Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador gerenciador. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador gerenciador. Mostrar todas as postagens

5 Apps para gerenciar seus arquivos no Android

Nenhum comentário

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Gerenciar arquivos no Android nunca foi tão fácil, é comum se perder em meio a tantos documentos, músicas, fotos, apks entre outros. Por isso selecionei 5 ótimas soluções para gerenciar os arquivos de seu aparelho.

gerenciador-apk-app-arquivo-file-android-espaço-organizar

O Android é repleto de apps, porém, nem sempre esses aplicativos cumprem o que prometem ou atendem todos os públicos. Alguns programas embutidos pelas fabricantes se enquadram nessa situação. Caso esse seja a sua realidade, ou apenas queira algo novo, irei abordar resumidamente 5 alternativas e recomendo que teste cada uma e veja qual lhe agrada mais. Irei começar conforme a nota destes programas na Google Play (no máximo 5 estrelas), mesmo tendo o meu favorito, tentarei ser imparcial.

1.º File Manager by Xiaomi: Explorador de arquivos (Xiaomi Inc)


O gerenciador de arquivos da empresa chinesa Xiaomi é um dos melhores apps desta categoria, com uma nota bem alta de 4,8 o programa possui características interessantíssimas, algumas são:

gerenciador-apk-app-arquivo-file-manager-xiaomi-explorador-android-espaço-organizar-

  • Recentes: Na qual o app indica os arquivos que você manipulou recentemente;
  • Categorias: Os arquivos são organizados conforme seu formato;
  • Armazenamento: O app lhe informa detalhadamente quais arquivos estão consumindo espaço e lhe dá a opção de gerenciamento de todas as pastas de seu dispositivo;
  • Limpeza: A possibilidade de liberar espaço de armazenamento apagando o cache de arquivos obsoletos;
  • Mi Drop (ShareMe): Compartilhe arquivos com amigos muito mais rápido, sem necessidade do Bluetooth ou conexão com a internet;
  • FTP: Para conectar seu dispositivo ao computador e transferir arquivos (algo relativamente simples no Ubuntu);
  • Pesquisa Global: Digite palavras-chave e encontre arquivos;
  • Compactação de arquivos: Comprima e descompacte arquivos em 7Z/RAR;
  • Gerenciamento de arquivos em lote: Selecione vários arquivos para mesma operação;
  • Integração com a nuvem: Compatibilidade com o Google Drive;
  • E muito mais. 

O app tem um tamanho de 18 MB, requer Android 4.4 ou superior, tendo mais de 100.000.000 downloads.


2.º Gerenciador de arquivos (Flashlight + Clock)


O segundo app de nossa lista também tem uma nota altíssima, sendo 4,8 num total de 5 estrelas. Seu visual pode não agradar a todos, entretanto, a ferramenta é bem poderosa e versátil. Veja algumas de suas funcionalidades:

gerenciador-apk-app-arquivo-file-android-espaço-organizar-flashlight

  • Armazenamento principal: Gerencie todos os arquivos e pastas no armazenamento de seu Android;
  • Cartão SD: O gerenciamento não é limitado a memória interna, sendo possível no cartão SD, algo que nem todo gerenciador consegue fazer;
  • Gerenciamento de diversos formatos: Seja música, vídeo, imagem, apks, documentos, entre outros. Você poderá gerenciar e pré visualizar muitos tipos de arquivos em seu dispositivo;
  • Controle sobre os Apps: Um recurso bem prático, é poder ver de forma resumida várias informações sobre apps instalados. Sendo possível excluir o cache destes apps, como os próprios aplicativos.
  • Backup de dados: Além de excluir os dados e caches de aplicativos, o backup também pode ser realizado;
  • Novos arquivos: A cada download ou realocação de arquivos o app lhe ajudará identificando esses novos arquivos;
  • Integração com a nuvem: Acesse seu armazenamento em nuvem de diversos serviços, como DropBox ou Google Drive;
  • Acesso remoto: Você pode utilizar o FTP para acessar seu computador ou até NAS;
  • E muito mais.

O app tem um tamanho de 6,3 MB, requer Android 4.0.3 ou superior, tendo mais de 100.000.000 downloads.


3.º Files da Google (Google LLC)


O aplicativo da Google tem como slogan “libere espaço no seu celular”, com uma nota de 4,6 a solução da empresa é bem completa e não perde para seus concorrentes. Os principais recursos são:

gerenciador-apk-app-arquivo-file-android-espaço-organizar-google

  • Mais espaço: Libere de forma simples e rápida o espaço de seu armazenamento no Android, descartando arquivos obsoletos;
  • Análise de armazenamento: Utilize o Files para verificar o espaço restante no armazenamento interno ou SD, e transfira arquivos de um para o outro se necessário. Além de um limpador integrado para facilitar essa tarefa;
  • Otimização e avisos integrados: O app garante maior desempenho notificando você cada vez que um espaço pré determinado de armazenamento seja alcançado, assim seu smartphone Android nunca trabalhará no limite;
  • Recomendações inteligentes: Esse recurso apreende conforme você vai utilizando o Files e sugere quais arquivos apagar;
  • Pesquisa rápida: Com diversos filtros, encontrar seus arquivos será bem mais simples e rápido;
  • Gerenciamento por categorias: O app de forma inteligente categoriza seus arquivos, facilitando durante ações, como: compartilhar esses arquivos, copiá-los entre outras tarefas cotidianas;
  • Compartilhamento de arquivos: Sem a necessidade de Bluetooth ou internet, compartilhe seus arquivos para outro aparelho de forma rápida e intuitiva (todo procedimento é criptografado, aumentando a segurança);
  • Integração com a nuvem: Faça backup no Google Drive e escolha quais arquivos devem ser sincronizados ou não;
  • E muito mais.

O app tem um tamanho de 12 MB, requer Android 5.0 ou superior, tendo mais de 100.000.000 downloads.


4.º Organizador de Arquivos Astro (Metago)


O Astro tem um visual bem agradável e muitas funcionalidades. No passado sua nota era bem superior, entretanto, com o passar do ano caiu no ranking de avaliação da Google Play. Atualmente sua nota de avaliação dos usuários está em 4,5. Veja alguns de seus recursos:

gerenciador-apk-app-arquivo-file-android-espaço-organizar-astro-metago

  • Gerenciamento de arquivos: Com o Astro será possível gerenciar os arquivos da memória interna e do cartão SD;
  • Compartilhamento: Possuindo diversos protocolos de compartilhamento, o Astro pode ser uma alternativa bem versátil. O app tem suporte ao FTP, SFTP e rede SMB (Samba);
  • Integração com a nuvem: Conecte diversos serviços de armazenamento em nuvem e sincronize com seus arquivos;
  • Gerenciador multimídia: Esse recurso lhe permite classificar, categorizar e organizar seus arquivos;
  • Descompactador: Comprima ou descompacte arquivos nos formatos ZIP e RAR;
  • Gestor de apps: Exclua apps, mova para memória de seu SD, mova para nuvem, apague arquivos obsoletos entre outras funcionalidades;
  • Analisador de armazenamento: O Astro é capaz de analisar o uso do espaço e aponta apps não utilizados. Dando a possibilidade de remover arquivos não utilizados ou compactá-los para economizar o máximo possível de seu armazenamento;
  • E muito mais.

O tamanho do app e versão mínima do Android variam de acordo com o dispositivo, tendo mais de 50.000.000 downloads.


5.º File Manager (Mobile, ASUSTek Computer Inc.)


Também conhecido como File Explorer, o gestor de arquivos da ASUS é uma opção muito elogiada entre os usuários Android. O app é bonito, clean e possui uma nota de 4,4 na loja do Android. Suas principais funcionalidades são:

gerenciador-apk-app-arquivo-file-android-espaço-organizar-asus

  • Gerenciamento inteligente: Pesquise e gerencie seus arquivos, tanto da memória interna, como de seu cartão SD;
  • Navegação em categorias: Acesse seus arquivos de forma organizada e descomplicada, com o intuito de potencializar suas buscas e cotidiano;
  • Compactação de arquivos: Compacte seus arquivos para economizar espaço, os formatos suportados são ZIP e RAR;
  • Compartilhamento: Manipule seus arquivos e compartilhe os mesmos seja em LAN (rede local) ou com o protocolo SMB (Samba);
  • Múltiplas contas e integração com a nuvem: Faça backups ou gerencie seus arquivos em nuvem de diversos serviços. ASUS WebStorage e outros, como Dropbox, Google Drive e Microsoft OneDrive são suportados;
  • Transmissão multimídia: Acesse suas imagens, músicas, documentos ou vídeos de qualquer uma de suas contas de armazenamento em nuvem, sem efetuar o download em seu dispositivo;
  • E muito mais.

O tamanho do app e versão mínima do Android variam de acordo com o dispositivo, tendo mais de 100.000.000 downloads.


Fique a vontade para testar as soluções apresentadas e ver qual é a melhor para seu uso, compartilhe também em nosso fórum Diolinux Plus, alternativas que você julga ser interessante para outros usuários. A galera curte um Android também (😁️😁️😁️), se você usa iOS e por algum motivo caiu de paraquedas nessa publicação, não se acanhe. Compartilhe também no fórum algum app que goste e outros usuários da maçã tenham que conhecer. 

Até o próximo post, te espero aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Polo - Um gerenciador de arquivos surpreendente para Linux

Nenhum comentário

segunda-feira, 1 de julho de 2019

Apesar de existirem muitas opções dentro do mundo Linux para gerenciadores de arquivos, como o Nautilus do GNOME e o Dolphin do KDE, além outros usados em ambientes específicos, como o Nemo do Cinnamon e o Thunar do XFCE, pode ser que você queira algo diferente, por isso, hoje você vai conhecer um projeto chamado "Polo".

Polo File Manager





O Polo é um gerenciador de arquivos bem versátil, com vários recursos diferentes. Seu desenvolvedor é "Teejee2008", um produtor de software para Ubuntu de longa data. Apesar do desenvolvedor ter focado muito da sua vida a desenvolver softwares para o Ubuntu, o Polo File Manager não necessariamente precisa ser usado com ele, ou mesmo com a interface GNOME Shell, podendo ser usado em outras distros e interfaces também.

Polo File Manager

Apesar do visual aparentemente simplista, não se engane, os menus e organização do Polo oferecem recursos avançados e variados. Ainda em Beta, você pode encontrar uma descrição completa dos recursos do Polo no site oficial, entrentanto, podemos destacar:

• Múltiplos painéis, podendo-se dividir os espaços verticalmente e horizontalmente, criando assim até 4 espaços separados. Esse modo pode ser ativado pela tecla de atalho F4;

• Existem várias formas diferentes de visualizar os arquivos também, além da navegação em abas, já tradicional. Listas, ícones e até mesmo o modo Media View completam a gama de opções;

• O Polo também incorpora um gerenciador de dispositivos, favoritos e muito mais!

Polo File Manager e seus recursos


Além destes recursos bacanas, mas até certo ponto "comuns", o Polo também tem alguns recursos mais avançados como:

• Ações para manipulação de PDF, como unir e separar arquivos e páginas, adicionar senhas, rotacionar o PDF, etc;

• Opções avançadas para montagens de ISOs, desde a opção de bootar diretamente em um máquina virtual KVM, caso esteja instalada obvivamente, até criar um pen drive bootável com a ISO;

• Existem opções para manipular imagens, como rotacionar, redimencionar, reduzir a qualidade, otimizar imagens em PNG, converter para outros formatos, reduzir cores, etc;

• Checagem de  SHA2-256 e SHA2-512 diretamente do gestor de arquivos, para que você possa verificar a integridade de arquivos que baixe, como ISOs de distros Linux;

• Ferramenta para download automático de vídeos do YouTube, integrando o popular youtube-dl a uma interface mais amigável;

• E integração com serviços de Cloud Storage, como Dropbox e Google Drive via RClone.

Como fazer o download do Polo File Manager?


Talvez você já tenha se empolgado para testar essa nova ferramenta, mas é importante alertar novamente que se trata se um software em estágio Beta de desenvolvimento, ou seja, bugs são esperados. Mais do que isso, o software está todo em Inglês, apesar de isso não ser um grande problema, é o tipo de coisa que pode afastar algumas pessoas.

Na página de download você encontra pacotes .deb em 32 e 64 bits para download, compatível com Ubuntu e derivados, além disso, também estão disponíveis arquivos contendo o código fonte da aplicação e um instalador com a extensão .run, que deve funcionar em outras distribuições também, e que foi testado no Fedora, Arch e Debian.

Dica 1: No caso de baixar o arquivo .deb, basta dar dois cliques e fazer a instalação. Depois de instalado você encontra a aplicação no menu do seu sistema.

Dica 2: Caso você opte pela opção em .run, basta rodar usando este comando:

# 64-bit 
sudo sh ./polo*amd64.run 
# 32-bit
sudo sh ./polo*i386.run

Em seu GitHub, o desenvolvedor do Polo nos mostra também a possibilidade de fazer uma instalação via PPA, usando o terminal:

sudo apt-add-repository -y ppa:teejee2008/ppa
sudo apt-get update
sudo apt-get install polo-file-manager
Ao utilizar o PPA, você recebe atualizaçães automaticamente quando houverem novos lançamentos, juntamente com as atualizações tradicionais do seu sistema. Caso você não goste, ou prefira usa a interface ao invés do Terminal para adicionar o PPA, confira este artigo.

Limitações 


Como todo software Beta, são esperados bugs, e como todo software Open Source, você é incentivado a reportar ao desenvolvedor para que eles sejam corrigidos.

Mesmo conseguindo utilizar o meu tema de ícones (Yaru Dark), o Polo foi desenvolvido com o tema Arc-Dark em mente, de forma que ele não vai respeitar o seu tema GTK completamente. Alguns trechos de texto também podem ficar com problemas, especialmente os que contém caracteres especiais comuns na língua portuguesa, mas incomuns na inglesa, como o "ç" e palavras que possuem acentuação.

Para ajudar o projeto a melhorar, você pode fazer doações para o dev via Paypal, Patreon ou Bitcoin.

Faça parte de nossa comunidade e não perca nenhuma assunto do mundo da tecnologia, acesse o fórum Diolinux Plus, e fique por dentro das novidades.

Lembre de nos contar o que você achou do Polo e até a próxima!

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 11: Gerenciadores de Programas

2 comentários

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Qual "Central de Programas" devo usar?

Olá pessoal, retomando a nossa série que vai te ensinar a criar uma distro baseada no Ubuntu, estamos quase chegando no final e vamos efetuar os últimos ajustes agora.

Central de Programas do Ubuntu


A Central de Programas do Ubuntu hoje é referência e um exemplo a ser seguido de praticidade para instalar programas no Linux, tanto que depois de Ubuntu usar este recurso muitas outras distros passaram a usar os seus respectivos centros de softwares, mas é melhor mesmo usar o Central do Ubuntu?

Qual Central de Programas escolher?

Na prática, em qualquer distro baseada no Ubuntu e que utilize os seus repositórios é possível instalar o Ubuntu Software Center através do comando:
sudo apt-get install software-center
Muon Software Center


Mas se você usa distribuições baseadas do KDE, seguindo nossos exemplos leia-se Kubuntu, a Central de programas pode não ser a melhor a opção, apesar de ser uma excelente alternativa.
Se você usar o Ubuntu recomendamos usar a boa e velha Central de Programas que vem juntamente com a distribuição, opcionalmente você pode instalar a Central de Programas do Linux Deepin, que também é uma excelente opção, fizemos isso no Diolinux OS 2 LTS e se você quiser aprender a instalar na sua "custom distro" você pode fazer isso por aqui.

Deepin Software Center


Se você usa o KDE é recomendado usar o Muon Software Center que apesar de não ser muito "bonito" é muito leve e funcional além de ter uma integração já com o Kubuntu.

Use o Synaptic

O Synaptic é uma das melhores invenções já feitas em ambientes Linux, sendo que as "Centrais de Programas" que apareceram depois dele são praticamente um interface "mais bonitinha" para o mesmo.

Perto da Central de Programas o Synaptic pode ser considerado "difícil" e uma ferramenta um pouco avançada para iniciantes, tanto que ele foi removido do Ubuntu, à alguns anos atrás ele vinha como parte da distro, mas nada impede que você use ele como ferramenta principal para instalar pacotes removendo outro centro de software ou você pode usá-lo como ferramenta auxiliar para os usuários que querem ver o nome de cada pacote que estão instalado na distribuição se sentirem satisfeitos, a escolha de um ou outro depende de você e qual o "ar" que você quer dar à sua distribuição, se ela será algo "mais simples" ou "mais hardcore".

Synaptic no Ubuntu


Nada impede que você use os dois, eu mesmo adoro a praticidade da Central de Programas mas em alguns casos prefiro fazer as coisas pelo Synaptic.
Para instalar o Synaptic no Ubuntu ou derivado, use o comando abaixo:
sudo apt-get install synaptic

Uma distro mais simplista sem gerenciador gráfico

Cada um com as suas ideias e quem sabe possa não querer usar um gerenciador gráfico e instalar e gerenciar pacotes apenas usando o APT - Veja aqui uma coletânia de dicas sobre o Apt-get -  para isso você precisa remover a Central de Programas do Ubuntu:
sudo apt-get remove software-center
Porém atenção nessa parte, e vejam a ironia, eu recomendo usar o Synaptic que desinstalar a Central de Programas do Ubuntu para você saber quais pacotes são afetados, normalmente tudo corre bem mas se por um acaso ela pedir para remover mais pacotes dos que os que devem ser removidos tome cuidado no que você vai desinstalar, pois isso pode prejudicar o sistema, especialmente se o pacote Ubuntu-desktop estiver relacionado, se estiver NÃO CONTINUE!

Depois de desinstalada a Central de Programas você pode remover o Synaptic também e ficar sem nenhum gerenciador, no terminal:
sudo apt-get remove synaptic
Pronto! Agora sempre que você quiser instalar algo terá de recorrer ao terminal.


Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Como criar uma distro Linux baseada no Ubuntu parte 10: Gerenciadores de Login

Nenhum comentário

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Mais um passo para você ter a sua própria Distro customizada

Olá pessoal, dando continuidade a nossa série, hoje vamos tratar uma parte muito importante para o sistema, os gerenciadores de login.
Os gerenciadores de login são softwares que gerenciam o inicio de sessão do nosso sistema, "trocando em míudos", é onde você escolhe o usuário e digita a senha para logar no sistema, logo depois dele ser iniciado. 
Eu particularmente não altero muito essas configurações, mas você pode querer alterar, e mais, poder querer mudar o seu gerenciador de login, e isso no Linux é perfeitamente possível.

Ubuntu logo


Vamos conhecer as opções

Como este tutorial se destina a pessoas com conhecimentos mais avançados não foi me deter muito explicando alguns detalhes que eu considero óbvios, como onde digitar comandos e coisas do tipo.
Dentre as opções de gerenciamento de Login para o Ubuntu, que é a distro que escolhemos para fazer este tutorial à 9 artigos atrás estão.

LightDM

Que é o próprio Gestor de Login do Ubuntu, portanto você não precisa instalá-lo, para alter as configurações do LightDM você deve mexer nos arquivos que estão dentro da pasta /etc/lightdm, nesta pasta você encontrará os arquivos de configuração e neles você poderá por exemplo habilitar ou não habilitar determinados usuários, mas se você pretende alterar a aparência do LightDM a pasta que você procura é a /usr/share/unity-greeter, nela você encontrará as imagens do LightDM e você poderá substituir as mesmas por outras de mesmo tamanho, a dica é manter o mesmo nome do arquivo original, modificando apenas a imagem para que não haja conflitos.

GDM

Este é o gereciador de Login do Gnome, e ele foi muito utilizado pelo Ubuntu até a versão 11.04 se não me falha a memória, ele é um gestor mais simples e mais leve e pode ser instalado usando este comando:
sudo apt-get install gdm
Durante a instalação será aberto um terminal interativo onde você deve escolher qual gestor de Login você deseja usar como padrão, escolha o GDM e pronto, agora você tem outro gestor de login, essa dica vale para os próximos gestores que formos utilizar, é bom atentar também para o fato do GDM, assim como os outros gestores que iremos mostrar baixarem mais pacotes que são suas dependências.

KDM 

Este é o gestor de Login do KDE, para instalar use:

sudo apt-get install kdm

Assim como o GDM ele irá baixar outros pacotes para suprir as suas dependências e este eu não recomendo você usar na sua distro, a menos que você esteja usando o Kubuntu como base, a vantagem de se usar o KDM é a fácil personalização que pode ser feita usando temas que o próprio sistema dispõe para a instalação.

MDM

O MDM é o gestor de login do Linux Mint e na sua última versão está muito bonito e personalizável através de temas, como ele é feito usando HTML5 ele proporciona inúmeras opções de animações e temas, mais informações sobre como instalar e como aplicar os temas aqui.

Se você quiser ler os outros artigos que complementam e explicam melhor como criar uma distro Linux acompanhe a nossa série por aqui.


Até a próxima!
Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 
@dionatanvs - +Dionatan Simioni - + Elian Medeiros 

Baixe o APP do Diolinux para o seu Smartphone

Se você tiver alguma dúvida procure um de nossos grupos de discussão no Facebook:

Instale o novo gerenciador de arquivos Athena no Ubuntu ou no Linux Mint

Nenhum comentário

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Substitua o Nautilus ou o Nemo na sua Distro

Gosto não se discute, mas quando há congruência no descontentamento é porque a "coisa" não agradou mesmo, este é o caso do novo Nautilus. Graças a tal passaram a existir forks como o Nemo.
Hoje vamos lhe mostrar mais uma opção de gerenciador de arquivos para o Ubuntu e o Linux Mint.

gerenciador de arquivos Athena


Conheça o Athena

O Athena é também um fork do contestado Nautilus e é usado por padrão na distro Solus OS, essa distro tem por prática trazer um ambiente desktop simples e fork do Gnome 2.
Felizmente aos interessados o Athena está disponível via PPA para ambas as distros, Linux Mint e Ubuntu.

Instalação

Abra o terminal ( Ctrl+T) e cole as seguintes linhas de comando:

sudo add-apt-repository ppa:yunnxx/gnome3
sudo apt-get update
sudo apt-get install athena
Como sugestão, gostaria de deixar o tutorial de instalação do Nemo, padrão do Mint, que para mim é um gerenciador de arquivos melhor e mais bem acabado.
Gostaria de esclarecer também que não testei o Athena no meu Ubuntu, mas tive boas referências de quem o fez, inclusive claro, todo o pessoal que o usa o SolusOS, caso você resolva testar, volte aqui e nos conte a sua impressão sobre o programa.

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 


Como usar o Thunar como gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu

Nenhum comentário

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Definindo o Thunar como gerenciador de arquivos padrão no Ubuntu

Na semana passa tivemos um artigo sobre como definir o Nemo como gerenciador de arquivos no Ubuntu, desta vez, aprenderemos a usar o Thunar como default para navegarmos por entre os arquivos no Ubuntu.

O Thunar

O Thunar é um gerenciador de arquivos fácil de usar e rápido para o ambiente de trabalho Xfce.
Foi desenvolvido para ser simples, rápido e robusto com uma interface limpa e intuitiva.
É feito em GTK e integra-se perfeitamente ao ambiente Gnome, trabalhando muito bem no ambiente de trabalho do Ubuntu 12.10 Quantal Quetzal (testei e pude comprovar).
Para instalar a última versão do Thunar via PPA Oficial Xubuntu Xfce 4.12 (a versão stable seria a 4.10, recomendada para o Ubuntu 12.04), utilizamos os seguintes comandos no terminal:

sudo add-apt-repository ppa:xubuntu-dev/xfce-4.12
sudo apt-get update
sudo apt-get install thunar

Caso queira substituir o gerenciador de arquivos padrão do Ubuntu 12.10 Quantal Quetzal, o Nautilus 3.4 definindo o Thunar como gerenciador de arquivos padrão, seguem alguns procedimentos que devem ser realizados:

1º ajuste:


Recomendo antes de mais nada criar um backup do arquivo que vamos modificar:
sudo cp /usr/share/applications/nautilus.desktop /usr/share/applications/nautilus.desktop.backup

Editar o arquivo "nautilus.desktop":

sudo gedit /usr/share/applications/nautilus.desktop
Procurar por: Exec=nautilus %U
Substituir por: Exec=thunar %U (aqui poderia ser outro gerenciador como p.ex.: nemo, dolphin, etc.)



2º ajuste:


Criar um backup do arquivo que vamos modificar:
sudo cp /usr/share/applications/nautilus-folder-handler.desktop /usr/share/applications/nautilus-folder-handler.desktop.backup

Editar o arquivo "nautilus-folder-handler.desktop":

sudo gedit /usr/share/applications/nautilus-folder-handler.desktop
Procurar por: Exec=nautilus %U
Substituir por: Exec=thunar %U  (aqui poderia ser outro gerenciador como p.ex.: nemo, dolphin, etc.)


Pronto!
Agora, basta verificar que ao montar um dispositivo ou mesmo ao acessar as pastas de arquivos através do lançador "Arquivos" do Unity, o Thunar será aberto como gerenciador de arquivos padrão do sistema operacional.

Caso haja algum problema após editar os arquivos, podemos retornar os arquivos de backup, sobrescrevendo os arquivos em que fizemos os ajustes.

Minha opinião pessoal sobre o Thunar é a de que, sem dúvida é o melhor gerenciador de arquivos que conheci até o momento e recomendo.
Além de todas as características apresentadas no início do artigo, a seguinte imagem ilustra o baixo consumo de recursos de memória que ele necessita.
Na imagem, pode-se observar que enquanto o Nemo consumia 21,9 MiB de memória, o Thunar logo abaixo ocupava apenas 7,4 MiB da memória física do PC.
Isso é ótimo!


Este artigo foi enviado pelo nosso leitor Edson Luis Isele, se você quiser fazer como ele e ter seu artigo publicado aqui no Diolinux entre em contato conosco.

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 


Athena um possível novo gerenciador de arquivos para substituir o Nautilus

Um comentário

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Mockups mostram a ideia de um novo gerenciador de arquivos


Mockups para quem não sabe, são desenhos conceituais sobre algum tipo de software normalmente, porém é possível aplicá-los em outras áreas, se formos traduzir o nome, mockups nada mais são do que maquetes, projetos do que gostaríamos que a aparência de determinado software fosse.
Encontrei em um site internacional alguns destes mockups que mostram um ideia, sim uma ideia, porque ainda não foi escrita uma linha só de código, para um novo gerenciador de arquivos para o Ubuntu que se chamaria Athena, o nome da Deusa grega.
Os desenvolvedores criaram mockups do que seria uma nova opção ao Nautilus quem vem juntamente com o Ubuntu desde sempre.

Seguem os desenhos conceituais:






Ainda são poucas telas do que seria um embrião do projeto.
Ideias como o Athena surgem em desaprovação ao novo Nautilus que trouxe uma interface clean até demais, já temos o Nemo, fork que vem com o Linux Mint e se surgisse uma nova opção seria muito bem vinda.
Particularmente achei os mockups muito bonitos e se dependesse somente da aparência certamente usaria este gerenciador.
E você o que achou do Athena?

Quer continuar por dentro de tudo o que acontece por aqui?

Então curta nossa página no FACEBOOK, siga o blog no TWITTER  - Siga também nossos escritores 


Conheça o OchDownloader, um boa alternativa ao JDownloader

Um comentário

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

No mundo o Linux o JDownloader se tornou muito comum e referência em termos de gerenciamento de downloads, mas por ser feito em JAVA é preciso ter este plugin instalado e dependendo da velocidade da sua conexão ele realmente fica um pouco lento até atualizar pela primeira vez.
Bom, quero deixar claro que ainda acho JDownloader uma das melhores opções disponíveis, porém (Ah!! porém....), existe uma boa alternativa, chama-se OchDownloader.
Ele é leve e rápido, tem apenas 6 MB e se mostra uma alternativa completa ao JDownloader ou ao Tucan.
ochdownloader

Ele foi desenvolvido em Python e você pode adicionar uma série de funcionalidades através de extensões. Além disso tem as seguintes características:
  • Extração automática de arquivos.
  • Renovação de IP.
  • Encerramento automático do sistema.
  • Monitor / observador da área de transferência.
  • Você pode adicionar milhares de links.
  • Limitar velocidade de download.
  • Repetição automática de falha de download.
  • Drag & Drop
  • Os seguintes idiomas são suportados: Inglês, Francês, Português, Romeno, Espanhol.
Futuramente novas funcionalidades deverão ser adicionadas, e ai ficou curioso? 
Você pode baixar o OchDownloader por aqui.
Eu ainda não testei o programa, caso você teste conte para nós a sua experiência nos comentários.




Fique por dentro de tudo o que acontece no Diolinux...


Como remover os pontos brancos da tela de Login do Ubuntu

Nenhum comentário

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Se você não sabe do que eu estou falando dê uma olhada na imagem:
LightDM Ubuntu without white points

A ideia é retirar os pontinhos brancos que ficam na tela de login do Ubuntu deixando a imagem limpa como sugere a figura acima.
Para deixar a imagem de fundo do LightDM do Ubuntu limpinha como bunda de nenê ( isto é, sem os pontos brancos) abra um terminal e cole o seguinte comando:


sudo xhost +SI:localuser:lightdm
sudo su lightdm -s /bin/bash
gsettings set com.canonical.unity-greeter draw-grid false

Quando terminar, pode fechar o terminal e desfrutar da sua tela de login limpa.

Fonte
Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo