejamento da Mozilla exibir um relatório com estatísticas de quantas vezes os dados foram vazados. Tal funcionalidade estaria disponível na url about:protections, que seria como a imagem abaixo.



Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


4 Alternativas de navegadores open source que vale a pena utilizar

Nenhum comentário

sexta-feira, 12 de julho de 2019

Navegador web é quase como um time de futebol, cada um tem sua torcida organizada (😁😁😁). O intuito dessa postagem não é inflamar os comentários, ou dizer que um é superior ao outro. Apenas irei demonstrar que existem ótimas alternativas de código aberto, ficando ao seu encargo testar e ver qual melhor se adapta ao seu cotidiano. Sem mais delongas vamos para “listinha”:

navegador-web-browser-open-source-linux

Alguns browsers contidos nesta lista são de conhecimento da maioria dos usuários, estou falando de você Firefox! (😋😋😋) No entanto, alguns usuários poderão se surpreender e conhecer novos navegadores. O intuito é justamente esse, estimular sua curiosidade a testar algo desconhecido. Alguns navegadores estarão disponíveis no formato Snap. Assim sendo, caso queira instalar algum app que faça uso dessa tecnologia, existe a necessidade de ter o Snap configurado em seu sistema. Acesse essa postagem, se ainda não o fez. Lembrando que o Snap no Ubuntu já vem por default. 

Mozilla Firefox


Começo a lista com o tão amado Firefox, a raposa de fogo companheira de muitos que estão lendo essa postagem. Não poderia fazer uma seleção com meus 4 navegadores open source favoritos, sem ao menos mencionar ou listar o Firefox. Inclusive, recentemente sua versão 68 veio repleto de novidades. Acesse a postagem escrita pelo Ricardo (O Cara do TI) e saiba mais. O Mozilla Firefox é distribuído sob a licença MPL 2.0, e você pode acessar o Github da Mozilla e ver todas as tecnologias empregadas no navegador.

navegador-web-browser-open-source-linux-snap-ubuntu-firefox

Você pode instalar o Mozilla Firefox facilmente em sua distribuição pesquisando na loja de sua distro, ou instalando via terminal. No Ubuntu, por exemplo:

sudo apt install firefox

Se usa alguma distribuição que não disponha as últimas versões do Firefox, você pode instalar sua versão em Snap.

sudo snap install firefox

Chromium


Outro conhecido é o Chromium, infelizmente, alguns usuários espalham erroneamente que ele é um vírus. O cúmulo dessa “estória” foi ouvir isso da boca de “técnicos” e diversos tutoriais na internet, ensinando como remover o navegador do Windows. Mal eles sabem que o Chromium é a base do Google Chrome, e diversos outros navegadores, inclusive, o novo Microsoft Edge. O Chromium é distribuído sob a licença BSD (3-Clause). Você pode acessar seu mirror oficial no Github por este link

navegador-web-browser-open-source-linux-snap-ubuntu-chromium

O Chromium está na maioria das distribuições, no Ubuntu você pode instalar pela loja ou via terminal:

sudo apt install chromium-browser

Também existe a possibilidade de instalar o navegador via Snap em sua distribuição.

sudo snap install chromium

Brave


O Brave ganhou popularidade por conta de suas features oferecidas por padrão. Visando uma maior privacidade, o navegador traz embarcado ferramentas que visam bloquear o rastreio indesejado de sites e anúncios. O Brave é distribuído sob a licença MPL 2.0, acesse seu Github por este link. Temos um tutorial demonstrando como instalar o navegador, você pode aprender com essa postagem.

navegador-web-browser-open-source-linux-snap-ubuntu-brave

Você pode instalar o Brave via Snap, no link anterior existem outras maneiras.

sudo snap install brave

Falkon


Incubado pelo Projeto KDE, o Falkon é um navegador desenvolvido em Qt. No passado alguns poderiam conhecer o projeto por outro nome, QupZilla, após apoio da comunidade KDE, o navegador recebeu um novo nome e redesign. Quem sabe num futuro ele se torne o navegador padrão do Plasma, isso só o tempo dirá (😁😁😁). Temos uma postagem falando sobre o Falkon, caso esteja interessado, acesse e saiba mais sobre o navegador. O Falkon é distribuído sob a licença GPL 3.0, caso queira, este é o link para seu Github.

navegador-web-browser-open-source-linux-snap-ubuntu-kde-falkon

O Falkon está na maioria das distribuições, basta pesquisar em sua loja ou instalar via terminal, no Ubuntu basta utilizar esse comando:

sudo apt install falkon

Sua versão em Snap pode ser utilizada em sua distro, e sempre está nas últimas versões.

sudo snap install falkon

Recomendo fortemente o teste das aplicações aqui sugeridas, e caso conheça outras soluções de código aberto que sejam interessantes, não deixe de compartilhar.

Participe de nosso fórum Diolinux Plus, e crie uma postagem com o navegador open source que você conhece. Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Novo Mozilla Firefox 68 chega com grandes novidades e muito mais

Nenhum comentário

quarta-feira, 10 de julho de 2019

O Mozilla Firefox é uns dos navegadores mais populares para se navegar na internet, recebeu nesta Terça (9) uma nova versão, a 68, chegando com algumas novidades e melhorias em seu “motor”.


Novo Mozilla Firefox 68 chega com grandes novidades e muito mais





Podemos começar a falar que proteções contra Criptomineradores e Fingerprinters (rastreadores de identidade digital) foram adicionados nas preferências do controle de conteúdo, na opção mais rigorosa, em Privacidade e Segurança.

Para quem usa o Windows 10 e GPUs da AMD, agora vão poder usar o WebRender.

Foram corrigidos vários bugs de segurança, o acesso à webcam e microfones agora exigirá uma conexão HTTPS, além do suporte ao Windows Background Intelligent Transfer Service (BITS) que permite continuar um update do Firefox mesmo se ele estiver fechado.

Agora as grandes novidades desta versão 68 do Firefox. Vamos começar pelo Dark Mode no modo leitura, com mais opções para você utilizar. Quando o site possuir essa opção habilitada, como você pode ver na GIF abaixo.


Na parte dos addons, temos duas novidades. A primeira, é que será possível gerar um relatório de problemas, desempenho e afins diretamente no about:addons.




Ainda dentro do about:addons, existe um redesign, assim tornando mais fácil o acesso às informações dos addons que você tem instalado no Firefox.



Uma última novidade ainda sobre os addons, é a inclusão do selo de Recomendado, como acontece na loja do Android. Aqui o addon recebe o selo de “Escolha da Equipe”.



Agora uma novidade que não foi comentada na release, mas que foi implementada sem muito alarde, que o PiP (Picture in Picture) nativo no Firefox 68. Por algum motivo não vem habilitado por padrão, mas que dá para habilitar sem problemas, como mostrado na GIF abaixo.




O caminho feito foi: Digite about:config >> procure na barra de pesquisa por media.videocontrols.picture-in-picture.enabled 

Feito isso, basta fechar e abrir de novo o Firefox. Para ativar o PiP, basta ir em um serviço que seja compatível, como o YouTube, e dê um duplo clique com o botão direito do mouse até aparecer a opção de Picture-in-Picture e habilitar ela. 




Vale lembrar que podem ocorrer bugs ou inconsistências, pois, modificamos o Firefox do seu “padrão”, mas até o momento tudo ocorreu normalmente.

Para mais informações, acesse o post do blog da Mozilla.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Mozilla pretende criar um sistema de assinaturas para o Firefox em um sistema "Ad-Free"

Nenhum comentário

segunda-feira, 8 de julho de 2019

A Mozilla está sempre tentando tornar a internet um lugar melhor, criando ferramentas para tornar a vida dos usuários mais confortáveis sob a sua óptica. Uma das recentes novidades inclui um plano de assinatura para os usuários de Firefox, que pode ajudar tanto o projeto, quanto aos próprios usuários.

Firefox e seu modelo de pagamento




Estando descontente com o modelo atual de monetização de sites, a Mozilla parece pretender criar um sistema de assinaturas para o Firefox onde, pelo valor de USD 4,99, você teria uma internet "livre" de anúncios, com alguns benefícios em sites específicos.

No momento o produto ainda não está disponível, conforme você pode ver no site, mas ao clicar no link de assinatura, somos redirecionados para uma página com um questionário para feedback sobre a ideia. 

Parece que ideia é, de alguma forma, lidar com sites que usam um "paywall" para restringir o acesso a conteúdo. A Mozilla provavelmente lançaria um sistema de "ad-free news" em parceria, voltado especialmente para sites populares como Vox, BuzzFeed, USA Today e alguns outros.

Esse serviço de assinatura, que deixaria alguns sites livres de anúncios, incluiria uma versão em áudio de cada um dos artigos, recomendações de leituras e sincronia de favoritos entre os navegadores Firefox em diferentes platataformas, como em Desktop em Mobile.

Essa forma de atuação, no entanto, não chega a ser uma novidade, visto que a Google também criou um produto similar, com ad-free. Esse produto permite que os usuários usem contas Google para logar em sites que tem a função de "Entrar com Google", trazendo benefícios para os leitores que pagam pelo serviço, apesar de existir, não foi um grande sucesso por parte da empresa.

Veremos no futuro como esse recurso funcionará para a Mozilla, visto que, em muitos casos, uma extensão ad-block faz um trabalho semelhante. É também complicado se isso acabar quebrando o modelo de negócio de grandes portais, que escolheram não exibir anúncios apenas para assinantes, de modo que essa manobra desse ser feita com cuidado.
Você está convidado para discutir essa questão no nosso fórum, acesse e crie a sua conta gratuitamente.

Até a próxima!
____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Mozilla lança novo navegador para o Android

Nenhum comentário

sábado, 29 de junho de 2019

Recentemente noticiamos sobre os novos rumos que a Mozilla vem traçando, mudando a identidade visual de suas soluções e planejando novos serviços. Agora, a investida é introduzir um novo e reformulado navegador para plataforma Android e substituir seu atual app do Firefox.

firefox-preview-android-app-aplicativo-google-play-store

Intitulado “Firefox Preview” a nova aplicação da “raposa de fogo”, voltada a navegação web no Android, está em fase de “teste piloto”. O curioso que a lista de navegadores web da Mozilla para Android, só cresce. São diversos programas: Firefox, Firefox Focus, Firefox Lite e enfim, Firefox Preview. 

Com uma interface de usuário minimalista e totalmente reformulada, o novo browser promete ser até 2 vezes mais rápido que seus antecessores e não ser tão dependente da Google. Isso porque o novo mecanismo de navegação do Preview é próprio da Mozilla, o GeckoView. Anteriormente o “motor” utilizado era o Blink, do Chromium, utilizado no Google Chrome e outros navegadores baseados nele. Outras aplicações da Mozilla já utilizavam o GeckoView, como o Firefox Reality e o Firefox Focus. Essa escolha permite a utilização de suas próprias APIs e maior controle.

“Enquanto todos os outros principais navegadores do Android hoje são baseados no Blink, portanto, refletem as decisões do Google sobre dispositivos móveis, o mecanismo GeckoView do Firefox garante a independência de nós e de nossos usuários”, afirmou a Mozilla em seu blog oficial.

Firefox Preview o futuro do Firefox no mobile


A competitividade entre Firefox e Chrome torna-se mais acirrada, possibilitando maior gama de escolha ao usuário, ao invés, de mais do mesmo. O Firefox Preview por padrão bloqueia os rastreadores. Isso possibilita uma navegação mais rápida, pois, esses anúncios segmentados não irão influenciar o tempo de carregamento das páginas. A gerente de produtos sênior do Firefox Mobile, Vesta Zare, conclui: 

“As melhorias de velocidade são impulsionadas em grande parte pela proteção abrangente de rastreamento que está ativada por padrão no Firefox Preview”.

A Mozilla pretende eliminar o antigo app do Firefox para Android, assim o Firefox Preview ocupará sua atual posição. No momento o app não conta com o idioma Português, no entanto, isso não dificultou a minha utilização, pois a interface é intuitiva.

Um pouco do Firefox Preview


Ao iniciar o navegador pela primeira vez, configurações iniciais são indicadas para serem feitas, como: conectar-se ao serviço do Firefox (permitindo acesso do histórico, favoritos, senhas entre as diversas plataformas), tema.

firefox-preview-android-app-aplicativo-google-play-store

A possibilidade de desativar o bloqueio de rastreadores, indicativo da navegação anônima e o termo de privacidade.

firefox-preview-android-app-aplicativo-google-play-store

Algo que chamou minha atenção foi a localização da barra de buscas (ou URL). A mesma fica na parte inferior do app, e navegando utilizando apenas uma mão, é muito confortável e acessível.

firefox-preview-android-app-aplicativo-google-play-store

A visualização das abas abertas e adição de novas, também é bem intuitivo.

firefox-preview-android-app-aplicativo-google-play-store


Durante a navegação não identifiquei eventuais bugs ou lentidão, entretanto, fique avisado que o app não possui todas as opções, comparado ao “seu antecessor”. Digamos, que as principais “que o povão usa”, estão todas ali. Claro, que isso num aspecto geral, evidentemente com o tempo, novos recursos vão compor o app.

firefox-preview-android-app-aplicativo-google-play-store

A Mozilla pretende eliminar o antigo app do Firefox para Android e focar no desenvolvimento e amadurecimento do Preview, caso tenha interesse em testar o navegador, acesse este link. Ele te levará diretamente à Google Play Store.

Já testou o Firefox Preview? Espero que esse não seja mais um app “Firefox’ a ser descontinuado”, afinal, quanto mais concorrência, melhor. 

Participe de nosso fórum Diolinux Plus e fique por dentro das novidades do mundo da tecnologia. 

Até o próximo post, SISTEMATICAMENTE! 😎

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Novo logo do Firefox é anunciado, junto com os novos rumos do projeto

Nenhum comentário

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Como noticiamos ontem (11), a Mozilla está planejando e estudando em oferecer uma versão paga (Premium) do seu navegador, que segundo rumores, pode conter o serviço de VPN (Virtual Private Network) sem limites. Parece que mais novidades estão por vir por parte da Mozilla.

Novo logo do Firefox é anunciado, junto com os novos rumos do projeto






Em nota em seu blog, a Mozilla fez o anúncio da remodelagem do seu logo principal e também dos seus outros projetos, como o Send, Monitor, Lockwise e do Firefox. Quem assina a nota é o diretor criativo Tim Murray.

Ainda segundo ele, a ideia agora é usar a marca Firefox para abranger tanto o navegador quanto os serviços oferecidos pela Mozilla, assim utilizando a “força de mercado” que a marca tem.



Também foram apresentados os novos padrões de cores e as formas geométricas, que foram derivadas dos logos.






           

Para conferir o post completo, basta acessar este link.

O que você achou dessas novas logos do Firefox? Diga pra gente aí nos comentários.

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá  no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo