Diolinux - O modo Linux e Open Source de ver o Mundo

Responsive Ad Slot

Mostrando postagens com marcador gimp. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador gimp. Mostrar todas as postagens

Instalando fontes no Linux para TCC e design gráfico

Nenhum comentário

quarta-feira, 27 de março de 2019

As normas da ABNT especificam algumas fontes para o desenvolvimento de um documento, sendo elas “Arial” ou “Times New Roman”, acontece que por padrão estas fontes não estão instaladas no sistema (na maioria dos casos), sendo necessário sua adição.

fontes-linux-ubuntu-mint-deepin-times-new-roman-arial-mscorefonts-ttf-otf

Adicionar fontes no Linux é uma tarefa super fácil, algumas estão até disponíveis nos repositórios oficiais do Ubuntu, Mint, Deepin entre outras distribuições. Também existe a possibilidade de efetuar o download de algum site e adicionar manualmente ao sistema, então vamos demonstrar ambas maneiras.

Adicionando as mscorefonts


As mscorefonts, também conhecidas por “Fontes Microsoft”, é o conjunto de fontes utilizadas comumente em especificações como a ABNT, este pacote é composto de tais fontes:

  • Andale Mono
  • Arial Black
  • Arial (Bold, Italic, Bold Italic)
  • Comic Sans MS (Bold)
  • Courier New (Bold, Italic, Bold Italic)
  • Georgia (Bold, Italic, Bold Italic)
  • Impact
  • Times New Roman (Bold, Italic, Bold Italic)
  • Trebuchet (Bold, Italic, Bold Italic)
  • Verdana (Bold, Italic, Bold Italic)
  • Webdings

Via interface gráfica


Para adicionar as fontes Microsoft em seu Ubuntu ou Deepin por exemplo, você poderá utilizar tanto a interface gráfica quanto o terminal. Caso escolha instalar as fontes sem a utilização “da telinha preta”, o programa gerenciador de pacotes Synaptic, deverá ser instalado antes. Pesquise em sua loja por Synaptic e instale o mesmo, logo após, efetue a pesquisa do seguinte termo: “ttf-mscorefonts-installer”, essa são as mscorefonts.

fontes-synaptic-linux-ubuntu-mint-deepin-times-new-roman-arial-mscorefonts-ttf-otf

No caso do Linux Mint, não é necessário instalar o Synaptic, pois sua loja consegue encontrar o pacote de fontes.

fontes-linux-ubuntu-mint-install-deepin-times-new-roman-arial-mscorefonts-ttf-otf

Via terminal


Se você prefere fazer o procedimento acima via terminal, basta executar o comando:

sudo apt install ttf-mscorefonts-installer

Instalando outros tipos de fontes


É certo que fontes como Arial e Times New Roman, são largamente utilizadas em documentos de texto. E para outras situações, como na criação de artes no GIMP, Inkscape etc? Nestes casos podemos efetuar o download de fontes em sites e adicionar ao sistema.

Existem diversas maneiras de se proceder, seja literalmente clicando duas vezes sobre o arquivo, para visualizar e depois instalá-lo, ou criando um diretório em sua home, caso possua várias fontes.

Um ótimo site para conseguir uma gama (quase infinita 😎) de fontes, é o dafont.com, nele você poderá baixar gratuitamente diversos arquivos. Os formatos mais comuns de fontes são: “TTF” e “OTF”, após efetuar o download, clique duas vezes sobre o arquivo de fonte e o visualizador de fontes aparecerá, ou clique com o botão direito do mouse, a primeira opção será o programa para instalar fontes no sistema.

fontes-linux-ubuntu-mint-deepin-times-new-roman-arial-mscorefonts-ttf-otf

Depois de abrir o visualizador de fontes é tudo bem intuitivo, basta clicar em instalar e aguardar o processo.

fontes-linux-ubuntu-mint-deepin-times-new-roman-arial-mscorefonts-ttf-otf

O método é bem comodo e pratico, porém ao trabalhar com muitas fontes, fica chato instalar uma a uma, para contornar essa situação, crie uma pasta denominada “.fonts” em sua pasta pessoal, e adicione os arquivos neste diretório.

Para visualizar as pastas ocultas no Ubuntu, Linux Mint e Deepin, clique com a combinação de teclas “CTRL+H” e esses diretórios serão visíveis (no KDE a combinação é “ALT+.”), se a pasta “.fonts” não existir, crie ela.

fontes-linux-ubuntu-mint-deepin-times-new-roman-arial-mscorefonts-ttf-otf

O site DaFont é uma ótima opção para downloads de fontes, entretanto há alguns anos disponibilizamos um pack, com acredite se quiser! Mais de 4.500 fontes, baixe esse pacote no seguinte link.

Veja também esse tutorial em formato de vídeo, caso alguma dúvida tenha ocorrido.


O GIMP pode inicialmente não reconhecer as fontes adicionadas na pasta “.fonts”, caso isso ocorra, acesse o post que ensinamos como adicionar fontes no GIMP.

Auxilie os novatos no mundo Linux, compartilhando nossas postagens. Que tal engajar-se em nosso fórum Diolinux Plus?

Espero você até a próxima postagem, aqui no blog Diolinux, SISTEMATICAMENTE! 😎
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


5 Softwares para manipulação de imagens para Ubuntu e Linux Mint

Nenhum comentário

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Muitos que vem chegando ao mundo Linux sempre procuram por ferramentas que podem facilitar o seu dia a dia e os editores e manipuladores de imagens são uma parte importante do trabalho de muitas pessoas. Vamos mostrar 5 softwares para essa funcionalidade e que vão suprir a demanda de pequenos ajustes e montagens até produções profissionais.


5 Softwares para manipulação de imagens para Ubuntu e Linux Mint






Ainda se tem o mito entre algumas “muitas” pessoas, que no mundo Linux não se tem programas que possam dar conta de trabalhos profissionais de edição/manipulação de imagens ou simples montagens daquela festa de fim de ano, mas isso não é verdade. Como tem muita gente que não tem tempo para ficar “caçando” esses programas, reunimos 5 aplicativos que vão lhe atender. Alguns são pagos, outros são grátis, outros são grátis e Open Source.

1 - GIMP

 Esse carinha é o primeiro que vem a mente quando pensamos em programas para manipulação e edição de imagens no mundo Linux. Antes renegado e posto de lado pela grande maioria das pessoas da área, hoje em dia ele vem ganhando espaço e muito destaque de profissionais que estão trocando a plataforma da Adobe para uma alternativa realmente viável. Com a possibilidade de ser instalado no Windows e macOS, as pessoas conseguem experimentar ele e assim quando precisarem migrarem para alguma distro Linux não vão sentir muito a tal “curva de aprendizado”. Pode acontecer de ter que aprender uma forma diferente de se fazer um efeito, correção ou algo do tipo, mas nada que uma boa olhada no manual do GIMP não resolva 😁. Para baixar ele basta acessar esse link.


Nos vídeos abaixo, dois produtores profissionais de audiovisual que estão migrando do Adobe Premiere para o DaVinci Resolve, recomendam o GIMP como uma alternativa ao Adobe Photoshop:



2 - Photopea

Já o nosso próximo candidato é um editor online para quem está procurando uma solução que não precise instalar nada além do navegador de internet. Nesse caso o Photopea tem integração com o Google Chrome e assim ele pode virar um “app” e ser aberto como um. Ele importa arquivos nos formatos PSD, XCF, SKETCH, XD e CDR (Adobe Photoshop, GIMP, Sketch App, Adobe XD e CorelDRAW respectivamente). Na versão free tem algumas limitações e propagandas, mas na versão paga não. Você pode conferir melhor no site deles, clicando na opção conta.


Fizemos um vídeo lá no canal sobre ele, ta bem bacana por sinal corre lá para conferir. 

3 -  PIXELUVO

Esse já passou aqui pelo blog e pelo canal se mostrando uma ferramenta surpreendentemente para a tarefa de edição e manipulação de imagem. Mas como nem tudo são flores, ele tem algumas restrições na versão free, como só conseguir exportar as imagens em 800x600. Mas a versão paga não é tão cara, custando US$34 (mais ou menos R$100) e assim dando possibilidade de updates até a versão 1.99, podendo ser comprada até através da Steam, onde ele custa pouco mais de 60 reais. Para maiores informações basta acessar o site deles.


Fizemos um vídeo lá no canal sobre ele, ta bem bacana por sinal corre lá para conferir.

4 - Polarr 

Se você estiver procurando por um programa versátil e multiplataforma de fato, pois ele roda online, Linux (via snap), macOS e Windows, e que vai lhe proporcionar ferramentas para edição e manipulações de fotos com uma qualidade muito boa, o Polarr é um grande candidato. Ele é um aplicativo que tem a versão free e a paga, que custa os incríveis US$23,99 por ano ou US$2.49 por mês (algo como R$80 por ano ou R$10 por mês aproximadamente). Para mais detalhes consulte o site deles.


5 - Bloom

Já o nosso quinto e último programa dessa lista é uma novidade e vem prometendo muitas ferramentas e funcionalidades que vão facilitar o dia a dia de quem trabalha com edição de imagens. Segundo a mensagem no site deles, “Bloom é o primeiro editor gráfico verdadeiramente não-destrutivo. Isto significa que qualquer ação que você fizer durante a edição é armazenada separadamente e pode ser ajustada posteriormente ..

O aplicativo é free e você precisa fazer um cadastro com nome e e-mail para que eles gerem uma licença do produto, por isso pode demorar um pouco. Na versão paga você tem acesso imediato às correções de bugs, recursos novos e aprimoramentos no desempenho do aplicativo. A versão paga possui atrelado a sua licença vitalícia  e ao direito de receber os updates do software, entre outros benefícios. Tudo isso vem com um valor anual de US$49,99. Se você quiser renovar esse suporte “Premium”, será necessário desembolsar US$24,99. Mas se você não quiser pagar nenhum valor, sem problemas, o programa está disponível para testes pelo período de um mês. Site deles.


Esses são alguns dos programas que podem lhe ajudar na tarefa para edição e/ou manipulação de imagens e ainda lhe ajudar a economizar uma graninha boa com licenças caras, além da licença do Windows 😜. Ainda vai ter outras listas com aplicativos para designers, fique ligado aqui no blog!
Deixe aí nos comentários quais outras listas de aplicativos você gostaria que nós podemos elaborar.

Espero você no próximo post, forte abraço.

_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


PhotoGIMP v.2018 - O GIMP para quem vem do Photoshop

Nenhum comentário

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

É com muito prazer que anunciamos a atualização do projeto PhotoGIMP, um patch que facilita a vida de quem está migrando do ecossistema da Adobe, com o Photoshop, para o GIMP e para quem gosta de um software de edição de imagens simplificado.

GIMP - PhotoGIMP 2018






Como todo software de código aberto, o GIMP é plenamente modificável e possui uma infinidade de possibilidades de configurações em sua interface para deixá-lo adequado para qualquer tipo de profissional. 

Nós usamos essa liberdade para criar um Patch que traz para você os atalhos de teclado e organização, visualmente equivalente ao Adobe Photoshop, facilitando a vida de quem está migrando de plataforma.

No vídeo abaixo nos ensinamos a fazer customizações no GIMP, para que você mesmo possa fazer as suas e demonstramos a versão mais recente do PhotoGIMP, confira:


Você encontra no PhotoGIMP um software com visual simplificado, apenas as ferramentas mais comuns de quem manipula imagens e faz montagens estão exibidas em uma coluna de ferramentas mais sucintas que a do GIMP original, a ordem das ferramentas também está de acordo com as ferramentas equivalentes no Photoshop, assim como as teclas de atalho para seleciona-las, facilitante na intuitividade de quem já está habituado com o software da Adobe.

PhotoGIMP 2018

Outra modificação implementada ocorre nos painéis de configuração, reduzindo a quantidade para as ferramentas essenciais de manipulação de imagens. Colocando o painel de camadas e canais na mesma região que é encontrado no Photoshop e adicionando uma aba para seleção de fontes de forma mais eficiente.

Configuração de camadas no PhotoGIMP

Esses ajustes devem deixar o GIMP menos "assustador" para novatos também, simplificando as múltiplas ferramentas e painéis de configuração, além de acolher melhor aqueles que estão habituados ao Photoshop.

Como baixar e instalar o PhotoGIMP


O PhotoGIMP não é um novo software, ele é apenas um Patch de configurações para o GIMP 2.10. Isso significa que você precisa instalar o GIMP tradicional normalmente antes e depois aplicar o PhotoGIMP sobre ele. 

1 - Baixe o GIMP

O GIMP está disponível através do site gimp.org para Linux, macOS e Windows. Nas distros Linux você provavelmente o encontra na loja de aplicativos ou gerenciador de pacotes.

Atualmente existem versões Flatpak, Snap e AppImage do GIMP 2.10 também, em todos os casos, em todas as plataformas mencionadas, o PhotoGIMP 2018 deve funcionar, você só precisar identificar o local onde ficam os arquivos de configuração do programa para poder substituí-los pelos arquivos do Patch.

2 - Baixe o PhotoGIMP

O PhotoGIMP 2018 está hospedado no Google Drive, então o download deve estar sempre disponível, o Patch tem apenas 4MB de tamanho. Ao clicar no botão abaixo para fazer o download, você acessará a página onde existe um arquivo compactado, e os arquivos individuais separados. Você pode escolher a opção que desejar baixar, não há diferença.

3 - Instale o PhotoGIMP

Como comentado e explicado no vídeo que acompanha este artigo, basta extrair os arquivos para a pasta correta de configuração do GIMP 2.10. Observe que pode ser necessário abrir o GIMP sem o patch uma primeira vez para que todos os arquivos sejam criados, após isso será possível aplicar o Patch. Em caso de dúvidas, confira o vídeo disponível acima neste artigo.

As pastas onde os arquivo devem ser extraídos são:

##No LINUX, dependendo do tipo de instalação que você faça##

**GIMP Instalado via Repositório tradicional (APT, DNF), extraia para:

           /home/$USER/.config/GIMP/2.10/

**GIMP Instalado via FLATPAK, extraia para:

          /home/$USER/.var/app/org.gimp.GIMP/config/GIMP/2.10/

**GIMP Instalado via SNAP, extraia para:

          /home/$USER/snap/gimp/47/.config/GIMP/2.10/

##WINDOWS 10, como só há uma forma de instalar##

**GIMP Instalado via .EXE extraia para:

          C:\Users\SEU_USUARIO\AppData\Roaming\GIMP\2.10

Uma vez copiados e colados os arquivos do patch, substituindo todos que possuírem arquivos de mesmo nome, o procedimento já terá acabado. Basta abrir o GIMP novamente e você já estará usando o PhotoGIMP.

Como remover?

Você quer voltar a usar o GIMP padrão? Não tem problema. Basta apagar a pasta de configuração para a qual você copiou os arquivos, quando você abrir o GIMP novamente sem esses arquivos eles serão criados novamente com a configuração padrão do software.
_

Esperamos que o PhotoGIMP seja útil para você, ele foi possível graças a ajuda da comunidade Linux e Open Source, incluindo (principalmente) os próprios desenvolvedores do GIMP, que fizeram um trabalho fantástico. Gostaria de fazer um agradecimento especial para o nosso amigo e designer Felipe Cereda, que foi o responsável a imagem de Splash dessa versão.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Programas Adobe no Linux, será que eles são tão necessários?

Nenhum comentário

segunda-feira, 23 de julho de 2018

Quando se fala em migração, muitas vezes um dos motivos citados como um empecilho, principalmente para quem trabalha na área de design é a questão das ferramentas disponibilizadas pela Adobe, esse assunto já deu muito pano pra manga aqui no blog e no canal, e hoje vamos discutir um pouco mais sobre ele.






Sem dúvida nenhuma, a história do Linux e Adobe já é algo bem antigo, apesar da Adobe ter aplicações compatíveis com Linux, ainda existem alguns programas que não estão disponíveis para o pinguim, como o Photoshop e Lightroom por exemplo.

Sem dúvida, muitas pessoas que começam a aprender sobre design gráfico, começam a aprender através do Photoshop ou aprendem a criar vídeos para a internet através do Premiere ou After effects. Então, quando migramos para algumas distros Linux, acabamos sentindo falta desses programas, ou até deixando de migrar pela ausência deles.

Como já falamos algumas vezes aqui no blog e até mesmo no canal, muitas vezes achamos atrelando o resultado final desejado com determinado programa utilizado sendo que não é exatamente o programa que te trará esse resultado, e sim as funcionalidades encontradas nele. Isso quer dizer que devemos procurar as funcionalidades quando migramos e não os nomes. Você pode utilizar programas como o GIMP no lugar do Photoshop, o Inkscape no lugar do Illustrator, o Kdenlive no lugar do Premiere, assim como o Blender no lugar do After Effects, sendo que com todos eles podem lhe trazer o mesmo resultado que os produtos da Adobe, você só precisa aprender a utilizá-los.

Muitas pessoas acabam deixando de migrar por causa das ferramentas, pois já estão acostumadas a utilizá-las e o processo acaba se tornando mais rápido. Mas será que esse tempo que você economiza vale o investimento das licenças para utilizar o serviço? Independentemente de sua resposta ter sido sim ou não, aqui não há certo ou errado para nenhuma das respostas, pois cada um escolhe qual o momento certo de aprender algo novo.

No vídeo abaixo, discutimos um pouco sobre a influência dos programas Adobe na migração de usuários para o Linux. A Adobe vem trabalhando com a Google para transformar o Photoshop em um sistema de streaming. Futuramente pode ser que o Photoshop chegue ao Linux através do cloud computing, mas provavelmente a forma de trabalho seria um pouco diferente do que conhecemos hoje.



Se você ainda está na dúvida de que isso é possível, confira também a história Designer Nangil Rodrigues que já atuou em várias grandes empresas e utiliza somente softwares que rodam em cima de Linux para desenvolver as suas atividades.



Apesar da popularidade dos programas da Adobe, de fato, em alto nível de produção, como o Cinema por exemplo, eles não são o "padrão da indústria", dando espaço para softwares como Nuke, DaVinci Resolve e Fusion, Avid MC, Maya, que são softwares, que em sua maioria rodam no Linux. 

O softwares da Adobe já foram utilizados em cenários do tipo, mas eles são realmente mais populares em filmakers mais modestos, youtubers e agências.

Neste universo onde Blender e Krita crescem cada vez mais, Kdenlive se mostra uma alternativa interessante ao lado de LightWorks e DaVinci Resolve, mesmo em suas versões grátis, aliando-se a um mercado que precisa sempre economizar o máximo possível e ao mesmo tempo manter ou aumentar o desempenho, não se pode descartar a utilização de Linux, Hollywood é um ótimo exemplo disso.

Conte pra gente se você acha que os softwares da Adobe são indispensáveis para você e o porquê. 

Espero que esse post tenha lhe ajudado e até mais! :)
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Ajude a realizar o maior evento de computação gráfica livre do Brasil! GNUGRAF

Nenhum comentário

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Eventos envolvendo tecnologias abertas são sempre muito bem-vindos, eles nos ajudam a conhecer novas ferramentas, aprender coisas novas e nos ajudam a fazer amigos que levamos para toda a vida. Hoje vou falar para você sobre um em especial, chamado GNUGRAF!

GNUGRAF - Faça acontecer






O GNUGRAF é um evento que está ajudando as pessoas a trabalharem com design e software livre há 10 anos, construindo conhecimento através de palestras colaborativas e espontâneas por parte de seus idealizadores. Você pode conhecer mais do projeto acesso o site oficial do GNUGRAF.

O evento geralmente é feito pelos próprios colaboradores que participam e arcam com seus próprios custos, contando com o apoio eventual de terceiros, mas neste ano o GNUGRAF precisa da sua ajuda.

O Evento já trouxe profissionais de renome, como Elias Silveira - ilustrador de diversas revistas como a Mundo Estranho, João Bueno  - Desenvolvedor do GIMP, Marcos Magalhães - Animador e Criador do Anima Mundi, entre tantos outros.  

O GNUGRAF acontece em dois dias com palestras e minicursos oferecidos gratuitamente ao público. Nste ano o evento irá acontecer no "BERÇO DO DESIGN BRASILEIRO" - na ESDI - Escola Superior de Design da UERJ, nos dia 14 e 15 de setembro.

Confira o convite do Elias Silveira:


Para ajudar o evento a acontecer você pode doar qualquer quantia, até mesmo R$ 1,00, através de uma "vakinha" que os idealizadores criaram para poder viabilizar o evento.


Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Nova versão do GIMP finalmente está disponível!

Nenhum comentário

sábado, 28 de abril de 2018

Depois de praticamente 6 anos de desenvolvimento a versão 2.10 do manipulador de imagens GIMP está disponível para download e com várias novidades interessantes, confira:

Lançado GIMO 2.10






Os desenvolvedores anunciaram a versão 2.10 do GIMP através do site oficial do programa listando os destaques desta que, segundo eles, é uma GRANDE atualização para o GIMP.

Dentre as principais novidades desta atualização temos:

- O processamento de imagem está próximo de ser completamente portado para GEGL, permitindo um melhor aproveitamento multi-thread e aceleração de hardware para o processamento dos pixels;

-  O gerenciamento de cor agora é um recurso nativo do GIMP, a maior parte das áreas de preview e widgets são gerenciáveis;

- Muitas ferramentas foram melhoradas, como a ferramenta de seleção inteligente (varinha mágica*), ferramenta de transformação, entre outras;

- Houve melhorias para os usuários do GIMP que fazem pintura digital, agora com suporte para pincéis do MyPaint e incremento de funcionalidades para facilitar a criação de desenhos baseados em simetria e rotação;

- Suporte inicial a telas de alta densidade de pixel (HiDPI);

- Novo visual, agora o GIMP tem temas nativos embutidos com o software, dando um visual mais profissional à aplicação, os temas ainda possuem variações de tonalidade, claro, escuro, cinza e uma opção que permite usar o tema gtk do sistema.

Realmente existem muitas, muitas coisas novas! Você pode conferir todas as notas de lançamento diretamente no site oficial, onde você encontra até pequenos vídeos para demonstrar a funcionalidade das novas ferramentas.

Como testar a nova versão do GIMP?


GIMP 2.10


No site do GIMP o modo "oficial" de fazer o teste é através de um pacote Flatpak, no caso do Ubuntu, será necessário rodar estes comandos para utilizar:
sudo apt install flatpak
flatpak install https://flathub.org/repo/appstream/org.gimp.GIMP.flatpakref

Instalando o novo GIMP via Flatpak

Porém, é possível instalar também via PPA, para saber como fazer isso, consulte este artigo aqui do blog.

O processo via Flatpak serve virtualmente para qualquer distribuição, consulte a documentação do seu sistema para entender como ativar o recurso, caso ele ainda não esteja ativo. Este artigo do blog sobre Flatpak pode ajudar também.

Para rodar o GIMP instalado via Flatpak no Ubuntu você deve usar este comando:
flatpak run org.gimp.GIMP
No Linux Mint, que já possui integração com o FlatHub, basta procurar pela versão do GIMP em Flatpak na loja de aplicativos ou, alternativamente, usar o PPA.

Uma coisa que vale observar é que o GIMP é um App muito comum dentro do repositório das distros, então em mais ou menos tempo ele também deverá ficar disponível para todos desta forma, geralmente distros rolling release trazem a versão antes das demais, como o Arch, Manjaro e o Fedora, que mesmo não sendo Rolling, costuma ser bem atualizado.

Um "problema" com o GIMP


O GIMP é um software excelente, que se fosse pago, seria com certeza muito caro! Não sei se você já parou para pensar nisso, mas um software da robustez do GIMP é entregue para você gratuitamente e ainda com o código fonte aberto. Incrível, não?

Estou falando sobre isso porque em meio às notas de lançamento desta nova versão do GIMP eu encontrei um dado muito curioso.

Colaboradores do GIMP

O GIMP é um projeto feito de forma completamente comunitária. Desde 1997, segundo o site, apenas em um mês (Agosto de 2003) é que o GIMP teve mais de 20 colaboradores simultâneos, 21 para ser mais exato.

Olhando a Timeline podemos ver que em vários momentos tivemos apenas 3 pessoas (em todo o mundo) ativas no desenvolvimento do GIMP, a informação mais recente é de Fevereiro de 2018, com 12 pessoas ativas.

E isso diz muito respeito a toda demora para lançar uma grande atualização como esta que temos o prazer de anunciar hoje. Uma equipe reduzida e não assalariada como esta, eu diria que o que vemos é praticamente um milagre de esforço, boa vontade e competência técnica.

Levanto este tópico porque acho pertinente a discussão em torno do assunto. Já vi muitas pessoas reclamarem do GIMP pelos mais diversos motivos, mas será que estas mesmas viram esta situação? Geralmente as pessoas comparam o Photoshop com o GIMP, mesmo com a Adobe tendo um time inteiro e muito bem pago para incrementar o Photoshop ano a ano, o pessoal do GIMP continua fazendo um bom trabalho, que para muitos usuários até ultrapassa ou no mínimo equivale ao produzido pela Adobe, e não esqueça, o programa é de graça para você, disponível nas três principais plataformas e ainda te dão o código fonte. Repito, é incrível.

Talvez com isso as críticas ao GIMP sejam mais brandas de agora em diante, porém, há outro viés que vale a pena ser comentado. Existem alguns softwares que nasceram no Linux para serem utilizados por artistas e produtores de conteúdo em todas as plataformas que encontraram seu caminho ao se organizarem de uma forma diferente.

O Blender, o Krita e até mesmo o Kdenlive são ótimos exemplos. Será que não seria importante haver uma modificação na forma com que o GIMP é trabalhado para que ele gere alguma renda para podermos ter vários desenvolvedores fixos no projeto? 

Criar uma fundação como o Blender e o Krita fizeram acabou ajudando os dois a se destacarem até fora do "mundo Linux". Se este é o caminho eu não tenho certeza, mas o GIMP merece mais atenção e depender apenas de doação e boa vontade pode até funcionar, mas leva muito mais tempo, como vimos neste lançamento que demorou 6 anos para acontecer.

Algo que nem todos pensam, mas se você gosta do GIMP e adoraria incrementar funções nele, nada impede que você trabalhe no software e crie uma empresa para prestar suporte para o mesmo, assim como muitas fazem com uma distro Linux qualquer ou outros softwares como o LibreOffice, por que não com o GIMP?

Que tal patrocinar o projeto? Quem tem realmente condição e tira proveito do GIMP poderia bancar um desenvolvedor. O GIMP poderia criar uma campanha do tipo "adote um desenvolvedor" e entregar benefícios a estes colaboradores, como suporte e criação de ferramentas para atender a necessidades dos mesmos antes. 

Talvez isso ajudasse no desenvolvimento, uma empresa como a Collabora, que trabalha com o LibreOffice, só que com o GIMP. O que você acha da ideia?

Até a próxima!

* "Varinha mágica" é nome da ferramenta de função semelhante do Adobe Photoshop, geralmente as pessoas entendem melhor do que se trata através da expressão.
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


PhotoGIMP 2017.1 está disponível para download!

Nenhum comentário

quarta-feira, 26 de abril de 2017


❗❗❗ Atenção, existe uma versão atualizada do PhotoGIMP (Clique aqui)❗❗❗

O blog Diolinux orgulhosamente apresenta a versão 2017.1 do projeto PhotoGIMP, o projeto que procura aproximar usuários do Adobe Photoshop ao GIMP, facilitando a transição entre as duas ferramentas.

PhotoGIMP 2017.1 Diolinux




A migração entre softwares é sempre trabalhosa, especialmente quando este programa é um dos pilares do seu trabalho, como é o caso de muitos profissionais com o Adobe Photoshop.

Eu admito que há casos em que o Photoshop será insubstituível para o usuário, mas francamente, isso depende mais do usuário do que do programa e de seus recursos, visto que existem vários profissionais que trabalham somente com o GIMP há muitos anos, você pode escolher as suas desculpas, mas em "90% dos casos" o motivo está simplesmente no dito workflow e na produtividade.

O costume com atalhos, aparência e localização das ferramentas são fatores eventualmente decisivos para quem não quer usar o GIMP.

O PhotoGIMP é um projeto criado especialmente para quem gostaria de utilizar a ferramenta mas é especialmente acostumado com o Adobe Photoshop, ou pessoas que precisam ou querem transitar entre ambos, sem precisar decorar teclas de atalho muito diferentes entre os dois softwares.

PhotoGIMP 2017.1


O PhotoGIMP não é um novo programa, nem sequer é um "concorrente" do GIMP, muito menos do Photoshop, ele é puramente "o GIMP", mas usando toda a liberdade que o software livre nos proporciona, ele foi modificado intencionalmente para ter um workflow mais parecido com o Photoshop, muitas coisas contidas na versão do ano passado se mantiveram, mas o projeto foi ajustado e simplificado.

PhotoGIMP 2017
PhotoGIMP no Linux Mint Cinnamon

No PhotoGIMP 2017.1 você encontra um novo tema GTK que é capaz de ignorar os outros temas, então, independente de qual tema você use, ao ativar o tema do PhotoGIMP ele se manterá o mesmo, isso garante a compatibilidade perfeita com outras distribuições que não sejam o Ubuntu com o tema Ambiance, como acontecia na versão passada. Esta versão do PhotoGIMP é compatível com todas as distros, independente da interface.

Usuários de Linux Mint comentaram que a versão passada simplesmente não se encaixava no tema do sistema e acabava ficando... bom... muito tosco, para dizer o mínimo, acredito que isso tenha se resolvido, como mostra a imagem acima.

PhotoGIMP 2017.1
PhotoGIMP no Windows 10

A versão para Windows também foi atualizada juntamente e agora suporta o mesmo tema, permitindo exatamente a mesma aparência no Linux e no Windows, o que facilita a migração entre plataformas também. Na verdade, agora não existe mais um PhotoGIMP para Linux e outro para Windows, como era antes, é apenas um que funciona nos dois, ou seja, o projeto foi simplificado.

Os ícones das ferramentas estão maiores também, os principais atalhos do Photoshop fazem parte do PhotoGIMP, assim você não precisa decorar tudo de novo, o tema escurecido garante que você não canse os olhos editando imagens o dia todo e a organização espacial das ferramentas também vai te ajudar a encontrar o que você quiser com maior facilidade. Por exemplo, ferramentas comuns organizadas na barra de ferramentas da esquerda como no Photoshop, camadas na direita em baixo, etc.

PhotoGIMP no Deepin 15.4
O projeto também conta com uma série de brushes novos pré-instalados, ideal para quem gosta de fazer desenho digital também.

Outra correção que foi feita é relacionada a adaptação do tema à resoluções diferentes. Este bug acabava fazendo com que o botão de maximizar "sumisse" do GIMP, agora ele deverá funcionar perfeitamente, independente do tamanho da sua tela e da resolução.

Créditos


Para construir o patch PhotoGIMP nós unimos vários projetos abertos em torno do GIMP condensando em um "produto" final, por isso temos que dar créditos a quem realmente merece, que são os desenvolvedores do GIMP (gimp.org), aos desenvolvedores do tema, este tema (ainda que tenha sido modificado por mim), partiu do tema que será liberado com a futura versão do GIMP (O PhotoGIMP é feito em cima do GIMP 2.8.x), agradecimentos também aos desenvolvedores dos brushes. E por último, mas não menos importante, agradeço a todos que me ajudaram testar a nova versão, especial o Ricardo Venturini Bugim que me ajudou a testar várias etapas do projeto passo a passo.

Como instalar o PhotoGIMP no seu sistema


Vamos aos preparativos: Como eu tinha comentado anteriormente, o PhotoGIMP é um patch, logo, ele necessita do GIMP original instalado previamente, por isso instale no seu sistema da maneira que preferir.

Windows: Faça o download do .exe à partir do site e instale normalmente usando o utilitário de instalação, basicamente você pode avançar nele, não há nenhuma propaganda ou "recurso" extra que será instalado indevidamente.

Linux: Dependendo da distribuição haverão formas diferentes de fazer a instalação, porém, o GIMP está nomeadamente no repositório de todas, basta procurar o pacote "gimp" sem aspas no seu gerenciador de softwares ou central de aplicativos.

GIMP na Central de Apps no Linux Mint


Quem prefere fazer pelo terminal pode usar estes comandos:

Ubuntu/Mint/Debian/Deepin/elementaryOS e derivados:
sudo apt install gimp
Fedora e derivados:
sudo dnf install gimp
Arch/Manjaro/Antergos e derivados:
sudo pacman -S gimp
openSUSE e derivados:
sudo zypper install gimp

Uma vez que o GIMP esteja instalado, agora você só precisa baixar o patch e extrair ele para o local indicado. Os arquivos são os mesmos, tanto para Linux, quanto para Windows.


Com o Patch baixado, você verá que tem "em mãos" um arquivo .zip, dentro dele existem instruções para instalação semelhante ao que você encontra aqui em um arquivo de texto, você pode consultar ele.

O que você deve fazer é substituir a pasta de configurações do GIMP pelo nosso patch PhotoGIMP, no Linux e no Windows ela fica dentro da sua pasta de usuários comuns.

Instalação PhotoGIMP no Linux (distros em geral)


Extraia a pasta .gimp-2.8 contida dentro do arquivo ZIP para a pasta do seu usuário, ela deverá manter o ponto antes do nome para ficar oculta. (atenção para o ponto!)

Exemplo de local para extrair:

/home/diolinux(nome do usuário)/EXTRAIA AQUI!

Instalação do PhotoGIMP no Windows 7/8/10


Para o Windows o processo é semelhante ao do Linux, basta extrair a pasta .gimp-2.8 contida dentro do arquivo ZIP para a pasta do seu usuário que fica dentro do disco C.

Por exemplo

C:\Usuários\Diolinux(nome do usuário)\EXTRAIA AQUI!

Depois de extrair, basta abrir o GIMP normalmente.

Caso a modificação não apareça logo de cara, ou ao menos o tema, com o GIMP aberto, verifique se o tema está selecionado e habilitado.

Vá no menu editar>>preferências>>tema e na lista de temas disponíveis procure pelo "PhotoGIMPDiolinux", selecione e clique no botão "OK" e a mudança deverá ser instantânea.

PhotoGIMP Diolinux

Aproveite o PhotoGIMP e divirta-se! Lembre, este projeto não tem qualquer custo, é disponibilizado para você completamente grátis, então compartilhe a matéria como pagamento, indique para amigos que poderão se interessar! :)

Caso você encontre problemas ou tenha sugestões para edições futuras, por favor deixe nos comentários ou nos envie um e-mail contando as suas ideias, quem sabe elas ajudam a forma uma versão futura do projeto.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Um novo GNUGraf vem aí!

Nenhum comentário

segunda-feira, 27 de março de 2017

Quem mora do Rio de Janeiro e arredores, ou está disposto à viajar,  e adora fazer arte com Software Livre pode colocar no calendário algumas datas no próximo mês de Abril para participar do GNUGraf.





Neste ano o evento vai acontecer nos dias 21 e 22 de Abril na Puc-Rio – R. Marquês de São Vicente, 225 – Gávea, Rio de Janeiro. Neste evento são discutidos e mostradas as ferramentas livres para a criação de conteúdo gráfico digital.

Você poderá participar no evento de várias palestras sobre GIMP, Inkscape e vários outros softwares abertos e aprender ainda mais sobre eles ou ter o seu primeiro contato. Ainda temos alguns dias para o evento, então alguns informações ainda não estão no site, mas você poderá acompanhar todas as novidades e tirar as suas dúvidas acessando: gnugraf.org

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Procurando uma alternativa mais simples para o Photoshop e o GIMP? Conheça o Pixeluvo!

Nenhum comentário

segunda-feira, 20 de março de 2017

Como eu sempre procuro resolver os problemas dos leitores, ao menos na medida do possível, hoje eu vou apresentar para vocês um editor de imagens que pode ser exatamente o que você estava procurando para realizar os seus trabalhos.

Pixeluvo editor de imagens




Há algum tempo atrás no nosso grupo no Facebook, alguns leitores estavam debatendo sobre a procura por um software que fosse capaz de realizar edições de imagens com um certo nível de complexidade (não tão alto), porém que foi mais simples de utilizar que o GIMP e o Photoshop que tem vários recursos que muitas vezes acabam tornando o uso mais complexo.

Pesquisando por alguma solução que se encaixasse com com este tipo de usuário que prefere não utilizar o GIMP, ainda que ele seja grátis, e também não vê sentido e comprar ou assinar o Photoshop, é que eu acabei encontra o Pixeluvo, comprei uma cópia para mim, sim ele é pago, mas tem um valor relativamente acessível, se compararmos com o produto da Adobe.

Fiz um vídeo bacana para você entender como ele funciona e conhecer as principais ferramentas.



Como você viu no vídeo, eu entrei em contato com os desenvolvedores do Pixeluvo e consegui 5 chaves de ativação para sortear para vocês, para participar do sorteio basta enviar um Tweet pra gente dizendo porque você merece receber a key com a #pixeluvo.

Como essa galera que já está participando:

Pixeluvo Diolinux Twitter

Os vencedores da promoção serão anunciados no canal do Diolinux no Domingo que vem, dia 26 de Março de 2017, então fica ligado! Na Segunda-feira eu faço um post aqui no blog também comentando os vencedores.

Se você quiser comprar o Pixeluvo por sua conta, você pode fazer acessando o site oficial ou através da Steam.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




5 aplicativos grátis para pessoas criativas!

Nenhum comentário

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Se você é daqueles caras que está em constante produtividade e gosta de criar, inventar, customizar e publicar as suas obras, esse artigo meu amigo(a), é pra você! Hoje vamos conhecer 5 ferramentas que você pode usar no seu computador de forma totalmente grátis para produzir obras de diversos tipos!

5 Apps para pessoas criativas




É quase contraditório pensar que para exercitar a sua criatividade no computador você tenha que pagar, é praticamente uma forma de frear as suas possibilidades de criatividade quando você se depara com um programa pago, sobretudo quando você não tem dinheiro para comprar uma licença e não gosta da ideia de piratear os programas.

Sem dinheiro para comprar os softwares?


Existem sim, vários programas gratuitos para criadores de conteúdo, para pessoas criativas, que você não precisa desembolsar nenhum centavo, vamos para a nossa lista!

1 - GIMP


GIMP

O GIMP é uma fantástico manipulador de imagem do mesmo segmento que o Photoshop, ele é completamente grátis e muito simples de se utilizar. Para você ter uma ideia, todas as artes que ilustram este artigo que você está lendo foram feitas com ele.

Você encontra ele disponível para download gratuito diretamente em seu site oficial, mas umas das coisas mais interessantes que eu posso dizer sobre o GIMP é sobre a sua incrível capacidade de se adaptar e se modificar. O App é muito customizável e você pode instalar temas que deixam ele com um visual parecido com o Photoshop, ideal para quem está experimentando ele pela primeira vez e já tem alguma experiência com o programa da Adobe, e instalar centenas de plugins para adicionar filtros, brushes e ferramentas para ele ficar ainda mais completo.

2 - Inkscape


Inkscape

Se o GIMP é uma ótima ferramenta grátis para você utilizar para fazer montagens, quando se trata de vetorização, o Inkscape é a bola da vez. Ele pode se equivaler a softwares como o Corel Draw e ao Adobe Illustrator. Conheço várias pessoas que trabalham diretamente com ele para "ganhar o pão" como se diz, aliás, uma curiosidade bacana de se comentar é que o logo aqui do blog (esse mesmo que fica lá no topo da página) foi feito com o Inkscape.

Você encontra o Inkscape para download, assim como uma excelente documentação com vários tutoriais, diretamente em seu site oficial.

3 - Krita


Krita

Se você é a pessoa criativa da sala que manja de desenho, com toda a certeza vai se apaixonar pelo Krita. O software vem ganhando muito espaço na indústria e sendo recomendado por vários profissionais do ramo, como o nosso amigo Elias de Carvalho. Até mesmo o design da aplicação é pensado para entregar as ferramentas que você precisa com maior facilidade.

Você pode baixar o Krita diretamente do site oficial também, e como os demais comentados acima, ele também é grátis.

4 - Kdenlive


Kdenlive

Saindo um pouco das imagens e indo para s vídeos, temos o excelentíssimo Kdenlive. Um editor de vídeos extratamente poderoso, igualmente grátis e equivalente ao Adobre Premiere e ao Vegas em diversas circunstâncias. Todo o nosso canal no YouTube foi desenvolvido usando este programa.

Você pode baixar este programa diretamente de seu site oficial também.

5 - Natron


Natron

Se além de editar vídeos, você também quer "brincar de Spielberg" e criar efeitos especiais, o Natron é uma excelente ferramenta para isso. Ele foi criado baseado no Workflow de grandes "medalhões" do mercado, como o Nuke e o Fusion. O download do Natron também é grátis e você pode obtê-lo através do site oficial.


Quem disse que você precisa gastar para exercitar a sua criatividade de criador de conteúdo, não é mesmo? É claro que existem diversos programas que poderiam se encaixar nesta lista, então, sinta-se à vontade para adicionar os que faltaram na sua opinião através dos comentários, logo abaixo.

Até a próxima!
_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




GimpPs - Um tema Adobe Photoshop para o GIMP

Nenhum comentário

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Eu acho louvável essas camadas de abstração de aprendizado que alguns usuários proporcionam para os demais. O GIMP permite várias modificações bacanas e hoje você vai conhecer o GimpPs.

GimpPS Ubuntu




O objetivo do projeto GimpPs é aproximar que está saindo do Photoshop para o GIMP. Feito para o GIMP 2.8, o tema funciona no Windows, no macOS e no Linux (em geral), valendo observar o tema GTK no caso das distros Linux.


O GimpPs muda o visual da aplicação e também as teclas de atalho da ferramenta, ele é perfeitamente comparável ao nosso projeto PhotoGIMP, porém, com um tema diferente, que pode ou não, te agradar mais.

Como instalar o GimpPs?

O projeto está disponível no GitHub, na página você também encontra as instruções para instalar em todos os sistemas.

Observe que é importante ter o Git instalado para que os comandos de instalação funcionem. Isso varia de acordo com o sistema, no Ubuntu, Debian, Mint e seus derivados o que você precisa fazer basicamente é:
sudo apt install git
Para instalar no Linux:
sh -c "$(wget https://raw.githubusercontent.com/doctormo/GimpPs/master/tools/install.sh -O -)"
No macOS:
cd $HOME/Library/Application\ Support/GIMP
mv 2.8 2.8.backup
git clone --depth=1 https://github.com/doctormo/GimpPs.git 2.8
No Windows (CMD):
cd %USERPROFILE% 
ren .gimp-2.8 .gimp-2.8.backup 
git clone --depth=1 https://github.com/doctormo/GimpPs.git .gimp-2.8
No Windows (PowerShell):
cd $Env:UserProfile 
mv .gimp-2.8 .gimp-2.8.backup
git clone --depth=1 https://github.com/doctormo/GimpPs.git .gimp-2.8
Até a próxima!_____________________________________________________________________________
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.




Blog Diolinux © all rights reserved
made with by templateszoo